UEPR – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ – CAMPUS DE CAMPO MOURÃO/FECILCAM

ADRIANI DE OLIVEIRA BOLATO ANA PAULA PEIXOTO CLEIDE BOIKO EDSON AIRTON DA SILVA ESTER ALMEIDA DE SENA FRANCIELI MARIA DOS REIS NAYARA DE OLIVEIRA ROSIMAR DOS SANTOS THAYSE LUIZA CHUMOSKI DE OLIVEIRA VALÉRIA DIANDRA COSTIN

PLANO DE AULA: A CONSTRUÇÃO DE BRINQUEDOS E O BRINCAR COMO FATORES INTRÍNSECOS AO PROCESSO DE APRENDIZAGEM E SOCIALIZAÇÃO

CAMPO MOURÃO 2011

CAMPO MOURÃO 2011 . como parte dos requisitos para o desenvolvimento de uma oficina de construção de brinquedos. Professora: Claudet de Assis Scherer.ADRIANI DE OLIVEIRA BOLATO ANA PAULA PEIXOTO CLEIDE BOIKO EDSON AIRTON DA SILVA ESTER ALMEIDA DE SENA FRANCIELI MARIA DOS REIS NAYARA DE OLIVEIRA ROSIMAR DOS SANTOS THAYSE LUIZA CHUMOSKI DE OLIVEIRA VALÉRIA DIANDRA COSTIN PLANO DE AULA: A CONSTRUÇÃO DE BRINQUEDOS E O BRINCAR COMO FATORES INTRÍNSECOS AO PROCESSO DE APRENDIZAGEM E SOCIALIZAÇÃO O presente trabalho se encontra no formato de um plano de aula apresentado à disciplina de Fundamentos Teórico-Metodológicos da Educação Infantil do 3º ano do curso de Pedagogia Noturno da Universidade Estadual do Paraná – UEPR – Campus de Campo Mourão.

no que diz respeito à construção de brinquedos pela própria criança. Envolvente porque coloca a criança em um contexto de interação em que suas atividades físicas e fantasiosas. pretendemos. 47). possibilitando a própria construção do pensamento e a aquisição do conhecimento. dando-lhes forma de atividade ou ocupação. visto que “[. interessante e informativo. levar a criança a aprender de forma prazerosa. Deste modo.Tornar os acadêmicos do 3º ano de Pedagogia noturno conhecedores das teorias que envolvem a construção de brinquedo e o manuseio do mesmo. organiza as energias da criança. p. as brincadeiras e jogos oferecem a mediação entre a realidade e o pensamento. pois é através do mesmo que ela se apropria do conhecimento. ou seja. ela pode aprender sobre as características dos objetos. Interessante porque canaliza. nesse contexto. . p. quando a construção se dá de uma forma coletiva. amplia-se a capacidade de socialização e cooperação. (KISHIMOTO. 2005. e a manipulação dos mesmos num segundo momento. orienta. por meio da construção do próprio brinquedo possibilita-se o desenvolvimento de habilidades como a coordenação motora fina. (MACEDO et AL. bem como os objetos que servem de projeção ou suporte delas. Informativo porque. 1998.Compreender a relação entre ensino-aprendizagem na construção de brinquedos.Tema: A construção de brinquedos e o brincar como fatores intrínsecos ao processo de aprendizagem e socialização Objetivo Geral: Proporcionar aos acadêmicos do 3º ano de Pedagogia noturno a apropriação de conhecimentos referentes à criança e ao seu desenvolvimento especificamente. os acadêmicos serão capazes de vincular o brincar à imaginação. em relação à criança. através da construção do brinquedo e das brincadeiras com o mesmo.. .13-14) Assim. fazem parte de um mesmo contínuo topológico. os conteúdos pensados ou imaginados. a criatividade e. É sabido que o brincar proporciona à criança uma aprendizagem de maneira lúdica e divertida. assim. porquanto temos o conhecimento de que o Brincar é envolvente. ao pensamento e ao símbolo..] o jogo simbólico constitui a gênese da metáfora. Objetivos Específicos: .

deve-se ressaltar um novo jeito de olhar o “lixo” como um meio de transformação e conservação do ambiente que vive. é importantíssimo que nós futuros educadores tenhamos conhecimentos necessários para que quando formados saibamos como desenvolver essa pratica de ensino. . precisa ser educativo.. Assim. Nesse sentido. mas acima de tudo. pois as mesmas podem ser utilizadas como um meio para o aprendizado. ou seja. aprendem regras. segundo Oliveira (1993) através da imaginação e a criação de regras especificas que o brinquedo proporciona. estabeleça relações e condições para executar certas atividades. Neste contexto. Justificativa: No processo de ensino e aprendizagem é importante que o lúdico tenha um lugar privilegiado no desenvolvimento da criança. entre outros comportamentos significativos. nesse sentido devem ser pensadas não só para preencher horas vagas. que nos auxilie em nosso processo de formação como uma forma de apropriação de conhecimento. pode-se mostrar que há muitas possibilidades de criação de brinquedos legais.Analisar como a apropriação do conhecimento se consolida por meio dos elementos de mediação simbólica. mas devem apresentar objetivos claros. . bem como os jogos e brinquedos. a criança compreenda que o brinquedo não precisa ser necessariamente comprado para ser bom. como também como um meio de aplicação fundamentada da importância que o . é que um trabalho de conscientização através da reciclagem do lixo.Entender o vínculo de formação e socialização no que diz respeito ao pensamento simbólico da criança e suas ações diante do contexto escolar. ao trabalhar com a construção de brinquedos espera-se. além de demonstrar a importância de preservação do ambiente. Em suma. Transformação e conservação significam entender que no ensino. Pode-se dessa maneira destacar a confecção de brinquedos a partir da sucata. Nesse sentido. ele atua como uma zona de desenvolvimento proximal na criança. simples e pedagógicos. como uma forma de desenvolvimento da criatividade e também da socialização. Vale ressaltar que as brincadeiras. pode ser aplicado.Apresentar o desenvolvimento das habilidades principais por meio da construção de brinquedos e utilização de brincadeiras e jogos na aprendizagem. um mediador para que a criança crie. pois é através das brincadeiras que as crianças se socializam.

para que serve o que significa o brincar. bem como se sabem confeccionar algum brinquedo e se têm conhecimento da importância da criança construir seu próprio brinquedo e manipulá-lo. com a abertura de grandes indústrias e a extensa divulgação em comerciais de televisão. Diante desta realidade. Segundo Kishimoto (2002). mas. objeto que serve para as crianças brincarem. domina conhecimentos. Posteriormente. 3. apenas proprietária do brinquedo. Fundamentos Teóricos: O termo brinquedo apresenta controvérsias quanto ao seu significado. . é um meio de imaginação e que vai propiciar a criança a possibilidade de experimentar e se relacionar com os outros e com o mundo. 4. o brinquedo tem intrínseca relação com o desenvolvimento infantil. não é criadora. a brincadeira é uma atividade que a criança começa desde seu nascimento no âmbito familiar. Para o Dicionário Aurélio (2007). especialmente na idade pré-escolar. brincadeira. Metodologia: Os procedimentos metodológicos utilizados para a aula de construção de brinquedos ocorrerão por meio de aula expositiva dialógica e prática. brincadeira. e ainda que é por meio do brinquedo que a criança se apropria do mundo real. originada de brincar. folguedo e brincadeira”. trabalhar na confecção dos brinquedos salientando a importância destes no desenvolvimento das crianças. questionar os alunos acerca do que entendem por brinquedos. apresenta quatro significados: “1. divertimento. 2. Num primeiro momento com a sala organizada em semi-circulo. a criança não cria. Por isso. passatempo. e que há meios significativos (como é o caso da construção de brinquedos a partir da sucata) para efetivação desses ideais.lúdico representa na formação da criança. Para Vygotsky (1998). a palavra brinquedo. folia. se relaciona e se integra culturalmente. A produção de brinquedos industrializados ganha força na sociedade capitalista. Um dos grandes desafios da educação é encontrar meios eficazes para desenvolver a criatividade das crianças nas séries iniciais. Neste contexto o brinquedo é um dos meios que a criança têm de explorar o mundo que a rodeia. jogo de crianças. a mais de um século que estudiosos se voltam para a necessidade de explicar o uso do brinquedo nas atividades escolares e o porquê das crianças terem a necessidade de brincar. festa. de uma forma muito ampla.

oferecendo assim uma maior oportunidade de aquisição de conhecimento. que eles possibilitem a manipulação e a adaptação do mesmo a outras formas de brincar. alcançando um nível mais elevado de conhecimento e para que isso aconteça é preciso pensar que além de dar um estímulo a determinadas brincadeiras. que é o estágio pré-operacional e vai aproximadamente de dois a seis anos. Enquanto Vygostky enfatizava que o conhecimento é adquirido por meio das relações existentes entre as crianças e os profissionais que a lecionam. mental e social. ou seja. além do convívio com outras crianças de mesma idade. O segundo estágio de Piaget. Nesse tipo de educação. porém. vai apresentando mudanças em sua atividade lúdica. o que torna esse fenômeno base para a criatividade humana. englobando a . consequentemente em seu desenvolvimento motor. Piaget preocupava-se em saber como esse conhecimento é adquirido. Piaget acreditava no desenvolvimento e na aprendizagem. é preciso entender que o aluno precisa ter ao seu lado o mediador (professor) e que o perceba nos diferentes momentos da situação de aprendizagem e que lhe responda de forma a ajudá-lo a evoluir no processo. As teorias de vários estudiosos do assunto verificaram que à medida que a criança avança em idade. eles divergiam quanto ao ponto de vista que tinham acerca dos relacionamentos entre as pessoas. que tem função autônoma. Segundo Piaget (1998) o desenvolvimento da criança ocorre por estágios. os brinquedos construídos possibilitam a criação da brincadeira porque ela é uma forma de atividade espontânea. Segundo Corrêa (2006). ao pensarmos em construir brinquedos. não depende propriamente de um brinquedo em específico.A educação infantil é o ponto de partida da boa aprendizagem. Sendo a escola o ambiente que proporciona as crianças uma maior interação. quanto com pessoas mais instruídas. de organizar seus conhecimentos visando sua adaptação. tanto com crianças de mesma idade. propiciando diferentes maneiras de o indivíduo interagir com o meio. no tipo de brinquedo e nos objetos com que brinca. que pelas atividades lúdicas e pelos jogos fazem novas descobertas e iniciam um processo de alfabetização. Portanto. Assim como Vygostky. ocorrendo uma modificação progressiva dos esquemas de assimilação. há um estímulo as capacidades motoras e cognitivas da criança.

que é cansativa. oferece ampla estrutura básica para modificações da necessidade e consciência. permite ao professor criar situações de aprendizagem e novas práticas pedagógicas capazes de formar sujeitos capazes de interagir com seu convívio social. para isso é importante a observação do mediador. que são mediadas por ferramentas técnicas e semióticas. No brinquedo ocorre a inversão da relação da criança com a situação concreta. Vygotsky (2007). ou seja. sua forma de pensar. O brinquedo. parte do princípio que o sujeito se constitui nas relações com os outros. Para ele o brinquedo é extremamente importante para o desenvolvimento infantil. O autor apresenta o brincar como uma atividade em que. por meio de atividades caracteristicamente humanas. sendo aqui fundamental e necessário valorizar as características gerais do desenvolvimento infantil e as particularidades da ação da criança na construção dos brinquedos e da sua participação no cuidado e preservação do meio ambiente. ao manipular brinquedos a criança aprende a agir na esfera cognitiva. considerando que é fundamental aprender em diferentes situações de aprendizagem. transformar essas informações que chegam em dados significativos de aprendizagem. esta baseada na memorização e o desvinculada muitas vezes da realidade. Nesse sentido. . tanto os significados social e historicamente produzidos são construídos. quanto novos podem ali emergir. considerado pronto e acabado. a criança torna-se apta a separar significado do objeto. A criança ao construir um brinquedo fornece muitas informações e comunica através do fazer. cria uma zona de desenvolvimento proximal na criança. estabelecemos um contexto com o material reciclável. bem como se caracteriza como condutor determinante do desenvolvimento infantil.maioria do tempo destinado à educação infantil. configurando que o pensamento vai além do objeto em si. o que é apenas um cabo de vassoura torna-se um cavalo. de acordo com Vygotsky (2007). Segundo Freire (2003) em um passado não muito distante era esse ensino o único meio para se alfabetizar. Essa pedagogia diferenciada da aula tradicional. mecânica e muitas vezes distante da realidade. Esse tipo de construção de conhecimento a ser ensinado aos alunos foge do modo tradicional de alfabetização que limita o aprendizado. desenvolve na criança a capacidade simbólica e que para a educação ressalta o caráter lúdico do pensamento simbólico. pois esta se comporta de forma mais elaborada para a sua idade. portanto.

deverá durante a aplicação das atividades provocar no aluno interesse no aprendizado e despertar a vontade de criação. H. T. VIGOTSKI. Tradução Maria Alice Magalhães D’Amorim e Paulo Sérgio Lima Silva. T. B. São Paulo: Cortez. A. Seis Estudos de Psicologia. há uma infinidade de métodos para que o professor trabalhe com meios mais sistematizados e significativos em função da formação de alunos reflexivos e críticos. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. brincadeira e educação. 7 ed. a escolha que aqui. O brincar e suas teorias. daquele modo mecânico que muito limita o aprendizado do aluno. 2006. pois. 2007. M. L. Hoje o professor possui autonomia para desenvolver muitas capacidades e habilidades em seus alunos e um dos métodos que podemos utilizar para facilitar o processo da alfabetização é a construção de brinquedos. M. Ivan Livindo de Senna. S.. N. permite ao aluno entrar em contato com outro mundo. Rio de Janeiro: Forence Universitária. KISHIMOTO. é um método pedagógico que possibilitará que o aprendizado seja significativo e que permitirá ao aluno conteúdo para explorá-lo. Referências: AURÉLIO. 1998. F. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento no processo sócio histórico. OLIVEIRA. São Paulo: Martins Fontes. São Paulo: Pioneira-Thomson Learning. 23 edição. 1993. Dicionário Aurélio. Jogo. Portanto. A formação social da mente. . CORRÊA. 2005. Porto Alegre: Artmed. MACEDO. Jean. <disponível on-line>. PASSOS. L. a construção de brinquedos apontada como método de ensino. Videira: Editora Unoesc. L. PETTY. 2007. desde que escolhida de forma criteriosa. 1999. PIAGET. São Paulo: Scipione. 2007.Paulo Freire lembra que com a evolução no pensamento pedagógico. brinquedo. Marta Koll.. ou seja. KISHIMOTO. Brinquedo e cultura corporal: reflexão de passos para construção de brinquedos. deparamos com novos sentidos no processo de ensino e aprendizagem. diferente do modo tradicional de ensinar.