Você está na página 1de 2

UNIVERDIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Centro de Ciências da Saúde


Faculdade de Farmácia

Monique dos Santos Teixeira


DRE: 109054497

Bioética
Os dilemas éticos sempre estiveram presentes nas ações humanas, adquirindo menor ou
maior relevância dependendo do contexto temporal ;
Os conflitos surgem quando se defrontam pontos de vista divergentes, desde meados do
século passado com o avanço da ciência e da tecnologia nas áreas da medicina,
engenharia, química, biologia, a sociedade vem se deparando com diversos dilemas de
cunho ético, grande parte deles tendo sua origem na aplicação das novas tecnologias. A
Bioética surge a partir da década de 1970 com o objetivo de estudar o impacto das
inovações tecnológicas na vida das pessoas e os limites para o seu uso.
Considera, portanto, questões onde não existe consenso moral como a fertilização in
vitro, o aborto, a clonagem, a eutanásia, os transgênicos e as pesquisas com células
tronco, bem como a responsabilidade moral de cientistas em suas pesquisas e suas
aplicações.
Existem fundamentos ou modelos de análise teóricos que são utilizados em bioética
chamados de Paradigmas Bioéticos, dentre esses princípios orientadores da ação estão:
autonomia (capacidade de a pessoa autogovernar-se, escolher, avaliar, sem restrições
internas ou externas)- esse conceito está inserido na temática do filme O jardineiro fiel,
que foca principalmente na ação de empresas farmacêuticas no continente africano que se
utiliza de soro positivos para testar drogas em troca do tratamento do HIV, é aí que se
insere o conceito de autonomia pois não há dignidade no tratamento uma vez que o
africano que não aceita ser cobaia fica impedido de se tratar , ou seja ele acaba cedendo
pois existe nescessidade de se tratar do HIV
O conceito de beneficência (fazer o bem, cuidar da saúde, favorecer a qualidade de vida)
também é mostrtado no filme, uma vez que as empresas farmacêuticas não estão
dispostas a retomar a droga para os laboratórios e aperfeiçoá-las o que custaria tempo e
dinheiro ou seja apenas levam em conta os prejuízos capitais e não humanos!
Podemos então concluir que Mais que uma meta-ética, a bioética transpõe-se a um
movimento cultural: é neste humanismo que se pode englobar conceitos entre o prático
biodireito e o teórico biopoder. É desta maneira que sua constante revisão e atualização
se torna uma característica fundamental.