Você está na página 1de 44

MERCADOS

MERCADOS FUTUROS (DERIVATIVOS) ESTRUTURA E E OPERACIONALIZAÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO
MERCADOS FUTUROS (DERIVATIVOS) ESTRUTURA E E OPERACIONALIZAÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO

FUTUROS

MERCADOS FUTUROS (DERIVATIVOS) ESTRUTURA E E OPERACIONALIZAÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO

(DERIVATIVOS)

ESTRUTURA ESTRUTURA EE

OPERACIONALIZAÇÃO OPERACIONALIZAÇÃO

QUE SÃO

SÃO DERIVATIVOS?

DERIVATIVOS?

OO QUE

  • Ativos

financeiros

(ações,

comodities,

mercadorias)

que

derivam, integral ou parcialmente, do valor de outro ativo;

  • Não

oferecem

ao

investidor

rentabilidade

garantida

previamente conhecida, por isso devem ser considerados

investimentos de risco.

Base -> preço ou cotação de um ativo negociado nos mercados

futuros.

SÃO DERIVATIVOS? O O QUE  Ativos financeiros (ações, comodities, mercadorias) que derivam, integral ou

PARA QUE

PARA

QUE SERVEM

SERVEM OS

OS

DERIVATIVOS?

DERIVATIVOS?

Os derivativos surgiram da necessidade de gerenciar o risco de

oscilação de preço inerente ao ativo referenciado nos

contratos.

  • EXEMPLO 1

PARA QUE PARA QUE SERVEM SERVEM OS OS DERIVATIVOS? DERIVATIVOS? Os derivativos surgiram da necessidade de

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

INSTRUMENTOS DE NEGOCIAÇÃO

  • Contratos a termo;

  • Swaps;

  • Contratos futuros;

  • Contratos de opções;

  • Contratos flexíveis.

DE DE DERIVATIVOS MERCADO INSTRUMENTOS DE NEGOCIAÇÃO  Contratos a termo;  Swaps;  Contratos

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

  • Contratos a termo:

    • - Acordos de compra e venda de um ativo para liquidação em uma data futuro (preço estabelecido entre as partes – são intransferíveis);

DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos a termo: - Acordos de compra e venda de

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

  • Swaps:

    • - É um tipo de contrato a termo;

    • - Acordo privado entre duas instituições para a troca futura de fluxo de caixa.

DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Swaps: - É um tipo de contrato a termo; -

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

  • Contratos futuros:

    • - Acordo de compra/venda de um ativo para uma data futura (preço estabelecido entre as partes – negociação apenas em bolsa);

DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos futuros: - Acordo de compra/venda de um ativo para
DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos futuros: - Acordo de compra/venda de um ativo para

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

  • Contratos de opções:

    • - Acordos uma parte adquire o direito de comprar um ativo a preço estabelecido até certa data (a contraparte se obriga a vender em troca de pagamento único - prêmio);

DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos de opções: - Acordos uma parte adquire o direito
DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos de opções: - Acordos uma parte adquire o direito

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

  • Contratos flexíveis:

    • - Acordos privados nos quais os termos do contrato são negociados;

DE DE DERIVATIVOS MERCADO  Contratos flexíveis: - Acordos privados nos quais os termos do

MERCADO DEDE DERIVATIVOS

MERCADO

DERIVATIVOS

DE DE DERIVATIVOS MERCADO

QUE ÉÉ MERCADO

OO QUE

MERCADO FUTURO?

FUTURO?

Segmento dos mercados de derivativos baseado em operações

realizadas em pregão de bolsa, com contratos padronizados

(futuros) por ela autorizados.

  • EXEMPLO 2

É É MERCADO O O QUE FUTURO? Segmento dos mercados de derivativos baseado em operações

MERCADO FUTURO

MERCADO

FUTURO

  • Intercambialidade;

  • Câmara de compensação;

  • Corretoras de mercadorias.

MERCADO FUTURO MERCADO FUTURO  Intercambialidade;  Câmara de compensação;  Corretoras de mercadorias.

MERCADO FUTURO

MERCADO

FUTURO

o Intercambialidade:

o Uma operação iniciada entre "A" e "B" pode transformar-se

facilmente em uma operação entre "B" e "C", caso "A" queira

ou precise desfazer sua obrigação antes de seu vencimento.

Como o contrato é padronizado, o que foi negociado entre "A"

e "B" é o mesmo entre "B" e "C".

MERCADO FUTURO MERCADO FUTURO Intercambialidade: Uma operação iniciada entre "A" e "B" pode transformar-se facilmente em

MERCADO FUTURO

MERCADO

FUTURO

o Câmara de compensação:

o

É

a

instituição

responsável

pelos serviços de registro,

compensação e liquidação de operações realizadas em bolsa.

Em outras palavras, sua função é reduzir ao máximo o risco de

crédito entre os agentes.

MERCADO FUTURO MERCADO FUTURO Câmara de compensação: É a instituição responsável pelos serviços de registro, compensação

MERCADO FUTURO

MERCADO

FUTURO

o

Esquema

básico

com

a

visão

geral

da

estrutura

funcionamento do mercado futuro:

de

MERCADO FUTURO MERCADO FUTURO Esquema básico com a visão geral da estrutura funcionamento do mercado futuro:

MERCADO FUTURO

MERCADO

FUTURO

o Corretoras de mercadorias:

o

Sociedade comercial membro da bolsa que, por meio de seus

representantes, executa operações nos pregões, por ordem de

seus clientes ou por conta própria.

MERCADO FUTURO MERCADO FUTURO Corretoras de mercadorias: Sociedade comercial membro da bolsa que, por meio de

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

  • HEDGER

  • ESPECULADOR

  • ARBITRADOR

  • MARKET MAKER

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS  HEDGER  ESPECULADOR  ARBITRADOR  MARKET

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

HEDGER

Os

hedgers

são

os

econômicos que

agentes

desejam

proteger-se dos riscos derivados

das flutuações

adversas

nos

preços de commodities, taxas de

juros, moedas estrangeiras, etc.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS HEDGER  Os hedgers são os econômicos que

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

HEDGER

A

função do

hedger é a de administração do risco. Dessa

forma, o hedger, normalmente, assume uma posição no

mercado de derivativos contrária àquela assumida no

mercado à vista.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS HEDGER  A função do hedger é a

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

HEDGE CAMBIAL

o Um investidor está aplicado em um título do governo

indexado ao câmbio. Para ele se proteger contra uma

possível queda futura do dólar, ele fica VENDIDO em dólar

futuro, se apropriando de renda no caso de queda do valor

do mesmo, compensando a perda no carregamento do título

à vista.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS HEDGE CAMBIAL o Um investidor está aplicado em

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

HEDGE CAMBIAL

  • Esta operação de VENDA futura de câmbio serve também para os exportadores fazerem seu hedge, pois, assim como os detentores de títulos cambiais, eles também perdem com a queda do dólar.

  • Para um investidor ou empresa com dívidas em dólar, ou um importador, o hedge tem de ser feito no outro sentido, qual seja, o da COMPRA de contratos futuros de câmbio, pois a alta da moeda americana iria impactar, negativamente, o seu balanço.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS HEDGE CAMBIAL  Esta operação de VENDA futura

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

HEDGE DE TAXA DE JUROS

o

Para

um

investidor

se proteger contra

uma possível alta dos juros, ele tem de

ficar

COMPRADO em juros futuro, se

apropriando de renda no caso de uma alta

no valor do mesmo, compensando a

perda de rentabilidade no título físico.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS HEDGE DE TAXA DE JUROS o Para um

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ESPECULADORES

  • Agentes econômicos (pessoas físicas ou jurídicas) que estão dispostos a assumir riscos das variações de preços

motivados pela possibilidade de ganhos financeiros.

  • A sua motivação básica é a oportunidade de realização de lucros aproveitando as flutuações de preços no

mercado.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES  Agentes econômicos (pessoas físicas ou jurídicas)

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ESPECULADORES

  • Contemplam posição contrária à dos hedgers e de outros especuladores, assumindo o risco de variação nos preços dos produtos negociados.

  • Presença indispensável, pois se dispõe a assumir o risco dos hedgers.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES  Contemplam posição contrária à dos hedgers

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ESPECULADORES

o Devem prever, com a maior precisão possível, as oscilações futuras dos preços e das taxas de juros e de câmbio.

o Muitos especuladores empregam tempo e recursos consideráveis para analisar as informações sobre a situação e perspectivas das condições de oferta e procura.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES o Devem prever, com a maior precisão
PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES o Devem prever, com a maior precisão

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ESPECULADORES

o Função:

projetar

os

preços,

ou

seja,

ele

forma

expectativa dos preços dos bens.

a

o Os mercados futuros estimulam a participação destes

agentes, pois sem eles as duas funções econômicas básicas

dos mercados futuros - transferência de riscos e

visibilidade de preços, na prática, ficariam inviabilizadas.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES o Função: projetar os preços, ou seja,

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ESPECULADORES VERSUS MANIPULADORES

o Enquanto

o

primeiro é

imprescindível ao

funcionamento do mercado, o segundo é

predador e deve ser eliminado.

o

O

manipulador

quer

apenas

provocar

distorções artificiais nos preços dos

contratos para auferir ganhos fáceis,

geralmente assumindo posição simultânea

no derivativo e no ativo-subjacente.

o Normalmente,

as

bolsas

e autoridades

possuem regras severas quanto a esse tipo

de prática.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ESPECULADORES VERSUS MANIPULADORES o Enquanto o primeiro é

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ARBITRADOR

  • Procuram auferir ganhos quando os preços de um bem,

transacionado em dois mercados diferentes,

temporariamente, apresentam discrepâncias entre si,

provocadas por desequilíbrios entre a oferta e a

demanda do bem, em um ou outro mercado, através da

compra do bem, no mercado onde ele está mais barato, e

a sua venda, naquele onde ele está mais caro.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ARBITRADOR  Procuram auferir ganhos quando os preços

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

ARBITRADOR

É

o

participante

que,

correndo

um

risco

bastante

pequeno, opera simultaneamente em mais de um

mercado para se valer de distorções de preços relativos.

São responsáveis, portanto, pela manutenção de uma

relação entre preços futuros e à vista.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS ARBITRADOR  É o participante que, correndo um

PARTICIPANTES DOS

PARTICIPANTES

DOS

MERCADOS DERIVATIVOS

MERCADOS

DERIVATIVOS

MARKET MAKER

São especialistas em determinado produto e devem

carregar posição própria para, sempre que convocados

pelas bolsas, oferecerem preços de compra e de venda

para os produtos em que são especialistas.

Ajuda na liquidez e na formação de preço.

PARTICIPANTES DOS PARTICIPANTES DOS MERCADOS DERIVATIVOS MERCADOS DERIVATIVOS MARKET MAKER  São especialistas em determinado produto

COMO ESTE

COMO

ESTE MECANISMO

MECANISMO

FUNCIONA?

FUNCIONA?

  • Padronização;

  • Margem de garantia;

  • Ajuste diário;

  • Convergência de preços.

COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA?  Padronização;  Margem de garantia;  Ajuste

COMO ESTE

COMO

ESTE MECANISMO

MECANISMO

FUNCIONA?

FUNCIONA?

o Padronização:

o

Possibilita a intercambialidade de posições, característica de

suma importância, pois garante a liquidação antecipada do

contrato dando liberdade de ação necessária a

redirecionamentos quando ocorrem mudanças de conjuntura.

COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA? Padronização: Possibilita a intercambialidade de posições, característica de

COMO ESTE

COMO

ESTE MECANISMO

MECANISMO

FUNCIONA?

FUNCIONA?

o Margem de garantia:

o

Valor

estipulado

pela

bolsa e depositado

pelo participante proporcionalmente ao

número de contratos nos quais este se

encontra posicionado.

o

Minimiza o risco de crédito (inadimplência)

nos negócios realizados em bolsa,

permitindo que a Câmara de Compensação

seja contraparte central dos negócios.

COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA? Margem de garantia: Valor estipulado pela bolsa e

COMO ESTE

COMO

ESTE MECANISMO

MECANISMO

FUNCIONA?

FUNCIONA?

o Ajuste diário:

o

Mecanismo por meio do qual as posições mantidas em

aberto pelos clientes são acertadas financeiramente todos

os dias, segundo preço de ajuste do dia.

o

Trata-se da diferença diária que a parte vendedora recebe

da parte compradora quando o preço no mercado futuro

o

cai, e paga quando o preço sobe.

Contribui, assim, para a segurança das negociações, já que

as posições dos agentes são niveladas diariamente.

COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA? Ajuste diário: Mecanismo por meio do qual as

COMO ESTE

COMO

ESTE MECANISMO

MECANISMO

FUNCIONA?

FUNCIONA?

o Convergência de preços:

o

Característica que mantém, no vencimento do contrato, os

preços futuros e a vista convergindo para um mesmo valor.

o

Ocorre

porque

no

vencimento

o

preço

futuro

é

o

preço

presente (a vista), garantindo a eficácia das operações de

hedge.

o Preço de ajuste – Cotação apurada diariamente pela bolsa,

segundo critérios preestabelecidos, utilizado para o ajuste

diário das posições no mercado futuro.

COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA? Convergência de preços: Característica que mantém, no vencimento
COMO ESTE COMO ESTE MECANISMO MECANISMO FUNCIONA? FUNCIONA? Convergência de preços: Característica que mantém, no vencimento

SISTEMAS DEDE GARANTIA

SISTEMAS

GARANTIA EE AA

CLEARING

CLEARING HOUSE

HOUSE

Para que as bolsas possam assegurar a boa liquidação

dos negócios nelas realizados, um sistema de garantias é

administrado pela Clearing House ou Câmara de

Compensação.

DE DE GARANTIA SISTEMAS E E A A CLEARING CLEARING HOUSE HOUSE  Para que

SISTEMAS DEDE GARANTIA

SISTEMAS

GARANTIA EE AA

CLEARING

CLEARING HOUSE

HOUSE

CLEARING

As

compensações das bolsas são realizadas por esta

clearing house, que assume para si todos os compromissos

financeiros e vai liquidando as partes. Ou seja, é a primeira

garantidora de todas as operações.

DE DE GARANTIA SISTEMAS E E A A CLEARING CLEARING HOUSE HOUSE CLEARING  As

SISTEMAS DEDE GARANTIA

SISTEMAS

GARANTIA EE AA

CLEARING

CLEARING HOUSE

HOUSE

CLEARING

Entretanto, é bom frisar que, apesar da câmara garantir a

operação perante outros membros, a corretora é a

garantidora final das posições de seus clientes.

DE DE GARANTIA SISTEMAS E E A A CLEARING CLEARING HOUSE HOUSE CLEARING  Entretanto,
DE DE GARANTIA SISTEMAS E E A A CLEARING CLEARING HOUSE HOUSE CLEARING  Entretanto,

RISCOS

RISCOS

  • O mercado futuro elimina os riscos de preço, entretanto outros fatores de risco devem ser observados para que sua administração seja eficaz. Segue algumas considerações sobre outros riscos a serem considerados:

    • Risco de base;

    • Risco de mercado;

    • Risco de liquidez.

RISCOS RISCOS  O mercado futuro elimina os riscos de preço, entretanto outros fatores de risco

RISCOS

RISCOS

  • Risco de base:

  • Movimentos imprevisíveis relativos á base.

  • Preços futuros e a vista se movem na mesma direção, mas

em movimento não simultâneo e

de mesma intensidade.

  • Base - Diferença entre o preço de uma commodity no mercado

físico e a cotação para a mesma

commodity no mercado futuro.

RISCOS RISCOS  Risco de base: Movimentos imprevisíveis relativos á base.  Preços futuros e a

RISCOS

RISCOS

  • Risco de mercado:

  • Decorrente de movimentos adversos nos preços / valores das variáveis que compõem o valor de uma posição.

RISCOS RISCOS  Risco de mercado:  Decorrente de movimentos adversos nos preços / valores das

RISCOS

RISCOS

  • Risco de liquidez:

Decorre de duas maneiras:

  • a) da falta de numerário / Caixa necessário para o cumprimento de uma ou mais obrigações;

  • b) b) da falta de contrapartes em número suficiente ou do interesse do mercado em negociar a quantidade desejada de uma posição, afetando de forma anormal o seu preço.

RISCOS RISCOS  Risco de liquidez: Decorre de duas maneiras: a) da falta de numerário /

REFERÊNCIAS

REFERÊNCIAS

  • BOVESPA, Bm&f. Mercados derivativos. Disponível em: <http:// www.portaldoinvestidor.gov.br/ Investidor/ Ondeinvestir/Mercados FuturoseDerivativos/tabid/173/Default.aspx>. Acesso em: 03 nov. 2011.

  • DERIVATIVOS: definiçoes, empregos e riscos. 4.ed. São Paulo, SP: Atlas, 2002. 298 p

  • LIMA, Adilson Celestino de. Finanças corporativas e mercados. São Paulo: Atlas, 2009. xviii, 238 p.

  • SANVICENTE, Antonio

Zoratto. .

Derivativos. São Paulo: PubliFolha, 2003. 119 p

  • SCHOUCHANA, Felix. Mercados futuros e de opções agropecuá rios: teoria e prática . São Paulo, SP: Bolsa de Mercadorias & Futuros, 1995. 54 p.

REFERÊNCIAS REFERÊNCIAS  BOVESPA, Bm&f. Mercados derivativos . Disponível em: <http:// <a href=www.portaldoinvestidor.gov.br/ Investidor/ Ondeinvestir/Mercados FuturoseDerivativos/tabid/173/Default.aspx>. Acesso em: 03 nov. 2011.  DERIVATIVOS: definiçoes, empregos e riscos. 4.ed. São Paulo, SP: Atlas, 2002. 298 p  LIMA, Adilson Celestino de. Finanças corporativas e mercados. São Paulo: Atlas, 2009. xviii, 238 p.  SANVICENTE, Antonio Zoratto. . Derivativos. São Paulo: PubliFolha, 2003. 119 p  SCHOUCHANA, Felix. Mercados futuros e de opções agropecuá rios: teoria e prática . São Paulo, SP: Bolsa de Mercadorias & Futuros, 1995. 54 p. " id="pdf-obj-43-34" src="pdf-obj-43-34.jpg">