Você está na página 1de 34

Berbequim Manual

Trabalho realizado no âmbito da UC de Tecnologia Mecânica II (TecMec2), da Licenciatura em


Engenharia Mecânica (LEM)

Ano Lectivo 2017/2018 – Semestre de Inverno

Docente: Professora Alexandra Rodrigues

Miguel Cruz - 41033

Ana Gonçalves - 41443

Francisco Oliveira – 41444

LM51D

Entregue: 3 de Janeiro 2018

Área Departamental de Engenharia Mecânica


Índice

1 – Introdução ..............................................................................................................................1
1.1. Descrição do produto em estudo e sua funcionalidade ...............................................1
1.2. Definição de mercado (publico alvo e volume de produção) .......................................2
1.3. Produtos similares já existentes no mercado ...............................................................2
1.4. Problemas actuais com o produto em análise (análise global) .....................................2
2 - Descrição detalhada do Produto a analisar .............................................................................3
2.1. Lista de peças e desenhos. Vista de explosão....................................................................3
2.1.1. Desenho de Definição .................................................................................................3
2.1.2. Lista de Peças .............................................................................................................4
2.1.3. Desenhos Técnicos .....................................................................................................4
2.1.4. Vista de Explosão ......................................................................................................13
2.2. Materiais e Processos usualmente utilizados para a produção das peças (Benchmarking)
...............................................................................................................................................14
2.3. Aspectos a melhorar na concepção do produto – Análise detalhada por peça (caso se
aplique) ..................................................................................................................................15
3 – Selecção de Materiais e Processos de Fabrico (por peça) ....................................................16
4 – Conclusões ...........................................................................................................................29
5 - Referencias Bibliográficas .....................................................................................................30
1 – Introdução

Neste trabalho iremos estudar e ponderar sobre o método de fabrico e o material mais eficiente
de modo a produzir um berbequim manual no âmbito da unidade curricular Tecnologia
Mecânica II.

O produto em questão foi escolhido por ser um sistema mecânico simples, com um nível de
complexidade não muito elevado, mas o suficiente de modo a ser possível aplicar os
conhecimentos transmitidos nesta unidade curricular.

1.1. Descrição do produto em estudo e sua funcionalidade

A ferramenta é destinada para furar materiais ou enroscar parafusos, sendo o sistema


constituído pelo berbequim e a broca, que irá ser acoplada no mandril.

Mandril

Apesar de ser uma ferramenta que caiu em desuso com a introdução do berbequim elétrico,
que consegue aplicar uma força maior, podendo furar materiais mais duros com uma velocidade
bastante superior, é uma ferramenta que pode servir melhor que a sua contraparte em certas
ocasiões, como é o caso:

Ser necessário efetuar um furo num local remoto sem eletricidade, onde mesmo os berbequins
sem fios teriam de recarregar as suas baterias.

O ruído provocado é bastante inferior.

No caso de ser necessário furar sobre superfícies sensíveis esta ferramenta dá mais sensibilidade
ao operador.

Devido á potência reduzida é uma ferramenta relativamente segura, sendo apropriada para o
ensino de crianças.

1
1.2. Definição de mercado (publico alvo e volume de produção)

O público alvo será pequenas oficinas e para uso doméstico, sendo um volume de produção
baixo, visto que é uma ferramenta antiquada onde o seu principal papel foi substituído pelo
berbequim elétrico.

1.3. Produtos similares já existentes no mercado

A ferramenta em estudo tem algumas variantes, sendo diferentes consoante a posição do


operador e a posição das peças pretendidas.

Berbequim móvel elétrico com fio ou sem fios

1.4. Problemas actuais com o produto em análise (análise global)

Sendo uma peça metálica terá que se ter em conta a corrosão. O peso da ferramenta também
será um constrangimento visto que o conforto do operador ao realizar a operação deve ser uma
prioridade.

2
2 - Descrição detalhada do Produto a analisar

2.1. Lista de peças e desenhos. Vista de explosão.

2.1.1. Desenho de Definição

3
2.1.2. Lista de Peças

Nº DO
NOME DA PEÇA MATERIAL QUANTIDADE
ITEM
1 Punho Madeira Teca 1
2 Pino Roscado Punho Aço Carbono 1
3 Protector de Punho Aço Carbono 1
4 Corpo Principal Liga de Aço Fundida 1
5 Veio Liga de Aço Fundida 1
6 Roda Dentada Pequena Aço Inoxidável 1
7 Barra de Rotação Liga de Ferro 1
8 Pino da Barra de Rotação Aço Carbono 1
9 Punho da Barra de Rotação Madeira Teca 1
10 Veio Pequeno Aço Carbono 1
11 Punho Pequeno Madeira Teca 1
12 Anilha Latão 1
13 Roda Dentada Grande Ferro Fundido 1
14 Base do Cabeçote Aço Inoxidável 1
15 Boca do Cabeçote Aço Inoxidável 3
16 Tampa do Cabeçote Aço Inoxidável 1
17 Parafuso M4 x 12 Aço Inoxidável 1
Tabela 1- Lista de todas as peças e respectivo material que compõe o Berbequim manual.

2.1.3. Desenhos Técnicos

Peça nº 1 - Punho

4
Peça nº 2 – Pino Roscado Punho

Peça nº 3 – Protector de Punho

5
Peça nº 4 – Corpo Principal

Peça nº 5 - Veio

6
Peça nº 6 – Roda Dentada Pequena

Peça nº 7 – Barra de Rotação

7
Peça nº 8 – Pino da Barra de Rotação

Peça nº 9 – Punho da Barra de Rotação

8
Peça nº 10 – Veio Pequeno

Peça nº 11 – Punho Pequeno

9
Peça nº 12 - Anilha

Peça nº 13 – Roda Dentada Grande

10
Peça nº 14 – Base do Cabeçote

Peça nº 15 – Boca do cabeçote

11
Peça nº 16 – Tampa do Cabeçote

12
2.1.4. Vista de Explosão

13
2.2. Materiais e Processos usualmente utilizados para a produção das
peças (Benchmarking)

Nome da peça: Materiais e Processos normalmente utilizados


para a produção das peças:
1- Punho Materiais: Madeira

Processos:
- Corte por arranque de apara.

2- Tampa do Cabeçote Materiais: Ferro Fundido, Aço ou Alumínio

Processos:
- Compactação;
- Fundição.

3- Corpo Principal Materiais: Ferro Fundido, Aço ou Alumínio

Processos:
- Forjamento;
- Fundição;
- Corte por arranque de apara.

4- Roda Dentada Materiais: Ferro Fundido, Aço ou Alumínio

Processos:
- Forjamento.

5- Protector de Punho Materiais: Ferro Fundido, Aço ou Alumínio

Processos:
- Estampagem;
- Fundição;
- Corte por arranque de apara,
- Torneamento.

14
Nome da peça: Materiais e Processos normalmente utilizados
para a produção das peças:
1- Punho Pequeno Material: Madeira Teca

Processo:
-Corte por arranque de apara;

Tabela 2- Descrição dos materiais e dos processos de fabrico, mais utilizados, dos componentes a estudar.

2.3. Aspectos a melhorar na concepção do produto – Análise detalhada


por peça (caso se aplique)

A utilização deste tipo de berbequim já não é tão comum, visto já ter sido substituído por um
berbequim eléctrico. O berbequim manual, é um produto relativamente pesado devido aos
seus componentes serem produzidos em materiais com densidades altas, caso das ligas dos
aços, influenciando assim o seu transporte, a sua utilização e manutenção.

Foi analisado a maioria das situações de falha a que o berbequim poderia ser sujeito e conclui-
se que as possíveis falhas são situações pontuais associadas ao desgaste dos componentes.
Assim não podem ser consideradas falhas do berbequim, mas sim associadas ao período de
vida dos componentes, que pode ser influenciada por manutenções incorrectas ou a má
utilização do produto.

De modo a facilitar o transporte, a sua utilização e manutenção, pretende-se reduzir


substancialmente o peso do equipamento através da alteração do material de cada
componente e a sua maneira de fabricação.

15
3 – Selecção de Materiais e Processos de Fabrico (por peça)

Peça nº 1 - Punho

Nome da peça: Punho Função da peça:

O punho será onde o operador irá manipular


a ferramenta sendo o seu objetivo
estabilizar a ferramenta de modo a ser
possível realizar o furo.

Tabela 3- Punho e sua função

Condições de serviço: A peça não irá suportar cargas ou temperaturas elevadas sendo o peso e
o conforto os condicionantes na escolha do material a usar.
Constrangimentos: Dimensão, peso, custo, longevidade
Objectivos: A peça deverá ser leve e confortável para o operador, de baixo custo e que tenha
uma longa vida útil.

Materiais Seleccionados:

Com base nas propriedades requeridas escolheu-se a madeira como material, por ser um
material leve e barato, mas também por ser fácil de maquinar.

Densidade Módulo de Custo


Durabilidade
[kg/m3] Elasticidade [GPa] [€/Kg]

Madeiras: (devido á sua origem natural as propriedades mecânicas dos diferentes tipos de
madeira podem variar, também como existe inúmeros tipos de madeiras apenas foram
selecionadas umas das mais usadas. Neste estudo apresenta-se um valor médio para os
diferentes tipos)
Nogueira 620 12,15 Muito resistente +++
Sucupira 1010 16,06 Muito resistente +++
Ácer 705 12,62 Resistente ++
Cerejeira 530 10,21 Média ++
Eucalipto 750-850 17,5 Média +
Tabela 4- Tabela de materiais para o punho pequeno e as propriedades mais relevantes. (LEGENDA: +(barato),
++(moderado), +++(caro)).

16
Justificação da escolha:

Face ás propriedades dos materiais apresentados escolheu-se a madeira Nogueira pois


tem uma densidade relativamente baixa e por ser uma madeira bastante resistente. Como o
volume da peça a considerar é baixo o custo da madeira não será um factor crítico.

Tendo em atenção que o material seleccionado é madeira de Nogueira.


O volume de produção é de: 100 peças. (visto ser um equipamento que já foi substituído por
um mais recente e eléctrico).
A complexidade da forma é moderada.
O rigor dimensional é ao bom.
O acabamento pretendido é superfície lisa no exterior e no encaixe (bom).
O mercado alvo (custo) é sector económico primário.

Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são:

Vantagens Limitações Custo


É um processo
simples, eficaz e Baixo nível de
Torneamento +
barato de produzir a produção.
peça.
Seria necessário
alguém especializado
Torneamento
- para garantir bons +++
manual
acabamentos
superficiais
Tabela 5- Tabela com os processos de fabrico do punho pequeno e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Ao observar a tabela, podemos excluir logo o torneamento manual visto ser o mais
demorado, custo elevado e ser necessário alguém especializado em torneamento manual.
De modo a fabricar a peça o torneamento será o único método encontrado, de modo a
maquinar as superfícies curvas da madeira. Terá que ser efetuado um furo no centro
posteriormente de modo a poder-se fixar o punho ao corpo.

17
Peça nº 3 - Protector de Punho

Nome da peça: Protector de Punho Função da peça:

Proteger o Cabo de madeira e a mão do


utilizador de certos impactos, como por
exemplo ao substituir o cabo de madeira

Tabela 6 – Protector de Punho e sua função

Condições de serviço: A peça terá que ser resistente ao impacto (devido ao utilizador estar a
“empurrar” a pega contra o corpo, situando se o protector entre ambos os componentes);
resistente à corrosão;
Constrangimentos: Rigidez, Dimensão e Peso
Objectivos: minimizar custo, reduzir peso.

Materiais Seleccionados:

Tensão
Tensão Tensão
Densidade Módulo de Limite Temperatura
Cedência de Custo σc/ ρ
(ρ) Elasticidade de de serviço
(σc Rotura [€/Kg]
[kg/m3] [GPa] fadiga máximo [°C]
)[MPa] [MPa]
[MPa]
Aço 0.03
Inoxidável 8000 240 620 193 240 - +
T303
Liga 0.179
Alumínio 2810 503 572 71.7 159 - +++
7075-T6
Ferro 0.0096-
Fundido 115- 68,9- 0.023
6800-7340 65,5-172 62,1-162 - +++
(Gray Cast 700 207
Iron)
ISO R2147 0.062
AISI 10 2680 165 317 71 124 - ++++
Mg
AISI 1040 7845 415 620 200 - - ++ 0.053
Tabela 7- Tabela de materiais para o punho pequeno e as propriedades mais relevantes (que se conseguiram obter).
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro), ++++(muito caro)).

18
Justificação da escolha:

Com base na observação a tabela acima pode-se afirmar que se vão comparar 5 ligas
metálicas, duas são ligas de alumínio onde uma delas contem Silício e Magnésio.
Com base nas condições de serviço, é necessário material resistente, de modo aguentar
os esforços que o utilizador possa fazer, por outro lado necessita de ser um componente leve,
para reduzir o peso do componente, assim ao olhar para o índice σc/ ρ observa-se que a liga de
Alumínio 7075-T6 é a que possui um melhor compromisso entre a tensão de cedência e a
densidade, podendo ser uma hipótese de escolha, contudo outro objectivo é minimizar o custo
do componente e ao observar a tabela verifica-se que a liga de Alumínio 7075-T6 apresenta um
custo relativamente caro.
Ao observar o Ferro Fundido (Gray Cast Iron) conclui-se que este material não se
enquadra nas características pretendidas para o componente, uma vez que o seu peso é o mais
alto de todos, o índice σc/ ρ é o mais baixo, tal como se observar com o Aço Inoxidável T303
(apesar do baixo custo). Devido ao elevado custo da liga ISO R2147 AISI 10 Mg também ficará
excluída.
Assim o material seleccionado é o AISI 1040, apesar de ser um material mais pesado a
comparar com a liga de alumínio, também é mais resistente, apresenta o terceiro melhor índice
e ainda consegue ser mais barato que todos os outros, à excepção do Aço Inoxidável T303.

Tendo em atenção que o material seleccionado é AISI 1040.


O volume de produção é de: 100 peças. (visto ser um equipamento que já foi substituído por
um mais recente e eléctrico)
A complexidade da forma é simples.
O rigor dimensional é moderado.
O acabamento pretendido é superfície lisa (bom).
O mercado alvo (custo) é, baixo pois é para o sector económico secundário.

19
Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são:

Vantagens Limitações Custo


Fundição: Obtenção Fundição: requer gastos
da geometria energéticos para fundir
pretendida; Permite o material;
produção múltipla Baixa qualidade
ao mesmo tempo; superficial e mau rigor
Fundição + Corte por
Desperdício de dimensional. +
arranque da apara
material reduzido; Corte por arranque da
Corte por arranque apara: Exigência de
da apara: elevada lubrificação; Limitação
qualidade superficial do trabalho a uma peça
e rigor dimensional. por equipamento
Estampagem:
Estampagem: Custo
elevada
elevado das maquinas;
produtividade; Baixo
Necessidade de utilizar
custo por peça; Boa
máquinas de grandes
Estampagem + Corte precisão
dimensões;
por arranque da dimensional. +++
Corte por arranque da
apara Corte por arranque
apara: Exigência de
da apara: elevada
lubrificação; Limitaçâo
qualidade superficial
do trabalho a uma peça
e rigor dimensional.
por equipamento
Limitação de trabalho a
uma só peça por torno
Acabamento
Torneamento mecânico durante o ++
superficial excelente
processo;
Desperdício de material.
Tabela 8- Tabela com os processos de fabrico do protector de punho e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Ao observar a tabela, podemos excluir logo a Estampagem + Corte por arranque da


apara visto ser o mais caro e pelo número de peças ser reduzido (100 peças) não se justifica o
investimento. O processo de Fundição + Corte por arranque da apara permite logo, por parte
da fundição, a obtenção da geometria pretendida onde de seguida o corte por arrombamento
poderá levar a um melhor acabamento ou a pequenas correcções na geometria da peça, sendo
ainda possível a produção de vários componentes ao mesmo tempo. Logo, pelas razões
apresentadas acima, a Fundição + Corte por arranque da apara é o melhor processo.

20
Peça nº 4 - Corpo Principal

Nome da peça: Corpo Principal Função da peça:

Acoplar todos os componentes do


berbequim.

Figura 9- Corpo Principal e sua função

Condições de serviço: elevadas cargas (uma vez que todas as forças se concentram nesta
peça); Desgaste por atrito
Constrangimentos: Geometria; Rigidez
Objectivos: minimizar custo; reduzir peso

Materiais Seleccionados :
Tensão
Tensão Temperatura
Tensão Módulo de Limite σc/ ρ
Densidade de de serviço Custo
Cedência Elasticidade de
Rotura máximo
fadiga
Liga Aço
Inox DIN 8000 275 - 200 - - + 0,034
1.4828
Liga
alumínio
2810 503 572 71,7 - - +++ 0,179
7075 –
T6
Liga
alumínio
2720 379 400 69 - - ++ 0,139
6061 –
T9
Tabela 10- Tabela com os processos de fabrico do protector de punho e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Face as condições de serviço, é necessário material resistente, de modo aguentar as


elevadas cargas e o desgaste por atrito, por outro lado necessita de ser um componente leve,
para reduzir o peso do componente, assim ao olhar para o índice σc/ ρ observa-se que a liga de
Alumínio 7075-T6 é a que possui um melhor compromisso entre a tensão de cedência e a
densidade, podendo ser uma hipótese de escolha, contudo outro objectivo é minimizar o custo
do componente e ao observar a tabela verifica-se que a liga de Alumínio 7075-T6 apresenta o
preço mais elevado.

21
Observando novamente a tabela e tendo em conta que se trata do corpo principal do
equipamento tem de se ter em conta a leveza e a resistente do mesmo, logo, apesar de ter um
custo moderado será escolhida a liga de Alumínio 6061-T9.

Tendo em atenção que o material seleccionado é:Liga aço Inox DIN 1.4828
o volume de produção é de: 100 peças. (visto ser um equipamento que já foi substituído por
um mais recente e eléctrico).
A complexidade da forma é moderada
O rigor dimensional é ao décimo
O acabamento pretendido é superfície alisada (Ra 3,2)
O mercado alvo (custo) é sector económico primário

Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são:

Vantagens Limitações Custo


Fundição: requer
Fundição:- Obtenção
gastos energéticos
da geometria
para fundir o
pretendida;
material;
- Permite produção
Baixa qualidade
múltipla ao mesmo
superficial e mau
Fundição + Corte por tempo;
rigor dimensional. +
arranque de apara - Desperdício de
Corte por arranque
material reduzido;
da apara: Exigência
Corte por arranque
de lubrificação;
da apara: -Elevada
Limitação do
qualidade superficial
trabalho a uma peça
e rigor dimensional.
por equipamento
- Apenas se produz
- A geometria da uma peça por matriz,
Forjamento peça é logo obtida; ideal para séries ++
pequenas;

- Necessidade de uso
- Bom acabamento
de Lubrificante;
Corte por arranque superficial;
- Baixa produtividade +
de apara - Elevado rigor
(uma peça por
dimensional
máquina)
Tabela 11- Tabela com os processos de fabrico do corpo principal e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

O processo de fabrico mais adequado à produção desta peça tendo em atenção as vantagens e
limitações dos processos é Fundição + Corte por arranque de apara, a geometria da peça é
obtida da forma prentendida e depois aplica se o corte por arranque de apara para dar um
bom acabamento superficial e o rigor pretencido.

22
Peça nº 11 – Punho Pequeno

Nome da peça: Punho Pequeno Função da peça:

Servir de apoio à utilização do equipamento

Tabela 12 – Punho pequeno e sua função

Condições de serviço: A peça não irá suportar cargas ou temperaturas elevadas sendo o peso e
o conforto os condicionantes na escolha do material a usar.
Constrangimentos: Dimensão, peso, custo, longevidade.
Objectivos: A peça deverá ser leve e confortável para o operador, de baixo custo e que tenha
uma longa vida útil.

Materiais Seleccionados:

Tensão
Tensão
Densida Tensão Módulo de Limite Temperatura
de Custo
de Cedência Elasticidade de de serviço Dureza
Rotura [€/Kg]
[kg/m3] [MPa] [GPa] fadiga máximo [°C]
[MPa]
[MPa]
Madeira
+
Eucalipto 750-850 - 127,5 17,5 - - -
(0,055)
comum
100
+++
ABS 1030 45 33 2,2 - 90 (Rockwell
(0,66)
R)
66
++
PP 900 23 17 1 - 76,1 (Rockwell
(0,58)
R)
Tabela 13- Tabela de materiais para o punho pequeno e as propriedades mais relevantes (que se conseguiram
obter). (LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Justificação da escolha:

O punho (pequeno) é um componente do sistema do berbequim manual cuja função é


apenas auxiliar ou servir de apoio à utilização do berbequim, ou seja, ajudar a centrar a broca
na peça que se pretende furar ou até mesmo servir de apoio de transporte e como tal não esta
sujeito a forças elevadas, torções ou esforços axiais. Como existem outros produtos que
encarecem o equipamento através da escolha do material e dos processos de fabrico, devido
às limitações e condições de serviço que estão sujeitos, e por serem nesse aspecto mais
críticos para o bom funcionamento do equipamento é preferível escolher para este
componente um material de baixo custo e se possível de peso reduzido. Assim, da tabela, o
material que satisfaz as condições ditas anteriormente é a madeira de Eucalipto.

23
Tendo em atenção que o material seleccionado é madeira de Eucalipto.
O volume de produção é de: 100 peças. (visto ser um equipamento que já foi substituído por
um mais recente e eléctrico)
A complexidade da forma é moderada.
O rigor dimensional é ao bom.
O acabamento pretendido é superfície lisa no exterior e no encaixe com o veio pequeno
(bom).
O mercado alvo (custo) é sector económico primário.

Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são:

Vantagens Limitações Custo


Limitação de
trabalho a uma só
peça por torno
Acabamento
Torneamento mecânico durante o +
superficial excelente
processo;
Desperdício de
material.
Desperdício de
Bom acabamento material nas aparas;
superficial; Limitação do
Fresagem +
Elevado rigor trabalho de uma
dimensional peça por
equipamento
Seria necessário
alguém
Torneamento especializado para
- +++
manual garantir bons
acabamentos
superficiais
Tabela 14- Tabela com os processos de fabrico do punho pequeno e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Ao observar a tabela, podemos excluir logo o torneamento manual visto ser o mais
demorado, custo elevado e ser necessário alguém especializado em torneamento manual.
Entre o Torneamento e a Fresagem são ambos muito idênticos, mas como o componente
apresenta uma face redonda o torneamento será o ideal pois irá realizar um melhor
acabamento superficial.

24
Peça nº 13 – Roda Dentada Grande

Nome da peça: Roda Dentada Grande Função da peça:

Transmitir a força aplicada no punho da


barra de rotação para a roda dentada
acoplada no veio que faz a boca do cabeçote
rodar

Tabela 15 – Roda Dentada Grande e sua função

Condições de serviço: Cargas intermédias (Flexão e Torção); Fadiga; Desgaste por atrito
Constrangimentos: Resistência Mecânica; Rigidez
Objectivos: Minimizar custo; Reduzir peso; Maior durabilidade

Materiais Seleccionados:
Módulo
Tensão Tensão
Tensão de Temperatura
Densidade de Limite σc/ ρ
Cedência Elastici de serviço Custo
[kg/m^3] Rotura de
[MPa] dade máximo
[MPa] fadiga
[GPa]
Liga de
alumínio 2810 503 572 71.7 - - +++ 0.179
7075-T6
Aço
inoxidável 8000 240 550 193 - - ++++ 0.003
AISI 316
Aço
inoxidável
ASTM 7830 482 - 200 - - +++++ 0.062
A269 (XM-
10)
Tabela 16- Tabela de materiais para a Roda Dentada grande e as propriedades mais relevantes (que se conseguiram
obter). (LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Justificação da escolha:

Face as condições de serviço, é necessário material resistente, de modo aguentar as


cargas intermédias, fadiga e ao desgaste por atrito, por outro lado necessita de ser um
componente leve, para reduzir o peso do componente, assim ao olhar para o índice σc/ ρ
observa-se que a liga de Alumínio 7075-T6 é a que possui um melhor compromisso entre a
tensão de cedência e a densidade, podendo ser uma hipótese de escolha, contudo outro
objectivo é minimizar o custo do componente e ao observar a tabela verifica-se que a liga de
Alumínio 7075-T6 apresenta o preço mais baixo.

25
Logo, pelas características referidas acima para a liga de Alumínio 7075-T6 será este o material
escolhido para a Roda Dentada grande por apresentar um peso mais baixo e um índice mais
elevado que as outras ligas.

Tendo em atenção que o material seleccionado é: Liga de alumínio 7075 – T6


O volume de produção é de: 100 peças. (visto ser um equipamento que já foi substituído por
um mais recente e eléctrico)
A complexidade da forma é moderada
O rigor dimensional é ao décimo
O acabamento pretendido é superfície alisada (Ra 3,2)
O mercado alvo (custo) é sector económico primário

Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são:

Vantagens Limitações Custo


- Apenas se produz
- A geometria da uma peça por matriz,
Forjamento ++
peça é logo obtida; ideal para séries
pequenas;
- Limitação de
trabalho a uma só
- Acabamento
Torneamento peça por torno ++
superficial excelente
mecânico durante o
processo
- Desperdício
considerável de
- Obtenção da material nas aparas;
geometria desejada Exigência de
Fresagem com elevados rigor lubrificante; +++
dimensional e Limitação de
qualidade superficial trabalho de uma
peça por
equipamento
Tabela 17- Tabela com os processos de fabrico da roda dentada grande e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

O processo de fabrico mais adequado à produção desta peça tendo em atenção as vantagens e
limitações dos processos é o Forjamento, a geometria da peça é obtida de forma rápida e o
mais indicado para o tipo de mercado deste produto.

26
Peça nº 16 – Tampa do Cabeçote

Nome da peça: Tampa do cabeçote Função da peça:

A tampa de cabeçote será a proteção do


mandril.

Tabela 18 – Tampa do cabeçote e sua função

Condições de serviço: A peça terá que ser resistente ao impacto e resistente á corrosão.
Constrangimentos: Rigidez, Dimensão e Peso

Objectivos: O material a escolher deve ser capaz de resistir a impactos provocados pela queda
da ferramenta, ou por outros impactos inesperados. Sendo também de baixo custo.

Materiais Seleccionados:

Com base nas propriedades requeridas escolheu-se as ligas de aço como material, por serem
ligas de elevada resistência e de baixo custo. Entre as diversas ligas disponíveis escolheu-se as
seguintes pois são as mais indicadas para ferramentas de trabalho.

Tensão
Tensão Módulo de
Densidade Dureza de Custo
Norma DIN Cedência Elasticidade
[kg/m3] [Rockwell] Rotura [€/Kg]
[MPa] [GPa]
[MPa]
1.2510 7,8 49 450 765 200 ++
1.2080 7,87 36 1034 1158 210 +++
1.2067 7,84 30 538 914 212 ++
1.2210 7,8 30 440 622 210 +
1.2767 7,85 42 450 765 200 ++
1.2379 7,7 45 482 835 210 ++
Tabela 19- Tabela de materiais para a tampa do cabeçote e as propriedades mais relevantes. (LEGENDA: +(barato),
++(moderado), +++(caro)).

Justificação da escolha:

Face ás propriedades dos materiais apresentados escolheu-se a liga DIN 1.2067 pois apresenta
um bom preço em relação á sua resistência em comparação com as outras ligas em estudo.

Tendo em atenção que o material seleccionado é: DIN 1.2067


o volume de produção é de: baixo volume
A complexidade da forma é simples
O rigor dimensional é moderado
O acabamento pretendido é bom
O mercado alvo (custo) é sector económico primário.

27
Os processos de fabrico que se consideram mais adequados para a peça em questão, são :

Vantagens Limitações Custo


- Porosidade residual
- Bom rigor
nas peças obtidas
dimensional
- Com um custo
- Boa resistência
Compactação elevado só é ++
mecânica
justificado com
- Facilidade de
elevados volumes de
automação
produção.
- Bom rigor - Resistência
dimensional mecânica limitada
Fundição em areia +
- Isotropia de - Mau acabamento
propriedades superficial
- Bom rigor
dimensional
- Isotropia de
Fundição em propriedades
- Custo elevado ++
carapaça - Boa rugosidade
superficial
- Boa rapidez de
fabrico
Tabela 20- Tabela com os processos de fabrico do punho pequeno e as respectivas vantagens e desvantagens.
(LEGENDA: +(barato), ++(moderado), +++(caro)).

Com base no custo dos processos de compactação e de fundição em carapaça estes foram
excluídos, onde o elevado custo só é justificado com elevados volumes de produção.

Sendo assim escolheu-se o processo de fundição em areia, que para a aplicação em causa irá
ser uma escolha adequada. Um processo de polimento será necessário posteriormente, uma
vez que o acabamento superficial após a fundição será mau.

28
4 – Conclusões

Neste trabalho foram estudados alguns componentes de um berbequim manual, onde se


procedeu à descrição das peças e da sua função no conjunto, assim como condições de serviço
e constrangimentos, bem como as soluções encontradas para minimizar os defeitos do
equipamento.

Na seguinte tabela podemos observar os novos materiais e os melhores processos de fabrico


dos componentes.

Peça Material Processo


Punho Madeira de Nogueira Torneamento
Tampa do Cabeçote Liga DIN 1.2067 Fundição em areia
Corpo Principal Liga de Alumínio 6061 - T9 Fundição + Corte por
arranque de apara
Roda Dentada Liga de Alumínio 7075 – T6 Forjamento
Protector de Punho AISI 1040 Fundição + Corte por
arranque de apara
Punho pequeno Madeira de Eucalipto Torneamento
Tabela 21- novos materiais para os componentes estudados assim como os seus processos.

29
5 - Referencias Bibliográficas

Peça nº 1 - Punho
http://www.wood-database.com/

Peça nº 3 - Protector de Punho

Aço Inoxidável T303:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=03e319215220463ea920bc7defc
6ef87

Alumínio 7075-T6:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=4f19a42be94546b686bbf43f79c5
1b7d

http://www.broncesval.com/productos/aluminio/96-aluminio-aleacion-zinc-7075-t-651

Ferro Fundido (Cast Iron):

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=f3cd25980ab24fdaa5893252cd2b
c192

AISI 1040:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=c8ada14779744d008a6c3e80f03
5c5d5

ISO R2147 AISI 10 Mg:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=87a0d0817ebd44008a967cbf3e9
cd378&ckck=1

Processos:
- Slides das aulas de Tecnologia Mecânica II;
- https://pt.slideshare.net/hertzoliveira3/estampagem-25262765
- http://wiki.ued.ipleiria.pt/wikiEngenharia/index.php/Estampagem

30
Peça nº 4 - Corpo Principal
Alumínio 7075-T6:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=4f19a42be94546b686bbf43f79c5
1b7d

http://www.broncesval.com/productos/aluminio/96-aluminio-aleacion-zinc-7075-t-651

Liga de Aço Inoxidável DIN 1.4828

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=c9cdf3eee9cc423a80375baf7cad
6181

Liga de Alumínio 6061 – T9

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=01760d1b9b8e4aa4b0f894a03b6
4b154

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=0f6b9e4702884eadbe6a8450cf8
9a925

Peça nº 11 – Punho Pequeno

https://paginas.fe.up.pt/~jcouti/Madeiras%2099.pdf - (tabela pag.30), Eucalipto comum

- Polímero CP0406L:
http://www.aclocompounders.com/pdf/Metric05/accucompPolyproMetric03.pdf

- ABS 809L: http://www.aclocompounders.com/pdf/Metric05/accucompABSMetric03.pdf

PDF’s retirados do seguinte site:


http://www.aclocompounders.com/allcompounds.htm#

Preço do eucalipto:

http://www.ansub.pt/4/precos.htm

Preço dos polímeros:


http://plasticker.de/preise/pms_en.php?show=ok&make=ok&aog=A&kat=Mahlgut

Processos:
-Slides das aulas de Tecnologia Mecânica II.
- http://www.ebah.pt/content/ABAAABM2gAB/usinagem-torno-mecanico

31
Peça nº 13 – Roda Dentada Grande
Alumínio 7075-T6:

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=4f19a42be94546b686bbf43f79c5
1b7d

http://www.broncesval.com/productos/aluminio/96-aluminio-aleacion-zinc-7075-t-651

Aço Inoxidável ASTM A269 (XM-10)

http://www.matweb.com/search/datasheet.aspx?matguid=d5449b402f9b43559f6254e4056b
91a9&ckck=1

AISI 316

http://www.matweb.com/search/DataSheet.aspx?MatGUID=dfced4f11d63459e8ef8733d1c7c
1ad2

Peça nº 16 – Tampa do Cabeçote


http://www.worldstainless.org/Files/issf/non-image-
files/PDF/Euro_Inox/Tables_TechnicalProperties_EN.pdf

http://www.ramada.pt/pt/

http://www.steel-grades.com/

http://www.outokumpu.com/en/Pages/default.aspx

32