Você está na página 1de 25

AÇÕES E SEGURANÇA

NAS ESTRUTURAS
AÇÃO DO VENTO EM EDIFICAÇÕES
AÇÃO DO VENTO EM EDIFICAÇÕES
AÇÃO DO VENTO EM EDIFICAÇÕES
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO
 Definição: As ações estáticas devidas ao vento são
determinadas tomando como base a velocidade
básica do vento, V0, que está relacionada ao local
onde a estrutura será construída.  Uma vez definida,
a velocidade básica é multiplicada pelos fatores de
ponderação S1, S2, S3  com a finalidade de obter a
velocidade característica do vento, Vk, para a parte da
edificação em consideração. A velocidade
característica do vento permite, então, determinar a
pressão dinâmica e a componente da força global na
direção do vento.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 Determinação da velocidade do vento:


 A NBR 6123/88 prevê o cálculo da
velocidade característica Vk deverá ser:

Vk = V 0 S 1 S 2 S 3

Sendo:

 V0 = Velocidade básica do vento, sendo uma


rajada de 3s, excedida em média uma vez em 50
anos, a 10m acima do terreno, em campo aberto
e plano
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

S1 = Fator topográfico, que leva em


consideração as variações do relevo do terreno.

S2 = Fator rugosidade do terreno,


dimensões da edificação e altura sobre o terreno.

S3 = Fator estatístico.


AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

V0 = em
m/s

Figura 1 – Isopletas da velocidade básica V 0


(m/s)
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

S1– Fator
Topográfico

a) Terreno
plano ou
fracamente
acidentado:
S1 = 1,0;
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

S1– Fator
Topográfico

c) Para vales
profundos ,
protegidos de
ventos em
qualquer
direção
S1 = 0,9;
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 S2 – Fator rugosidade do terreno, dimensões da


edificação e altura sobre o terreno.

Categoria 01: Superfícies lisas de grandes


dimensões, com mais de 5 km de extensão, medida
na direção e sentido do vento incidente. Exemplos:
Mar calmo, Lagos e rios, pântanos sem vegetação.

Categoria 02: Terrenos abertos em nível ou


aproximadamente em nível, com poucos obstáculos
isolados, tais como árvores e edificações baixas.
Exemplos: zonas costeira planas, pântanos com
vegetação rala e campos de aviação, pradarias e
charnecas e fazendas sem sebes e muros. A cota
média do topo dos obstáculos é considerada inferior
ou igual a 1,0 m.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 S2 – Fator rugosidade do terreno, dimensões da


edificação e altura sobre o terreno.

 Categoria 03: Terrenos planos ou ondulados


com obstáculos, tais como sebes e muros, poucos
quebra-ventos de árvores, edificações baixas e
esparsas.Exemplos: granjas e casas de campo,
fazendas com sebes e muros, subúrbios a
considerável distância do centro, com casas baixas e
esparsas.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 S2 – Fator rugosidade do terreno, dimensões da


edificação e altura sobre o terreno.

Categoria 04: Terrenos cobertos por obstáculos


numerosos e pouco espaçados, em zona florestais,
industriais ou urbanizados. Exemplos: zonas de
parques bosques com muitas florestas, cidades
pequenas e seus arredores, subúrbios densamente
construídos de grandes cidades, áreas industriais
plena ou parcialmente desenvolvidas. A cota média
do topo dos obstáculos é considerada igual a 3,0 m. A
cota média do topo dos obstáculos é considerada
igual a 10 m.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 S2 – Fator rugosidade do terreno, dimensões da


edificação e altura sobre o terreno.

Categoria 05: Terrenos cobertos por obstáculos


numerosos, grandes, altos e pouco
espaçados.Exemplos: florestas com árvores altas de
copas isoladas, centros de grandes cidades,
complexos industriais bem desenvolvidos. A cota
média do topo dos obstáculos é considerada igual ou
superior a 25 m.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO
 S2 – Fator rugosidade do terreno, dimensões da
edificação e altura sobre o terreno.

Quanto às dimensões da edificação:

Classe A – Todas as unidades de vedação, seus


elementos de fixação e peças individuais de estruturas sem
vedação. Toda edificação ou parte da edificação na qual a
maior dimensão horizontal ou vertical da superfície frontal
não exceda 20 metros.

Classe B – Toda edificação ou parte da edificação na


qual a maior dimensão horizontal ou vertical da superfície
frontal esteja entre 20 e 50 metros.

Classe C – Toda edificação ou parte da edificação na


qual a maior dimensão horizontal ou vertical da superfície
frontal exceda 50 metros.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO
 S3 – Fator estatístico

Está relacionado com a segurança da edificação


considerando, para isto, conceitos probabilísticos e o tipo de
ocupação. A NBR-6123 estabelece como probabilidade de 63% da
velocidade básica ser excedida pelo menos uma vez no período.
AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 Determinação da pressão do vento:


A NBR 6123/88 define a pressão dinâmica
do vento pela seguinte fórmula:

q = 0,613 Vk²

onde:

Vk = Velocidade característica do vento

Sendo (unidades SI): q em N/m² e Vk em m/s


AÇÃO ESTÁTICA DO VENTO

 Determinação da força estática do vento:

A NBR 6123/88 permite calcular as


forças a partir dos coeficientes de pressão ou
coeficientes de forças.
F=Ca x q x A
Ca - Coeficiente de Arrasto
TABELAS DE REFERÊNCIA:
COEFICIENTES
TABELAS DE REFERÊNCIA:
COEFICIENTES
TABELAS DE REFERÊNCIA:
COEFICIENTES
TABELAS DE REFERÊNCIA:
COEFICIENTES
Bibliografia
 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS
(NBR-6123). Forças devidas ao vento em
edificações. Rio de Janeiro. ABNT, 1988. 

 GONÇALVES, R. M.; MALITE, M.; SALES, J. J.; MUNAIR


NETO, J. Ação do vento nas edificações. São Carlos:
SET/EESC/USP. 1.ed. 2004.