P. 1
Apostila de Didatica Musical

Apostila de Didatica Musical

|Views: 7.965|Likes:
Publicado porProfessor_Adonias
Didática da Educação Musical
Didática da Educação Musical

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Professor_Adonias on Apr 12, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/23/2014

pdf

text

original

Quem circula pelos corredores de uma escola, o quadro que observa‚ o professor
frente a uma turma de alunos, sentados ordenadamente ou realizando uma tarefa em
grupo, para aprender uma matéria. De fato, tradicionalmente se consideram como
componentes da ação didática merece se combinar estes componentes, acentuando-
se mais um ou outro, mas a idéia corrente‚ a de que o Professor transmite a matéria
ao aluno. Entretanto, o ensino, por mais simples que possa parecer à primeira vista, é
uma atividade complexa: envolve tanto condições externas como condições internas
das situações didáticas. Conhecer essas condições e lidar acertadamente com elas,
uma das tarefas básicas do Professor para a condução do trabalho docente.
Internamente, a ação didática se refere à relação entre o aluno com o objetivo de
apropriar-se dela com a mediação do Professar. Entre a matéria, o Professor e aluno
ocorrem relações recíprocas. O Professor tem propósitos definidos no sentido de
assegurar o encontro direto do aluno com a matéria, mas essa atuação depende das
condições internas dos alunos alterando o modo de lidar com a matéria. Cada situação
didática, por vincula-se a determinantes econômico-sociais a objetivos e normas
estabelecidos conforme interesses da sociedade e seus grupos, e que afetam as
decisões didáticas. Consideremos, pois, que a inter-relação entre Professor e alunos
não se reduz à sala de aula, implicando relações bem mais abrangentes:

Escola, professor, aluno, pais estão inseridos na dinâmica das relações
sociais. A sociedade não‚ um todo homogêneo, onde reina a paz e a
harmonia. Ao contrário, há antagonismos e interesses distintos entre
grupos e classes sociais que se refletem nas finalidades e no papel
atribuídos à escola, ao trabalho do professor e dos alunos.
As teorias da educação e as práticas pedagógicas, os objetivos educativos
da escola e dos professores, os conteúdos escolares, a relação professor-
alunos, as modalidades de comunicação docente, nada disso existe

22

isoladamente do contexto econômico, social e cultural mais amplo e que
afetam as condições reais em que se reanima o ensino e a aprendizagem.
O professor não é apenas professor, ele participa de outros contextos de
relações sociais onde é também, aluno, pai, filho, membro de sindicato, de
partido político ou de um grupo religioso. Esses contextos se referem uns
aos outros e afetam a atividade prática do professor. 0 aluno, por sua vez,
não existe apenas como aluno. Faz parte de um grupo social, pertence a
uma família que vive em determinadas condições de vida e de trabalho, é
branco, negro, tem uma determinada idade, possui uma linguagem para
expressar-se conforme o meio em que vive, tem valores e aspirações
condicionados pela sua prática de vida etc.
A eficácia do trabalho docente depende da filosofia de vida do professor, de
suas convicções políticas, do seu preparo profissional, do salário que
recebe, da sua personalidade, das características da sua vida familiar, da
sua satisfação profissional em trabalhar com crianças etc. Tudo isto,
entretanto, não é uma questão de traços individuais do professor, pois o
que acontece com ele tem a ver com as relações sociais que acontecem na
sociedade.

Consideremos assim, que o processo didático está centrado na relação
fundamental entre o ensino e a aprendizagem, orientado para a confrontação
ativa do aluno com matéria sob a mediação do professor. Com isso, podemos
identificar entre os seus elementos constitutivos: os conteúdos das matérias
que devem ser assimilados pelos alunos de um determinado grau; a ação de
ensinar em que o professor atua como mediador entre o aluno e as matérias; a
ação de aprender em que o aluno assimila consciente e ativamente as matérias
e desenvolve suas capacidade e habilidades. Contudo, estes componentes não
são suficientes para ver o ensino em sua globalidade. Como vimos, não é uma
atividade que se desenvolve automaticamente, restrita ao que se passa no
interior da escola, uma vez que expressa finalidades e exigências da prática
social, ao mesmo tempo que se subordina a condições concretas postas pela
mesma prática social que favorecem ou dificultam atingir objetivos. Entender,
pois, o processo didático como totalidade abrangente implica vincular
conteúdos, ensino e aprendizagem a objetivos sócio-políticos e pedagógicos e
analisar criteriosamente o conjunto de condições concretas que rodeiam cada
situação didática. Em outras palavras, o ensino e um processo social,
integrante de múltiplos processos sociais, nos quais estão implicadas
dimensões políticas, ideológicas, éticas, pedagógicas, frente às quais se
formulam objetivos, conteúdos e métodos conforme opções assumidas pelo
educador, cuja realização está na dependência, seja aquelas que o educador já
encontra seja as que ele precisa transformar ou criar.
Desse modo, os objetivos gerais e específicos são não só dos componentes do
processo didático como também determinantes das relações entre os demais
componentes. Além disso, a articulação entre esses depende da avaliação das
condições concretas implicadas no ensino, tais como objetivos e exigências
postos pela sociedade e seus grupos e classes, o sistema escolar, os
programas oficiais, a formação de professores, as forças sociais, presentes na
escola (docentes, pais, etc.), os meios de ensino disponíveis, bem como as
características socioculturais e individuais dos alunos, as condições prévias
dos alunos para enfrentar o estudo de determinada matéria, as relações
professor-alunos, a disciplina, o preparo específico do professor para

23

compreender cada situação didática e transformar positivamente o conjunto de
condições para a organização do ensino.
O processo didático, assim, desenvolve-se mediante a ação recíproca dos
componentes fundamentais do ensino: os objetivos da educação e da
instrução, os conteúdos, o ensino, a aprendizagem, os métodos, as formas e
meios de organização das condições da situação didática, a avaliação. Tais
são, também, os conceitos fundamentais que formam a base de estudos da
Didática.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->