Você está na página 1de 24

PROSUB

Programa de Desenvolvimento de Submarinos

CONSTRUÇÃO DO

ESTALEIRO E BASE NAVAL

MARINHA do BRASIL 2011 .

UFEM ÁREA NORTE DA BASE NAVAL ESTALEIRO E ÁREA SUL DA BASE NAVAL .

.

.

Para proteger esse patrimônio e garantir a soberania brasileira no mar.O Desafio de Defender a Amazônia Azul A 2 tualmente. associou-se à Odebrecht para formar a Itaguaí Construções Navais . Se a solicitação do Brasil for aceita.EBN. a sua área marítima atingirá aproximadamente 4. por sua vez. cabe ressaltar a importância da atividade pesqueira e de outros recursos naturais ainda inexplorados. Cerca de 95% do comércio do Brasil com exterior é realizado pelo mar. elementos fundamentais para o desenvolvimento do País. a Marinha do Brasil tem investido na expansão da sua força naval e no desenvolvimento da indústria de defesa. consórcio responsável pela construção dos submarinos. Esse programa viabilizará a produção do primeiro submarino brasileiro de propulsão nuclear e de mais quatro submarinos convencionais diesel-elétrico. 2 2 2 É nessa imensa área oceânica que o Brasil possui diversos e importantes interesses econômicos. Brasil e França firmaram. movimentando nossos mais de 40 portos nas atividades de importação e exportação.5 milhões de km . no município de Itaguaí. .concentrações d e óx i d os d e f er r o e m anganês c om signif ic at ivas c o nc e ntraç õ e s de o utro s elementos metálicos economicamente importantes. incorporando assim uma área adicional de 963 mil km .Programa de Desenvolvimento de Submarinos. como os nódulos polimetálicos . cobre e cobalto. uma das líderes mundiais na área de construção naval. que o Brasil retira a maior parte do seu petróleo e gás. A primeira fase de implantação do programa prevê a construção de um Estaleiro e de uma Base Naval . Com esse propósito. que. na plataforma continental. É do subsolo marinho. Para a execução do PROSUB. em 2008. como níquel.5 milhões de km . O Brasil está pleiteando junto às Nações Unidas estender essa área até os limites de sua Plataforma Continental. cerca de metade do nosso território terestre. Além disso. realizados exclusivamente pela Odebrecht Infraestrurura. sempre em conformidade com as diretrizes da Marinha do Brasil. que ultrapassará em alguns pontos as 200 milhas náuticas (370 km ) da sua Zona Econômica Exclusiva. a área marítima brasileira possui aproximadamente 3. um acordo que deu início ao PROSUB . a Marinha do Brasil contratou a empresa francesa DCNS Direction des Constructions Navales et Services.ICN.

Timbira (S-32). O simples conhecimento de que uma nação possui submarinos. é importante que uma embarcação deste tipo permaneça submersa o maior tempo possível. Os quatro primeiros são submarinos da Classe Tupi (IKL de 1400 t) e o último da Classe Tikuna. Tikuna (S-34). o que aumenta exponencialmente seu potencial ofensivo em ataques fortuitos. Essa vantagem privilegiada permite que em situações de conflito o submarino possa surpreender os meios navais do adversário sem que haja tempo suficiente de reação. Tamoio (S-31). o S. Por isso. É justamente neste aspecto que reside a vantagem do submarino nuclear sobre os submarinos convencionais. A Marinha do Brasil possui atualmente 5 submarinos: O S. É importante salientar que os submarinos podem projetar poder sobre terra por meio de mísseis balísticos ou de cruzeiro. o S. Tupi (S-30). o submarino com propulsão diesel-elétrica tem que se expor com regularidade para içar os mastros que captam o ar necessário à combustão do diesel. o S. A energia gerada pela fissão do átomo prescinde do oxigênio utilizado para a combustão do diesel.Tecnologia A no fundo do Mar característica principal de um submarino é sua capacidade de ocultação. . cuja energia recarrega seus geradores elétricos. Desta forma. O submarino movido a propulsão nuclear também move-se a maiores velocidades quando comparado aos convencionais. de permanecer “invisível” aos radares e satélites. Cada minuto em exposição torna-o suscetível à detecção por aeronaves de reconhecimento. já é suficiente para dissuadir um inimigo a realizar uma ação hostil.movidos a propulsão convencional (diesel . um submarino nuclear pode permanecer submerso e oculto durante tempo ilimitado. Todos são uma versão do submarino alemão U-209. Tapajó (S-33) e o S. Embora seja um meio furtivo por essência.elétrico). navios de superfície ou por outros submarinos. Assim como os quatro novos submarinos S-BR serão uma variação dos submarinos franceses da classe Scorpène .

Tecnologia no fundo do Mar .

Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas é a célula primária de fabricação os submarinos da classe Scorpène no Brasil. 2 Ilha da Madeira. município de Itaguaí. estado do Rio de Janeiro . Na parte norte da Base Naval. com área 2 de 103 mil m ². será implantada uma infraestrutura que dará suporte e acomodação aos oficiais. UFEM – Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas Ocupando uma área de cerca de 96 mil m ²a UFEM .Área norte da Base Naval A Base Naval é dividida entre as áreas norte e sul. que estarão interligadas por um túnel com cerca de 700 metros de extensão e 14 metros de diâmetro.

que abrigará o Comando da Força de Submarinos. operação e manutenção dos submarinos. com 2 área de 487 mil m ².Mapa de localização Estaleiro e área sul da Base Naval Local de implantação do Estaleiro. projetada para apoiar os submarinos convencionais e nucleares que serão sediados no complexo militar. onde serão realizadas as etapas de montagem. Aqui também ficará a área sul da Base Naval. . lançamento.

. realizará a fabricação de subseções e seções. bem como a pintura do casco resistente dos submarinos. A construção da UFEM encontra-se dentro do prazo planejado. área de vivência e escola de soldagem. refeitório. com prazo previsto para 19 de novembro de 2012. garagens. área administrativa com escritório.Finalidade da instalação projeção e estágio atual da obra UFEM Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas A estrutura da UFEM será composta por um prédio principal. por meio de seus equipamentos e serviços. Localizada ao lado da UFEM está a Nuclep Nuclebrás Equipamentos Pesados. que será um importante parceiro tecnológico e estratégico que. treze oficinas de montagem de componentes. vestiário. um Depósito Naval. sendo o Depósito Naval a primeira edificação a ficar pronta.

.

.

.

um Centro de Intendência da Marinha do Brasil. Hotel de Trânsito. Atualmente. que oferecerão toda infraestrutura necessária para acomodar oficiais e visitantes. e outros serviços. o local onde funcionará a área norte da Base Naval está ocupado por um canteiro industrial.Finalidade da instalação projeção e estágio atual da obra ÁREA NORTE DA BASE NAVAL A área norte da Base Naval contará com um Centro de Descontaminação Radioativo. que dá suporte às obras do Estaleiro e da área sul da Base Naval. Rodoviária. Neste espaço estão sendo construídas as estacas metálicas e as peças de concreto pré-moldado. Nesta localidade funciona também uma central de concreto que atende a todo o empreendimento. .

.

.

.

a l ém d e s uficiência para a construção de dois submarinos convencionais ou um convencional e um nuclear simultaneamente. O conjunto terá dois píeres de 150 m e três docas com 140 m de extensão. além de oficinas e prédios administrativos. As instalações do empreendimento deverão ser capazes de oferecer atracação para 10 submarinos (sendo 4 de propulsão convencional e 6 de propulsão nuclear). enrocamento e estaqueamento dos cais. 1 lancha de apoio ao mergulho e 1 embarcação d e re col h i m e n to d e torpe d os. 1 navio de socorro de submarinos. 3 rebocadores portuários. Atualmente. aterro hidráulico.Finalidade da instalação projeção e estágio atual da obra ESTALEIRO E ÁREA SUL DA BASE NAVAL O projeto prevê a construção em espaço terrestre e em área de aterro avançada sobre o mar. a obra encontra-se em fase de dragagem. .

.

.

.

PROSUB Programa de Desenvolvimento de Submarinos .