Você está na página 1de 8

Curso Superior de Engenharia Mecânica/Alimentos Prof: Andre Luiz Bedendo Turma: 2019

***************************************************************************************
CÁLCULO UMA VARIÁVEL REAL

***************************************************************************************
1. FUNÇÕES DE VÁRIAS VARIÁVEIS

1.1 Introdução

Em muitas situações práticas, o valor de uma certa quantidade depende de duas ou mais quantidades.
Então, é usual representar estas relações como funções de várias variáveis. Como estes exemplos:
 A função 𝑉(𝑟, ℎ) = 𝜋𝑟 2 ℎ calcula o volume de um cilindro circular reto a partir do seu raio e da altura;
 A temperatura em dada cidade é uma função que depende de duas variáveis de posição (longitude,
latitude), assim 𝑇(𝑥, 𝑦);
 A função 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 + 𝑦 2 calcula a altura do paraboloide 𝑧 = 𝑥 2 + 𝑦 2 acima do ponto 𝑃(𝑥, 𝑦) a
partir das duas coordenadas de 𝑃;

Para ampliar o conceito de função de uma variável para funções de várias variáveis, precisa-se
primeiramente considerar pontos em um espaço numérico n-dimensional. Da mesma forma que denotamos um
ponto em 𝑅 por um número real 𝑥, um ponto em ℝ2 por um par ordenado de números reais (𝑥, 𝑦) e um ponto
em ℝ3 por uma tripla ordenada de números reais (𝑥, 𝑦, 𝑧). Um ponto no espaço numérico n-dimensional, ℝ𝑛 ,
é representado por uma n-upla de números reais, sendo denotado por 𝑃 = (𝑥1 , 𝑥2 , ⋯ , 𝑥𝑛 ).

Definição 1.1: Seja 𝐷 um conjunto do espaço n-dimensional (𝐷 ⊆ ℝ𝑛 ), isto é, os elementos de 𝐷 são n-uplas
ordenadas (𝑥1 , 𝑥2 , 𝑥3 , ⋯ , 𝑥𝑛 ) de números reais. Se cada ponto 𝑃 do conjunto 𝐷 associamos um único elemento
𝑧 ∈ ℝ, tem-se uma função 𝑓: 𝐷 ⊆ ℝ𝑛 → ℝ. Essa função é chamada função de 𝑛 variáveis reais, denotada por:
𝑧 = 𝑓(𝑃) 𝑜𝑢 𝑧 = 𝑓(𝑥1 , 𝑥2 , 𝑥3 , ⋯ , 𝑥𝑛 )
O conjunto 𝐷 é denominado domínio da função 𝑧.

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


1.2 Função de duas variáveis
Seja 𝐷 um subconjunto (região) do espaço 𝑅 2 (plano). Chama-se função f de 𝐷 toda relação que associa, a
cada par (𝑥, 𝑦)  𝐷, um único número real, representado por 𝑓(𝑥, 𝑦). O conjunto 𝐷 é o domínio da função.

Definição: ______________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________

Assim:
 ______________________________________________________________________________________________________________
 ______________________________________________________________________________________________________________
 ______________________________________________________________________________________________________________

Exemplo 1. Seja a função 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 + 2𝑦 − 1, determine:


a) 𝑓(1,2) = b) 𝑓(0, −1) =

c) 𝑓(−1, −1) = d) 𝑓(−2,1) =

IMPORTANTE: Ao definir funções de mais de uma variável, segue-se a prática habitual de excluir entradas
que levem a números complexos ou à divisão por zero.

Exemplo 2: Seja 𝑓 a função de 𝑥 e 𝑦 dada pelos pares ordenados (𝑃, 𝑧), tal que 𝑧 = √25 − 𝑥 2 − 𝑦 2 . Qual o
domínio da função 𝑧? Quais valores de 𝑥 e 𝑦 satisfazem esta função?
O domínio de 𝑓 é o conjunto {(𝑥, 𝑦)/𝑥 2 + 𝑦 2 ≤ 25}. Este conjunto consiste nos pontos do plano 𝑥𝑦 sobre a
circunferência 𝑥 2 + 𝑦 2 = 25 e no interior da região limitada pela circunferência. Um esboço do conjunto de
pontos no domínio de 𝑓, mostrado como uma região sombreada em 𝑅 2 . Como 𝑧 = √25 − (𝑥 2 + 𝑦 2 ), então
0 ≤ 𝑧 ≤ 5; assim a imagem de 𝑓 é o conjunto de todos os números reais no intervalo fechado [0,5].

Exemplos 3. Determine o domínio das seguintes funções.


𝑥−𝑦
a) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥+𝑦

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


b) 𝑤 = √𝑦 − 𝑥 2
1
c) 𝑧 = 𝑥𝑦
1
d) 𝑤 =
𝑥 2 +𝑦 2 +𝑧 2

e) 𝑤 = 𝑥𝑦 𝑙𝑛 𝑧
f) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑙𝑛(𝑥 2 − 𝑦) e represente graficamente;

Assim como acontece com os domínios de funções definidas em intervalos da reta real, os domínios
de funções definidas em porções do plano podem ter pontos interiores e pontos de fronteira. Os intervalos
fechados [𝑎, 𝑏] incluem seus pontos de fronteira, enquanto os intervalos abertos (𝑎, 𝑏) os deixam fora. Os
intervalos definidos como [𝑎, 𝑏) não são nem fechados nem abertos.

{(𝑥, 𝑦)/𝑥 2 + 𝑦 2 < 1} {(𝑥, 𝑦)/𝑥 2 + 𝑦 2 = 1} {(𝑥, 𝑦)/𝑥 2 + 𝑦 2 ≤ 1}


Disco unitário aberto. Todo ponto é um ponto interior Fronteira do disco unitário. Disco unitário fechado. Contém todos os pontos de fronteira.

1.3 Gráficos e curvas de níveis de funções de duas variáveis

Da mesma forma que no estudo das funções de uma variável, a noção de gráfico desempenha um papel
importante no estudo das funções de várias variáveis. Isso ocorre principalmente para as funções de duas
variáveis. O gráfico, em geral, representa uma superfície no espaço tridimensional. Existem duas maneiras de
visualizar os valores de uma função 𝑓(𝑥, 𝑦). Uma é desenhar e identificar curvas no domínio nas quais 𝑓 tem
um valor constante (curvas de nível), em outras palavras, ela mostra onde o gráfico de 𝑓 têm altura 𝑘. A outra
é esboçar a superfície 𝑧 = 𝑓(𝑥, 𝑦) no espaço.

Definição: O conjunto de pontos no plano onde uma função 𝑓(𝑥, 𝑦) tem um valor constante, ou seja,
𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑘 é denominado curva de nível de 𝒇.

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


O conjunto de todos os pontos (𝑥, 𝑦, 𝑓(𝑥, 𝑦)) no espaço para cada (𝑥, 𝑦) no domínio de 𝑓 é chamado
gráfico de 𝑓, também conhecido como superfície 𝑧 = 𝑓(𝑥, 𝑦).

Na figura ao lado, verifica-se a relação entre as


curvas de nível e os cortes horizontais. As curvas de nível
𝑓 (𝑥, 𝑦) = 𝑘 são apenas cortes do gráfico de f no plano
horizontal 𝑧 = 𝑘 projetados sobre o plano 𝑥𝑦.

Exemplo 4: Represente graficamente 𝑓(𝑥, 𝑦) = 100 − 𝑥 2 − 𝑦 2 e trace as curvas de nível


𝑓(𝑥, 𝑦) = 0, 𝑓(𝑥, 𝑦) = 51 𝑒 𝑓(𝑥, 𝑦) = 75 no domínio de 𝑓 no plano.

Solução: O domínio de 𝑓 é o plano 𝑥𝑦 inteiro, e a imagem de 𝑓 é o conjunto de números reais menores ou


iguais a 100. O gráfico é o paraboloide 𝑧 = 100 − 𝑥 2 − 𝑦 2 do qual é mostrada uma parte da Figura. A curva
de nível 𝑓(𝑥, 𝑦) = 0 é o conjunto de pontos no plano 𝑥𝑦 nos quais:

Figura 1.1. O gráfico e curvas de nível selecionadas da função 𝑓(𝑥, 𝑦) = 100 − 𝑥 2 − 𝑦 2

Exemplo 5. Esboçar as curvas de nível da função 𝑓(𝑥, 𝑦) = √𝑦 − 𝑥 2 , para 𝑘 = 0,1,2,3.


A curva projetada tem por equação 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑘 e é chamada de curva de nível da função em 𝑘. Para
calcular uma curva nível de uma função, vamos igualar a função ao valor do nível desejado.

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


Exemplo 6. Suponha que 𝑓(𝑥, 𝑦) dê a temperatura em graus 𝐹 no ponto com coordenadas cartesianas (𝑥, 𝑦),
𝑥 𝑦
onde 𝑥 e 𝑦 são medidos em quilômetros. Seja 𝑓(𝑥, 𝑦) = 80 − 20 − 25. Determine:

a) a temperatura no ponto (60,75);


b) a equação da curva ao longo da qual a temperatura tem um valor constante e igual a 70ºF;

OBS: Em cartografia, uma curva de nível, normalmente chamada de contorno, une pontos de mesma elevação (altura),
relativamente ao nível do mar. Se a função 𝑓(𝑥, 𝑦) for a temperatura, então as curvas de nível ligarão pontos que têm a
mesma temperatura e elas são chamadas de isotérmicas.

1.4 Gráficos computacionais

Vários softwares e aplicativos estão disponíveis para construir gráficos tridimensionais. Pode-se citar
MAPLE e MATLAB (softwares pagos), e opções gratuitas como o SCILAB e o GEOGEBRA.
MAPLE:
>

MATLAB:
>> [X,Y]=meshgrid(-10:0.1:10);
>> Z=(X.^2+Y.^2);
>> figure(1);
>> mesh(Z)
>> xlabel('X'); ylabel('Y'); zlabel('Z')
>> figure(2);
>> meshc(Z);

Figure(1) Figure(2)

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


>> figure(3); >> figure(4);
>> contour(Z); >> contour3(Z);

Figure(3) Figure(4)

Em Figure(3) e Figure(4) temos a representação de uma função de duas variáveis similar a


representação de uma paisagem tridimensional por um mapa topológico bidimensional. Suponha que a
superfície 𝑧 = 𝑓(𝑥, 𝑦) seja interceptada por um plano 𝑧 = 𝑘 e que a curva de intersecção seja projetada no
plano 𝑥𝑦. A curva projetada tem por uma equação 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑘 e é chamada de curva de nível (ou curva de
contorno) da função em 𝑘. Cada ponto da curva de nível corresponde a um único ponto da superfície que está
𝑘 unidades acima, se 𝑘 for positivo, ou 𝑘 unidades abaixo, se 𝑘 for negativo.

SCILAB
>> [X,Y]=meshgrid(-10:0.1:10);
>> Z=(X.^2+Y.^2);
>> figure(1);
>> plot3d(X,Y,Z)
>> figure(2);
>> surf(Z);

figure(1) figure(2)

GEOGEBRA – Janela Gráfica 3D

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


Curso Superior de Engenharia Mecânica/Alimentos Prof: Andre Luiz Bedendo Turma: 2018

Lista 1 – Introdução das função de várias variáveis


1. Seja a função 𝑓 de duas variáveis 𝑥 e 𝑦 o conjunto dos pares ordenados da forma (𝑃, 𝑧), tal que:
𝑥+𝑦 𝑥+𝑦
𝑧= ⟺ 𝑓(𝑥, 𝑦) =
𝑥−𝑦 𝑥−𝑦
Determine:
a)𝑓(−3; 4); b) 𝑓(−1; 0); c) 𝑓(𝑥 + 1; 𝑦 − 1);
d) 𝑓(0,5; 1); e) 𝑓(𝜋; 𝑒 1 ).
Utilize o Geogebra para conferir as respostas.

2. Determine os valores específicos para asa função 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 + 𝑥𝑦 3 . Utilize o Geogebra para conferir as
respostas.
𝜋 𝜋 𝜋 𝜋
a) 𝑓 (2, 6 ) b) 𝑓 (7, − 2 ) c) 𝑓(5, −6) d) 𝑓 (𝑡, 2 ) e) 𝑓 (−2, 2 )

3. A Temperatura Ajustada para a sensação térmica é a temperatura que indica quanto frio é sentido, como
resultado da combinação de vento e temperatura. Na tabela a seguir temos a Temperatura Ajustada para a
sensação térmica (ºF) como uma função da velocidade do vento e temperatura. Matematicamente 𝑇𝐽 = 𝑓(𝑣, 𝑡).
Temperatura (ºF)
35 30 25 20 15 10 5 0
5 31 25 19 13 7 1 -5 -11
Velocidade 10 27 21 15 9 3 -4 -10 -16
do vento 15 25 19 13 6 0 -7 -13 -19
(mph) 20 24 17 11 4 -2 -9 -15 -22
25 23 16 9 3 -4 -11 -17 -24

a) se a temperatura é de 0°F e a velocidade do vento é de 15 mph, qual será a sensação de frio?


b) se a temperatura é de 35°F, qual a velocidade do vento faz com que a sensação térmica seja de 24ºF?
c) se a temperatura é de 25°F, qual a velocidade do vento faz com que a sensação térmica seja de 12ºF?
d) se o vento estiver soprando a 20 mph, qual temperatura faz com que a sensação térmica seja de 0ºF?

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre


4. Determine o domínio da função 𝑓 e faça um esboço mostrando como uma região em 𝑅 2 seja o conjunto de
pontos do domínio de 𝑓. Use curvas pontilhadas para indicar qualquer parte do limite que não esteja no domínio
e curvas em linhas contínuas para indicar partes do limite do domínio. Utilize a janela gráfica 3D do geogebra
para avaliar/interpretar as suas respostas.
1
a) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 +𝑦2 −1 b) 𝑓(𝑥, 𝑦) = √1 − 𝑥 2 − 𝑦 2
1
c) 𝑓(𝑥, 𝑦) = √𝑥 2 − 𝑦 2 − 1 d) 𝑓(𝑥, 𝑦) =
√1−𝑥 2 −𝑦 2

𝑥 4 −𝑦 4
e) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 −𝑦2 f) 𝑧 = 𝑥𝑦
3
g) 𝑧 = √𝑥 2 + 𝑦 2 h) 𝑧 = ln(4 − √𝑥 2 + 𝑦 2 )
𝑥
4
i) 𝑤 = j) 𝑧 = 𝑒 𝑦
𝑥+𝑦

5. Encontrar uma função de várias variáveis que nos dê:


a) o comprimento de uma escada apoiada como na Figura a seguir:

b) o volume de um paralelepípedo retângulo de dimensões 𝑎, 𝑏, e 𝑐;


c) o volume de água necessário para encher uma piscina redonda de 𝑥 metros de raio e 𝑦 metros de altura;
d) a temperatura nos pontos de uma esfera, se ela, em qualquer ponto é numericamente igual à distância do
ponto ao centro da esfera de coordenadas (𝑥0 , 𝑦0 , 𝑧0 );

6. Desenhar algumas curvas de nível para as seguintes funções.


a) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 2𝑥 2 + 2𝑦 2 b) 𝑓(𝑥, 𝑦) = √𝑥 + 𝑦
c) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 4𝑥 2 + 𝑦 d) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 4 − 𝑥 2
e) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 2 − 𝑥 − 𝑦 f) 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑥 2 + 𝑦 2

1 1
7. Sabendo que a função 𝑇(𝑥, 𝑦) = 30 − (𝑥 2 + 4 𝑦 2 + 9 𝑧 2 ) representa a temperatura nos pontos da região
1 1
delimitada pelo elipsoide 𝑥 2 + 4 𝑦 2 + 9 𝑧 2 = 1. Explique:

a) em que ponto a temperatura é a mais alta possível e a mais baixa possível;


b) se uma partícula se afasta da origem, deslocando-se sobre o eixo positivo dos 𝑥, sofrerá aumento ou
diminuição da temperatura;

8. Uma loja vende um certo produto 𝑃 de duas marcas distintas, 𝐴 e 𝐵. A demanda do produto com marca 𝐴
depende do seu preço e do preço da marca competitiva 𝐵. A demanda do produto com marcar 𝐴 é:
𝐷𝐴 = 1300 − 50𝑥 + 20𝑦 unidades/mês, e do produto com a marca 𝐵 é 𝐷𝐵 = 1700 + 12𝑥 − 20𝑦
unidades/mês, onde 𝑥 é o preço do produto 𝐴 e 𝑦 é o preço do produto 𝐵. Escrever uma função que expresse
a receita total mensal da loja, obtida com a venda do produto 𝑃.
Respostas: Número 6: a) (0,0,0) e na casca do elipsoide; b) Diminuição

Cálculo III – IFRS – Campus Erechim – Prof. Andre