PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA

Professora Me. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. Márcia Regina de Sousa Storer

graduação PEDAGOGIA

MARINGÁ-pr 2012

Reitor: Wilson de Matos Silva Vice-Reitor: Wilson de Matos Silva Filho Pró-Reitor de Administração: Wilson de Matos Silva Filho Presidente da Mantenedora: Cláudio Ferdinandi

NEAD - Núcleo de Educação a Distância
Diretoria do NEAD: Willian Victor Kendrick de Matos Silva Coordenação Pedagógica: Gislene Miotto Catolino Raymundo Coordenação de Marketing: Bruno Jorge Coordenação Comercial: Helder Machado Coordenação de Tecnologia: Fabrício Ricardo Lazilha Coordenação de Curso: Márcia Maria Previato de Souza Supervisora do Núcleo de Produção de Materiais: Nalva Aparecida da Rosa Moura Capa e Editoração: Daniel Fuverki Hey, Fernando Henrique Mendes, Jaime de Marchi Junior, José Jhonny Coelho, Luiz Fernando Rokubuiti e Thayla Daiany Guimarães Cripaldi Supervisão de Materiais: Nádila de Almeida Toledo Revisão Textual e Normas: Cristiane de Oliveira Alves, Gabriela Fonseca Tofanelo, Janaína Bicudo Kikuchi, Jaquelina Kutsunugi, Karla Regina dos Santos Morelli e Maria Fernanda Canova Vasconcelos.

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Central - CESUMAR

C397

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ. Núcleo de Educação a distância: Problemas e dificuldades de aprendizagem na infância/ Gescielly Barbosa da Silva Tadei, Márcia Regina de Souza Storer. Maringá - PR, 2012. 224 p.

“Graduação em Pedagogia - EaD”. 1. Pedadogia 2. Desenvolvimento cognitivo. 3.Distúrbios de aprendizagem. 4.EaD. I. Título. CDD - 22 ed. 370 CIP - NBR 12899 - AACR/2

“As imagens utilizadas neste livro foram obtidas a partir dos sites PHOTOS.COM e SHUTTERSTOCK.COM”.

Av. Guedner, 1610 - Jd. Aclimação - (44) 3027-6360 - CEP 87050-390 - Maringá - Paraná - www.cesumar.br NEAD - Núcleo de Educação a Distância - bl. 4 sl. 1 e 2 - (44) 3027-6363 - ead@cesumar.br - www.ead.cesumar.br

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA
Professora Me. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. Márcia Regina de Sousa Storer

A busca por tecnologia. bem-estar e satisfação da comunidade interna. No cumprimento de sua missão – “promover a educação de qualidade nas diferentes áreas do conhecimento. Com essa visão. o Cesumar almeja ser reconhecido como uma instituição universitária de referência regional e nacional pela qualidade e compromisso do corpo docente. qualidade da gestão acadêmica e administrativa. Professor Wilson de Matos Silva Reitor PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 5 . qualidade da oferta dos ensinos presencial e a distância. a realização de uma prática acadêmica que contribua para o desenvolvimento da consciência social e política e. compromisso social de inclusão. como também pelo compromisso e relacionamento permanente com os egressos. o Cesumar busca a integração do ensino-pesquisa-extensão com as demandas institucionais e sociais. novas habilidades para liderança e solução de problemas com eficiência tornou-se uma questão de sobrevivência no mundo do trabalho. Cada um de nós tem uma grande responsabilidade: as escolhas que fizermos por nós e pelos nossos fará grande diferença no futuro. aquisição de competências institucionais para o desenvolvimento de linhas de pesquisa. incentivando a educação continuada. o Cesumar – Centro Universitário de Maringá – assume o compromisso de democratizar o conhecimento por meio de alta tecnologia e contribuir para o futuro dos brasileiros. por fim. Diante disso. processos de cooperação e parceria com o mundo do trabalho. informação. a democratização do conhecimento acadêmico com a articulação e a integração com a sociedade. formando profissionais cidadãos que contribuam para o desenvolvimento de uma sociedade justa e solidária” –. conhecimento de qualidade. consolidação da extensão universitária.APRESENTAÇÃO DO REITOR Viver e trabalhar em uma sociedade global é um grande desafio para todos os cidadãos.

Assim sendo. atividades de estudo. pois tais atividades lhe possibilitarão organizar o seu processo educativo e. assim. efetivamente. você construa e amplie a sua rede de conhecimentos. possamos interagir e. assim. participar ativamente dos fóruns. assim. Para finalizar essa mensagem de boas-vindas. um mundo de linguagens diferenciadas e ricas de possibilidades efetivas para a sua aprendizagem. p. responder às atividades de autoestudo. Neste sentido. Desta forma. Essa interatividade será vivenciada especialmente no ambiente virtual de aprendizagem – AVA – no qual disponibilizamos. mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção” (FREIRE. independente da distância geográfica que você esteja. por meio de um modelo pedagógico interativo. determinadas pelo Ministério da Educação (MEC). possibilitamos que. lhe estendo o convite para que caminhe conosco na Comunidade do Conhecimento e vivencie a oportunidade de constituir-se sujeito do seu processo de aprendizagem e membro de uma comunidade mais universal e igualitária. você procure interagir com os textos.Caro aluno. Um grande abraço e ótimos momentos de construção de aprendizagem! Professora Gislene Miotto Catolino Raymundo Coordenadora Pedagógica do NEAD.CESUMAR 6 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . enfim. 1996. além do material produzido em linguagem dialógica. disponibilizadas para o seu processo de formação. Todas as atividades de estudo presentes neste material foram desenvolvidas para atender o seu processo de formação e contemplam as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. colaborar efetivamente para o desenvolvimento da realidade social em que está inserido. superar os desafios na construção de conhecimentos. têm por intuito possibilitar o desenvolvimento de novas competências necessárias para que você se aproprie do conhecimento de forma colaborativa. fazer-se presentes no seu processo de ensino-aprendizagem-conhecimento. 25). você terá à sua disposição todas as condições para se fazer um competente profissional e. recomendo que durante a realização de seu curso. buscando atender essas necessidades. Portanto. fazer anotações. aulas sobre os conteúdos abordados. ver as indicações de leitura e realizar novas pesquisas sobre os assuntos tratados. dispomos de uma equipe de profissionais multidisciplinares para que. “ensinar não é transferir conhecimento. todas as atividades de ensino. Tenho a certeza de que no Núcleo de Educação a Distância do Cesumar.

dentro do vai e vem de ondas que compete o desenrolar do mundo humano. cognitivo. planejamos. estudar questões referentes ao desenvolvimento infantil. a pedagogia. ou seja. em pleno exercício das faculdades mentais. V. e dentro desse quesito. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. especificamente à seguinte pontuação Problemas e dificuldades na infância. trabalhar e conviver em grupo mostra uma passagem pelo desenvolvimento infantil de maneira tranquila. II.APRESENTAÇÃO Livro: PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA Professora Me. III. Márcia Regina de Sousa Storer Prezados alunos. Dificuldades de aprendizagem: entendendo terminologias e conceituações. as quais são: I. torna nossa fonte de estudos mais intrigante e curiosa. Um adulto ponderado. nos ateremos. no atual módulo. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 7 . A importância da atenção para a apreensão do conhecimento erudito. No que diz respeito a esse eixo norteador em nosso processo de estudos. As principais teorias que se debruçam sobre o desenvolvimento humano – em busca da compreensão das dificuldades de aprendizagem. termos cinco unidades de estudos. emocional e neurológico é uma das facetas mais interessantes da nossa área de conhecimento. Partindo dessa perspectiva. uma vez que nos dedicamos ao estudo do referido período como uma maneira de tornar essa fase o mais coerente possível para a chegada ao mundo adulto. capaz de estudar. IV. O desenvolvimento da criança. Compreender o desenrolar desse processo tendo como ponto de partida a infância. Trabalhar com o desenvolvimento humano nos aspectos motor. As dificuldades e os distúrbios de aprendizagem: a dificuldade quanto à apreensão da leitura e da escrita.

esse tipo de conhecimento foi sendo aperfeiçoado e especializado até atingir um nível de sofisticação maior. Quando pontuamos sobre alterações no desenvolvimento. Ao nos depararmos com essa realidade. pautadas nas referidas autoras. que somente esse conhecimento não seria suficiente para o desenvolvimento da humanidade. Pensemos nos grandes avanços da humanidade na área da saúde. e teria que ser repensada e reorientada a cada geração que surgisse. isso é normal?”. A fim de aprofundarmos um pouco essa questão. de tentativas e erros. buscaremos um estudo sobre a construção da categoria infância. nossa vida seria muito complicada. Por isso. é comum nos depararmos com o questionamento: “a criança apresenta o comportamento de chupar chupeta aos nove anos de idade. Chegamos à lua! Inventamos vacinas com vistas à prevenção de doenças outrora incuráveis! Criamos instrumentos cirúrgicos de última geração para o bom andamento de intervenções hospitalares. Somos capazes de. nosso primeiro passo é destacar a diferenciação entre dois conceitos – o normal e o patológico. o desenvolvimento da criança. Mas antes de adentrarmos nesse item. ampliamos a mesma dentro dos padrões de conhecimento de senso comum e conhecimento científico. FURTADO.No que diz respeito à unidade I . a psicologia da aprendizagem e a psicopedagogia. pois é a partir dessa categoria que temos áreas de estudos como a psicologia do desenvolvimento. espontâneo. É como se tivéssemos que reinventar a roda a cada instante! Entendemos. organizarmos inferências acerca de problemas referentes à aprendizagem e ao desenvolvimento humano de maneira global. da tecnologia e da pesquisa laboratorial. realizaremos um levantamento sobre a história da infância a fim de compreendermos melhor o processo de desenvolvimento e aprendizagem. Essa realidade cotidiana nos dá um tipo de conhecimento denominado de intuitivo. Sem esse conhecimento. 1999). Com o tempo. que é entendido como senso comum (BOCK. TEIXEIRA. Isso é o conhecimento científico! 8 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . por exemplo. A ciência é baseada no conhecimento da realidade cotidiana. pelas pesquisas e investimentos na área social. enquanto pesquisadores e estudiosos buscamos um afastamento da mesma a fim de irmos para além das aparências dadas a priori.

ciência pode ser denominada como um conjunto de conhecimentos sobre fatos ou aspectos da realidade expressos por uma linguagem precisa e rigorosa (BOCK. há a necessidade de pontuar que ao lidarmos com seres humanos. E fica a questão: isso é normal? Bem. estranho ou mesmo inconcebível! Nesse sentido. temos dois referenciais que nos auxiliam quanto a isso. normal é o que segue a norma. dependerá do ponto de vista do observador. Ao lidarmos com seres humanos e melhor trabalhar a questão da normalidade e da patologia. Para eles é normal. 1999). exemplar. baratas. Esses materiais dão maior sustentabilidade e coesão aos nossos estudos e à atuação profissional.Você sabia que o conhecimento dito “senso comum” é tido como a base para o conhecimento científi co? Dessa maneira. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 9 . então. insetos em geral. histórico e cultural da pessoa. Por exemplo. para você isso pode ser anormal. alguns tailandeses possuem o hábito de comer grilos. O CID-10 e o DSM IV são os referenciais que auxiliam os estudos sobre patologia. o patológico refere-se à patologia. Já a patologia. o que é normal? Segundo Bueno (1996). Ao trazermos isso para o nosso contexto de estudos. e o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM IV). Retomemos. FURTADO. o Código Internacional das Doenças (CID – 10). enfim. nossa discussão sobre o normal e o patológico. TEIXEIRA. Dentro do exposto sobre o conhecimento científico. essa normalidade necessita estar pautada no contexto social. depende do que é considerado normal para aquela cultura. é definida por Bueno (1996) como uma parte da medicina destinada ao estudo das doenças.

Nossa intenção está em auxiliar na identificação do quadro e no prognóstico do mesmo. Nessa perspectiva. os quais podem emergir nessa fase. e/ou em questões referentes ao desenvolvimento emocional. ou seja. Na unidade II . em especial. na integração de sensações às respostas motoras. dos questionamentos e das pesquisas. a necessidade de compreendermos algumas especificidades do Sistema Nervoso Central (SNC) é imprescindível. 10 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Sigmund Freud. É no período da infância que podem ocorrer alguns momentos de maior desordem. São eles: Jean Piaget (1896 – 1980). É importante estarmos cientes desse conhecimento prévio para que a compreensão acerca dos problemas e das dificuldades de aprendizagem possa ser trabalhada de maneira mais completa. com a possibilidade de entendermos as possíveis lacunas deixadas no processo de alfabetização. Por isso. e/ou ainda em casos mais específicos de origem genética. para o seu progresso. seja ela afetiva ou emocional. Essa afirmação é justificada ao observarmos que durante a fase do desenvolvimento humano é possível observar alguns conflitos relacionados ao desenrolar desse processo. Esses autores deixaram um legado de estudiosos que se sentiram encarregados pela propagação dos estudos. nos ateremos aos estudos acerca do desenvolvimento cognitivo da criança. se é possível fazermos algo pelo sujeito.Nossa preocupação está em não apresentar algo patológico presente no indivíduo como um “rótulo” imposto sobre ele. seja qual for a questão presente no quadro apresentado. Para tanto. das possíveis alterações nesse desenvolvimento e o desenvolvimento neurológico e psicomotor. e/ou na socialização. contaremos com a compreensão do referencial teórico de alguns estudiosos que foram de suma importância para a compreensão do desenvolvimento infantil.1962). é possível afirmar que esse meio pode auxiliar de maneira positiva ou negativa o processo de desenvolvimento do indivíduo. para nossa unidade I. Por isso. abordaremos as principais teorias que trabalham com a área de desenvolvimento humano e processo de aprendizagem. Henri Paul Hyacinthe Wallon (1879. assim como a junção entre tais especificidades e suas ligações com as reações a atividades do organismo humano. e/ou no desenvolvimento cognitivo. (1856-1939) e Lev Seminovich Vigotsky (18961934). pois é uma fase de constantes assimilações e interiorizações do meio externo. após a morte dos mesmos.

Mesmo tendo publicado poucas obras na área da educação. Apenas duas obras Piagetianas relacionam-se à educação! Para Fabril (2008. prontamente pensamos na Epistemologia Genética. Ao falarmos em Piaget.Um estudioso que dá relevantes contribuições a nossa unidade de estudos é o biólogo francês JEAN PIAGET (1896 – 1980). o autor reorganiza e sistematiza conceitos essenciais de sua obra [. resultante da interação entre o sujeito e o objeto. Dentre seus escritos. denominada Epistemologia Genética. por exemplo.. apenas duas obras tratam de assuntos relacionados à educação: Psicologia e Pedagogia e Para onde vai a Educação? [. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 11 . por isso a denominação Epistemologia Genética.. 2009). a reformulação da questão epistemológica clássica para indagar como se processa a mudança de níveis mais simples de conhecimento até os mais complexos. A teoria piagetiana possui relevante valor. 11) Em um primeiro momento. como assinala Piaget (1983b). p.. uma vez que abriu caminhos e novas perspectivas para o estudo do pensamento e da linguagem na criança (SORATO. É como se por meio da investigação e compreensão do sujeito psicológico – particular e situado – tivesse alcançado o sujeito epistêmico . sendo motivo de prestígio para Jean Piaget tê-lo enfrentado e. natural e social junto a crianças e adolescentes. proposto. a definição de conhecimento é o problema central da epistemologia. Do ano de 1920 a 1980.geral e universal. as pesquisas piagetianas direcionaram-se à Psicologia Genética para investigar a gênese de conceitos relacionados ao meio físico. Piaget dedicou-se aos estudos de natureza epistemológica. mais de sessenta livros que registram o desenvolvimento de suas pesquisas e o conseqüente aprimoramento de sua teoria. De acordo com Fabril (2008). O sujeito epistêmico representa a resposta a que o autor pode chegar até o final de sua vida à questão-chave de sua obra: por meio da teoria da equilibração. permitiu-lhe chegar à fase posterior de sua obra. O conjunto dessas pesquisas. ademais.] Jean Piaget escreveu como autor e em co-autoria. esse educador tornou-se referência para muitos pensadores que vieram a posterióri..]. Ele encontrou na psicologia do desenvolvimento a maneira de buscar compreender como o ser humano se desenvolve. como Marta Kohl de Oliveira.

fase em que a linguagem mostra-se mais desenvolvida e fortalecida. pois o adolescente é capaz de analisar questões propostas sem que essas estejam presas ao real. o desequilíbrio. 2009). 2º período: Pré-operatório (2 a 7 anos). a criança já busca no adulto a objetividade nas respostas. assim. Esse estudioso dispõe o desenvolvimento humano em períodos. os quais são: 1º período: Sensório-motor (0 a 2 anos). favorecendo o adolescente a capacidade de lidar com conceitos. a construção do conhecimento ocorre quando acontecem ações físicas ou mentais sobre objetos que provocando. No primeiro período. Pré-operatório (2 a 7 anos) é anterior a representação lógica do pensamento. o início da socialização. ela tenta fazer uma acomodação e após uma assimilação e equilíbrio é então alcançado. 12 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . acomodação e assimilação dessas ações e. como: liberdade e justiça. e 4º período: Operações formais (11 ou 12 anos em diante) (BROTHERHOOD. o pensamento é lógico e já pode ser percebido. GALLO. compreendemos que para Piaget o conhecimento é cumulativo e de origem sensorial. A partir do exposto. Operações Concretas (7 a 11 ou 12 anos). Resumidamente. No aspecto cognitivo há o domínio da abstração e da generalização. No segundo período. É a fase do egocentrismo. Sua procura está em uma relação entre os iguais. o próprio corpo do bebê é a referência única e constante. O terceiro período.Na teoria piagetiana. é que nas operações concretas a criança estabelece todo o seu raciocínio lógico a partir de experiências vividas no mundo concreto. ocorre a percepção e movimentos na exploração no meio. Há o desenvolvimento de uma linguagem afetiva que só se torna comunicativa após os 2 anos de idade. O que vai diferenciar esse período da adolescência. Operações Formais (11 ou 12 anos em diante). a imitação é presente. é possível entender que uma vez que a criança não consegue assimilar o estímulo. também. a construção de esquemas ou conhecimento. 3º período: Operações Concretas (7 a 11 ou 12 anos). o adulto é considerado a fonte de conhecimento. o raciocínio lógico ultrapassa as experiências vividas. Nessa fase. ocorrendo. dessa maneira. Sensório-motor (0 a 2 anos). resultam em assimilação ou. Já o quarto e último período. de acordo com Sorato (2009).

Na realidade. A influência de seus estudos sobre o processo educacional foi bastante enfática. nas dependências da instituição escolar. Outro autor abordado é HENRI PAUL HYACINTHE WALLON (1879. tudo o que ele queria era compreender como ocorre o processo de desenvolvimento humano. para Piaget. O indivíduo caminha para então: um aumento do desenvolvimento cognitivo e para maior compreensão dos problemas. De origem francesa. os contextos que colocam desafios às crianças são potencialmente mais estimulantes para o desenvolvimento cognitivo. Tais pontos influenciam os conteúdos emocionais. sua postura científica buscava fundamentação no marxismo. em especial. mesmo não tendo a pretensão de agir dessa maneira.Na idade adulta não surge nenhuma nova estrutura mental. Henri Wallon – médico francês preocupado com o processo de desenvolvimento humano. Questionamos então: e na idade adulta. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 13 . Piaget reconhece. Formou-se em medicina e pôs-se a estudar acerca de questões referentes à Psicologia do Desenvolvimento. assim como a sua forma de estar no mundo. que apesar de ponderar faixas etárias como formas específicas de pensar e atuar sobre o mundo pode ocorrer atrasos ou avanços individuais em relação à norma de determinado grupo. mas estudiosos utilizam-se desses conhecimentos para buscar compreensões acerca da criança e a apreensão do conhecimento realizada pela mesma. porém. É possível compreender que. essa variação pode ser devida à natureza do ambiente em que as crianças vivem. É inegável a importância da teoria de Piaget para a educação. Importava-se com a compreensão acerca do desenvolvimento humano. De acordo com Sorato (2009). não há um período esboçado? Na referida fase não surge nenhuma nova estrutura mental.1962).

PRANDINI. Wallon propõe estágios de desenvolvimento. sua teoria ainda é pouco divulgada e conhecida nos meios educacionais. mostrando o uso que a pedagogia pôde fazer dessas bases. p..] Assim. o que o fez escrever sobre as ideias pedagógicas apontando bases para que a psicologia oferecesse à atuação pedagógica um campo teórico. a teoria de Wallon considera o desenvolvimento da pessoa completa integrada ao meio em que está imersa. Também volta-se para a compreensão da psicogenética. é um desenvolvimento conflituoso. a ênfase é para a integração – entre organismo e meio e entre as dimensões: cognitiva. ele não é adepto da ideia de que a criança cresce de maneira linear.com. uma criança ou um adulto não são capazes de se desenvolver sem nenhum tipo de conflito.. porém. como uma realidade viva e total no conjunto de seus comportamentos e suas PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 14 . cada estágio estabelece uma forma específica de interação com o outro. O desenvolvimento humano tem momentos de crise. 2001). Percebemos que Wallon consegue propor a interação entre o organismo e o meio social. Contudo. e motora na constituição da pessoa. A pessoa é vista como o conjunto funcional resultante da integração de suas dimensões. afetiva. 2) ressaltam que a psicogenética de Wallon é: [. é essencialmente emocional e gradualmente vai constituindo-se em um ser sociocognitivo. Henri Wallon elaborou uma teoria sobre o desenvolvimento humano. pois se preocupava muito com a educação.br/aprendizagem/henri-wallon-307886. cognitivo e motor também integrados [. A criança se desenvolve com seus conflitos internos e.. Dourado e Prandini (2001.. predominantemente o social.Henri Paul Hyacinthe Wallon Fonte:<http://educarparacrescer.shtml>. Segundo Basso (2010). para ele.] essencialmente sociocultural e relativista. cujo desenvolvimento se dá na integração de seu aparato orgânico com o meio. nesse sentido.abril. assim como Piaget. para Wallon. isto é. enriquecendo a experiência pedagógica (DOURADO. com os seus aspectos afetivo. com forte lastro orgânico. A criança. O autor estudou a criança contextualizada.

No estágio sensório-motor ao projetivo (1 a 3 anos). o estágio impulsivo-emocional. a qual constrói os significados diferenciados que a criança dá para a própria ação. A partir dos estudos realizados por Vigotsky podemos constatar que o ser humano está profundamente ligado ao movimento histórico e social que o permeia. Morreu aos 37 anos. teve que conviver com a tuberculose por 14 anos. Vigotsky era um estudioso empenhado em questões relacionadas à psicologia. 2010). mas seus pais lhe proporcionaram um tutor particular como forma de investimento no processo educacional. 1995). Isso nos indica uma preocupação para com o ser humano em sua totalidade. O que ressaltamos é ainda a pouca veiculação da teoria de Henri Wallon no meio educacional. no primeiro ano de vida. Dos 3 aos 6 anos. Nesse estágio estão presentes as relações cognitivas da criança com o meio. às artes. O estudioso dividiu a sua teoria afirmando que no início do desenvolvimento existe uma preponderância do aspecto biológico sobre a criança. aparece a imitação inteligente. Era judeu. à linguística e às ciências sociais. no idioma russo. na época uma condição difícil para se prosperar nos estudos. Os estudos de Henri Wallon ainda não alcançaram notoriedade no cenário educacional. Formou-se em Direito pela Universidade de Moscou. na Rússia (REGO. exploração e conhecimento do mundo social e físico. Muitos de seus escritos encontram-se. Trabalhou no Instituto de Psicologia de Moscou demonstrando muita preocupação para com a educação. a criança interage com o meio regida pela afetividade. no estágio personalístico.condições de existência (BASSO. Esse autor buscou na teoria de Karl Marx as bases para a formulação da sua teoria. Lev Seminovich Vigotsky psicólogo russo nasceu em 5 de novembro de 1896. A divisão do desenvolvimento por estágios realmente nos faz perceber semelhanças com a obra piagetiana. para Galvão (2000). isto é. ainda. em Orsha. predominam as atividades de investigação. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 15 .

A descoberta da Psicanálise é considerada um marco na história da humanidade. a PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . ministrou. Ao defender as zonas de desenvolvimento real e proximal.wikipedia. O termo psicanálise é utilizado para se referir à teoria. o pensamento de Vigotsky encontrou relativa propagação. Fonte: <pt.A formação do psiquismo humano a partir dos pressupostos vigotskyanos tem o historicismo como grande produtor e norteador desta teoria. aulas de neuropatologia. A zona de desenvolvimento potencial (ZDP) refere-se àquilo que a criança realiza. Nosso último estudioso a ser mencionado nessa fase introdutória é SIGMUND FREUD (18561939). Podemos afirmar que sua teoria é muito extensa e expressiva. POSSIDÔNIO. Ele foi um médico vienense que modificou a forma de se compreender a vida psíquica. criando e sistematizando o conceito de inconsciente. Especializou-se em psiquiatria e trabalhou em um laboratório de fisiologia. A zona de desenvolvimento real (ZDR) refere-se àquilo que a criança tem condições de realizar sozinha. como os soviéticos Luria (que já vimos anteriormente) e Leontiev. somente com o auxílio de alguém mais experiente. porém. também. mostrou a importância dos processos educacionais para a estimulação da criança. Na educação. assim como de seus continuadores. a sua contribuição para a ciência equivale às contribuições de Karl Marx na compreensão dos processos históricos e sociais. ambos conhecidos no meio educacional do Brasil (SILVA. Sigmund Freud 16 O pensador criou a PSICANÁLISE.org/wiki/Sigmund_Freud>. 2007).

Complexo de Édipo. período em que as funções de reprodução e de obtenção do prazer podem estar associadas. Na puberdade temos a fase genital. Há uma diminuição das atividades sexuais. logo após o nascimento. ressaltando que o período do desenvolvimento da sexualidade é longo e complexo até chegar à idade adulta. Furtado e Teixeira (1999). um intervalo. Logo após a manifestação dessas fases. quando o objeto de desejo não está mais no próprio corpo. passando a internalizar as regras e normas sociais impostas pela autoridade paterna. Ocorre entre 3 e 5 anos. Fase fálica. O menino procura ser o pai para “ter” a mãe. Temos. durante a fase fálica. para o meio educacional. Suas regras básicas de comportamento foram internalizadas pela identificação com a figura paterna. Nesse complexo. O desenvolvimento psicossexual mostra o amadurecimento sexual infantil dividido em fases – oral. TEIXEIRA. Na Fase oral: a zona de erotização é a boca. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 17 . o prazer é encontrado no próprio corpo. a manifestação do Complexo de Édipo – é a fase de estruturação da personalidade. o maior legado deixado por Freud foi acerca da descoberta do inconsciente e da sexualidade infantil. tanto no homem quanto na mulher. mas sim em um objeto externo ao indivíduo. Para o autor.um método de investigação e a uma prática profissional. FURTADO. anal. as fases do desenvolvimento psicossexual são: Fase oral. É um conjunto de conhecimentos sistematizados sobre a vida psíquica (BOCK. 1999). O pensador defendia que a função sexual existe desde o princípio da vida. e o pai é o rival que impede seu acesso ao objeto desejado. Nos dedicaremos mais à compreensão da segunda. “o outro”. então. escolhendo-o como modelo de comportamento. ocorre o período de latência que se prolonga até a puberdade. Na Fase fálica: a zona de erotização é o órgão sexual. fálica e Complexo de Édipo Segundo Bock. desiste da mãe pela riqueza do mundo social e cultural. Na Fase anal: a zona de erotização é o ânus. Contudo. a mãe é o objeto de desejo do menino. Fase anal. Freud destacou o processo de desenvolvimento psicossexual a função sexual ligada à sobrevivência. Pelo medo da perda do pai.

Wallon. ou seja. Piaget. de um modo de conduzir a educação. nos aspectos neurológico. 2) necessidade da contextualização histórica acerca da teoria dos mesmos. 246): [. É cabível acentuar. sendo invertidas as figuras de desejo e de identificação (BOCK. Logo. Mas é preciso ressaltar que Freud não tinha a preocupação para com a instituição escolar.. pois isto implica numa imprevisibilidade. postura essa defendida por Ariès. Ela ajuda na assimilação de uma ética. é impossível a criação de um método que vincule Pedagogia e Psicanálise. em linhas gerais. 1999). Em cada indivíduo ela pode atuar de uma forma. Vigotsky e Freud: 1) preocupação com o desenvolvimento humano de maneira ampla. TEIXEIRA. A Psicanálise é para o professor enquanto indivíduo e não para a pedagogia em si. emocional e psicológico.. 18 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . pode ser útil à Antropologia e Filosofia. nem mesmo na Pedagogia. produzindo saberes. dentre outras disciplinas. contrariando a visão das mesmas enquanto adultos em miniaturas. Segundo Oliveira (2008. se a Psicanálise trabalha com o inconsciente. p. 4) maior ou menor dedicação teórica aos aspectos educacionais. motor. inclusive fica clara a ideia de que a sua teoria não possuía o foco na educação e. do qual não se pode prever nada. e de modo algum à Pedagogia como um todo. A relevância dos referidos estudiosos mostram a convergência de algumas posturas frente ao manejo realizado com crianças. 5) preocupação manifesta quanto ao processo de desenvolvimento da criança. as seguintes considerações trazidas por Luria. 3) observação da criança enquanto sujeito na história.] é possível afirmar que a Psicanálise serve ao professor como indivíduo. FURTADO.Este processo ocorre também com as meninas. Além disso.

fundamentando o desenvolvimento da criança interligado a diversos setores. está relacionada ao corpo. a hiperatividade e o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). educadores e estudiosos. Na unidade IV trabalharemos as dificuldades de aprendizagem tentando entender as terminologias e conceituações acerca da dificuldade e distúrbio/transtorno de aprendizagem. há dois aspectos. O aspecto cognitivo está ligado ao funcionamento das estruturas cognitivas. trabalhos científicos e conversas informais. o problema de aprendizagem residiria nas estruturas do pensamento do sujeito. Nesse caso. o orgânico e o cognitivo. Na unidade III planejamos estudar as dificuldades e os distúrbios de aprendizagem especificando a dificuldade quanto à apreensão da leitura e da escrita. é possível ampliar o campo e o olhar de atuação nos dias de hoje. por vezes. São consequências extrínsecas ao indivíduo. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 19 . Já o distúrbio de aprendizagem se diferencia da dificuldade de aprendizagem por se tratar de um conjunto de sintomas ou comportamentos que comprometem o processo de aprendizagem. Quem escreve essa unidade é a professora especialista Lussuede Luciana Sousa Ferro. Existem dois distúrbios de aprendizagem muito comentados na mídia. dessa forma. ocasionando ao indivíduo muito sofrimento e perturbação. transitórias e com devida intervenção são extintas.Você sabia que difi culdade de aprendizagem e distúrbio de aprendizagem são termos distintos? A partir da postura desses pensadores. No que diz respeito à dificuldade de aprendizagem as mesmas dizem respeito a qualquer alteração no aprendizado. o papel da família. Neste. considerando todas as fases do desenvolvimento escolar. acentuando. em especial aqueles dedicados ao aspecto neurológico e neuromotor. O aspecto orgânico diz respeito à construção biológica do sujeito. em reuniões educacionais. da escola e dos profissionais mediante a realização de todo ou qualquer trabalho com o público infantil.

pois naquele ambiente poderá ocorrer o favorecimento do desenvolvimento da criança em seu processo de ensino-aprendizagem. assim como as intervenções escolares quanto às dificuldades e distúrbios de aprendizagem. Não há como desvincular esses dois pontos. no decorrer deste livro de estudos. assim como a ligação entre a afetividade e o processo de aprendizagem e os distúrbios emocionais terão a nossa preocupação. Acreditamos que afirmar isso significa poder salientar que o olhar do professor sobre a dificuldade de aprendizagem ou sobre o distúrbio de aprendizagem necessita ser diferenciado do olhar das outras pessoas que lidam com a criança. síndrome ou deficiência mental. São os rotulados como “endiabrados”. Nesse sentido. A professora Especialista Amanda Mendes Amude Patez escreve essa unidade. Pretendemos. que pode. observando as características específicas PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 20 . Dessa maneira. ou não. A aprendizagem ligada aos problemas emocionais. buscaremos entender a importância da atenção para a apropriação do conhecimento erudito. vir acompanhada de algum transtorno. Então. não permanecem nas carteiras.A criança hiperativa é aquela que todos imaginam estar ligada na potência de 220 volts. para que o processo de aprendizagem ocorra. ou seja. a importância da leitura e da escrita para a raça humana. são impulsivos! A hiperatividade é um sintoma. simpatia. As emoções interferem no processo de aprendizagem? De que maneira? Para Bueno (1996) afeto significa afeição. mas pode acelerar ou atrasar. podendo interferir no seu funcionamento. A afetividade não modifica o funcionamento da inteligência. possuem um transtorno orgânico. o TDAH. estudar a questão da afetividade e educação. déficit. também. geralmente. veremos. O diagnóstico é. Alexander Luria será o estudioso contemplado para nortear esse início de unidade. falam sem parar. o histórico sobre as dificuldades. não param quietos. amizade. realizado a partir do DSM-IV. Acreditamos que o ser humano é dotado de racionalidade e também de afeto. As crianças e adultos que manifestam o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. a função de mediador precisa ser ocupada pelo professor. possuem uma alteração nos neurotransmissores. mas é possível entender como ocorrem na rotina diária da criança. um professor afetuoso é um professor afável. Rotulações e opiniões pautadas no senso comum não são bem acolhidas ou bem-vindas ao meio escolar. Uma pessoa afetuosa é considerada uma pessoa afável. Na unidade V. para isso.

defendemos a sustentabilidade quanto ao referencial teórico para que a atuação fique mais fluida. não existe prática sem um bom conhecimento acerca da teoria. As noções terapêuticas quanto a cada caso a ser trabalhado com as crianças serão o destino dos nossos estudos. Ser diagnosticada com determinado tipo de distúrbio de aprendizagem não significa que a criança está fadada a nunca aprender.psicopedagogia. compreendemos que a ação deste será na tentativa de sanar as lacunas deixadas no processo de ensino e aprendizagem. A principal colocação que sentimos necessidade de fazer é quanto à informação que o professor precisa ter a respeito dos distúrbios de aprendizagem. Destacamos que não estamos com o objetivo de responsabilizar em excesso o professor. têm. independente se está trabalhando com uma criança que apresente dificuldade ou o distúrbio de aprendizagem. Acesse o site:<www. É um processo terapêutico que envolve o trabalho de profissionais de diversas áreas. afinal. mediante fatores específicos da aprendizagem. relativa contribuição. também. além de psicólogos. não é só o psicólogo ou o psicopedagogo que lidam com a dificuldade e o distúrbio de aprendizagem. ou para um psicopedagogo. com uma atuação mais incisiva do professor em sala isso é possível sim. psicopedagogos. clareza quanto à metodologia aplicada em sala é fundamental. fonoaudiólogos e oftalmologistas. os distúrbios e as principais características dos mesmos ocorrerá maior facilidade para o encaminhamento correto aos profissionais que atuam com a área educacional: psicopedagogos. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 21 . por exemplo. Na verdade. como já afirmamos.dos mesmos e a metodologia adequada a ser utilizada pelo docente em sala de aula. Conhecendo.br> e fi que atento às notícias sobre o desenvolvimento infantil. fonoaudiólogos. de forma ampla. psicólogos e neuropsicólogos. Por isso. profissionais da área da saúde como os médicos e os neurologistas. Ao encaminhar para um psicólogo. Pelo contrário. psicomotricistas. Mas. A atividade psicoeducacional e psicopedagógica é tanto preventiva quanto terapêutica.com.

Precisamos da atenção de vocês em todo o processo de estudos! Anote. questione. participe das aulas.Você sabia que os psicopedagogos estão organizados em uma associação? É a ABPp. você iniciou um processo de aprendizagem. Não esqueça. dedicação é fundamental! Gescielly e Márcia 22 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

Sumário UNIDADE I O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA DO MINIADULTO AO SER CRIANÇA: DISCUSSÕES SOBRE A INFÂNCIA E A CONSTITUIÇÃO DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM O DESENVOLVIMENTO HUMANO: O QUE É NORMAL? DESENVOLVIMENTO NEUROLÓGICO E PSICOMOTOR 30 38 44 UNIDADE II AS PRINCIPAIS TEORIAS QUE SE DEBRUÇAM SOBRE O DESENVOLVIMENTO HUMANO – EM BUSCA DA COMPREENSÃO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM JEAN PIAGET E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM 70 HENRI WALLON E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM 82 SIGMUND FREUD E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM 86 LEV SEMINOVICH VIGOTSKY E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM 95 UNIDADE III AS DIFICULDADES E OS DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM: A DIFICULDADE QUANTO À APREENSÃO DA LEITURA E DA ESCRITA .

ESCRITA: SUA HISTÓRIA NA FILOGÊNESE LINGUAGEM ESCRITA: SEU PAPEL NA HISTÓRIA HUMANA 107 113 O PROCESSO DE ENSINO DA LINGUAGEM ESCRITA E O PAPEL DO PSICOPEDAGOGO  120 PARTE PRÁTICA: APÓS TANTA TEORIA. COMO APLICAR ISSO NA PRÁTICA? PSICOPEDAGOGIA E A LINGUAGEM ESCRITA: UM ESTUDO DE CASO PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  DESCRIÇÃO DOS INSTRUMENTOS APRESENTAÇÃO DO SUJEITO  QUEIXA INICIAL RESULTADOS E ANÁLISES INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO 122 122 123 123 124 124 125 “MEU FILHO NÃO SABE LER E ESCREVER!” COMO SUPERAR AS DIFICULDADES DA LINGUAGEM ESCRITA?  139 UNIDADE IV DIFICULDADES CONCEITUAÇÕES PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM 155 DE APRENDIZAGEM – ENTENDENDO TERMINOLOGIAS E ENTENDENDO UM POUCO MAIS SOBRE AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM 156 DIFERENCIANDO AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM – O CUIDADO AO LIDAR COM O SER HUMANO O QUE É HIPERATIVIDADE?  156 171 .

DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) AO LIDARMOS COM A POPULAÇÃO ADULTA ALGUMAS PONTUAÇÕES SOBRE O TDAH 172 177 179 UNIDADE V A IMPORTÂNCIA DA ATENÇÃO PARA A APREENSÃO DO CONHECIMENTO ERUDITO ALEXANDER ROMANOVICH LURIA (1902-1977): PARA A COMPREENSÃO DE DIFICULDADES LIGADAS À ATENÇÃO DA CRIANÇA ATENÇÃO PARA LURIA – PONTUAÇÕES A PARTIR DE AMDE-PATEZ (2010) DISTÚRBIOS EMOCIONAIS  185 192 205 CONCLUSÃO REFERÊNCIAS 209 211 .

.

Plano de Estudo A seguir. • Estudar sobre a atenção. apresentam-se os tópicos que você estudará nesta unidade: • Do miniadulto ao ser criança: discussões sobre a infância e a constituição da psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem • O normal e o patológico • Neurologia e psicomotricidade • A cognição para Luria • Atenção • Funções Executivas/ Memória Operacional . segundo Luria. • Compreender sobre as Funções Executivas/ Memória Operacional. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. • Realizar a diferenciação entre desenvolvimento/ maturidade e imaturidade. Márcia Regina Sousa Storer Objetivos de Aprendizagem • Compreender a construção da categoria infância. • Buscar a compreensão sobre o desenvolvimento cognitivo. • Identificar características do desenvolvimento neurológico e psicomotor. • Entender a diferenciação entre o desenvolvimento normal e o patológico.UNIDADE I O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA Professora Me.

.

nos atendo aos estudos de Luria para a clarificação dessa questão. assim como estudos acerca do desenvolvimento neurológico e psicomotor do ser humano. psicológico. o trabalho começou! PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 29 . Discussões sobre a atenção estarão em pauta. é por essa construção que temos hoje tantas discussões e cuidados para um público que começa a ter ênfase somente a partir do século XVII. a maturidade e a imaturidade serão contempladas. Vamos lá. Compreenderemos alguns pontos do desenvolvimento cognitivo. assim como a psicopedagogia. é pela construção da categoria infância que temos a área da psicologia do desenvolvimento e da psicologia da aprendizagem. temos algumas metas a serem cumpridas. Categorias como o desenvolvimento.INTRODUÇÃO Na Unidade I. Entenderemos a diferenciação entre o desenvolvimento humano dito “normal” e o desenvolvimento humano dito “patológico”. A primeira delas é a busca pela compreensão sobre o processo histórico da construção da infância. afinal. assim como as funções executivas e a memória operacional ou de trabalho da mente do ser humano. a partir de um olhar biológico. social e cultural.

Se acreditamos em um ser humano formado da referida maneira. até esses termos são constituídos social e culturalmente? Convidamos você a “dar um passeio” pelos entremeios da história. da economia. pela mentalidade vigente na sociedade. Os mais novos e os mais velhos com1 Acadêmico do segundo ano do Curso de Psicologia do Cesumar. O contexto de uma época é tão importante que a infância outrora construída está agora. Acreditamos que ao pontuarmos a descoberta da infância podemos não ser bem interpretados.. o mundo adulto fundia-se com o mundo das crianças. Anteriormente. e que foi apenas “achado”. da família. A criação desse sentimento alcançaria seu ápice durante os séculos XVIII e XIX. além disso. em uma razão de ser. em nossa sociedade pós-moderna que traz uma mentalidade que tende a aproximar cada vez mais os mais jovens dos mais velhos. E você acredita que. com pontuações voltadas para o desenvolvimento e a aprendizagem humanas. podemos salientar que Arriès (1978) escreve que até o século XV não havia um sentimento de infância em sua concepção moderna. Para Postman (1999). Por isso usamos o termo “construção da infância”.. então.DO MINIADULTO AO SER CRIANÇA: DISCUSSÕES SOBRE A INFÂNCIA E A CONSTITUIÇÃO DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM FABIO GENARI1 GESCIELLY BARBOSA DA SILVA TADEI Acreditamos em um ser humano que se constitui histórica e culturalmente. Veio como consequência na interação dos costumes. a infância foi cunhada em um processo histórico. Trabalhamos com questões referentes à infância. ao pontuarmos a palavra “descoberta” temos a sensação de que o sentimento de infância foi algo que sempre existiu. o qual implica em processo. não existia uma distinção. Sobre historicidade. tudo o que diz respeito a esse ser humano volta-se para essa compreensão. 30 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

vestiam as mesmas roupas. fazê-las piadas maliciosas. crianças e adultos eram estrelas de uma mesma constelação e vistos como iguais. Não havia um respeito especial às idades mais novas.partilhavam dos mesmos costumes. que representava as crianças com músculos salientes. o despertar para a construção da infância moderna inicia-se no século XV. era uma crença generalizada na Idade Média que a criança era alheia e indiferente a sexualidade. Segundo Ariès (1978). também. era comum brincar com o seu sexo. De uma perspectiva histórica. em seu sentido moderno. Para Arriès (1978). mas sim por acreditarem que não havia diferença entre os de maior idade e os pequeninos. foram ideias cunhadas por um longo processo sócio-histórico e que tem como um dos marcos no Brasil a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente. com traços e trajes semelhantes aos dos adultos. Neste sentido. das mesmas festas. falavam na mesma linguagem. a concepção de criança e infância. Em suma. Além disso. nem a criança nem o adulto havia ainda assimilado em seu contexto social a necessidade de uma separação. a proteção à criança e ao adolescente era inexistente não porque os adultos não nutriam afetos por esses. não existia uma distinção entre adultos e crianças . Outra razão da falta de um olhar mais específico direcionado à criança descansa no fato de PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 31 . acreditava-se que tais condutas fossem incapazes de provocar qualquer dano na formação do indivíduo. Nesse sentido. na arte. Naquela época (datamos aqui a Idade Média como referência). Esta mentalidade se refletia.viviam misturados tão logo as crianças apresentassem condições físicas para acompanhar os mais velhos. Não existia um pudor em relação às crianças.

no sentido da utilização de uma linguagem específica para se dirigir às crianças. não havia distinção entre o que se fazia no ambiente privado e público . Como disse Ariès (1978). Não deixar que se toquem e que não habitem a cama de outras pessoas. o patriarcal. 32 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . que transmitia seu ofício ao fi lho. sendo um refl exo do pai. na Idade Média a escola misturava diferentes idades dentro de um espírito de liberdade de costumes. Os jovens também partiam para o trabalho muito cedo.que na Idade Média a mortalidade infantil atingia números exorbitantes e o apego aos mais novos ficava fragilizado já que a possibilidade de morte estava sempre à espreita. O óbito dessas crianças era visto como algo normal (MATTIOLI. Gerson. também. Essa configuração acomodava inúmeras pessoas (até 200 membros) e nela não se fazia distinção de papéis sexuais. Para Arriès (1978). ] A escola era outro ambiente onde a miscigenação das idades ficava nítida: pessoas de todas as faixas etárias participavam da mesma classe e aprendiam os mesmos ensinamentos. estudioso que se dedicou ao estudo da infância. entretendo os adultos quando esses julgavam adequado. 1998). Gerson advoga. olhando para esse contexto. de educá-las. Além disso. Fazia-se necessário despertar nas mentes jovens um sentimento de culpa em relação ao sexo. para evitar a promiscuidade. o modelo de família era outro.as ruas eram uma extensão das casas. A criança funcionava na época medieval como uma espécie de bobo da corte. mesmo que do mesmo sexo. pregava que era preciso alterar a maneira de se relacionar com as crianças. As crianças eram paparicadas.

] tiveram também seus desdobramentos em relação à família” (MATTIOLI. 1998. podemos apontar “[. também. que visava o fortalecimento da juventude. que no século XIX são criados os jardins de infância. porque não falamos mais. ainda nessa discussão. No século XVIII a preocupação com a higiene se une aos sentimentos supracitados. Os mais novos assumem um papel central na família. e uma segunda. caracterizadas pelo sistema capitalista monopolista e depois concorrencial. que buscavam apagar a má impressão deixada pelas creches. como foi Gerson. Alguns educadores passaram a não tolerar que as crianças tivessem acesso a livros duvidosos. sua separação do vilanesco mundo adulto.. tanto em âmbito físico como intelectual. segundo Arriès (1978).] as transformações sócio-econômicas ocorridas na sociedade ocidental a partir do século XVIII. mas também com a sua existência. Ao ingressarmos no século XVII. A estrutura familiar patriarcal sofreu uma mudança PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 33 . O futuro da criança passou a ser valorizado e sua educação tida como imperativa. Data dessa época os retratos de crianças mortas. Este é para Arriès (1978) o marco do respeito verdadeiro à infância. mas acabaram por educar as crianças do proletariado. a visão social da criança sofre uma mudança mais brusca. a criança se tornou digna de ser lembrada. “[. substituindo o sistema feudal. tem origem. mas sim de toda uma mobilização da sociedade. Ao mesmo tempo. Essa mentalidade é a que vai reger a direção da educação até o século XX.. Nesse momento nasce uma preocupação não só com o futuro das crianças. p 153). Além disso. dando origem à ideia de fornecer aos jovens versões expurgadas dos clássicos literários. Esse novo ambiente deu origem a uma dupla consciência moral: uma que pregava a proteção da infância. Destacamos.No século XVI houve uma mudança mais clara. apontando que mesmo com a manutenção do alto índice de mortalidade infantil. educá-la para um aprimoramento moral e racional. as pré-escolas.. para educar de forma geral as crianças de classe mais abastada. de pensadores isolados..

mães e filhos. Lugares públicos que outrora eram usados como playgrounds pelas crianças passaram a ser evitados devido à crescente violência e a facilidade da propagação de patologias. íntegros. A mulher é outro ponto fundamental para o entendimento do desenvolvimento da criança e do adolescente. As primeiras creches.aqueles de menor idade precisavam ser instruídos para que se formassem como cidadãos de valores morais. A noção de que a relação mãe-filho é essencial para o desenvolvimento infantil e mesmo a crença de que a mulher é mais equipada de um ponto de vista biológico para exercer tais cuidados foram ideias cultivadas em função de interesses econômicos e políticos (MATTIOLI. Era preciso retirar as crianças da vil influência do mundo externo. Além disso. para liberar a mãe camponesa para o trabalho e diminuir a mortalidade infantil. Havia agora uma necessidade de preparar os mais novos para ingressar futuramente no mercado de trabalho. 1998). Neste sentido. o que surtiu forte influência na visão social da criança e da infância. Este mesmo movimento higienista promoveu alterações na estrutura urbana.de paradigma e passou para um modelo nuclear. Era crescente a necessidade de proteger as crianças tanto no âmbito físico. segundo Mattioli (1998). deu-se início ao processo de construção das escolas e creches para atendimento abrangente de público. 34 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . quanto no âmbito psicológico . promovendo um ataque contra doenças. Essa nova configuração familiar trouxe consigo a característica de se tornar privada e fortalecer os laços familiares. Desta forma. constituído de pais. foram construídas no século XVIII. o movimento higienista se instalava na sociedade. as creches e escolas também se fazem presentes. pois se tornaram o palco das brincadeiras infantis.

da ciência como aparelho ideológico. saturando o mercado e levando a uma consequência óbvia: o desemprego. esses danos não eram trazidos à tona. os homens retornavam a seus postos originais criando uma superpopulação de trabalhadores. Essa crença pode ser vista como contraditória.a primeira vez que isso ocorreu foi durante a Revolução Industrial. John Bowlby Fonte: <en. A repercussão foi tamanha que até hoje há reflexos desse sentimento em relação ao trabalho feminino e as creches (MATTIOLI. quem dirá serem irreversíveis. já que quando era de interesse político e econômico ter a mulher como força de trabalho.wikipedia. E surtiu efeito: as mães que até então confiavam seus filhos às creches passaram a temer o atendimento infantil fora das fronteiras domésticas. 1998). criou-se novamente uma necessidade da força de trabalho feminina no mercado .org/wiki/John_Bowlby>. o Estado fez uso. Encomendou uma pesquisa para o psicanalista John Bowlby com a finalidade de demonstrar os danos irreversíveis da ausência materna no desenvolvimento da criança. Então. Para atingir seus objetivos. Findado esse período de guerras. o Estado passa a difundir uma ideologia da necessidade dos cuidados infantis serem quase que exclusivos das mães com o intuito de fazer com que estas retornassem para dentro do lar aliviando o mercado de trabalho. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 35 . inclusive.No período das grandes guerras mundiais.

Neste sentido. Essa lei promove a implementação dos Conselhos Estaduais e Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente e os Conselhos Tutelares (MATTIOLI. a garantia dos direitos das crianças passou a ser vigiado por lei pela aprovação da Constituição Federal de 1988. Dados do MEC revelam que a população de zero a seis anos tem uma média de 14.) aponta para avanço. No Brasil.org/wiki/Organização_das_Nações_Unidas>. 1998). 167. o Ministério da Educação (MEC) cria a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). deve ser oferecida em duas frentes: as creches para crianças de até três anos e as pré-escolas para as crianças de quatro a seis anos de idade e ambas têm por finalidade o desenvolvimento integral da criança (MATTIOLI. Ainda. pois. neste tipo de instituições.wikipedia. mas isso não significa eficiência. Essa tendência se confirmou com um documento estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) visando à proteção infantil. p. 1998). 8069 de 13/07/1990). como não há no país uma cultura da educação de crianças 36 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Para Mattioli (1998. Mas até que ponto os direitos da criança e do adolescente estão de fato assegurados? É evidente que a criação de um estatuto e mecanismos (conselhos estaduais e tutelares etc. o sistema de educação destinado à faixa etária de zero a seis anos passou a ser denominado educação infantil. é um fator que se reveste de extrema gravidade. grifos nossos): O pouco investimento público.2% de sua totalidade atendida por creches e pré-escolas.Fonte: <pt. O Estado passou a assumir a responsabilidade pela preservação dos direitos das crianças. em 1996. Segundo a LDB. E apenas em 1990 é promulgado o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei Federal de no.

funcionando em ambientes físicos inadequados e realizados por voluntários. uma vez que com o nascimento do sentimento de infância. em especial. assim como a Psicologia da Aprendizagem. com pouca ou nenhuma qualificação para a atividade que irão exercer. com a construção da infância e as preocupações voltadas para esse período. sem intencionalidade educativa. convidamos você a entender um pouco mais sobre o desenvolvimento infantil. que. como assistencialistas. que a Psicologia do Desenvolvimento. são uma consequência necessária do sentimento de infância. Destacamos. nesse bojo histórico.pequenas fora de casa. na maior parte das vezes. Enquanto uma relação de favor. Parece correto dizer então. para que teríamos que nos desdobrar para compreender os conteúdos que serão ministrados aqui. O novo paradigma social exigia uma maior compreensão do fenômeno da infância: como educar as crianças? Por que algumas crianças não aprendem? Esse tipo de diagnóstico justifica uma ciência voltada para tal. fez-se necessário também uma área do saber para nortear as instruções a serem transmitidas. as instituições de educação infantil impendem críticas e fiscalização sobre a qualidade dos serviços prestados. precisamos de uma atenção maior da nação para com o processo educacional desde a educação infantil. Vocês percebem o quanto o processo histórico é importante? Nossa disciplina só se justifica mediante a construção da infância. o aspecto cognitivo. Entendemos que essa discussão faz-se necessária. haja vista que sem essa construção. esses atendimentos se caracterizam. Nesta forma de funcionamento está diretamente oposta aos direitos da criança. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 37 . não é mesmo? Agora que já entendemos o motivo pelo qual a nossa disciplina existe. à medida que a educação infantil se transforma numa relação de favor que a criança e a família recebem. ainda. com a preocupação emergida para com essa faixa etária do desenvolvimento humano.

Isso significa que a normalidade passa por esse crivo.. impedindo o outro. ainda. linha ou orientação. ao conceituarmos a palavra normal. patológico refere-se à patologia. no caso a criança. O que é normal? Você já parou para pensar no conceito de normalidade? De acordo com Chaplin (1981).. Sendo assim. Dessa maneira. econômicas e políticas. culturais. a palavra normal possui o seguinte significado: “[. medida. Para a psicopatologia ser “normal” remete à saúde integralmente orgânica física. da média ou da norma”. caso contrário. Trouxemos esse ponto de vista pela seguinte questão: o quão perigoso é pontuar que uma criança não está dentro do padrão de normalidade. faremos um trabalho patologizante. pois nós somos seres sociais. precisamos considerar as questões éticas. a potencialidade do outro é trabalhada e valorizada pelo o seu igual. é uma área da medicina que se ocupa do estudo das doenças. por aquele que é mais experiente em determinadas funções. concordamos plenamente com Dermeval Saviani (1990). Então. psíquica e social. sociais. autor esse que afirma que nós não nascemos humanos.. cultural e historicamente. temos que levar em conta todas as condicionantes acima citadas. à doença. Ao afirmarmos isso. Norma significa.O DESENVOLVIMENTO HUMANO: O QUE É NORMAL? Definindo Normal e Patológico. de ter acesso pleno ao seu processo de humanização. E o que é psicopatologia? 38 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .. formados social. nós nos tornamos humanos por meio das relações sociais.] que não se afasta exageradamente do vulgar. E o que é patológico? Patologia refere-se à doença. Sendo assim.

compreendo que muitas questões que discutiremos ao longo deste livro. ainda. por que precisamos dessas discussões sobre normalidade x patologia. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 39 . A partir do momento que entendo as determinações sócio-históricas. uma pessoa é considerada normal quando participa de um estado de completo bem-estar físico. de julgar a sua “incapacidade em aprender”. como foi o caso da Psicologia do Desenvolvimento e da Psicologia da Aprendizagem. que a Psicopedagogia entra em cena a partir dessas condicionantes. ou normalidade e patologia? Vejamos. se estamos na disciplina de Problemas e Dificuldades de Aprendizagem na Infância. dentro dessa discussão. que mostram a “dificuldade” apresentada pela criança em determinada área do conhecimento. É um ramo da medicina que estuda e busca tratamento para os transtornos mentais e manifestações comportamentais. Inclusive. não apresentando quadros infecciosos e enfermidades. precisamos compreender que a infância foi uma categoria construída. de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Podemos destacar. devido ao fato que muitas são as avaliações realizadas. Caso não tenhamos claros os conceitos discutidos. trouxemos o conceito de normalidade e patológico. necessitam ser trabalhadas à luz do contexto histórico e cultural de dada situação. corremos o risco de “rotular” a criança. é dentro da área da Psicologia da Aprendizagem que temos a subárea de estudos referentes a Problemas e Dificuldades de Aprendizagem na Infância. Bem. área essa que tem como um dos pilares o trato direto de crianças e adolescentes. Mas.A psicopatologia ocupa-se do estudo de questões referentes à esfera mental do ser humano. na atualidade. mental e social. A respeito da saúde. é considerado normal e patológico tudo que se refere a questões que destoam no processo de formação da condição humana. De acordo com a psicopatologia. e que foi a partir dessa categoria que tivemos a possibilidade de entendermos que disciplinas específicas para o cuidado com a criança tiveram a chance de se sustentar teórica e metodologicamente.

. interpretadas pelos adultos. Definindo Desenvolvimento. As atividades que ela realiza.] criança tem direito ao melhor tratamento de saúde possível. É um caminho de profundo respeito ao outro.216 de 6 de abril de 2001. e não em um mundo “natural”. podemos compreender que: [.. a criança está em constante interação com os adultos. deve. à criança. estabelecendo os parâmetros para o início do tratamento da mesma. a qual garante que a “[.. a histórica. De acordo com Fontana e Cruz (1997) a criança “[. A nossa reflexão deve remeter-se ao comprometimento profissional em considerar o que podemos fazer para auxiliar a criança com dificuldade de aprendizagem.] desde o nascimento.É um trabalho um pouco mais árduo.. 40 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . sendo elas: a biológica. a psicológica. psicólogo. psicopedagogo ou neuropediatra.. através de métodos não invasivos visando oferecer assistência integral inclusive serviços médicos. naquilo que tange a sua totalidade enquanto ser humano no mundo. Ainda respaldadas nas ideias expostas pelas referidas autoras. a social e a cultural. então. partir desse respeito ao outro. que compartilham com ela seus modos de viver. Isso significa afirmar que a criança nasce em um mundo humano. sociais e psicológicos”. Maturidade e Imaturidade O processo de desenvolvimento humano necessita ser observado a partir de algumas vertentes. Esse cuidado está presente na Lei 10.] começa a sua vida em meio a objetos e fenômenos criados pelas gerações que a precederam e vai se apropriando deles conforme se relaciona socialmente e participa das atividades e práticas culturais”. O olhar do profissional. integrando-a aos significados que foram sendo produzidos e acumulados historicamente. de fazer as coisas. respeito e tratamento esse que é respaldado por lei. adquirem significado no sistema de comportamento social do grupo a que pertence. de dizer e de pensar. mas que valoriza a criança enquanto um ser capaz de aprender e lidar com questões referentes ao seu aprendizado..

a memória. segundo Fontana e Cruz (1997.Então.. podemos inferir que o processo de desenvolvimento de uma criança depende diretamente de seu contexto social. Entendemos que desenvolver-se é apropriar-se da cultura. 24. de um mundo humano sistematizado a volta da criança. as reações automáticas. compartilham com a criança seus sistemas de pensamento e ação.. do “fazer junto” ou do “fazer para”. a priori. o modifica. universal: o funcionamento psicológico. particularmente no que se refere às funções PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 41 . o estrutura. Então. nas quais os adultos ou as crianças mais velhas. nossa concepção é a de que há uma base material em desenvolvimento ao longo da vida do indivíduo e da espécie humana. ele o internaliza. pautadas em Oliveira (1997. histórico e cultural.. Não temos receio para afirmar a seguinte pontuação: o homem não se adapta ao meio. pois desde o seu nascimento a criança tem com o mundo uma relação mediada pelo outro. CRUZ. É um processo interativo entre as reações naturais. grifos nossos) que: [.] um processo de internalização de modos culturais de pensar e agir. características essas notadamente humanas (FONTANA. Esse processo de internalização inicia-se nas relações sócias. pela linguagem. 63) como: [. p. Mas. de relação e de representação.. por meio da linguagem. significa afirmar que o biológico não tem importância alguma? Não!!!! De forma alguma podemos descartar a esfera biológica!!! O que tentamos mostrar é que a cultura e as demais categorias têm uma força sobremaneira no processo de formação e de desenvolvimento do indivíduo. descontextualizado. num processo em que a cultura é parte essencial da natureza humana.] o homem transforma-se de biológico em sócio-histórico. mas que passa a ter sentido pela ação de alguém mais experiente para com a criança. as ações reflexas. Nesse sentido. as quais são herdadas biologicamente (a percepção. 1997). e as associações simples) unem-se aos processos organizados pela sociedade e expressos de maneira cultural e transformam-se em modos de ação. do jogo. pela internalização de um mundo que. o homem se desenvolve nessa relação intrínseca entre ele e a cultura. não tem sentido. pensamos. Não podemos pensar o desenvolvimento psicológico como um processo abstrato. p. o desenvolvimento é observado.

E quando a criança não consegue realizar atividades como essas. “conseguir resolver operações matemáticas que exigem um nível de abstração considerável”. Essa visão de um desenvolvimento humano imerso nas condições sócio-histórica é o centro das discussões realizadas por esse estudioso da psicologia. dentre inúmeros outros exemplos que exprimem a condição humana para o crescimento. ou melhor. significa que 42 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . E o que é maturidade? A maturidade é conhecida no meio acadêmico como maturação. impulsionado pelo processo de mudança pelo qual passa o indivíduo. pela independência em: “comer sozinho”. o que colocamos aqui é que a criança. Voltaremos a essa discussão mais adiante. claro!”. Estamos ainda engatinhando na concepção de homem e de mundo trazida pela Teoria Histórico-Cultural. a literatura aponta para uma palavrinha chamada imaturidade. tipicamente humanas. cujo principal expoente é Lev Seminovich Vigotsky. é a busca pela autonomia. Ao falar em processo de desenvolvimento. Queremos deixar claro aqui que maturação não significa “estar pronto para”. “vestir-se sozinho”. Na realidade. “amarrar o sapato sozinho”. Isso significa afirmar que no rol do desenvolvimento humano existe a necessidade da maturação.psicológicas superiores. que é o esforço para se conseguir atingir algo. Vigotsky destaca a importância do processo de escolarização na vida de uma criança. quando adulto. “conseguir dirigir um automóvel. ou quando apresenta dificuldades acentuadas na leitura e na escrita? Nesse caso. “ser capaz de decodificar as letras do alfabeto”. “entrar no mundo da leitura e da escrita”. Podemos chamar a sua atenção para o vocabulário utilizado por nós durante o processo de escrita. está baseado fortemente nos modos culturalmente construídos de ordenar o real. processo de maturação. mas sim uma condição pela qual passamos durante nosso desenvolvimento. quando se encontra em uma situação assim.

ela não consegue realizar determinada atividade sozinha. (b) Montar grupos na sala de aula. A compreensão parece difícil? Então. vamos a um exemplo. nós. Mas. como é o caso de Ana. Nesse caso. Vamos lá? As alternativas da professora de Ana são as seguintes: (a) Colocar Ana junto aos alunos que não conseguem realizar essa atividade para que possa dar auxílio de maneira mais direta para essas crianças a fim de que elas aprendam a decodificar as letras. o que significa isso? Vigotsky. Falamos aqui em Zona de Desenvolvimento Proximal. A Zona de Desenvolvimento Real diz respeito a todas as coisas que a criança consegue realizar sozinha. e a Zona de Desenvolvimento Proximal. A Zona de Desenvolvimento Proximal significa que existem atividades que a criança não conseguirá realizar sem a mediação de um par mais experiente ou de um adulto. O que a professora deve fazer então? Examine as alternativas abaixo e antes de continuar a leitura faça uma opção pela letra a ou pela letra b. precisaremos atuar na Zona de Desenvolvimento Proximal para que possamos auxiliar realmente o processo de desenvolvimento humano. Ana não consegue decodificar as letras do alfabeto. ao trabalhar com a área de desenvolvimento humano. educadores. Por isso. denomina duas grandes áreas de desenvolvimento: a Zona de Desenvolvimento Real. sem a intervenção de um par mais desenvolvido que ela (uma criança mais velha ou um adulto). Não vale deslizar os olhos para o parágrafo seguinte hein! Seja sincero com o seu processo de apreensão do conteúdo sistematizado. Essa “imaturidade” que a literatura traz denota as atividades que a criança ainda não desempenha sem o devido auxílio. E aí? Qual foi a sua escolha? Que tal partirmos para uma discussão? PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 43 . ela precisará do auxílio de um par mais desenvolvido para que ela consiga compreender de tal maneira que realize a atividade sem auxílio a posteriori. Cada grupos a professora colocará crianças que têm muita facilidade quanto a decodificação de letras e crianças com dificuldade.

e é na infância que temos o ápice desse desenvolvimento. Lembrem-se!!! O desenvolvimento é um processo no ser humano.Caso você tenha optado pela letra b. Mas. ok? Caso afirmássemos isso. atenção! Não afirmamos aqui que o processo de desenvolvimento e aprendizagem ocorre apenas na infância. você jamais poderia tentar aprender um outro idioma. ou aprender a dirigir. ou avançaria de maneira deveras lenta. como o indicado pela letra b. Se a professora deixasse Ana em um grupo de crianças com dificuldade de aprendizagem como aquelas apresentadas pela aluna. você compreendeu de maneira satisfatória o que é atuar sobre a Zona de Desenvolvimento Proximal. a própria palavra remete ao termo neurônio. Ana continuaria com a mesma dificuldade. Para melhor compreender como acontece o processo neurológico da aprendizagem é de início saber o que são as células nervosas ou neurônios. segundo Vigotsky. Nosso conselho é: muito cuidado com generalizações!!! DESENVOLVIMENTO NEUROLÓGICO E PSICOMOTOR Quando mencionamos o termo neurológico. 44 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . se a professora organizar um grupo misto. auxilia no processo de desenvolvimento humano e na apropriação do conhecimento científico sistematizado historicamente pelos seres humanos que nos antecederam. ou fazer um prato culinário diferenciado em ocasiões especiais. Agora. Ana pode ter a chance de entrar em contato com pares mais desenvolvidos que ela o que.

No corpo celular em que estão o núcleo e as organelas é onde ocorre a permissão do impulso nervoso que responde às sensações no nosso organismo. serotonina. que em resposta à atividade nervosa são liberados. dopamina dentre outros). podendo receber 100 mil impulsos por segundo em cada sinapse. capazes de aprender e fazer em torno de 60 mil conexões. Os dentritos ampliam a captação das sensações para avaliação no corpo celular. Os neurônios são extremamente numerosos.coladaweb. resultando em alterações em sua ação. produzidas no terminal pré-sináptico. Na sinapse acontece a transformação do estímulo elétrico em estímulo químico (pelos NT: adrenalina. portanto quanto mais dendritos. aminoácidos dentre outros) que passam a barreira hematoencefálica. mais informações. aproximadamente 100 bilhões em cada cérebro. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 45 . Os neurônios produzem substâncias denominadas neurotransmissores clássicos. Os neurônios são células estimuladoras que se comunicam entre si e/ou com as células efetuadoras. O axônio funciona como um fio condutor para o estímulo elétrico criado pelo corpo celular.Fonte: <http://www. os NT (neurotransmissores) produzidos pelo corpo celular devem atingir a sinapse. que se localizam nas terminações do axônio. Aqui. Os neurotransmissores são formados a partir de substâncias (glicose.com/biologia/corpo-humano/neuronio-sistema-nervoso>.

html>. e ampliado o número de crianças saudáveis. que tem atuado junto a populações carentes para a divulgação da necessidade de uma alimentação saudável para crianças. A importância do acompanhamento desde o pré-natal ao nascimento é de extrema necessidade. pois auxilia na identificação de más-formações e possibilita a intervenção necessária. criada pela saudosa Zilda Arns. Posturas assim tem trazido um número cada vez mais elevado de crianças saudáveis que tem adentrado à escola para o contato com o sistema de ensino científico formal. Essas são medidas preventivas que o adulto pode tomar preparando a chegada da criança ao mundo material. Dados trazidos pela Organização Mundial da Saúde apontam para um investimento governamental e também de ONGs para a atuação junto à população mundial acerca da medicina preventiva no período pré-natal.Já na vida intrauterina dá-se início ao desenvolvimento neuropsicomotor – por volta da terceira semana de gravidez – ou seja.r7. as formações de estruturas nervosas começam desenvolver-se no feto. ocupado por nós. Destacamos aqui a atuação da Pastoral da Criança.com/famosos-e-tv/noticias/cultura-disponibiliza-entrevista-de-zildaarns-no-roda-viva-20100115. Fonte:<http://entretenimento. não descuidando do aconselhamento de gestantes carentes. ideia que teve a sua origem 46 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . assim como cuidados básicos de higiene. Erguemos uma crítica aqui contra a Teoria da Carência Cultural. Essa atitude tem reduzido o número de mortes de bebês e de gestantes.

as mesmas apresentam as divisões cerebrais que serão explicadas posteriormente. a chamada “teoria da carência cultural” (Patto. inteligência. independente se trabalho na Zona Urbana ou na Zona Rural. ou se trabalho na Escola Pública ou na Rede Privada de Ensino. 1998). questionamos em que isso interfere no processo de desenvolvimento e no processo de aprendizagem? O processo de aprendizagem se dá no sistema nervoso central. psicólogos e demais profissionais passaram a pesquisar as causas dos problemas de aprendizagem. Além de conhecer o sistema nervoso central e sua finalidade. cognição. é auxiliar a sua compreensão de que o respeito ao ser humano é fundamental. linguagem. Ocorre. 1998). é importante saber as funções de cada área específica de nosso cérebro. a qual pontuava. verifico o que ele pode conseguir aprender. 1) auxilia nossa compreensão de maneira mais pormenorizada ao afirmar que: Paralelamente à influência da vertente sociológica na pesquisa educacional. quando olho para o meu aluno em sala de aula. nas áreas de nutrição. buscando-as nos aspectos do desenvolvimento infantil. passa a se fazer presente enquanto explicação para a realidade educacional brasileira. quando chega uma informação nova acontece o processo de aprendizagem. Observe as figuras. um conjunto de idéias que tem sua origem nos Estados Unidos da América. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 47 . mas. essa teoria procurava responder à pergunta: por que um grande contingente de crianças negras e imigrantes não aprendia na escola pública americana? Para responder essa questão. p. branca e empregada. que crianças pobres teriam dificuldades mais elevadas quanto ao processo de ensino e aprendizagem (PATTO. Nosso cuidado. de maneira ampla. Patto (2007. Fruto dos movimentos reivindicatórios das minorias negras e de imigrantes latinos que apresentavam baixo rendimento escolar. Tais resultados eram considerados como padrão de normalidade. Voltando para as nossas discussões sobre a rede neuronal. motricidade etc. nesse trabalho.nos Estados Unidos da América. estimulação. porém que os resultados dos experimentos realizados por tais crianças eram comparados com aqueles obtidos com crianças de classes média e alta da sociedade americana. Quando uma informação chega ao sistema nervoso central ela pode transformar-se em memória se a informação já for conhecida. e que foi tão divulgada em nosso país ainda na década de 1970.

Fonte: <http://www. pela interpretação e pela integração de estímulos visuais provenientes do córtex occipital é o Lobo Parietal. enquanto que sua parte anterior está 48 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .html>.grupoescolar.com/materia/o_sistema_nervoso_humano. No Lobo Occipital acontece a integração visual por meio da recepção dos estímulos nervosos. em sua parte posterior. No Lobo Temporal. Vejamos as definições básicas sobre cada área e o quanto as mesmas interferem no processo de aprendizagem do ser humano. ocorre a recepção e decodificação de estímulos auditivos. O responsável pelo tato.

No Lobo Frontal é onde ocorrem as conexões das diversas funções nervosas compactuadas ao comportamento humano.relacionada com o olfato e a gustação e ainda com comportamentos instintivos. e ainda. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 49 . em favor das funções nervosas superiores. para que isso aconteça. É no córtex cerebral (região do sistema nervoso central) que acontece a transformação dos estímulos recebidos em aprendizagem. Mas. isso ficará registrado e tão logo por meio de experimentações posteriores se dará o aprendizado. Se não houver nenhuma “memória” do que está recebendo. decodificação e compreensão. interpretação. toda atividade do SNC (Sistema Nervoso Central) deve funcionar de maneira adequada. devido a lesões. Portanto. paralisia contralateral e falta de sensibilidade (na área do córtex motor e sensitivo). pode ocorrer perda da concentração. só aprenderei se houver uma estimulação adequada ao SNC (Sistema Nervoso Central). diminuição da habilidade intelectual. há uma comparação (ativação da memória) de experiências anteriores. É aqui que. E isso acontece no meio social em que atuamos enquanto seres humanos. À medida que os estímulos nervosos atingem o córtex. déficit de memória e julgamento (na área do córtex pré-frontal).

Destacamos aqui a predominância de um ou de outro hemisfério para dada atividade. por meio de ações cruzadas. E quando se faz necessário exercitar esses movimentos cerebrais e físicos. a aprendizagem acontece quando ambos os hemisférios funcionam de maneira equilibrada. mas a pluralidade de ações. Os movimentos do corpo humano.infoescola. pernas. enfim. primeiramente. uma área chamada psicomotricidade integra 50 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . são gerados na mente: a ação dos braços.com/anatomia-humana/cerebro/>. não há compartimentos específicos. ou seja. o que é resultado do fortalecimento do lado não dominante do cérebro. músculos. das mãos. pois o cérebro atua de maneira plena em cada atividade que realiza. todos os movimentos.Hemisférios cerebrais Fonte: <http://www. O processo de informações acontece no lado dominante. O cérebro possui dois hemisférios: o hemisfério esquerdo e o hemisfério direito. mas. Ambos os hemisférios processam suas informações de modos diferentes e de maneira inversa.

que acontece na interação entre o tronco encefálico e o córtex frontal e ainda. a memória. Luria e o desenvolvimento cognitivo Alexander Romanovich Luria (1902-1977). o juízo. mas também. o cerebelo (responsável pelo equilíbrio. um neuropsicólogo russo. a imaginação e o pensamento. em seus estudos. Conforme já estudamos. Para que a aprendizagem aconteça. A cognição inclui a atenção. de acordo com estudos recentes. a percepção. mais especificamente ao funcionamento do sistema nervoso central. não depende apenas da estrutura que acontece em toda complexidade do funcionamento dos hemisférios cerebrais. mostrando ser possível verificar. como a atenção. passar dos movimentos globais aos específicos e do movimento espontâneo ao consciente. que teve seus estudos profundamente influenciados por Lev Semionovich Vigotsky (1896-1934). o cognitivo está relacionado ao funcionamento cerebral. Esse estudioso estudou. dando destaque para o papel fundamental que a linguagem exerce sobre o desenvolvimento humano. O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO O que significa cognição? Significa o ato ou o processo de conhecer. Sendo. Luria estudou os processos psicológicos humanos em interação com aspectos culturais. a organização funcional do cérebro e o desenvolvimento humano.técnicas que trabalham o corpo e todo seu desenvolvimento funcional. a evolução psicomotora normal em uma criança. históricos e instrumentais. do tipo de aprendizado. ainda. uma organização conceitual intrincada e complexa que serve de referência para a compreensão PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 51 . tônus muscular e coordenação motora) também recebe uma fatia participativa na mudança do foco da atenção.

da construção de repertórios de habilidades e de conhecimento. também. pois assim. não é apenas o produto da evolução biológica. Nesse terceiro estágio pode-se perceber o vínculo entre o macaco e o homem que é a utilização rudimentar de instrumentos. 52 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Partindo disso. que representa o pré-requisito para o desenvolvimento da atividade laboral. passaram a estudar o macaco antropoide e verificaram existir três estágios em seu desenvolvimento: 1º) Estágio das reações hereditárias ou modos inatos (instintivos). Baseado nessas colocações e nos pautando nos estudos realizados por Luria e Vigotsky. concretizado pelo seu desenvolvimento histórico. onde todo o aparato do comportamento do homem maduro. a relevância do papel da aprendizagem nesse processo. destacando. Com base no exposto acima. Compreendemos que o processo sócio-histórico tem um papel fundamental na alteração das funções mentais. e 3º) Estágio das reações intelectuais práticas (utilização de instrumentos): se estabelece após um obstáculo a um comportamento já adquirido ou inato gerando um novo comportamento a situações análogas (significado funcional). é. em especial. uma vez que o macaco somente faz uso dos instrumentos. cultural e social. que se referem à História do Comportamento Humano. resultado do desenvolvimento infantil. o ambiente interfere na formação da consciência. 2º) Estágio dos reflexos condicionados (associações de reações inatas com estímulos ambientais): provém do treinamento e da experiência individual do animal para sua adaptação ao ambiente. percebemos que os autores buscaram compreender o comportamento humano a partir do desenvolvimento ontogenético e filogenético do homem a luz da história. ou seja. podem unir presente com passado. mas não os elabora como ocorre no homem com o trabalho e a linguagem. ou seja. pode-se afirmar que no comportamento do homem primitivo suas capacidades biológicas ou inatas são imensamente superiores a do homem cultural. as etapas superiores do desenvolvimento com as iniciais.

percepção. uma vez que as alterações ocorridas se devem às transformações históricas que envolvem: a evolução biológica desde os animais até os seres humanos. Análise e Armazenamento: está localizada no córtex cerebral. Luria prioriza a influência do meio social.porém na utilização de mediadores culturais. Desta forma. parietal e occipital. Mesmo trazendo essas especificações. De maneira mais específica. 3 – Terceira Unidade Funcional de Programação. A transformação das funções psicológicas (atenção. a evolução histórico-cultural do homem primitivo ao homem moderno e. pensamento. controlando o ciclo de sono-vigília. sensação. o comportamento do homem cultural distancia em grande escala do comportamento do homem primitivo tanto no aspecto biológico quanto no aspecto cultural. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 53 . onde acontece a organização da percepção ao conhecimento (MARCELLI. linguagem e volição) primitivas em superiores se deu inicialmente a partir do trabalho com a transformação da natureza para suprir as suas necessidades que em um primeiro momento eram biológicas e posteriormente tornaram-se culturais. é pelo trabalho que o homem se torna humano. A disfunção deste sistema leva à distração. Assim. que ampliam de forma ilimitada as funções psicológicas são inferiores. como os instrumentos e os signos. 1976). da cultura e do trabalho para a formação humana. 2 – Segunda Unidade Funcional ou de Recepção. memória. Regulação e Verificação da atividade: nos lobos frontais. isso provocou mudanças no conteúdo de seu psiquismo e de seus mecanismos (meios) através dos signos ou instrumentos psicológicos. Luria trabalha a questão funcional do cérebro da seguinte maneira: 1 – Primeira Unidade Funcional ou de Vigília: Mantém em estado de alerta o córtex cerebral. do recém-nascido até o homem adulto moderno. o desenvolvimento individual (ontogênese). pois ao transformar a natureza o homem se transformou aprendendo a fazer uso de suas capacidades naturais com racionalidade e. com efeito.

. por favor. 54 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Pedro. 1).. branco e verde em maior ou menor grau de complexidade com base nas demandas do meio. dentro da nossa cultura. que a atenção.Atenção! Atenção! Só hoje. respaldados em Filgueiras (2010.Senhora. 2) e Vigostky (1984). a atenção chamada voluntária (aquela que a gente usa conscientemente para se focar em uma determinada característica do todo) seria um processo social construído a partir do que é mais importante. p. regiões visuais primária e secundária. ou o processo que mantém uma severa vigilância sobre o curso preciso e organizado da atividade mental”. Portanto. seria o responsável por afirmar que: [.. pois aprenderam dentro de sua comunidade que aquela formação de neve ou de planta circundam sua tribo. podemos pensar.] (a) selecionar e (b) organizar. ou servem para preparar armas. O maior exemplo daquilo que o Vigotsky fala são os inuites ou os índios: ambos percebem. podendo variar entre estímulos biologicamente predisponentes e estímulos culturais que permeiam o indivíduo. p. De acordo com Filgueiras (2010. respectivamente. Destarte. enquanto processo mental.] é o fator responsável pela escolha dos elementos essenciais para a atividade mental. sente direito na carteira e preste atenção! Você já reparou o quanto a nossa atenção é requisitada? E você já parou para entender o que significa atenção? Luria (1981... 12) define a atenção da seguinte forma: “[. é de extrema importância para a organização e filtragem das informações do mundo externo..] a atenção não é tão somente a atração por estímulos dominantes do meio ou biologicamente significativos. amígdala e lobo frontal parecem ser as principais estruturas envolvidas na atenção seletiva visual”. Entendemos assim. O lobo parietal. hipocampo. ou não.Hei. posso ter um minuto da sua atenção? . que a atenção tem dois papéis: “[.Estudos sobre a atenção . p. por exemplo. descontos especiais nas lojas XY Ltda!!! Não perca! Atenção! Atenção! . para o pesquisador. conseguem orientar a atenção voluntária para um determinado tom de branco ou verde.

na ocasião. Luria já fazia referência aos estudos clínicos com áreas cerebrais lesionadas em humanos. ele conserva apenas algumas essenciais para a sua atividade. ignorando os restantes. Entre o grande número de associações possíveis que existe. a atenção é um dos processos importantes que afetam muitas áreas da vida diária dos indivíduos como. 2009). para-hipocampal e do hipocampo. por exemplo.Luria (1981) teorizou sobre as bases biológicas do mecanismo de atenção. inibindo respostas a estímulos irrelevantes. ele faria um grande número de movimentos. Nessa época. o córtex límbico e a região frontal. 1981). mas seleciona os mais importantes. manifesta-se igualmente na percepção. O caráter seletivo da atividade consciente. existem pelo menos dois grupos de fatores que são determinantes da atenção e que asseguram o caráter seletivo dos processos psíquicos que determinam tanto a orientação como o volume e a estabilidade da atividade consciente. era considerado como córtex límbico o giro do cíngulo. enquanto o córtex límbico e a região frontal estariam relacionados ao reconhecimento seletivo de um determinado estímulo. que integram suas habilidades. mas destaca poucos movimentos racionais. Para ele. e inibem outros. MELO. De acordo com Naglieri e Rojahn (2001). sendo que dela provém grande parte do conhecimento que se tem sobre a função cognitiva atenção e sua base biológica (GONÇALVES. O primeiro desses PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 55 . a parte superior do tronco encefálico. o rendimento escolar. Ainda de acordo com o autor. estabelecendo que seriam a formação reticular. Potencialmente. A seleção da informação necessária. e abstrai-se das outras que dificultam o processo racional de pensamento. Deve-se considerar que. que é função da atenção. as estruturas da parte superior do tronco encefálico e a formação reticular seriam as responsáveis pela manutenção do tono cortical de vigília e manifestação da reação de alerta geral. o homem recebe um imenso número de estímulos. o asseguramento dos programas seletivos de ação e a manutenção de um controle permanente sobre ele são convencionalmente chamados de atenção. Para Luria (1981). nos processos motores e no pensamento (LURIA.

Esse nível pode ser definido. mas reflete-se também em indicadores 56 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . O primeiro diz respeito à orientação para os eventos sensoriais. que são as diferentes formas de atenção: motora. seletivo. o processo de atenção pode ser observado não apenas durante o comportamento organizado. em ordem ascendente. Quando a mãe nomeia um objeto e o aponta com o dedo. O terceiro é o estado de vigília e alerta sustentado que prepara o sistema nervoso para os aspectos anteriormente mencionados. assim. característicos da atenção. O segundo refere-se ao controle executivo que relaciona a atenção à memória semântica e à linguagem. “alerta” e “hiperalerta” que descrevem. a atenção da criança é atraída para aquele objeto que. Para o estudo dos mecanismos neurofisiológicos da atenção é fundamental o fato de que o caráter seletivo da ocorrência dos processos psíquicos. auditiva. visomotora. A qualidade da resposta em função da intensidade do estímulo permite caracterizar estados como “estupor”. 1985). Ele ressalta que a criança vive em um ambiente de adultos. a atenção pode ser vista de acordo com três aspectos distintos. os níveis de vigília e alerta de uma pessoa. não importando se ele origina um estímulo forte. Dessa forma. novo ou importante. do qual é típico um nível ótimo de excitabilidade. pode ser assegurado apenas pelo estado de vigília do córtex.grupos é constituído por estímulos exteriores. pela intensidade de estímulo necessário para desencadear uma resposta do indivíduo. Esse nível de vigília (excitabilidade) é assegurado pelos mecanismos de manutenção do tônus cortical. De acordo com Aston-jones (2002). operacionalmente. Sabemos que o nível de vigília e alerta pode variar desde o coma profundo até um estado de hiperalerta ansioso (WEINTRAUB. MESULAM. Luria (1981) chama a nossa atenção para o fato de que seria um engano imaginar que a atenção da criança pequena pudesse ser atraída somente por estímulos poderosos e novos ou por estímulos ligados à exigência imediata. começa a se sobressair dentre os demais. continua Luria (1981). “sonolência”. o segundo grupo é constituído de fatores relacionados “com o próprio sujeito e com a estrutura de sua atividade”.

prossegue ainda o pesquisador. possibilitando uma entrada menor de informação irrelevante para a memória de trabalho (antes referida como “memória de curto prazo” e ainda conhecida como “memória operacional” – componente cognitivo ligado à memória PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 57 . quando reagimos a alguns estímulos retraidamente e não interferimos na modificação do meio) no sistema nervoso também podem contribuir para as mudanças do desenvolvimento surgir muito lentamente a partir de investigações recentes sobre o desenvolvimento cognitivo em crianças e sobre outros aspectos do comportamento. retrai. em tarefas que exigem atenção seletiva. Van Der Molen (2000) assume que os processos inibitórios se tornam mais eficientes ao longo da infância. Além dos trabalhos clássicos referidos por Luria abordando os processos da atenção. a capacidade de executar as funções da estrutura suprimida é mantida. que podem ser usados para estudar a estabilidade da atenção. de que os processos inibitórios (processo que ocorre no sistema nervoso central que inibi.fisiológicos precisos. as teorias do desenvolvimento enfatizam a importância das mudanças na capacidade de armazenar e processar informações durante o desenvolvimento cognitivo (VAN DER MOLEN. vai se tornando mais apta a suprimir respostas reflexas. Essa visão de uma participação crucial das funções inibitórias durante o desenvolvimento decorre de achados sobre diferenças etárias na habilidade a partir da aplicação de uma grande variedade de tarefas que exigiam inibição para a execução. 2000). A ideia. Nessa mesma revisão. Ele exemplifica com o dado de que a criança. em tarefas que envolvem memorização. à medida que se torna mais adulta. ela pode se manifestar tão logo a ação supressora seja removida. e a distratores. Tradicionalmente. Deve-se entender inibição como o processo de supressão (ou redução) das funções de uma estrutura ou um órgão pela ação de um outro. 2000). A criança torna-se menos sensível aos ruídos. outros mais recentes têm demonstrado que o desenvolvimento da atenção passa pelo desenvolvimento de mecanismos cerebrais inibitórios (VAN DER MOLEN. Enquanto.

que retém temporariamente algumas informações necessárias para o cumprimento de funções cotidianas) e aumentando. no qual as tarefas de atenção podem ser colocadas ao longo de um plano. Essas evidências incluem achados a partir de tarefas de atenção seletiva. Segundo os pesquisadores. tarefas de memória. conforme o modelo que segue. revisões recentes sobre a relação entre o desenvolvimento cognitivo e a maturação cerebral têm ressaltado que os resultados de vários paradigmas experimentais têm sido consistentes com a noção do crescimento no desenvolvimento cognitivo associado à eficiência dos processos e inibitórios. assim. auditiva. tarefas que requerem habilidade para inibir respostas motoras. talvez a dimensão mais fundamental (primeira) da atenção seja a modalidade ou fonte da informação que está sendo processada. muitos estudos sobre o desenvolvimento da atenção têm consistentemente demonstrado que as crianças melhoram. somato-sensorial ou mesmo de memória. Figura 1 – Modelo de organização da atenção Fonte: Plude et al. 58 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . consideravelmente. ainda segundo o mesmo autor. a qual poderia ser primariamente visual. sua capacidade de responder seletivamente a diferentes estímulos do meio ambiente aos três e doze anos. Finalmente. Plude e Brodeur (1994) postulam uma conceitualização multidimensional da atenção. a capacidade funcional da criança. Eles “olham” para a atenção por meio de um grande modelo no espaço tridimensional. (1994). Segundo Brodeur e Pond (2001).

grifos nossos). é necessário um processamento adicional para trazer a informação para o consciente. a atenção é constituída de habilidades executivas.A segunda dimensão se refere à distribuição da atenção no espaço e no tempo. são posteriormente enviadas aos centros encefálicos superiores. ou localização específica.. independentes. decodificar. p. nós estaríamos aptos a definir uma modalidade de informação. Nesse momento. as funções relacionadas aos componentes cognitivos têm sido nomeadas de funções executivas e estão relacionadas. separado. 52. ou. As informações vindas de alguns sistemas e parte da informação vinda de outros sistemas sofrem algum tipo de processamento por centros inferiores do cérebro. “[. apud CAPOVILLA. sendo que esforços de processamento seriam focados em um objeto específico. de forma geral. Ainda segundo os autores. essas três dimensões seriam amplamente independentes umas das outras. à realização de ações voluntárias. O sistema sensorial atua continuamente enviando quantidade inimaginável de informações para o cérebro. integrar. 2007. auto-organizadas e orientadas para metas específicas”. ou seja. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 59 . em uma dada circunstância. como orientação a um estímulo em particular.] à capacidade do sujeito de engajarse em comportamento orientado a objetivos. seleção de um objeto baseado em atributos específicos e outros. divididos entre objetos e eventos. ampliado ou diminuído. manipular e utilizar a informação. significando que. um grau de distribuição e uma tarefa a ser executada. Para Bracy (1995). A terceira dimensão da atenção enfatizaria as várias tarefas que requerem mecanismos de seleção especializados. puras ou parcialmente processadas. Todo o conjunto de habilidades envolvidas nessa tarefa é referido como habilidade executiva e representa vários aspectos da atenção. As informações. autônomas. de tal forma que o sinal pode ser combinado. ainda. formar pensamentos e imagens (do estímulo). As funções executivas De acordo com Ardila e Ostrosky-Solís (1996. podendo chegar até as áreas corticais. ASSEF e COZZA..

Na imagem postada por Netto (2006) no seguinte endereço: <fotolog. p.. 1995. da desenvoltura e da flexibilidade do pensamento (FUSTER. de atenção. LEZAK. Essa memória operacional é composta por um conjunto de sistemas cognitivos que funcionam entre si (como um espaço de trabalho). por exemplo: em situações em que se solicita que dígitos sejam subtraídos mentalmente de um valor determinado e que palavras sejam colocadas mentalmente em ordem alfabética.com.] ao armazenamento temporário da informação necessária para o desempenho de diversas tarefas cognitivas. 2007.terra. de tempo de reação. A memória operacional é responsável pela manipulação da informação. Em seu conceito.] as funções executivas estão entre os aspectos mais complexos da cognição e envolvem seleção de informações. as funções executivas podem ser consideradas como um conjunto de funções que têm a responsabilidade de iniciar e desenvolver uma atividade que tenha um objetivo final determinado. leitura. Memória Operacional (ou memória de trabalho) A memória operacional ou memória de trabalho refere-se [. planejamento.. Entendemos que “[.. 1). entre cálculo. monitoramento e flexibilidade cognitiva”. apud CAPOVILLA. p. ASSEF e COZZA. 1997).. integração de informações atuais com informações previamente memorizadas. as informações não são decodificadas.br/memory:9>. o que ocorre. Déficits na memória de trabalho caracterizam-se pela dificuldade de realizar tarefas simultâneas e consequentemente. 60 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .Respaldadas em Gazzaniga e colaboradores (2002. 52). registrando as representações mentais das informações sensoriais para execução das tarefas de trabalho. conversação e planejamento. armazenadas e processadas de forma eficaz (MEDICINA EM PRÁTICA. 2011. participando deste caminho os processos cognitivos o estado de alerta. podemos ter uma ideia mais organizada sobre a Memória Operacional ou Memória de Trabalho.

Aliás. uma das características mais importante da memória de trabalho (MT) é sua capacidade de evocar informações da memória de longo prazo (MLP). resolução de problemas. a MT tem um papel fundamental na resolução de problemas cognitivos devido a sua função de processar atividades verbais e/ou orientação espaciais que são essenciais para resolver problemas. integrando-as com novas informações que entram no sistema e que são processadas continuamente. ação comportamental dentre outros aspectos referentes a esse ponto (NETTO. Apenas a cada minuto. partes de informações são processadas pela MT. a qual tem a capacidade de reter essas informações durante um tempo mínimo necessário para que ocorra a realização das operações do dia a dia.Fonte: Netto (2006). a Memória Operacional Memória/ de Trabalho processa dados vindos da memória de curtíssimo prazo e também utiliza informações armazenadas na memória de longa duração. raciocínio. Para a autora. 2006). PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 61 . esses dois sistemas estão continuamente interagindo sobre condições normais. De acordo com Netto (2006). Mesmo que a MT e MLP possam trabalhar independentemente uma da outra. tais como: compreensão de fatos. baseada nas postulações de Lent (2004).

para as questões que os aproximam e que os afastam. com o seu grupo de estudos. os médicos o declararam um verdadeiro milagre. A sugestão para essa unidade é o fi lme: O Pequeno Milagre Quanto a essa sugestão pedimos para que você se atente para o processo de desenvolvimento dos dois adolescentes. uma recapitulação da nossa primeira unidade de estudos. SUGESTãO DE FILME – PARADA OBRIGATÓRIA Os fi lmes sugeridos servem para a melhoria e ampliação do conteúdo estudado. Convencido de que Deus o pôs no mundo para tornar-se um herói. o pequeno Simon divide suas fantasias e 62 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . nos atenhamos a uma atividade de autoestudo para a fixação do conteúdo estudado por nós até esse momento. não é mesmo? Sugiro que agora.Nossa! Como nossa atenção é detalhada. as questões de normal e patológico. Com sérios problemas de crescimento. Título original: Simon Birch Título no Brasil: Pequeno Milagre Lançamento/País: 1998/EUA Diretor: Mark Steven Johnson Gênero: drama Estúdio: Buena Vista Esse fi lme conta a história de Simon Birch. ok? Vamos lá! Mas antes. Discuta. o menor bebê a nascer no hospital de Gravestown Memorial.

altas aspirações com o melhor amigo, Joe, fi lho de uma adorável mãe solteira que se nega a revelar a identidade do pai do garoto. Enquanto Deus não o transforma na fi gura heróica e grandiosa que imagina, Simon discute a fé com a tirânica professora de catecismo e com o reverendo Russell. Em um lance trágico que irá mudar para sempre o destino dos dois, Joe e Simon se unem para encontrar o que falta em suas vidas. Para Joe, a identidade do pai que não conheceu. Para Simon, é descobrir o destino divino para o qual foi criado (WEB CINE, 2011).

CONSIDERAçÕES FINAIS
Na Unidade I, tivemos como intuito compreender o breve histórico sobre a infância, afinal, é pela construção da categoria infância que temos a área da psicologia do desenvolvimento e da psicologia da aprendizagem, assim como a psicopedagogia, áreas essas que se dedicam ao estudo e a compreensão do processo de desenvolvimento e aprendizagem do público infantil. Entendemos a diferenciação entre o desenvolvimento humano normal e o desenvolvimento humano patológico, dentro de uma esfera biológica, psicológica, social e cultural. As categorias: desenvolvimento; maturidade e imaturidade foram contempladas, assim como estudos acerca do desenvolvimento neurológico e psicomotor. Compreendemos alguns pontos do desenvolvimento cognitivo, nos atendo aos estudos de Luria para essa questão. A atenção também foi nosso foco de discussões, assim como as funções executivas e a memória operacional ou de trabalho. Assim, findamos nossa primeira unidade de estudos. Mas, não esqueçam, nosso trabalho apenas começou!

ATIVIDADE DE AUTOESTUDO
1. Discuta sobre o processo de construção da categoria infância ao longo dos séculos. 2. A partir do fi lme O pequeno milagre faça um resumo de 20 linhas discutindo a normalidade e a patologia no processo de desenvolvimento do ser humano. 3. Defi na as postulações de Luria sobre o desenvolvimento cognitivo do ser humano.
PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

63

ARRIÈS, Philippe. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: LTC, 1978.

Autor: Philippe Ariès Ano: 1981 Edição: 2ª Editora: Guanabara Tradutor: Dora Páginas: 279 Idioma: Português

Acesse o site <www.estimulando.com.br/desenvolvimento.htm>, e entenda mais sobre o processo de desenvolvimento humano. Conhecer aspectos do desenvolvimento dito “normal” auxilia nosso entendimento sobre o motivo que leva ao aparecimento de difi culdades e transtornos de aprendizagem na infância.

64

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

“O homem é um ser datado historicamente”. Pautado nessa frase, discuta o motivo que tem levado a tantas discussões acerca do tema infância e desenvolvimento, tendo como foco a difi culdade e os transtornos de aprendizagem.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

65

UNIDADE II AS PRINCIPAIS TEORIAS QUE SE DEBRUÇAM SOBRE O DESENVOLVIMENTO HUMANO – EM BUSCA DA COMPREENSÃO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Professora Me. Plano de Estudo A seguir. Márcia Regina de Sousa Storer Objetivos de Aprendizagem • Compreender a Epistemologia Genética de Jean Piaget. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. • Identificar os principais pontos da teoria de Lev Seminovich Vigotsky. • Observar a teoria da psicossexualidade de Sigmund Freud. • Entender a teoria de Henri Wallon. apresentam-se os tópicos que você estudará nesta unidade: • Jean Piaget • Henri Wallon • Sigmund Freud • Lev Seminovich Vigotsky .

.

autor esse que se preocupa com o processo de construção da inteligência no ser humano. assim como o processo que levou essas teorias até o cenário educacional. Vamos lá. auxiliará a nossa compreensão para o entendimento do ser humano enquanto um homem datado historicamente.. Sigmund Freud. discutiremos a possibilidade de um desses autores estar mais “correto” ou menos “correto”.. E qual desses estudiosos é o correto? Convido você a mergulhar nessa unidade. o terceiro estudioso a ser trabalhado.INTRODUÇÃO Na Unidade II estudaremos a influência de alguns estudiosos e suas teorias sobre o desenvolvimento humano. O primeiro a ser estudado será Jean Piaget. Henri Wallon e sua visão sobre a importância da afetividade para o desenvolvimento do ser humano será o segundo estudioso a ser contemplado em nossas discussões. trará as questões básicas a serem compreendidas sobre o desenvolvimento psicossexual humano. expoente da Teoria Histórico-Cultural. ao final dela. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 69 . o pai da Epistemologia Genética. Lev Seminovich Vigotsky.

piaget. falecendo aos 84 anos de idade. Interessou-se por filosofia. Desde menino interessou-se por questões científicas. conchas marinhas e mecânica. pássaros. tendo uma vida considerada longa. Piaget e sua linha do tempo Fonte: Imagens retiradas do site <www. Nasceu em 1896 na Suíça.org>. e buscava uma explicação para a forma pela qual o homem atinge 70 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . começou a trabalhar como assistente do diretor do Museu de História Natural de sua cidade. Aos 10 anos publicou as observações que fez sobre um pardal parcialmente e. aos 11 anos.JEAN PIAGET E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Jean Piaget (1896-1980) é considerado o criador da Epistemologia Genética. Postado por Les Smith no artigo: A Brief Biography of Jean Piaget. estudando moluscos.

. no que diz respeito à teoria piagetiana: O fundamento básico de sua concepção do funcionamento intelectual e do funcionamento cognitivo é de que as relações entre o organismo e o meio são relações de troca. O julgamento moral (1927). o assimila de acordo com as estruturas. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 71 . na criança. o foco do seu trabalho experimental. O desenvolvimento. De acordo com Fontana e Cruz (1997. 1997. dedicou-se à observação meticulosa do desenvolvimento dos bebês. então. então.] e determinar as contribuições das atividades do indivíduo e das restrições do ambiente na aquisição do conhecimento” (FONTANA. Piaget buscava compreender “[. Na década de 1930 concentrou as suas pesquisas na gênese das noções de quantidade. elaborando análises sobre a construção do real e do desenvolvimento da inteligência. Entre os anos de 1921 a 1925. assumiu o desafio de construir uma teoria do conhecimento baseada na biologia e ancorada na pesquisa empírica (BROTHERHOOD. GALLO. A elaboração da teoria explicativa da gênese do conhecimento no homem levou Piaget a formular propostas teóricas e metodológicas inovadoras quanto à natureza dos processos de desenvolvimento da criança e que contrariavam o inatismo. A representação do mundo (1926). fase em que nasceram seus três filhos.o conhecimento lógico-abstrato que o distingue das outras espécies animais.. concentrou-se na coleta de dados que permitissem esboçar os princípios e os fundamentos de sua teoria do conhecimento. O elo que Piaget encontrou entre a filosofia e a biologia foi a psicologia do desenvolvimento. ao mesmo tempo. Esse foi. ao longo do seu trabalho. o período compreendido de 1925 a 1931. 2009). 44). do julgamento e do raciocínio (1924). pelas quais o organismo adapta-se ao meio e. grifos nossos). Causalidade física (1927). CRUZ. Segundo as referidas autoras. Abordou temas gerais como: A relação entre o pensamento e a linguagem (1923). Piaget queria estudar essa questão de maneira científica. p. 44. num processo de equilibrações sucessivas. p.

número. Na década de 1970 dedicou-se a investigação dos mecanismos de transição que impulsionam e explicam a evolução do desenvolvimento cognitivo. Na década de 1940 abordou o desenvolvimento da percepção.] sua vasta produção é um marco de enorme importância para a psicologia e para os estudos do homem do século XX” (FONTANA. lógica e probabilidade. hoje já é amanhã?” Ouvir perguntas como essa nos desconcerta. No ano de 1955 fundou o Centro Internacional de Epistemologia Genética. onde reuniu cientistas de diferentes áreas: matemáticos. ao mesmo tempo ficamos encantados e nos divertimos também… nossa atenção se volta para compreender o modo peculiar que a criança tem de pensar sobre as coisas e de estabelecer relações entre elas. 72 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . CRUZ. velocidade. CRUZ. espaço. biólogos. 44). Os estudos de Jean Piaget tiveram impacto no campo da Psicologia e da Pedagogia. p. 1997. Seu trabalho pioneiro no estudo do processo de raciocínio infantil por meio da interação com crianças resultou em um progresso no campo do conhecimento da cognição. A partir da década de 1950 voltou-se para a sistematização teórica da epistemologia genética. p. 1997. mensuração. profissionais interessados em pesquisar problemas epistemológicos (FONTANA. tempo. psicólogos. A “[.. 45). “Mamãe. movimento..

Para o estudioso a experiência é distinta do conhecimento. Esse processo de modificação que se opera nas estruturas de pensamento do indivíduo é chamado de acomodação. conhecer é: organizar. e para o referido estudioso. conhecer é explicar a realidade a partir daquilo que se vivencia nas experiências com os objetos do conhecimento. de Piaget. ao mesmo tempo em que as ideias e os conceitos que você leu (ou ouviu) são incorporados ao sistema de ideias e conceitos que você possui essas ideias e conceitos já existentes são modificados por aquilo que você leu (assimilou). comum a todos PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 73 . Dois conceitos. também. 1997). A palavra genética ele mesmo aplicou a sua psicologia. Piaget desenvolveu o termo Psicologia Genética. ele quis estudar o desenvolvimento do pensamento da criança. enfim. Ele queria entender como o ser humano elabora os conhecimentos sobre a realidade. que você aprende! Mas. Assimilação e acomodação. fazem parte do processo inicial da aprendizagem: a assimilação (o meio em função do indivíduo) e a acomodação (o indivíduo em função do meio) sendo a adaptação o ponto de equilíbrio entre esses dois momentos. CRUZ.Essas peculiaridades chamaram a atenção. isso é assimilação: as coisas ou os fatos que são do meio são inseridos em um sistema de relações e adquirem um significado para o indivíduo. Cuidado!!! Não confunda a teoria piagetiana com uma “psicologia da criança”. definidos por Piaget. chegando a construir um sistema de abstração. Por isso. O centro do trabalho de Piaget é o desenvolvimento do conhecimento. Significa afirmar que ao agir sobre o meio. segundo Piaget. o indivíduo incorpora a si elementos que pertencem a esse meio. constituem um mecanismo adaptativo. É assim. juntas. refere-se à busca das origens dos processos de formação do pensamento e do conhecimento (FONTANA. estruturar. conhecimento significa a organização da experiência num sistema de relações.

pois os novos dados incorporados acabam por produzir modificações no funcionamento cognitivo da pessoa (FONTANA. também. São eles que possibilitam ao bebê a adaptação ao meio. Quando ela pega a mamadeira.os seres vivos. A organização do real por meio da ação marca o início do desenvolvimento cognitivo da criança. p. acomodação. Esse processo dá origem a esquemas de ação. “para empurrar”. É por meio desses esquemas que a criança começa a reconhecer a realidade assimilando-a. 1997. a inteligência é assimilação por permitir ao indivíduo incorporar os dados de experiência. Os esquemas de ação ampliam-se. A inteligência é. Eles são organizados em objetos: “para olhar”. A assimilação provoca transformações nos reflexos. diferenciam-se e acabam por se 74 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . atribui-lhe um sentido de “um objeto que se pega”. gradativamente se diferenciando e tornando-se cada vez mais complexos e flexíveis. ela a relaciona ao seu esquema de “pegar”. “para pegar”. Por meio de assimilações e acomodações. dando-lhe significações. “para sugar”. que vão. CRUZ. coordenam-se entre si. 46). o bebê vai conhecendo os objetos de seu mundo imediato. Sendo assim. A noção de esquemas segundo Fontana e Cruz (1997) Ao nascer a criança é dotada de reflexos que são reações automáticas desencadeadas por estímulos.

ligados à maturação e de um processo de autorregulação que ele denomina de equilibração. Essa atividade da criança – a acomodação ou coordenação de seus esquemas de ação – é desencadeada graças à sua capacidade de autorregulação. com o objetivo de compensar a resistência oferecida pelo objeto e alcançar um novo estado de equilíbrio. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 75 . É por meio da equilibração que se mantém o estado de equilíbrio ou de adaptação em relação ao meio. desequilíbrio. Então. que é uma propriedade intrínseca e constitutiva da vida mental. E esse desenvolvimento contínuo dos esquemas se dá no sentido de uma adaptação cada vez mais complexa e diferenciada da realidade. a nossa capacidade de autorregulação ou equilibração entra em cena. A noção de equilibração O desenvolvimento depende de: fatores internos. transformando-se em esquemas mentais e dando origem ao pensamento. na busca de superar a dificuldade. No momento em que um bebê quer um objeto que está longe. há uma dificuldade em alcançar o objeto. ele tenta puxar o objeto. Quando no meio há uma situação de conflito ou dificuldade.interiorizar.

42). período pré-operatório. É a fase do egocentrismo. elaborando um sistema complexo de esquemas de assimilação. E como é organizada a inteligência nesse período? Segundo Pereira (2006. período operatório concreto. coordenados e organizados. aos poucos os reflexos são consolidados.] uma série de problemas com base na ação. período operatório formal. Assim.. Piaget destaca seis estágios os quais também são chamados de fases. o próprio corpo do bebê é a referência única e constante.Atenção!!! Equilibração não significa uma volta ao estado anterior. a inteligência pode resolver: [. 76 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Como não ha ainda possibilidade de representação.. tudo tem que ser resolvido pela ação. organiza o real a partir de um conjunto de estruturas espaço-temporais e causais. Período Sensório-motor (0 – 2 anos): o foco central desse período é a percepção e movimentos na exploração no meio. mas leva a um estado de superior em relação ao estado inicial. p. Definidos os dois conceitos. Piaget divide o processo de aprendizagem em períodos de acordo com a idade e desenvolvimento da criança: período sensório-motor.

apud PEREIRA.Estágio I do período sensório-motor: os bebês. Mas ele está com muita fome (acaba de passar cinco horas sem comer). dando lugar a constituição de esquemas” (PEREIRA.fora do seu campo visual. que o reflexo se consolida e se firma. Foco: coordenação. 46). ou exercício. 2006. estão restritos aos reflexos inatos. 3 (12). em seu primeiro mês de vida. mas quando lhe ponho a minha corrente de relógio na mão. 2006. 122 – obs. p. Laurent ainda a leva à boca e não aos olhos. quando lhe ponho uma chave na mão. Laurente examina-a antes de tentar chupá-la. visão. p. Veja o exemplo dado por Jean Piaget (1975. fonação e preensão. Estágio II do período sensório-motor: reações circulares primárias – 1 a 4 meses ou 4 meses e meio. Aos 0. 92. Ele repete o ato até que seja aprendido e torne-se habitual. 44). audição. “Mamar é um exemplo da atividade desse estágio. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 77 . À tarde. a mesma reação com o estojo. p. Piaget destaca os reflexos de sucção. que ele conhece. E é pelo seu funcionamento. Esse evento é chamado primário porque envolve o corpo do bebê.

Pereira (2006. Age sobre objetos. existe um progresso no sentido da previsão. De acordo com Pereira (2006. Nesse estagio. Estágio IV do período sensório-motor: 8 a 12 meses. Estágio VI do período sensório-motor: invenção de novos meios por intermédio de combinação mental – 18 a 24 meses. 51): As experiências que o bebê faz nesta fase vão estruturando o meio em objetos permanentes e estabelecendo relações espaciais. “Esta e a fase das primeiras condutas propriamente inteligentes. p.REVOLUÇÃO COPÉRNICA EM MINIATURA. possibilitando a criação de novas estratégias de ação. A generalização das experiências anteriores permite antecipações práticas. põe em ação esquemas que até então não haviam sido utilizados para tal” (PEREIRA. A primeira pista concreta de que um bebê entrou no quarto estágio ocorre quando ele demonstra a capacidade de escolher um meio intencionalmente para obter uma meta pré-estabelecida. À medida que o bebê entra no terceiro estágio. 49). p. Esse é o conceito de relação entre meios e fins. Os esquemas já constituídos são recombinados. O quarto estágio é um período para consolidar e conciliar as realizações do passado e estendê-las de modo a aplicá-las a novas e diferentes situações.Estágio III do período sensório-motor: reações circulares secundárias – 4 a 8 meses. 51) afirma que é nessa fase que: As invenções não são mais fruto apenas da ação prática. A acomodação precede as novas assimilações e modifica os esquemas de onde surgiu. embora não falem. Foco: representação. quando o bebe. para atingir um fim que não está diretamente acessível. Já é possível oferecer objetos de fácil manipulação para o bebê. a acomodação supera a assimilação. tornando-se representativa. se expressam por meio de movimentos e ritmos. É um ataque a barreira para alcançar o objetivo. 78 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . 2006. mas são elaboradas mentalmente. Estágio V do período sensório-motor: reações circulares terciárias – 12 a 18 meses. temporais e de causalidade. p. Crianças em torno de um ano e meio. o desenvolvimento progride para além do aprendizado voltado para o próprio corpo . Decorrente da grande mobilidade que os esquemas conquistaram.

Ocorre uma indiferenciação entre o real e o imaginário. e a regra passada é encarada como sagrada (BROTHERHOOD.. podem agir por simulação (como se fosse. As crianças tornam-se mais egocêntricas. pedem explicação de tudo (os por quês).De forma extremamente breve e resumida.. esse é o primeiro período do processo de desenvolvimento da inteligência humana segundo as postulações de Jean Piaget. 2009). Destacamos que no final dessa fase já se faz presente o conceito de permanência do objeto.). A atividade sensório-motora se torna mais refinada e os movimentos e percepções intuitivos mais sofisticados. Período de Operações Concretas (7 – 11 anos): segundo Wadsworth (1992). Há uma preocupação com o real (causas e efeitos). durante o es- PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 79 . GALLO. e a imitação é diferida ou adiada. Nessa fase há o desenvolvimento de uma linguagem afetiva que só se torna comunicativa mais ou menos aos 2 anos de idade. a linguagem mais desenvolvida. Neste período. sendo ainda conhecido como estágio da inteligência simbólica. a criança substitui o objeto por uma representação (substituição – função simbólica). Na avaliação de quantidade de massa a criança não distingue as situações modificadas de equivalência. Período Pré-Operatório (2 – 7 anos): é um período anterior a representação lógica do pensamento. possuem a percepção global (mas não discrimina detalhes) e não relaciona fatos (é o que parece ser).

Adultos e adolescentes que raciocinam com as operações formais empregam os mesmos processos lógicos. É nessa fase que são estabelecidas as bases para o pensamento lógico. dependendo do concreto que consegue abstrair. conduzem ao estado inicial. O pensamento reversível pode ser definido como a capacidade de levar em consideração uma série de operações que. Uma operação intelectual “lógica” consiste em um sistema internalizado de ações totalmente reversíveis. volume etc. sendo capaz de anular a primeira ação observada.tágio das operações concretas “7 a 11 anos”. Tem também a capacidade de verificação e ação do sentido inverso. os processos mentais de uma criança tornam-se lógicos. revertidas. mas não garante que o pensamento seja “tão bom quanto” ao do adulto. Período de Operações Formais (11 – 16 anos): durante o estágio das operações formais. A reversibilidade do pensamento possibilita à criança construir noções de conservação de massa. Resumidamente é um período no qual as estruturas cognitivas da criança alcançam um 80 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Ela desenvolve aquilo que Piaget chamou de operações lógicas. Operações lógicas significa uma operação é uma ação que pode ser internalizada ou uma ação sobre a qual se possa pensar e isto é uma atividade mentalmente reversível – ou para ser mais preciso – é uma ação que pode ocorrer em uma direção ou na direção inversa. que em média começa em torno dos 11 ou 12 anos. próprio do período final do desenvolvimento cognitivo. No operatório-concreto a criança estabelece noções de temporalidade. Consegue distinguir aspectos reais e irreais. O pensamento “liberta-se” da experiência direta e a estruturas cognitivas da criança adquirem maturidade. uma criança desenvolve o raciocínio e a lógica necessária à solução de todas as classes de problemas. de espaço e organização. e o equipamento estrutural cognitivo do adolescente está pronto para pensar “tão bem quanto” o adulto.

uma das mais expressivas estudiosas sobre o referencial piagetiano e o processo de desenvolvimento humano. Esse foi um pequeno passo estudado sobre a teoria piagetiana. para essa linha de trabalho. Um nome de referência na atualidade seria Emília Ferrero. e não mais quantitativa. A teoria piagetiana teve relativo impacto sobre a área educacional. sua teoria do desenvolvimento sistematizada em períodos facilita a organização de um processo interventivo com a criança ou o adolescente. Podemos afirmar que ocorrerão mudanças ao longo da vida apenas de maneira qualitativa. haja vista que o processo de desenvolvimento é maturacional. Além do mais. e também. É o último período segundo a teoria de Piaget. sobre a teoria psicológica. Quanto à esfera educacional. Ele está a todo o tempo buscando alternativas para ensinar. pensando logicamente. conseguindo levantar hipóteses buscando soluções para problemas matemáticos sem precisar partir do concreto.nível mais elevado. Já é possível ao indivíduo atingir um nível de abstração total. compreendendo metáforas e insinuações. chegada da adolescência. se você teve identificações com o referencial teórico. Embora não tenha desenvolvido uma teoria educacional. o professor é um facilitador do processo de ensino-aprendizagem da criança. mas dentro do período evolutivo da criança. suas ideias foram apropriadas por estudiosos que se debruçam sobre tais questões. intensifique os seus estudos… PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 81 .

Wallon (1879-1962) manteve-se próximo à educação. 82 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . como a formação do comportamento e da personalidade da criança. Piaget construiu uma obra longa. a teoria de Piaget é importante para todos os adultos que lidam com crianças. Os conceitos que cunhou marcaram o campo da Pedagogia a tal ponto que muitos o consideram.Sugestão de Filme – parada obrigatória!!! Assista Jean Piaget – Coleção Grandes Educadores Documentário apresentado por Yves de La Taille sobre a vida e obra de Jean Piaget. médico e psicólogo. mas suas decorrências. Para guiar o professor que pretende conhecer melhor o tema. biólogo de formação. Conforme Yves De La Taille. um educador. fi lósofo por afi nidade. este vídeo apresenta de forma clara os principais conceitos piagetianos. contribuindo de maneira especial por meio de estudos e observações voltadas às crianças portadoras de deficiência mental. erroneamente. pois ajudam a entender não apenas o desenvolvimento da inteligência. psicólogo que estudou o desenvolvimento cognitivo. coerente e sistematizada. HENRI WALLON E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSãO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Filósofo.

Até o ano de 1931 atuou como médico em instituições psiquiátricas.org/wiki/Henri_Paul_Hyacinthe_Wallon>. onde morreu em 1962.Wallon nasceu na França em 1879. Devido às experiências de contradições vivenciadas. Henri Wallon Fonte: <pt. formou-se em filosofia pela Escola Normal Superior (GALVÃO. um dos eixos de sua referência. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 83 . 2011). O contato com lesões cerebrais de ex-combatentes o fez rever algumas concepções neurológicas que havia desenvolvido no atendimento de crianças portadoras de deficiências (LE SUEUR. ocorrem crises que possibilitam a reorganização e passagem para uma nova fase. sendo também o da afetividade-emotividade. correspondentes a estados de transição do equilíbrio entre raízes do passado que avançam no seu futuro. Em 1902. dedicando-se ao atendimento de crianças com deficiências neurológicas e distúrbios comportamentais. Cursou medicina e formou-se no ano de 1908. mobilizado como médico do exército francês permaneceu por vários meses no front de combate. Para Wallon.wikipedia. Em 1914. A esse autor se deve o salto aos conhecimentos sobre a motricidade – eixo do equilíbrio tônico-motor –. há fases vividas pela criança. aos 23 anos. Viveu toda sua vida em Paris. 2000).

8-9). inteligência -. são organizados em número de cinco. sentimentos e paixão. é o momento em que a inteligência humana se dedica à construção relativamente à realidade. de interação social e de emoções que irão direcionar-se. Wallon propõe o estudo integrado do desenvolvimento – afetividade. pp. o estágio posterior amplia e reforma os anteriores. Porém. 2010). uma atividade predominante que será substituída no estágio seguinte. na verdade. o papel da afetividade nos diferentes estágios”. Estágio do personalismo: Como o próprio nome sugere.. 2.De acordo com Almeida e Mahoney (2006. ou seja “[. É a psicogênese da pessoa completa. A criança nessa fase está voltada para construção do eu. ou seja. caracterizado pela investigação e exploração da realidade exterior. O homem é um ser “geneticamente social”. motricidade. A afetividade é marcante neste estágio. este estágio está voltado para a pessoa. p. Conforme Galvão (2000). Wallon propõe uma série de estágios do desenvolvimento cognitivo. para o enriquecimento do eu e a construção da personalidade. é o fio condutor 84 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . como campos funcionais entre os quais se distribui a atividade infantil. A mudança de cada estágio se caracteriza um tipo diferenciado de comportamento.. na gênese dos processos psíquicos. segundo Wallon (1975. apud FARIA. centrípeta de acúmulo de energia. vai de três a seis anos de idade. 57).] a integração organismo-meio e a integração dos conjuntos funcionais. emoções. 3. que vai do nascimento até um ano de idade e estão presentes dois momentos: o da impulsividade motora e o emocional. ora para a construção do próprio sujeito. ora para a construção da realidade exterior (FARIA. bem como pela aquisição da aptidão simbólica e pelo início da representação. Para Wallon. É uma fase de preponderância afetiva. ele não acredita que os estágios de desenvolvimento formem uma sequência linear e fixa. além de conferir ao ser humano novas formas de pensamento. os quais podem ser descritos da seguinte maneira: 1. a psicologia genética abordada por Wallon é um estudo focado nas origens. Os estágios. Wallon é autor da teoria psicogenética e interacionista do desenvolvimento. 2010. Estágio sensório-motor e projetivo: O estágio sensório-motor e projetivo inicia-se por volta de um ano e se estende até os três anos de idade.Estágio impulso-emocional: Primeiro estágio de desenvolvimento escrito por Wallon. ou que um estágio suprima o outro.

5. Os progressos intelectuais dirigem o interesse da criança para as coisas. Caso você tenha se identificado com a teoria. imprimindo as suas relações com o meio. Pesquise mais. discuta mais. 4. ele traz importantes avanços no plano da inteligência. Sugestão de Filme – parada obrigatória!!! Assista Henri Wallon – Coleção Grandes Educadores PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 85 . para o conhecimento e conquista do mundo exterior.do desenvolvimento. especifique mais e melhor os seus conhecimentos sobre o referido estudioso. uma maneira preponderância do aspecto cognitivo do ser humano. Estágio da adolescência: Nesse estágio a crise pubertária rompe a “tranqüilidade” afetiva que caracterizou o estágio categorial e impõe a necessidade de uma definição dos contornos da personalidade desestruturados devido às modificações corporais resultantes da ação hormonal. Faria (2010) ressalta que para Wallon a afetividade e o meio social são aspectos fundamentais para a compreensão da obra do autor. nesta etapa da vida. Esse foi um pequenino passo para a compressão de Henri Wallon. A criança aprende a perceber o que é de si e o que é do outro. aprofunde seus estudos. Estágio categorial: Esse estágio inicia-se por volta dos seis anos de idade.

por isso. A perspectiva teórica de Wallon traz ainda uma preocupação bastante atual: como construir uma educação para todos. Expressões como as citadas mostram a amplitude e a divulgação da obra e do pensamento de um autor. levando em conta os domínios cognitivo. principalmente. Teoria Psicanalítica de Freud. que contemple a complexidade do indivíduo em todas as suas dimensões humanas. mas. Freud foi um homem à frente de seu tempo. 86 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Com foco na criança.Uma das originalidades da teoria de Henri Wallon é sua tentativa de ver a criança de um modo mais integral.“Isso nem Freud explica!” . Muitas pessoas as repetem sem ter a ideia de quem foi Sigmund Freud. uma educação para cada um. independente de sua condição social. afetivo e motor. Você não pode perder essa dica! SIGMUND FREUD E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM . ao mesmo tempo. Vamos compreender um pouco sobre ele? Sigmund Freud (1856-1939) formou-se em medicina. Realizou seus trabalhos com pacientes neuróticos e formulou a Psicanálise. mas foram os estudos sobre a mente humana que lhe chamaram a atenção. origem ou raça. área essa para a qual dedicou sua carreira de pesquisador e estudioso. Wallon busca compreender o desenvolvimento de forma integrada.“Isso só Freud explica!” Você com certeza já deve ter ouvido uma dessas expressões. e. sua obra é considerada um clássico na literatura e nos estudos científicos. Wallon considera que a escola é um lugar onde se educa. onde se deve estudar a personalidade da criança.

suas regiões obscuras. ou seja. e a interioridade do homem como problemas científicos (BOCK. 1999). Furtado e Teixeira (1999) Psicanálise é um termo.google. os esquecimentos. TEIXEIRA. os sonhos. FURTADO. o qual buscou a compreensão dos processos históricos e sociais. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 87 . uma teoria e uma forma de intervenção. Para Bock.A linha do tempo para Sigmund Freud Fonte: <http://sites. E por que uma expressividade dessas para esse médico vienense? Freud ousou colocar os processos misteriosos do psiquismo. A contribuição de Freud para a área da ciência é tão expressiva que equivale às contribuições deixadas por Karl Marx. as fantasias.com/site/ifofofof/apsican%C3%A1lise>.

sendo regido por leis próprias de funcionamento (BOCK. que busca o autoconhecimento e a cura que ocorre por meio desse autoconhecimento. FURTADO. observarmos o que significa o termo. 88 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . É importante sabermos que trabalhamos. pré-consciente (Superego) e consciente (Ego). A forma de intervenção pauta-se na análise. pela ação de censuras internas. também. É atemporal. Vale a pena. com a estrutura da personalidade. Freud criou os conceitos de inconsciente (Id). Esses conteúdos podem ter sido conscientes em algum momento.com>. É constituído pelos conteúdos reprimidos. mesmo que de maneira rápida. no momento. e ter sido reprimidos. que não têm acesso aos sistemas pré-consciente/ consciente. “foram para o inconsciente”. isto é. O inconsciente exprime o “conjunto de conteúdos não presentes no campo visual da consciência”. Fonte: <notapositiva. Esses conceitos são. muito divulgados no dia a dia das pessoas. por trabalhos grupais e por trabalhos institucionais.A linha de estudos da Psicanálise atém-se tanto ao conhecimento individual quanto ao conhecimento coletivo. 1999). TEIXEIRA. esse conhecimento coletivo pode ser destacado por orientações.

é o sistema do aparelho psíquico que recebe ao mesmo tempo. o raciocínio. 49. para Bock. que: [. Partindo das ideias expostas por Guanaes e Japur (2003. Ego e Superego. Furtado e Teixeira (1999). principalmente a percepção do mundo exterior. mas no momento seguinte pode estar. quanto às definições de Id. refere-se ao sistema onde permanecem aqueles conteúdos acessíveis à consciência.. grifos nossos).com. responsável pelo controle da percepção e contato com a realidade.. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 89 . Freud acreditava que o Id todo e partes do Ego e do Superego são inconscientes. Fonte:<http://www. o Ego é o órgão executivo. Segundo Brotherhood e Gallo. 2010.O pré-consciente.] “o Id é o reservatório das pulsões (impulsos básicos) desordenadas”. podemos compreender. de acordo com os referidos autores.coisasdavida. E o consciente. apud BROTHERHOOD. GALLO. as informações do mundo exterior e do mundo interior. É aquilo que não está na consciência naquele momento. Na consciência. bem como pelo adiamento e modulação na expressão dos impulsos. O Superego é o responsável por estabelecer e manter a consciência moral da pessoa a partir de ideais e valores internalizados através das relações interpessoais.br/produto-252/camisa-baby-look/baby-look-freud-id-egosuperego>. destaca-se o fenômeno da percepção. p. a atenção.

FURTADO. a teoria psicanalítica chamou muito a atenção para a sua época. entendemos que Freud afirmava que a função sexual existe desde o princípio da vida. Pautadas em Brotherhood e Gallo (2010. nessa fase. 1999). em estágios. 50) podemos compreender. ao qual se referia Freud. visto que trazia o desenvolvimento psicossexual do ser humano. é a motivação para o comportamento do indivíduo. onde as funções de reprodução e de obtenção do prazer podem estar associadas. tendo modificações de acordo com a fase na qual a criança se encontra. Esse aspecto de sexualidade. É um período em que a criança está experimentando o mundo. ao mencionarmos o desenvolvimento infantil. sendo o período do desenvolvimento da sexualidade longo e complexo até chegar a idade adulta.. é a relação da criança com seu próprio corpo. tanto no homem quanto na mulher.]”. logo após o nascimento. o qual tem a função sexual ligada à sobrevivência (BOCK. região do corpo que. é a busca da satisfação. que: “as crianças passam por uma sequência de zonas erógenas. também. caracterizando as fases do desenvolvimento [. quando a libido (energia sexual) se concentra em diferentes regiões do corpo.Sigmund Freud verifica o desenvolvimento. Tudo o que chama a sua atenção é “experimentado”. TEIXEIRA. Nesse ponto.. De acordo com as autoras. a boca. p. ocasiona maior satisfação. à medida que prossegue o desenvolvimento psicológico. dividindo o desenvolvimento a partir de um esquema de zona erógena. 90 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Essas fases são: Fase Oral (de 0 a 1 ano): a zona de erotização é a boca.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 91 . 2010. Apresenta uma manifestação forte e grandiosa de si mesma. voltando a sua atenção para a região genital do seu corpo. Nesta etapa.Fase Anal (de 2 a 4 anos): a relação de dar e reter é estabelecida nessa fase. identificando-o como uma área de prazer. a criança tem a curiosidade quanto às “diferenças” entre meninos e meninas. estabelecendo limite do que está fora de seu corpo. “As crianças são solicitadas a controlar os impulsos naturais. GALLO. A criança passa a adquirir o controle dos esfíncteres. face às restrições da sociedade” (BROTHERHOOD. surgindo aqui o complexo de Édipo. em que o menino apresenta intensa referência pela figura materna e a menina pela figura paterna. a criança começa a ter noção de higiene e posse de objetos. Fase Fálica (de 4 a 6 anos): nessa fase. p. 50).

Ao mesmo tempo em que quer se inserir em um grupo. tornam-se nítidas as características de impulsos sexuais. Fase Genital (a partir de 11 anos): tendo início a adolescência. O interesse por si desloca-se para a satisfação gerada nas relações externas. O adolescente busca “algo para amar” que não seja de seu grupo familiar. é um deslocamento da libido para atividades sociais.hm9.com. não tão depende dos pais como na infância. Fase de Latência (de 6 a 11 anos): a característica principal.Fonte: <http://www. investindo no que recebe do meio externo.jpg>. A criança gasta sua energia em atividades escolares e sociais. 92 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Sua referência são os amigos e pode receber influências nesse meio.brblogv2wp-contentuploads200903foto-do-dia-240309-400x600. busca um diferencial que determine seu jeito e estilo próprio. pois “tem” que adquirir uma “identidade adulta”. nessa fase.

Para ele. há um momento de determinação na vida dos homens: é o momento da descoberta da diferença sexual anatômica (OLIVEIRA. é como se o desenvolver biológico comandasse o desenvolvimento psicológico. Mas. a pergunta: ‘O que é aprender ?’ supõe. ela precisa de alguém que intermedeie seu aprendizado. sendo assim. “Então. para a autora. colocado numa determinada posição.A Teoria de Freud teve ampla aceitação na sociedade e. A relevância de Freud para o meio educacional é a sua investigação quanto ao surgimento das preocupações que a criança possui. também. Kupfer (1998) pontua que ainda que haja determinantes que levem a criança a desejar aprender. 2008). que pode ou não propiciar aprendizagem”. as primeiras investigações são sexuais e servem para situar a criança no mundo. no meio acadêmicocientífico. A teoria psicanalítica. O que aconteceu foi uma apropriação de suas ideias por estudiosos que se identificaram com o referencial psicanalítico e deram continuidade a essa teoria no contexto escolar. pauta o desenvolvimento intelectual na sexualidade. compreendemos que o que impulsiona a inteligência pesquisadora é algo sexual. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 93 . precisamos ressaltar que Freud não publicou nada relacionado ao tema da aprendizagem. por exemplo. Oliveira (2008) afirma que para o estudioso. e este alguém é o professor. para a psicanálise. a presença de um professor.

Freud notou ser impossível ensinar como um pedagogo clássico.htm>. não importa se está dizendo a verdade ou não. Mesmo com essa explanação. O professor só consegue transmitir conhecimento se é autorizado e acreditado pelo aluno. 2008). por exemplo. o que deve ser trabalhado. o mesmo não tem importância. para Oliveira (2008) é a curiosidade infantil. A linha da psicanálise dá importância à relação entre docente e discente e às condições que esta fornece à aprendizagem. o professor deve adquirir a confiança da criança. é possível afirmar que a Psicanálise serve ao professor como indivíduo. a autora pontua que a aproximação da Psicanálise com a Educação constitui-se como um grande desafio. Esse aprendizado supõe um relacionamento de mestre e aluno. dar uma aula e pedir para que os alunos reproduzam o que entenderam. Na fase da latência.culturabrasil. a criança dirige ao educador um afeto antes transmitido aos pais (OLIVEIRA. “A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos” (Sigmund Freud). Com isso. Fonte: <www.org/freud.A Psicanálise serve ao professor como indivíduo. 94 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . e com isso despertar um anseio pelo conhecimento. ou seja. e de modo algum à Pedagogia como um todo. quanto ao conteúdo. e de modo algum à Pedagogia como um todo.

Foi nesse contexto que viveu Vigotsky (1896-1934). Ao nos pautarmos no processo histórico. sociais e políticos. “[.org/wiki/Lev_Vygotsky>.] Neste sentido. compreendemos que entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX. mas que neste curto período de vida produziu uma obra riquíssima de pesquisas sobre o desenvolvimento do psiquismo humano. no presente item.wikipedia.LEV SEMINOVICH VIGOTSKY E SUA INFLUÊNCIA PARA A COMPREENSÃO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E OS PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Professora Me. Até 1917 a Rússia foi governada por imperadores. Lussuede Luciana Sousa Ferro Ao longo da primeira unidade já pontuamos algumas concepções de Vigotsky sobre o desenvolvimento humano. Lev Semenovitch Vygotsky Fonte: <pt. sendo substituídos pelos revolucionários socialistas.. é contextualizar brevemente a vida e a obra do autor. um jovem que faleceu prematuramente aos 38 anos. buscando PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 95 . Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Esp.. Vigotsky não se adiantou à sua época. Após a tomada do governo pelos socialistas este país sofreu um longo período de guerra civil até se constituir na potência econômica que se tornou após os meados do século XX. a Rússia passou por constantes conflitos econômicos. os chamados czares. Nosso intuito. apenas lançou olhar perscrutador sobre as necessidades da Rússia.

Mas o homem não é apenas um produto de seu ambiente. tomando o homem basicamente como corpo. naquele momento. de um lado havia a psicologia como ciência natural que explicava os processos elementares sensoriais e reflexos. Foi na tentativa de superar essa crise da psicologia que Vigotsky e sua equipe buscaram uma teoria que sintetizasse essas duas abordagens que dominavam a psicologia naquele momento. Para discutir as questões da psicologia cognitiva. 25) dizem que Vigotsky foi influenciado por esses pensadores concluindo: [.. consciência e espírito.. p. Para Vigotsky. construindo.]”. 23 “[. Luria.. ao afirmar que: [. p. Vigotsky desenvolveu suas análises sobre a crise da Psicologia. e por outro lado. 3) foi um estudioso das causas sociais e entende que o desenvolvimento do psiquismo humano está atrelado ao desenvolvimento histórico da humanidade.] as várias contradições internas.] que as origens das formas superiores de comportamento consciente deveriam ser achadas nas relações sociais que o indivíduo mantém com o mundo exterior. assim.]..] determinada por ele de psicologia geral. primeiramente. apontando. 2002. Vigotsky (1930. Leontiev e Vigotsky (2006. baseando-se no método proposto por Marx e Engels denominado de materialismo histórico-dialético. partindo da transformação dos já existentes. não bastava apenas justapor esses dois elementos da psicologia vivida naquele momento. não acontece diretamente. sua situação paradoxal. um caminho que eliminaria a separação entre a matéria e o espírito. a psicologia como ciência mental que descrevia os processos psicológicos e superiores como mente. ou seja.. mas propor uma nova psicologia.. as quais se encontram nos diferentes sistemas 96 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . 45). p.. teria uma base explicativa única para os fenômenos humanos [.. é também um agente ativo no processo de criação deste meio [. p. 2002. Partindo desse pressuposto a psicologia vigotskyana compreende que todo comportamento humano se desenvolve primeiro externamente no âmbito intrapessoal por meio da coletividade e depois se interpessoaliza...respostas aos problemas com que se deparavam os homens daquele período” (TULESKI. há um mediador. conforme Tuleski.

o homem necessita participar do trabalho coletivo apropriando-se do conhecimento que a humanidade foi desenvolvendo ao longo de sua história. percepção.. Esses estudos tiveram um enorme valor científico resultando. entre outros conceitos. relacionando desenvolvimento e aprendizado. De acordo com essa citação de Vigotsky. 2006. a partir do momento que isto faz parte do meio em que vive. Para desenvolver-se plenamente como ser humano.] os processos neurofisiológicos isto é. os homens se desenvolvem durante as operações de trabalho sobre a natureza e por intermédio das relações com outros homens.]” (VILLALOBOS.15). Ao contrário das reflexões apresentadas até este momento a atual sociedade capitalista tem dificultado a apropriação do conhecimento para todas as classes sociais. tendo como centro os estudos da psicologia cognitiva.Funções Psicológicas Superiores (a memória. ou seja.sociais. ele utiliza-se de instrumentos psicológicos ou símbolos para ampliar suas capacidades superiores e se modificar internamente. Luria e Leontiev. quanto na estrutura do psiquismo humano de um período histórico determinado. Diferente dos animais. solução de problemas). Tomando como base para as suas pesquisas a realidade histórico-cultural daquele momento.. p. entendemos que. “[. as chamadas FPS. a relação entre o funcionamento intelectual e a cultura da qual os indivíduos fazem parte [. Com o desenvolvimento social. assim como o homem transforma a natureza e por meio dela se transforma. ao longo do desenvolvimento humano as FPS devem ser construídas e mediadas pelos instrumentos e símbolos que são desenvolvidos no interior da vida social e funcionam como um objeto social e mediador da relação entre o indivíduo e o mundo. o conhecimento foi adquirindo autonomia e a linguagem e os instrumentos transformaram-se em objetos de comunicação humana. atenção.. O homem se transforma e se humaniza apropriando-se dos conhecimentos historicamente desenvolvidos pela humanidade. Vigotsky não deixou de considerar todo o desenvolvimento histórico da humanidade.. caminhando PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 97 . encontram sua expressão acabada tanto no tipo de personalidade. investigou com seus colaboradores.

de fazer análises críticas e de provocar transformações sociais. não alienados. Contrapondo essa realidade. eliminando as características burguesas como o individualismo e o imediatismo. defendemos que cabe. portanto. a competitividade e a adaptação do indivíduo às constantes mudanças sociais. do pensamento lógico. capazes de dominar seu próprio comportamento. à escola. Com relação à educação. a responsabilidade pelo máximo de desenvolvimento das capacidades cognitivas. É no entendimento dessa realidade social que devemos buscar o entendimento da educação como responsável pela superação dos comportamentos instintivos e primitivos. a ação escolar deve ser a do enfrentamento por uma escola pública que garanta aos trabalhadores um ensino da melhor qualidade formando homens conscientes. Em uma visão vigotskyana. desenvolvendo os culturais. linguístico ou abstrato.na direção de uma nova perspectiva que valoriza o fragmentário. a teoria de Vigotsky enfatiza o papel da apren- 98 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Dica de Filme: Parada Obrigatória! Documentário: Vigotsky – Coleção Grandes Educadores Lev Vigotsky se preocupa em entender o funcionamento psicológico do ser humano. a prática cotidiana. integrando aspectos biológicos e culturais.

Hoje. visto que ele buscava compreender como se dá a construção da inteligência no ser humano. valorizando a escola. o professor e a intervenção pedagógica. o pai da Epistemologia Genética. Precisamos ressaltar que Freud não desenvolveu estudos dentro do cenário educacional. e ainda centrais na agenda de psicologia da educação contemporânea. A produção de Vigotsky foi vasta: escreveu cerca de 200 trabalhos científi cos que foram pontos de partida para inúmeros projetos de pesquisa posteriores. contribui com os nossos estudos ao trazer exemplificações e explicações sobre o desenvolvimento psicossexual infantil. suas idéias têm tido tanta repercussão entre os educadores do ocidente. sendo assim. É também respeitado no cenário acadêmico-científico. expoente da Teoria Histórico-Cultural. Verificamos que Piaget tem uma teoria completa sobre o desenvolvimento da criança. desenvolvidos por seus colaboradores e seguidores. trabalhamos com a identificação pessoal de cada estudante com a teoria para futuros aprofundamentos acerca da temática. Freud. tendo um número expressivo de seguidores de suas ideias. Wallon. sua teoria vale-se para o professor enquanto estudioso e pesquisador.dizagem no desenvolvimento humano. Talvez por isso. traz a sua visão sobre a importância da afetividade para o desenvolvimento do ser humano. Precisamos PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 99 . assim como essas teorias chegam ao cenário educacional. E qual desses estudiosos é o correto? Não há como respondermos a essa pergunta. um autor não tão conhecido e veiculado como Piaget. traz a sua visão sócio-histórica sobre a constituição do indivíduo em uma intrínseca relação entre homem-meio-cultura-história. O primeiro a ser estudado foi Jean Piaget. apesar de sua distância no tempo e espaço (viveu na antiga União Soviética e morreu há mais de 60 anos). mas não como um método a ser seguido e trabalhado na escola. CONSIDERAçÕES FINAIS Na Unidade II pudemos estudar sobre a influência de alguns estudiosos e suas teorias sobre o desenvolvimento humano. Vigotsky. terceiro estudioso a ser trabalhado.

3. Vigotsky desenvolveu sua teoria em um momento histórico específi co.de avanços na área da neurociência para podermos afirmar se Freud é mais consistente ou menos que Vigotsky. faça um resumo das principais ideias desse autor naquilo que diz respeito ao processo de desenvolvimento da inteligência humana. para buscar conhecimentos na área do desenvolvimento da criança. ou se Wallon é mais coerente que Piaget em seus estudos e pesquisas. desenvolvimento. como: arte. VIGOTSKY. Obras Escogidas. Defi na a relevância de Sigmund Freud para a educação.culturainfancia. 2. A partir da leitura e das discussões sobre a obra de Jean Piaget. educação e roteiros culturais. Lev Seminovich. Moscú: Pedagóguika.br>.com. 1982. Faça um breve resumo sobre a vida e obra desse estudioso que é referência para a educação nos dias atuais. ATIVIDADE DE AUTOESTUDO 1. Livro: Obras Escogidas Autor: Lev Semenovich Vygotsky Gênero: Psicologia Acesse o site <www. 100 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . O site traz diversos eixos de pesquisa.

“Não existe uma linha teórica na psicologia que responda a todas as questões referentes ao desenvolvimento infantil”. Sendo assim. como devemos estudar as teorias apresentadas pelos diversos autores? PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 101 .

.

• Verificar a Prática do Psicopedagogo quanto à Dificuldade de Aprendizagem a partir de um Estudo de Caso. Lussuede Luciana Sousa Ferro Objetivos de Aprendizagem • Entender a Filogênese da Escrita. Plano de Estudo A seguir. • Compreender o papel da Linguagem Escrita na História Humana. • Observar o Processo de Ensino da Linguagem Escrita e o Papel do Psicopedagogo.UNIDADE III AS DIFICULDADES E OS DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM: A DIFICULDADE QUANTO À APREENSÃO DA LEITURA E DA ESCRITA Professora Esp. apresentam-se os tópicos que você estudará nesta unidade: • Filogênese da Escrita • Linguagem Escrita e História • Dificuldade de Aprendizagem quanto à Leitura e à Escrita .

.

como: “Por que meu filho não consegue ler e escrever?”. Muitas vezes. “Ele tá na escola. é importante pensarmos nos fatores que promovem essa aprendizagem. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 105 . principalmente nas séries iniciais. oportunizando compreender como ocorre a aprendizagem na criança. porém. Enquanto área do conhecimento. a Sociologia. Quando falamos em desenvolvimento infantil o leque se abre para muitos fatores intervenientes nesse processo. a Fonoaudiologia. mas à sociedade como um todo. “Ele escreve tudo errado!”. neste trabalho. permitiu-nos conviver com o processo de aquisição de escrita dos alunos. mas parece que não aprende nada do que ensinam pra ele!”. 1998). a Linguística. considerando todos os fatores intervenientes no desenvolvimento infantil e deixando de remeter a dificuldade apresentada como exclusiva do aluno (YAEGASHI. no ambiente clínico. evitando assim casos de fracasso escolar. As atividades realizadas diariamente no espaço escolar e o contato com crianças com dificuldade de aprendizagem. os pais procuram o psicopedagogo com queixas. exigindo reflexão contínua sobre essa temática. a Psicopedagogia integra outras ciências afins como a Psicologia. a Psicanálise entre outras. a Neurologia. dentre tantas outras queixas referentes à aquisição da linguagem escrita. em especial nas crianças que apresentam dificuldade para aprender. para que esses se tornem capazes de se apropriarem dos conteúdos científicos. Dessa forma. “Ele não entende o que lê!”. objetivamos apontar aspectos que interferem no processo de aquisição da linguagem escrita nos indivíduos.INTRODUÇÃO No processo de apropriação da escrita a Psicopedagogia pode contribuir não só para o indivíduo que apresenta dificuldade de aprendizagem. internalizando os meios cognitivos de compreender o mundo e poder transformá-lo. precisamos compreender a aquisição da linguagem escrita como algo amplo que todos os alunos devem ter acesso. Compreendendo que a aquisição da escrita assume um papel fundamental como forma de apropriação do conhecimento científico.

2 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais (CASTRO. pelo IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Infelizmente. transformando-se em instrumento decisivo do conhecimento humano. esses resultados têm demonstrado altos índices da baixa qualidade de ensino e aprendizagem que vem caracterizando o ensino nas escolas públicas brasileiras até os dias atuais. desde a educação básica até o ensino superior. precisamos compreender a linguagem como porta de entrada para os saberes eruditos mais elaborados. e o Brasil apresentou nos resultados de 2006. nos últimos anos. Segundo as pesquisas do IPEA. o nível de proficiência mínimo indicado para que o aluno seja considerado apto a viver na sociedade “letrada” é 2. entendemos que a apropriação da linguagem escrita pelas crianças deve ocorrer de forma 106 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Baseada nos aportes teóricos de Vigotsky. Concomitantes a esses dados que denunciam a precariedade educacional brasileira. ainda temos que enfrentar os resultados abaixo do mínimo esperado dos programas oficiais de avaliações externas nacionais como a Prova Brasil. De acordo com essa premissa e organizados nas bases da Teoria Histórico-Cultural. a linguagem surgiu da necessidade de comunicação. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) e as internacionais como o PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudante). Souza (2008) aponta que a linguagem é o mais elaborado sistema de signos presente na cultura humana e. a qual denuncia de maneira contundente a baixa qualidade educacional oferecida pelos sistemas escolares. Antes de discutir essa questão é preciso conhecer os dados mais recentes apresentados no último dia 19 de janeiro de 2010. ANDRADE. Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM). segundo Luria (1979). Na busca por caminhos que superem essa falácia da Educação. somente 48% dos jovens de 15 a 17 anos estão cursando o ensino médio. AQUINO. pois. e o dado mais agravante é que o Brasil apresenta um índice de 14. Nessa última. 2010). apenas 13% dos jovens de 18 a 24 anos frequentaram o ensino superior em 2007. por meio dela é possível organizar o pensamento e ter acesso ao conhecimento científico.Também são preocupantes os índices acerca das bibliografias produzidas. que 69% dos seus alunos ficaram abaixo desse nível. sobre os problemas de leitura e escrita.

39). p. 2003). por meio de motivos e necessidades que as estimulem a escrever com significado e função social.consciente. seis décadas. Ensina-se às crianças desenhar letras e construir palavras com elas. 119). em relação ao papel fundamental que ela desempenha no desenvolvimento cultural da criança. pois as taxas de baixa qualidade no ensino estão presentes na sociedade há. 1997. 118) “[. ALMEIDA. 39): [. Afirmarmos. Ainda apoiados na Teoria Histórico-Cultural. ARNONI. Partindo do pressuposto de que a realidade social é produzida historicamente. historicizadas e compreendidas como um fenômeno. 2007. nesse contexto. [.] pensada e articulada às experiências que a humanidade vem sistematizando no decorrer da história [... ESCRITA: SUA HISTÓRIA NA FILOGÊNESE “A escrita dá acesso direto ao mundo das idéias e permite apreender o pensamento e fazêlo atravessar o espaço e o tempo.. mas não se ensina a linguagem escrita.... o qual será aquele que estabelecerá. p. a aprovação com baixo índice de aprendizagem dos conteúdos escolares e de indivíduos privados de uma escrita carregada de sentido e significados. 1 Citação retirada da capa do livro de Higounet. também.. p. entendemos que a escola deve ser o espaço que proporcionará uma educação voltada para a formação integral do aluno... contextualizadas. pois para Vigotsky (1935 apud ROJO..] (VIGOTSKY.]” (OLIVEIRA.] E o resultado é uma fala morta [. conforme Oliveira. 1935 apud ROJO.] a escrita ocupou um lugar muito estreito na prática escolar. na medida em que ela é “[. p. é o fato social que está na base de nossa civilização”1 (HIGOUNET. 1997. Inclui-se. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 107 . as dificuldades escolares deverão ser analisadas. pelo menos. pois esse conhecimento transforma suas vidas...] a diferença entre o conhecimento a ser apresentado aos alunos e as experiências cotidianas dos estudantes [. Almeida e Arnoni (2007..]”.. Enfatiza-se de tal forma a mecânica de ler o que está escrito que se acaba obscurecendo a linguagem escrita como tal. a importância do papel do professor nesse período de escolarização.

11).A escrita é um bem cultural socialmente constituído e historicamente produzido. fazendo-o atravessar o espaço e o tempo. e. reproduzindo a fala utilizada: “é preciso inicialmente um conjunto de sinais que possua um sentido estabelecido de antemão por uma comunidade social e que seja por ela utilizado e em seguida é preciso que esses sinais permitam gravar e reproduzir uma frase falada”. Porém. é importante verificar como ocorreu a sua evolução.] o homem primitivo recorreu a engenhosos arranjos de objetos simbólicos ou a sinais materiais. foi 108 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . O ser humano soube aprimorar os seus sentidos para fazer face às necessidades e perigos da vida cotidiana. evoluindo para registros em forma de desenhos. atualmente a escrita é o procedimento utilizado pela humanidade para constituir a linguagem articulada. A primeira forma de comunicação ocorreu por meio da emissão de grunhidos e gestos.] no decorrer da História. desenhos [. Para se compreender a escrita. p. 2003. Para o autor. A humanidade construiu ao longo dos anos diversos sistemas de escrita. pela sistematização da fala em forma de símbolos gráficos.. mais tarde. 2003. como produção humana... a escrita é mais que um instrumento de comunicação. tem demonstrado que o longo caminho percorrido até nossos dias foi resultado das transformações ocorridas na humanidade.. De acordo com Février (1959 apud HIGOUNET. nós. criando a escrita convencional. os sinais gráficos devem fazer parte do cotidiano da sociedade. Desse resgate o mais importante é entender as funções para as quais a escrita foi criada. bem como as fases pelas quais passou. pois assim como a história do desenvolvimento das sociedades. desde os primeiros sinais gráficos até a escrita alfabética.. as necessidades humanas fizeram com que a escrita chegasse à forma como a conhecemos atualmente. posteriormente. a escrita percorreu diferentes caminhos até chegar aos dias atuais. Desde os tempos mais remotos e diante da necessidade de um meio de expressão permanente. o seu desenvolvimento. [. apud HIGOUNET. entalhes. “[. a alfabética é um dos sistemas possíveis que utilizamos hoje e.9). ela movimenta o pensamento de forma organizada quando esse é transcrito.]” para se comunicar (FÉVRIER 1959.. por meio da fala. p.

blogspot.. p. Fonte: <http://www. os sumérios desenvolveram a escrita cuneiforme. muitas vezes. Foram estas as primeiras manifestações do ser humano na tentativa de fixar aspectos do mundo em que vivia em um suporte situado fora do seu próprio cérebro.com>. um tipo de escrita feita com auxílio de objetos em formato de cunha que apresentava um conjunto de sinais silábicos e fonéticos. fonogramas (desenhos que representam sons) e outros signos determinantes (FRANCIOLI. a ler os indícios e a interpretá-los. no objetivo de marcar o tempo de acordo com os ciclos da natureza.br/portals/pde/arquivos/127-2.Registro na caverna Fonte: Disponível em: <http://www. reproduzidos pelo homem primitivo para se comunicar.blogspot. NASCIMBENI. SFORNI). o dia e a noite. como as pinturas nas cavernas.quartaseriemargarida pardelhas. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 109 . Por volta de 4000 a. feitas com intenções ainda não totalmente compreendidas pelo homem moderno. Figura 2. 2001. outras formas de comunicação fizeram parte da história humana.gov.diaadiaeducacao. a pedra (ELIAS. mas sem derivar em alfabeto. 3). Nesse mesmo período.aprendendo. como os nós em cordinhas e bastões para entalhar o cálculo e a cronologia.com. Indícios que foram.pdf>. assim. Além dos desenhos. os egípcios desenvolveram um sistema de escrita denominado hiroglífica formado por pictogramas (desenhos que representam coisas).pr.C.

Figura 4. O estilo permaneceu até o século VIII. Nesse mesmo século. De acordo com Elias e Nacimbeni (2001). sendo utilizado para escrever as escrituras bíblicas. O som passaria a representar ele próprio. poderia ser usada para informar e instruir. Ao ser utilizada em pergaminho. ações ou objetos. cujo traçado era elegante e legível. Essa nova forma de escrita surgiu por volta do ano 500 d.C.com. permanecendo até 110 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . por exigência do imperador Carlos Magno.Escrita egípcia em papiro Fonte: Disponível em: <http://www. mas sim o som da fala.Escrita cuneiforme Fonte: Disponível em: <http://www.abcdesign.blogspot..br>. quebrando a relação entre sinal e objeto.com>. foi elaborado um estilo de escrita com letras maiúsculas e minúsculas. o alfabeto possuía somente letras maiúsculas. Inglaterra e Irlanda. uma nova maneira de se escrever surgiu quando a escrita começou a representar não mais os seres. uma forma de letra arredondada e mais rápida para escrever.phisalia.Figura 3. sendo necessário um novo tipo de sinal que pudesse indicar as ideias. no norte da Europa. Na Roma Antiga. e a escrita não estaria reservada somente para comemorar eventos importantes do dia a dia. ocorreram modificações originando o estilo inicial.

anasofia. que foi disseminado pelo mundo juntamente com a expansão do Império Romano. ao contrário dos fenícios que escreviam da direita para a esquerda. Posteriormente. por volta de 753 a. qual sua origem? Nossa escrita é alfabética e originou-se no alfabeto dos fenícios. os romanos.C. constituído por 22 consoantes maiúsculas e cada consoante representava um som (Figura 5). Por volta do século VIII. do cristianismo e com o domínio do mundo ocidental. a. chegando à forma que conhecemos e utilizamos na língua portuguesa. quando eruditos italianos criaram outro estilo de escrita. baseando-se no alfabeto grego.C. É também fonética porque utiliza símbolos que representam sons. ampliando o alfabeto para 24 letras e. acrescentaram novos caracteres.net/pdf/tipografia>. Figura 5. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 111 ..Escrita Uncial – inscrição grega de 146 a. Fonte: Disponível em: <http://www.o século XV. os gregos transformaram algumas das consoantes fenícias em vogais.C. os gregos passaram a escrever da esquerda para a direita. criaram o alfabeto latino. E a escrita que utilizamos hoje.

as palavras de origem indígena são grafadas com letras do alfabeto latino e pronunciadas com seus sons fonéticos e não com os sons indígenas.A escrita alfabética Fonte: Disponível em: <http://www. Isso demonstra que a dominação oral e escrita dos colonizadores conteve a influência da 112 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .wordpress. mas. mesmo assim.anakabum.Evolução da escrita alfabética Figura 6 . Adotamos a língua portuguesa de origem latina e escrevemos utilizando a escrita alfabética. Podemos perceber a relação entre poder político-econômico e a escrita na própria história da colonização brasileira. porque fomos colonizados por uma nação que fazia uso desse tipo de escrita.com>. os indígenas do litoral brasileiro falavam a língua tupi e influenciaram a língua portuguesa deixando um acervo de novas palavras que constituem nosso vocabulário. Essa história revela como a escrita se constitui em um instrumento cultural determinado pela realidade social concreta. No período da colonização.

p. no contexto histórico produzido ao longo dos anos. permitiu sua sobrevivência como espécie. sistematizada e planejada intencionalmente. pois se a compreendermos como bem histórico cultural. abrem-se caminhos para possíveis meios de superação das dificuldades de aprendizagem.gov. obrigando o ser humano a encontrar outras fontes de alimentação.br/portals/pde/arquivos/127-2. e gradativamente. Para que isso seja possível. o ensino da linguagem deve ater-se à sua função social.. Fonte: <http://www. SFORNI).] a comunicação verbal é uma produção social. como o ambiente que sofreu alterações radicais. nos primórdios da civilização. Polido e Francioli (2009. o ensino da linguagem precisa ocupar um lugar de excelência no período de escolarização. não é possível separá-la do contexto social.. Segundo.diaadiaeducacao. esse conhecimento foi transmitido de geração em geração por uma linguagem que misturava sons e gestos. campo de conflitos e de confrontos ideológicos próprios das relações de poder que estão presentes nas relações sociais [. dando-lhe supremacia na escala evolutiva. foram progredindo para a escrita atual.. Abordar a linguagem escrita. de forma que cada povo codificou os sons da sua língua para reproduzi-los.. Como vimos no item anterior. Outras mudanças também ocorreram. o professor deve produzir sentido e promover motivos para que sua aprendizagem seja efetuada de forma calcada nas raízes do saber erudito. LINGUAGEM ESCRITA: SEU PAPEL NA HISTÓRIA HUMANA A capacidade que o homem desenvolveu de transmitir conhecimento.língua indígena (FRANCIOLI. 4) “[. já que a caça ficara escassa. O surgimento da escrita alfabética é resultado das relações do trabalho humano que os homens experimentaram diante das necessidades de comunicação e não apenas como instrumento de comunicação. De acordo com essa premissa.pr. Com a retomada dessas questões.]”. Desse PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 113 . inocente e natural.pdf>. pois ela não é neutra. provenientes de uma alfabetização deficitária e vazia de sentidos. a prática pedagógica necessita ser organizada. é o que será discutido no próximo tópico. ou seja.

porém.]. a sedentarização. a organização social em cidades e o acúmulo de riquezas2. 2001. Como visto na história da escrita. mas logo o homem passou a propagar suas ideias. ocasionou a aparição da linguagem como resultado da história social: [. no homem não se teria formado o pensamento abstrato “categorial” [.. p. graças ao qual o homem pode superar os limites da experiência sensorial. outros motivos criaram no homem a necessidade de produzir outras formas de registro para se comunicarem e se organizarem. como a construção progressiva de sistemas de representação. política. O papel social da escrita sofreu alterações no mesmo decurso que aconteceu a evolução de uma civilização sempre mais organizada. Eram geralmente trabalhadores intelectuais a serviço de personagens do poder.. em função do trabalho. Com o tempo a escrita começou a substituir cada vez mais a memória. Com a evolução cultural dada pelos gregos no período clássico. também se referiram à mesma fonte citada. a escrita tornou-se o principal instrumento na transmissão do saber e instrumento de poder político. Os dois parágrafos seguintes a esse. formular determinadas generalizações ou categorias. com ela.processo surge a agricultura e. e as genealogias e os textos religiosos passaram a ser escritos. religiosa e social Os dados apresentados tomaram como base as discussões de ELIAS e NASCIMBENI produzidas no documentário “Construção da Escrita” . Luria (1986. 22) destaca que a necessidade de comunicação mais precisa entre as pessoas. foi sendo desenvolvida como método de registrar a memória cultural.. visto anteriormente. 2 114 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . crenças e costumes para além do tempo e do espaço. Em suas pesquisas. artística. No princípio a escrita era utilizada apenas para se informar algo.TV Escola – Curso de Formação de Professores Alfabetizadores. No decorrer da história da humanidade. Pode-se dizer que sem o trabalho e a linguagem. A escrita percorreu diferentes caminhos até chegar aos nossos dias. sendo pronunciadas a grandes distâncias. individualizar as características dos fenômenos.] a linguagem transformou-se em elemento decisivo do conhecimento humano.. construindo informações que se manteriam inalteradas por séculos. os primeiros registros escritos relatavam os acontecimentos do cotidiano e seu emprego estava também limitado pelo fato de poucos povos terem acesso à escrita.

p. o movimento de seu pensamento. a análise do significado epistemológico da linguagem como forma de comunicação objetivada que só existe nas relações humanas. mesmo aquelas que estão fora do contexto da ação que está sendo praticada. O desenvolvimento dessas ações. por meio dele. instrumentalizando a reflexão. neste primeiro momento. como instrumento simbólico no qual estão consubstanciadas complexas ações mentais do pensamento. e a linguagem só nasce como a consciência. que transmite qualquer informação. constituem a base fundamental que explica a linguagem escrita como processo histórico. a teoria histórico-cultural. Ao buscarmos elementos para a compreensão da função social da escrita. 86) analisa essas considerações de Marx. os membros de um grupo possam comunicar-se entre si e com seus sucessores de forma precisa e duradoura. Luria (1986) distingue a linguagem como um sistema de códigos. ocorre mediante a apropriação da linguagem que foi produzida pelos homens ao longo da História.. ou seja. Para compreendermos esse processo será desenvolvido. registro e lazer. Vigotsky considera a linguagem como instrumento do pensamento e Leontiev..] (grifo do autor).33-34) consideram que: [. A principal finalidade da escrita é estabelecer um sistema convencional e que. da necessidade. nesse processo.de um povo.] A linguagem é tão velha como a consciência – a linguagem é a consciência real prática que existe também para outros homens e que. Leontiev (1967.. Da mesma forma. só assim existe também para mim. da carência física do intercâmbio com outros homens [.. comunicação. Marx e Engels (2002. acrescentando: PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 115 . a utilização da linguagem escrita para organização. por parte de cada sujeito. A aquisição da linguagem promove o desenvolvimento das funções psicológicas superiores exigindo do indivíduo. Leontiev e Luria (2005). elaborados no processo da história social. especificamente os estudos de Vigotsky. pp. a expressão e a transmissão de informações. portanto. Nesse mesmo sentido. Essa discussão revela quais foram os motivos que levaram os homens a criarem essa forma de linguagem e quais as funções historicamente construídas pela humanidade que permanecem em nosso meio.

No instante em que pensamento e linguagem se cruzam. Isto significa que as acções do homem. têm nestas condições uma dupla função: uma função imediatamente produtiva. que a consideram de natureza sócio-histórica. [.. 111) considera que ambos possuem raízes diferentes. as suas acções. Originariamente. o trabalho propriamente. Vigotsky (2001. Ao compreendermos a concepção de linguagem a partir de Vigostsky. Noutros termos. o desenvolvimento da linguagem e do pensamento realiza-se de forma não paralela e desigual.. considerando os fatores sócio-históricos.] A relação entre pensamento e linguagem modifica-se no processo de desenvolvimento tanto no sentido quantitativo quanto qualitativo. nivelam-se em determinados períodos e seguem paralelamente.] que o pensamento se torna verbal e a fala se torna intelectual” (grifo do autor).. a associação entre pensamento e linguagem é atribuída à necessidade das relações humanas durante o trabalho no momento que ocorre o intercâmbio social.. Essa relação entre pensamento e linguagem se modifica. p. Como se formaram a palavra e a linguagem? No trabalho os homens entram forçosamente em relação. a relação entre o pensamento e a fala se faz a partir da passagem da fala exterior para a fala interior. Apesar de estarem associados. cruzam-se. em comunicação uns com os outros. essa é a principal base que traçou em sua pesquisa para compreender o desenvolvimento ontogenético do pensamento e da linguagem que parte do biológico para o histórico-social. p. não a separa do pensamento.]. As curvas desse desenvolvimento convergem e divergem constantemente. os movimentos de trabalho dos homens agem igualmente sobre os outros participantes na produção. estamos admitindo que ela ocorre somente no contexto em que os indivíduos realizam constantemente os dois 116 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . em suas pesquisas. ou seja. resultado da interação social. 133) define “[. que os homens sentem de dizer alguma coisa.. nascida do trabalho. chegam a confluir em algumas de suas partes para depois tornar a bifurcar-se. uma função de comunicação [. Vigotsky (2001. Agindo sobre a natureza. também pesquisou sobre a linguagem ao buscar compreender a história da espécie humana e. evolui ao longo das experiências do sujeito.. Leontiev e Luria..] O nascimento da linguagem só pode ser compreendido em relação com a necessidade.. Para o autor. e a sua comunicação formam um processo único. Vigotsky (2001). Para o autor. e uma função de acção sobre os outros homens.[.

. Isto exige um distanciamento da situação real [... deve ser muito mais desenvolvida: a diferenciação sintática deve chegar a seu ponto máximo e devem-se usar expressões que soariam artificiais na conversação.] a comunicação por escrito dirige-se a um interlocutor ausente. 313).]” (VIGOTSKY. dirigida a uma pessoa ausente ou imaginária. ou a ninguém em especial – uma situação nova e estranha para a criança.] é uma fala sem interlocutor. em que a criança “[. Portanto. p. agir voluntariamente. pp. neste caso.. ou seja. Vigotsky (2001.]” e isso exige maior nível de abstração por parte da criança.. separando os códigos linguísticos em partes-sílabas e depois juntá-los novamente para registrar o que deseja. No entanto. pois enquanto a fala atinge estágios elevados de desenvolvimento. durante esse processo. e com maior exatidão.] Na escrita... que muito poucas vezes tem em mente o mesmo assunto que o escritor. p. tornando a escrita clara para o seu interlocutor. com um interlocutor imaginário ou apenas representado [.. como o tom da voz e o conhecimento do assunto são excluídos.. Vigotsky (1998) tem como premissa que o aprendizado e o desenvolvimento fazem parte da vida da criança desde seu nascimento.. A escrita é a forma de fala mais elaborada [. organizado pelo ensino escolar sistematizado. 2001.]. ela precisa representá-lo no pensamento.. que a escrita: [. [. agir de acordo com suas estruturas psíquicas organizadas pelo ambiente histórico-social. Outra questão apontada pelo autor como sendo o motivo central da linguagem escrita é o fato de a criança.] fato de que esta linguagem é apenas pensada e não pronunciada [o] que constitui uma das maiores dificuldades com que se defronta a criança no processo de apreensão da escrita [.]. somos obrigados a utilizar muito mais palavras. 122-123) ao explicitar que: [.] conversa com a folha de papel em branco. pois antes de registrar ou grafar o sistema simbólico. pois os considera PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 117 . ou. somos obrigados a criar a situação. ocorrendo também diferentes evoluções entre ambas... 313) explica que esse fato ocorre porque a escrita torna-se uma linguagem isolada.. Nesse processo de compreensão. Compreendemos que a linguagem escrita é diferente da linguagem falada.... 1997. [.. a criança necessita ter consciência das estruturas sonoras das palavras que irá escrever.] Na escrita.tipos de linguagem: oral e escrita.. ou a representá-la para nós mesmos. ainda. Esse processo é destacado por Vigotsky (1934 apud ROJO.. a escrita não pode repetir essas mesmas etapas de evolução pelo “[.

..] as principais fases formais que percorre a personalidade da criança em sua formação estão diretamente ligadas ao grau de desenvolvimento de seu pensamento. desenvolvem-se as funções complexas do pensamento. p... a criança tem contato com esse sistema desde muito cedo [. pp.]. com o desenvolvimento das funções psíquicas superiores. p... Dessa forma.]” (SOUZA. podemos dizer que “[. do sistema de cognição em que se realize toda a experiência interna e externa da criança. a atenção voluntária. Assim. de acordo com Vigotsky (1998. os quais. 1997. as reflexões de Vigotsky (1935 apud ROJO. Com base nesse pressuposto teórico.. o qual afirma que o aprendizado em cooperação com os pares mais desenvolvidos (adultos ou colegas) é determinante da construção de um novo domínio de conhecimento e de novas funções.. signos.. 118 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . a criança avança concomitantemente em seu desenvolvimento por meio das interações sociais. analise. enquanto os processos elementares são de origem biológica. 76). transformam-se em funções superiores. conecte e elabore [. Para o autor. Nesse mesmo sentido. Se forem usadas apenas para escrever congratulações oficiais para os membros da diretoria da escola ou para qualquer pessoa que o professor julgar interessante (e sugerir claramente para as crianças) então o exercício da escrita passará a ser puramente mecânico e logo poderá entediar as crianças. A leitura e a escrita devem ser algo que a criança necessite [. por vivermos numa sociedade letrada. são os processos psicológicos superiores de origem sociocultural. elementos mediadores. considerando que. 2).. por meio dos signos. 2008. [. suas atividades não se expressarão em sua escrita e suas personalidades não desabrocharão.] uma atividade cultural complexa. dependerá o aparelho psíquico que a divida. a abstração... da relação com o outro e da apropriação da matéria (conceitos. entendemos que..inter-relacionados. 50-51) continuam quando este diz que: [. a imaginação que. 50) discute essas questões tomando como base o pensamento de Vigotsky. p.).] o processo de construção da escrita é mediado por estes signos transmitidos culturalmente. já que.] O ensino tem de ser organizado de forma que a leitura e escrita se tornem necessárias às crianças. Rojo (1997.. o aprendizado escolar é aquele que depende diretamente do desenvolvimento das funções psíquicas como a memória.

p. deve constituir-se como um discurso significativo. p. deve compreender e organizar o processo de ensino da leitura e da escrita em interação com a criança. bilhetes. logo. 51) é a de que: [. [. ou seja... um motivo. fazer imaginar. receitas. etc [.. uma necessidade intrínseca deve ser despertada nelas e a escrita deve ser incorporada a uma tarefa necessária e relevante para a vida. 52). 1997.] (ROJO.Vimos então que para a criança se apropriar da escrita. solicitar e obter algo. e esse processo de aquisição implica uma necessidade. para quem é escrito... é necessário que ela seja ensinada. em qualquer dos casos.] as crianças têm uma motivação mágica.].. tendo diferentes motivos para escrever. 53). um grande prazer na leitura e na construção e reprodução de histórias de fadas e de contos.. relevante para sua vida e necessária para a atividade em curso. p. de forma que ela seja motivada. registros ou experiências escolares. Teremos também diferentes motivos ou intenções de efeito: comunicar e fazer contato. como tal. um desejo de apropriação da mesma. dar prazer. segundo Rojo (1997.. deve ter significado para as crianças. desejada pela criança. também. 51). o que devemos ou não dizer e como e quando. envolver. 1997. informar e registrar. p.. organização de listas ou agendas [.. Nesse caso. numa situação com significado PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 119 . a conclusão de Vigotsky (1935 apud ROJO... A autora completa dizendo que.] vão determinar o que podemos ou não dizer. reivindicar ou protestar. Segundo Rojo (1997.] a escrita deve ser “relevante à vida” [. além da necessidade de registrar uma linguagem de ordem prática como.]. guiar a ação do interlocutor. o indivíduo estabelece diferentes maneiras de comunicação com o outro.. Só então poderemos estar certos de que ela se desenvolverá não como um hábito de mão e dedos. mas como uma forma nova e complexa de linguagem [. A escrita deve ser uma prática significativa que vai além de um ensino ou uma técnica e. a elaboração de intervenção pedagógica. Dessa forma. registrar nossa vivência e nossas sensações. Pensando na escola como o espaço sistematizado de ensino e no professor como mediador nesse processo de apropriação da escrita pela criança. as diferentes relações estabelecidas com o interlocutor: [..]. seu discurso escrito é estruturado de acordo com seu destino. imaginária. inserido.

3). como instrumento de inserção na cultura do grupo ao qual pertence [. 2008. sons e palavras. o lugar que ocupa na sociedade e os fatores que a permeia. Ao ser privado de um ensino organizado e sistematizado da linguagem escrita. os instrumentos e signos são mutuamente ligados e fundamentais no desenvolvimento cultural do indivíduo. a atuação psicopedagógica precisa resgatar. Tanto os instrumentos quanto os signos ampliam a capacidade humana de interagir com a natureza e.e não apenas na manipulação de letras. Ao pensarmos em uma criança com dificuldade de escrita outros aspectos do seu desenvolvimento ficam prejudicados..] Ao pensar na linguagem enquanto capacidade de organizar e generalizar o pensamento. os signos orientam internamente o controle do próprio indivíduo. pois a linguagem é a via de acesso ao conhecimento científico e esse conhecimento sistematizado só é possível na escola. o homem modifica a natureza ao mesmo tempo em que modifica a si mesmo. Dessa forma.. Nessa perspectiva. pode se refletir sobre o que representa ao sujeito o domínio da linguagem escrita.. num processo permanente de autotransformação. o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. O PROCESSO DE ENSINO DA LINGUAGEM ESCRITA E O PAPEL DO PSICOPEDAGOGO Compreendendo a função social da escrita. no período de alfabetização. Nesse sentido. “[.. p. para possibilitar ao indivíduo o reconhecimento da própria função desses signos em sua vida. Enquanto os instrumentos influenciam externamente a ação do homem sobre os objetos. que busca identificar e intervir nos fatores que influenciam no processo dessa aprendizagem nas relações sociais e culturais. ao interagir. por meio da aquisição dos signos: linguagem escrita e falada. cabe ao psicopedagogo entender como ocorre esse processo.]” (SOUZA. no processo de aprendizagem da criança. fica clara a necessidade de um profissional. o 120 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . como o psicopedagogo. E é nessa interação que se desenvolve a linguagem como um signo que permite às pessoas agirem umas sobre as outras.

. 2008. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 121 . conduzindo crianças aos consultórios psicopedagógicos. muitas vezes.. não é possível compreender o indivíduo que apresenta dificuldade longe de seu contexto escolar e social.. Fragmentada porque pretende apreender o aluno a partir de sua comunidade. [. direcionamos nosso olhar para o trabalho psicopedagógico atrelado ao pensamento de resgate da totalidade do aluno. ignorando o percurso de cada momento constituído na história da humanidade.] (KLEIN.. Assim. como também. com resultados clínicos equivocados.. a fim de compreender porque esse espaço do “aprender” ainda reproduz saberes fragmentados e isolados de seu contexto social e cultural. o psicopedagogo recorre a outras áreas do conhecimento para intervir e promover a aprendizagem. isolada de todo o corpo de relações em que se organiza a existência humana. não apenas deixa de apreender a realidade da comunidade.2008. mas faz dessa comunidade uma ilha. Essa discussão traz ao trabalho psicopedagógico contribuições relevantes. no movimento de homens reais [.] fragmentada não porque considera partes de ou elementos simples dessa realidade. os caminhos que nortearam a ação pedagógica no decorrer dos anos. de se apropriar e generalizar os conceitos específicos e socialmente necessários. não apreende a realidade do aluno. os quais culminam em diagnósticos de dificuldades de aprendizagem. 56). é preciso “[. o aluno historicamente situado [. ilhada do todo.. mas que ensine saberes indica a necessidade de resgatar. p. Tampouco é possível compreendê-lo no imediatismo de suas funções escolares. 132). ou seja. p. também. Dessa forma...indivíduo estará privado. p... pois tanto no trabalho preventivo quanto no educativo. na história da educação.]” em uma “[..]” (KLEIN. De acordo com Klein (2008. mas porque os toma (partes ou elementos) em si mesmos. Busca-se não separar a teoria da prática. dado que ambos só adquirem realidade num contexto muito mais universal [. Quando pensamos em uma ação intencional e promotora do saber. pensar em uma escola que não transmite informações esvaziadas de conteúdos.] apreender o aluno concreto.] realidade humana que esteja fundada. radicalmente. 56)..

o trabalho psicopedagógico deve integrar-se aos que almejam alcançar o conhecimento científico. 122 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . o percurso que ela faz para aprender e as possíveis causas da dificuldade. o problema com a linguagem escrita. nesse caso. precisamos fazer um levantamento dos aspectos intervenientes no desenvolvimento e aprendizagem e detectarmos as possíveis causas da dificuldade. Em seguida. o nosso objetivo foi o de investigar os problemas da dificuldade escolar do sujeito e apontar os possíveis caminhos de reversão da situação atual que estava sendo apresentada e. foram aplicados testes e provas psicopedagógicas e pedagógicas com o intuito de entender a queixa inicial da família. a análise do trabalho mostra algumas hipóteses diagnósticas que culminaram em possíveis encaminhamentos de discussão para a superação da queixa inicial: “Ele escreve errando muito as palavras” e “as histórias são curtinhas sem imaginação”. a fim de superá-las. Para continuar a discussão. COMO APLICAR ISSO NA PRÁTICA? PSICOPEDAGOGIA E A LINGUAGEM ESCRITA: UM ESTUDO DE CASO PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Durante o processo de avaliação psicopedagógica. o próximo capítulo apresenta a avaliação psicopedagógica realizada com uma criança que tem dificuldade com a apropriação da escrita. Nesse sentido.Pensando sobre as questões atreladas ao ensino escolar como meio de apropriação do saber erudito. PARTE PRÁTICA: APÓS TANTA TEORIA. e ao trabalho do psicopedagogo como instrumento de investigação e superação da dificuldade pelo indivíduo. entendidos como base para aquisição do conhecimento científico. As provas aplicadas foram analisadas por meio de uma abordagem quantitativa e serviram como instrumentos que ajudaram a compreender o processo de aprendizagem percorrido pela criança e seus conhecimentos prévios. No decorrer do processo avaliativo.

a fim de compreendermos os processos da aquisição da linguagem escrita como sendo um dos meios de apropriação dos conceitos científicos.Foram realizadas oito sessões de avaliação para concluirmos o diagnóstico psicopedagógico. como forma de coletarmos dados que somaram as possíveis hipóteses diagnósticas e auxiliaram na compreensão do sujeito em processo de ensino e aprendizagem.O. A princípio investigamos junto à família. nessa análise apresentaremos somente aquelas que apontaram as dificuldades de escrita. 1998). Dessa forma. uma instituição filantrópica que 3 4 L. com o intuito de investigarmos as causas das dificuldades de aprendizagem no indivíduo e centralizarmos a avaliação em uma entrevista voltada para a aprendizagem.3 é uma criança de 9 anos que estuda na 2ª série em uma escola pública em município do Noroeste Paranaense. do que ensina e como ensina (VIGOTSKY. DESCRIÇÃO DOS INSTRUMENTOS Aplicamos a E. como ocorreu seu desenvolvimento desde o biológico ao pedagógico.C. F. Para complementarmos a investigação realizamos alguns testes e provas psicopedagógicas que colaboraram no diagnóstico. (Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem).A. foi possível traçarmos os caminhos para a promoção de uma boa aprendizagem: “aquela que se adianta ao desenvolvimento” aquela que vem acompanhada de quem ensina. F. Casa da Criança é uma instituição filantrópica situada na cidade de Maringá que acolhe crianças que não têm PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 123 . No final da avaliação analisamos os dados coletados tomando como base teórica a abordagem Histórico-Cultural. Foi indicada pela Casa da Criança4 . Porém. em anamnese (entrevista com a mãe). serão as siglas utilizadas para nos referirmos à criança. desenvolvida por Jorge Visca. APRESENTAÇÃO DO SUJEITO L.

terminou a 2ª série sem se alfabetizar e sem aprender os conteúdos básicos da série. tem dificuldade para ler e produzir texto sozinho. ingressou na escola com 7 anos. “fica olhando as figuras do livro enquanto passa as páginas”. não quer ler na frente de outras pessoas e. A família decidiu mudá-lo de escola e deixá-lo repetir o “ano onde ficar enquanto os pais trabalham. Sua autoestima está baixa e constantemente fala que “é burro”. O trabalho é voluntário e oferece atividade lúdica. um pouco é culpa da escola que ficou trocando de professora”. quando tenta ler. Segundo a mãe. RESULTADOS E ANÁLISES História de Vida do Sujeito L. F. apoio pedagógico e atendimento psicológico e psicopedagógico. L. iniciando na 1ª série em 2007 em escola pública do município de Maringá. parece que está no mundo da lua”. escreve “errando muito as palavras” e “as histórias são curtinhas. Segundo ela. QUEIXA INICIAL Segundo relato da mãe. parecia estar indiferente ao que acontecia. F. Já no seu primeiro contato com a escola ocorreram três trocas de professoras. 124 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Essa criança foi encaminhada para avaliação psicopedagógica por apresentar dificuldade de aprendizagem em algumas áreas do conhecimento. as quais foram remanejadas pela escola. F. Mesmo com essa situação. reclamando apenas de alguns colegas da sala. na 2ª série. não fez Educação Infantil. as dificuldades começaram a partir desse momento de trocas. enfrentou outras duas mudanças de professoras. L. Em 2008. L. Para ela. em especial a linguagem escrita. dizendo que eles é que o “provocavam” e começavam “a brigar do nada”. sem imaginação”. a professora reclama que ele “não presta atenção na aula e fica conversando com os outros. A mãe reclamou da escola anterior dizendo “se meu filho está assim. também por determinação da escola.atende crianças carentes após o período de aula regular. F.

outra preocupação que a família tinha era com o comportamento. se tornou agressivo com os colegas. sem comunicação prévia à médica. F. os pais decidiram matriculá-lo em aulas de judô. Dessa forma. A mudança de medicamento não alterou o comportamento de L. Além da dificuldade apresentada. substituindo-o por um medicamento manipulado pela mãe de “placebo”. ateremos nossa atenção àquelas que foram instrumentos indicativos do comprometimento da linguagem escrita. F. F. mas frequenta a 2ª série. o “não” saber ler e interpretar. F. Em função da dificuldade que apresenta com a leitura e com a escrita L. o medicamento foi suspenso pela mãe. está matriculado na 3ª série. o “não” saber escrever sem erros ortográficos. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO As provas que utilizamos na avaliação psicopedagógicas focaram a investigação de todas as áreas do desenvolvimento infantil. pois L. Diante das dificuldades apresentadas pela escola referentes ao comportamento agressivo. Transtorno de Déficit de Atenção (TDA). mas ao participar de um evento. a mãe teve conhecimento sobre os efeitos colaterais do remédio e suspendeu o uso do medicamento. diagnosticou em L. orientando tratamento medicamentoso com o uso de Metilfenidato (ritalina). mencionados pela mãe. Diante disso. para análise diagnóstica. em exame clínico. os pais decidiram levá-lo ao neurologista que. Durante 3 meses tomou o medicamento. O PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 125 . o que representa em sua vida outra reprovação.perdido” (2ª série). quando ela procurou saber do comportamento do filho. “funciona para deixar a criança mais atenta”. a falta de atenção nas aulas. o qual tratava sobre distúrbios. correndo o risco de ser reprovado por notas baixas e cursar em 2010 a 3ª série. A escola frequentemente comunicava aos pais dos fatos ocorridos. na tentativa de superação dos problemas comportamentais. porém. e nem os relatos da escola. que segunda ela. na tentativa de recuperar “as coisas que não tinha aprendido”. envolvendo-se em brigas sempre na “saída da escola e na hora do recreio”.

de forma que leu o que não estava escrito como. de algum termo utilizado na mesma. apontaram que L. listagem de palavras conhecidas. por meio de materiais que estimulem a realização de atividades. família educativa. o plano da sala de aula. por exemplo. pois demonstrou insegurança para ler o que escreveu e os rótulos que encontrou.O. os conhecimentos prévios da criança e as causas das dificuldades de aprendizagem no indivíduo. Antes de executar alguma tarefa.” Muitas vezes.C. Apresentou vocabulário deficitário quando usou expressões como: “troço” (atividade). pseudopalavras. “pauzinho” (palito de sorvete) e dificuldade na apropriação de conceitos e significação de palavras. eu com meus companheiros. F. avalia.C.C.O. A E. Ficou ansioso quando imaginou que a avaliadora poderia pedir para que 126 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . concomitante ao que estava fazendo.processo de avaliação psicopedagógica ocorreu no final do mês de novembro até meados do mês de dezembro.O. antecipou as ideias.O. centralizando a avaliação em uma entrevista voltada para a aprendizagem. por meio da E. Utilizamos como provas: Projetivas Psicopedagógicas (Par educativo. pois manteve a concentração durante as atividades e não perdeu o foco. o plano da minha casa e o desenho livre).C.A.A (Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem). quando leu “morder” ao invés de “modelar.O. não apresentava características de Déficit de Atenção. para depois registrar o pensamento. conseguiu realizar a atividade somente depois que a aplicadora explicou o significado de cada consigna antes das provas. Iniciamos o processo de avaliação psicopedagógica com a E. e produção textual). Pedagógicas (TDE – Teste de Desempenho Escolar.C.A.A levantamos algumas hipóteses diagnósticas que se firmaram juntamente com a coletânea de outros dados obtidos. ora soletrou as letras ora as sílabas.A (Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem) As hipóteses diagnósticas que levantamos no processo de avaliação. Análise da E. ou antes. Por meio da E. mesmo quando conversou sobre outros assuntos de sua vida cotidiana. com as quais investigamos especificamente as dificuldades com a linguagem escrita.

bem como interpretá-las. a ideia de um diagnóstico que envolveu a dificuldade proveniente de algum distúrbio ou transtorno. e tudo o que escreveu perguntou se era “junto ou separado” (segmentação). medo ou vergonha de expor algo que ainda não sabia fazer sozinho. A discussão apresentou algumas questões da leitura. Durante a escrita dos enunciados e títulos das atividades realizadas. também. naquele momento. pois quando escreveu não conseguiu decodificar suas próprias produções. não apresentou antecipação de ideia quanto ao que ia escrever. mas nesse momento leitura e escrita estão interligadas. não tem contato com PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 127 . distanciando assim. Isso demonstrou que não tinha ampliação de ideias e mediação dos conteúdos escolares no que tange ao ensino da linguagem escrita. a dificuldade que encontrou para conceituar e generalizar conceitos. na forma como organizou as atividades. ficando evidente em cada tentativa suas dificuldades.) que lhe chamou a atenção. Essa atitude levantou a suspeita de que ele escreveu a partir do que viu na imagem e não de forma contextualizada ou objetivada com seu pensamento. enunciados. que ele mostraria utilizando os materiais propostos o que sabia fazer.C. realizava a atividade corretamente.escrevesse texto dizendo: “Você não vai falar pra mim escrever texto não. consumindo todo o material oferecido na avaliação ou.. As produções chamaram a atenção pelo colorido e pelos materiais que utilizou: cola colorida. pois todas as hipóteses levantadas na E.. Essa atitude representou sua insegurança. tinta guache. Percebemos. colagem e massinha. recorte. pois esta disse que isso ele faria. pois a cada breve explicação do que significava um termo ou expressão. leu em voz baixa ou com os olhos de maneira quase imperceptível. Não se interessou por materiais de leitura e escrita que estavam na caixa e quando tentou ler algo (rótulos.A caminharam para a possível falta de um ensino sistematizado. Nos exemplos abaixo foi possível observarmos. apenas se o desejasse. em especial ler e escrever. né?” O que não aconteceu. que ainda mantém características de crianças que estudam na Educação Infantil. Há dois indicativos prováveis que precisam ser confirmados ao longo do diagnóstico: de que está tentando suprir o período em que não frequentou a Educação Infantil.O.

Figura 8.Título: “Artes” Fonte: Acervo da autora. Figura 9.Recorte e colagem . Figura 7.Pintura -Título: “Nada a ver” Fonte: Acervo da autora. o seu interesse ainda estava focado somente nas atividades lúdicas porque lhe trouxe prazer e exigiu menos o contato com a leitura e a escrita.esses materiais no seu dia a dia escolar. Nesse sentido.Título: “Os carros” Fonte: Acervo da autora.Colagem . 128 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

Teia da aranha Figura 10 . com todos os detalhes. L. utilizou a massa de modelar e criou várias figuras como aranha. Ah! Pensei que era de morder. mas é de modelar ”. ele perguntou: “O que é isso?”.. respondeu que já tinha visto na escola.Para finalizarmos a aplicação da entrevista foram necessárias duas sessões.Modelagem com massinha . Mais uma vez percebemos a dificuldade de apropriação de vocabulário e acesso a conceitos de termos frequentemente utilizados na sociedade letrada. Ao perguntarmos se sabia o que queria dizer aquilo que leu.Título: “Os animais e Obra de artes” Fonte: Acervo da autora. Depois do pré-conceito sobre “modelar” que ouviu da avaliadora.. Na última. Nessa atividade. cobra e as letras5 do seu nome. consumiu toda a massinha. Quando a avaliadora disse que precisava “fixar” a teia para ela parar em pé. mas não sabia o que era modelar. o objetivo das Provas Projetivas Psicopedagógicas (PPP) é investigar a relação (vínculos) do sujeito com a aprendizagem e em quais circunstâncias que isso se 5 As letras do nome não foram registradas para preservar a identidade da criança. Como fez com os outros materiais. deparou-se com uma palavra que não soube o significado. pegou a caixa de massinha e tentou ler o rótulo: “massa de. Análise das Provas Projetivas Psicopedagógicas Segundo Paín (1986). F. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 129 . também.

estabeleceu com a aprendizagem. constantemente se estava bonito). 130 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . aquilo que ele ainda não sabe fazer. disse apenas que eram legais. mas sei fazer outras coisas”. F. F. podemos dizer que L. mas também não está sendo ensinado de forma organizada. ou seja. “alguém está olhando para mim. pouco utilizou de instrumentos e signos para representar seu pensamento no desenho. o que tem de melhor em si. imediatamente. “não sei ler e escrever direito. perguntando. Isso pode ser um indicativo de pouca interação entre professor e aluno ou forma de revelar sua carência de atenção ao que consegue realizar sem ajuda. estabelece vínculo melhor com a aprendizagem assistemática. Ao verificarmos os vínculos que L. pois quando falou sobre os amigos. como se estivesse tentando mostrar. sem receber aprendizagem sistematizada e organizada? Será que sua presença na escola está provida de sentido? O tempo todo demonstrou medo em errar o que fazia (apagou e desenhou. o que aprendeu e o que ensinou. F. percebemos que ele não se colocou em situação de aprendizagem formal (em sala de aula). nas atividades realizadas nas sessões com a avaliadora. Não soube responder. para aquilo que eu já sei fazer sem ajuda”. ou ainda. Isso pode ser indicativo de que está sendo cobrado de L. como irá se apropriar da escrita. Dessa forma. no domínio escolar. Com a possível falta de sistematização.dá. promovendo sua aprendizagem. Nesse caso. considerando a estrutura básica da personalidade e as relações sociais e culturais que o sujeito está inserido. assim como na fala e na escrita.

o cabelo e o pescoço. Figura 12. Essa atitude indicou vínculo negativo com a aprendizagem e/ou com a professora ou ainda pode significar sentimento de rejeição. sozinho. os dedos. o nariz. A mesa da professora estava vazia e ela não apareceu na cena podendo indicar PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 131 . as mãos.Eu com meus companheiros Título: “Os meu amigo” Fonte: Acervo da autora.Figura 11. Representou a figura humana sem os olhos. demonstrando a dificuldade de expressão de afeto. que era “pra ninguém encher o saco”. olhando para baixo e com as mãos sobre a mesa. a orelha. Relatou que preferia sentar no fundo da sala. os pés. Todos estavam sentados de perfil.Par educativo Título: “O aprendizado” Fonte: Acervo da autora. a boca.

A apropriação da linguagem escrita nesses momentos. Figura 13. quando a avaliadora perguntou se na escola pensava em cavalos. Foi nesse momento que.Título: “Minha sala” Fonte: Acervo da autora. ele respondeu “o tempo todo. de significado que a escrita tem para que ele se apropriasse do mundo letrado. também.. no processo de ensino e aprendizagem.O plano da sala de aula . 132 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . inclusive ler e escrever.sabia que eu daria um olho por um cavalo?” A falta de vínculo com a aprendizagem também pôde ser presenciada nessa fala. F. de expectativas. pois não encontrou motivos que o despertasse para aprender.. ou de qualquer outro conhecimento. podemos compreender melhor o percurso realizado por L.a falta de motivo para apreender os conteúdos específicos. falou sobre sua paixão por cavalos e. uma vez que o foco dele em situação de aprendizagem estava voltado para pensamentos externos ao do ensino. seria algo secundário. O vazio de objetos e recursos que apareceu na sala de aula pode representar o vazio de conteúdo. Com tantos indicativos que demonstraram a falta de vínculo com a aprendizagem.

às vezes meu pai me ajuda”. que em casa não há uma organização para a realização das tarefas. mas isso a criança não adquire naturalmente. A organização externa. Percebemos. tanto na escola quanto em casa. nessa prova.Ao analisarmos o domínio familiar. F. O que chamou a atenção foi a semelhança do desenho da sala de aula em que a mãe estuda e de sua sala de aula. Nesse sentido. representada em prova anterior. Por isso. porém não tinha acompanhamento da família em suas tarefas de casa. as pessoas ficaram na sala porque é nesse lugar que todos ficam juntos (vendo TV). separada dele e do pai. irá organizar seu pensamento no ato de escrever. o qual exige constante movimento do pensar. é preciso que seja ensinado a ela. desenhou a mãe em seu trabalho.. se não está inserido em um contexto que propicie o seu desenvolvimento? PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 133 . Segundo L. demonstrou que os vínculos afetivos estavam preservados. de manhã e de tarde e a noite ainda estuda” e “meu pai fica fazendo a janta ou vendo TV ”. dizendo que “é na sala que eu faço minha tarefa. como L.Família Educativa Título: “A minha família” Fonte: Acervo da autora. F. Essa semelhança pode ser um indicativo de que refletiu na professora (vínculo negativo) a falta que sente da mãe. em cima do braço do sofá e vendo TV. Figura 14. pois disse “minha mãe trabalha muito. colabora para que a criança se organize internamente.

S/SS. Acompanhou a leitura com os olhos. demonstrou que o ato de ler exigiu-lhe um grande esforço. Sua primeira reação foi de recusa e “vergonha”. ~/N e palavras sem acentos como PASSARO e TELEFONICA. cometeu erros em palavras comuns e perdeu-se no texto (pulou linhas ou palavras). Exemplo: “Onde podemos ler uma notícia? Como descobrir onde fica a capital do Paraná?” (avaliação de leitura). durante uma brincadeira de listagem de palavras. Recusou-se. Não respondeu adequadamente às questões relacionadas à compreensão do texto lido (Interpretação textual). a escrever texto. aplicarmos provas e testes sistematizados referentes à escrita porque quando solicitamos para ler um texto lúdico. pedimos que lesse um texto curto sobre a história de dois cavalos. omitiu palavras e inverteu sílabas. ocasionando tensão muscular. Reconheceu várias tipologias textuais associadas ao tema em questão. S/C. emitindo respostas incoerentes ao que foi pedido. 134 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . a escrita delas com erros ortográficos e trocas de letras como S/Z. Aos poucos introduzimos situações de leitura e escrita como ler os enunciados. Posteriormente a essas observações. panfletos e as páginas das revistas que lhe chamavam a atenção (material utilizado em outras provas).Avaliação da Leitura e da Escrita e Análise das Provas Pedagógicas Não foi possível. sendo necessário retomar várias vezes a leitura da mesma palavra ou frase. os rótulos. Apresentou dificuldade com a leitura. em um primeiro momento. mas foi possível verificar. Na primeira sessão entrou na sala e perguntou diretamente: “Você vai pedir pra mim ler e escrever texto?” Foi visível em seu corpo o relaxamento muscular quando ouviu a resposta “Hoje nós faremos outras atividades”. leu palavra por palavra (sílaba por sílaba) sem inflexões e ignorou as pontuações do texto. no primeiro momento.

Stein. a classificação referente à leitura e à escrita foi inferior com previsão de escore bruto abaixo de 7 anos de idade. Na análise dos resultados. F. trocas como L/U e Z/S. Das 34 palavras que escreveu. então apresentou um nível de aprendizagem escolar esperado para uma criança com idade inferior a 7 anos. indicando quais áreas da aprendizagem estão preservadas ou prejudicadas. instrumento psicométrico de avaliação. aritmética e leitura. Na avaliação da leitura leu 10 palavras corretamente de maneira lenta e soletrada. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 135 . L. RR. Na aplicação do teste TDE (Teste de Desempenho Escolar).Figura 16 . desenvolvido por Lilian M. o qual analisa o desempenho escolar da escrita.Listagem de palavras Fonte: Acervo da autora. apresentou 14 acertos e 19 erros. Os erros mais frequentes foram: início de palavras com SS. tem 9 anos.

coesão. Para confirmarmos as hipóteses levantadas sobre a dificuldade com a escrita. foi proposto a L. 136 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . expansão de ideias.TDE: área escrita Fonte: Acervo da autora. além da falta de pontuação.Figura 17 . que produzisse um texto a partir de uma história que ele contou sobre um menino que se perdeu dos pais. F. Na produção textual percebermos dificuldades de escrita voltadas ao domínio da ortografia.

Esse “desleixo” pode ser uma expressão da dificuldade de leitura e escrita. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 137 . “orelhas” e rasgos em todas as páginas e desenhos sem conclusão. uma forma de expressar o distanciamento que apresenta com essa área do conhecimento.Produção textual I Fonte: Acervo da autora. em seguida. As tarefas de casa e atividades foram concluídas. outros itens importantes (já mencionados) a serem avaliados e trabalhados com L. não trabalhando. porém a correção das atividades. o qual apresentou. F. como coesão. Figura 18. a reescrita do texto. por exemplo. produzido na escola. As correções restringiram-se apenas à ortografia e foram feitas acima da palavra “errada”. para a produção de uma escrita contextualizada e provida de sentido. realizada pela professora. No texto abaixo. podemos detectar a falta dos requisitos mencionados acima. Observação e Análise do Material Escolar O material escolar apresentou-se sem zelo: capas coladas com fita adesiva.O menino perdido Era uma vez um menino chamado Romeu a mãe dela falou Romeu vai levar redebou para vóvo ele foi corendo para casa da vóvo ele levou e chogou o lobomal estava mordeno a vovo a vovo ficou quenem o popai em jeu (encheu) o lobo mal de bulacha eles vivero feliz para sempre mas o lobo não. também. expansão de ideias e discurso coerente ao que foi proposto. bordas e cantos corroídos. apareceram somente no caderno de língua portuguesa. FIN Transcrição do texto. Observou-se com isso que não houve mediação sistematizada e organizada da ação pedagógica voltada para o processo de alfabetização.

O conhecimento que levou de casa não foi reconhecido. ou seja. Analisando esse material percebemos um contato ainda rudimentar. como aquele que apontaria os caminhos para o processo da apropriação da escrita e dessa. em suas produções apareceram situações vividas em seu cotidiano que indicaram a falta do conhecimento de outras áreas. que não foram promovidos os motivos que o fizessem sentir necessidade em aprender de forma sistemática.Produção textual II Fonte: Acervo da autora. pois como poderá apropriar-se dos 138 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . também. Ou ainda podemos dizer que.Partindo da iniciação “O gato que mudava de casa”. o conhecimento que trouxe do senso comum não foi trabalhado de forma que promovesse a apropriação do conhecimento científico. escreva um texto para a avaliação de Português. mediação e organização com os estudos realizados em casa e na escola. Tinha um cachorro chamado Ispoti e a gata pulou do sofá efoi para a cozinha. Deu um olé e conseguiu vencer ele e o dono deles dois não brigou mas nesa corrida agata que-brou a pata e ele foi para o veterinario”. Transcrição do texto Figura 19. Indicaram. no espaço escolar. a aquisição de outros conhecimentos. Era uma vez uma gata chamada Mimi ela gostava de dormir na casa.

L. buscamos. percebemos que a escrita ocupou um espaço restrito no caminho percorrido para se alfabetizar. ao ensino escolar e a sociedade como um todo. os vínculos com a aprendizagem sistemática foram prejudicados. a escrita? No capítulo anterior. subsídios para responder a essas questões. demonstrou atitudes de timidez. em seguida. F. Percebemos sua autoestima baixa e desmotivação com o ambiente escolar e aprendizagem sistemática. está prejudicada? Como promover a aprendizagem da linguagem escrita de forma que ele se desenvolva integralmente? A quem essa tarefa é direcionada? Diante dessas inquietações. questionamos: é possível superar as dificuldades de aprendizagem da linguagem escrita? O que significa dominar um conhecimento. sentimentos de rejeição e impotência. tomemos as análises realizadas nas provas e testes aplicados. “MEU FILHO NÃO SABE LER E ESCREVER!” COMO SUPERAR AS DIFICULDADES DA LINGUAGEM ESCRITA? Inicialmente. a escrita. No processo avaliativo. e no percurso que ele fez para aprender. a alfabetização não se consolidou e consequentemente. pois estamos buscando uma escola de qualidade. revelando que seus vínculos com a aprendizagem estavam PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 139 . Então. quando pensamos em L. F. discutindo as contribuições que essa perspectiva pode oferecer ao ensino da linguagem escrita. no caso. enquanto via de acesso aos saberes eruditos. pautados nas contribuições da Teoria Histórico-Cultural. discutir possibilidades de superação dessa problemática. Diante disso. na abordagem Histórico-Cultural. Pensando na apropriação desse conhecimento. nos deparamos com um de tantos outros resultados de um ensino fragmentado e sem sentido do “ler e escrever”.saberes já constituídos pela humanidade se a via de acesso ao mundo letrado. vimos o surgimento da escrita na História enquanto ferramenta e com uma função social explícita. como instrumentos para o levantamento de algumas hipóteses de diagnóstico e. ou seja.

esvaziada de conteúdo. p.. “[. em 2008. se o ensino escolar for desenvolvido e organizado com atividades sistematizadas e de qualidade.afetados em relação aos conteúdos do processo de alfabetização (conceitos – caracterização e generalização. pois apesar de não ser acompanhado de forma sistemática. p.. 2006. 115). para ele o trabalho educativo é o ato de produzir..] a escola. CRUZ. a qual se apresentou “morta”..) e aos específicos da série. mediatiza seu processo de desenvolvimento [. Buscaremos na abordagem histórico-cultural. organização do pensamento.] um espaço organizado de forma sistemática com o objetivo de possibilitar o acesso à 140 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .. internalizando os meios cognitivos de compreender o mundo e poder transformá-lo... mesmo que superficialmente. ficou prejudicada a apropriação da leitura e da escrita. Segundo Vigotsky. o material escolar e a as atividades aplicadas confrontam o diagnóstico de Déficit de Atenção (DA) direcionado à L. E completa dizendo que a escola deve ser “[.]”. Além disso. Desta forma. diminuindo.. “[. o “bom ensino” é aquele que promove o desenvolvimento psíquico.]” (VIGOTSKY.. F. Para compreendermos os motivos que impedem os avanços desse sujeito em se desenvolver. 66).” Também é essa a compreensão de Saviani (2005). bem como. em cada indivíduo singular. direta e intencionalmente. ou seja. tomaremos como base os estudos de Vigotsky que parte do pressuposto de que o indivíduo aprende quando se apropria cientificamente daquilo que é elaborado ao longo da história da humanidade.. a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens. suas atividades são terminadas e os alguns conteúdos absorvidos. histórias de insucesso escolar que têm sido tão frequentes na contemporaneidade. princípios que permitem compreender a relação entre o ensino e a aprendizagem. assim. ou seja. entendemos que.] uma correta organização de aprendizagem da criança conduz ao desenvolvimento mental [. Nesse sentido. de modo que possamos pensar nos elementos fundamentais para que ocorra a apropriação de conhecimentos por parte dos alunos. esse promove o desenvolvimento das capacidades intelectuais da criança. 1997. que se adianta ao desenvolvimento. possibilitando o contato sistemático e intenso dos indivíduos com os sistemas organizados de conhecimento e fornecendo a eles instrumentos para elaborá-los. (FONTANA.

referimo-nos àqueles produzidos pela humanidade ao longo dos anos e adquiridos cientificamente na escola. O desenvolvimento do pensamento lógico é um dos fatores mais importantes do sucesso escolar. ou seja. p. a escola é o espaço que oportuniza a transmissão do conhecimento científico convertido em “saber escolar”. a criança encontra-se em um mundo criado e transformado pela atividade humana “das gerações precedentes”. Todavia. isto não significa que qualquer ensino contribua para garantir esse desenvolvimento [.] (KOSTIUK.]” e a formação dessas aptidões acontece de acordo com o PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 141 . a criança não possui ‘aptidões preparadas de antemão’ para realizar essas tarefas [. 27-28).. p. 50). Para Eidt (2009. mas vive e atua sobre ele.. a transmissão do conhecimento erudito é o ponto primordial do ensino escolar. 48). 1995.]” (SAVIANI. ou seja. Para Saviani. Para Leontiev (1967. idioma e lógica já elaborados pela sociedade.. p..cultura erudita [. O acesso a esse saber ocorre na medida em que dominamos a linguagem na qual grande parte dele está sistematizada: a escrita. p. Partindo dessa premissa. depende do conteúdo adquirido e como ele é adquirido. da capacidade de ela “analisar e generalizar os fenômenos da realidade. Quando falamos em apropriação do conhecimento... ou seja. utilizando “[.. É pelo desenvolvimento do pensamento da criança que isso ocorre. Segundo o autor. 266). em processo de transmissão-assimilação. Se se pretende alcançar esta meta. Resumindo. é necessário: [. entendemos que a promoção do desenvolvimento depende “do que se adquire e de como se adquire” (KOSTIUK.. mas organizar-se de forma a favorecer o desenvolvimento de todas as características psíquicas. porém os resultados do ensino escolar ainda são insatisfatórios como demonstramos em discussão no início da pesquisa. 2). o ensino não pode restringir-se apenas à transmissão dos conhecimentos. o domínio de um objeto de estudo “perfeitamente determinado” não garante a promoção do desenvolvimento real. pp. Ou seja. 2005. tem de se encontrar uma solução satisfatória para os problemas do ensino. de raciocinar corretamente”..] instrumentos. De acordo com essa perspectiva. 2005.] desenvolver “no todo” as faculdades mentais.. ela não “está” apenas neste mundo.

acumulada no processo da história social e transmissível no processo de aprendizagem.] a grande maioria dos conhecimentos e habilidades do homem se forma por meio da assimilação da experiência de toda a humanidade. desenvolvidas pela sociedade nas crianças e adquiridas a partir das condições de vida e educação. e sim aquele produzido pela humanidade através dos tempos e em suas formas mais elevadas. “[. É o que afirma Luria (1979. 1996. 93). 73): [. pelo indivíduo. mas não qualquer conhecimento... 1996. O indivíduo se humaniza reproduzindo as características historicamente produzidas do gênero humano. [.. habilidades e procedimentos do comportamento de que dispõe o homem não são o resultado de sua experiência própria.. p... p. reconhecer a historicidade do ser humano significa. Nesse sentido. no qual o papel da apropriação de experiências historicamente constituídas está presente. Nesse sentido “[. produzindo novas necessidades.processo de domínio.] O indivíduo humano se faz humano apropriando-se da humanidade produzida historicamente. 91)... Então. mediante a apropriação dos conhecimentos científicos.] a Psicologia Histórico-Cultural considera os processos de aprendizagem conscientemente dirigidos pelo educador como qualitativamente superiores aos processos espontâneos de aprendizagem [. Para o autor. a função da escola é transmitir o conhecimento científico. novos saberes e tendo como meta o desenvolvimento da sua individualidade como um todo. valorizando a transmissão da experiência histórico-social. mas adquiridos pela assimilação da experiência histórico-social de gerações.. é preciso que realizem atividades que reproduzam a realidade reproduzida historicamente pelos homens [..] (DUARTE. em se tratando do trabalho educativo. o papel da educação é o de ampliar as aquisições culturais do indivíduo.] não basta que os indivíduos sobrevivam. p. Evidencia-se que as necessidades humanas não são dadas a priori. A atividade da consciência humana terá significado quando os conhecimentos forem 142 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .. mas são histórico-sociais.]” (DUARTE. 32) ou. O mesmo processo ocorre no desenvolvimento do psiquismo no indivíduo. valorizar a transmissão do conhecimento socialmente existente [.. do patrimônio cultural produzido pela humanidade ao longo do processo histórico. De acordo com o pensamento de Duarte (1996). de acordo com Duarte (1996. ainda..] A grande maioria de conhecimentos.]”.. p.. que: [..

“a criança não pode imitar qualquer coisa” (DUARTE. também. 92). pois ela não conseguirá PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 143 . passando do que sabe para o que não sabe. p.. A imitação é considerada o centro do conceito de “zona de desenvolvimento próximo e zona de desenvolvimento atual”. pois é nessa área que o educador irá atuar como transmissor do conhecimento.. Analisando o conceito elaborado por Vigotsky (1993). 1993. 1996. 238). também. podemos observar que o nível de desenvolvimento de uma criança é definido por aquilo que ela sabe fazer com autonomia e por aquilo que ela faz com ajuda de outras pessoas. ou seja. 96). autônoma. Essa questão pode tomar como base as pesquisas de Vigotsky (1993). considerando que o indivíduo. as quais discutem os conceitos de “zona de desenvolvimento próximo” e “nível de desenvolvimento atual”.. 1996.] (VIGOTSKY. mas consegue fazer imitando o adulto [.. “[. Já a zona de desenvolvimento próximo abarca tudo aquilo que a criança não faz sozinha. O referido autor inicia suas pesquisas mostrando que. Desta forma. 246). devemos abordar. é a forma principal da instrução sobre o desenvolvimento [. porém.] o indivíduo não pode elaborar seu conhecimento individual a não ser apropriando-se do conhecimento historicamente produzido e socialmente existente [. para se analisar o desenvolvimento de uma criança. assim como o conhecimento. p.] se a interpretarmos no sentido amplo.adquiridos pela transmissão de outras pessoas. “[. ou seja.] o desenvolvimento atual de uma criança é aquele que pode ser verificado através de testes nos quais a criança resolve problemas de forma independente. são produtos sociais... devemos discutir. aquilo que é imitação precisa possibilitar ao indivíduo a reprodução daquilo que é essencial ao conhecimento. evadir aos limites do desenvolvimento da criança. Para melhor compreendermos essa questão relevante ao processo do desenvolvimento. p.. compreendemos que não podemos ultrapassar a zona de desenvolvimento próximo. o desenvolvimento intelectual da criança em idade escolar.. segundo Vigotsky (1993.. a criança só poderá imitar aquilo que está presente na zona de desenvolvimento próximo... é preciso deter-se naquilo que ainda está em processo de formação e não naquilo que já está maduro. [.]”.]” (DUARTE. o processo de imitação que. ou seja. p.. Ao discutirmos a transmissão do conhecimento científico e a forma de como se dá a apropriação desse.

]”. somente é boa a instrução que vá avante do desenvolvimento e arrasta a este último. a educação escolar assume o importante papel de transmitir os conteúdos que foram elaborados historicamente pela humanidade e necessários socialmente.. Porém. Essa fala de Vigotsky (1993. Esse ensino é o mediador entre o sujeito e os conhecimentos elaborados historicamente pela humanidade. 244-245). Começa-se a ensinar a criança a escrever quando. vemos que na realidade qualquer matéria exige da criança mais do que esta pode dar nesse momento. O que podemos observar nessa afirmação é que o ensino escolar sistematizado. mas estimula 144 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .] quando observamos o curso de desenvolvimento da criança durante a idade escolar e no curso de sua instrução. [. pp.. fazendo-nos refletir sobre os conteúdos escolares e a forma como estão sendo ensinados. “[.] o que a criança é capaz de fazer hoje em colaboração será capaz de fazê-lo por si mesma amanhã. que esta realiza na escola uma atividade que lhe obriga a superar-se.. todavia não possui todas as funções que asseguram a linguagem escrita..] ensinar a uma criança aquilo que é incapaz de aprender é tão inútil como ensinar-lhe a fazer o que é capaz de realizar por si mesma [.. segundo Vigotsky (1993. necessárias para apreender um conteúdo. Na idade infantil. à criança unicamente se pode ensinar o que é capaz de aprender.. Nesse sentido..].. pp. Isto se refere sempre à instrução escolar sadia. sejam amadurecidas para lhe transmitir o novo conhecimento. planejado e organizado desempenha papel fundamental na aquisição dos conhecimentos e desenvolvimento da criança. A instrução é possível onde cabe a imitação [. não avançando em seu nível de desenvolvimento que. 241-242) chama a atenção para um fato importante e relevante à prática pedagógica. o ensino da linguagem escrita provoca e implica o desenvolvimento dessas funções [.resolver a situação proposta. Vigotsky (1993. isto é..]. parece verossímil que a instrução e o desenvolvimento na escola guardem a mesma relação que a zona de desenvolvimento próximo e o nível de desenvolvimento atual. [.. a educação não “espera” pelo amadurecimento das funções psíquicas do sujeito. Por isso.244-245) nos remete ao ensino escolar e suas implicações. Precisamente por isso. o de não esperar que as capacidades da criança. mesmo com a ajuda do outro.. Portanto.. Dessa forma. pp. ou seja.

]” (SAVIANI. Em se tratando disso. como afirma Leontiev (1978).p.. transformando a “[.] é mediadora entre o cotidiano e o não-cotidiano na formação do indivíduo [... a atividade do professor é um conjunto de ações intencionais.. por meio da educação. Pelo contrário. p.. com a educação [. 39) afirma que: [.] o movimento da história só é possível com a transmissão.]. a educação formal é qualitativamente diferente por ter como finalidade específica propiciar a apropriação de instrumentos culturais básicos que permitam elaboração de entendimento da realidade social e promoção do desenvolvimento individual. Ao tratarmos da natureza da apropriação do conhecimento escolar. mas sim pela mediação da transformação dos sujeitos da prática social [. a forma de pensamento também é construída na atividade mediada [. estamos discutindo que o conhecimento científico não equivale a apenas classificar e conceituar as várias ciências. dando continuidade ao processo histórico. ou seja.. dando continuidade ao processo histórico de produção e transmissão cultural.3).e condiciona seu desenvolvimento. às novas gerações.]”.] a mediação realizada pelo professor entre o aluno e a cultura apresenta especificidades. “[....]” (LEONTIEV. 1998. Para efetivação dessa prática..1978. das aquisições da cultura humana.] na interação social não são transmitidos apenas conteúdos. ou seja. equivale a produzir uma síntese da atividade material e intelectual produzida pelas PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 145 . da cultura produzida socialmente. atenção. 3). 1989.. p. “[. isto é. conscientes.. o qual deve estar enraizado na ciência. Ou.] (BASSO. 82). generalização.] prática social global não de forma imediata. dentre outras. abstração. que ele domine seu objeto de estudo. ou seja. Com essa discussão entendemos que o professor tem a tarefa de ensinar à criança aquilo que ela ainda não é capaz de aprender sozinha porque: [. p. promovendo o desenvolvimento das capacidades que se encontram nesse nível e a apropriação dos bens produzidos historicamente pela humanidade. apropriar-se. necessita apropriar-se dos resultados que foram produzidos e elaborados pela humanidade. ainda.. faz-se necessário que o professor seja um profissional também cientificamente instruído.. 273).. O professor mediador atua na zona de desenvolvimento próximo. Somente nessa perspectiva é que ocorrerá a apropriação do conhecimento científico por parte do aluno de maneira sistemática. isto é. Sforni (2004. dirigidas para um fim específico [. mas também elementos que propiciam o desenvolvimento das capacidades de memória.. conforme assevera Duarte (1996... Para esse autor... p. para a criança se humanizar. Assim.

]” (VIGOTSKY. 1987. É possível. ao mesmo tempo. assim. por meio deles... porque o ensino escolar promove a apropriação dos conceitos científicos e.. e impõe como condição para sua apropriação a atividade psíquica que internaliza a atividade material e externa determinantes do conceito [. 84).] (SFORNI. podemos considerar que o ensino formal e sistematizado desempenha um papel importante na conscientização da criança a respeito de seus próprios processos mentais.] Pensar o conteúdo escolar e os próprios conceitos científicos na condição de produtos e instrumentos da atividade humana redimensiona o nosso olhar sobre os meios e prioridades de ensino.. p. Em outras palavras. Diante dessa discussão. causando. como ensinar de maneira que o aluno não perca de vista a função social do objeto de estudo e. já que este dirige o pensamento para a própria atividade mental [. organizar.. ampliação de generalizações conceituais que a aprendizagem reporta ao pensamento. [.] (SFORNI.. a escrita? Diante dessas questões podemos entender que. Com base nessa compreensão. nesse caso.. pois: [. desta forma. adquire-se também metodologia para apreender conteúdos.. mas tomar posse do nível de consciência neles potencializados ao longo de sua formação. A generalização conceitual é. conteúdo e instrumento de conhecimento [. essa sistematização consciente.. mas a possibilidade de produção de um sistema de pensamento organizado. o ensino 146 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . segundo Sforni (2004. o domínio conceitual vai além da compreensão do significado presente na palavra.] a aquisição de conceitos científicos não significa apenas a assimilação de novas informações. construir modelos e mobilizá-los para compreender.. além de transferir a outros conceitos e a outros níveis de pensamento.gerações anteriores. se desenvolve o domínio e a consciência.. mas a qualidade que se destina à aprendizagem de generalizações desses conceitos.. 2004. 2004. 43)..] permite ao sujeito estar sob um processo de formação permanente. p. e produzir novos conhecimentos. 79).] a consciência reflexiva chega à criança através dos portais científicos [. “[. Em outras palavras. Portanto. Mas. a qual. Sforni chama de movimento. que o capacita a combinar diferentes conceitos. [.. p. não é a quantidade de conceitos que determina a maior possibilidade de influenciar no desenvolvimento dos alunos. ou seja... entender por que aprender conceitos não é acumular conhecimentos. 85).]. p. Nesse sentido.

.. Um dos possíveis caminhos para a realização do trabalho interventivo é resgatar os conceitos que se perderam no percurso de sua escolarização. F. planejada e direcionada à aquisição dos conceitos científicos.] não se atenha ao imediatismo das exigências cotidianas e tenha como objetivo o desenvolvimento dos alunos através da formação do pensamento teórico [.]” (SFORNI. representado nos signos disponíveis na cultura [.. 76-77).]” (SFORNI. Portanto.. pp. podemos dizer que se ele tivesse se apropriado da linguagem escrita de forma organizada. porém. 46). Essa postura propõe um ensino que “[. promovendo “[. 2004.. pensar em uma alfabetização que permita “ao homem colocar-se como interlocutor consciente no âmbito social” significa trazer para o contexto da alfabetização os textos que circulam no âmbito social. é necessário que elas estejam inseridas em situações de letramento. 2004).. Podemos considerar que tão importante quanto o domínio da escrita é a compreensão da finalidade social desse código numa sociedade letrada...] de determinadas capacidades necessárias à realização de ações e operações já possibilitadas pelo nível de desenvolvimento científico alcançado. Não podemos olhar para essas questões apenas por um viés.. Quando nos reportamos ao caso de L.]” (SFORNI. 77). p. 2004. Nesse sentido. mas por uma “encruzilhada de culturas” (SFORNI. mesmo sendo escolarizados.] as capacidades psíquicas que permitam ao homem colocar-se como interlocutor consciente no âmbito social [. é primordial selecionar os conteúdos curriculares de maneira que seja abordado aquilo que é socialmente considerado relevante ao conhecimento. nessa perspectiva. p.. 2004.sistematizado desenvolve as capacidades intelectuais das crianças.. apresentam dificuldades com a língua materna. ou PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 147 . pois sabemos que a organização do ensino não é determinada por um único aspecto. o qual deve assegurar a apropriação pelas crianças “[. a busca do bom ensino deve pautar-se em seu sistema. para isso. Ou seja.. não faria parte do grupo de alunos que. é fundamental que as atividades de codificação e decodificação façam sentido para o aluno e..

que não foram adquiridos nas séries anteriores. CONSIDERAÇÕES FINAIS As discussões levantadas nesta unidade estão voltadas para uma educação escolar que forme homens que consigam interagir de forma consciente com o mundo.]” (SAVIANI. Para que isso seja efetivado. A esse. muitas as respostas em cada período vivido pela sociedade. fonte de outros conhecimentos. o processo de apropriação do código linguístico e qual sua função na sociedade em que estamos inseridos. na busca por uma educação de qualidade. a fim de realizar uma avaliação pautada no contexto histórico. cabe a tarefa de compreender como ocorre. nesse ponto da discussão. percebemos que há vários espaços de formação humana. e direcionar a intervenção para a formação dos processos psicológicos superiores. 27-28). Se compreendermos a educação como prática social e como promotora do desenvolvimento dos sujeitos. para isso ele deve apropriar-se dos conhecimentos sistematizados “[. como o psicopedagogo? Como esse profissional pode colaborar na superação desses desafios? O psicopedagogo está diretamente ligado a esses fatores quando os casos lhe chegam à clínica. F. é preciso que a escola ensine a L. Assim. terá subsídios para compreender o indivíduo enquanto ser social e cultural. dirigindo o desenvolvimento psíquico do indivíduo.seja. vimos que ainda são muitas as perguntas. os conteúdos escolares mais elementares. A busca pela superação de uma educação fragmentada e que tem pouco impacto sobre o desenvolvimento dos sujeitos é ainda um desafio. E qual o papel dos profissionais envolvidos na educação e no processo de superação das dificuldades de aprendizagem. é preciso 148 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .] incorporando-os como instrumento irreversível. Porém. esse trajeto precisa ser percorrido em curto espaço de tempo. cabe ressaltar a importância do trabalho psicopedagógico atuando na recuperação dos mecanismos da aprendizagem a fim de promover a apropriação da linguagem escrita. Dessa forma. porém somente o espaço escolar é o local de acesso ao saber erudito porque.. Ao refletirmos sobre os caminhos percorridos pela educação até aqui. pp. a partir do qual será possível conferir uma nova qualidade às lutas no seio da sociedade [.. em especial a escrita.. na escola. na escola. será possível pensar em um trabalho coletivo e consubstanciado de sentidos.. o conhecimento produzido pelos homens está consolidado nas ciências e nas artes. 1995. tendo em vista que está cursando a 3ª série e. que se constituem em conteúdos escolares e é transmitido aos estudantes.

por meio de avaliação psicopedagógica. [. p. orientando e sugerindo alguns caminhos interventivos. a criança torna-se consciente do que está fazendo e aprende a usar suas habilidades conscientemente (VIGOTSKY. 32). produzindo formadores de um país não-leitor e não-escritor” (SÉRKEZ. 2003.] é necessário.. p. Concluímos esse trabalho.] (SÉRKEZ. conscientes. inserir o aluno no seu universo. entendemos que ele é o profissional que pode apontar. nos processos de crescimento natural do organismo. 82). as possíveis causas da dificuldade do sujeito. 1993).] a influência e a intervenção planejadas. mas PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 149 . premeditadas. podemos afirmar que esse profissional tem muito a contribuir ao ensino escolar e na superação das dificuldades de aprendizagem. Logo. só terá caráter educativo o estabelecimento de novas reações que. reforçando a necessidade de pensarmos em caminhos que promovam a aprendizagem da linguagem escrita. É necessário ensinar a escrita como forma de se comunicar com o mundo exterior. pode colaborar com a escola. Além disso. para então. bem como intervir nos processos de aprendizagem. o papel do professor é imprescindível. Estendendo esse compromisso do “ensinar e do aprender” ao papel do psicopedagogo. intervenham nos processos de crescimento e os oriente [. 1996. pois essa abre as portas para os conhecimentos das demais disciplinas escolares. 1996. através das práticas da leitura e produção. desenvolvendo condições de transmiti-lo ao aluno de forma planejada e sistematizada. pois ele é aquele que se apropriou do saber erudito. Por ser especialista nessa área.. Nessa perspectiva.compreender que a educação é: [. MARTINS.. ficando essa relegada à vida prática. adequadas ao objetivo.. é preciso explorar as paredes das salas de aula e os muros da escola para mostrar o importante papel da escrita num mundo cada vez mais complexo. trabalhando a escrita em suas diferentes funções [. Nesse sentido. e com a família para que compreendam esse processo e atuem. e o motivo de aprender lhe seja despertado e isso se faz quando os conteúdos são relevantes a sua vida. p. num primeiro momento. MARTINS. p.. é no âmbito escolar que esse quadro deve ser revertido e. em alguma medida.. Por isso. 33). porém. Percebemos que o ensino deve ser organizado de maneira que torne o objeto de estudo uma necessidade ao aluno.. Desta forma. como mediadores e não apenas como espectadores. que o professor chame a atenção do aluno para a importância da escrita e onde ela é utilizada na sociedade.] (VIGOTSKY. 33). de acordo com Sérkez e Martins (1996. na escola “pouca importância se dá à escrita.. trabalhar o processo de ensino da escrita é uma necessidade e um desafio que devem ser enfrentados para que possamos formar sujeitos não apenas escolarizados.

apontando os caminhos para a superação do mesmo. que apresente a difi culdade de aprendizagem nessa área. e faça uma síntese de aproximadamente 20 linhas. ampliando a sua capacidade de interação com o mundo.leitores e escritores que dominam os instrumentos simbólicos. Jesus Nicasio. Manual de dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas. 3. de acordo com as postulações apresentadas pela autora da nossa unidade. ESCRITA E MATEMÁTICA Autor: Jesus Nicasio Garcia Editora: Artmed Número de Páginas: 274 150 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . 1998. Faça uma síntese sobre a importância da escrita para a humanidade. GARCÍA. ATIVIDADE DE AUTOESTUDO 1. 2. Livro: Manual de Difi culdades de Aprendizagem: LINGUAGEM. discuta com o seu grupo de estudos o caso de um aluno. Explicite a postura de Vigotsky acerca da difi culdade de aprendizagem quanto à leitura e à escrita. LEITURA. ou um caso da própria literatura. Agora que você compreende a importância da leitura e da escrita para o nosso processo de humanização. dentro de um contexto histórico e cultural.

brasilescola. fi que por dentro das discussões sobre difi culdades.Acesse o site <www. ela está com o a difi culdade ou o problema de aprendizagem”.com>. “A criança não é a difi culdade ou o problema de aprendizagem. problemas e transtornos de aprendizagem. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 151 .

.

• Compreender o foco social. • Observar as dificuldades quanto à linguagem/ leitura/ escrita/ matemática/ relações e movimentos. Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me. Plano de Estudo A seguir. apresentam-se os tópicos que você estudará nesta unidade: • Dificuldade e Transtorno de Aprendizagem • Nomenclaturas quanto às dificuldades e transtornos de aprendizagem • Intervenção docente . Márcia Regina de Sousa Storer Objetivos de Aprendizagem • Entender a diferença entre distúrbio e transtorno de aprendizagem. • Verificar a atuação docente junto à criança com dificuldade em sala de aula. histórico e cultural ao lidarmos com a criança com dificuldade ou transtorno.UNIDADE IV DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM – ENTENDENDO TERMINOLOGIAS E CONCEITUAÇÕES Professora Me.

.

Quantos às especificidades das dificuldades e distúrbios trabalharemos as dificuldades quanto à linguagem. Transtorno de Atenção . matemática. afinal. escrita. e sair do “eu acho” para o “eu penso que”.TDA. em primeiro lugar. Iniciar o trabalho com a criança partindo do pressuposto de que ela consegue. hiperatividade. é necessário entender sobre o que estou trabalhando. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 155 . Além disso. fundamentação teórica. Para exemplificação acerca da postura profissional a ser desempenhada ao acompanharmos uma criança com dificuldade de aprendizagem. a diferenciação entre dificuldade e distúrbio será contemplada. que para levantarmos os aspectos pertinentes ao quadro de dificuldade de aprendizagem de uma criança. sem pré-julgamentos e nem colocações sobre possíveis incapacidades. realizar uma boa anamnese com os pais. será abordado uma possibilidade de intervenção com crianças com dificuldade de aprendizagem pelo professor em sala de aula. precisamos ter. na Unidade III. preciso conhecer bem a minha criança. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Observamos.INTRODUÇÃO Será nosso intuito estudar na presente unidade os problemas e dificuldades de aprendizagem. traremos o caso fictício de uma criança chamada Sara. relações e movimentos. Para tanto. Em segundo lugar. Nossa crença no processo de crescimento do indivíduo é de extrema importância para o crescimento dele. Não julgar e não “enquadrar os sintomas da criança é uma atitude fundamental”. Transtorno de Atenção e Hiperatividade TDAH.

para isso. segundo a neuropsicologia. DIFERENCIANDO AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM – O CUIDADO AO LIDAR COM O SER HUMANO Dificuldade significa qualquer tipo de alteração no processo de aprendizagem da criança. emocionais. a aprendizagem formal dentre outros. Podemos considerar inúmeros fatores (socioculturais. o ensino escolar como um todo. motoras. perceptuais) que articulam este indivíduo e no resultante de todas essas dimensões encontramos o sintoma. observamos que é necessária a proposta de atividades que beneficiarão e estimularão a área em necessidade de crescimento. Com esses passos podemos afirmar que realmente o respeito para com o processo de desenvolvimento da criança estará em pleno progresso. o aspecto relacional. é importante voltar-se ao estudo sistêmico (sistema organizado por meio de métodos pré-definidos) da condição humana por intermédio de três dimensões: a causa. o estudo do processo ocorre por meio da investigação das funções mentais superiores (as estruturas sensoriais. cognitivas. por vezes. ENTENDENDO UM POUCO MAIS SOBRE AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Para compreender os fatores que ocasionam problemas na aprendizagem. 156 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .Durante o trabalho. As dificuldades são consequências de causas extrínsecas ao indivíduo. a qual é manifesta dentro do ambiente escolar. efeito da problemática do sujeito. ou seja. os fatores geradores do possível “problema”. No estudo da causa. físicos e metodológicos). transitórias e com a devida intervenção são extintas. considerando. o processo e o sintoma.

sensorial e transtornos emocionais. essa é uma maneira de externalizar o que incomoda. Crianças que não permanecem sentadas nas carteiras são irrequietas. batem nos colegas ou em si próprias. fazem birra. mas também por meio da observação e da escuta. psicopedagogo. grifos nossos). conflitos familiares e faltas freqüentes na escola. uma criança que. neuropediatra). É na escola que encontramos o ambiente propício para a manifestação de algumas questões relativas ao comportamento. não gostam de perder ou receber um “não” como resposta. em geral a primeira pessoa a identificar dificuldades na aprendizagem é o professor. familiares. Alterações bruscas de comportamento como. irresponsabilidade para com o cuidado da criança. Pais. haja vista que é um ambiente no qual convivem seres humanos PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 157 . comumente. por exemplo. ao entrarem na escola evidenciam dificuldades para acompanhar os colegas ou entender as propostas pedagógicas.Para Moojen (2009. familiares e sociais. merece a nossa atenção enquanto educadores. p. Dificuldades secundárias: corresponde a dificuldades dentro de um quadro diagnóstico na área neurológica ou psicológica. também. revoltado ou indisciplinado. falantes ou quietas demais. resultam em problemas emocionais que futuramente podem evoluir para um quadro de instabilidade emocional. que não estão bem. 1. choram. Incluindo casos de portadores de deficiência mental. É importante destacar uma classificação: Dificuldades naturais: corresponde às dificuldades que todos os indivíduos possuem em alguma disciplina e em algum momento acadêmico. Desajustes familiares. comporta-se de maneira tranquila. As causas das dificuldades de aprendizagem são reveladas a partir de um levantamento de hipóteses realizado por um especialista da área (psicólogo escolar/educacional. desafeto entre o casal dentre outros agravantes. emocionais. Muitas crianças não apresentam maiores dificuldades em casa. amorosa e de maneira “repentina” passa a manifestar um tom mais agressivo. no qual estão relacionados fatores biológicos. As causas podem estar relacionadas a aspectos evolutivos decorrentes de metodologia inadequada. expressam. amigos e professores precisam estar atentos para não agirem somente por meio da punição.

não conseguiu apreender o processo de leitura e de escrita e que ainda tenta compreender os processos matemáticos. e onde há relação há a eclosão de conflitos. a Psicologia atuou como uma espécie de “oráculo” destinando e selecionando os mais “aptos” na educação ou em atividades profissionais. a “culpada” pela dificuldade de aprendizagem não é a criança. familiares que podem acentuar alguns tipos de problemas de aprendizagem. isso ocorre devido ao fato de a Psicologia ter surgido no Brasil no Período da Primeira República desenvolvendo-se em laboratórios anexos às escolas ou instituições paraescolares voltada à experimentação. utilizando-se basicamente de testes psicológicos. Suponha que quem lhe passou o caso foi a supervisora educacional e que esta pediu o acompanhamento da psicóloga da escola. que é uma ação dificultosa. de manifestações comportamentais e de dificuldades. A dificuldade de aprendizagem nos remete ao ato de aprender. ainda na época atual. de o psicólogo atender ao aluno de forma individual. Segundo Patto (1987). ou seja.em relação. A queixa é a de que Sara é uma menina com dificuldades de aprendizagem. 158 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . histórico e cultural. não podemos tratar da questão da dificuldade se não observarmos as questões referentes ao contexto social. há a reprodução de problemas sociais. buscamos significado para aquilo que não sabemos que nos é difícil de compreender. Quando nos pomos a aprender. mas que ainda frequenta o segundo ano do ensino fundamental I. Afinal. sem observarmos o processo de ensino. Chamamos a sua atenção para a seguinte colocação. chamando-o reservadamente à sala do colégio e aplicando alguns testes psicológicos que avaliam e classificam o aluno de acordo com o seu desempenho. imaginem que chegue até você o caso de uma aluna chamada Sara de 11 anos de idade. O primeiro ponto a destacarmos é a tendência. Sendo assim. Anos mais tarde. Fazer uma redução a culpado e inocente não favorece o encaminhamento de todo o processo de superação da referida questão.

essa é justamente a visão liberal acerca do homem. Bem. e que a criança sofreu um acidente aos cinco anos e que bateu a cabeça.cit. e perguntou à mesma sobre a aluna Sara. É a ideia de natureza humana. tem vários irmãos. onde segundo Bock (op. Ao recorrermos a Bock (2000) encontramos que a tarefa da escola é pautada na transmissão do conhecimento adquirido historicamente. parece que a escola não está tão confiante assim no diagnóstico. economizaria tempo e a professora teria um “resultado” comprovado cientificamente em suas mãos. Nesse sentido. partindo de uma visão clínica no sentido de diagnóstico e de tratamento dos problemas de aprendizagem e de uma visão psicomotricista. visto que especulações quanto à família de Sara e seu acidente sofrido há muito tempo ocupam o primeiro plano da discussão. pode-se cogitar que a psicóloga pode ter se sentido tentada a chamar a criança em sua sala e fazer uma análise do caso. se Sara não aprende é PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 159 . a preocupação não está pautada no conteúdo escolar. especula-se que essa não tem sido a fundamental preocupação no caso da aluna Sara. o neuropediatra diga que está tudo bem com Sara. A supervisora pôs-se então a comentar que o caso remete-se a uma desestrutura familiar. atualmente esse tipo de postura ainda é utilizado.. Veja. da semente de homem que desabrocha conforme é estimulada e adequada ao meio social.Facci (2004) compartilha dessa opinião ao afirmar que a Psicologia enquanto ciência surgiu a partir de condições históricas determinadas. Luiza dirigiu-se até a sala da supervisora da escola. Entretanto. Depois de ouvir a queixa da professora. a qual traz a questão da essência.). e que atendia a demanda cogitada na época. a família é carente. afinal. Analisando esse contexto. esse é visto como um ser cheio de capacidades e potencialidades que podem ser manifestadas no decorrer da vida. Embora. Parece que há a necessidade de que Luiza comprove que Sara não é capaz de aprender em uma sala de crianças ditas “normais”. Nessa perspectiva.. seria mais rápido. Sara não tem mãe. Cogita-se uma culpabilização da criança e da família sobre a suposta incapacidade da criança. percebe-se que a Psicologia desenvolvia seu trabalho dentro de um contexto histórico.

afinal a menina está comprometendo o bom andamento da turma! A psicóloga para e se põe a pensar no que poderia fazer enquanto psicóloga. a psicóloga viu que a menina participava de um grupo de apoio psicopedagógico em uma clínica escola de Psicopedagogia. Esta lhe disse que a menina realmente tinha muita dificuldade. visto que a demanda cobrava de forma encoberta o alvará quanto a um possível “problema” que impedia o aprendizado de Sara. pela força de seu próprio braço. Ao ler a ficha escolar da criança. Decidiu então. Será que estava ocultado aí o desejo de que a aluna repetisse a incrível façanha do Barão de MÜNCHHAUSEN?1 Nesse momento a psicóloga percebeu a onipotência com que sua profissão estava sendo encarada. Mais um dado a somar no levantamento realizado. mas que no final do ano ela já havia progredido muito e que acompanhava a turma..porque alguma coisa está errada. colaborar para o possível trajeto a ser traçado na vida escolar de Sara. mas que desde que começou a frequentar o grupo de apoio psicopedagógico ela havia progredido muito. e cabe à psicóloga desvendar esse mistério. procurar a psicopedagoga responsável por Sara. seu raciocínio matemático melhorou muito.. Esta colocou que a menina realmente não estava alfabetizada. 1 160 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . puxar-se pelos cabelos não somente a si. O que estava acontecendo então? Nesse grupo de apoio psicopedagógico Sara estava mostrando um bom desempenho. o qual segurava fortemente entre os joelhos. será que na sala de aula ela não estava conseguindo expressar o que estava aprendendo? A psicóloga decidiu procurar a professora do primeiro ano do ensino fundamental para obter mais informações. mas. e atualmente quando comete algum erro já consegue corrigi-lo”. por que esse progresso não estava sendo percebido? História do Barão que ao cair em um brejo e afundar até o pescoço consegue. Sara está acompanhando o conteúdo da segunda série escolar. De modo geral. “Agora Sara constrói frases inteiras. mas também a seu cavalo. ela podia “decidir”. embora haja uma defasagem quanto a sua idade para com a mesma. a menina apresentou progressos sim.

A fim de conseguir mais informações a respeito do caso, a psicóloga resolveu observar algumas aulas da professora de Sara, ao total foram 4 observações. Resolveu fazê-las com um intervalo de 2 dias para que a professora e também os alunos se acostumassem com a sua presença. Percebeu que Sara se comportava de acordo com o contexto da sala de aula que era composta por crianças com idade entre 7 e 8 anos. A menina conversava com os colegas, no entanto era nítido perceber que algumas crianças a deixavam isolada, principalmente aquelas popularmente nomeadas de “preferidas da professora”. Sara demonstrava a necessidade de que a professora lhe escolhesse ou elogiasse sua atuação em algo que havia feito. A psicóloga não percebeu desatenção, a aluna acompanhava o ritmo da sala de aula e tinha a matéria em dia. Cometia erros tal qual os demais alunos. O que estava acontecendo então? Será que era a personificação da personagem JACK?2 A psicóloga percebeu que tinha um extenso material em mãos. Profissionais apontavam para a melhora da aluna: a professora do primeiro ano, a psicopedagoga do grupo de apoio psicopedagógico, e agora havia sua própria opinião, pois havia constatado que a menina estava aprendendo e progredindo, então, decidiu ter uma conversa com a professora, no entanto, não queria que essa conversa acontecesse na hora do intervalo, então pediu para que a professora fosse até a sua sala no horário de sua “hora atividade”. Antes, porém do encontro com a professora, a psicóloga decidiu conversar com Sara e também aplicar um teste (TDE) na criança. Mas decidiu fazer isso apenas para que seus dados tivessem crédito perante a docente. Assim o fez. Na conversa com Sara, ficou explícita a importância da figura da professora na vida da menina e a necessidade dessa em agradar a professora. Mencionou informações como: “[...] de vez em quando ela implica com as minhas pulseiras, aí
2 História de um menino que tem uma rara doença que o faz crescer e envelhecer em uma velocidade acima do normal. Os pais têm dificuldades em lidar com o problema, Jack aos 10 anos tem vontade de ir para a escola, mas ao adentrar esse ambiente começa ser alvo de piadas e chacotas dos colegas que o consideram diferente e muito mais velho que eles. É um filme que mostra a ansiedade frente ao novo e o conflito entre a exigência pela postura adulta de uma criança de 10 anos que possui comportamento infantil. Autor: Robin Williams, ano: 1996.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

161

eu tiro, mas quando eu quero usar eu coloco na hora do recreio [...]” “[...] não sei por que ela não deixa eu sentar na primeira carteira, todo mundo senta só eu não”. Sara mostrou-se uma menina desinibida e aceitou fazer o teste. O resultado desse teste apenas confirmou aquilo que já era conhecido, Sara está na faixa exigida para a segunda série primária e comete erros assim como todos os alunos. Com esses dados “comprovados” a conversa com a professora poderia partir de um nível mais concreto. No dia da reunião, a professora chegou com um atraso de 10 minutos, a psicóloga percebeu que esta estava um pouco mais agitada que o normal, e que havia trazido uma atividade realizada meses antes pela aluna. Antes que a psicóloga começasse a falar, a professora disse que considera Sara uma menina normal, um pouco dispersa, mas normal. Durante a conversa, a psicóloga foi apontando os resultados do teste, e suavemente foi colocando a opinião dos demais profissionais a respeito da aluna, e comentou que se está havendo mesmo esse progresso, é porque a professora está sendo um fator fundamental nesse processo. A professora corou suas bochechas, mas logo em seguida mostrou a atividade da menina e apontou frases onde essa havia escrito “nóis montemo as barraca”. A psicóloga pontuou que esse tipo de frase estava indicando o meio social vivenciado pela criança, mas que era possível mostrar para a menina que há outra forma de se escrever a língua portuguesa, forma essa diferente daquela falada. Ao final da conversa a professora comentou que ainda havia muita coisa em que Sara poderia melhorar, principalmente nesses detalhes. Colocou ainda que sofre com uma menina grande demais em sua sala, pois ela já é “sensual” e as demais meninas não. A psicóloga pontuou pontos como a estatura de Sara não ser tão alta, e que a preocupação da escola necessita se pautar em priorizar a transmissão do saber sistematizado. A conversa ocorreu de forma tranquila, esses dados foram passados também para a Equipe Pedagógica do colégio por meio de um breve relatório. Quando a psicóloga observa Sara brincando no pátio da escola se sente feliz por não tê-la

162

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

designado para uma classe especial simplesmente pelo fato de ela não aprender tão rápido quanto seus colegas de sala. Ela não precisou ser enquadrada como uma portadora de distúrbio de aprendizagem, nem de deficiência mental ou de doença mental. Ainda existem algumas reclamações quanto ao desempenho da aluna, mas já que o “Teste TDE” mostrou os resultados... teste é teste... e não se discute! A postura da psicóloga foi a de não culpabilizar Sara pela sua dificuldade, mas sim a de tentar compreender o contexto social de onde estava surgindo a queixa em relação à aluna. À primeira vista essa atitude parece simples, mas ao iniciá-la pôde-se acompanhar o caminho sinuoso percorrido pela psicóloga, visto que as “autoridades escolares” já haviam dado o veredicto de que Sara não conseguiria acompanhar a turma da segunda série. Analisar criticamente uma situação onde pode estar envolvido um ser humano demanda um grande esforço, visto que esse contém informações do todo social, é por isso que a análise pode ser mais extensa. É por esse motivo que o psicólogo necessita de uma teoria que garanta uma consistente base teórico-filosófica, pois independente do local onde for trabalhar (escola, empresa, clínica ou hospital) as bases teórico-filosóficas serão as mesmas, e consequentemente a visão de homem será a mesma. Você deve se perguntar nesse momento: por que tive que ler esse caso? Porque queremos, precisamos e devemos ressaltar que as informações que mostraremos aqui sobre as dificuldades e transtornos de aprendizagem necessitam de respaldo social e histórico, pois cada item que será discutido precisa de uma contextualização. Não queremos e não pretendemos mostrar nomenclaturas para a classificação de crianças de acordo com a dificuldade apresentada. O que pretendemos é clarificar que essas nomenclaturas existem, a característica central das mesmas e, em especial, a força que a crença que nós profissionais da educação apresentamos para o processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança faz toda e qualquer diferença no diagnóstico e do prognóstico da mesma.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

163

Vamos lá então! Ouvimos muitos pais e professores se referirem às crianças da seguinte maneira: “meu filho não sabe ler e nem escrever” (como no caso tratado na Unidade anterior); “meu filho é um disléxico!”; “essa criança tem distúrbio de atenção”; “minha filha é distraída”. Ora, os sujeitos possuem dificuldades, mas eles não são as dificuldades! A incapacidade vivaz surge à tona diante de comentários do gênero, o que pode ser o início de uma complicação diante do ato de aprender. O ato de aprender está dentro de cada um de nós, mas acontece mediante a interação com o ambiente, o contato com os símbolos e com quem media a aprendizagem. O “não saber” faz que cada indivíduo tenha dificuldades menores e maiores, dependendo do que está internalizado em cada um, de conhecer e saber trabalhar as limitações individuais. Às dificuldades dos que não sabem como trabalhar com os próprios limites, sentindo-se incapazes é que se atribui o termo dificuldade de aprendizagem. E o que são distúrbios ou transtornos de aprendizagem? Os transtornos de aprendizagem, segundo Moojen (2009), são descritos nos Manuais Internacionais de Transtornos Mentais o DSM-IV. Respaldadas no DSM-IV (1995, p. 46).
Os Transtornos de Aprendizagem são diagnosticados quando os resultados do indivíduo em testes padronizados e individualmente administrados de leitura, matemática ou expressão escrita estão substancialmente abaixo do esperado para sua idade, escolarização ou nível de inteligência. Os problemas na aprendizagem interferem significativamente no rendimento escolar ou nas atividades da vida diária que exigem habilidades de leitura, matemática ou escrita. Em presença de um déficit sensorial, as dificuldades de aprendizagem podem exceder aquelas habitualmente associadas com o déficit. Os Transtornos de Aprendizagem podem persistir até a idade adulta.

O termo Distúrbio de Aprendizagem se diferencia de Dificuldade de Aprendizagem por se tratar de um conjunto de sintomas ou comportamentos que comprometem a aprendizagem, ocasionando no indivíduo muito sofrimento e perturbação (MOOJEN, 2009).

164

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

Assim. Portanto. Dificuldades de Aprendizagem da Leitura: de acordo com a exposição de García (1998. em distúrbios de aprendizagem. de dislalias. retardo mental. supostamente devido a uma disfunção do sistema nervoso central e podem ocorrer ao longo da duração de vida. García (1998. leitura. fala. Vejamos alguns: Dificuldades de Aprendizagem da Linguagem (DAL): o DSM-IV classifica entre os transtornos do desenvolvimento os transtornos da linguagem.A mais recente definição de Distúrbios de Aprendizagem foi publicada em 1998 pelo National Joint Commitee on Learning Disabilities (NJCLD). tipo expressivo e tipo receptivo. pois o prefixo dis. respectivamente. Estes distúrbios são intrínsecos ao indivíduo. de disfasias expressivas e disfasias receptivas. em que a causa é neurológica e o comportamento é a manifestação de que algo não está bem. percepção social e interação social podem coexistir com distúrbios de aprendizagem. p. 145. Embora distúrbios de aprendizagem possam ocorrer concomitantemente com outras condições incapacitantes (ex: prejuízo sensorial. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 165 . eles não são decorrentes destas condições ou influências. corresponderiam à terminologia mais habitual na Espanha. manifestado por dificuldades significativas na aquisição e no uso de capacidades de atenção. não sendo resultados de outros transtornos. raciocínio ou habilidades matemáticas. grifos do autor) afirma que: Podem ser distinguidos dois tipos de transtornos da linguagem e fala: os transtornos do desenvolvimento na articulação e os transtornos do desenvolvimento da linguagem. a grosso modo. os Distúrbios Específicos do Desenvolvimento das Habilidades Escolares são compostos por grupos com comprometimentos específicos na aprendizagem. por si só. os distúrbios de aprendizagem são disfunções psiconeurológicas. as quais se costuma acrescentar o qualitativo de evolutivas ou de desenvolvimento (o que seria uma redundância. p. Problemas de comportamentos auto-reguladores. escrita. que afirma: Distúrbio de Aprendizagem é uma expressão geral que se refere a um grupo heterogêneo de distúrbios. mas não consistem. instrução insuficiente ou inadequada). sejam específicas ou generalizadas (hotentonismo). como deficiência mental ou problemas visuais. distúrbio emocional grave). que. ou com influências extrínsecas (como diferenças culturais.já faz referência a esse conceito ou marco evolutivo e de desenvolvimento).

1992. b/d. Manifesta-se uma leitura oral lenta. d/q. quanto à capacidade de leitura. sílaba por sílaba. correções e bloqueios. distorções e substituições de palavras. palavras ou mesmo letras. Muitos conseguem copiar. b/q. da compreensão leitora. Soletração defeituosa: lê palavra por palavra. globos e o próprio ambiente. atraso na aquisição da linguagem. diário escolar. Confusão de letras. atraso na locomoção. na qual a criança apresenta dificuldades em estabelecer 166 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .] demora em aprender a segurar a colher para comer sozinho. f-t. meses do ano. Ao ler pula linha ou volta para a anterior.. Este transtorno não é devido nem à deficiência mental. nem a um déficit visual ou auditivo. Afeta mais meninos que meninas. dificuldade na aprendizagem das letras”. a conceituação quanto a esse quadro Define-se pela presença de um déficit no desenvolvimento do reconhecimento e compreensão dos textos escritos. geralmente. dias da semana. A dificuldade da criança com dislexia está em identificar símbolos gráficos (letras e números) o que traz como consequência a dificuldade na leitura e na escrita. Inversões de sílabas: em/me. Não consegue lembrar-se de fatos passados como horários. Usa dedos para contar. sol/los. Inversão de letras com grafia similar: b/p. Leitura lenta para a idade. p. por exemplo: “[. Somente se classifica como tal se é produzida uma alteração relevante do rendimento acadêmico ou da vida cotidiana. mas na escrita espontânea como ditado e ou redações mostra severas complicações. Alguns possuem dificuldades de lembrar objetos. Adições ou omissões de sons: casa Lê casaco. nem a um problema neurológico. n/u. Isso traz dificuldades para se orientarem com mapas. par/pra. apud García. e nem a uma inadequada ou escassa escolarização. nomes. datas. sons. movem os lábios murmurando. Sampaio (2011. p. como omissões. também. las/sal. Produz-se uma afetação. Ao ler. 173). Freqüentemente não conseguem orientar-se no espaço sendo incapazes de distinguir direita de esquerda. prato lê pato. O autor continua a esclarecer que: Esse transtorno é denominado como “dislexia” ou como transtorno do desenvolvimento da leitura (STANOVICH. também. e-c.173. sílabas ou palavras que se parecem graficamente: a-o. grifos nossos). lê as horas. 1998. v-u. com interrupções. a fazer laço no cadarço do sapato. pegar e chutar bola. 2) destaca que há alguns comportamentos que chamam a nossa atenção ao lidarmos com uma criança com dislexia como. a/e. d/p.. m-n. A alexia é uma disfunção. acompanhada por dificuldades na habilidade escrita. ou reconhece letras isoladamente sem poder ler. Possui dificuldades em lembrar se seqüências: letras do alfabeto.

Para a autora. escrita desorganizada. a qual. Esse transtorno não se explica nem pela presença de uma deficiência mental. ou na organização de parágrafos (GREGG. possui dois tipos: A Disgrafia motora (discaligrafia): a criança consegue falar e ler. p. A gravidade do problema pode ir desde erros na soletração até erros na sintaxe. 3. segundo Sampaio (2011. nem por alteração neurológica. mas encontra dificuldades na coordenação motora fina para escrever as letras. desorganização do texto e desorganização geral na folha são algumas das características da disgrafia. estruturação ou pontuação das frases.] devido a uma incapacidade de recordar a grafia da letra. 173). letra ilegível. porém. Classifica-se como tal apenas se produzem alterações relevantes no rendimento acadêmico ou nas atividades da vida cotidiana. Disgrafia: desordem na integração visomotora. nem por um déficit visual ou auditivo. palavras e números. p. tornando a letra ilegível. p. podemos compreender que a dificuldade de aprendizagem escrita trata-se de: Uma dificuldade significativa no desenvolvimento das habilidades relacionadas com a escrita. p. mas não consegue fazer os movimentos para escrever. grifos nossos). Escrita em espelho e intercâmbio de letras fazem parte dessa dificuldade de aprendizagem da escrita. não está associada a nenhum tipo de comprometimento intelectual. 1998. Mas não são todos disgráficos que possuem disortografia. nem por escolarização insuficiente. Disgrafia perceptiva: não consegue fazer relação entre o sistema simbólico e as grafias que representam os sons. lentidão na escrita. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 167 . Possui as características da dislexia sendo que esta está associada à leitura e a disgrafia está associada à escrita. mas não consegue escrever. vê a figura gráfica.o significado da palavra.. 3) destaca que a disgrafia é também denominada de “letra feia”. as palavras e frases. Sampaio (2011. ou seja. Algumas crianças com disgrafia possui também uma disortografia amontoando letras para esconder os erros ortográficos. 1992 apud GARCÍA.. traços irregulares. Dificuldades de Aprendizagem da Escrita: ainda de acordo com as definições de García (1998. 191). essa denominação ocorre: [. Ao tentar recordar este grafismo escreve muito lentamente o que acaba unindo inadequadamente as letras. Apresenta apropriação na linguagem oral e leitura. A disgrafia.

Dificuldade de memória em tarefas não-verbais. Dificuldade nas habilidades viso-espaciais. para entendermos que o Transtorno da Matemática caracteriza-se da seguinte forma: A capacidade matemática para a realização de operações aritméticas. Apenas se classificam como tais se acontece uma alteração ou deterioração relevante dos rendimentos escolares ou da vida cotidiana (KELLER. 7. 211). Dificuldade na memória de trabalho que implica contagem. 1) destaca que os processos envolvidos na discalculia são: 1. p. e o agrupamento de objetos em conjuntos). capacidade intelectual e nível de escolaridade do indivíduo. habilidades de ‘atenção’ (como copiar figuras corretamente nas operações matemáticas básicas. Dificuldade na soletração de não-palavras (tarefas de escrita). A autora complementa as informações dadas até o momento e nos convida a recorrermos ao DSM-IV. 2. 1998. recordar o número que ‘transportamos’ e que devemos acrescentar a cada passo. RIVERA. Dificuldade na memória de trabalho. nem por escolarização escassa ou inadequada. grifos do autor) destaca que. 211). 3. As dificuldades da capacidade matemática apresentadas pelo indivíduo trazem prejuízos 168 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . 211). p. p. 1991. Essas dificuldades não são ocasionadas pela deficiência mental. 1991 apud GARCÍA. habilidades ‘perceptivas’ (como o reconhecimento ou a leitura de símbolos numéricos ou sinais aritméticos. e observar os sinais das operações) e as habilidades ‘matemáticas’ (como o seguimento das sequências de cada passo nas operações matemáticas. quanto às dificuldades: Estas incluem habilidades ‘linguistiscas’ (como a compreensão e o emprego da nomenclatura matemática. 5. Dificuldade nas habilidades psicomotoras e perceptivo-táteis. 4. contar objetos e aprender as tabuadas de multiplicar). nem por déficits visuais ou auditivos (SMITH. 211. HYND. 1998. Não há problemas fonológicos. 1992 apud GARCÍA. encontra-se substancialmente inferior à média esperada para a idade cronológica. Sampaio (2011. a compreensão ou denominação de operações matemáticas e a codificação de problemas representados por símbolos matemáticos). p. 6.Transtornos Específicos da Habilidade Matemática: trata-se de dificuldades significativas no desenvolvimento das habilidades relacionadas com a matemática (SEMRUD-CLIKEMANN. p. As dificuldades dos transtornos específicos da área da matemática incidirão em diversas atividades. apud GARCÍA. cálculo e raciocínio matemático. García (1998. SUTTON. 1998.

Discalculia Ideognóstica – Dificuldades em fazer operações mentais e na compreensão de conceitos matemáticos.Dificuldades na execução de operações e cálculos numéricos. 4. Em caso de presença de algum déficit sensorial. Kocs. Discalculia: Sampaio (2011) afirma que o portador de discalculia comete erros diversos na solução de problemas verbais. contar objetos e aprender tabuadas de multiplicação) (SAMPAIO. p. A Discalculia e a Acalculia são terminologias mais conhecidas na atualidade e que situam-se na área dos transtornos da matemática. 2011). 6. as dificuldades matemáticas excedem aquelas geralmente a este associadas. Discalculia Gráfica . como as habilidades linguísticas (compreensão e nomeação de termos. A perda ocorre em níveis variados para realização de cálculos matemáticos (SAMPAIO. 3.significativos em tarefas da vida diária que exigem tal habilidade. na compreensão dos números. 1998. 2. Discalculia Verbal .Dificuldades na escrita de símbolos matemáticos. e transposição de problemas escritos em símbolos matemáticos). observar sinais de operação). nas habilidades computacionais. 2011). perde as habilidades matemáticas já adquiridas. 213) diferencia a discalculia em seis subtipos. nas habilidades de contagem.Dificuldade para nomear as quantidades matemáticas. perceptuais (reconhecimento de símbolos numéricos ou aritméticos. de atenção (copiar números ou cifras. Acalculia: ocorre quando o indivíduo. 5. Discalculia Léxica . os quais são: 1. Diversas habilidades podem estar prejudicadas nesse Transtorno. os números. como um acidente vascular cerebral ou um traumatismo crânio-encefálico.Dificuldade para enumerar. os símbolos e as relações. e matemáticas (dar seqüência a etapas matemáticas. operações ou conceitos matemáticos. citada por Keller e Sutton (1991 apud GARCÍA. os termos. comparar e manipular objetos reais ou em imagens matematicamente. ou agrupamento de objetos em conjuntos).Dificuldades na leitura de símbolos matemáticos. após sofrer lesão cerebral. Discalculia Practognóstica . Discalculia Operacional . PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 169 .

tendo em vista a obtenção de um fim determinado. 1).fazendo com que seja difícil a interação com os amigos. 1): Algumas crianças com dificuldade de integração sensorial. mas são rígidas em relação a execução. com os quais reproduzem cenas de filmes ou do cotidiano. que podem querer mudar a forma que a estória foi idealizada. que têm um modelo a ser seguido. fazendo com que seja difícil. porque vão ter dificuldade na execução do plano. 2010. Outras crianças são capazes de inventar um “script” para a brincadeira. Por exemplo. 2010.Distúrbios na ordem das relações dos movimentos e objetos: afeta a aérea motora. tal como uma caixa de papelão ou rolo de barbante. idealizar uma estória para escrever uma composição ou 170 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . p. Divide-se em duas etapas. p. trazendo muitos conflitos e fazendo com que a criança tenha poucos amigos. a ideação (o que fazer?) e a execução (o como fazer?). Apraxias: ocorre por meio de desordens no hemisfério cerebral responsável pela coordenação. é a capacidade motora que o indivíduo tem de aprender movimentos (FRANCO. Essas crianças podem preferir ser o “diretor de cena” a ser um participante real da brincadeira. tal como fazer com que uma latinha seja o telefone ou a boneca seja a mamãe. organizado. Para Franco (2010. p. Assim. 1). Essas dificuldades vão se refletir nas atividades acadêmicas ou sociais. por exemplo. Dificilmente montam uma brincadeira em que existe substituição de função para os objetos. Outras ainda. responsável pela ordem dos movimentos – praxia. Praxia: ou planejamento motor é um movimento intencional. gostam muito de bonequinhos personagem. no grupo que apresenta dificuldade de planejamento motor ou dispraxia. Dispraxias: a perda da habilidade do movimento do corpo devido à alguma lesão. Também gostam de brinquedos como Legos.determinado. corresponde à desordem nos movimentos do corpo. A criança dispráxica tem dificuldade em planejar o que fazer com um objeto que não tem um papel pré. preferem ser coadjuvantes na brincadeira e são capazes de seguir o enredo sugerido por um amigo mas não sabem como iniciar a brincadeira independentemente ou como dar continuidade a uma idéia que alguém apresente (FRANCO. embora tenham vontade de brincar. Tendem a ficar muito bravas se alguém sugere uma modificação no enredo porque fica difícil dar continuidade. A criança com dificuldade na ideação dá preferência a brinquedos que já têm um papel definido. de participar em brincadeiras com outros ou ainda de participar de uma variedade de atividades lúdicas. essas crianças são incapazes de fazê-lo por um tempo prolongado. Sendo: Apraxias e Dispraxias. ou seja.

Distúrbio da Memória: comprometimento da atenção. impulsividade e distratibilidade. É essencial. Na escola são impossíveis de permanecer na carteira. impulsivos. os pés. Além do comprometimento da concentração e atenção vem acompanhado de hiperatividade. a contribuição familiar para ajudar a criança na compreensão de limites e regras. seus amigos e especialmente o Sr. TDAH: denominado Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade. geralmente. o auxílio profissional é de suma importância. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 171 . terminam frases de outras pessoas. Mantêm esse comportamento não apenas em um ambiente de convívio. Podemos mencionar aqui o TDA com ou sem Hiperatividade. Para a intervenção com a criança. Não param quietos em qualquer ambiente. sendo. interesse. acompanhado por hiperatividade. o pimentinha”. O QUE É HIPERATIVIDADE? Partindo da apropriação da concepção de que o aprendizado caminha de acordo com um conjunto de fatores internos – atenção. concentração. também. curiosos e irritam pessoas próximas com facilidade. o menino do desenho animado que não deixa seus pais. a habilidade de fazê-lo pressupõe uma série de pré-requisitos que nem sempre estão presentes no desenvolvimento da criança. Um exemplo clássico: “Denis. Os hiperativos. Disfunção que compromete a concentração e atenção. são aqueles rotulados como “endiabrados”. mas em todos os lugares. as mãos ou os dedos constantemente. falam sem parar. maturidade neurológica e funcionabilidade das estruturas cerebrais – fica mais fácil perceber que algumas dificuldades na aprendizagem estão ligadas a fatores que não dependem somente de uma boa educação. Embora a motivação para brincar seja inerente à criança.participar com amigos de situações em que seja necessário ter uma certa flexibilidade. Wilson em paz. São incapazes de suspender a realidade ou de realmente se divertir em uma atividade lúdica. Mexem as pernas. TDA: Transtorno de Déficit de Atenção. geralmente. são impacientes.

parece ser o alvo preferido do menino. seu marido. se prontifi ca em cuidar de Dênis. a esposa de George. 172 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . o pimentinha Título original: Dennis the menace Lançamento/país: 1993/ EUA Diretor: Nick Castle Gênero: Comédia Dênis é um garoto que inferniza a vizinhança e George Wilson. o pimentinha! Título no Brasil: Dênis. Isto deixa seu marido desesperado. Como a fama de Dênis é notória nenhuma babá quer fi car tomando conta do garoto. a mãe de Dênis. ganho por George. Alice Mitchell. começou em um novo emprego e logo se vê obrigada a viajar com Henry. DÉFICIT DE ATENçãO E HIPERATIVIDADE (TDAH) Como estudamos anteriormente um aspecto necessário para a aprendizagem é a atenção (função de uma estrutura localizada no tronco encefálico – Formação Reticular – e da atividade dos neurotransmissores até o lobo frontal e demais partes do cérebro). a falta de atenção é uma característica relativa até. mas Martha Wilson.Dica de filme – Parada Obrigatória! Dênis. mas o pior ainda está por vir quando Dênis “colabora” na reunião que os Wilson fazem para comemorar um prêmio de jardinagem. Quando uma criança nasce. um vizinho aposentado.

essa criança não para. De acordo com Assencio-Ferreira (2003).. pois a FR ainda está imatura.“Nossa! Como é desligada!”.“Vive no mundo da lua!” . por exemplo: . logo surgem os primeiros comentários como. “[. transtornos e desconfortos devem ser uma constante em sua vida. Mas. com o controle de liberação da dopamina e da noradrenalina alterados.aproximadamente.. ou adultos com TDAH possuem uma alteração nos neurotransmissores.“Nossa. controlar impulsos.“Parece que não tem limite!” . hein?!” . você dá leite ou ela se alimenta com o dedinho na tomada?” . responsáveis pela transmissão das informações nas células nervosas por meio de substâncias. organização. as informações necessárias se alteram ou não chegam ao lobo frontal. Quando a criança completa a idade escolar. não é tão simples diagnosticar uma criança com TDAH. emoções e a memória. Seu comportamento e atitudes. partindo do primeiro até o segundo aninho de vida. Assim.“Onde ela desliga?” -“Mãe. O que se utiliza com PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 173 . Na verdade. só desatenta em casa e hiperativa em meio à família e amigos. seu primeiro ano de vida. 2011). A maturidade da FR se completa até o quarto ano de vida da criança. sua atenção irá melhorar progressivamente.] não existe exame laboratorial. o que não acontece de maneira adequada com o TDAH (TAMANINI.“Ele é assim em casa também?” . radiológico ou de neuroimagem que permita o estabelecimento do diagnóstico de certeza”. Isso ocorre. as crianças. não apenas ser hiperativa e desatenta na escola. planejamento. De acordo com estudos. sendo esta parte do cérebro responsável por manter a atenção até o tempo necessário.

Salientamos que esse pode ser considerado um instrumento a mais para o diagnóstico e prognóstico. Este guia só poderá ser utilizado para obtenção de diagnóstico clínico por profissionais especializados em TDAH. 174 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . sendo o objetivo deste em apenas conhecer para possuir uma base de como acontece o processo de realmente diagnosticar se alguém possui ou não o TDAH (extraído do livro: Neurologia e Fonoaudiologia de Vicente José Assencio-Ferreira).frequência é o Manual de Diagnóstico e Estatística – IV edição (DSM-IV) da Associação Psiquiátrica Americana que veremos a seguir. mas que a utilização apenas desse questionário é insuficiente para lidarmos com a criança ou adulto com TDAH.

Quando deveria ficar sentado? Ele parece estar prestando atenção em outras coisas quando se está falando com ele? Ele corre ou trepa nas coisas quando deveria ficar tranqüilo? Ele tem dificuldade em seguir instruções até o fim ou deixa os deveres sem terminar? Ele tem dificuldade de ficar em silêncio enquanto brinca? Ele é desorganizado com os deveres e outras atividades do dia-a-dia? Ele é “elétrico” e fica a “mil por hora”? Ele evita ou antipatiza com deveres ou atividades que exijam concentração? Ele fala demais? Ele perde material da escola ou coisas do dia-a-dia? Ele responde às perguntas antes dos outros terminarem de falar? Ele se distrai com facilidade com coisas fora daquilo que está fazendo? Ele tem dificuldade de esperar a vez? Ele se esquece de coisas que deveria fazer no diaa-dia? Ele interrompe os outros ou se mete na conversa dos outros? Pouco Bastante Quase sempre PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 175 .CRITÉRIO A: Assinale com um “x” a coluna correta. Nunca ou raramente Ele presta pouca atenção em detalhes e faz erros por falta de atenção nos deveres? Ele mexe com as mãos e pés quando está sentado ou se mexe muito na cadeira? Ele tem dificuldade de manter-se concentrado nos deveres e também nos jogos? Ele sai do lugar na sala de aula ou em outras situações (ex: mesa de jantar).

). psicose etc. 2) Se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a 18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado em uma criança ou adolescente. social ou familiar por conta dos sintomas. deficiência mental.Como avaliar? 1) Se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9 = existem mais sintomas de desatenção que o esperado em uma criança ou adolescente.. CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima) CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade. 176 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Existem outros critérios que também são necessários. os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele. no trabalho. IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério A! Veja abaixo os demais critérios. CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex. O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. na vida social e em casa). CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar. na escola. CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão.

Isso pode exigir consultar os pais. Esta é a versão validada no Brasil.ABDA O questionário abaixo é denominado ASRS-18 e foi desenvolvido por pesquisadores em colaboração com a Organização Mundial de Saúde. Avaliação de Adultos segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção . Com que freqüência você comete erros por falta de atenção quando tem de trabalhar num projeto chato ou difícil? 2. O TDAH no adulto é meramente a continuação do TDAH da infância e adolescência. Com que freqüência você tem dificuldade para fazer um trabalho que exige organização? 6. Com que freqüência você coloca as coisas fora do lugar ou tem de dificuldade de encontrar as coisas em casa ou no trabalho? 8.AO LIDARMOS COM A POPULAÇÃO ADULTA: 1) É OBRIGATÓRIO ter tido TDAH na infância. Com que freqüência você tem dificuldade para manter a atenção quando está fazendo um trabalho chato ou repetitivo? 3. parentes mais velhos ou mesmo professores. mesmo quando elas estão falando diretamente com você? 4. Com que freqüência você tem dificuldade para se concentrar no que as pessoas dizem. Adultos Nunca raramente Algumas vezes Muito frequentemente 1. Com que freqüência você deixa um projeto pela metade depois de já ter feito as partes mais difíceis? 5. Com que freqüência você tem dificuldade para lembrar de compromissos ou obrigações? PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 177 . com que freqüência você evita ou adia o início? 7. Com que freqüência você se distrai com atividades ou barulho a sua volta? 9. Quando você precisa fazer algo que exige muita concentração.

Romano M. Adaptação Transcultural para o Português da Escala Adult Self-Report Scale (ASRS-18. Existem outros critérios que também são necessários. como se estivesse “com um motor ligado”? 6. O questionário ASRS-18 é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. com que freqüência você se pega terminando as frases das pessoas antes delas? 8. Com que freqüência você se sente inquieto (a) ou agitado (a)? 4. Com que freqüência você se sente ativo (a) demais e necessitando fazer coisas. Parte B Como avaliar: Se os itens de desatenção da parte A (1 a 9) E/OU os itens de hiperatividade-impulsividade da parte B (1 a 9) têm várias respostas marcadas como FREQUENTEMENTE ou MUITO FREQUENTEMENTE existe chances de ser portador de TDAH (pelo menos 4 em cada uma das partes). Louzã M.1) para avaliação de sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH) em adultos. Com que freqüência você se levanta da cadeira em reuniões ou em outras situações onde deveria ficar sentado (a)? Nunca raramente Algumas vezes Muito frequentemente 3. Com que freqüência você se pega falando demais em situações sociais? 7. Com que freqüência você fica se mexendo na cadeira ou balançando as mãos ou os pés quando precisa ficar sentado (a) por muito tempo? 2. Com que freqüência você tem dificuldade para esperar nas situações onde cada um tem a sua vez? 9.Parte A Adultos 1. Revista Brasileira de Psiquiatria (in press). Saboya E. 178 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Segenreich D. Com que freqüência você interrompe os outros quando eles estão ocupados? Fonte: Mattos P. versão1. Quando você está conversando. Dias G. Com que freqüência você tem dificuldade para sossegar e relaxar quando tem tempo livre para você? 5.

CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex. portanto. psicose etc. CRITÉRIO A: Sintomas (vistos na tabela acima). no trabalho. que para o diagnóstico do TDAH não é de única causa. os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele. na faculdade e no relacionamento conjugal ou familiar). na vida social. CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes desde precocemente (antes dos 7 ou 12 anos). O TDAH é resultado do mau funcionamento dos neurotransmissores e demais órgãos responsáveis pela atenção e controle da impulsividade (FR) e apenas especialistas qualificados na área poderão investigar com precisão até o resultado diagnóstico e encaminhamentos necessários e adequados a cada caso. deve estar pautada em muitas investigações sobre a história de vida da pessoa! ALGUMAS PONTUAÇÕES SOBRE O TDAH Verificamos. deficiência mental. como muitos confundem devido ao comportamento e falta de limites de algumas crianças.). O importante é estabelecer a partir do diagnóstico os encaminhamentos necessários à terapia PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 179 .. a indisciplina ou falta de controle parental. assim.IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com os sintomas descritos na tabela! Veja abaixo os demais critérios. CRITÉRIO D: Há problemas evidentes por conta dos sintomas. Somente em último caso considera-se o uso de medicamentos em crianças com TDAH. Não esqueça que qualquer inferência sobre o TDAH na população adulta. CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão.

e reabilitação da criança com terapeutas. O importante é ter em mente que quando estudamos sobre as dificuldades de aprendizagem precisamos compreender e avaliar o momento correto de encaminhamento para profissionais 180 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . neuropediatra). É importante que o professor observe alguns critérios ao lidar com a criança com dificuldade de aprendizagem como. mas dividi-las em etapas. direta e curta. psicopedagogo. de quinze questões. • Elaborar um número menor de atividades por página. em especial aquelas que possuem tipo impulsivo/hiperativo. e depois que o aluno terminar pedir mais cinco. constantemente. fonoaudiólogos. Trabalhando com as Crianças com Dificuldades de Aprendizagem O trabalho com a criança envolve o profissional (psicólogo. • Dar mais tempo para os alunos com dificuldade. auxiliar o aluno a consegui-los. por exemplo: a clareza das expectativas do educador diante de cada atividade proposta. Quanto às modificações que tem apresentado relativo êxito durante as avaliações dos alunos: • Propiciar um ambiente tranquilo. não solicitar atividades extensas de uma só vez. se não. calendários). a escola (em especial a atuação do professor regente em sala de aula) e a família. • Pedir que a criança volte observando suas respostas. como. estabelecimento de rotina com períodos de descanso em sala de aula. por exemplo. iniciar a aula com as atividades que requerem maior atenção e deixar as mais “agradáveis” para o final da aula. as instruções e orientações devem ser transmitidas de maneira clara. de acordo com necessidades específicas do indivíduo. através de meios visuais e auditivos (cartazes. supervisionar. reforçar o estabelecimento de rotina. psicólogos e psicopedagogos. o tempo para cada atividade. até que ele cumpra toda a atividade. pedir que resolva cinco. observar se o aluno tem todos os materiais necessários para realização das atividades propostas.

tomando-o como base. ATIVIDADE DE AUTOESTUDO 1. à escrita. e entenda a postura vigotskyana sobre a difi culdade e o transtorno de aprendizagem. o não subestimar a capacidade da criança. acreditar que ela pode dar um resultado sempre maior que aquele que esperamos.vigotski. CONSIDERAçÕES FINAIS Estudamos na unidade IV os problemas e dificuldades de aprendizagem. diferenciando dificuldades e distúrbios para uma melhor compreensão sobre o processo de aprendizagem da criança em sala de aula. ao Transtorno de Atenção e Hiperatividade TDAH. Releia o caso Sara e.pdf>. Observamos uma postura profissional adequada ao acompanharmos o caso fictício de uma criança com dificuldade de aprendizagem. Essa confiança na criança é transmitida nas gestualizações e falas que estabelecemos na rotina de aula ou de atendimento clínico.especializados para as intervenções. Acesse o site <www. à hiperatividade. foram também. ao Transtorno de Atenção .net/ditebras/barroco. o caso Sara. Acrescentamos aqui. e que ainda não consegue ler e nem mesmo escrever. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 181 . O trabalho do professor em sala de aula. Quantos as especificidades das dificuldades e distúrbios compreendemos as dificuldades quanto à: linguagem. contemplados. à matemática. defi na uma forma de intervenção adequada para uma criança que frequenta o quarto ano do Ensino Fundamental I. as relações e movimentos.TDA. assim como a sua importância para o processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança.

profala. este a arrumará a sua maneira.com> e compreenda o papel da escola frente às difi culdades de aprendizagem. “Quem vem ao mundo. 182 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . E ninguém acaba nunca de construí-la” (GOETHE). constrói uma casa nova.Acesse o site <www. se vai e a deixa a outro.

Gescielly Barbosa da Silva Tadei Professora Me.UNIDADE V A IMPORTÂNCIA DA ATENÇÃO PARA A APREENSÃO DO CONHECIMENTO ERUDITO Professora Me. Plano de Estudo A seguir. • Compreender a importância da atenção para apreensão do conteúdo científico. Amanda Mendes Amude Patez Professora Me. Márcia Regina de Sousa Storer Objetivos de Aprendizagem • Entender a relevância de Luria para a compreensão da atenção. • Observar a relação entre afetividade e educação. apresentam-se os tópicos que você estudará nesta unidade: • Atenção para Luria • Atenção e conteúdo científico • Afetividade e Educação . • Verificar os distúrbios emocionais em voga: DDO e Distúrbio de Conduta.

.

org/wiki/Alexander_Luria>. do conhecimento científico. pontos esses que incidem diretamente sobre a atenção da criança. em uma correlação entre conteúdo científico e prática cotidiana. um dos pensadores que compunham a Teoria Histórico-Cultural. Um dos maiores estudiosos nessa área é Alexander Luria. por isso hoje é muito estudado na área da neurologia. mas sim àquilo que tange uma aprendizagem repleta de sentido para o aluno. ressaltando. Além do mais.wikipedia. lembra-se? Luria desenvolveu estudos específicos na área da atenção. nada melhor que estudarmos esse fator com um dos mais proeminentes autores na área. Será de intuito. ainda. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 185 . entendermos a correlação de afetividade e educação. após termos visto tantas informações na unidade anterior sobre TDA e TDAH. ou seja.INTRODUÇÃO Na presente unidade estudaremos a relevância da atenção para o processo de apreensão do conhecimento erudito. ALEXANDER ROMANOVICH LURIA (1902-1977): PARA A COMPREENSÃO DE DIFICULDADES LIGADAS À ATENÇÃO DA CRIANÇA Fonte: <pt. aqui que a afetividade defendida nada se respalda no ideário romantizado.

a Rússia pós-revolucionária como marco inicial de seus estudos e pesquisas e. E foi nesse contexto que Luria envolveu-se ativamente nas discussões políticas sobre a nova sociedade 186 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . como também os interesses da população. Nosso objetivo é apresentar suas obras de maior repercussão no Brasil e descrever um dos processos mentais estudados por ele em sua relação com a cultura. a União Soviética sob o regime stalinista (TULESKI. levando em conta. uma região central a leste de Moscou. destaca-se a redução de 8 para 6 anos no curso de formação ginasial (REGO. por isso. posteriormente. Não é nossa pretensão esgotar o assunto. cujos interesses pessoais cederam espaço para metas amplas em favor de uma sociedade coletiva. por serem funções psicológicas superiores imprescindíveis à educação. a atenção. ao idioma alemão e às grandes produções na psicologia (COLE. portanto. Os professores encontravam-se desnorteados. 2010). Aos 15 anos vivenciou as mudanças advindas da Revolução de 1917. ter acesso ao mundo intelectualizado. 2010). Sua infância foi sob a influência tirânica do czarismo. ingressou no curso de Ciências Sociais da Universidade de Kazan. Entre as profundas transformações. Posteriormente. Luria teve oportunidade de ampliar sua cultura. faremos apenas uma exposição de natureza conceitual. 2007). 1992 apud REGO e OLIVEIRA. tanto nos temas explanados em sala de aula. não sabendo o que ensinar e nem como ensinar os alunos.Nesta unidade pretendemos falar sobre Alexander Romanovich Luria. antes de citar as obras desse pesquisador vamos entender Luria dentro de seu contexto histórico e social. nos anos que se seguiram à Revolução. Entrementes. a conturbação política daquele momento revelou-se não apenas no âmbito social. OLIVEIRA. Luria nasceu em 16 de julho de 1902 em Kazan. que transformou não apenas a paisagem natural. sem referenciais. Filho de um médico conceituado e também professor da escola de Kazan. então. graduando-se com 19 anos em 1921. utilizando como referencial teórico metodológico o materialismo-histórico. mas no espaço acadêmico. Com base no materialismo-histórico compreendemos que o rumo das suas pesquisas está intrinsecamente vinculado ao contexto histórico ao qual fazia parte.

2010). A terceira fase corresponde ao período que sucede a morte de Vigotsky e. constituem a Troika em 1924 e por meio das pesquisas do desenvolvimento genético (filogênese e ontogênese) tentam criar uma nova abordagem dos processos psicológicos humanos. o ato de fazer referência à terapia psicanalítica entre outros. sob os quais seriam erguidos os pilares da nova psicologia. tendo como pilar o método materialista histórico e dialético. a Psicologia Histórico-Cultural. Esse redirecionamento aparente da produção luriana ocorreu em função de fatores políticos e econômicos pelos quais a sociedade passava. como a noção de inconsciente apresentada por Freud. Ao formar-se em Ciências Sociais. que o faz concentrar-se mais na área da neuropsicologia. Essa foi a forma que Luria encontrou para PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 187 . Nessa etapa sua produção teórica sofreu grande influência da Psicologia Ocidental. conforme a autora. retomado apenas em 1936 e finalizado no ano seguinte enquanto doutorava-se em Psicologia pelo Instituto de Tbilisi (REGO. podemos organizar os estudos de Luria em três grandes fases que abrangem em si períodos distintos da sua produção. OLIVEIRA. bem como nas associações científicas. Leontiev e Vigotsky unem-se. pela psicologia e começou a esboçar seu projeto de uma nova psicologia (REGO.em formação. aparentemente parece haver um redirecionamento dos seus interesses e de suas pesquisas. A primeira fase corresponde ao período precedente da sua associação a Vigotsky. O curso de Medicina foi interrompido. A segunda fase corresponde ao período em que Luria. Luria iniciou simultaneamente um curso de Medicina no Hospital Psiquiátrico de Kazan e uma formação em um Instituto Pedagógico. OLIVEIRA. A primeira subdivisão abarca os anos entre 1930 a 1950 sendo marcada pela adoção de terminologias pavlovianas com muito mais intensidade do que apareciam os pressupostos Vigotskyanos. Para explicar essa questão a autora subdivide essa terceira fase em outras subdivisões. 2010). De acordo com Tuleski (2007). sendo esse o período no qual começou a se interessar pelas ideias do socialismo utópico. a adoção de métodos como a associação livre e a hipnose utilizadas tanto por Freud quanto por Jung.

o desenvolvimento de cada função nos indivíduos normais. A partir de Tuleski (2007) e Rego e Oliveira (2010) destacaremos esses livros e faremos uma breve exposição de suas temáticas. Luria explicita a adoção do método materialista-histórico. nos quais o autor trata dos seguintes temas: o cérebro. contamos com nove livros. e alguns artigos. seus pressupostos filosóficos e epistemológicos e suas teses. com os quais é possível entrar em contato com sua trajetória acadêmica e profissional. para que o leitor que não o conheça possa entrar em contato com o riquíssimo trabalho desse pesquisador do século passado que tem grandes implicações para a Educação Escolar e para a compreensão dos problemas de escolarização. Fundamentos de Neuropsicologia foi traduzido para o português em 1981 da publicação norte-americana e é uma das maiores referências de Luria no Brasil. a evolução do psiquismo e a atividade consciente. as obras de Vigotsky passaram a ser liberadas pela censura. a solução de tarefas. que são o alicerce de toda produção teórica. Curso de Psicologia Geral foi publicado no Brasil pela primeira vez em 1979 e foi traduzido diretamente do Russo. sistema funcional e esclarece objetivamente a formação e organização das funções psicológicas superiores. o comportamento intelectual. o prejuízo por causa de lesões cerebrais e destaca o conceito de plasticidade cerebral. a atenção e a memória. como ocorreu por trinta anos. Seu trabalho foi amplamente difundido no ocidente e embora todas as suas obras não sejam traduzidas para o português. com isso. mostrando a organização cerebral. a linguagem e o pensamento. Explica conceitos como plasticidade cerebral.driblar a censura e a perseguição política decorrente da política autocrática de Stalin para ocultar os fundamentos marxistas. indivíduo-sociedade na constituição da atividade consciente. Já a segunda subdivisão abrange os anos de 1960 e 1070. 188 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Trata-se de quatro volumes. nos quais houve uma maior abertura política na União Soviética a partir da morte de Stalin e. as sensações e a percepção. delineando a unidade dialética mente-corpo. o que tornou possível embasar suas pesquisas sem ter que maquiar os pressupostos marxistas.

Luria comprovou que: PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 189 . generalização. Livro e grande valia para compreensão do papel da cultura no desenvolvimento psicológico. processar e armazenar as informações que chegam do mundo exterior (e dos aparelhos de seu próprio corpo) localizada nos lobos occipital. Unidade de planificação ou destinada a programar. III Unidade: programar. um sistema funcional para obter. Desenvolvimento Cognitivo: seus fundamentos culturais e sociais Publicado no Brasil em 1990 foi traduzido a partir da edição norte-americana. abstração. A região até então isolada e estagnada economicamente passava por processo de transformação social. elabora programas de comportamento.Na avaliação da interação entre o cérebro e os processos mentais humanos Luria identificou 3 unidades básicas. Com esse experimento. o que proporcionaria uma grande oportunidade de promover experimentos empíricos que avaliassem a percepção. assegura e regula sua realização e participa do controle do seu cumprimento. processar e armazenar informações. temporal e parietal. II Unidade: obter. Esse terceiro bloco localizado basicamente no lobo frontal. imaginação e autoanálise que comprovassem sua tese de que esses processos eram histórico-culturais. regular e verificar a atividade mental. Unidade de codificação e processamento. ou sistemas funcionais cuja participação torna-se necessária para qualquer tipo de atividade mental: I Unidade: regular tônus cortical ou vigília (estado de consciência). dedução e inferência. Unidade da atenção. regular e verificar a atividade cerebral. ou de regulação do tônus otimal e vigília que envolve camadas do córtex e o sistema reticular ativador. Luria faz uma pesquisa na Ásia Central (Uzbequistão e Quirguistão) nos anos de 1931 e 1932 com o intuito de verificar como os processos psicológicos superiores são constituídos em diferentes contextos culturais. solução de problemas matemáticos.

Pensamento e Linguagem: as últimas conferências de Luria foram publicadas no Brasil em 1985. ao relatar os mesmos estudos. por meio da qual transformava suas impressões e as palavras ouvidas em imagens vistas. pelo macaco. passando do homem primitivo ao homem cultural e da criança ao adulto. ou seja. 2007. como também a utilização do jargão pavloviano que não é encontrado em sua obra autobiográfica.os sujeitos mais escolarizados e envolvidos em situações de trabalho coletivizado e modernizado tenderam a lidar melhor com os atributos genéricos e abstratos dos objetos. 190 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Como esse livro foi escrito no período de crítica stalinista à Teoria Histórico-Cultural e eleição gradativa da reflexologia pavloviana como única possibilidade explicativa para o comportamento humano. sempre reconsiderando os pressupostos da Psicologia Histórico-Cultural. publicado no Brasil em 1999. é possível encontrar nesta obra inúmeras citações de Pavlov. sons ou sensações tácteis. apresenta o caso de Shereshevskii. jornalista russo com uma memória aparentemente ilimitada em função de uma acentuada sinestesia. Linguagem e desenvolvimento intelectual na criança foi escrito em parceria com Yudovich e traduzido para o português direto do original em russo em 1985. Conta como as Funções Psicológicas Superiores (processos psicológicos) se desenvolvem resultando da atividade simbólica e instrumental. Foi acompanhado por Luria durante décadas. A mente e a memória. p. Estudos sobre a história do comportamento: símios. A Construção da Mente (1992). 113). Nada mais é do que uma coletânea de conferências reunidas em um livro que menciona o desenvolvimento da linguagem. levando em consideração a base fisiológica e psicológica e sua função reguladora e reorganizadora em todos os demais processos mentais. homem primitivo e criança foi escrito em colaboração com Vigotsky e traduzido para o português apenas em 1996 a partir da edição norte-americana. afastando a concepção naturalizante de desenvolvimento. homem primitivo e criança. enquanto que aqueles analfabetos ou pouco escolarizados e vinculados aos modos de trabalho tradicional reportavam-se a contextos concretos e a experiências particulares para balizar seu processo de raciocínio (REGO e OLIVEIRAB.

segundo os quais esses processos são inatos ao homem desenvolvendo-se concomitante ao seu processo de maturação.] uma teoria da organização cerebral das funções superiores tem que levar em conta determinados processos (como aqueles envolvidos no ato de escrever) que dependem parcialmente de mediadores externos. entre elas a memória... do peso da cultura na constituição do processo psíquico e do papel ativo do sujeito na apropriação da experiência histórico-cultural. 1992 apud TULESKI. OLIVEIRA. Em todos os seus trabalhos. Convencido da importância das interações. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 191 . p. que teve perda de funções cerebrais e mentais. 2007. juntamente com Vigotski. um homem que sofreu uma lesão cerebral traumática por fragmentos de um projétil durante a Segunda Guerra Mundial. ele parte do pressuposto de que o processo de desenvolvimento de cada pessoa segue uma trajetória singular (REGO. Luria busca compreender a complexidade da formação dos processos mentais superiores. 2007. e aos idealistas. 116). O homem com um mundo estilhaçado. publicado no Brasil em 2008 relata o caso de Zasetsky. historicamente condicionados (LURIA. Livro autobiográfico no qual Luria expõe sua trajetória de pesquisa e suas descobertas do funcionamento cerebral. Opondo-se aos behavioristas. O livro mostra o trabalho de Luria: unindo a descrição científica rigorosa das patologias com a análise dos modos de reabilitação dos sujeitos. Ele deixa claro que: [. tendo Vigotsky como líder.Sua personalidade e comportamento ficaram comprometidos em função da dificuldade em esquecer-se e pelo excesso de informações sensórias produzidas a cada estímulo. 7). para os quais esses processos resultavam da combinação do condicionamento de hábitos. Luria se esforçava em compreender os caminhos alternativos do desenvolvimento. Luria durante suas seis décadas de atividade buscou a relação entre esses processos mentais e a cultura. p. A construção da mente. traduzido da publicação norte-americana para o português em 1992 e organizado por M &S Cole após a morte de Luria.

Dentre eles. os contrastes.ATENÇÃO PARA LURIA – PONTUAÇÕES A PARTIR DE AMDE-PATEZ (2010) Em Curso de Psicologia Geral (1991) e Fundamentos da Neuropsicologia (1981). dos processos motores e do pensamento (LURIA. Nesses estudos. 192 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . Os estímulos ignorados permanecem como “pano de fundo” na consciência. o que significa dizer que o motivo que a estimula pode estar tanto no sujeito que tem a atenção. quanto o objeto pode atraí-la em razão de suas características e qualidades. Assim. quanto no objeto de atenção. sendo ativados em caso de necessidade. o ser humano seleciona os dominantes. Luria destaca a intensidade e a novidade do estímulo. a realização de qualquer atividade humana. A atenção é uma atividade orientada para o objeto e possui uma direção. que se volta para um estímulo em detrimento de outro. A relação entre o sujeito e o objeto é bilateral: tanto a atenção se dirige para o objeto por algum interesse imediato ou necessidade do sujeito. também. O caráter seletivo da atenção. Mesmo que surjam inúmeros estímulos externos no campo perceptivo. consequentemente. Os fatores externos. Sem esse caráter seletivo. Com base em suas ideias podemos explicar essa relação bilateral da seguinte forma: a atenção possui fatores que delimitam sua manifestação. uma quantidade de informação desorganizada emergiria no campo do pensamento. Tais fatores podem ser tanto de ordem externa quanto de ordem interna. as mudanças bruscas e o movimento. para o desenvolvimento da percepção. Luria evidencia os processos psicológicos (Funções Psicológicas Superiores-FPS). chegam-lhe pelo campo da percepção e determinam o sentido e o volume da atenção. define a atenção como a capacidade humana de selecionar os mais importantes estímulos existentes no meio externo. 1991). ignorando aqueles que dificultam o processo racional do pensamento. definem suas propriedades e a seleção dos processos psíquicos. seria impossível o acesso ao pensamento organizado e. é necessário. resultando em associações descontroladas. extrínsecos ao indivíduo.

ilumina mais. no campo perceptivo. Se. cor ou tamanho. o contraste entre os estímulos está relacionado as suas propriedades. apenas servirá de estímulo se for compreendida. Essa mudança brusca pode ser tanto a interrupção de uma luz ou de um som. Estímulos fortes. dentre vários estímulos conhecidos. então. ou seja. Por exemplo. a atitude emocional. mais ele se destacará. surgir um incomum. o estado de ânimo. Por fim. os estímulos tiverem a mesma intensidade. Quanto aos fatores internos. No sujeito. o temperamento. encontram-se a personalidade. as propriedades do indivíduo são forças PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 193 . se houver dois estímulos ou mais. o cansaço e os processos mentais. voltando-se ora para um ora para outro. Já a novidade do estímulo está relacionada a sua singularidade e originalidade. também chamará a atenção do sujeito. se despertar a curiosidade do sujeito. se.A intensidade do estímulo está relacionada a sua força. é este que atrairá a atenção do sujeito. sejam elas de forma. a atenção do sujeito voltar-se-á para aquele que tem maior força. porém. Quanto mais forte a intensidade do estímulo. Na estrutura da atividade. como uma luz intensa. Se um estímulo sonoro ou visual mudar bruscamente. Isso quer dizer que. facilmente chamam a atenção do sujeito. nenhum deles se destaca e a atenção do sujeito sofre oscilações. cores brilhantes. se tiver relação com alguma experiência passada ou. A atenção é dirigida involuntariamente para as diferenças perceptíveis. estão situados no próprio sujeito e na estrutura de sua atividade. O mesmo acontece com o movimento dos objetos. quando se entra em um recinto com baixa iluminação. o caráter. de intensidades diferentes. a atenção se dirige imediatamente para a lâmpada que tem maior voltagem e que. por isso. embora as demais lâmpadas também iluminem o local. é a que tem maior intensidade que desperta a atenção do sujeito. quanto seu começo. Segundo a visão clássica de estruturação psíquica. No entanto. sons e cheiros fortes. A novidade. Assim. os interesses e as necessidades influenciam a dinâmica da atenção.

internas, inerentes ao homem. Para evitar o erro de relacionar esses fatores internos a fatores de ordem hereditária ou a funções psíquicas abstratas, é necessário distinguir os conceitos de personalidade, caráter, temperamento, emoções, interesses e necessidades. Para a Teoria Histórico-Cultural, a personalidade do sujeito é parte constituinte da consciência e, como tal, sua formação também sofre influência externa: “[...] a personalidade constitui uma formação integral de um tipo especial. Não é uma integridade condicionada de modo genotípico: a personalidade não nasce, a personalidade se faz1” (LEONTIEV, 1978, p. 137, tradução nossa). A personalidade desenvolve-se ao longo da vida, “formando-se na atividade concreta” (RUBINSTEIN, 1972, p. 21). Seu desenvolvimento depende do aparato anatômico fisiológico sadio; este, embora seja condição, não é determinante desse desenvolvimento. Dessa forma, a personalidade resulta da relação dialética entre os fatores internos e externos ao homem. O temperamento é um “aspecto dinâmico da personalidade, que caracteriza a dinâmica da sua atividade psíquica [...] está alternadamente ligado a todos os restantes aspectos da vida da personalidade e condicionado por todo o conteúdo concreto da sua vida e da sua atividade” (RUBINSTEIN, 1972, pp. 89-90). Ele se manifesta na força, na velocidade e no ritmo das manifestações psicomotoras humanas, ou seja, aparece na lentidão, na rapidez, na calma ou na agitação das ações práticas, dos movimentos expressivos e da forma da linguagem. O caráter está relacionado à orientabilidade do temperamento: “[...] o temperamento é a premissa presente e o caráter o resultado final do processo educativo” (VIGOTSKY, 2004, p. 398). Ou seja, o caráter não é estático, é dinâmico; resulta da luta das forças inatas contra as adquiridas. Assim, o processo educativo é de grande valia na formação do caráter do educando, embora tal intervenção não se dê de forma direta. É como o jardineiro que, ao adubar e regar o solo, tornando o meio propício para o desenvolvimento da planta, influencia de forma indireta seu crescimento.
“la personalidad constituye uma formación integral de um tipo especial. No es uma integridad condicionada de modo genotípico: la personalidade no nace, la personalidad se hace”.
1

194

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

Os estados de ânimo relacionam-se à postura diante da vida, podendo ser eufóricos ou depressivos e também aprendidos (RUBINSTEIN, 1972). Quanto aos interesses, Vigotsky (2004) os define como a disposição psíquica de se voltar para um ou outro objeto, em razão das necessidades socialmente constituídas. Desse modo, “tudo o que fazemos [...] fazemo-lo movidos por um interesse, ainda que seja por um interesse negativo como temer complicações” (2004, p. 112). Conforme Vigotsky (2004, p. 112), o interesse é:
uma disposição de preparar o organismo para certa atividade, disposição essa acompanhada de uma elevação geral da atividade vital e do sentimento de satisfação. Quem escuta algo com interesse prende a respiração, aguça o ouvido na direção do falante, não desvia deste a vista, suspende qualquer outro trabalho e movimento e, como se diz, ‘se torna todo ouvidos’. Isso é a expressão mais completa da total concentração do organismo em um ponto, da sua plena transformação em um tipo de atividade.

Necessidade e interesse andam juntos. As necessidades “[...] manifestam as suas relações práticas (do homem) com o mundo e a sua dependência deste” (RUBINSTEIN, 1972, p. 29). As necessidades, o impulso primário da atividade, são historicamente determinadas e dão lugar ao interesse. Com base na análise dos fatores externos e internos do desenvolvimento da atenção arbitrária, é possível afirmar que a estruturação da atenção racional depende das propriedades do meio e também de como esse meio é internalizado pelo sujeito. Os traços individuais resultam da atividade e do lugar que o sujeito ocupa em suas relações sociais, o que configura uma unidade dialética. Como o sujeito e a estrutura da sua atividade estão em confluência com a realidade objetiva, forma-se essa unidade, na qual um fator interno, ao mesmo tempo em que é resultado, influi no movimento do meio. Assim, quando os autores evidenciam a influência do estado de ânimo do sujeito, da sua atitude emocional, do seu cansaço e de seus processos mentais (sobretudo, o volume e a constância da atenção) e do seu interesse sobre a formação da atenção, eles estão se referindo a esse movimento dialético no qual a consciência está embasada. Por meio dele, de forma concomitante, os processos citados são influenciados

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

195

pelas situações externas e influenciam na aquisição da atenção voluntária. Por isso, um mesmo estímulo pode ser percebido de diferentes maneiras pelas pessoas, já que cada uma ocupa um lugar diferenciado nas relações sociais, exercendo um tipo específico de trabalho na sociedade capitalista.

Estímulos Fatores externos Contrastes Mudanças Movimentos Atenção Fatores internos Sujeito (personalidade, caráter, temperamento, estados de ânimo, processos mentais) Sentido Volume

Estrutura da atividade (interesses, necessidades)

Estabilidade Volume

Fonte: Quadro organizado por AMUDE-PATEZ (2011).

Segundo estudos de Luria (1991), os fatores externos e internos, além de determinar a manifestação da atenção, influenciam na constituição das propriedades da atenção que são: o volume e a estabilidade. O volume corresponde à quantidade de estímulos externos que assumem caráter dominante, ou seja, que podem ser captados de uma só vez pelo campo perceptivo. A estabilidade da atenção é a duração com a qual esses processos discriminados pela atenção podem manter seu caráter dominante. A estabilidade da atenção está sujeita a oscilações periódicas. Como a atenção é um processo dinâmico e está relacionada à experiência sensorial, em alguns momentos, o estímulo perde seu caráter dominante, mas, em outros, o recupera. Assim, a oscilação da atenção pode ser influenciada pela oscilação da precisão sensorial, do cansaço, da falta de adaptação dos órgãos sensoriais, ou, ainda, da

196

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

observação de figuras ambíguas. Podemos distinguir dois níveis ou tipos de atenção: a atenção involuntária e a atenção voluntária (ou atenção arbitrária, racional). Quadro 1- Quadro sintético de comparação entre a atenção involuntária e a atenção voluntária
ATENÇÃO INVOLUNTÁRIA - Determinada pelas trocas e oscilações do meio externo, ou seja, pelo aparecimento dos estímulos novos, por mudanças bruscas, por contrastes e força dos estímulos; além disso, depende dos interesses imediatos, das necessidades e do estado de ânimo do sujeito. É um tipo de atenção que se produz e se mantém independentemente da intenção do indivíduo. - Forma primitiva de atenção. - Deve-se a comportamentos reflexos. - Caráter instável. - É passiva, por ser governada por fatores independentes do sujeito, por exemplo, um ruído repentino, uma sensação de fome. - Não intencional, na medida em que é guiada por estímulos externos ao indivíduo. - Espontânea. ATENÇÃO VOLUNTÁRIA - Determinada pelos fins da atividade consciente a que se dirige. - Exigida sempre que não existe um interesse imediato, mas que é preciso orientar a atenção para um objeto por meio de um esforço consciente. - Forma desenvolvida de atenção. - Desenvolve-se da atenção involuntária. - Caráter estável. - Caráter ativo, por ser orientada pelo próprio sujeito.

- Atenção orientada por esforço consciente. - Tem caráter mediato, em razão de o objeto que é foco da atenção não a atrair diretamente sobre si.

Fonte: Fundamentado em Rubinstein (1973b), Gonobolin (1969) e Luria (1991; 1981).

Feito isso, iremos analisar de que forma a atenção voluntária se forma e se desenvolve nos indivíduos, considerando, especialmente, as interações sociais e o uso da linguagem: “na criança em desenvolvimento, as primeiras relações sociais e as primeiras exposições a um
PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

197

que. 1991. a criança apresenta um tipo de atenção rudimentar. é involuntária. Nesse processo de interação social. ocorre a inibição de reações aos estímulos secundários. 1991. torna-se o estímulo principal.] a criança vive num ambiente de adultos e se desenvolve num processo vivo de comunicação com eles. de atos e gestos do adulto influencia essencialmente a organização dos processos psíquicos da criança (LURIA. de outro. p. nesses primeiros meses de vida. que é interrompida quando a atenção é desviada para o estímulo principal. que se realiza através da fala. por ser um estímulo novo. a criança em idade tenra tende a interromper a sucção. A atenção. Assim. direcionar o olhar e depois a cabeça rumo ao estímulo sonoro ou luminoso abrupto. que não é capaz de orientar seu comportamento. concomitantemente. surge um sistema seletivo de respostas e. Essa comunicação. os adultos 198 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . adquire status principal e o ato de sugar torna-se uma atividade secundária. de um lado. mudanças da respiração. logo após o nascimento. vasculares e motoras. sentimentos e modos de comportamento. 1991). dentre as quais podemos mencionar a virada de olho e de cabeça no sentido do novo objeto e a reação de precaução (reações vasculares.sistema linguístico (de significado especial) determinam as formas de sua atividade mental” (LURIA. Isso ocorre porque o estímulo sonoro ou luminoso. O reflexo orientado pode surgir em virtude de uma mudança de situação ou pela expectativa de um estímulo novo. não intencional e involuntário. mesmo que esteja sendo amamentada. quando o infante ainda não domina a linguagem. Em resposta a esse estímulo. desorganizando a ação. em razão da originalidade. ideias. com caráter de reflexo orientado (LURIA.. mesmo que seja no princípio. essa forma de atenção se faz presente em virtude do convívio com os adultos. O autor destaca como manifestação reflexa aos estímulos biologicamente significativos um conjunto de reações eletrofisiológicas. a atenção involuntária se desenvolve e adquire forma mais complexa: [. Com o passar do tempo. reações galvânicas da pele) ou escuta. p. Por meio da linguagem. 23). Nos primeiros meses de desenvolvimento. 25)..

generalizam e codificam suas experiências. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 199 . Quando um adulto utiliza a linguagem para interagir com a criança. é capaz de indicar e nomear objetos. a mãe. ao dominar a linguagem. a atenção se transfira de um objeto para outro. Nas fases iniciais do desenvolvimento da criança. quanto com as mãos. Então. desenvolvem-se capacidades intelectuais. que guia a atenção da criança. Luria (1991. sinaliza um objeto destacando-o do campo perceptivo amplo do infante que o explora tanto com o olhar. que se submete à indicação verbal e gesticular do adulto – geralmente. o indivíduo aprende a falar e. Essa interação é necessária. que é amplo. para que sua atenção seja desenvolvida. com a única diferença de que aos fatores naturais do meio exterior incorporam-se os fatores da organização social do seu comportamento e o controle da atenção da criança por meio de um gesto indicador e da palavra. na medida em que a função comunicativa está estreitamente combinada com o pensamento. 25) ressalta: a atenção da criança continua a ter caráter involuntário e exteriormente determinado. pois crianças muito pequenas não diferenciam e nem distinguem os objetos que as circundam: é a instrução verbal da mãe que cumpre esta função. em razão de a instrução verbal provocar uma influência seletiva forte e rigorosa. por meio dos quais as crianças analisam. p. que se torna o objeto principal. distinguindo-os dos demais. quando a mãe nomeia um objeto do ambiente e o aponta com o dedo. está dividida entre o adulto. Posteriormente. por meio da linguagem. seu campo perceptivo. a atenção da criança é atraída para este objeto. que se configura como uma função interpsíquica. O adulto. Percebemos que a organização da atenção nessa fase. Entretanto. o que torna possível que. deixando de lado os demais por um período temporário por se tornarem irrelevantes. é direcionado para um foco.concretizam sua função inicial de comunicação. Com o domínio da linguagem. expressão e compreensão e tornam possível a organização do pensamento da criança. por meio de um esforço consciente que se mantém estável por um período maior. é necessário tanto sua atuação quanto a do adulto. e a própria criança. como o pensamento e a dedução.

caso haja objetos desconhecidos em seu campo perceptivo. tendo dificuldade para focar sua atenção no objeto nomeado. que a instrução verbal pode acionar um comportamento. promovendo um salto do sensorial ao racional. 229).A linguagem é assimilada por meio das relações sociais. está relacionada ao desenvolvimento das capacidades psicológicas necessárias para que a instrução verbal realize sua função de regular o pensamento. tipicamente humana. que é produto do desenvolvimento histórico-social e que leva anos para se configurar: “a formação da atenção voluntária tem uma história longa e dramática. que direciona a atenção da criança. o segundo. ao contrário. tornando-se organizada e arbitrária. 1981. 200 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . depende tanto da faixa etária do sujeito2 . Assim. O autor relaciona a linguagem ao desenvolvimento da atenção. Sobre essa fase. a mediação do adulto é decisiva na orientação da atenção. No entanto. a atenção começa a ser guiada não apenas por percepções e impressões. considerando que o comando verbal e o gestual tem uma influência orientadora e reguladora. quando se direciona a atenção da criança para uma bolinha. Por exemplo. o autor menciona dois fatos: o primeiro é que a instrução verbal não consegue competir com os fatores que norteiam a atenção involuntária. mas não reprimi-lo. Cabe ao adulto direcionar a atenção 2 A faixa etária não está relacionada à maturação biológica. Contudo. A função intrapsíquica demarca a passagem da forma de atenção elementar para a atenção superior. socialmente organizada. Assim. e a criança só adquire uma atenção eficiente e estável. mas. quando estão se formando os primeiros conceitos e valores da criança. é difícil fazê-la soltar por meio de outro comando verbal. o que nos permite dizer que ela se tornou uma função intrapsíquica. Aos três anos. ela poderá se distrair. as reações motoras continuam se repetindo independentemente de o comando cessar. quanto das condições distrativas próximas a ele. por meio do comando verbal. pouco tempo antes da hora em que deverá começar a frequentar a escola” (LURIA. a criança direcionará seu olhar para o brinquedo e tentará pegá-lo com as mãos. quando a mãe pergunta: .cadê o ursinho de pelúcia. depois que ela a pega. mas pela orientação do pensamento (que passa por uma reorganização radical). esclarece que essa capacidade de responder a uma instrução verbal não ocorre de imediato. Por volta dos dois anos de idade. p.

porque. o resultado é a leitura incorreta da palavra. mas apenas uma de suas partes. seus processos sensoriais. também. em razão da fala interna da criança. segundo os autores. é capaz de organizar. conforme Luria em suas duas obras mencionadas. a seletividade da atenção. como e quando dirigir a atenção. com seis anos de idade aproximadamente. educadores e responsáveis pela formação da criança. Por isso a importância em nós. Já as crianças em idade escolar. ela torna possíveis o pensamento e a atividade social. embora se saiba que a instrução verbal do adulto só vai se efetivar quando coincidir com a percepção imediata da criança. Nos primeiros anos da escola formal. quando está na idade pré-escolar. quando o aluno não percebe a palavra como um todo.da criança para o quê. Outro dado importante fornecido pelos autores é que o infante se torna capaz de guiar sua atenção por meio da fala interna. além de organizar seu comportamento. é indispensável para a realização da atividade humana. em decorrência disso. A partir dessas informações. Nesse caso. nossas aulas poderão ser organizadas de maneira a trabalharmos PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 201 . compreendermos esse aspecto de forte relevância (a atenção humana) na obra de Luria. apresentam atenção de caráter um pouco mais estável do que na fase anterior. Isso pode ser constatado nas aulas de leitura. Na medida em que proporciona ao homem a capacidade de selecionar os estímulos provenientes do meio. Em resumo. Na fase dos quatro e cinco anos. de forma que um desenvolvimento insuficiente da atenção corresponde a uma percepção superficial. está desenvolvida a tal ponto que. a capacidade de a criança atender a uma instrução verbal torna-se forte e. O desenvolvimento da atenção e o da percepção são intrínsecos: para desenvolver a atenção voluntária é necessário estimular a percepção. a atenção é uma função psicológica imprescindível ao ser humano. por volta dos sete anos. além de ser importante para o desenvolvimento das demais FPS. a fala pode se sobrepor aos fatores que norteiam a atenção involuntária.

Ishaan Awasthi. Mas. um professor substituto de artes entra em cena e logo percebe que algo de errado estava pairando sobre Ishaan. 202 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . como diz. de 9 anos. da vida… A fi losofi a do internato é a de disciplinar cavalos selvagens. o que o leva a por em prática um ambicioso plano de resgatar aquele garoto que havia perdido a vontade de viver. Tal atitude só faz regredir em Ishaan a vontade de aprender e de ser uma criança. e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção.melhor a atenção da criança para que a mesma possa apreender os conteúdos científicos sistematizados ao longo da história da humanidade. já repetiu uma vez o terceiro período (no sistema educacional indiano) e corre o risco de repetir de novo. sentindo falta da mãe. Após serem chamados na escola para falar com a diretora. o pai do garoto decide levá-lo a um internato. Visivelmente deprimido. sem que a mãe possa dar opinião alguma. Dica de filme – Parada Obrigatória! Como Estrelas na Terra – toda a criança é especial Título original: Taare Zamen Par – every child is special Lançamento/país: 2007/ EUA Diretor: Aamir Khan Gênero: Drama Taare Zameen Par conta a história de uma criança que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Seu pai acredita apenas na hipótese de falta de disciplina e trata Ishaan com muita rudez e falta de sensibilidade. As letras dançam em sua frente. do irmão mais velho. Não demorou para que o diagnóstico de dislexia fi casse claro para ele.

é o mostrar a referência que entendemos ser o papel fundamental da afetividade. Na escola. A esta deve ser dada. respostas e direcionamentos de maneira sempre mediativa. em um contexto familiar e escolar. mostrando-lhe o sentido de tudo o que é aprendido em sala de aula. mas para acompanhar e mediar situações de conflitos nas relações e na aprendizagem. É o dar sentido. a afetividade influencia na construção da individualidade da criança e no PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 203 . O professor não está na escola para resolver os problemas afetivos das crianças. a atenção do educador tem como figura central e constante a criança. Não queremos trazer aqui a figura da afetividade em um tom romântico. Vejam a importância do outro para a relação e a formação humana! Vejam a importância da afetividade nessa relação. quando preciso for. Vigotsky (1930) já pontuava essa necessidade de referência do mediador para a estimulação da Zona de Desenvolvimento Proximal da criança. de maneira adequada e bem dirigida. enquanto meio. Nesse sentido. podemos observar os estímulos que o meio propicia por meio das condições afetivas. Entendemos que o meio social é o fator proeminente do processo de aprendizagem. a afetividade durante todo processo de apropriação do conhecimento é fundamental. para isso. dentro do processo acadêmico-científico. econômicas nas quais a criança está inserida. há a interferência sobre o indivíduo. Em absoluto! Afetividade não é isso! Afetividade é crer na possibilidade de avanço da criança. Nesse sentido. Sendo esta sensibilidade uma disposição em prestar atenção aos sinais da criança e entendê-los de maneira rápida. mas implica na sensibilidade padrão de conduta que contextualiza esta relação. sociais. no ambiente escolar o professor é o mediador para uma aprendizagem significativa.AFETIVIDADE E EDUCAÇÃO. EXISTE ESSA CORRELAÇÃO? A relação pais e filhos independem de apenas possuir sensibilidade materna ou paterna.

desenvolvimento de sua personalidade. Na escola, as relações com os amigos e professores, estabelecem um amplo espaço para desenvolver a individualidade, dentro de um contexto sócio-histórico, por meio dos conflitos cotidianos em sala de aula, no pátio, nas brincadeiras, tornando a escola um dos centros de relações mais importantes na vida das crianças. É nesse contexto que a criança aprende a ser gente, a ser humano, a constituir-se como um ser humano. Por meio da afetividade, revela-se o desejo e sendo esse desejo revelado surge o querer que busca algo a ser alcançado: o aprender. Ou seja, a afetividade rompe com “barreiras” que bloqueiam a aprendizagem, tornando-a satisfatória e não “enfadonha” em todos os momentos. Entre essas barreiras encontra-se o medo do fracasso, de perder o controle, medo da reação do meio. Bloqueios estes vão sendo enraizados no decorrer das experiências de sucesso e fracasso na vida da criança.

O medo revela expressões de insegurança, fuga, autoproteção e busca por atenção. Ele paralisa, e o estímulo à coragem pode mediar o processo de superação, podendo ser apenas o desejo de tentar um triunfo. Crianças que apresentam dificuldades e/ou distúrbios de aprendizagem tendem a manifestar constantes alterações de sentimentos, oscilações entre a tristeza e a alegria.

204

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

Nessa perspectiva, observar os sinais emocionais é de suma importância. Alguns sinais emocionais podem ser indicativos de que algo não está bem e, ainda, podem interferir e/ou prejudicar a aprendizagem. Os sinais mais comuns são a raiva, a agressividade, o medo, a timidez em excesso, a ansiedade e a insegurança. Crianças com fortes experiências de frustração e falta de afeto e amor, que vivem em ambientes de opressão e agressão podem adotar a agressividade como uma forma de proteção. Verificamos que a escola é o ambiente no qual essas condutas “explodem”. Mesmo exercendo essa figura de empatia com as crianças, essa humanidade que necessita ser inerente a nossa classe profissional, o professor precisa ter em mente que sua função, na escola, é a transmissão do conteúdo científico historicamente acumulado pela sociedade.

DISTÚRBIOS EMOCIONAIS
Parece que quando tratamos da área educacional, em particular naquilo que tange o processo de desenvolvimento e aprendizagem do ser humano, sempre há alguns distúrbios que atingem o ápice da “moda”. Virou mania falarmos em TDAH. Agora “virou mania” falarmos em Distúrbio Desafiador e de Oposição - DDO. Não afirmamos aqui que esse distúrbio não existe, o que pedimos é a atenção para diagnósticos desenfreados, os quais não têm levado em consideração a observação da criança em sua totalidade. Por isso, pedimos cuidado! Segundo o DSM IV, o Transtorno Desafiador de Oposição tem como característica essencial:
um padrão recorrente de comportamento negativista, desafiador, desobediente e hostil para com figuras de autoridade, que persiste por pelo menos 6 meses (Critério A) e se caracteriza pela ocorrência freqüente de pelo menos quatro dos seguintes compor-

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

205

tamentos: perder a paciência (Critério A1), discutir com adultos (Critério A2), desafiar ativamente ou recusar-se a obedecer a solicitações ou regras dos adultos (Critério A3), deliberadamente fazer coisas que aborrecem outras pessoas (Critério A4), responsabilizar outras pessoas por seus próprios erros ou mau comportamento (Critério A5), ser suscetível ou facilmente aborrecido pelos outros (Critério A6), mostrar-se enraivecido e ressentido (Critério A7), ou ser rancoroso ou vingativo (Critério A8). A fim de se qualificarem para o Transtorno Desafiador Opositivo, os comportamentos devem ocorrer com mais freqüência do que se observa tipicamente em indivíduos de idade e nível de desenvolvimento comparáveis e deve acarretar prejuízo significativo no funcionamento social, acadêmico ou ocupacional (Critério B).

Quanto aos comportamentos, o DSM IV pontua que os mesmos tendem a ser:
[...] negativistas ou desafiadores, são expressados por teimosia persistente, resistência a ordens e relutância em comprometer-se, ceder ou negociar com adultos ou seus pares. O desafio também pode incluir testagem deliberada ou persistente dos limites, geralmente ignorando ordens, discutindo e deixando de aceitar a responsabilidade pelas más ações. A hostilidade pode ser dirigida a adultos ou a seus pares, sendo demonstrada ao incomodar deliberadamente ou agredir verbalmente outras pessoas (em geral sem a agressão física mais séria vista no Transtorno da Conduta). As manifestações do transtorno estão quase que invariavelmente presentes no contexto doméstico, mas podem não ser evidentes na escola ou na comunidade. Os sintomas do transtorno tipicamente se evidenciam mais nas interações com adultos ou companheiros a quem o indivíduo conhece bem, podendo assim não serem perceptíveis durante o exame clínico. Em geral, os indivíduos com este transtorno não se consideram oposicionais ou desafiadores, mas justificam seu comportamento como uma resposta a exigências ou circunstâncias irracionais.

O DDO em crianças sem tratamento adequado pode transformar-se em um Distúrbio de Conduta e com tratamento ainda pode evoluir para um quadro de Transtorno de humor ou ansiedade, podendo persistir alguns sintomas de agressividade. O Distúrbio de Conduta é considerado o mais grave distúrbio psiquiátrico da infância, sendo um padrão repetitivo e persistente de violação de regras, constantemente, violadas. Dos sintomas abaixo mencionados ao menos três devem estar presentes nos últimos doze meses e pelo menos um critério presente nos últimos seis meses, como a agressividade com pessoas e animais, costuma tiranizar, ameaçar ou intimidar os outros; costuma iniciar lutas físicas; usou alguma arma que possa causar danos físicos a outros; crueldade física com animais e/ou

206

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

pessoas; roubou durante confronto (assalto, furto de bolsa etc.). Destruição de propriedade, envolveu-se em incêndios com intenção de prejudicar; destrói propriedade alheia; violações graves das regras, costuma “matar aula” antes dos 13 anos de idade; já fugiu de casa à noite pelo menos duas vezes; fica fora durante a noite apesar das proibições dos pais; fraudes ou roubo, furtou artigos de valor; costuma mentir para adquirir favores ou bens para evitar trabalhar; já invadiu domicílios, edifícios ou carros. Destacamos, porém, que essas nomenclaturas existem apenas para a clarificação do quadro que temos que lidar. Nossa perspectiva é a de que todo o ser humano evolui, desde que haja a crença no mesmo e as condições necessárias para o seu processo de desenvolvimento e aprendizagem.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Na unidade V vimos a relevância da atenção para o processo de apreensão do conhecimento científico, dando destaque para a obra de Alexander Luria, um dos pensadores que compunham a Teoria Histórico-Cultural, e que hoje é muito estudado por pesquisadores da área da neurologia. Foi de intuito, ainda, entendermos a correlação de afetividade e educação, ressaltando, aqui que a afetividade defendida nada se respalda no ideário romantizado, mas sim àquilo que tange uma aprendizagem repleta de sentido para o aluno, em uma correlação entre conteúdo científico e prática cotidiana.

ATIVIDADE DE AUTOESTUDO
1. Sugerimos que você, juntamente com o seu grupo de estudos, faça uma síntese sobre o seguinte tema: “o que é a atenção para Luria?”. No mínimo 20 linhas. 2. Explique, após as discussões realizadas, se há uma correlação entre afetividade e educação. 3. Faça uma síntese do filme “como estrelas na Terra - toda criança é especial”, discutindo o ponto de vista vigotskyano sobre a aprendizagem humana.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância

207

com. L. O desenvolvimento psicológico na infância. 2003. Acesse o site <www. discuta com o seu grupo de estudos as diferentes formas de aprendizagem e as especifi cidades humanas para que a aprendizagem formal aconteça. S.Vigotsky.aprendercrianca. São Paulo: Martins fontes. “O caminho do objeto até a criança e desta até o objeto passa por outra pessoa” .VIGOTSKY.br>. 208 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

Amanda Mendes Amude Patez. no decorrer da escrita deste livro.. e não apenas em esmiuçar os problemas e as dificuldades de aprendizagem. “não queríamos que você imaginasse que teria que encontrar problemas em crianças”. ou que você imaginasse que teria que lidar em sua rotina profissional com “crianças-problema”. desenvolvimento e aprendizagem. assim como a crença em seu processo de crescimento. Lussuede Luciana Sousa Ferro.. Nossa postura é a de que o homem se torna homem por meio das relações sociais que são datadas historicamente. professora Márcia e eu. mostrar a nossa preocupação com a formação humana. Tivemos uma intenção durante nosso processo de escrita. também. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 209 . Enquanto educadores precisamos acreditar na melhora do outro. quisemos. no desabrochar de novas experiências. conscientemente. Acreditamos que o ser humano desenvolve-se a partir da interação com outros seres humanos. que nos auxiliou na compreensão sobre dificuldades de aprendizagem ligadas a área da leitura e da escrita. mesmo após sua morte. deixar marcada a nossa postura de que o respeito para com a criança é fundamental. Gostaríamos. Optamos por começar a nossa escrita dessa maneira por um simples motivo. O que buscamos foi mostrar que o ser humano precisa ser visto como um todo. São eles Fábio Genari. um dos maiores pensadores dos últimos tempos.CONCLUSÃO PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA Buscamos. que clarificou dados sobre a atenção em Luria. com uma vasta obra que. tem sido muito divulgada na área da neurociência e também na área educacional. de agradecermos aos profissionais que partilharam de seu conteúdo científico conosco. Foi de nosso intuito mostrar. que testes e instrumentos existem apenas para um complemento para o nosso trabalho. que trabalhou um resgate da construção da categoria infância. Quisemos mostrar o profundo respeito que temos por toda e qualquer criança que porventura temos contato. na chance de mudança. e que a queixa quanto à criança precisa ser contextualizada. e não como determinantes de todo o processo a ser realizado com a criança.

Gescielly Tadei e Márcia Storer 210 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . acreditamos ser sempre esse o nosso ponto de partida ao sermos convocados a realização de trabalhos com crianças. Até breve! Um abraço. como afirma a professora mestre Cláudia Lopes da Silva. elas nascem em famílias. “as crianças não nascem em vasos. nascem em determinada cultura. em dado contexto social.Afinal. histórico e cultural”.

Nelson Venturella. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá. Orientadora: Maria Terezinha Bellanda Galuch. Algumas reflexões sobre o ensino mediado por computadores. 2010. Acesso em: 08 ago. Disponível em: <www. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 211 . 2010. Amanda Mendes. 2010.com.br/lec/02_00/ Cintia-L&C4..planalto. AMUDE-PATEZ.br/ccivil_03/leis/ leis_2001/l10216. ABC da Saúde – on line.REFERÊNCIAS ABREU. 2010. Rio de Janeiro: LTC. BASSO.leoabreu. 647–663. Neurologia e Fonoaudiologia. São Paulo: Pulso.psc.216 de 6 de abril de 2001. scielo. I. Maringá.htm>. Vocabulário de psicomotricidade. 2003. ARIÈS. F. Acesso em: 10 fev. abcdasaude. 2010. Lei 10. Berenice Ferreira Leonhardt de. México: Trillas. 2010. Acesso em: 08 ago. Universidade Federal de Santa Maria. 1996. 1978. Gary. Acesso em: 10 ago. Disponível em: <http://www. ASPESI. Cinthia Maria. S. Vicente José.ufsm. Afasia. Acesso: 3 maio 2011. Disponível em: <http://www. ASSENCIO-FERREIRA. História social da criança e da família.br/scielo. ASTON-JONES. Philippe. 2010. Disponível em: <http://www.br>. SUBSÍDIOS DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA ATENÇÃO NA EDUCAÇÃO ESCOLAR. BASSO. ARDILA.php?pid=S0101-32621998000100003&script=sci_arttext-47k>. 120f.br/artigo>. Significado e sentido do trabalho docente. 1998. Simplified dynamics in a model of noradrenergic modulationof cognitive performance. OSTROSKY-SOLÍS. Disponível em: <http://www.gov. Neural Networks 15 (2002). BRASIL. Diagnóstico Del daño cerebral: enfoque neuropsicológico. A. psicopedagogia e psicologia infantil.htm>.

GALLO. 229-239. Luseni Maria C. 2010. Ana Mercês Bahia.BOCK. 1996. 29. Maringá. BOCK. CASTRO. Maria de Lourdes Trassi. pp. The development of selective attention in children with attention deficit hyperactivity disorder. Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ. São Paulo: FTD. In: TANAMACHI. BROTHERHOOD. Marilene Proença Rebello (orgs). TEIXEIRA. CULTURA BRASIL. Juventude e políticas sociais no Brasil. Ana Mercês Bahia. CLASSIFICAÇÃO DE TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO DA CID-10: Descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. As influências do Barão de Münchausen na Psicologia da educação. Cognição. Brasília. Jorge Abrahão de. Warren D. Acesso em: 08 ago. Elenita de Rício.br>. (2001). Maringá. Odair. Disponível em: <http://www. BUENO.org/marx. Raquel. 2010. culturabrasil.). Porto Alegre: Artes Médicas. Disponível em: <http://www. Marisa Lopes & PROENÇA. Acesso em: 08 ago. Alex Eduardo. ANDRADE.cienciasecognicao. Disponível em: <http://www. Raquel. BRODEUR. GALLO. Significado de assimilação. 2010. CIÊNCIA E COGNIÇÃO. M. Minidicionário da língua portuguesa. AQUINO. DICIONÁRIO ON LINE DE PORTUGUÊS. São Paulo: Casa do Psicólogo. DF: Ipea. Centro Universitário de Maringá (CESUMAR). Organização Mundial de Saúde (Org. São Paulo: Saraiva. POND. Psicologia da Educação.com.htm>. 2010. 2010. Silveira.11-33. FURTADO. Psicologia da Educação. A. 2010. United States. ROCHA. BROTHERHOOD. 2009. 2000. BRACY. Carla Coelho de (Org. 1995. Centro Universitário de Maringá (CESUMAR). de. Journal of Abnormal Child Psychology. Alex Eduardo.dicio.). 1993. D. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. 1999.org>. Evidence cases and problems. Acesso: 10 ago. Traços biográficos de Karl Marx. 212 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

TV Escola – Curso de Formação de Professores Alfabetizadores – PMG: mod. Educação escolar. Acesso em: 08 ago. Afetividade na sala de aula: o olhar Walloniano sobre a relação professor-aluno na educação infantil. Disponível em: <http://www. 2008. V. Crítica ao fetichismo da individualidade. __________. 1996. Aparecida de Goiânia: Faculdade Alfredo Nasser. CRUZ.dicio. __________. N.com. Disponível em: <http://www. FABRIL.coml>. São Paulo: Atual. Acesso em: 08 ago. Marilda Gonçalves Dias. Acesso em: 08 ago.. Campinas: Autores Associados.dicio.1 p. Contribuições da Teoria da Atividade para o debate sobre a natureza da atividade de ensino escolar. NASCIMBENI. M.com. 1997. 2001. 2010. Acesso em: 04 abr. Disponível em: <http://www. pp. FACCI. Newton (org). Jean Piaget na pedagogia: um estudo das fontes referenciadas na psicologia da educação. Significado de prognóstico. 3. FONTANA. C. 2011. DUARTE. ELIAS.blogspot. Praxia ou planejamento motor. Disponível em: <http://www.br>. 2004. Disponível em: <johannaterapeutaocupacional. In: DUARTE.br>. Duração: 58’35’. Acesso em: 08 ago.org. Construção da Escrita. Disponível em: <http://www. 2010. EIDT. Teorias Educacionais e Teorias Psicológicas: em busca de uma Psicologia marxista na educação. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 213 .com.dicio. teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. FARIA. N. 2010. Acesso em: 02 mar. Fátima. 2010. FRANCO. 5 Campinas: Autores Associados.br/reunioes/29ra/ trabalhos/posteres/gt20-2502--Int pdf >. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá. ESTUDOS SOBRE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL.99-120. R. Psicologia e trabalho pedagógico.anped. R. citi.pt/educacao>.br>.__________. 2010. N. Significado de dedução. 2009. Grazyelle Iaccino. M. Johanna Cordeiro Melo Franco. Epistemologia. 188f. 2010.. Significado de generalização.

Acesso em: 03 mar. G. 1998. Alberto. R. Consultoria e Cursos a Distância. Disponível em: <www. R. R. RJ : Vozes. n.. 1. A atenção por Luria e Vogotsky. São Paulo: Parábola. 7. 214 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . FUSTER. Cem Bilhões de Neurônios. 2004. História concisa da escrita. C. Cognitive neuroscience: The biology of the mind. L. S. 134 p. Saúde Unipar. Porto Alegre: Artmed. Maria Cristina. com. Arq. São Paulo: Atheneu. GALVÃO. Livros Horizonte. J. LEONTIEV. 1998. Third Edition (Philadelphia Lippincott-Raven). In: ______ . LENT. 1967. Manual de dificuldades de aprendizagem: linguagem. Freud e a Educação: o mestre do impossível. IZABEL. blogspot. jan. Umuarama. 67-71. S.ed./abr...htm>. 261-284.FILGUEIRAS. Acesso em: 6 maio 2011. and Neuropsychology of the Frontal Lobe. pp. 2009. Petrópolis. O Homem e a Cultura. A. O Desenvolvimento do Psiquismo. A base biológica da atenção. LEONTIEV. Disponível em: <albertofilgueiras. B. ed. 13. G. da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. São Paulo: Scipione. Lisboa: Livros Horizonte. Lisboa. 2000. A.cursoseducacaoadistancia. 1997. 2010. Alguns aspectos da relação recíproca entre educação e desenvolvimento da personalidade.M. São Paulo: Ed. R. M. pp. 1978. LEONTIEV. (2002). Jesus Nicasio. leitura. O Desenvolvimento do Psiquismo. KOSTIUK.br/teorias_aplicadas/cursos_a_distancia_henri_wallon.(Educação e conhecimento). GAZZANIGA. KUPFER. S. HIGOUNET. L. Ciênc. 2011.com>. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. KLEIN. MELO. New York: Norton & Company. R. Alfabetização: quem tem medo de ensinar? 5. GARCÍA. 2003. GONÇALVES. v. & Mangun. R. Ivry . The Prefrontal Cortex-Anatomy Physiology. In: LURIA. A. LE SUEUR. A. A. escrita e matemática. 2008.

LURIA. A. MARTUCHELLI.com>. (Org). 2010. 7. VYGOTSKY. MARTINS. L. São Paulo: EDUSP. Abigail Alvarenga. Vigotsky e a defectologia. Memória Operacional. Afetividade e Aprendizagem. MEDICINA EM PRÁTICA. 1989. Psicomotricidade: educação e reeducação. Olga Ceciliato. Mudanças: psicoterapia e estudos psicossociais. LEONTIEV. 2005. 1998. A.efdeportes. n. p. L. ed. S. São Paulo. 2006. MEUR. MARX. VIGOTSKI. São Paulo: Manole.. S. A. A. Acesso em: 5 maio 2011.medicinapratica. R. Porto Alegre: Artmed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. Acesso em: 08 ago. Linguagem. Fundamentos da Neuropsicologia. Disponível em: <http://www. A. R. São Paulo: Centauro.org>. 2006. 2009. Disponível em: <http://www. Departamento de Psicologia Social e Institucional da Universidade Estadual de Londrina. In: REZENDE. Jelmary Cristina Guimarães (et.consciencia.Buenos Aires . 62 Julio de 2003. Bateria Psicomotora de Fonseca: uma análise com o portador de deficiência mental.R. Revista Digital . R.al. São Paulo: Centauro. ed.br/tag/memoria-operacional/>. 6. Disponível em: <www. 2002. LURIA..n. 10.Año 9 . L. A. MATIOLLI. Junior.salesianolins. A. Infância e Psicopatologia. Fundamentos de Neuropsicologia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. R.5. et. K. Viver: mente & cérebro. LURIA. . 488p. STAES.F. N. 1981.. João Batista. Acesso em: 08 ago. Disponível em: <http://www. Curso de Psicologia Geral. br/areaacademica/materiais/posgraduacao>. Psicologia e Pedagogia: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Laurinda Ramalho de. ALMEIDA. Acesso em: 08 ago. 2010. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 215 . pp.). 2007. Daniel. LEONTIEV. 1984. São Paulo: Ícone. A ideologia alemã.LURIA. com. A. 56-65. LURIA. ENGELS. desenvolvimento e aprendizagem. O que é historicismo? Fórum consciência.al. MARCELLI. MAHONEY. 2010. 1979.

pp. OLIVEIRA. PATTO. 36. 2007. Disponível em: <http://fotolog. Jack A. OLIVEIRA. OLIVEIRA. Vigotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio-histórico.1590/S151797022010000400009. São Paulo. doi: 10. 8. B. Acesso em: 02 jun. São Paulo: Loyola. Educ. Freud e a Educação. A Queiroz.com. Disponível em: <http://www. São Paulo: T. OLIVEIRA. 239-248. REGO.htm>.. Revista de Iniciação científica da FFC.br/memory:9>. Mediação dialética na educação escolar: teoria e prática. Palhoça: UNISUL VIRTUAL. Marta Kohl de. 1987. M.scielo. L.mundoeducacao. 2009. 2010. NETTO. ALMEIDA. Johannes. Amanda de carvalho Maia. Maria Helena de Souza. Sonia. Acesso em: 09 jul. São Paulo: Scipione. abr. n. 00289. 2010. Acesso em: 06 ago. Logosofia. Acesso em: fev 2011. 1997.br>. 216 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .com.br/ artigo5. Disponível em: <http://homolog. Psicologia e Ideologia: uma introdução crítica à psicologia escolar. PATTO. spe. ARNONI. Psicologia do desenvolvimento na epistemologia genética. E. Disponível em: <www. v. E. Lais de Toledo Krucken. 2006. M. Disponível em: <www.uricer. MUNDO EDUCAÇÃO. V.psc. Intelligence. Transtornos e dificuldades de aprendizagem. Acesso em: 05 mar. PEREIRA.Memória Operacional e Cognição.MOOJEN. pp. ROJHAN. 2010. NAGLIERI. p. Memória de Trabalho .55-76.edu. Teresa Cristina. 2011. 2008. Contribuições da perspectiva histórico-cultural de Luria para a pesquisa contemporânea. br>. 2007. Pesqui. J.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022010000400009&lng=pt&nrm=iso>. Tânia Maria. v. Marta Kohl de. Problemas de aprendizagem ou problemas na escolarização? Universidade de São Paulo. n 2. 2011. 2005. 30/03/2006.br/scielo.terra.abrapee. Developmental gender differences on the Naglieri Nonverbal Ability Test in a nationally normed sample of 5–17 year olds. 2011. Capítulo II. Maria Helena Souza.

POLIDO. 2011. Produção Didático-Pedagógica: a origem da préhistória da escrita infantil. Disgrafia.com. Acesso em: 08 ago. The development of selective attention: A life-span overview. O. (1994). J.com>. Trabalhando com a Palavra Viva: a sistematização dos conteúdos de Língua Portuguesa a partir do texto. Neil. A. Idéias. SAVIANI. H. 2010.37-58. 1989.fee. RIO DE JANEIRO: Graphia. & Brodeur. SAMPAIO. 2010. Jelmary Cristina Guimarães (et.N° 62 .br/ disturbios. Abstração. 1995.efdeportes.br/>. pp.br>.28. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. D. B. Enns. 27-28. de S. pp. Acta Psychologica. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 217 . J..pr. ed. Rio de Janeiro. Ivan Luiz Marques. Acesso em: 06 jun.. Revista ANDE. 1995. Acesso em: 8 mar. D. SÉRKEZ. Disponível em: <www. D. 21. Disponível em: <http://www. Garantindo a todos o direito de aprender: uma visão socioconstrutivista da aprendizagem de linguagem escrita no Ensino Básico.psicopedagogiabrasil. São Paulo: Cortez e Autores Associados.). 2010. MARTINS. O Desaparecimento da Infância. F. Tereza Cristina. REZENDE. São Paulo. v. 1997. Sentido da pedagogia e papel do pedagogo. São Paulo: FDE. R. n. Acesso em: 08 ago. ed. Revista Digital . RICARTE. 86..Año 9 . D. SAVIANI. A. S. Disponível em: <http://www. Campinas: Autores Associados. REGO. M. T..al.diaadiaeducacao. Disponível em: <http://www.Buenos Aires . 9. ROJO.gov. Escola e Democracia. POSTMAN. 227– 272. 2011.unicamp. A. 1 – Curitiba: Renascer. SAVIANI. FRANCIOLI.htm>. 1999. B. D. 1996. 2009.Julio de 2003. v. 9.PLUDE. Petrópolis. 2005 (Coleção Educação Contemporânea). R.dca. Simaia. Bateria Psicomotora de Fonseca: uma análise com o portador de deficiência mental. M. Vigotsky: uma perspectiva histórico cultural da educação.

2010. TULESKI. Soraya. Universidade Estadual de Maringá. Yvens Barbosa. Especialização em Teoria Histórico. TULESKI.com. 2008. Diagnóstico diferencial em distúrbios da memória. Acesso em: 20 fev. 537-541. Revista Ciência Médica. 14. SOUZA. ENDIPE. TULESKI.abpp. pp. 2005. Acesso em: 08 ago. STEIN. Maringá: Eduem. FERNANDES.Universidade Estadual Paulista. Silvana. UNESP. O que é neuropsicologia? 2010. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. Disponível em: <http://www.br/>. 2007.unineuro. Disponível em: <http://www. n.com.SFORNI. Araraquara. Acesso em: 3 maio 2011. out. 1994. SILVA. Tese (Doutorado).Cultural turma II. C. S. 2009. 2008. Disponível em: <www. 2010.sbnp. SORATO. TDE: Teste de desempenho escolar: manual para aplicação e interpretação. R.com. VAN DER MOLEN. nov/dez. A Unidade Dialética Entre Corpo e Mente na Obra Luriana: Implicações para a Educação Escolar e para a compreensão dos problemas de escolarização. Orientador: Newton Duarte. Considerações sobre a construção da linguagem escrita e a constituição do sujeito na perspectiva de Vygotsky. A educação como condição sine qua non para a humanização. Funções Psicológicas Superiores: origem social e natureza mediada. Alexandro.br>. Casa do Psicólogo. v. L. F. S. DAMACENO. 2004. VERONEZ. Rafaela Julia Batista. C. Vygotski: a construção de uma psicologia marxista. Silvana Calvo. Apontamentos de aula: a linguagem e o pensamento da criança na teoria de Piaget. Araraquara: JM Editora. 2000. Benito Pereira. 2007.br/>. Gescielly Barbosa da. 2002. 363f. 6. M. Maria Bernadete. São Paulo. 218 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . TAMANINI. Alexander R. Campinas. J. A hieroglyphic dictionary of Egyptian Coffin Texts – Leiden Brill. SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROPSICOLOGIA. M. Luria – Apontamentos de aula. Nova esperança – Faculdade do Noroeste Paranaense (FANP). POSSIDÔNIO.

S. WADSWORTH. VIGOTSKI. VYGOTSKY. Disponível em: <http//:www. S. desenvolvimento e aprendizagem. L. julho 2004.org/>. (Org). S. LURIA. Madri. L.. Porto Alegre: Artmed. S. WEINTRAUB. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. L. São Paulo: Martins Fontes. Obras Escogidas II: Problemas de Psicologia General. L. São Paulo: Ícone. Linguagem. São Paulo: Pioneira. A. LEONTIEV. MESULAM. Inteligência e afetividade da criança na teoria de Piaget.R. VIGOTSKI. S. VIGOTSKI. In: VIGOTSKY. Psicologia Pedagógica. 1992. 1985. Barry J. São Paulo: Martins Fontes. L. A transformação socialista do homem. A. Psicologia e Pedagogia: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento – São Paulo: Centauro. São Paulo: Ícone. ed. 2006. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Tradução Marxists Internet Archive. L. L. 26 – 62. desenvolvimento e aprendizagem. L. 2006. N. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 219 . 2003. marxistts. L. Mental state assessment of young and elderly adults in behavioral neurology. R. 1930. VIGOTSKI.. M. A. VIGOTSKI. S. 1987. Centro de Publicaciones del M. S. Nilson Dória. L. N. Linguagem. Aprendizagem e Desenvolvimento Intelectual na Idade Escolar. L. Habana: Ministério de Cultura: Editorial Científico-Técnica. S. 2011. 10.C. VIGOTSKII. LEONTIEV. Acesso em: 20 jul. VIGOTSKI. Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. S. S. S. 2005. pp. LURIA.. A. URSS: Varnitso.VIGOTSKI. 1986. Porto Alegre: Artes Médicas. S. A construção do pensamento e da linguagem. 1998.E. 2001. english version. 1993. VYGOTSKY.. y Visor Distribuciones.

220 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância .

também na classificação. 2010). Tomando essa colocação para o contexto estudado. Cognição: a aquisição de um conhecimento por meio da percepção. Defectologia: campo de estudo que se estudam as pessoas que apresentam algum tipo de “defeito” – aqueles que não se enquadram nos parâmetros da normalidade. Assimilação: na fonética a assimilação é a transmissão de um ou vários movimentos articulatórios de um fonema vizinho. 2010). foi clarificar algumas terminologias e colocações que apareceram durante a escrita do livro. Dedução: consequência tirada de um raciocínio. conclusão (DICIONÁRIO ON LINE DE PORTUGUÊS. Abstração: consiste de focalizar nos aspectos essenciais inerentes a uma entidade e ignorar as propriedades “acidentais”. 2010). recorda e pensa sobre toda informação captada por meio dos cinco sentidos (CIÊNCIA E COGNIÇÃO. PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 221 . 2010). Seja sob uma condição física. Afasias: é por si só a perda da capacidade e das habilidades de linguagem falada e escrita (ASPESI. Ariès: estudioso francês dedicado ao estudo da história da criança e da família (ARIÈS. nosso intuito. aprende. O uso de abstração preserva a liberdade para tomar decisões de desenvolvimento ou de implementação apenas quando há um melhor entendimento do problema ou questão a serem resolvidos (RICARTE.GLOSSÁRIO Prezado aluno. 1978). reconhecimento e compreensão para o julgamento por intermédio do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas. podemos dizer que cognição é a forma como o cérebro percebe. 2001). ou próximo. De uma maneira mais simples. o que pode determinar até o igualamento deles. Em termos de desenvolvimento significa concentrar-se no que um objeto é e o que ele faz. nesse breve glossário. é a capacidade de articular conceitos e informações a pontuações já concebidas (DICIONÁRIO ON LINE DE PORTUGUÊS. 2010). É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento e na percepção. seja sob uma condição psicológica (MARTINS.

por exemplo. onde seus artigos radical-democratas irritaram as autoridades. tais como a atenção. DAMACENO. os métodos e a validade do conhecimento (ESTUDOS SOBRE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL. 2007). 1999).Epistemologia: a epistemologia é o ramo da filosofia que estuda a origem. pois faz da história uma história da luta das classes. órgão principal dos hegelianos da esquerda. Generalização: ação de generalizar. Historicismo: o historicismo é a ideia de que a história obedece a certas leis. Karl Marx nasceu em Trier em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. FURTADO.consciente e o consciente (BOCK. acha a única síntese possível (MARTUCHELLI. e formou-se em Iena. memória. Estudou na universidade de Berlim. filósofo e socialista alemão. 2010). conclusão (BUENO. e prevê sua dissolução. 1996). resultado dessa ação. Inferência: dedução. o pré. pensamento e linguagem são organizados em sistemas funcionais. conheceu em Paris Friedrich Engels. Em 1844. em 1841. é historicista. imaginação. Inconsciente: para a psicanálise. Karl Marx: economista. o inconsciente é um “lugar” desconhecido pela consciência: uma “outra cena”. 2005). principalmente a filosofia hegeliana. isto é. 2010). FERNANDES. Trata-se de uma instância ou sistema constituído por conteúdos recalcados que escapam às outras instâncias. começo de uma amizade íntima durante a 222 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . com a tese Sobre as diferenças da filosofia da natureza de Demócrito e de Epicuro. mudou-se para Paris. cuja finalidade é organizar adequadamente a vida mental de um indivíduo em seu meio (VERONEZ. Funções Psicológicas Superiores: as funções psicológicas superiores (FPS). Em 1842 assumiu a chefia da redação do Jornal Renano em Colônia. Operação do espírito que consiste em comparar as qualidades comuns a uma classe de indivíduos. Em 1843. que as fixa e define (DICIONÁRIO ON LINE DE PORTUGUÊS. TEIXEIRA. que há uma forma racional de compreendê-la e prevê-la. a estrutura. editando em 1844 o primeiro volume dos Anais Germânico-Franceses. O marxismo. desprezando as suas diferenças e reunindo essas qualidades comuns numa só ideia.

PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância 223 .vida toda. no ano seguinte. organizado. Em Londres. logo depois. inibido. prioritariamente. dedicou-se a vastos estudos econômicos e históricos. é um movimento voluntário. porém. sujeito. desempenhando dominante papel de direção. Foi generosamente ajudado por Engels. org/marx. Praxias: movimento intencional.htm>. sendo frequentador assíduo da sala de leituras do British Museum. intencional. liderados por Bakunin. primeiro esboço da teoria revolucionária que. Acesso em: 20 jul. que foi. Marx e Engels publicaram o folheto O Manifesto Comunista. mais tarde. do Partido Social-Democrático alemão. e em 1872. isto é. a associação foi praticamente dissolvida. sobre política exterior. mas sua situação material esteve sempre muito precária. 2011 (CULTURA BRASIL. em 24 de fevereiro de 1848. seria chamada marxista. consciente. para Londres. onde fixou residência. no Congresso de Haia. Marx foi cofundador da Associação Internacional dos Operários. depois chamada I Internacional. Escrevia artigos para jornais norte-americanos. Não viveu bastante para assistir às vitórias eleitorais deste partido e de outros agrupamentos socialistas da Europa. portanto a um planejamento cortical e a um sistema de autorregulação (ABREU. O Capital. a investigar como diferentes lesões causam déficits em diversas áreas da cognição humana (SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROPSICOLOGIA. Voltou para Paris. que vivia em Manchester em boas condições financeiras. Disponível em: <www. Marx foi para Paris e daí expulso. Não é um movimento reflexo. 2010). primeiro jornal diário francamente socialista. Neuropsicologia: é um ramo da ciência que estuda as relações entre o cérebro e o comportamento humano. dedicando-se. Marx podia patrocinar a fundação. nem automático. em 1875. humanizado. proibido.culturabrasil. Em compensação. radicando-se em Bruxelas e participando de organizações clandestinas de operários e exilados. tendo em vista a obtenção de um fim ou de um resultado determinado. Depois da derrota de todos os movimentos revolucionários na Europa e o fechamento do jornal. cujos redatores foram denunciados e processados. 2010). Em 1867 publicou o primeiro volume da sua obra principal. 2010). Em 1864. Dentro da I Internacional encontrou Marx a oposição tenaz dos anarquistas. expulso da França. Foi. mas assumiu logo a chefia do Novo Jornal Renano em colônia. organizado. Ao mesmo tempo em que na França estourou a revolução.

htm>. Acesso em: 20 jul. como baixos salários. 2010).Prognóstico: previsão. Nesse sentido. A idéia foi desenvolvida a partir da realidade na qual o trabalhador era subordinado naquele momento. Louis Blanc (1811-1882) e Robert Owen (1771-1858). 224 PROBLEMAS E DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NA INFÂNCIA | Educação a Distância . suposição sobre o que deve acontecer.com. Disponível em: <mundoeducacao. 2010). o socialismo propõe a extinção da propriedade privada dos meios de produção e a tomada do poder por parte do proletariado e controle do Estado e divisão igualitária da renda. Socialismo: o Socialismo é um sistema político-econômico ou uma linha de pensamento criado no século XIX para confrontar o liberalismo e o capitalismo. Sinal. Medicina Parecer do médico a respeito da evolução provável de uma doença (DICIONÁRIO ON LINE DE PORTUGUÊS. Outros pensadores importantes que se enquadram no socialismo científico são os conhecidos Karl Marx e Friedrich Engels. indício de acontecimento futuro.uol. Os precursores dessa corrente de pensamento foram Saint-Simon (1760-1825). 2011 (MUNDO EDUCAÇÃO.br/geografia/o-socialismo. enorme jornada de trabalho entre outras. conhecidos como criadores do socialismo utópico. Charles Fourier (1772-1837).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful