Você está na página 1de 9

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B.

Triângulo
MGS Inspeção Termográfica Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000
Tecnologia Telefax: 3661-3374 e 9970-5731
Email - mgs@mgstecnologia.com.br

MGS Tecnologia

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MANUTENÇÃO


PREDITIVA e PREVENTIVA ELETROMECÂNICA e
TREINAMENTO
R. José P. Xavier Sobrinho, nº89-101 - B. Triângulo
Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000
Telefax: 3661.3374 e 9970.5731
mgs@mgstecnologia.com.br www.mgstecnologia.com.br

À Contax- Passeio

At.: Sr.: Vinícius


Deptº: Infra-estrutura
Ref.: 154T0601-Passeio

e-mail:
Tel.:
Fax.:
Pedro Leopoldo, 28 de Junho de 2006
R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo
MGS Inspeção Termográfica Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000
Tecnologia Telefax: 3661-3374 e 9970-5731
Email - mgs@mgstecnologia.com.br

Prezados Srs.

Este documento visa apresentar nossa metodologia de avaliação termográfica seguida de um


relatório.

1 - DADOS GERAIS
Empresa : Contax- Passeio
Endereço :
Cidade : Rio de Janeiro
Inicio da Inspeção: 22/06/06 de 08:00hs ás 14:00hs.
Término da Inspeção: 23/06/06 de 09:00hs ás não informado
Responsável Técnico da Empresa : Marcos Geraldo dos Santos
Técnico Acompanhante da Inspeção: Vinícius

2 - PRINCÍPIOS DA TERMOGRAFIA:

A técnica de inspeção empregada é, em linhas gerais, um tipo de ensaio não destrutivo (END)
que permite a determinação de temperaturas e o exame das distribuições de calor em componente,
equipamentos de processos, a partir da radiação infravermelho emitida pelos mesmos. As imagens
térmicas resultantes, denominadas termogramas, são mostradas a cores neste relatório.

3 - APLICAÇÕES

A aplicação básica da Termografia se integra perfeitamente em programas de manutenção


preventiva e preditiva nas industrias, Papel, Plásticos, Têxtil, Celulose, Siderúrgica, Petroquímica,
Vidreira, Cimento e Concessionárias de Energia Elétrica quaisquer outras instalações comerciais.
Nessas instalações indústrias a principal área de aplicação da Termografia é na parte elétrica.

4 - CRITÉRIOS DE LOCALIZAÇÃO DE PONTOS (COMPONENTES) AQUECIDA NAS


INSTALAÇÕES ELÉTRICA.

4.1 - No instante em que inspeciona um componente elétrico, o inspetor da MGS Tecnologia


realiza uma rigorosa seleção preliminar para determinar se este componente, se encontra em
situação normal, ou não, neste caso será registrado para posterior diagnóstico a constar no relatório,
devido a aquecimento anormal.

4.2 - Esta pré-seleção é feita utilizando-se os equipamentos Thermovision modelo TH5104


Colorido, de alta precisão.

4.3 - Nesta fase, são anotadas temperatura do componente, temperatura ambiente, temperatura
máxima admissível do componente, carga nominal e carga na hora da medição, do
componente no instante da inspeção. E ainda poderão ser avaliadas com anormais as situações que
apresentem distribuições ou elevações de temperatura irregulares, mesmo que, esta temperatura
maior no componente apresenta-se em valores absolutos ainda considerados como baixos mas que
evidenciem um ponto potencial de falha.
R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo
MGS Inspeção Termográfica Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000
Tecnologia Telefax: 3661-3374 e 9970-5731
Email - mgs@mgstecnologia.com.br

4.4 - Máxima Temperatura Admissível (MTA)

Utiliza-se como máxima temperatura admissível de componentes de diversos fabricantes,


valores indicativos obtidos através de ensaios com experiências em campo e criticidade do ambiente,
mais norma Petrobrás supra citada por exemplo em locais com grandes concentrações de pessoas de
acordo com a classificação na tabela a seguir:
Estas são considerações para valores absolutos extremos, porém, se verificamos que o componente
está sob condições de carga nominal e temos dentro do nosso banco de dados temperaturas
inferiores à registrada, consideraremos como um ponto de intervenção para garantir uma alta
confiabilidade do sistema.

Refer.: Tab T/U0101mgs Data: 15/06/00 Revisão: 00


Indicador padrão MGS Tecnologia, para avaliação de estado térmico em sistemas elétricos, por
inspeções termográficas e/ou termométricas
Máximas Temp. Admissíveis - MTA
Relativa - t (°C)
Elemento Absoluta
(°C) Na mesma
E fase Entre fases
Cabos com isolamento P.V.C 70 _____ 15
Cabo Nu de cobre 100 _____ 15
Cabo Nu de alumínio 80 _____ 15
Corpos de fusíveis 80 _____ 10
Baixa Tensão

Conexões de elementos
Amb. + 20 5 7
de manobras ou seccionamento
Conexões de barramentos
80 2 4
cobre / cobre
Conexões de barramentos
80 3 5
Cobre / outros terminais
Barramentos 80 _____ 15
Todos os elementos
Amb. + 10 1 2
exceto para raios
Alta Tensão

acima de 1Kv
Componentes

Para raios abrigados


Amb. + 1 Amb. + 1 Amb. + 1
Para raios não abrigados
** _____ ** _____ * 1

Emissividade: os sistemas elétricos em geral são constituídos de materiais cujas emissividades


estão em faixas de 0,90 a 0,95 e nós empregamos para varreduras destes sistemas à emissividade
de 0,94.
R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo
MGS Inspeção Termográfica Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000
Tecnologia Telefax: 3661-3374 e 9970-5731
Email - mgs@mgstecnologia.com.br

4.5 - As falhas elétricas detectadas são classificadas segundo critério de prioridade de


manutenção, as quais levam em conta a carga e a velocidade do vento, com tais elementos,
calcula-se a temperatura que o componente teria em condições padrão (100 % de carga e sem
vento).

4.6 - Entende-se por manutenção não apenas a troca do componente, como também limpeza e ou
reaperto. A OBSERVAÇÃO envolve a verificação periódica da evolução térmica de um
componente que a priori, não apresenta aquecimento que justifique uma ação sobre ele.

4.7 - Por uma questão de aproveitamento de tempo de inspeção a execução de termogramas e


imagens térmicas que ilustram o relatório é reservada apenas aos equipamentos anormalmente
aquecidos de maior importância ou a critério do contratante. Componentes de menor importância,
têm seus dados e identificação anotados.

5 - EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA INSPEÇÃO:

5.1 - Thermovision mod. TH55401 color é parte integrante da mais recente família de equipamentos
infravermelhos da ``NEC``/ ``MIKRON`` desenvolvido com os mais recentes recursos da
optoeletrônica, possui excelente precisão e permite a medição de temperaturas diretamente na
imagem térmica.

5.2- Máquina Fotográfica Digital Sony com tela de cristal líquido, é utilizada para registro de
imagem dos componentes/equipamentos com desvios encontrados durante a inspeção, auxiliando
melhor a identificação e visualização do ponto de intervenção.

6 - CONCLUSÃO.

- Sugerimos que seja realizadas as manutenções nos equipamentos com temperatura anormal
listada neste relatório, exceto as que já foram corrigidos.

- Recomendamos que seja realizada uma nova inspeção termográfica nas instalações elétricas no
período a cada 90 (noventa) dias.

- Nos colocamos a inteira disposição desta Empresa com serviços sempre que se fizer necessário.

Atenciosamente.

Fadaiam Viana Machado


fadaian@mgstecnologia.com.br
MGS Tecnologia Ltda.
Data do Relatório: 28/6/2006

OS:
Ponto: 9
Severidade : 3-Important Prazo:
Nº da Inspeção: 1016

Relatório de Inspeção Termográfica


ID do equipamento:
Contax Código de Barras:
Rio de Janeiro Localização: PASSEIO
Prédio 42
CPD 10º Andar
NB2-Pouz-10ºP
Disjuntor 25A- Circuito 6

Temp. Problema Temp. Referência T


Cabo de saída: 40 C Ambiente: 26 C 14 C

Situação Observada: Aquecimento na conexão e na terminação do cabo de saída do Disjuntor

Recomendações: Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por
fase do circuito.

Manutenção executada por: Data da manutenção:

Anotações:
Data do Relatório: 28/6/2006

OS:
Ponto: 10
Severidade : 3-Important Prazo:
Nº da Inspeção: 1016

Relatório de Inspeção Termográfica


ID do equipamento:
Contax Código de Barras:
Rio de Janeiro Localização: PASSEIO
Prédio 42
5º Andar
QLTN-5ºP
Disjuntor 40A

Temp. Problema Temp. Referência T


Fase "S": 58 C Fase "R": 49 C 9C

Situação Observada: Fase "S"; Aquecimento na conexão de entrada do Disjuntor

Recomendações: Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por
fase do circuito.

Manutenção executada por: Data da manutenção:

Anotações:
Data do Relatório: 28/6/2006

OS:
Ponto: 11
Severidade : 1-Critical Prazo:
Nº da Inspeção: 1016

Relatório de Inspeção Termográfica


ID do equipamento:
Contax Código de Barras:
Rio de Janeiro Localização: PASSEIO
Prédio 42
Subsolo
Quadro Comando Bomba Principal
Disjuntor Bomba 1

Temp. Problema Temp. Referência T


Contatos Internos: 71 C Ambiente: 30 C 41 C

Situação Observada: Aquecimento na região dos contatos internos do Disjuntor.

Recomendações: Substituir Disjuntor.

Manutenção executada por: Data da manutenção:

Anotações:
Data do Relatório: 28/6/2006

OS:
Ponto: 12
Severidade : 1-Critical Prazo:
Nº da Inspeção: 1016

Relatório de Inspeção Termográfica


ID do equipamento:
Contax Código de Barras:
Rio de Janeiro Localização: PASSEIO
Prédio 42
Subsolo
Quadro Comando Bomba 01
Contator/Relé

Temp. Problema Temp. Referência T


Fase "R", "S" e "T": 63 C Ambiente: 30 C 33 C

Situação Observada: Fase "R", "S" e "T"; Aquecimento nas garras de acoplamento Contator/Relé
Térmico.

Recomendações: Fazer Limpeza nas superfíceis de Contato das Conexões das Garras; Refazer
conexões verificando correto aperto dos parafusos; Avaliar corrente por Fase do
Circuito, se necessário substituir as garras.

Manutenção executada por: Data da manutenção:

Anotações:
Data do Relatório: 28/6/2006

OS:
Ponto: 13
Severidade : 4-Minor Prazo:
Nº da Inspeção: 1016

Relatório de Inspeção Termográfica


ID do equipamento:
Contax Código de Barras:
Rio de Janeiro Localização: PASSEIO
Subestação
Banco de Capacitores
Disjuntor 32A- ao Lado Barra Terra

Temp. Problema Temp. Referência T


Fase "R": 60 C Fase "R" entrada: 54 C 6C

Situação Observada: Fase "R"; Aquecimento na terminação do cabo de entrada do Disjuntor.


Obs: Temperatura interna do painel elevada.

Recomendações: Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por
fase do circuito; Instalar Ventilação Forçada no Interior do painel.

Manutenção executada por: Data da manutenção:

Anotações: