UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PSICOLOGIA COMUNITÁRIA Profª Márcia Regina da Silva Aluna: Juliana Pereira dos

Santos – 5538-7 Resumo do livro: “Manicômios, Prisões e Conventos” Introdução: Em 1961, Erving Goffman em seu livro faz uma análise crítica das instituições totais de caráter clínico, prisional e conventual. Uma instituição total é definida como um local de residência e trabalho onde um grande número de pessoas separados da sociedade mais ampla leva uma vida fechada e “regralizada”, realizando todos os aspectos da vida num mesmo local e sob uma única autoridade. Essas pessoas estão divididas em: internos, (grande grupo), considerados fracos censuráveis e culpados; e dirigentes, (pequeno grupo) que se sentem superiores e corretos; a comunicação entre esses grupos é controlada. A questão do trabalho ou está ligada ligado a um sistema de pagamentos secundários ou por ameaça e castigo físico. O sentido de eu e de posso do internado, torna-se alienado em sua capacidade de trabalho. A família muitas vezes é contrastada com a vida solitária ou em grupo, sendo difícil a permanência de uma existência doméstica significativa. O mundo do Internado: Os internados chegam à instituição com uma cultura aparente, encaixado em seu ambiente civil. Se o interno após muito tempo voltar para o mundo externo, pode ocorrer o “desenculturamento”, tornando-o incapaz de enfrentar alguns aspectos de sua vida diária. Dentro da instituição o seu eu é mortificado, padronizado pela barreira entro mundo externo e interno, colocada pela instituição. Há a perda de “papel”: morte civil”. Nas instituições totais as justificativas para tal modelo são racionalizações para o controle do grande número de pessoas. Em troca do bom comportamento e obediência, pode-se ganhar prêmios da equipe dirigente: sistema de privilégios: consegue-se a cooperação de pessoas que muitas vezes têm razão para não cooperar. O interno pode assumir a conversão: representa o papel de internado perfeito. As atividades de distração dentro da instituição (jogos, bailes, coral...) são valorizadas por fazerem com que o interno esqueça sua situação real. A angústia do internado quanto à sua liberação apresenta-se com a pergunta: “Será que posso me sair bem lá fora?”. Sua posição social no mundo externo nunca mais será igual à que era. A dificuldade é resultado da desenculturação; incapacidade de adquirir hábitos exigidos na sociedade mais ampla. O mundo da equipe dirigente: O que a instituição faz e aquilo e aquilo que oficialmente deve dizer que faz: contexto básico da atividade diária da equipe dirigente. O trabalho e o mundo da equipe se referem a pessoas que precisam ser respeitadas em seus direitos: obrigação de manutenção de padrões humanitários. Um conflito: padrões humanitários versus eficiência da instituição: tarefa contraditória.

Três fases principais carreira do doente mental:  Fase de Pré Paciente: anterior à admissão no hospital.Cerimônias Institucionais: Dentro das Instituições Totais. As pessoas encaminhadas aos hospitais psiquiátricos apesar das individualidades de cada um enfrentam circunstâncias bastante semelhantes e a elas respondem também de maneira semelhantes: status uniforme. Manicômios. Ajustamentos Secundários: O indivíduo se isola do papel e do eu que a instituição admite para ele. Podem participar por meio de incentivos. E. 2005 . Passagem do status civil para o de internado. Ajustamentos Primário: Quando há participação do indivíduo nas atividades. podemos encontrar várias formas de cerimônia institucional:  órgão de divulgação: jornal. saúde e segurança.Introdução: Nas instituições “muradas” o individuo deve participar visivelmente nos momentos adequados das atividades da organização: símbolo do compromisso e da adesão. (quando ocorre): período posterior à alta no hospital. destino e caráter comuns. A loucura atribuída a eles é resultado da distância social entre quem lhes atribuiu e a situação em que está colocado. A carreira moral do doente Carreira: qualquer trajetória percorrida por uma pessoa durante sua vida. como também de castigos e punições. Papéis de agentes facilitadores:  Fase de internamento: período no hospital  Fase de ex doente. Prisões e Conventos. A vida íntima de uma instituição pública: I. Nas atividades deve haver os “padrões de bem estar”: nível de conforto. revista interna  festa anual (geralmente de natal)  teatro institucional  visitas individuais  esportes internos Uma sociedade dividida entre internados e equipe dirigente pode por meio das cerimonias ser reunida. 7ed. Referência Bibliográfica GOFFMAN. São Paulo: Perspectiva.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful