Você está na página 1de 32

1,50 € // Segunda-feira, 4 maio 2020 // Ano 10 // Diário // Número 3200 // Diretor: Mário Ramires // Dir. exec.

: Vítor Rainho // Dir. exec. adjunto: José Cabrita Saraiva // Subdir. exec. : Marta F. Reis // Dir. de arte: Francisco Alves
inevitável

GOVERNO AFASTA
PRESIDENTES
DE CÂMARA DO
COMBATE À COVID-19
Polícia Municipal já não precisa de autorização
dos autarcas para promover fiscalização
Carlos Carreiras, presidente da CM Cascais,
diz que não é “nada favorável” à descentralização
de competências na área da segurança
// PÁG. 4

ANDRÉVENTURA AO I:

“É preciso um plano de
confinamento específico
para a comunidade cigana”
// PÁG. 32

Piadas sobre portugueses


ganham destaque na
campanha de Bolsonaro
A “Quer piada? Conte uma do português ou do papagaio,
que é melhor”, disse deputado brasileiro, com o Presidente
ao lado A Embaixada do Brasil em Portugal demarca-se:
não compartilha de “visões estereotipadas [...] muito menos
com relação a nossos irmãos portugueses”// PÁGS. 2-3
AFP

O MISTÉRIO Restaurantes Igreja mantém Finanças


DOS GOLFINHOS de Braga vão decisão: pessoais.
QUE DERAM encher Praça celebrações Sabia que
À COSTA do Município do 13 de Maio também pode
NAS PRAIAS de mesas em Fátima pedir empréstimo
DE SINTRA em protesto sem peregrinos para construir?
// PÁGS. 12-15 // PÁG. 8 // PÁG. 7 // PÁGS. 18-19
EDITORIAL
Um vírus
que fará
estragos
A
na política Radar

Presidente brasileiro
vê o Governo cada vez
mais fragilizado com
a saída de ministros fortes
como Luiz Mandetta
José Cabrita e Sérgio Moro
Saraiva EVARISTO SÁ/AFP

Ainda não chegámos lá mas, a prazo, esta


pandemia poderá promover uma mudan-
ça de ciclo político comparável às que
decorreram dos grandes conflitos milita-
res que marcaram o séc. XX.
Em Portugal, segundo as sondagens, para
já, o Governo está a reforçar a sua popula-
ridade, cavando a distância para o segun-
do partido, o PSD.
Lá fora, o nosso país é visto como um
caso exemplar de gestão da crise pandé-
mica. Muitos têm falado no “milagre
português” e, há dois dias, um editorial
no diário espanhol El Mundo ia mais lon-
ge: “Não estamos perante nenhum mila-
gre, mas perante os frutos de uma impe-
cável gestão política”.
Mas, como dizia alguém meu conhecido,
ainda a procissão vai no adro. Falta ver

Brasil. “Piadas de
como o eleitorado se comportará face à
dura e inevitável recessão que aí vem.
Enquanto alguns colhem elogios, outros
são, como de costume, autênticos bombos

português” entram
da festa. Refiro-me, claro, a Trump e a Bol-
sonaro. O Presidente brasileiro, em espe-
cial, tem feito uma gestão desastrada da
crise, deixando que a questão extravasasse

na campanha
o domínio da saúde pública e se transfor-
masse numa questão política.
Mas olhemos para outros casos: na Suécia,
as medidas de combate à covid-19 foram

pró-Bolsonaro
praticamente deixadas ao critério dos cida-
dãos e, no entanto, a taxa de infetados por
milhão de habitantes é muito semelhante
à portuguesa (a mortalidade é mais do
dobro mas, ainda assim, dentro de valores
muito aceitáveis); na Índia (1353 milhões
de habitantes), muitos temiam uma catás-
trofe e, no entanto, o país regista o mesmo
número de casos que a Holanda (17
milhões de habitantes); na Nigéria (quase Referência às piadas CARLOS DIOGO SANTOS chment. Nesse contexto, e em ple-
200 milhões de habitantes) há menos de sobre portugueses foi carlos.santos@ionline.pt no caos provocado pela pande-
2500 casos e menos de cem mortes. Serão feita por um deputado mia do novo coronavírus, na últi-
todos estes números (sem querer retirar o federal ao lado A política brasileira está ao rubro ma semana, apurou o i, o Presi-
mérito ao Governo português) “frutos de e as piadas sobre portugueses já dente brasileiro levou até à porta
uma impecável gestão política”? Ou serão
do Presidente Jair ganham destaque na campanha do Palácio do Planalto – onde
fruto da sorte, do acaso ou de fatores que Bolsonaro, pró-Bolsonaro. Com um Execu- habitualmente fala à imprensa
estão ainda por explicar? em Brasília. tivo debilitado depois de, nas últi- na presença de um público que
A verdade é que este novo coronavírus Confrontada pelo i mas semanas, ter sido demitido lhe é fiel – vários deputados fede-
parece atacar de forma seletiva. Os que com estas declarações, Luiz Henrique Mandetta, que rais para o defenderem de todas
estão aparentemente mais vulneráveis a embaixada estava à frente da pasta da Saú- as acusações de que tem sido alvo.
têm sido estranha e misericordiosamen- do Brasil em Lisboa de, e de o ex-juiz Sérgio Moro ter Um desses parlamentares, que
te poupados, enquanto as “robustas” demarcou-se e batido com a porta do Ministé- discursava perante os jornalis-
potências ocidentais são fustigadas sem rio da Justiça, Jair Bolsonaro tem tas brasileiros e ao lado de Jair
dó nem piedade... tal como alguns dos
afirmou que o tentado de tudo para segurar o Bolsonaro e de um dos seus filhos,
seus líderes. Talvez um dia venhamos a
Governo também não Governo e deixar claro que não não hesitou em afirmar que pedir
perceber porquê. se revê nas palavras. faria qualquer sentido um impea- o impeachment do Presidente

2 —4 maio 2020
POLÉMICA

Moro
ouvido
pela PF,
Bolsonaro
diz ter povo
do seu lado
Bolsonaro celebra
manifestação contra
STF e Congresso.

O ministro demissionário da Jus-


tiça brasileira, Sérgio Moro, pres-
tou depoimento durante várias
horas, este domingo, à Polícia
Federal brasileira, em Curitiba,
sobre as suas acusações de inter-
ferência política de Jair Bolso-
naro, Presidente do Brasil. No
mesmo dia, o ocupante do Palá-
cio do Planalto apoiou uma mani-
festação de um grupo de fiéis
seus contra o Congresso e o Supre-
mo Tribunal Federal em que
foram agredidos jornalistas do
Estadão. E Moro, antes adorado
devido ao caso Lava Jato, tam-
bém foi alvo de críticas, de acor-
do com a Folha de São Paulo.
Fontes afirmaram ao site G1
piada de papagaio ou de portu- que as autoridades brasileiras
guês”. E a acompanhar esta publi- extraíram as alegadas mensa-
cação estava um vídeo onde, num gens entre Moro e Bolsonaro –
contexto diferente do da confe- que o ex-ministro já havia afir-
rência de imprensa dada à por- mado em público ter em seu
ta do Palácio do Planalto, usava poder – da aplicação WhatsApp.
a mesma argumentação. Além disso, referem as fontes do
site, Moro entregou mais provas
O IMPEACHMENT É UM RISCO à polícia e ainda sinalizou onde
PARA JAIR BOLSONARO? A saída poderiam ser descobertas outras.
de Sérgio Moro foi a gota de Mas Bolsonaro, celebrando a
água: o ex-ministro da Justiça manifestação contra o Congres-
enumerou, ao abandonar o Exe- so e o Supremo, não duvida de
cutivo, diversos factos que podem que o povo e os militares estão
consubstanciar crimes do Pre- do seu lado – e o homem lá de
sidente, incluindo de responsa- cima. “Tenho [a] certeza de uma
bilidade – que são passíveis de coisa: nós temos o povo ao nos-
perda de cargo. Nesse sentido, so lado, nós temos as Forças
Bolsonaro ao lado do deputado Bibo Nunes a Procuradoria-Geral da Repú- Armadas ao lado do povo, pela
no momento em que este incitou às piadas sobre portugueses blica pediu ao Supremo Tribu- lei, pela ordem, pela democra-
nal Federal que investigasse as cia e pela liberdade. E o mais
seria uma piada e incitou às pia- com estas declarações do depu- irmãos portugueses”, assegu- denúncias do antigo superjuiz importante, temos Deus connos-
das sobre portugueses – que his- tado federal levado pelo Presi- rou, sem responder se vai ou da Lava Jato (ver texto ao lado). co”, enfatizou o Presidente em
toricamente lhes atribuem carac- dente para fazer a sua defesa não tomar uma posição oficial Mas o impeachment não depen- direto numa rede social.
terísticas de ignorância e falta pública, a embaixada do Brasil perante as autoridades de Bra- de só da justiça e a maioria dos Nesse protesto de apoio a Bol-
de conhecimentos. em Lisboa demarcou-se da posi- sília e as de Lisboa com vista a líderes dos principais partidos sonaro, o Estadão afirma que os
“É uma piada querer o impea- ção de Bibo Nunes e afirmou evitar qualquer possível mal-estar tentam afastar esse cenário. Ain- seus jornalistas que cobriam a
chment de Bolsonaro. Quer piada? mesmo que o Governo liderado provocado pelo incidente. da assim, é certo que ao presi- manifestação foram empurra-
Conte uma de português. […] Quer por Jair Bolsonaro também não O certo é que as referências às dente da Câmara dos Deputa- dos, pontapeados e esmurrados.
piada? Conte uma do português se revê em tais palavras. piadas sobre portugueses por dos, Rodrigo Maia, chegaram Com as acusações de Moro, que
ou do papagaio, que é melhor…”, “A Embaixada do Brasil e o parte deste deputado federal do vários pedidos de destituição do se demitiu no dia 24 de abril. o
repetiu o deputado federal Bibo Governo brasileiro não compar- Rio Grande do Sul não foram Presidente ao longo dos últimos Supremo Tribunal Federal auto-
Nunes, de modo enfático. tilham de opiniões ou posições algo exclusivo daquele momen- meses. E com a tensão a cres- rizou a abertura de um inquéri-
que possam incitar a visões este- to, dado que, no dia 28 de abril, cer e o Governo cada vez mais to durante 60 dias para apurar
EMBAIXADA NÃO CONCORDA COM reotipadas de qualquer indiví- ele escreveu na sua página de frágil, há já quem duvide do se Bolsonaro incorreu em ações
“VISÕES ESTEREOTIPADAS” Con- duo ou nacionalidade, muito Facebook: “Falar em impeachment cenário apontado pelos líderes corruptas e obstruiu a justiça. O
frontada pelo i nos últimos dias menos com relação a nossos de Bolsonaro, prefiro ouvir uma dos principais partidos. Presidente nega as acusações.

—4 maio 2020 3
A Radar //

Até aqui, as ações de fiscalização feitas pela Polícia Municipal aconteciam por ordem das respetivas câmaras DIANA TINOCO

Fiscalizações. Polícia dessas áreas é, de facto, a segu-


rança”, explica ao i.
Sublinhando que a Polícia Muni-
ção em questão está relacionada
com a “importância” e “impres-
cindibilidade” de assegurar “uma

Municipal já não precisa cipal é uma “polícia administra-


tiva” e não uma força de seguran-
ça, o presidente da Câmara de
melhor coordenação dos serviços
da administração central de nível
regional ou distrital e a devida

de luz verde das câmaras Cascais sublinha que não lhe “pare-
ce correto” estar a atribuir a uma
polícia administrativa “poderes
articulação supramunicipal”. Em
relação a esta questão, Carlos Car-
reiras garante que, no município
relacionados com as forças de de Cascais, a coordenação está a
segurança”. “Por outro lado, já ser assegurada no âmbito do Con-
tinha no passado competências selho Municipal de Segurança, do
Decreto-lei aprovado na quinta-feira reforça autonomia da Polícia a nível do trânsito e, portanto, qual fazem parte um “conjunto
Municipal e retira poder às Câmaras. Segundo o Governo, pretende não vejo necessidade de aumen- de entidades”, entre as quais “as
“assegurar uma melhor coordenação”. Carlos Carreiras diz que não é tar a competência da Polícia Muni- várias forças de segurança”. “Tem
nada favorável à descentralização de competências na área da segurança. cipal”, acrescenta. funcionado muito bem e há uma
Segundo o decreto-lei, a altera- relação muito boa”, assegura.

ANA TERESA BANHA cia Municipal passa a poder rea- Câmara de Cascais utilizou o Face- CÂMARAS PERDEM DECISÃO PARA
teresa.banha@ionline.pt lizar ações de fiscalização sem a book reagir à ação de fiscaliza- JUNTAS Também no passado dia
autorização prévia da autarquia ção junto à praia de Carcavelos, 30 foi publicada em Diário da
O Presidente da República pro- em questão, requisito que era até notando não ter sido consultado República a resolução do Conse-
mulgou esta quinta-feira, dia 30 aqui necessário. acerca do encerramento de uma lho de Ministros que declara o
de abril, um decreto-lei que alte- das principais vias do concelho. estado de calamidade, em vigor
ra o regime da organização e fun- CARLOS CARREIRAS “NADA” FAVO- Carreiras quis, no entanto, dei-
Carreiras não acha desde ontem. Na resolução, o Con-
cionamento do atual Governo. RÁVEL No Logo no dia em que a xar “bem claro” que não foi “nem “correto” atribuir os selho de Ministros dá força às jun-
Numa nota publicada no site da alteração entrou em vigor, 1 de tinha que ser, avisado ou auscul- poderes em questão tas de freguesia, ao recomendar
Presidência, Marcelo Rebelo de maio, realizou-se uma operação tado sobre esta ação”. “Trata-se a estas entidades que sinalizem
Sousa explica que a promulgação de fiscalização na Marginal de do exercício de competências
a uma polícia junto das forças e serviços de segu-
do diploma, aprovado pelo Gover- Cascais. Com começo por volta legais do Ministério da Adminis- administrativa rança, “bem como da polícia muni-
no nesse mesmo dia, se prende das 9h, prolongou-se não só duran- tração Interna”, explicou. cipal”, os estabelecimentos a encer-
com a “necessidade imperiosa de te esse dia, como também no dia Questionado acerca da nova rar. Esta competência, de definir
coordenação de organismos de seguinte. Segundo a subcomissá- atribuição de competências, Car-
Resolução quais os estabelecimentos comer-
âmbito nacional ou distrital de ria da PSP de Cascais, citada pela los Carreiras afirma que, apesar do Conselho ciais e fábricas que podem abrir
administração direta e indireta RTP, a operação teve como obje- de ser, por norma, “o mais favo- de Ministros dá e quais devem manter-se encer-
do Estado, em períodos como o tivo “evitar deslocações desneces- rável possível à descentralização rados, antes de a resolução entrar
da pandemia de covid-19”. sárias” e “evitar aglomerações”. de competências”, há áreas em
força às juntas em vigor era da responsabilida-
Graças a esta alteração, a Polí- De imediato, o presidente da que não é “nada” favorável. “Uma de freguesia de dos presidentes de Câmara.

4 —4 maio 2020
POLÍTICA

Açores 1.º de Maio. João Oliveira responde Sobrelotações


em transportes. PEV

Máscaras
a críticas do CDS e PSD questiona Governo
PORTUGAL O Partido Ecologis-
de proteção João Oliveira frisou te incoerência e revelarem a sua das celebrações no Dia do Tra- tas “Os Verdes” questionou o
que os partidos verdadeira despreocupação com balhador. “Se o entrudo para o Ministério do Ambiente e da
PRODUÇÃO deram luz verde os problemas dos trabalhado- Estado de Calamidade é isto, Ação Climática acerca de casos
EM MAIS ILHAS res”, escreve o deputado. então a calamidade é mesmo o de sobrelotação nos transpor-
A vice-presidente
ao decreto que previa A publicação surge em respos- estado a que isto chegou”, escre- tes públicos que, segundo o par-
do grupo parlamentar as celebrações. ta às críticas que os dois parti- veu Francisco Rodrigues dos tido, ocorrem nos períodos de
do PSD/Açores defendeu dos têm feito às comemorações Santos. “ponta” matinais. Segundo o PEV,
que a produção deve ser O líder parlamentar do PCP par- organizadas pela Confederação O líder do PSD considerou que esta situação é provocada pela
descentralizada por ilhas, tilhou, no sábado, o decreto da Geral dos Trabalhadores Portu- era “inaceitável” haver “milha- redução da oferta, que “em mui-
para que a distribuição seja segunda renovação do estado gueses (CGTP) na Alameda D. res de pessoas da CGTP e do PCP tos casos, não foi devidamente
feita em “tempo útil”. de emergência, que previa a rea- Afonso Henriques, em Lisboa. a festejarem o 1.º de Maio em acertada com a real procura”.
“Ao ritmo de produção lização das celebrações do 1. º No seu Facebook, o líder do pleno Estado de Emergência”.
atual, esse objetivo só de Maio e as consequentes des- CDS partilhou uma fotografia Além do estado de emergência,
será alcançado daqui locações entre concelhos. Na que ainda estava em vigor na PSD quer mil milhões
a muitas semanas”, legenda da publicação feita na sexta-feira, foi aprovado e pro- de euros para
escreveu Mónica Seidi. sua página do Facebook, João mulgado um decreto-lei que não capitalizar empresas
Oliveira destaca o CDS e o PSD, permitia a circulação entre con-
USO OBRIGATÓRIO que votaram a favor da renova- celhos nos primeiros três dias LISBOA O PSD anunciou ontem
O responsável pela ção do estado de emergência. de maio, sendo esta autorizada que vai pedir um instrumento
Autoridade de Saúde João Oliveira acusa ainda os apenas por motivos de saúde ou de mil milhões de euros para
nos Açores, Tiago Lopes, sociais-democratas e centristas “urgência imperiosa”. capitalizar empresas com difi-
anunciou que a partir de “permanente incoerência” e No twitter, o social-democra- culdades financeiras consequen-
de hoje o uso de máscaras de não se preocuparem verda- ta escreveu ainda que é “uma tes da pandemia de covid-19. Em
é obrigatório. A decisão foi deiramente com os trabalhado- vergonha” trazer quem esteve comunicado, os sociais-demo-
tomada porque “da parte res. “Tudo o que PSD e CDS presente de “camioneta”, quan- cratas afirmam ainda que vão
da população já existe mais digam agora contra o 1.° de Maio do, no dia, a circulação estava pedir uma reunião ao Banco e
à-vontade na circulação depois de terem votado a favor proibida. “Para o Governo, a ao Fundo Europeu de Investi-
na via pública”, justificou. é só mais um contributo para geringonça goza de estatuto mento para discutir o programa
descabelarem a sua permanen- João Oliveira, do PCP especial. Assim não!”, finalizou. económico e “outras soluções”.

PUB

—4 maio 2020 5
A Radar //

Estado
de calamidade.
Bom tempo, praia
e o aumento
de casos mais
baixo de sempre

Dezenas de pessoas passearam junto às praias


no primeiro dia de estado de calamidade. O
regresso à normalidade começa pouco a pouco.

RITA PEREIRA CARVALHO é seguro deixar as nossas crian-


rita.carvalho@ionline.pt ças brincar nos parques infan-
tis. Temos tempo, os equipamen-
O primeiro dia de estado de cala- tos vão continuar lá, à espera
midade coincidiu com um domin- do som das gargalhadas dos mais
go de calor, em que os termó- pequenos”, escreveu o municí-
metros chegaram aos 30 oC em pio de Lisboa. Na capital, aliás,
algumas zonas, e com a celebra- durante o fim de semana, já se
ção do Dia da Mãe. Apesar de viam muitas pessoas sentadas
vigorar “o dever cívico de reco- nos bancos, apesar das fitas de
lhimento domiciliário”, cente- proteção colocadas pela PSP.
nas de pessoas saíram à rua, No norte do país, mais especi-
sobretudo para passear junto ficamente na Foz do Douro, as
ao mar. Aliás, durante o fim de autoridades foram obrigadas a
semana manteve-se a proibição recorrer a um drone para pas-
de saída do concelho de residên- sar uma mensagem de alerta, Comércio de rua reabre hoje com novas regras MAFALDA GOMES

cia e as autoridades continua- uma vez que, durante a manhã,


ram nas estradas com as habi- algumas pessoas passeavam à do, em todos os espaços fecha- edição de fim de semana, o peque- marcação e é proibido esperar
tuais ações de fiscalização e sen- beira-mar e outras chegaram dos é necessário usar máscara. no comércio começou a prepa- pelo atendimento dentro do espa-
sibilização. mesmo a estender as toalhas Quem não respeitar as regras rar-se mesmo antes de o Gover- ço. Além disso, deverá ser dei-
Na zona de Carcavelos, em Cas- para apanhar sol. Já durante a impostas pelo Governo pode ser no ter dado luz verde oficial à xada uma cadeira livre entre
cais, por exemplo, o acesso ao tarde eram dezenas as pessoas punido com uma coima que varia reabertura dos espaços. clientes enquanto estão a ser
areal esteve interdito e a Polí- que passeavam, corriam, anda- entre 120 e 350 euros. De acordo com as regras da atendidos.
cia Municipal fiscalizou duran- vam de bicicleta ou passeavam O plano de confinamento para tutela, só poderão estar dentro No comércio, as portas devem
te o dia a movimentação de pes- os cães na Marginal. o estado de calamidade entra dos espaços comerciais cinco estar sempre abertas para evi-
soas. Apesar de não ser possí- Além do bom tempo, um dos hoje em vigor – apesar de o esta- pessoas por cada 100 metros tar tocar nos puxadores, o mobi-
vel pisar a areia, muitas pessoas motivos que levam as pessoas a do de calamidade ter começa- quadrados. Nos cabeleireiros, liário deve ser organizado de
foram passear até junto da praia. sair de casa com mais confian- do ontem. Estão proibidos ajun- por exemplo, vai ser necessário forma a facilitar a circulação dos
E o mesmo aconteceu na Costa ça é também o aumento lento do tamentos com mais de dez pes- clientes e, se possível, deve ser
da Caparica. número de casos. Ontem, o núme- soas e os transportes públicos usada uma porta para a entra-
Na Ponte 25 de Abril, à seme- ro de infetados por covid-19 têm uma lotação máxima de da e outra para a saída. Os fun-
lhança daquilo que aconteceu aumentou 0,4% – 92 casos –, o dois terços. cionários passam agora a traba-
na Páscoa, todos os veículos que se traduziu no crescimento Na praia está a partir de hoje
Fiscalização lhar de máscara ou viseira e aos
foram parados pela PSP para mais baixo de sempre desde o autorizada a prática de despor- decorreu clientes pede-se o uso de más-
justificarem a saída de casa. Aos início do surto. Registaram-se tos náuticos, ainda que não exis- à semelhança cara e uma distância física de
que apresentavam motivos não menos seis pacientes nos cuida- ta, para já, um regulamento defi- dois metros.
considerados válidos, a PSP pedia dos intensivos e mais 20 mortes. nido que determine o acesso dos
do que aconteceu A situação no país é avaliada
que regressassem às suas casas. banhistas. no 25 de Abril a cada 15 dias pelo Governo,
Apesar de saírem à rua cada O QUE MUDA Com a passagem estando prevista a reabertura
vez mais pessoas, é fundamen- de estado de emergência para dos restaurantes e lojas até 400
tal continuar a ter os cuidados estado de calamidade torna-se
PEQUENO COMÉRCIO REABRE
HOJE Cabeleireiros, barbeiros,
Pequeno comércio metros quadrados no dia 18 de
básicos de distanciamento social. obrigatório o uso de máscara centros de estética, lojas de tatua- reabre hoje. maio e dos centros comerciais
Ontem, a Câmara Municipal de nos transportes públicos, nos gens, lojas de roupa e stands de Uso de máscara no primeiro dia de junho. Ape-
Lisboa voltou a sublinhar as serviços de atendimento ao públi- automóveis voltam hoje a abrir sar das mudanças, durante o
recomendações de uso dos equi- co, nas escolas, nos supermer- portas. As regras são muitas
é obrigatório nos mês de maio deve permanecer
pamentos públicos. “Ainda não cados ou nos museus – no fun- mas, tal como o i avançou na transportes públicos o teletrabalho.

6 —4 maio 2020
SOCIEDADE

Repatriados Igreja mantém posição:


Portugueses
13 de Maio sem peregrinos
regressam Lares pedem
de Cabo Verde regresso das visitas Depois de Marta suspender as celebrações reli- saúde”. Por isso, a realização
Temido ter dito giosas decorre da responsabili- das comemorações será feita
200 PORTUGUESES PORTUGAL Apesar de o Gover- que decisões de dade de fazer o que está ao seu “com uma presença simbólica
Cerca de 200 no ainda não ter indicado uma celebrações cabem alcance para não colocar em de participantes, intervenientes
portugueses data para que os idosos dos lares perigo a saúde pública, em sin- na celebração e funcionários do
que estavam retidos possam voltar a receber visitas,
às instituições, Igreja tonia com o mandato evangéli- Santuário de Fátima”. As respe-
em Cabo Verde desde a Confederação Nacional das reuniu e manteve co do amor ao próximo”. “Por tivas celebrações serão trans-
o início da pandemia Instituições de Solidariedade decisão de celebrar mais que o nosso coração dese- mitidas através dos órgãos de
regressaram ontem (CNIS) pediu que o regresso des- o 13 de Maio sem jasse estar em Fátima a celebrar comunicação social.
a Portugal. tas para em breve. À Lusa, Lino peregrinos no recinto. comunitariamente neste lugar Menos de 24 horas depois da
Os portugueses estavam Maia, presidente do CNIS, dis- como acontece desde 1917, a pru- entrevista à SIC, durante a con-
nas ilhas de São Vicente se para “pelo menos, apontar Marta Temido levantou a polé- dência aconselha-nos que des- ferência habitual sobre o bole-
e de Santiago e fizeram uma data”, lembrando que a sus- mica, a Igreja reuniu-se, mas a ta vez não seja assim”, lê-se no tim epidemiológico, Marta Temi-
a viagem até Portugal pensão de visitas foi uma das decisão mantém-se: o dia 13 de documento. do esclarecia o assunto: “Há uma
num voo comercial primeiras medidas. Maio vai ser celebrado sem pere- Um aglomerado de pessoas diferença entre peregrinos e
da TAP. grinos no santuário de Fátima. durante os dias 12 e 13 de maio, celebrantes”. Neste caso, a dife-
A ministra da Saúde admitiu, considera a Igreja, “contraria as rença é que este ano estão proi-
VOO PAGO Homem morre este sábado à noite em entrevis- orientações das autoridades de bidas as caminhadas habituais
António Albuquerque em incêndio ta à SIC que, à semelhança daqui- até Fátima.
Moniz, embaixador de lo que aconteceu com as cele- “Todos sabem que a Igreja Cató-
Portugal em Cabo Verde, ALENQUER Um homem de 45 brações da CGTP na Alameda, lica já decidiu há muito tempo
anunciou ontem que anos morreu ontem de manhã em Lisboa, e “desde que sejam e com muita prudência que este
os portugueses na sequência de um incêndio respeitadas as regras sanitárias”, ano não ia haver celebrações do
repatriados já tinham em Casais Novos, Alenquer. O cabe às instituições decidir a 13 de Maio em Fátima”, disse
feito o pedido fogo deflagrou no anexo de uma presença, ou não, de pessoas nas Marta Temido.
no consulado. “As habitação, onde a vítima mora- celebrações. “Cada organizador Também ontem, o cardeal-
pessoas têm que pagar, va. De acordo com o Correio da tem de fazer um juízo de valor patriarca de Lisboa, D. Manuel
embora o valor seja Manhã, o cadáver foi encontra- sobre riscos que vai correr”,
Aglomerado Clemente, aproveitou para, numa
bastante razoável”, do pelos bombeiros quando o acrescentou Marta Temido. de pessoas no carta aberta, deixar o alerta:
disse o diplomata, incêndio foi extinto. A Polícia O santuário de Fátima admi- santuário “contraria “Sabemos que o fim do estado
acrescentando que um Judiciária foi chamada ao local tiu ter sido apanhado de surpre- de emergência não significou o
voo realizado por outro para averiguar as causas do sa, mas após um reunião de
as orientações fim da pandemia e do grande
país europeu “custa três incêndio. urgência, a decisão de celebrar de saúde” perigo de ela alastrar, se não
vezes mais caro” do que o dia 13 de Maio sem peregri- mantivermos o cuidado neces-
o bilhete cobrado aos nos manteve-se. sário”. “O Governo não autori-
portugueses pelo voo Prolongado prazo Em comunicado, o gabinete
Marta Temido zou celebrações religiosas em
da TAP. De acordo com para limpeza do bispo de Leiria-Fátima, car- sublinhou que geral até ao fim deste mês”, escre-
António Albuquerque de terrenos deal D. António Marto, avançou existe diferença veu D. Manuel Clemente, acres-
Moniz, foi dada que “a decisão da Igreja Católi- centando que “custa-nos certa-
prioridade aos idosos PORTUGAL O prazo para limpeza ca de seguir as indicações das
entre peregrinos mente, mas temos de cumprir,
e pessoas com crianças. dos terrenos florestais foi prolon- autoridades civis no sentido de e celebrantes a bem da saúde pública”.
gado para o dia 31 de maio, no
LIGAÇÕES À PRAIA âmbito das medidas excecionais
RETOMADAS devido à pandemia. O documen-
O embaixador não quis to foi publicado em Diário da Repú-
comprometer-se com blica este sábado e os municípios
novos voos também viram alargado até ao
de repatriamento, uma dia 30 de junho o prazo para pode-
vez que “a TAP já está rem fazer a limpeza dos terrenos
a prever voos a partir caso o proprietário não o tenha
do dia 18 [de maio] feito dentro do prazo legal.
da Praia”, não fazendo
sentido, disse o
diplomata, “organizar Homem detido com
outro voo, quando droga no sangue
não temos pessoas
suficientes”. LISBOA Um homem foi detido
pela PSP este sábado, na Aveni-
da Almirante Reis, em Lisboa,
depois de ter fugido de uma ope-
ração de fiscalização. Em comu-
nicado, a PSP avançou que, fei-
tos exames, foi detetada “uma
quantidade significativa de subs-
tância estupefaciente no sangue”.
O homem não obedeceu à ordem
da PSP e foi detido por condução
perigosa, posse de arma proibi-
da e falta de carta de condução. Celebrações serão transmitidas pela comunicação social DREAMSTIME

—4 maio 2020 7
DINHEIRO
A Radar //

Bruxelas rejeita
opção por vouchers
PORTUGAL A Comissão Europeia
rejeitou alterar as regras dos
direitos dos passageiros que obri-
gam a reembolsos em voos can-
celados, apesar de Portugal e
outros 11 países europeus terem
pedido a Bruxelas para conside-
rar apenas vouchers, dadas as
dificuldades das companhias.
“Assim é a lei e assim deverá
manter-se”, disse a comissária
dos Transportes, Adina Valean.

BPI. Mais de
57 mil moratórias
PORTUGAL O BPI recebeu um
total de 57,5 mil pedidos de mora-
tórias de crédito de empresas e
particulares, envolvendo crédi-
tos no valor de 4,8 mil milhões
de euros. Às famílias e particu-
lares correspondem 40,8 mil
pedidos de moratórias, no valor
de 2,36 mil milhões, enquanto,
Os empresários da restauração muito preocupados em relação ao presente e ao futuro DREAMSTIME no que se refere às moratórias
de crédito de empresas, o ban-
co BPI recebeu 16,7 mil pedidos,

URBAC 19. Restaurantes medidas que considerava fun-


damentais para fazer face à cri-
no valor total de 2,41 mil milhões
de crédito.

de Braga invadem a praça


se, onde se incluíam, entre
outras, um mecanismo layoff
pago pelo Estado a 100%, na CIP divulga inquérito
às empresas
e “entregam” as chaves
fase de suspensão da ativida-
de, e de 50%, num período de
retoma gradual da economia, PORTUGAL A CIP – Confedera-
durante três meses após o levan- ção Empresarial de Portugal vai
tamento do estado de emer- apresentar os resultados do pri-
gência. meiro inquérito feito às empre-
Hoje, a desmotivação atinge sas portuguesas sobre a utiliza-
o pico, devido à falta de paga- ção das linhas de financiamen-
“Dos mais de 132 restaurantes em layoff, nem sequer uma dezena mento por parte do Estado do to bancário disponibilizadas no
já recebeu os valores a que tem direito”, denuncia Albino Fernandes. layoff simplificado vigente, uma âmbito dos programas de res-
informação confirmada ao i por posta à crise, na sequência da
Albino Fernandes. “Dos mais de pandemia de covid-19. Este inqué-
JOÃO AMARAL SANTOS ta-feira a URBAC 19 promete bém instalada uma exposição 132 restaurantes do nosso gru- rito integra o Projeto Sinais Vitais
joao.santos@ionline.pt “invadir” a Praça do Município de “cadáveres” e espantalhos, po, todos em layoff, nem sequer e conta com o apoio do Marke-
de Braga, numa ação que tem o que simbolizam um cemitério uma dezena de empresas já rece- ting FutureCast Lab do ISCTE.
“Sentimento de derrota anuncia- objetivo de “dar a conhecer às de restaurantes; e, por fim, terá beu os valores a que tem direi-
da e de morte do setor”. Albino pessoas aquilo por que estamos lugar uma entrega simbólica to, o que tem criado sérias difi-
Fernandes, membro da União de a passar” e de “alertar para que das chaves dos estabelecimen- culdades para as empresas e Gasolina a subir
Restaurantes de Braga de Apoio sejam tomadas medidas de apoio tos ao presidente da Câmara de seus trabalhadores”. e gasóleo a descer
à Covid-19 (URBAC 19) – que repre- ao setor em maior número e Braga, Ricardo Rio, uma ação Este atraso – que, recorde-se,
senta mais de 132 restaurantes e mais urgentes, antes que acon- que contará ainda com a pre- foi assumido pelo Governo, que PORTUGAL Os preços dos com-
1341 trabalhadores da região –, teça uma verdadeira desgraça”, sença de Luís Pedro Martins, promete cumprir os pagamen- bustíveis em Portugal vão evo-
resume assim o sentimento que diz Albino Fernandes. presidente do Turismo do Por- tos até terça-feira –, somado à luir, hoje, de forma divergente.
se vive entre os empresários do Ao i, o também proprietário to e Norte de Portugal, e servi- falta de apoios para sócios- O preço da gasolina simples sobe
setor, “estrangulados” pelas medi- do Colinatrum Café anuncia que rá para demonstrar a impotên- gerentes, resulta que muitos dois cêntimos (naquela que é a
das de combate à pandemia. a URBAC 19 vai levar a cabo três cia e o desejo de delegar nas restaurantes “ainda não tenham primeira subida desde feverei-
O desânimo em relação ao pre- ações simbólicas que vão encher mãos dos governantes a respon- recebido qualquer apoio nem ro) para um preço médio de 1,265
sente e a desconfiança em rela- a Praça do Município com as sabilidade de serem cumpridas qualquer contributo para fazer euros por litro. O gasóleo sim-
ção ao futuro levaram os donos mesas de todos os restaurantes as obrigações prometidas. face a esta situação” desde mea- ples desce 1,5 cêntimos para um
dos restaurantes da Cidade dos do grupo, separadas pela distân- dos de março. “Esta realidade preço médio de 1,139 euros por
Arcebispos a acentuarem as ini- cia de dois metros (referida no LAYOFF POR PAGAR A URBAC tem contribuído para a desis- litro, o que corresponde ao pre-
ciativas de luta e protesto, sain- novo manual de procedimentos 19 começou por apresentar ao tência das coisas,” alerta Albi- ço mais baixo desde setembro
do para as ruas. Na próxima quar- para a reabertura); será tam- Governo um conjunto de sete no Fernandes. de 2016.

8 —4 maio 2020
PUB

—4 maio 2020 9
A Radar //

Imagens de Kim Jong-un foram divulgadas pela agência noticiosa estatal STR/AFP

Pyongyang. Kim retorna sul-coreana, citado pelo Finan-


cial Times.
Mas há quem acredite que os
RETORNO DE KIM Esta invulgar
troca de tiros ocorreu apenas
horas depois de o Supremo Líder

e pouco depois há troca disparos vindo do lado norte


não se trataram de uma
demonstração de força. É o caso
ter reaparecido, com a agência
noticiosa estatal, e único meio
de comunicação social da Coreia

de disparos na fronteira de Go Myong-hyun, um inves-


tigador do Instituto Asan para
Estudos de Políticas Públicas,
do Norte, KCNA, a publicar fotos
de Kim na cerimónia de aber-
tura de uma fábrica de fertili-
para quem o retorno público zantes em Sunchon, no norte da
do chefe da Coreia do Norte capital Pyongyang, diz o Guar-
não é sinónimo de que regres- dian. Nas imagens Kim aparece
so da escalada de tensão. junto da sua influente irmã mais
“Teriam feito algo muito maior, nova. A cerimónia terá sido na
Disparos vieram inicialmente do lado norte mas não se sabe se como um [lançamento] teste sexta-feira e as imagens aparen-
se tratou de uma ocorrência deliberada ou se foi um mero acidente. de mísseis”, disse o investiga- tam que a cerimónia terá sido
dor ao Financial Times. presenciada por milhares de pes-
soas, muitas usando máscaras
FILIPE TELES As Forças Armadas de Seul assunto até ao final da tarde e a lançarem balões explodindo
filipe.teles@ionline.pt alegaram este domingo que dis- de ontem. “em aplausos de ‘hurra’ pelo
paros vindos do Norte atingi- A fronteira entre estes dois paí- Supremo Líder”, disse a KCNA,
Em tempos normais, sem pan- ram um posto fronteiriço na ses – onde se encontra a famo- citada pelo diário britânico.
demias, o líder da Coreia do Nor- vila central perto da fronteira, sa linha imaginária do Parale- A sua ausência de três sema-
te, Kim Jong-un, costuma desa- Cheorwon, diz a BBC, não haven- lo 38 – é das mais fortificadas nas no líder, além de ter desen-
parecer dos olhos do público por do relatos de qualquer morte do mundo e este tipo de even-
Disparo vindos cadeado intrigas globais sobre o
uns dias e isso causa com fre- ou feridos. Após o incidente, as tos não ocorre com regulari- do Norte não seu estado de saúde, espoletou
quência especulação na comu- Forças Armadas informaram dade. A última vez que foram são sinónimo especulações sobre a sua suces-
nicação social ocidental. Foi o que ripostaram, disparando de trocados tiros nesta zona des- são. E sublinhou a falta de com-
que aconteceu nas últimas sema- volta, e emitiram um aviso. militarizada, que tem cerca de
de um escalar preensão dos serviços de infor-
nas. Desta vez, além das dúvidas Os responsáveis militares do 250 quilómetros, foi em 2017. de tensão do país mações ocidentais sobre o que
sobre o seu estado de saúde, foram Sul acrescentaram que não avis- “Estamos a tomar ações via se passa no seio da liderança da
aventadas hipóteses sobre a sua taram sinais pouco vulgares linhas de comunicação para potência nuclear, refere o Finan-
sucessão. Mas o ditador do país de movimentos de tropas do compreender a situação e para
A longa ausência cial Times. A CNN, citando um
asiático reapareceu este sábado. lado contrário e que estão a prevenir quaisquer incidentes do Supremo responsável norte-americano
Pouco depois, registava-se uma tentar apurar se se tratou de futuros. E também [estamos] Líder suscitou anonimamente, até relatou que
troca de tiros na fronteira des- uma ocorrência deliberada ou a manter a postura de pronti- Kim correria “grande perigo”,
militarizada entre a Coreia do se foi um mero acidente – dão necessária”, disse um res-
especulação sobre algo que foi posteriormente des-
Sul e o seu vizinho do Norte. Pyongyang não comentou o ponsável da hierarquia militar a sua sucessão mentido pelo Washington Post.

10 —4 maio 2020
MUNDO

Reino Unido
Já se pode respirar mais um pouco
de liberdade em Espanha
Boris Johnson
diz que Europa “ingénua”
chegou a ser Já se cheira algum se oficialmente 25 256 mortes Com 838 casos confirmados em relação a Pequim
equacionado otimismo em e mais de 217 mil infeções com este domingo, o menor núme-

como anunciar Espanha, um dos covid-19. ro desde 18 de março, a quan- UE A Europa foi “um pouco ingé-
países mais afetados Mas já se pode cheirar algum tidade de hospitalizações com nua” na sua relação com a Chi-
a sua morte pela crise pandémica. otimismo. A curva de mortali- covid-19 foi de 547, o número na, disse em entrevista à publi-
dade provocada pelo corona- mais baixo desde que foi decre- cação francesa Le Journal du
PLANO vírus parece estar a entrar tado o estado de alarme, diz Dimanche o chefe das relações
DE CONTINGÊNCIA Os espanhóis puderam come- numa fase descendente e o país ainda o mesmo diário. Esta últi- externas da União Europeia,
Numa entrevista ao The çar a respirar o ar da liberda- já começa a apresentar valo- ma estatística é provavelmen- Josep Borrel. Borrel acrescen-
Sun, o primeiro-ministro de a partir do passado sábado, res idênticos aos dos primei- te a mais sólida para medir o tou ainda que tanto Bruxelas
britânico, Boris Johnson, depois de quase 50 dias de con- ros dias do estado de alarme, progresso da covid-19. como Pequim promovem o mul-
revelou que foram finamento residencial, e o sufo- quando a gestão e as estatísti- tilateralismo, mas com visões
realizados planos co de ansiedade causado pelo cas da crise saúde pública come- COMBATE À CRISE Entretanto, divergentes em relação ao gover-
de “contingência” coronavírus começa a atenuar- çaram a ser centralizadas, infor- também este domingo, Pedro nação global.
quando se encontrava se. Este domingo, o balanço de ma o El País. Com o balanço Sánchez, o primeiro-ministro
seriamente doente óbitos em 24 horas foi o menor semanal de mortes a estabele- espanhol, informou os presi-
no hospital. do último mês e meio: 164, de cer-se na meia centena, e caso dentes autonómicos como repar- Quarentena para quem
acordo com o Ministério da se confirme esta tendência, tirá o fundo não reembolsável entrar em França
“50-50” Saúde. Espanha poderá começar a de 16 mil milhões de euros que
O primeiro-ministro “Yahoo”, foi o grito de Sigrid apresentar 400, 300, e 200 óbi- o Governo irá atribuir – algo FRANÇA O Governo francês está
disse que a certo ponto Cervera, 44 anos, citada pela tos nas semanas seguintes. que tem provocado alguma ten- a propor uma quarentena obri-
a probabilidade de ter Reuters, quando se direciona- são, segundo o jornal online gatória de 14 dias para quem
que utilizar um ventilador va para a água com a sua pran- eldiario.es. A maior parte des- chegue do estrangeiro, sob uma
era de “50-50”. cha de surf numa praia em se montante, 10 mil milhões extensão da legislação de emer-
Gavà, uma vila fora de Barce- de euros, será para cobrir as gência a ser apresentada esta
GOVERNO lona cujo concelho permitiu o despesas sanitárias e distribuí- semana no Parlamento, reve-
PREPARADO acesso à zona balnear. “Não da consoante os sistemas de lou Olivier Véran, ministro da
“Isso foi quando tenho conseguido ir surfar há saúde das regiões autonómi- Saúde, no sábado. O que afeta-
a coisa ficou… já tanto tempo, por isso, estou cas mais afetadas pela crise rá maioritariamente os cida-
estavam a pensar excitada esta manhã”. pandémica. dãos franceses, acrescentou
em como lidar em Com este novo sistema, dife- Espanhóis podem Já para os gastos sociais para Véran: “Esta quarentena será
termos de apresentação rentes faixa etárias podem sair sair à rua por combater a crise económica, imposta a qualquer um que che-
[ou seja, do anúncio
da sua morte ao povo
à rua por um determinado tem-
po. Mesmo assim têm que cum-
um determinado o palácio da Moncloa vai des-
tinar mil milhões de euros em
gar a solo francês”.

britânico]”, revelou prir um distanciamento social tempo consoante função da população de cada
Johnson ao The Sun. de, pelo menos, dois metros, a idade região. Os restantes 5 mil “Enormes provas”
explica a mesma agência. milhões serão atribuídos depen- que vírus originou-se
CUIDADOS Espanha está a ser dos paí-
Sánchez reuniu-se dendo da queda dos recursos num laboratório
INTENSIVOS ses mais afetados pela crise próprios das regiões autonó-
O chefe do Executivo pandémica, sendo o quarto a com presidentes micas, diz ainda o eldiario.es, EUA As estratégias de culpabiliza-
esteve internado durante
três dias na unidade
apresentar o maior balanço de
mortes e o segundo com maior
autonómicos para que cita fontes que estiveram
presentes na reunião entre o
ção entre Washington e Pequim
pelo surgimento da pandemia
de cuidados intensivos número de casos confirmados. explicar como serão chefe do Governo espanhol e continuaram este domingo. O
do St. Thomas’ Hospital, Até este domingo, registaram- distribuídos fundos os presidentes autonómicos. secretário de Estado dos Unidos,
no centro de Londres, Mike Pompeo, disse à ABC “haver
e chegou a temer-se enormes provas” de que o coro-
o pior. Foi tratado navírus foi originado num labo-
por um enfermeiro ratório em Wuhan, China, primei-
de nacionalidade ro epicentro da pandemia. Mas
portuguesa, Luís rejeitou dizer que a China provo-
Pitarma, de Aveiro, cou a crise de forma intencional.
a quem Johnson
agradeceu publicamente
pelos cuidados Motim mata 47 em
prestados. prisão venezuelana
VENEZUELA Um motim numa
prisão venezuelana fez pelo
menos 47 mortos e 75 feridos,
disse o Observatório de Prisões
Venezuelanas. O motim aconte-
ceu na sexta-feira à tarde no
estabelecimento prisional Lo
Lanos, situado na cidade de Gua-
nare, no oeste da Venezuela. A
deputada Maria Beatriz Martin
disse que o motim ocorreu por-
que os reclusos “não tinham
Espanhóis já puderam ir à praia ANDER GILLENEA/AFP acesso a comida”.

—4 maio 2020 11
Ambiente

12 —4 maio 2020
BZOOM //
PORQUE
ESTÃO OS
GOLFINHOS
A DAR
À COSTA?
No espaço de apenas duas semanas apareceram três
golfinhos mortos nas praias do concelho de Sintra.
O motivo não é claro, mas duas biólogas
explicam o que pode estar a acontecer.
TEXTOS Pedro Almeida
FOTOGRAFIA Facebook Claro Sintra

—4 maio 2020 13
01
B Zoom //

Golfinhos mortos
PEDRO ALMEIDA referindo que um dos objetivos princi-
pedro.almeida@ionline.pt pais é “apurar as causas”. Marco Almei-
da disse pretender também “apurar o

nas praias.
O aparecimento de golfinhos mortos nas número de animais selvagens de médio
praias tem-se tornado um fenómeno e grande porte que apareceram mortos
recorrente em Portugal. Três carcaças no litoral do concelho (cerca de 28 qui-
destes animais deram à costa nas praias lómetros de extensão)”.

Um fenómeno,
de Sintra, nas duas últimas semanas. Em Quanto à causa das mortes dos golfi-
resposta aos acontecimentos, o verea- nhos, ainda há várias teorias em cima
dor da Câmara Municipal, Marco Almei- da mesa. As condições adversas do mar
da, sublinhou a “preocupação” através nesta época do ano são uma delas.

várias teorias
de uma publicação na página de Face- Marisa Ferreira, bióloga coordenado-
book. “Importa que as autoridades expli- ra do Centro de Reabilitação de Ani-
quem os motivos que estão na sua ori- mais Marinhos (CRAM), explica ao i que
gem”, escreveu. E ao i admitiu que já as águas revoltas podem justificar este
alertou quem deve ser avisado. aparecimento de golfinhos mortos nas
“Pelo levantamento que fiz, no ano pas- praias. Outra hipótese que não está des-
sado apareceram oito golfinhos mortos cartada é a captura acidental destes ani-
nas praias de Sintra e este ano já são mais pelos pescadores.
três. Com o objetivo de tentar obter mais “Nesta altura do ano, no inverno e pri-
dados sobre o tema e com o intuito de mavera, como o mar também está mais
alertar as autoridades, dirigi um reque- revolto, as carcaças de golfinhos aca-
rimento na qualidade de vereador da bam por arrojar mais. Mais do que no
Três golfinhos apareceram sem vida nas praias de Sintra Câmara Municipal de Sintra ao Serviço verão. O que também acontece com evi-
nas duas últimas semanas. Ao i, duas biólogas explicam de Proteção da Natureza e do Ambien- dência é a captura acidental em redes
o que poderá estar por trás deste fenómeno. te da GNR e à Direção-Geral de Alimen- de pesca. É algo que também acontece
tação e Veterinária”, começou por dizer, com alguma frequência ao longo de todo

14 —4 maio 2020
02 03
Ambiente

01 Mortes acontecem
sobretudo no inverno
e podem estar associadas
ao mau tempo no mar

02 Só em duas semanas
deram à costa três
golfinhos no concelho
de Sintra

03 O golfinho que mais


aparece nas praias
portuguesas
é o golfinho-comum,
também o mais
abundante
nas nossa águas
FOTOS: FACEBOOK DAVID MOURA

o ano e nesta época é bastante eviden- abundantes e, portanto, acabam por ser numa praia. Sara S. Ratão reforça que é mais frequente haver encalhes no prin-
te”, sublinha a bióloga, especificando os que mais morrem e os que mais arro- importante avisar de imediato as auto- cípio do ano. “Achamos que esteja asso-
qual a espécie de golfinhos que mais jam”, adiantou. ridades. “Isso é a primeira coisa. Depois, ciado ao mau tempo no mar. Não quer
arroja nas praias de norte a sul do país: se o animal estiver vivo, tem de se moni- dizer que não haja no resto do ano, mas
o golfinho comum. DOENÇA, SISMO NO MAR? Sara S. Ratão, torizar o comportamento dele até a equi- em comparação com o início do ano, os
“Na zona norte e centro, até São Mar- bióloga marinha e coordenadora dos pa de resgate chegar ao local. Deve man- restantes encalhes acontecem com mui-
tinho do Porto, a maior percentagem de programas marinho e terrestre da Fun- ter-se o animal à sombra ou coberto por to menos frequência”, rematou.
animais que encontramos é essa espé- dação Maio Biodiversidade, a trabalhar um lençol molhado, porque é extrema- De acordo com um estudo da Univer-
cie, que é bastante comum ao longo de em Cabo Verde, avança outra possibili- mente importante mantê-lo húmido, e sidade de Aveiro realizado este ano, pelo
toda a costa portuguesa. São os mais dade: a morte dos golfinhos pode estar contar as respirações do animal”, enu- menos um golfinho por dia morre aci-
também relacionada com uma eventual merou, explicando também a importân- dentalmente nas redes de pesca em Por-
doença. “Ainda não se sabe ao certo a cia de afastar todas as pessoas que não tugal. Em 2019, foram recolhidos pela
razão pela qual os cetáceos encalham. sejam essenciais a essa operação. universidade cerca de 320 golfinhos, só
“No ano passado Existem várias teorias. Podem estar “É importante mantê-las distantes e os no norte e centro do país.
apareceram oito golfinhos doentes, o que pode deixá-los desorien- animais domésticos também, como cães,
mortos nas praias tados, fracos ou com falhas na ecoloca-
lização”, sugere, explicando que o “elo
para não causar stresse adicional ao ani-
mal. Não se deve tocar nele sem luvas
LIXO NAS PRAIAS Mas não são só animais
que dão à costa. A bióloga Marisa Ferrei-
de Sintra e este ano já são social” entre os animais também é um nem máscara, pois existem agentes pato- ra fala também do lixo que se vê nas
três”, diz vereador dos fatores de risco. génicos que podem passar para os huma- praias, especialmente durante estes meses
“As fortes ligações sociais podem fazer nos. Assim que a equipa de resgate che- do ano. “O mar empurra tudo. Acaba tam-
com que um cetáceo encalhe. Os outros gar ao local, deve-se atualizá-los da situa- bém por ter essa influência. Se calhar no
Segundo um estudo, vão atrás. As operações sísmicas na área ção e deixá-los fazer o seu trabalho”, verão, com os fenómenos de afloramen-
morre acidentalmente também são um fator de risco. Alguns rematou a bióloga. to costeiro, em que têm as nortadas e que
pelo menos um golfinho encalhes já foram ligados a operações
sísmicas”, disse a bióloga.
Também em Cabo Verde, o apareci-
mento de golfinhos nas praias é um fenó-
existe um maior movimento de águas,
acaba por se calhar levar os animais não
por dia nas redes E há que também estar alerta no caso meno frequente que continua a ser estu- para terra mas sim para alto mar. Mas
de pesca em Portugal de se encontrar um animal encalhado dado. Na ilha do Maio, por exemplo, é isto é uma possibilidade”, referiu.

—4 maio 2020 15
B Zoom // Futebol

Futebol.
JOÃO AMARAL SANTOS (IPAM). “Tendo em conta as restantes
joao.santos@ionline.pt opções do Governo, sobre o desporto e
não só, esta decisão em relação ao fute-

A exceção que
A decisão está tomada: o principal cam- bol torna-se incoerente, até porque, nes-
peonato do futebol português vai mes- te momento, nem sequer foi autorizado
mo regressar, mais de um mês e meio retomar a prática de algumas modalida-
depois de ter sido suspenso na sequên- des individuais”, com menos concentra-

vai afastar
cia da pandemia da covid-19. O pontapé ção de atletas. “O futebol, neste caso,
de saída está previsto para o fim de sema- beneficia da sua força e de todo o dinhei-
na de 30 e 31 de maio. Mas sem público ro que o negócio envolve”, destaca.
nas bancadas. E em apenas oito sema- A decisão vai ao encontro dos anseios

a crise dos
nas, mais coisa, menos coisa, terão de dos principais clubes portugueses que,
ser cumpridas as dez jornadas do cam- sem a bola rolar, estimavam um “cená-
peonato que faltam disputar. rio dramático”, com perdas entre os 350

milhões já
É esse o plano. Os esforços da Liga Por- e os 400 milhões de euros, segundo as
tuguesa de Futebol Profissional (LPFP), contas feitas pela LPFP.
da Federação Portuguesa de Futebol Ao i, Daniel Sá explica como o regres-
(FPF) e dos principais clubes portugue- so aos relvados permitirá, de imediato,

anunciada
ses, que tinham como objetivo impedir mitigar, em parte, os efeitos da crise sen-
o cancelamento da prova – tal como já tida nos cofres dos clubes primodivisio-
foi anunciado na Holanda e em França nários: “Em média, para um clube euro-
–, mereceram a aprovação do Governo, peu, as bilheteiras representam cerca de
confirmando-se assim um regime de 15% das receitas numa época. Os contra-
exceção dado aos “grandes” do futebol, tos de patrocínios e publicidade 25%. E
depois das restantes provas desportivas as transmissões televisivas cerca de 60%.
no país, de futebol ou de outras moda- Com os jogos a decorrer, mesmo sem
lidades (como andebol, basquetebol, público nas bancadas, os clubes só estão
hóquei em patins, voleibol e futsal), de a abdicar, praticamente, dos 15% das
seniores ou de outros escalões, terem receitas referentes à bilheteira. Admitin-
O regresso da Liga portuguesa permite sido dadas por concluídas. do que recuperam parte da fatia que diz
aos clubes receberem as verbas referentes Mas porquê o futebol? A resposta é mui-
to simples: “A força e o impacto que a
respeito aos contratos de patrocínios e
publicidade (pois com os jogos a decor-
aos patrocínios e às transmissões modalidade tem na sociedade portugue- rer e a serem televisionados as marcas
televisivas, evitando perdas mais pesadas. sa”, afirma Daniel Sá, do Instituto Por- vão querer comunicar na mesma) e a
tuguês de Administração de Marketing totalidade dos valores relativos às trans-

16 —4 maio 2020
O grito dos adeptos
não se fará mais sentir
na época 2019/2020
nos estádios portugueses.
Resta vibrar pela televisão
PATRÍCIA DE MELO MOREIRA/AFP

missões televisivas, os clubes vão conse- empresa, Alexandre Fonseca, afirmou ro superior as audiências televisivas. A todos os agentes desportivos presentes
guir alcançar um mal menor, que per- “não fazer sentido pagar por um con- verdade é que a maior parte dos portu- na denominada zona técnica (nos trei-
mitirá, à partida, recuperar a maior par- teúdo que não existe”, chegando mes- gueses e dos europeus consome fute- nos e jogos).
te do prejuízo que têm tido neste perío- mo a admitir só “realizar os pagamen- bol pela TV. Isso vai permitir que o negó- Ainda sem um anúncio oficial, já se
do” de pausa. tos logo que esses conteúdos sejam nova- cio continue”, sublinha. sabe que as bancadas estarão vazias e
A Altice Portugal, por exemplo, que mente disponibilizados”. Haverá, porém, uma (grande) diferen- que, em principio, o campeonato vai mes-
patrocina vários emblemas e é uma das Algo que que já não acontecerá para ça, uma vez que é previsível que o fenó- mo limitar-se a estádios que reúnam cri-
detentoras dos direitos de transmissão os clubes da 2.ª Liga, que viram o Gover- meno de se assistir a um jogo de futebol térios considerados indispensáveis, poden-
televisiva dos campeonatos da 1.ª e 2.ª no “chumbar” o regresso da prova nes- num café (ou num estabelecimento simi- do a reta final do campeonato ficar redu-
ligas, anunciou, na última semana, a ta época. Para já, os emblemas do esca- lar) não seja, para já, possível. As pes- zida a um lote de quatro ou seis palcos
suspensão do pagamento das verbas a lão secundário receberam uma ajuda soas vão ter de começar a apoiar o seu originários do Euro’ 2004, como o D.
atribuir aos clubes. O presidente da financeira no valor de um milhão de clube longe das multidões, seja no está- Afonso Henriques (Guimarães), Muni-
euros, atribuída pela FPF, LPFP e ope- dio ou noutro sítio qualquer. cipal de Braga, Dragão, Bessa (Porto),
radores televisivos, para fazer face às Perante este cenário, é expectável que Alvalade, Luz ou estádio do Algarve.
perdas registadas. as operadoras e os canais televisivos ofe- Os futebolistas terão de efetuar testes
reçam novas (e melhores) condições de entre as 48 e as 24 horas que antecedem
O MUNDO PELO PEQUENO ECRÃ A partir acesso aos seus clientes, através de paco- cada partida; e os clubes terão de enviar
do final de maio, o futebol em Portugal tes especiais dedicados à derradeira deze- essas análises para a Liga, onde uma
jogar-se-á, em exclusivo, através do ecrã na de jornadas da Liga portuguesa. Caso comissão independente os irá avaliar.
das televisões dos lares de milhões de tal se confirme, é expectável um aumen- O transporte das equipas deverá ser
adeptos, espalhados de Norte a Sul (e to do número de subscritores dos canais feito em dois autocarros, dividindo-se o
A Liga anunciou perdas Ilhas) do país. Segundo Daniel Sá, será premium dedicados ao desporto, duran- grupo ao meio. E já no estádio deverão
até 400 milhões, mas este o “motor” que permitirá ao clubes te os meses de maio, junho e julho. ser usados quatro balneários, dois por
o plano de contigência concretizar a tão ansiada retoma des-
portiva e financeira. O professor do UM PLANO RIGOROSO Para o futebol regres-
equipa. Os equipamentos devem ser tro-
cados ao intervalo; assim como as bolas
convenceu o Governo IPAM refere que “o exercício é muito sar, foi necessário a LPFP, FPF e clubes utilizadas nos primeiros 45 minutos.
e o futebol vai regressar fácil de se fazer” e dá como exemplo o apresentarem ao Governo um exausti- Para que tudo seja possível, falta, porém,
Benfica – o clube com maior número vo conjunto de regras e recomendações a autorização conclusiva da Direção
de assistências no campeonato. “Quan- que garantam, em teoria, condições de Geral de Saúde e, sobretudo, de perce-
“É um mal menor que do o Benfica joga em casa tem, em média, segurança e sanitárias indispensáveis ber como evoluirá a pandemia nos pró-
permitirá [aos clubes] cerca de 50 mil pessoas no seu estádio para evitar o contágio da covid-19. Um ximos 15 dias em Portugal, após o levan-
recuperar a maior e entre dois a três milhões de especta-
dores na TV. Neste caso, apenas desa-
plano de contingência que não se limi-
ta aos 90 minutos, ou somente aos joga-
tamento do estado de emergência. O
próximo balanço das autoridades, pre-
parte do prejuízo”, parecem os 50 mil no estádio, mas, pro- dores, mas que deve ser cumprido antes, visto para meados de maio, servirá de
afirma Daniel Sá vavelmente, até aumentam em núme- durante e depois de cada jogo e envolve sentença definitiva.

—4 maio 2020 17
B Zoom // Finanças pessoais

Casas. Sabe que


pode recorrer a
um empréstimo
para construir?

No crédito à habitação, SÓNIA PERES PINTO entraves. Um deles diz respeito ao pro- to e de atrasos na conclusão da obra é
o imóvel é dado como sonia.pinto@ionline.pt cesso de aprovação, que costuma ser maior. E os riscos não ficam por aqui,
garantia para o banco mais moroso, uma vez que é exigida a por ser um processo mais burocrático
atribuir financiamento mas, Quer obter um financiamento para cons- apresentação de orçamentos detalha- a nível da solicitação de licenças e do
truir uma habitação? Neste caso terá dos, assim como licenças camarárias, cumprimento de outros requisitos legais,
no caso de empréstimo de recorrer a um empréstimo destina- e ainda existe a necessidade de um acom- além de a obtenção de financiamento
para construção, as coisas do a esse fim. Trata-se do crédito para panhamento constante da evolução das para construir requerer mais burocra-
são ligeiramente diferentes: construção de habitação própria e per- obras por parte de um técnico nomea- cia do que uma aquisição tradicional.
não havendo imóvel manente e, como tal, tem característi- do pelo banco, para que as tranches pos- Em contrapartida, se optar por com-
para funcionar como cas diferentes do crédito tradicional. sam ser libertadas. prar uma casa pronta a habitar depa-
garantia, esta é atribuída “Entre as principais particularidades “Entre as principais vantagens de se ra-se não só com um menor grau de
através do terreno. deste produto encontra-se o facto de o optar pela construção encontram-se a burocracia associado como também
crédito ser disponibilizado por tranches possibilidade de personalizar totalmen- beneficia de maior rapidez, da inexis-
à medida que as obras forem avançan- te a disposição, acabamentos e funcio- tência de risco de derrapagem no orça-
do”, revela a plataforma ComparaJá.pt. nalidades da casa, a maior flexibilida- mento inicialmente apresentado para
Além disso, segundo o site de compa- de na escolha da localização, exceto em a construção e de menor exigência a
ração e análise de produtos, há ainda grandes meios urbanos, e o facto de ser nível de tempo de disponibilidade.
outros fatores que diferenciam este tipo economicamente mais acessível – caso E as diferenças não ficam por aqui. No
de empréstimo face ao tradicional cré- não haja derrapagens orçamentais – crédito à habitação há duas opções em
dito para habitação: “Normalmente, face à compra de casa pronta a habi- relação à taxa de juro a contratar. Na
num crédito à habitação, o imóvel é tar”, diz a plataforma. Ao mesmo tem- taxa fixa, tal como o próprio nome indi-
dado como garantia para o banco atri- po, há uma “maior flexibilidade de alo- ca, ao pedir-se, por exemplo, um emprés-
buir financiamento. Contudo, no emprés- car o orçamento aos aspetos mais valo- timo para construção de imóvel, fica-se
timo para construção, as coisas são ligei- rizados na casa, a possibilidade de deixar a pagar uma taxa que é acordada entre
ramente diferentes. Não havendo imó- bases já preparadas para quando, um o cliente e o banco. Esta é imutável
vel para funcionar como garantia, esta dia mais tarde, houver essa necessida- durante todo o período contratual. Já
é atribuída através do terreno onde se de ou capacidade financeira, fazer melho- na taxa variável há uma componente
vai construir a moradia e de tudo o que rias no imóvel, e também o facto de se indexada à Euribor que se vai alteran-
aí seja construído”. usufruir da garantia de construção, por do conforme o prazo escolhido (depen-
E embora a taxa de juro no crédito parte do empreiteiro, pelo mínimo de dendo se, por exemplo, está indexada à
para construção seja, por norma, mais cinco anos”. Euribor a três, seis ou 12 meses).
baixa quando comparada com um finan- “A solução mais comum no crédito
ciamento para aquisição de habitação, OUTRAS DIFERENÇAS Por ser um proces- para construção – tal como nas restan-
o melhor é pedir várias propostas e ave- so mais moroso e exigente em termos tes modalidades de crédito à habitação
riguar que bancos oferecem o menor de envolvimento e disponibilidade, tam- – é a contratação de uma taxa variável
spread. Ainda assim, conte com alguns bém o risco de derrapagens no orçamen- com a Euribor a seis ou a 12 meses como

18 —4 maio 2020
O que deve ter em conta

Siga estes passos e considere os vários critérios e custos


que são exigidos no momento da escolha do crédito.

ESCOLHA DO BANCO SEGUROS EXIGIDOS


Em primeiro lugar, deve Precisa de subscrever um
contactar o seu banco: seguro de vida, que inclui
faça valer a sua posição e coberturas de morte e
negoceie. Deve ainda fazer invalidez, com capital
várias simulações para idêntico ao valor do
diferentes prazos. Tenha empréstimo, para garantir a
sempre em conta as liquidação da dívida caso o
condições de titular fique incapacitado
financiamento, as para trabalhar ou venha a
comissões, os seguros e falecer. Precisa também de
os impostos legais. Além um seguro multirriscos
da simulação para uma habitação. Este seguro tem
subida de 1% e 2% da de ser contratado pelo valor
taxa de juro, peça também de reconstrução do imóvel,
cálculos para subidas na mas há bancos a exigir um
ordem dos 3% ou 4%. valor superior. Pode escolher
Deste modo, fica com uma livremente a seguradora com
ideia do pior cenário as melhores condições, mas
possível. Se concluir que o há bancos que oferecem
esforço para suportar a redução no spread em troca
prestação é considerável, da contratação do seguro
faça nova simulação para em companhias associadas.
um prazo mais alargado.
Contudo, quanto mais TAXA DE JURO
longo for o prazo, mais A taxa variável oscila
caro fica o empréstimo. consoante as flutuações das
taxas de juro de referência
CALCULAR no mercado, sendo
TAXA DE ESFORÇO indexada à Euribor. Já a taxa
Divida o valor da prestação fixa é contratada entre o
pelo rendimento líquido cliente e o banco. Desta
O crédito para a construção mensal e obterá a sua taxa forma, a primeira vai-se
de casa é disponibilizado de esforço. A maioria dos alterando conforme o
Dreamstime

por tranches à medida que bancos não concede período da Euribor escolhido
as obras forem avançando empréstimos a clientes (se for a um mês será um
com uma taxa de esforço determinado valor, enquanto
referência”, diz a plataforma Compa- disposição, acabamentos e funcionali- superior a 30% ou 40%. se for a seis ou a 12 meses
raJá.pt. dades da casa. será outro). Se o cliente
Já se optar pela construção de um imó- ENCARGOS optar pela Euribor a seis
COMPENSA CONSTRUIR? Tendo em con- vel, a habitação poderá ficar ao gosto e Prepare-se para uma série meses (a mais comum), ao
ta a elevada valorização das casas no estilo do agregado familiar e o valor de encargos iniciais, que fim deste tempo verá o valor
nosso país, em particular junto aos gran- total do financiamento poderá ser infe- variam de banco para da sua prestação revisto
des centros urbanos, a compra de um rior ao da compra de uma casa pronta banco. É o caso de (aumentará ou diminuirá
imóvel pronto a habitar poderá signifi- a habitar. No entanto, neste caso é impor- comissões de análise ou conforme as taxas que estão
car para as famílias portuguesas terem tante considerar o cumprimento de um de estudo e de abertura de a ser praticadas no
de suportar um crédito à habitação mais conjunto de burocracias exigidas pelas processo (a terminologia mercado). Se escolher a
elevado, levando a que a sua taxa de instituições bancárias até às licenças varia). Muitas vezes, estas modalidade fixa, a mesma
esforço se torne demasiado alta e, assim, obrigatórias para a execução da obra. comissões incluem fica acordada entre ele e o
impactando a qualidade de vida destes despesas de avaliação. O banco e manter-se-á
consumidores. Além disso, fica limita- CRÉDITO MAIS APERTADO O certo é que, banco exige sempre um inalterada ao longo do prazo
do à construção já existente em termos face à pandemia de covid-19, os bancos relatório com a avaliação do empréstimo. Aconteça o
de localização e na personalização da preveem uma “forte redução” da pro- do imóvel, realizado por que acontecer, o cliente
cura de créditos dos clientes particula- um técnico. Conte também pagará sempre a
res no segundo trimestre do ano, sobre- com o pagamento do mensalidade que ficou
tudo para compra de habitação, segun- imposto municipal sobre estabelecida no contrato.
do o inquérito sobre o mercado de crédito os imóveis (IMI) e do Outra alternativa, menos
O crédito para divulgado, na semana passada, pelo Ban- imposto municipal sobre utilizada, são os
co de Portugal. as transmissões onerosas empréstimos com taxa de
construção é sempre Antes da pandemia atual, os bancos de imóveis (IMT). Outras juro mista. Isto significa que
libertado em tranches, ao portugueses emprestaram 919 milhões despesas a ter em conta o contrato de crédito tem um
contrário do tradicional de euros em crédito à habitação em dizem respeito aos período em que a taxa é fixa,
fevereiro, mais 25% do que os 733 milhões trabalhos de solicitadoria, seguido de um período em
crédito à habitação de euros emprestados em igual perío- que muitas vezes são que a taxa é variável.
do do ano passado. No entanto, o valor disponibilizados pelos
O crédito para representa um recuo face aos 977 milhões bancos –por exemplo, PRAZO DE REFLEXÃO
de euros concedidos em janeiro. procedimentos Os consumidores têm direito
construção serve Feitas as contas, nos dois primeiros burocráticos na a um prazo de reflexão de
para construir meses do ano, a atribuição de crédito conservatória do Registo sete dias após receberem
um imóvel de raiz e, para a compra de casa somou 1,896 mil Predial, serviço de proposta de crédito. A ideia
milhões de euros, com este financia- Finanças e cartórios, entre é permitir aos clientes
por norma. já deve mento a registar o arranque de ano mais outros. ponderar as condições.
deter o respetivo terreno acelerado desde 2008.

—4 maio 2020 19
B Zoom // Oficina i

O MEO aposta
em conteúdos de educação
e bem-estar direcionados
para toda a família
DR

O mundo inteiro ções e subtrações. Todos os vídeos expli-


cativos são apresentados com o objeti-
vo de promover a aprendizagem de for-
sam a ter acesso a uma oferta de treinos
gratuita, ampla e diversa, como contri-
buto para a manutenção da atividade

através do ecrã com ma apelativa. Esta plataforma gratuita,


criada em 2006 por Salman Khan, tem
sido adaptada à realidade educativa por-
física. Abrangendo pilates, zumba, cross-
fit e treino localizado, entre outros, a app
TV Fitness em Casa permite o acesso,

a nova campanha tuguesa pela Fundação Altice, disponi-


bilizando mais de 2300 vídeos explicati-
vos e 30 mil exercícios interativos em
desde o seu lançamento, a um conjunto
de ginásios e treinadores de referência
como Holmes Place, Park Crossfit Box,

TimeIN do MEO https://pt-pt.khanacademy.org. A Khan


Academy está vocacionada para alunos,
professores e encarregados de educação,
permitindo a interação, através de uma
Trend CrossFit e Carolina Now. E para
enriquecer a oferta, todas as semanas
são disponibilizados novos treinos.
A app TV Fitness em Casa está dispo-
plataforma comum, de todos os agentes nível para clientes TV MEO ADSL e fibra
da comunidade educativa. (com MEOBox) e encontra-se acessível
através do botão azul do comando MEO.
Com as famílias confinadas às suas casas, o MEO desenvolveu REDESCOBRIR O ZOO Através da app Jar- Esta app junta-se a outras aplicações
a campanha TimeIN, oferecendo conteúdos exclusivos que dim Zoológico, alojada na TV do MEO, gratuitas, já integradas na TV do MEO,
promovem a educação, o entretenimento e a saúde física. os mais novos encontram rubricas didá- que se caracterizam pela oferta de con-
ticas onde podem redescobrir, através teúdos como canais lineares e premium,
do ecrã, os habitantes do Jardim Zooló- dedicados a todas as temáticas, conteú-
Procurando mitigar o impacto da pan- ciencializar da necessidade de ser criada gico de Lisboa, numa oportunidade úni- dos on demand, canais exclusivos, sem-
demia no dia-a-dia dos seus clientes, o uma união em torno desta atividade. ca para, no conforto do lar e em família, pre com rapidez e facilidade de utiliza-
MEO rapidamente disponibilizou um Para dar resposta às necessidades das conhecerem melhor espécies que habi- ção, e o maior número de canais HD.
conjunto de serviços e conteúdos sem famílias num tempo de #timein, o MEO tam no primeiro parque com fauna e flo-
qualquer objetivo comercial, através da tem vindo a lançar um conjunto de con- ra da Península Ibérica. Na app Jardim ESTREIA EM VERSÃO KARAOKE No âmbi-
campanha TimeIN (lançada a 20 de mar- teúdos para entreter, brincar e educar. Zoológico é possível aceder, de forma to do seu apoio ao cinema português, o
ço, já com todos os envolvidos em tele- Também a educação tem um peso fun- gratuita, a um conjunto de conteúdos MEO juntou-se à Cinemundo para apre-
trabalho, como agência, clientes e par- damental na sociedade e é uma das áreas educativos para todas as idades que abran- sentar as primeiras imagens do filme
ceiros). Sob o mote “É tempo de estar em que têm vindo a obter apoios e atenções gem a atualidade, a conservação ecoló- Bem Bom, que retrata a história das icó-
casa”, a nova campanha do MEO, cria- redobradas, através da implementação gica e ambiental e a vida de diferentes nicas Doce, a primeira girls band em Por-
da em apenas 72 horas, personifica o de soluções de ensino inovadoras. Colo- espécies animais. Para aceder a esta app tugal. E é em formato karaoke que che-
paradigma em que se vive, marcado pelo car a tecnologia ao serviço da comuni- basta clicar no botão azul do comando gam essas primeiras imagens de uma
trabalho remoto, procurando sensibili- dade escolar, alunos, professores e encar- MEO. No arranque deste novo período longa-metragem que conta, desde o pri-
zar os portugueses para permanecerem regados de educação, promover a igual- escolar, com as famílias ainda confina- meiro momento, com o apoio do MEO.
em casa e para o que de positivo pode dade de oportunidades e contribuir para das em casa, continuam a ser fundamen- O MEO reforça o seu compromisso em
daí advir (uma demonstração da rápida o sucesso escolar são alguns dos com- tais todas as ferramentas e soluções que preservar a história, o talento e a cultu-
capacidade de reação, implementação e promissos assumidos pela Altice Portu- permitam aprender e explorar conteú- ra nacionais, através do cinema e das ati-
adaptação por parte do MEO a um con- gal e pelas suas marcas. dos dos programas curriculares fora da vidades audiovisuais made in Portugal.
texto completamente novo). Disponível na TV do MEO, alojada no sala de aula. O filme Bem Bom, produzido pela Santa
Esta campanha visa igualmente sensi- MEO Kids (posição 52), no Sapo Rita Filmes, com realização de Patrícia
bilizar os grupos económicos e as empre- (http://videos.sapo.pt/khanacademy) e FICAR EM FORMA O MEO inclui, numa Sequeira, é mais um exemplo de como o
sas para que continuem a investir nos online, os alunos do 1.o ao 6.o ano encon- parceria com ginásios e personal trainers MEO tem vindo a apoiar a produção nacio-
média portugueses – que, atualmente, tram disponíveis na Khan Academy as de referência, a app TV Fitness em Casa, nal, tal como já tinha acontecido com o
vivem em dificuldades –, numa hora em matérias mais atualizadas, nomeada- com treinos desenhados especialmente filme Snu, que conta a história de amor
que o sentido de responsabilidade social mente na disciplina de Matemática: núme- para a prática de exercício físico. Nesta de Sá Carneiro e Snu Abecassis (também
deve estender-se aos setores cuja quebra ros e operações, geometria e medida, fase, com os ginásios encerrados e as ati- realizado por Patrícia Sequeira), ou Mala-
de receitas é notória e preocupante. A Alti- organização e tratamento de dados, fra- vidades desportivas e aulas de Educação pata, o primeiro filme com realização do
ce Portugal vem, por isso, alertar e cons- ções, decimais, fatores e múltiplos, adi- Física suspensas, os clientes MEO pas- ator Diogo Morgado.

20 —4 maio 2020
PUB

—4 maio 2020 21
C Opiniões
CONTA CORRENTE

A pandemia, no regresso de alguns

Hoje, alguns regressam ao novo normal quando, ao invés do que é dito,


pontuam exemplos de pouco civismo, nenhum senso e imensa inconsistência.

cia e de resposta. Aliás, das perguntas mais do Governo que coordene os recursos do as clientelas a 1 de maio, que se somaram a
ridículas que se ouvem é “estamos prepara- estado ao nível das NUT II, sem estar depen- todos os outros desrespeitos pela lei, pelo
dos?”. Como se o jornalista que a coloca esti- dente do puxar a brasa à sua sardinha local. senso e pelo equilíbrio que significa viver em
vesse preparado para o que se abate, agora O descalabro era tal que havia diretores regio- compromisso numa comunidade. Portan-
a passo acelerado, sobre os média em Por- nais que nunca se tinham falado, quanto to, desiguais pela lei, logo quando reivindi-
tugal. Estará preparado para outros cons- mais integrado alguma ação conjunta. cavam mais direitos e igualdades. Um pífio
trangimentos ou para o desemprego? E, no Portugal tem um problema com a consis- exercício de poder e de mau exemplo cívico
entanto, há anos que há menos pessoas a tência, a transparência e a verdade. É certo no atual quadro pandémico.
António Galamba comprar jornais, menos telespetadores e que o vírus é recente, o contágio foi avassa- Hoje é mais um dia de reajustes e de rein-
menos ouvintes. As tendências são previsí- lador e o conhecimento é ténue, mas há venções, porque a realidade se sobrepõe
veis, os riscos existem, as necessidades estão demasiadas situações a parecerem deslaça- aos anúncios; de desesperos, porque os
Desiguais na normalidade de outrora, desi- identificadas, mas há sempre alguém que das, sem consistência e sem explicação. Não anúncios não se materializam; e de exigên-
guais no estado de emergência, desiguais na resiste à mudança ou às mudanças que se teria ficado mal ter juntado à explicação do cia cívica, porque a força das convicções
situação de calamidade, eufemismo para a impõem. Há anos que a curva demográfica não aconselhamento das máscaras que, mes- nunca esmorece. Exigência cívica para con-
certeza possível no meio de tantas dúvidas indica a necessidade de acautelar o envelhe- mo que fossem aconselháveis, não fazia sen- tinuar a modular os ritmos às necessida-
passadas, presentes e futuras. Hoje, alguns cimento da população, mas a “moda” foi tido dizê-lo porque não estavam disponíveis, des da emergência, mesmo que as soluções
regressam ao novo normal quando, ao invés construir novos centros escolares, que mais por não existirem no mercado. Em vez de jurídicas das orientações sejam muito duvi-
do que é dito, pontuam exemplos de pouco cedo do que tarde serão convertidos em equi- proclamações de infalibilidade dos recursos, dosas, e para continuar a configurar os
civismo, nenhum senso e imensa inconsis- pamentos para a população sénior. não teria ficado mal reconhecer que exis- meios próprios de informação, de escrutí-
tência. O confinamento, voluntário e impos- Portugal tem um problema com a organi- tiam falhas, mas que se estava a trabalhar nio e de liberdade de expressão. A crucial
to pelo estado de emergência, conseguiu o zação. Estamos desfasados das realidades. para as superar. E o mesmo com os testes, triagem entre a perceção do que é dito e o
efeito pretendido de aplanar a curva para A realidade é dinâmica, interligada e posi- as solicitações locais e tantos outros episó- apuramento da realidade no terreno.
acolher a debilidade da resposta do Serviço cionada no tempo, e a organização é estáti- dios em que tem de haver sempre mais expli- Hoje é dia de regresso para alguns, de cho-
Nacional de Saúde, depauperado de anos e ca, assente em compartimentos e espaços cação e mais transparência. Para o bem e que com a realidade para muitos.
desligado das tendências orçamentais, demo- estanques, como se continuassem a existir para o mal, o tempo atual e digital é também
gráficas e sociais. Houve muitos a cumprir, fronteiras. Como não há rotinas de colabo- isso. A necessidade de ir mais além no exer- NOTA FINAL
demasiados a contornar e a escapulir-se. ração, de proximidade e de monitorização cício político, porque não ir significa sempre O QUINTAL É MEU. A ERS – Entidade Regu-
Portugal tem um problema com as roti- das dinâmicas das comunidades, dos Esta- um gato escondido com o rabo de fora. E ladora da Saúde está a interpelar os autar-
nas. As rotinas de antevisão do risco, das con- dos, dos continentes e do mundo, ficámos com os recursos nas redes é o diabo, porque cas sobre a necessidade de os “operadores
junturas e das tendências. Dá-se mais aten- expostos aos elementos. Neste caso, à con- tudo ou quase tudo se sabe. no mercado” registarem as “novas estrutu-
ção ao quotidiano e às clientelas de poder, taminação global pelo vírus. Entre a inexis- Hoje é o regresso de alguns. Tenho dúvi- ras fixas destinadas ao reforço da capacida-
de interesse e geográficas, do que à geração tência de regiões e o desmantelamento dos das se não deveria ser daqui a 15 dias. Des- de de resposta hospitalar e à prestação de
de rotinas para as probabilidades. Como se governos civis, pela mão dos governos PSD/CDS, de que as respostas para a economia funcio- cuidados de saúde complementares”, que
pode esperar que saibamos agir em emer- em deriva populista-irresponsável, ficou evi- nassem e não houvesse, como sei que exis- alguns apelidaram de hospitais de campa-
gência se não incorporamos o risco nas nos- dente que perante a necessidade de uma tem, empresas que submeteram pedidos de nha. Isto é, o sistema de saúde que o regula-
sas vidas, se não treinamos a convergência resposta de proximidade supramunicipal, layoff a 30 de março e ainda não obtiveram dor regulou é insuficiente, as autarquias che-
de vontades e se não temos os meios em que com mobilização de entidades desconcen- resposta da Segurança Social. Podia ser mais gam-se à frente e o burocrata de serviço no
vivemos preparados com planos B? Não pla- tradas da administração central, o nível de tarde, desde que os anúncios já tivessem tido regulador quer papéis para alimentar a
near e treinar em tempo normal significa coordenação e de ação no terreno eram insu- tradução na realidade desesperada de quem incompetência da sua missão.
não estar preparado para a emergência. Não ficientes. Teve o Governo de remendar com entrou em modo de suspensão, por via do O QUINTAL NÃO É DE NINGUÉM. O foco na
estou com isto a dizer que tínhamos de estar o destaque de alguns dos seus membros para confinamento estratégico quase generaliza- covid-19 deixou muita coisa deslaçada. É pre-
preparados para a pandemia de covid-19, acompanhar as realidades regionais. Sem do. Quase universalizado porque, além das ciso voltar a pôr o laço e depois mudar o que
mas tínhamos de ter noção das rotinas de regionalização, depois da pandemia, impõe-se exceções aceitáveis, os decisores resolveram tiver de ser mudado para que não se repita.
informação, de articulação, de sobrevivên- a existência de um representante regional gerar discriminações positivas para afagar Escreve à segunda-feira

inevitável CONSELHEIRO EDITORIAL José António Saraiva ADMINISTRAÇÃO Mário Ramires


www.ionline.pt REDATORES PRINCIPAIS Afonso de Melo e Felícia Cabrita (Presidente do Conselho de Administração)
EDITORES EXECUTIVOS Carlos Diogo Santos e Sónia Peres DIREÇÃO GERAL Mário Vaz Ramires PROPRIETÁRIO/EDITOR
Pinto EDITORES Luís Claro e Mariana Madrinha POLÍTICA FISCAL ÚNICO José Maria Ribeiro da Cunha NEWSPLEX, SA
Cristina Rita e Teresa Banha (Estagiária) SOCIEDADE DEPARTAMENTO FINANCEIRO Susana Pires (TOC) Rua do Açúcar, n.º 86, 1950-010 Lisboa
(Estagiário) Pedro Almeida e Rita Pereira Carvalho NIPC 513766073, Matriculada na CRC de Lisboa sob
DEPARTAMENTO COMERCIAL E MARKETING
ECONOMIA Daniela Soares Ferreira e João Amaral Santos o n.º 513766073, Capital Social 50.000 euros, Detentores
António João Ramires – Dir. Comercial
INTERNACIONAL Filipe Teles (Estagiário) e João Campos de mais de 10% do capital: Mário Ramires Registo ERC 223939
(antonio.ramires@newsplex.pt) Tel: 917167170,
Rodrigues (Estagiário) CULTURA Cláudia Sobral, Diogo Vaz Telefone Redação 211 976 146
Ana Vaz Ramires – Dir. Marketing (ana.ramires@newsplex.pt)
DIRETOR Pinto e Hugo Geada (Estagiário) DESPORTO Laura Ramires PUBLICIDADE publicidade@newsplex.pt
Tel: 917160324)
Mário Ramires IMAGEM Miguel Silva (Fotógrafo), Bruno Gonçalves EMAIL GERAL geral@newsplex.pt
DIRETOR EXECUTIVO (Fotógrafo), Mafalda Gomes (Fotógrafa), Óscar Rocha PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Mário Silva (Diretor) EDIÇÃO ONLINE www.ionline.pt
Vítor Rainho (Infográfico), Ana Gonçalves (Gráfica), João Sousa (Gráfico), DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Hugo Marques (Diretor), EMAILS agenda@ionline.pt; correio.leitores@ionline.pt;
DIRETOR EXECUTIVO ADJUNTO Miguel Peixe Dias (Gráfico), Fátima Albuquerque (Pós-produção Bruno Ferreira e Miguel Branco radar@ionline.pt; zoom@ionline.pt; mais@ionline.pt;
José Cabrita Saraiva de imagem) Júlio Rodrigues (Pós-produção de imagem) DEPARTAMENTO JURÍDICO E DE RECURSOS HUMANOS desporto@ionline.pt
SUB-DIRETORA EXECUTIVA GESTÃO DE CONTEÚDOS Carmen Guilherme, Gonçalo Guérin (Diretor), Ana Rodrigues (Assistente RH),
Marta F. Reis Cristiana Reis (Estagiária) e Joana Andrade Miguel Ricardo e Pedro Ferreira (Apoio Logístico) O Estatuto Editorial do i encontra-se disponível em:
DIRETOR DE ARTE REVISORA Maria Eugénia Colaço Egualdina Pereira (Serviço limpeza) http://ionline.pt/estatuto-editorial
Francisco Alves ADJUNTA DIREÇÃO E ADMINISTRAÇÃO Carolina Silva IMPRESSÃO Sogapal DISTRIBUIÇÃO VASP Depósito legal
DIRETOR DE GESTÃO DE CONTEÚDOS ASSISTENTE DIREÇÃO E REDAÇÃO Margarida Alexandre 293616/09 Registo ERC 125624
Tiago Lopes TIRAGEM MÉDIA 14 000 exemplares.

22 —4 maio 2020
POLÍTICA SEM GÉNERO

Covid-19: entre a liberdade e a vida

Há liberdade neste tempo de luta contra o vírus. Somos livres de escolher viver e de protegermos
os outros, assim como temos liberdade para sermos exemplares na nossa cidadania.

quais não havia tempo e a descobrir sáveis para esta nova realidade; negó- representa a covid-19 ao nosso modelo
novas formas de estar em família ou até cios que tiveram de encerrar sem qual- de comunidade.
mesmo em solidão, para outros, foram quer perspetiva de abertura; investi- O que prezamos mais: a liberdade ou
tempos muito difíceis e de preocupa- mentos que foram adiados; um país sus- a vida? Durante uns tempos, a vida terá
ção. Habitações mínimas que abriga- penso a calcular como será o dia seguinte de ser a maior das nossas preocupações
ram 24 sobre 24 horas mais pessoas do à quarentena e que não chega a resul- e devemos elevar o princípio universal
que as assoalhadas disponíveis; doen- tado algum. da vida acima de todas as preocupações
tes crónicos que não puderam ser acom- Vêm aí novos tempos para todos nós. que nos entretiveram em debates e refe-
Alexandra Duarte panhados regularmente; associações Desconhecidos dos manuais das ciên- rendos e que, perante esta realidade,
comunitárias que deixaram de receber cias económicas e sociais. A História nos parecem, agora, distorcidas e super-
bens para distribuir por quem precisa vai escrever-se com o passar dos dias, ficiais. Há liberdade neste tempo de luta
Terminou o estado de emergência. e andaram no terreno, com um núme- tal como aconteceu a seguir à gripe contra o vírus. Somos livres de escolher
Segue-se o estado da urgência. É urgen- ro mínimo de voluntários, realizando espanhola, à Grande Depressão e até a viver e de protegermos os outros, assim
te ter consciência de que não estamos o mesmo trabalho de sempre; situações seguir à II Guerra Mundial. A primeira como temos liberdade para sermos
a recuar a fevereiro deste ano e que as em que o “inimigo” está dentro de por- batalha que travámos foi com nós pró- exemplares na nossa cidadania e foco
medidas de distanciamento social, que tas; famílias a quem comunicaram o prios, durante este confinamento, pro- de motivação para terceiros que desa-
fomos adquirindo ao longo do período despedimento ou cortes nos salários e curando novas formas de adaptação ao nimem mais facilmente perante a adver-
de quarentena, deverão manter-se nas tiveram de ficar em casa, com as des- distanciamento social. Agora teremos sidade. A escolha é nossa, bem como a
nossas rotinas diárias. Na rua, encon- pesas a aumentar; crianças privadas do de derrotar o nosso inimigo, o vírus, responsabilidade que advém das nos-
traremos aqueles que são mais céticos sol, das brincadeiras com os amigos, sem lutar, simplesmente mudando o sas escolhas e que pode ter repercus-
quanto aos efeitos do distanciamento das correrias saudáveis; pais preocupa- nosso comportamento e adequando-o sões nos outros.
social e que, por isso mesmo, continua- dos com o novo método de ensino – a à evolução do inimigo. E esperar pela
rão nas filas de supermercado em cima telescola – e com os recursos indispen- vitória sobre a ameaça constante que Escreve quinzenalmente
de nós, entrarão para o elevador mes-
mo que já esteja quase cheio, quererão
cumprimentar os nossos filhos com um
beijo ou com uma festa no rosto, se sen-
tarão na cadeira ao lado da nossa, ain-
da que haja outras vagas, insistirão em
conversar a menos de um metro, e tudo
isto com um ar desentendido e como
quem não quer a coisa…
Cada um terá de ser responsável por
si e pelos seus e até pelos outros, caso
o permitam. Com delicadeza, devere-
mos relembrar as normas de distancia-
mento social, se quisermos evitar a repe-
tição do confinamento. Se, para uns, os
dias de quarentena foram tempos de
dedicação a projetos pessoais para os

Durante uns tempos,


a vida terá de ser a maior
das nossas preocupações
e devemos elevar
o princípio universal
da vida acima de todas
as preocupações que
nos parecem, agora,
distorcidas e superficiais Teremos de derrotar o inimigo mudando o nosso comportamento MAFALDA GOMES

—4 maio 2020 23
Televisão

D DEVS.
Uma bola de
Mais
cristal no reino
da computação
quântica

Quando foi a última DIOGO VAZ PINTO


diogo.pinto@ionline.pt
lidade autista nas suas explorações, uma
firmeza invulgar que, à primeira vista,
vez, se é que houve simula uma forma de frieza. E isso liga-se
alguma, em que uma Numa época e num momento em espe- à capacidade de se livrar do que, dizen-
ficção televisiva nos cífico tão conturbado, em que a realida-
de dá voltas, rindo-se, em tom de chaco-
do respeito ao que é humano, chega a
sufocar por se mostrar demasiado huma-
levou tão longe que nos ta, em redor das noções em que acredi- no. Num certo sentido, Garland livra-se
sentimos a passear tamos, de tudo aquilo que nos serve de
âncora, as nossas crenças nunca se pare-
dessas formas de realismo limitado e
sequencial para se manter vigilante num
à beira do abismo, ceram tanto com voláteis superstições a plano mais abstrato, ali onde as nossas
deixando cair nele que nos agarramos como quem faz os conceções se tornam mais desgrenha-
pedras e pensamentos, possíveis por firmar uma posição num
terreno movediço. Seria de esperar que
das, desafiadoras, cobertas de suor. Na
sua transição do romance para a escri-
aproveitando o balanço as ficções arquitetadas pelos mais sedi- ta para o cinema, e depois, para a reali-
da mecânica quântica, ciosos espíritos deste tempo se instruís-
sem, com um ânimo desafiador, raian-
para indagar do a cólera, num balanço entre a intui-
sobre os limites ção e a exploração dessas aberturas
do livre-arbítrio? científicas sobre o mundo moderno e os
saltos que estas admitem no mais vasto
campo metafísico. Mas têm sido raros
os autores capazes de propor sagazes lei-
turas das folhas de chá sobre a socieda-
de com que hoje nos confrontamos. Se
se pode admitir que, tal como a nature-
za, a ficção detesta o vazio, Alex Garland
é hoje um dos criadores que mais se dis-
tinguem pela forma como se lança com
um inabalável fervor no terreno da mais
exigente fantasia especulativa. Muita da
melhor ficção, que hoje, e com as séries,
se transferiu também para o universo
televisivo, continua a focar de forma reso-
luta aspetos da nossa vida íntima, dese-
nhando espirais e paralelas que nos dão
margem de recuo, essa distância que per-
mite que reflitamos sobre a forma como
ela tem sido abalada pelas transforma- DEVS
ções de uma era que comprime o que de Alex Garland
antes acontecia em séculos em meses ou Com Sonoya Mizuno, Nick
até semanas. Se o tempo nunca foi tão Offerman, Jin Ha, Cailee Spaeny.
relativo, Garland beneficia de uma falha Minissérie de oito episódios
fabulosa que faz dele um intrépido com- exibida originalmente na Hulu e
positor em grande escala. Há uma qua- transmitida em Portugal pela HBO

24 —4 maio 2020
Nick Offerman tem um
desempenho brilhante,
fugindo aos seus habituais
registos na comédia
para nos dar o retrato de
um líder de uma tecnológica
num profundo luto e que
se perde nesse mito quase
messiânico que é conferido
hoje a estas figuras pelos
consumidores e pelos média
DR

zação, este autor não deixou pelo cami- nuam a rolar, e as reações dividem-se
nho a contemplação dos aspetos mais entre o assombro e a frustração. Se a
desmesurados e que provocam tonturas série DEVS, originalmente exibida no
na nossa consciência. Desde um roman- canal Hulu (e que chegou a Portugal
ce como A Praia (caricaturado de forma através da HBO), deixou muitas pessoas
bastante tosca na adaptação ao cinema, deslumbradas, como se infetadas por
com realização de Danny Boyle e Leo- um vírus que lançasse a mente em inda-
nardo DiCaprio no papel de protagonis- gações filosóficas, sideradas com as pos-
ta), que constituiu um marco para a gera- sibilidades de desdobramento ficcional
ção X, até filmes como Ex Machina e conferidas pela computação quântica
Annihilation, em que a ficção científica, na trama, para muitas outras, esta aber-
mais do que um género, se torna um pro- tura provocou náusea e enjoos, como
cesso, um plano de investigação, em que quem é despertado bruscamente de um
Garland inquire a natureza humana e o sonho vívido, mas banal, para ser lan-
potencial de autodestruição que parece çado numa versão da realidade que exi-
ter-lhe sido adscrito no código, como se ge muitíssimo das nossas faculdades
Deus tivesse deixado um prazo na sua analíticas. Estas pessoas, as que tendem
criação, uma espécie de bomba-relógio a consolar-se com séries como ferra-
que explodirá antes que o homem assu- mentas de escapismo, essas doses sema-
ma inteiramente o controlo do seu des- nais de consolo e delírio, terão ficado
tino. demasiado indispostas para acompa-
Nesta audaciosa transição, o roman- nhar os desenvolvimentos de uma fic-
cista britânico não traiu o fôlego roma- ção que pede menos a postura relaxa-
nesco nem abdicou de uma séria dose da no sofá do que um espetador tenso,
de risco, de tal modo que aquilo de que que se sente à secretária, munido de um
genericamente tem sido acusado nas lápis para fazer sublinhados e conjetu-
suas audaciosas explorações cinemato- ras à margem de um romance que, se
gráficas é de provocar vertigens na maravilha, também oferece algumas
audiência, que se sente a embarcar numa dores de cabeça.
nave lançada em órbita para fins não Ao exigir tanto do seu espetador como
especificados. Entre ramificações com- do leitor dos seus romances, Garland
plexas, sem trair as teorias mais inquie- não parece importar-se com a ideia de
tantes no que respeita às grandes hipó- que, logo no primeiro episódio, DEVS
teses teóricas, atirando-se para o outro procede a uma triagem severa da sua
lado do espelho, no campo da inteligên- audiência, o que poderá levar alguns
cia artificial, e apertando a bochecha à a forçar-se a vê-la submetidos a essa
utopia, fazendo-a corar, Garland chega irritação, como quem fica no fundo da
ao formato da série televisiva como um sala, dirigindo a sua atenção para even-
intelecto projetado através de um simu- tuais problemas técnicos. E não deixa-
lador que formulasse um híbrido dos rá de ser uma forma de emancipação
génios visionários de Stanley Kubrick e para esse espetador presumido que se
Philip K. Dick. E agora que os oito epi- sente na obrigação de transmitir aos
sódios da sua estreia na ficção televisi-
va foram já exibidos, os dados conti- continua na página seguinte >>

—4 maio 2020 25
D Mais // Televisão

POR AÍ
Morreu Sam Lloyd,
ator de Scrubs
e Seinfeld
TELEVISÃO Um tipo que trazia
vestida a expressão de um tolo e
raiz até às estrelas, e que fez uma
carreira deixando que todos se
rissem dele, e sendo objeto de
um escárnio à balda, e à mesa do
qual todos tinham lugar, ator
secundaríssimo mas nem por
isso menos notável, o norte-ame-
ricano Sam Lloyd, conhecido por
ter participado em séries como
Seinfeld, Uma Família Muito
Moderna e Donas de Casa Deses-
peradas, morreu este sábado, aos
55 anos, vítima de um tumor cere-
bral, diagnosticado há um ano.

Galeria Underdogs
Sonoya Mizuno lidera um elenco que segue Alex Garland para onde este for DR junta artistas em
exposição online
>> continuação da página anterior mantes mas, por outro lado, se delicia numa sensibilidade extremamente séria,
nas intermitências da ação, em indaga- como raramente se viu na televisão. Os ARTE A galeria Underdogs, em Lis-
criadores de produções televisivas a ções que se arrastam e que permitem diálogos estão cheios de arestas, prosse- boa, inaugura este mês Right Now,
sua lista de requisitos para o que deve aos atores desenvolver personagens numa guem em tons menores, com frases cur- exposição online que junta traba-
ser uma boa obra de entretenimento. realidade ameaçadoramente próxima, tas, quase crípticas. E, por isso, a expe- lhos inéditos, criados em isolamen-
Vendo-se contrariados, irão investir- mas na qual sentimos alguma dificulda- riência de assistir a esta série é a de entrar to, de mais de 30 artistas, nacio-
se de um ânimo próprio dos ateus faná- de em respirar. Por isso, se nos sentimos num estado de transe hipnótico. nais e estrangeiros, como Vhils,
ticos, fazendo buracos nesta criação e, absorvidos, seguimos a intriga como o Não querendo ir muito longe no des- Wasted Rita, Tamara Alves, André
paradoxalmente, ajudando-a a respi- leitor de um policial num futuro próxi- vendar da trama, fiquemo-nos por uma Saraiva e Pixel Pancho. “Reflexo
rar melhor. Assim, estes cavaleiros da mo mas que não deixa de nos soar implau- sinopse do primeiro episódio. Sergei da criação artística no contexto
ordem da desmistificação poderão sível. Com uma cinematografia apoiada (Karl Gusman), um programador de inte- atual, a mostra apresenta um con-
explorar desdobramentos científicos em cenários e ambientes pulsantes, que ligência artificial que trabalha na tal junto diverso e multiforme de
sobre os quais esta ficção não chega a fascinam e, ao mesmo tempo, provocam empresa tecnológica que deixa os para- obras, cada qual criada exclusiva-
deter-se, dando-lhe uma outra vida. uma certa claustrofobia, de forma com- lelos com gigantes como a Google naque- mente com recurso a materiais e
Garland parece ser, de facto, desses passada, Garland serve-se de ritmos psi- le ponto de rebuçado, faz uma apresen- suportes disponíveis para o artis-
criadores que veem o entretenimento cológicos como um mestre do suspense, tação ao CEO da Amaya, Forest (Nick ta no seu local de isolamento”, refe-
como um efeito secundário produzido Offerman, num invulgaríssimo e mag- re a galeria em comunicado.
por uma obra desafiadora para o nosso nético papel dramático), secundado por
intelecto. Tal como acontecia em Ex Katie (Alison Pill). Aparentemente impres-
Machina, aqui ele foca-se nos avanços sionados com os seus talentos, promo- Spotify fala em
que estão a ser feitos por uma empresa vem-no ao departamento conhecido mudança de gostos
tecnológica que ameaça pôr o dedo na como DEVS, ou seja, onde a empresa se devido a pandemia
ferida do nosso horizonte e provocar com lança na busca de alvos para lá do ter-
isso um tremendo efeito de expansão. ritório hoje acessível às capacidades MUSICA A pandemia de covid-19
Esta empresa, Amaya, é também lidera- humanas. No primeiro dia naquela equi- tem levado a um aumento das
da por uma figura excêntrica, neste caso, pa mantida isolada do resto do campus assinaturas dos serviços de strea-
um homem devastado por uma perda onde a empresa tem as suas instalações, ming, como a Netflix ou a Spotify.
que o leva a nutrir um desdém sulfuro- Sergei entra no edifício misterioso em E esta empresa sueca confirma a
so pela realidade e, especificamente, pelas que a arquitetura se funde com a tec- tendência, tendo alcançado os 130
cartas que esta lhe deu. E na televisão
O que Garland traz nologia, dando origem a uma espécie milhões de subscritores. Outra
tal como nos filmes, Garland, que escre- a este formato é uma de organismo frio, respirando calma e mudança que foi confirmada pela
veu e realizou os oito episódios, cria uma rebelião, levantando perturbadoramente, como num sonho. Spotify é que as preferências musi-
tensão muito própria em que, por mais Sergei já não volta a casa e é encontra- cais dos utilizadores se alteraram,
pressa que se tenha em comer as linhas,
armas contra o regime do morto depois de estar desaparecido notando-se uma tendência para
virar a página, saber o que acontece a do entretenimento durante 24 horas, no que é caracteriza- músicas mais relaxantes. “Notá-
seguir, a sua abordagem é deliberada- do como um suicídio. Lily Chan (Sonoya mos que as músicas que os ouvin-
mente contida, ao mesmo tempo sen- Mizuno, que tinha já entrado em Ex tes da Spotify estão a adicionar
sual e enervante, desmontando a crono-
Inscreve-se aqui uma Machina e Annihilation), programado- às suas playlists são mais chill –
logia para seguir as personagens de per- sedição contra o cenário ra também na Amaya e namorada de ou seja, são mais acústicas, menos
to e fazer-nos ver, não o que sucede, mas de determinismo social Sergei, não se conforma com a tese do dançáveis e têm uma energia
a forma como os eventos as arrebatam suicídio e não demora a perceber que menor do que as músicas ante-
e mudam a sua forma de encarar a rea-
com que nos vemos algo de tenebroso está a ser urdido naque- riormente adicionadas”, diz em
lidade. É uma série que dá saltos desar- hoje confrontados le departamento da empresa. comunicado a Spotify.

26 —4 maio 2020
Banda desenhada

LEITOR DE BD
BDTECA

Johan Sfar Desenhador


compulsivo, homem dos sete
ofícios, romancista, argumentista,
realizador (Gainsbourg – Vida
Heroica, 2010), entre nós
conhecido pela adaptação de O
Principezinho e da série O Gato
do Rabino, Sfar adaptou para BD
o seu próprio romance Le Niçois
(2016). Jacques Merenda e a sua
querida, Loulou Crystal, arrancam
de Nice rumo a Paris, onde irá
decorrer a Fashion Week. O plano
é roubar as joias de uma tal Kim
Kestéchian. Edição Dargaud.

Da velha estante – LouVelvet

C
om um ar nonchalant, óculos final não é surpreendente, mas o relato
escuros, barba de três dias, termina em vinheta digna de outras BD checa Jirí Grus, Dzian Baban
cigarro ao canto da boca, personagens modelares, cujo perigo é também e Vojtech Masek assinam um
raciocínio rápido, frases a sua profissão: Mortadelo e Salaminho... álbum de fantástico medieval.
cortantes, Lou Velvet é um Em (À suivre), Lou é contratado para fazer a Pavel e Mkulas, servos de Sire
investigador privado nos segurança de um festival de banda desenhada. Albrecht, nobre boémio do tempo
RICARDO quadradinhos deste país – nome de guerra de Vemo-lo, profissional brioso, aprofundando os do duque Ulrich (séc. XI),
ANTÓNIO ALVES um indígena que, a crer no próprio, em seus conhecimentos sobre a matéria, folheando deambulando por locais ermos
resposta repentista, bem pode encobrir a um volume de Le Déclic, de um tal Marara. nas margens dum bosque,
estrambótica identificação civil de Laudemiro Aliás, Fernandes dá aqui vazão ao gosto de descobrem o alegado covil de um
Cebola, pouco consentânea com tão estilosa brincar com nomes e palavras: de Moelius – dragão. Locais de bestiário
personagem. Estamos em crer que, apertado quem não o conhece? – a personagens como o pressentido e evitado pelos
pela Judiciária, a boca ter-lhe-á fugido para a Senúpe, Capitão Kadok, R. G. Tantan, Michel aldeões, será a altura de dominar
verdade, ou não fosse o criador (José Carlos Vilain ou Raspa, arqui-inimigo de um célebre o medo e fazer frente ao animal
Fernandes, Loulé, 1964) desta criatura um marinheiro de La Valetta. A verdade é que Lou demoníaco. Edição Casterman.
homem do Algarve, região que disputa com a falha redondamente a missão que lhe fora
Madeira o campeonato nacional da onomástica confiada: diante dos nossos olhos pasmos,
inenarrável... Laudemiro, pois, transmudado desfilam os cadáveres de Tintim, Spirou,
no fúlgido Lou Velvet, homenagem a Lou Reed Michel Vaillant, Obélix, Lucky Luke; Castafiore
(1942-2013), a quem dá ares, e aos Velvet grita e parte a loiça, até que é desmascarado
Underground. um célebre rato – não é o Mickey – que se
Tempos houve em que os lugares turísticos propunha dar uma lição a personagens de BD
ficavam às moscas durante a época baixa. outrora dignas, rendidas aos ditames dos
Mesmo assim, o dono do Flor de la Mar mercados, esses vilões da vida real. Mas,
contrata o luzido Lou para garantir a felizmente, tudo fora um sonho induzido por
segurança dos poucos hóspedes deste hotel à uma botelha de Jack Daniels. Tudo acaba bem?
beira-praia duma estância balnear algarvia, Não! Enquanto Lou se cozia de onirismos, oito Adeus ao alcatrão Em cenário
não nomeada mas, muito provavelmente, “valiosíssimas pranchas de ‘Histirix, o gaulês’” pós-apocalíptico, dois jovens
Quarteira. Tudo parecia prometer um tédio haviam sido roubadas. Má sorte de Laudemiro. irmãos deixam a cidade onde
covid-19 até chegar um grupo excursionista Mas, então, quem foi o assassino? A vinheta da vivem, montados numa
sénior de associados do Clube de Remo de cadeia dá a resposta... escavadora, em busca de cenário
Wilhelmshaven, velhotes pouco simpáticos mais apaziguador. O que se lhes
sobre os quais recai, como maldição a cumprir- irá deparar, ao contrário do
se, um assassino que paulatinamente os vai
eliminado. A PJ, aqui a fazer o papel de
Lou Velvet é o nome previsto, é ainda mais desolador,
em todos os sentidos. Uma BD
incompetente, toma o nosso anti-herói por de guerra de um indígena pesada, executada por um jovem
suspeito número um, num interrogatório em que, a crer no próprio, autor cujo traço lembra Robert
LOU VELVET EM ÉPOCA que quem dispara provocações é o interrogado.
MORTA E (À SUIVRE) Lou, felizmente, vê os pundonores
bem pode encobrir a Crumb. Thomas Verhille, Ciao
Bitume, edição 6 Pieds sur Terre.
Texto e desenhos: José Carlos
Fernandes desagravados pela perspicácia de detetive que estrambótica identificação
Edição Polvo, 1997 põe as mãos na massa e deslinda o mistério. O civil de Laudemiro Cebola
—4 maio 2020 27
Memória

D
Mais
Desporto

01

Barreirense.
AFONSO DE MELO no Vitória de Setúbal; o segundo, com
afonso.melo@ionline.pt apenas 20 anos, teve poucas chances –
fez oito jogos, dispensaram-no e viria a

Uma pinguinha
Proeza do quilé na vida do Barreirense ter uma carreira em crescendo de tal
na época de 1969/70: quarto lugar final, ordem que, oito anos mais tarde, foi titu-
atrás somente de Sporting, Benfica e V. lar do Brasil no Mundial da Argentina,
Setúbal, por esta ordem, deixando, ima- assinando golos supimpas.

de samba, um
gine-se, o FC Porto a seis pontos de dis- Câmpora, que a imprensa portuguesa
tância. Foi momento único. Hoje não se considerava excessivamente faltoso
vê sequer maneira de poder ser repeti- (caramba!, o homem era uruguaio, esta-
do, à medida que o clube foi perdendo o vam à espera de quê?), tornou-se uma

toque de tango
peso da sua história fantástica. personagem fundamental dessa primei-
Pela primeira vez, o Barreirense joga- ra mão. Aos 89 minutos fez o 2-0, com-
ria nas competições europeias, na Taça pletando o trabalho de Serafim – mar-

entre o povo
das Cidades com Feira (depois Taça UEFA cou aos 30 minutos. O resultado parecia
e Liga Europa). Outro momento irrepe- estabelecer uma certa confiança para a
tível. Mandou o sorteio que o adversá- segunda mão. Até porque os jugoslavos
rio fosse o Dínamo de Zagreb, na altura não tinham mostrado a categoria de que

trabalhador
com uma das grandes equipas da sua vinham precedidos e só Josip Gucmirtl
existência, que tinha sido finalista da pro- esteve perto de bater Bento em dois movi-
va em 1963 e vencedor em 1967. mentos consecutivos, a rondar os 20
No Campo Dom Manuel de Melo, no minutos. Basicamente, Serra, Bandeira,
17 de setembro de 1970, não havia ape- João Almeida e Francisco Candeias tinham
nas curiosidade em ver o Barreirense passado uma tarde tranquila.
lançar-se na sua aventura europeia. Havia
também o interesse em perceber o valor DESASTRE! Na segunda mão, disputada
de dois reforços vindos da América do no dia 30 de setembro, em Zagreb, o
Sul, o uruguaio Câmpora, médio de ata- Barreirense acabou por ser atropelado.
que que jogara no Nacional de Montevi- Ninguém contava que, depois da van-
deu, e o lateral (depois transformado em tagem de 2-0, os rapazes do Barreiro,
A única presença do Barreirense nas provas ponta) direito Manoel Rezende de Matos que formavam uma equipa tão coesa,
Cabral, mais conhecido por Nelinho, vin- construída durante dois anos pelo sagaz
europeias foi em 1970, contra o Dínamo do do América do Rio. O primeiro, com Manuel de Oliveira antes de seguir para
de Zagreb, com muitas queixas pelo meio. 25 anos, cumpriu quatro épocas no clu- o Farense, se desmanchassem da for-
be, embora interrompidas com dois anos ma como aconteceu. Mas o resultado

28 —4 maio 2020
02
Varanda sobre o Sado LINHA LATERAL
AFONSO
DE MELO João Paulo Rebelo:
“Não há garantia
absoluta do regresso
do futebol”
FUTEBOL João Paulo Rebelo, secre-
tário de Estado do Desporto e da
Juventude, afirmou que apesar
da autorização do Governo, não é
Do tamanho garantido que a I Liga seja reto-
mada. Em entrevista ao jornal
da noite Record, lembrou que a última pala-
vra pertence sempre à Direção-
O RATO RÓI QUALQUER coisa no Geral da Saúde, que continua a
espaço que separa o teto do sótão trabalhar em conjunto com a Fede-
e o triângulo das telhas. Passos ração Portuguesa de Futebol. Há
curtos para cá e para lá, na sua dias, António Costa apontou o fim
quarentena solitária como a de semana de 30 e 31 de maio para
03 minha. O cão ladra ao longe, de o regresso do futebol profissional
horizonte a horizonte. A coruja pia (I Liga e Taça de Portugal).
numa cornija qualquer de janela
de casa abandonada nas traseiras
que dão para o castelo. Quando
era muito menino ainda, no lugar
do Olival, na Casa das Conchas,
ainda sem mais primos que depois
vieram num número infinito de
olhos azuis, o cão ladrava à noite,
talvez na estrada dos Moinhos,
onde havia uma mula chamada Governo alemão
Carriça que andava à roda e à roda favorável à retoma da
e os alcatruzes da nora com ela. Bundesliga este mês
Eu estava enfiado entre lençóis à
escuta de todos os ruídos. Até os FUTEBOL O ministro alemão do
das madeiras velhas dos soalhos Interior, com a pasta do Despor-
que estalavam com o desapareci- to, mostrou-se favorável à retoma
mento do calor, e tentava medir o da Liga alemã de futebol ainda
mundo (o meu mundo) até ao fim este mês, depois da proposta apre-
do que conseguia ouvir. sentada pelos clubes que integram
Nesse tempo, eu vivia num lugar a prova. A confirmar-se, a Bundes-
01 Uma equipa do Barreirense de 6-1 a favor do Dínamo não dá lugar sem medos e aqueles que eu amava liga propõe um regresso com jogos
dessa época. Em cima, a a grandes interpretações. Ainda por não morriam. Tudo iria durar para à porta fechada e a obrigatorieda-
contar da esquerda: Bento, cima quando, ao intervalo, após uma sempre e não havia o nada. Não de de testar jogadores e equipas
Almeira, Mira, Bandeira, João exibição de técnica apuradíssima e de fazia ideia de que, como escreveu técnicas a cada três dias, para asse-
Carlos, Murraças e Serra; perfeito estilo de contragolpe, o Barrei- O’Neill, era sequer possível, mesmo gurar que as partidas se realizam
em baixo: Câmpora, Nelinho, rense foi para as cabinas a ganhar por que cada um por seu caminho, che- sem riscos. Após cumpridas 25
José Carlos, Valter, Serafim 1-0 (golo de Câmpora aos 38 m) e com garmos quase todos a ratos. Por jornadas, o Bayern lidera a prova.
e José João 3-0 no total da eliminatória. isso ouço o rato roendo os lambris

9
Para os jornalistas que, a partir do Está- do meu sótão e penso de que forma
02 Dínamo de Zagreb: dio Maksimir, relataram os acontecimen- chegou ele até aqui e se já foi, de
vencera a Taça das Feiras tos, a culpa do terramoto caiu por intei- certa forma, algum de nós.
três anos antes ro sobre o árbitro, um alemão da RDA Era feriado e a cidade estava vazia.
chamado Helmut Bader. “Durante a pri- Até de cães. Sobravam apenas
03 Defrontando o Sporting meira parte, os portugueses deram show, andorinhas. E um homenzinho de
marcando um golo por intermédio de boné na cabeça, peregrinando à
Câmpora e vendo outro anulado por um beira-rio, erguendo na mão esquer- Serie A. Itália
fora-de-jogo que nunca existiu. Depois, da um cartaz de madeira que dizia: autoriza treinos
no segundo tempo, os jugoslavos deci- “25 de Abril e 1.o de Maio! Sempre!” a partir de hoje
diram que, futebol por futebol ,não tinham Por momentos esqueci a praga
qualquer hipótese e enveredaram pela egípcia deste vírus sem face e FUTEBOL O Governo italiano auto-
violência, pelas faltas contínuas e pelo caminhei a seu lado. Não trocámos rizou ontem o recomeço dos trei-
Em Zagreb, na primeira antijogo. O árbitro estava com eles e por uma palavra sequer, mas também nos individuais em todas as moda-
parte, Câmpora fez eles... E assim, só assim, o colapso bar- não era preciso. Há companheiros lidades desportivas a partir des-
um golo e o Barreirense reirense verificou-se”.
Marijan Novak fez um hat-trick com
que nunca ficam para trás. Depois,
ele continuou a sua marcha, as
ta segunda-feira, dia em que o
país inicia o desconfinamento
foi para o intervalo uma perna às costas (50, 55 e 70 m). Aos letras do cartaz esborratadas, qua- progressivo, na sequência da pan-
com vantagem de 3-0 72 e 75 foi a vez de Josip Lalic fazer sal- se ilegíveis, a mão esquerda bem demia de covid-19. Tal como em
tar a tampa ao desesperado Bento. Novak erguida, e eu pensei apenas que Portugal, os clubes de futebol
fez o seu quarto golo aos 84 e acabou tinha acabado de caminhar ao lado podem retomar os trabalhos no
A imprensa portuguesa com o sonho barreirense. O facto de, na de um homem que, seja por que relvado, embora tenham de obe-
caiu forte e feio sobre eliminatória que se seguiu, o Dínamo caminho for, nunca haverá de che- decer às medidas preventivas
o árbitro da RDA ter despachado os alemães do Hambur-
go por 4-0 serviu de ligeiro consolo.
gar a rato. Sem medo. Porque é
isso que o medo quer. E às vezes
decretadas pelas autoridades de
saúde. A Serie A, liderada pela
e sobre a violência Mesmo muito ligeiro. Mas a História toma o tamanho da noite... Juventus de CR7, encontra-se
dos jogadores do Dínamo não se reescreve. suspensa desde dia 9 de março.

—4 maio 2020 29
D Mais // Pessoas

Covidials
■ Depois de vários rumores, é
oficial: Gigi Hadid está grávida. A
modelo de 25 anos tem uma rela-
ção com o músico Zayn Malik,
ex-membro dos One Direction, e
espera agora o seu primeiro
filho. Depois da sua mãe, Yolan-
da Hadid, ter confirmado a notí-
cia ao site holandês RTL Boule-
vard, e ter ainda dado uma previ-
são de quando a criança deve
nascer – setembro –, a modelo
acabou por se chegar à frente e
assumir a gravidez, em declara-
ções ao programa The Tonight
Show With Jimmy Fallon, onde
lamentou que não tenha sido a
própria a poder anunciá-lo aos
fãs. “Claro que nós é que quería-
mos ter anunciado, mas estamos
muito animados e felizes e agra-
decidos pelas mensagens e apoio
de todos”, disse Gigi. Questiona-
da sobre como está a enfrentar
Histórias que não chegam ao fim a gravidez em tempos de qua-
nem depois do divórcio rentena, a modelo diz que há
pontos positivos na situação e
■ Angelina Jolie tenciona escrever uma autobiografia. A atriz que pode “viver esta experiência
quer partilhar os factos mais importantes da sua vida, incluindo dia-a-dia” por estar em casa. No
os segredos do polémico divórcio com Brad Pitt. A notícia foi entanto não deixa de destacar
avançada pela site New Ideia, que cita fonte próxima da atriz. “A pontos negativos, como as
Angelina percebeu como a Demi [Moore] e outras celebridades mudanças hormonais e o facto
escreveram as suas histórias e ela está convencida de que a sua de ter celebrado o seu aniversá-
vai explodir”, disse. Segundo o mesmo site, o grande desafio da rio, no passado dia 23, longe das
atriz será escrever algo que seja “significativo e forte”, mas que pessoas que normalmente pas-
não pareça “sensacionalista e amargo”. Recorde-se que Brad sam a data ao seu lado. Gigi afir-
Pitt e Angelina Jolie estavam casados desde 2005 e separaram- ma que tem vivido uma “qua-
se em 2016. O ex-casal tem seis filhos em comum. rentena emocional”.

Um momento que muda uma vida Britney incendiou


o ginásio e não foi
■ Cristina Ferreira recebeu no seu a queimar calorias
programa, na SIC, Maria João Ruela.
A antiga jornalista, que agora é ■ Britney Spears confessou,
assessora para os assuntos sociais do através do seu Instagram,
Presidente da República, regressou à ter provocado acidental-
estação de Paço de Arcos e recordou mente um incêndio em
o momento em que foi baleada no casa. A cantora contou que
Iraque, em 2003, depois de ser assal- só esta semana voltou a
tada. “ [Houve] uma fase, depois de poder utilizar o seu ginásio
ter saído do hospital, em que me sen- pessoal, depois de há seis
tia muito fragilizada. Corri risco de meses um incêndio ter dani-
vida... tudo me fazia muita impres- ficado aquele espaço. Na ori-
são! Andar na estrada, um carro que gem do acidente estiveram
ultrapassasse”, recordou. A antiga duas velas que Britney dei-
jornalista diz ter percebido que cer- xou acesas.
tas coisas teriam de mudar na sua
vida, tanto pessoal como profissio-
nal. “Deixei de poder correr... sou Uma homenagem
coxa. Não mexo uma perna do joelho à séria
para baixo. Tive de me reenquadrar
na minha existência. Até mesmo na ■ O primeiro-ministro britânico
apresentação, por exemplo, os pivôs decidiu homenagear os médicos
de informação andam sempre para que o salvaram. E fê-lo através
trás e para a frente. Isso para mim do nome do filho, que nasceu no
era impossível, porque eu ou olho dia 29 de abril. O bebé chama-
para os pés ou para o teleponto. [...] se Wilfred Lawrie Nicholas
Mas continuei a fazer algumas Johnson. Wildfred e Lawrie são
reportagens e mudei o foco do meu um tributo aos avós de Boris
trabalho”. Agora assessora de Marce- Johnson e de Carrie Symonds, e
lo Rebelo de Sousa, Maria João Rue- Nicholas foi escolhido em home-
la já se habituou à nova realidade: nagem aos médicos que acom-
“Não tenho que estar a olhar para panharam o governante nos
trás com tristeza. Sou assim e o Cuidados Intensivos, quando
melhor que tenho a fazer é conti- estava infetado com a covid-19:
nuar a ser assim”. Nick Price e Nick Hart.

30 —4 maio 2020
Passatempos

PALAVRAS CRUZADAS

HORIZONTAIS: 1 – Título nobiliárquico. Módica. 2 – Sacerdote muçulmano. Grande agita- HORIZONTAIS:1 – Decifra. Prefixo de antigo. Deus grego da fecundidade, protector dos
ção. Aqui está! 3 – Prefixo de negação. Símbolo químico do Érbio. Tonalidade. 4 – Ave de lares e do gado. 2 – Terreiro em frente ou à volta de uma igreja. Grito de dor. Camareira. 3 –
rapina. Letra grega. 5 – Fileira. Físico e matemático francês, criador da electromecânica. 6 – Que te pertence. Cordel. 4 – Osso do antebraço. Peça dramática ou lírica, cantada com
Nota musical. Superiora de um convento em algumas ordens religiosas. 7 – Ave pernalta. acompanhamento de orquestra. 5 – Esquivo (fig.). Preposição. 6 – Mulher de harém. Cen-
Ordem. Atmosfera. 8 – Relação de factos históricos, segundo a cronologia dos anos. Pátria to e um em romano. 7 – Neto de Jacob. Interjeição de irritação. 8 – Porco. Filho de cavalo
lendária de Ulisses. 9 – Erro. Freira. 10 – Deus supremo da mitologia escandinava e germâ- e burra ou de égua e burro. 9 – Aquele. Reunião de dirigentes. 10 – Percepção divinatória.
nica. Não telefone! Progenitora. 11 – Letra grega. Anel. Primogénito de Adão e Eva. Protecção para a cabeça usada até ao século XVI (pl.). 11 – Nota musical (inv.). Rapto. Ali.
VERTICAIS: 1 – Gás produzido pela digestão anaeróbia da matéria orgânica. Eros. 2 – VERTICAIS: 1 – Conjunto de edificações construído no tempo de Constantino sobre as
Antes do meio-dia. Pessoa que se distancia da realidade circundante. 3 – Ira. Estado da ruínas do palácio dos Laterani, em Roma. Filho de Jacob e de Lia. 2 – Renunciou ao trono
África Ocidental. 4 – Símbolo químico do Níquel. Progenitor. Símbolo químico do Sódio. 5 – de Inglaterra para casar com uma mulher divorciada. Lírio. 3 – Contentes. 4 – Poeira. Con-
Permite escolha. Rio da Suíça. Corpo policial alemão criado em 1925. 6 – Serra portuguesa junto de povos, países e Estados que professam a religião de Maomé. Atmosfera. 5 –
da Beira Alta. Origem. 7 – Casal. Pó. 8 – Especialista. 9 – Extraia. Argumento (fig.). 10 – Hipertrofia da glândula tiróide. Afluente da margem esquerda do rio Douro. 6 – Satélite da
Estado fisiológico cíclico das fêmeas de muitos mamíferos, associado à fecundação. Junte Terra. Artigo definido. Nota musical. 7 – Enguia. Inveja (pl.). 8 – Desmontar. Argola. 9 – Parte
(inv.). Suspiro. 11 – Doença, com acessos irregulares, caracterizada pela dificuldade de res- do lombo dos bovinos, entre a pá e o cachaço. Mau. 10 – Inferior. Aqui. Lista. 11 – Autores.
pirar. Brisa. Acolá. Fundo lodoso de mar.

SUDOKU
1 | GRAU DE DIFICULDADE ★★★★★ 2 | GRAU DE DIFICULDADE ★★★★★ 3 | GRAU DE DIFICULDADE ★★★★★ 4 | GRAU DE DIFICULDADE ★★★★★

SOLUÇÕES
4| 3| 2| 1|

—4 maio 2020 31
03200

5 607727 093336

TEMPO
HOJE AMANHÃ

2
0
2
0
/
0
5
/
0
4
2
ª
F
e
i
r
a
20º 20º
NORTE 16º 15º

22º 22º
CENTRO 17º 15º

23º 24º
SUL 17º 14º

18º 19º
AÇORES 13º 13º

24º 23º
MADEIRA 19º 18º

SEMÁFORO

André Ventura considera que é uma “excelente altura” para tomar medidas BRUNO GONÇALVES

Chega quer plano de confinamento D. António


Marto
“específico” para comunidade cigana O bispo de Leiria-Fátima
anunciou a decisão da
Igreja de manter as cele-
brações do 13 de Maio
em Fátima sem peregri-
“Temos de deixar de fingir que este problema não existe”, diz Ventura, que nos, a bem da saúde
quer reunir com a direita para entregar uma proposta comum já esta semana. pública. Uma atitude
sensata e coerente
que só abona a favor da
ANA TERESA BANHA do Chega afirma “são demasiadas” as situa- cio: a comunidade cigana acha-se acima Igreja e dos seus respon-
teresa.banha@ionline.pt ções em que se verifica o “incumprimen- das leis e das regras deste país e um sério sáveis. P. 07
to ou alheamento da comunidade cigana” problema de segurança pública”, defen-
O Chega considerou ontem que é neces- no que diz respeito às regras impostas deu, afirmando compreender o “estado
sário um “plano de confinamento espe- pelas autoridades de saúde em contexto de alma” dos habitantes da zona.
cífico para a comunidade cigana”. Em de pandemia. “No Alentejo e noutras zonas André Ventura considerou ainda que
declarações ao i, André Ventura afirmou do país”, esclarece André Ventura, dando a situação se tornou de tal forma “osten-
que irá abordar o PSD, CDS e Iniciativa o exemplo da Figueira da Foz, onde a GNR siva” que os habitantes sentiram a “neces-
Liberal com o objetivo de apresentar, procedeu este fim de semana à desmobi- sidade” de protestar contra a “impuni-
esta semana, uma proposta comum na lização de um ajuntamento de pessoas dade” pratica pela comunidade. “Temos
Assembleia da República. que protestavam contra atos de vandalis- de deixar de fingir que este problema
Apesar de sublinhar que, “perante a Cons- mo que têm ocorrido nos últimos tempos. não existe”, defendeu o líder do Chega,
Siza Vieira
tituição e a lei” o Estado não pode tratar, “Os acontecimentos de Leirosa, na Figuei- explicando que a pandemia de covid-19 O Governo está a demorar
“face à sua condição étnica, social ou racial”, ra da Foz, mostram bem que o Chega é uma “excelente altura” para assumir a dar resposta ao layoff e
os cidadãos de formas diferentes, o líder tinha razão naquilo que diz desde o iní- “o problema” e tomar medidas. há empresas e trabalha-
dores com a corda na gar-
ganta. O protesto dos res-
taurantes de Braga agen-
Siza Vieira compra máscaras e já fala em exportação dado é um grito de revolta
que tem de ser ouvido
O ministro da Economia, Pedro Siza Viei- que a indústria nacional se mobilizou mar que, “neste momento, as empresas pelo Governo. P. 08
ra, deslocou-se ontem a uma superfície muito para aumentar a produção de más- portuguesas não só produzem para o mer-
comercial em Lisboa para comprar más- caras e que isso deverá refletir-se nos cado nacional como já começam a produ-
caras e demonstrar como será a nova “próximos tempos”, com uma redução zir também para exportação”, o que repre-
realidade dos portugueses, que a partir dos preços destes equipamentos, para o senta uma alteração da realidade após um
de agora têm de usar obrigatoriamente que também contribuirá a baixa do IVA longo período de carência de máscaras em
este equipamento em diversos espaços para 6%, já aprovada no Parlamento. quantidade suficiente para fazer face à pro-
públicos. Siza Vieira destacou mesmo O ministro da Economia chegou a afir- cura dos portugueses durante a pandemia.

Bibo Nunes
Homem morre afogado EUA começam Testes rápidos
em Esposende a administrar Remdesivir no aeroporto de Viena Falando sobre um even-
tual impeachment de Bol-
ESPOSENDE Um homem de 58 anos desa- EUA O medicamento Remdesivir, utiliza- ÁUSTRIA A partir de hoje, o aeroporto de sonaro, o deputado fede-
pareceu ontem, ao final da tarde, depois do até agora para tratamento de doentes Viena, na Áustria, vai disponibilizar aos ral disse “conte uma [pia-
de ter ido a banhos na praia da Carrua- com Ébola e Síndrome Respiratória do passageiros testes rápidos de despiste à da] do português ou do
gem, em Esposende. Pouco tempo depois Médio Oriente (MERS), vai ser a partir covid-19. Caso o resultado do teste seja papagaio, que é melhor”,
de ter sido dado o alerta, o homem foi desta semana utilizado nos Estados Uni- negativo, as pessoas que chegam a Vie- com o Presidente ao
encontrado morto. De acordo com fon- dos em doentes com covid-19 considera- na não precisam de cumprir a quaren- lado. Depois de a embai-
te da Autoridade Marítima Nacional à dos mais graves. Apesar de não estar cien- tena. O teste custa cerca de 190 euros e xada do Brasil se demar-
Lusa, o homem entrou no mar para tificamente provada a eficácia, foi emiti- em três horas os passageiros conhecem car, Bibo Nunes devia
“prestar assistência às filhas que esta- da na sexta-feira uma autorização de o resultado. Os passageiros que saem de retratar-se.
vam na água”. emergência para o uso do mediamento. Viena podem também pedir o teste. PP. 02-03 J. C. S.