Você está na página 1de 6

Plantas que actuam como anti-inflamatório

e analgésico (pele e trauma)

Inflamações e lesões da pele:


• camomila, hamamélis, prímula
Condições pós-traumáticas:
• arnica
Doenças degenerativas das articulações:
• garra do diabo
Tratamento da dor:
• hortelã, capsicum, tanaceto

1
Camomila – Matricaria recutita – Asteraceae

• Princípios ativos lipofílicos: óleo volátil – 0,3 a 1,5%


inflorescência seca) – 15% = camazuleno, alfa-bisabolol
hidrofílico: flavonóides : 1 a 3% ( apigenina), mucilagem

Antinflamatórios (inibem 5-lipoxigenase e ciclooxigenase) ,


• antiespasmódico e carminativas
• Uso: infusão (duchas e banhos, preparações semisólidas) de
3 a 10%

Hamamelis – Hamamelis virginiana

• Casca – até 12% taninos (hamamelitanino, galotanino)


• Fortes adstringentes, quando aplicados topicamente na pele
ou mucosas, provocam precipitação de proteínas, causando
vasoconstrição capilar. Ocorre também diminuição da
permeabilidade vascular – efeito antinflamatório local.
• Apresentam efeito antibacteriano indireto e leve acção
anestésica tópica, que acalma a dor e irritação.
• Dose: 0,1 a 1g da droga / várias vezes ao dia (tópico)

2
Condições pós-traumáticas e pós-operatórias

Confrei – Symphytum officinale, Boraginaceae


• Raiz e folha – mucilagem – propriedades demulcentes locais
alantoína (até 1,5% na raiz) - cicatrização de feridas e acelera
a regeneração celular alcalóides pirrolizidínicos –
hepatotóxicos, carcinogênicos e mutagênicos.
• Evitar uso externo de mais de 1 mg / dia alcalóides
pirrolizidínicos ou uso similar por mais de 4-6 semanas/ano

Arnica – Arnica montana – Asteraceae


Flores – 0,2 a 0,3% óleo volátil – helenalina e
outras lactonas sesquiterpênicas – efeito
antinflamatório.

Pomada – ate 20% da planta ou extrato Uso


externo, dermatite de contato
Somente para uso externo no tratamento de
condições pós-traumáticas e pós-operatórias,
tais como hematomas, torções, escoriações,
contusões, edema relacionado a fratura, e
dores reumáticas dos músculos e articulações.

• Tinturas para compressas devem ser diluídas (3 a 10x).


• Uso prolongado – dermatoses, eczema.
• Uso interno não é aconselhável – ação sobre centros
respiratórios e cardiovasculares

3
Condições reumáticas e doenças degenerativas das
articulações

Garra do diabo –Harpagophytum procumbens – Pedaliaceae


• Bulbos – harpagosídeo (glicosídeo iridóide) = 0,5 a 1,6% -
efeito analgésico e antinflamatório.
• Dose diária de 4,5 g droga (dores nas juntas)
• Contra-indicado: úlceras gástrica e duodenal

Tratamento da dor
Hortelã – Mentha piperita – Lamiaceae
• Parte aérea (antes da floração). Óleo volátil (1,2 %)
• Óleo de hortelã (10%) em etanol – aplicação cutânea/fricção-
na testa e têmporas) tem efeito analgésico (cefaléia tensional)
semelhante ao acetaminofeno e AAS.

4
• Sol óleo de hortelã + cápsula de acetaminofeno
• Sol óleo de hortelã + cápsula de placebo
• o Cápsula acetaminofeno + solução de placebo
• o Sol placebo + cápsula de placebo

Capsicum – Pimentão – páprica - Capsicum sp


• Frutos- preparações oleosas ou aquosa/etanólica – uso tópico
- artrite, reumatismo, outras dores.
• Capsaicinóides (até 1,5%) – inicialmente ocorre eritema, dor e
aumento da temperatura, seguido de intenso período de
insensibilidade.
• Uso tópico – nevralgias e distúrbios reumáticos, por 4 a 8
semanas (0,02 a 0,05% de capsaicinóides)

5
Tanaceto – Feverfew – Tanacetum parthenium-
Asteraceae
• Folhas – extrato alcoólico : partenolídeo
(lactona sesquiterpênica) – inibe liberação
serotonina
• Acetato de trans-crisantenil (óleo volátil)
• Dose: 25 a 125 mg dia – profilaxia da
enxaqueca.

Especialidades: TenlivR, MigraphylR