Você está na página 1de 3

MEP – Culto de Oração1

Saudade pela Sua presença.

Texto: Salmo 42 Salmo Para o mestre de música. Um poema2 dos coraítas3.


1
Como a corça anseia por águas correntes,
a minha alma anseia por ti, ó Deus.
2
A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo.
Quando poderei entrar
para apresentar-me a Deus?
3
Minhas lágrimas têm sido o meu alimento
de dia e de noite4,
pois me perguntam o tempo todo:
“Onde está o seu Deus?”
4
Quando me lembro destas coisas
choro angustiado.
Pois eu costumava ir com a multidão,
conduzindo a procissão à casa de Deus,
com cantos de alegria e de ação de graças
entre a multidão que festejava.
5
Por que você está assim tão triste,
ó minha alma?
Por que está assim tão perturbada
dentro de mim?
Ponha a sua esperança em Deus!
Pois ainda o louvarei;
ele é o meu Salvador e 6 o meu Deus5.
A minha alma está profundamente triste;
por isso de ti me lembro6
desde a terra do Jordão,
das alturas do Hermom,
desde o monte Mizar7.
7
Abismo chama abismo
ao rugir das tuas cachoeiras;
todas as tuas ondas e vagalhões
se abateram sobre mim8.
8
Conceda-me o SENHOR o seu fiel amor de dia9;
de noite esteja comigo a sua canção.
É a minha oração ao Deus que me dá vida.
9
Direi a Deus, minha Rocha:
Por que te esqueceste de mim?
Por que devo sair vagueando e pranteando,
oprimido pelo inimigo?
10
Até os meus ossos sofrem agonia mortal
quando os meus adversários zombam de mim,

1
Pregado dia 13 de dezembro de 2009.
2
Hebraico lyKif.m; pode significar "canção contemplativa" ou "canção com uma lição moral". Vem do verbo "ser
prudente, sábio". Cf. NET Bible.
3
Os Salmos 42 e 43 constituem um único poema em muitos manuscritos do Texto Massorético da Idade Média.
4
42.3 My tears have become my food day and night. cf. NET Bible
5
42.5,6 Conforme alguns manuscritos do Texto Massorético, a LXX e a Versão Siríaca. A maioria dos manuscritos
do Texto Massorético diz louvarei por teu auxílio salvador. 6Ó meu Deus.
6
42.5 Usado metaforicamente como sinônimo de orar.
7
42.6 Hebraico r['c.mi aparece uma única vez. Pode indicar um dos montes de Hermom.
8
42.7 As he hears the sound of the rushing water, the psalmist imagines himself engulfed in the current. By
implication he likens his emotional distress to such an experience. Cf. NET Bible.
9
42.8 Ao falar do amor pessoal de Deus ds,h,, o salmista se utiliza do nome pessoal de Deus hw"hy>, o seu nome revelado.
perguntando-me o tempo todo:
“Onde está o seu Deus?”
11
Por que você está assim tão triste,
ó minha alma?
Por que está assim tão perturbada
dentro de mim?
Ponha a sua esperança em Deus!
Pois ainda o louvarei;
ele é o meu Salvador e o meu Deus.

Exposição.

1. A distância gera saudade.

Dizem que somente a língua portuguesa tem a palavra "saudade". É justamente desse
sentimento que o salmista está falando. Ele está com o coração embargado de saudade.
Mas saudade de quem? A resposta é muito clara: de Deus!

Ao que parece, o salmista está longe de sua terra. Longe do templo e de tudo o que fazia
lembrar da presença de Deus. Não podemos nos esquecer que o salmista escreve dentro
do contexto do Antigo Testamento, onde a presença de Deus era associada a lugares e a
determinados objetos. Ele está longe, e a distância gera saudade.

"Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A
minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-
me a Deus?" (v. 1 e 2). A corça, ou cabra montês era um animal típico da região. Da
mesma maneira que a corça ansiava por água, assim era a vontade que o salmista tinha
de estar junto de Deus, desfrutando de sua presença. A impossibilidade gera tristeza.

A saudade é ainda mais realçada pelas lembranças que o salmista tinha dos dias que ele
estava na presença de Deus: "Pois eu costumava ir com a multidão, conduzindo a
procissão à casa de Deus, com cantos de alegria e de ação de graças entre a multidão
que festejava". (v. 6). Como uma criança que perdeu os seus pais de vista diante de uma
multidão, a pergunta que mais deixa o salmista triste é: "Onde está o seu Deus?" (v.3),
porque essa pergunta é justamente aquela que ele está fazendo.

2. A saudade gera tristeza.

O salmo 42 é extremamente triste. Ele expressa bem o sentimento daquela pessoa que
está com tanta saudade de alguém, mas que não consegue e não pode vê-la. Todos os
adjetivos que o salmista atribui a si mesmo são adjetivos tristes: "triste", "angustiado",
"perturbado", "oprimido", "esquecido".

Quando estamos longe da presença de Deus isso faz com que fiquemos tristes. É
diferente da alegria da salvação que Davi nos fala. Uma vez que estamos sem a presença
de Deus, não há mais vida, alegria, cor. Por duas vezes, a pergunta que o salmista se faz,
ao olhar para a sua própria tristeza é "Por que você está assim tão triste, ó minha alma?
Por que está assim tão perturbada dentro de mim?" (v. 5 e 11).
A tristeza que o salmista sente é tão grande que ele está com as suas emoções todas
conflitantes e seu ser está numa profunda instabilidade. "Abismo chama abismo ao rugir
das tuas cachoeiras; todas as tuas ondas e vagalhões se abateram sobre mim." (v. 7).

Diante dessa situação, o salmista olha para Deus. Ao dirigir-se a Ele, ele sai da
dimensão das suas emoções e passa a vislumbrar da bondade que Ele sabe que Deus tem.
o Salmista conhece Deus. Sabe do seu amor leal (v. 8), porém, ele clama a Deus sobre a
zombaria que os seus inimigos estavam fazendo (v. 9, 10). A questão mais crucial do
seu momento virara escárnio na boca dos seus adversários: "Onde está o seu Deus?".

3. A tristeza da saudade nos faz olhar para Deus. Aí nasce a esperança!

Se esse salmo é uma música, o refrão dela seria:

Por que você está assim tão triste,


ó minha alma?
Por que está assim tão perturbada
dentro de mim?
Ponha a sua esperança em Deus!
Pois ainda o louvarei;
ele é o meu Salvador e o meu Deus. (v. 5, 11)

O convite do salmista a todos nós é que olhemos para Deus. O nosso coração sem Deus
é o caos. Porém, quando no meio das mais terríveis dificuldades, quando parece que
estamos longe Dele, ao olhar para sua face de amor, nosso coração começa a ficar
esperançoso. A esperança é o remédio para uma alma com saudade. A esperança é o
sentimento da certeza de que aquilo que anelo se realizará. E essa esperança está em
Deus.

Essa carência que sentimos, essa saudade de não sei quem que temos, pode ser, muitas
vezes, a saudade eterna e existencial que temos de Deus. O vazio do nosso coração é da
exata dimensão do amor de Deus.

O salmista encontra conforto ao saber que um dia, mais dia, menos dia, ele estará
novamente na presença de Deus, o louvando e declarando a sua Salvação. Ele vê sua
salvação, salvação de toda sua tristeza, temos e angústia somente Nele.

Conclusão

Em muitos momentos da nossa vida, Deus parece estar distante. Isso não significa que
Ele esteja ausente em nossas vidas. Mas às vezes isso acontece para que sintamos que
precisamos Dele todos os dias de nossa vida. Só percebemos que alguém é importante
quando sentimos saudades dele.

Que possamos sentir essa saudade santa todos os dias. Não se contentar com um pouco
da Sua presença, mas ansiar demais da sua doce e terna companhia.