Você está na página 1de 154

AlfaCon Concursos Públicos

Fonética e Fonologia
aula - 1
Dígrafo
Conceito Básico
Dá-se o nome de dígrafo à reunião de duas letras que representam um só fonema dividem--se em
consonantais e em vocálicos, dependendo de o fonema efetivamente pronunciado ser consonantal ou
vocálico.
Dígrafos Consonantais
Encontro de duas letras que correspondem a um só som, e tal som é consonantal.

Dígrafos Vocálicos
Encontro de duas letras que correspondem a um só som, e tal som é vocálico Em geral (ou seja, não é
sempre), há dígrafo quando qualquer vogal está seguida de “m” ou “n” na mesma sílaba.

Ex: anta [ãta] – 4 letras e 3 fonemas Ponta [põta] – 5 letras e 4 fonemas repare!
Nos casos acima, observe, a letra “n” não representa um som individual; seu papel é apenas o de nasalizar a
vogal
Ex: anta [ãta] # nata [nata]
4 letras e 4 fonemas

Dífono
Conceito Básico
Dá-se o nome de dífono quando, na palavra, uma letra corresponde a dois sons
Ex: táxi [taksy] – 4 letras e 5 fonemas tóxico [toksyko] – 6 letras e 7 fonemas

Encontro Consonantal
Conceito Básico
É a reunião de duas consoantes pronunciáveis e descritas foneticamente
Ex: bloco- 5 letras e 5 fonemas briga- 5 letras e 5 fonemas
draga – 5 letras e 5fonemas
flácido- 7 letras e 7 fonemas
Repare!
Encontro consonantal é diferente de dígrafo
Encontro Vocálico
Ditongo
É o encontro de uma semivogal e de uma vogal, independentemente da ordem, numa mesma sílaba As
semivogais ora têm o som de “i”, representadas foneticamente por /y/, ora têm o som de “u”, representadas
foneticamente por /w/ Há necessariamente uma, nunca mais de uma, vogal em
cada sílaba os ditongos se dividem em crescentes (SV + V) e decrescentes (V + SV)
Ex:
mau [maw]
mão [mãw]
pai [pay]
quadra [kwadra]
Ocorre ditongo nasal /ãw/ no final “-am” das formas verbais: amam, deviam, escreveram, etc
Ex: falam [falãw] /ãw/ ditongo nasal
1|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Também é comum surgir uma semivogal nos segmentos gráficos “-em”, “-en” e “-ens”, sobretudo em final
de palavras
Ex: bem [bey] /ey/ ditongo nasal amém [amey] /ey/ ditongo nasal
quem [key] /ey/ ditongo nasal
Hiato
É o encontro de duas vogais que se separam silabicamente
Ex: ca-a-tin-ga sa-í-da vo-o
Tritongo
É a presença de uma vogal entre duas semivogais numa mesma sílaba
Ex: quais [kways] /way/ tritongo oral sa-guão [sagwãw] /wãw/ tritongo nasal

Exercícios
01. A respeito das palavras abandono, profissional, país e quando, assinale a alternativa correta

a- Em quando, há encontro consonantal; em país, há hiato; em profissional, há encontro consonantal e


dígrafo; em abandono, há encontro consonantal.
b- Em profissional, há 2 dígrafos; em abandono, há encontro consonantal; em quando, há ditongo
decrescente; em país, há hiato.
c- Em abandono, há dígrafo; em profissional, há encontro consonantal e dígrafo; em país, há hiato; em
quando, há ditongo crescente.
d- Em país, há ditongo crescente; em quando, há ditongo crescente; em abandono, há encontro
consonantal; em profissional, há dígrafo.
e- Em profissional, há 2 encontros consonantais; em país, há hiato; em quando, há hiato; em abandono, há
dígrafo.

02- Assinale o item em que as palavras abaixo indicadas, todas retiradas do Texto 7, apresentam dígrafos:

a- diante – brilhariam – canal


b- pessoas – minha – flores
c- completamente – mais – chalé
d- jarra – oscilava – maravilhosa
e- janela – barco – nesse

03- Em termos de grafia e de fonética, na palavra “adequada”, em “Algumas vantagens de uma


contabilidade adequada”, pode-se afirmar que a letra “u” é uma semivogal, e, portanto, não forma um
dígrafo com a letra “q” O mesmo fato ocorre com o “u” em:
a- Distinguir
b- Quinquênio
c- Quente
d- Quinto

04- A respeito das palavras destacadas no excerto “Faz parte do processo de amadurecimento”, assinale a
alternativa correta
a- Em “processo”, ocorrem dois encontros consonantais.
b- Ocorrem encontros consonantais nas duas palavras.
c- Ocorrem dígrafos nas duas palavras.
d- Em “processo”, ocorre hiato.
e- Em “amadurecimento”, ocorre ditongo nasal.

GABARITO 01- C 02- D 03- B 04- C

Sílaba
aula - 2
Conceito Básico

2|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Sílaba é, por definição, o conjunto de fonemas proferidos num só impulso expiratório não existe sílaba
sem vogal uma vogal pode construir, sozinha, uma sílaba ao contrário, as consoantes não formam,
sozinhas, sílabas em nossa língua.
Ex: co-le-ga; a-mi-go; bí-ceps; etc

Divisão Silábica
Conceito Básico
É feita, em regra, pela soletração não se leva em conta a formação da palavra
Importante: Não existe sílaba sem vogal A consoante não seguida de vogal fica na sílaba anterior.
Ex: pa-ís; bi-sa-vó; bis-ne-to; trí-ceps; ad-je-ti-vo; etc
Não se separam:
1- Os ditongos: mãe, á-gua, boi
2- Os tritongos: sa-guão, Pa-ra-guai
3- Os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu: cha-ve, ma-nhã, que-ro, gua-nho
4- Os encontros consonantais inicias: psi-có-lo-go, gno-mo
5 - Os encontros consonantais perfeitos: blu-sa, cla-mar, pre-to

Observação: Os encontros vocálicos finais – ia(s), – ie(s), – io(s), – ua(s), – eu(s), uo(s), – eo(s), – ea(s) e –
ao(s), quando finais átonos de palavras, podem ser classificados, foneticamente, como ditongos crescentes e
como hiatos De forma alguma se separam tais segmentos vocálicos átonos quando antecedidos de g ou q;
não sendo precedidos de g ou q, a separação é possível, mas desaconselhável.
Ex: á-gua, am-bí-guo, á-rea, sé-rie

Separam-se:
1- Os hiatos: sa-ú-de, ru-im, di-a
2- Os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc, xs: car-ro, ses-são, cres-cer, ex-ce-to
3- As letras iguais: co-o-pe-rar, vo-o, cre-em

Translineação
É a partição das palavras no fim da linha Leva em conta não apenas critérios de correção gramatical, mas
também recomendações estilísticas (elegância textual).
1- Não se isola sílaba formada só por uma vogal
2- Na partição de palavras hifenizadas, recomenda-se, por clareza, repetir o hífen na linha seguinte

Classificação das Palavras


1- Quanto ao número de sílabas podem ser monossílabas, se apresentam apenas uma sílaba; dissílabas, se
apresentam duas sílabas; trissílabas, se apresentam três sílabas; polissílabas, se apresentam quatro ou mais
sílabas
Ex: céu – 1 sílaba, monossílabo
di-a – 2 sílabas, dissílabo pa-la-vra – 3 sílabas, trissílabo ca-sa-men-to – 4 sílabas, polissílabo

2- Quanto à localização da sílaba tônica, as palavras podem ser oxítonas, se a sílaba mais forte é a última;
paroxítona, se a sílaba mais forte é a penúltima; proparoxítona, se a sílaba mais forte é a antepenúltima.
Ex: ta-bu – oxítona no-ve-la – paroxítona má-qui-na – proparoxítona

Exercícios

1- A divisão silábica está correta, EXCETO em:


a- reinstalação
b- propositalmente
c- pernóstico
d- exasperadamente

2- Assinale a alternativa que apresenta a correta divisão silábica das palavras: amuado, abacateiro,
hiperativo e depressão.

3|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

a- amuado – abacateiro – hiperativo – depressão


b- amuado – abacateiro – hiperativo – depressão
c- amuado – abacateiro – hiperativo – depressão
d- amuado – abacateiro – hiperativo – depressão
e- amuado – abacateiro – hiperativo – depressão

3- Tanto o vocábulo “comprar” quanto o vocábulo “garanto” têm 7 letras, 6 fonemas e 1 dígrafo nasal cada
Apesar disso, possuem número de sílabas diferente
Certo ( ) Errado ( )

4- “Lamiya e Nádia Murad são algumas das poucas vítimas do terror sexual que se apresentam em público,
de rosto aberto, pois a violência sexual estigmatiza as vítimas e suas famílias Lamiya contou que era
submetida a estupros seguidos e diários, passada entre incontáveis militantes Muitas vezes desmaiava”
(7º§)

Considere o trecho anteriormente destacado e assinale a alternativa em que todas as palavras apresentam
divisão silábica correta:

a- pas – sa – da, sub – me – ti – da, pou – cas


b- ter – ror, po – is, es – ti – gma – ti – za – va
c- se – gui – dos, di – á – rios, in – con – tá – ve – is
d- ví – ti – mas, fa – mí – li – as, des – ma – i – a – va

GABARITO 1- D 2- E 3- CERTO 4- A

Acentuação
Regra Geral: Monossílabos, Oxítonas, Paroxítonas e Proparoxítonas
aula - 3

Monossílabos
São acentuados os monossílabos tônicos terminados em – a(s), – e(s), – o(s)
Ex: pá(s), pé(s), pó(s), etc

Oxítonas
São acentuados os oxítonos terminados em – a(s), – e(s), – o(s), – em, – ens.
Ex.: sofá(s), rapé(s), jiló(s), armazém, armazéns, etc

Paroxítonas
São acentuados os paroxítonos terminados em – i(s), – us, – ão(s), – ã(s), – um, – uns, – r, – x, – n, – l, –
ons, ditongos orais.
Ex: lápis, vírus, órgãos, órfãs, álbum, éter, tórax, hífen, túnel, etc

Proparoxítonas
Todo proparoxítono é acentuado
Ex: quíntuplo, paralelepípedo, pároco, etc.

Exercício
01- Sobre a acentuação gráfica das palavras “manganês”, “está” e “lágrimas” assinale a alternativa que
apresenta justificativa correta de acordo com a sequência em que aparecem.

a- oxítona terminada em –e(s); oxítona terminada em –a(s); proparoxítona


b- paroxítona terminada em –e(s); paroxítona terminada em –a(s); proparoxítona
c- oxítona terminada em –e(s); oxítona terminada em –a(s); paroxítona terminada em –a(s)
d- oxítona terminada em –e(s); oxítona terminada em –a(s); proparoxítona terminada em –a(s)

4|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

02- Com referência às ideias e aos aspectos linguísticos do texto apresentado, julgue o seguinte item
Presentes no texto, os vocábulos “caráter”, “intransferível” e “órgãos” são acentuados em decorrência da
regra gramatical que classifica as palavras paroxítonas.
Certo ( ) Errado ( )

03. Julgue o próximo item, a respeito das ideias e estruturas linguísticas do texto Os territórios inteligentes
palavra “está” recebe acento gráfico em decorrência da mesma regra que determina o emprego do acento
no vocábulo “três”.
Certo ( ) Errado ( )

04. No que se refere às ideias e aos aspectos linguísticos do texto acima, julgue o item
As palavras “líquida”, “público”, “órgãos” e “episódicas” obedecem à mesma regra de acentuação gráfica.
Certo ( ) Errado ( )

05. Considerando as relações sintático-semânticas do texto 4A4AAA, julgue o próximo item


O emprego de acento na palavra “memória” (l19) pode ser justificado por duas regras de acentuação
distintas.
Certo ( ) Errado ( )

06. Com relação às ideias e às estruturas linguísticas do texto I, julgue o item que se segue
A palavra “cível” recebe acento gráfico em decorrência da mesma regra que determina o emprego de
acento em amável e útil.
Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- A 2- Certo 3- Errado 4- Errado 5- Certo 6- Certo

Acentuação
Novo Acordo Ortográfico: Regras Especiais
aula - 4
Regra do Ditongo Aberto
Acentuam-se os ditongos abertos –ei(s), –oi(s) e –eu(s), exceto quando se encontram em vocábulos
paroxítonos.
Ex: papéis, céu, herói, véu, Niterói, dói, etc

Regra do Hiato
Acentuam-se as vogais tônicas – i(s) e – u(s) quando seguidas de hiatos gráficos, exceto quando a sílaba
seguinte apresenta o dígrafo –nh
Ex: saída, saúde, baú, balaústre, rainha, tainha, etc

Observação: Essas vogais não recebem acento quando, em vocábulos especificamente paroxítonos, são
precedidas de ditongo decrescente
Ex: feiura, feiume, baiuca, etc.

Acentos Diferenciais
Há três casos de acento diferencial de grande incidência em concursos públicos

a) A forma verbal “pôr” recebe acento (diferencial de tonicidade) para não se confundir com a preposição
“por”.

b) A forma verbal “pôde” (passado) recebe acento (diferencial de timbre) para não se confundir com a
forma verbal “pode” (presente).

c) A 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos Ter e Vir (e dos derivados de ambos) recebe
acento circunflexo, justamente para que se reconheça o plural.

Observação: Não mais se acentua a primeira vogal dos hiatos “oo” e “ee”
5|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: voo, enjoo, creem, deem, leem, veem, etc.

Exercício
1- Tendo em vista a ortografia oficial de Língua Portuguesa em vigor, assinale a alternativa em que o
emprego do acento agudo foi abolido:
a- Herói
b- Paranóia
c- Chapéu
d- Faísca
e- Táxi

2- Nas alternativas a seguir foram selecionadas algumas palavras do texto e apresentadas justificativas para
a presença do acento assinale a única correta.

a- A palavra “já” é acentuada por ser uma oxítona terminada em “a”.


b- “Países” é acentuada por ser uma paroxítona terminada em “e” seguido de “s”.
c- Em “é”, o acento é diferencial, ou seja, aparece para diferenciar o verbo da conjunção “e”.
d- “Após” é acentuada, pois é uma oxítona terminada em “o” seguido de “s”.

3- No trecho: “Os resultados comprovaram que as mulheres de meia-idade têm uma memória mais
precisa”, o termo em destaque está acentuado pelo mesmo motivo do uso do acento na palavra destacada
em:

a- As mulheres mantém mais tranquilidade.


b- O cérebro contêm massa branca.
c- Os homens detém o poder.
d- Os homens mantêm a concentração.
e- Eles retém mais hormônio.

4- Os vocábulos “saudáveis” e “saúde” são acentuados de acordo com a mesma regra de acentuação gráfica
Certo ( ) Errado ( )

5- Julgue o item que se segue, pertinentes a aspectos linguísticos


A ausência de acento agudo em “ideias” (10) está em conformidade com as regras ortográficas vigentes
Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- B 02 – D 03- D 04- errado 05- certo

Ortografia
Emprego do Hífen: Casos de Maior Incidência em Concursos
aula - 5
Hífen em Palavras Compostas
O hífen é usado em composições vocabulares quando cada palavra mantém sua individualidade fonética,
mas perde parcialmente sua semântica individual em prol de uma semântica coletiva (o composto em seu
todo).

Ex: ano-luz, guarda-civil, para-choque, para-brisa, para-lama, terça-feira, etc.


Há compostos que, de tão consagrados, perderam a noção de composição, o que levou à perda do hífen.

Ex: paraquedas, paraquedista, mandachuva, etc.

O advérbio bem é acompanhado de hífen quando o segundo elemento do composto começa por vogal,
porém, quando o segundo elemento começa por consoante, a sistematização é difícil.

6|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: bem-acabado, bem-aventurado, bem-educado, etc bem-dotado, bem-conceituado, bem-humorado, bem-


vindo bendizer, bendito, benfeito, benfeitoria, etc alguns compostos admitem dupla grafia.

Ex: bem-querer e benquerer, bem-fazer e benfazer, etc.

O advérbio mal é acompanhado de hífen quando o segundo elemento do composto começa por vogal ou
pelas consoantes H e L.

Ex: mal-acabado, mal-intencionado, mal-humorado, mal-limpo, etc.

Não há hífen em: malfazer, maldizer, malmequer, malmandado, etc.

Dia-a-dia / dia a dia

Antes do Acordo, havia a distinção consensual entre dia a dia, expressão adverbial equivalente a
diariamente, e dia-a-dia, expressão substantiva equivalente a cotidiano.
O professor Evanildo Bechara sugere a grafia de dia a dia independentemente do seu sentido.
O Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) só registra dia a dia.
Expressões envolvendo nacionalidades.
O hífen é usado quando liga nações (ou etnias) diferentes.

Ex: afro-brasileiro, franco-brasileiro, luso-brasileiro, anglo-saxão, etc


Não deve usar hífen nas seguintes expressões: fim de semana, pôr do sol, café com leite, pé de moleque,
pé de meia, mão de obra, dente de leite, etc.

Hífen em Palavras Derivadas


Emprega-se o hífen quando
O prefixo e o segundo elemento Exemplos
Terminar por qualquer letra - começa por – h Super-homem
Termina por qualquer letra - começa pela mesma letra Auto-oscilação Super-
raiva
Termina por b - começa por h, b e r Ab-rogar
Sub-humano Sub-
base
Termina por d - começa por h, d e r Ad-retal
É circum ou pan - começa por h, m, n, b, p ou Circum-navegador Pan-
qualquer vogal americano
É ex (passado), pós, pré, pró, soto(a), - E qualquer elemento Ex-mulher
vice ou vizo Vice-reitor
Pré-escola

Observação: Prefixos como co – in-, des – e re – juntam-se ao segundo elemento independente-


mente de sua letra inicial.

Ex: coerdeiro, coautor, reencarnar, reidratar, desumano, etc.


Há casos para os quais o VOLP ainda registra duas grafias.

Ex: ab-rupto e abrupto, ad-renal e adrenal, etc.

Exercícios

1- Assinale a alternativa na qual o hífen foi utilizado de forma INCORRETA.

a- O médico prescreveu um anti-inflamatório.


b- Ele se sente um semi-deus quando o assunto é futebol.
c- Vamos ao shopping de micro-ônibus.
d- Não coma sem lavar as mãos, é anti-higiênico.

7|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

2- Todos os vocábulos encontram-se corretamente grafados na alternativa:


a- acessível – hiper-inflação
b- re-utilização – autoestrada
c- ascenção – impressindível
d- infra-estrutura – agronegócio
e- macroeconomia – socioeconômico

3- A palavra “hiperdispersa” foi corretamente escrita sem hífen Da mesma forma, “vice-presidente”
aparece corretamente grafada, com hífen Assinale a alternativa em que todas as palavras foram escritas de
acordo com as regras ortográficas vigentes para presença/ausência deste sinal.

a- Super-resistente; super-sônico; ultrassom; subregião


b- Superresistente; supersônico; ultra-som; sub-região
c- Super-resistente; supersônico; ultrassom; sub-região
d- Superresistente; superssônico; ultra-som; sub-região

4- Assinale a alternativa em que todas as palavras estão grafadas corretamente de acordo com o novo
acordo ortográfico.
a- As portas ainda estão semi-abertas Precisam ser fechadas
b- A infra-estrutura da plataforma ainda não atende ao que precisamos
c- O médico receitou apenas um antiinflamatório e doses diárias de soro
d- Não há microônibus suficientes para atender a esse terminal
e- Não é dieta É apenas uma reeducação alimentar

GABARITO 1- B 2- E 3- C 4- E

Ortografia
Emprego de Algumas Letras
aula - 6
Escreve-se S
1- nas formas dos verbos pôr e querer: pôs, pus, quisera, quis, quiseste, etc.

2- nas palavras terminadas em – ês, – isa e – esa que indicam origem, formas femininas, títulos: português,
norueguesa, marquês, duquesa, poetisa, baronesa, princesa, etc.

3- nos verbos terminados em – isar, quando a palavra primitiva já possui – s: análise – analisar; pesquisa –
pesquisar; paralisia – paralisar.

Há exceções: batismo – batizar; catequese – catequizar; etc.

4- nas palavras no diminutivo que apresentam – s no radical: casa – casinha; lápis – lapisinho; português –
portuguesinho; camponesa – camponesinha; etc.

5- após ditongos: coisa, pausa, pouso, Neusa, maisena, etc.

6- nos adjetivos com os sufixos – ense, – oso, – osa: gostoso, graciosa, teimosa, cheirosa, niteroiense
Outros casos que não podem ser sistematizados: aliás, hesitar, despesa, represa, requisito, esplêndido,
esplendor, espontâneo, colisão, querosene, presépio, fusível, etc.

Escreve-se Z
1- Nos substantivos abstratos com final – ez e – eza provenientes de adjetivos: embriaguez, limpeza,
lucidez, beleza, acidez, etc.
2- Nos verbos com o sufixo –izar: economia – economizar; ameno – amenizar; frágil – fragilizar; etc.
3- Nos derivados de palavras que apresentam –z: cruz – cruzeiro; vazio – esvaziar; raiz – enraizar; etc.
4- Nos diminutivos terminados em – zinho e – zito, quando a palavra primitiva não possui – s – no radical:
mulher – mulherzinha; árvore – arvorezinha; pincel – pincelzinho; etc.

8|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Outros casos que não podem ser sistematizados: baliza, buzina, ojeriza, proeza, coalizão, deslizar, etc

Escreve-se X
1- Nas palavras de origem tupi, africana, inglesa: abacaxi, muxoxo, xerife, xampu, xangô, etc.
2- Depois de ditongo: frouxo, feixe, etc algumas exceções: recauchutar, guache, etc.
3- Depois de en-: enxurrada, enxoval, enxada, enxerto, enxerido, etc.

Exceções: enchova, encher, etc.

Também são exceções palavras derivadas de primitivas com ch: enchente (cheio), enchiqueirar
(chiqueiro), etc.

1- Depois de me-: mexerica, México, mexer.

Exceções: mecha, mechar, etc


Outros casos que não podem ser sistematizados: expectativa, êxtase, lagartixa, xarope, xingar, etc.

Escreve-se Ch
Alguns casos que requerem cuidado: chuchu, fachada, pechincha, tocha, pichar, chave, chumbo, chassi,
mochila, espadachim, chope, sanduíche, salsicha.

Escreve-se G
1- Na terminação – gem: imagem, vertigem, penugem Exceção: pajem, lajem, lambujem, etc.

2- Nas terminações – ágio, – égio, – ígio, – ógio, – úgio: sufrágio, sortilégio, litígio, relógio, refúgio, etc 3)
nos verbos terminados em – ger e – gir: eleger, mugir, etc.

Outros casos que não podem ser sistematizados: algema, auge, gengiva, hegemonia, herege, rabugento,
tigela, etc.

Escreve-se J
1- Nas palavras de origem árabe ou africana: alforje, jiboia, manjerona, pajé, etc.
2- Nas palavras derivadas dos verbos terminados em – jar:

3- Nas palavras derivadas de vocábulos com –j: loja – lojista; cereja – cerejeira; etc.
Outros casos que não podem ser sistematizados: cafajeste, jerico, majestade, manjericão, rijeza, ultraje, etc.

Escrevem-se Com E

1- Os ditongos nasais: mãe, põem, etc Exceção: cãibra


2- Os verbos que apresentam infinitivo em – oar, – uar: caçoe, tumultue, etc.

Outros casos: arrepiar, empecilho, cadeado, irrequieto, disenteria, sequer, umedecer, etc.

Escrevem-se Com I
1- Os verbos com infinitivo em – air, – oer e – uir: trai, dói, possui, etc
Outros casos: privilégio, feminino, penicilina, pontiagudo, etc

Exercícios
1- Julgue o fragmento de texto apresentado no seguinte item com relação à grafia das palavras

9|P á gin a
AlfaCon Concursos Públicos

Uma pesquiza mostrou que a maioria dos educadores não relaciona o déficit de aprendizagem ao próprio
trabalho ou às condições da escola.
Certo ( ) Errado ( )

2- Julgue o fragmento de texto apresentado no seguinte item com relação à grafia das palavras
Sob uma equivocada intensão de se evitar constrangimentos de alunos, opta-se por não distinguir o certo do
errado, em não apontar falhas e aceitar resultados medíocres.
Certo ( ) Errado ( )

3- Julgue o fragmento de texto apresentado no seguinte item com relação à grafia das palavras
A excelência — definida como a qualidade do que é excelente, melhor — só pode ser alcançada por meio
do aprimoramento contínuo.
Certo ( ) Errado ( )

4- A forma verbal “empreendem” (l14) poderia corretamente ser substituída por emprendem, visto que
ambas as formas são abonadas na língua portuguesa como sinônimas.
Certo ( ) Errado ( )

5- No tempo em que se andava a cavalo para entregar cartas, era preciso pôr arreios no cavalo, ou seja, era
preciso.
a- arriar-se o cavalo
b- arreiar o cavalo
c- arreiar-se no cavalo
d- arrear o cavalo
e- arriar no cavalo

GABARITO 1- Errado 2- Errado 3- Certo 4- Errado 5- D

Ortografia
Homônimos e Parônimos
aula - 7
Homônimos
Diz-se de palavras que, apesar de diversas semanticamente, apresentam a mesma grafia (homônimos
homógrafos), a mesma pronúncia (homônimos homófonos), ou ambas simultaneamente (homônimos
perfeitos).

Ex: sede (vontade de beber) / sede (matriz) – homônimos homógrafos passo (ato de passar) / paço (palácio)
– homônimos homófonos manga (fruta) / manga (forma verbal) – homônimos perfeitos.

Parônimos
Diz-se das palavras de sentido diverso, mas que se aproximam pela forma gráfica ou mesmo pelo som
Ex: absolver (perdoar) – O juiz o absolveu absorver (assimilar) – Absorvi seu problema deferimento
(concessão) – O juiz deferiu o processo diferimento (adiamento) – O juiz diferiu a sentença descriminar
(inocentar) – O juiz descriminou a ré discriminar (diferenciar) – O juiz discriminou a ré destratar (ofender)
– O professor o destratou distratar (romper o trato) – O cliente distratou flagrante (evidente) – Houve um
flagrante fragrante (perfumado) – Ele está fragrante infligir (aplicar pena) – O juiz infligiu dura pena
infringir (desobedecer) – O aluno infringiu as regras mandato (procuração) – O mandato é de 4 anos
mandado (ordem judicial) – Expediu-se um mandado ratificar (confirmar) – A banca ratificou o informe
retificar (corrigir) – A banca retificou o informe tráfico (comércio ilegal) – Tráfico no Rio é patente tráfego
(trânsito) – O tráfego está um caos.

Sinônimos e Antônimos
Sinônimos

Diz-se das palavras que têm o mesmo sentido.

Ex: belo e bonito.

10 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Há de se enfatizar, entretanto, que não existem sinônimos perfeitos, isto é, não existem dois vocábulos que
possam ser usados, com total identidade semântica, em todo e qualquer contexto dado.

Antônimos
Diz-se das palavras que têm sentido contrário.

Ex: contemporâneo X extemporâneo.

Exercícios
1- Assinale a opção em que os parônimos em destaque estão com significação INVERTIDA.

a- O agente fiscalizador do trânsito inflige penas a quem infringe as leis do trânsito.


b- Os vultosos números de mortes no trânsito superam os de vítimas com algum tipo de sequela temporária,
como faces vultuosas.
c- Pere Navarro apresentou várias conjeturas sobre o trânsito no Brasil, considerando a conjuntura da época
da entrevista.
d- O iminente especialista em segurança viária preocupa-se com a eminente catástrofe no trânsito do Brasil.

2- Na frase “as penalidades são as previstas pelo bom senso” (linhas 16-17), a palavra destacada é
homônima de censo Assinale a opção em que o emprego dos homônimos destacados está adequado.

a- O reitor da faculdade solicitou que todos os funcionários participassem do censo anual para verificar
quem realmente está na ativa.
b- Foi pedido para que todos os motoristas respondessem ao senso, a fim de se obter o número real de
carros no pátio da universidade.
c- Os infratores são penalizados com a “multa moral” por não demonstrarem censo crítico.
d- Se o infrator tiver censo, saberá o que dizer na hora da punição.

3- Semanticamente é possível perceber nas palavras grifadas na frase “A mãe conta que a conta da filha foi
invadida por hackers”, um exemplo de palavras:
a- Sinônimas
b- Antônimas
c- Parônimas
d- Homônimas

4- Considerando o significado das palavras abaixo, assinale a alternativa que relaciona corretamente seus
sinônimos, atentando-se para a grafia:
NOTÁVEL – IMEDIATO – CONCEDER – CONSERTAR – CONFIRMAR – PRINCIPIANTE
a- iminente – eminente – deferir – ratificar – retificar – incipiente
b- eminente – iminente – deferir – retificar – ratificar – incipiente
c- eminente – iminente – deferir – ratificar – retificar – insipiente
d- iminente – eminente – diferir – retificar – ratificar – incipiente
e- eminente – iminente – deferir – ratificar – retificar – insipiente

5- Assinale a alternativa correspondente à sentença em que a palavra destacada está corretamente


empregada.
a- Dirija-se à cessão de atendimento.
b- Machado de Assis foi um iminente escritor.
c- O meliante foi preso em fragrante delito.
d- Recomenda-se manter discrição em relação a assuntos sigilosos.
e- A intensão do magistrado era tão somente fazer justiça.

GABARITO 01 - D 02 - A 03 -D 04- B 05- D

11 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Morfologia
Estrutura de Palavras
aula - 8
Conceito Básico

É a parte da gramática (morfologia) que estuda os elementos mórficos (morfemas), denominados como:
radical, vogal temática, tema, afixos e desinências

1- Radical: é o único morfema indispensável às palavras, o responsável pela reunião de palavras em uma
mesma família (palavras cognatas).
Ex: pedra – pedreiro – pedreira – pedrada – pedregulho O segmento pedr é o radical.

2- Vogal temática: é a vogal que se faz presente, em muitas palavras, imediatamente após o radical As
vogais temáticas nos nomes são as vogais e, a, o quando não distinguem gênero Nos verbos, a vogal
temática tema a responsabilidade de dividi-lo em conjugações Os verbos terminados em – er têm a vogal
temática a e são de 1ª conjugação; os terminados em – er têm a vogal temática e e são de 2ª conjugação; já
os terminados em – ir têm a vogal temática i e são de 3ª conjugação.

Ex: dente, saco, peito, etc (nomes).

Observação: O verbo pôr é de segunda conjugação, pois vem da estrutura latina poer.

3- Tema: é o segmento que envolve radical + vogal temática.

Ex: leite – leit: radical e: vogal temática leite: tema


Cantar – cant: radical a: vogal temática canta: tema

4- Desinências nominais: dividem-se em de gênero (marcam o masculino e o feminino) e de número


(marcam o singular e o plural).

Ex: menin/o/s menin: radical o: desinência de gênero s: desinência de número menin/a/s


menin: radical a: desinência de gênero s: desinência de número bonec/a bonec:
radical a: desinência de gênero desinência de número = ∅

5- Desinências verbais: nos verbos, indicam tempo, modo, número e pessoa.

Ex: tu amavas – am: radical a: vogal temática ama: tema va: desinência modo temporal.

6- Afixos: dividem-se em prefixos (aparecem antes do radical, alterando a semântica original) e em sufixos
(colocam-se depois do radical, podendo alterar a classe gramatical da palavra de origem).

Ex: feliz – infeliz feliz – felizmente

Formação De Palavras
Conceito Básico
Uma palavra é indivisível quando possui apenas o radical como elemento mórfico (Ex: mar, sol, ar, é, etc)
Já as palavras divisíveis possuem mais de um elemento além do radical (por exemplo, radical + vogal
temática) Estas se dividem em simples (apenas um radical) e compostas (mais de um radical) As palavras
simples classificam-se em primitivas (não resultam de nenhuma outra na nossa língua) e derivadas (são as
primitivas acrescidas de, no mínimo algum afixo).

12 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Processos de Formação de Palavras

1- Derivação: é o processo pelo qual uma palavra é formada de um radical acrescido de algum afixo.
a- Prefixal: infeliz, opor, reter, conter, etc.

b- Sufixal: felizmente, ferrugem, livraria, etc.

c- Prefixal e sufixal: infelizmente, deslealdade, etc.

d- Parassintética: ocorre quando são colocados um prefixo e um sufixo simultaneamente retirando-se o


prefixo ou o sufixo o restante da palavra não existe.
Ex: desalmado, anoitecer, empobrecer, etc.

e- Imprópria: ocorre quando, em determinado contexto, há mudança de classe gramatical da palavra.


Ex: Disse-lhe um não O bem sempre vence.

f- Regressiva: ocorre quando há subtração de algum sufixo Em geral, são substantivos abstratos formados
a partir de verbo.
Ex: ameaça – vem de ameaçar atraso – vem de atrasar.

2- Composição: é processo pelo qual uma palavra é formada de, pelo menos, dois radicais.

a- Justaposição: os radicais não sofrem alteração fonética, podendo haver hífen ou não
Ex: bem-te-vi, bem-vindo, bem-me-quer, malmequer, bendizer, etc.

b- Aglutinação: ocorre quando há alteração (acréscimo ou redução) fonética na fusão dos radicais
Ex: planalto, lobisomem, aguardente, etc.

3- Hibridismo: união de elementos de línguas diferentes.


Ex: autoclave – auto (grego) + clave (latino); bicicleta – bi (latino) + cicleta (grego), etc.

4- Sigla: uso de iniciais de uma expressão denominadora.


Ex: IBGE (instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

5- Abreviação: abreviação da palavra até o limite permitido pela compreensão.


Ex: auto – por automóvel; moto – por motocicleta; Minas – por Minas Gerais, etc.

6- Reduplicação ou redobro: trata-se de onomatopeias, ou seja, palavras que imitam sons Ex: toque-
toque, reco-reco, pingue-pongue, etc.
Exercícios
1- Assinale a alternativa que classifica corretamente o elemento mórfico destacado na palavra

a- HIPER-atividade: radical.
b- Chanc-E-s: desinência de gênero.
c- DES-encadeando: prefixo.
d- Alergi-A: desinência de gênero feminino.
e- Mostr-A-ram: desinência modo-temporal.

2- O substantivo LIMPEZA foi formado pelo processo de:


a- derivação prefixal.
b- derivação sufixal.
c- derivação parassintética.
d- composição por justaposição.
e- composição por aglutinação.

3- Observe o trecho seguinte: “Se fosse o soletrando do Caldeirão do Hulk” A expressão “o soletrando”,
nesse contexto, altera a classe gramatical da palavra “soletrando” Trata-se de um caso.

13 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

a- de derivação regressiva;
b- de derivação parassintética;
c- de derivação sufixal;
d- de hibridismo;
e- de derivação imprópria

4- Releia o trecho a seguir: “Pelo desenho da missão, a identificação dos planetas usa um efeito chamado
de trânsito []” (3º§) Em relação à formação da palavra destacada, ela é formada por um processo de
a- derivação sufixal
b- derivação prefixal
c- derivação parassintética
d- composição por aglutinação

5- As palavras desemprego, subemprego e desempregados têm o mesmo radical as duas primeiras são
formadas por _____________; já desempregados é formada por_____________.
Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do trecho acima.

a- prefixação – prefixação e sufixação


b- sufixação – parassíntese
c- prefixação – parassíntese
d- composição – prefixação
e- parassíntese – prefixação e sufixação

GABARITO
1- C 2- B 3- E 4- A 5-A

Classes Gramaticais
Substantivo (parte I)
aula - 9
Classificação Básica

Substantivo é toda palavra que nomeia algo ou alguém os substantivos dividem-se em concretos (realidade
exterior, existência independente) e em abstratos (realidade interior, em geral designam sentimentos,
qualidades, ações ou estados).

Ex: mesa, sapo, duende, livro, ar, etc (substantivos concretos) amor, beijo, inteligência, felicidade, etc
(substantivos abstratos).

Quanto à estrutura, os substantivos podem ser simples, quando apresenta apenas um radical, ou composto,
quando apresenta mais de um radical.

Ex: chuva – substantivo simples guarda-chuva – substantivo composto.

Gênero dos Substantivos

1- Substantivos Uniformes – Substantivos que apresentam uma só forma para o masculino e para o
feminino podem ser:

a- Sobrecomuns: são designativos de pessoas e não admitem variação de artigo Só o contexto pode
informar se o referente (ser designado, referido) é masculino ou feminino.
Ex: A criatura fez um discurso.

b- Comuns de dois gêneros: são designativos de pessoas e admitem variação do determinante (artigo, por
exemplo).
Ex: O/A chefe pediu o relatório.

14 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- Epicenos: são nomes designativos de animais e não admitem a troca de artigo para reconhecimento do
sexo do animal É comum a designação do “sexo” pelo acréscimo das palavras “macho” e “fêmea”.
Ex: condor, caracol, gavião, jacaré, tatu, borboleta, cobra, formiga, mosca, onça, tartaruga, pulga, etc.
2- Substantivos Biformes – Substantivos que apresentam uma forma para o masculino e outra para o
feminino.
Ex: homem/mulher, gato/gata; senhor/senhora, etc.

Grau dos Substantivos


Os substantivos podem se flexionar no grau aumentativo ou no grau diminutivo.
Ex: muro => murinho => murão pai => paizinho => paizão

Alguns Casos Curiosos


Aumentativos
barba – barbaça barca – barcaça
beiço – beiçorra, beiçola boca – bocarra
cabeça – cabeçorra cão – canzarrão
casa – casarão faca – facalhaz, facalhão
fatia – fatacaz fogo – fogaréu
homem – homenzarrão inseto – insetarrão
ladrão – ladravaz nariz – narigão
povo – povaréu voz – vozeirão
Diminutivos

cão – canito, cãozito casa – casita, casucha


corpo – corpúsculo gota – gotícula
nó – nódulo nota – nótula
núcleo – nucléolo ovo – óvulo
porção – porciúncula povo – poviléu
raiz – radícula rede – retícula
rio – riacho rua – ruela
saca – sacola saco – saquitel
sala – saleta via-viela

Exercícios
1- Assinale a alternativa onde temos um substantivo abstrato.
a- Juventude
b- Cidade
c- Lucas
d- Mulher
e- Alcateia

2- Em qual alternativa aparece um substantivo concreto?


a- Beleza
b- Tristeza
c- Corrida
d- Saci
e- Meiguice

15 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Assinale a alternativa onde há um substantivo epiceno.

a- O jacaré macho / o jacaré fêmea


b- O cônjuge
c- A criança
d- O indivíduo
e- O imigrante / a imigrante

4- Assinale a alternativa em que as palavras em destaque podem ser classificadas como substantivos:

a- Eu pulo as questões que considero difíceis.


b- Disseram que eu amasso o carro toda vez que com ele saio.
c- Ana Laura deseja que seus pais viajem durante o carnaval.
d- Todas as manhãs, o pai reza para que seu filho não perca a vida.
e- A sutil beleza das suas palavras o comoveu e o fez chorar.

5- Algoz é um substantivo sobrecomum, pois não apresenta diferenças sintáticas ou morfológicas para
designar masculino ou feminino.
Assinale a alternativa que apresenta unicamente substantivos sobrecomuns.

a- a testemunha, o monstro, a criatura.


b- o indivíduo, a intérprete, o jurista.
c- a doente, o artista, a vítima.
d- o ente, a colega, o gênio.

GABARITO
1- A 2- D 3- A 4- E 5- A

Classes Gramaticais
Substantivo (parte II)
aula - 10
Número dos Substantivos
Na formação do plural dos substantivos, a regra geral é o acréscimo da desinência de número – S.
Ex: cama / camas; órgão / órgãos; pai / pais

Alguns Casos Merecem Maior Atenção.

1- Plural dos diminutivos com o sufixo –zinho: o comum é pluralizar a palavra de origem, cotando-lhe, em
seguida, o – s
Depois é só acrescentar o sufixo “-zinho” já pluralizado.

Ex: plural da palavra barzinho bar => bares => bare => barezinhos

2- Plurais metafônicos: na formação do plural de alguns substantivos, ocorre metafonia, isto é, mudança de
timbre (som fechado no singular passa a ser aberto no plural) da vogal tônica.

Ex: caroço, corpo, esforço, fogo, forno, imposto, miolo, olho, osso, poço, porco, porto, posto, povo, etc

3- Plural dos substantivos compostos: não havendo hífen, o plural se faz normalmente, seguindo as regras
gerais.

Ex: aguardentes; infraestruturas, planaltos, etc.

Havendo hífen, porém, temos as seguintes regras:

a- Somente o 1º elemento varia:

16 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

→ Substantivo + Substantivo: ainda há autores que defendem a pluralização apenas do primeiro elemento,
quando o segundo expressa finalidade ou semelhança O fato, porém, é que a tendência cada vez mais
forte é de ambos os substantivos pluralizarem.

Ex: cirurgião-dentista / cirurgiões-dentistas ou cirurgiães-dentistas salário-família / salários-família ou


salários-famílias navio-escola / navios-escola ou navios-escolas pombo-correio / pombos-correio ou
pombos-correios banana-prata / bananas-prata ou banana-prata.

→ Substantivo + preposição (clara ou oculta) + Substantivo

Ex: pé-de-cabra (planta) / pés-de-cabra salsa-da-praia / salsas-da-praia pé-de-meia / pés-de-meia

b- Somente o 2º elemento varia:


→ Compostos de grão, grã, bel, + substantivo

Ex: grã-cruz / grã-cruzes


bel-prazer / bel-prazeres

→ Compostos de verbo ou palavra invariável + substantivo ou adjetivo:

Ex: abaixo-assinado / abaixo-assinados alto-falante / alto-falantes


guarda-roupa / guarda-roupas beija-flor / beija-flores ave-maria / ave-marias ex-diretor / ex-diretores vice-
governador / vice-governadores

→ Compostos de três ou mais elementos, não sendo o segundo uma preposição (clara ou oculta):

Ex: bem-te-vi / bem-te-vis; bem-me-quer / bem-me-queres


Observação: Em se tratando de verbos repetidos, é cada vez maior a tendência a se admitirem dois plurais

Ex: corre-corre / corre-corres ou corres-corres pula-pula / pula-pulas ou pulas-pulas pisca-pisca / pisca-


piscas ou piscas/piscas

c- Ambos os elementos variam:

→ Substantivo + substantivo – não havendo no segundo qualquer ideia de finalidade ou semelhança:

Ex: tenente-coronel / tenentes-coronéis

→ Substantivo + Adjetivo ou Adjetivo + Substantivo:

Ex: guarda-civil / guardas-civis amor-perfeito / amores-perfeitos alto-relevo / altos-relevos

d- Substantivos compostos invariáveis:

→ Compostos de verbos diferentes (sentidos opostos):

Ex: perde-ganha, vai-volta, leva e traz, etc.

→ Compostos de verbo + palavra invariável:

Ex: pisa-mansinho, cola-tudo, ganha-pouco, bota-fora, papa-tudo, etc.

→ Compostos de verbo ou palavra invariável + palavra já no plural:

Ex: quebra-nozes, troca-tintas, não-me-toques, etc.

e- Admitem mais de um plural:

17 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: padre-nosso / padre-nossos ou padres-nossos salvo-conduto / salvo-condutos ou salvos-condutos


guarda-marinha / guardas-marinhas / guardas-marinha

Exercícios
1- Quadro-negro é um substantivo que forma o plural do mesmo modo que:

a- Abaixo-assinado
b- alto-falante
c- segunda-feira
d- Sempre-viva
e- Caneta-tinteiro

2- O substantivo “mal-entendido” forma o plural da mesma forma que:

a- Couve-flor;
b- quarta-feira;
c- guarda-civil;
d- Alto-falante;
e- Pão-de-pobre

3- Assinale a alternativa CORRETA quanto à forma singular e plural dos substantivos:

a- cônsul/cônsois
b- pãozinho/pãozinhos
c- abdômen/abdômenes
d- alto-falante/altos-falantes
e- boia-fria/boia-frias

4- Assinale a alternativa incorreta quanto ao plural dos substantivos compostos:

a- Boas-vidas, guardas-louças, pés de moleque.


b- Câmaras de ar, mulas sem cabeça, quintas-feiras.
c- Livres-pensadores, os bota-fora, os guarda-vidas.
d- Tias-avós, amores-perfeitos, curtas-metragens.

5- O diminutivo plural de coquetel é:

a- Coquetiszinhos;
b- Coquetelzinhos;
c- Coqueteizinhos;
d- Coquetelzitos

GABARITO 1- D 2- D 3- C 4- A 5- C

Classes Gramaticais
Adjetivo (Parte I)
aula - 11

Classificação Básica
A função dos adjetivos é qualificar um substantivo ou equivalente.
Ex: O aluno é interessado.

O professor generoso foi recebido pelos alunos.


Os adjetivos podem ser classificados como subjetivos (quando dependem de juízo de valor) ou como
objetivos (quando não dependem de juízo de valor).

18 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Carro amarelo (objetivo)


Carro bonito (subjetivo)

Podem mudar de sentido, conforme se coloquem antes ou depois do substantivo.


Ex: homem grande = homem alto / grande homem = homem digno mulher pobre = que não tem recursos
próprio / pobre mulher = que inspira compaixão

Locuções Adjetivas
É a expressão formada de ‘preposição + substantivo’ ou também de ‘preposição + advérbio’, sempre com
valor de adjetivo.
Ex: aves da noite (aves noturnas), paixão sem freio.
(paixão desenfreada) homem de coragem.
(homem corajoso)
Repare!
Nem sempre a locução adjetiva tem um adjetivo correspondente.
Ex: jornal de amanhã (não há um adjetivo correspondente).

Gênero dos Adjetivos


Os adjetivos podem ser:

1- Uniformes: têm uma só forma tanto para o masculino como para o feminino.
Ex: homem feliz / mulher feliz.

2- Biformes: têm duas formas, sendo uma para o masculino e outra para o feminino.

Ex: homem mau / mulher má

Se o adjetivo é composto e biforme, flexiona-se no feminino só o último elemento.

Ex: blusa vermelho-clara, caneta amarelo-escura

Se o adjetivo é composto e uniforme, fica invariável no feminino.

Ex: conflito político-social / desavença político-social

Exercícios

1- Nos trechos dispostos nas opções abaixo, as palavras em destaque têm função gramatical de conferir
algum atributo àquelas que as sucedem essa afirmação só NÃO é válida para:

a- Descobrimos que foi a melhor decisão.


b- quando sofre os impactos negativos dos nossos maus hábitos.
c- E entre as maiores ameaças à saúde do seu amigo do peito.
d- Ele bate mais forte quando estamos apaixonadas.
e- é capaz de causar grandes problemas.

2- O par abaixo que muda de sentido se for invertida a posição de seus dois elementos é:

a- vários motivos;
b- grande porte;
c- animais menores;
d- grandes áreas;
e- cruel desalojamento

3- Considere o fragmento abaixo para responder à questão.

19 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

“O homem, de barba grisalha mal-aparada, vestindo jeans azuis, camisa xadrez e jaqueta de couro, sentou-
se no banquinho alto do balcão do botequim e ficou esperando sem pressa que o rapaz viesse atendê-lo”
Dentre as palavras abaixo, presentes no trecho em análise, assinale a única que NÃO pode ser classificada
como adjetivo.

a- grisalha
b- xadrez
c- azuis
d- jeans

4- As expressões sublinhadas correspondem a um adjetivo, exceto em:

a- João Fanhoso anda amanhecendo sem entusiasmo.


b- Demorava-se de propósito naquele complicado banho.
c- Os bichos da terra fugiam em desabalada carreira.
d- Noite fechada sobre aqueles ermos perdidos da caatinga sem fim.
e- E ainda me vem com essa conversa de homem da roça.

GABARITO 1- D 2- A 3- D 4- B

Classes Gramaticais
Adjetivo (Parte II)
aula - 12
Número dos Adjetivos

1- Plural dos adjetivos simples: flexiona-se em número para concordar com o termo ao qual se refere

Ex: torta saborosa – tortas saborosas olho azul – olhos azuis

Repare!
Os adjetivos podem ser uniformes ou biformes quanto ao número. Se for uniforme, apresenta a mesma
forma para o plural e para o singular.

Ex: Homem simples / homens simples (simples – uniforme)


Homem alto / homens altos (alto – biforme)

Se o adjetivo estiver representado por um substantivo, ficará invariável, ou seja, se a palavra que estiver
qualificando um elemento for, originalmente, um substantivo, ela não sofrerá flexão e passará a ser
denominada de substantivo adjetivado.

Ex: camisa preta – camisas pretas camisa cinza – camisas cinza blusa prata – blusas pratas

2- Plural dos adjetivos compostos:

→ Apenas o último elemento concorda com o substantivo a que se refere; os demais ficam na forma
masculina, singular

Ex: camisa amarelo-clara camisas amarelo-claras

→ Se o último elemento que forma o adjetivo composto for um substantivo adjetivado, todo o adjetivo
composto ficará invariável

Ex: camisa cinza-chumbo camisas cinza-chumbo Atenção, meu aluno!


Azul-marinho, azul-celeste são sempre invariáveis

O composto surdo-mudo tem os dois elementos flexionados: menino surdo-mudo / meninos surdos-mudos
20 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Grau dos Adjetivos

1- Grau comparativo: usado para comparar a mesma característica atribuída a dois ou mais seres ou duas
ou mais características a um único ser.

a- Igualdade
Ex: Ela é tão exigente quanto (ou como) sua mãe.

b- Superioridade
Ex: Ela é mais exigente que (ou do que) sua mãe.

c- Inferioridade
Ex: Ela é menos exigente que (ou do que) sua mãe.

Atenção, meu aluno!

Os adjetivos bom, mau, grande e pequeno apresentam formas sintéticas para o grau comparativo de
superioridade: melhor, pior, maior, menor.

Ex: Ela é melhor do que eu (mais boa)


Ela é pior do que eu (mais má)
Ela é maior do que eu (mais grande)
Ela é menor do que eu (mais pequena)

2- Grau superlativo: consiste na intensificação do sentido do adjetivo há dois tipos vamos a eles

a- Relativo: destaca um ser diante de outros da mesma espécie.


Superioridade: Ela é a mais dedicada da turma.
Inferioridade: Ela é a menos dedicada da turma.
Repare dois fatos: a presença do artigo e a ausência do conector comparativo (que / do que).

b- Absoluto: destaca um ser sem compará-lo com os outros da mesma espécie.


Pode ser:
Analítico: Você é muito sério
Sintético: Você é seriíssimo
Repare outras formas de intensificar um adjetivo:
Ela é bela, bela (repetição do adjetivo)
Ele é branco como vela (por comparação)
Blusa branquinha (uso do diminutivo)

Casos irregulares de comparativos e superlativos


Adjetivo Comparativo Superlativo
Relativo de superioridade Absoluto sintético
Bom melhor o melhor ótimo
Mau pior o pior péssimo
Grande maior o maior máximo
pequeno menor o menor mínimo

Exercícios
1- De acordo com a norma padrão, atribua C (certo) ou E (errado) aos itens sobre o plural dos adjetivos
compostos e assinale a alternativa correta.
( ) Vi um menino com cabelos castanho-escuros e olhos verde-claros.
( ) Os soldados vestiam fardas verdes-olivas.
( ) O inglês e o alemão são línguas anglos-germânicas.
( ) Os políticos precisam buscar soluções para os problemas econômicos-financeiros.

a- C – E – E – E
b- E – C – C – C
21 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- C – E – C – E
d- C – C – E – C
e- C – C – C – C

2- Na pluralização do adjetivo composto físico-químico (I 05):

a- Ambos os elementos da composição recebem a marca de plural.


b- apenas o primeiro elemento da composição recebe a marca de plural.
c- apenas o primeiro elemento da composição recebe a marca de plural, e o acento é deslocado.
d- apenas o último elemento da composição recebe a marca de plural.
e- nenhum dos elementos da composição recebe a marca de plural, e o acento é deslocado.

3- “É preciso levar em conta questões econômicas e sociais”; se juntássemos os adjetivos sublinhados em


forma de adjetivo composto, a forma correta, no contexto, seria:

a- Econômicas-sociais;
b- Econômico-social;
c- Econômica-social;
d- Econômico-sociais;
e- Econômicas-social

4- Na frase 2, o adjetivo dolorosa está no grau:


“Esta é a mais dolorosa de todas as doenças humanas: dispor de todo o conhecimento e ainda não ter
nenhum poder de ação” (Heródoto)”.

a- Superlativo absoluto sintético


b- aumentativo analítico
c- superlativo absoluto analítico
d- Superlativo relativo de superioridade
e- Comparativo de superioridade

5- Assinale a alternativa onde encontramos o grau superlativo absoluto.

a- Pedro é tão amoroso quanto Margarete.


b- Lucas e André são altíssimos.
c- Tiago é mais amoroso que educado.
d- Mário é menos amoroso do que Lílian.
e- Marcelo é o mais estudioso dos irmãos.

GABARITO 1- A 2- D 3- D 4- D 5- B

Classes Gramaticais
Artigo
aula - 13
Conceito Básico

É a palavra que concorda em gênero e número com um termo ou expressão que será (ou terá como núcleo)
um substantivo.
Pode ser definido (o, a, os, as) ou indefinido (um, uma, uns, umas)
Ex: O professor falou a alunos e a alunas
Artigo prep prep
Onde houver um artigo, haverá necessariamente (ainda que oculto) um substantivo no mesmo gênero
(masculino ou feminino) e número (singular ou plural).
O artigo pode substantivar qualquer palavra.
O artigo vem sempre antes do substantivo, mas nem sempre imediatamente antes.

Semântica Básica dos Artigos


22 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

O artigo definido não se chama assim à toa Ele, em geral, define, especifica, ao passo que o artigo
indefinido confere, em geral, caráter genérico ao substantivo a que se refere.

Ex: Durante o comício, o candidato à Presidência da República discursava sobre segurança pública. Um
manifestante começou a vaiar e gritar palavrões. O candidato ficou nervoso. Desligou o microfone, dirigiu-
se ao segurança e pediu que retirasse o manifestante do local.
Repare: a presença do artigo definido em o manifestante indica ao leitor que o manifestante é exatamente
aquele que começou a vaiar e gritar palavrões.

Alguns Empregos do Artigo

1- Diante de possessivos: é facultativo o emprego do artigo definido diante de pronome possessivo


quando os substantivos aparecem.
Porém, é obrigatório o emprego quando o substantivo está oculto.

Ex: Você pediu minha opinião (certo)


Você pediu a minha opinião (certo)
Você pediu a opinião dela, e não a minha (certo)
Você pediu a opinião dela, e não minha (errado)

2- Antes de nomes de pessoas: o emprego é facultativo, sendo mais frequente na linguagem popular e
no trato familiar, dando certo tom de afetividade.

Ex: O João gargalhou


Martin Luther King lutou contra a discriminação racial

3- Não se usa artigo:

a- Diante da palavra casa, quando não está especificada


Ex: Estou em casa
Estou na casa da Joana

b- diante de pronomes de tratamento (exceto senhor, senhora, senhorita)


Ex: Posso falar com a Vossa Excelência? (errado) Posso falar com Vossa Excelência?
certo)

c- após o pronome relativo cujo(s), cuja(s).


Ex: Comprei a casa cujos os quartos eram enormes (errado)
Comprei a casa cujos quartos eram enormes (certo)

Casos Especiais

1- A presença do artigo pode modificar semanticamente um enunciado

Ex: Todo livro me agrada (= todos os livros)


Todo o livro me agrada (= o livro inteiro)

2- Deve-se evitar o uso do artigo indefinido quando já há na oração alguma palavra indeterminadora

Ex: Uma certa pessoa me procurou (inadequado)


Uma pessoa me procurou (adequado)
Certa pessoa me procurou (adequado)

Numeral
Conceito Básico

É a palavra que denota, em geral, quantidade definida O numeral pode ter função adjetiva
(quando acompanha um substantivo) ou substantiva (quando substitui um substantivo)

23 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Duas alunas acertaram o dobro do esperado (numeral adjetivo) (numeral substantivo).

Há quatro tipos de numerais:

1- Cardinais: designam quantidade certa São os mais usados no cotidiano.


Ex: zero, um, dois, três, quatro, cinco, etc.

Repare!
Não confunda artigo indefinido com numeral.

O termo um (variável em gênero e número) é artigo indefinido quando acompanhado de substantivo não
quantificado.
Ex: Vi um homem estranho hoje.

O termo um (variável em gênero) passa a ser numeral quando há nítida preocupação quantitativa.
Ex: Eu quero dois exemplos, não um.

2- Ordinais: designam ordem numa série.


Ex: primeiro, segundo terceiro, quarto, etc.

3- Multiplicativos: exprimem a multiplicidade dos seres.


Ex: dobro, triplo, quádruplo, etc.

4- Fracionários: indicam frações dos seres.


Ex: Bebi meia garrafa de vinho.

Interjeição
Conceito Básico
É a expressão que denota um estado de alma, um estado emotivo, passageiro normalmente.
As interjeições se classificam segundo o sentimento que denotam.

a- Alegria: ah! oh! opa! etc.


b- Animação: avante! coragem! vamos! etc.
c- Aplauso: bis! bravo! viva! etc.
d- Desejo: tomara! oxalá! etc.
e- dor: ai!, ui!, valha-me Deus!, etc.
f- espanto, surpresa: xi!, ih!, ué!, etc.
g- impaciência ou dúvida: hum!, ai de mim! Puxa!, etc.
h- invocação: alô!, ô!, ó!, olá!, psit!, etc.
i- silêncio: psiu!, silencio!, etc.
j- temor: ui!, uh!, etc.

Exercícios
1- Leia os itens quanto ao numeral e aponte a alternativa correta.
I. Numeral é a palavra que se relaciona ao substantivo, exprimindo indicações numéricas dos seres.
II. As indicações numéricas dos seres referem-se à quantidade, ordem, multiplicação e fração.
III. Os numerais cardinais expressam a ordem dos seres em uma série.
IV. Os numerais multiplicativos expressam aumentos proporcionais de uma quantidade, multiplicações.
V. Os numerais fracionários expressam diminuições proporcionais de uma quantidade, divisões ou frações.

a- Apenas I, II, IV e V estão corretos.


b- Apenas I, III e V estão corretos.
c- Apenas II, III, IV e V estão corretos.
d- Apenas I, III e IV estão corretos.
e- Todos os itens estão corretos.

24 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- Considere as palavras destacadas na frase abaixo e assinale a alternativa em que se indica,


respectivamente e de modo correto, sua classificação morfológica.
“Durante anos, o homem teve um sonho: queria viajar de avião na primeira classe” (1º§).

a- Numeral e numeral
b- numeral e pronome
c- artigo e numeral
d- Pronome e numeral
e- Artigo e pronome

3- No que concerne aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o item que se segue
Na linha 3, o emprego do artigo definido imediatamente antes do topônimo “Portugal” torna-se obrigatório
devido à presença do adjetivo “contemporâneo”.

Certo ( ) Errado ( )

4- Em relação ao texto acima, julgue os itens a seguir.


Estaria mantida a correção gramatical do trecho “a Internet tem potencial cuja dimensão não deve ser
superdimensionada” (l 33 e 34) caso se empregasse o artigo a antes do substantivo “dimensão”.
Certo ( ) Errado ( )

5- Indique a alternativa em que aparece uma interjeição:

a- Bravo! Vou indicar esse espetáculo aos meus amigos


b- Ela chorou um rio de lágrimas
c- Corra, pois precisamos chegar o quanto antes
d- Nenhuma das alternativas

GABARITO 1- A 2- A 3- CERTO 4- ERRADO 5- A

Preposição
aula - 14
Conceito Básico

É a palavra invariável que relaciona dois termos, de tal modo que o sentido do segundo (consequente) se
subordina ao do primeiro (antecedente).
As preposições se dividem em:

1- Essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por (per), sem, sob,
sobre e trás.

2- Acidentais: são palavras de outras classes gramaticais usadas acidentalmente como preposições.
Ex: afora, conforme, que, salvo, segundo, visto, etc.

Locuções Prepositivas

É o grupo de palavras com valor de preposição. Essa locução sempre termina em preposição.

Ex: ao lado de, em torno de, apesar de, através de, de acordo com, a respeito de, por causa de, etc

Combinações e Contrações

25 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

As preposições podem se juntar cm outras palavras, formando combinações (quando não há perda de
fonemas) e contrações (quando há perda de fonemas).

Ex: a + o = ao – combinação
em + a = na – contração

Valor Relacional e Nocional

Uma preposição tem valor relacional se o seu conteúdo semântico-significativo fica vazio, funcionando,
então como um simples elo sintático. Isso ocorre em geral, quando a preposição participa de construções
fixas no idioma – locuções verbais, por exemplo – ou quando introduz um consequente sintaticamente
necessário: objeto indireto e complemento nominal.

Ex: Tenho de vencer – preposição integra uma locução verbal


Preciso de ajuda – preposição introduz um objeto indireto
Tenho necessidade de ajuda – preposição introduz um complemento nominal

Uma preposição tem valor nocional quando expressa valor semântico. Introduz, em geral, adjuntos
(adverbiais e adnominais) tradicionais.

Ex: Saí com meus amigos – preposição introduz um adjunto adverbial de companhia
Morreu de fome – preposição introduz um adjunto adverbial de causa.

Exercícios

1- No texto 1A10AAA, no trecho “a população de baixa e média renda, pela melhora no seu poder
aquisitivo” (ℓ 21 e 22), a preposição por, em “pela”, introduz uma ideia de.

a- causa
b- finalidade
c- consequência
d- condição
e- conclusão

2- Considerando os aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o item subsequente


No trecho “para testar possíveis soluções” (ℓ 16 e 17), o emprego da preposição “para”, além de contribuir
para a coesão sequencial do texto, introduz, no período, uma ideia de finalidade.

Certo ( ) Errado ( )

3- Julgue o item seguinte, relativo à ideia e ao aspecto linguístico do texto CB3A1AAA


O sentido do texto seria prejudicado, embora sua correção gramatical fosse preservada, caso a preposição
presente na expressão “contra ameaças” (ℓ19) fosse substituída pela preposição de.

26 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

4- No que se refere às ideias e aos sentidos do texto CB2A6AAA e à sua classificação quanto ao tipo e ao
gênero textual, julgue o próximo item.
A preposição “para” (l7) introduz, no período em que ocorre, uma ideia de finalidade.

Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- A 2- CERTO 3- CERTO 4- CERTO

Advérbio
aula - 15
Conceito Básico

É a palavra invariável que, de certa forma, interfere no sentido de um verbo, de um adjetivo e de um


advérbio ou mesmo de uma declaração inteira. A interferência ocorre por expressar alguma circunstância
(tempo, modo, lugar, etc).

Ex: Ele canta bem.


Ela é muito bonita.
Ele canta muito bem.

Locução Adverbial

É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de advérbio


Ex: Ela fez exercícios de manhã.
Ela saiu à vontade.

Circunstâncias Adverbiais

1- Lugar: aqui, ali, acima, abaixo, de fora, à direta, à esquerda, etc


2- Tempo: hoje, amanhã, de noite, à tarde, em breve, etc
3- Modo: bem, mal, assim, melhor, pior, às pressas, à vontade, às claras, etc
4- Afirmação: sim, de fato, com certeza, realmente, sem dúvida, etc
5- Negação: não, tampouco, de modo algum, etc
6- Intensidade: muito, pouco, mais, menos, quase, demais, etc
7- Dúvida: talvez, quiçá, possivelmente, provavelmente, etc.

Cuidado com o contexto!

Muito homem lê => Muita mulher lê (muito – pronome indefinido – variável)


Homens leem muito => Mulheres leem muito (muito – advérbio – invariável)

Além dos valores semânticos tradicionais, o advérbio e a locução adverbial podem assumir outros sentidos.

Ex: A criança morreu de fome (locução adverbial de causa)


O aluno estudava para a prova (locução adverbial de finalidade)
27 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Saiu com os amigos (locução adverbial de companhia)


Ele chegou de carro ((locução adverbial de meio)
Os rapazes falavam sobre futebol (adjunto adverbial de assunto)

Grau do Advérbio

Há certos advérbios que sofrem flexão comparativa e superlativa, principalmente os de modo

a) Grau comparativo:

superioridade: Falou mais alto (do) que o colega.


Igualdade: Falou tão alto quanto o colega.
Inferioridade: Falou menos alto (do) que o colega

b) Superlativo absoluto:
analítico: Ele falou muito alto.
Sintético: Ele falou altíssimo.

Repare!
Em lugar de mais bem e mais mal, devem ser usados os termos melhor e pior. Entretanto, mais bem e mais
mal são bem empregados quando seguidos de particípios.

Ex: Ele lutou mais mal do que eu (errado)


Ele lutou melhor do que eu (certo)
Aquele é o professor melhor pago do curso (errado)
Aquele é o professor mais bem pago do curso (certo)

Exercícios

1- Julgue o item seguinte, a respeito do texto precedente.


Como modificadora das palavras “prazer” (l3) e “engraçadinha” (l7), a palavra “muito” que as acompanha
é, do ponto de vista morfossintático, um advérbio.

Certo ( ) Errado ( )

2- Ainda com relação às propriedades linguísticas do texto CB2A2AAA, julgue o item a seguir.
Por ser um advérbio, o vocábulo “só” (ℓ17) poderia ser deslocado para imediatamente antes da forma
verbal “dá” (ℓ17), sem alteração dos sentidos do texto.

Certo ( ) Errado ( )

3- Julgue o item seguinte, relativo aos sentidos e a aspectos linguísticos do texto CB4A1BBB O vocábulo
“Hoje”, que inicia o texto, poderia ser corretamente substituído por Atualmente.

28 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

4- Os termos “Lá” (l9) e “cá” (l10) são utilizados como recursos para expressar circunstância de lugar, o
primeiro referindo-se a “outras partes do mundo” (l8) e o segundo, ao Brasil.

Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- ERRADO 2- ERRADO 3- CERTO 4- CERTO

Classes Gramaticais
Conjunção coordenativas e subordinativas - Parte 1
aula - 16
Conjunção – Conceito Básico

Conjunção é a palavra quem tem como função unir orações ou termos (dentro da mesma oração).

Ex: João e Maria casaram e viajaram (liga termos) (liga orações).


Classificação das Conjunções (e Locuções) Coordenativas

1- Aditivas: estabelecem sentido aditivo (acréscimo) entre termos ou orações. As principais são: e e nem
(com valor de e não).
Ex: Ele estuda e trabalha.
Não estuda nem trabalha.

Por vezes, o sentido aditivo é estabelecido por grupos de palavras: não só ... mas também, não apenas...
como também, não somente ... mas também, etc.

Ex: Não só estuda, como também trabalha

Atenção, meu aluno!

conjunção e pode, por vezes, adotar um sentido de oposição, adversidade

Ex: O professor gritou, e ninguém ouviu (=mas)

2- Adversativas: estabelecem uma oposição, um contraste. As principais são: mas, contudo, todavia,
entretanto, porém, no entanto.

Ex: Ela sorria, mas estava triste


Estudou matéria, porém não entendeu nada

29 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Alternativas: estabelecem sentido de alternância. As principais são: ou, ou...ou, ora...ora, já...já,
quer...quer..., seja...seja.
Ex: Bebo vinho ou cerveja.
Ora xingava o juiz, ora o elogiava.

4- Conclusivas: estabelecem o fecho conclusivo de um raciocínio as principais são: logo, portanto, pois
(posposto ao verbo), então, assim, por conseguinte

Ex: Acordou tarde, portanto chegou atrasado

Atenção, meu aluno!


conjunção, pois, tem valor conclusivo sempre que deslocada na sua oração, ou seja, quando vem no
meio ou no final.

Ex: Choveu; as ruas estão molhadas, pois (=portanto)

5- Explicativas: estabelecem uma justificativa ou uma explicação para a afirmativa deita na oração com
que se relacionam as principais são: pois (sempre no início da oração), porque, porquanto, visto que, já que,
uma vez que, que.

Ex: Estude, pois será aprovado


Aqui não chove muito, porquanto as plantas estão secas.

Exercícios

1- Em relação aos elementos linguísticos do texto CB8A1AAA, julgue o item a seguir.


No trecho “segundo o qual o poder político não apenas emana do povo () mas comporta a participação
direta do povo” ( 17 a 19), a locução “não apenas () mas” introduz no período ideia de adição.
Certo ( ) Errado ( )

2- Julgue o próximo item, relativo a aspectos linguísticos e às ideias do texto CB2A2BBB


Seria mantida a correção gramatical do texto se o vocábulo “Portanto” (l4) fosse substituído por, por
conseguinte.

Certo ( ) Errado ( )

3- No texto I, a conjunção, “entretanto” (l3) introduz, no período em que ocorre, uma ideia de:

a- Oposição
b- adição
c- condição
d- Causa
e- Consequência

4- Ainda com relação às ideias e estruturas linguísticas do texto Para melhor conhecer as pessoas, julgue o
item que se segue.
No trecho “A objetividade na avaliação é essencial e depende de critérios de valor claros na mente do
observador” (l 18 a 20), a conjunção “e” possui valor aditivo e estabelece uma relação de coordenação
entre as orações ligadas por ela.

Certo ( ) Errado ( )

5- No que se refere aos sentidos, à estrutura textual e aos aspectos gramaticais do texto, julgue o item a
seguir.
O elemento coesivo “mas” (l7) inicia uma oração coordenada que exprime a ideia de concessão em uma
sequência de fatos.

30 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- CERTO 2- CERTO 3-A 4- CERTO 5- ERRADO

Classes Gramaticais
Conjunção coordenativas e subordinativas - Parte 2
aula - 17

Classificação das Conjunções (e Locuções) Subordinativas

1- Integrantes: são as conjunções que e se quando introduzem orações subordinadas substantivas, ou seja,
orações que exercem função de sujeito, de predicativo, de objeto direto, de objeto indireto, de complemento
nominal e de aposto.

Repare!
Podemos reconhecer uma oração subordinada substantiva por meio de sua substituição pelo pronome isso.
Ex: É importante que estude => É importante isso (que = conjunção integrante)
Você não sabe se eu estudo => Você não sabe isso (se = conjunção integrante)

2- Causais: porque, pois, porquanto, como (= porque), visto que, já que, uma vez que.
Ex: Ele faltou porque está doente.
Como não me ouviu, perdeu o horário.

3- Concessivas: embora, conquanto, ainda que, apesar de que, mesmo que, posto que, sem que, se bem
que.
Ex: Embora chova, irei à praia.
Ainda que ligue, não atenderei.

Repare!
Toda concessão é um tipo de oposição.
A concessão é um fato sem força suficiente para anular um outro.

4- Comparativas: como (=igual a), tal qual, (do) que, quanto.


Ex: Ela agiu como você
filha é tão bonita quanto a mãe

5- Conformidade: conforme, como (= conforme), segundo consoante.


Ex: Treinou como determinou o mestre.
Montou o móvel conforme orienta o manual.

6- Condicionais: se, caso, desde que (com verbo no subjuntivo), contanto que, sem que, a menos que.
Ex: Se estudar, será aprovado.
Caso me escute, entenderá.
Sairei contanto que me acompanhe.

7- Consecutivas: que (em correlação com tal, tanto, tão, tamanho), de modo que, de sorte que, de maneira
que.
Ex: Ele bebeu tanto, que ficou bêbado.
O grito foi tão alto, que acordou a vizinhança.

Repare!
conjunção consecutiva introduz uma ideia com valor de consequência, efeito, resultado
31 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

8- Finais: para que, a fim de que, que (=para que).


Ex: Estudou a fim de que fosse aprovado.
Levantou para que a senhora sentasse.

9- Proporcionais: à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto mais ... mais, quanto menos ...
menos, quanto mais ... menos, quanto menos ... mais.
Ex: À medida que estudo, aprendo a matéria.
Quanto mais errar, mais será punido.

10- Temporais: quando, enquanto, assim que, logo que, sempre que, antes que, depois que.
Ex: Quando chegar, ligue-me.
Enquanto você estuda, eu malho.

Exercícios
1- A respeito de aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o item a seguir.
A expressão “com a introdução dos demais sorotipos” (ℓ 26 e 27) exprime ideia de causa.

Certo ( ) Errado ( )
2- Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o item subsequente. A palavra
“que” (l12) introduz no texto uma ideia de consequência.

Certo ( ) Errado ( )

3- A respeito de aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o próximo item. A oração “por me fazer
feliz” (l5) expressa uma ideia de finalidade.

Certo ( ) Errado ( )

4- Julgue o item seguinte, referente aos aspectos linguísticos e às ideias do texto O homem que só tinha
certezas. A locução “uma vez que” (l15) introduz, no período em que ocorre, ideia de causa.

Certo ( ) Errado ( )

5- No texto A mensagem virtual, a oração “embora tenhamos objetivos comuns” (l16) expressa uma ideia
de.

a- Comparação
b- consequência
c- causa
d- Finalidade
e- Concessão

Gabarito 1- CERTO 2- CERTO 3- CERTO 4- CERTO 5- E

32 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Classes Gramaticais
Pronomes classificação geral e pronomes pessoais
aula - 18
Classificação Geral
No contexto da frase, cada pronome pode assumir uma função substantiva, quando ele substitui um
substantivo, ou uma função adjetiva, quando acompanha um substantivo.

Ex: Minha filha é linda (pronome possessivo adjetivo)


Aquilo pertence ao professor de português (pronome possessivo substantivo)
Há sete tipos de pronomes: pessoais, possessivos, demonstrativos, relativos, interrogativos, indefinidos e de
tratamento

Pronomes pessoais

Oblíquos
Retos
átonos tônicos
eu me mim, comigo
tu te ti, contigo
ele(a) se, o, a, lhe si, consigo, ele(a)
nós nos nós, conosco
vós vos vós, convosco
eles(as) se, os, as, lhes si, consigo, eles(as)

1- Os pronomes do caso reto funcionam geralmente como sujeito e como predicativo.

Ex: Ele não diz nada, e eu vou embora. (ele e eu = sujeito)


O grande amor da minha vida é ela. (ela = predicativo)

Repare!

Não se contraem as preposições de e em com pronomes retos quando estes exercem função de sujeito.
Ex: Em vez dele falar (errado)
Em vez de ele falar (certo)

2- Os pronomes me, te, se, nos, vos podem funcionar como objetos direitos ou indiretos
Ex: A professora me viu. (objeto direto)
A criança me obedeceu. (objeto indireto)

3- Como objetos, os pronomes – o(s) e – a(s) só podem ser diretos


Ex: A professora encontrou o material => Ela encontrou-o (objeto direto)

Observação: As formas – lo, – la, – los, – las substituem os pronomes oblíquos o, a, os, as,
respectivamente, quando estes se apresentam depois de verbos terminados em r, s e z:

Ex: Depois de ver o menino, descansou => Despois de vê-lo


Fiz o exercício => Fi-lo
Desejamos a sua vitória => Desejamo-la
As formas – no, – na, – nos, – nas substituem, também, os pronomes oblíquos o, a, os, as respectivamente,
quando estes se apresentam depois de verbos que terminam em segmento nasal (-am, – em, – ão, – õe)

Ex: Deram os cobertores aos moradores de rua => Deram-nos aos moradores de rua
Dão o resultado => Dão-no

33 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- Como objetos, o pronome – lhe(s) só pode ser indireto


Ex: Dei a prova aos alunos => Dei-lhes a prova (lhes – objeto indireto)

5- Os pronomes oblíquos átonos podem ter valor reflexivo (a ação é praticada e sofrida pelo mesmo ser),
quando representam a mesma pessoa do sujeito num contexto frasal.
Ex: Ela se olhou no espelho. (ela e se são a mesma pessoa)
Eu me cortei. (eu e me são a mesma pessoa)

6- Os pronomes oblíquos átonos me, te, lhe, nos e vos, às vezes, podem ter sentido possessivo.
Ex: Cortou-me o cabelo. (= Cortou o meu cabelo)

7- Os pronomes oblíquos tônicos são sempre precedidos de preposição e não funcionam como sujeito
Ex: Para mim, você é charmosa. (certo)
Para mim sair, preciso de dinheiro. (errado)
Tudo bem entre eu e tu. (errado)
Tudo bem entre mim e ti. (certo)
Tudo bem entre mim e você. (certo)

8- As formas compostas comigo, contigo, conosco e convosco já trazem incorporadas a preposição com As
formas “com nós” e “com vós” devem ser usadas no lugar de “conosco” e “convosco” respectivamente,
quando seguidas de numerais ou de termos como todos, próprios, ambos, mesmos, ou seja, expressões que,
de alguma forma, identificam.

Ex: Ela saiu conosco.


Ela saiu com nós três.

9- Os pronomes oblíquos tônico si e consigo (tônicos) são reflexivos e, por isso, representam a mesma
pessoa do sujeito.
Ex: Ela traz consigo os documentos. (consigo = com ela)
Eu quero falar consigo. (errado)

Exercícios

1- Julgue os próximos itens, relativos às ideias expressas no texto ao lado e a aspectos linguísticos desse
texto. Em “servindo para avaliar-lhes o valor” (l6-7), o pronome “lhes”, que retoma “outros produtos”
(l6), equivale, em sentido, ao pronome seu.

Certo ( ) Errado ( )

2- No que se refere a elementos textuais e linguísticos do texto acima, julgue o item seguinte
O pronome “os”, em “os levou consigo” (l11), poderia ser corretamente substituído por lhes.

Certo ( ) Errado ( )

34 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Acerca das estruturas linguísticas do texto, julgue o item seguinte.


Se, devido a uma hipotética alteração na redação do texto, o termo sublinhado no trecho “carecedor de
trabalhadores aptos a desempenhar atividades de maior grau de intelectualização” (l4-5) tivesse de ser
substituído por um pronome, seria gramaticalmente correta a seguinte reescrita desse trecho: carecedor de
trabalhadores aptos a desempenhá-las.
Certo ( ) Errado ( )

4- A substituição de “fazê-lo pensar” (L13) por fazer ele pensar estaria de acordo com a modalidade escrita
e as normas do registro formal culto da língua portuguesa.
Certo ( ) Errado ( )

5- Em relação às ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue o item a seguir. A substituição de
“dizendo-lhe” (L5) por dizendo a ele preservaria a correção gramatical do texto.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- CERTO 2- ERRADO 3- CERTO 4- ERRADO

Classes Gramaticais
Pronomes de tratamento, possessivos, indefinido
aula - 19
Conceito Básico

Trata-se de palavras e expressões que se comportam como pronomes pessoais.


Podem ser usados em referência a com quem se fala e a de quem se fala, mas o verbo fica sempre na 3ª
pessoa

Ex: – Vossa Excelência está melhor? (Vossa Excelência: com quem se fala)
– Sua Excelência já está melhor? (Sua Excelência: de que se fala)

As Principais Formas de Tratamento

1- Você (e a variação vocês): pessoas que gozam de nossa intimidade.

2- Senhor (e as variações Senhora, Senhores, Senhoras) Abrev: Sr (Srª, Srs , Sras): pessoas que nos
merecem respeito ou pessoas de quem se exige respeito.

3- Vossa Senhoria (e a variação Vossas Senhorias) Abrev: VSª (VSªs): comerciantes em geral, oficiais até a
patente de coronel, chefes de seção etc.

4- Vossa Excelência (e a variação Vossas Excelências) Abrev: VExª (VExas): altas autoridades militares e
políticas.

5- Vossa Magnificência (e a variação Vossas Magnificências) Abrev: VMaga (V Magas): reitores de


universidades.

6- Vossa Santidade (VS): Papa

Repare!
Antes dos pronomes de tratamento não se usa artigo, exceto antes de senhor, senhora e senhorita.

35 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Pronomes Possessivos
Conceito Básico

Fazem referência às pessoas do discurso, apresentando-as como possuidoras de algo.


Concordam em gênero e número com a coisa possuída

Ex: Meu filho Meus filhos


Minha filha Minhas filhas

São pronomes possessivos da língua portuguesa as formas:


1ª pessoa: meu(s), minha(s) nosso(s), nossa(s);
2ª pessoa: teu(s), tua(s), vosso(s), vossa(s);
3ª pessoa: seu(s), sua(s)

O uso do possessivo seu (e flexões) pode causar ambiguidade


Ex: O diretor falou com a secretária em sua sala.
De quem é a sala: do diretor ou da secretária?

Pronomes Indefinidos
Conceito Básico

Referem-se à terceira pessoa do discurso quando considerada de modo vago, impreciso ou genérico,
representando pessoas, coisas e lugares Alguns também podem dar ideia de conjunto ou quantidade
indeterminada.

Quanto à flexão, podem ser:

a- Invariáveis: algo, alguém, cada, nada, ninguém, que, outrem, mais, menos, demais e tudo

b- variáveis: algum, bastante, certo, muito, nenhum, outro, pouco, qual, qualquer, quanto, tanto, todo e
vário.

Algumas vezes, o pronome indefinido passa a adjetivo quando posposto a um substantivo.

Ex: Certa pessoa me chamou. (pronome indefinido)


Pessoa certa me chamou. (adjetivo)
Determinada pessoa. (pronome indefinido)
Pessoa determinada. (adjetivo)
Diversas pessoas. (pronome indefinido)
Pessoas diversas. (adjetivo)
Bastantes pessoas. (pronome indefinido)
Pessoas bastantes. (adjetivo)

Repare!
Muito (pronome indefinido) x muito (advérbio)
Ex: Muito homem lê => Muita mulher lê (muito variável – pronome indefinido)
Homens leem muito => Mulheres leem muito (muito invariável – advérbio)

Mais e menos
Mais mulheres, menos homens (pronome indefinido – modifica o substantivo)
Eles comem mais Elas comem menos (advérbio – modifica o verbo)

Pronomes Interrogativos
Conceito Básico

São pronomes indefinidos usados na formulação de perguntas, sejam elas diretas ou indiretas.

36 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Assim como os pronomes indefinidos, referem-se à terceira pessoa do discurso de modo impreciso São
pronomes interrogativos: que, quem, qual (e variações), quanto (e variações)
Ex: Quantos livros você tem?
Perguntei quem lhe contou.

Exercícios

Com referência ao texto IV, julgue (C ou E) o próximo item.


1- Tendo o pronome oblíquo sentido possessivo em “sem consultar-lhe as preferências” (l63), tal trecho
poderia ser substituído por sem consultar as suas preferências, mantendo-se, com isso, a correção
gramatical e o sentido do texto.

Certo ( ) Errado ( )

Acerca das estruturas linguísticas do texto acima, julgue o item que se segue
2- No primeiro período do texto, o pronome “seus” (L3) está empregado em referência à expressão “perícia
criminal” (L3).

Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- CERTO 2- CERTO

Classes Gramaticais
Pronomes Demonstrativos
aula - 20

Conceito Básico
Variáveis: este(s), esta(s), esse(s), essa(s), aquele(s), aquela(s)
Invariáveis: isto, isso, aquilo
Emprego do pronome demonstrativo:

Famílias Sentido temporal Sentido espacial Referência textual.

“T” Presente. Viajarei Perto de quem fala. Esta Antecipam um termo.


este(s) neste ano. minha cabeça. Esta palavra me intriga:
esta(s) saudade.
isto
“SS” Passado Perto de com quem se Retomam um termo.
esse(s) ou futuro próximos. fala. Saudade: essa palavra
essa(s) Nessa noite, Essa sua cabeça. me intriga.
isso tive um sonho esquisito.

37 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

“QU” Passado Distante de quem fala Com mais de um termo a


aquele(s) ou futuro distantes. e de com quem se fala. ser retomado, retomam o
aquela(s) Naquela época, Aquela mulher é estranha. mais distante, opondo-se
aquilo. eu era muito jovem. à família “t”, que retoma o
mais próximo.
Pai e filho discutiram; este
(filho) desrespeitou aquele
(pai).

Repare!
O(s) e a(s) são demonstrativos quando equivalem a isto, isso, aquele(a), etc.
Ex: O que chegou é meu filho => Aquele que chegou é meu filho.

Posso estudar, mas não o farei


Posso estudar, mas não farei isso.
As palavras mesmo e próprio, significando exato, preciso, em pessoa são pronomes demonstrativos.
Ex: Fui lá no mesmo instante.

Ela própria assistiu ao assalto.


Tal tem valor demonstrativo quando retoma elementos presentes na frase.
Ex: Eles disseram que xinguei o professor Nunca fiz tal insulto.

Exercícios
A respeito do trecho do conto apresentado, julgue o próximo item.
1- Tanto em “recebeu Camilo este bilhete de Vilela” (ℓ 1 e 2) quanto em “tirou um cacho destas”
(ℓ7), os pronomes demonstrativos foram empregados para retomar termos antecedentes.

Certo ( ) Errado ( )

Ainda no que se refere aos aspectos linguísticos do texto 6A1AAA, julgue o item que se segue
2- Na linha 39, o emprego de “neste” decorre da presença do vocábulo “Aqui”, de modo que sua
substituição por nesse resultaria em incorreção gramatical.

Certo ( ) Errado ( )

3- A substituição de “dos”, em “dos que exerciam” (L5), por daqueles prejudicaria a correção gramatical
do texto e alteraria seu sentido original.

Certo ( ) Errado ( )

4- Prejudicam-se a correção gramatical e o sentido original do período ao se substituir o pronome


“aquela” (L7) por a.

38 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )
5- O termo “lá” (L25) se refere a “Bolívia” (L21).

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- E 2- C 3- E 4- E 5- C

Classes Gramaticais
Pronome Relativo
aula - 21
Conceito Básico

Pronome relativo é uma classe de pronomes que substituem um termo da oração anterior e estabelecem
relação entre duas orações
Ex: [Nós conhecemos o professor] [que chegou]
Or principal Or Subordinada adjetiva

Repare!
Os pronomes relativos introduzem orações subordinadas adjetivas explicativas e restritivas.

Variáveis Invariáveis
o qual, a qual, que
os quais, as quais
cujo, cuja, quem
cujos, cujas
quanto, quanta, onde
quantos, quantas
como
quando

Uso dos pronomes relativos:

a- O pronome relativo que pode se referir a coisas e a pessoas, podendo ser substituído por o qual (e
flexões)
Ex: O livro que li é excelente => O livro o qual li é excelente.
(que e o qual retoma o termo antecedente livro).

b- O relativo quem só pode referir-se a pessoas (ou a elementos personalizados), podendo ser substituído
por o qual (e flexões).
Ex: A mulher com quem me casei é linda (quem retoma o termo antecedente mulher).
A mulher com a qual me casei é linda.

39 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- Os relativos cujo(s) e cuja(s) expressam posse, vinculando um termo antecedente possuidor a um termo
consequente possuído, concordando com este (consequente possuído) em gênero e número.
Ex: O aluno cujo material foi roubado precisa de ajuda termo possuidor – cujo – termo possuído.

d- Os relativos como, quando e onde têm semânticas circunstanciais, respetivamente de modo, tempo e
lugar.

Ex: O jeito como me olha é fascinante.


O jeito com que me olha é fascinante (referente: jeito).
O jeito com o qual me olha é fascinante.
Eu me lembro do ano quando nos conhecemos.
Eu me lembro do ano em que nos conhecemos (referente: ano).
Eu me lembro do ano no qual nos conhecemos.
A casa onde morei está abandonada.
A casa em que morei está abandonada (referente: casa).
A casa na qual morei está abandonada.

Repare!
Precedido da preposição a o pronome onde a ela se junta, dando origem à forma aonde.
Ex: A casa aonde vou é aconchegante.

e) d- Os relativos quanto(s) e quanta(s) têm como antecedentes os pronomes indefinidos Ex: Comprei tudo
quanto quis. (referente: tudo)

Exercícios

1- Com relação aos aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o seguinte item.
pronome “que” (l2) refere-se a “despesas” (l1).

Certo ( ) Errado ( )

2- Julgue o seguinte item, a respeito de aspectos linguísticos do texto I.


Seria mantida a correção do texto caso o trecho “onde caberiam” (l6) fosse substituído por que caberia.

Certo ( ) Errado ( )

3- Ainda a respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto, julgue o item subsecutivo
vocábulo “que”, em “incapaz de arcar com os custos que uma lide judicial impõe” (l 38 e 39), funciona
como pronome relativo e retoma o termo antecedente.

Certo ( ) Errado ( )

4- A respeito das estruturas linguísticas do texto precedente, julgue o item subsequente


Na linha 8, o antecedente do pronome relativo “cuja” é “base”, o que justifica o emprego do feminino
singular nesse pronome.

40 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

5- Julgue o item que se segue com relação às ideias e estruturas linguísticas do texto III
Na linha 11, o pronome relativo “que” refere-se a “vestibular”.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- E 2- E 3- C 4-C 5-E

Posição do Pronome Oblíquo Átono


Próclise, Mesóclise e Ênclise (Parte I)
(aula 22)

Conceito Básico

Em relação ao verbo, o pronome oblíquo átono pode aparecer em três posições: proclítico (antes do verbo),
enclítico (depois do verbo) ou mesoclítico (no meio do verbo)
Ex: Não me viu (próclise)

Encontrar-te-ei hoje (mesóclise) Viu-os no mercado (ênclise)

Próclise Obrigatória

1- Com palavras de sentido negativo


Ex: Nada me perturba Não me acordou

2- Com pronomes indefinidos


Ex: Tudo me alegra Todos se comunicaram

3- Com expressões interrogativas


Ex: Quem me chamou? Onde te encontraram

4- Com os advérbios em geral


Ex: Hoje me promoveram Aqui se faz, aqui se paga

Observação: Havendo pausa, a ênclise passa a ter preferência


Ex: Hoje, promovera-me

5- Com conectores subordinativos


Ex: O gerente que me chamou é aquele
Quando a vi, chorei
Desejo que me convide

41 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

6- Com a expressão “em + POA + gerúndio”


Ex: Em se tratando de política, nada declaro

7- Em orações optativas ou exclamativas Ex: Bons ventos o levem! Que Deus o abençoe!

Ênclise Obrigatória

1- Em períodos iniciados por verbos


Ex: Amo-te Encontrei-a no saguão

2- Em orações com verbos no imperativo afirmativo Ex: Menina, ajude-me!

Mesóclise Obrigatória

1- No futuro do presente no futuro do pretérito, quando não há palavra atrativa de próclise


Ex: Amar-te-ei sempre
Falar-te-ia meus segredos

Repare!
Havendo palavra atrativa de próclise, a mesóclise é proibida
Ex: Não falar-te-ia meus segredos (errado)
Não te falaria meus segredos (certo)
Eu falar-te-ia meus segredos (certo)
Eu te falaria meus segredos (certo)

Exercícios

1- Considerando os aspectos gramaticais do texto CB1A1BBB, julgue o item seguinte


correção gramatical do texto seria prejudicada caso o pronome “me”, em “me parece” (l1), fosse deslocado
para logo após “parece”, da seguinte forma: parece-me.

Certo ( ) Errado ( )

2- A respeito das ideias e das estruturas linguísticas do texto CB1A1AAA, julgue o item seguinte
próclise observada em “se multiplicam” (ℓ7) e “se desenvolve” (ℓ14) é opcional, de modo que o emprego
da ênclise nesses dois casos também seria correto — multiplicam-se e desenvolve-se, respectivamente.

Certo ( ) Errado ( )

3- Acerca dos sentidos e de aspectos linguísticos do texto, julgue o item que se segue
Na linha 3, o termo “se” é um pronome e, caso sua colocação fosse alterada de proclítica — como está no
texto — para enclítica — que a doença transmitia-se —, essa alteração incorreria em erro gramatical.

Certo ( ) Errado ( )
42 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- Considerando-se os gêneros dos textos e as variedades da língua portuguesa, estaria adequado o emprego
da próclise em “Parece-me” (ℓ25 do texto 11A3CCC), assim como está adequado seu emprego em “Me
lembre” (ℓ9 do texto 11A3BBB).

Certo ( ) Errado ( )

5- Julgue o item que se segue, referente aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA
Haveria prejuízo da correção gramatical do texto caso a partícula “se”, no trecho “Quando a gente se
habitua a venerar os decretos da Providência” (l 9 e 10), fosse deslocada para imediatamente após a forma
verbal “habitua”, escrevendo-se habitua-se.
Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- C 2- C 3- C 4- E 5- C

Posição do Pronome Oblíquo Átono


Próclise, Mesóclise e Ênclise (Parte II)
(aula 23)

Casos que Merecem Atenção

1- Jamais se usa ênclise com o particípio verbal.


Ex: Concedida-me licença, sairei (errado)
Concedida a mim licença, sairei (certo)

2- É sempre correta a ênclise com o infinitivo pessoal.


Ex: Prometeu sempre acompanhá-lo.

3- Apossínclise: intercalação de uma ou mais palavras entre o verbo e o pronome átono proclítico isso
ocorre com palavras negativas.
Ex: O que se não deve dizer

Colocação do POA na Locução Verbal


Quando há locução verbal, as regras vistas até aqui têm de ser respeitadas.
Por exemplo, não se pode principiar período com POA, não se constrói ênclise com verbo flexionado no
futuro, não se usa ênclise com verbo no particípio, etc
Lembre-se de que toda locução verbal termina com uma forma nominal: infinitivo, gerúndio ou particípio

1- Verbo auxiliar + infinitivo

Ex: Te quero ajudar (errado)


Eu te quero ajudar (certo)
Quero-te ajudar (certo)
Quero te ajudar (certo)
Quero ajudar-te (certo)
Não te quero ajudar (certo)
Não quero-te ajudar (errado)
Não quero te ajudar (certo)
Não quero ajudar-te (certo)

43 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- Verbo auxiliar + gerúndio

Ex: Te estou ajudando (errado)


Eu te estou ajudando (certo)
Estou-te ajudando (certo)
Estou te ajudando (certo)
Estou ajudando-te (certo)
Não te estou ajudando (certo)
Não estou-te ajudando (errado)
Não estou te ajudando (certo)
Não estou ajudando-te (certo)

3- Verbo auxiliar +particípio

Ex: Te havia ajudado (errado)


Eu te havia ajudado (certo)
Havia-te ajudado (certo)
Havia te ajudado (certo)
Havia ajudado-te (errado)
Não te havia ajudado (certo)
Não havia-te ajudado (errado)
Não havia te ajudado (certo)
Não havia ajudado-te (errado)

Exercícios

1- Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, julgue o próximo item
correção do texto seria mantida caso o pronome “se”, em “poder-se-ia falar” (l5), fosse deslocado para
imediatamente após a forma verbal “falar”, escrevendo-se poderia falar-se.

Certo ( ) Errado ( )

2- Julgue o item que se segue, a respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto CB5A1AAA
correção gramatical do texto seria mantida caso, na linha 14, a partícula “se” fosse empregada
imediatamente após a forma verbal “pode” — escrevendo-se da seguinte forma: pode-se.

Certo ( ) Errado ( )

3- Julgue o seguinte item, referente às ideias e às estruturas linguísticas do texto III


Haveria prejuízo para a correção gramatical do texto caso o pronome “se”, em “Amanda recusouse” (l5),
fosse deslocado para imediatamente antes da forma verbal “recusou”: Amanda se recusou.

Certo ( ) Errado ( )

4- Em relação às ideias e às estruturas linguísticas do texto I, julgue o item que se segue


correção gramatical do texto seria preservada, caso o trecho “O que se constata”, no início do segundo
parágrafo, fosse reescrito da seguinte forma: O que constata-se.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- Certo 2- Errado 03 - Errado 04 - Errado

44 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Classes Gramaticais
Verbos (Parte I)
(aula 24)
Conceito Básico

É a palavra que, exprimindo ação, fenômeno da natureza ou apresentando estado ou mudança de um estado
a outro, pode fazer indicação de pessoa (primeira, segunda e terceira), número (singular e plural), tempo
(presente, pretérito e futuro), modo (indicativo, subjuntivo, imperativo) e voz (ativa, passiva, reflexiva e
recíproca).

Ex: Um homem já escorregou neste chão (ação)


As matas continuam indefesas (estado)
Anoitecia rapidamente! (fenômeno natural)
Ela continua eufórica (estado)
Ela se tornou médica (mudança de estado)

Estrutura dos Verbos

A estrutura básica do verbo é RD + VT + DMT + DNP

1- Radical (RD): é o único morfema indispensável a qualquer verbo, pois é a parte portadora de
significado.
É obtido retirando-se as terminações – ar, – er, – ir do infinitivo
Ex: cant – radical de cantar vend – radical de vender part – radical de partir

2- Vogal temática (VT): é a vogal que liga o radical à terminação A vogal temática define a que
conjugação pertence o verbo.

Ex: cantar – VT da primeira conjugação vender – VT da segunda conjugação partir – VT da terceira


conjugação.

Observação: Não há VT na primeira pessoa do singular do presente do indicativo e em todo o presente do


subjuntivo.

O verbo pôr é da segunda conjugação; outrora, ela era escrito poer


Dá-se o nome de Tema ao segmento RD + VT
Ex: cantar RD: cant; VT: a; TEMA: canta

3) Desinência modo-temporal (DMT): é a desinência que indica o modo (indicativo, subjuntivo e


imperativo) e o tempo (presente, passado e futuro) do verbo.

Conjugação
Modo Tempo Conjugação 1ª Conjugação Exemplos da Exemplos da
2ª e 3ª 1ª conjugação 2ª e 3ª
conjugação
Indicativo Presente do (não existe) 2ª e 3ª – (não
Indicativo existe)
Pretério im- -va (-ve) -a, (e) Amava, Vendia,
perfeito amáveis etc. vendíeis,
partias,
partíeis etc.
Pretério (não existe) (não existe)
perfeito

45 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Pret.mais -ra (re) (átono) -ra, (-re) Amara, Venderas,


– que – (átono) amáreis vendêramos,
perfeito partira,
partíreis etc.
Futurodo -ra (-re) -ra, (-re) Amará, Venderá,
presente (tônico) (tônico) amareis etc. venderemos,
partirás,
partireis etc.
Futuro do -ria, – rie -ria, – rie Amaria,ama- Venderias,
pretérito riámos etc. venderíeis,
partiríamos,
partiríeis etc.
Subjuntivo Presente -e -a Cantemos, vendas,
cantem etc. cantais, partas,
partam etc.
Pretérito -sse -sse cantasses, vendesses,
imperfeito cantássemos vendêssemos,
etc partisses,
partissem etc.
Futuro -r -r Cantares, Vender,
cantaremos, vendermos,
devermos, partires,
deverdes etc. partirdes
devermos etc.

4- Desinência número-pessoal (DNP): é a desinência que indica o número (singular e plural) e a pessoa
(1ª, 2ª e 3ª) do verbo

Número Pessoa Presentedo Pretérito Futuro do Futuro do Infinitivo Outros


Indicativo perfeito do presente Subjuntivo Pessoal tempos
indicativo do
indicativo
Singular 1ª -o -i -i - - -
2ª -s -ste -s -es -es -s
3ª - u - - - -
Plural 1ª - mos - mos - mos - mos - mos - mos
2ª -is -stes -is -des -des -is
3ª -m -ram -ão -em -em -m

Classificação dos Verbos

1- Regular: é o verbo que segue o paradigma de sua conjugação Cantar, vender e partir são,
respectivamente, exemplos de verbos regulares das 1ª, 2ª e 3ª conjugações

2- Irregular: muitos verbos apresentam irregularidade já no RD Em geral, isso se revela já no presente do


indicativo
VERBO REGULAR
Cantar – Infinitivo RD: canteu canto, tu cantas, ele canta, nós cantamos, vós cantais, eles cantam

VERBO IRREGULAR

Sentir – Infinitivo RD: sent-


eu sinto, tu sentes, ele sente, nós sentimos, vós sentis, eles sentem
Repare que, na primeira pessoa do singular, o RD sofreu variação (de sent – para sint-), o que é
característica do VERBO IRREGULAR

46 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Anômalo: apresenta profundas irregularidades São classificados como anômalos em todas as gramáticas
os verbos ser e ir

4- Defectivo: não apresenta todas as formas. Não apresentam, por exemplo, a 1ª pessoa do singular do
presente do indicativo e todo o presente do subjuntivo Verbos como falir, colorir, banir, precaver são
defectivos

Abundantes: apresentam mais de uma forma para uma mesma flexão.


É o caso, por exemplo, do verbo pagar, que admite dois particípios: pago e pagado.

Particípio
Regular Particípio irregular
Pegar Pegado Pego
Pagar Pagado Pago
I mprimir I mprimido I mpresso
Usam-se as formas Usam-se as formas
regulares com os irregulares com os
verbos auxiliares verbos auxiliares “ser”
“ter” e “haver” e “estar”
5- Unipessoais: são verbos defectivos que só se apresentam na 3ª pessoa (do singular e do plural) Verbos,
por exemplo, que expressam vozes de animais: latir, rugir, etc

6- Impessoais: não admitem sujeito e, por isso, também só aparecem na 3ª pessoa. É o caso, por exemplo,
do verbo haver, seja com o sentido de existir, ocorrer, seja com a ideia de tempo transcorrido.
Repare!
Diz-se que é rizotônica a forma verbal cuja vogal tônica está dentro do RD Quando está fora, diz-se então
que a forma verbal é arrizotônica

Ex: amo – A vogal tônica está dentro do RD: rizotônica amava – A vogal tônica está fora do RD:
arrizotônica.
Exercícios

1- Thomas Jefferson pretendia que o bom jornalismo


O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo do sublinhado acima está também sublinhado em:

a- as bases materiais do jornalismo profissional deslizam.


b- os eleitores haveriam de aprender a exercer a democracia.
c- Algo parecido ocorre agora com as redes sociais.
d- mais raro ainda que sejam reconhecidos como tais.
e- Desde quando os tabloides eram o principal veículo de massas.

2- Uma tendência que já coroava as edições anteriores do prêmio (4º parágrafo)


O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo do que se encontra acima está sublinhado em:

a- por meio do qual definia uma suposta obra de arte.


b- o novo prêmio atenderia ao mercado.
c- ou o que o contraria.
d- o leitor elegerá títulos apenas entre os finalistas.
e- ele contempla os títulos com mais chances.

3- No verso “Onde é que há gente no mundo?”, se o verbo haver tivesse sido conjugado no Presente do
Subjuntivo, ficaria:

a- Haja
b- Havia
c- Houve
d- Houvera
e- Havido
47 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- Analise a forma verbal destacada no trecho a seguir e assinale a alternativa que apresenta a classificação
adequada de tal forma verbal: “Portanto, mesmo que existam outras ‘Terras’ pela galáxia, defendo ainda a
raridade do nosso planeta e da vida complexa que nele existe”.

a- Presente do indicativo
b- Presente do subjuntivo
c- Pretérito perfeito do indicativo
d- Pretérito imperfeito do subjuntivo

5- Que faz com que os estúdios apostem em histórias já testadas e aprovadas por leitores O verbo
flexionado nos mesmos tempo e modo que o sublinhado acima encontra-se em:

a- As adaptações também viraram moda


b- A razão para que haja uma alta sem precedentes das adaptações
c- A indústria da adaptação tornou-se tão forte
d- Que essa tendência aparece com maior força
e- Programas de TV que fizeram sucesso

Gabarito 1- E 2- A 3- A 4- B 5- B

Classes Gramaticais
Verbos (Parte II)
aula - 25
Tempo e Modo
Modo indicativo

MODO INDICATIVO – VERBOS REGULARES DA PRIMEIRA CONJUGAÇÃO


PRESENTE PERFEITO IMPERFEITO MAIS-QUE – FUTURO DO FUTURO DO
PERFEITO PRESENTE PRETÉRITO
EU amo amei amava amara amarei amaria
TU amas amaste amavas amaras amarás amarias
ELE ama amou amava amara amará amaria
NÓS amamos amamos amávamos amáramos amaremos amaríamos
VÓS amais amastes amáveis amáreis amareis amaríeis
ELES amam amaram amavam amaram amarão amariam
MODO INDICATIVO – VERBOS REGULARES DA SEGUNDA CONJUGAÇÃO
PRESENTE PERFEITO IMPERFEITO MAIS-QUE – FUTURO DO FUTURO DO
PERFEITO PRESENTE PRETÉRITO

EU vendo vendi vendia vendera venderei venderia

TU vendes vendeste vendias venderas venderás venderias

ELE vende vendeu vendia vendera venderá venderia

NÓS vendemos vendemos vendíamos vendêramos venderemos venderíamos

VÓS vendeis vendestes vendíeis vendêreis vendereis venderíeis

ELES vendem venderam vendiam venderam venderão venderiam


MODO INDICATIVO – VERBOS REGULARES DA TERCEIRA CONJUGAÇÃO
PRESENTE PERFEITO IMPERFEITO MAIS-QUE – FUTURO DO FUTURO DO
PERFEITO PRESENTE PRETÉRITO
EU parto parti partia partira partirei partiria

TU partes partiste partias partiras partirás partirias

ELE parte partiu partia partira partirá partiria

NÓS partimos partimos partíamos partíramos partiremos partiríamos

VÓS partis partistes partíeis partíreis partireis partiríeis


ELES partem partiram partiam partiram partirão partiriam

48 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Modo subjuntivo
MODO SUBJUNTIVO
PRESENTE IMPERFEITO FUTURO
ame amasse amar
ames amasses amares
ame amasse amar
amemos amássemos amarmos
ameis amásseis amardes
amem amassem amarem
MODO SUBJUNTIVO V
PRESENTE IMPERFEITO FUTURO

venda vendesse vender


vendas vendesses venderes
venda vendesse vender
vendamos vendêssemos vendermos
vendais vendêsseis venderdes
vendam vendessem venderem
MODO SUBJUNTIVO
PRESENTE IMPERFEITO FUTURO
parta partisse partir
partas partisses partires
parta partisse partir
partamos partíssemos partirmos
partais partísseis partirdes
partam partissem partirem

Modo imperativo
Quanto ao modo imperativo, três pontos são fundamentais:
1) não existe primeira pessoa do singular;
2) as formas do imperativo afirmativo e as do imperativo negativo são idênticas, todas retiradas do
presente do subjuntivo, com exceção de TU e VÓS, no imperativo afirmativo
3) para se formar o imperativo afirmativo de TU e VÓS, retiram-se as correspondentes formas do presente
do indicativo, retirando-lhes o –s final.

Presente IMPERATIVO IMPERATIVO Presente


Indicativo AFIRMATIVO NEGATIVO Subjuntivo
amo SIM NÃO ame
amas AMA tu AMES tu ames
ama AME você AME você ame
amamos AMEMOS nós AMEMOS nós amemos
amais AMAI vós AMEIS vós ameis
amam AMEM vocês AMEM vocês amem
Anotações:
______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________

Presente Indicativo IMPERATIVO IMPERATIVO Presente


AFIRMATIVO NEGATIVO Subjuntivo
Vendo/ parto SIM NÃO venda / parta
Vendes / partes VENDE / PARTE tu VENDAS / PARTAS tu vendas / partas
Vende / parte venda /
parta você VENDA / PARTA você venda / parta
Vendemos / partimos vendamos / partamos nós VENDAMOS / vendamos /
PARTAMOS nós partamos
vendeis / partis VENDEI / PARTI vós VENDAIS / PARTAIS vós vendais / partais

49 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Vendem / partem vendam / partam vocês VENDAM / PARTAM vendam / partam


vocês

Formação do Tempo Composto

Dá-se o nome de tempo composto à seguinte estrutura verbal:


Ter ou Haver + particípio
Em português, são os seguintes tempos compostos:

a) Pretérito perfeito do indicativo:


Eu tenho estudado.
Tu tens estudado.

b) Pretérito mais-que-perfeito do indicativo:


Eu tinha estudado.
Tu tinhas estudado.

c) Futuro do presente do indicativo:


Eu terei estudado.
Tu terás estudado.

d) Futuro do pretérito do indicativo:


Eu teria estudado.
Tu terias estudado.

e) Pretérito perfeito do subjuntivo:


Que eu tenha estudado.
Que tu tenhas estudado.

f) Pretérito mais-que-perfeito do subjuntivo:


Se eu tivesse estudado.
Se tu tivesses estudado.

g) Futuro do subjuntivo:
Quando eu tiver estudado.
Quando tu tiveres estudado.

Exercícios

1- “Se eu falasse, ninguém acreditaria”


O emprego de tempos verbais nesse segmento do texto 2 está correto, segundo a norma culta; a frase
abaixo em que se mantém a correção gramatical é:

a- Se eu falasse, ninguém acreditava;


b- Se eu falo, ninguém acreditaria;
c- Caso eu falasse, ninguém acreditava;
d- Caso eu fale, ninguém acredita;
e- Se eu falava, ninguém acreditaria.

2- No que se refere à conjugação de alguns verbos irregulares da língua portuguesa, analise os enunciados
abaixo.

1- Não podemos negar que muitas mulheres interviram na história do nosso país
2- Quando toda mulher vir a ser reconhecida, certamente o mundo será melhor
3- No rol das mulheres extraordinárias, espero que caibam muitas outras mulheres
4- Os livros de História contém muitas injustiças em relação às mulheres Está(ão) correta(s):

a- 1 e 2, apenas
50 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b- 1, 3 e 4, apenas
c- 3, apenas
d- 2 e 4, apenas
e- 1, 2, 3 e 4

3- Em língua portuguesa, alguns verbos apresentam irregularidades em sua conjugação A esse respeito,
analise os enunciados abaixo.

1- Só conseguiremos controlar nossa vida financeira se mantermos nossa atenção aguçada


2- Só consegui equilíbrio financeiro quando um consultor me ajudou e interveio em meus gastos
3- Quando você vir alguém que consome sem controle, tente ajudar essa pessoa
4- Se todos nós contêssemos nossos gastos, sem dúvida o mundo seria melhor A conjugação dos verbos em
destaque está correta nos enunciados:

a- 1, 2, 3 e 4
b- 2 e 3, apenas
c- 1, 3 e 4, apenas
d- 1 e 2, apenas
e- 2 e 4, apenas

4- Os verbos destacados estão flexionados no pretérito imperfeito do indicativo, EXCETO em:

a- “[...] ao ponto em que havia um intervalo sensível de tempo entre digitar e a letra aparecer na tela”
b- “Meu telefone, um iPhone 6, estava cada vez mais lento”
c- “Não era por nenhuma das causas apontadas nas inúmeras salas de conversa entre usuários de iPhones
vagarosos”
d- “Você já entrou alguma vez numa loja cara onde os vendedores, envaidecidos pela aura do próprio
produto [...]”

5- Apenas uma das formas verbais destacadas a seguir foi conjugada no modo imperativo assinale-a.

a- “IMAGINE se um dia todos os lixeiros de sua cidade”


b- “se a greve se PROLONGAR”
c- “O Brasil é o quinto país que mais PRODUZ lixo no mundo”
d- “Daqui uma hora a história se REPETE”
e- “RECORTO a caixa de pizza em pedacinhos”

GABARITO 1- D 2- C 3- B 4- D 5- A

Classes Gramaticais
Verbos (parte III)
aula - 26
Locução Verbal

É a sequência de dois ou mais verbos equivalendo a um só Por vezes, entre tais verbos aparece uma
preposição (essencial ou acidental) Normalmente são dois verbos: o primeiro é chamado de auxiliar; o
segundo é chamado de principal e é necessariamente uma das formas nominais do verbo, ou seja,
infinitivo, gerúndio ou particípio.
Ex: Vou estudar. Estou estudando. Tenho estudado.
Tenho de estudar. Começou a rir.

Repare!
O verbo principal não é chamado de principal à toa. Se, por exemplo, o verbo principal for impessoal e, por
isso, não admitir plural, toda a locução ficará no singular
Ex: Deve haver explicações melhores.

51 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Semântica dos Tempos Verbais

1- Modo indicativo: expressa, em geral, fato; cuidado maior merece o futuro do pretérito, pois, em geral,
sinaliza condição, hipótese
Ex: No próximo ano, faremos dez anos de namoro.
Nessa frase, o verbo expressa futuro tido como certo.
No próximo ano, faríamos dez anos de namoro.
Nessa frase, o verbo expressa fato hipotético, isto é, atrelado a uma hipótese. Se a frase afirma que
faríamos, então não faremos.

Repare!
O pretérito perfeito expressa passado pontual Diz-se de fato concluso.
Ex: Ela bebeu muito.
Ele teve uma doença grave.

O pretérito imperfeito expressa passado impontual duradouro, permanente ou frequentativo.


Ex: Ela bebia muito.
Quando nasceu, tinha uma doença grave.

O pretérito-mais-que-perfeito exprime fato passado anterior a outro fato também passado.


Ex: Quando eu cheguei, ela já dormira (ela dormiu antes de eu chegar).

2- Modo subjuntivo: expressa, em geral, hipótese, fato dependente


Ex: Se não chovesse, eu sairia

3- Modo imperativo: expressa ordem, súplica, apelo, exortação


Ex: Espere-me, que eu já vou.
Correlação Verbal.

Casos de maior incidência em concursos públicos

1- O futuro do subjuntivo combina com o futuro do presente do indicativo.

Ex: Quando estudar, não usarei o celular.


Não sairei, se chover.

2- O pretérito imperfeito do subjuntivo combina com o futuro do pretérito do indicativo.


Ex: Se estudasse, entenderia a matéria.
Não sairia se chovesse

3- As conjunções condicionais caso e se têm certas exigências distintas A primeira repele o futuro do
subjuntivo; a segunda, o presente do subjuntivo.

Ex: Se estudar, entenderá a matéria (certo)


Se estudasse, entenderia a matéria (certo)
Se estude, entenderá a matéria (errado)
Caso estude, entenderá a matéria (certo)
Caso estudasse, entenderia matéria (certo)
Caso estudar, entenderá a matéria (errado)

Exercícios

1- No trecho “Foi criado e vem sendo desenvolvido há 10 anos por engenheiros de primeira linha ao redor
do mundo [...]” (linhas 11-12), a forma verbal destacada indica ação iniciada no passado.

a- e concluída no momento da enunciação


b- e não concluída no momento da enunciação
52 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- e concluída depois de outra ação no passado


d- desenvolvida por determinado tempo e concluída no momento da enunciação

2- No texto 1A1AAA, com o emprego da forma verbal “assumira” (ℓ9), exprime-se.

a- a continuidade de uma ação ocorrida no passado.


b- a concomitância de uma ação em relação a outra.
c- o resultado presente de ação ocorrida no passado.
d- o ponto inicial de ação ocorrida no passado.
e- a anterioridade de uma ação em relação a outra.

3- A frase cuja forma verbal destacada expressa um desejo está na alternativa:

a- Na realidade estou adiando o momento de escrever (1º parágrafo).


b- Gostaria de estar inspirado, de coroar com êxito (2º parágrafo).
c- Sem mais nada para contar, curvo a cabeça… (2º parágrafo).
d- A filha aguarda também, atenta como um animalzinho (5º parágrafo).
e- mas acaba sustentando o olhar e enfim se abre num sorriso(6º parágrafo).

4- Assinale a alternativa em que a forma verbal em destaque no trecho expressa a ideia de possibilidade de
que um fato ou evento se realize.

a- E há motivos para acreditar que pelo menos uma parte deles queira.
b- os preços efetivamente praticados estavam em linha com os da concorrência.
c- resolveu acabar com a ginástica de remarcações e descontos.
d- Em um ano, a companhia perdera US$ 985 milhões.
e- Num mundo em que o cliente sempre tem razão.

5- Os aviões vinham deste país, abasteciam em Natal e ficavam prontos para fazer a travessia do
Atlântico
Transformando-se o que se afirma acima em uma hipótese, os verbos devem assumir as seguintes formas:

a- vieram − abasteceram − ficaram


b- viriam − abasteceriam − ficariam
c- tinham vindo − teriam abastecido − ficarão
d- vieram − tivessem abastecido − ficavam
e- viriam − haviam abastecido − ficaram

Gabarito 1- B 2- E 3- B 4- A 5-B
Vozes Verbais
aula - 27
Ativa, Passiva e Reflexiva
Classificação Básica

Em análise sintática, voz é a relação do sujeito com o verbo. O sujeito pode ser agente, paciente ou
simultaneamente agente e paciente da ação verbal.

1- Voz ativa: o sujeito é agente da ação verbal.


Ex: O atleta venceu a luta O atleta: sujeito agente.

2- Voz passiva: o sujeito é paciente da ação verbal.


Ex: A luta foi vencida pelo atleta A luta: sujeito paciente.

3- Voz reflexiva: o sujeito é simultaneamente agente e paciente da ação verbal Ex: Ela se cortou se:
pronome reflexivo.

53 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Repare!
Uma ação só pode ser considerada reflexiva se ela pode ser dirigida a um outro ser Uma pessoa pode cortar
alguém ou pode se cortar.

A Voz Reflexiva ganha caráter de reciprocidade quando equivale a “um ao outro”


Ex: Os jogadores se abraçaram ao final do jogo
Sujeito: Os jogadores (cada um abraçou os demais) Voz Recíproca

Voz Passiva
Conceito Básico

Uma oração só pode ser transposta para a Voz Passiva se seu verbo tem natureza transitiva direta (ou
transitiva direta e indireta simultaneamente).
Falamos em Voz Passiva quando o sujeito é paciente da ação verbal. Há dois modos básicos de se apassivar
o sujeito de uma oração.
Voz Passiva Analítica (Também Chamada de Verbal)
Marcada sempre por uma locução verbal, em geral SER + Particípio
Ex: O professor foi elogiado pelos alunos. O professor: sujeito paciente. A professora será premiada no
concurso. A professora: sujeito paciente.

Repare!
VOZ ATIVA VOZ PASSIVA
SUJEITO AGENTE DA PASSIVA
OBJETO DIRETO SUJEITO
OBJETO INDIRETO OBJETO INDIRETO

Ex: O atleta vendeu a luta (Voz Ativa)


Suj agente VTD OD
A luta foi vencida pelo atleta (Voz Passiva Analítica) Suj paciente V ser + particípio agente da passiva

Voz Passiva Sintética (Também Chamada de Pronominal)


Marcada pelo pronome SE (Pronome Apassivador).
Ex: Vendeu-se a casa => A casa foi vendida A casa: sujeito paciente
(Voz Passiva Sintética) (Voz Passiva Analítica)
Observação: Somente verbos transitivos diretos ou simultaneamente diretos e indiretos admitem a
transposição e a conversão de uma voz para outra

Ex: O técnico consertou o computador (consertou – VT,D) – Voz Ativa


O computador foi consertado pelo técnico – Voz Passiva Analítica
A empresa precisa de funcionários (precisa – VTI) – Voz Ativa Não é possível a transposição para a voz
passiva

Exercícios
Acerca das estruturas linguísticas do texto A gestão pública adaptada ao novo paradigma da eficiência,
julgue o item subsecutivo.

1- A correção gramatical do período seria preservada ao se substituir “implementou-se” (l20) por foi
implementada.

Certo ( ) Errado ( )

2- Em relação às ideias e às estruturas linguísticas do texto I, julgue o item que se segue


A substituição de “se constata” (L8) por é constatado manteria a correção gramatical e o sentido original
do texto.

54 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

3- Com relação às ideias e às estruturas linguísticas do texto I, julgue o item que se segue
Caso se substituísse “iniciou-se” (l14) por foi iniciada, a correção gramatical do período seria prejudicada.

Certo ( ) Errado ( )

4- A respeito das ideias e de aspectos gramaticais do texto acima, julgue o item


O trecho “Criou-se uma forma de salvação feminina a partir basicamente de três modelos femininos” (l 28
e 29) poderia ser reescrito, com correção gramatical e sem prejuízo da informação prestada, da seguinte
forma: Uma forma de salvação feminina foi criada a partir, basicamente, de três modelos femininos.

Certo ( ) Errado ( )

5- O trecho “eram usadas tochas” (L13) poderia ser corretamente reescrito como usavam-se tochas.

Certo ( ) Errado ( )

GABARITO 1- C 2- C 3- E 4- C 5- C
Voz Passiva
aula - 28
Transposição da Voz Passiva Sintética para a Passiva Analítica

O sujeito da passiva analítica é igual ao da passiva sintética.


Se houver objeto indireto, ele continua como objeto indireto.
O tempo verbal deve ser mantido A partícula apassivadora SE dá lugar à locução verbal SER + particípio.

Ex: Alugou-se a casa (Voz passiva sintética)


A casa: sujeito paciente; alugou: verbo transitivo direto; se: partícula apassivadora
A casa foi alugada (Voz passiva analítica)
A casa: sujeito paciente; foi alugada: verbo SER + particípio.

Transposição da Voz Passiva Sintética para a Ativa


O sujeito da voz passiva se transforma objeto direto na ativa.
Se houver objeto indireto, ele continua como objeto indireto.
Como não há agente da passiva na voz passiva sintética, o sujeito da voz ativa fica indeterminado.

Ex: Consertou-se o relógio (Voz passiva sintética)


O relógio: sujeito paciente; consertou: verbo transitivo direto; se: partícula apassivadora; agente da passiva:
não há.
Consertaram o relógio (Voz ativa)
Sujeito: indeterminado; consertaram: verbo transitivo direto; joia: objeto direto

55 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Transposição da Voz Passiva Analítica para a Ativa

VOZ ATIVA VOZ PASSIVA

SUJEITO AGENTE DA PASSIVA


OBJETO DIRETO SUJEITO

OBJETO INDIRETO OBJETO INDIRETO

Ex: O livro foi levado pelo professor (Voz passiva analítica)


O livro: sujeito paciente; foi levado: verbo ser + particípio; pelo professor: agente da passiva
O professor levou o livro (Voz ativa)
O professor: sujeito; levou: verbo transitivo direto; o livro: objeto indireto
O carro foi furtado (Voz passiva analítica)
O carro: sujeito paciente; foi furtado: verbo ser + particípio; agente da passiva: não há
Furtaram o carro (Voz ativa)
Sujeito: indeterminado; furtaram verbo transitivo direto; o carro: objeto direto.

Exercícios

1- Com relação a aspectos linguísticos do texto CB2A1AAA, julgue o item seguinte


A substituição de “foram adotados” (l8) por adotou-se preservaria a correção e o sentido do texto “ foram
adotados dispositivos legais”.

Certo ( ) Errado ( )

2- “O levantamento foi feito pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) com 99
instituições”.
Essa frase do texto exemplifica a voz passiva; assinale a forma verbal correspondente à que está
sublinhada, na voz ativa.

a- fez-se
b- fazia
c- fazia-se
d- fizera
e- fez

3- A análise foi realizada por pesquisadores dos Estados Unidos e da China (2º parágrafo) A frase indicada
acima fica com a forma verbal correta na voz ativa correspondente em:

a- Pesquisadores dos Estados Unidos e da China realizam a análise.


b- Foi pesquisadores dos Estados Unidos e da China que realizaram a análise.
c- É que pesquisadores dos Estados Unidos e da China realizaram a análise.
d- Realizou-se a análise pesquisadores dos Estados Unidos e da China.
e- Pesquisadores dos Estados Unidos e da China realizaram a análise.

4- “O flagrante de dois assessores trocando figurinhas durante uma sessão foi divulgado pelas redes sociais
e a cena se espalhou”.
O segmento “foi divulgado pelas redes sociais” do texto 2 é exemplo de voz passiva; se a mesma frase
fosse colocada na voz ativa, a forma verbal adequada seria:

a- divulgaram;
b- divulgaram-se;
c- divulgou-se;
d- divulgam-se;
e- divulga-se
56 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Gabarito 1- E 2- E 3-E 4- A

Concordância Verbal - Parte 1


aula - 29
Sujeito Simples
Regra Geral

É aquela que se estabelece entre o verbo e o sujeito de uma oração Como REGRA GERAL, o verbo
concorda com o sujeito em número e pessoa
Ex: Os atletas se cumprimentaram
Sujeito: Os atletas (3ª pessoa do plural)
Verbo: 3ª pessoa do plural
Nós acordamos cedo
Sujeito: nós (1ª pessoa do plural) Verbo: 1ª pessoa do plural

Casos Particulares
1- Sujeito Coletivo: acompanhado de expressão no plural, o verbo fica no singular ou vai ao plural
Ex: Um bando de aves voou / voaram

2- Sujeito Coletivo Partitivo (maioria, minoria, maior parte de, grande parte de, metade de, uma porção
de, etc): acompanhado de expressão no plural, o verbo fica no singular ou vai ao plural.
Ex: A maioria dos alunos chegou / chegaram.

Sujeito Composto
Regra Geral

Sujeito Composto: o verbo vai ao plural quando o sujeito composto aparece depois do verbo. Admite-se a
concordância atrativa (com o núcleo mais próximo), quando o sujeito está posposto .
(posto após) ao verbo
Ex: Pai e filho saiu (errado)
Pai e filho saíram(certo)
Saiu pai e filho (certo)
Saíram pai e filho (certo)

Repare!
Se os núcleos forem constituídos por pronomes pessoais, a primeira pessoa prevalece sobre as demais; a
segunda prevalece sobre a terceira.

Ex: Tu e ele saiu (errado)


Tu e ele saístes (certo)
Saíste tu e ele (certo)
Saístes tu e ele (certo)
Eu, tu e ele viu (errado)
Eu, tu e ele vimos (certo)

Verbo Ser
Principais Casos

1- Se o sujeito ou o predicativo está representado por pronome pessoal, o verbo ser concorda
obrigatoriamente com ele.
Ex: Ela era as preocupações do pai O responsável sou eu.

2- Se o verbo ser está entre substantivos designativos de coisas, a concordância é facultativa.


Ex: Justiça é / são virtudes.
A solução é / são os caminhos.

57 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Com pronomes e advérbios interrogativos, a concordância se dá com o termo plural


Ex: Quem eram os pretendentes? Quando serão as reuniões?

4- Se o sujeito são os demonstrativos isto, isso, aquilo, o (e equivalentes), ou o pronome indefinido tudo,
a concordância será facultativa, preferindo-se o plural.
Ex: Isto é / são mentiras

5- Na indicação de horas, a concordância se dá com o numeral.


Ex: É uma hora.
São duas horas.

Verbos Impessoais

Verbo Haver e Fazer

1- Haver – Quando tem o significado de “existir”, “ocorrer” ou quando expressa decurso temporal, o
verbo HAVER é impessoal, isto é, não admite sujeito e, em termos de concordância, fica sempre na 3ª
pessoa do singular, ou seja, não vai ao plural.
Ex: Houve acidentes no Centro Ainda havia esperanças.
Há dez anos, eu não viajo.

2- Fazer – Quando expressa fenômeno natural ou decurso de tempo, o verbo FAZER também é
impessoal e também não vai ao plural.
Ex: Faz dez anos, eu não viajo.
Fez noites lindas em janeiro.

Repare!
Quando os impessoais HAVER e FAZER são principais (últimos) de uma locução verbal, ela toda fica
impessoal e, portanto, no singular Ex: Deverá haver aulas na próxima semana.
Deve estar fazendo dez anos que não viajo.

Exercícios

1- A respeito dos aspectos linguísticos e textuais do texto CB2A1AAA, julgue o item que segue. A forma
verbal “impõem” (ℓ24) está no plural porque concorda com o termo “instituições” (ℓ23).

Certo ( ) Errado ( )

2- Com relação às ideias e às estruturas linguísticas do texto apresentado, julgue o item que segue.
A forma verbal “haja” (l4) poderia ser flexionada no plural — hajam —, preservando-se a correção
gramatical e os sentidos do texto.

Certo ( ) Errado ( )

3- Com relação aos sentidos e aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o próximo item
Seriam mantidos a correção gramatical e os sentidos originais do texto, caso a forma verbal .
“Houve” (l25) fosse substituída por Ocorreram.
“Houve, em resumo, uma ampliação no grau de complexidade da sociedade”.
58 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

4- A correção gramatical e os sentidos do texto 1A10BBB seriam preservados caso a forma verbal
“ocorreram” (ℓ10) fosse substituída por.
“Embora, infelizmente, tais metas não tenham sido atingidas, ocorreram diversos avanços ”.

a- existiu
b- aconteceu
c- sucederam
d- tiveram
e- houveram

5- Julgue o item subsequente, a respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto 7A3BBB
No contexto em que foi empregada, a forma verbal “buscaram” (ℓ16) poderia ter sido flexionada no
singular, buscou, sem que houvesse prejuízo para a correção gramatical do texto.

Certo ( ) Errado ( )

6- Considerando os sentidos e os aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, bem como o disposto no


Manual de Redação da Presidência da República, julgue o item que segue. Seria mantida a correção
gramatical do texto caso a forma verbal “acredita” (l21) fosse flexionada no plural: acreditam.
“A maioria dos laboratórios acredita que o acúmulo de trabalho é o maior problema”.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- E 2- E 3- E 4- C 5- E 6- C

Concordância Verbal - Parte 2


aula - 30

Casos de Grande Incidência em Concursos Públicos


Expressões de Valor Aproximativo
Expressões com valor aproximativo do tipo “mais de”, “menos de”, “cerca de”, “coisa de” seguidas de
numeral: o verbo concorda com o número, que é o núcleo do sujeito.

Ex: Mais de cem fizeram a prova.


Menos de dois alunos passaram.

Repare!
A expressão ‘mais de um’ requer o plural quando repetida, ou quando o verbo exprime reciprocidade de
ação.

Ex: Mais de um traficante, mais de um ladrão foram mortos.


Mais de uma pessoa se abraçaram emocionadas.

Pronome Indefinido ou Interrogativo

Se o sujeito é constituído de pronome indefinido (ou interrogativo) seguido da construção de / dentre + nós
/ vós / vocês / deles: há duas possibilidades.

a- se o pronome é do singular, o verbo fica no singular.


Ex: Nenhum de nós/vós/vocês/deles irá

59 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b- se o pronome é do plural, o verbo concorda com o pronome pessoal ou então, no caso de nós e vós, o
verbo também pode ir para a terceira do plural.
Ex: Quais deles irão? Quais de nós iremos / irão?

Pronomes Relativos Quem e Que

a- Havendo o pronome quem, o verbo vai para a 3ª do singular ou concorda com o antecedente
Ex: Sou eu quem faz / faço
Somos nós quem faz / fazemos

b- Havendo o relativo que antecedido de pronome reto, a concordância verbal se dá com este (pronome
reto)
Ex: Sou eu que faço o material. (certo)
Sou eu que faz o material. (errado)

c- Com as expressões “um dos (das) que”, o Português contemporâneo dá larga preferência ao plural, salvo
quando há ideia de exclusão necessária.
Ex: Dos professores, sou um dos que vão dar aulas.
João, muito possivelmente, é um dos candidatos que assumirá a presidência em 2022.

Percentagem
Em se tratando de expressões de percentagem, ou se concorda com o numeral, ou se concorda com a
expressão preposicionada

Ex: Dois por cento da turma saiu / saíram


Um por cento dos alunos saiu / saíram

Sujeito Oracional

Quando o sujeito é uma oração, o verbo deve ficar flexionado na 3ª pessoa do singular
Ex: Convém que vocês estudem
Sujeito: que vocês estudem (O que convém?)

Ex: Sabe-se que vocês acertaram as questões


Sujeito: que vocês acertaram as questões (O que se sabe? => que vocês acertaram as questões e sabido)

Nomes Próprios no Plural

Se o sujeito é nome próprio ou título de obra, a concordância se dá com o artigo Se não houver artigo, o
verbo fica no singular.
Ex: Os Estados Unidos atacaram o Iraque Minas Gerais faz parte da história do Brasil

Pronomes de Tratamento

Os pronomes de tratamento levam a concordância para a 3ª pessoa Ex: Vossa Excelência já encaminhou os
documentos para o funcionário?

Partícula Se

a- Se a partícula SE for partícula apassivadora (PA), o verbo concorda com o sujeito


Ex: Alugou-se a casa (A casa foi alugada)
Venderam-se as joias (As joias foram vendidas)

Repare! Não se esqueça de que para a partícula SE ser PA, o verbo tem de ser transitivo direto ou
transitivo direto e indireto

b- Se a partícula SE for pronome indeterminador do sujeito (PIS), o verbo concorda fica na 3ª pessoa
do singular

60 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Acredita-se em milagres.


Vive-se bem aqui.

Repare! Não se esqueça de que, para a partícula SE ser PIS, o verbo tem de ser transitivo indireto,
intransitivo ou de ligação.

Exercícios

1- Em qual das frases abaixo há erro de concordância?

a- Os Estados Unidos são uma nação curiosa.


b- As abelhas são animais férteis e sabem se valer disso.
c- Cita-se como exemplos sempre os mesmos alunos.
d- O barulho das máquinas é ensurdecedor.
e- Não se sabe quem são os responsáveis pelo ato.

2- Assinale a frase a seguir em que a concordância verbal com porcentagens está incorreta.

a- 25,7% do total de calouros se matricularam.


b- 30% da imprensa mostraram esse mesmo dado.
c- 1,7% do jornal se ocuparam dessa notícia.
d- 5,8% do público leitor comentou os dados fornecidos.
e- 1,3% dos leitores se interessaram pela notícia.

3- Do ponto de vista da concordância, a frase em que o verbo está empregado de acordo com as regras da
norma-padrão é:

a- Necessitam-se de terapias alternativas.


b- Fazem meses que iniciamos o tratamento.
c- Concluiu-se os vários trabalhos solicitados.
d- Houve inquietações consideradas corriqueiras.
e- Os Estados Unidos avança nos estudos freudianos.

4- Considerando-se a norma padrão escrita da língua portuguesa, assinale a alternativa em que a


concordância verbal está correta.

a- Na véspera de natal, 25% dos garis andou tentando trabalhar em dobro.


b- Quais de nós estamos dispostos a recolher o lixo deixado na praia?
c- Aluga-se apartamentos mobiliados, em lugar aprazível, perto da praia.
d- As praias do litoral brasileiro, naquela excursão, causou-me espanto.

5- Assinale a alternativa correta


a- Vossas Senhorias aceita um café?
b- Agora sou eu que escolho a programação da TV.
c- Ao final do espetáculo, o público aplaudiram em pé o elenco.
d- Eu, tu e ela formarão um grupo na aula de Português, certo?
e- Tu e ela ilustraremos o trabalho de História.

Gabarito 1- C 2- C 3- D 4- B 5- B

Concordância Nominal
aula - 31
Casos de Grande Incidência em Concursos Públicos
Conceito

61 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

É aquela que se estabelece entre um substantivo (ou um pronome ou numeral substantivo) e as palavras que
a ele se ligam para caracterizá-lo (artigos, adjetivos, pronomes adjetivos, numerais adjetivos).
Ex: Os meus dois melhores amigos viajaram.
Dois ou mais Substantivos e um Adjetivo.
Quando o termo adjetivo (adjunto adnominal) se refere a mais de um substantivo, há duas possibilidades:

1- se o adjetivo (adjunto adnominal) estiver posposto aos substantivos, poderá haver a concordância
rígida (também chamada gramatical: feita com a totalidade dos núcleos) ou a concordância atrativa (feita
com o núcleo mais próximo)

Ex: Comprei um rádio e uma cafeteira importada.


Comprei um rádio e uma cafeteira importados.
Comprei uma cafeteira e um rádio importado.
Comprei uma cafeteira e um rádio importados.

2- se o adjetivo (adjunto adnominal) estiver anteposto aos substantivos, a concordância em geral é a


atrativa, devendo dar-se a lógica só em casos estilísticos, principalmente quando os substantivos são nomes
próprios ou de parentesco.

Ex: Eu tenho caro rádio e cafeteira.


Eu tenho cara cafeteira e rádio.
Os dedicados Maria e João participaram da aula.

Adjetivos ou Advérbios?

Meio, bastante, muito, pouco, caro, longe e barato podem atuar como adjetivos (ou pronomes adjetivos)
ou advérbios.
Quando funcionam como adjetivos ou pronomes adjetivos, variam.
Quando funcionam como advérbio, não variam.

Ex: Bebemos meia garrafa de vinho (adjetivo)


Ela está meio cansada (advérbio)

Ex: Muitas mulheres gostam de flores (pronome adjetivo)


As mulheres gostam muito de flores (advérbio)

Ex.: As roupas são caras (adjetivo).


As roupas custaram caro (advérbio)

Menos e Alerta
O termo “menos” (não importa seu valor gramatical na frase) nunca varia; não existe “menas” Já o termo
“alerta”, quando for advérbio, não varia

Ex: Menos pessoas estão fumando hoje. (pronome adjetivo)


As pessoas fumam menos.
Os bombeiros estão sempre alerta. (advérbio)

Palavras Variáveis que Merecem Atenção

Próprio, mesmo, obrigado, anexo, incluso, quite, grato, agradecido e leso são palavras adjetivas,
portanto concordam em gênero e número com o nome (substantivo ou pronome) a que se referem.

Ex: Elas mesmas preparam o bolo.


Elas disseram: – Obrigada.
Eles disseram: – Obrigado.
As fotos seguem anexas ao e-mail.
Estamos quites.

62 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Repare!
A expressão em anexo é invariável.
Ex: As fotos seguem em anexo.

Verbo Ser + Adjetivo


As expressões “É bom”, “É proibido”, “É permitido”, “É necessário” e similares não variam quando se
referem a substantivos com caráter genérico, sem especificação, desacompanhados de artigos (e de outros
meios de determinação).

Ex: É proibida a entrada. (certo)


É proibido entrada. (certo)
É proibido a entrada. (errado)
É proibida entrada. (errado)

A Palavra Só

Quando “só” equivale a “somente”, é invariável; quando “só” equivale a “sozinho”, é variável Com base
nisso, identifique a alternativa em que a palavra “só” é variável

Ex: Eles saíram sós (=sozinhos)


Compraram só frutas (=somente)

A Palavra “Possível”
A palavra possível precedida de mais, menos, maior, menor, melhor, pior, etc, concorda com o artigo
que precede essas palavras
Ex: Apoio alunos o mais dedicados possível
Fizemos exercícios os mais difíceis possíveis

Exercícios
1- A frase em que a concordância nominal está INCORRETA é:

a- A confusão formada diante do prédio da instituição era meio grande.


b- Enviaremos incluso no imposto a taxa de iluminação pública.
c- Ela não devia deixar as crianças sós por tantas horas.
d- Finalmente, meu colega está quite com a Receita Federal.
e- Elas próprias descobriram o teor daquele documento.

2- A concordância nominal está correta, EXCETO em:

a- As crianças estavam sós.


b- É proibido a entrada de pessoas estranhas no recinto.
c- Eles mesmos vieram trazer os papéis.
d- Envio os documentos em anexo.

3- A concordância nominal está INCORRETA em:

a- Saíram desta briga bastantes pessoas em coma.


b- Os alimentos custam muito caro.
c- Segue em anexa a foto.
d- Ele saiu ileso do acidente.
e- As moças chegaram juntas à aula.

4- A concordância nominal está CORRETA em:

a- É necessário a atenção de todos para a leitura do texto.


b- Ela tomou decisões o mais sensatas possíveis.

63 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- Somente após bastantes ameaças, ele arrumou o quarto.


d- Quando a moça terminou de arrumar as malas, já era meio-dia e meio.

5- Assinale a alternativa em que não há erro de concordância nominal.


a- É necessário a presença dos pais na reunião do conselho escolar.
b- Há bastantes pessoas insatisfeitas com a política econômica.
c- Nós mesmo providenciamos comida aos desabrigados.
d- É proibido a entrada de pessoas estranhas neste local.
e- Seguem anexo os documentos enviados pelos novos clientes.

Gabarito 1- B 2- B 3- C 4- C 5- B
Regência Nominal
aula 32

Casos de Grande Incidência em Concursos Públicos


Conceito

Há nomes – substantivos, adjetivos e advérbios – cujo sentido requer a introdução de uma ideia por meio
de preposição. Identificar a preposição correta e adequada a cada caso é objeto de estudo da

Regência Nominal

Ex: Eu tenho admiração a você


Eu tenho admiração por você
Repare! Em geral, “quem tem admiração tem admiração a algo/alguém, ou por algo/alguém”

Nomes Mais Comuns

– acostumado a, com – misericordioso com, para com


– alheio a, de – natural de
– ambicioso de – nocivo a
– análogo a – ofensivo a
– ansioso por – paralelo a
– apto a, para – passível de
– bacharel em – perto de
– capacidade de, para – preferível a
– contemporâneo a, de – propenso a, para
– contíguo a – propício a
– curioso a, de – próximo a, de
– favor a – relativo a
– grato a – respeito a, com, para com, por
– hábil em – resposta a, para
– incompatível com – satisfeito com, de, em, por
– indeciso em – sensível a
– inepto para – sito (situado) em
– liberal com – suspeito de
– longe de – útil a, para

Exercícios

1- Assinale a alternativa correta quanto à regência verbal e nominal.

a- Ao sair de casa, Garfield se apercebe com o calor intenso.


b- Para fugir do dia quente, ele se vê obrigado de entrar em casa.
c- Mas, a despeito com a presença de Jon, o gato sente-se aborrecido.
d- Para Garfield, o calor é preferível à companhia do próprio dono.
e- Novamente ao ar livre, ele não reclama com a alta temperatura.
64 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- Assinale a alternativa CORRETA quanto à aplicação adequada da regência nominal:

a- O deputado mostrou-se desfavorável com nosso projeto popular.


b- Ela seria capaz de resolver rapidamente aquela questão.
c- O técnico ficou descontente do resultado do jogo.
d- Os doces estarão prontos do consumo apenas amanhã de manhã.
e- O agrônomo é responsável da horta de nossa comunidade.

3- Em “não tenho medo de você”, o uso da preposição “de” se deve a uma regra de:

a- Colocação pronominal
b- Concordância nominal
c- Regência verbal
d- Concordância verbal
e- Regência nominal

4- Indique onde há erro de regência nominal:

a- Ele é muito apegado em bens materiais.


b- Estamos fartos de tantas promessas.
c- Ela era suspeita de ter assaltado a loja.
d- Ele era intransigente nesse ponto do regulamento.
e- A confiança dos soldados no chefe era inabalável.

5- A regência nominal está adequada à norma-padrão em:

a- Os pobres são ávidos por melhores condições de vida.


b- Os catadores sentem desejo com uma vida melhor.
c- Muitos catadores têm orgulho em seu ofício.
d- Parte da população é sensível para a pobreza.
e- Vários dejetos são inúteis para com a reutilização.

Gabarito 1- D 2- B 3- E 4-D 5-A

Regência Verbal
aula - 33

Verbos que Apresentam Uso Popular em Desacordo com a Norma Culta


Conceito

Dá-se o nome de Regência Verbal à relação do verbo com seu “complemento” Saber quando o verbo pede
preposição (e qual preposição) é o objeto de estudo da Regência.

Anotações:

65 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Verbo Sentido Regência Exemplo


Custar ser difícil V.T.I. Custou ao candidato aceitar a nota.
Implicar acarretar V.T.D. Sua atitude implicará demissão.
Namorar – V.T.D. Ela namora o advogado há alguns meses.
Obedecer e – V.T.I. Ele obedece ao patrão.
desobedecer Ela desobedece ao pai.
Admitem voz passiva, embora sejam transitivos indiretos: O patrão é obedecido por ele. O pai era
desobedecido por ela.
Pedir – V.T.D. (coisa) Pediu licença e saiu.
V.T.I. (pessoa) Pediu ao professor que lhe entregasse o gabarito.
Pede a preposição para quando subentendida V.T.D. Pediu (licença) para sair.
a palavra licença
Preferir – V.T.D.I. (algo a Prefere cinema a teatro.
algo)
Responder quando declaração da V.T.D. Respondeu que não sabia o segredo.
resposta
quando nomeia a V.T.I. Ele respondeu a todas as perguntas.
coisa ou a pessoa a
quem se dá a resposta
Simpatizar e – V.T.I. Simpatiza com ela.
antipatizar Não admite o pronome oblíquo, por não ser pronominal.

Verbos que Possuem mais de uma Regência


Verbo Sentido Regência Exemplo
Aspirar respirar, sorver (perfume, ar) V.T.D. Aspirou um ar venenoso.
pretender/ desejar V.T.I. (a) Os candidatos aspiram a aprovações.
Agradar acarinhar V.T.D. O pai agradou a filha.
satisfazer V.T.I. (a) O pai sempre agrada aos filhos com surpresas.
Assistir ver V.T.I. (a) Assistiu ao jogo.
Usado nesse sentido, “assistir” não aceita lhe, lhes, como objeto indireto; por isso, quando necessário,
deveremos trocá-lo por a ele, a ela, a eles, a elas.
socorrer, ajudar V.T.D. ou V.T.I. O amigo assistiu o doente.
(a) O amigo assistiu ao
doente.
caber, pertencer V.T.I. (a) O poder de resolver assiste a ele apenas.
Chamar mandar vir, solicitar a V.T.D. A professora chamou os alunos.
presença
chamar pelo nome, apelidar há quatro Chamaram a menina de balão. Chamaram a
construções menina balão. Chamaram à menina de balão.
Chamaram à menina balão.
Esquecer e não pronominais: sem Esqueceu o caderno.
lembrar preposição
pronominais: com preposição Ele se esqueceu do caderno.
(de)
Implicar acarretar V.T.D. Sua grosseria implicou meu choro.
brigar V.T.I. Ela sempre implica com o irmão.
Informar, Admite duas construções V.T.D.I. Informei a data ao aluno.
avisar, (algo a alguém)
certificar Informei o aluno da data.
(alguém de algo)
Pagar e Para coisa V.T.D. Paguei o DVD. Perdoei seus erros.
perdoar
Para pessoa V.T.I. Paguei a você. Perdoei a você.
Proceder ter fundamento INT. Os boatos não procediam.
executar V.T.I. (a) Procederemos ao inquérito.
Querer desejar V.T.D. “A gente quer dinheiro e felicidade.”
estimar V.T.I. (a) Quero a meus amigos.
Visar mirar V.T.D. Visou o alvo.
vistar V.T.D. Visou o cheque.
ter em vista V.T.I. (a) Visam a aprovações.

66 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Exercícios

1- Com referência aos sentidos do texto precedente e às estruturas linguísticas nele empregadas, julgue o
item a seguir.
A correção gramatical do texto seria prejudicada caso se substituísse, na linha 9, “de que” por os quais “
limitar-me aos elementos de que disponho”.

Certo ( ) Errado ( )

2- Assinale a frase que apresenta um erro de regência.

a- “Todos amam os bons, mas os exploram Todos detestam os maus, mas os temem e lhes obedecem”.
b- “Toda arte aspira continuamente à condição da música”.
c- “Não quero que as pessoas sejam muito gentis: isso me poupa do trabalho de gostar muito delas”.
d- “Culpamos as pessoas que não gostamos pelas gentilezas que nos demonstram”.
e- “A embriaguez excita e traz à luz todos os vícios”.

3- Assinale a alternativa em que o verbo visar apresenta regência inadequada ao que preceitua a gramática
normativa da língua portuguesa.

a- Vise bem o alvo antes de atirar.


b- O juiz já visou sua decisão.
c- O direito penal visa ao bem dos cidadãos.
d- O cargo que ele sempre visou encontra-se vago.

4- “A dona, diligente, havia conseguido algumas verduras e avisou à clientela”.


Dentre as formas de reescrever um segmento desse trecho, assinale a que está gramaticalmente incorreta.

a- Avisou à clientela de que havia conseguido verduras.


b- Avisou à clientela que havia conseguido verduras.
c- Avisou a clientela de que havia conseguido verduras.
d- Avisou à clientela ter conseguido verduras.
e- Avisou a clientela de ter conseguido verduras.

5- A alternativa que substitui o trecho destacado na passagem – Oficialmente, não é lugar onde se more –
de acordo com a norma-padrão de regência é:

a- aonde se vá
b- em que se venha
c- em que se vá
d- aonde se esteja
e- aonde se viva

Gabarito 1- C 2- D 3- D 4- A 5- A
Crase
aula - 34
Casos Obrigatórios
Conceito

Dá-se o nome de Crase à fusão de a + a(s) O primeiro a é sempre uma preposição; o segundo a é, em
geral, um artigo A crase é representada graficamente pelo acento grave Pode ocorrer a fusão da preposição
a com:
a) Artigo feminino a ou as:
Ex: Fui à feira (a: prep + a: artigo feminino singular)
Retornamos às praias de João Pessoa (a: prep + as: artigo feminino plural)

67 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b) O a dos pronomes aquele(s), aquela(s), aquilo, a(s):


Ex: Referiu-se àquele professor (referiu-se a (prep) + aquele)
Fomos àquela cidade (fomos a (prep) + aquela)
Aludiu àquilo que você comentou (aludiu a (prep) + aquilo)
Esta jaqueta é semelhante à que me deste [semelhante a (prep) + a (=aquela)]

c) O a do pronome relativo a qual e flexões (as quais):


Ex: A cidade à qual nos referimos fica longe (nos referimos a (prep) + a qual) As casas às quais fomos
não me agradaram (fomos a (prep) + as quais)

Preposição + Artigo

Haverá crase sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as
Ex: prep artigo
Eu me referi a + a diretora
Eu me referi à diretora

Ex: prep artigo Cheguei a + a cidade


Cheguei à cidade

Repare! É fácil constatar se há crase Basta trocarmos o termo posterior por um masculino correspondente:
se obtivermos ao, percebemos claramente a presença da preposição a e do artigo o e, portanto, da crase
antes dos termos femininos Ex: Eu me referi à atleta => Eu me referi ao atleta
Cheguei à cidade => Cheguei ao município

Veja que, para haver crase, é necessário que o termo anterior exija a preposição a e o termo posterior
admita o artigo a Se uma dessas condições não ocorrer, evidentemente não haverá crase

Ex: Visitei a cidade do meu avô => Visitei o bairro do meu avô

Casos Especiais

a- Em expressões adverbiais, conjuntivas e prepositivas (femininas)

Sempre ocorre crase nas expressões adverbiais formadas por palavras femininas, como à tarde, à noite, à
direita, à esquerda, às vezes, à vontade, às pressas, às escondidas, à moda de (mesmo que a expressão
moda que fique subentendida), à procura de, à espera de, à proporção que, à medida que, etc.

Ex.: Chegou à tarde e só saiu à noite


Ando à procura de um amigo
Fez um gol à Pelé (à moda de)
Usa-se o acento grave nas indicações de horas, quando determinadas.
Ex: Sairei às dez horas.
Chegarei à uma hora em ponto.

Repare! Cuidado quando houver estruturas paralelas envolvendo as expressões temporais.

Ex: O evento será das dez às dezesseis horas (das: prep + artigo / às: prep + artigo)
O evento será de dez a dezesseis horas (de: prep / a: prep)
O evento será de dez às dezesseis horas (errado – de prep / às: prep + artigo)

c) Diante de nomes de lugar


Com nomes femininos que designam lugar pode haver crase ou não, uma vez que alguns aceitam o artigo a,
ao passo que outros o repelem.

Repare! Para verificar se o nome de lugar aceita ou não o artigo a, usa-se o seguinte macete: formulamos
uma frase com o verbo vir mais o nome desse lugar; se obtivermos a combinação da, cabe o artigo; se
obtivermos simplesmente a preposição de, não cabe o artigo.

68 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Irei à Bahia => Voltei da Bahia


Fui a Roma => Voltei de Roma

d) Diante da palavra “casa” e “terra”


Não ocorre crase diante das palavras casa (sentido de lar, moradia) e terra (no sentido de chão firme), a
menos que venham especificadas.

Ex: Voltamos cedo a casa


Os marinheiros desceram a terra
Voltamos cedo à casa dos amigos
Os marinheiros desceram à terra dos minérios.

Exercícios

1- Neste fragmento [...] as empresas têm enfrentado o desafio de se adequar às novas formas de se
relacionar com os clientes [...], o acento indicativo da crase justifica-se, nesse caso, por.

a- estar diante de um adjetivo feminino.


b- fazer parte de uma locução prepositiva.
c- indicar a contração da preposição com o pronome demonstrativo.
d- marcar a junção da preposição com o artigo definido.

2- Com relação aos aspectos linguísticos do texto CB2A1BBB, julgue o próximo item.
No trecho “à análise de cenários alternativos e à inclusão da sociedade na formulação das políticas” (ℓ 26 a
28), o emprego do sinal indicativo de crase é obrigatório em ambas as ocorrências.

Certo ( ) Errado ( )

3- A respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto 7A1BBB, julgue o seguinte item
supressão do sinal indicativo de crase em “às crianças” (ℓ 3 e 4) comprometeria a correção gramatical do
texto. “ conteúdos televisivos considerados nocivos às crianças”.

Certo ( ) Errado ( )

4- A respeito das propriedades linguísticas do texto CB2A2AAA, julgue o item subsequente


Na linha 7, o emprego do sinal indicativo de crase em “à sabedoria” e em “à prática do bem” justifica-se
por serem termos regidos pela forma verbal “levar” (ℓ6) e por estarem precedidos por artigo definido
feminino.

Certo ( ) Errado ( )

5- Com relação às ideias do texto CB1A1BBB e aos seus aspectos linguísticos, julgue o item a seguir
supressão do acento grave, indicativo de crase, no trecho “que Claparède compara à que Copérnico realizou
na astronomia” (l 5 e 6), prejudicaria a correção gramatical do texto, dada a impossibilidade de omissão do
artigo definido no contexto.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- D 2- C 3- C 4- C

69 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Crase
aula - 35

Casos Facultativos
Conceito

Há três casos em que a crase é facultativa, isto é, pode ou não ocorrer a crase São os seguintes:

a) Diante de nomes de mulheres:


Ex: Ele fez referência a (ou à) Maria (a: prep / à: prep + artigo)

Repare! Ele fez referência a (ou ao) João (a: prep / ao: prep + artigo)
A crase diante de nomes de mulheres é facultativa por que o uso do artigo é facultativo

b) Diante de pronome possessivo feminino singular:


Ex: Obedeço a (ou à) minha irmã (a: prep / à: prep + artigo)

Repare! Obedeço a (ou ao) meu irmão (a: prep / ao: prep + artigo)
A crase diante de pronome possessivo feminino singular é facultativa por que nesses casos o uso do artigo é
facultativo

Repare! Diante de pronome possessivo feminino plural a crase nunca será facultativa

Ex: Obedeço a minhas irmãs (a: prep – acento proibido)


Obedeço às minhas irmãs (às: prep + artigo – acento obrigatório)

c) Depois da preposição ATÉ:


Ex: Fomos até a (ou à) feira (o: artigo / à: prep + artigo)

Repare! Fomos até o (ou ao) mercado (o: artigo / ao: prep + artigo)
Depois de até a crase é facultativa porque se pode usar simplesmente a preposição até ou a locução
prepositiva até a

Exercícios

1- Considerando as ideias e estruturas linguísticas do texto CB2A1AAA, julgue o item a seguir


emprego do sinal indicativo de crase em “à capacidade dessa ciência” (l 10 e 11) é facultativo
“Atualmente há uma grande preocupação quanto à capacidade dessa ciência”.

Certo ( ) Errado ( )

2- No que se refere aos aspectos linguísticos e aos sentidos do texto CB1A4-I, julgue o item que se segue
É facultativo o emprego do acento indicativo de crase em “à outra” (ℓ26), de modo que sua supressão não
comprometeria a correção gramatical e os sentidos originais do texto

Certo ( ) Errado ( )

3- Com referência aos sentidos do texto precedente e às estruturas linguísticas nele empregadas, julgue o
item a seguir. É obrigatório o sinal indicativo de crase empregado em “às suas peregrinações” (l11), de
maneira que sua supressão acarretaria incorreção gramatical no texto “ dando viço às suas peregrinações”.

Certo ( ) Errado ( )

70 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- No que se refere aos aspectos linguísticos do texto CB1A2AAA, julgue o item seguinte emprego do
sinal indicativo de crase em “à tutela dos animais” (ℓ 2 e 3) é facultativo.

Certo ( ) Errado ( )

5- Julgue o item que se segue, pertinentes a aspectos linguísticos do texto CB4A1AAA


No trecho “O arquiteto Oscar Niemeyer transformou as ideias em prédios” ( 9 e 10), o emprego do sinal
indicativo de crase em “as ideias” é opcional.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- E 2- E 3- C 4- C 5- E

Crase
aula - 36
Casos Proibidos
Conceito

A crase não ocorrerá quando o termo anterior não exigir preposição, por exemplo. Também não vai haver
crase quando, mesmo ocorrendo a exigência de preposição o termo posterior não admitir artigo .
Ex: Visitou a maior favela da América Latina. (O verbo visitar não exige preposição, por isso não vai haver
crase)
Referiu-se a essa professora. O verbo referir-se exige preposição, mas o pronome demonstrativo
“esse” não admite artigo, por isso não vai haver crase)
Jamais se usa Acento Grave
antes de palavras masculinas;
Ex: João veio a cavalo

a- antes de pronome pessoal (reto ou oblíquo);


Ex: A criança obedeceu a ela => A criança obedeceu a ele

b- antes dos pronomes indefinidos em geral;


Ex: Iremos a toda festa => Iremos a todo evento

c- antes de verbo;
Ex: Ela começou a falar cedo

d- antes de palavra no plural quando a estiver no singular;


Ex: Referiu-se a mulheres brasileiras

e- antes dos demonstrativos esta(s) e essa(s);


Ex: Pagou a essa funcionária => Pagou a esse funcionário

f- em expressões envolvendo substantivos repetidos;


Ex: Eles ficaram cara a cara => Eles ficaram rosto a rosto

g- diante da maioria das formas de tratamento;


Ex: Informou o problema a Vossa Senhoria

Repare! Antes dos pronomes de tratamento Senhora e Senhorita pode haver crase
Ex: Informou o problema à senhora => Informou o problema ao senhor

h- antes dos pronomes quem, cuja(s)


Ex: Conversei com o responsável a quem ele deve obedecer
71 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Exercícios

1- A respeito dos aspectos linguísticos do texto CB4A1AAA, julgue o próximo item


correção gramatical do texto seria mantida caso se empregasse o acento indicativo de crase no vocábulo “a”
em “a esse estado de coisas” (ℓ17) “ para se chegar a esse estado de coisas”.

Certo ( ) Errado ( )

2- Acerca das propriedades linguísticas do texto precedente, julgue o item subsequente.


No trecho “Diga não às ‘corrupções’ do dia a dia”, seria correto o emprego do sinal indicativo de crase no
vocábulo “a” em “dia a dia”.
Certo ( ) Errado ( )

3- Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto 7A1AAA, julgue o item que se segue
O emprego de sinal indicativo de crase em “a demandas legítimas” (ℓ19) — à demandas legítimas — não
prejudicaria a correção gramatical do texto.

Certo ( ) Errado ( )

4- Julgue o item subsequente, a respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto 7A3BBB
Seriam preservados o sentido e a correção gramatical do texto caso se empregasse o sinal de crase no
trecho “se ateve a questões processuais” (ℓ 18 e 19).

Certo ( ) Errado ( )

5- Julgue o próximo item, referente a aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA e à sua tipologia
correção gramatical do texto seria prejudicada caso se empregasse o sinal grave indicativo de crase no “a”
em “fuja a determinações” ( 22 e 23).

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- Errado 2- Errado 3- Errado 4- Errado 5- Certo

Frase, Oração e Período


aula - 37
Conceitos Básicos
Frase

É qualquer mensagem que encerre sentido, havendo ou não verbo. Se a frase contém verbo (explícito ou
implícito), chama-se frase verbal; se a frase não contém verbo, chama-se frase nominal.

Ex: Socorro! (Frase nominal: não há verbo)


Silêncio! (Frase nominal: não há verbo)
Chove muito aqui (Frase verbal: há verbo)

Tipos de frases:

a- Declarativas: enunciam um fato


Ex: O professor sabe o que diz
João é lutador.

b- Interrogativas: são feitas por meio de perguntas (diretas ou indiretas)


Ex: Quero saber quem ganhou o jogo (pergunta indireta)
Quem ganhou o jogo? (pergunta direta)
72 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- Imperativas: expressam uma ordem, um pedido, um conselho


Ex: Ajude-me!

d- Exclamativas: expressam afeto, emoção, admiração.


Ex: Que lindo dia!

e- Optativas: expressam desejo


Ex: Que Deus nos ajude!

Oração
É a frase verbal, ou seja, é o enunciado com verbo (explícito ou implícito) Portanto, toda oração é uma
frase, mas nem toda frase é uma oração

Ex: Ela viajará amanhã

Repare!
Ela vai viajar amanhã (locução verbal – uma oração)

Período

É a frase constituída de uma oração ou mais orações.


Quando o período apresenta uma só oração, diz-se que ele é simples; se, ao contrário, apresenta duas ou
mais orações, diz-se que ele é composto.

Ex: O aluno chegou atrasado (período simples)


A lua ilumina a cidade e inspira os poetas (período composto)

Repare! Quando o período é simples, a oração e chamada de absoluta

Período composto por coordenação: formado por orações coordenadas

Período composto por subordinação: formado por uma oração principal e uma (ou mais) orações
subordinadas.

Período composto por coordenação e subordinação (misto): formado por oração principal, oração
subordinada e oração coordenada.

Exercícios

1- Como a água é racionada, os astronautas recorrem a panos úmidos para tirar o excesso de sujeira do
corpo Nos cabelos, como xampu, eles usam um creme que não precisa ser enxaguado, pois foi
desenvolvido para pacientes de hospitais que não podem ir ao banheiro Para o barbeado, a opção é um
creme que faz espuma sem água.
O parágrafo se organiza sintaticamente em:

a- 2 períodos
b- 4 períodos
c- 5 períodos
d- 3 períodos

2- Sobre os títulos “Os meios de transporte mais utilizados no Brasil” e “Mobilidade urbana no Brasil”, é
correto afirmar que ambos são organizados por:
a- Frases
b- Orações
c- Períodos simples
d-Períodos compostos por subordinação
e- Períodos compostos por coordenação

73 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

TEXTO
Dos rituais
No primeiro contato com os selvagens, que medo nos dá de infringir os rituais, de violar um tabu!
É todo um meticuloso cerimonial, cuja infração eles não nos perdoam.
Eu estava falando nos selvagens? Mas com os civilizados é o mesmo. Ou pior até.
Quando você estiver metido entre grã-finos, é preciso ter muito, muito cuidado: eles são tão primitivos!
(Mário Quintana)

3- Quantos períodos há no TEXTO II?

a- Cinco
b- Três
c- Quatro
d- Seis
e- Sete

4- Sobre o enunciado: “A educação é o fundamento da construção de qualquer tipo de projeto de país”, é


CORRETO afirmar que:

a- É um período composto
b- É um período simples
c- É uma frase sem sentido
d- É uma frase sem verbo
e- É uma oração sem sujeito

5- O enunciado “socorro!”, de acordo com a análise sintática, é um(a)

a- oração
b- frase verbal
c- frase nominal
d- período simples
e- período composto

Gabarito 1 - D 2 - A 3- A 4- B 5- C

Sintaxe: termos essenciais


aula - 38
Sujeito
Conceito básico

Sujeito é o termo acerca do qual se faz uma declaração Em geral, é encontrado a partir das perguntas
“Quem + verbo?” ou “O que + verbo?”

Ex: As crianças brincam no pátio.


Quem brinca? As crianças: sujeito.
Erros correram na apuração dos votos.
O que ocorreu? Erros: sujeito

Repare! O sujeito pode aparecer no início, no meio ou no final da oração.

Ex: Chegaram hoje cedo os matérias da obra.


O que chegou hoje cedo? Os materiais da obra: sujeito

Núcleo do sujeito

É a palavra mais importante dentro do sujeito. Pode ser expresso por um substantivo ou termo equivalente
(pronome substantivo, numeral substantivo).
74 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Muitos fatos estranhos ocorreram naquele dia.


Núcleo do sujeito: fatos (substantivo)
Nós acordamos muito cedo hoje.
Núcleo do sujeito: nós (pronome substantivo)
Dois é demais.
Núcleo do sujeito: dois (numeral substantivo)

Repare! O núcleo do sujeito não pode ser preposicionado.

Ex: A maioria dos alunos chegou.


Núcleo: maioria

Sujeito simples
Conceito básico

É o que possui apenas um núcleo.

Ex: A mãe de Maria não era brasileira.


sujeito simples: A mãe de Agras.
núcleo do sujeito: mãe (substantivo)

A mais bem vestida e educada aluna da classe caiu na poça.

sujeito simples: A mais bem vestida e educada aluna da classe.


núcleo do sujeito: aluna (substantivo)

Sujeito desinencial
Conceito básico

A Nomenclatura Gramatical Brasileira não arrolou a classificação de sujeito oculto, mas alguns concursos
trabalham com essa terminologia, considerando “desinencial” o sujeito que, embora não materialmente
expresso na oração (não tendo, por isso mesmo, núcleo), pode ser facilmente identificado, principalmente
por meio da desinência verbal O sujeito desinencial também é chamado de implícito, oculto,
subentendido ou elíptico.

Ex: Estou estudando muito. (sujeito oculto: eu)

Sujeito composto
Conceito básico

É o que possui mais de um núcleo (sempre substantivo ou equivalente)


Ex: Eu e você amamos nossos filhos (núcleos: eu, você)
Ex: Música e literatura fazem bem à alma (núcleos: música, literatura)

Sujeito indeterminado
Conceito básico

Ocorre em dois casos:


a- Quando o verbo é intencionalmente posto na 3ª pessoa do plural para indicar desconhecimento do
praticante da ação expressa pelo verbo.

Ex: Roubaram minha senha (sujeito indeterminado)

Repare! O contexto é sempre soberano na análise de cada caso. Não basta o verbo estar na 3ª do
plural para que haja sujeito indeterminado. Veja só.
1ª oração 2ª oração

75 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

[Os alunos estiveram aqui] [e sujaram o quadro.]


sujeito simples (os alunos) sujeito oculto (eles)

b- Quando está presente o pronome indeterminador do sujeito: SE Por enquanto, você deve observar
que, quando há tal pronome:
→ o verbo está sempre na 3ª do singular;
→ a ação do verbo não pode ser atribuída a ninguém especificamente, ou seja, tem caráter impreciso, geral
e indeterminado;
→ o verbo, em geral, é INTRANSITIVO (não precisa de complemento), TRANSITIVO INDIRETO
(exige complemento com preposição) ou DE LIGAÇÃO (requer um predicativo do sujeito).

Ex 1: Dormia-se muito naquela casa.


Verbo: dormia intransitivo
“se” – PIS (pron indeterminador do sujeito)

Ex: Precisa-se de ajuda.


Verbo: precisa Transitivo Indireto
“se” – PIS (pron indeterminador do sujeito)

Ex: Era-se feliz naquela casa.


Verbo: era Verbo de Ligação
“feliz”: predicativo do sujeito
“se” – PIS (pron indeterminador do sujeito)

Exercícios

1- A respeito de aspectos linguísticos e semânticos do texto CB1A1-I, julgue o item a seguir.


O sujeito da forma verbal “cometeram” (ℓ29) é indeterminado.

Certo ( ) Errado ( )

2- “O inacabado templo católico transcende a religião […]”


Considerando o contexto da frase acima, como ela ficaria caso seu sujeito fosse “templos católicos”?

a- Os inacabados templos católicos transcendem a religião.


b- Os inacabados templos católicos transcendem as religiões.
c- Os inacabado templos católicos transcende as religiões.
d- O inacabado templos católicos transcendem a religiões.
e- O inacabado templos católicos transcendem as religião.

3- Ainda considerando os sentidos e os aspectos linguísticos do texto XI, julgue (C ou E) o item que se
segue.
No período “Sobe uma classe e dentro dela elevam-se muitos aspirantes a essa camada” (l 36 a 38), os
termos “uma classe” e “muitos aspirantes a essa camada” exercem função de sujeito nas orações em que se
inserem.

Certo ( ) Errado ( )

4- Acerca de aspectos linguísticos do texto precedente e das ideias nele contidas, julgue o item a seguir O
sujeito da oração iniciada por “Destaca-se” (l16) é indeterminado, portanto não está expresso.

76 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )
5- O substantivo funciona como núcleo do sintagma em que ocorre. Esse sintagma pode ser nominal e,
quando não preposicionado, desempenhar a função de sujeito, entre outras.
(Maria Helena de Moura Neves, Gramática de usos do português Adaptado)
No trecho do 4° parágrafo – Foi com as tropas romanas que o latim chegou à face sul do continente
europeu… –, o termo que exemplifica a definição, sendo um substantivo como núcleo do sujeito da oração,
é:
a- tropas
b- face
c- continente
d- latim
e- romanas

Gabarito 1- Errado 2- A 3- Certo 4- Errado 5- D

Sintaxe: Termos Essenciais


aula - 39
Sujeito Inexistente
Conceito Básico

É típico das orações com os chamados verbos impessoais.

Os principais casos são:

a- Verbos que indicam fenômenos da natureza: chover, ventar, entardecer, chuviscar, neblinar, garoar,
gear, orvalhar, etc.
Ex: Choveu bastante em Cascavel.
Sempre garoa em São Paulo.

b- Verbo “haver” no sentido de existir (ou ocorrer) Aliás, nesta acepção, cresce na linguagem coloquial a
substituição de ‘haver’ por ‘ter’, fato visto com reserva e resistência pelos nossos principais gramáticos.
Ex: Há / Tem muitos alunos aqui

c- Verbos haver, fazer, ir e ser na indicação de decurso temporal.


Ex: Há muitos anos não venho aqui
Já ia para dez anos que não vinha aqui
Não vinha aqui, fazia dois anos
Hoje são 22 de julho

d- Verbos bastar e chegar, seguidos da preposição de, indicando suficiência.


Ex: Basta de reclamações.
Chega de frescuras.
Exercícios
1- Neste trecho há uma profusão de possibilidades e de informações [...], se criarmos uma outra oração,
substituindo o verbo haver pelo existir, é CORRETO afirmar que os verbos das duas orações:
a- não possuem sujeito
b- não possuem a mesma transitividade
c- são impessoais
d- ficam no singular

77 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- De acordo com o Dicionário da Língua Portuguesa “Aurélio” – em sua 9ª edição, “sujeito” significa
“Termo da oração a respeito do qual se anuncia alguma coisa e com o qual o verbo concorda”.
Baseando-se nessa afirmação e em seus conhecimentos sobre os variados tipos de sujeito, indique, dentre
os enunciados abaixo, retirados do texto de São Bernardo (Texto 11), apenas aquele que apresenta um caso
de oração sem sujeito:

a- “um artista não pode escrever como fala”.


b- “O resultado foi um desastre”.
c- “Se eu fosse escrever como falo, ninguém me lia”.
d- “Há lá ninguém que fale dessa forma!”
e- “apresentou-me dois capítulos datilografados”.

3- Considere o seguinte excerto e assinale a alternativa correta referente ao sujeito da oração destacada
“A Gabi, amiga nossa mineira, que mora em São Paulo há anos, toda vez que vem, aqui em casa, chega
com um balaio de casos de Minas Gerais”.

a- Possui apenas um núcleo.


b- Pode ser identificado por meio da desinência verbal.
c- Não é possível identificá-lo, visto que não existe.
d- Possui dois núcleos.
e- Pode ser retomado semanticamente, por meio do contexto.

4- Considerando as ideias e os aspectos linguísticos desse texto, julgue o item a seguir.


Na oração “Há provas consideráveis” (linhas 21 e 22), não há sujeito, razão por que o verbo está conjugado
na terceira pessoa do singular.

Certo ( ) Errado ( )

5- Em: “Interromperam o trânsito naquela região”, temos:

a- Sujeito Simples
b- Sujeito composto
c- Sujeito desinencial
d- Sujeito indeterminado
e- Oração sem sujeito

Gabarito 1- B 2- D 3- C 4- Certo 5- D

Sintaxe: Termos Essenciais


aula - 40
Predicado
Conceito Básico

Numa oração, em geral se procede assim: retirando-se o sujeito, o que sobra faz parte do predicado
Ex: [As crianças] [brincam no pátio]
As crianças: sujeito; brincam no pátio: predicado
[Erros] [ocorreram na apuração dos votos]
Erros: sujeito; ocorreram na apuração dos votos: predicado
[Chegaram hoje cedo] [os matérias da obra]
Os materiais da obra: sujeito; chegaram hoje cedo: predicado

Tipos de Predicado

Predicado Verbal
É o que tem como núcleo o próprio verbo da oração. Tal verbo pode ser intransitivo ou transitivo
Ex: A aluna fez uma pergunta (transitivo direto)
Eles precisam de auxílio (transitivo indireto)
78 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Comunicamos o roubo ao delegado (transitivo direto e indireto)


O professor já chegou (intransitivo)

Predicado Nominal

É o que tem como núcleo um predicativo. Nele há sempre um dos chamados verbos de ligação, que
podem indicar um estado.

Ex: Ela é dedicada (verbo de ligação + predicativo)


Nós estamos cansados (verbo de ligação + predicativo)
Ele permanece doente (verbo de ligação + predicativo) A criança ficou triste (verbo de ligação +
predicativo)

Predicado Verbo-Nominal

É o que tem dois núcleos: o verbo (intransitivo ou transitivo) e o predicativo, que pode ser do sujeito ou
de algum objeto.

a- Com predicativo do sujeito:


Ex: Ela chegou atrasada (chegou: intransitivo; atrasada: predicativo do sujeito)

b- Com predicativo do objeto direto:


Ex: Eu julguei você culpada (julguei: transitivo direto; culpada: predicativo do objeto direto “você”)

c) Com predicativo do objeto indireto:


Ex: Chamei-lhe de incompetente (chamei: transitivo indireto; incompetente: predicativo do objeto
indireto “lhe”)
Exercícios
1- Corresponde à correta classificação do tipo de sujeito e predicado da oração “Não devemos dar um
significado pejorativo à ‘’esmola’” (linhas 45-46 – Texto 4), a seguinte opção:

a- sujeito desinencial e predicado nominal


b- sujeito simples e predicado verbal
c- sujeito desinencial e predicado verbal
d- sujeito simples e predicado verbo-nominal

2- Assinale a alternativa que contém predicado nominal.

a- Todos precisam de amor


b- Todos estão carentes de amor
c- O amor humano precisa de reciprocidade
d- A carência de amor gera depressão

Gabarito 1- C 2- B
Sintaxe: Termos Essenciais
aula - 41
Predicação Verbal
Conceito Básico

É a forma de ligar o sujeito ao predicado da oração ou ao predicativo do sujeito. Quanto à predicação, os


verbos podem ser transitivos, intransitivos ou de ligação.

Verbos Transitivos
Conceito Básico

São verbos que, tendo sentido incompleto, necessitam de um complemento verbal para completar o seu
sentido, ou seja, necessitam de um objeto direto e/ou objeto indireto.

79 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Verbos Transitivos Direto


Conceito Básico

É o tipo de verbo que exige um complemento não necessariamente iniciado por preposição Tal
complemento é chamado de objeto direto.
Ex: Os herdeiros venderam o imóvel.
Venderam o quê? O imóvel
Venderam: VTD; o imóvel: obj direto

Verbos Transitivos Indiretos


Conceito Básico

É o tipo de verbo que exige um complemento com preposição necessária Tal complemento é chamado de
objeto indireto
Ex: Eu necessitava de companhia.
Necessitava de quê? De companhia.
Necessitava: VTD; de companhia: obj indireto

Verbos Transitivos Diretos e Indiretos


Conceito Básico

É o tipo de verbo que exige dois complementos: o objeto direto e o objeto indireto
Ex: Entreguei os documentos ao gerente
Entregou o quê? Os documentos.
A quem? Ao gerente
Entreguei: VTDI; os documentos: obj direto; ao gerente: obj indireto

Verbos Intransitivos
Conceito Básico

É o tipo de verbo que tem sentido completo, não exigindo complemento. Por vezes, exige, sim, uma
circunstância (adjunto adverbial) Ex: O cantor faleceu (verbo intransitivo)
O bebê nasceu (verbo intransitivo)
Ela mora em São Paulo (verbo intransitivo + adjunto adverbial de lugar).

Verbos de Ligação
Conceito Básico
Os principais verbos de ligação são: ser, estar, permanecer, ficar, continuar, andar, etc Podem indicar um
estado:
a- permanente: ser, viver
Ex: Ela é linda.
b- transitório: estar, andar
Ex: Ela está tensa.

c- em mudança: ficar, virar


Ex: Ela ficou doente.

d- em continuidade: continuar, permanecer


Ex: Ela continua só.

e- aparente: parecer
Ex: Ela parece tensa.

Repare!
Para ser considerado verbo de ligação, além de pertencer à lista apresentada acima, tem de vir
acompanhado de predicativo.

80 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Ela está feliz (verbo de ligação + predicativo)


Ela está no Rio de Janeiro (verbo intransitivo + adjunto adverbial de lugar)
Exercícios
1- Dentre os termos destacados abaixo, a alternativa que possui um objeto indireto é:

a- Desenvolvendo redes ativas usando algoritmos randomizados.


b- No topo encontram-se os periódicos mais seletivos e reputados.
c- A forma deveria ceder espaço ao conteúdo.
d- Mudar somente a forma não é suficiente.

2- Sobre a sintaxe do período, parece haver um abismo de mútua incompreensão entre os médicos e seus
pacientes, é CORRETO afirmar que o termo abismo de mútua incompreensão é um.

a- complemento nominal
b- complemento verbal
c- adjunto adnominal
d- adjunto adverbial

3- O termo destacado em: “elas acreditam EM NOSSA MISSÃO” exerce função sintática de:

a- complemento nominal
b- objeto direto
c- adjunto adnominal
d- predicativo do sujeito
e- objeto indireto

4- Sobre a estrutura sintática dos recursos verbais presentes na charge O SENHOR TEM PLANO DE
SAÚDE e ISSO É GRAVE? É correto afirmar que PLANO DE SAÚDE e GRAVE constituem,
respectivamente,

a- objeto direto e predicativo do sujeito


b- objeto direto e objeto direto
c- objeto indireto e predicativo do sujeito
d- objeto indireto e objeto indireto
e- objeto direto e predicativo do objeto

5- Em ” [] Lembra um pedaço de ilha [] ”, o termo em destaque exerce função sintática de:

a- Predicativo do objeto
b- Objeto direto
c- Complemento nominal
d- Adjunto adnominal
e- Objeto indireto

Gabarito 1- C 2- B 3- E 4- A 5- B

Sintaxe: Termos Essenciais


aula - 42
Complementos Verbais Conceito Básico

Completam os verbos transitivos, ou seja, aqueles verbos que precisam de complemento São eles:
objeto direto, objeto indireto e objeto direto e indireto.

Objeto Direto
Conceito Básico
81 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

É o complemento do verbo transitivo direto Veja só


Ex: Eu quero uma caneta. suj vtd od

Repare! Lembre-se de que os pronomes oblíquos átonos de terceira pessoa (-o, – os, – a, – as), quando
funcionam como objetos, só podem ser diretos; além disso, quando pospostos encliticamente (com
hífen) aos verbos, sofrem variações, dependendo das terminações destes.
Ex: Vejo a garota. Vejo-a
vtd od vtd od
Vimos a garota Vimo-la
vtd od vtd od
Viram a garota Viram-na
vtd od vtd od

Objeto Direto Preposicionado


É o objeto direto precedido de preposição não exigida pelo verbo Eis três casos:

a) a- Quando o objeto direto tem como núcleo um pronome oblíquo tônico)


Ex:Ela me viu. Ela viu a mim.
suj od vtd suj vtd od prepos

Repare! Observe que todo pronome oblíquo tônico vem precedido de preposição. No caso, é o
pronome oblíquo tônico “mim” que exige a preposição; não o verbo.

b- Quando se quer dar ideia partitiva (parte de um todo) ao objeto direto.


Ex:Eu comi o bolo. Eu comi do bolo.
od od preposicionado

c- Com a palavra Deus.


Ex: Louvo a Deus. Amo a Deus.
vtd od prepos vtd od prepos

Objeto Direto Pleonástico


É aquele que, sintaticamente, repete o objeto direto

Ex: O retrato, guardei-O com carinho.


od vtd od adj adv pleonástico

Objeto Indireto
Conceito Básico
É o complemento do verbo transitivo indireto Veja só

Ex: Eu preciso de uma caneta


suj vti oi

Repare! Lembre-se de que os pronomes oblíquos átonos de terceira pessoa (-lhe, – lhes), quando
funcionam como objetos, só podem ser indiretos. Além disso, eles correspondem à estrutura “a
ele(s)”, “a ela(s)”. Veja só.

Ex: Dei um presente à professora (OI)


Dei um presente a ela (OI) Dei-lhe (OI) um presente

Objeto Indireto Pleonástico


É aquele que, sintaticamente, repete o OI
82 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Ao professor, dei-lhe o presente.

Exercícios

1- Na frase “Desconfiei da conversa do vendedor e não concordei com a proposta”, o termo em destaque
exerce função sintática de:

a- Objeto direto
b- Objeto indireto
c- Agente da passiva
d- Complemento nominal
e- Adjunto adnominal

2- Qual é a função sintática da palavra “aborrecimentos” na oração “Substituir sua dentadura convencional
por outra, preciosa e ridícula, valeu-lhe aborrecimentos”?

a- Objeto indireto
b- Sujeito
c- Objeto direto
d- Adjunto adverbial

Gabarito 1- B 2- B
Sintaxe: Termos Integrantes
aula - 43
Complemento Nominal
Conceito Básico

É expressão, em geral preposicionada, que representa o alvo para o qual tende um sentimento, disposição
ou movimento O complemento nominal é reclamado pela significação transitiva, incompleta, de adjetivos,
de advérbios e de certos substantivos (necessariamente abstratos)

1- CN de adjetivos – Qualquer expressão preposicionada referindo-se diretamente a um adjetivo é


Complemento Nominal
Ex: Ela sempre foi fiel ao marido (fiel – adjetivo)

2- CN de advérbios – Qualquer expressão preposicionada referindo-se diretamente a um advérbio


(sobretudo quando terminado no sufixo modal –mente) é Complemento Nominal
Ex: Ela sempre agiu fielmente ao marido (fielmente – advérbio)

3- CN de substantivos – Em se tratando de substantivos, só os abstratos admitem complemento nominal,


isto é, os substantivos que, em geral, indicam sentimento, qualidade ou ação Assim sendo, o Complemento
Nominal se liga, geralmente, a substantivos que contêm em sua estrutura um verbo ou um adjetivo
transitivo
Ex: Ela sempre agiu com fidelidade ao marido (fidelidade – substantivo abstrato)

Exercícios

1- Observando-se o excerto “Anda descalço por amor à bola”, a expressão em destaque constitui
sintaticamente:

a- Sujeito determinado simples


b- Objeto indireto
c- Agente da passiva
d- Complemento nominal
e- Aposto especificador

83 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- Observando-se o fragmento “É o excesso que tem feito até dos sucos de frutas uma ameaça à saúde”, a
expressão destacada constitui sintaticamente um:

a- Sujeito simples
b- Objeto direto
c- Vocativo
d- Aposto
e- Complemento nominal

3- NÃO representa um exemplo de complemento nominal

a- Cecília tem orgulho da filha


b- Ricardo estava consciente de tudo
c- A professora agiu favoravelmente aos alunos
d- A vencedora foi escolhida pelos jurados

4- Partidos são fundamentais para a consolidação da democracia e o permanente desenvolvimento da


cidadania e devem existir – de verdade – em bases cotidianas (L56-59)
Os termos sublinhados no período acima classificam-se, respectivamente, como

a- adjunto adnominal e adjunto adnominal


b- complemento nominal e complemento nominal
c- adjunto adnominal e complemento nominal
d- complemento nominal e adjunto adnominal
e- objeto indireto e objeto indireto

Gabarito 1- D 2- E 3- D 4- B
Sintaxe: Termos Integrantes
aula - 44
Adjunto Adnominal
Conceito Básico

É o termo que modifica exclusivamente o substantivo (ou o pronome substantivo) Pode vir representado
por um artigo (definido ou indefinido), por um pronome adjetivo, por um numeral, por um adjetivo ou
locução adjetiva.

Ex: A melhor aluna da classe ganhou muitos prêmios


Ela é uma mulher de bom coração
O adjunto adnominal sempre faz parte de uma função sintática Exceção a essa regra: quando o pronome
oblíquo átono, com valor de posse, funciona estilisticamente como adjunto adnominal

Ex: Você me machucou o coração (= Você machucou o meu coração)


Adjunto Adnominal ≠ Complemento Nominal
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal só se confundem quando uma expressão preposicionada se
liga a um substantivo abstrato. Para distinguir um do outro, sigas as orientações seguir:

1- O complemento nominal só se liga a substantivos abstratos. Portanto, em se tratando de substantivos


concretos, a expressão preposicionada será adjunto adnominal

Ex: O livro de Pedro foi rasgado


O substantivo “livro” é concreto; portanto, “de Pedro” é adjunto adnominal

2- Não se esqueça de que o CN é sempre alvo. Portanto, o CN é termo paciente da ação contida no
substantivo abstrato a que se liga; o adjunto adnominal, ao contrário, é agente Veja

84 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: A descoberta da América mudou o mundo


A descoberta de Colombo mudou o mundo
No primeiro caso, “da América” é CN, pois a “América” não descobriu; ao contrário, foi descoberta
No segundo caso, “de Colombo” é Adj Adn, pois “Colombo” não foi descoberto; ao contrário, descobriu

Exercícios

1- O adjunto adnominal foi grifado em:


a- O professor de matemática recebeu o prêmio
b- O professor de matemática recebeu o prêmio
c- O professor de matemática recebeu o prêmio
d- O professor de matemática recebeu o prêmio
e- O professor de matemática recebeu o prêmio

2- O termo grifado é adjunto adnominal em:

a- Aquele político nunca teve capacidade para administrar


b- O estatuto exige obediência aos princípios governamentais
c- Tive dúvidas acerca de algumas teorias matemáticas
d- Políticos brasileiros têm horror ao nepotismo
e- O surgimento de teorias filosóficas facilitou o progresso

3- Os termos civilizado (linha 1) e de Genebra (linha 4) são, respectivamente,

a- complemento nominal e adjunto adverbial


b- complemento nominal e adjunto adnominal
c- adjunto adnominal e complemento nominal
d- adjunto adnominal e adjunto adverbial
e- adjunto adnominal e adjunto adnominal

4- “A impressão digital é composta de inúmeras particularidades” Os termos destacados na oração,


sintaticamente, são:

a- adjuntos adverbiais
b- adjunto adnominal e adjunto adverbial, respectivamente
c- adjunto adverbial e adjunto adnominal, respectivamente
d- adjuntos adnominais

Gabarito 1 - B 2 - E 3 - E 4 - D

Sintaxe: Termos Integrantes


aula - 45
Agente da Passiva
Conceito Básico

Termo utilizado para determinar o agente da ação na voz verbal passiva, em que o sujeito é denominado
“paciente”, ou seja, recebe a ação expressa pelo verbo.
Geralmente são acompanhados por preposição (por, pelo ou de)

Ex: A casa foi invadida pelo ladrão (agente da passiva)

85 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Repare! O agente da passiva só aparece na voz passiva analítica (ser + particípio).

Ex: A casa foi alugada por João (Voz passiva analítica)


Alugou-se a casa por João (Voz passiva sintética – incorreto)

Exercícios
1- O padre é amado pelas multidões.
O termo em destaque se classifica sintaticamente como:

a- Sujeito
b- Complemento nominal
c- Agente da passiva
d- Objeto direto

2- Nos trechos a seguir, extraídos do texto III, pode-se encontrar um exemplo de agente da passiva em

a- “Em 1983, ela sofreu a primeira tentativa de assassinato” (linha 4)


b- “Viveros foi encontrado na cozinha, gritando por socorro” (linha 5)
c- “[...] alegando que tinham sido atacados por assaltantes” (linhas 5-6)
d- “Maria da Penha [...] foi casada com o professor universitário Marco Antônio Heredia Viveros” (linhas
3-4)

3- “Mas o espantoso é que até palavras gramaticais, aquelas que não espelham a realidade, apenas fazem a
língua funcionar, também morram – por vezes, assassinadas pelos próprios falantes” (§ 3)
É CORRETO afirmar que a expressão grifada na construção acima é classificada sintaticamente como:

a- agente da passiva
b- sujeito de tipo passivo
c- pronome apassivador
d- forma verbal na voz passiva

4- Em “Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto Sou da Paz”, a expressão destacada é:

a- adjunto adnominal
b- sujeito paciente
c- objeto indireto
d- complemento nominal
e- agente da passiva

5- Em “Aquela samambaia foi plantada por minha vizinha”, os termos destacados são.

a- objeto direto
b- objeto indireto
c- adjunto adverbial
d- agente da passiva

6- Assinale a alternativa que classifica corretamente o termo em destaque na frase.


Por todos era julgado o Paulo.

a- Agente da passiva
b- Objeto indireto
c- Objeto direto
d- Complemento nominal

Gabarito 1- B 2- C 3 - A 4 - E 5 - E 6 - A

86 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Sintaxe: Termos Acessórios


aula - 46
Adjunto Adverbial
Conceito Básico

É a expressão (em Morfologia, corresponde ao advérbio e à locução adverbial) que modifica o sentido de
um verbo, de um adjetivo ou de um outro advérbio, sempre indicando uma circunstância que, em geral, é
de:

a- afirmação: sim, de fato, com efeito, com certeza, efetivamente, etc.


b- negação: não, de modo algum, de maneira nenhuma, negativo, etc.
c- dúvida: acaso, porventura, possivelmente, provavelmente, quiçá, talvez, etc.
d- modo: bem, assim, mal, debalde, às pressas, etc.
e- tempo: hoje, já, jamais, nunca, em breve, etc.
f- lugar: aqui, fora, dentro, junto, perto, etc.
g- intensidade: de todo, muito, bastante, mais, meio, quanto, quão, tanto, tão, etc.

Ex: Ele falou apressadamente. (adjunto adverbial de modo)


Ela é bastante dedicada. (adjunto adverbial de intensidade)
Ela canta bem mal.(adjunto adverbial de intensidade e adjunto adverbial de modo)

Aposto
Conceito Básico

É, em geral, a segunda de duas expressões substantivas que se referem ao mesmo ser ou elemento
Sua função é a de explicar, enumerar, etc.
a- Explicativo: vem entre vírgulas, travessões ou parênteses.
Ex: O homem, senhor idoso, chorava.

b- Enumerativo: desenvolve o que foi resumido no ermo anterior.


Ex: Foram arrecadadas muitas doações: roupas, agasalhos, sapatos, cobertores, mantimentos.

c- Resumidor: é expresso geralmente por um pronome.


Ex: Homens, mulheres, crianças, todos buscam felicidade.

d- Especificador: não vem separado por vírgula e é um nome próprio.


Ex: A cidade do Rio de Janeiro está violente demais.

Vocativo
Conceito Básico

É a expressão de caráter exclamativo através da qual chamamos ou pomos em evidência a pessoa a quem
nos dirigimos

Ex: Tu, meu irmão, precisas me ouvir.


Quando se quer realçar o vocativo, pode-se fazê-lo preceder da interjeição ‘ó’

Ex: Ó minha linda amada, fica comigo.

Exercícios

1- Em qual das opções NÃO encontramos um aposto?

a- A Linguística, ciência das línguas humanas, permite-nos interpretar melhor nossa relação com o mundo.
b- A vida é composta de muitas coisas: amor, arte e ação.
c- Fantasias, suor e sonho, tudo isso forma o carnaval.

87 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

d- Seus olhos, duas gotas cristalinas, fixaram-se por muito tempo nos meus.
e- Estavas, linda Inês, sossegando quieta.

2- Assinale a alternativa onde não há aposto.

a- A Mata Atlântica, a segunda floresta mais devastada do mundo, revela novidades que surpreendem até
os cientistas.
b- Único metal líquido, o mercúrio possui inúmeras utilidades.
c- Felicidade, onde te escondes?
d- Amanhã, domingo, não sairei

3- “A lama que saiu da barragem da Samarco, mineradora que pertence à Vale e à anglo‐australiana BHP
Billiton, devastou também outras áreas próximas de Mariana” O trecho anteriormente sublinhado é
classificado, de acordo com o contexto, como:

a- Objeto
b- Aposto
c- Vocativo
d- Advérbio

4- O termo em destaque é adjunto adverbial de intensidade em:

a- pode aprender e assimilar MUITA coisa (§ 2)


b- enfrentamos MUITAS novidades (§ 2)
c- precisa de um parceiro com MUITO caráter (§ 3)
d- não gostam de mulheres MUITO inteligentes (§ 4)
e- assumimos MUITO conflito e confusão (§ 4)

5- Um vocativo é um termo sintático caracterizado por se tratar de um chamamento, sempre isolado por
vírgulas no trecho de que faz parte Assim, existem, nos balões dos quadrinhos, exatamente.

a- dois vocativos
b- três vocativos
c- quatro vocativos
d- cinco vocativos
e- seis vocativos

Gabarito 1- E 2- C 3- B 4- D 5- C

88 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Sintaxe: Orações Coordenadas e Subordinadas


aula - 47
Orações Coordenadas
Conceito Básico

A oração coordenada é aquela que se liga a outra oração da mesma natureza sintática. Em um período
composto por coordenação, as orações são sintaticamente independentes.

Ex: [A jovem falou com o professor] [e tirou as dúvidas]


1ª oração 2ª oração
Repare que a 2ª oração não exerce função sintática em relação à 1ª
Quando um período composto apresenta só orações coordenadas, diz-se que ele é composto por
coordenação.

Orações Subordinadas
Conceito Básico

Quando um período é constituído de uma ou mais orações subordinadas ligadas a uma ou mais orações
principais, então diz-se que ele é composto por subordinação.
Onde quer que haja uma oração subordinada, haverá necessariamente uma oração principal. A oração
subordinada não é independente, pois desempenha uma função sintática em relação à oração principal.

Ex: [Ele não saiu de casa], [porque choveu] (Exerce função sintática de adjunto adverbial de causa da 1ª
oração)
[Os aprovados quiseram] [que o professor os abraçasse] (Exerce função sintática de objeto direto)
[Chegou o aluno] [que se dedica] (Exerce função sintática de adjunto adnominal)

Exercícios

1- “Minha amiga tem razão quando diz que, na velhice, não podemos nos impor uma indigência que não
teremos, mas, ainda assim, não podemos afastar de nós a fragilidade e a finitude”.
(Dulce Critelli, Folha de SPaulo, fevereiro de 2010, com adaptações)
O texto constitui-se em um período.

a- simples
b- composto por coordenação
c- composto por subordinação e coordenação
d- composto por subordinação

89 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

e- composto por duas orações

2- Em “Não interessa se você dá ou ganha a chave”, temos.

a- um período composto apenas por coordenação


b- um período simples
c- um período composto apenas por subordinação
d- um período composto por subordinação e coordenação
e- dois períodos

3- Em “Sede se mata com água, que não tem calorias”, o período é:

a- Simples
b- Composto por coordenação
c- Composto por subordinação
d- Composto por coordenação e subordinação
e- Composto de três orações

4- No trecho “Não há escassez de problemas e não temos um planeta de reserva”, verifica-se que há a
presença de:

a- Somente período simples


b- Período composto por subordinação
c- Período misto
d- Período composto por coordenação

Gabarito 1- C 2- D 3- C 4- D

Sintaxe: Tipos de Oração Coordenada


aula 48
Orações Coordenadas Assindéticas
Conceito

Não apresentam conectivo


Ex: [Ele foi ao curso], [conversou com o diretor], [esclareceu as dúvidas]
Repare que a 2ª oração não exerce função sintática em relação à 1ª

Orações Coordenadas Sindéticas


Conceito
Apresentam conectivo
Ex: [Chegue cedo], [pois preciso falar com você]
Or Coord Assindética Or Coord Sindética

Classificação das Orações Coordenadas Sindéticas Aditivas

Expressam ideia de adição, soma, sequência lógica, as conjunções coordenativas aditivas típicas são: e,
nem, não só... mas também, não apenas... como (também) Exemplos:
[Estudava] [e trabalhava]
[Não só estuda] [como também trabalha]
[Não veio] [nem telefonou]

Adversativas
Expressam uma oposição, um contraste, uma compensação em relação ao que se declara na oração
coordenada anterior, algumas conjunções: mas, contudo, todavia, entretanto, porém, no entanto
Exemplos:
[Falou muito], [mas não convenceu]
[Estava nervoso], [porém fez bela apresentação]

90 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Repare! A adversidade pode ser introduzida pela conjunção “e”.


Ex: Gritou, e ninguém ouviu.

Alternativas:
Expressam ideia de alternância de fatos ou escolha Alguns conectores: ou, ou...ou, ora...ora, já...já,
quer...quer..., seja...seja
Exemplos:
[Fale agora] [ou se cale para sempre]
[Ora xingava o juiz], [ora o elogiava]

Conclusivas
Exprimem conclusão em relação à oração anterior As conjunções típicas são: logo, portanto, pois
(posposto ao verbo), então, assim Exemplos:
[Não tenho dinheiro], [portanto não comprei o carro]
[O time venceu]; [disputará o título, pois]

Repare! O conectivo pois, quando posposto ao verbo de sua oração, é sempre conclusivo
Explicativas:
Expressam uma justificativa ou uma explicação referente ao fato expresso na oração anterior Os principais
conectores são: pois (sempre no início da oração), porque, porquanto, visto que, já que, uma vez que,
etc.

Exemplos:
[Não mexa aí], [pois é perigoso]
[Cumprimente-o], [porque venceu o torneio]
Repare: Quando a oração é coordenada sindética explicativa, é comum haver, na oração anterior, verbo no
modo imperativo.

Exercícios

1- Caso se peça, em uma atividade do nono ano, por exemplo, a identificação da relação existente entre as
duas orações seguintes, que constituem um axioma de Descarte: “Penso, logo existo”, o aluno deverá
concluir que as duas orações:

(A) se subordinam uma a outra, estabelecendo a relação semântica de condição


(B) constituem um período complexo por apresentar duas orações absolutas
(C) estão coordenadas entre si e estabelecem o elo semântico de conclusão
(D) apresentam características da subordinação, embora sejam justapostas

2- A frase que apresenta relação coordenada entre as estruturas que a constituem é:

(A) Ainda que tenha de estudar muito, irá se submeter ao concurso


(B) Ora estuda, ora se diverte, ora trabalha
(C) À medida que o verão avança, reduz-se o volume de água para uso
(D) Caso participe da equipe de trabalho, se dedicará com empenho
(E) A fim de que pudesse viajar, trabalhou intensamente nos domingos

3- “Esta injustiça ecológica dificilmente pode ser tornada invisível como a outra, porque os sinais estão em
todas as partes”
No trecho destacado, a segunda oração tem valor:

(A) Adversativo
(B) Conclusivo
(C) Alternativo
(D) Explicativo
(E) Aditivo

91 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- Com relação aos sentidos e aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o próximo item
A palavra “portanto” (l18) introduz, no período em que ocorre, uma ideia de conclusão
Certo ( ) Errado ( )

5- Classifique as orações destacadas na coluna 2 com as coordenadas discriminadas na coluna 1 Coluna 1


Coordenada

1- sindética aditiva
2- sindética adversativa
3- sindética alternativa
4- sindética conclusiva
5- sindética explicativa
6- assindética

Coluna 2 Orações.

( ) O médico atendia no hospital, os professores escreviam na biblioteca


( ) Havia uma multidão, mas não existia tumulto
( ) “Deixa em paz meu coração, que ele é um pote até aqui de mágoa”
( ) Sou especialista, logo, só posso atender a casos específicos
( ) Siga o mapa ou peça informação nos postos
( ) O rapaz despediu-se de mim e tomou a estrada rumo à sua casa

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo


a- 1 - 3 - 4 - 5 - 6 - 2
b- 2 - 6 - 5 - 4 - 1 - 3
c- 4 - 6 - 2 - 1 - 3 - 5
d- 6 - 2 - 4 - 3 - 5 - 1
e- 6 - 2 - 5 - 4 - 3 - 1

Gabarito 1- C 2- B 3- D 4- Certo 5- E

Orações Subordinadas Substantivas


aula - 49
Conceito Básico

As orações subordinadas substantivas têm natureza substantiva, ou seja, exercem as funções sintáticas de
um substantivo: sujeito, predicativo, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal e aposto
Acompanhe:
Os aprovados quiseram um abraço do professor.

Repare que, na frase acima, temos a estrutura: Sujeito + verbo + objeto direto É um verbo só; portanto,
tem-se uma oração absoluta Podemos, porém, transformar esse período simples em composto, substituindo,
por exemplo, o objeto direto “um abraço do professor” por uma oração de igual valor, isto é, subordinada
substantiva objetiva direta.
Os aprovados quiseram que o professor os abraçasse.

92 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Repare! As únicas conjunções que podem iniciar uma oração substantiva são as chamadas integrantes: que
e se Além disso, é comum as orações substantivas poderem ser substituídas pelo pronome demonstrativo
“isto”, para efeito de reconhecimento.

Classificação das Orações Substantivas

Subjetivas

Exercem a função de sujeito nesse caso, o verbo da oração principal deve figurar na voz ativa, passiva
analítica ou passiva sintética, sempre na 3ª pessoa do singular sem se referir a algum termo da oração em
que se encontra
Ex:[convém] [que você seja mais paciente]

[Foi importante] [que você regressasse]

Objetivas Diretas
Exercem a função de objeto direto de um verbo transitivo direto ou transitivo direto e indireto da oração
principal

Ex: [Eu desejo] [que você seja mais paciente]


OP or subord subst objetiva direta

[Desejo] [que você regresse]


OP or subord subst objetiva direta
Objetivas Indiretas
Funcionam como objeto indireto de um verbo transitivo indireto ou transitivo direto e indireto da oração
principal.
Ex: [Eu aspiro] [a que você seja mais paciente]
OP or subord subst objetiva indireta

[Lembre-se] [do que aconteceu]


OP or subord subst objetiva indireta

Predicativas

Funcionam como predicativo do sujeito Sempre aparece verbo de ligação na oração principal
Ex: [Meu desejo é] [que você seja feliz]
OP or subord subst predicativa

[O importante é] [que você regressou]


OP or subord subst predicativa

Completivas Nominais

93 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Exercem a função de complemento nominal de um substantivo, adjetivo ou advérbio

Ex:[Eu estou convicto] [de que você ficará paciente]


OP or subord subst completiva nominal

[Tenho necessidade] [de que você me apoie]


OP or subord subst completiva nominal

Apositivas

Funcionam como aposto geralmente vêm depois de dois-pontos ou, mais raramente, entre vírgulas.
Ex:[Meu desejo é este:] [que você seja mais paciente]
OP or subord subst apositiva
[Só que uma coisa:] [que você volte imediatamente]
OP or subord subst apositiva

Repare!
Embora a NGB não registre, há autores que incluem nas substantivas a oração com valor de agente da
passiva Veja só:

Ex: [O trabalho foi feito] [por quem realmente entendia do assunto]


OP or subord subst agente da passiva

Exercícios
1- Assinale a única alternativa em que os termos sublinhados constituem uma oração subordinada
substantiva subjetiva.

a- Sempre é importante que estudemos muito.


b- Quando Genaro chegou, os olhos de Laura se iluminaram.
c- O quadro que foi roubado estava no museu há séculos.
d- O importante é que estudemos muito.
e- Embora soubesse a verdade, calou-se.

2) Assinale a alternativa em que a oração grifada exerce a função de sujeito.

a- “A influência das bactérias () indica que elas não desempenham somente tarefas fundamentais” (linhas
04-05).
b-“Várias experiências () mostraram que os microrganismos do intestino podem afetar seu comportamento”
(linha 10).
c- “Foi comprovado, por exemplo, que () estes desenvolvem sintomas próprios dessa doença”
(linhas 11-13).
d- “Yolanda Sanz () acrescenta que ‘não existem evidências de causa e efeito’” (linhas 19-20).
e- “Sanz reconhece () que o conhecimento ainda escasso” (linha 25).

3- Marque a opção em que há oração substantiva objetiva indireta.

a- Diz-se que Homero era cego.


b- Não sei se a alma existe.
c- Avisei-o de que o eclipse acontecerá amanhã.
d- Tenho certeza de que você fará uma boa prova.
e- Minha vontade é que você aprenda mais.

4- Ainda com relação a aspectos linguísticos do texto CB2A2BBB, julgue o item subsequente O sujeito da
oração iniciada por “Entende-se” (l7) é indeterminado “Entende-se que a integridade pública representa o
estado ou condição de um órgão ou entidade pública”.

Certo ( ) Errado ( )
94 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

5- Acerca das ideias e estruturas linguísticas do texto a respeito da CAFCOPA, julgue o item subsecutivo
A oração “que os consultores apresentaram regime de trabalho incompatível com a realidade” (L 7 e
funciona como complemento da forma verbal “constatou-se” (L7) “constatou-se que os consultores
apresentaram regime de trabalho incompatível com a realidade”.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 01 - A 02 - C 03 -C 04 - Errado 05 - Errado

Orações Subordinadas Adverbiais


aula - 50
Conceito Básico
A oração subordinada não é independente, pois desempenha uma função sintática em relação à
oração principal no caso das orações subordinadas adverbiais, funcionam como um adjunto adverbial
(oracional) da oração principal.
Classificação das Orações Adverbiais
Causais
Modificam a oração principal apresentando uma circunstância de causa, os principais conectores causais
são: porque, porquanto, como (= porque), visto que, já que, uma vez que.

Ex: [Ele não saiu de casa], [porque choveu]


OP Or Sub Adv Causal
[Como a mãe o enganou], [ele chorou]
Or Sub Adv Causal OP

Consecutivas
Exprimem um fato que é consequência, efeito do que se declara na oração principal São, geralmente,
introduzidas pela conjunção que (é comum haver na OP palavra de sentido intensificador ou quantificador)
Ex: [Ele sentiu tanta dor] [que chorou]
OP Or Sub Adv Consecutiva
[Agras correu tanto] [que chegou ofegante]
OP Or Sub Adv Consecutiva

Concessivas
Expressam um fato contrário sem força suficiente para anular a realização de um outro (o qual é declarado
na principal).
Conectores mais frequentes: embora, conquanto, ainda que, mesmo que, posto que, se bem que, apesar
de que, por mais que, por menos que.

Ex: [Embora estivesse aflita], [fez bom discurso]

Condicionais

Expressam uma condição em relação à ideia formulada pela oração principal as principais conjunções são:
se, caso, desde que (com verbo no subjuntivo), contanto que, sem que, a menos que.

Ex: [Se ele demorar], [ela ficará aborrecida]

Estabelecem uma comparação em relação à oração principal os principais conectivos são: como,
tão...como, tanto...quanto, mais… (do) que, menos…(do) que

Ex: [É mais dedicado] [do que o amigo (é)]

Repare! A oração comparativa, normalmente, apresenta verbo implícito, é sempre facultativa a


presença do termo “do” antes de conjunções comparativas.
Conformativas

95 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Indicam ideia de conformidade, ou seja, exprimem um modelo adotado para a execução do que se declara
na oração principal as principais conjunções são: conforme, como (= conforme), segundo, consoante.

Ex: [Conforme eu orientei], [ele fez as questões]


Or Sub Adv Conformativa OP

Temporais

Indicam uma ideia de tempo ao fato expresso na oração principal, podendo exprimir noções de
simultaneidade, anterioridade ou posterioridade, as principais conjunções são: quando, enquanto, assim
que, logo que, sempre que, antes que, mal (=assim que), apenas (logo que), depois que.

Ex: [Desde que ele chegou], [está estudando]


Or Sub Adv Temporal OP

Finais
Expressam a intenção, o objetivo, a finalidade daquilo que se declara na oração principal, as principais
conjunções são: para que, a fim de que Ex: [Fiz de tudo] [para que ele me compreendesse]
OP Or Sub Adv Final

Proporcionais
Expressam uma proporcionalidade, uma gradação em relação à ideia formulada pela oração principal as
principais conjunções são: à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto mais ... mais, quanto
menos ... menos, quanto mais ... menos, quanto menos ... mais

Ex: [Quanto mais estudo], [mais sei]


Or Sub Adv Proporcional OP

Exercícios

1- Releia o trecho a seguir, “Aos sete anos, vendia de casa em casa os pastéis que a mãe viúva fritava,
enquanto os cinco filhos ainda dormiam”. Assinale a alternativa que indica a relação existente entre os
períodos, marcada pela palavra destacada.

a- Temporalidade
b- Conclusão
c- Adversidade
d- Adição
e- Explicação

2- Em “Se a ‘verdade’ fosse aquilo que posso entender, terminaria sendo apenas uma verdade pequena, do
meu caminho” (l 05 e 06), a oração sublinhada classifica-se como subordinada adverbial:

a- causal
b- concessiva
c- condicional
d- comparativa
e- proporcional

3- O termo grifado em: “Como você deve ter imaginado” (linha 17) se classifica como uma conjunção:
“Como você deve ter imaginado, as respostas foram positivas em relação à pessoa não deu os choques”.

a- causal
b- integrante
c- comparativa
d- proporcional
e- conformativa

96 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

4- O vocábulo SE presente no 7º verso do poema tem a função sintática de:


“Se a namorada respondesse pela mesma pedra. Era uma glória!”

a- Subordinada adverbial causal


b- Coordenada sindética explicativa
c- Subordinada adjetiva explicativa
d- Coordenada sindética conclusiva
e- Subordinada adverbial condicional
5- Leia, com atenção, o texto a seguir
“Regulados os preliminares para a liquidação da herança, Rubião tratou de vir ao Rio de Janeiro, onde se
fixaria, logo que tudo estivesse acabado Havia que fazer em ambas as cidades; mas as cousas prometiam
correr depressa”. (ASSIS, Machado de Quincas Borba São Paulo: FTD, 1992)
A oração subordinada adverbial que exprime a mesma ideia da oração destacada é.

a- Quanto mais me apaixono, mais ela se afasta de mim.


b- Se as almofadas não vierem, vou sair dos jogos de maca.
c- Quando faltavam cinco minutos, tocou o telefone do prédio.
d- Para que possas expressar seu afeto, escreve cartas de amor.

Gabarito 1 - A 2 - C 3- E 4- E 5- C

Orações Subordinadas Adjetivas


aula - 51
Conceito Básico

A oração subordinada adjetiva possui valor e função de adjetivo, ou seja, equivale a um adjetivo.

Ex: Chegou o aluno dedicado.

Observe que o substantivo “aluno” foi caracterizado pelo adjetivo dedicado.


Chegou o aluno [que se dedica]
or subordinada adjetiva.

Repare! O substantivo “aluno” foi caracterizado pela oração subordinada adjetiva que se dedica. Note que
a conexão entre a oração subordinada adjetiva e o termo da oração principal que ela modifica é feita pelo
pronome relativo que.
As orações adjetivas vêm introduzidas por pronome relativo e exercem a função de adjunto adnominal
do antecedente.
Os pronomes relativos são:

Variáveis Invariáveis
o qual, a qual,
que
os quais, as quais
cujo, cuja,
quem
cujos, cujas
quanto, quanta,
onde
quantos, quantas
como

quando

Classificação das Orações Adjetivas


As orações subordinadas adjetivas podem ser:

97 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Restritivas
Restringem ou especificam o sentido do termo a que se referem, individualizando-o. Nessas orações não há
marcação de pausa Veja:
Ex: [Chegou o professor] [que me auxiliou no projeto]
or principal or subordinada adjetiva restritiva

Explicativas
Explicam, ampliam dados sobre o antecedente essas orações aparecem com marcação de pausa

Ex: [Chegou Paulo], [que me auxiliou no projeto]


or principal or subordinada adjetiva explicativa

A oração adjetiva restritiva – o próprio nome já diz – restringe, ou seja, foca parte de um todo; já a oração
adjetiva explicativa não restringe, ou seja, generaliza com base nisso, repare:

Ex: [Paulo encontrou os primos] [que moram em Búzios]


or principal or subordinada

adjetiva restritiva
No período acima, podemos afirmar que “Paulo” tem primos que moram em Búzios e, pelo menos, um
primo que mora em outro lugar A palavra “primo”, no caso, teve seu sentido limitado, ou
seja, especificado Para isso, usou-se uma oração subordinada adjetiva restritiva

Ex: [Paulo encontrou os primos],[que moram em Búzios]


or principal or subordinada

adjetiva explicativa
Nesse período, é possível inferir que todos os primos de Paulo moram em Búzios A oração adjetiva
explicativa apresenta um comentário, uma informação extra

Exercícios

1- A oração subordinada adjetiva pode ter valor restritivo ou explicativo No trecho, a seguir, ela tem valor
explicativo “a casa de Ticuantepe, que era tão sombreada e fresca”. O mesmo acontece em:

a- “Fernando quando imita o sabiá”.


b- “o hotel que abria só para fantasmas”.
c- “como aquele espelheiro que fazia espelhos”.
d- “alguns tipos extravagantes que ele conheceu”.
e- “da gente recém-criada, que ainda tem cheiro de barro”.

2- Julgue o item a seguir, relativo aos sentidos e aos aspectos linguísticos do texto apresentado.
Os sentidos originais do texto seriam preservados caso se inserisse uma vírgula imediatamente após “norte-
americanos” (l9). “um dos últimos estádios norte-americanos que mantêm sua construção original”.

Certo ( ) Errado ( )

3- Atente para o excerto e as afirmações sobre ele:


“Esta indagação não convém à indústria farmacêutica nem ao sistema cujo objetivo primordial é a
apropriação privada da riqueza”
Avalie as afirmativas sobre a oração sublinhada:
I- A oração sublinhada é subordinada e tem função adjetiva.
II- Ela exprime uma generalização em relação ao antecedente – “sistema”.
III- O pronome que introduz a oração indica ideia de posse.
Estão CORRETAS as afirmativas:

a- I e II, apenas
98 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b- I e III, apenas
c- II e III, apenas
d- I, II e III
4- Em relação ao excerto “As famílias que têm idosos acamados enfrentam desafios ainda maiores quando
não encontram suporte e orientação nos sistemas de saúde”, é correto afirmar que há, dentre outras, uma
oração.

a- subordinada adjetiva restritiva


b- subordinada adverbial concessiva introduzida por uma conjunção
c- subordinada objetiva indireta complementando sintaticamente um verbo
d- subordinada substantiva predicativa
e- subordinada adjetiva explicativa

5- No fragmento “[...] minha mãe, que era uma mineira cem por cento, queria saber se eu já “tinha outra”,
como se diz lá em Minas Gerais, [...]”, o termo destacado exerce a função de.

a- introduzir uma oração subordinada substantiva


b- indicar a inserção de uma oração assindética
c- sinalizar a introdução de uma oração coordenada
d- introduzir uma oração subordinada adjetiva
e- indicar a inserção de uma oração subordinada adverbial

Gabarito 1- E 2- Errado 3- B 4- A 5- D

Orações Reduzidas
aula - 52
Conceito Básico

Muitas orações subordinadas podem aparecer abreviadas ou simplificadas: sem conectivo (conjunção ou
pronome relativo) e com verbo numa das chamadas formas nominais, isto é, no gerúndio, no infinitivo ou
no particípio essas orações abreviadas são chamadas de reduzidas.

Reduzida de Infinitivo
Não possui conectivo e o verbo encontra-se na forma de infinitivo – pessoal (com sujeito) ou impessoal
(sem sujeito) O infinitivo possui valor de substantivo.

Ex: É necessário estudar todas as matérias => Oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de
infinitivo = que estude todas as matérias.

Ela assegurou serem boas as aulas do professor => Oração subordinada substantiva objetiva direta
reduzida de infinitivo = que eram boas as aulas do professor.

Gosto de cozinhar sozinho => Oração subordinada substantiva objetiva indireta reduzida de infinitivo =
que eu cozinhe sozinha.

O melhor seria estudarem a matéria => Oração subordinada substantiva predicativa reduzida de infinitivo
= que estudassem a matéria.

Ela foi a primeira a acordar => Oração subordinada adjetiva (cabe pronome relativo) restritiva (sem
pontuação) reduzida de infinitivo = que acordou – a qual reclamou.

Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado => Oração subordinada adverbial temporal
reduzida de infinitivo = quando persistirem os sintomas.

Fiz um empréstimo para pagar o carro => Oração subordinada adverbial final reduzida de infinitivo =
para que pagasse o carro.

99 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Reduzida de Gerúndio

Não possui conectivo e o verbo encontra-se no gerúndio.


O gerúndio possui valor de advérbio.

Ex: Encontrei a professora, saindo do curso. Oração subordinada adjetiva explicativa reduzida de
gerúndio = que saía do curso – a qual saía.

Gosto de crianças correndo pelo quintal => Oração subordinada adjetiva restritiva reduzida de gerúndio =
que correm pelo quintal.

Não cumprindo o prazo, foi dispensado => Oração subordinada adverbial causal reduzida de gerúndio =
porque não cumpriu o prazo.

Reduzida de Particípio

Não possui conectivo e o verbo encontra-se no particípio O particípio possui valor de adjetivo.

Ex: Fiquei satisfeito com o resultado anexado no quadro => Oração subordinada adjetiva restritiva
reduzida de particípio = que que anexaram no quadro – o qual.

Ferido na perna, ele não pode mais dirigir => Oração subordinada adverbial causal (por quê?)
reduzida de particípio = porque se feriu na perna.

Exercícios

1- “O casamento foi a maneira que a humanidade encontrou de propagar a espécie sem causar falatório na
vizinhança”. Assinale a opção em que a oração reduzida sublinhada está corretamente desenvolvida.

a- “sem que cause falatório na vizinhança”


b- “sem que seja causado falatório na vizinhança”
c- “sem que causasse falatório na vizinhança”
d- “sem que tivesse causado falatório na vizinhança”
e- “sem causar-se falatório na vizinhança”

2- “ ela já devia pressentir que Papai Noel era um mito que nós fazíamos força para manter em nós
mesmos”
Se trocássemos a forma da oração reduzida sublinhada por uma oração desenvolvida, a forma adequada
seria:

a- para que mantivéssemos em nós mesmos


b- para a manutenção em nós mesmos
c- para que mantenhamos em nós mesmos
d- para que seja mantido em nós mesmos
e- para mantermos em nós mesmos

3- “mas já conhecem a brutal realidade dos desaventurados cuja sina é cruzar fronteiras para sobreviver”
Se, no mesmo segmento, substituirmos a oração “cruzar fronteiras” por uma forma de oração desenvolvida
adequada, sua forma correta seria.

a- o cruzamento de fronteiras
b- o cruzarem-se as fronteiras
c- a cruzada das fronteiras
d- que cruzassem fronteiras
e- que cruzem fronteiras

4- “Afinal, se queremos algo, além de ter um alto QI, é necessário desenvolver uma sabedoria excepcional”
A forma adequada de uma oração desenvolvida correspondente à oração reduzida sublinhada

100 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

(texto 2) é:

a- o desenvolvimento de uma sabedoria excepcional;


b- que desenvolvemos uma sabedoria excepcional;
c- que desenvolvêssemos uma sabedoria excepcional;
d- desenvolvermos uma sabedoria excepcional;
e- que desenvolvamos uma sabedoria excepcional

5- No trecho “Ouvindo isso, assustados réus, num ato nada falho tiramos o tapete de nós mesmos” (ℓ 52-
53), a oração reduzida em negrito apresenta, em relação à oração seguinte, o valor semântico de.

a- tempo
b- modo
c- oposição
d- proporção
e- consequência

Gabarito 1- C 2- A 3- E 4 - E 5 - A

Período Misto
aula - 53
Conceito básico

Período misto é o período composto por orações coordenadas e subordinadas.


Ex: A professora corrigiu as provas e ajudou os alunos que estavam com mais dificuldade.
A oração “A professora corrigiu as provas” é uma oração coordenada bem como a oração “ajudou os
alunos” Já a oração “que estavam com mais dificuldade” é subordinada (adjetiva restritiva) à
“ajudou os alunos”.
João amava Maria e já lhe tinha dado provas de que deseja se casar com ela.
A oração “João amava Maria” é uma oração coordenada bem como a oração “já lhe tinha dado provas” Já a
oração “de que deseja se casar com ela” é subordinada (substantiva completiva nominal) à “já lhe tinha
dado provas”.

Exercícios

1- Caso se peça, em uma atividade do nono ano, por exemplo, a identificação da relação existente entre as
duas orações seguintes, que constituem um axioma de Descarte: “Penso, logo existo”, o aluno deverá
concluir que as duas orações:
a- se subordinam uma a outra, estabelecendo a relação semântica de condição.
b- constituem um período complexo por apresentar duas orações absolutas .
c- estão coordenadas entre si e estabelecem o elo semântico de conclusão.
d- apresentam características da subordinação, embora sejam justapostas.

2- Em “Se a ‘verdade’ fosse aquilo que posso entender, terminaria sendo apenas uma verdade pequena, do
meu caminho” (l 05 e 06), a oração sublinhada classifica-se como subordinada adverbial:

a- causal
b- concessiva
c- condicional
d- comparativa

3- Releia o trecho a seguir. “Aos sete anos, vendia de casa em casa os pastéis que a mãe viúva fritava,
enquanto os cinco filhos ainda dormiam”.
Assinale a alternativa que indica a relação existente entre os períodos, marcada pela palavra destacada.

a- Temporalidade
101 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b- Conclusão
c- Adversidade
d- Adição

4- Na frase ‘Essa fonte energética agride menos o meio ambiente do que o petróleo e o carvão mineral’, a
oração sublinhada.

a- expressa uma consequência


b- representa o segundo termo de uma comparação
c- exprime uma concessão
d- denota probabilidade
e- indica um efeito ou resultado

5- para esquecer o medo do trovão, as aparições e os milhares de perigos (último parágrafo). No contexto, o
segmento acima assinala noção de.

a- causa
b- temporalidade
c- oposição
d- comparação
e- finalidade

Gabarito 1- C 2- C 3 - A 4- B 5- E
Palavra SE
aula - 54
Funções Morfológicas
Segundo à classe gramatical, o se pode ser classificado em:

Substantivo
Aparece antecedido de um determinante (artigo, pronome etc) ou especifica outro substantivo.
Ex: Este se não está empregado corretamente.

Conjunção
Quando classifica como conjunção, caracteriza-se apenas como subordinativas:
Conjunção subordinativa integrante: introduz uma oração subordinada substantiva.
Ex: Não sei se as indicações são boas

Conjunção subordinativa causal: relaciona-se a já que, uma vez que


Ex: Se não tinha se preparado para o certame, não poderia ter feito a prova

Conjunção subordinativa condicional: estabelece um sentido de condição


Ex: Se estudar, será aprovado

Pronome

Pronome apassivador: relaciona-se a verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos, estando
na voz passiva sintética Ex: Compraram-se as joias
Entregou-se o material ao professor

Repare! Para identificar o pronome apassivador, recomenda-se mudar o verbo para a voz passiva analítica
Ex: As joias foram compradas
O material foi entregue ao professor

Índice de indeterminação do sujeito: relaciona-se a verbos intransitivos, transitivos indiretos ou de


ligação, uma vez conjugados na 3ª pessoa do singular
Ex: Precisa-se de ajuda
102 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Brinca-se naquele parque


Era-se feliz

Parte integrante do verbo: integra verbos essencialmente pronominais, ou seja, aqueles que
necessariamente vem acompanhados de pronome oblíquo São eles: queixar-se, arrepender-se, vangloriar-
se, submeter-se, suicidar-se, dentre outros

Pronome reflexivo: refere-se ao sujeito da oração indica que o sujeito pratica e recebe a ação expressa pelo
verbo
Ex: Ela se olhou no espelho

Pronome reflexivo recíproco: indica que determinado elemento praticar certa ação sobre outro, e o outro
praticar a ação sobre o “determinado elemento” Cabe a forma uns aos outros Ex: Os amigos se abraçaram

Partícula de realce ou expletiva: o pronome seja retirado da oração sem para que isso acarrete alteração
de sentido
Ex: Ela se saiu de mansinho
Funções Sintáticas
A palavra SE só exercerá função sintática quando for pronome reflexivo
Ex: Ela deixou-se enganar (sujeito do infinitivo)
A criança se feriu com a faca (objeto direto)
Ele se deu um presente (objeto indireto)

Exercícios

1- Em relação a aspectos linguísticos do texto, julgue o item A partícula “se” (linha 6) é índice de
indeterminação do sujeito, “ hoje se sabe que todas as línguas são estruturas de igual complexidade’’.

Certo ( ) Errado ( )

2- Na frase “Abrem-se os túmulos, levantam-se os mortos, todos os nossos mártires ressuscitam”, as duas
formas do vocábulo se são classificadas como.

a- pronomes reflexivos
b- pronomes recíprocos
c- partículas de realce
d- índices de indeterminação do sujeito
e- pronomes apassivadores

3- Na frase: “evita-se que os materiais acabem em aterros e lixões” (l 29-30), o se funciona como:

a- Pronome reflexivo
b- Partícula apassivadora
c- Índice de indeterminação do sujeito
d- Conjunção integrante
e- Conjunção adverbial condicional

4- O pronome “se” presente em “O homem que se cuida” deve ser classificado, em função do papel que
exerce como:

a- pronome apassivador
b- parte integrante do verbo
c- pronome reflexivo
d- índice de indeterminação do sujeito

5- A respeito dos aspectos linguísticos do texto CB4A1AAA, julgue o próximo item. Nos trechos “se
debruçaram” (ℓ11) e “se chegar” (ℓ17), a partícula “se” recebe classificações distintas “Autores

103 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

importantes () se debruçaram em torna dessa questão” “ têm hipóteses concretas para se chegar a esse
estado de coisas”.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- Errado 2- E 03 - B 4- C 5- Certo

Palavra QUE
aula - 55
Funções Morfológicas

1- Substantivo: antecedido de artigo, pronome ou numeral


Ex: Sinto um quê de insatisfação.

2- Pronome indefinido: em geral, vem seguido de substantivo Ex: Que saudades sinto das nossas
conversas!

3- Pronome (indefinido) interrogativo


Ex: Que ele disse? Que livro você leu?

4- Advérbio: em geral, vem seguido de adjetivo


Ex: Que simpática é a jovem.

5- Pronome relativo: em geral, equivale a o qual, a qual, os quais, as quais


Ex: Chegaram os torcedores que ficaram sem voz.

6- Interjeição
Ex: Quê! Ele agiu dessa forma!

7- Preposição acidental: equivale à preposição de.


Ex: Tenho que viajar hoje.
Primeiro que tudo, lerei este texto.

8- Partícula de realce: com função acessória, sempre retirável da oração


Ex: Ele que organiza tudo (Ele organiza tudo)
Nós é que faremos tudo (Nós faremos tudo)

9- Conjunção integrante: introduz as orações substantivas


Ex: Desejo que sejas feliz (Desejo isso)

10- Conjunção coordenativa explicativa


Ex: Leia isso, que (=pois) é importante.

11- Conjunção subordinativa consecutiva


Ex: Bebeu tanto que vomitou tudo.

Funções Sintáticas

A palavra QUE pode assumir diversas funções sintáticas. A mais cobrada em concursos são as funções
sintática do pronome relativo Não é tarefa fácil descobri-las.
Ex: [Comprei o livro] [de que gosto]

Repare! Substitua o pronome relativo pelo seu antecedente Em seguida, observe a função sintática que
assumiu no lugar do pronome relativo

Ex: [Comprei o livro] [do livro gosto] => Gosto do livro => livro é o objeto indireto do verbo gostar, então
o pronome relativo que exerce função de objeto indireto
104 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: [A polícia matou o bandido] [que roubou a idosa]


[A polícia matou o bandido] [o bandido roubou a idosa]
O bandido – sujeito do verbo roubou
Então, o pronome relativo que exerce função de sujeito

Ex: [Li o livro] [que você me deu]


[Li o livro] [o livro você me deu]
Você me deu o livro
Livro: objeto direto do verbo deu
Então, o pronome relativo que exerce função de objeto direto.

Exercícios

1- O pronome relativo é assim chamado porque se refere, de regra geral, a um termo anterior – o
antecedente, ou seja, o substitui, evitando repetições desnecessárias. Assinale a alternativa em que a palavra
sublinhada tem função de pronome relativo:

a- “Tampouco acredito numa sociedade em que a igualdade seja plena”.


b- “ a classe operária quem produz a riqueza, enquanto o capitalista nada mais faz que explorar o trabalho
alheio e enriquecer”.
c- ”Isso não significa, porém, que o capitalismo de repente tornou-se bom e justo”.
d- “É evidente que isso depende de uma série de fatores e condições, que não se encontram em todos os
países”.

2- Assinale a alternativa na qual NÃO há ocorrência do pronome relativo “que”.

a- “O alerta vale especialmente para os homens, já que o estudo analisou 1222 participantes do sexo
masculino”.
b- “O estilo de vida estressante pode ter se sobreposto a qualquer benefício da intervenção que fizemos”.
c- “A equipe que foi monitorada de perto apresentou, inicialmente, melhora na saúde cardiovascular”.
d- “o pessoal com maior probabilidade de perder a vida eram aqueles que trabalhavam muito e
descansavam pouco”.
e- Os resultados mostram que os homens que haviam tirado três semanas ou menos de férias durante o ano
tinham um risco 37% maior de morrer em comparação aos que descansaram por mais tempo.

3- “ Há uma voz que canta


Uma voz que dança
Uma voz que gira”
No texto, a palavra destacada que é:

a- conjunção integrante, sem função nos versos


b- conjunção integrante, introduzindo orações substantivas
c- pronome relativo com função de complemento nominal
d- pronome relativo com função de objeto direto
e- pronome relativo com função de sujeito

4- Considere a sentença:
“Os resultados sugerem que há algo de especial na meditação que carrega muito dos benefícios do yoga”.
As palavras que aparecem destacadas no contexto são, respectivamente:

a- pronome e conjunção
b- pronome e advérbio
c- conjunção e pronome
d- conjunção e advérbio
e- conjunção e preposição

105 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

5- Levando-se em consideração a morfossintaxe da gramática tradicional, algumas palavras podem


apresentar uma variedade de classificações. Observe as classificações dadas ao vocábulo que nos trechos
do Texto I a seguir:

I.“Era uma vez um jovem casal que estava muito feliz” (linha 1) – pronome relativo
II. “Que felicidade ter um computador como filho!” (linha 4) – advérbio de intensidade
III. “[...] julgavam que uma memória perfeita é o essencial para uma boa educação” (linhas 7-8) –
conjunção integrante.
IV. “De tudo o que você memorizou qual foi aquilo que você mais amou?” (linha 35) – pronome
interrogativo.
V. “É que tais respostas não se encontram na memória” (linhas 44-45) – partícula de realce.

Estão corretas:

a- I, II e IV
b- I, II e V
c- I, III e IV
d- I, III e V

Gabarito 1- A 2- A 3- E 4- C 5- D
Pontuação
aula - 56
Vírgula
Conceito básico

Indica pausa ligeira e é usada para separar frases encadeadas entre si ou elementos dentro de uma frase
No período Simples.

Casos em que é Prescrita ou Aconselhável

Emprega-se a vírgula, no período simples, para:

a) a- separar elementos com a mesma função sintática.

Repare! A vírgula separa elementos coordenados em enumerações com a mesma função sintática, quando
não separados pelas conjunções e, ou, nem.

Ex: Comi frutas, verduras, carne, arroz e feijão (objetos diretos).

b- separar elementos com diferentes funções sintáticas.


A vírgula separa elementos com função sintática diferente, isolando-os e realçando-os:
Isola o aposto e outros elementos explicativos, vocativo, adjuntos adverbiais, objetos (diretos e indiretos)
pleonásticos.

Ex: Alexandre Soares, professor de Língua Portuguesa, mora no Rio de Janeiro (aposto) Alexandre, faça
os exercícios (vocativo).
Apesar das gritarias e dos tiros, a criança continuou dormindo (adjunto adverbial).

Repare! É aconselhável o uso da vírgula para separar adjuntos adverbiais de certa extensão quando
precedem o verbo Mesmo o adjunto adverbial curto pode ser separado por vírgula quando se quer dar
ênfase à ideia por ele expressa.

Ex: Ontem fui ao cinema.


Ontem, fui ao cinema.

c) c- separar palavras e expressões de natureza explicativa, continuativa, conclusiva, retificativa, enfática


de um modo geral: além disso, aliás, a saber, enfim, então, isto é, ou seja, no mais, ora,

106 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

ou melhor, outrossim, pensando bem, por exemplo, por assim dizer, realmente, etc.

Ex: Ficamos, enfim, livres de preconceitos.


Quero duas coisa, a saber, um beijo e um abraço Gastou tudo, ou melhor, quase tudo .

d- numa data, isola o nome do lugar.

Ex: Rio de Janeiro, 25 de dezembro de 2018.

e- separar elementos repetidos.

Ex: Ela está muito, muito, muito feliz.

f- indicar a supressão de uma palavra, normalmente do verbo.

Ex: Eu gosto de frutas, ela, de doces.

g- Separar predicativos para evitar a confusão com os adjuntos adnominais


Ex: A mulher desesperada fugiu com o filho (adjunto adnominal)
A mulher, desesperada, fugiu com o filho (predicativo)

Casos em que é proibida

a- Não se separa o verbo do seu sujeito, em ordem direta ou indireta.


Ex: Os alunos chegaram.
Chegaram os convidados.

b- O adjunto adnominal não deve ser separado do substantivo-núcleo a que ele se liga; nem o complemento
nominal; nem o adjunto adverbial do tipo que complementa o sentido do verbo Ex: O aluno inquieto
declarou ter medo de barata.
Voltei de Natal.
Irei ao banheiro.

c- Não se separa o verbo de seu objeto, na ordem indireta, a vírgula é facultativa.


Ex: Ele encontrou os materiais.
Aos filhos ela deu amor.

d- O agente da passiva não deve ser separado da locução verbal.


Ex: A casa foi invadida por bandidos.
O carro foi comprado por um estrangeiro.

Exercícios

1- Falta tudo: suporte para pesquisa, capacidade de treinamento de profissionais em números adequados,
uma política que realmente identifique as intervenções que funcionam. Os dois pontos foram empregados,
nesse texto, para:

a- Introduzir uma citação.


b- Introduzir uma enumeração.
c- Separar orações coordenadas para que se opõem quanto ao sentido.
d- Indicar surpresa, dúvida, hesitação.
e- Realçar palavras ou expressões.

2- Com relação a aspectos linguísticos do texto CB2A1-I, julgue o item que se segue.
O isolamento da expressão “de forma muito rápida” (ℓ15) por vírgulas preservaria a coesão e a correção
gramatical do texto. “Este vírus se espalhou de forma muito rápida em toda a América do Sul”.

Certo ( ) Errado ( )

107 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Julgue o próximo item, relativos aos sentidos e a aspectos linguísticos do texto 2A1-I
A inserção de vírgula imediatamente após a palavra “diretamente” (l29) não comprometeria a correção
gramatical do texto.

Certo ( ) Errado ( )

4- Acerca dos sentidos e de aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o item a seguir A eliminação
da vírgula logo após “legais” (ℓ8) prejudicaria a correção gramatical do texto.

Certo ( ) Errado ( )

5- Os sentidos e a correção gramatical do texto 1A2-I seriam preservados se o trecho “Todos merecem
estes direitos, sem discriminação” (l 6 e 7) fosse substituído por:

a- Todos sem discriminação, merecem estes direitos.


b- Todos, sem discriminação merecem tais direitos.
c- Todos, sem discriminação, merecem estes direitos.
d- Sem discriminação, todos, merecem tais direitos.
e- Todos, merecem, sem discriminação estes direitos.

Gabarito 1- B 2- Certo 3- Errado 4- Certo 5- C

Pontuação
aula - 57
Vírgula no Período Composto
Casos em que é Prescrita ou Aconselhável

a- A vírgula separa orações coordenadas assindéticas, ou seja, orações que não estão ligadas por
conjunções.
Ex: Acordei, estudei, almocei.

b- Em regra, na coordenação, as sindéticas aditivas e alternativas podem ser separadas por vírgulas. Já as
sindéticas adversativas, explicativas e conclusivas devem ser separadas por vírgulas.
Ex: Maria trabalha, e João estuda.
Ora ela chora, ora ela ri.
Ele está doente, mas não tomou remédio.
Estude, pois será aprovado.
Ganhou na loteria, portanto está rico.

c- A vírgula isola orações subordinadas adjetivas explicativas.


Ex: Meus parentes, que moram em Cascavel, estão viajando.

d- Use a vírgula para separar orações subordinadas adverbiais quando antepostas ou no meio da principal,
bem como as orações reduzidas do gerúndio, particípio e infinitivo que equivalem a orações adverbiais.
Ex: Quando eu cheguei, ela já havia saído.
Eu, se houver uma oportunidade, falarei a verdade.
Ela faltou porque estava doente.
Chovendo, ficaremos em casa.
108 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ponto e Vírgula
Emprego

a- separar os itens de uma enumeração, principalmente se houver vírgula em um deles


Ex: Sem paixão, uma mulher amortece; sem dinheiro, um homem fica louco; sem religião, qualquer
coração embrutece

b- separar de orações sindéticas adversativas e conclusivas quando o verbo estiver antes da conjunção ou
quando se que ressaltar a ideia expressa por eles
Ex: Sorriu; estava triste, porém
Choveu; as ruas estão, portanto, molhadas
Estou muito; portanto, foi aprovado

Exercícios

1- Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o item a seguir.
A vírgula logo após “país” (ℓ21) é de emprego facultativo, ou seja, ela poderia ser suprimida sem prejuízo
para a correção do texto.

Certo ( ) Errado ( )

2- Julgue o item seguinte, relativo ao sentido e a aspectos linguísticos do texto precedente.


As vírgulas que isolam a oração “que estava sentada na ponta da cama” (l 11 e 12) foram empregadas para
dar ênfase às ideias do texto, por isso sua supressão não interferiria nos sentidos originais do trecho.

Certo ( ) Errado ( )

3- Considerando os sentidos e os aspectos linguísticos do texto CB2A1-I, julgue o próximo item.


Na linha 4, a correção do texto seria prejudicada caso a vírgula empregada logo após o parêntese fosse
substituída por ponto e vírgula.

Certo ( ) Errado ( )

4- A supressão da vírgula empregada logo após a palavra “algum” (l59) manteria a correção gramatical do
texto.

Certo ( ) Errado ( )

109 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

5- Com base nas estruturas linguísticas do texto acima, julgue o item que se segue
Os sinais de ponto e vírgula das linhas 24, 26 e 27 podem, sem prejuízo para a correção gramatical e para a
clareza do texto, ser substituídos por vírgulas.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1 - Errado 2 - Errado 3 - Certo 4 - Certo 5 - Errado

Pontuação
aula - 58
Dois-Pontos Emprego

Esse sinal pode marcar:

a- Enumeração;
Ex: Ela tem muitos sonhos: passar no concurso da PRF; morar no Nordeste; viajar pelo mundo.

b- explicação, esclarecimento, resumo;


Ex: Falei a verdade a ele: não merece ser enganado por mais tempo.

c- discurso direto;
Ex: Ele disse:
→ - Estou cansado das suas mentiras.

d- Citação
Ex: Disse Júlio César: “Vim, vi e venci”.

Travessão
Emprego

a- Mudança de interlocutor;
Ex: A menina se levantou e perguntou à mãe:
Você está triste?
Não Só estou com dor de cabeça, filha.

b- Em termos estilísticos, é usado para acentuar uma explicação (aposto, oração subordinada
adjetiva explicativa, etc), uma expressão de realce.

Ex: João da Couves – senador de 1996 a 2002 – poderia ter feito história.
Quem poderia ter feito história foi João das Couves – senador de 1996 a2002.
João das Couves – que foi senador de 1996 a 2002 – poderia ter feito história.
João das Couves – que foi senador de 1996 a 2002 – , se tivesse tido consciência, poderia ter feito história.
João das Couves – se tivesse tido consciência – teria feito história.

Exercícios

110 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

1- Falta tudo: suporte para pesquisa, capacidade de treinamento de profissionais em números adequados,
uma política que realmente identifique as intervenções que funcionam os dois pontos foram empregados,
nesse texto, para:

a- Introduzir uma citação


b- Introduzir uma enumeração
c- Separar orações coordenadas para que se opõem quanto ao sentido
d- Indicar surpresa, dúvida, hesitação
e- Realçar palavras ou expressões

2- No que se refere aos aspectos linguísticos do texto 14A15AAA, julgue o item que segue.
No fragmento “Em graus diferentes, todos fazemos parte dessa aventura, todos podemos compartilhar ()” (l
18 e 19) as vírgulas poderiam ser substituídas por travessões, sem prejuízo gramatical para o texto.

Certo ( ) Errado ( )

3- Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o item seguinte.
A correção do texto seria mantida se as vírgulas que isolam o trecho “dos grandes escritores romanos e
latinos e falado pelas classes romanas mais abastadas” (l 2 e 3) fossem substituídas por travessões.

Certo ( ) Errado ( )

4- Os dois-pontos subsequentes a “técnicas científicas” (l27) e “relatou” (l41) foram, ambos, empregados
com o objetivo de introduzir um trecho que apresenta um esclarecimento.

Certo ( ) Errado ( )

5- Acerca de aspectos linguísticos do texto precedente e das ideias nele contidas, julgue o item a seguir.
Na linha 12, os dois-pontos introduzem um esclarecimento a respeito do “resultado último dessa
interatuação”.

Certo ( ) Errado ( )

111 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Gabarito 1- B 2- Errado 3 - Certo 4- Errado 5- Certo

Análise Morfológica
aula - 59
Morfologia
Conceito Básico

A morfologia é o estudo da estrutura e da formação das palavras A análise morfológica analisa a classe
gramatical dos elementos que formam um enunciado linguístico individualmente, sem que haja ligação
entre eles.
São classes gramaticais: substantivo, artigo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição,
conjunção e interjeição.
Ex:
Os dois alunos novos não trouxeram material.

artigo numeral substantivo adjetivo advérbio verbo substantivo

Palavra que serve para designar os seres, atos ou conceitos; nome.

Palavra que acompanha um substantivo


Substantivo
Palavra que expressa ação, estado ou fenômeno.
Artigo

Verbo Palavra que se relaciona com o substantivo qualificando-o.

Adjetivo Palavra que designa os números ou sua ordem de sucessão.

Numeral
Palavra que substitui o nome ou que o acompanha.
Pronome
Palavra que modifica o verbo, o adjetivo ou outro advérbio, expressando uma circunstância.
Advérbio
Termo que subordina uma palavra à outra.
Preposição

Conjunção Termo que liga duas palavras, dois membros de uma oração ou duas orações.

Interjeição Vocábulo que exprime uma emoção, uma sensação, uma ordem, um apelo ou descrevem um ruído.

Exercícios

1- No trecho “as penas e os sacrifícios atrelados a eles”, as palavras destacadas pertencem,


respectivamente, às classes dos:

a- Substantivos, adjetivos, artigos e pronomes.


b- Substantivos, adjetivos, preposições e pronomes.
c- Adjetivos, substantivos, artigos e numerais.
d- Adjetivos, substantivos, artigos e substantivos.
e- Substantivos, substantivos, preposições e pronomes.

2- Em “[...] iria mostrar o QUE estava acontecendo”, o QUE, morfologicamente, é:

a- pronome indefinido
b- conjunção subordinativa adverbial causai
c- substantivo
d- conjunção subordinativa integrante
e- pronome relativo

112 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- A pesquisa destaca que os participantes que assistiam televisão mais de três horas por dia quando eram
jovens correm duas vezes mais riscos de ter problemas cognitivos ao longo da vida adulta do que aqueles
que são mais ativos e passam menos tempo em frente à tela SISTEMA 103 – CIÊNCIA E SAÚDE –
03/12/2015 11H15MIN) As palavras sublinhadas, acima, pertencem à classe gramatical:

a- Conjunção
b- Substantivo
c- Adjetivo
d- Verbo

4- Os participantes com hábitos de vida menos ativos, ou seja, com pouca atividade e muita televisão, eram
mais suscetíveis a ter resultados piores nas provas cognitivas” (SISTEMA 103 – CIÊNCIA E SAÚDE –
03/12/2015 11H15MIN). As palavras sublinhadas, acima, pertencem à classe gramatical:

a- Artigo
b- Substantivo
c- Adjetivo
d- Verbo

5- Observe as palavras sublinhadas neste trecho: A ideia de que todo autista deve ser incluído desde o
início só é correta quando as escolas podem oferecer as intervenções necessárias. Essas palavras pertencem
à classe gramatical:

a- Artigo
b- Conjunção
c- Verbo
d- Adjetivo
d- Substantivo

6- A alternativa que apresenta interjeição corresponde a:

a- Cocoricar
b- Urrar
c- Zum-zum
d- Ui!
e- Miau

7- Identifique, nas frases abaixo, em qual delas o substantivo mulher assume lugar de adjetivo:
a- João casou-se com uma mulher oriunda dos Estados Unidos.
b- Um dos mais tristes problemas sociais é a violência contra a mulher.
c- Joana transformou-se em uma linda mulher.
d- Tereza é a única filha mulher de Fernanda.

8- Em relação a aspectos linguísticos do texto, julgue o item.


Os vocábulos “muito” (linha 16) e “pouco” (linha 18) estão empregados no texto com função adverbial
“ há muito tempo, os estudiosos mostraram que ”, “ porque são faladas por povos pouco cultos”.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1 - B 2 - E 3 - B 4 - D 5 - D 6 - D 7 - D 8 - Errado

Análise Sintática: Período Simples


aula - 60
Sintaxe
Conceito Básico
Sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na oração e a das orações no discurso,
bem como a relação lógica das orações entre si.

113 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

A análise sintática é a parte da gramática que estuda a função e a ligação de cada elemento que forma um
período. Em outras palavras, a análise sintática trata da relação lógica entre as palavras da frase. A análise
detalhada de cada elemento da frase permite observar como as palavras se relacionam com outras por meio
de mecanismos como a concordância e a regência, elaborando frases com sentido completo.

Termos essenciais da oração


Sujeito
Predicado
Verbo intransitivo
Verbo transitivo direto, indireto e direto e indireto
Verbo de ligação

Termos integrantes da oração


Complementos verbais: objeto direto
Objeto indireto
Complemento nominal
Agente da passiva

Termos acessórios da oração


Adjunto adverbial
Adjunto adnominal
Aposto
Vocativo
Ex:

Os dois alunos novos não trouxeram material.

Adjunto Adjunto Núcleo do Adjunto Adjunto Verbo Objeto direto


adnominal adnominal sujeito adnominal adverbial transitivo
direto

Exercícios

1- Na passagem “Como escreve o sociólogo Zygmunt Bauman”, o termo destacado constitui


sintaticamente:

a- Núcleo do sujeito
b- Vocativo
c- Complemento nominal
d- Adjunto adnominal
e- Aposto

2- A função sintática do segmento destacado em “O próprio som DA PALAVRA fofoca dá a ela um certo
ar de frivolidade” é:

a- adjunto adverbial
b- complemento nominal
c- adjunto adnominal
d- objeto indireto
e- objeto direto

3- No período “A necessidade de guardar as moedas em segurança fez surgirem os bancos” (ℓ 27 e 28), do


texto 1A1-II, o termo “os bancos” funciona como.

a- agente de “fez”
b- sujeito de “surgirem”
c- complemento de “surgirem”
d- adjunto adverbial de lugar
114 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

e- complemento de “fez”

4- Em “Depois a mãe recolhe as velas, torna a guardá-las na bolsa”, o pronome oblíquo “las” exerce, na
oração, função sintática de:

a- Objeto direto
b- Objeto indireto
c- Adjunto adnominal
d- Predicativo do objetivo
5- “Os professores saíram da reunião arrasados” Sintaticamente, temos:

a- Sujeito simples, predicado verbal, adjunto adverbial


b- Sujeito simples, predicado verbo-nominal, predicativo do sujeito
c- Sujeito composto, predicado verbal, predicativo do sujeito
d- Sujeito composto, predicado nominal, predicativo do sujeito
e- Sujeito composto, predicado verbal, objeto indireto

6- “Compram-se roupas e móveis usados, mas em bom estado” Sintaticamente, temos:

a- Sujeito simples
b- Sujeito Composto
c- Sujeito desinencial
d- Sujeito indeterminado
e- Oração sem sujeito

7- Em: “Estão pedindo ajuda para os desabrigados das chuvas” Sintaticamente, temos

a- Sujeito simples
b- Sujeito desinencial
c- Sujeito indeterminado
d- Oração sem sujeito
e- Aposto

8- “ – Um doce, moça, compre um doce para mim” Sobre o sujeito dessa oração, marque a opção correta.

a- Está representado pelo substantivo moça


b- Trata-se de um sujeito oculto
c- Classifica-se como indeterminado
d- É sujeito simples representado pelo pronome mim
e- É uma oração sem sujeito

Gabarito 1- D 2- C 3- B 4- A 5- B 6- B 7- C 8- B

Análise Sintática: Período Composto


aula - 61
Sintaxe
Conceito Básico

Na análise interna da oração, examinam-se seus termos essenciais, integrantes e acessórios Essa é a sintaxe
do período simples, ou seja, daquele período constituído de uma só oração, chamada absoluta Os termos
essenciais, integrantes e acessórios de uma oração podem ser funções desempenhadas por uma outra oração
Essa é a sintaxe do período composto.

Às orações autônomas do ponto de vista estrutural (sintático), ou seja, àquelas que não desempenham
função sintática da outra oração, dá-se o nome de coordenadas, e o período por elas formado é chamado de
composto por coordenação.
115 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

As orações sem autonomia estrutural, isto é, as orações que funcionam como termos de outra oração, são
chamadas de subordinadas.

Orações subordinadas Função sintática


Substantivas Subjetiva Sujeito
Objetiva direta Objeto direto
Objetiva indireta Objeto indireto
Predicativa Predicativo
Completiva nominal Complemento nominal
Apositiva Aposto
Adjetivas Explicativas Adjunto adnominal
Restritivas
Adverbiais Causais Adjunto adverbial
Comparativas
Concessivas
Condicionais
Conformativas
Consecutivas
Finais
Proporcionais
Temporais

Exercícios

1- As palavras dispostas nas orações exercem diferentes funções sintáticas, de modo a possibilitar a
transmissão da informação INDIQUE o termo da oração que NÃO consta na frase a seguir:
“Trata-se de uma atividade dialógica de seleção, reordenação e reconstrução de sentidos”.

a- Adjunto Adverbial
b- Complemento Nominal
c- Objeto indireto
d- Sujeito indeterminado

2- São múltiplas as possibilidades de combinar e relacionar as orações num período composto, em função
do efeito de sentido pretendido para aquele enunciado No período: “A tempestade foi tão intensa que em
poucos minutos a cidade foi completamente inundada”, a relação estabelecida é de:

a- Temporalidade
b- Proporção
c- Causa e consequência
d- Acordo e concessão

3- Mas só a escrita a fixou o elemento sublinhado acima possui, no contexto, a mesma função sintática do
que está também sublinhado em:

a- Contar histórias é o antecedente remoto da literatura.


b- inspirava nos humanos a mesma ficção.
c- as vidas que não tinham nem nunca teriam em sua miúda e sucinta realidade.
d- e os faziam viajar pelo espaço.
e- A oralidade contribuiu de maneira decisiva.

4- No período “A necessidade de guardar as moedas em segurança fez surgirem os bancos”, o termo “os
bancos” funciona como.

a- agente de “fez”
b- sujeito de “surgirem”
116 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- complemento de “surgirem”
d- adjunto adverbial de lugar
e- complemento de “fez”

5- Analise as afirmativas a seguir e marque a opção CORRETA quanto à classificação das orações
destacadas.

a- Aconselho-a a que aprenda português (Substantiva completiva nominal)


b- O jornal que você trouxe é velho (Subordinada adjetiva explicativa)
c- Se Joana gosta de você, por que não a procura? (Subordinada adverbial causal)
d- Trabalha e estarás salvo (Subordinada adverbial consecutiva)
e- Juçara fuma e não traga (Coordenada sindética aditiva)

Gabarito 1 - A 2 - C 3- B 4- B 5- C

Compreensão e Interpretação
aula - 62
Compreensão
Conceito Básico
Na compreensão de texto, o leitor faz uma análise objetiva do texto, buscando verificar e entender o que
realmente está escrito, assimilando as principais palavras e ideias presentes no conteúdo e coletando dados
e informações concretas.

Interpretação
Conceito Básico

Na interpretação de texto o leitor deve ir além, ou seja, interpretar é mais do que entender o que está escrito
(compreensão de texto) é conseguir também, a partir do conhecimento de mundo, perceber as intenções que
o enunciador teve quando elaborou o texto.

Numa prova de Língua Portuguesa, o(a) candidato(a), obrigatoriamente, lida não apenas com enunciados,
mas com textos e imagens que, para serem coerentemente interpretados, requerem não apenas uma leitura,
mas duas, às vezes até mais E cada leitura tem de ser detida, pois qualquer desatenção pode levar ao erro.
Na imagem a seguir, detecte um implícito textual.

1- Ao lado de cada item abaixo, aponte objetivamente o implícito.

a- Já consertaram o ar-condicionado?
b- Enfim, um dia de calor.
c- Acabou a liquidação no shopping?
d- Servêncio foi demitido.
e- Finalmente, Orozimba casou.
f- Régis e Raimunda voltaram a namorar.
g- Meu Deus, você está linda hoje?
h- Zeca voltou a beber.
i- Você é linda, mas.

117 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

ATENÇÃO: Em provas de concursos públicos, o candidato necessariamente lida com os implícitos


textuais Implícito é o que não está explícito e, portanto, resulta de uma inferência autorizada pela
mensagem textual O implícito nem sempre é garantia de verdade; trata-se de um pressuposto
(pressuposição), também chamado subentendido.

2- Releia o título do texto 1: “Mais uma vez o mundo se curva” Esse título permite ao leitor afirmar o
seguinte:
a- O mundo já se curvou pelo menos uma vez.
b- O mundo já se curvou dezenas de vezes.
c- O mundo se curvou pela última vez.
d- O mundo nunca se curvou.
e- O mundo nunca mais se curvará.

3- Leia: “Marino não mais quer namorar a Natárcia” Essa frase permite várias inferências Das relacionadas
abaixo, a única que pode ser afirmada é:

a- Marino já namorou a Natárcia.


b- Marino é um mulherengo.
c- Marino nunca quis namorar a Natárcia.
d- Marino é um homossexual.
e- Marino já quis namorar a Natárcia.

O leitor está cansado de más notícias? Quer uma boa? Lá vai: somos gentis Os brasileiros, ou, pelo menos,
entre os brasileiros, aqueles que nasceram ou vivem na cidade do Rio de Janeiro, podem se vangloriar de
ostentar, com chancela acadêmica, o título de campeões mundiais de gentileza Um estudo de pesquisadores
americanos sobre o comportamento das pessoas na rua, em face de alguém precisando de ajuda, em 23
cidades de 23 países diferentes, deu Rio de Janeiro na cabeça O estudo, levado a cabo por Robert V Levine
e Karen Philbrick, ambos da Universidade Estadual da Califórnia, e Ara Norenzayan, da Universidade de
Michigan, foi engenhoso e minucioso.

4- A leitura atenta do primeiro parágrafo permite-nos afirmar que, segundo o autor:

a- As notícias boas predominam na imprensa.


b- O Rio foi uma das cidades mais bem colocadas na pesquisa de solidariedade realizada por americanos.
c- O Rio de Janeiro foi a única cidade brasileira inclusa na pesquisa dos americanos.
d- Robert V Levine e Karen Philbrick não participaram do estágio inicial da pesquisa.
e- Robert V Levine e Karen Philbrick são os pesquisadores que levaram a cabo a pesquisa americana.

5- Em relação aos resultados da pesquisa a que se refere o texto 1, é correto inferir que:

a- O povo do estado do Rio de Janeiro é o mais gentil do país.


b- Todo carioca é gentil.
c- A maioria dos cariocas são gentis.
d- O povo paulista é frio.
e- O carioca é o povo mais prestativo do país.

6- Ao interpretar um texto, o candidato tem de ser cauteloso: sua interpretação não pode extrapolar,
restringir ou contradizer o escrito Tal cautela, entretanto, não deve inibir o “conhecimento de mundo” O
candidato tem de servir-se dele para perceber os implícitos, os subentendidos, conteúdos das entrelinhas,
sem os quais uma interpretação não é eficiente Releia: “O leitor está cansado de más notícias? Quer uma
boa? Lá vai: somos gentis”. A partir dessas frases que principiam o texto 1, pode-se subentender alusão à
seguinte realidade social:

a- Os leitores, hoje em dia, só se interessam por más notícias.


b- Em geral, as notícias fornecidas pelos jornais são más, isto é, aludem aos aspectos negativos do
cotidiano social.
c- A nossa imprensa manipula as notícias, mostrando o que há de ruim, escondendo o que há de bom.

118 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

d- Notícias más cansam os leitores, os quais também querem entretenimento, algo que represente fuga da
realidade.
e- Ninguém é de ferro. Uma notícia boa de vez em quando cai bem.

7- Com a maneira como principia o texto, dirigindo-se ao leitor, o autor deixa clara a seguinte intenção:

a- iniciar um texto formal a fim de que ele ganhe ares de conversa íntima
b- dar a ideia de que ele, autor, pode influenciar na opinião do leitor
c- lembrar ao leitor alguma relação de parentesco entre ele – leitor – e o autor
d- dar um toque de formalidade ao texto, marcando a distância entre: eu/escritor; você/leitor
criar um elo com o leitor, por meio de linguagem familiar, a fim de que o texto ganhe ares de uma conversa
informal.

Gabarito

1- a- O ar-condicionado estava quebrado


b- Os dias estavam frios
c- O shopping estava em liquidação!
d- Servêncio estava empregado
e- Orozimba não estava casada
f- Namoravam, terminaram e voltaram a namorar, não necessariamente entre si
g- Não é sempre que está linda
h- Zeca tinha parado de beber
i- Há algum aspecto negativo; bafo, bebe muito, come muito, não me dá atenção.

2 - A 3- E 4- C 5 - C 6- B 7- E
Coerência e Coesão
aula - 63
Conceito Básico
Dentre os mecanismos de coesão textual, um destaque especial deve ser dado aos termos da língua que têm
a função particular de fazer referenciação, isto é, remetem a algum outro elemento São as chamadas
palavras fóricas (do grego “levar”, “trazer”).

Remissão Intratextual (Para Dentro do Texto) – Endófora

No exercício da linguagem, o falante usa constantemente termos que fazem referência a outros termos do
próprio texto para assim tecer a “teia” do texto Nessa referência, ele obtém uma relação de sentido entre
esses dois termos, que são:
1- o termo (o referenciador textual) que faz referência ao outro;
2- o termo (o referente textual) ao qual o outro se refere.
Fixe: o referenciador faz a referência; o referente sofre a referência.
Essa remissão textual se faz com pronomes ou com expressões nominais equivalentes Quando a referência
é feita a algum elemento situado em parte anterior do texto, ocorre a anáfora, cuja função é recuperar
(atualizar) semanticamente um elemento que já estava no texto Quando a referência aponta para frente,
ocorre a catáfora, cuja função é sinalizar um termo que ainda vai aparecer no texto.
Chico Buarque está feliz Em visita ao Rio, ele foi mais uma vez homenageado Lá, ninguém esquece o
trabalho do artista Nem mesmo ele, o rei, o não menos famoso Roberto Carlos.

Exercícios

119 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

1- No texto 1A1-I, o pronome que inicia o trecho “Isso se tornou um atentado contra o princípio de
simplificação” (ℓ 8 e 9) remete:

a- à oração “guerra fiscal ocasionada pelo ICMS” (ℓ 4 e 5).


b- à ideia de que o ICMS é “O principal tributo em vigor” (ℓ5).
c- ao argumento de que “O direito tributário brasileiro depara-se com grandes desafios” (ℓ 1 e 2).
d- ao fato de “contribuintes e advogados se debruçarem sobre vinte e sete diferentes legislações no país” (ℓ
6 a 8) para entender o ICMS.
e- à crítica do autor à recorrência das mesmas regras tributárias em “vinte e sete diferentes legislações no
país” (ℓ 7 e 8).

2- No que concerne ao texto precedente, julgue o próximo item.


O vocábulo “um” (ℓ14) refere-se a um indivíduo cujo nome é idêntico ao do autor do texto.
Certo ( ) Errado ( )

3- Julgue o seguinte item, a respeito das ideias e das construções linguísticas do texto apresentado As
formas pronominais “Estas” (ℓ4) e “las” (ℓ7) referem-se a “necessidades dos seres humanos” (ℓ 2 e 3).
Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- D 2- C 3- C

120 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Denotação e Conotação
aula - 64
Conceito Básico

Denotação: é o uso da palavra com o seu sentido original.


Conotação: é o uso da palavra com um significado diferente do original, criado pelo contexto.
Esse sentido é usado comumente em poesias e textos literários.
Os domadores conseguiram enjaular a fera (sentido denotativo).
Ele ficou uma fera quando soube da notícia (sentido conotativo).
Aquela aluna é fera na matemática (sentido conotativo).
O sentido conotativo é também conhecido como sentido figurado.
O sentido denotativo é também conhecido como sentido próprio ou literal.

Exercícios

1- Com relação aos aspectos linguísticos do texto X, julgue (C ou E) o item a seguir.


As expressões “tomar isso ao pé da letra” (l4) e “colcha de retalhos” (l5) são exemplos da função
denotativa da linguagem.
Certo ( ) Errado ( )

2- Em relação ao texto CG4A1FFF, assinale a opção correta.

a- O texto é referencial e denotativo, pois não há múltiplos sentidos.


b- O texto apresenta algumas expressões conotativas e outras denotativas.
c- A informação é ambígua porque o título ainda não foi conferido pela UNESCO.
d- Como focaliza um folguedo popular, há predomínio da conotação.
e- O autor do texto pressupõe que o leitor sabe o que é o Bumba Meu Boi.

121 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- No que se refere às ideias e aos sentidos do texto CB2A6AAA e à sua classificação quanto ao tipo e ao
gênero textual, julgue o próximo item.
O vocábulo “miragem” (l6) foi empregado no texto em sentido figurado.

Certo ( ) Errado ( )

4- No que se refere às ideias e às estruturas linguísticas do texto 19A2BBB, julgue o próximo item.
Na primeira oração do texto, o termo “Leão” foi empregado de forma simbólica, para denotar a força
política exercida pelo Estado sobre a nação brasileira.
Certo ( ) Errado ( )

5- No que se refere aos sentidos do texto I, julgue o próximo item.


A expressão “armar ali a minha tenda” (l3) foi empregada no texto em sentido figurado.
Certo ( ) Errado ( )

6- No texto acima, foi empregado em sentido conotativo o vocábulo.

a- “ladeado” (l4)
122 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

b- “dispostos” (l4)
c- “fortalecimento” (l5)
d- “peças” (l6)
e- “almeja” (l2)

7- De acordo com o texto acima, julgue o seguinte item.


O vocábulo “indumentárias” (l21) está empregado em sentido figurado.
Certo ( ) Errado ( )

8- Na linha 6, dados os sentidos do trecho introduzido por dois-pontos, o vocábulo “fronteiras” deve ser
interpretado em sentido amplo, não estando restrito ao seu sentido denotativo.
Certo ( ) Errado ( )

Gabarito

01 - Errado
02 - A
3- Certo ( Miragem: Efeito Óptico Que Ocorre Em Desertos (Denotativo); Aquilo Que Se Apresenta
Como Algo Muito Bom, Mas Que Não Pasa De Uma Ilusão)
4- Errado
5- Certo
6- A
7- Certo ( Indumentária = Vestuario, O Que Se Veste )
8 - Certo
Figuras de Linguagem
aula - 65
Figuras de Palavras

1- METÁFORA: comparação implícita.


Ex: Minha vida é um mar de rosas.

2- SÍMILE ou COMPARAÇÃO: comparação explícita.


Ex: Esperto como uma raposa.

3- METONÍMIA: emprego de um termo no lugar de outro, havendo entre ambos estreita afinidade ou
relação de sentido.
Ex: Essa semana li Machado (Autor pela obra, afinal a pessoa leu as obras de Machado de Assis).

4- CATACRESE: ausência de termos especifica, pé da mesa.


Ex: A asa da xícara está quebrada (Semelhança da forma do pedaço da xícara com uma asa).

5- SINESTESIA: mistura de sentidos.

123 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Amargo som da sua voz (Note que o termo “amargo” está associado ao paladar, enquanto o “som” à
audição).

6- PERÍFRASE ou ANTONOMÁSIA: substituir com maior quantidade de palavras o nome de uma


pessoa.
Ex: A cidade da garoa é o centro financeiro do país (Nesse caso, substitui o nome da cidade “São Paulo”
por uma característica marcante: a garoa, ou a chuva fina).

Figuras de Sintaxe

1- ELIPSE: omissão de um termo subentendido.


Ex: O Planalto vive movimentado (O Palácio do Planalto).

2- ZEUGMA: omissão de um termo já dito.


Ex: Rachel comeu maçã, eu (comi) pera.

3- POLISSÍNDETO: vários conectivos.


Ex: Dolores brigava, e gritava, e falava.

4- ASSÍNDETO: nenhum conectivo.


Ex: Daiana comprou uvas para comer, limões para fazer suco.

5- HIPÉRBATO: inversão, ordem indireta da frase.


Ex: Triste estava Manuela (Neste caso, o estado do sujeito surge antes do nome “Manuela”, que na
construção sintática usual seria: Manuela estava triste).

6- ANÁFORA: repetição de palavra(s) no início de duas ou mais frases seguidas.


Ex: Se eu amasse, se eu chorasse, se eu perdoasse (A repetição do termo “se” enfatiza a condicionalidade
que o emissor do discurso quer propor).

7- SILEPSE: concordância com a ideia.


Silepse de Gênero, quando ocorre discordância entre os gêneros (feminino e masculino);
Ex: São Paulo é suja.
Silepse de Número, quando ocorre discordância entre o singular e o plural;
Ex: Um bando (singular) de mulheres (plural) gritavam assustadas
Silepse de Pessoa, quando ocorre discordância entre o sujeito, que aparece na terceira pessoa, e o verbo,
que surge na primeira pessoa do plural
Ex: Todos os atletas (terceira pessoa) estamos (primeira pessoa do plural) preparados para o jogo

8- ANACOLUTO: quebra na frase inicial.


Ex: Esses políticos de hoje, não se pode confiar (Numa sequência lógica, teríamos: “Esses políticos de hoje
não são confiáveis” ou Não se pode confiar nesses políticos de hoje).

9- PLEONAMSO: repetição enfática ou redundância de um termo que soa “desnecessário” no discurso


Ex: “E rir meu riso e derramar meu pranto” (Vinicius de Moraes).
“E ali dançaram tanta dança” (Chico Buarque e Vinicius de Moraes).

Exercícios

1- No trecho “aplaudir Pixis como se fosse Beethoven” (ℓ 29 e 30), do texto 1A11-I, observa-se a figura de
linguagem.

a- catacrese
b- metonímia

124 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- eufemismo
d- pleonasmo
e- personificação

2- Julgue o item a seguir, relativo à tipologia e aos aspectos linguísticos do texto acima.
A correção gramatical e os sentidos do texto seriam mantidos, caso se substituísse a expressão
“peso de ouro” (l6), que tem natureza metafórica, por muita importância ou muito valor.

Certo ( ) Errado ( )

3- Ainda com base no texto, julgue o item a seguir, acerca de tipologia textual e de funções e figuras de
linguagem. O termo “antigos” (l22) designa uma metonímia.

Certo ( ) Errado ( )

4- Figuras de linguagem são recursos utilizados normalmente para tornar mais expressivo o que queremos
dizer. As mais comuns são a metáfora e a metonímia.
Analise as frases abaixo, indicando (1) para exemplo de metáfora e (2), para exemplo de metonímia.

( ) A Amazônia é o pulmão do mundo.


( ) O marido relata ter bebido apenas dois copos de leite.
( ) Ela é uma verdadeira flor.
( ) A mulher alega que tem cinco bocas para alimentar.

A sequência CORRETA, de cima para baixo, é:

a- 1, 1, 2, 2
b- 1, 2, 1, 2
c- 2, 1, 2, 1
d- 2, 2, 1, 1

Gabarito 1- B (Troca) 2- Certo 3 - Certo 4 - B

Figuras de Linguagem
aula - 66
Figuras de Pensamento

1- ANTÍTESE: oposição lógica

125 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: O ódio e a amor andam de mãos dadas.

2- PARADOXO ou OXÍMORO: oposição não lógica.


Ex: Esse amor me mata e dá vida

3- HIPÉRBOLE: exagero
Ex: Liguei para ele milhões de vezes essa tarde.

4- EUFEMISMO: suavização
Ex: Ele foi para o céu.

5- IRONIA: palavras são utilizadas em sentido diverso ou oposto.


Ex: Ele é um santinho mesmo!

6- GRADAÇÃO: hierarquia dos termos que compõem a frase.


Ex: No restaurante, sentei, pedi, comi, paguei.
Estava longe, hoje perto, agora aqui.

7- PROSOPOPEIA ou PERSONIFICAÇÃO: personificação de coisas.


Ex: O vento suspirou essa manhã.

8- APÓSTROFE: vocativo, chamamento, apelo.


Ex: Ó Deus! Ó Céus! Porque não me ligou?

9- LÍTOTES: negação do contrário.


Ex: Aquela bolsa não é cara.
10- HIPÁLAGE: transferência de uma característica, que logicamente se relaciona com um substantivo,
para outro substantivo.
Ex: O homem fumava um pensativo cigarro.

Figuras Fonéticas

1- ALITERAÇÃO: repetição de consoantes.


Ex: Fiz, faço, feito está!

2- ASSONÂNCIA: repetição de vogais.


Ex: Vou me embora agora pra casa da Aurora (Note que neste exemplo temos a assonância das vogais “o”
e “a” e a aliteração do “r”).

3- ONOMATOPEIA: imitação de ruído ou som.


Ex: O badalar dos sinos me comove: blem, blem.

4- PARONOMÉSIA: emprego de parônimos.


Ex: Durante seu descanso o peão jogava pião com seus colegas.

Exercícios
1- Com referência às ideias e às estruturas do texto acima, julgue (C ou E) o item que se segue.
Os segmentos “um automóvel impaciente buzinava” (l8) e “entre os caminhões que pediam passagem” (R
10 e 11) expressam a mesma figura de linguagem.
Certo ( ) Errado ( )

126 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

2- No segundo parágrafo do texto, é possível identificar um procedimento figurativo relacionado à


personificação do cãozinho.
Certo ( ) Errado ( )

3- Durante o texto, a autora se utiliza de algumas figuras de linguagem para transmitir ao leitor o que ela
presencia Quando ela diz “mar de gente”, denota-se um exemplo de:

a- Metonímia
b- Antítese
c- Eufemismo
d- Hipérbole
e- Gradação

4- O poema é formado por palavras que são pronunciadas de maneira parecida, mas que tem significados
diferentes esse aspecto é característica da figura de linguagem:

a- paronomásia
b- assonância
c- onomatopeia
d- metáfora
e- aliteração

5- Leia os seguintes versos de Manoel de Barros, início do poema “ Os deslimites da palavra”:


Ando muito completo de vazios.
Meu órgão de morrer me predomina.
Estou sem eternidades.
Assinale a alternativa na qual consta a figura de linguagem expressa no primeiro verso do poema (“Ando
muito completo de vazios”):

a- Metáfora
b- Eufemismo
c- Paradoxo
d- Hipérbole
e- Sinestesia

6- A frase abaixo que se estrutura sobre uma antítese é:

a- O apetite vem enquanto se come, a sede vai enquanto se bebe”


b- “É extremamente difícil falar muito sem dizer algo a mais”
c- “Os homens de poucas palavras são os melhores”
d- “Uma palavra vale uma moeda; o silêncio vale duas”
e- “O silêncio tornou-se sua língua materna”

Gabarito 1- Certo 2- Certo 3- D 4 - A 5- C 6- D

Gênero e Tipo Textuais


aula - 67
Gêneros Textuais
Conceito Básico
Os gêneros textuais podem ser compreendidos como as diferentes formas de linguagem empregadas nos
textos, configurando-se como manifestações socialmente reconhecidas que procuram alcançar intenções
comunicativas semelhantes, exercendo funções sociais específicas.
Cada gênero textual tem o seu próprio estilo e pode ser diferenciado dos demais por meio das suas
características Algumas das características que determinam o gênero textual são o assunto, o papel dos
interlocutores e a situação Devido à sua natureza, torna-se impossível definir a quantidade de gêneros
textuais existentes na língua portuguesa.
127 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Pode haver Pode haver Pode haver Pode haver


Gênero Função prioritária Exemplo
descrição? narração? exposição? argumentação?
Os textos do
Texto opinativo do Zuenir Ventura,
Artigo Pode. Pode. Pode. Pode.
autor. no jornal O
Globo.
Texto opinativo Os editoriais do
Editorial não assinado pelo jornal O Globo. Pode. Pode. Pode. Pode.
autor (impessoal). Edições diárias.

Quando há
Informativo Prestar A notícia em si. Pode. Pode. Pode. comentário,
informações. sim.
É, em geral, um Pode.
texto informativo (fábulas,
Este material, por
Didático com preocupação Pode. por Pode. Pode.
exemplo.
esclarecedora. exemplo)

Apontar fatos
Preditivo futuros com base O futuro da Terra. Pode. Pode. Pode. Pode.
em probabilidades.
Trabalhar a
Poético linguagem com Poemas. Pode. Pode. Não. Pode
arte.
Quando há
O suicídio de Tem de comentário,
Histórico Registrar fatos. Pode. Pode.
Getúlio Vargas. haver. sim.

Campanhas de
Propaganda Mobilizar pessoas. Pode. Pode. É incomum. Sim.
vacinação.

Publicitário Persuadir o Propagandas de


Comercial consumidor. carros. Pode. Pode. É incomum. Sim

Normativo Estabelecer Qualquer lei,


(lei) diretrizes. decreto, etc. Pode. Pode. Não. Não.

Normativo Sentenças e
(sentenças) Julgar. apreciações Pode. Pode. Pode. Pode.
judiciais.

Tipos Textuais
Conceito Básico

As tipologias textuais, também chamadas de tipos textuais ou tipos de texto, são as diferentes formas que
um texto pode apresentar, visando responder a diferentes intenções comunicativas.
Os aspectos constitutivos de um texto divergem mediante a finalidade do texto: contar, descrever,
argumentar, informar.
Diferentes tipos de texto apresentam diferentes características: estrutura, construções frásicas, linguagem,
vocabulário, tempos verbais, relações lógicas, modo de interação com o leitor.

Dissertação Dissertação
Descrição Argumentativa Expositiva
Tipo Narração

128 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Texto opinativo,
Tipo de texto que Tipo de texto que conta, Texto opinativo (tênue),
marcado pela
diz como é alguma em geral, como aconteceu subjetividade de marcado pela objetividade
Definição
coisa: pessoa, um fato, suas causas e conteúdo. Nele, a opinião de conteúdo. Nele, a opinião
objeto, cena, etc. implicações. particular do autor é
do autor é o principal.
secundária.
Informar, educar, Convencer o leitor por Expor ao leitor fatos, dados
entreter, etc. Tem de meio de visões pessoais, estatísticos, informações
Finalidade haver um
Impressionar. relações de causa/efeito, científicas, argumentos de
prioritária
enredo (sequenciação de etc. autoridades, etc.
fatos).
Postura “Porta-voz” de uma
do Autor Observador. Narrador. Argumentador.
opinião.

Presente e / ou Perfeito e mais-que-


Predomínio imperfeito: modo perfeito do Presente. Presente.
verbal indicativo. Indicativo.

Principais Conectores de causa- Dados polifônicos:


recursos Adjetivações
Verbos e Advérbios. efeito, fato-finalidade, estatísticas, citações,
gramaticais diretas e indiretas.
etc. etc.

Exercícios

1- Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o item a seguir.
texto, tipicamente argumentativo, apresenta informações acerca do ensino superior com o propósito de
convencer o leitor da importância desse nível de ensino na formação educacional do cidadão brasileiro.

Certo ( ) Errado ( )

2- Com relação aos sentidos e aos aspectos linguísticos do texto precedente, julgue o próximo item.
129 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

texto é predominantemente descritivo, na medida em que apresenta detalhadamente as características dos


portos na Antiguidade.

Certo ( ) Errado ( )

3- O texto CG4A1FFF é um(a):

a- conto
b- crônica
c- ensaio
d- artigo de opinião
e- notícia informativa

4- Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB4A1AAA, julgue o item a seguir.
Dadas a temática apresentada e a presença de referências temporais, como as expressões “nas últimas
décadas” (ℓ14) e “dos anos 80 do século XX para cá” (ℓ17), o texto classifica-se como narrativo.

130 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Certo ( ) Errado ( )

5- Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto CB1A1BBB, julgue o item subsequente.
último parágrafo do texto é predominantemente argumentativo.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito
1- Errado (Expositivo) / 2- Errado (Dissertativo) / 3- E / 4- Errado (Informativo) / 5- Errado
(Narrativo)

131 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Reescritura de Frases
aula - 68
Paráfrase
Conceito Básico
Paráfrase é um recurso de interpretação textual que consiste na reformulação de um texto, trocando as
palavras e expressões originais, mas mantendo a ideia central da informação.
Em alguns casos, a paráfrase é considerada um mecanismo que ajuda a clarificar alguns textos, pois ajuda a
explicá-los com termos e expressões que sejam mais simples de compreender, uma vez que a ideia central
do conteúdo sempre é mantida.
No campo linguístico, a paráfrase pode significar o modo diferente de transmitir determinada mensagem
que já foi dita anteriormente, alterando apenas algumas palavras por seus sinônimos, por exemplo.
Ex: Texto Original – Canção do Exílio
Minha terra tem palmeiras
Onde canta o sabiá,
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá
[...]
Gonçalves Dias
Paráfrase
Meus olhos brasileiros se fecham saudosos Minha boca procura a ‘Canção do Exílio’ Como era mesmo a
‘Canção do Exílio’?
Eu tão esquecido de minha terra… Ai terra que tem palmeiras Onde canta o sabiá!
[...]
Carlos Drummond de Andrade

Paralelismo
Conceito Básico

O paralelismo consiste em criar uma sequência de frases com estrutura idêntica. É a simetria da frase Além
de melhorar a compreensão de texto, o fato de respeitar o paralelismo torna a sua leitura mais agradável O
paralelismo pode ser sintático e semântico.

Paralelismo Sintático

O paralelismo sintático, ou paralelismo gramatical, observa a ligação existente entre as funções sintáticas
ou morfológicas dos elementos da oração.

Ex: O que espero das férias: viagens, praia e visitar lugares diferentes.
O correto seria assim: O que espero das férias: viagens, praia e visitas a lugares diferentes.
Há uma quebra na estrutura da oração, a partir do momento em que se utiliza o verbo visitar em vez de
continuar a sequência morfológica com substantivos.

Ex: Quando eu der a notícia, eles ficariam tristes.


O correto seria assim: Quando eu der a notícia, eles ficarão tristes.
Outra alternativa seria: Quando eu desse a notícia, eles ficariam tristes.
Neste caso, ocorreu uma alternância nos tempos verbais. No primeiro período o verbo está no futuro do
subjuntivo, o que obriga que o verbo do segundo período esteja no futuro do presente e não no futuro do
pretérito.

Paralelismo Semântico

O paralelismo semântico observa a correspondência de valores existentes no discurso.


Ex: O evento durou o dia todo e algumas dores nos pés.
O sentido da oração foi interrompido No que respeita à duração da festa era esperado algo como “O evento
durou o dia todo e adentrou a noite”, por exemplo.

132 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Ex: Preocupado, perguntou o quanto a namorada gostava dele ela respondeu que gostava milhares de reais
que ele tinha no banco.
Também neste caso, há ausência de paralelismo A namorada deveria dizer que gostava muito ou pouco do
namorado não faz sentido tentar estabelecer uma relação entre valor sentimental e quantia financeira.

Casos Frequentes

1- não só ... mas também


Sem paralelismo: Não só corrigiu os seus erros e é a ajuda do seu grupo de estudos.
Com paralelismo: Não só corrigiu os seus erros, mas também ajudou o seu grupo de estudos.

2- por um lado ... por outro


Sem paralelismo: Por um lado, eu concordo com a atitude dela, por outro, eu acho que ela fez o que era
certo.
Com paralelismo: Por um lado, eu concordo com a atitude dela, por outro, fico preocupada com as
consequências.

3- quanto mais ... mais


Sem paralelismo: Quanto mais eu o vejo, talvez não case com ele.
Com paralelismo: Quanto mais eu o vejo, mais certeza tenho que não quero casar com ele.

4- tanto ... quanto


Sem paralelismo: Tanto foram convidados adultos e crianças.
Com paralelismo: Tanto foram convidados adultos quanto crianças.

5- ora ... ora, seja ... seja


Sem paralelismo: Ora faz os deveres, mas não faz tudo.
Com paralelismo: Ora faz os deveres, ora não faz.

6- não ... nem


Sem paralelismo: Não posso contar para o patrão, provavelmente para a patroa.
Com paralelismo: Não posso contar para o patrão, nem para a patroa.

7- primeiro ... segundo


Sem paralelismo: Primeiro porque eu não como carne, segundo porque eu sou vegetariana.
Com paralelismo: Primeiro porque eu não como carne, segundo porque não quero sair com você.

Exercícios

1- “Felizmente, a inteligência permite encontrar soluções e nos possibilita criar alternativas”; a forma de
reescrever-se o segmento sublinhado que respeita o paralelismo sintático é:

a- permite o encontro de soluções e nos possibilita que criemos alternativas;


b- permite o encontro de soluções e a possibilidade de criação de alternativas;
c- permite que encontremos soluções e nos possibilita que criemos alternativas;
d- permite que encontremos soluções e nos possibilita a criação de alternativas;
e- permite o encontro de soluções e a possibilidade de criarmos alternativas.

2- “Dirigir defensivamente é essencial para prevenir os desastres ou pelo menos minimizar suas
consequências”. Assinale a opção que apresenta a forma de reescrever esse período do texto de modo a
manter o sentido original, a correção e o paralelismo na construção.

a- Dirigir defensivamente é essencial para a prevenção dos desastres ou pelo menos a minimização de suas
consequências.
b- Dirigir defensivamente é essencial para que se previnam os desastres ou pelo menos a minimização de
suas consequências.
c- Dirigir defensivamente é essencial para a prevenção dos desastres ou pelo menos para que minimizem
suas consequências.
133 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

d- Dirigir defensivamente é essencial para que se previna os desastres ou pelo menos se minimize as suas
consequências.
e- Dirigir defensivamente é essencial para que seja prevenido os desastres ou pelo menos sejam
minimizadas as suas consequências.

3- A propósito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto CB3A1BBB, julgue o item subsequente
O paralelismo sintático do último parágrafo do texto seria prejudicado se fosse inserido sinal indicativo de
crase em “a cassação” (ℓ 17).

Certo ( ) Errado ( )
4- Cada uma das opções a seguir apresenta uma proposta de reescrita do trecho “devido à sua rigidez
administrativa, inadequação das normas e grande quantidade de regulamentos” (ℓ 12 a 14) Assinale a
opção em que a reescrita, além de manter o sentido da informação originalmente apresentada, também
preserva a correção gramatical do texto CG2A1BBB.

a- devido à sua rigidez administrativa, à inadequação das normas e à grande quantidade de regulamentos.
b- devido à sua rigidez administrativa, a inadequação das normas e a grande quantidade de regulamentos.
c- devido sua rigidez administrativa, inadequação das normas e grande quantidade de regulamentos.
d- devido à sua rigidez administrativa, à inadequação das normas e grande quantidade de regulamentos.
e- devido sua rigidez administrativa, a inadequação das normas e a grande quantidade de regulamentos.

Gabarito 1- C 2- A 3- Certo 4- A
Reescritura de Frases
aula - 69
Outros Recursos

→ Substituição de um ou mais termos de uma sentença por sinônimos.


Ex: O golpe foi fenomenal O golpe foi impressionante.

→ Substituição de um conectivo por outro.


Ex: Eu luto e surfo.
Não só luto, mas também surfo.

→ Transposição da voz ativa para a voz passiva ou de voz passiva analítica para sintética e vice-versa.
Ex: Os ladrões invadiram a casa (voz ativa).
A casa foi invadida pelos ladrões (voz passiva).
Vendeu-se muito ouro (voz passiva sintética)
Muito ouro foi vendido (voz passiva analítica)

→ Nominalização: emprego de um nome, em geral substantivo, para retomar da ideia anteriormente


expressa por um verbo.
Ex: O aluno perguntou algo ao mestre.
O aluno fez uma pergunta ao mestre.

→ Deslocamento do advérbio
Ex: O pai disse, hoje, que a filha adoeceu.
(“hoje”: quando o “pai disse”)
O pai disse que a filha adoeceu hoje.
(“hoje”: quando a “filha adoeceu”)

134 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Exercícios

1- A reescrita de “Contudo, o homem não mediu as possíveis consequências que tal desenvolvimento
pudesse causar de modo a provocar o desequilíbrio ao meio ambiente e a própria ameaça à vida humana”
(1º§) em que a correção gramatical e o sentido foram preservados pode ser indicada em:

a- Assim, o homem não mensurou as possíveis consequências que seriam causadas por tal de modo a
provocar o desequilíbrio ao meio ambiente e a própria ameaça e à vida humana.
b- Não obstante, o homem não mediu as possíveis consequências que poderiam ser causadas por tal
desenvolvimento provocando o desequilíbrio ao meio ambiente e a própria ameaça e à vida humana.
c- As possíveis consequências que tal desenvolvimento pudesse causar de modo a provocar o desequilíbrio
ao meio ambiente e a própria ameaça e à vida humana, entretanto, não foram logradas.
d- Contudo, o homem não mediu as possíveis consequências que tal desenvolvimento pudesse causar de
modo a provocar o desequilíbrio e a própria ameaça ao meio ambiente e à vida humana.

2- “Guardando as recordações / Das terras onde passei” Considerando‐se apenas o texto e sua estrutura
linguística, é correto afirmar que seria possível e correta a reescrita preservando‐se o sentido original em:

a- Guardando as recordações / Às terras aonde passei.


b- Guardando a recordação / Para as terras onde passei.
c- Guardando as recordações / Das terras por onde passei.
d- Guardando‐lhes a recordação / Das terras por onde passei.

3- “É preciso tentar deixar atrás de nós um mundo um pouco mais limpo, um pouco mais belo do que era,
mesmo que esse mundo seja apenas um quintal ou uma cozinha” Assinale a alternativa que apresenta uma
paráfrase do trecho anterior, cuja correção gramatical foi mantida.

a- Precisamos tentar deixar atrás de nós um mundo um pouco mais limpo, mais belo do que era, mesmo
que esse mundo seje apenas um quintal ou uma cozinha.
b- Ainda que esse mundo seja apenas um quintal ou uma cozinha é preciso deixarmos atrás de nós um
mundo um pouco mais limpo, um pouco mais belo do que éramos.
c- É necessário tentar deixar atrás de nós um mundo um pouco mais limpo, um pouco mais belo do que era,
mesmo que nesse mundo existam apenas um quintal ou uma cozinha.
d- É preciso que haja uma tentativa de deixar atrás de nós um mundo um pouco mais limpo, um pouco mais
belo do que era, ainda que esse mundo seja apenas um quintal ou uma cozinha.

4- Na frase “() Mas nem sequer é preciso pensar a respeito para apreciar o valor da boa reputação:
descobrir que gostam da gente ou receber outras formas de avaliação positivas são estímulos fortes para o
estriado ventral()”, a conjunção em destaque pode ser substituída por outra de mesmo valor semântico em:

a- Logo
b- Porque
c- Entretanto
d- Como
e- Embora

5- Com relação a aspectos linguísticos do texto CB2A1AAA, julgue o item seguinte.


A substituição de “foram adotados” (l8) por adotou-se preservaria a correção e o sentido do texto.
“... foram adotados dispositivos legais...”
Certo ( ) Errado ( )

6- No que se refere aos aspectos linguísticos do texto CB1A2AAA, julgue o item seguinte
Sem prejuízo da correção gramatical e do sentido original do texto, o trecho “são protegidos” (ℓ 11 e 12)
poderia ser substituído por protegem-se.
“Os animais são protegidos com a finalidade de garantir um hábitat saudável às atuais e futuras gerações
humanas”.
Certo ( ) Errado ( )

135 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

7- No que se refere aos sentidos e às construções linguísticas do texto precedente, julgue o item a seguir
A substituição da locução “a cidade toda” (ℓ30) por toda cidade preservaria os sentidos e a correção
gramatical do período.
“(...) a cidade toda se iluminava.”

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- D 2- C 3- D 4- C 5- Errado 6 - Errado 7 - Errado

Reescritura de Frases
aula - 70
Aplicando o Conhecimento Gramatical

Exercícios

136 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

1- O trecho “[...] declaram todos que a pátria está salva” (5º§) está, sintaticamente, estruturado na ordem
inversa, ou indireta. Assinale a alternativa em que ele foi devidamente reorganizado na ordem canônica, ou
direta.

a- Todos declaram que a pátria está salva.


b- A pátria todos declaram que está salva.
c- Que a pátria está salva declaram todos.
d- Que a pátria está salva todos declaram.

2- É sina de minha amiga penar pela sorte do próximo, se bem que seja um penar jubiloso Explico-me
Todo sofrimento alheio a preocupa e acende nela o facho da ação, que a torna feliz Não distingue entre
gente e bicho, quando tem de agir, mas, como há inúmeras sociedades (com verbas) para o bem dos
homens, e uma só, sem recurso, para o bem dos animais, é nesta última que gosta de militar Os problemas
aparecem-lhe em cardume, e parece que a escolhem de preferência a outras criaturas de menor
sensibilidade e iniciativa.
(Carlos Drummond de Andrade Poesia e prosa Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1988)

A relação estabelecida pelos elementos destacados contribui para a organização dos enunciados do texto. A
partir desta perspectiva, assinale a relação corretamente indicada.

a- “[...] se bem que seja um penar jubiloso” – condição.


b- “[...] preocupa e acende nela o facho da ação, que a torna feliz” – adição.
c- “[...] tem de agir, mas, como há inúmeras sociedades (com verbas) [...]” – explicação.
d- “[...] sem recurso, para o bem dos animais, é nesta última que gosta de militar” – causa.

3- Quanto ao sentido, a oração destacada em “A mãe, conquanto insensível às boas ações, não pôde
disfarçar a admiração e o prazer que o moço lhe causou” equivale a:

a- apesar de insensível às boas ações.


b- conforme insensível às boas ações.
c- portanto insensível às boas ações.
d- como insensível às boas ações.
e- porque insensível às boas ações.

4- Assinale a opção que pode substituir o conector destacado no trecho “Precisamos deles PARA navegar
na maré de surrealismo que cobre outro setor da publicidade”, sem que o sentido que se estabelece entre os
elementos do período seja alterado.

a- dessa forma
b- à medida que
c- sendo assim
d- em todo caso
e- a fim de que

5- Em “[...] mas a vida não mudou seu curso por causa disso” (quarto parágrafo), a conjunção em destaque
NÃO poderia ser substituída por.

a- todavia
b- contudo
c- entretanto
d- portanto
e- porém

6- “APESAR DOS primeiros sinais de melhora na economia”; o termo destacado pode ser corretamente
substituído por:

a- embora os primeiros sinais de melhora na economia


b- depois dos primeiros sinais de melhora na economia

137 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

c- desde os primeiros sinais de melhora na economia


d- com os primeiros sinais de melhora na economia
e- entretanto os primeiros sinais de melhora na economia

7- Releia o trecho a seguir


“Recém-publicados na revista Science, esses achados surpreendem, porque demonstram que essa região do
cérebro continua a se desenvolver da infância à vida adulta [...]”.
Assinale a alternativa que indica a forma como esse trecho não pode ser reescrito preservando seu sentido
original.

a- Recém-publicados na revista Science, esses achados surpreendem, porém demonstram que essa região
do cérebro continua a se desenvolver da infância à vida adulta.
b- Recém-publicados na revista Science, esses achados surpreendem, pois demonstram que essa região do
cérebro continua a se desenvolver da infância à vida adulta.
c- Recém-publicados na revista Science, esses achados surpreendem, porquanto demonstram que essa
região do cérebro continua a se desenvolver da infância à vida adulta.
d- Recém-publicados na revista Science, esses achados surpreendem, uma vez que demonstram que essa
região do cérebro continua a se desenvolver da infância à vida adulta.

8- “No Rio, a dona de casa Luciana Mattos está atrás da vacina para ela e a filha Clara, de dois anos, mas
não está encontrando”.
O conectivo, “mas” no trecho acima apresenta um valor de adversidade O conectivo com mesmo valor
semântico, dentro do contexto, está presente em:

a- Enquanto
b- Mais
c- Por isso
d- Conforme
e- Porém

9- A mudança feita no enunciado em questão que ALTERA o seu sentido é a seguinte:

a- Mesmo que o que mais se faça hoje em dia seja surfar, deletar ou tratar do marketing, isso não significa
o desaparecimento da língua portuguesa.
b- Embora o que mais se faça hoje em dia seja surfar, deletar ou tratar do marketing, isso não significa o
desaparecimento da língua portuguesa.
c- O que mais se faz hoje em dia é surfar, deletar ou tratar do marketing isso, todavia, não significa o
desaparecimento da língua portuguesa.
d- O que mais se faz hoje em dia é surfar, deletar ou tratar do marketing isso, portanto, não significa o
desaparecimento da língua portuguesa.

10- Ao substituir “as formas” por “a forma” em “As formas de governo que a teoria antigamente chamava
de monarquia ou aristocracia, considerando-as legítimas, atualmente apenas podem ser chamadas de
ditaduras”, torna-se adequada, de acordo com a norma culta, a seguinte alteração.

a- … considerando-a legítima, atualmente apenas pode ser chamada de ditadura.


b- … lhe considerando legítima, atualmente apenas pode ser chamada de ditadura.
c- … considerando-lhe legítima, atualmente apenas pode ser chamada de ditadura.
d- … considerando à ela legítima, atualmente apenas pode ser chamada de ditadura.
e- … considerando a ela legítima, atualmente apenas pode ser chamada de ditadura.

Gabarito 1- A 2- B 3- A 4- E 5- D 6 - A 7 - A 8- E 9- D 10- A

Dificuldades da Língua Portuguesa


aula -71
Por Que / Porque / Porquê / Por Quê

138 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

1- Por que: equivale a pelo qual


Ex: Este é o caminho por que (pelo qual) passo.
Ou vem seguido da palavra razão(mesmo que subentendida)
Ex: Por que (razão) você não veio?

2- Porque: é uma explicação, ou causa; equivale a pois ou a já que.


Ex: Não vim logo porque estava doente.

3- Porquê: é um substantivo. Em precedido de um determinante (artigo, pronome, etc).


Ex: Não sei o porquê de sua reclamação.

4- Por quê: vem seguida da palavra razão subentendida. Quando utilizada no fim de uma frase, será
sempre acentuada.
Ex: Ele faltou, mas não sei por quê (razão).

Mal e Mau

Mal
1- substantivo (nomeia)
Ex: O mal que você me fez.

2- advérbio (indica circunstância)


Ex: Dormi mal a semana toda.
Repare! Mal X Bem.

Mau

1- adjetivo (qualifica – é antônimo de bom)


Ex: Ele é um mau aluno.
Repare! Mau X Bom.

Onde e Aonde

1- Onde – significa no lugar e equivale a em que, no(a) qual.


Ex: Visitei o bairro onde (em que / no qual) cresci.

2- Aonde – significa ao lugar e equivale a a que, à qual, ao qual.


Ex: O hotel aonde (ao qual / a que) iremos é enorme.

Se Não e Senão

1- Se não: equivale a caso não, quando não.


Ex: Se não fosse você, não seria quem sou.

2- Senão: equivale a caso contrário, do contrário, de outro modo, a não ser, mas sim
Ex: Estide, senão será reprovado.

Sessão/ Cessão/ Seção

1- Sessão: reunião
Ex: Vamos à sessão das nove e meia!
A sessão durou mais do que o previsto.
Decidimos fazer uma sessão extra para decidir o novo acordo.
2- Cessão: ceder, doar, transferir algo a alguém.
Ex: Será necessário fazer uma cessão de direitos.
A herança constitui, primeiramente, no ato de cessão dos direitos aos herdeiros.
A cessão do capital foi autorizada pelo doador.

139 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

3- Seção: separar, repartir. Portanto, está adequada para repartições de empresas, por exemplo.
Ex: A seção de registro é logo à frente.
Qual a sua seção eleitoral?
Para esclarecer sua dúvida vá até a seção de atendimento, por favor.

Exercícios

1- O pronome relativo onde foi empregado corretamente na alternativa:

a- No ambiente prisional, onde se vive privado da liberdade, os dados revelam maior autoestima entre os
participantes do projeto.
b- A cada livro lido, onde é necessário fazer um resumo e submetê-lo a um parecerista, reduzem-se quatro
dias da pena.
c- A recomendação do CNJ, onde determina que a cada livro lido é possível reduzir a pena, desencadeou
debates.
d- Desde 2013, onde o Conselho Nacional de Justiça autorizou a remição de pena pela leitura, vários
detentos se inseriram no projeto.
e- As benesses da leitura, onde muitas vezes não é fácil mensurar, são evidentes tanto fora como dentro da
prisão.

2- No trecho da música abaixo, do grupo Cidade Negra, o vocábulo “Aonde” é usado várias vezes
Considerando as regras da norma culta para o emprego da palavra, assinale a opção correta:

Você vai chegar em casa


Eu quero abrir a porta Aonde você mora
Aonde você foi morar
Aonde foi
Não quero estar de fora
Aonde está você
(Trecho de “Onde você mora?”, Cidade Negra)

a- Todos os usos do Aonde estão corretos


b- O Aonde tem a função de advérbio de modo.
c- No verso “Aonde você foi morar?”, o aonde tem a função de “em que”, pronome relativo.
d- É correto substituir o Aonde pelo Onde em qualquer uma das alternativas.
e- Onde você mora/Onde está você seria o modo correto de expressar a função de advérbio de lugar ou
localização.

3- Leia o texto abaixo e complete as lacunas:


Quero saber o _______ de o senhor ter me dito que esse hotel não tinha pernilongo– Ora, e não tem mesmo
_________?
Ah, é? E __________ esses pernilongos me picaram a noite toda?
_______ esses aí não são do hotel São do brejo aqui do lado

a- Porquê / Porquê / Porque / Porque


b- Porquê / Porque / Por quê / Porque
c- Porque / Porque / Porque / Porquê
d- Porquê / Por quê / Por que / Porque
4- A única alternativa seguinte em que o uso do “por que” NÃO se justifica pelo mesmo motivo pelo qual é
usado no título do texto de referência é: Por que amamos tanto os carboidratos?

a- Por que a obesidade se tornou um problema de saúde pública em escala mundial?


b- Não refletimos com frequência nem quando nem por que devemos comer carboidratos.
c- Então, por que será que a relação com o sabor é tão determinante nos hábitos alimentares?
d- Nutricionistas indagam por que os pacientes estão procurando uma dieta de emagrecimento.
e- A difusão de hábitos alimentares mais saudáveis é uma causa por que devemos nos mobilizar.

140 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

5- O emprego da palavra seção ou de um de seus homófonos está INADEQUADO ao padrão formal da


escrita em:

a- Há poucos minutos, foi encerrada a sessão em que se definiu o plano institucional de publicação dos
resultados de pesquisa relativa ao material didático a ser usado no biênio 2017-2018.
b- O próximo passo está relacionado aos procedimentos pertinentes à cessão dos recursos necessários à
execução do plano institucional.
c- Em outra sessão de trabalho, localizada no andar térreo da instituição, discutem-se alternativas de
parceria com vistas a ações educadoras junto às comunidades carentes do entorno.
d- Tem-se seção aberta e exclusiva para recebimento de propostas escritas de atualização do material
didático em uso.
e- A cessão de recursos à implementação das ações contidas no documento final será definida em sessão
conjunta com dois representantes de cada uma das seções da instituição.

6- Considere os seguintes enunciados: I Não lhe restaram se não uns poucos reais no bolso II Não lhe
restaram senão uns poucos reais no bolso. Considerando a escrita padrão, moldada nos preceitos da
gramática normativa prescritiva, analise os termos sublinhados nas sentenças acima e assinale a alternativa
adequada:

a- Apenas I está correta O “se” empregado como uma conjunção condicional.


b- Apenas II está correta A expressão “senão” está empregada com valor conjuntivo, atribuindo sentido
adversativo.
c- I e II estão corretas A gramática normativa permite a utilização da expressão “senão” ou “se não” em
qualquer contexto, uma vez que são sinônimos.
d- Apenas II está correta O termo “senão”, em correlação com uma proposição negativa, está sendo
empregado com função prepositiva, com valor exceptivo.

Gabarito 1- A 2- E 3- D 4- E 5- C 6- D

Dificuldades da Língua Portuguesa


aula - 72
De Encontro e ao Encontro

1- De encontro a: contra, em oposição a, para chocar-se com.


Ex: A decisão foi de encontro a nossos ideais.

2- Ao encontro de: em procura de, no esforço por, em atendimento a, em favor de.


Ex: Minha explicação veio ao encontro do que falara.

Em Vez de e Ao Invés De

1- Em vez de: significa no lugar de.


Ex: Em vez de estudar, viu televisão (=no lugar de).

2- Ao invés de: significa ao contrário de e só pode ser usado com esse sentido de oposição.
Ex: Ao invés de subir, desceu (= ao contrário de).

Acerca De, A Cerca De e Há Cerca De

1- Acerca de: a respeito de ou sobre.


Ex: Falou acerca do problema na empresa.

2- A cerca de: perto de, aproximadamente, próximo de.


Ex: O mar fica a cerca de 50 metros da pousada.

3- Há cerca de: tempo decorrido.


Ex: Há cerca de 10 anos, foi aprovado.
141 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Mas e Mais

1- Mas

→ conjunção = tem sentido de uma oposição ou limitação, podendo ser substituído por porém, todavia,
contudo.
Ex: Não estudou, mas foi aprovado

→ advérbio = enfatiza uma afirmação


Ex: Ele é bom aluno, mas tão bom aluno que tem sempre nota máxima nas provas.

2- Mais
É o oposto de menos.
Ex: Ela é a menina mais inteligente da turma.

A Fim e Afim

1- A fim: locução de finalidade, equivale a para.


Ex: Estudou a fim de ser aprovado.

2- Afim: semelhante, que tem afinidade.


Ex: Nossas ideias sempre foram afins.

Se Quer ou Sequer

1- Se quer: conjunção se + verbo querer = se desejar


Ex: Se quer ter sucesso, trabalhe

2- Sequer: ao menos = advérbio


Ex: Estava cansando e sequer tomou banho

Demais / De Mais

1- Demais: advérbio, ou seja, modifica um verbo, um adjetivo ou um advérbio. Também pode funcionar
como pronome, equivalendo a outros.
Ex: Ela fala demais (advérbio)
Ele é inteligente demais (advérbio)
Uns falaram bem; e os demais, mal (pronome)

2- De mais: locução adjetiva, ou seja, modifica um substantivo ou termo equivalente.


Ex: Ela tem problemas de mais (locução adjetiva).

Exercícios
1- No trecho: “eles estão preocupados também com mau jornalismo”, a palavra destacada foi corretamente
utilizada em:

a- A mau remuneração fez com que ninguém quisesse aquele cargo.


b- O mau que você faz, volta para você.
c- Você nem imagina o quanto eu me senti mau com sua atitude!
d- Algumas doenças são resultado da mau alimentação.
e- Os jornalistas escolheram um mau caminho.

2- Complete as sentenças:

→ Falamos direitos das crianças e adolescentes


→ O ônibus parou dois quilômetros da sede.
→ O trabalhador parou meia hora.
→ Corremos cinco quilômetros para chegar em casa.
142 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

a- há cerca dos – a cerca de – cerca de – acerca de


b- cerca dos – há cerca de – acerca de – a cerca de
c- acerca dos – a cerca de – há cerca de – cerca de
d- a cerca dos – cerca de – acerca de – há cerca de
e- acerca dos – há cerca de – cerca de – acerca de

3- Assinale a alternativa em que o uso e a grafia da expressão sublinhada foram usados


INCORRETAMENTE.

a- Ele não está tão afim de você.


b- O espanhol é uma língua afim com o português.
c- O pai se sacrifica a fim de dar uma vida melhor à filha.
d- Os parentes e afins compareceram à festa.
e- Ana e eu não temos negócios afins.

4- Por isso, há grupos especializados que promovem reuniões semanais com devedores com a finalidade de
trocar experiências sobre consumo impulsivo e propensão a viver no vermelho.
É comum que, diante dos apuros, como a perda do emprego, algumas tentem manter o mesmo padrão de
vida em lugar de cortar gastos para se encaixar na nova realidade.
Assinale a alternativa que substitui, correta e respectivamente, as expressões destacadas, sem alterar o
sentido original.

a- a fim de há cerca de em vez de.


b- afim de a cerca de invés de.
c- afim de a cerca de ao invés de.
d- a fim de acerca de em vez de.
e- à fim de acerca de ao invés de.

5- Leia as afirmativas a seguir.

I- Não havia nada _____ em beijá-la ali


II- Dinheiro nunca é ______
II- Falou _______

Marque a opção que completa CORRETA e respectivamente as frases:

a- demais / demais / demais


b- de mais / de mais / de mais
c- de mais / demais / demais
d- de mais / de mais / demais
e- demais / demais / de mais

6- A respeito dos aspectos linguísticos do texto 7A3CCC, julgue o item a seguir


A substituição da expressão “a fim” (ℓ18) pelo vocábulo afim não prejudicaria a correção gramatical e o
sentido original do texto.

Certo ( ) Errado ( )

Gabarito 1- E 2- C 3 - A 4 - D 5 - D 6 - Errado

143 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Funções da Linguagem
aula - 73
Função Referencial ou Denotativa
Palavra-chave: referente
Transmite uma informação objetiva sobre a realidade dá prioridade aos dados concretos, fatos e
circunstâncias É a linguagem característica das notícias de jornal, do discurso científico e de qualquer
exposição de conceitos Coloca em evidência o referente, ou seja, o assunto ao qual a mensagem se refere.
IMPORTANTE: BOA PARTE DOS TEXTOS REPRESENTA A FUNÇÃO DENOTATIVA.
Exemplo: Numa cesta de vime temos um cacho de uvas, uma maçã, uma laranja, uma banana e um
morango (Este texto informa o que há dentro da cesta, logo, há função referencial).

Função Expressiva ou Emotiva

Palavra-chave: emissor
Reflete o estado de ânimo do emissor, os seus sentimentos e emoções Um dos indicadores da função
emotiva num texto é a presença de interjeições e de alguns sinais de pontuação, como as reticências e o
ponto de exclamação.

IMPORTANTE: O VERBO, NORMALMENTE, ESTARÁ NA PRIMEIRA PESSOA.


Exemplos:
a- Ah, que coisa boa!
b- Tenho um pouco de medo
c- Nós te amamos!

Função Apelativa ou Conativa


Palavra-chave: receptor (INTERLOCUTOR)

Seu objetivo é influenciar o receptor ou destinatário, com a intenção de convencê-lo de algo ou dar-lhe
ordens Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso de tu e você, ou o nome da pessoa, além dos
vocativos e imperativo É a linguagem usada nos discursos, sermões e propagandas que se dirigem
diretamente ao consumidor.
Exemplos:
a- Você já tomou banho?
b- Mãe, vem cá!
c- Não perca esta promoção!

Função Poética
Palavra-chave: mensagem

É aquela que põe em evidência a forma da mensagem, ou seja, que se preocupa mais em como dizer do que
com o que dizer O escritor, por exemplo, procura fugir das formas habituais e expressão, buscando deixar
mais bonito o seu texto, surpreender, fugir da lógica ou provocar um efeito humorístico
Exemplos:
a- “ a lua era um desparrame de prata”
(Jorge Amado)
b- Se eu não vejo a mulher que eu mais desejo nada que eu veja vale o que eu não vejo
(Daniel Borges)

Função Fática
Palavra-chave: canal

Tem por finalidade estabelecer, prolongar ou interromper a comunicação É aplicada em situações em que o
mais importante não é o que se fala, nem como se fala, mas sim o contato entre o emissor e o receptor
Fática quer dizer “relativa ao fato”, ao que está ocorrendo.
Aparece geralmente nas fórmulas de cumprimento: Como vai, tudo certo? ou em expressões que
confirmam que alguém está ouvindo ou está sendo ouvido: sim, claro, sem dúvida, entende? não é mesmo?
É a linguagem das falas telefônicas, saudações e similares.

144 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Exemplo:
Alô? Está me ouvindo?

Função Metalinguística
Palavra-chave: código

Esta função refere-se à metalinguagem, que ocorre quando o emissor explica um código usando o próprio
código é a poesia que fala da poesia, da sua função e do poeta, um texto que comenta outro texto As
gramáticas e os dicionários são exemplos de metalinguagem.
Exemplo:
Frase é qualquer enunciado linguístico com sentido acabado (Para dar a definição de frase, usamos uma
frase).

Exercícios

A Moça em Prantos
O poeta encontrou uma pedra no meio do caminho, nunca esqueceu dessa pedra, que lhe deu assunto para o
seu poema mais conhecido não sendo poeta, encontrei não uma, mas infinitas pedras no meio do caminho.
Mas jamais esqueci a primeira moça que vi chorando Eu devia ter seis ou sete anos, achava que só as
crianças podiam e deviam chorar, tinham motivos bastante para isso, desde as fraldas molhadas nos
primeiros meses de existência até a inexpugnável barreira dos “não pode”.
Mesmo assim fiquei imaginando a causa do seu pranto faltara à escola e por isso ficara sem sobremesa?
Fora proibida de brincar na calçada? Queria ganhar uma bicicleta e fora convencida a continuar com o
insípido velocípede?
Vi muita gente chorando depois, homens feitos, mulheres maduras Eu mesmo, quando levo meus trancos,
repito o menino que ia para debaixo da mesa de jantar para poder chorar sem passar recibo da minha dor A
moça que chorava não se escondera, chorava de mansinho, na verdade nem parecia estar chorando Devia
apenas estar muito triste porque misturava todos os motivos para a sua tristeza.
Carlos Heitor Cony, Folha de São Paulo, 04/05/2003)

1-No primeiro parágrafo, o autor emprega uma função da linguagem para introduzir a narrativa Qual delas?

a- Metalinguística
b- Fática
c- Conativa
d- Formal
e- Poética

2- “ Em 2017, o setor de vendas diretas foi responsável pela comercialização de 1,9 milhões de itens
(produtos e serviços) no Brasil, o que gerou um volume de negócios que ultrapassa os R$ 45 bilhões São
mais de 4,1 milhões de pessoas trabalhando como consultores diretos das empresas” O autor se utiliza, no
terceiro parágrafo do texto, da função de linguagem:

a- Denotativa
b- Expressiva
c- Conativa
d- Metalinguística
e- Fática

3- No que se refere às funções da linguagem, assinale a alternativa correspondente à função identificada no


texto.

145 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

a- Referencial
b- Poética
c- Fática
d- Conativa
e- Metalinguística

4- No fragmento “A única coisa que peço é: esqueçam salário, esqueçam o resto Esqueçam o mundo lá
fora” (linhas 21 – 22), a repetição do termo destacado evidencia a ocorrência da seguinte função da
linguagem:

a- Metalinguística
b- referencial
c- conativa
d- fática

5- No trecho: “Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), a cada ano são aplicados, gratuitamente, cerca
de 300 milhões de doses de 25 diferentes tipos de imunobiológicos em 36 mil salas de vacinação
espalhadas por todo o País”, quanto às funções da linguagem, prevalece a função:

a- Conativa
b- Referencial
c- Expressiva
d- Fática
e- Metalinguística

Gabarito
1- A (Metalinguística – o poeta falando sobre a poesia)
2- A (Também chamada de função informativa, a função referencial tem como objetivo principal
informar, referenciar algo Ex: materiais didáticos, textos jornalísticos e científicos)
3- D (a FUNÇÃO CONATIVA (apelativa) é muito presente em textos publicitários e procura
convencer o leitor, dar conselhos ou ordens)
4- C (Função Conativa, também chamada de função apelativa, tem como objetivo convencer,
persuadir, cativar)
5- B (Referencial/Denotativa; A base é a informação; linguagem objetiva e clara)

Tipos de Discurso
146 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

aula - 74
Discurso Direto

No discurso direto, o narrador dá uma pausa na sua narração e passa a citar fielmente a fala do personagem.
O objetivo desse tipo de discurso é transmitir autenticidade e espontaneidade Assim, o narrador se distancia
do discurso, não se responsabilizando pelo que é dito.
Pode ser também utilizado por questões de humildade – para não falar algo que foi dito por um estudioso,
por exemplo, como se fosse de sua própria autoria.
O discurso direto é, normalmente, introduzido por verbos de elocução que anunciam o discurso, como os
verbos: dizer, perguntar, responder, comentar, falar, observar, retrucar, replicar, exclamar, aconselhar,
gritar, murmurar, entre outros A seguir a estes verbos aparecem os dois pontos, havendo mudança de linha
para o início da voz da personagem.
A voz da personagem é iniciada, geralmente, por um travessão, que indica não só o começo da fala de uma
personagem, mas também a mudança de interlocutores e a mudança da voz da personagem para a voz do
narrador.
Além do travessão, o discurso direto pode ser também colocado entre aspas, indicando assim uma citação
ou transcrição.

Ex: Os formados repetiam: “Prometo cumprir meus deveres e respeitar meus semelhantes com firmeza e
honestidade”.
O réu afirmou: “Sou inocente!”
Querendo ouvir sua voz, resolveu telefonar:
— Alô, quem fala?
— Bom dia, com quem quer falar? — respondeu com tom de simpatia.

Discurso Indireto

No discurso indireto, o narrador da história interfere na fala do personagem preferindo suas palavras Aqui
não encontramos as próprias palavras da personagem Assim, o discurso indireto é sempre feito na 3ª
pessoa, nunca na 1ª pessoa.
Ex: Mariana perguntou o que podia fazer para ajudar Descartes afirmou que pensava, logo existia.

Discurso Indireto Livre


O discurso indireto livre é o mais difícil e o mais dinâmico dos tipos de discurso, visto as falas das
personagens se encontrarem inseridas dentro do discurso do narrador Não existem marcas que mostrem a
mudança do discurso Por isso, as falas dos personagens e do narrador – que sabe tudo o que se passa no
pensamento dos personagens – podem ser confundidas.
Ex: Fez o que julgava necessário Não estava arrependido, mas sentia um peso.

Talvez não tenha sido suficientemente justo com as crianças…

Transposição Do Discurso Direto Para O Indireto

Discurso Direto Discurso Indireto

Preciso sair por alguns instantes. (enunciado na 1.ª pessoa) Disse que precisava sair por alguns instantes. (enunciado na
3.ª pessoa)
Sou a pessoa com quem falou há pouco. (enunciado no Disse que era a pessoa com quem tinha falado há pouco.
presente) (enunciado no imperfeito)
Não li o jornal hoje. (enunciado no pretérito perfeito) Disse que não tinha lido o jornal. (enunciado no pretérito
mais que perfeito)
O que fará relativamente sobre aquele assunto? (enunciado Perguntou-me o que faria relativamente sobre aquele
no futuro do presente) assunto.
(enunciado no futuro de pretérito)
Não me ligues mais! (enunciado no modo imperativo) Pediu que não lhe ligasse mais. (enunciado no modo
subjuntivo)

Isto não é nada agradável. (pronome demonstrativo em 1.ª Disse que aquilo não era nada agradável. (pronome
pessoa) demonstrativo em 3.ª pessoa)
147 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Vivemos muito bem aqui. (advérbio de lugar aqui) Disse que viviam muito bem lá. (advérbio de lugar lá)

Exercícios

1- Atente para a seguinte construção em discurso direto:


Perguntou-me ele: – Não terá sido essencial a contribuição dos meus antepassados?
Transpondo-a para o discurso indireto, iniciando-se por Ele me perguntou, deve seguir-se, como
complementação adequada,

a- se eu julgo essencial a contribuição dos seus antepassados


b- se não teria sido essencial a contribuição dos seus antepassados
c- quão essencial tivesse sido a contribuição de seus antepassados
d- você não acha essencial o que contribuíram os meus antepassados?
e- se será que foi essencial a contribuição dos meus antepassados?

2- Ao se transpor a frase, nunca me senti tão só, querida, como na tua companhia (3º parágrafo) para o
discurso indireto, o trecho sublinhado assumirá a seguinte forma:

a- se sentiria
b- sentiu-se
c- se sentira
d- estaria sentindo-me
e- estava se sentindo

3- Ao se transpor para o discurso direto o trecho ela perguntou se tinham visto uma corça sangrando, a
locução verbal “tinha visto” assume a seguinte forma:

a- viram
b- veem
c- veriam
d- viam
e- vissem

4- “antes de cumprir dez anos, uma menina conhece perfeitamente bem o valor dos homens e o que é o
flerte”, diria a inglesa May Frances em 1890.
Essa passagem está corretamente reescrita com o emprego do discurso indireto em:

a- A inglesa May Frances em 1890 diria: − Antes de cumprir dez anos, uma menina conhecerá
perfeitamente bem o valor dos homens e o que é o flerte.
b- A inglesa May Frances em 1890, diria que antes de cumprir dez anos, uma menina conheceu
perfeitamente bem o valor dos homens e o que foi o flerte.
c- A inglesa May Frances, em 1890, diria que, antes de cumprir dez anos, uma menina conhecia
perfeitamente bem o valor dos homens e o que era o flerte.
d- A inglesa May Frances, em 1890 diria: antes de cumprir dez anos uma menina conheceria perfeitamente
bem o valor dos homens e o que seria o flerte.
e- A inglesa May Frances, em 1890, diria que antes de cumprir dez anos, uma menina conhece
perfeitamente bem o valor dos homens e o que é o flerte.

5- Disse-me o cientista: − Agindo deste modo, sou como o artista, uma vez que damos expressão às nossas
ideias. Transpondo-se o texto acima para o discurso indireto, obtém-se, adequadamente, a seguinte
formulação: Disse-me o cientista que,

a- ao agir daquele modo, era como o artista, uma vez que ambos davam expressão às suas ideias.
b- ao agir desse modo, seria como o artista, desde que expressando-lhes as ideias.
c- como agisse deste modo, equipararia ao artista, uma vez que expressassem ambos as respectivas ideias.
d- por agir a seu modo, terá sido como o artista, em quem também se expressam nossas ideias.
e- agisse de tal modo, seria como o artista, cujas ideias têm a mesma expressão.

148 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Gabarito 1- B 2- C 3 - A 4 - C 5 - A

Variação Linguística: Norma Culta


aula - 75
Conceito Básico

A variação linguística é um fenômeno que acontece com a língua e pode ser compreendida por intermédio
das variações histórica, sociais, regionais, culturais Em um mesmo país, com um único idioma oficial, a
língua pode sofrer diversas alterações feitas por seus falantes Como não é um sistema fechado e imutável, a
língua portuguesa ganha diferentes nuances O português que é falado no Nordeste do Brasil pode ser
diferente do português falado no Sul do país Claro que um idioma nos une, mas as variações
podem ser consideráveis e justificadas de acordo com a comunidade na qual se manifesta.

Tipos de Variações Linguísticas

→ Variações Geográficas: está relacionada com o local em que é desenvolvida, por exemplo, as variações
entre o português do Brasil e de Portugal.
Ex: Macaxeira, aipim, mandioca = um tipo de raiz

→ Variações Históricas: ela ocorre com o desenvolvimento da história, por exemplo, o português
medieval e o atual.
Ex: Vossa mercê (forma antiga) Você (forma atual)

→ Variações Sociais: são percebidas segundo os grupos (ou classes) sociais envolvidos, por exemplo, um
orador jurídico e um surfista.

→ Variação Situacional: ocorre de acordo com o contexto o qual está inserido, por exemplo, as situações
formais e informais.

Exercícios
1- Leia a crônica “Sketches”, de Luís Fernando Veríssimo Dois homens tramando um assalto
-Valeu, mermão? Tu traz o berro que nóis vamo rendê o caixa bonitinho Engrossou, enche o cara de
chumbo
Pra arejá
-Podes crê Servicinho manero É só entrá e pegá– Tá com o berro aí?
-Tá na mão
Aparece um guarda
-Ih, sujou Disfarça, disfarçaO guarda passa por eles
-Discordo terminantemente O imperativo categórico de Hegel chega a Marx diluído pela fenomenologia de
Feurbach.
-Pelo amor de Deus! Isso é o mesmo que dizer que Kierkegaard não passa de um Kant com algumas sílabas
a mais Ou que os iluministas do século 18 O guarda se afasta – O berro, tá recheado?
- Tá.
- Então, vamlá!
(Disponível em: https://brainlycombr/tarefa/1731104 Acesso em: 081118)

Com relação à noção de variações linguísticas, considere as afirmações abaixo a partir do fato
narrado na crônica:
I- Os dois assaltantes usam a gíria típica de malandros e mudam o nível de linguagem para disfarçar
quando o guarda se aproxima
II- Quando o guarda se aproxima, os dois malandros passam a falar sobre filosofia numa linguagem culta
para impressiona-lo, dando a impressão de serem intelectuais
III- A crônica mostra que há um preconceito com relação ao nível de linguagem que usamos, e, por isso,
ela é um fenômeno de exclusão social
IV. Por ser um estilo coloquial, a gíria só é usada por pessoas de baixa escolaridade, como, por exemplo,
assaltantes

149 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

V- A crônica mostra que devemos ter uma consciência linguística para as diferentes situações de uso da
linguagem
Está CORRETO o que se afirma em:

a- I, II, III e IV
b- I, II, III, IV e V
c- I, II, III e V
d- II, IV e V
e- II, III e IV

02.

“Coupé”, “dez mil-réis”, “cinco tostões”, “lacaio” constituem um léxico que comprova a variação
linguística entre:

a- regiões
b- gerações
c- níveis sociais
d- fala e escrita
e- situações de fala

Gabarito 1- C 2- B

150 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Significação das Palavras


aula - 76
Sinônimos
Palavras que possuem significado próximo.
Ex: casa, residência, moradia, morada, lar, etc.
Repare! Sinônimos não são equivalentes é difícil encontrar um que seja perfeito, ou seja, uma palavra cujo
significado seja exatamente igual ao de outra.
Ex: Comprei uma nova casa.
É diferente de dizer: Comprei um novo lar.
Os sinônimos são um excelente recurso em textos, para retomada de elementos que inter-relacionam partes
do texto Assim, evita-se o uso repetitivo de um termo.

Antônimos
São o contrário dos sinônimos, isto é, representam significados opostos das palavras.
Ex: mau e bom; mal e bem; constrói e destrói, dormi e acordei, claro e escuro, perto e longe etc.

Polissemia
É a possibilidade de uma palavra ter diversos significados, dependendo do contexto onde ela aparece

Ex: O termo “cabo”.


Se somente falarmos a palavra isolada, você pode achar que estamos nos referindo ao posto militar, ao cabo
de uma vassoura, ao cabo de uma faca etc.
O significado de cada palavra dependerá de como ela será utilizada.

Ex: O cabo Arthur compareceu ao treinamento nesta manhã (cabo = posto militar)
O cabo da faca está enferrujado.
Coloque o cabo da vassoura para cima.

Homônimos
Homônimos são palavras que possuem a mesma pronúncia (podendo ou não ter a mesma grafia, mas seus
significados são diferentes.
Ex: Ascender (subir) e acender (colocar fogo, ligar) Acento (sinal gráfico) e assento (local onde se senta)
Cheque (forma de pagamento) e xeque (jogo de xadrez)
Concerto (sessão musical) e conserto (reparo)
Esterno (osso do peito) e externo (relacionado ao exterior)
Tacha (prego pequeno) e taxa (imposto)
Nos casos mencionados temos homônimos homófonos, ou seja, são palavras que possuem a mesma
pronúncia e o mesmo som.
Quando os homônimos possuem a mesma grafia e o mesmo som, eles são chamamos de homônimos
perfeitos.

Ex: Cedo – “Eu cedo meu assento para idosos” (verbo ceder) e “Cheguei cedo ao estádio” (advérbio de
tempo)
Porém, se a grafia for a mesma, mas a pronúncia for diferente, o significado também será Veja o caso de
almoço: “O almoço está na mesa” (refeição) e “Eu almoço ao meio-dia” (verbo almoçar)
O mesmo acontece com gosto: “Esta comida está com gosto bom” (substantivo) e “Eu gosto de ler
romances” (verbo gostar)
Quando isso acontece, os homônimos são chamados de homógrafos, ou seja, possuem a mesma grafia.

Parônimos

São palavras diferentes, porém sua grafia e pronúncia são muito parecidas

Ex: Absolver (tirar a culpa) e absorver (aspirar)


Despensa (armário para guardar mantimentos) e dispensa (ato de dispensar)
Eminente (elevado) e iminente (prestes a ocorrer)
Delatar (denunciar) e dilatar (alargar)

151 | P á g i n a
AlfaCon Concursos Públicos

Flagrante (evidente, pego no flagra) e fragrante (perfumado)


Inflação (alta de preços) e infração (violação)
Soar (produzir som) e suar (transpirar)
Tráfego (trânsito) e tráfico (comércio ilegal)

Hiperônimo e Hipônimo

Um hiperônimo é uma palavra que possui significado mais abrangente, enquanto um hipônimo é um
termo com significado mais restrito Ex: Material escolar é um hiperônimo de caneta
Caneta é um hipônimo de material escolar
Ferramentas de marcenaria é um hiperônimo de serrote
Serrote é um hipônimo de ferramentas de marcenaria
Quando se restringe um item (caneta, serrote), temos um caso de hipônimo.

Exercícios
1- No trecho: “Os meteorologistas preveem que em Chicago, no estado de Illinois, a sensação de frio será
mais aguda que no Everest e na Antártica”, o termo que pode substituir a palavra “preveem” sem alterar o
sentido é:

a- afirmam
b- menosprezam
c- demonstram
d- calculam
e- refutam

2- “Essas condutas são visíveis quando qualificam defensores dos Direitos Humanos – que seguem
resoluções ratificadas por órgãos internacionais – como “defensores de bandidos”:
Do ponto de vista semântico, marque a ÚNICA alternativa que estabelece, com o vocábulo grifado no
período acima, uma relação sinonímica.

a- Emendadas
b- Refundidas
c- Arrumadas
d- Sancionadas
e- Invalidadas

3- Leia o texto a seguir, transcrito da revista Veja, de 22 de janeiro de 1986, e responda à questão
Quando era ministro da Educação, Passarinho recebeu correspondência de um reitor de uma universidade,
solicitando verbas ao “iminente ministro”, que não pestanejou Colocou de volta no correio, dizendo ao
solicitante que já havia sido nomeado.
A resposta do ministro Jarbas Passarinho ao reitor esclarecendo que já havia sido nomeado deveu-se ao
emprego indevido de:

a- uma palavra polissêmica


b- um expressão sinônima
c- uma palavra parônima
d- uma expressão homônima
e- um hiperônimo

4- Leia o excerto a seguir Com isso, aumentou-se também a presença de veículos pesados (1), como os
caminhões (2), o que dificulta ainda mais a fluidez do trânsito no Brasil Considerando-se a relação
semântica entre os elementos linguísticos 1 e 2 em destaque, é correto afirmar que.

a- o segundo generaliza o primeiro.


b- o segundo é um sinônimo do primeiro.
c- o primeiro particulariza o segundo.
d- o primeiro é um hiperônimo do segundo.
Gabarito 1- D (= ver sinonímia de achar e estimar) 2- D 3- C 4- D

152 | P á g i n a