Você está na página 1de 6

Aula 1 – Aula introdutória

Escola Secundária de ………


Disciplina: Física
Data: 22 de Abril de 2021
Classe: 12ª Classe
Nome do professor: Varela Rodrigues Varela
Sumario: Introdução a Física Nuclear; Elementos Isótopos e Isóbaros
Duração aula: 45 minutos

Tempo Função Conteúdos Estratégia e Metodologia Métodos Obs.


Didática Actividades do Actividades do
Professor Aluno
  Orientação aos 1. Ate ao fim da aula o aluno deve ser capaz Define os Acompanham a Expositivo e  
Objectivos de: Objectivos para os intervenção do Elaboração
8  
apresentação dos alunos; conta a professor conjunta
minutos - Definir a Física Nuclear;
objectivos- historia da Física relativamente aos
sumário; - Definir, caracterizar e representar um Nuclear como objetivos traçados na
Segurança do Nuclídeo; forma de despertar a aula e ao historial da
nível inicial-SNI; atenção dos alunos. termodinâmica e faze
Motivação - Definir e caracterizar e dar exemplos de alguns apanhados.
elementos Isótopos e Isóbaros.
2. Breve historial do surgimento e descoberta
da Física Nuclear.
22 Trabalho na Introdução a Física Nuclear: Faz a explicação Prestam atenção a Expositivo e
minutos Matéria Nova dos conteúdos de explicação do elaboração
- Componente histórica;
(Mediação) forma interativa; professo e interagem conjunta
- Conceito de Física nuclear; dita os em função das
apontamentos. questões do professor
- Conceito de Nuclídeo; durante a explicação;
- Caracterização e representação de um passam os
nuclídeo; apontamentos.

Elementos Isótopos e Isóbaros:


- Definição e caracterização de Isótopos;
- Definição e caracterização de Isóbaros;
10 Consolidação Resumo dos conteúdos da aula (no entender do O professor orienta Os alunos prestam Expositivo e
minutos aluno. os alunos a fazerem atenção na orientação Trabalho
o resumo dos do professor e independente
apontamentos da resolvem o problema
aula e que ou a situação dada.
expliquem por suas
próprias palavras.

5 Controle e TPC – pesquisem e tragam informações acerca Orienta que os Prestam atenção as
minutos Avaliação das reações nucleares e vejam informações alunos registem as recomendações dadas
acerca das reações químicas. atividades no pelo professor e
caderno como fazem o registro do
forma a não se TPC no caderno.
esquecerem.

Apontamentos da aula 1
Introdução a Física Nuclear
No capitulo anterior estudamos as interações que ocorrem ao nível da electrosfera dos núcleos atómicos das substancias (Física Atómica), neste
capitulo iremos estudar as interações que ocorrem ao nível do núcleo atómico de partículas elementares, por essa razão damos a este capitulo o
nome de Física Nuclear.
Exemplo de algumas partículas nucleares: O protão, o eletrão, o positrão o fotão, etc.
História da Física Nuclear
O estudo da Física Nuclear iniciou-se a partir da descoberta da radioatividade feita pelo físico francês Antoine Henri Becquerel, em 1896. Mas
foi após o século XX que a Física Nuclear passou por uma grande evolução, quando se construiu o primeiro reator nuclear.
A Física Nuclear parte do princípio de que se quebrássemos um objeto muitas vezes chegaria o momento em que não teríamos mais como
quebrá-lo, tornando o átomo indivisível, de acordo com a lei de Lavoisier, e conforme as teorias de John Dalton.
É preciso considerar que a discussão sobre a física nuclear vem sendo construída até os dias hoje. E alem dos fatos que referenciamos, em linhas
gerais a física nuclear é acompanhada pelos seguintes marcos históricos:
 1896 – Henri Becquerel, um físico francês, descobriu que sais de urânio são capazes de manchar placas fotossensíveis, descobrindo,
assim, os “raios urânicos”.
 1897 – Ernest Rutherford fez pesquisas sobre os “raios urânicos” de Becquerel e descobriu as radiações alfa e beta, classificando-as
quanto às suas cargas elétricas e ao seu poder de penetração na matéria.
 1898 – Marie Curie e seu esposo, Pierre Curie, descobriram que os “raios urânicos” também são emitidos por outros elementos (tório) e
propuseram o termo “radioatividade”. Descobriram e batizaram dois novos elementos radioativos: polônio e rádio.
 1903 – Ernest Rutherford propôs a medição da idade geológica da Terra por meio da deteção de elementos radioativos em seu interior.
Além disso, sugeriu que a Terra é muito mais antiga do que se acreditava. Alguns anos depois, descobriu-se que a Terra tem cerca de 4,2
bilhões de anos. Na época, acreditava-se em algumas centenas de milhões de anos.
 1906 – Ernest Rutherford descobriu que a radiação alfa é, na verdade, o núcleo de um átomo de hélio.
 1909 – Os estudantes de graduação Eugene Mardsen e Hans Geiger realizaram o experimento da folha de ouro, no qual uma fina película
aurífera é bombardeada por partículas alfa, que são refletidas, indicando a grande densidade do núcleo atômico.
 1930 – Paul Dirac reuniu os campos da relatividade especial de Albert Eistein à teoria quântica e elaborou a equação de Dirac, prevendo,
assim, a existência da antimatéria.
 1931 – Físicos debateram possibilidades para a não conservação da energia durante os decaimentos beta. Nessa época, o físico italiano
Enrico Fermi propôs que, nesse tipo de decaimento, ocorria a emissão de duas partículas neutras praticamente indetectáveis, as quais ele
batizou de neutrinos.
 1932 – Carl Anderson detectou a existência dos positrões, partículas com carga elétrica oposta e massa igual à dos elétrons.
 1935 – O físico japonês Hideki Yukawa propôs que os protões e neutrões presentes no núcleo dos átomos são ligados por uma força
nuclear forte, muito mais intensa que a própria repulsão elétrica.
 1938 – Otto Hahn e Lise Meitner descobriram a fissão nuclear ao bombardearem núcleos de urânio com neutrões.
 1942 – Enrico Fermi foi nomeado o principal cientista responsável pelo projeto Manhattan, intencionado em produzir a primeira reação
nuclear artificial em cadeia.
 1945 – Em 16 de julho, a primeira bomba nuclear foi detonada no Novo México. Três meses depois, duas bombas atômicas foram
lançadas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, deixando mais de 100 mil mortos.

Física Nuclear é uma parte da Física que se ocupa com o estudo das interações ao nível dos núcleos atómicos.
Nuclídeo – Representa o núcleo de qualquer elemento, o nuclídeo é representado pelo numero atómico Z e de massa A.

Representação de um Nuclídeo: AZ X .
Onde: X =¿ elemento químico, ou partícula nuclear; A=¿número de massa e Z=¿ número atómico.
No geral, o numero de massa A é igual a soma entre o número atómico Z e o número de neutrão (n ou N), isto ilustra-se pela seguinte equação:
A=Z + N
NB: O número atómico Z é igual ao número de protão P.

Exemplo de alguns nuclídeos: 2359U → nuclídeo de Uranio; 39


20 K → nuclídeo de Potássio.

Isótopos e Isóbaros
No contexto da Química, temos que os elementos químicos se distinguem pelo número atómico e de massa. Sendo assim, o mesmo elemento
químico pode ter massas atómicas diferentes e diferentes elementos químicos podem ter mesma massa atómica, conforme iremos observar.
Isótopos - são elementos que tem o mesmo número atómico e diferentes números de massa.

Ex1.: O hidrogénio tem três isótopos, a destacar: 11 H (prótio), 21 H ou 21 D (deutério) e 31 H ou 31T (trítio).

Ex2.: O uranio também tem três isótopos que são: 238 235 234
92U , 92U e 92 U .

Isóbaros – são elementos que possuem o mesmo número de massa e diferente número atómico.

Ex.: 40 40
19 K e 20 Ca → potássio (K) e cálcio (Ca).

Referencias bibliográficas:
VILANCULOS, Anastácio; COSSA, Rogério, Física 12ª classe, texto editoras
JOAO, Estevão Manuel, Física 12 – pré-universitária, Longman editora
VILANCULOS, Anastácio, Física 12ª classe, texto editoras