Você está na página 1de 71

Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Matemática
Financeira
Thyago Carvalho Marques
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Introdução

 O que é?
 Matemática financeira se preocupa com o
valor do dinheiro no tempo.

 Estudo baseado na seguinte frase:


 “Não se SOMA ou SUBTRAI quantias em
Dinheiro que não estejam na mesma DATA”

 A palavra fundamental é JUROS


Thyago Carvalho Marques
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Juros Simples
 É calculado usando somente o principal, ignorando-se
quaisquer juros acumulados no período de juros
anteriores.

 J = P * i * n, em que:
 P = Valor Principal
 i = taxa de juros
 n = número de períodos

 O valor Futuro (F) é dado por:


 F = P + J => P + P*i*n
 F = P * ( 1 + i * n)

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exemplo
 5% a.a por 3 anos com um capital de 1000

Ano Capital ($) Juros(%) Total($)


0 1000 - -
1 1000 50 1050
2 1000 50 1100
3 1000 50 1150

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Juros Compostos
 Ao final de cada período, o juro é incorporado ao principal ou
capital, passando assim a também render juros no próximo período.

 F = P * ( i + 1)^n, em que:
 P = Valor Principal
 i = taxa de juros
 n = número de períodos

 Essa expressão pode ser deduzida da seguinte forma:


 Para n = 1
 F1 = P + (P * i) => P + P*i = P * (1 + i)
 Para n = 2
 F2 = F1 + (F1 * i) => F2 = F1 * (1 + i) => P * (1 + i) * (1 + i)
 F2 = P * (1+i)^2
 Para n = 3
 F3 = F2 + (F2 * i) => F3 = F2 * (1 + i) => P * (1+i)^2 * (1 + i)
 F3 = P * (1+i)^3

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Período de capitalização

 Período de capitalização: é o período em


que uma quantia rende uma taxa de juros
i, após o qual, os valores resultantes dos
juros são somados à quantia acumulada
até então. No período seguinte, tal soma
renderá novamente a taxa de juros i,
repetindo o processo ate o final.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exemplo
 5% a.a por 3 anos com um capital de 1000

Ano Capital ($) Juros(%) Total($)


0 1000 - -
1 1000 50 1050
2 1050 52,5 1102,5
3 1102,5 55,13 1157,63

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Comparação Simples e Composto


Juros: Simples x Compostos
56 55,13
Ano 1 Ano 2 Ano 3
55
54
53 52,5
52
$

51 50 50 50 50
50
49
48
47
Simples Composto

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Comparação Simples e Composto

Total: Simples x Compostos


1180 1157,63
1160
Ano 1 Ano 2 Ano 3
1140
1120 1102,5
1100
1080
1060 1050 1050 1050 1050
1040
1020
1000
980
Simples Compostos

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Convenções
 P = quantia existente ou equivalente no instante INICIAL
e conhecida por valor presente ou atual
 F = quantia existente ou equivalente no instante
FUTURO em relação ao inicial e conhecida por valor
futuro
 i = Taxa de juros por períodos de capitalização
 n = número de período de capitalizações
 U = valor de cada contribuição considerada em uma
série uniforme de dispêndios ou recebimentos.
Também pode ser chamado de valores uniformes,
montantes periódicos ou parcelas periódicas.
 G = valor chamado de gradiente aritmético que
aumenta, gradativamente, de forma uniforme após cada
período de capitalização, constituindo a série de valores
G, 2G, 3G, ..., (n-1)G
Thyago Carvalho Marques
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Visualização

(A) (B)

(D)

(C)

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Problema Básico

 Qual o Valor Futuro F dado o Valor


Presente P?
 Problema 1: Aplico $10.000 por 10 anos a
juros de 5% a.a. Quanto terei após os 10
anos?

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Problemas Básicos

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Problemas Básicos

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Problemas Básicos
 Qual o Valor Presente P dado o Valor
Futuro F?
 Problema 2: Se eu quiser ter $400.000 dentro
de 5 anos, quanto deverei aplicar agora,
considerando-se uma taxa de juros de 10%
a.a.?

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Problemas Básicos

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios Capitalização Simples


1. Determinar quanto renderá um capital de $ 60.000,00 aplicado a taxa de 24% ao ano,
durante 7 meses.

J = Pin = 60.000 * 0,24 * 7/12 = $8.400,00

2.Um capital de $ 28.000,00, aplicado durante 8 meses, rendeu juros de $ 11.200.


Determinar a taxa anual.

J = Pin => i = J / (Pn) = 11.200 / (28.000 * 8/12) = 0.6 = 60%

3.Durante 155 dias certo capital gerou um montante de $ 64.200. Sabendo-se que a taxa
de juros é de 4 % ao mes, deteminar o valor do capital aplicado.

F = P(1+in) => P = F / (1+in) = 64.200 / (1 + 0,04 * 155/30) = 53.204,27

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios – Capitalização Simples

4. Qual o valor dos juros contidos no valor principal de $ 100.000,00, resultante da


taxa de 42% ao ano, durante 13 meses.

J = Pin => 100.000 * 0,42 * 13/12 = 45.500,00

5. Qual o valor a ser pago, no fim de 5 meses e 18 dias, correspondente a um


empréstimo de $ 125.000,00, sabendo-se que a taxa de juros é de 27% ao
semestre.

Conversão do tempo em dias em semestre:


n = 5 * 30 = 150 dias + 18 dias = 168
N = 168 / (6 * 30) = 0,93334

F = P(1+in) = 125.000 (1 + 0,27 * 0,93334 ) = $156.500,00

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios – Capitalização Composta


1. Qual o montante acumulado em 6 trimestres a uma taxa de 2% a.m. em um regime
de juros compostos, a partir de um principal de $ 1.000.000,00.

F = P(1+i)^n => 1.000.000 * (1 + 0,02)^18 = 1.428.246,25

2. Qual é o principal que deve ser investido nesta data para se obter um montante de
$ 500.000,00, daqui a 2 anos, a uma taxa de 15% a.s. em um regime de juros compostos.

F = P(1+i)^n => P = F / (1+i)^n = 500.000 / (1 + 0,15)^4 =


F = 500.000 / 1,749 = 285.876,62

3. Um cidadão investiu $ 10.000 nesta data, para receber $ 14.257,60 daqui a um ano. Qual
a taxa de rentabilidade mensal de seu investimento, em um regime de juros compostos.

F = P(1+i)^n => (1+i)^12 = 1,4258 => 0,03 ou 3%

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios – Capitalização Composta


4. Quanto se terá daqui a 26 trimestres ao se aplicar $ 100.000,00 nesta data, a uma taxa de
2,75% a.m. no regime de juros compostos.

F = P(1+i)^n => 100.000 * (1 + 0,0275)^78 = 829.817,87

5. Uma pessoa deseja fazer uma aplicação financeira, de 2% a.m., de forma que possa retirar
$ 10.000,00 no final do 6 mês e $ 20.000,00 no final do décimo segundo mês. Qual o menor
valor da aplicação que permite a retirada desses valores nos meses indicados.
F = P1(1+i)^n => 10.000 = P1(1+0,02)^6 = P1 = 8.879,42
F = P2(1+i)^n => 20.000 = P2(1+0,02)^12 = P2 = 15.770,38
O valor de P = P1 + P2 = 24.649,80
6. Em quanto tempo triplica um capital que cresce a uma taxa de 3,0% a.m.
F = P(1+i)^n => 3P = P(1+0,03)^n = (1,03)^n = 3 =>
n.log(1,03) = log(3) => n = 37,16
7. Que taxa de juros está embutida numa operação que dobra o capital inicial de $ 1400,00
num prazo de 14 meses.
F = P(1+i)^n => 2800 = 1400(1+i)^14 => 2 = (1+i)^14 => i = 5,076%

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios – Capitalização Composta


Um jovem financiou R$32.000,00 em 60x para comprar um
veículo. Cada parcela ficou um valor de R$776,79. Foram
pagos 14 parcelas.

a) Qual o valor da taxa de juros do financiamento?

b) Para quitar o financiamento, qual valor que deverá ser pago


hoje?

c) O banco fez uma proposta para quitar o veiculo, caso o


cliente pagar R$21.000,00. É viável quitar agora? Se sim,
qual seria o desconto em R$ ou %?

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Curiosidade

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Curiosidade

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Conversão de Taxas de Juros


Equivalência de taxas de juros com capitalização composta

Uma condição para a equivalência de taxas de juros é que estas taxas, aplicadas sobre um mesmo
principal, ou capital inicial, produzam o mesmo montante, ao final de um certo prazo n.

Se uma certa taxa mensal im é equivalente a uma certa taxa anual ia, então:

P (1 + im )12 = P (1 + ia ) (equação 1)

Dividindo a equação (1) por P: (1 + im )12 = (1 + ia ) (equação 2)

Transformando a equação 2: (1 + im ) = 12 (1 + ia )

ou: im = 12 (1 + ia ) − 1 (equação 3)

Exemplo:
Calcular a taxa de juro mensal, equivalente a uma taxa de 20% a.a. Aplicando a equação (3) obtemos:

im = 12 (1 + 0,2) − 1 ; im = 12 (1,2) − 1 = 1,01531 – 1 => 1,531% a.m.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Conversão de Taxas de Juros


Fórmulas para conversão de taxas de juros equivalentes

Existem duas situações básicas para a conversão de taxas de juros:

a) Conversão de uma taxa de período de tempo menor para uma taxa de período de tempo maior:
Taxa semestral em taxa anual, taxa mensal em taxa anual, etc. Neste caso vamos
aplicar a seguinte fórmula:

ie= (1 + iq )n - 1 (equação 4)

onde: ie = taxa equivalente; iq = taxa conhecida a ser convertida; n = número de períodos contidos
no período da taxa de juros menor.

Exemplo:
converter uma taxa de 4% a.t. em taxa anual. Ie = (1 + 0,04)4 = 1,16985
=> ie = 16,98% a.a. Neste caso n = 4, uma vez que um ano contém 4 trimestres.

b) Conversão de uma taxa de período de tempo maior para uma taxa de período de tempo menor:
taxa anual em taxa trimestral, taxa semestral em taxa mensal, etc.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Conversão de Taxas de Juros


Vamos, neste caso aplicar a seguinte fórmula:
ie = n (1 + iq ) − 1

onde: ie = taxa equivalente; iq = taxa conhecida a ser convertida; n = número de períodos contidos
no período da taxa de juros menor.

Exemplo:
Converter uma taxa de 40% a.a. em taxa quadrimestral.

ie = 3 (1,4) − 1

ie = 3 (1 + 0,4) − 1

=> 11,87% a.q.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios
Calcular a taxa equivalente mensal de uma taxa de:

1. 100% a.a.;

2. 82% a.a.;

3. 28% a.s. e 28% a.a.;

4. 28% a.a. ;

5. 32% a.t.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios
1. Determinar o montante no final de 10 meses, resultante da aplicação de um capital de
$ 100.000,00 a taxa de 3,75% a.m.
R: $ 144.504,39

2. Uma pessoa empresta $ 80.000,00 hoje para receber $ 507.294,46 no final de 2 anos.
Calcular as taxas mensal e anual desse empréstimo.
R: 8% a.m. ou 151,817% a.a.

3. Sabendo-se que a taxa trimestral de juros cobrada por uma institução finaceira é de
12,486%, determinar qual o prazo em que um empréstimo de $ 20.000,00 será resgatado
por $ 36.018,23.
R: 5 trimestres ou (15 meses).

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios
4. Quanto devo aplicar hoje, a taxa de 51,107% a.a. para ter $ 1.000.000,00 no final de
19 meses.
R: $ 520.154,96.

5. Em que prazo uma aplicação de $ 374.938,00 a taxa de 3.25% a.m., gera um resgate de
$ 500.000,00
R: 9 meses.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Taxa Nominal e Taxa Efetiva de


Juros

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Taxa Nominal e Taxa Efetiva de


Juros

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Taxa Nominal e Taxa Efetiva de


Juros

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Fluxo de Caixa
 É uma apreciação das contribuições monetárias
(entradas e saídas de dinheiro) ao longo do
tempo

 É a representação gráfica do conjunto de


entradas (receitas) e saídas (despesas) relativo
a um certo a intervalo de tempo.

 Pode ser representado na forma analítica ou


gráfica

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Fluxo de Caixa

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Fluxo de Caixa

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Diagrama de Fluxo de Caixa


 O eixo horizontal representa o tempo
 Nos diversos pontos que representam os instantes, ao
longo do eixo, são traçados:
 Segmentos positivos, para cima, representam Dividendos,
Receitas ou economias realizadas;
 Segmentos negativos, para baixo, representam Despesas,
Aplicações de Dinheiro, Custos de Aplicações ou parcelas que
foram deixadas de receber.
entradas (receitas)
(+)

2.000 4.000
9.000
0 3

1 2 4

1.000 saídas (despesas)


5.000 (-)

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exemplo
 Imagine que uma máquina custa $20.000 á vista ou 5
prestações de $4.800. Para a venda, a vista do fluxo de
caixa é diferente do ponto de vista do comprador para o
do vendedor.
$4.800

comprador
0 1 2 3 4 5

$20.000

$20.000
0 1 2 3 4 5 vendedor

$4.800
Thyago Carvalho Marques
Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Considerações
 De todos os elementos utilizados em E.E,
provavelmente a estimativa do fluxo de
caixa seja o mais difícil e inexato.

 Estimativas do fluxo de caixa são


simplesmente, a estimativa de um futuro
incerto.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Os influxos de caixas ou entradas


pode ser

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

As Saídas de caixas pode ser:

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Cálculo de um Fluxo de Caixa


São definidas algumas regras básicas para o
cálculo do valor numérico de um fluxo de caixa:

(i) o fluxo deve ser calculado em um determinado


período de tempo, isto é, todas as entradas e
saídas devem ser trazidas para uma mesma
data e;

(ii) as entradas e saídas devem ser trazidas para


este período de tempo.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exemplo:
Calcular o seguinte fluxo de caixa, FC(0), considerando-se uma taxa de juros de 5% a.p.:

200 800 1600 1400 1400

1 2 3 4 5

1000

Descontando todas as saídas e entradas e trazendo para o momento 0, temos:

FC(0) = -1000 + 200/(1+0,05)1 + 800/(1+0,05)2 + 1600/(1+0,05)3 + 1400/(1+0,05)4 + 1400/(1+0,05)^5


= -1000 + 190,47 + 725,62 + 1382,14 + 1151,78 + 1096,93
= 3546,94

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
A) Cálculo de uma série uniforme postecipada
Podemos entender uma série uniforme de pagamentos como uma série de pagamentos que possui
as seguintes características: (i) os valores dos pagamentos são todos iguais; e (ii) consecutivos,
como ilustrado abaixo:

300 300 300 300 300 500 500 500 500 500 500

(a) (b)
0 1 2 3 4 5 0 1 2 3 4 5

Fig.1 : Série uniforme postecipada (a) e antecipada (b).

A) Série postecipada e antecipada


Numa série postecipada (a) o primeiro pagamento ocorre a partir do primeiro período, enquanto
uma série antecipada (b) é caracterizada pelo fato do primeiro pagamento ocorrer no início do
período.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
A) Cálculo do montante F de uma série uniforme postecipada
Consideremos uma série uniforme postecipada, descontada mensalmente a uma taxa de 4%, como
mostrado abaixo:
100 100 100 100 100

0 1 2 3 4 5

F=

É possível calcular o valor futuro da série com o uso de fórmulas já conhecidas:

F1 = 100 x (1,04)4 = 100 x 1,16986 = 116,98


F2 = 100 x (1,04)3 = 100 x 1,12486 = 112,49
F3 = 100 x (1,04)2 = 100 x 1,08160 = 108,16
F4 = 100 x (1,04)1 = 100 x 1,04000 = 104,00
F5 = 100 x (1,04)0 = 100 x 1,10000 = 100,00
Ft = ............................................... = 541,63

Assim, podemos concluir que, o montante de 5 aplicações, mensais e consecutivas aplicadas


a um taxa de 4% a.m. acumula um montante de $ 541,63.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Sabemos que Ft = F1 + F2 + F3 + F4 + F5, substituindo F1, F2 , F3..., por seus respectivos valores
temos:

Ft = 100 x (1,04)4 + 100 x (1,04)3 + 100 x (1,04)2 + 100 x (1,04)1 + 100 x (1,04)0.

Como o fator 100 é comum a todos os termos, podemos agrupar a expressão acima:

Ft = 100 { (1,04)0 + (1,04)1 + (1,04)2 + (1,04)3 + (1,04)4 } (Equação 1)

Como a série entre chaves, acima, representa a soma de uma progressão geométrica de razão
1,04, podemos aplicar a seguinte fórmula,
a1 × q n − a1
q −1
que nos fornece a soma dos termos de uma PG, com a1= (1,04)0 =1, q = 1,04 e n = 5.

Transformando a Equação 1 com a inclusão da fórmula da soma de uma PG, como mostrado
acima, obtemos:
1× (1,04) 5 − 1
100 × (Equação 2)
1,04 − 1

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Substituindo os termos genéricos na Equação 2, obtemos:

(1 + i ) n − 1
F =U × (Equação 3)
i
onde:
F = montante acumulado da série uniforme postecipada; U = valor das prestações;
i = taxa de Juros e n = número de períodos ou prestações.
(1 + i ) n − 1
A expressão é chamada, também, de maneira análoga, as séries simples, de fator de
i
acumulação de capital, FAC .

B) Cálculo do valor das prestações U, conhecido o montante acumulado F


Podemos transformar a Equação 3, colocando U em função de F:
i
U = F× (Equação 4)
(1 + i ) n − 1
i
A expressão (1 + i ) n − 1 é denominada de fator de formação de capital (FFC), encontando-se
tabelada, como anexo, na maioria dos livros de matemática financeira.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
C) Cálculo do valor presente P de uma série uniforme postecipada
Consideremos uma série uniforme antecipada do tipo:
U U U U U

0 1 2 3 4 n

P=

O valor presente P, pode ser calculado através da fórmula:

(1 + i ) n − 1 (Equação 5)
P =U ×
(1 + i ) n × i
onde:
P = valor presente das prestações da série postecipada; U = valor das prestações; n = número
das prestações.
(1 + i ) n − 1
O fator (1 + i ) n × i
é denominado fator de valor atual, FVA, sendo encontrado, como anexo,
em tabelas em livros de matemática financeira.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Exercício
Calcular o valor atual de uma série de 12 prestações mensais, iguais e consecutivas de $150,
capitalizadas a uma taxa mensal de $ 5% ao mês.

(1 + i ) n − 1
P =U ×
(1 + i ) n × i
(1 + 0,05)12 − 1
P = 150 ×
(1 + 0,05)12 × 0,05
P = 1.329,54

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
D) Cálculo do montante F de uma série uniforme antecipada
Consideremos uma série uniforme antecipada do tipo:

U U U U U U

0 1 2 3 4 n

F=

O montante F pode ser calculado através da fórmula:


 (1 + i ) n − 1
F = U × (1 + i ) ×   (Equação 6)
 i 
onde:
F = montante acumulado no final do período; U = valor das prestações; i = taxa de juros.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Exemplo:
Quanto terei de aplicar mensalmente, a partir de hoje, para acumular no final de 36 meses, um
montante de $ 100.000,00, sabendo-se que a taxa de juros contratada é de 34,489% ao ano, que as
prestações são iguais e consecutivas e a primeira prestação é depositada no período 0.

F=$ 100.000

0 1 2 3 4 5 6 35

U=

Vamos, inicialmente, transformar a taxa anual em taxa mensal:

im = 12 (1 + 0,34489) − 1 = 1,024999 − 1 => i = 2,5% a.m.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes

Transformando a Equação 6, e colocando U (prestação) em função de F (valor futuro acumulado


das prestações) obtemos:

1 i 1
U =F× × = F × × FFC(i %, n )
(1 + i ) (1 + i ) n −1 (1 + i )

Aplicando a fórmula acima, com S = $ 100.000,00, i = 2,5% a.m. e n = 36, obtemos:

U = 100.000 x 1/(1+0,025) x FFC(2,5%,36)= 100.000 x 0,97560 x 0,01745 = $ 1.702,42

i
(1 + i ) n − 1 É denominada de fator de formação de capital (FFC)

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
E) Cálculo do valor presente P de uma série uniforme antecipada
Consideremos uma série uniforme antecipada do tipo:
P=

0 1 2 3 4 5 6 35

U =$100

O valor presente P pode ser calculado através da expressão:

P = U × (1 + i ) × FVA( i %,n ) (Equação 7)

(1 + i ) n − 1
(1 + i ) n × i
é denominado fator de valor atual, FVA

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Exemplo:

Determinar o valor presente do financiamento de um bem financiado em 36 prestações iguais de $


100,00, sabendo-se que a taxa de juros cobrada é de 3,0% a.m. e que a primeira prestação é paga no
ato da assinatura do contrato.

Fazendo uso da Equação 7:

P = U x (1+i) x FVA(3,0,%,36) = 100 x (1,03) x 21,83225 = $ 2248,72

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
F) Cálculo da prestação U, dado o valor presente P de uma série uniforme antecipada
Nestas condições, o valor U da prestação pode ser calculado a partir da transformação da Equação
7:

1  (1 + i ) n × i  (Equação 8)
U =P × 
(1 + i )  (1 + i ) n − 1 

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Uniformes
Exemplo:
Um terreno é colocado a venda por $ 50.000,00 a vista ou em 24 prestações mensais sendo a
primeira prestação paga na data do contrato. Determinar o valor de cada parcela, sabendo-se que o
proprietário está cobrando uma taxa de 3,5 % a.a. pelo financiamento.

P =$ 50.000,00

0 1 2 3 4 5 6 23

U =$

Aplicando a Equação 8, obtemos:

1  (1 + i ) n * i  1
U = P× ×  = 50.000 × × 0,06227 = $3.008,21
(1 + i )  (1 + i ) − 1
n
(1 + 0,035)

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios
1. Um investidor depositou, anualmente, $ 1000,00 numa conta de poupança, em nome de
seu filho, a juros de 6% a.a. O primeiro depósito foi feito no dia em que seu filho completou
1 ano e o último quando este completou 18 anos. O dinheiro ficou depositado até o dia em
que completou 21 anos, quando o montante foi sacado. Quanto recebeu seu filho.
R: $ 36.809,24

2. Quanto deverá ser aplicado, a cada 2 meses, em um fundo de renda fixa, a taxa de 5% ao
bimestre, durante 3 anos e meio, para que se obtenha, no final deste prazo, um montante
de $ 175.000,00.
R: $ 4.375,00

3. Qual é o montante obtido no final de 8 meses, referente a uma aplicação de $ 500,00 por
mês, a taxa de 42,5776% ao ano.
R: $ 4.446,17

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Exercícios

4. Quantas aplicações mensais de $ 500,00 são necessárias para se obter um montante de


$ 32.514,00, sabendo-se que a taxa é de 3,00% a.m., e que a primeira aplicação é feita no
ato da assinatura do contrato e a última 30 dias antes do resgate daquele valor.
R: 36 aplicações.

5. O Sr. Laerte resolveu fazer 12 aplicações mensais, como segue:


a) 6 prestações iniciais de $ 1000 cada uma;
b) 6 prestações restantes de $ 2000,00 cada uma.
Sabendo-se que esta aplicação está sendo remunerada a 3,0% a.m., calcular o saldo
acumulado de capital mais juros que estará a disposição do Sr. Laerte no final do prazo
de aplicação.
R:2.066,04

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética


 Para encontrar o valor presente P dado o valor gradiente.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética


 Para encontrar o valor uniforme U dado o valor gradiente.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética


 Para encontrar o valor uniforme U dado o valor gradiente.

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Aritmética

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes – Aritmética


Exercício

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Geométrico

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Geométrico

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Geométrico

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Geométrico

Thyago Carvalho Marques


Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Engenharia Econômica

Series Gradientes - Geométrico


Exercícios

Thyago Carvalho Marques