Você está na página 1de 39

física

termofísica

QUESTÕES DE VESTIBULARES

2014.1 (1 o semestre)

2014.2 (2 o semestre)

sumário

termômetros e escalas termométricas

VESTIBULARES

2014.1

2

VESTIBULARES

2014.2

4

calor sensível

VESTIBULARES 2014.1

 

5

VESTIBULARES 2014.2

7

calor latente

VESTIBULARES 2014.1

8

VESTIBULARES

2014.2

11

sistema termicamente isolado

VESTIBULARES

2014.1

14

VESTIBULARES 2014.2

15

transmissão de calor

VESTIBULARES 2014.1

17

VESTIBULARES

2014.2

20

dilatação térmica

VESTIBULARES 2014.1

23

VESTIBULARES

2014.2

25

transformações gasosas

VESTIBULARES

2014.1

27

VESTIBULARES

2014.2

30

trabalho da força de pressão

VESTIBULARES

2014.1

32

VESTIBULARES 2014.2

32

primeira lei da termodinâmica

VESTIBULARES

2014.1

33

VESTIBULARES 2014.2

36

segunda lei da termodinâmica

VESTIBULARES

2014.1

38

VESTIBULARES

2014.2

39

japizzirani@gmail.com

TERMOFÍSICA

termômetros e escalas termométricas

VESTIBULARES 2014.1

(UERJ-2014.1) - ALTERNATIVA: C Observe na tabela os valores das temperaturas dos pontos críticos de fusão e de ebulição, respectivamente, do gelo e da água, à pres- são de 1 atm, nas escalas Celsius e Kelvin.

Pontos

Temperatura

críticos

ºC

K

fusão

0

273

ebulição

100

373

Considere que, no intervalo de temperatura entre os pontos críticos do gelo e da água, o mercúrio em um termômetro apresenta uma dilatação linear. Nesse termômetro, o valor na escala Celsius correspondente à tem- peratura de 313 K é igual a:

a) 20

b) 30

*c) 40

d) 60

(IF/CE-2014.1) - ALTERNATIVA: D

Na cidade de Crateús-CE, a temperatura média é de 25 ºC. Na es- cala Fahrenheit, é

a) 70°F.

b) 85°F.

c) 65°F.

*d) 77°F.

e) 52°F.

(CEFET/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: B No senso comum, as grandezas físicas calor e temperatura geral- mente são interpretadas de forma equivocada. Diante disso, a lin- guagem científica está corretamente empregada em

a) “Hoje, o dia está fazendo calor”.

*b) “O calor está fluindo do fogo para a panela”.

c) “A temperatura está alta, por isso estou com muito calor”.

d) “O gelo está transmitindo temperatura para água no copo”.

(VUNESP/UEA-2014.1) - ALTERNATIVA: B Um turista estrangeiro leu em um manual de turismo que a tempe- ratura média do estado do Amazonas é de 87,8 graus, medido na escala Fahrenheit. Não tendo noção do que esse valor significa em termos climáticos, o turista consultou um livro de Física, encontran- do a seguinte tabela de conversão entre escalas termométricas:

 

Celsius

Fahrenheit

fusão do gelo

0

32

ebulição da água

100

212

Com base nessa tabela, o turista fez a conversão da temperatura fornecida pelo manual para a escala Celsius e obteve o resultado:

a) 25.

*b) 31.

c) 21.

d) 36.

e) 16.

(VUNESP/UNICID-2014.1) - ALTERNATIVA: C Propriedades termométricas são propriedades físicas presentes na matéria que podem ser comparadas com a temperatura, uma vez que variam proporcionalmente à ela. São propriedades termométricas:

a) peso e comprimento de uma barra metálica.

b) massa e volume de um gás.

*c) pressão de um gás e comprimento de uma barra metálica.

d) massa e quantidade de calor.

e) peso e pressão de um gás.

japizzirani@gmail.com

(ACAFE/SC-2014.1) - ALTERNATIVA: D Largamente utilizados na medicina, os termômetros clínicos de mer- cúrio relacionam o comprimento da coluna de mercúrio com a tem- peratura. Sabendo-se que quando a coluna de mercúrio atinge 2,0 cm, a temperatura equivale a 34 ºC e, quando atinge 14 cm, a tem- peratura equivale a 46 ºC. Ao medir a temperatura de um paciente com esse termômetro, a coluna de mercúrio atingiu 8,0 cm.

A alternativa correta que apresenta a temperatura do paciente, em

ºC, nessa medição é:

a) 36

b) 42

c) 38

*d) 40

(UFLA/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: C

O filme “Fahrenheit 451” é a adaptação cinematográfica do romance

homônimo de Ray Bradbury, que se refere a uma sociedade futu-

rista na qual os livros são proibidos e devem ser incinerados, o que ocorre a uma temperatura de 451°F (temperatura de combustão do papel). Lembre-se de que a escala Fahrenheit atribui os valores 32 e 212 para os pontos de fusão do gelo e de ebulição da água, respec- tivamente. A temperatura de combustão do papel é:

a)

Entre 0°C e 100°C

b)

Entre 100°C e 200°C

*c)

Entre 200°C e 300°C

d)

Entre 300°C e 400°C

(FEI/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: E

Um termômetro foi construído com mercúrio de tal modo que, na temperatura de fusão do gelo, a altura da coluna de mercúrio é 5 cm e, na temperatura de ebulição da água ao nível do mar, a altura da coluna é de 13 cm. Qual é a temperatura em K quando a altura da coluna de mercúrio estiver com 10 cm ?

a) 290,0

d) 370,0

b) 320,0

*e) 335,5

c) 62,5

(UEPB-2014.1) - ALTERNATIVA: C Um ramo importante da Física, ligado a termologia, é a criogenia, cuja finalidade é conseguir temperaturas extremamente baixas com

as mais diferentes aplicações. A obtenção de temperaturas reduzidas

é utilizada, por exemplo, na conservação de produtos alimentícios,

no transporte de gêneros perecíveis, na preservação de tecidos, dos componentes do sangue e de outras partes do corpo humano para posterior utilização. Em Biologia e Veterinária, a criogenia está as- sociada à conservação do sêmem de animais para uso em fertiliza- ção. A manutenção de sêmem bovino em temperatura da ordem de 73º kelvin é fundamental para preservar suas características, a fim de que o processo de inseminação artificial tenha sucesso. (

(Adaptado de FERRARO, N. G. SOARES, P.A. de Toledo. FOGO, Ronaldo. Física Básica. 3. ed. vol. único. São Paulo: Atual, 2009, p. 273).

Com base nas informações apresentadas no texto acima, indique qual o valor correspondente à temperatura de 73º kelvin nas esca- las Celsius e Fahrenheit, respectivamente, para a manutenção de sêmem bovino.

a)

−220 ºC e −380 ºF

b)

−200 º C e 360 ºF

*c)

−200 ºC e −328 ºF

d)

−220 ºC e 400 ºF

e)

−240 ºC e −420 ºF

(UEM/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04) Uma escala termométrica N, em comparação com a escala termo- métrica Celsius, pode ser representada em um gráfico que contém a escala N no eixo vertical e a escala Celsius no eixo horizontal. Nes- se gráfico, observa-se que a relação entre as duas escalas é linear

e que a reta descrita por essa relação passa pelos pontos (0,−50)

e (50,150). Com base nessas informações, analise as alternativas abaixo e assinale o que for correto. 01) −50 ºN equivale a aproximadamente 273 K.

02) A temperatura de ebulição da água, à pressão de 1 atm, na es-

cala N, é de 300 ºN.

04) A variação de uma unidade na escala Kelvin equivale à variação

de 4 unidades na escala N. 08) Para determinar o rendimento de uma máquina térmica de Car- not, os valores das temperaturas dos reservatórios térmicos podem ser expressos tanto em ºC quanto em ºN. 16) 10 ºC equivalem a 30 ºN.

2

(MACKENZIE/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: C Um internauta, comunicando-se em uma rede social, tem conheci- mento de que naquele instante a temperatura em Nova Iorque é

θ NI = 68 ºF, em Roma é θ RO = 291 K e em São Paulo, θ SP = 25 ºC. Comparando essas temperaturas, estabelece-se que

a) θ NI < θ RO < θ SP

b) θ SP < θ RO < θ NI

*c) θ RO < θ NI < θ SP

d) θ RO < θ SP < θ NI

e) θ NI < θ SP < θ RO

(UFJF/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: D Durante um experimento, um estudante de física mediu a tempera- tura de vários objetos a diferentes temperaturas usando dois termô- metros, sendo um graduado numa escala desconhecida e o outro graduado na escala Celsius. O estudante, então, criou uma escala que chamou de (°T) para o termômetro de escala desconhecida e a comparou com a escala Celsius, obtendo o seguinte gráfico:

comparou com a escala Celsius, obtendo o seguinte gráfico: Se um dos objetos medidos estava a

Se um dos objetos medidos estava a 75 °C, qual a me dida desse objeto no termômetro de escala °T?

a) 35 °T

b) 40 °T

c) 75 °T

*d) 85 °T

e) 90 °T

(VUNESP/FAMECA-2014.1) - ALTERNATIVA: E A hipotermia é a perda excessiva do calor, abaixando a temperatura do organismo nos indivíduos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma temperatura de 89,6 ºF já é considerada uma hipoter- mia moderada, temperatura que, na escala Celsius, corresponde a

a) 34.

b) 33.

c) 31.

d) 30.

*e) 32.

(IF/CE-2014.1) - ALTERNATIVA: D Ao tomar a temperatura de um paciente, um médico do programa Mais Médicos só tinha em sua maleta um termômetro graduado na escala Fahrenheit. Após colocar o termômetro no paciente, ele fez

uma leitura de 104 ºF. A correspondente leitura na escala Celsius era de

a) 30.

b) 32.

c) 36.

*d) 40.

e) 42.

(UNITAU/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: C Uma característica das regiões consideradas como desertos é a brusca variação de temperatura ao longo do dia. Considere um ter- mômetro calibrado com as seguintes informações: a água, à pressão

de 1 atmosfera, congela a 0 ºC ou 32 ºF; a água, também à pressão de 1 atmosfera, evapora a 100 ºC ou 212 ºF. Esse termômetro foi usado para medir as temperaturas máxima e mínima de um deserto, ao longo de um mesmo dia. O resultado encontrado foi de +40 ºC, para a máxima, e −10 ºC, para a mínima. É CORRETO afirmar que essa variação de temperatura (máxima menos mínima) na escala fahrenheit corresponde a uma variação de

a) 28 ºF.

b) 54 ºF.

*c) 90 ºF.

d) 17 ºF.

e) 122 ºF.

japizzirani@gmail.com

(UFSJ/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: C

O efeito estufa tem elevado a temperatura média da Terra, ao longo

dos anos, gerando muita preocupação, principalmente por parte dos ambientalistas. Em algumas cidades do Brasil, verifica-se, num dia normal de verão, a temperatura de 37,0 ºC. Na escala Kelvin, essa temperatura é de

a) 236,15

b) 270,00

*c) 310,15

d) 373,15

(ASCES/PE-2014.1) - ALTERNATIVA: A Um estudante inventa uma escala termométrica ( ºX). A relação ma- temática entre as temperaturas T X nesta escala e as temperaturas

T C na escala Celsius ( ºC ) é dada pela expressão T X = 8T C /3 + 15. Ele conclui que uma variação de 15 ºC corresponde a uma variação

de:

*a) 40 ºX.

b) 43 ºX.

c) 48 ºX.

d) 53 ºX.

e) 55 ºX.

(SENAC/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: D

A chegada do homem a lua aconteceu em 1969. A estrutura da lua

é rochosa e praticamente não possui atmosfera, o que faz com que

durante o dia a temperatura chegue a 105 °C e à noite caia para −155 °C. Essa variação térmica, medida na escala Fahrenheit de temperatu- ra, vale

a) 50.

b) 90.

c) 292.

*d) 468.

e) 472.

3

VESTIBULARES 2014.2

(UFU/MG-2014.2) - ALTERNATIVA: C Com a atual onda de calor que enfrentamos, geralmente, durante o verão, um apresentador de TV disse a seguinte frase: “Ontem, em

uma cidade do Nordeste, chegou a fazer 45 graus. No Brasil, não se registravam temperaturas tão quentes nos últimos dez anos!” Do ponto de vista físico, tal frase é INCORRETA, pois

a)

45 graus só é quente se comparados a uma escala previamente

definida.

b)

*c)

d)

45 graus é a energia térmica percebida no dia. o apresentador assumiu que temperatura é sinônimo de calor. quando há alta temperatura, há grande quantidade de calor.

(VUNESP/UNIVAG-2014.2) - ALTERNATIVA: D Uma haste metálica homogênea tem comprimento 2,001 m no ponto de congelamento da água e 2,009 m no ponto de ebulição da água, sob pressão atmosférica normal. Quando seu comprimento for de 2,004 m, sua temperatura, em graus Celsius, será

a)

b)

c)

*d)

e)

38,0.

36,0.

36,5.

37,5.

37,0.

(IFSUL/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: A Num livro de Ciências e Tecnologia, um estudante leu que, na escala Kelvin, um certo álcool se solidifica, sob pressão normal, à tempe- ratura de 156 K. Essa temperatura, na escala Celsius, corresponde ao valor de

*a)

b)

c)

d)

−117 ºC

−171 ºC

−31 ºC

−97 ºC

(ACAFE/SC-2014.2) - ALTERNATIVA: B

A

nismo de aviso de que algo no corpo está com problemas. A tempe- ratura de 36,8 ºC é considerada normal para o corpo humano e após

variação da temperatura corporal pode ser considerada um meca-

38 ºC é considerado febre.

De acordo com a Física, a alternativa correta sobre temperatura é:

a)

*b)

negativos.

c)

d)

será sua temperatura.

A temperatura é uma grandeza física vetorial. A escala de temperatura chamada Kelvin não apresenta valores

O zero absoluto aparece apenas na escala Celsius.

Quanto maior é a agitação das moléculas de um corpo menor

(UCB/DF-2014.2) - RESPOSTA: θ F = −430,6 ºF Supercondutores são materiais que perdem a resistência à corrente elétrica quando estão abaixo de uma certa temperatura. A compre-

ensão dos complexos mecanismos que levam alguns materiais a se comportarem como supercondutores vem intrigando os cientistas há quase um século. Tudo começou com o trabalho de Heike Kamerlin- gh-Onnes que, em 1911, descobriu que o mercúrio podia transportar corrente elétrica sem nenhuma resistência aparente. Além disso, essa corrente podia persistir por um tempo indefinido. Onnes deu o nome de supercondutividade ao estranho fenômeno. Desde então,

o

materiais que, abaixo de uma certa temperatura crítica (T c ), perdem

a

resistência à passagem de corrente elétrica, além de apresentar

termo supercondutores vem sendo usado para denotar todos os

outras propriedades. Dois anos após a descoberta, em 1913, Onnes foi agraciado com o prêmio Nobel de Física. A partir da descoberta inicial, a supercondutividade foi procurada em vários materiais e, em especial, nos metais, que são naturalmente bons condutores de ele-

tricidade. Em 1929, o T c recorde estava com o nióbio, em 9,25 K; em 1941, com a liga de nióbio-nitrogênio, em 16 K; já em 1953, com a liga de vanádio-silício, em 17,5 K; e, daí por diante.

BRANÍCIO, P.S. Introdução à supercondutividade, suas aplicações e a mini-revolução provocada pela redescoberta do MgB2: uma abordagem didática. Rev. Bras. Ensino Fís. Vol. 23. n. 4. São Paulo, dec. 2001, com adaptações.

De acordo com o texto, a liga de nióbio-nitrogênio possui tempera- tura crítica de 16 K (Kelvins). Determine essa temperatura em graus Fahrenheit.

japizzirani@gmail.com

(UFSJ/MG-2014.2) - ALTERNATIVA: B Suponha que você se sentiu mal e foi a um posto de saúde onde es- tava de plantão um médico estrangeiro, oriundo do programa “Mais Médicos” do Governo Federal. O médico verificou sua temperatura com um termômetro que tem escala Fahrenheit e informou que sua temperatura é de 100,4 ºF. Essa temperatura corresponde, em graus Celsius, a

a)

*b) 38.

c)

d)

32.

100,4.

138,4.

(UNITAU/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: C

O calor é uma forma de energia sobre a qual é CORRETO afirmar:

a)

corpo.

b)

corpo.

*c) É definido como sendo a energia que flui entre corpos devido à diferença de temperatura desses corpos.

d)

É definido como sendo a energia mecânica média contida em um

É definido como sendo a energia cinética total contida em um

É definido como sendo a energia elétrica média das moléculas

de um corpo.

e)

corpo.

É definido como sendo a energia potencial gravitacional de um

(IF/CE-2014.2) - ALTERNATIVA: C A temperatura corporal humana pode sofrer uma variação de 7 ºC,

ou seja, variar de 35 ºC a 42 ºC. Esta variação de temperatura ex- pressa na escala Fahrenheit (ºF), vale:

a)

b)

*c) 12,6

d)

e)

7,0

9,2

35

42

4

TERMOFÍSICA

calor sensível

VESTIBULARES 2014.1

(UFRN-2014.1) - ALTERNATIVA: C Durante o seu trabalho cotidiano, um mecânico tem como tarefa esmerilhar várias peças metálicas. Por isso, é atingido por várias fagulhas incandescentes, mas não se queima, conforme ilustra-se na figura a seguir.

mas não se queima, conforme ilustra-se na figura a seguir. Isso acontece porque as fagulhas têm

Isso acontece porque as fagulhas têm

a) condutividade térmica muito pequena.

b) capacidade térmica muito grande.

*c) capacidade térmica muito pequena.

d) condutividade térmica muito grande.

(IME/RJ-2014.1) - ALTERNATIVA: C Dois corpos iguais deslizam na mesma direção e em sentidos opos- tos em um movimento retilíneo uniforme, ambos na mesma veloci- dade em módulo e à mesma temperatura. Em seguida, os corpos colidem. A colisão é perfeitamente inelástica, sendo toda energia li- berada no choque utilizada para aumentar a temperatura dos corpos em 2 K. Diante do exposto, o módulo da velocidade inicial do corpo, em m/s, é

Dado: Calor específico dos corpos igual a 2 J/(kg.K) .

a)

√2 .

d) 4.

b)

2.

e)

6.

*c) 2√2 .

(UFPE-2014.1) - ALTERNATIVA: C

A água da cacimba da aldeia precisa ser fervida para que possa ser

bebida sem causar doenças. Quando coletada da cacimba, a tempe- ratura da água é 15 ºC. Sabendo-se que a água ferve à temperatura de 100 ºC, calcule quanta energia, em kcal, é necessária para fazer 1 litro de água ferver. O calor específico da água é 1,0 cal/(g.ºC) e

sua massa específica é 1,0 kg/L.

a) 15

d) 95

b) 35

e) 100

*c) 85

(FGV/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: B

O texto e as informações a seguir referem-se à questão de número

104.

Uma pessoa adquiriu um condicionador de ar para instalá-lo em determinado ambiente. O manual de instruções do aparelho traz, dentre outras, as seguintes especificações: 9 000 BTUs; voltagem:

220 V; corrente: 4,1 A; potência: 822 W. Considere que BTU é uma unidade de energia equivalente a 250 calorias e que o aparelho seja utilizado para esfriar o ar de um am- biente de 15 m de comprimento, por 10 m de largura, por 4 m de al- tura. O calor específico do ar é de 0,25 cal/(g·ºC) e a sua densidade

é de 1,25 kg/m 3 .

QUESTÃO 104

O uso correto do aparelho provocará uma variação da temperatura

do ar nesse ambiente, em valor absoluto e em graus Celsius, de

a)

10.

d) 16.

*b) 12.

e) 18.

c)

14.

japizzirani@gmail.com

(VUNESP/UEA-2014.1) - ALTERNATIVA: E Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), a precipitação média anual em Manaus é cerca de 2 200 litros por metro quadrado e a variação anual da temperatura média mensal é da ordem de 2,0 ºC. Sendo a massa específica da água 1,0 kg/L e seu calor específico

4,2 × 10 3 J/kg · ºC, a quantidade de calor, em joules, necessária para aquecer 2 200 litros de água de 2,0 ºC é igual a

a) 4,40 × 10 3 .

d) 9,24 × 10 6 .

b) 9,24 × 10 3 .

*e) 1,85 × 10 7 .

c) 1,85 × 10 4 .

(UFPR-2014.1) - RESPOSTA: t = 167 s Nas residências, é comum utilizarmos um aparelho chamado “mer- gulhão”, “ebulidor” ou “rabo quente”, constituído essencialmente por um resistor que, ao ser ligado a uma diferença de potencial, dissipa calor e aquece líquidos nos quais está mergulhado. Suponha que a resistência do aparelho seja constante e igual a 10 , e que ele seja mergulhado num recipiente com um litro de água pura, inicialmente

a 20 ºC. Considere que a densidade da água é 1000 kg/m 3 , seu

calor específico é 4187 J/(kg∙ºC) e que o aparelho seja ligado a uma diferença de potencial de 100 V. Despreze a capacidade térmica do aparelho e do recipiente. Com base nestes dados, calcule quanto tempo leva para a água ser aquecida até a temperatura de 60 ºC, expressando seu resultado em segundos e utilizando apenas três algarismos significativos.

(VUNESP/FMJ-2014.1) - RESPOSTA: a) P = 4 kW b) t = 80 s

O gráfico relaciona a quantidade de calor (Q) que um aquecedor é

capaz de fornecer a qualquer sistema, em função do tempo (t). Q (kcal) 300 5,0
capaz de fornecer a qualquer sistema, em função do tempo (t).
Q (kcal)
300
5,0
t (min)

a) Calcule, em kW, a potência desse aquecedor. Use 1 cal = 4 J.

b) Calcule o intervalo de tempo necessário para esse aquecedor

elevar a temperatura de 1 L de água de 20 ºC até seu ponto de ebulição a 100 ºC. Considere a densidade da água d = 1 kg/L, seu calor específico c = 1 cal/(g.ºC) e que o recipiente que a contém é adiabático.

(UNITAU/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: C Um estudante construiu um aparelho para medir a quantidade de calor absorvido por um corpo em processos de mudança de tem- peratura desse corpo. A fim de averiguar se o aparelho funciona de

forma correta, o aluno fez o seguinte procedimento: colocou no apa- relho 500 g de água pura a temperatura ambiente de 20 ºC; aqueceu

a água até entrar em ebulição. Supondo que o teste foi realizado ao

nível do mar, calcule a quantidade de calor que o aparelho deve indicar quando a água atingir o ponto de ebulição, nas Condi- ções Normais de Temperatura e Pressão (CNTP).

Dado: c água = 1 cal/(g.ºC)

a) 30 × 10 3 cal

b) 10 × 10 3 cal

*c) 40 × 10 3 cal

d) 10 × 10 4 cal

e) 40 × 10 4 cal

(IF/GO-2014.1) - ALTERNATIVA: D

A piscina de uma residência tem as seguintes dimensões: 5m × 3m

× 1,2m. Considere que esta piscina está completamente cheia de

água à temperatura de 25°C. O aparelho utilizado para o aqueci- mento dessa piscina tem uma potência média de 8 000 W. Sabendo

que a densidade da água é de 1 000kg/m 3 , que o seu calor específi- co vale 1 cal/(g.°C) e que 1 cal = 4J , podemos afirmar que, após 4h,

a temperatura da água é de:

a) 29,6°C

*d) 26,6°C

b) 41,6°C

e) 32,6°C

c) 35,6°C

5

(VUNESP/ANHEMBI-MORUMBI-2014.1) - ALTERNATIVA: D O fabricante de uma bolsa térmica à base de gel informa que é ne- cessário que a bolsa fique 8,0 minutos imersa em água fervente para atingir a temperatura de 60 ºC. Considerando a capacidade térmica

da bolsa igual a 300 cal/ºC e a temperatura inicial de 20 ºC, é correto afirmar que a taxa média de absorção de calor pela bolsa nesse processo, em cal/min, é igual a

a) 7 500.

b) 2 500.

c) 5 000.

*d) 1 500.

e) 9 000.

(MACKENZIE/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: A Uma panela de ferro de calor específico = 0,1 cal/(g.ºC) que está sobre um armário de 2,10 m de altura cai no piso da cozinha. Admi- tindo que toda a energia mecânica da panela tenha sido convertida em calor e que 80% dela foi absorvida pela panela, a sua elevação de temperatura será de

Adote g = 10 m/s 2 e 1 cal = 4,2 J

*a) 0,04 ºC

b) 0,08 ºC

c) 0,12 ºC

d) 0,16 ºC

e) 0,20 ºC

(UFJF/MG-2014.1) - RESPOSTA: a) Q = 301 392 J b) t = 8,97 min Considere um aquecedor elétrico para água (figura ao lado) como uma fonte de potência elétrica constante igual a 560 W. Suponha que esse aquecedor foi utilizado para variar a temperatura de 72 °C em um litro de á gua. Sendo o calor específico da água igual a

1 cal/(g.°C) (1cal = 4,186 J), e sua densidade

1 g/cm 3 , RESPONDA:

a) Quanto calor foi transferido para a água?

b) Quanto tempo a fonte demorou para realizar este aquecimento?

Quanto tempo a fonte demorou para realizar este aquecimento? (VUNESP/FACISB-2014.1) - ALTERNATIVA: D Um coletor solar

(VUNESP/FACISB-2014.1) - ALTERNATIVA: D Um coletor solar tem área de 2,0 m 2 , rendimento de 60% e fornece energia para 200 kg de água contida em um reservatório termica- mente isolado. Considerando que a intensidade de radiação solar na região, em determinado período do dia, é de 700 W/m 2 , que o calor

específico da água é igual a 4,2 × 10 3 J/(kg · ºC) e que toda a energia útil recolhida pelo coletor seja transferida integralmente para a água no reservatório, é correto afirmar que a variação de temperatura so- frida pela água, em ºC, no intervalo de uma hora, será igual a

a) 7,2.

b) 6,0.

c) 9,0.

*d) 3,6.

e) 12.

japizzirani@gmail.com

6

VESTIBULARES 2014.2

(UNESP-2014.2) - ALTERNATIVA: E

Foram queimados 4,00 g de carvão até CO 2 em um calorímetro. A temperatura inicial do sistema era de 20,0 ºC e a final, após a com- bustão, 31,3 ºC. Considere a capacidade calorífica do calorímetro igual a 21,4 kcal/ºC e despreze a quantidade de calor armazenada na atmosfera dentro do calorímetro. A quantidade de calor, em kcal/

g, liberada na queima do carvão, foi de

a) 670.

b) 62,0.

c) 167.

d) 242.

*e) 60,5.

(USS/RJ-2014.2) - ALTERNATIVA: A

A tabela a seguir relaciona as temperaturas médias anuais em algu-

mas localidades, todas situadas ao nível do mar.

Localidade

Temperatura média

(ºC)

W 37,2

X 40,5

Y 47,1

Z 50,8

A localidade na qual é necessária maior quantidade de energia para

que a água entre em ebulição está representada, na tabela, pela seguinte letra:

*a) W

b) X

c) Y

d) Z

(PUC/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: A Uma forma de aquecer água é usando aquecedores elétricos de imersão, dispositivos que transformam energia elétrica em energia térmica, mediante o uso de resistores elétricos. Um desses aquece- dores, projetado para fornecer energia na razão de 500 calorias por segundo, é utilizado no aquecimento de 500 gramas de água, da temperatura de 20 ºC para 80 ºC. Considerando que toda a energia transferida é aproveitada no aquecimento da água e sabendo que o

calor específico da água é c = 1,0 cal/g.ºC, o tempo necessário para atingir 80 ºC é igual a *a) 60 s

b) 68 s

c) 75 s

d) 84 s

e) 95 s

(VUNESP/UNIFEV-2014.2) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO Uma pessoa utiliza um recipiente para aquecer 400 g de água, ini- cialmente a 25 ºC, até que sua temperatura atinja 85 ºC. Para isso, fornece ao sistema uma quantidade de calor igual a 40 000 cal, dos quais 10% são perdidos para o ambiente. Sendo o calor específico da água constante e igual a 1,0 cal/(g·ºC), determine:

a) a quantidade de calor, em calorias, absorvida pela massa de

água.

b) a capacidade térmica, em cal/ºC, do recipiente.

RESPOSTA VUNESP/UNIFEV-2014.2

a) Q = 24 000 cal

b) C = 200 cal/ºC

(UTFPR-2014.2) - ALTERNATIVA: E Suponha que a chama de certo fogão a gás transfira para a água, contida numa chaleira, a quantidade de calor de 100 calorias a cada

segundo, sendo o calor usado apenas para aquecimento. Como o calor específico da água é 1 cal/(g.ºC) e a chaleira contém 600 g de água a 20 ºC, o intervalo de tempo em minutos para que essa massa de água atinja a temperatura de 100 ºC é igual a:

a) 6.

b) 5.

c) 10.

d) 7.

*e) 8.

japizzirani@gmail.com

(UNITAU/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: C O calor é uma forma de energia sobre a qual é CORRETO afirmar:

a) É definido como sendo a energia mecânica média contida em um

corpo.

b) É definido como sendo a energia cinética total contida em um

corpo. *c) É definido como sendo a energia que flui entre corpos devido à

diferença de temperatura desses corpos.

d) É definido como sendo a energia elétrica média das moléculas

de um corpo.

e) É definido como sendo a energia potencial gravitacional de um

corpo.

(UEPG/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04) Sobre calor e temperatura, assinale o que for correto. 01) Um sistema isolado, constituído por diversos cor-pos, encontra- se em equilíbrio térmico quando é nulo o fluxo de calor entre os corpos que o constituem. 02) A temperatura de um gás ideal é inversamente proporcional à energia cinética média das moléculas que o constituem. 04) Calor é uma forma de transferir energia entre dois sistemas físi- cos, quando entre eles existe uma diferença de temperatura. 08) Dois corpos, constituídos pelo mesmo material, ao receberem iguais quantidades de calor sofrem variações de temperatura pro- porcionais às suas massas. 16) As variações extremas de temperatura observadas nos desertos são provocadas pela baixa densidade da areia.

7

TERMOFÍSICA

calor latente

VESTIBULARES 2014.1

(VUNESP/UFSCar-2014.1) - ALTERNATIVA: D Examine o diagrama de fases da água.

1 sólido 2 líquido vapor 3 pressão
1
sólido
2
líquido
vapor
3
pressão

temperatura

(www.brasilescola.com. Adaptado.)

Considere os fenômenos descritos nos itens I e II:

I. Na panela de pressão, os alimentos são cozidos mais rapidamente

porque a ebulição da água ocorre a uma temperatura mais elevada.

II. A liofilização é um processo de desidratação usado para preserva-

ção de alimentos perecíveis, em que a água é retirada dos alimentos

congelados por sublimação. Na figura, as curvas que representam o equilíbrio entre os estados físicos da água descritos nos itens I e II são, respectivamente,

a) 1 e 2.

b) 2 e 1.

c) 1 e 3.

*d) 2 e 3.

e) 3 e 2.

(UEM/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08) Assinale o que for correto.

01) A constante de proporcionalidade entre a capacidade calorífica de um determinado corpo e sua massa, a volume constante, é de- nominada calor latente.

02) Se um corpo A está em equilíbrio térmico com um corpo B, e se

B também está em equilíbrio térmico com um terceiro corpo C, então

A está em equilíbrio térmico com C.

04) Temperatura é a medida do grau de agitação das moléculas, ou átomos, que constituem um corpo.

08) Calor é a energia transferida de um corpo a outro devido apenas

à diferença de temperatura entre esses corpos.

16) A variação de uma unidade na escala Celsius de temperaturas equivale à variação de 1,8 unidades na escala Kelvin de tempera-

turas.

(PUC/GO-2014.1) - ALTERNATIVA: D

No trecho: “As crianças não podem mais soltar papagaio. Estão sus- pensas as evaporações públicas: quem tiver parentes para evaporar deve entregá-lo a uma agência de evaporação e se contentar com o recibo carimbado. Tudo isso compõe essa nuvem pesada que vem baixando sobre nós”, faz-se alusão à evaporação, que na física não

é essencialmente sinônimo de vaporização.

Ao adicionarmos 540 cal em 4 g de água no seu ponto de ebulição (100 ºC), contida em um recipiente termicamente isolado, parte des-

sa água sofre vaporização.

Dados:

•calor latente de vaporização da água = 540 cal/g; •calor específico da água = 1 cal/(g.ºC)

A massa de água restante será:

a) 0 g

b) 1 g

c) 2 g

*d) 3 g

japizzirani@gmail.com

(UNICENTRO/PR-2014.1) - ALTERNATIVA: E Uma pedra de gelo de 100 g, à temperatura de −10 ºC, muda seu estado para líquido, à temperatura de 20 ºC. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o calor necessá- rio para ocorrer essa mudança. Dados: calor específico do gelo c g = 0,5 cal/(g · ºC) calor específico da água c a = 1 cal/(g · ºC) calor latente de fusão do gelo L = 80 cal/g

a) 02,5 kcal

b) 05,5 kcal

c) 08,5 kcal

d) 09,5 kcal

*e) 10,5 kcal

(VUNESP/UFSCar-2014.1) - ALTERNATIVA: B Uma característica do álcool em seu estado líquido é dada pelo valor numérico 2 400 J/(kg · ºC). Essa característica é

a) o calor latente de vaporização, que informa a quantidade de ener-

gia térmica necessária para transformar em vapor 1 kg de álcool. *b) o calor específico, que informa a quantidade de energia térmi- ca necessária para que 1 kg de álcool aumente a temperatura em

1

c)

ca contida em uma massa de 2 400 kg de álcool à temperatura de

1

d)

o calor latente de condensação, que informa a quantidade de ener-

gia térmica necessária para converter em líquido 1 kg de álcool.

e) a capacidade térmica, que relaciona a quantidade de energia tér-

mica recebida pelo álcool e a correspondente variação de tempera- tura provocada por ele.

ºC.

o calor específico, que informa a quantidade de energia térmi-

ºC.

(PUC/RJ-2014.1) - RESPOSTA: a) Q a = 294 kJ

João quer fazer uma experiência de física e deseja evaporar um litro

de água que inicialmente se encontra a 30 ºC.

b) Q b = 2 594 kJ

Considere:

• a densidade da água igual a 1,0 g/cm 3

• o calor específico da água igual a 4,2 kJ/(kg.K)

• o calor de vaporização da água igual a 2300 kJ/kg.

Calcule, em kJ:

a) a quantidade de calor necessária para promover o aquecimento

da água até 100 ºC;

b) a quantidade total de calor necessária para promover a evapora-

ção de toda a água.

(FGV/RJ-2014.1) - ALTERNATIVA: C Uma substância de 900 g, inicialmente no estado sólido, é coloca- da em um sistema de aquecimento de 300 W. Verifica-se que os 900 g da substância estão no estado líquido após 40 minutos de aquecimento. O gráfico da figra abaixo mostra a temperatura θ da substância em função do tempo t que ela pernanece no sistema de aquecimento.

θ (ºC) 520 Dado: 1 cal = 4 J. 20 20 40 t (minutos) A
θ (ºC)
520
Dado:
1 cal = 4 J.
20
20
40
t (minutos)
A partir do gráfico e das demais informações, foram feitas as seguin-

tes afirmações:

I - A temperatura de fusão da substância é 500 ºC.

II - O calor específico da substância no estado sólido é igual a 0,2 cal/(g.ºC).

III - O calor latente de fusão da substância é igual a 100 cal/g.

Dentre as afirmações, apenas estão corretas:

a) I e II.

b) III.

*c) II e III.

d) II.

e) I.

8

(VUNESP/UNISA-2014.1) - ALTERNATIVA: C

O gráfico representa a variação da temperatura de uma amostra de

água, inicialmente no estado líquido a 60 ºC, em função do intervalo de tempo.

T (ºC)

60

0 10 20 t (min)
0 10
20
t (min)

Considere que o calor específico da água é 1,0 cal/(g.ºC), o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g e que o calor é extraído da água a uma taxa constante de 10 cal/s. Ao final de 20 minutos, a quantidade de água que ainda restará, em gramas, é igual a

a) 10.

d) 15.

b) 20.

e) 5.

*c) 25.

(VUNESP/UNICASTELO-2014.1) - ALTERNATIVA: A Autoclaves são equipamentos utilizados para a esterilização de ob- jetos e instrumentos hospitalares. As autoclaves combinam tempe- ratura, pressão e umidade para destruir micro-organismos.

manômetro tampa válvula de segurança câmera de esterilização válvula de drenagem suporte para materiais
manômetro
tampa
válvula de
segurança
câmera de
esterilização
válvula de
drenagem
suporte para
materiais
resistência

Em um hospital, uma autoclave era regulada para tempo de funcio- namento igual a 15 minutos, à temperatura de 124 ºC, e pressão de 2,5 atm. Nesse mesmo equipamento, para diminuir o tempo de autoclavagem, a pressão de vapor foi regulada para 3 atm. Nessa nova condição, a temperatura do vapor no interior da auto-

clave

*a) aumenta, e esse aumento é diretamente proporcional ao aumen-

to

da pressão.

b)

diminui, e essa diminuição é inversamente proporcional ao au-

mento da pressão.

c) aumenta, e esse aumento é inversamente proporcional ao au-

mento da pressão.

d)

diminui, e essa diminuição é diretamente proporcional ao aumen-

to

da pressão.

e)

permanece em 124 ºC, pois o volume do sistema é o mesmo.

(CEFET/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: D Durante uma aula prática de Química, um estudante registrou a va- riação da temperatura da água pura em função do tempo e, com os dados obtidos, elaborou o gráfico que mostra uma mudança de fase.

50 40 30 20 10 0 −10 −20 −30 1 2 3 4 5 6
50
40
30
20
10
0
−10
−20
−30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
Temperatura (ºC)

Tempo (minutos)

A mudança de estado físico verificada pelo estudante é denomina-

da

a)

fusão.

b) ebulição.

c)

condensação.

*d) solidificação.

japizzirani@gmail.com

(VUNESP/UEA-2014.1) - ALTERNATIVA: B É possível passar a matéria do estado sólido diretamente para o ga- soso, evitando a fase líquida. Tal fenômeno físico se verifica comu- mente no gelo seco e na naftalina, mas também pode ocorrer com a água, dependendo das condições de temperatura e pressão. A essa passagem dá-se o nome de

a) condensação.

*b) sublimação.

c) fusão.

d) vaporização.

e) calefação.

(ACAFE/SC-2014.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: A Com 77% de seu território acima de 300 m de altitude e 52% acima de 600 m, Santa Catarina figura entre os estados brasileiros de mais forte relevo. Florianópolis, a capital, encontra-se ao nível do mar. Lages, no planalto, varia de 850 a 1 200 metros acima do nível do mar. Já o Morro da Igreja situado em Urubici é considerado o ponto habitado mais alto da Região Sul do Brasil. A tabela abaixo nos mostra a temperatura de ebulição da água nes- ses locais em função da altitude.

Localidade

Altitude em relação ao nível do mar (m)

 

Florianópolis

0

100

Lages (centro)

916

97

Morro da Igreja

1 822

94

Temperatura apro - ximada de ebulição da água (ºC)

Considere a tabela e os conhecimentos de termologia e analise as afirmações a seguir.

l. Em Florianópolis os alimentos preparados dentro da água em uma panela comum são cozidos mais depressa que em Lages, utilizan- do-se a mesma panela.

ll. No Morro da Igreja, a camada de ar é menor, por consequência,

menor a pressão atmosférica exercida sobre a água, o que implica em um processo de ebulição a uma temperatura inferior a Florianó- polis.

lll. Se quisermos cozinhar em água algum alimento no Morro da

Igreja, em uma panela comum, será mais difícil que em Florianópo- lis, utilizando-se a mesma panela. Isso porque a água irá entrar em ebulição e secar antes mesmo que o alimento termine de cozinhar.

lV. Se quisermos cozinhar no mesmo tempo em Lages e Florianópo-

lis um mesmo alimento, devemos usar em Florianópolis uma panela de pressão.

Todas as afirmações corretas estão em:

*a)

b) I - II - IV

c) II - III - IV

d) III - IV

I - II - III

(UFLA/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: B Um bloco de chumbo de 100 g de massa é colocado dentro de uma fonte de energia térmica de potência constante e igual a 50 cal/s. No gráfico abaixo, verifica-se a variação da temperatura em função do tempo de aquecimento, no intervalo de 0 a 33 segundos.

T (ºC) 550 328 11 22 33 t (s) Marque a alternativa CORRETA.
T (ºC)
550
328
11
22
33 t (s)
Marque a alternativa CORRETA.

a) O calor latente de fusão é 550 cal/g

*b) O calor latente de fusão é 5,5 cal/g

c) A temperatura de vaporização é de 328 °C

d) A temperatura de fusão é de 550 °C

9

(UFV/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: C Considere que 1 kg de uma substância, inicialmente no estado sóli- do, é aquecida à pressão constante usando-se um resistor que dis- sipa 1 000 W. Não há nenhuma perda de calor para o ambiente. O gráfico abaixo representa a temperatura da substância em função do tempo:

T (ºC) 1500 300 0 0 39 63,3 243,3 400 t (s) Com relação à
T (ºC)
1500
300
0
0 39 63,3
243,3
400
t (s)
Com relação à substância mencionada acima, analise as afirmativas

abaixo:

I. A temperatura de fusão da substância é 300 ºC.

II. O calor específico do sólido é 130 J/(kg.ºC).

III. O calor específico do líquido é 162,2 J/(kg.ºC).

IV. O calor latente de fusão é 63 300 J/kg.

Está CORRETO o que se afirma apenas em:

a) III e IV.

b) II e III.

*c) I e II.

d) I e IV.

(UERJ-2014.1) - RESPOSTA: m = 30 kg e Q = 900 kcal

A

energia consumida por uma pessoa adulta em um dia é igual a

2

400 kcal.

Determine a massa de gelo a 0 ºC que pode ser totalmente liquefeita pela quantidade de energia consumida em um dia por um adulto. Em seguida, calcule a energia necessária para elevar a temperatura dessa massa de água até 30 ºC. Dados: calor específico da água = 1 cal/(g·ºC) calor latente do gelo = 80 cal/g

(UFPR-2014.1) - RESPOSTA: a) Q = 4,2×10 5 J b) Q = 76,8×10 5 J Recentemente houve incidentes com meteoritos na Rússia e na Ar-

gentina, mas felizmente os danos foram os menores possíveis, pois, em geral, os meteoritos ao sofrerem atrito com o ar se incineram

e desintegram antes de tocar o solo. Suponha que um meteorito

de 20 kg formado basicamente por gelo entra na atmosfera, sofre

atrito com o ar e é vaporizado completamente antes de tocar o solo. Considere o calor latente de fusão e de vaporização da água iguais a 300 kJ/kg e 2 200 kJ/kg, respectivamente. O calor específico do gelo

é 0,5 cal/(g∙ºC) e da água líquida é 1,0 cal/(g∙ºC). Admita que 1 cal é igual a 4,2 J. Supondo que o bloco de gelo estava à temperatura de −10 ºC antes de entrar na atmosfera, calcule qual é a quantidade de energia fornecida pelo atrito, em joules, para:

a)

aumentar a temperatura do bloco de gelo de −10 ºC até gelo a

0

ºC.

b) transformar o gelo que está na temperatura de 0 ºC em água

líquida a 20 ºC.

(IF/SC-2014.1) - ALTERNATIVA: E Podemos determinar o estado físico de uma substância, observando sua temperatura de fusão e de ebulição. Observe o quadro abaixo:

Substâncias

Fusão (ºC)

Ebulição (ºC)

Oxigênio

−218,4

−183,0

Amônia

−77,7

−33,4

Metanol

−97,0

64,7

Alumínio

660,0

2056,0

Assinale a alternativa CORRETA.

a) É possível determinar se uma substância é sólida, apenas pelo

seu ponto de ebulição.

b) O alumínio é sólido nas condições ambientes, pois apresenta bai-

xo ponto de fusão.

c) A 70 ºC o metanol é líquido.

d) A amônia apresenta alto ponto de fusão e ebulição.

*e) A 25 ºC o oxigênio é gasoso.

japizzirani@gmail.com

(UCS/RS-2014.1) - ALTERNATIVA: B Uma ferramenta de corte a raio laser consegue cortar vários mate-

riais, como aço carbono, aço inoxidável, alumínio, titânio, plásticos, etc. Supondo, numa situação idealizada para fins de simplificação, que o material sólido a ser cortado estava exatamente na sua tem- peratura de transição do estado sólido para o líquido; além disso, que o laser foi aplicado e liquefez o material nos trechos em que esteve em contato com ele, porém, sem aumentar a temperatura do material nesses trechos. Pode-se dizer que o laser transferiu para o material uma quantidade de energia associada diretamente

a) ao calor específico do material.

*b) ao calor latente de fusão do material.

c) à capacidade térmica do material.

d) ao módulo de compressibilidade do material.

e) ao número de moles do material.

(UFSC-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 69 (01+04+64) “Epagri confirma registro de neve em Palhoça. Houve registro do fe- nômeno também em Rancho Queimado, Alfredo Wagner e Angelina, na Grande Florianópolis. Os morros na região do Cambirela, em Palhoça, amanheceram com paisagem europeia nesta terça-feira. A neve que caiu na cidade pin- tou o topo de branco e chamou a atenção de moradores [ ]” Esta notícia, publicada no ClicRBS – Diário Catarinense, em 23/07/2013, registra um evento que não ocorria há mais de 29 anos na região e que transformou a paisagem do Cambirela em um belís- simo cartão-postal.

a paisagem do Cambirela em um belís- simo cartão-postal. Disponível em:

Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/album/2013/07/23/voce-manda-in- ternautas-registram-frio-em-as-suas-cidades.htm#foto Nav =30> Acesso em: 15 ago. 2013.

Neve é um fenômeno meteorológico em que ocorre a precipitação de flocos formados por pequenos cristais de gelo, ou seja, água na fase sólida.

pequenos cristais de gelo, ou seja, água na fase sólida. Com base no diagrama de fase

Com base no diagrama de fase da água apresentado e nas mudan-

ças de fase da água, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. É fato que na pressão de 1,0 atm a água atinge a densidade

máxima a 4 ºC e, à medida que sua temperatura se aproxima de

0 ºC, sua densidade diminui. Este fato é consequência das ligações pontes de hidrogênio que surgem entre as moléculas de água, cau- sando um aumento dos espaços entre as moléculas.

02. No ponto PT, que no diagrama de fase representa o ponto triplo,

é possível encontrar a substância em uma das três fases da matéria

de cada vez.

04. Quando uma substância no estado gasoso é liquefeita somente

com o aumento da pressão, ela é classificada como vapor.

08. O processo de vaporização da água, passagem da fase líquida

para a fase sólida, pode ocorrer de três maneiras: evaporação – len- to; ebulição – muito rápido; calefação – rápido. 16. A sensação de frio é maior quando a neve derrete do que quando

ela se forma. Isto é explicado pelo fato de que a fusão é uma reação exotérmica, enquanto que a solidificação é uma reação endotérmi- ca.

32. Sublimação é a mudança da fase sólida para a fase gasosa, sem

passar pela fase líquida, somente com o aumento da pressão.

64. A curva de fusão/solidificação indica que, à medida que aumen-

tamos a pressão sobre a substância água durante a mudança de

fase, a temperatura de fusão/solidificação diminui.

10

(UEPG/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08) Calor é energia térmica em trânsito entre corpos de diferentes tem- peraturas. Analisando os fenômenos que envolvem essa grandeza, assinale o que for correto. 01) Capacidade térmica é uma grandeza que caracteriza um corpo,

e que pode ser medida em cal /ºC ou J /K.

02) Calor específico é uma grandeza que caracteriza o material que compõe o corpo, e suas unidades são as mesmas de capacidade térmica. 04) Durante uma mudança de fase, a temperatura de uma substân- cia homogênea permanece constante. 08) Tem-se 100 g de gelo a −4 ºC. Sendo o calor específico do gelo 0,5 cal/(g.ºC) e o seu calor latente de fusão 80 cal/g, pode-se afir- mar que se essa massa de gelo receber 12 000 cal, sua temperatura passará a ser 38 ºC.

(UFRGS/RS-2014.1) - ALTERNATIVA: E

O gráfico representa, em um processo isobárico, a variação em fun-

ção do tempo da temperatura de uma amostra de um elemento puro cuja massa é de 1,0 kg, observada durante 9 minutos.

80

70

60

50

40

30

20

10

0

T (ºC)
T (ºC)

t (min)

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

A amostra está no estado sólido a 0 ºC no instante t = 0 e é aqueci-

da por uma fonte de calor que lhe transmite energia a uma taxa de

2,0 × 10 3 J/min, supondo que não haja perda de calor.

A partir dos dados do gráfico, pode-se afirmar que esse elemento

apresenta uma temperatura de fusão e um calor específico no esta-

do líquido que são, respectivamente,

a) 70 ºC e 180 J/(kg.K).

b) 70 ºC e 200 J/(kg.K).

c) 40 ºC e 150 J/(kg.K).

d) 40 ºC e 180 J/(kg.K).

*e) 40 ºC e 200 J/(kg.K).

(UFRGS/RS-2014.1) - ALTERNATIVA: D Materiais com mudança de fase são bastante utilizados na fabrica- ção de tecidos para roupas termorreguladoras, ou seja, que regulam sua temperatura em função da temperatura da pele com a qual es- tão em contato. Entre as fibras do tecido são incluídas microcápsu- las contendo, por exemplo, parafina, cuja temperatura de fusão está próxima da temperatura de conforto da pele, 31 ºC. Considere que um atleta, para manter sua temperatura interna constante enquanto

se exercita, libere 1,5 × 10 4 J de calor através da pele em contato com a roupa termorreguladora e que o calor de fusão da parafina é

L F = 2,0 × 10 5 J/kg.

Para manter a temperatura de conforto da pele, a massa de parafina

encapsulada deve ser de, no mínimo,

a) 500 g.

b) 450 g.

c) 80 g.

*d) 75 g.

e) 13 g.

japizzirani@gmail.com

VESTIBULARES 2014.2

(SENAI/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: A Analisando o diagrama de mudança de estado físico de substâncias puras, verifica-se as indicações de 1 a 5.

de substâncias puras, verifica-se as indicações de 1 a 5. Com base nessas informações, podemos afirmar

Com base nessas informações, podemos afirmar que:

*a) em 2, existe uma mistura de fases.

b) na fase 5, a substância está no estado líquido.

c) na fase 1, a substância está no estado gasoso.

d) na fase 3, existe uma mudança de estado físico.

e) em 4, o patamar indica parada no fornecimento de calor.

(UNESP-2014.2) - ALTERNATIVA: D Entre 6 e 23 de fevereiro aconteceram os Jogos Olímpicos de Inver- no de 2014. Dentre as diversas modalidades esportivas, o curling é um jogo disputado entre duas equipes sobre uma pista de gelo, seu objetivo consiste em fazer com que uma pedra de granito em forma de disco fique o mais próximo de um alvo circular. Vassouras são

utilizadas pelas equipes para varrer a superfície do gelo na frente da pedra, de modo a influenciar tanto sua direção como sua velocidade.

A intensidade da fricção e a pressão aplicada pelos atletas durante o

processo de varredura podem fazer com que a velocidade da pedra

mude em até 20% devido à formação de uma película de água líqui- da entre a pedra e a pista.

O gráfico apresenta o diagrama de fases da água.

a pista. O gráfico apresenta o diagrama de fases da água. (Tito Miragaia Peruzzo e Eduardo

(Tito Miragaia Peruzzo e Eduardo Leite do Canto. Química na abordagem do cotidiano, 2006. Adaptado.)

Com base nas informações constantes no texto e no gráfico, a seta que representa corretamente a transformação promovida pela var- redura é a de número

a) 3.

b) 2.

c) 4.

*d) 1.

e) 5.

11

(UNIGRANRIO/RJ-2014.2) - ALTERNATIVA OFICIAL: E Para transformar determinada massa x de gelo a –20 ºC em água a 50 ºC, é preciso que a massa de gelo receba certa quantidade de ca- lor. Um aluno de física, conhecendo a massa x de gelo, após realizar experimentos em um laboratório, concluiu que é necessário que ela receba 200 cal para sua temperatura elevar-se até 0 ºC. Já para a fu- são do gelo, são necessárias 600 cal. E, finalmente, para que a água atinja a temperatura de 50 ºC, é necessário que ela receba mais 600 cal. A partir destes dados, determine a massa x de gelo, em gramas. Dados: latente de fusão do gelo: 80 cal/g; calor específico do gelo:

0,5 cal/g ºC; e calor específico da água: 1,0 cal/g ºC.

a) 20

b) 80

c) 100

d) 200

*e) 10

Obs.: Questão com enunciado errado. As quantidades de calor para

o aquecimento em cada etapa, além de estarem erradas, não po- dem ser dadas e sim soma delas (1400 cal).

(VUNESP/UNICID-2014.2) - ALTERNATIVA: B Para tratar um processo inflamatório, uma pessoa coloca o pé den- tro de um balde contendo gelo e água à temperatura de 0 ºC, ao ní- vel do mar. Considerando que a mistura de gelo e água recebe calor do pé e do ambiente na razão de 4,0 cal/s e sendo o calor latente de fusão do gelo igual a 80 cal/g, a quantidade de gelo derretido, em gramas, em 10 minutos, é igual a

a) 60.

*b) 30.

c)

d) 160.

e) 400.

80.

(MACKENZIE/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: A

O gráfico abaixo mostra a variação da quantidade de calor (Q) com

a temperatura (θ) de um cubo de gelo de massa m, inicialmente a 0,00 ºC.

25,0

0

θ (ºC)

gelo de massa m, inicialmente a 0,00 ºC. 25,0 0 θ (ºC) 800 Q Q (cal)

800

Q

Q (cal)

Considere: calor latente de fusão do gelo L = 80,0 cal/g e calor es- pecífico da água c = 1,00 cal/g.ºC. A quantidade de calor (Q), em kcal, necessária para que toda massa m se transforme em água a 25,0 ºC é *a) 1,05

b) 1,15

c) 1,25

d) 1,35

e) 1,45

(PUC/GO-2014.2) - ALTERNATIVA: C

O Texto 1 faz referência ao termo “ferver”, que, na Física, pode sig-

nificar mudança de fase da água para o vapor. O processo de mu- dança de fase dos materiais está diretamente relacionado com a

pressão e a temperatura a que eles estão submetidos. Analise as alternativas abaixo e marque a correta:

a) O processo no qual a água no estado líquido se transforma em va-

por é chamado de vaporização. Esse processo tem início quando a temperatura da água atinge 90 ºC e termina a 100 ºC, para qualquer

ponto da superfície terrestre.

b) Nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP), a

água evapora a 90 ºC. *c) Para ferver a água no topo de uma montanha muito alta, utili- zando-se de um recipiente aberto, gastamos menos tempo do que para ferver a mesma quantidade de água ao nível do mar no mesmo recipiente aberto, para uma mesma quantidade de calor fornecida. Considere que, em ambos os ambientes, a tempertura incial da água

é

a mesma.

d)

Em todos os processos de mudança de fase de um material, a

temperatura varia enquanto o material estiver sendo transformado.

japizzirani@gmail.com

(UEG/GO-2014.2) - ALTERNATIVA: C Considere dois objetos metálicos idênticos. Durante um longo pe- ríodo de tempo, um deles fica em contato térmico com água em ebulição, enquanto o outro permanece em contato com gelo em fu- são. Imediatamente ao serem separados do contato térmico, os dois objetos diferem na quantidade de

a) calor

b) calor latente

*c) temperatura

d) trabalho

(PUC/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: E

A umidade relativa é a razão obtida dividindo-se a massa de vapor

de água presente num dado volume de ar pela massa de vapor de água que poderia estar presente nesse mesmo volume e à mesma temperatura, caso o ar estivesse saturado. Portanto, ar saturado de vapor de água tem umidade relativa de 100%.

Verifica-se, que numa sala com 320 m 3 de ar a 23 ºC, a umida- de relativa é de 50%. Sabendo-se que ar saturado a 23 ºC contém

20 gramas de vapor de água por metro cúbico de ar e que a massa

específica da água é 1,0 kg/L, conclui-se que, se todo o vapor de água presente na sala fosse liquefeito, seria possível obter um vo- lume de água de

a) 2,0 L

b) 2,5 L

c) 2,8 L

d) 3,0 L

*e) 3,2 L

(IF/CE-2014.2) - ALTERNATIVA: A Uma das formas mais simples para tratar a água e torná-la potável, consiste em fervê-la. Uma pessoa, ao realizar este procedimento para tratar 1 litro de água na cozinha de sua casa, decidiu ferver esta quantidade de água em uma chaleira, utilizando um fogão a gás. Dentre as opções abaixo para realizar este procedimento, assinale a que acarretará o melhor resultado no menor tempo possível:

(considere que a temperatura é de 25 °C e a pressão é de 1 atm,

e ambas são mantidas constantes no ambiente em que é feito este

procedimento). *a) ajustar a intensidade da chama do fogão para o valor máximo,

deixando a água aquecer e retirando a chaleira do fogo imediata- mente após a água começar a ferver.

b) ajustar a intensidade da chama do fogão para o valor mínimo

(para economizar o gás), deixando a água aquecer e retirando a chaleira do fogo imediatamente após a água começar a ferver.

c) ajustar a intensidade da chama do fogão para o valor mínimo

(para economizar o gás), deixando a água aquecer e retirando a chaleira do fogo somente 30 minutos depois que a água começar a

ferver (para assegurar a melhor fervura possível da água).

d) ajustar a intensidade da chama do fogão para o valor máximo,

deixando a água aquecer e retirando a chaleira do fogo somente

30 minutos depois que a água começar a ferver (para assegurar a

melhor fervura possível da água).

e) ajustar a intensidade da chama do fogão para o valor máximo,

deixando a água aquecer até que ela comece a ferver, reduzindo, logo em seguida, a intensidade da chama do fogão para o valor mí- nimo (para economizar o gás e manter a água fervida), mantendo

a chaleira no fogão, com a chama na intensidade mínima, por 30 minutos.

(UCS/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: A Se um pouco de café quente é derramado, na mesma quantidade, sobre a camisa e a calça de uma pessoa e ela quase que imedia- tamente sente aumentar a temperatura na região da camisa onde caiu o café, mas praticamente não sente aumento de temperatura na região da calça onde caiu o café, pode-se dizer que o tecido da

*a) calça tem maior capacidade térmica do que o tecido da camisa.

b) calça tem maior calor latente do que o tecido da camisa.

c) camisa tem maior índice adiabático do que o tecido da calça.

d) calça tem menor capacidade térmica do que o tecido da camisa.

e) camisa tem maior calor latente do que o tecido da calça.

12

(FATEC/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: D Em uma aula da disciplina de Física no curso de Soldagem da Fatec,

o docente responsável retoma com os alunos um tópico visto por

eles no Ensino Médio. Explica como efetuar a análise de um gráfico de mudança de estado de uma determinada substância pura hipoté- tica. Para isso, basta avaliarmos as grandezas físicas representadas nos eixos e o gráfico formado pela relação entre essas grandezas. Nesse gráfico, o trecho que apresenta inclinação indica mudança de temperatura por absorção de energia, e o que apresenta platô (tre- cho horizontal) indica mudança de estado por absorção de energia.

80 70 60 50 40 30 20 10 Q (cal) 0 2000 4000 6000 8000
80
70
60
50
40
30
20
10
Q (cal)
0
2000
4000
6000
8000
10000 12000 14000 16000 18000
−10
−20
−30
T (ºC)

Após essa explicação, ele pergunta aos alunos qual foi a quantidade total de energia absorvida pela substância entre o fim da mudança de estado para o líquido, até o fim da mudança de estado para o gasoso.

A resposta correta a essa pergunta, em calorias, é

a) 2 000.

b) 4 000.

c) 6 000.

*d) 10 000.

e) 14 000.

(IFSUL/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: C Você coloca um pedaço de gelo na boca. O gelo, à temperatura de

0 ºC, acaba sendo todo convertido em água à temperatura do corpo humano. Considerando que a massa do pedaço de gelo é igual a 10

g e a temperatura do corpo humano é de 36,5 ºC, a quantidade de

calor absorvida pelo gelo, para transformar-se completamente em água a 36,5 ºC, é de

Dados: calor latente de fusão do gelo L = 80 cal/g calor específico da água c = 1 cal/(g.ºC)

a) 800 cal

b) 365 cal

*c) 1 165 cal

d) 1 605 cal

(UEM/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 21 (01+04+16) Em um calorímetro adiabático ideal, foi colocado um cubo de gelo de 0,25 kg de massa, à temperatura de −30 ºC. O calorímetro possui um resistor ôhmico de 12,5 sobre o qual é aplicada uma tensão constante de 25 V, fornecendo, dessa forma, energia térmica ao ca- lorímetro a uma taxa constante. Considerando que o calor latente de fusão do gelo, o calor específico do gelo e o calor específico da água são, respectivamente, 80 cal/g, 0,5 cal/(g.ºC) e 1,0 cal/(g.ºC), assinale o que for correto. (Dado: 1 cal = 4,18 J)

01) A quantidade de calor necessária para que o gelo, à temperatura de −30 ºC, seja transformado em água, à temperatura de 20 ºC, é de aproximadamente 2,9 × 10 4 cal.

02) O gráfico da temperatura em função do tempo, no processo que transforma o gelo a −30 ºC em água a 20 ºC, é uma única reta.

04) O tempo necessário para que o gelo, à temperatura de −30 ºC, seja transformado em água, à temperatura de 20 ºC, é de aproxima- damente 39 min.

08) Se o resistor for trocado por dois resistores ôhmicos de 25 associados em paralelo, o tempo necessário para que o gelo, à tem- peratura de −30 ºC, seja transformado em água, à temperatura de 20 ºC, é de aproximadamente 20 min.

16) O tempo necessário para converter os 0,25 kg de gelo a 0 ºC em água a 0 ºC é de aproximadamente 1,7 × 10 3 s.

japizzirani@gmail.com

(UEM/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16) Considerando os conceitos de termodinâmica, assinale o que for correto. 01) Se dois corpos A e B estão em equilíbrio térmico entre si, e o corpo B está em equilíbrio térmico com um outro corpo C, então o corpo A também está em equilíbrio térmico com o corpo C. 02) A variação de uma unidade na escala Celsius equivale à varia- ção de uma unidade na escala Kelvin. 04) Os termômetros são dispositivos construídos com base na varia- ção de grandezas físicas com a temperatura. 08) Uma caloria é a quantidade de energia necessária para elevar de 14 ºC a 15 ºC um grama de água, a qualquer pressão. 16) O calor latente de fusão de uma substância é a quantidade de energia térmica por unidade de massa necessária para que a subs- tância passe da fase sólida para a fase líquida.

(UEPG/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04) Os três estados mais comuns da matéria são: o estado sólido, o estado líquido e o estado gasoso. Sobre o fenômeno de mudança de estado físico, assinale o que for correto. 01) O aumento de pressão provoca uma redução na temperatura de fusão da água. 02) Sob pressão constante, a mudança de estado de uma substân- cia pura sempre se processa à mesma temperatura. 04) O ponto triplo representa as únicas condições de temperatura e pressão para as quais os estados sólido, líquido e gasoso, de uma mesma substância, podem coexistir em equilíbrio. 08) Quando um corpo ganha ou perde calor, sua temperatura pode variar, porém, ele não pode mudar de estado físico. 16) Durante a mudança de estado físico de uma substância, sua temperatura permanece constante e ela deve, necessariamente, re- ceber calor.

13

TERMOFÍSICA

sistema termicamente isolado

VESTIBULARES 2014.1

(VUNESP/UNICASTELO-2014.1) - ALTERNATIVA: D Uma cozinheira aquece 800 mL de água para o preparo de um pra- to mas percebe que a temperatura ultrapassou o valor pretendido, de 45 ºC. Para obter água na temperatura desejada, ela acrescenta 400 mL de água à temperatura de 25 ºC à primeira porção e, depois de misturá-las, obtém água na temperatura pretendida. Sabendo

que o calor específico da água líquida é igual a 1 cal/(g · ºC) e con- siderando que ocorreu troca de calor apenas entre as duas porções misturadas, é correto afirmar que a temperatura, em ºC, que a pri- meira porção de água atingiu foi

a) 65.

b) 75.

c) 85.

*d) 55.

e) 95.

(VUNESP/UNINOVE-2014.1) - ALTERNATIVA: E Para resfriar o chope, normalmente se utiliza uma serpentina no inte- rior de um recipiente no qual se coloca gelo, como mostra a figura.

um recipiente no qual se coloca gelo, como mostra a figura. Considerando que se tenha colocado

Considerando que se tenha colocado 3,0 kg de gelo a 0 ºC no in- terior do recipiente, que o chope entre na serpentina a 24 ºC e saia

dela a 0 ºC, que o calor específico do chope seja igual a 1,0 cal/g · ºC, que sua densidade seja 1,0 kg/L, que o calor latente de fusão do gelo seja igual a 80 cal/g e que a troca de calor se dê apenas entre o gelo e o chope, o volume de chope, em litros, que poderá ser resfria- do pela quantidade de gelo colocada no recipiente, nas condições citadas, será igual a

a) 5,0.

b) 25.

c) 15.

d) 20.

*e) 10.

(FEI/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: D Em dois recipientes iguais (1 e 2) é colocada uma mesma massa m de água em cada um, inicialmente a 80 ºC. No recipiente 1 foi adicio-

nado um corpo A de massa m

inicialmente a 20 ºC e no recipiente 2

foi adicionado um corpo B de massa m inicialmente a 40 ºC. Quando

2

2

o equilíbrio térmico é estabelecido, a temperatura no recipiente 1 é 40 ºC e a temperatura do recipiente 2 é 60 ºC.

A Recipiente 1
A
Recipiente 1
B Recipiente 2
B
Recipiente 2

Sendo assim, é correto concluir que:

a) Nos dois casos o calor recebido pela água é o mesmo.

b) O calor específico do material A é 4 vezes maior que o calor es-

pecífico do material B.

c) O calor específico do material B é 4 vezes maior que o calor es-

pecífico do material A. *d) O calor específico do material A é 2 vezes maior que o calor específico do material B.

e) O calor específico do material A é 2 vezes menor que o calor

específico do material B.

japizzirani@gmail.com

(ENEM-2013) - ALTERNATIVA: B Aquecedores solares usados em residências têm o objetivo de ele-

var a temperatura da água até 70 ºC. No entanto, a temperatura ideal da água para um banho é de 30 ºC. Por isso, deve-se misturar

a água aquecida com a água à temperatura ambiente de um outro

reservatório, que se encontra a 25 ºC. Qual a razão entre a massa de água quente e a massa de água fria

na mistura para um banho à temperatura ideal?

a) 0,111.

*b) 0,125.

c) 0,357.

d) 0,428.

e) 0,833.

(FPS/PE-2014.1) - ALTERNATIVA: E Uma amostra de 500 ml de água pura está inicialmente na tempe- ratura normal do corpo humano (37 ºC). Uma segunda amostra de água pura com volume 1litro e na temperatura 100 ºC é adicionada à amostra inicial de água. Considerando que só ocorrem trocas térmi-

cas entre as amostras de água, a temperatura final da mistura será:

a) 37 ºC

b) 73 ºC

c) 85 ºC

d) 67 ºC

*e) 79 ºC

(IF/SC-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 52 (04+16+32)

Em uma atividade experimental, o professor de Física pede para que seus alunos adicionem 40 g de gelo a −10 °C em um calorímetro ide- al, que contém uma quantidade de água a 80 °C. Quando o sistema atinge o equilíbrio térmico, é observado que 25% do gelo continua boiando. Sabendo que o calor específico da água é 1 cal/g°C e que do gelo é 0,5 cal/g°C, que o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g, assinale no cartão-resposta a soma da(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. O calorímetro em questão participa das trocas de calor, influen-

ciando na temperatura final de equilíbrio térmico.

02. A quantidade de calor cedido pela água não foi igual à quantida-

de de calor recebido pelo gelo, pois não foi suficiente para fundi-lo totalmente.

04.

A temperatura de equilíbrio térmico do sistema é 0 °C.

08.

A dilatação anômala da água tem influência direta na temperatu-

ra final de equilíbrio térmico do sistema.

16.

A massa inicial de água no calorímetro é 32,5 g.

32.

Para que a temperatura final de equilíbrio seja de 10 °C, uma

possibilidade é mudar a quantidade inicial de água no calorímetro

para aproximadamente 54,2 g.

(UNITAU/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: A Uma massa de 200 g de água estava à temperatura de 25 ºC, em um calorímetro de pequena capacidade térmica. Uma massa de 50 g de água no estado sólido (gelo), cuja temperatura era de −10 ºC, foi adicionada no mesmo calorímetro. Desprezando a ca- pacidade térmica desse calorímetro, a temperatura de equilíbrio do sistema, suposto isolado, é igual a

Dados: c água = 1 cal/(g.ºC); c gelo = 0,50 cal/(g.ºC); L F = 80,0 cal/g *a) 3 ºC.

b) 14 ºC.

c) 20 ºC.

d) −2,5 ºC.

e) −10 ºC.

(UCS/RS-2014.1) - ALTERNATIVA: A

Assumindo que o calor específico da água vale 1 cal/(g.°C), consi- dere que 100 g de água a 60 °C foram depositadas em uma cuia de chimarrão que já possuía erva-mate e bomba. Suponha que após um rápido intervalo de tempo a água transmitiu 100 calorias para a bomba, 100 calorias para a erva e 30 calorias para a cuia. Qual a temperatura da água no instante exato após terem ocorrido essas transmissões de calor? Para fins de simplificação, ignore qualquer outro evento de perda de energia interna da água que não esteja entre os citados acima. *a) 57,7 °C

b) 52,3 °C

c) 45,0 °C

d) 28,2 °C

e) 23 °C

14

(VUNESP/SÃOCAMILO-2014.1) - ALTERNATIVA: C Duas peças, A e B, constituídas de mesma substância, estão no in-

terior de um sistema termicamente isolado, de modo que a troca de calor só ocorre entre elas. A tabela mostra alguns dados referentes

a cada peça.

A

B

massa

5m

m

temperatura

inicial

T

4T

É correto afirmar que, após um certo intervalo de tempo, as duas

peças atingem a temperatura de equilíbrio térmico igual a

a) 2,0T.

d) 3,0T.

b) 2,5T.

e) 3,5T.

*c) 1,5T.

(VUNESP/FAMECA-2014.1) - ALTERNATIVA: D Foram misturados homogeneamente três líquidos de massas iguais

e

calores específicos distintos. A tabela indica os calores específicos

e

as temperaturas iniciais de cada um.

líquido

calor específico cal/(g · ºC)

temperatura inicial

(ºC)

 

A 1,0

20

 

B 0,4

60

 

C 0,6

50

Sabendo que os líquidos misturados não sofreram mudança de fase

e que o processo tenha ocorrido no interior de um recipiente adiabá- tico e de capacidade térmica desprezível, a temperatura esperada para o equilíbrio térmico, em ºC, é

a) 45.

*d) 37.

b) 31.

e) 46.

c) 43.

(UFES-2014.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO

a) A figura mostra a curva de aquecimento (variação da tempera-

tura T em função do tempo t ) para a massa m = 50,0 g de uma substância, aquecida a partir de sua fase sólida à temperatura inicial

T 0 = 20,0 ºC .

T (ºC) 120 80,0 40,0 0 20,0 40,0 60,0 80,0 100 t (s)
T (ºC)
120
80,0
40,0
0
20,0
40,0
60,0
80,0
100
t (s)

Essa variação foi obtida com o fornecimento de calor à amostra da substância a uma taxa constante H = Q/t = 30,0 cal/s. Determine o

calor específico c S da fase sólida e o calor latente de fusão L f dessa substância.

b) Suponha, agora, que a mesma amostra da substância, inicialmen-

te no estado sólido à temperatura T 0 = 20,0 ºC , seja colocada em contato térmico com um bloco sólido de massa M = 60,0 g em um recipiente termicamente isolado de capacidade térmica desprezível.

O bloco está à temperatura inicial T = 240 ºC , e o calor específico do

material que o constitui é c B = 0,100 cal/g · ºC . Encontre a temperatu- ra T E de equilíbrio do sistema. Se a temperatura corresponder a uma mudança de fase da substância, determine também a quantidade dessa substância em cada fase.

RESPOSTA UFES-2014.1:

a) c S = 0,200 cal/g · ºC e L f = 24,0 cal/g

b) T E = 80,0 ºC,

japizzirani@gmail.com

m líq = 15,0 g

e

m sól = 35,0 g

VESTIBULARES 2014.2

(UNIFOR/CE-2014.2) - ALTERNATIVA: A

O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo. O Brasil

ainda é um dos maiores exportadores desta rubiácea. Para saborear uma xícara desta bebida em uma cafeteria da cidade, André verifi-

cou que a xícara só estava morna. O café foi produzido a 100,00 ºC.

A xícara era de porcelana cujo calor específico c x = 0,26 cal/gºC e

sua temperatura antes do contato com o café era de 25,00 ºC. Con-

siderando o calor específico do café de c c = 1,00 cal/gºC, a massa da

xícara m x = 50,00 g e a massa do café m c = 150,00 g, a temperatura aproximada da xícara detectada por André, supondo já atingido o equilíbrio térmico e considerando não ter havido troca de calor com

o ambiente, era:

*a) 94,00 ºC

b) 84,00 ºC

c) 74,00 ºC

d) 64,00 ºC

e) 54,00 ºC

(UDESC-2014.2) - ALTERNATIVA: A Um atleta, ao final de uma partida de futebol, deseja tomar água gelada. Para satisfazer sua vontade, o atleta coloca 100 g de gelo em sua garrafa térmica que contém 450 g de água à temperatura de 20 ºC. Sabendo que o gelo se funde e está a uma temperatura de 0 ºC, a temperatura final atingida pela água, na situação de equilíbrio térmico, é aproximadamente:

Dado: L fusão = 80 cal/g.

*a) 2,0 ºC

b) 34 ºC

c) 2,5 ºC

d) 1,5 ºC

e) 16 ºC

(UNITAU/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: A Um calorímetro com capacidade térmica C, massa M e temperatura

inicial T 0 , recebe uma amostra de massa m com temperatura T, sen -

do T > T 0 . Sabendo que o equilíbrio térmico do sistema aconteceu

em T f = (T + T 0 ) / 2, determine o calor específico c da amostra.

*a)

b)

c)

c =

C d)

m

c = C M

c =

C

2M

e)

c =

c =

2C

m

C

2m

(FEI/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: C Em um recipiente de capacidade térmica C T = 50 cal/ºC, isolado do ambiente, estão 100 g de água a 40 ºC em equilíbrio térmico. Dentro

deste recipiente foram colocados 80 g de gelo a −20 ºC. Após o novo equilíbrio térmico, qual é a temperatura da mistura?

Dados:

• calor latente de fusão do gelo L = 80 cal/g

• calor específico da água c a = 1 cal/g.ºC

• calor específico do gelo c g = 0,5 cal/g.ºC

a)

b)

*c) 0 ºC

d)

e)

−5 ºC

5 ºC

10 ºC

15 ºC

(IF/CE-2014.2) - ALTERNATIVA: A Colocam-se 400g de um material de calor específico igual a

0,75 cal/g.°C, que está a 40 °C em um recipiente de capacidade térmica desprezível contendo 300 g de água (c = 1 cal/g.°C) a 30 °C.

A temperatura final, em °C, de equilíbrio térmico é:

*a) 35

b) 34

c) 33

d) 32

e)

31

15

(IF/SC-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 49 (01+16+32) É muito comum quando pegamos água quente para preparar um chá, por exemplo, adicionarmos um pouco de água fria para esfriar, evitando assim de queimarmos a língua ou a boca. Vamos admitir

que temos inicialmente 100 g de água a 90 °C e adicionamos certa quantidade de água fria (20 °C) para que a temperatura final seja de

60 °C. Com base no exposto, assinale no cartão-resposta a soma

da(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. É necessário adicionar 75g de água fria.

02. As quantidades de energia na forma de calor trocado entre as

duas quantidades de água foi na forma de calor latente, pois não

houve mudança de fase.

04. A única forma de calor trocado entre as duas quantidades de

água foi a irradiação.

08. A água fria armazenou uma quantidade de calor igual à quantida-

de de calor liberada pela água quente.

16. A quantidade de energia na forma de calor liberado pela água

quente é igual à quantidade de energia na forma de calor recebido pela água fria.

32. Se adicionarmos 100 g de água fria, a temperatura inicial pode

ser de 30 °C.

(UNESP/2014.2) - RESPOSTA: θ x = 6θ C + 25 e θ E = 50 ºC

Para testar os conhecimentos de termofísica de seus alunos, o pro- fessor propõe um exercício de calorimetria no qual são misturados 100 g de água líquida a 20 ºC com 200 g de uma liga metálica a

75 ºC. O professor informa que o calor específico da água líquida

é 1 cal/(g · ºC) e o da liga é 0,1 cal/(g · ºX), onde X é uma escala

arbitrária de temperatura, cuja relação com a escala Celsius está representada no gráfico.

θ x (ºX) 85 25 0 10 θ (ºC) C
θ x (ºX)
85
25
0
10
θ
(ºC)
C

Obtenha uma equação de conversão entre as escalas X e Celsius e, considerando que a mistura seja feita dentro de um calorímetro ide- al, calcule a temperatura final da mistura, na escala Celsius, depois de atingido o equilíbrio térmico.

(IFSUL/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: B Um estudante deseja beber um chimarrão com água a uma tempe- ratura de 76,0 °C. Para isso, ele pretende misturar 800g de água a uma temperatura de 100 ºC com uma determinada massa de água

a 26,0 ºC.

Considerando as trocas de calor apenas entre as quantidades de

água, que massa de água, a 26,0 ºC, ele deve inserir na garrafa para obter a temperatura desejada?

a) 382 g

*b) 384 g

c) 386 g

d) 388 g

(UNITAU/SP-2014.2) - ALTERNATIVA: A Um calorímetro com capacidade térmica C, massa M e temperatura

inicial T 0 , recebe uma amostra de massa m com temperatura T, sen - do T > T 0 . Sabendo que o equilíbrio térmico do sistema aconteceu em T f = (T + T 0 )/2, determine o calor específico c da amostra. *a) c = C/m

b) c = C/M

c) c = C/2M

d) c = 2C/m

e) c = C/2m

japizzirani@gmail.com

16

TERMOFÍSICA

transmissão de calor

VESTIBULARES 2014.1

(IME/RJ-2014.1) - ALTERNATIVA: B Um objeto de 160 g de massa repousa, durante um minuto, sobre

a superfície de uma placa de 30 cm de espessura e, ao final deste

experimento, percebe-se que o volume do objeto é 1% superior ao inicial. A base da placa é mantida em 195 ºC e nota-se que a sua superfície permanece em 175 ºC.

T SUPERFÍCIE = 175 ºC

Objeto 30 cm
Objeto
30 cm

Placa ºC. T SUPERFÍCIE = 1 7 5 º C Objeto 30 cm A fração de energia,

A fração de energia,

deformar a peça é Dados:

em

percentagem, efetivamente utilizada

• Condutividade térmica da placa: 50 W/(m.ºC)

• Calor específico do objeto: 432 J/(kg.ºC)

• Coeficiente de dilatação linear: 1,6 × 10

• Área da placa: 0,6 m

−5

ºC

−1

2

a) 4

*b) 12

c) 18

d) 36

e) 60

para

(UFRN-2014.1) - ALTERNATIVA: B Considere um freezer, no qual vários alimentos são mantidos em seu interior. Após dois dias, esses alimentos estão em equilíbrio tér- mico com o ambiente interno do freezer. Nessas condições, é correto afirmar que, durante o tempo em que o freezer permaneceu em equilíbrio térmico com os alimentos em seu interior, esses alimentos irão apresentar

a) a mesma condutividade térmica.

*b) a mesma temperatura.

c) o mesmo coeficiente de dilatação térmica.

d) o mesmo calor específico.

(ENEM-2013) - ALTERNATIVA: E Em um experimento, foram utilizadas duas garrafas PET, uma pinta- da de branco e a outra de preto, acopladas cada uma a um termo-

foi mantida

acesa, durante

seguida,

o experimento, foram

mêtro.

lâmpada incandescente. Em

No ponto médio da distância entre as garrafas,

alguns minutos, uma

a lâmpada

foi desligada. Durante

monitoradas as temperaturas das garrafas: a) enquanto a lâmpada

permaneceu acesa e b) após a lâmpada ser desligada e atingirem equilíbrio térmico com o ambiente.

Termômetro
Termômetro

A taxa de variação da temperatura da garrafa preta, em comparação

à da branca, durante todo experimento, foi

a) igual no aquecimento e igual no resfriamento

b) maior no aquecimento e igual no resfriamento.

c) menor no aquecimento e igual no resfriamento.

d) maior no aquecimento e menor no resfriamento.

*e) maior no aquecimento e maior no resfriamento.

japizzirani@gmail.com

(UEL/PR-2014.1) - ALTERNATIVA: E

Em

e de circula-

ção de veículos, como as regiões metropolitanas, as partículas em

suspensão e

convecção para as camadas mais altas da atmosfera, onde se dis- sipam. O fenômeno meteorológico da inversão térmica, que ocorre geralmente no inverno, tem como consequência o impedimento da

dispersão dos poluentes, causando problemas respiratórios na po- pulação.

a causa da in-

Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, versão térmica.

a) Uma massa de ar frio ascendente impede o movimento descen-

dente de uma camada de ar quente.

b) Uma massa de ar quente descendente impede o movimento as-

cendente de uma camada de ar frio.

c) Uma massa de ar frio penetra entre camadas de ar quente, impe-

dindo o movimento descendente do ar.

d) Uma massa de ar quente penetra entre camadas de ar frio, impe-

dindo o movimento descendente do ar. *e) Uma massa de ar quente penetra entre camadas de ar frio, impe- dindo o movimento ascendente do ar.

correntes de

um ambiente

os

com elevado

gases poluentes

número de indústrias

são

levados

pelas

(UEM/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08) Considerando que os termos frio e quente são usados para traduzir sensações em relação ao ambiente, assinale o que for correto.

01) Em um corpo, a energia cinética relacionada à agitação das suas moléculas corresponde a uma parte da energia interna.

02) A lã

um

condutor térmico que aumenta o fluxo de calor entre o corpo quente

e o ambiente frio.

04)

atua

como isolante térmico, contribuindo para a manutenção da tempe- ratura corporal.

da tempe-

08) A sensação térmica

das

roupas e

dos

cobertores usados

os

ursos polares,

o

que constitui a

primeira

em

tecido

dias frios

é

adiposo

Em

mamíferos como

noção

ratura de

um

material

é

percebida

pelas terminações nervosas da

derme.

16) Hipotermia e hipertermia são situações em que a temperatura

corporal está, respectivamente, acima e abaixo da temperatura cor- poral média.

(VUNESP/UNIVOVE-2014.1) - ALTERNATIVA: A

Fluxo Normal Inversão Térmica AR MAIS FRIO AR FRIO AR FRIO AR QUENTE AR QUENTE
Fluxo Normal
Inversão Térmica
AR MAIS FRIO
AR FRIO
AR FRIO
AR QUENTE
AR QUENTE
AR FRIO

(http://ambiente.hsw.uol.com.br)

Assinale a alternativa que retrata o período de maior frequência, as causas e as consequências da inversão térmica, fenômeno atmos- férico muito comum nos grandes centros urbanos. *a) Ocorre principalmente no inverno, quando o ar frio e poluído pe-

los gases

à

superfície, provocando irritação nos olhos, nariz e garganta.

b) Ocorre no inverno,

principalmente nos grandes centros urbanos

de nações desenvolvidas, pois o frio exige maior consumo de ener-

gia fornecida pela queima de combustíveis fósseis, o que contribui para a ocorrência do efeito estufa.

em decorrência da cons-

tante emissão de

irritação nos olhos, nariz e garganta.

d) Ocorre principalmente no verão, quando o ar quente e poluído fica

atmosfera, provocando

c) Ocorre em todas as estações do ano,

emitidos por automóveis

e

indústrias

fica

retido junto

gases poluentes para a

retido próximo à superfície, provocando irritação nos olhos, nariz e garganta, sobretudo entre crianças e idosos.

e) Ocorre tanto no inverno quanto no verão, provocada pela emissão

de gases poluentes industriais, tendo como principal consequência

a chuva ácida, responsável pela corrosão de estátuas e monumen- tos.

17

(VUNESP/FASM-2014.1) - ALTERNATIVA: E Para aliviar a congestão nasal e melhorar a respiração, o médico recomendou ao paciente uma sessão de sauna a vapor. Dentro da cabine da sauna, mantida à temperatura constante, o vapor d’água,

um banco de madeira e uma barra de aço encontram-se em equilí- brio térmico. O paciente, ao entrar na sauna e sentar-se no banco de madeira, encosta-se na barra de aço e tem a sensação de que a barra está mais quente do que a madeira do banco e mais quente do que o ar saturado de vapor d’água. O paciente teve essa sensação

(UTFPR-2014.1) - ALTERNATIVA: B Sobre trocas de calor, considere as afirmações a seguir.

I) Cobertores são usados no inverno para transmitir calor aos cor- pos.

II) A superfície da Terra é aquecida por radiações eletromagnéticas

transmitidas pelo Sol.

 

III) Em geral, as cidades localizadas em locais mais altos são mais

frias porque correntes de convecção levam o ar mais frio pra cima.

 

porque

a) a temperatura da barra de aço é superior à temperatura da ma-

deira.

Está correto apenas o que se afirma em:

a)

I.

b) o vapor d’água é melhor condutor térmico do que a barra de aço.

*b)

II.

c) a temperatura da barra de aço é superior à temperatura do vapor

d’água.

d) a madeira é melhor condutor térmico do que a barra de aço.

c) III.

d) I e II.

e) II e III.

 

*e) a barra de aço é melhor condutor térmico do que a madeira.

(UFSM/RS-2014.1) - ALTERNATIVA: D

(CEFET/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: B

O inverno é caracterizado pela ocorrência de baixas temperaturas,

especialmente nas regiões ao sul do Brasil. Por essa razão, é alto

 
reservatório térmico coletores solares
reservatório
térmico
coletores
solares

Disponível em:< http://www.infoescola.com>. Acesso em: 06 set. 2013.

o índice de incidência de doenças respiratórias, de modo que a pri- meira recomendação é manter-se abrigado sempre que possível e agasalhar-se adequadamente. Considerando os aspectos termodinâmicos dos fenômenos envolvi- dos, analise as afirmações:

I - Os aquecedores devem ser mantidos próximos ao piso do am-

biente, porque a condutividade térmica do ar é maior quando próxi-

ma à superfície da Terra.

 

II - Energia é transferida continuamente entre nosso corpo e as suas vizinhanças por meio de ondas eletromagnéticas.

III - O ato de encolher-se permite às pessoas diminuir sua área ex-

posta ao ambiente e, consequentemente, diminuir a perda de ener-

gia.

Está(ão) correta(s)

a) apenas I.

 

Na construção dos coletores solares, esquematizado na figura aci- ma, um grupo de estudantes afirmaram que o tubo

b) apenas II.

c) apenas I e III.

 

*d)

apenas II e III.

I – é metálico;

II

– possui a forma de serpentina;

e)

I, II e III.

III

– é pintado de preto;

(UNCISAL-2014.1) - ALTERNATIVA: B

IV

– recebe água fria em sua extremidade inferior.

A figura representa uma maneira barata e portátil de resfriar bebi-

E

a respeito da caixa dos coletores, afirmaram que

das.

V

– a base e as laterais são revestidas de isopor;

 
T 1 1 2 3 4 T 2
T 1
1
2
3
4
T 2

VI

– a tampa é de vidro.

Considerando-se as afirmações feitas pelos estudantes, aquelas que favorecem a absorção de radiação térmica nesses coletores são apenas

 

a) I e V.

*b) II e III.

d) III e VI. e) IV e V.

 

c) II e V.

(UEPB-2014.1) - ALTERNATIVA: E Num dia frio em Campina Grande, um garoto chamado Pedro, com o intuito de minimizar o frio, fez a seguinte proposta a seu pai:

O líquido é inserido à temperatura ambiente T 1 em um funil (1) e é

− Pai, hoje tá muito “frio”! Pega o cobertor de lã e vem pra cama comigo.

O pai disse:

− Não precisa de cobertor de lã. O lençol de algodão, por ser fininho,

será melhor para nos aquecer.

conduzido através de canos de aço longos e finos que atravessam

o interior de um recipiente preenchido com gelo e isolado termica-

mente (2), até atingir uma torneira externa (3) por onde a bebida é

A mãe de Pedro participa da conversa e retruca:

servida a uma temperatura menor T 2 . Após o derretimento do gelo,

− Que história é essa? O cobertor de lã é um exelente condutor tér- mico, e impedirá que o calor se propague para o meio. De repente, chega o irmão de Pedro, que fala:

− Nada disso! O cobertor de lã é um isolante térmico, por isso ele é mais apropriado que o lençol de algodão. Por fim, Pedro conclui:

a água formada no recipiente (2) pode ser dispensada por uma saí-

da auxiliar (4) e o gelo pode ser então reposto, mantendo o sistema

de resfriamento portátil em funcionamento. Um pequeno ajuste que proporcionaria uma redução ainda maior na

temperatura T 2 do líquido servido seria

a)

reduzir da área da encanação de aço para reduzir o fluxo de líqui-

− Não importa, gente, venham todos pra cá me aquecer, que está frio.

do

e os ganhos de calor do líquido por convecção.

*b)

aumentar a extensão do encanamento de aço para proporcionar

Com base no diálogo dessa família, está(ão) correto(s):

uma maior área de contato e um tempo maior para a troca de calor com o gelo.

a) somente o pai de Pedro.

c) aumentar a quantidade de gelo do recipiente (2), de forma que o

b) Pedro e sua mãe.

sistema seria capaz de retirar mais calor do líquido.

c) Pedro e seu pai.

d) somente a mãe de Pedro.

d) melhorar o isolamento térmico do recipiente (2) evitando assim a

troca de calor entre o gelo e o ambiente.

e) revestir internamente o encanamento de aço com um material

*e) Pedro e seu irmão.

espelhado para assim evitar que o líquido perca calor por radiação.

japizzirani@gmail.com

18

(UNCISAL-2014.1) - ALTERNATIVA: C Um aparelho de ar-condicionado é programado para operar em ciclos de desligamento e acionamento do sistema de refrigeração, conforme mostra a figura.

T 0 T p +∆T T p 1 2 3 Tempo Temperatura
T
0
T
p +∆T
T
p
1
2
3
Tempo
Temperatura

Ao ligar o aparelho de ar-condicionado, o ambiente se encontra a temperatura ambiente T 0 , iniciando portanto um primeiro ciclo de

resfriamento (1) até atingir a temperatura de desligamento T p pro- gramada pelo usuário. Neste momento, o sistema de resfriamento é desligado, mantendo apenas em funcionamento o sistema de venti- lação do aparelho. Durante este ciclo (2), a temperatura do ambiente volta a subir, de forma que o sistema de refrigeração é reativado quando se atinge uma temperatura de acionamento T p +T, voltando a resfriar o ambiente até atingir a temperatura de trabalho novamen- te (3). Este procedimento se repete até que o aparelho de ar-condi- cionado seja desligado pelo usuário. A fim de se obter o menor tempo possível para se atingir a tempera- tura T p no primeiro ciclo de resfriamento, um procedimento recomen- dável a ser adotado seria:

a) reduzir a velocidade do fluxo de ar do aparelho de ar-condicio-

nado para o mínimo, pois com menor ar para resfriar, o fluxo terá

menor temperatura.

b) ligar conjuntamente um circulador de ar (ventilador), a fim de con-

tribuir, mesmo que em menor proporção, para a redução de tempe- ratura do ambiente.

*c) desligar todas as luzes e aparelhos eletrônicos presentes no am-

biente, tais como televisor ou aparelho de som, já que são fontes de calor externo.

d) programar o aparelho para uma temperatura de desligamento (Tp)

menor possível, intensificando o trabalho do motor de resfriamento.

e) reduzir progressivamente o valor da temperatura de desligamento

(Tp), a fim de que o processo de resfriamento aconteça a uma taxa compatível com a da transferência de calor pelo ar.

(UNIMONTES/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: A Um estudante resolveu fazer estudos sobre a condutividade térmica através de uma barra condutora. A barra, de meio metro de compri- mento e área da seção reta A = 40 cm 2 , foi isolada termicamente nas laterais, ficando suas extremidades livres. Num dia ensolarado, uma de suas extremidades foi colocada em contado com um objeto que, exposto ao Sol, mantinha uma temperatura constante de 30 ºC. A outra extremidade foi colocada em contato com uma barra de gelo de 50 kg, que se encontrava dentro de uma câmara isolante. Inicialmente, o gelo estava a 0 ºC (veja a figura). Admita que a con- dutividade da barra é k = 0,12 W/m.K.

Barra de gelo a 0 ºC Barra condutora Objeto a 30 ºC L = 50
Barra de
gelo a 0 ºC
Barra condutora
Objeto
a 30 ºC
L = 50 cm

Dados:

1 cal = 4,2 J

Q

t

=

k.A.T

T é a variação da

L

temperatura da barra

Supondo que apenas a condução de calor forneça energia ao gelo, que o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g, o intervalo de tempo aproximado, t, em segundos, necessário para que o gelo complete sua fusão, é de, aproximadamente:

*a) 6,0 × 10 8 .

b) 5,0 × 10 7 .

c) 2,0 × 10 5 .

d) 2,5 × 10 6 .

japizzirani@gmail.com

(UEPG/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 10 (02+08) Um automóvel encontra-se estacionado em uma área descoberta,

ficando assim exposto à radiação solar. Passado um determinado in- tervalo de tempo, o automóvel é aberto e, seu condutor observa que

a temperatura no seu interior é bem mais elevada do que a exterior. Sobre esse fenômeno físico, assinale o que for cor-reto. 01) O calor entra, no automóvel, por condução e convecção e sai exclusivamente por radiação. 02) A quantidade de calor que entra no automóvel por radiação é maior que a quantidade de calor que sai por condução. 04) A quantidade de calor que entra no automóvel por condução é maior que a quantidade de calor que sai por convecção. 08) A quantidade de calor que entra no automóvel por radiação é maior que a quantidade de calor que sai por convecção.

(PUC/MG-2014.1) - ALTERNATIVA: A Num dia de festa, um grupo de amigos comprou barras de gelo para

as bebidas; as barras chegaram com algumas horas de antecedên-

cia, e o dia estava muito quente. Alguém então sugeriu que as barras

de gelo fossem envolvidas em um cobertor para evitar que derretes-

sem rapidamente. É adequado dizer que essa sugestão:

*a) é correta porque o cobertor dificulta a troca térmica entre o gelo

e

o ambiente, retardando o derretimento.

b)

é incorreta porque o cobertor facilita a troca de calor entre o gelo

e

o ambiente, o que facilitaria o derretimento.

c)

é incorreta porque, da mesma forma que nos aquecemos usando

cobertores, eles vão aquecer o gelo, acelerando o derretimento.

d) não fará diferença, pois o cobertor não absorve nem fornece ca-

lor ao gelo, não modificando a velocidade com que o gelo irá se derreter.

(UEM/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 07 (01+02+04)

O organismo humano, assim como os de outros animais homeo-

térmicos, possui mecanismos reguladores que controlam, de forma eficiente, a produção e a perda de calor corporal. Sobre o assunto, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) De maneira geral, os processos de propagação de calor, que po- dem levar ao aumento ou à diminuição da temperatura de um corpo, ocorrem por meio dos mecanismos de radiação, de convecção e de condução.

02) Os mamíferos controlam e mantêm a temperatura corporal por meio da pelagem e das células subcutâneas que armazenam gor- duras.

04) O hipotálamo é o responsável por determinar o ajuste da tem- peratura do corpo humano quando este é submetido a variações externas de temperatura.

08) Para se aquecerem ou para manterem sua temperatura corpo-

ral equilibrada em dias frios, os seres humanos usualmente utilizam

roupas feitas de materiais que possuem alta condutibilidade (ou con- dutividade) térmica.

16) Para manter a temperatura corporal, equilibrando a geração e a dissipação de calor, o organismo humano utiliza somente mecanis- mos específicos não fisiológicos, que estão sob estrito e involuntário controle neurológico.

(UEM/PR-2014.1) - RESPOSTA: SOMA = 19 (01+02+16)

A brisa marítima, fenômeno que ocorre no litoral, é uma consequ-

ência da incidência da radiação solar e da diferença dos tempos de aquecimento do solo e da água. Com base nessas afirmações, assinale o que for correto. 01) Devido ao fato de o solo aquecer mais rapidamente, ao longo do dia, sua temperatura será maior do que a da água e a pressão atmosférica sobre o solo será menor do que a pressão atmosférica

sobre a água.

02) A diferença dos tempos de aquecimento do solo e da água ocor-

re principalmente devido à diferença dos valores dos calores espe-

cíficos entre os dois. 04) Os ventos periódicos, chamados de monções, ocorrem devido a um processo muito similar ao da brisa marítima, entretanto eles são restritos ao litoral indiano. 08) Os fenômenos das marés são uma consequência da brisa ma- rítima. 16) A variação da densidade do ar, em função da temperatura em que o ar se encontra, é um dos fenômenos físicos fundamentais para a ocorrência das brisas marítimas.

19

(UNITAU/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: C O Sol é a principal fonte de calor que aquece a Terra diariamente. O processo físico por meio do qual a energia proveniente do Sol chega a Terra na forma de calor é

a) convecção.

b) condução.

*c) irradiação.

d) contato direto.

e) conexão.

(VUNESP/UFSCar-2014.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: A Uma lança de cobre à temperatura de 25 °C é colocada no interior

de um recipiente contendo água a 60 °C. Após certo intervalo de tempo, observa-se que a lança de cobre e a água, ao final do pro- cesso de transmissão de energia denominado *a) condução, entram em equilíbrio térmico.

b) convecção, entram em equilíbrio térmico.

c) radiação, entram em equilíbrio térmico.

d) condução, apresentam temperaturas diferentes.

e) convecção, apresentam temperaturas diferentes.

(FUVEST/SP-2014.1) - RESPOSTA NO FINAL DA QUESTÃO Um contêiner com equipamentos científicos é mantido em uma estação de pesquisa na Antártida. Ele é feito com material de boa isolação térmica e é possível, com um pequeno aquecedor elétri- co, manter sua temperatura interna constante, T i = 20 ºC, quando a temperatura externa é T e = −40 ºC. As paredes, o piso e o teto do

contêiner têm a mesma espessura, ε = 26 cm, e são de um mesmo material, de condutividade térmica k = 0,05 J/(s.m.ºC). Suas dimen- sões internas são 2 x 3 x 4 m 3 . Para essas condições, determine

a) a área A da superfície interna total do contêiner;

b) a potência P do aquecedor, considerando ser ele a única fonte

de calor;

c) a energia E, em kWh, consumida pelo aquecedor em um dia.

Note e adote:

A quantidade de calor por unidade de tempo (Φ�) que flui atra-

vés de um material de área A, espessura ε e condutividade térmica k, com diferença de temperatura T entre as faces

do material, é dada por: Φ� = k AT / ε .

RESPOSTA FUVEST/SP-2014.1:

a) A = 52 m 2

b) P = 600 W

c) E = 14,4 kWh

japizzirani@gmail.com

VESTIBULARES 2014.2

(UNIFOR/CE-2014.2) - ALTERNATIVA: C

Para diminuir os efeitos da perda de calor pela pele em uma região muito “fria” do país, Gabrielle realizou vários procedimentos. Assi- nale abaixo aquele que, ao ser realizado, minimizou os efeitos da perda de calor por irradiação térmica.

a)

Fechou os botões das mangas e do colarinho da blusa que usa-

va.

b) Usou uma outra blusa por cima daquela que usava.

*c) Colocou um gorro, cruzou os braços e dobrou o corpo sobre as pernas.

d) Colocou um cachecol de lã no pescoço e o enrolou com duas

voltas.

e) Vestiu uma jaqueta jeans sobre a blusa que usava.

(UNESP-2014.2) - ALTERNATIVA: B

O gráfico representa, aproximadamente, como varia a temperatura

ambiente no período de um dia, em determinada época do ano, no deserto do Saara. Nessa região a maior parte da superfície do solo é coberta por areia e a umidade relativa do ar é baixíssima.

coberta por areia e a umidade relativa do ar é baixíssima. A grande amplitude térmica diária

A grande amplitude térmica diária observada no gráfico pode, dentre outros fatores, ser explicada pelo fato de que

a) a água líquida apresenta calor específico menor do que o da areia

sólida e, assim, devido a maior presença de areia do que de água na região, a retenção de calor no ambiente torna-se difícil, causando a drástica queda de temperatura na madrugada. *b) o calor específico da areia é baixo e, por isso, ela esquenta rapi- damente quando ganha calor e esfria rapidamente quando perde. A baixa umidade do ar não retém o calor perdido pela areia quando ela esfria, explicando a queda de temperatura na madrugada.

c) a falta de água e, consequentemente, de nuvens no ambiente

do Saara intensifica o efeito estufa, o que contribui para uma maior retenção de energia térmica na região.

d) o calor se propaga facilmente na região por condução, uma vez

que o ar seco é um excelente condutor de calor. Dessa forma, a

energia retida pela areia durante o dia se dissipa pelo ambiente à noite, causando a queda de temperatura.

e) a grande massa de areia existente na região do Saara apresenta

grande mobilidade, causando a dissipação do calor absorvido du- rante o dia e a drástica queda de temperatura à noite.

(IFSUL/RS-2014,2) - ALTERNATIVA: A

É uma prática comum soprarmos a superfície de um líquido quente,

para esfriá-lo mais rapidamente.

de um líquido quente, para esfriá-lo mais rapidamente. Fonte: www.ballesterismo.com Isso se deve ao fato de

Fonte: www.ballesterismo.com

Isso se deve ao fato de que, ao soprar, *a) remove-se o vapor que se forma sobre a superfície do líquido, aumentando, assim, a velocidade de evaporação.

b) aumenta-se a pressão sobre o líquido o que provoca uma diminui-

ção em sua temperatura.

c) tem-se a evaporação em toda a massa líquida e, não apenas na

superfície, esfriando, assim, mais rápido.

d) diminui-se a pressão sobre o líquido e consequentemente a eva-

poração.

20

(UFPE-2014.2) - RESPOSTA: V F F V F Analise as seguintes afirmações acerca da radiação térmica do cor- po negro e da hipótese de Planck.

0-0) Um corpo negro ideal absorve toda a radiação incidente sobre ele, independentemente da sua forma.

1-1) Um corpo negro ideal deve ter cor escura, independentemente da sua temperatura.

2-2) Para explicar a radiação emitida por um corpo negro, Planck sugeriu que as ondas eletromagnéticas em propagação são com- postas de fótons de energia quantizada.

3-3) Para explicar a radiação emitida por um corpo negro, Planck sugeriu que as partículas nas paredes do interior de uma cavidade que se comporta como um corpo negro devem absorver ou emitir pacotes de energia quantizada.

4-4) Os pacotes de energia a que se refere o item anterior têm ener- gia inversamente proporcional à frequência de oscilação das partí- culas.

(UEM/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 10 (02+08) Leia com atenção as alternativas abaixo e assinale o que for cor- reto.

01) No inverno, para suportar o frio, as aves mantêm suas penas próximas ao corpo para reduzir a transferência de calor para o am- biente.

02) Alguns crustáceos tornam-se avermelhados quando estão na superfície da água, sob o sol, porque refletem predominantemente

a radiação relativa à cor vermelha, absorvendo quase que comple- tamente as demais.

04) Nas cigarras, a hemolinfa permanece no interior dos vasos, por- que sua pressão é alta e a velocidade do fluxo é elevada.

08) Calor pode ser definido como energia em trânsito e pode ser determinado medindo-se a variação da temperatura que ele provoca ao ser absorvido ou cedido por determinado corpo.

16) A pressão sanguínea diastólica, ou mínima, de uma pessoa é menor do que a pressão atmosférica e é obtida quando o ventrículo esquerdo se contrai.

(UEPG/PR-2014.2) - RESPOSTA: SOMA = 05 (01+04) Sobre o calor e seus processos de transmissão, assinale o que for correto.

01) Em um processo de condução, o calor se propaga devido à agi- tação térmica dos átomos que constituem o material, mas sem que ocorra transporte de matéria durante o processo.

02) Quando sobre um corpo incide radiação, o aumento da sua tem-

peratura é inversamente proporcional a sua capacidade de absorver

a radiação.

04) Nos meios fluidos, a transmissão do calor ocorre, preferencial- mente, por convecção.

08) Para ocorrer a transmissão de calor entre dois corpos é neces- sário haver uma diferença de energia e igualdade de temperatura entre os mesmos.

(UFG/GO-2014.2) - RESPOSTA: a) V = 50 mL b) e = 2,4 mm

O corpo humano consegue adaptar-se a diferentes temperaturas ex-

ternas, mantendo sua temperatura aproximadamente constante em 37 °C por meio da produção de energia por processos metabólicos e trocas de calor com o ambiente. Em uma situação típica, em que um

indivíduo esteja em repouso em um ambiente a 25 °C, ele libera ca- lor para o ambiente por condução térmica a uma taxa de 15 J/s e por evaporação de água por meio da pele a uma taxa de 60 kJ/hora. Considerando o exposto, calcule:

a) a quantidade de água, em mL, que o indivíduo deve ingerir para

compensar a perda por evaporação em duas horas.

b) a espessura média da pele do indivíduo, considerando a área total

da superfície da sua pele igual a 1,5 m 2 e a condutibilidade térmica (k) da mesma igual a 2 x 10 3 W·m 1 ·°C 1 .

Dados:

Calor latente de evaporação da água à 37 °C: L = 2 400 kJ/kg Densidade da água: d = 1 kg/litro

japizzirani@gmail.com

(IFSUL/RS-2014.2) - ALTERNATIVA: C Sabemos que o calor pode ser transferido, de um ponto para outro, por condução, convecção e irradiação. Em relação a esses processos de transmissão de calor, é correto afirmar que

a) a condução térmica só ocorre no vácuo.

b) a convecção térmica ocorre nos sólidos.

*c) a irradiação não necessita de meio material para ocorrer.

d) a condução ocorre, em virtude da diferença de densidade, nos

líquidos e gases.

21

Termômetro
Termômetro
Coletor Reservatório 1 Solar Reservatório 2 Água 2 para consumo
Coletor
Reservatório 1
Solar
Reservatório 2
Água 2
para consumo

Água 1

para consumo

TERMOFÍSICA

dilatação térmica

VESTIBULARES 2014.1

DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS

(UDESC-2014.1) - ALTERNATIVA: B Certo metal possui um coeficiente de dilatação linear α. Uma barra

fina deste metal, de comprimento L 0 , sofre uma dilatação para uma dada variação de temperatura T. Para uma chapa quadrada fina de lado L 0 e para um cubo também de lado L 0 , desse mesmo me- tal, se a variação de temperatura for 2 T, o número de vezes que aumentou a variação da área e do volume, da chapa e do cubo, respectivamente, é:

a) 4 e 6

*b) 2 e 2

c) 2 e 6

d) 4 e 9

e) 2 e 8

(FAVIP/PE-2014.1) - ALTERNATIVA: E Uma fina barra metálica de coeficiente de dilatação térmica linear α possui comprimento inicial L 0 a uma temperatura T 0 em um am- biente A. A barra é levada a um ambiente B mais quente e sofre uma

pequena variação de temperatura T 1 . Em seguida, a barra é levada

a outro ambiente C ainda mais quente, sofrendo mais uma pequena

variação de temperatura T 2 em relação à temperatura do ambiente B. Após estas duas variações de temperatura, o comprimento da barra pode ser expresso pela equação:

a) L 0 [1 + α(T 1 + T 2 )]

b) L 0 [1 + α∆T 1 /T 2 ]

c) L 0 [1 + α(T 1 T 2 )]

d) (L 0 ) 2 [1 + α∆T 1 ][1 + α∆T 2 ]

*e) L 0 [1 + α∆T 1 ][1 + α∆T 2 ]

(FUVEST/SP-2014.1) - ALTERNATIVA: D

Uma lâmina bimetálica de bronze e ferro, na temperatura ambiente,

é fixada por uma de suas extremidades, como visto na