Você está na página 1de 6
1ª Aula - Direito Penal III Estudo Introdutório da Parte Especial do CP Valoração da
1ª Aula - Direito Penal III
Estudo Introdutório da Parte Especial do CP
Valoração da "Vida"
Vida
Crimes de Estado
Império
Vida
Crimes de Estado
República
>
Crimes contra a vida
Após 1940
Código Penal
Parte Geral
11 Títulos
01
Parte Especial
LEP
legislações
esparsas

Art. 121, CP

LPE

esparsas A r t . 1 2 1 , C P L P E Bem tutelado

Bem tutelado pelo Direito Penal

Tutela Penal

Administração Pública

Reunião de maiores considerações ao direito da vida

Leis da Execuções Penais

Leg. Penal Especial/Esparsa

Homicídio Simples

6 a 20 anos arma de fogo Meio faca, carro arma branca Pena Depende matar
6 a 20 anos
arma de fogo
Meio
faca, carro
arma branca
Pena
Depende
matar por 1 real
Fútil
Motivo
Qualificadora, Privilegiado, Doloso, Culposo
sem intenção de matar
Culposo
com intenção de matar
Doloso
temos que ir para o código do trânsito
Crimes do Trânsito
Homicídio

Homicídio

Homicídio
Homicídio
Homicídio
Homicídio
Aula 2 - Art. 121, CP: Homicídio Art. 121, Caput. 1. Simples Só é hediondo
Aula 2 - Art. 121, CP: Homicídio
Art. 121, Caput.
1.
Simples
Só é hediondo se praticado em ação típica de grupo de extermínio.
Art. 121, § 1º
-Valor social, moral
2.
Privilegiado
- Domínio forte/violenta emoção
- Injusta provocação
Art. 121, §2º
Paga promessa
Motivo torpe
Classificação
- Subjetivas
Motivo fútil
3.
Qualificado
Assegurar execução
Meio
- Objetivas
Modo
§3º - Simples
Art. 121;
§4º - Qualificado
4.
Culposo
Admite Perdão Judicial
É o descuido comissimo. É o agir descuidado.
Imprudência
É o descuido por omissão.
Ex. médica sabe que deve fazer, mas não faz.
Negligência
Slides
Ex. A enfermeira informa ao médico que tem que
comparecer ao hospital e ele não comparece.
É a falta de talento ou conhecimento específico de uma profissão arte ou ofício.
Imperícia
Ex. Você tem carteira de carro pequeno e pilota moto.
02
Eu mato e me calo ou escondo o corpo.
Comissivo por omissão
Nexo de Causalidade/ Tipicidade/
Uni-se à conduta mal dirigida.
Prevendo um comportamento positivo
Previsibilidade
Aceita-se o resultado
Dolo Eventual
Eventualmente pode acontecer
Qual a diferença Dolo
eventual e culpa consciente?
Ex. Beber, dirigir e matar alguém no trânsito
Se faz a previsão do resultado
Culpa Consciente
Já sei o que vai acontecer
Ligação com a causa - Figura do inquérito policial
Nexo de causalidade
Homicídio doloso - já há uma previsão
Crime Preterdoloso
É o que antecede a minha ação antes do crime.
O Estado perde o interesse de punir.
Perdão Judicial
Art. 121, §5º
Slides
Entra como conceito.
Instituto
Não passou pelo legislativo. Entra como possibilidade que pode ser aplicado.
Não está amarrado ainda completamente.
Precisa do representante do Ministério Público
Ação Pública Condicionada
Não precisa do representante do MP
Ação Pública Incondicionada
Condicionada
Privada
Incondicionada
Ação Penal
Condicionada
Pública
Incondicionada
Personalíssima
Para dar início a ação penal
Notícias Criminis
09.08.10 - 3ª Aula Cogitação iter criminis Preparação Crimes: "Etapas" Execução Consumação vida
09.08.10 - 3ª Aula
Cogitação
iter criminis
Preparação
Crimes: "Etapas"
Execução
Consumação
vida humana
Objeto Jurídico
Motivo egoístico
Pena duplicata
Art. 122, CP
Vítima MENOR, capacidade, resistência diminuída
Indiferente Penal
Tentativa
Incentivar
Induzir
Ele já está com a ideia, eu só vou dar força
Instigar
Condutas
Dou a corda, levo no lugar.
Prestar Auxílio
SUICÍDIO
CAUSALIDADE
Conduta do
Agente
Hipótese de homicídio privilegiado
Condição Personalíssima
Sujeito ativo: MÃE
Sabe que está participando
do homicídio.
CO-AUTORIA
Homicídio?
03
Não tem a ideia que está
participando do homicídio.
PARTICIPAÇÃO
Concurso de agentes?
Partícipe
>>>Auxiliando
Co-Participação
>>> Estágio Puerperal - 45 dias
Art 124 - Gestante ou 3º com consentimento
Art. 125 - 3º - Sem consentimento da gestante
Aborto
Art. 126 - Provocar: com consentimento da gestante
Por
Necessário
Médico
Art. 128, I
Não
Resultante de estupro
Quando:
se
Art. 128, II
Art. 123, CP
pune
para fins de
leis penais
VIDA, somente terá relevância
após a: NIDAÇÃO
14 dias após a
fecundação
Início da concepção
ocorre de forma espontânea, o próprio
organismo da mãe rejeita. Não é crime.
a) Natural
É provocado por fatalidades. Não é crime.
b) Acidental
Pressupõe uma conduta dolosa humana.
c) Criminoso
A lei admite o aborto voluntariamente provocado.
d) Legal
Tipos de aborto
Provocado com a finalidade de se evitar que
nasce criança com graves defeitos genéticos.
e)Eugênio
É provocado visto que não há condições
econômicas para criar com dignidade a criança.
f) Econômico-social
Feito em ganho de condecorações, premiações.
g)
"honoris causa"

6.08.10 - Lesões Corporais

Lesões Corporais Classificação Leve 04
Lesões Corporais
Classificação
Leve
04

Ofensa a integridade física e a saúde mental: "Anatômico, psíquico, fisiológico."

IMPO

Infração de Menor Potencial Ofensivo

1. Leve 2. Grave 3. Gravíssima 4. Seguida de morte 5. Violência contra a mulher
1.
Leve
2.
Grave
3.
Gravíssima
4.
Seguida de morte
5.
Violência contra a mulher
Admite tentativa
Admite tentativa

Não admite tentativa

Lei 11.340/06

A dor física só, sem dano anatômico ou funcional, não constitui lesão corporal.

Ex. Puxar pelo cabelo

Dor Anatômico Eritema a Equimose à Epiderme é Hiperemia é lesão corporal Hematoma Retirado do
Dor
Anatômico
Eritema
a
Equimose
à
Epiderme
é
Hiperemia
é lesão corporal
Hematoma
Retirado do Livro de Delmano

não é lesão corporal, pois se trata de mero rubor que pode ser causado até por simples emoção

Ex. Hematomas por raiva

simples equimose já configura lesão corporal leve

Ex. sangue que entra nos tecidos

a ferida a epiderme, ainda que sem dano

derme, há lesão corporal.

Ex. quentura no braço

não constitui lesão corporal

um aumento de fluxo sanguíneo no

local caracterizando inchaço num local

o prazo de 30 dias deve ser contado da data do fato e não da lavratura do primeiro exame de corpo de delito.

Art. 168, CPP - Art. 10, CP

Não é 1 mês, são 30 dias

Ocupações habituais

ocupações funcionais. Ex. Dar aula

A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias

A. Incapacidade para as ocupações

habituais, por mais de trinta dias

A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias
A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias
A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias
A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias
A. Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias

Previsão

de 4

qualificadoras

É a probabilidade concreta e efetiva de morte como consequência da lesão ou processo patológico que esta originou.

B. Perigo de vida

Grave
Grave

refere-se a redução da capacidade funcional. A jurisprudência prever também que seja duradoura a debilidade.

função são os sistemas

membros superiores e inferiores

C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função

C. Debilidade permanente de

membro, sentido ou função

C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função
C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função
C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função
C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função
C. Debilidade permanente de membro, sentido ou função

D. Aceleração do parto

D. Aceleração do parto

sentido - os 5 sentidos

Somente pode ser atribuída ao agente a título de culpa, sendo lesão corporal de natureza preterdolosa.

Anotações do dia 30-08-10 Livro: Dos delitos e das penas Autor: Cesare Beccaria Atividade Estruturada
Anotações do dia 30-08-10
Livro: Dos delitos e das penas
Autor: Cesare Beccaria
Atividade
Estruturada
Questões: Responder em dupla
Entrega: Dia: AV1
Avisos
Disponibilizadas no email e copiadora, a partir de 31/08.
Atividade em grupo, com consulta: CF,
CP, CPP, Material didático.
Dia 06/09
crimes de perigo
Nomer Iuris
exposição do valor protegido
a um perigo dado
Consumação
normalidade dos fatos
Juízo de Probabilidade
Expor a perigo
Todas as infrações
Periclitação da
Crime de perigo individual e concreto
do arts: 130-136
vida e da saúde
05
Dolo
Vontade de expor o bem a um risco. Sujeito
não deseja lesar o bem tutelado, embora
possa prever a ocorrência de dano.
de perigo
"dolo de dano": art. 130, §1º - art. 131
Excepcionalmente
de que saiba ou deva saber
Moléstica venérea
130
Definição: no código penal são tipificadas (como
norma penal em branco) devendo-se recorrer de
portaria do Ministério da Saúde
Crime de perigo concreto
130-136
Estupro
132
deve ser comprovado que o
comportamento do agente trouxe
efetivamente perigo ao bem jurídico
Crime de perigo concreto
Para alguns doutrinadores configura-se
como dolo direto, onde o agente
(sabedendo-se doente)
De Perigo
Dolo
O agente (devendo sabe-lo)
Eventual
Anotações do dia 06-09-10 Proteção da vida e da integridade Tutela Penal Ex: X leva
Anotações do dia 06-09-10
Proteção da vida e da integridade
Tutela Penal
Ex: X leva o incapaz
para fora do local
onde estaria
protegido
Positivo
Núcleo
Abandonar
Verbal
Ex: X deixa a
pessoa no local, e
se retira desse local.
Negativa
Abandono de
Incapaz: Art. 133,
CP
Zelo
Múnus do sujeito
Delito de perigo concreto
Crime doloso
Dolo de perigo
Obs: É possível que o sujeito desconheça a
obrigação de impedir o abandono: ERRO DE TIPO
Obs: Se há intenção era de provocar lesões ou o homicídio.
Vida + Integridade Corporal + Saúde
Tutela Criminal
Modalidade especial de abandono de incapaz
Dolo de perigo (crime exige exclusivamente)
Ocultar desonra própria
Elemento específico subjetivo:
Critério Científico
Exposição ou
06
Abandono de Recém
Nascido (Art. 134, CP)
Recém
-Rompimento cordão umbilical
Sujeito
nascido
-Prazo de alguns dias?
Passivo:
-Sete dias após nascimento
-Trinta dias após nascimento
Admite-se a
crime plurissubsistente. Pode ser que a mãe tente
abandonar o recém-nascido, mas seja impedida pelo pai.
forma tentada
Ex1: Nadador, margens de um rio, vê a criança que nadava sozinha se afogando e
nada faz para salvá-la. (Neste caso, não há o dever jurídico de evitar o resultado).
CRIME OMISSIVO PRÓPRIO.
Obs: Pai acompanha filho e o vê afogando e nada faz para evitar a morte, sem
Omissão de
que existisse qualquer risco pessoal a ele. (CRIME HOMICÍDIO.)
Socorro (Art.
135, CP)
Obs2: Salva-vidas, observa e nada faz para salvá-lo: CRIME CONTRA A VIDA.
(Obriga-se pela profissão a evitar o resultado).
Para saber se a pessoa tem
condições de voltar a sociedade
Exame Criminológico
Homicídio
Arrependimento eficaz
Comentários ao Texto
Ocultação de cadáver
Caso Bruno
Caso Garoto
Liberdade
Art. 5º, LXVI, CF e
321, CPP
Provisória
Art. 311 a 316, CPP
Prisão Preventiva
Art. 236, Código Eleitoral. Não cabe nos 5 dias
anteriores ao pleito e nas 48 horas após a eleição
>
Lei. 7.960/89 - Prisão Temporária