Você está na página 1de 2

NÓS SOMOS O QUE COMEMOS

Quando adotamos hábitos alimentares inadequados ou negligenciamos estes dois pontos


importantes, colocamos em risco nossos melhores esforços seja para reduzir peso seja
para fortalecer o corpo.
Siga, abaixo, algumas dicas importantes para ajudar você nesta busca pelo bem estar. A
alimentação saudável, diz o artigo, é só uma questão de fazer a escolha correta. Mas,
não tente ficar obcecado pela comida e pelo que pode ou não comer:
Doces, por exemplo. Aqueles feitos com açúcar e gordura saturada (geralmente gordura
animal) devem ser evitados ao máximo ou só se deve comer raramente. Não é a mesma
coisa que atacar uma deliciosa taça de morango (desde que não venha um morango
escondido sobre uma tonelada de creme de leite) ou uma suculenta e doce laranja.
Mas, porque preferimos bolos e chocolates em detrimento das melhores ofertas da
natureza como as frutas. Se não for um caso patológico como desequilíbrio real no
organismo, uma das causas poderá ser a profunda relação entre as guloseimas e nossa
infância, onde elas eram dadas como recompensa por bom comportamento ou para
acalmar ou consolar no choro. A nossa memória, automaticamente, associará doces e
guloseimas a recompensa ou sensação de conforto após o dia estressante de trabalho
árduo.
Se você acha que está usando doces e guloseimas como “recompensa” ou conforto, e
quer se ver livre desse hábito, basta lembrar que ganhar peso NÃO é uma recompensa.
Pense em outra forma de conforto que não envolva comida.

A questão é: responda adequadamente à sua fome

O que é uma boa alternativa às refeições rápidas e aos doces?

Ingerir alimentos com pouco ou nenhum açúcar, pouco ou nenhum sódio (sal), nenhuma
farinha branca e pouca ou nenhuma gordura saturada (animal). Consulte sempre os
rótulos com ingredientes. Se você nem sempre entende o que esta escrito muito
provavelmente são nomes de aditivos ou conservantes. Substitua-os por produtos que
contenham mais ingredientes naturais.

O que se deve evitar?

A gordura do alimento pode se converter totalmente em gordura corporal. Assim, é


fundamental controlar a ingestão da gordura saturada ( aquela gordura que se solidifica
quando frio). Isso é tão importante quanto reduzir calorias. Coma alimentos pobres em
gordura.
Combata os ataques às guloseimas

Quando você precisar ansiosamente de algo para mastigar, busque por opções saudáveis
como frutas e vegetais frescos (como cenoura, por exemplo), gelatina dietética ou uma
barra de proteína. Assuma a responsabilidade por sua nutrição diária. Inclua suplementos
nutricionais para assegurar que os nutrientes essenciais estejam em abundância em sua
dieta.

Dê a seu corpo o que ele realmente necessita

A forma com que o corpo normalmente comunica que já se esgotou os nutrientes


ingeridos numa das refeições, é através da fome. Infelizmente, o corpo não desenvolveu
uma linguagem para dizer :”preciso de cálcio” ou “ reponha a vitamina C”, etc...Assim
seria muito mais fácil.
Podemos desenvolver problemas de saúde quando respondemos aos nossos impulsos de
fome com escolhas alimentares pobres. Precisamos controlar a quantidade de açúcar,
gordura e sal que ingerimos. Se possível, evita-los. Substituir as refeições rápidas e os
petiscos por alimentos balanceados e ricos em nutrientes pode ajudar a reduzir
problemas de saúde.

Coma pequenas quantidades regularmente

Tente aproveitar ao máximo cada minuto do dia ou da noite, durma tarde a


acorde cedo e você vai estar a um passo do estresse. Ao contrário, deixar um
pouco mais de tempo para organizar nossas refeições diárias, comer em
pequenas quantidades e regularmente ao longo do dia, é um excelente método,
tanto para controlar peso quanto para combater a fome.

Este material foi originalmente publicado na revista Herbalife Business Today, mídia oficial da
Herbalife Internacional. é de autoria do dr. Nathaniel Viusnisky, membro do Conselho Médico da
empresa , pediatra e Coordenador do Departamento de Obesidade Infantil da Associação Brasileira
para Estudo da Obesidade – ABESO.