Você está na página 1de 19

Coesão e coerência

textual
Prof. Wagner Rocha
O que é texto?

 Existem dois sentidos para o termo, sendo eles:


 “Texto em sentido amplo, designando toda e qualquer
manifestação da capacidade textual do ser humano (uma
música, um filme, uma escultura, um poema etc.), e, em se
tratando de linguagem verbal, temos o discurso, atividade
comunicativa de um sujeito, numa situação de
comunicação dada, englobando o conjunto de enunciados
produzidos pelo locutor (ou pelo locutor e interlocutor, no
caso dos diálogos) e o evento de sua enunciação” (Fávero e
Koch, 1983, p. 25).
 Sarah não estava na clínica. A clínica fica em Teresina.
Teresina é uma cidade muito quente. Bianca tinha um exame
para entregar hoje, mas acabou esquecendo.

 Maria está na cozinha. A cozinha tem as paredes com


azulejos. Os azulejos são brancos. Também o leite é branco.

 Luiz Paulo estuda no curso de Fisioterapia. Fernanda vai todas


as tardes ao laboratório de física do colégio. Mariana fez 75
pontos na FUVEST. Todos os meus filhos são estudiosos.
O que é texto?

 “O texto deve ser visto como uma sequência de atos de


linguagem e não uma sequência de frases de algum modo
coesas. Com isto, entram, na análise geral do texto, tanto as
condições gerais dos indivíduos como os contextos
institucionais de produção e recepção, uma vez que estes
são responsáveis pelos processos de formação de sentidos
comprometidos com processos sociais e configurações
ideológicas” (MARCUSCHI, 1983, p. 22).
O que é texto?

 O texto consiste, então, em qualquer passagem falada ou


escrita que forma um todo significativo independente de sua
extensão. Trata-se, pois, de um contínuo comunicativo
contextual caracterizado pelos fatores de textualidade.

 Dois dos mais importantes e necessários fatores de


textualidade são a coesão e a coerência.
Coesão e coerência textual

 Coesão: Refere-se aos “modos como os componentes do


universo textual, isto é, as palavras que ouvimos ou vemos,
estão ligados entre si dentro de uma sequência”
(BEAUGRANDE; DRESSLER, 1981, p. 34).

 Coerência: Refere-se aos modos “como os componentes do


universo textual, isto é, os conceitos e as relações
subjacentes ao texto de superfície, se unem numa
configuração, de maneira reciprocamente acessível e
relevante” (Id., Ibid.).
Coesão e coerência textual

 Comemora-se este ano o sesquicentenário de Machado de


Assis. As comemorações devem ser discretas para que
sejam dignas de nosso maior escritor. Seria ofensa à
memória do Mestre qualquer comemoração que destoasse
da sobriedade e do recato que ele imprimiu a sua vida, já
que o bruxo de Cosme Velho continua vivo entre nós (Folha
de S. Paulo, 4 fev. 1989).
Coesão textual
 Coesão referencial: Quando um termo faz referência a outro
dentro do texto, quando reitera algo que já foi dito antes ou
quando uma palavra é substituída por outra que possui com
ela alguma relação de sentido.

 Maria é uma ótima amiga. Ela sempre demonstrou isso.

 Só peço isso: estude muito para a prova.


Coesão textual
 Coesão lexical: Quando um termo é substituído por outro
dentro do texto, por meio de sinônimos, antônimos, ou
mesmo quando há a repetição da mesma palavra.

 A casa nunca havia sido tão requisitada, desde que os


antigos donos se mudaram, a habitação se valorizou muito.

 Elas não se cansam de falar do trabalho. Elas estão muito


animadas.
Coesão textual

 Coesão interfrásica: Estes elementos coesivos estabelecem


as relações de dependência e ligação entre os termos, ou
seja, são conjunções, preposições e advérbios conectivos.

 O céu escureceu de repente e a chuva começou.


 Depois que o homem saiu, o restaurante ficou vazio.
 Torci o pé porque não consegui fazer o movimento na
dança.
Coesão textual

 Coesão temporal: Consiste na correta utilização dos tempos


verbais, ordenando assim os acontecimentos de uma forma
lógica e linear, que irá permitir a compreensão da sequência
dos mesmos.

 Arrecadei cem reais para comprar um presente.

 Irei conhecer os pais da minha namorada, por isso estou


nervoso.
Coerência textual
 Princípio da não-contradição: Em um texto não se pode ter
situações ou ideias que se contradizem entre si, ou seja, que
quebram a lógica.

 A rua está molhada porque não choveu.

 Meu cabelo está seco já que o lavei.

 O menino quebrou o vaso estudando.


Coerência textual
 Princípio da relevância: Fragmentos de textos que falam de
assuntos diferentes, e que não se relacionam entre si,
acabam tornando o texto incoerente, mesmo que suas
partes contenham certa coerência individual. Sendo assim, a
representação de ideias ou fatos não relacionados entre si,
fere o princípio da relevância, e trazem incoerência ao texto.

 Maria começou a trabalhar pouco antes das oito. João


ainda não tinha atendido o paciente, enquanto o cachorro
latia com o carteiro. A professora dava aula e o menino
corria atrás das pipas.
Coerência textual

 Continuidade temática: Há quebra de continuidade temática


quando não se faz a correlação entre uma e outras partes do
texto (quebrando também a coesão). A sensação é que se
mudou o tema sem avisar ao leitor.

 Os maiores autores brasileiros são Machado de Assis e


Guimarães Rosa, sendo o primeiro a maior expressão literária
do século XIX e o segundo a do século seguinte. A maior
parte da literatura produzida na Rússia começou a figurar nos
anos 1500, mas só foi mundialmente descoberta com Tolstói
e Dostoiévski.
Coerência textual

 Progressão semântica: Acontece quando não há a introdução


de novas informações para dar sequência ao texto. A sensação
do leitor é que o texto não chega ao ponto que interessa.

 Os peixes-boi são os únicos mamíferos aquáticos vivos, eles


vivem nas águas rasas do Pacífico e correm sérios riscos de
extinção.

 Os geógrafos estiveram fotografando aqui mais cedo,


chegaram de repente e começaram a tirar diversas fotos de
toda a área.
Coesão e coerência textual

 Dadas as considerações anteriores, pode-se perceber que um


texto não pode existir sem um determinado grau de coesão e
coerência. A primeira irá auxiliar o entendimento do texto no
campo das palavras, enquanto a segunda nos ajudará a
compreender o espaço em que essas palavras estão inseridas.

 Isso faz com que o texto seja um espaço de troca de


informações que sempre vai procurar atingir alguém de alguma
forma em particular, seja por seus aspectos construtivos ou pelo
contexto criado a partir dele.
PODER INVISÍVEL (Noêmia Lopes)

A gente não vê, mas a água de rios, lagos e mares tem


moradores incríveis: o plâncton, seres minúsculos e essenciais
para a vida na Terra.
Nessa turma estão algas, bactérias, fungos, crustáceos,
moluscos e outras criaturas microscópicas. Alguns não tem
membros para locomoção e outros são pequenos demais para
nadar. Por isso, eles ficam flutuando na água.
Existem dois tipos de plâncton, o vegetal e o animal. Os
dois servem de comida para vários animais, por isso são
importantes no equilíbrio da cadeia alimentar. Além disso, o
plâncton vegetal faz a fotossíntese e fornece grande parte do
oxigênio que existe no planeta (RECREIO, Ano10, nº 504,
5/11/2009).
... sabemos por exemplo... que o sindicato... dos comerciários
para falar de um assunto que nos toca... pati particularmente...
possui uma granja na cidade de Carpina... e que proporciona...
àquela imensa... leva de associados... um lazer realmente
magnífico... um momento de:... descanso... um momento de:
felicidade podemos dizer assim... a todos aqueles... que vão...
até lá em busca de paz de sossego e de tranquilidade...
sabemos também... que...

(DID.131 – NURC/REC.:39-47)
O fato desses dois textos serem de gêneros diferentes, estarem
endereçados a públicos diferentes, faz com que haja maior
dificuldade em reconhecer as pistas textuais neles presentes?
Por quê?

Interesses relacionados