Você está na página 1de 20

INTRODUÇÃO

Lactário é a área destinada ao preparo e distribuição de fórmulas lácteas e não lácteas, e dietas enterais. Esta área deve apresentar rigorosas técnicas de assepsia e controle da temperatura de produção do alimento, visando possibilitar ao paciente uma alimentação segura do ponto de vista microbiológico (MEZOMO, 2002).

Sua eficiência dependerá da correta localização no hospital, previsão de amplo espaço, distribuição exata das áreas de trabalho, instalação de equipamentos necessários e de uma boa administração, para que as técnicas possam ser desenvolvidas satisfatoriamente e as mamadeiras preparadas sem improviso e contaminação (MEZOMO, 2002).

As leis que regulamentam as atividades de nutrição em lactário são preconizadas pela Resolução CFN Nº 380/2005, RDC nº 189/2003, RDC nº 307/2002, RDC nº 50/2002, RDC nº 60/2002 (Nutrição Enteral) (ANVISA,

2009).

LACTÁRIO

Localização física

O lactário fica localizado próximo a Unidade de Alimentação e Nutrição, possui amplo espaço e distribuição adequada das áreas de trabalho, pois possui a sala de limpeza, área destinada à higienização e esterilização prévia dos frascos de mamadeiras, bicos, arruelas e protetores; sala de preparo, destinada à pesagem, preparo das fórmulas, rotulagem das mamadeiras com esterilização prévia, da esterelização terminal das mamadeiras, envasadas, do resfriamento e da distribuição destas últimas, após autoclavagem e ante-sala, destinada à paramentação e higienização das mãos das lactaristas que trabalham na sala de preparo.

Condições físicas e ambientais

Possuí boas condições físicas e ambientais, com equipamentos novos, em ótimas condições de higiene. A temperatura do ambiente controlada o tempo todo pelo um ar condicionado digital.

Layout e fluxo (mamadeiras): setores existentes/ equipamentos

O lactário, conforme citado no item 5.1, possui a área suja, que recebe as mamadeiras e as higieniza, e área limpa, onde são envazadas as dietas enterais, mamadeiras e dosagens de suplementos.

Os equipamentos existentes são: Autoclave (Ortosíntese®), geladeira de mamadeira (Consul®), refrigerador de dietas (Incomar®), microondas (Eletrolux®), banho-maria (LF®), ar-condicionado (Fujtsu®), purificador de água (IBBL®), fogão elétrico (Layr®), balança de precisão (Shimadzu®) e bomba de infusão (Santronic®), além das bancadas onde são preparadas as dietas.

Fluxo das mamadeiras

Fluxo das mamadeiras Recebimento e higiene de mamadeiras As mamadeiras são recebidas na sala denominada área

Recebimento e higiene de mamadeiras

As mamadeiras são recebidas na sala denominada área suja, onde são lavadas com água, detergente e hipocloridrico, em seguida são colocadas na autoclave para a esterilização. Depois de esterilizadas são retiradas na área limpa para um novo preparo.

Identificação

A identificação é feita através de etiquetas feitas no 1° andar pelas nutricionistas da área clinica. As lactaristas preparam e rotulam as dietas enterais, mamadeiras e dosagem de suplementos de acordo com as informações das etiquetas (ml e horário administrado).

Nessa

identificação

contém:

do

leito, nome

do

paciente,

fórmula

envasada/mamadeira, data do preparo e horário da distribuição.

Calculo do volume total de fórmulas a serem produzidos

Não há um controle do volume total, as fórmulas são produzidas conforme

o n° de crianças que consumem mamadeiras e pacientes que recebem dieta

enteral. O controle de compras é feito pelas nutricionistas da clinica com base

no que esta sendo utilizado.

Técnicas de preparo das diversas fórmulas

A técnica de preparo é manual, obedecendo às normas de higiene sanitária

e

o

rótulo

Esterilização

do

fabricante

de

Higienização de mamadeiras e acessórios

cada

fórmula.

As mamadeiras são recolhidas em recipientes adequados e limpos e levadas até a área de higienização do lactário. Os frascos e acessórios sujos são enxaguados individualmente em água corrente fria, depois são imergidos em solução detergente, deixando-os macerar. Depois são lavados cuidadosamente um a um, com auxílio de uma escova apropriada, enxaguados em água corrente, até que estejam limpos e livres de vestígios de detergente. Posteriormente estes são autoclavados a 121 o C por 15 minutos.

Em caso de não utilização do processo de auto-clavagem, deve-se

desinfetar as mamadeiras pelo método químico através de hipoclorito de sódio

a 200 ppm, permanecendo sob imersão por aproximadamente 15 minutos e enxágüe à água corrente.

Cada acessório é lavado individualmente retirando toda a sujidade. Os bicos são lavados cuidadosamente por dentro e por fora, virando-os pelo avesso para que não fique nenhum resíduo aderente, durante o enxágüe dos bicos as lactaristas foram orientadas para forçar a água a sair pelos orifícios, certificando que não estão entupidos.

Etapas da auto-clavagem:

1. Pré-vácuo;

2. Aquecimento;

3. Esterilização (121,1°C por 10 minutos);

4. Secagem.

Esse procedimento dura, pelo menos, 60 minutos para ser concluído.

Caso haja falha do autoclave e a esterilização não puder ser feita dessa

maneira, será utilizada solução de hipocloridrico de sódio (para esterilização),

onde

são

colocadas

na

solução

á

200ppms/

15min.

Higienização das latas de dieta enteral

As latas de dietas enterais são solicitadas para o estoquista de acordo com a necessidade e são lavadas e desinfetadas na área de higienização do lactário, estas só entram na área de preparo após a realização do processo de higienização. Estas são enxaguadas individualmente em água corrente fria,

lavadas cuidadosamente uma a uma com solução detergente e enxaguadas em água corrente, até que estejam limpos e livres de vestígios de detergente. Após a lavagem permanecem emborcadas nas bancadas para o escoamento da água e em seguida é realizada a desinfecção com álcool 70%, com auxilio de borrifadores, aguardando 2 minutos. Caso as latas são sequem adequadamente naturalmente, são utilizados panos descartáveis que são

desprezados

após

o

uso.

Estocagem e distribuição

Mamadeiras

As mamadeiras, após serem envasadas na temperatura ambiente de 21°C, são levadas, imediatamente, para refrigeração, onde ficam a uma temperatura de 6°C e, antes de ser distribuídas, ficam em banho-Maria a uma temperatura que varia de 80 á 90°C. Em seguida são distribuídas em leito a leito dos devidos andares.

São feitas, pelas lactaristas do período da manhã, as mamadeiras do dia todo, e pelas lacteristas da tarde, as mamadeiras que podem ser entregues durante a madrugada.

Dietas enterais

De acordo com os dados prescritos no mapa de dietas (andar, leito, nome do paciente, dieta prescrita, quantidade e horários de administração), a lactarista prepara, envasa as dietas e as armazena na geladeira de enterais, minutos antes da distribuição as dietas são retiras da geladeira para ficar em temperatura ambiente. Geralmente essas dietas são distribuídas de 3/3 horas.

Suplementos

Os suplementos são dosados, imediatamente, antes do momento de sua distribuição, seguindo as regras de higiene.

Distribuição

As fórmulas lácteas que foram produzidas no lactário, caso não sejam distribuídas imediatamente são mantidas em temperatura ambiente até atingirem 55 o C e são levadas ao resfriamento por contato com gelo até atingirem a temperatura de 21°C e após sob refrigeração a 4 o C e as fórmulas que serão distribuídas rapidamente são mantidas aquecidas acima de 60 o C. Todas as fórmulas são distribuídas a 37 o C, portanto estas são reaquecidas ou resfriadas até atingirem a temperatura adequada.

O transporte é realizado em carrinho aberto à temperatura ambiente, com proteção de capa de tecido, esta devidamente lavada pela lavanderia que presta serviço para o Hospital, com o processo de desinfecção térmica.

Controle bacteriológico das fórmulas

São coletadas amostras de cada tipo de fórmula envasada, a cada horário que é realizado o envase. A amostra é guardada por 48 horas em temperatura de 6°C.

A cada 2 meses são recolhidas amostras de cada tipo de fórmula, pela empresa responsável pelo controle bacteriológico, para que sejam realizados

testes

que

garantam

o

controle

bacteriológico.

Fórmulas padronizadas e suas indicações

Padronização do Leite

LEITE

SUBSTITUTO

Nan 1

Aptamil1

Nan 2

Aptamil 2

Nan Soy

Supra Soy

Alfaré

Pregomin

Dietas por sonda

Padronização das dietas

PATOLOGIA

DIETA

Diabetes

Resource diabetic, diason, glucerna

 

Hepatopatia

Nutriliver

Renal

não

Nutrirenal, replena

 

dialítico

Renal dialítico

Novasource renal, nefrodial

 

Hipertensão

Nutrienteral,

Nutrifiber,

Isosource

HN,

Trophic

fiber,

Fibersource.

Diarréia

GI control, Peptsion

 

Laxativa

Nutrifiber, Trophic Fiber, Fibersource

 

Observações sobre as dietas: se não for informada a quantidade de dieta, fazer com 150 ml de dieta e 150 ml de água. Caso não seja informada a patologia, fazer frasco de Nutrienteral ou Trophic fiber ou Fibersource ou Isosource HN.

Substituições

Se acabar Peptison diet, substituir por Alitraq;

Se acabar Alitraq substituir por Vivonex;

Se acabar Isosource 1.5 substituir por Nutrifiber ou Isosource HN ou Trophic 1.5 ou Trophic fiber.

Temperatura

O lactário utiliza para o controle de temperatura um termômetro de penetração, para que este não propicie risco de contaminação, durante as etapas de preparação é realizada a medição em uma amostra piloto que posteriormente será inutilizada, ou seja, uma preparação a mais no lote produzido.

Amostras

É separada uma amostra de cada tipo de produto por lote produzido no lactário. A amostra é corretamente identificada com nome do local, data, horário, produto, se é autoclavado ou não e etc. A quantidade mínima é 200 ml e é armazenada durante 72 horas após o consumo sob refrigeração a 4ºC acondicionada no mesmo recipiente destinado à distribuição.

Obs: É aconselhado que sejam periodicamente realizado o controle microbiológico das fórmulas produzidas no lactário.

Fluxograma da operacionalização na produção de mamadeiras e seus pontos críticos

LEGENDA

PCCf (Ponto Crítico de Controle Físico)LEGENDA PCCq (Ponto Crítico de Controle Químico) PCCb (Ponto Crítico de Controle Biológico)

PCCq (Ponto Crítico de Controle Químico)LEGENDA PCCf (Ponto Crítico de Controle Físico) PCCb (Ponto Crítico de Controle Biológico)

Crítico de Controle Físico) PCCq (Ponto Crítico de Controle Químico) PCCb (Ponto Crítico de Controle Biológico)

PCCb (Ponto Crítico de Controle Biológico)LEGENDA PCCf (Ponto Crítico de Controle Físico) PCCq (Ponto Crítico de Controle Químico)

Químico) PCCb (Ponto Crítico de Controle Biológico) HIGIENIZAÇÃO DE MAMADEIRAS Exague em Água Corrente e Fria

HIGIENIZAÇÃO DE MAMADEIRAS

Exague em Água Corrente e Fria

PC Cf - A esc ova pode soltar Limpeza com Escova e Detergente pelos na
PC Cf - A esc ova pode soltar
Limpeza com Escova e Detergente
pelos na mamadeira
Neutro em Água Quente (Min. 44ºC)
PCCq - O dosador do Hipoclorito pode
desregular aumentando seu ppm e/ou
Imersão em Solução de Hipoclorito
ao deixar de molho ultrapassar os 15
de Sódio a 200ppm por 15 minutos
minutos há um risco de intoxicação.
PCCq - O dosador do Hipoclorito pode
desregular aumentando seu ppm e/ou
Autoclavagem = 121º por 15 minutos
ao deixar de molho ultrapassar os 15
minutos há um risco de intoxicação.
PREPARO DE FÓRMULAS LÁCTEAS
PCCb - Se ocorrer má higienização
Higienização e Paramentação Pessoal
da lactaristas pode ha ver
contaminação microbiológica
Higienização de Bancadas, Utensílios
PCCb - Caso a higienização com
solução clorada não seja realizada
e Equipamentos
adequadamnte pode ocorrer
contaminação microbiológica
Autoclavagem da Água Mineral ou
PCCb - A autoclave pode estar
Filtrada
a lterada, nã o atingindo a sua Tº e
causar uma contaminação.
Pesagem do Pó (Leite)
Diluição do Pó na água Segundo
Padronização
Envase das Mamadeiras
PCCb - Nesta etapa pode ocorres
oscilaçã o de temperatura dos
Armazenamento nos Refrigeradores
Refrigeradores, fazendo com que
aumente o risco de contaminaçã o.
válido por 24 horas
PCCb - É extremamente importante que
esta etapa final seja f eito de modo
adequado, controlando sempre a relação
Distribuição
Tempo X Temperatura, o trajeto que sera
feito e o modo em que sera transportado.

Normas do Trabalho

Todo o procedimento relacionado à higiene de equipamentos e acessórios, bem como da área de trabalho é estabelecido por um Manual de Boas Práticas de Manipulação do Lactário, além de existir os Procedimentos Operacionais Padronizados (POPS) específicos e monitoramento dos mesmos por intermédio de planilhas de registros.

Quanto ao controle da temperatura do refrigerador, há uma planilha em que é anotado, pelo menos uma vez a cada turno, o grau indicado por um marcador contínuo de temperatura, que deve ser mantida de 2º C a 4º C.

As instruções claras e quadros ilustrativos sobre o funcionamento dos equipamentos ou até mesmo de orientações adequadas pertinentes à execução das tarefas poderiam ser colocados próximos aos aparelhos e bancadas para o entendimento e conhecimento de todos os colaboradores do lactário (MEZOMO, 2002).

PASSO-A-PASSO DOS PROCEDIMENTOS

Higienização mamadeiras

Equipamentos para lavagem das mamadeiras e chuquinhas 1º Passo Imersão em solução de hipoclorito de
Equipamentos para lavagem das
mamadeiras e chuquinhas
1º Passo
Imersão em solução de hipoclorito de
sódio a 200 ppm por 15 minutos
2º Passo
Esfregar com a escova redonda, em
água corrente
3º Passo
Esfregar o fundo da mamadeira com a
escova, em água corrente
4º Passo
Esfregar suporte do bico em água
corrente
5º Passo Esfregar o bico, em água corrente 6º Passo Autoclavação dos bicos, suportes e

5º Passo Esfregar o bico, em água corrente

5º Passo Esfregar o bico, em água corrente 6º Passo Autoclavação dos bicos, suportes e mamadeiras

6º Passo Autoclavação dos bicos, suportes e mamadeiras

Envase do leite (mamadeiras)

Fórmulas utilizadas Equipamentos utilizados 1º Passo Aquecer a água que será utilizada 2º Passo* Higienização
Fórmulas utilizadas
Equipamentos utilizados
1º Passo
Aquecer a água que será
utilizada
2º Passo*
Higienização da bancada
3º Passo
Separar os utensílios e latas de
leite
4º Passo
Medir quantidade de água e
dosar o leite
5º Passo** Colocar o leite no liquidificador e bater com a dose correta de suplemento

5º Passo** Colocar o leite no liquidificador e bater com a dose correta de suplemento

no liquidificador e bater com a dose correta de suplemento 6º Passo Colocar na mamadeira 7º
no liquidificador e bater com a dose correta de suplemento 6º Passo Colocar na mamadeira 7º

6º Passo Colocar na mamadeira

a dose correta de suplemento 6º Passo Colocar na mamadeira 7º Passo Identificar a mamadeira 8º

7º Passo Identificar a mamadeira

Passo Colocar na mamadeira 7º Passo Identificar a mamadeira 8º Passo Armazenamento 9º Passo Deixar em

8º Passo Armazenamento

7º Passo Identificar a mamadeira 8º Passo Armazenamento 9º Passo Deixar em banho-maria 10º Passo Distribuição

9º Passo Deixar em banho-maria

8º Passo Armazenamento 9º Passo Deixar em banho-maria 10º Passo Distribuição * A bancada já está
8º Passo Armazenamento 9º Passo Deixar em banho-maria 10º Passo Distribuição * A bancada já está

10º Passo

Distribuição

* A bancada já está limpa, no entanto, é novamente higienizada com álcool.

** Exemplo de envase de mamadeira que tem suplementação, quando não há, essa etapa é eliminada.

Envase de dietas enterais

Fórmulas utilizadas 1º Passo* Higienização da bancada 2º Passo Envase da dieta no frasco 3º
Fórmulas utilizadas
1º Passo*
Higienização da bancada
2º Passo
Envase da dieta no frasco
3º Passo
Identificação
4º Passo
Armazenar
5º Passo
Deixar em banho-maria
6º Passo
Distribuição

* A bancada já está limpa, no entanto, é novamente higienizada com álcool.

Envase de água

Envase de água 1º Passo Envase da água 2º Passo Identificação 3º Passo* Distribuição * São

1º Passo Envase da água

Envase de água 1º Passo Envase da água 2º Passo Identificação 3º Passo* Distribuição * São

2º Passo

Identificação

de água 1º Passo Envase da água 2º Passo Identificação 3º Passo* Distribuição * São distribuídas

3º Passo*

Distribuição

* São distribuídas juntamente com as dietas enterais

Envase de suplementos

juntamente com as dietas enterais Envase de suplementos 1º Passo Seleção do suplemento para distribuição 2º

1º Passo Seleção do suplemento para distribuição

1º Passo Seleção do suplemento para distribuição 2º Passo Identificação 3º Passo* Distribuição * São

2º Passo

Identificação

do suplemento para distribuição 2º Passo Identificação 3º Passo* Distribuição * São distribuídas juntamente

3º Passo*

Distribuição

* São distribuídas juntamente com as dietas enterais

Procedimento de Coleta de amostras

1º Passo Envase do leite ou dietas ou água. 2º Passo Identificação no saco de
1º Passo
Envase do leite ou dietas ou água.
2º Passo
Identificação no saco de amostra
3º Passo
Colocar o frasco de leite/dieta/água
no saco de amostra identificado
4º Passo
Guardar no freezer específico de
amostras*

*As amostras ficam armazenadas por 72h depois são descartadas.

CONCLUSÃO

A partir do estudo foi possível concluir que o lactário do Sepaco segue as recomendações da legislação e que, mesmo não sendo sistema fechado, sistema muito utilizado ultimamente, com o intuito de evitar contaminação, tem seus procedimentos primando pela qualidade e para evitar contaminação, sendo muito higienizado com os profissionais bem treinados.

REFERÊNCIAS

MEZOMO, I. B. Os Serviços de Alimentação Planejamento e Administração. 5 ed. São Paulo: Manole, 2002.

ANVISA. (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Disponível em: < http:

//www.Anvisa.gov.br/e-legis/ >. Acesso em: nov., 2009.