Você está na página 1de 60

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ


CAMPUS ANANINDEUA

DINÂMICA E AS FORÇAS DE INTERAÇÃO

Professor: Sebastião Rodrigues Moura


DISCIPLINA: Física I
CURSO: Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – N2201TA

Ananindeua - PA
01 de fevereiro de 2021
Objetivos de Aprendizagem

Ao final da aula, você deverá ser capaz de:


 Caracterizar forças.
 Relacionar as leis de Newton com as forças de interação.
 Compreender peso e força gravitacional.
 Identificar a força normal nas superfícies.
 Conceituar atrito e as forças a ele relacionadas.
 Definir tração e a força tensora entre os corpos.
 Estudar e analisar o plano inclinado.
 Analisar esse conhecimento no mundo vivencial, nos
equipamentos e procedimentos tecnológicos atuais.

2 Dinâmica e as Forças de Interação


Conteúdos Programáticos

 Forças
Força Peso
Força Normal
Força de Tração
Força de Atrito
 Plano Inclinado
 Síntese da aula
 Exercícios

3 Dinâmica e as Forças de Interação


Refletindo sobre a temática...

O que faz um corpo mudar o seu estado de equilíbrio


(saia do repouso, por exemplo)?

Imagem: Arquivo Pessoal


4 Dinâmica e as Forças de Interação
Refletindo sobre a temática...

Por que os astronautas parecem flutuar quando estão no


espaço?

Imagem: NASA / Domínio Público


5 Dinâmica e as Forças de Interação
Refletindo sobre a temática...

Por que, quem está do outro lado do mundo, não “cai


para baixo”?

Imagem: Superinteressante
6 Dinâmica e as Forças de Interação
Refletindo sobre a temática...

O que faz com que patinadores se movam facilmente


sobre o gelo?

Imagem: Pixabay
7 Dinâmica e as Forças de Interação
Força

Qualquer agente capaz de produzir num corpo uma aceleração e/ou


uma deformação.

Imagem: Brooke Novak / Creative Commons Imagem: Uwe W. / NASA / Domínio Imagem: Thue / Domínio Público
Attribution 2.0 Generic Público

8 Dinâmica e as Forças de Interação


Onde estão as forças?

Elas estão presentes em todas as situações cotidianas. Até mesmo


onde você nem imagina.

Sempre há um tipo de força envolvida num fenômeno.

Imagem: Elo7

9 Dinâmica e as Forças de Interação


Dinamômetro

Instrumento utilizado para medir força.

Imagem: Tano4595 / GNU Free Documentation License

Imagem: Briain / Domínio Público Imagem: Tucker T / Creative Commons CC0 1.0 Universal
Public Domain Dedication

10 Dinâmica e as Forças de Interação


Tipos de forças

Imagem: Brasil Escola


11 Dinâmica e as Forças de Interação
Forças Fundamentais
da Natureza
Na Natureza, existem apenas quatro tipos de forças, listadas abaixo
em ordem decrescente de intensidade.
a) Força Nuclear Forte: força responsável por manter o núcleo do átomo
coeso.

b) Força Nuclear Fraca: força


que cinde (separa, reparte) as
partículas.

c) Força Eletromagnética: força


de interação entre partículas
que possuem carga elétrica.

Imagem: Amino Apps


d) Força Gravitacional: força
de interação entre corpos que
possuem massa.

12 Dinâmica e as Forças de Interação


Classificação das forças

Forças de Contato: forças que surgem no contato de dois corpos.

Imagem: Stougard / GNU Free Documentation


License

Imagem: Tsar Kasim / Creative Commons Attribution-Share Alike


2.0 Generic

Ex.: Quando puxamos/empurramos um corpo.


13 Dinâmica e as Forças de Interação
Classificação das forças

Forças de Campo: forças que atuam a distância, dispensando o


contato.

Imagem: NASA / Domínio Público


Imagem: Zureks / Creative Commons CC0 1.0 Universal Public
Domain Dedication

Ex.: Ímã e um metal; o satélite e a Terra.


14 Dinâmica e as Forças de Interação
Força Resultante

Soma vetorial das forças atuantes sobre um corpo.

𝐹𝑅 = 𝐹1 + 𝐹2 + 𝐹3 + ⋯ + 𝐹𝑁 𝐹𝑅 = 𝐹𝑖
𝑖=1

𝐹1 𝐹4 A Força Resultante 𝐹𝑅 pode ser pensada


como uma força que “substitui” todas as
outras, realizando o mesmo trabalho.

15 Dinâmica e as Forças de Interação


Força Resultante

1º Caso: Forças atuantes na MESMA DIREÇÃO E SENTIDO.

A INTENSIDADE DA FORÇA
RESULTANTE é obtida pela SOMA das
𝐹2
intensidades das forças atuantes.

𝐹1
𝐹𝑅 = 𝐹1 + 𝐹2

O SENTIDO DA FORÇA
RESULTANTE é o mesmo 𝐹𝑅
das outras forças
atuantes.
16 Dinâmica e as Forças de Interação
Força Resultante

2º Caso: Forças atuantes na MESMA DIREÇÃO mas em SENTIDOS


OPOSTOS.

A INTENSIDADE DA FORÇA
RESULTANTE é dada pela DIFERENÇA
das intensidades das forças atuantes.
𝐹1 𝐹2

𝐹𝑅 = 𝐹1 − 𝐹2

O SENTIDO DA FORÇA
𝐹𝑅
RESULTANTE é o mesmo do
da MAIOR FORÇA atuante.
17 Dinâmica e as Forças de Interação
Força Resultante

3º Caso: Forças PERPENDICULARES. 𝐹2


A INTENSIDADE DA FORÇA RESULTANTE é
obtida pelo TEOREMA DE PITÁGORAS.
𝐹1
2 2 2
𝐹𝑅 = 𝐹1 + 𝐹2
Utilizando a regra do polígono
(faz-se coincidir o início de
uma força com o final da outra
𝐹2
e ligam-se às extremidades,
fechando-se o polígono),
obtemos o SENTIDO DA 𝐹1
FORÇA RESULTANTE.
18 Dinâmica e as Forças de Interação
Segunda Lei de Newton ou Princípio
Fundamental da Dinâmica
“A mudança do estado de movimento de um corpo é proporcional à
força motora imprimida, e é produzida na direção da linha reta na
qual aquela força foi imprimida”
(Isaac Newton - Principia)
 
FR  m.a No Sistema Internacional (SI), a Força é medida em newtons (N)

F=1N a=1m/s²

m =1kg

A força de 1N é a força que aplicada em um corpo de


massa 1kg.
Imagem: Tsar Kasim / Creative Commons
Provoca uma aceleração de 1m/s²
Attribution-Share Alike 2.0 Generic

19 Dinâmica e as Forças de Interação


Massa versus aceleração
Massa e Aceleração são grandezas inversamente proporcionais
A força que a mão A força que a mão
exerce acelera a exerce acelera a
caixa caixa

Duas vezes a força A mesma força


produz uma sobre uma massa
aceleração duas duas vezes maior
vezes maior causa metade da
aceleração

Duas vezes a força Sobre uma massa


sobre uma massa três vezes maior,
duas vezes maior causa um terço da
produz a mesma aceleração original
20
aceleração original

20 Dinâmica e as Forças de Interação


Massa inercial versus
Massa gravitacional
Quando os Principia foram
escritos por Newton, fazia-se
distinção entre os conceitos de
Massa Inercial e Massa

Imagem: Oren Jack Turner, Princeton, N.J. / Domínio Público


Gravitacional.
Essa diferença foi superada
pela Teoria da Relatividade
Geral, de Albert Einstein, que
se baseia no fato de que Massa
é justamente o conceito que
mede duas variáveis distintas: a
Inércia e a Gravitação.
KAZUHITO, Yamamoto. FUKE, Luiz Felipe. Física para o Ensino Médio. Saraiva.
2010.

21 Dinâmica e as Forças de Interação


Força Peso (P)

―Todos nós estamos ―presos ao chão‖ por causa da existência de uma Força de
Atração do Campo Gravitacional da Terra que nos puxa na vertical, para baixo,
com a aceleração gravitacional... O Peso é uma força de campo que atua no
campo gravitacional de um corpo celeste, que tem sempre o sentido de aproximar
o objeto que está sendo atraído para o centro desse corpo‖.
KAZUHITO, Yamamoto. FUKE, Luiz Felipe. Física para o Ensino Médio. Saraiva. 2010.

Sendo m a intensidade da massa do objeto e g, a da


aceleração da gravidade, seu peso é determinado pelo

Imagem: Oleg Alexandrov / Domínio Público


Princípio Fundamental da Dinâmica.

𝐹𝑅 = 𝑚 ∙ 𝑎 → 𝑷=𝒎∙𝒈
𝑷 ≡ 𝑭𝒐𝒓ç𝒂 𝑷𝒆𝒔𝒐
𝒐𝒏𝒅𝒆 𝒎 ≡ 𝑴𝒂𝒔𝒔𝒂 𝒅𝒐 𝒄𝒐𝒓𝒑𝒐
𝒈 ≡ 𝑨𝒄𝒆𝒍𝒆𝒓𝒂çã𝒐 𝒅𝒂 𝒈𝒓𝒂𝒗𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆

22 Dinâmica e as Forças de Interação


Força Peso

𝑃
𝑃 𝑃

𝑃
𝑃 𝑃 𝐹

Lembre-se:
A Força Peso é SEMPRE VERTICAL PARA BAIXO em relação à Terra.

23 Dinâmica e as Forças de Interação


Força Normal (N)

É a força de reação que uma superfície exerce sobre um corpo


nela apoiado.

Ela tem esse nome por sempre


formar um ângulo de 90º com a
superfície.

Imagem: Stannered / Domínio Público


N Em deslocamentos horizontais ou
repouso, a força resultante vertical
 é zero. Nesse caso, N = P.
P
24 Dinâmica e as Forças de Interação
Força Normal (N)
𝑁

𝑁=0
𝑁
Pois o corpo não
está apoiado em 𝑁
nenhuma superfície

𝑁
𝐹
Lembre-se:
A Força Normal é SEMPRE PERPENDICULAR à superfície de apoio.

25 Dinâmica e as Forças de Interação


Força de Tração (T)

É a força que é aplicada pelos fios (cordas, tirantes, cabos, etc.)


para puxar algum corpo.

Imagem: Tsar Kasim / Creative Commons Attribution-Share Alike Imagem: Tech. Sgt. Dan Neely / U.S. Air Force / Domínio Público
2.0 Generic

Um fio transmissor de força é considerado ideal quando ele é


INEXTENSÍVEL, FLEXÍVEL E DE MASSA DESPREZÍVEL.
26 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito (Fat)

Quando um corpo desliza sobre uma superfície, fica sujeito a uma


força de atrito.

A força de atrito ocorre entre as superfícies de


contacto e opõe-se ao deslizamento dos corpos.

sentido do movimento

Num objeto em deslizamento, a força de atrito (Fat) tem a mesma direção do


movimento, mas no sentido oposto.
27 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito (Fat)

As forças de atrito devem-se a interações microscópicas que ocorrem


entre as superfícies de contacto.

A força que se opõe ao deslizamento, a força de atrito, é:


menor quando as superfícies em contacto são polidas (lisas) —
é o caso dos patins e do gelo;
maior quando as superfícies em contacto são rugosas —
é o caso dos pneus e da estrada.
28 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito (Fat)

As forças de atrito também dependem da intensidade da força de


reação normal.
A B
N

Fa Fa
No exemplo acima, pretende-se arrastar duas estantes, uma sem livros (A) e outra com livros (B).
Em qual dos casos a força de atrito será maior?

Quanto maior é a força de reação normal,


maior é a intensidade da força de atrito.
29 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito (Fat)
Consoante as situações, as forças de atrito podem ser úteis ou prejudiciais:

Atrito útil Atrito prejudicial


O atrito que ocorre na transmissão de máquinas
O atrito entre o solo e o pé permite-nos caminhar
e entre peças de motores é prejudicial, sendo
sem escorregar. O atrito entre o solo e o pneu
preciso lubrificar os equipamentos para o
permite que este rode sem deslizar.
minimizar.

30 Dinâmica e as Forças de Interação


Força de Atrito (Fat)
A força de atrito pode ser classificada como…

Repouso Movimento

Fatrito estático Fatrito cinético

… força de atrito estático. … força de atrito cinético.


A força de atrito estático atua entre as A força de atrito cinético atua entre as
superfícies de contacto na ausência de superfícies de contacto quando ocorre
movimento. movimento.

Para que o corpo deslize, a força aplicada deve ser superior à força de atrito.
O valor da força de atrito estático que atua na caixa é superior ao valor da força de
atrito cinético:
Fatrito estático > Fatrito cinético
31 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito Estático [Fat(máx)]

Ocorre quando não há deslizamento entre duas superfícies. Será


sempre contrário à tendência de movimento.

N → Força normal (neste caso tem


mesmo módulo do peso).
Fat(máx) = μE.N μE → Coeficiente de atrito
dinâmico. Depende das duas
superfícies em contato. Unidade
adimensional.

Fat

Fat

32 Dinâmica e as Forças de Interação


Força de Atrito Estático [Fat(máx)]

Fat ( máx )  FAPLICADA


33 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito Dinâmico [Fat(D)]

Ocorre quando houver deslizamento entre duas superfícies. Será


sempre contrário ao movimento.

N
Fat(D) F

P
34 Dinâmica e as Forças de Interação
Força de Atrito Dinâmico [Fat(D)]

A Força de Atrito Dinâmico é dada por

Fat(D) = μc.N

N → Força normal (neste caso tem mesmo módulo do


peso).
μc→ Coeficiente de atrito dinâmico. Depende das duas
superfícies em contato. Unidade adimensional.

35 Dinâmica e as Forças de Interação


Força de Atrito
Estático e Dinâmico

36 Dinâmica e as Forças de Interação


Força de Resistência (R)
Quando um corpo se desloca no ar ou
noutro fluido, também existe uma força R
que se opõe ao movimento.

É esta força de resistência que se opõe


ao movimento do paraquedista,
abrandando o movimento de descida.
37 Dinâmica e as Forças de Interação
Plano Inclinado

É uma máquina simples,


como os sistemas de
roldanas e as
alavancas.

38 Dinâmica e as Forças de Interação


Plano Inclinado
FN

mg

39 Dinâmica e as Forças de Interação


Plano Inclinado

FN

mg

40 Dinâmica e as Forças de Interação


Plano Inclinado (com atrito)
Fat
FN

mg

41 Dinâmica e as Forças de Interação


Plano Inclinado (análise)

P . sen
q

P . cos q

42 Dinâmica e as Forças de Interação


Plano Inclinado
(análise com atrito)
No equilíbrio, temos

Fat  Px

Px E.NPsen

Py

E.m
.g 
cos 
mgs
 
sen
E  E  tg

cos
43 Dinâmica e as Forças de Interação
Peso em Elevadores

44 Dinâmica e as Forças de Interação


Síntese da Aula
 Força é todo agente físico capaz de alterar a velocidade de um
corpo ou de modificar a sua forma
 Força Peso (P) é a força que existe sobre todos os corpos, sendo
exercida sobre eles por meio do campo gravitacional da Terra.
 Força Normal (N) é a força entre duas superfícies em contato,
perpendiculares entre si.
 Força de Tração (T) é nome que se dá à força que é exercida sobre
um corpo por meio de cordas, cabos ou fios, por exemplo.
 A força de atrito surge em sentido contrário ao movimento de um
objeto. Ela pode ser estática, se o objeto está em repouso, ou
dinâmica, se o objeto está em movimento.
 O plano inclinado é um exemplo de máquina simples. Como o nome
sugere, trata-se de uma superfície plana cujos pontos de início e
fim estão a alturas diferentes.

45 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios

1) A figura abaixo mostra três caixotes com massas m1 = 45 kg, m2 =


22 kg e m3= 33 kg apoiados sobre uma superfície horizontal sem
atrito. Uma força horizontal de intensidade 50 N empurra os caixotes
para a direita. Determine:
a) Qual a aceleração adquirida pelos caixotes?
b) Ache a força exercida por m2 em m3.
c) Ache a força exercida por m1 em m2.

F m1
m3
m2

46 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução

Seguindo alguns passos, conseguiremos resolver o problema


sem dificuldade.
Passo 1: Faça um Passo 2: Escolha um sistema de
esquema/desenho simples da referência (sistema de
situação. Nesse caso, já foi feito coordenadas x0y).
pela própria questão:
y

F m1 m F m1 m
m2 3
m2 3

0 x

47 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução

Passo 3: Isole os corpos e faça um diagrama das forças atuantes em


cada um deles.

𝐍𝟏 𝐍𝟐 𝐍𝟑
𝐅 𝐅𝟐𝟏 𝐅𝟏𝟐 𝐅𝟑𝟐 𝐅𝟐𝟑 m
m1 m2 3

𝐏𝟏 𝐏𝟐 𝐏𝟑

48 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução

Passo 4: Ache as componentes de cada força ao longo dos eixos de


coordenadas do sistema escolhido, caso as forças estejam em direção
diferente desse sistema. Nesse caso, todas as forças estão na direção
dos eixos coordenados.

y 𝐍𝟏 𝐍𝟐 𝐍𝟑
𝐅 𝐅𝟐𝟏 𝐅𝟏𝟐 𝐅𝟑𝟐 𝐅𝟐𝟑 m
m1 m2 3

𝐏𝟏 𝐏𝟐 𝐏𝟑
0 x

49 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução

Passo 5: Aplique a 2ª Lei de Newton para cada corpo em cada direção do


sistema de coordenadas.
No eixo “y”: Como não há movimento na direção vertical (“y”), temos que:

𝐹𝑅 = 0 Logo: 𝑃1 = 𝑁1 𝑃2 = 𝑁2 𝑃3 = 𝑁3

No eixo “x”: Aplicando a 2ª Lei de Newton (FR = m.a) para cada corpo,
temos:
y 𝐍𝟏 𝐍𝟐 𝐍𝟑
𝐅𝟐𝟏 𝐅𝟏𝟐 𝐅𝟑𝟐 𝐅𝟐𝟑
𝐅 m
m1 m2 3

𝐏𝟏 𝐏𝟐 𝐏𝟑
0 x

50 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução
CORPO 1: F – F21 = m1.a Pelo Princípio da Ação e Reação, sabemos
CORPO 2: F12 – F32 = m2.a que: F12 = F21 e F23 = F32, Logo:

CORPO 3: F23 = m3.a


Somando as três equações.
F = (m1 + m2 + m3).a

a) Qual a aceleração adquirida pelos caixotes?

𝑭 = (𝒎𝟏 + 𝒎𝟐 + 𝒎𝟑). 𝒂 ⟹ 𝟓𝟎 = (𝟒𝟓 + 𝟐𝟐 + 𝟑𝟑). 𝒂


𝟓𝟎
𝟓𝟎 = 𝟏𝟎𝟎. 𝒂 ⟹ 𝒂 = = 𝟎, 𝟓 𝒎/𝒔𝟐
𝟏𝟎𝟎

51 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios – Resolução

b) Ache a força exercida por m2 em m3.xx

Utilizando a 3ª equação passada, temos que:

F23 = m3.a  F23 = 33.0,5  F23 = 16,5 N = F32

c) Ache a força exercida por m1 em m2.

Utilizando a 1ª equação passada, temos que:


F – F21 = m1.a  50 – F21 = 45.0,5  – F21 = 22,5 – 50  – F21 = –27,5

F21 = F12 = 27,5 N

52 Dinâmica e as Forças de Interação


Exercícios

2) Na pesagem de uma caminhão, no Resolução:


posto fiscal de uma estrada, são
utilizadas três balanças. Sobre cada
Como o caminhão está
balança, são posicionadas todas as
em repouso, a força
rodas de uma mesmo eixo. As balanças
resultante que atua
indicam 30.000 N, 20.000 N 3 10.000 N
sobre ele é nula.
N3
N1 𝐹𝑅 = 0
N2
P  N1  N 2  N 3

P  10.000  20.000  30.000


P
A partir desse procedimento, qual o
possível o peso do caminhão? P  60.000N
53 Dinâmica e as Forças de Interação
Exercícios

3) Suponha que um comerciante inescrupuloso


Resolução:
aumente o valor assinalado pela sua balança,
empurrando sorrateiramente o prato para baixo
Fazendo a
com uma força F de módulo 5,0 N, na direção e decomposição da
sentido indicados na figura. força, temos que:
Com essa prática, ele FY
consegue fazer que uma F
37º
mercadoria de massa
1,5 kg seja medida por
essa balança como se
tivesse massa de: 88.88 F 37° FX
Dados: sen 37º = 0,60;
cos 37º = 0,80 A força FX é a única que
g = 10m/s². pode contribuir para
a) 3,0kg d) 1,8kg alterar a leitura da
b) 2,4kg e) 1,7kg balança. Vamos calcular o
c) 2,1 kg valor de FX.
54 Dinâmica e as Forças de Interação
Exercícios – Resolução

sen37 
FX FX  F  sen37 𝑃𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 = 15 + 3,0 = 18 N
F Para um peso aparente de 18 N e
uma aceleração da gravidade de
𝐹𝑥 = 5,0 ∙ 0,6 𝐹𝑥 = 3,0 𝑁 10 m/s2, a massa aparente
registrada na balança será:
𝑃𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 = 𝑚𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 . 𝑔
A leitura da balança será
influenciada pela ação da força peso 18  mAparente 10
P da mercadoria e da força FX, pois
ambas atuam na vertical para baixo. 18
É claro que essa duas forças darão 𝑚𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 =
origem a um peso aparente.
10
PAparente  P  FX
𝑚𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 = 1,8 𝑘𝑔
𝑃𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 = 𝑚. 𝑔 + 𝐹𝑥

𝑃𝐴𝑝𝑎𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 = 1,5 ∙ 10 + 3,0 Resposta: LETRA D


55 Dinâmica e as Forças de Interação
Exercícios
A aceleração adquirida pelo corpo
5) Um corpo (m=5,00 kg) com Vo=20,0 será:
m/s desliza sobre uma superfície
horizontal com atrito (µ=0,200) até parar. 9,8
Utilizando as leis de Newton e os FR  m  a  a   1,96 m / s 2
conceitos de cinemática, determine a 5
distância d percorrida pelo corpo até
parar. Como não estamos associando ao
tempo, usamos a equação de
Torricelli e determinamos a distância
percorrida pelo corpo...
Resolução:
A força de atrito para este caso será a força
v 2  v0  2a.x
2
resultante.

Fat    FN  0,2  5  9,8  9,80 N 0 2  20 2  2.(1,96).x


3,92.x  400
x  102,04 m
56 Dinâmica e as Forças de Interação
6. O esquema abaixo representa dois blocos A e B de massas 6 kg e 4 kg
respectivamente, inicialmente em repouso, ligados por um fio ideal. O
coeficiente de atrito entre o plano horizontal e o bloco A vale 0,4
respectivamente. A aceleração da gravidade vale g = 10 m/s².

Calcule: 60N
a) a aceleração dos blocos.
b) a tração no fio. T
FAT

Fr = mA.a T – FAT = 6.a


Fr = mB.a PB - T = 4.a T
60N
T – 24 = 6.a FAT = .N
40 - T = 4.a FAT = 0,4. 60
FAT = 24 N 40N
40 - 24 = 10a
16/10 = a 40 – T = 4.a
40 – T = 4. 1,6
a = 1,6m/s² 40 – T = 6,4
40 – 6,4 = T
T = 33,6 N
7) Um corpo de massa 10 kg é abandonado do repouso num plano inclinado
perfeitamente liso, que forma um ângulo de 30 com a horizontal, como
mostra a figura. A força resultante sobre o corpo, é de: (considere g 10
m/s2)
PX = P.senq PY = P.cosq
N
PX = 100. 0,50 PY = 100. 0,87

PX = 50N PY = 87N

PX
FR = 50N N = 87N
PY
FR = m.a
P PX = m.a
50 = 10.a
50/10 = a
Encontre: 5=a
a) PX e PY
b) Força Resultante a = 5 m/s²
c) Força Normal
d) Aceleração
8) Um bloco de massa 4,0 kg é abandonado num plano inclinado de 37º com
a horizontal com o qual tem coeficiente de atrito 0,25. A aceleração do
movimento do bloco é, em m/s2,
Dados:

g = 10 m/s2 N
sen 37º = 0,60
FAT
cos 37º = 0,80
PX
a) 2,0
b) 4,0
c) 6,0 PY
d) 8,0 37o P
e) 10
FR = m.a
PX - FAT = m.a
24 - 8 = 4.a 37o
16 = 4.a
16/4 = a

a = 4 m/s²
OBRIGADO!

Prof. Sebastião Rodrigues Moura


IFPA/Campus Ananindeua
sebastiao.moura@ifpa.edu.br
(91) 99641-1736
60 Dinâmica e as Leis de Newton