Você está na página 1de 2

Guião: Quem me dera ser onda

Resumo:

Este livro conta a história de uma família em angola num tempo de pós-independência. Esta
família vive num prédio onde é proibido ter animais e o pai, Diogo, contrariando esta regra
decide levar sem ninguém saber um porco (leitão) para o apartamento onde iria deixá -lo
na varanda para o engordar e matar quando o carnaval chegar, sendo assim nomeado
pelos seus filhos ( Zeca e Ruca) de “Carnaval”. Mais tarde Zeca e Ruca acabam por se
afeiçoar ao “Carnaval” que passa a se chamar de “ Carnaval da Vitória” quando eles
conseguiram enganar o fiscal do prédio que já a algum tempo estava desconfiado de que
Diogo estava a esconder um porco em casa, a ir embora sem conseguir que este
descobrisse que havia um porco escondido em casa.
Daí em diante, todos os dias, Ruca e Zeca, passavam nas traseiras de um hotel para
recolher os restos de comida para dar ao porco. Os miúdos é que tratavam dele ,
ensinavam-lhe truques, davam-lhe comer e até davam-lhe banho, tentando sobreviver,
todos os dias, com o porco lá em casa e escondendo-o sempre de quem lá aparecesse
ou protestasse contra a estadia do porco no prédio.
Enquanto os miúdos tentavam proteger o porco de estimação, o pai só pensava em
comê-lo para melhorar a situação económica da família, e então no dia de Carnaval,
enquanto os filhos foram ver o desfile de carnaval ,o pai Diogo,acaba por matá-lo
deixando-os muito tristes.

Personagens preferidas:

Momento fulcral:
A meu ver o momento mais crucial deste livro foi no fim, enquanto o pai está a matar o
porco, e os filhos acabados de vir do desfile sentam-se nas escadas à porta do prédio
sabendo o que o pai está a fazer naquele exato momento e Ruca vira-se para o irmão e diz:
“quem me dera ser onda”. E assim percebi finalmente o porquê do livro chamar-se “quem
me dera ser onda”, porque naquele instante em que o amigo ,porco, “Carnaval da vitória”
estava a ser morto pelo seu pai ele apenas desejava não sentir, não pensar e no fundo ser
uma onda, livre e forte sem quaisquer preocupações.

Apreciação crítica:
Na minha opinião, a obra apresenta os seus prós e contras. Por um lado nos aspetos
negativos achei que o livro é por vezes difícil de ler pelo o simples facto de o autor ser
de origem angolana e algumas palavras estarem em português de angola, e por outro
nos aspetos positivos achei que o autor transmite-nos uma variedade de sentimentos e
lições, desde amizade e lealdade entre os irmãos e carnaval da vitória até à ambição
desmedida do pai para conseguir um bocado de conforto econômico, acabando por
cometer uma ilegalidade, neste caso de trazer um porco para o prédio onde vivia. Com
isto posso concluir que este livro apresenta uma grande mensagem de vida.