Você está na página 1de 3

Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Curso de Administração Pública


Disciplina: Elaboração e Validação de Projetos Públicos
Docente: Fabio Campos Aguiar
Discentes: Carla Freitas, Ravena Hernandez e Renildo Barbosa
Pólo: Salvador

RESUMO

O GERENCIAMENTO DE PROJETOS E SUA IMPORTÂNCIA PARA A QUALIDADE E A


EFETIVIDADE NO SETOR PÚBLICO

NETO, Adolfo N. de Andrade e VACOVSKI, Eduardo. O gerenciamento de


projetos e sua importância para a qualidade e a efetividade no setor público.
Artigo. 2015.

O modelo de gestão de governo deve passar por reforma, aderindo ao


modelo gerencial que objetiva descentralização e autonomia, por isso, os modelos
de gestão devem aderir práticas de gerenciamento de projetos. O gerenciamento de
projetos faz parte da área da Administração e visa proporcionar coisas positivas para
as empresas e alcançar objetivos proporcionados via Políticas Públicas.

A gestão de projetos permite planejar, programar, identificar requisitos, lidar


com necessidades e tarefas de modo organizado. O gerenciamento faz parte de
algumas áreas de conhecimentos, a constar, por exemplo, tempo, recursos
humanos, comunicação e qualidade. As empresas podem passar pelas fases do
processo de gerenciamento para ter alcançar o sucesso, por isso é importante
iniciar, planejar, executar, monitorar e controlar de acordo com o que está planejado.

O gerenciamento de projetos precisa lidar com os riscos e incertezas de baixo


orçamento, comprometimento, atrasos, por outro lado, é necessário manter-se
atento aos riscos para controle caso venha acontecer.

O prazo, escopo, custo e qualidade são interdependentes no que se refere ao


sucesso do projeto. O escopo é o responsável pela base da pirâmide, estando
relacionado ao acompanhamento da execução. Keeling (2005) traz a luz sobre a
necessidade de filtrar os elementos essenciais e não essenciais, para focar na real
necessidade do processo, e deixar claros os objetos a serem alcançados. Sobre o
escopo, Gonçalves acredita que está relacionado as mudanças dos problemas
identificados no início do processo.

Já Kerzner (2006) trata da importância de da centralização dos projetos por


um departamento responsável pelo seu desenvolvimento, levando ao
aperfeiçoamento neste tipo de gestão, o chamada o Escritório de Gerenciamento de
Projetos (EGP). Enquanto Calheiros (2005) aborda que o EPG pode ter uma
abordagem consultiva e outra centralizada, sendo a primeira sobre as empresas
com baixa organização e a segunda sobre as empresas com alinhamento
estratégico. Carneiro (2010) conceitua que o EGP é importante pois trata de uma
gestão com visão ampliada.

Na gestão pública, há a necessidade de novas abordagens voltadas às novas


ferramentas que a tecnologia proporcionam. Kohl e Oliveira (2012) menciona sobre
a respeito da qualidade na gestão pública, estando está relacionada Plano Diretor de
Reforma do Aparelho do Estado, em 1995, que trouxe um novo modelo de estado,
voltado à agilidade e a responsabilidade da gestão, que deu luz a participação do
cidadão.

Dentro desse conceito, Chiavenato apresenta três medidas: eficiência,


eficácia e efetividade, sendo a eficiência condizente aos meios para alcançar os
resultados, enquanto eficácia é sobre os objetivos organizacionais. Diante disso,
para o setor público, o referido autor apresenta o conceito de efetividade, que se
trata dos impactos que as ações da empresa têm sobre a população.

No que se refere ao desenvolvimento de projetos, este é considerado uma


prática nova no setor público, pois está em desenvolvimento, com procedimentos
favoráveis à economia. Nodari et al. (2007) ratifica esse conceito ao definir que há a
necessidade de atuar efetivamente no controle e planejamento das ações e dos
projetos que tiverem na empresa.

Ainda no que se refere ao setor público, para haver competitividade de


desempenho, precisa-se pensar e propor ações estratégicas, sendo importante,
nesse ínterim, o uso da metodologia de projetos, sendo possível, desta forma, a
criação projetos e implementação deles em grupos menores. Desta forma, quanto
mais definido e delimitado o grupo e o projeto, mas objetiva será meta.

Defende Viana (2012), para tanto, que a gestão de projeto é fundamental para
o monitoramento, estes que, se bem executado corretamente, dão melhor medição
dos problemas a serem tratados. Desta forma, é extremamente importante a
atuação de um profissional qualificado na área de projetos e gestão, este que,
Kerzner (2006) defende ser habilitado na área à qual irá atuar, apresentando o
exemplo da Administração Pública no Espírito Santo, que teve resultados positivos
após a aplicação do modelo, sendo modelo para as prefeituras do estado.

Outro estado apresentado é Minas Gerais, que adotou ao modelo de gestão


em 2003 e que faz monitoramento de projetos desde então, além de Pernambuco
que também tem apresentado avanços após aderir ao modelo de gestão, o qual
montou a Secretaria de Gestão para trabalhar conforme o modelo EGP.

Desta forma, a administração tem, segundo Valle et al. (2007), um grande


desafio, que está relacionado os aspectos humanos, sobre diálogos, objetivos,
métodos e técnicas que visam ao alcance de resultados. Isso, pois, segundo eles, a
comunicação, na administração pública, não flui da forma como precisa.

Diante desses elementos, o gerenciamento de projetos é importante para o


avanço da administração pública, com base nos resultados já identificados em
alguns estados aderentes a ele, devendo, pois ser agregado à gestão o quanto
antes, pois, não somente aperfeiçoa a gestão, como também racionaliza dos
recursos.

A forma retrógrada como a administração pública trabalha é um espelho da


sua ineficiência e distanciamento da competitividade de mercado, sendo, portanto,
um desafio a implantação do gerenciamento de processos.

Referência
NETO, Adolfo N. de Andrade e VACOVSKI, Eduardo. O gerenciamento de
projetos e sua importância para a qualidade e a efetividade no setor público.
Artigo. 2015.

Você também pode gostar