Você está na página 1de 28

Centro Universitário Tiradentes – UNIT/AL

Trabalho de Conclusão de Curso


Curso de Odontologia

Davisson Oliveira Gomes


Jocélia de Souza Barrozo

DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FLORIDA:


RELATO DE CASO CLÍNICO

Orientador: Marcus Antônio Brêda Júnior


Co-orientador: Emillianno de Gusmão Gonçalves

Maceió – AL
23 de Maio de 2019
2

INTRODUÇÃO

DISPLASIAS ÓSSEAS

 Lesões fibro-ósseas;

 Não-neoplásicas; (Fonte: Fontenele, et al, 2018)

 Áreas de suporte dos dentes;


 Mulheres de raça negra e de
meia idade.

(PACHECO, 2011)
3

INTRODUÇÃO

DISPLASIAS ÓSSEAS

CLASSIFICAÇÃO:

 Displasia Cemento-Óssea Focal;

 Displasia Cemento-Óssea Periapical;

 Displasia Cemento-Óssea Florida.

(PACHECO, 2011; ALSUFYANI et al., 2011)


4

INTRODUÇÃO
DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FOCAL

(Fonte: ALSUFYANI, et al, 2011) (Fonte: Prof. Ricardo Gomez)


5

INTRODUÇÃO
DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA PERIAPICAL

(Fonte: FOB USP) (Fonte: Dra. Kellen Belmont)


6

INTRODUÇÃO
DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FLORIDA

(Fonte: SILVA, et al, 2018)


7

INTRODUÇÃO

DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FLORIDA

DIAGNÓSTICO:

 Condições Assintomáticas;

 Descobertas durante exames radiográficos de


rotina;

 Características clínicas, exames de imagem e


extensão do desenvolvimento das zonas afetadas.

(PACHECO, 2011; ALSUFYANI et al., 2011)


8

INTRODUÇÃO

DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FLORIDA

DIAGNÓSTICO:

 Massas cementárias densas;


 Tecido conjuntivo fibroblástico;
 Lesão geralmente assintomática e benigna;
 Osteomielite Crônica Difusa;
 Sinais e sintomas.

(ALSUFYANI et al., 2011; BENJELLOUN et al., 2011; SARMENTO et al., 2013)


9

INTRODUÇÃO

DISPLASIA CEMENTO-ÓSSEA FLORIDA

TRATAMENTO:

 Paciente assintomático: acompanhamento


clínico e radiográfico;

 Exploração cirúrgica e biópsia: Sintomática.

(KOMABAYASHI et al., 2011; POTOCHNY et al., 2011)


10

OBJETIVO

 O objetivo do presente artigo foi relatar um


quadro clínico pouco comum do paciente com
Displasia Cemento-Óssea Florida, localizada na
maxila e na mandíbula, destacando suas
características clínicas, radiográficas,
histológicas, bem como seu diagnóstico e
posterior reabilitação protética.
11

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Paciente, L.O.L., sexo feminino, feoderma, 52 anos;

 História Odontológica;

 Exame clínico extra-oral.


12

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Exame clínico intra-oral: maxila e


mandíbula;

 Análise radiográfica.
13

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Abordagem Terapêutica: Exodontia e Osteoplastia.


14

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Aspecto radiográfico após a extração dos caninos


superiores e elemento dental 34.
15

RELATO DE CASO CLÍNICO

DIAGNÓSTICO:

 Características clínicas;
 Exames de imagem;
 Extensão do desenvolvimento das zonas
afetadas.

 Displasia Cemento-Óssea Florida.


16

RELATO DE CASO CLÍNICO

TRATAMENTO:

 Acompanhamento Clínico;

 Acompanhamento Radiográfico;

 Posterior reabilitação protética.


17

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Histopatológico:
18

RELATO DE CASO CLÍNICO

 Reabilitação com Prótese Total Superior Removível:


19

DISCUSSÃO

 Prevalente em mulheres negras;


(PACHECO, 2011)

 Patologia bem definida dentro do grupo das


displasias cemento-ósseas;
 Diagnóstico: a idade, o sexo, a raça, a localização,
o aspecto radiográfico, a vitalidade dos dentes, a
extensão da lesão.
(BENJELLOUN,2011; SARMENTO, 2013 e KOMABAYSHI, 2013.)
20

DISCUSSÃO

 Normalmente não há necessidade de biópsia;


(PROENÇA et al., 2014; ALSUFYANI et al., 2011)

 Osteoplastia;
 Diagnóstico determinado pelos exames clínicos
e radiográficos;

 Caso Clínico:
 Displasia Cemento-Óssea Florida;
 Sintomático;
 Biópsia;
 Medida Terapêutica: Cirurgia.
(PROENÇA et al., 2014)
21

DISCUSSÃO

CASOS CLÍNICOS:

 Sintomático;
 Atrofia do osso alveolar e ulceração da
mucosa sobre a prótese total;
 Infecção pulpar e posterior exsudação extra
bucal;
 Enucleação conservadora: áreas
sintomáticas.

(BENJELLOUN et al., 2011)


22

DISCUSSÃO

TRATAMENTO:

 Acompanhamento clínico e radiográfico;

 Osteoplastia;

 Orientação sobre a importância dos exames


radiográficos anuais;

 Não é necessário em casos assintomáticos.

(SARMENTO et al., 2011)


23

ACOMPANHAMENTO
 Panorâmica Pré - Operatória:

 Panorâmica Pós – Operatória:


24

REABILITAÇÃO COM PRÓTESE TOTAL

ANTES DEPOIS
25

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 É importante o conhecimento da lesão para que


seja possível identificar casos de infecção
secundária;

 Ressalta-se a importância dos exames


complementares de imagem associados a outros
métodos de diagnósticos convencionais;

 Evitar tratamento invasivo e complicações futuras;

 Proporcionar melhor prognóstico e menor


destruição do tecido acometido.
26
27

REFERÊNCIAS

 1. PACHECO, J.I.A. Displasias Fibro-Ósseas Dos Maxilares. Tese (Mestrado Integrado em


Odontologia). Universidade De Lisboa, Faculdade De Medicina Dentária. Lisboa, 2011.

 2. ALSUFYANI N.A., LAM E.W. Cemento-osseous dysplasia of the jaw bones: key
radiographic features. Dentomaxillofac Radiol. 2011; 40:141-6.

 3. BENJELLOUN, L.; EL HARTI, K. & EL WADY, W. Florid osseous dysplasia: Report of two
cases and a review of the literature. Int. J. Odontostomat. 2011; 5(3):257-266.

 4. SARMENTO D.J., MONTEIRO B.V., de MEDEIROS A.M., DA SILVEIRA E.J. Severe florid
cemento-osseous dysplasia: A case report treated conservatively and literature review.
Oral Maxillofac Surg. 2013; 17:43-6.

 5. KOMABAYASHI T., ZHU Q. Cemento-osseous dysplasia in an elderly Asian male: a


case report. J Oral Sci. 2011; 53:117-20.

 6. POTOCHNY E.M., HUBER A.R. Focal osseous dysplasia. Head Neck Pathol. 2011; 5:2657.

 7. GREWAL HK, GOEL P, BATRA R, CHOPRA S . A tender swelling of the left posterior
mandible: An unusual case. J Oral Maxillofac Pathol. 2014;18(2):332.

 8. FRANÇA DCC, MONTI LM, CASTRO AL, SOUBHIA AMP, COCLETE GA, AGUIAR SMHCA.
Displasia cemento-óssea florida: Relato de caso. Odonto. 2012;20(40):95-100.

 9. PROENÇA, A.S.; PIRES, W.R.; ARANEGA, A.M.; PONZONI, D.; SOUZA, A.F.; GARCIA-
JÚNIOR, I.R. Displasia cemento-óssea florida tratada cirurgicamente: relato de caso
clínico. Rev Odontol UNESP. 2014; 43(N Especial):297
A fé que nos move nos fez persistir para
vencermos obstáculos. Foi assim que chegamos até
aqui.

GRATIDÃO

28