Você está na página 1de 4

Você decide montar uma empresa. Pesquisa mercado, faz o plano de negócios, escolhe o ponto, mas e agora? Qual será o nome da empresa? E a logo? Como sua marca será vista pelos consumidores? Entre outras perguntas envolvendo a marca. É aí que entra o famoso Branding. Tão famoso que algumas pessoas o usam em demasia. Tenho certeza que você já ouviu alguém falando em “ações de Branding”, “problemas de Branding”, “temos que estourar o orçamento para melhorar o Branding”, etc. Nem tudo é culpa do Branding! Para começar vamos ter uma breve noção do conceito de marca. A marca é um conjunto de características que podem ser refletidas na logo, no grafismo, mascote, música, cores, entre outras manifestações que materializam uma marca. Caso seja feito um bom trabalho de Branding com esta marca, ela passa a agregar valor para o consumidor, o que influencia em sua decisão de compra. Agora vamos as estratégias para agregar valor a esta marca, ou seja, o tão famoso Branding. O único problema é que muitas vezes as pessoas não sabem o que significa o termo em questão, mas para acabar com as dúvidas, depois de saber o que significa marca, vamos explicar a definição de Branding. Mais resumidamente, uma marca ou brand é a percepção dos consumidores sobre um produto, serviço, experiência ou organização.

O termo Branding é o conjunto de estratégias utilizadas para a construção da marca de uma empresa. Uma forma assertiva de construir uma marca, ou seja, de fazer Branding, de acordo com a American Marketing Associations, é fazer com que um potencial consumidor perceba a marca como a única solução para o que ele busca. A única escolha lógica para o que ela está oferecendo. Branding é um sistema de comunicação que deixa claro porque a marca importa. É achar e comunicar algo que atraia os consumidores para a marca, ao invés de você ter que caçá-los. O branding se divide basicamente nas seguintes etapas: Detalhamento do Público-alvo, posicionamento e construção multissensorial. Ele abrange desde a criação, passando pela administração, ou reposicionamento de marcas existentes que passam dificuldades no mercado.

Etapas:

Detalhamento do público-alvo Este é o momento em que a empresa define quem quer atingir, ou seja, o seu público-alvo, segmenta ao máximo estes possíveis clientes e estuda a fundo as características desse grupo. Sem a definição do público-alvo não é possível fazer um trabalho de Branding de forma assertiva.

Posicionamento da marca Nesta etapa, a empresa vai definir qual a identidade da marca, feita em cima da pesquisa de público- alvo, segmentação e características deste grupo. A partir do estudo do público-alvo você vai criar a marca que essas pessoas esperam ter. Vai traçar a personalidade da marca, como se fosse uma pessoa.

Construção multissensorial

Este é o momento de construir a marca. Depois de definido o público-alvo e qual personalidade e imagem a marca vai ter, você deve explorar os pontos de contato com o consumidor. Ou seja, não pensar só na logo, por exemplo, pensar no aroma, na textura, ou em certos casos, no paladar. Você tem que sermultissensorial e abordar os cinco sentidos do seu possível cliente. Marcas que exploram os cinco sentidos têm mais chances de serem lembradas e absolvidas pela mente do consumidor. Aquelas que focam somente no visual já estão saturadas, pois são a maioria.

Objetivos do Branding Um trabalho de Branding bem executado com estratégias estruturadas e assertivas faz com que sua marca se diferencie dos concorrentes, e que essa diferença positiva seja executada na mente dos consumidores. Essa diferenciação é essencial, pois o mercado, atualmente, tem vários produtos semelhantes e abordagens semelhante. Então se você consegue se diferenciar em algum aspecto, a sua marca vai sedestacar entre as outras. A grande dica para fazer um trabalho de Branding correto é não se apegar apenas aos aspectos lógicos do produtos, e sim buscar a subjetividade, as entrelinhas, da identificação entre a marca e o consumidor.

E-branding Os dois termos significam praticamente a mesma coisa, ou seja, o conjunto de estratégias para a construção de uma marca. O e-branding é o grande aliado na gestão de marcas. É ele que cuida da interação da marca com o consumidor no meio online. Ele faz com que o internauta não apenas conheça a marca, mas interaja com ela e compartilhe as suas experiências com outras pessoas.

ela e compartilhe as suas experiências com outras pessoas. Hoje em dia não adianta mais traçar

Hoje em dia não adianta mais traçar estratégias de Branding somente no meio offline. A maioria dos consumidores tem acesso à internet, e principalmente as redes sociais, então as sua empresa, a sua marca também tem que ter estratégias assertivas neste meio digital. Vale ressaltar que Branding e e-branding são a mesma coisa, teoricamente, porém o e-Branding é focado na gestão de marcas online. Para traçar essas estratégias voltadas para a internet existem cursos de Branding, ou melhor de e- Branding, que capacitam o aluno para fazer uma gestão de marca para o online. O Quartel Digital está com curso online aberto sobre o assunto. Veja o conteúdo programático e aproveite a oportunidade para construir a reputação da sua marca também no meio online.

Dicas de Branding Achamos algumas dicas legais que podem ser usadas na sua estratégia de Branding. Confere aí as dicas:

1. A emoção dribla a razão e influencia no processo decisório.

2. Psicólogos comportamentais afirmam que 80% das impressões que formamos quando nos

comunicamos com outras pessoas são não verbais. A marca está bem próxima disto ao interagir com o consumidor. Uma marca multissensorial desperta mais pensamentos positivos do que uma marca que utilize apenas um dos cinco sentidos.

3. O truque é explorar cada contato que a marca tem com o consumidor, de forma que cada parte seja tão

forte sozinha e ao mesmo tempo tão bem integradas que elevem a marca a um novo patamar de

posicionamento no mercado, influenciando os cinco sentidos do consumidor.

4. Toda a comunicação da empresa, em todos os aspectos, desde o atendimento, música ambiente, aromas

até sinalização, cores, uniformes, entre outros, devem estar em harmonia com o conceito de marca para unificar a experiência sensorial do cliente.

Dicas para reforçar o Branding nas redes sociais Relacionamento: As redes sociais podem ser consideradas um canal de interação com o cliente, uma ferramenta que gera engajamento e participação do público. É preciso estar disposto a ouvir o que o consumidor da sua marca está disposto a falar e respondê-lo de forma correta.

está disposto a falar e respondê-lo de forma correta. Perfil da empresa: É preciso ter uma

Perfil da empresa: É preciso ter uma descrição detalhada da empresa em suas redes sociais, com os dados mais importantes que caracterizem o negócio e seja fácil de reconhecer. É preciso observar um pouco antes de começar a interagir, para saber que reação seus usuários terão.

Conteúdo interno: Use as redes sociais para produzir conteúdo próprio: bastidores da empresa, de eventos, dos produtos, etc.

Conteúdo externo: Faça com que os usuários publiquem seu conteúdos, para isso, reconheça o que ele posta, comentando e curtindo suas publicações que são relevantes para o seu conteúdo. Eles ainda podem divulgar suas produções em seus perfis nas redes sociais, o que pode aumentar o alcance da marca.

Você também pode publicar conteúdo de outras empresas do seu mesmo nicho de mercado, não do seu concorrente, mas de empresas que estão inseridas no mercado semelhante ao seu, e que podem se tornar parceiros e também potencializar a sua marca.

Monitoramento: Por último, monitore sempre as redes sociais para saber que imagens seus clientes estão associando a sua marca. Também confira o número de curtir e comentários que suas produções próprias estão recebendo para afinar o conteúdo que tem mais aderência com o público. E é importante que este monitoramento seja feito de forma rigorosa para atender sempre caso o cliente precise de respostas. As redes sociais devem agregar valor à sua marca e se tornar mais um canal derelacionamento com o consumidor.