Você está na página 1de 7
ES/3 JOÃO DE BARR CORROIOS O S BIOLOGIA | Prova Escrita TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRI

ES/3

JOÃO DE BARR CORROIOS

OS

BIOLOGIA | Prova Escrita

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRI TA

Decreto-Lei Nº24/2006 de 6 de Fevereiro

Turma - | 12º Ano de Escolaridade | Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnolo gias

Teste de avaliação escrita de reser va (1) | 7 páginas

Duração da Prova: 80 min

Prof. Renato Costa | Dezem bro 2009 | Ano Lectivo de 2009/2010

Cada grupo de itens inicia-se por uma amostra de dado s de diversa natureza que pode contemplar disposição textual dos f enómenos/factos científicos, figuras e tabelas. Esta exposição da informação é uma referênci a documental fundamental que o aluno deve considerar para resp onder aos itens seguintes.

AS RESPOSTAS SÃO OBRIGATORIAME TE DA DAS UMA FOLHA A DESIG AR QUE ÃO A PRESE T E QUE CO STITUIRÁ O Ú ICO SUPORTE SUJEITO À CLASSIFICAÇÃO.

GRUPO I

O Cromossoma Y e a Infertilidade

Apesar dos estudos intensivos sobre o g enoma do cromossoma Y, a descoberta de gene s específicos e da sua real expressão com importância na esperma togénese permanece por elucidar devido à ausê ncia de estudos do ácido desoxirribonucleico (DNA) efectuados e m simultâneo com um diagnóstico citológico 1 test icular preciso.

Por possuirmos uma das maiores séries de pacientes azoospérmicos 2 e pelo facto deste s pacientes se oferecerem

para o testículo ser explorado bilateralm ente por biopsias

do cromossoma Y e estabelecer-se uma correlação entre as anomalias encontradas e os estádios específicos do ciclo da espermatogénese. A razão de s er das biopsias testiculares prende-se com o fac to de termos uma tecnologia em medicina da reprodução em que é p ossível amadurecer in vitro as células germinais i maturas e depois usá-las em

microinjecção, para assim podermos ofe recer a possibilidade de uma paternidade genéti ca aos homens sem espermatozóides.

Os pacientes serão primeiramente estud ados em relação ao espermograma 4 e ao carióti po: o primeiro para confirmar a azoospermia e o segundo para poderm os excluir do estudo todos os casos com anoma lias dos cromossomas. O DNA genómico será estudado em 100 h omens de fertilidade comprovada (consulta do pr imeiro trimestre de uma

gravidez) e em 100 pacientes azoospérm

exame citológico in vitro permitirá segme ntar os pacientes em cinco grupos principais:

3

múltiplas, torna-se possível co nhecer a sequência do DNA

icos submetidos ao diagnóstico da biopsia testi cular múltipla e bilateral. O

Aplasia: ausência de células de Sertoli e de células germinais;

Síndrome de Sertoli: presença de células de Sertoli, mas não de células germin ais;

Paragem da maturação pré-me iótica;

Paragem do desenvolvimento precocemente após a meiose;

Hipoplasia: marcada diminuição

da produção de espermatozóides.

Seguir-se-á o estudo molecular do crom ossoma Y. Isto permitirá identificar genes funcion ais e localizá-los no cromossoma Y, podendo ser especificam ente responsabilizados por quadros citológicos específicos. Espera-se também que possa responder a uma qu estão fundamental que é a de se saber se a lesã o da espermatogénese depende de mutações em locais específ icos, mas diferentes por tipo celular lesado, ou s e existirá uma pré-mutação que progride com o tempo e assim origin a quadros progressivamente mais severos.

1 Relativo à célula.

2 Presença de um reduzido número de espermatozóides no esp erma.

3 Extracção de pequenas amostras de tecido vivo de interesse.
4

Resultados decorrentes de uma análise estruturada ao esper ma.

Figura 1A, B, C e D: representação esquemática da parede do túbulo seminífero em diferentes

Figura 1A, B, C e D: representação esquemática da parede do túbulo seminífero em diferentes fases da espermatogénese,

Adaptado de Silva (1999), Resumo do Projecto Haplotype Analysis of Yq11.2 as Related to Specific Spermatogenic Stages

Notas das figuras:

Este grupo de imagens está disposto aleatoriamente. Portanto, as fases da espermatogénese não estão devidamente ordenadas.

Considere que a diversidade de células de diferente tipologia varia de A para D. A interpretação sequencial face a estes dados leva à relação quanto a esta diversidade celular no âmbito de uma espermatogénese. Certamente que a variedade de tipologia celular que observa, por exemplo, no final da fase de crescimento é diferente daquela a que assiste no final da fase da maturação.

De recordar que a fenomenologia desta gametogénese tem um comportamento típico à medida que se percorre um trajecto seminífero em direcção ao lúmen dos respectivos túbulos.

O estado da espermatogénese mais avançada revelada nestas imagens é o término da fase da maturação.

1.

Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes relativas ao projecto de investigação resumido acima e às imagens da fig. 1.

(A)

Uma condição para uma investigação credível deste caso é a análise combinada das mutações ao nível do cromossoma Y e de anomalias citológicas das células da linha germinativa.

(B)

Se houver paragem precoce da espermatogénese após a meiose, não se formam espermatozóides.

(C)

Pode afirmar-se com certeza que os indivíduos com aplasia e Síndrome de Sertoli não produzem testosterona.

(D)

O exame citológico permite identificar os genes responsáveis pela azoospermia.

(E)

Este estudo de caso é inovador na medida em que não existem investigações do genoma do cromossoma Y sobre indivíduos cujo problema de infertilidade é conhecido.

(F)

Doentes azoospérmicos por aplasia não possuem receptores para a FSH, no contexto da regulação da função testicular.

(G)

As imagens da fig.1 dizem respeito a um indivíduo com a Síndrome de Sertoli.

(H)

As biopsias testiculares múltiplas e bilaterais não incidiram nos túbulos seminíferos.

2.

As afirmações que se seguem sugerem a complexidade revelada pelo ciclo sexual feminino quanto às múltiplas relações entre as estruturas hipotalâmicas e hipofisárias, as gónadas e outros órgãos reprodutores que o sexo masculino não contempla. O ciclo ovárico é uma das muitas variáveis a conjugar no ciclo sexual da mulher, sendo regulado por mecanismos hormonais.

1. O pico de LH visível neste ciclo sexual é a reposta da hipófise à retroacção do pico de estrogénios por feedback negativo.

2. Na primeira metade do ciclo sexual feminino, a concentração de estrogénios desencadeia os dois tipos de retroacção no hipotálamo.

3. A ruptura do folículo maduro e ovulação inerente é resultado imediato do pico máximo de LH.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.

(A)

1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.

(B)

1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.

(C)

2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa.

(D)

3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.

3. Seleccione a alternativa que completa a frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

Após a ruptura do folículo maduro, as células resultantes formam uma glândula endócrina transitória que contribui para a manutenção do endométrio na sua máxima espessura, ideal para a continuidade da gestação resultante de um ovo gerado, por exemplo, por microinjecção.

Essa glândula transitória é

(A)

a hipófise.

(B)

o corpo amarelo.

(C)

o folículo primário.

(D)

o trofoblasto.

4. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

Uma lesão hipotalâmica impediu a produção de afectou a actividade das células de Leydig.

(A)

GnRH ( ) FSH

(B)

GnRH ( ) LH

(C)

testosterona ( ) FSH

(D)

testosterona ( ) LH

, que originou a diminuição da

, o que

5. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

A estrutura do espermatozóide que participa activamente na degradação da zona pelúcida é

permitindo posteriormente a fecundação do

.

(A)

o acrossoma ( ) ovócito II

(B)

o acrossoma ( ) ovócito I

(C)

a membrana ( ) ovócito II

(D)

a membrana ( ) ovócito I

6. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

Se a partir de um exame citológico realizado sobre os indivíduos azoospérmicos resultar um diagnóstico de paragem de maturação gamética pré-meiótica, então poder-se-á afirmar que as células da linha germinativa

encontradas têm carga cromossómica

e é certo que não correspondem a

.

(A)

2n ( ) espermatogónias

(B)

n ( ) espermatócitos II

(C)

n ( ) espermatogónias

(D)

2n ( ) espermatócitos II

7.

Analise as afirmações que se seguem que dizem, à excepção de uma, directamente respeito à fig. 1. Uma dessas afirmações não se refere a estas imagens. Estude o conteúdo de cada ponto abaixo representado pelas letras de A a E enquadrando correctamente a sucessão das etapas da espermatogénese.

Reconstitua a sequência temporal dos acontecimentos mencionados segundo uma relação de causa- efeito, colocando por ordem as letras que os identificam.

(A)

Imagem A.

(B)

Imagem B.

(C)

Imagem C.

(D)

Imagem D.

(E)

Diferenciação dos espermatídios em gâmetas masculinos, nos quais é possível a demarcação de diferentes regiões.

8. Os doentes azoospérmicos possuem índices de fertilização muito baixos. Desta forma, a natureza condicionaria a participação paterna na formação do híbrido. A manipulação da fertilidade age sobre esta condenação natural à partida no sentido de resolver este impedimento, através dos chamados métodos de reprodução assistida.

A injecção intracitoplasmática de um espermatozóide (ICSI) é resultado de um protocolo experimental utilizando um gâmeta de cada sexo e um kit de micropipetas, obtendo-se cenários semelhantes aos da fig. 2.

obtendo-se cenários semelhantes aos da fig. 2. Figura 2: imagem obtida ao microscópio no decurso de

Figura 2: imagem obtida ao microscópio no decurso de uma ICSI

Explique a conjugação dos dados constantes da fig. 2 que permite afirmar que a fecundação já se iniciou. Na sua resposta, situe da forma o mais específica possível o momento da fecundação registado.

GRUPO II

Fecundação in Vitro

Desde Louise Brown, primeira “bebé-proveta” nascida em 1978, a fecundação in vitro sofreu um considerável desenvolvimento.

Este método requer um tratamento hormonal adequado, o qual resulta dos conhecimentos adquiridos sobre a fisiologia do ciclo sexual feminino. Hoje em dia, até é possível uma mulher engravidar após a menopausa, recorrendo a técnicas de reprodução medicamente assistida.

Eis um exemplo de tratamento hormonal associado à fecundação in vitro seguida de transferência de embriões:

1ª fase:

Tem início no primeiro dia do ciclo e utiliza um análogo estrutural da GnRH que impede esta hormona de agir sobre a hipófise. Normalmente, após cerca de 14 dias de tratamento, inicia-se a segunda fase.

2ª fase:

Utiliza-se uma hormona sintética que estimula o desenvolvimento de vários folículos a fim de obter ovócitos. O processo de maturação folicular é monitorizado por ecografia.

3ª fase:

A fim de desencadear a ovulação, quando a maturação folicular é adequ ada, administra-se gonadotropina coriónica humana (HCG). A punção dos ovócitos é realiza da cerca de 36 horas após a injecção hormonal.

4ª fase:

Após a punção dos ovóc itos, a mulher recebe um outro tratamento horm onal por via endovaginal durante 8 dias com o obj ectivo de preparar o útero para a nidação.

Observe a fig. 3 que ilustra uma fase do desenvolvimento embrionário humano que se ob jectiva atingir no pós- fecundação in vitro.

que se ob jectiva atingir no pós- fecundação in vitro . Figura 3 1. Classifique como

Figura 3

1.

Classifique como verdadeira (V) o u falsa (F) cada uma das afirmações seguinte s relativas ao desenvolvimento embrionário e fe tal, sendo que alguns dos aspectos estão im plicados na informação integrante deste grupo.

(A)

Todas as células do embrião no estádio de mórula têm a propriedade de se difer enciarem em qualquer tecido, nas etapas posteriores.

(B)

Os três folhetos germinativos for mam-se durante a gastrulação.

(C)

Os anexos embrionários formam -se a partir de tecidos maternos.

(D)

O desenvolvimento embrionário- germinativo inicia-se nas trompas de Falópio.

(E)

É no período fetal que se verifica

a maior parte das alterações morfológicas.

(F)

As vilosidades coriónicas mergu lham nas lacunas do endométrio uterino, retirand o as substâncias nutritivas

 

necessárias ao desenvolvimento

pré-natal.

 

(G)

Ao longo da fase embrionária da segmentação, assiste-se aos processos biológi cos do crescimento e diferenciação celular, sem ocorr ência de morfogénese.

(H)

A nidação do embrião verifica-se

quando o mesmo se encontra no estado de gas trulação completa.

2.

Seleccione a alternativa que comp leta a frase seguinte de modo a obter uma af irmação correcta.

A hormona utilizada na última fase d o tratamento hormonal deve actuar directamente sobre o útero e ter uma acção semelhante à da

(A)

progesterona.

(B)

LH.

(C)

GnRH.

(D)

FSH.

3.

As afirmações que se seguem dizem respeito à fecundação in vitro.

1. Na 1ª fase da fecundação in vitro, interfere-se com a fisiologia da neuro-hormona hipotalâmica.

2. A fecundação in vitro é um método de reprodução assistida que visa contornar graves problemas estruturais femininos como, por exemplo, deficiências anatómicas obstrutivas das trompas.

3. A fecundação in vitro é adequada para mulheres com disfuncionalidade irreversível do endométrio.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.

(A)

1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.

(B)

1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.

(C)

1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.

(D)

3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.

4. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

A hormona de síntese administrada na 2ª fase do tratamento hormonal tem uma acção semelhante

no

, enquanto a administração de HCG, na 3.ª fase, visa simular o pico de uma das gonadoestimulinas actuante .

(A)

à FSH ( ) corpo luteínico

(B)

aos estrogénios ( ) corpo luteínico

(C)

à FSH ( ) folículo maduro

(D)

aos estrogénios ( ) folículo maduro

5. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

A etapa do desenvolvimento embrionário representada na fig. 3 é a estar envolvido pelo endométrio, ocorreu o fenómeno da

(A)

gastrulação ( ) nidação

(B)

segmentação ( ) organogénese.

(C)

segmentação ( ) nidação

(D)

gastrulação ( ) organogénese

.

e, pelo facto do embrião já

6. Seleccione a alternativa que preenche os espaços na frase seguinte de modo a obter uma afirmação correcta.

No início do desenvolvimento fetal, após 8 a 10 semanas, a placenta, formada pela combinação do endométrio

uterino e

, assegura a produção de esteróides, até então mantida pelo corpo amarelo devido a .

elevadas taxas de

(A)

pela mesoderme ( ) FSH

(B)

pela mesoderme ( ) HCG

(C)

pelo tecido coriónico ( ) FSH

(D)

pelo tecido coriónico ( ) HCG

7.

Faça corresponder, a cada um dos números (de I a VIII) relativos às afirmações seguintes, uma letra da Chave (de A a H) que representa uma hormona, para que se consigam pares correctos entre os eventos fisiológicos e os respectivos compostos químicos motivadores.

Chave:

(A)

Progesterona.

(E)

GnRH.

(B)

FSH.

(F)

Estrogénios.

(C)

LH.

(G)

Oxitocina.

(D)

Prolactina.

(H)

HCG.

Afirmações:

I.

Produzida pelo hipotálamo, actua sobre a hipófise.

II.

Produzida pelo embrião, impede a degeneração do corpo amarelo.

III.

Produzida em grande quantidade pelo corpo amarelo, estimula o crescimento das células do endométrio uterino e a sua manutenção restritamente na fase secretora.

IV.

Estimula as contracções uterinas.

V.

Produzida pela hipófise anterior, estimula o desenvolvimento dos folículos ováricos.

VI.

Produzida pelos folículos ováricos em desenvolvimento, estimula a reparação do endométrio uterino.

VII.

Estimula a produção de leite.

VIII.

Hormona envolvida na conversão das células foliculares em células luteínicas.

8.

Nos dias após o parto, as mães que amamentam experimentam dores intensas no baixo-ventre em parte semelhantes às contracções do parto, chamadas em linguagem popular de dores tortas. Estas manifestações decorrem no aleitamento, ou seja, quando o organismo feminino está envolvido na regulação neuro-hormonal da lactação.

Explique a origem destas dores no âmbito da lactação, podendo recorrer a relações verificadas noutros processos relevantes para este quadro apresentado.

ITENS

I1

I2

I3

I4

I5

I6

I7

I8

II1

II2

II3

II4

II5

II6

II7

II8

TOTAL (pontos)

COTAÇÕES

16

10

10

10

10

10

12

20

16

10

10

10

10

10

16

20

 

(pontos)

200

FIM