Você está na página 1de 71

Bruno Guedes.

POR QUE ESTUDAR DIAGRAMAS


DE FASES?
1. Os diagramas de fases (também chamados de diagrama de
equilíbrio) relacionam temperatura, composição química e
quantidade das fases
 em equilíbrio;
2. Diagramas de fases são mapas que permitem prever a
microestrutura de um material em função da temperatura,
composição e pressão de cada componente;
3. Os materiais (microestrutura) sofrem transformações com a
temperatura e ao entrar em contato com outros materiais;
POR QUE ESTUDAR DIAGRAMAS
DE FASES?
 IMPORTÂNCIA:
 Todo O Processo De Fabricação De Peças
Metálicas Tem Início Em Um Processo De
Solidificação;
• Permite a visualização da fusão e solidificação;
• Prediz as transformações de fases;
Conceitos Introdutórios: Fase
É uma porção homogênea do material que tem propriedades
químicas e/ou físicas uniformes:
Ex: Mistura água/gelo -duas fases
Ex: Mistura água/açúcar com açúcar precipitado –duas
Todo metal puro considerado uma fase.

1. Uma fase é identificada pela composição química e microestrutura;


2. A interação de 2 ou mais fases em um material permite a obtenção
de propriedades diferentes;
3. É possível alterar as propriedades do material alterando a forma e
distribuição das fases
Conceitos Introdutórios
• Componente – São metais puros ou compostos que compõem
uma liga.
 Ex.: latão Cu-Zn, os componentes são Cu e Zn;

• Sistema – Está relacionado à série de ligas possíveis que são


compostas pelos mesmos componentes, porém de maneira
independente à composição da liga.
 Ex.: sistema ferro-carbono;
 Bronze (cobre-estanho);

 Sistema homogêneo e sistema heterogêneo (fases)


 Fases  Microestrutura  Propriedades
Com microscopia pode-se ver claramente as fases
Conceitos Introdórios: Microestrutura
Conceitos introdutórios: Solubilidade
 Mistura de Fases – duas ou mais fases
Água/Açúcar – CaO/MgO

Compostos intermetálicos - Fases com domínio de


estabilidade estreitos ou composições fixas;

Solução Sólida: Substitucional e intersticial (faixas largas


decomposição);
Para muitos sistemas e para uma determinada temperatura, existe uma
concentração máxima de átomos de soluto que pode ser dissolvida no solvente
formando uma solução sólida. Essa concentração máxima é chamada limite de
solubilidade.
Solubilidade

Solubidade do açúcar em água


Conceitos Introdutórios
• Equilíbrio – Um sistema está em equilíbrio se a sua energia livre é
mínima para uma combinação específica de temperatura, pressão e
composição.
O equilíbrio de fases é o reflexo da
constância das características das fases
com o tempo

Fases de equilíbrio: suas propriedades ou características não mudam com o


tempo. Geralmente são representadas nos diagramas por letras gregas;
Fases metaestáveis: suas propriedades ou características mudam lentamente
com o tempo, ou seja, o estado de equilíbrio não é nunca alcançado. No entanto,
não há mudanças muito perceptíveis com o tempo na microestrutura das fases
metaestáveis.
Diagramas de fases em condições de equilíbrio - permite obtenção
de uma liga com microestrutura desejada.
Solubilidade
Exercício 1 : Qual o limite de solubilidade a 20◦C?

Solubidade do açúcar em água


Tipos de diagramas de Fases
•Os diagramas de fases distinguem-se pelo número de componentes que constituem o
sistema:
• Sistema Unário - 1 componente:
Ponto triplo três estados da
matéria (sólido, líquido e gaso
so) coexistem em equilíbrio

Água:
273,16 kelvin (0,01 °
C) e a pressão é
611,73 pascal (cerca
de 0,006 bar).

Região de fronteira (aO, bO, cO)


Tipos de diagramas de Fases
• Sistema Binário
Diagramas com 2 componentes
Diagramas Binários

Diagramas binários são mapas que representam


relações entre composição, temperatura e fases
presentes (a pressão constante)

Formação, desaparecimento e
transformação de fases
Sistema Binário Isomorfo
• Num sistema binário isomorfo, os dois componentes são completamente solúveis
um no outro – soluções sólidas;

• A leitura de diagramas isomorfos é feita


primeiramente definindo o par composição-
temperatura desejado. Esse par define um ponto no
diagrama.
• Se o ponto desejado estiver num campo onde
somente existe uma fase, a composição já está
definida, e a fase é a indicada no campo do diagrama
Sistema Binário Isomorfo
Interpretação do Sistema Binário
Fases presentes:
Para uma coordenada qualquer do diagrama, verifica-se quais fases estão
presentes
Ponto A => apenas fase alfa
Ponto B => fase alfa e fase líquida
Composição de cada fase:
Para uma coordenada qualquer do diagrama, verifica-se quantas fases
existem
Uma fase => trivial => composição lida direto do gráfico.
Duas fases => Usa-se o método da linha de ligação (tie-line)
A linha de ligação se estende de uma fronteira a outra
Marca-se as intersecções entre a linha de ligação e as fronteiras e verifica-se
as concentrações correspondentes no eixo horizontal
Interpretação do Sistema Binário
• Composição de cada fase (cont.)
Interpretação do Sistema Binário
Determinação das frações de cada fase
Uma fase => trivial => 100% da própria fase;
Duas fases => Regra da Alavanca (lever rule).
Interpretação do Sistema Binário:
Exercício
 Cite as fases presentes na seguintes ligas de cobre e
níquel com a seguinte composição:
35% de Ni e 65% de Cu a 1250 ºC

 Determine a quantidade relativa de fases na


temperatura dada.
Interpretação do Sistema Binário
Na análise do diagrama deve-se ter
em mente três pontos:

 Quais as fases presentes;


 Suas composições
 Suas quantidades
Desenvolvimento microestrutural durante o resfriamento
no sistema isomórfico

Resfriamento em
Equilíbrio

Sempre imaginado
resfriamento lento
e transformações
em condições de
equilíbrio
Desenvolvimento microestrutural durante o resfriamento
no sistema isomórfico

Variação composicional durante o resfriamento


SISTEMAS EUTÉTICOS BINÁRIOS
• Reação eutética:

Líquido +

• Neste caso a solidificação processa-se como num metal puro, no


entanto o produto é 2 fases sólidas distintas.

Microestrutura do eutético:

• LAMELAR camadas alternadas de fase  e .

• Ocorre desta forma porque é a de menor percurso para a


difusão
Sistema Binário Eutético
• Eutético : ponto onde o equilíbrio é invariante, portanto o equilíbrio entre três
fases ocorre a uma determinada temperatura e as composições das três fases são
fixas.
• Reação eutética –
T
Liquidu
sSolidus L
Solvus

+L
+L TE 

E

+
CE

A Wt%B B

Solvus  Solubilidade
Sistema eutético Cobre-Prata (Cu-Ag)

Fase  é rica em Cu, a Ag é o soluto


Fase  é rica em Ag, o Cu é o soluto
A composição no ponto eutético é a composição
eutética  71,9% Ag
Materiais para Construção Mecânica
Diagramas de Fase

Sistemas eutéticos binários: pb-sn


327ºC:
• C = 40%p Sn, TA= 150 ºC L Sistema Pb-Sn
300 REAÇÃO EUTÉTICA (a 183 ºC)
Cβ  C Liquidus
Wα   100 resfriamento
Solidus
Cβ  Cα 232 ºC
L(61,9%p Sn) (18,3%p Sn) + (97,8%p Sn) F
+L
LB aquecimento E
98  40 200 B 183 ºC  +L G
Temperatura (ºC)

Wα   100Wα  66%
98  10  + L 18,3
E
+L 61,9 97,8
Wβ  (C
34% ) (CE) (CE)

61,9%E 183 ºC
100 (CE)
Solvus  + 
+
C C = 10% C = 98% H

0
0 20 40 60 80 100
%p Sn
17
Desenvolvimento microestrutural durante o
resfriamento no sistema eutético
Desenvolvimento microestrutural durante o
resfriamento no sistema eutético

L L L
  L
L Liquidus

300 
Liquidus 300  
+L  L

  
  +L  
Sistema Chumbo-Estanho

 
Temperatura (ºC)

Temperatura (ºC)
200 Solidus 200
Solidus

100 + 100



Solvus Solvus +

0 10 20 30 0 ~6 10 20 30
C0 %p Sn C1 %p Sn

18
Materiais para Construção Mecânica
Diagramas de Fase
Desenvolvimento microestrutural durante o
resfriamento no ponto eutético

L Sistema Pb-Sn
300
Liquidus L
Solidus

+L
200 183 ºC  +L
Temperatura (ºC)

18,3  97,8
(CE) (CE)
REAÇÃO 
100
Solvus EUTÉTICA 
+
61,9
0
0 20 40 60 80 100
%p Sn
19
Materiais para Construção Mecânica
Diagramas de Fase

Desenvolvimento microestrutural durante o


resfriamento no ponto eutético


 Pb Pb
Pb
Direção do
Sn crescimento do
 Sn
Sn
eutético
 Pb
Pb
Pb

 Sn
Sn L
Sn

 Pb

Estrutura Eutética
Fotomicrografia de uma liga Pb-Sn, solução
sólida de fase α rica em Pb (escura) e β rica
em estanho (clara).
20
Desenvolvimento microestrutural em ligas
eutéticas

L Sistema Pb-Sn
300 Liquidus
L
Solidus

+L
200  +L 
Temperatura (ºC)

 
 183 ºC

 
100 REAÇÃO
  eutético
EUTÉTICA
Solvus
 pró-
+ eutético 61,9
0
0 20 40 60 80 100
%p Sn
21
Desenvolvimento microestrutural em ligas
eutéticas

 primário e secundário (eutético)


Costuma-se dize que a microestrutura
contém  e o eutético
Desenvolvimento microestrutural em ligas eutéticas
(composição eutética, hiper/hipo eutética
Desenvolvimento microestrutural em ligas
eutéticas

 primário (α’) e secundário (eutético)


Costuma-se dize que a microestrutura
contém  e o eutético
Interpretação do Sistema Eutétio Pb-Sn

Proporção do alfa primário


Interpretação do Sistema Eutétio Pb-Sn

Proporção do eutético
Interpretação do Sistema Eutétio Pb-Sn

Proporção do alfa total


Diagrama de equilíbrio contendo fases ou
compostos intermediárias
Diagrama de equilíbrio contendo fases ou
compostos intermediárias
PF

Sollubilidade extensa

Composto intermetálico
Diagrama de equilíbrio contendo fases ou
compostos intermediárias

• REAÇÃO EUTETÓIDE:
•  +
• ( a diferença do eutético é que uma fase sólida, ao
invés de uma líquida, transforma-se em duas outras
fases sólidas.

• REAÇÃO PERITÉTICA: Envolve três fases em equilíbrio


•  + Líquido 
• Uma fase sólida mais uma fase líquida transforma-se
numa outra fase sólida
Diagrama de equilíbrio contendo fases ou
compostos intermediárias

TRANSFORMAÇÕES CONGRUENTES – Aquelas para quais não existe alterações na composição;


TRANSFORMAÇÕES INCONGRUENTES – Pelo menos uma das fases experimenta alteração em sua
composição
Transformações congruentes de fases Ponto de fusão
congruente

Ponto de fusão
congruente

TRANSFORMAÇÕES CONGRUENTES – Aquelas para quais não existe alterações na composição;


TRANSFORMAÇÕES INCONGRUENTES – Pelo menos uma das fases experimenta alteração em sua
composição
Ligas Metálicas
LIGAS FERRO-CARBONO

0<%C<2 2<%C<4,5

FERROS FUNDIDOS
AÇOS

Ferro Puro: até 0,02% C Fe3C (CEMENTITA): C > 6,7%

Teores máximos de alguns


elementos nos aços sem liga:
Aço ligado
• Al – 0,10% • Ni – 0,30
Aço de Se nenhum elemento • Bi – 0,10 • Nb – 0,06
de liga atingir um • B – 0,0008 • Pb – 0,40
baixa liga
teor de 5% • Cr – 0,30 • Se – 0,10
• Co – 0,10 • Si – 0,50
Aço de Se pelo menos um el. • Cu – 0,05 • Ti – 0,05
alta liga de liga ultrapassar • Mn – 1,65 • W – 0,01
um teor de 5% • Mo – 0,08 • V – 0,10
Transformações alotrópicas
Ferrita - CCC

Austenita - CFC

Ferrita - CCC
Informações sobre
microestruturas
 FERRO  = FERRITA
 FERRO  = AUSTENITA
 FERRO  = FERRITA 
 TF= 1534 C

CARBONO

 Nas ligas ferrosas as fases ,  e 


FORMAM soluções sólidas com Carbono
intersticial
48
Informações sobre
microestruturas
Cementita:
É o carboneto de ferro, de fórmula Fe3C. É muito frágil e duro, apresentando
mais de 840 Vickers, e é muito resistente ao cisalhamento. Em baixas
temperaturas é ferromagnético e
perde esta propriedade a 212 ºC
Ferrita:
Este constituinte está formado por uma solução sólida de inserção de carbono em
ferro alfa. É o constituinte mais mole dos aços porém é o mais tenaz, e o mais
maleável,
Austenita:
É uma solução sólida de carbono em ferro gama. Somente é estável as temperaturas
superiores a 723 ºC,

49
Diagrama de fase Fe-Fe3c:
transformações

PERITÉTICA
+l  EUTÉTICA
l +Fe3C

EUTETÓIDE
 +Fe3C

50
Pontos importantes do sistema fe-
fe3c (eutético)
 LIGA EUTÉTICA:

Líquido FASE  (austenita) + cementita


-
Temperatura= 1148 C
- Teor de Carbono= 4,3%
 As ligas de Ferro fundido de 2,1-4,3% de C
são chamadas de ligas hipoeutéticas
 As ligas de Ferro fundido acima de 4,3% de C
são chamadas de ligas hipereutéticas 51
Pontos importantes do sistema Fe-
Fe3c (eutético)

 LIGA EUTETÓIDE  corresponde à liga de


mais baixa temperatura de transformação
sólida
Austenita FASE  (FERRITA) +Cementita
- Temperatura= 725 C
- Teor de Carbono= 0,8 %
 Aços com 0,02-0,8% de C são chamadas de aços
hipoeutetóides
 Aços com 0,8-2,1% de C são chamadas de aços
hipereutetóides
52
52
Materiais para Construção Mecânica
Diagramas de Fase
MICROESTRUTURAS / EUTETÓIDE
Supondo resfriamento lento para manter o equilíbrio

 É similar ao eutético
Lamelas alternadas de fase  (ferrita) e Fe3C
(cementita) chamada de
PERLITA 727 ºC

 FERRITA lamelas + espessas e claras


 CEMENTITA lamelas

+ finas e escuras
 + Fe3C
 Propriedades mecânicas da perlita
• intermediária entre ferrita (mole e dúctil)
6,7 e cementita
(dura e frágil) 53 53
53 24
microestruturas em ligas Fe-Fe3C:
ponto eutetóide
AÇO EUTETÓIDE 1100
(0,76%p C)
1000 γ
γ + Fe3C
REAÇÃO900 γ γ
EUTETÓIDE γ
Temperatura (ºC)

800
+γ 727 ºC
700 C = 0,022 CFe3C = 6,7

600 Fe3C
 
500 PERLITA
0,76  + Fe3C
400
1,0 2,0 6,7
Composição, %p C
54 54
54 24
microestruturas em ligas Fe-Fe3C:
perlita

γ
γ + Fe3C

Fe3C
+γ 727 ºC

Fe3C
Ferrita α  

 + Fe3C

6,7
PERLITA
55 55
55 24
microestruturas em ligas Fe-Fe3C: Materiais para Construção Mecânica
Diagramas de Fase

perlita
• Mecanismo de formação da PERLITA a partir da AUSTENITA:

 C C Direção do
C
crescimento da
Fe3C
perlita
 C
C
C

Fe3C
γ
 C

26
Materiais para Construção Mecânica

Desenvolvimento das microestruturas emDiagramas de Fase


ligas Fe-Fe3C:
ponto hipoeutetóide

AÇO HIPOEUTETÓIDE 1100


(<0,76%p C) γ
γ γ
1000
γ γ γ + Fe 3C
REAÇÃO
900 EUTETÓIDE
CC C C C = 0,022 γ γ
W  100
100800
0 0 α α 
γ γ
Temperatura (ºC)

CC C C
γ 3C
Fe
 γ +γ
Fe 3C α α 727 ºC
a γ
700 γ
CC 0,022
0,022 γ γ
CFe3C = 6,7
W  10000
 pró-eutetóide
6,7  0,022 600
γ 3C
Fe
0,76
500 PERLITA = Fe3C + -
W perlita
total
100
W W γ Fe 3C
0,76 γ + Fe C eutetóide
3
400
C0 1,0 2,0 6,7
W  pró eut .
100  W γ Composição, %p C
27
Materiais para Construção Mecânica
Desenvolvimento das microestruturas em
Diagramas de Fase

ligas Fe-Fe3C: ponto hipereutetóide


AÇO HIPEREUTETÓIDE 1100
(>0,76%p C) γ
γ γ
1000
REAÇÃO
γγ+ Fe
γ 3C
EUTETÓIDE
900
γ γ
γ γ
Temperatura (ºC) 800
 +γ 727 ºC
700
γ Fe3C pró-eutetóide
γ
600 γ γ
PERLITA =  +
Estrutura cementita+ Perlita 500 Fe3C-eutetóide
 + Fe3C γ
0,76
As quantidades de cementita e perlita 400
variam conforme a % de carbono e 1,0 C0 2,0 6,7
podem ser determinadas pela regra Composição, %p C
das alavancas
Partes claras pró eutetóide cementita
Exemplo (Callister):
 Para uma liga composta por 99,65%p Fe-0,35%p C, a uma
temperatura imediatamente abaixo da eutetóide,
determine o seguinte:
(a) As frações das fases ferrita total e cementita. (b) As
frações de ferrita proeutetoide e perlita. (c) A fração de
ferrita eutetóide.
Exercício 1

Bruno Guedes
a b c d e

Bruno Guedes
a b c d e

Ponto a = Fase solida α 100% α

Ponto b = Fase solida α 100% α

Ponto c = mistura α + L r. alavanca

Pα = CL – Co x 100% = 50 – 40 x 100
CL – Cα 50 - 30

Pα = 50% α PL = 50 % L

Ponto d = Fase Liquida α 100% L

Ponto e = Fase Líquida α 100% L

Bruno Guedes
Exercício 2
 Uma liga chumbo-estanho com composição de 30% p
Sn, 70% p Pb é aquecida lentamente a partir de uma
temperatura de 150C.
a) A que temperatura se forma a primeira fração de fase
líquida;
b) Qual a composição dessa fase líquida?
c) A que temperatura ocorre a fusão completa?
d) Qual a composição da última fração de fase sólida
que permanece no sistema antes da fusão completa
Exercício 2

30%
Exercício 2

30%
Exercício 3
3 Para uma liga de solda com 40% de estanho e 60% de chumbo a 1500C ,
a) quais as fases presentes,
b) qual a proporção de cada fase.

Bruno Guedes
3 Para uma liga de solda com 40% de estanho e 60% de chumbo a 1500C ,
a) quais as fases presentes,
b) qual a proporção de cada fase.

Bruno Guedes
Exercício 4
4) Uma liga típica para componentes de aeronaves contém 92kg de magnésio e 8 kg de
alumínio. Quais são fases presentes e as proporções dessas fases a: 6500C, 5300C, 4200C,
3100C e 2000C, conforme mostra figura abaixo?

Bruno Guedes
Exercício 5
Exercício 2: Considere 1 Kg de uma liga com 70% p B. calcular;

a) A quantidade de fase β em T3.


b) Calcule que fração do peso dessa fase β em T3 é proeutético ( ou
primáriO. E β eutético.

30% 70%
90%

Bruno Guedes
Exercício 6
Considere 2,5 kg de austenita contendo 0,65%p C, resfriada até abaixo de
727°C (1341°F).

a) Qual é a fase proeutetóide?


b) Quantos quilogramas se formam de cementita e de ferrita total?
c) Quantos quilogramas se formam da fase proeutetói
de e de perlita?

Bruno Guedes