Você está na página 1de 9

MGS

Tecnologia

Inspeção Termográfica

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000 Telefax: 3661-3374 e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br

MGS Tecnologia
MGS Tecnologia
e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br MGS Tecnologia PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MANUTENÇÃO PREDITIVA e
e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br MGS Tecnologia PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MANUTENÇÃO PREDITIVA e
e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br MGS Tecnologia PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MANUTENÇÃO PREDITIVA e

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM MANUTENÇÃO PREDITIVA e PREVENTIVA ELETROMECÂNICA e TREINAMENTO

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89-101 - B. Triângulo Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000 Telefax: 3661.3374 e 9970.5731

mgs@mgstecnologia.com.br

À Contax- Passeio

At.: Sr.: Vinícius Deptº: Infra-estrutura Ref.: 154T0601-Passeio

e-mail:

Tel.:

Fax.:

Pedro Leopoldo, 28 de Junho de 2006

Sr.: Vinícius Deptº: Infra-estrutura Ref.: 154T0601-Passeio e-mail: Tel.: Fax.: Pedro Leopoldo, 28 de Junho de 2006

MGS

Inspeção Termográfica

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000 Telefax: 3661-3374 e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br

Tecnologia

Prezados Srs.

Este documento visa apresentar nossa metodologia de avaliação termográfica seguida de um relatório.

1 - DADOS GERAIS

Empresa : Contax- Passeio

Endereço :

Cidade : Rio de Janeiro Inicio da Inspeção: 22/06/06 de 08:00hs ás 14:00hs. Término da Inspeção: 23/06/06 de 09:00hs ás não informado Responsável Técnico da Empresa : Marcos Geraldo dos Santos Técnico Acompanhante da Inspeção: Vinícius

2 - PRINCÍPIOS DA TERMOGRAFIA:

A técnica de inspeção empregada é, em linhas gerais, um tipo de ensaio não destrutivo (END) que permite a determinação de temperaturas e o exame das distribuições de calor em componente, equipamentos de processos, a partir da radiação infravermelho emitida pelos mesmos. As imagens térmicas resultantes, denominadas termogramas, são mostradas a cores neste relatório.

3 - APLICAÇÕES

A aplicação básica da Termografia se integra perfeitamente em programas de manutenção preventiva e preditiva nas industrias, Papel, Plásticos, Têxtil, Celulose, Siderúrgica, Petroquímica, Vidreira, Cimento e Concessionárias de Energia Elétrica quaisquer outras instalações comerciais. Nessas instalações indústrias a principal área de aplicação da Termografia é na parte elétrica.

4 - CRITÉRIOS DE LOCALIZAÇÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICA.

DE

PONTOS

(COMPONENTES)

AQUECIDA NAS

4.1 - No instante em que inspeciona um componente elétrico, o inspetor da MGS Tecnologia realiza uma rigorosa seleção preliminar para determinar se este componente, se encontra em situação normal, ou não, neste caso será registrado para posterior diagnóstico a constar no relatório, devido a aquecimento anormal.

4.2 - Esta pré-seleção é feita utilizando-se os equipamentos Thermovision modelo TH5104 Colorido, de alta precisão.

4.3 - Nesta fase, são anotadas temperatura do componente, temperatura ambiente, temperatura máxima admissível do componente, carga nominal e carga na hora da medição, do componente no instante da inspeção. E ainda poderão ser avaliadas com anormais as situações que apresentem distribuições ou elevações de temperatura irregulares, mesmo que, esta temperatura maior no componente apresenta-se em valores absolutos ainda considerados como baixos mas que evidenciem um ponto potencial de falha.

MGS

Inspeção Termográfica

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000 Telefax: 3661-3374 e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br

Tecnologia

4.4 - Máxima Temperatura Admissível (MTA)

Utiliza-se como máxima temperatura admissível de componentes de diversos fabricantes, valores indicativos obtidos através de ensaios com experiências em campo e criticidade do ambiente, mais norma Petrobrás supra citada por exemplo em locais com grandes concentrações de pessoas de acordo com a classificação na tabela a seguir:

Estas são considerações para valores absolutos extremos, porém, se verificamos que o componente está sob condições de carga nominal e temos dentro do nosso banco de dados temperaturas inferiores à registrada, consideraremos como um ponto de intervenção para garantir uma alta confiabilidade do sistema.

Refer.: Tab T/U0101mgs

Data: 15/06/00

Revisão: 00

Indicador padrão MGS Tecnologia, para avaliação de estado térmico em sistemas elétricos, por inspeções termográficas e/ou termométricas

 

Máximas Temp. Admissíveis - MTA

     

Relativa -

t ( ° C)

t (°C)

Elemento

Absoluta

   

(°C)

Na mesma fase

Entre fases

 

Cabos com isolamento P.V.C

70

   

15

Cabo Nu de cobre

100

   

15

Cabo Nu de alumínio

80

   

15

Corpos de fusíveis

80

   

10

 

Baixa Tensão

Conexões de elementos de manobras ou seccionamento

Amb. + 20

5

 

7

Conexões de barramentos cobre / cobre

80

2

 

4

Conexões de barramentos Cobre / outros terminais

80

3

 

5

 

Barramentos

80

   

15

Alta Tensão

Componentes acima de 1Kv

Todos os elementos exceto para raios

Amb. + 10

1

 

2

Para raios abrigados

Amb. + 1

Amb. + 1

Amb. + 1

Para raios não abrigados

**

**

 

*

1

Emissividade: os sistemas elétricos em geral são constituídos de materiais cujas emissividades estão em faixas de 0,90 a 0,95 e nós empregamos para varreduras destes sistemas à emissividade de 0,94.

MGS

Inspeção Termográfica

R. José P. Xavier Sobrinho, nº89 - B. Triângulo Pedro Leopoldo, MG - CEP:33.600-000 Telefax: 3661-3374 e 9970-5731 Email - mgs@mgstecnologia.com.br

Tecnologia

4.5 - As falhas elétricas detectadas são classificadas segundo critério de prioridade de manutenção, as quais levam em conta a carga e a velocidade do vento, com tais elementos, calcula-se a temperatura que o componente teria em condições padrão (100 % de carga e sem vento).

4.6 - Entende-se por manutenção não apenas a troca do componente, como também limpeza e ou

reaperto. A OBSERVAÇÃO envolve a verificação periódica da evolução térmica de um componente que a priori, não apresenta aquecimento que justifique uma ação sobre ele.

4.7 - Por uma questão de aproveitamento de tempo de inspeção a execução de termogramas e

imagens térmicas que ilustram o relatório é reservada apenas aos equipamentos anormalmente aquecidos de maior importância ou a critério do contratante. Componentes de menor importância, têm seus dados e identificação anotados.

5 - EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA INSPEÇÃO:

5.1 - Thermovision mod. TH55401 color é parte integrante da mais recente família de equipamentos

infravermelhos da ``NEC``/ ``MIKRON`` desenvolvido com os mais recentes recursos da optoeletrônica, possui excelente precisão e permite a medição de temperaturas diretamente na imagem térmica.

5.2- Máquina Fotográfica Digital Sony com tela de cristal líquido, é utilizada para registro de imagem dos componentes/equipamentos com desvios encontrados durante a inspeção, auxiliando melhor a identificação e visualização do ponto de intervenção.

6 - CONCLUSÃO.

- Sugerimos que seja realizadas as manutenções nos equipamentos com temperatura anormal listada neste relatório, exceto as que já foram corrigidos.

- Recomendamos que seja realizada uma nova inspeção termográfica nas instalações elétricas no período a cada 90 (noventa) dias.

- Nos colocamos a inteira disposição desta Empresa com serviços sempre que se fizer necessário.

Atenciosamente.

Fadaiam Viana Machado fadaian@mgstecnologia.com.br MGS Tecnologia Ltda.

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 9 Severidade : 3-Important Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo:

Nº da Inspeção: 1016

Ponto: 9

Severidade : 3-Important

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 9 Severidade : 3-Important Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo: Relatório

Data do Relatório: 28/6/2006

OS:

Prazo:

Relatório de Inspeção Termográfica

Contax Rio de Janeiro

ID do equipamento:

Código de Barras:

Localização:

PASSEIO Prédio 42 CPD 10º Andar

NB2-Pouz-10ºP

Disjuntor 25A- Circuito 6

Temp. Problema Temp. Referência T Cabo de saída: 40 C Ambiente: 26 C 14 C
Temp. Problema
Temp. Referência
T
Cabo de saída: 40 C
Ambiente: 26 C
14 C

Situação Observada:

Aquecimento na conexão e na terminação do cabo de saída do Disjuntor

Recomendações:

Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por fase do circuito.

Manutenção executada por:

Anotações:

Data da manutenção:

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 10 Severidade : 3-Important Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo:

Nº da Inspeção: 1016

Ponto: 10

Severidade : 3-Important

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 10 Severidade : 3-Important Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo: Relatório

Data do Relatório: 28/6/2006

OS:

Prazo:

Relatório de Inspeção Termográfica

Contax Rio de Janeiro

ID do equipamento:

Código de Barras:

Localização:

PASSEIO Prédio 42 5º Andar

QLTN-5ºP

Disjuntor 40A

Temp. Problema Temp. Referência T Fase "S": 58 C Fase "R": 49 C 9 C
Temp. Problema
Temp. Referência
T
Fase "S": 58 C
Fase "R": 49 C
9 C

Situação Observada:

Fase "S"; Aquecimento na conexão de entrada do Disjuntor

Recomendações:

Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por fase do circuito.

Manutenção executada por:

Anotações:

Data da manutenção:

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 11 Severidade : 1-Critical Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo:

Nº da Inspeção: 1016

Ponto: 11

Severidade : 1-Critical

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 11 Severidade : 1-Critical Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo: Relatório

Data do Relatório: 28/6/2006

OS:

Prazo:

Relatório de Inspeção Termográfica

Contax Rio de Janeiro

ID do equipamento:

Código de Barras:

Localização:

PASSEIO Prédio 42 Subsolo Quadro Comando Bomba Principal Disjuntor Bomba 1

Temp. Problema Temp. Referência T Contatos Internos: 71 C Ambiente: 30 C 41 C
Temp. Problema
Temp. Referência
T
Contatos Internos: 71 C
Ambiente: 30 C
41 C

Situação Observada:

Aquecimento na região dos contatos internos do Disjuntor.

Recomendações:

Substituir Disjuntor.

Manutenção executada por:

Anotações:

Data da manutenção:

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 12 Severidade : 1-Critical Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo:

Nº da Inspeção: 1016

Ponto: 12

Severidade : 1-Critical

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 12 Severidade : 1-Critical Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo: Relatório

Data do Relatório: 28/6/2006

OS:

Prazo:

Relatório de Inspeção Termográfica

Contax Rio de Janeiro

ID do equipamento:

Código de Barras:

Localização:

PASSEIO Prédio 42 Subsolo Quadro Comando Bomba 01 Contator/Relé

Temp. Problema Temp. Referência T Fase "R", "S" e "T": 63 C Ambiente: 30 C
Temp. Problema
Temp. Referência
T
Fase "R", "S" e "T": 63 C
Ambiente: 30 C
33 C

Situação Observada:

Fase "R", "S" e "T"; Aquecimento nas garras de acoplamento Contator/Relé Térmico.

Recomendações:

Fazer Limpeza nas superfíceis de Contato das Conexões das Garras; Refazer conexões verificando correto aperto dos parafusos; Avaliar corrente por Fase do Circuito, se necessário substituir as garras.

Manutenção executada por:

Anotações:

Data da manutenção:

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 13 Severidade : 4-Minor Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo:

Nº da Inspeção: 1016

Ponto: 13

Severidade : 4-Minor

Nº da Inspeção: 1016 Ponto: 13 Severidade : 4-Minor Data do Relatório: 28/6/2006 OS: Prazo: Relatório

Data do Relatório: 28/6/2006

OS:

Prazo:

Relatório de Inspeção Termográfica

Contax Rio de Janeiro

ID do equipamento:

Código de Barras:

Localização:

PASSEIO Subestação Banco de Capacitores Disjuntor 32A- ao Lado Barra Terra

Temp. Problema Temp. Referência T Fase "R": 60 C Fase "R" entrada: 54 C 6
Temp. Problema
Temp. Referência
T
Fase "R": 60 C
Fase "R" entrada: 54 C
6 C

Situação Observada:

Fase "R"; Aquecimento na terminação do cabo de entrada do Disjuntor. Obs: Temperatura interna do painel elevada.

Recomendações:

Refazer Conexão verificando correto aperto do parafuso; Avaliar corrente por

fase do circuito;

Instalar Ventilação Forçada no Interior do painel.

Manutenção executada por:

Anotações:

Data da manutenção: