Você está na página 1de 25

Introdução à Terapia ABA

Psic. Me. Robson Brino Faggiani


Especialista em Terapia Comportamental e Cognitiva

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
ABA –
Análise do Comportamento Aplicada

• O objetivo principal da Terapia ABA para as crianças diagnosticadas com


autismo é aumentar a percepção que elas têm do mundo ao redor, suas
interações sociais e sua comunicação. Para isso, as tarefas de
aprendizagem propostas pelos terapeutas ABA são formuladas de modo a
auxiliar as crianças a atentarem adequadamente para os contextos e
pessoas com quem convive. Os programas ABA constroem pré-
requisitos de atenção e habilidades básicas de aprendizagem para que as
crianças sejam capazes de aprenderem sem ajuda e estarem preparadas
para desenvolver conhecimentos complexos. Faz isso direcionando as
potencialidades de aprendizagem já presentes nas crianças, permitindo
que elas sejam efetivadas de maneira apropriada.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
ABA –
Análise do Comportamento Aplicada

• Ciência e tecnologia para lidar com o comportamento em


todas as situações e contextos em que ele ocorre.

– Ciência = pesquisas e evidências empíricas.

– Tecnologia = aplicação sistemática das descobertas


científicas.

• O nome Terapia ABA ficou mais conhecido por sua


aplicação no tratamento de pessoas diagnosticadas com
autismo.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
ABA –
Análise do Comportamento Aplicada

• Desenvolvimento dos conceitos no início do século XX.

• Consolidação dos conceitos em 1938, com o livro “O


Comportamento dos Organismos”, de Skinner.
– Ainda apenas uma ciência experimental.

• Fase 1 de aplicação (dos anos1950 ao 1970): modificação


do comportamento.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
ABA –
Análise do Comportamento Aplicada

• Fase 2: Conceitos mais refinados. Perspectiva mais


humana e reforçadora.
– Desenvolvimento e Popularização da Terapia ABA.

– Lovaas, 1987 e Deixe-me ouvir a sua voz (Catherine Maurice).

• Fase 3: Mais foco em ambiente natural, reforçadores


naturais e prazer do estudante.
– Terapia ABA como ela é hoje.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

1. Aplicada

• Seu objeto de interesse devem ser


comportamentos socialmente relevantes, ou
pré-requisitos para comportamentos
socialmente relevantes.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

2. Comportamental

• O foco da intervenção deve ser no que o


indivíduo é capaz de FAZER.
• Deve-se levar em conta o comportamento de
quem realiza a intervenção.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

3. Analítica

• Deve-se ter certeza de que as mudanças no


comportamento do cliente são resultado da
intervenção.
– Para isso, avalia-se constantemente o
comportamento do cliente e dos passos do
tratamento.
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

4. Tecnológica

• A intervenção deve ser detalhadamente


descrita, de modo que qualquer outra pessoa
seja capaz de executá-la.
• Linguagem clara.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

5. Conceitual

• A linguagem utilizada deve ser correta do


ponto de vista conceitual, evitando
ambiguidades.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

6. Eficaz

• Para ser ABA, a intervenção deve ser eficaz:


produzir os resultados desejados.
– Mudança constante dos procedimentos até achar o
correto.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
7 Dimensões da
Análise do Comportamento Aplicada

7. Produzir Generalização

• A intervenção deve:
A. Ser durável (resistir ao tempo);
B. Estender-se para outros ambientes;
C. Estender-se para outros comportamentos;
D. Estender-se para outras pessoas.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Uma Oitava Dimensão...

8. Validade Social

• Os comportamentos ensinados devem


respeitar e ter o consentimento do cliente, da
família e das pessoas próximas ao cliente.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Baseada nas descobertas de Skinner.

– Foco no comportamento: o comportamento pode ser


modificado se sua relação com o ambiente for mudada.

• Popularizada por Lovaas, que mostrou que 50% das


crianças tratadas com ABA saem do espectro autista.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Práticas e técnicas aperfeiçoadas e em


aperfeiçoamento, objetivando serem as mais efetivas
possíveis.

• Tecnologia efetiva com centenas de crianças.

• Filosofia Behaviorismo Radical (de raiz).

– Pensamentos e sentimentos são comportamento.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Foco no ensino de:


– Linguagem;
– Habilidades Sociais;
– Habilidades Acadêmicas;
– Habilidades de Brincar;
– Habilidades de Auto-cuidado;
– Redução de Comportamentos-
Problema.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• O objetivo da Terapia ABA é ensinar capacidades mais do


que conteúdos.
– Por exemplo, o programa de pareamento de identidade com cores, no
qual a criança deve juntar cores iguais.
– O objetivo neste programa não é que a criança aprenda que azul deve
ir com azul, mas sim que ela desenvolva a CAPACIDADE de
relacionar dois objetos.
– Aprendendo esta CAPACIDADE, ela conseguirá parear quaisquer dois
objetos iguais.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Cria ambientes especiais para a aprendizagem em casa,


na clínica, na escola, etc.

• Ambiente especial: favorável ao aprendizado. O próprio


comportamento efetivo do terapeuta constitui um
ambiente especial.

– Ambiente reforçador.

– Recruta pais, professores e cuidadores das crianças.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Objetivos discutidos e apresentados para os pais


(acompanham a evolução da criança por meio de
registros).

• É uma terapia intensiva, diretiva e relacional.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Idealmente, mais de um terapeuta


(revezamento).

• O contato e atenção social são constantes


durante a terapia.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• A Terapia ABA é especialmente funcional


porque envolve todas as pessoas que
convivem com a criança e ocorre em todos
os ambientes frequentados por ela.

• Promove uma mudança abrangente e


intensiva.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Terapia ABA

• Péssimos nomes para conceitos...


– Reforçamento;

– Controle de Estímulos;

– Extinção;

– Fading in;

– Etc...

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Três razões por que
realizar a Terapia ABA

1. A Terapia ABA Funciona

A Terapia ABA é a forma de tratamento que


possui mais investigações científicas e relatos de
sucesso dentre as terapias que lidam com
indivíduos diagnosticados com autismo.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Três razões por que
realizar a Terapia ABA

2. A Terapia ABA não acredita em falha do aprendiz

A. O terapeuta ABA não acredita que uma pessoa é


incapaz de aprender. Ao invés disso, ele se pergunta
“como eu posso ensinar essa pessoa efetivamente?”

B. Portanto, quando um aluno não aprende, o terapeuta


ABA pergunta “o que EU fiz de errado?”. Isso leva a uma
prática cada vez melhor.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia
Três razões por que
realizar a Terapia ABA

3. A Terapia ABA respeita o direito de aprender

A. Sabendo que somente o aprendizado pode conduzir a


uma vida plena, os terapeutas ABA se esforçam para
tornar o aprendizado relevante e empolgante.

B. O aprendizado ocorre no ritmo do estudante, sempre


respeitando seus limites. O terapeuta procura realizar um
ensino sem erros.

www.psicologiaeciencia.com.br/terapia--aba
www.psicologiaeciencia.com.br/terapia