Você está na página 1de 32

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO

PROVA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS


PROVA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

2º DIA
CADERNO

5
2017 AMARELO

ATENÇÃO: transcreva no espaço apropriado do seu CARTÃO-RESPOSTA,


FRPVXDFDOLJUD¿DXVXDOFRQVLGHUDQGRDVOHWUDVPDL~VFXODVHPLQ~VFXODVDVHJXLQWHIUDVH

Relê as folhas que já foram lidas.

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES SEGUINTES:

1. Este CADERNO DE QUESTÕES contém 90 questões numeradas de 91 a 180, dispostas da


seguinte maneira:
a) questões de número 91 a 135, relativas à área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
b) questões de número 136 a 180, relativas à área de Matemática e suas Tecnologias.
2. &RQ¿UDVHDTXDQWLGDGHHDRUGHPGDVTXHVW}HVGRVHX&$'(512'(48(67®(6HVWmRGHDFRUGR
com as instruções anteriores. Caso o caderno esteja incompleto, tenha defeito ou apresente qualquer
divergência, comunique ao aplicador da sala para que ele tome as providências cabíveis.

3. 3DUD FDGD XPD GDV TXHVW}HV REMHWLYDV VmR DSUHVHQWDGDV  RSo}HV $SHQDV XPD UHVSRQGH
FRUUHWDPHQWHjTXHVWmR
4. O tempo disponível para estas provas é de quatro horas e trinta minutos.
5. 5HVHUYHRVPLQXWRV¿QDLVSDUDPDUFDUVHXCARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações
DVVLQDODGDVQR&$'(512'(48(67®(6QmRVHUmRFRQVLGHUDGRVQDDYDOLDomR
6. Quando terminar as provas, acene para chamar o aplicador e entregue este CADERNO DE QUESTÕES
e o CARTÃO-RESPOSTA.
7. 9RFr SRGHUi GHL[DU R ORFDO GH SURYD VRPHQWH DSyV GHFRUULGDV GXDV KRUDV GR LQtFLR GD DSOLFDomR H
SRGHUiOHYDUVHX&$'(512'(48(67®(6DRGHL[DUHPGH¿QLWLYRDVDODGHSURYDQRVPLQXWRV
que antecedem o término das provas.

Ministério
da Educação *DO0525AM1*
*DO0525AM2*
CIÊNCIAS DA NATUREZA QUESTÃO 93
E SUAS TECNOLOGIAS (P XPD FROLVmR IURQWDO HQWUH GRLV DXWRPyYHLV D
Questões de 91 a 135 força que o cinto de segurança exerce sobre o tórax e
abdômen do motorista pode causar lesões graves nos
QUESTÃO 91 yUJmRVLQWHUQRV3HQVDQGRQDVHJXUDQoDGRVHXSURGXWR
um fabricante de automóveis realizou testes em cinco
Um fato corriqueiro ao se cozinhar arroz é o modelos diferentes de cinto. Os testes simularam uma
derramamento de parte da água de cozimento sobre a FROLVmRGHVHJXQGRGHGXUDomRHRVERQHFRVTXH
chama azul do fogo, mudando-a para uma chama amarela. representavam os ocupantes foram equipados com
Essa mudança de cor pode suscitar interpretações acelerômetros. Esse equipamento registra o módulo
diversas, relacionadas às substâncias presentes na água GD GHVDFHOHUDomR GR ERQHFR HP IXQomR GR WHPSR
de cozimento. Além do sal de cozinha (NaCl), nela se Os parâmetros como massa dos bonecos, dimensões dos
encontram carboidratos, proteínas e sais minerais. cintos e velocidade imediatamente antes e após o impacto
IRUDPRVPHVPRVSDUDWRGRVRVWHVWHV2UHVXOWDGR¿QDO
&LHQWL¿FDPHQWH VDEHVH TXH HVVD PXGDQoD GH FRU GD
REWLGRHVWiQRJUi¿FRGHDFHOHUDomRSRUWHPSR
chama ocorre pela
200
A UHDomR GR JiV GH FR]LQKD FRP R VDO YRODWLOL]DQGR Cinto 1

Aceleração (m/s2)
gás cloro. Cinto 2
160
B HPLVVmRGHIyWRQVSHORVyGLRH[FLWDGRSRUFDXVDGD Cinto 3
chama. 120
Cinto 4
C SURGXomR GH GHULYDGR DPDUHOR SHOD UHDomR FRP R Cinto 5
carboidrato. 80
D UHDomRGRJiVGHFR]LQKDFRPDiJXDIRUPDQGRJiV
hidrogênio. 40
E H[FLWDomRGDVPROpFXODVGHSURWHtQDVFRPIRUPDomR
de luz amarela. 0
0,00 0,05 0,10 0,15 0,20 0,25 0,30
QUESTÃO 92
Tempo (s)
$ FODVVL¿FDomR ELROyJLFD SURSRVWD SRU :KLWWDNHU
4XDOPRGHORGHFLQWRRIHUHFHPHQRUULVFRGHOHVmRLQWHUQD
permite distinguir cinco grandes linhas evolutivas
ao motorista?
XWLOL]DQGRFRPRFULWpULRVGHFODVVL¿FDomRDRUJDQL]DomR
FHOXODUHRPRGRGHQXWULomR:RHVHHVHXVFRODERUDGRUHV A 1
FRPEDVHQDFRPSDUDomRGDVVHTXrQFLDVTXHFRGL¿FDP
o RNA ribossômico dos seres vivos, estabeleceram B 2
relações de ancestralidade entre os grupos e concluíram C 3
TXHRVSURFDULRQWHVGRUHLQR0RQHUDQmRHUDPXPJUXSR D 4
coeso do ponto de vista evolutivo. E 5
Whittaker (1969) Woese (1990) QUESTÃO 94
Cinco reinos Três domínios
3HVTXLVDGRUHVFULDUDPXPWLSRGHSODTXHWDDUWL¿FLDO
Archaea
Monera feita com um polímero gelatinoso coberto de anticorpos,
Eubacteria TXH SURPHWH DJLOL]DU R SURFHVVR GH FRDJXODomR TXDQGR
injetada no corpo. Se houver sangramento, esses
Protista anticorpos fazem com que a plaqueta mude sua forma
Fungi e se transforme em uma espécie de rede que gruda nas
(XNDU\D lesões dos vasos sanguíneos e da pele.
Plantae
MOUTINHO, S. Coagulação acelerada. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br.
Animalia Acesso em: 19 fev. 2013 (adaptado).

$ GLIHUHQoD EiVLFD QDV FODVVL¿FDo}HV FLWDGDV p TXH D Qual a doença cujos pacientes teriam melhora de seu
mais recente se baseia fundamentalmente em estado de saúde com o uso desse material?

A tipos de células. A Filariose.


B aspectos ecológicos. B +HPR¿OLD
C UHODo}HV¿ORJHQpWLFDV C Aterosclerose.
D SURSULHGDGHV¿VLROyJLFDV D Doença de Chagas.
E características morfológicas. E 6tQGURPHGDLPXQRGH¿FLrQFLDDGTXLULGD

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 2


*DO0525AM3*
QUESTÃO 95 QUESTÃO 97
A farinha de linhaça dourada é um produto natural que $V FHQWUtIXJDV VmR HTXLSDPHQWRV XWLOL]DGRV HP
oferece grandes benefícios para o nosso organismo. A maior laboratórios, clínicas e indústrias. Seu funcionamento faz
parte dos nutrientes da linhaça encontra-se no óleo desta XVRGDDFHOHUDomRFHQWUtIXJDREWLGDSHODURWDomRGHXP
semente, rico em substâncias lipossolúveis com massas UHFLSLHQWH H TXH VHUYH SDUD D VHSDUDomR GH VyOLGRV HP
moleculares elevadas. A farinha também apresenta altos VXVSHQVmRHPOtTXLGRVRXGHOtTXLGRVPLVWXUDGRVHQWUHVL
WHRUHV GH ¿EUDV SURWHLFDV LQVRO~YHLV HP iJXD FHOXORVH RODITI, I. Dicionário Houaiss de física. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005 (adaptado).
vitaminas lipossolúveis e sais minerais hidrossolúveis. 1HVVH DSDUHOKR D VHSDUDomR GDV VXEVWkQFLDV RFRUUH
HPIXQomR
Considere o esquema, que resume um processo de
VHSDUDomR GRV FRPSRQHQWHV SULQFLSDLV GD IDULQKD GH A das diferentes densidades.
linhaça dourada. B GRVGLIHUHQWHVUDLRVGHURWDomR
C das diferentes velocidades angulares.
Farinha de linhaça D das diferentes quantidades de cada substância.
E GDGLIHUHQWHFRHVmRPROHFXODUGHFDGDVXEVWkQFLD
Adição de éter etílico, seguida de agitação
Filtração Destilado 1 QUESTÃO 98
Resíduo 1 Extrato etéreo Visando explicar uma das propriedades da
Destilação
(fase orgânica) membrana plasmática, fusionou-se uma célula de
Resíduo 4
Adição de água, seguida de agitação
camundongo com uma célula humana, formando uma
célula híbrida. Em seguida, com o intuito de marcar as
Filtração proteínas de membrana, dois anticorpos foram inseridos
Destilado 2
Resíduo 2 QR H[SHULPHQWR XP HVSHFt¿FR SDUD DV SURWHtQDV GH
Extrato aquoso Destilação
membrana do camundongo e outro para as proteínas de
Resíduo 3 membrana humana. Os anticorpos foram visualizados ao
PLFURVFySLRSRUPHLRGHÀXRUHVFrQFLDGHFRUHVGLIHUHQWHV
2yOHRGHOLQKDoDVHUiREWLGRQDIUDomR Célula de Célula
camundongo humana
A Destilado 1. ETAPA 1
B Destilado 2. Proteína da
membrana
C Resíduo 2. Proteína da
membrana
D Resíduo 3.
Fusão celular
E Resíduo 4. ETAPA 2

QUESTÃO 96 Célula híbrida

O biodiesel é um biocombustível obtido a partir de


fontes renováveis, que surgiu como alternativa ao uso do
GLHVHO GH SHWUyOHR SDUD PRWRUHV GH FRPEXVWmR LQWHUQD ETAPA 3
(OH SRGH VHU REWLGR SHOD UHDomR HQWUH WULJOLFHUtGHRV
presentes em óleos vegetais e gorduras animais, entre Anticorpos contra proteína de Anticorpos contra proteína
outros, e álcoois de baixa massa molar, como o metanol membrana de camundongo, de membrana humana,
marcados com fluoresceína. marcados com rodamina.
ou etanol, na presença de um catalisador, de acordo com
DHTXDomRTXtPLFD Tempo = 0 minuto
Incubação a 37 °C
ETAPA 4
CH2 R1 CH3 R1
CH2 OH Tempo = 40 minutos
catalisador CH OH
CH R2 + 3 CH3OH CH3 R2 +

CH2 OH

CH2 R3 CH3 R3 ALBERTS, B. et al. Biologia molecular da célula. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997 (adaptado).

A mudança observada da etapa 3 para a etapa 4 do


$IXQomRTXtPLFDSUHVHQWHQRSURGXWRTXHUHSUHVHQWDR experimento ocorre porque as proteínas
biodiesel é A movimentam-se livremente no plano da bicamada
lipídica.
A éter.
B SHUPDQHFHP FRQ¿QDGDV HP GHWHUPLQDGDV UHJL}HV
B éster. da bicamada.
C álcool. C auxiliam o deslocamento dos fosfolipídios da
membrana plasmática.
D cetona. D VmRPRELOL]DGDVHPUD]mRGDLQVHUomRGHDQWLFRUSRV
E ácido carboxílico. E VmREORTXHDGDVSHORVDQWLFRUSRV
CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 3
*DO0525AM4*
QUESTÃO 99 QUESTÃO 100
Partículas microscópicas existentes na atmosfera
$ ¿JXUD PRVWUD FRPR p D HPLVVmR GH UDGLDomR
IXQFLRQDP FRPR Q~FOHRV GH FRQGHQVDomR GH YDSRU GH
eletromagnética para cinco tipos de lâmpada: haleto água que, sob condições adequadas de temperatura
metálico, tungstênio, mercúrio, xênon e LED (diodo H SUHVVmR SURSLFLDP D IRUPDomR GDV QXYHQV H
consequentemente das chuvas. No ar atmosférico, tais
HPLVVRU GH OX]  $V iUHDV PDUFDGDV HP FLQ]D VmR
SDUWtFXODV VmR IRUPDGDV SHOD UHDomR GH iFLGRV +X)
proporcionais à intensidade da energia liberada pela com a base NH3, de forma natural ou antropogênica,
lâmpada. As linhas pontilhadas mostram a sensibilidade dando origem a sais de amônio (NH4X), de acordo com a
HTXDomRTXtPLFDJHQpULFD
do olho humano aos diferentes comprimentos de onda.
HX (g) + NH3 (g) ĺ NH4X (s)
89H,9VmRDVUHJL}HVGRXOWUDYLROHWDHGRLQIUDYHUPHOKR
)(/,;(3&$5'262$$)DWRUHVDPELHQWDLVTXHDIHWDPDSUHFLSLWDomR~PLGD
respectivamente. Química Nova na Escola, n. 21, maio 2005 (adaptado).

Um arquiteto deseja iluminar uma sala usando uma $¿[DomRGHPROpFXODVGHYDSRUGHiJXDSHORVQ~FOHRV


GHFRQGHQVDomRRFRUUHSRU
OkPSDGD TXH SURGX]D ERD LOXPLQDomR PDV TXH QmR
aqueça o ambiente. A ligações iônicas.
B interações dipolo-dipolo.
C interações dipolo-dipolo induzido.
Haleto metálico D interações íon-dipolo.
E ligações covalentes.

Tungstênio QUESTÃO 101


(P XPD OLQKD GH WUDQVPLVVmR GH LQIRUPDo}HV SRU
Intensidade emitida

¿EUDySWLFDTXDQGRXPVLQDOGLPLQXLVXDLQWHQVLGDGHSDUD
valores inferiores a 10 dB, este precisa ser retransmitido.
Mercúrio 1RHQWDQWRLQWHQVLGDGHVVXSHULRUHVDG%QmRSRGHP
VHU WUDQVPLWLGDV DGHTXDGDPHQWH $ ¿JXUD DSUHVHQWD
como se dá a perda de sinal (perda óptica) para diferentes
FRPSULPHQWRVGHRQGDSDUDFHUWRWLSRGH¿EUDySWLFD
Xênon 6
Perda óptica (dB/km)

4
LED
3

2
200 300 400 500 600 700 800 900
1
UV Visível IV
Comprimento de onda (nm) 0,8 0,9 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,7 1,8
Comprimento de onda (μm)
Disponível em: http://zeiss-campus.magnet.fsu.edu. Acesso em: 8 maio 2017 (adaptado). $WHQXDomRHOLPLWDo}HVGDV¿EUDVySWLFDV. Disponível em: www.gta.ufrj.br.
Acesso em: 25 maio 2017 (adaptado).
Qual tipo de lâmpada melhor atende ao desejo do arquiteto?
4XDOpDPi[LPDGLVWkQFLDHPNPTXHXPVLQDOSRGHVHU
HQYLDGRQHVVD¿EUDVHPVHUQHFHVViULDXPDUHWUDQVPLVVmR"
A Haleto metálico.
B Tungstênio. A 6
B 18
C Mercúrio.
C 60
D Xênon. D 90
E LED. E 100

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 4


*DO0525AM5*
QUESTÃO 102
$WpFQLFDGRFDUERQRSHUPLWHDGDWDomRGHIyVVHLVSHODPHGLomRGRVYDORUHVGHHPLVVmREHWDGHVVHLVyWRSR
SUHVHQWHQRIyVVLO3DUDXPVHUHPYLGDRPi[LPRVmRHPLVV}HVEHWD PLQJ $SyVDPRUWHDTXDQWLGDGHGH14C
se reduz pela metade a cada 5 730 anos.
$SURYDGRFDUERQR. Disponível em: http://noticias.terra.com.br. Acesso em: 9 nov. 2013 (adaptado).

&RQVLGHUHTXHXPIUDJPHQWRIyVVLOGHPDVVDLJXDODJIRLHQFRQWUDGRHPXPVtWLRDUTXHROyJLFRHDPHGLomRGH
UDGLDomRDSUHVHQWRXHPLVV}HVEHWDSRUKRUD$LGDGHGHVVHIyVVLOHPDQRVp
A 450.
B 1 433.
C 11 460.
D 17 190.
E 27 000.

QUESTÃO 103
$¿JXUDPRVWUDRIXQFLRQDPHQWRGHXPDHVWDomRKtEULGDGHJHUDomRGHHOHWULFLGDGHPRYLGDDHQHUJLDHyOLFDH
ELRJiV(VVDHVWDomRSRVVLELOLWDTXHDHQHUJLDJHUDGDQRSDUTXHHyOLFRVHMDDUPD]HQDGDQDIRUPDGHJiVKLGURJrQLR
usado no fornecimento de energia para a rede elétrica comum e para abastecer células a combustível.
Rede de distribuição Turbinas Produção de
elétrica eólicas hidrogênio

Eletricidade Eletricidade

Hidrogênio

Planta mista Armazenamento


de geração de hidrogênio
de energia

Eletricidade Mistura Hidrogênio

Válvula para
mistura
Hidrogênio
Calor
Biogás Combustível
Destino da
energia térmica

Armazenamento
de biogás
Disponível em: www.enertrag.com. Acesso em: 24 abr. 2015 (adaptado).

0HVPR FRP DXVrQFLD GH YHQWRV SRU FXUWRV SHUtRGRV HVVD HVWDomR FRQWLQXD DEDVWHFHQGR D FLGDGH RQGH HVWi
instalada, pois o(a)
A SODQWDPLVWDGHJHUDomRGHHQHUJLDUHDOL]DHOHWUyOLVHSDUDHQYLDUHQHUJLDjUHGHGHGLVWULEXLomRHOpWULFD
B KLGURJrQLRSURGX]LGRHDUPD]HQDGRpXWLOL]DGRQDFRPEXVWmRFRPRELRJiVSDUDJHUDUFDORUHHOHWULFLGDGH
C FRQMXQWRGHWXUELQDVFRQWLQXDJLUDQGRFRPDPHVPDYHORFLGDGHSRULQpUFLDPDQWHQGRDH¿FLrQFLDDQWHULRU
D FRPEXVWmRGDPLVWXUDELRJiVKLGURJrQLRJHUDGLUHWDPHQWHHQHUJLDHOpWULFDDGLFLRQDOSDUDDPDQXWHQomRGDHVWDomR
E SODQWDPLVWDGHJHUDomRGHHQHUJLDpFDSD]GHXWLOL]DUWRGRRFDORUIRUQHFLGRQDFRPEXVWmRSDUDDJHUDomRGHHOHWULFLGDGH

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 5


*DO0525AM6*
QUESTÃO 104
$ HOHWUyOLVH p XP SURFHVVR QmR HVSRQWkQHR GH JUDQGH LPSRUWkQFLD SDUD D LQG~VWULD TXtPLFD 8PD GH VXDV
DSOLFDo}HVpDREWHQomRGRJiVFORURHGRKLGUy[LGRGHVyGLRDSDUWLUGHXPDVROXomRDTXRVDGHFORUHWRGHVyGLR
Nesse procedimento, utiliza-se uma célula eletroquímica, como ilustrado.
e e

+ -

e Bateria e

Cl2 (g) Produto secundário

Solução aquosa + -
de NaCl

Ânodo de carbono

Cátodo de carbono
Diafragma de amianto

Dreno para solução


aquosa alcalina
Célula eletroquímica
SHREVE, R. N.; BRINK Jr., J. A. ,QG~VWULDVGHSURFHVVRVTXtPLFRV. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997 (adaptado).

No processo eletrolítico ilustrado, o produto secundário obtido é o


A vapor de água.
B oxigênio molecular.
C hipoclorito de sódio.
D hidrogênio molecular.
E cloreto de hidrogênio.

QUESTÃO 105
Uma grande virada na moderna história da agricultura ocorreu depois da Segunda Guerra Mundial. Após a guerra,
RVJRYHUQRVKDYLDPVHGHSDUDGRFRPXPHQRUPHH[FHGHQWHGHQLWUDWRGHDP{QLRLQJUHGLHQWHXVDGRQDIDEULFDomR
GHH[SORVLYRV$SDUWLUGDtDVIiEULFDVGHPXQLomRIRUDPDGDSWDGDVSDUDFRPHoDUDSURGX]LUIHUWLOL]DQWHVWHQGRFRPR
componente principal os nitratos.
SOUZA, F. A. $JULFXOWXUDQDWXUDORUJkQLFDFRPRLQVWUXPHQWRGH¿[DomRELROyJLFDHPDQXWHQomRGRQLWURJrQLRQRVROR: um modelo sustentável de MDL.
Disponível em: www.planetaorganico.com.br. Acesso em: 17 jul. 2015 (adaptado).

No ciclo natural do nitrogênio, o equivalente ao principal componente desses fertilizantes industriais é produzido na
etapa de

A QLWUDWDomR
B QLWURVDomR
C DPRQL¿FDomR
D GHVQLWUL¿FDomR
E ¿[DomRELROyJLFDGR12.

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 6


*DO0525AM7*
QUESTÃO 106 QUESTÃO 108
A toxicidade de algumas substâncias é normalmente Dispositivos eletrônicos que utilizam materiais de
representada por um índice conhecido como DL50 (dose baixo custo, como polímeros semicondutores, têm sido
letal mediana). Ele representa a dosagem aplicada a GHVHQYROYLGRVSDUDPRQLWRUDUDFRQFHQWUDomRGHDP{QLD
XPD SRSXODomR GH VHUHV YLYRV TXH PDWD  GHVVHV (gás tóxico e incolor) em granjas avícolas. A polianilina
indivíduos e é normalmente medido utilizando-se ratos é um polímero semicondutor que tem o valor de sua
como cobaias. Esse índice é muito importante para resistência elétrica nominal quadruplicado quando exposta
os seres humanos, pois ao se extrapolar os dados a altas concentrações de amônia. Na ausência de amônia,
obtidos com o uso de cobaias, pode-se determinar o a polianilina se comporta como um resistor ôhmico e a sua
QtYHOWROHUiYHOGHFRQWDPLQDomRGHDOLPHQWRVSDUDTXH UHVSRVWDHOpWULFDpPRVWUDGDQRJUi¿FR
possam ser consumidos de forma segura pelas pessoas.
O quadro apresenta três pesticidas e suas toxicidades. 6,0
$XQLGDGHPJNJLQGLFDDPDVVDGDVXEVWkQFLDLQJHULGD

Corrente (10–6 A)
5,0
pela massa da cobaia.
4,0
Pesticidas DL50 (mg/kg)
3,0
Diazinon 70
2,0
Malation 1 000
1,0
Atrazina 3 100
0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0
Sessenta ratos, com massa de 200 g cada, foram
Diferença de potencial (V)
GLYLGLGRVHPWUrVJUXSRVGHYLQWH7UrVDPRVWUDVGHUDomR
contaminadas, cada uma delas com um dos pesticidas O valor da resistência elétrica da polianilina na presença
LQGLFDGRV QR TXDGUR QD FRQFHQWUDomR GH  PJ SRU de altas concentrações de amônia, em ohm, é igual a
JUDPDGHUDomRIRUDPDGPLQLVWUDGDVSDUDFDGDJUXSRGH A 0,5 × 100.
FREDLDV&DGDUDWRFRQVXPLXJGHUDomR B 2,0 × 100.
4XDO DLV  JUXSR V  WHUi mR  XPD PRUWDOLGDGH PtQLPD GH C 2,5 × 105.
10 ratos? D 5,0 × 105.
E 2,0 × 106.
A O grupo que se contaminou somente com atrazina.
B O grupo que se contaminou somente com diazinon. QUESTÃO 109
C Os grupos que se contaminaram com atrazina e 3HVTXLVDGRUHVFRQVHJXLUDPHVWLPXODUDDEVRUomRGH
malation. energia luminosa em plantas graças ao uso de nanotubos
D Os grupos que se contaminaram com diazinon e de carbono. Para isso, nanotubos de carbono “se
malation. inseriram” no interior dos cloroplastos por uma montagem
E Nenhum dos grupos contaminados com atrazina, espontânea, através das membranas dos cloroplastos.
diazinon e malation. Pigmentos da planta absorvem as radiações luminosas,
RVHOpWURQVVmR³H[FLWDGRV´HVHGHVORFDPQRLQWHULRUGH
QUESTÃO 107 membranas dos cloroplastos, e a planta utiliza em seguida
HVVD HQHUJLD HOpWULFD SDUD D IDEULFDomR GH Do~FDUHV
2VPHGLFDPHQWRVVmRURWLQHLUDPHQWHXWLOL]DGRVSHOR Os nanotubos de carbono podem absorver comprimentos
ser humano com o intuito de diminuir ou, por muitas vezes, GHRQGDKDELWXDOPHQWHQmRXWLOL]DGRVSHORVFORURSODVWRV
FXUDUSRVVtYHLVWUDQVWRUQRVGHVD~GH2VDQWLELyWLFRVVmR e os pesquisadores tiveram a ideia de utilizá-los como
grupos de fármacos inseridos no tratamento de doenças ³DQWHQDV´HVWLPXODQGRDFRQYHUVmRGHHQHUJLDVRODUSHORV
causadas por bactérias. cloroplastos, com o aumento do transporte de elétrons.
1DQRWXERVGHFDUERQRLQFUHPHQWDPDIRWRVVtQWHVHGHSODQWDV.
Na terapêutica das doenças mencionadas, alguns desses Disponível em: http://lqes.iqm.unicamp.br. Acesso em: 14 nov. 2014 (adaptado).
fármacos atuam
2 DXPHQWR GD H¿FLrQFLD IRWRVVLQWpWLFD RFRUUHX SHOR IDWR
A ativando o sistema imunológico do hospedeiro. de os nanotubos de carbono promoverem diretamente a
B LQWHUIHULQGRQDFDVFDWDELRTXtPLFDGDLQÀDPDomR A XWLOL]DomRGHiJXD
B DEVRUomRGHIyWRQV
C removendo as toxinas sintetizadas pelas bactérias.
C IRUPDomRGHJiVR[LJrQLR
D combatendo as células hospedeiras das bactérias. D SUROLIHUDomRGRVFORURSODVWRV
E GDQL¿FDQGRHVWUXWXUDVHVSHFt¿Fas da célula bacteriana. E FDSWDomRGHGLy[LGRGHFDUERQR

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 7


*DO0525AM8*
QUESTÃO 110 QUESTÃO 112
O fenômeno da piracema (subida do rio) é um Os botos-cinza (Sotalia guianensis), mamíferos da
LPSRUWDQWH PHFDQLVPR TXH LQÀXHQFLD D UHSURGXomR IDPtOLD GRV JRO¿QKRV VmR H[FHOHQWHV LQGLFDGRUHV GD
de algumas espécies de peixes, pois induz o processo SROXLomR GDV iUHDV HP TXH YLYHP SRLV SDVVDP WRGD D
que estimula a queima de gordura e ativa mecanismos VXDYLGD²FHUFDGHDQRV²QDPHVPDUHJLmR$OpP
KRUPRQDLVFRPSOH[RVSUHSDUDQGRRVSDUDDUHSURGXomR disso, a espécie acumula mais contaminantes em seu
Intervenções antrópicas nos ambientes aquáticos, como organismo, como o mercúrio, do que outros animais da
D FRQVWUXomR GH EDUUDJHQV LQWHUIHUHP QD UHSURGXomR sua cadeia alimentar.
desses animais. MARCOLINO, B. Sentinelas do mar. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br.
MALTA, P. ,PSDFWRDPELHQWDOGDVEDUUDJHQVKLGUHOpWULFDV. Acesso em: 1 ago. 2012 (adaptado).
Disponível em: http://futurambiental.com.
Acesso em: 10 maio 2013 (adaptado). 2V ERWRVFLQ]D DFXPXODP PDLRU FRQFHQWUDomR GHVVDV
substâncias porque
(VVDLQWHUYHQomRDQWUySLFDSUHMXGLFDDSLUDFHPDSRUTXH
reduz o(a) A VmRDQLPDLVKHUEtYRURV
B VmRDQLPDLVGHWULWtYRURV
A SHUFXUVRGDPLJUDomR C VmRDQLPDLVGHJUDQGHSRUWH
B longevidade dos indivíduos. D digerem o alimento lentamente.
C disponibilidade de alimentos. E HVWmRQRWRSRGDFDGHLDDOLPHQWDU
D SHUtRGRGHPLJUDomRGDHVSpFLH QUESTÃO 113
E número de espécies de peixes no local.
2WURPERQHGH4XLQFNHpXPGLVSRVLWLYRH[SHULPHQWDO
QUESTÃO 111 utilizado para demonstrar o fenômeno da interferência
de ondas sonoras. Uma fonte emite ondas sonoras de
)XVtYHO p XP GLVSRVLWLYR GH SURWHomR FRQWUD determinada frequência na entrada do dispositivo. Essas
sobrecorrente em circuitos. Quando a corrente que passa ondas se dividem pelos dois caminhos (ADC e AEC) e se
por esse componente elétrico é maior que sua máxima encontram no ponto C, a saída do dispositivo, onde se
corrente nominal, o fusível queima. Dessa forma, evita posiciona um detector. O trajeto ADC pode ser aumentado
TXHDFRUUHQWHHOHYDGDGDQL¿TXHRVDSDUHOKRVGRFLUFXLWR pelo deslocamento dessa parte do dispositivo. Com o
Suponha que o circuito elétrico mostrado seja alimentado trajeto ADC igual ao AEC, capta-se um som muito intenso
SRUXPDIRQWHGHWHQVmRU e que o fusível suporte uma na saída. Entretanto, aumentando-se gradativamente o
corrente nominal de 500 mA. trajeto ADCDWpTXHHOH¿TXHFRPRPRVWUDGRQD¿JXUDD
LQWHQVLGDGHGRVRPQDVDtGD¿FDSUDWLFDPHQWHQXOD'HVWD
forma, conhecida a velocidade do som no interior do tubo
Ÿ 60 (320 m/s), é possível determinar o valor da frequência do
60 Ÿ som produzido pela fonte.
30 Ÿ

40 cm 30 cm

Fonte sonora
120 Ÿ
Fusível Entrada do som

60 A
Ÿ Ÿ
40 D E
C

Saída do som
U
Detector
4XDOpRPi[LPRYDORUGDWHQVmRUSDUDTXHRIXVtYHOQmR
queime? O valor da frequência, em hertz, do som produzido pela
fonte sonora é
A 20 V
B 40 V A 3 200.
B 1 600.
C 60 V C 800.
D 120 V D 640.
E 185 V E 400.

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 8


*DO0525AM9*
QUESTÃO 114
2iFLGRDFHWLOVDOLFtOLFR$$6 PDVVDPRODULJXDODJPRO pVLQWHWL]DGRDSDUWLUGDUHDomRGRiFLGRVDOLFtOLFR
(massa molar igual a 138 g/mol) com anidrido acético, usando-se ácido sulfúrico como catalisador, conforme a
HTXDomRTXtPLFD

H2SO4

Ácido salicílico Anidrido acético Ácido acetilsalicílico Ácido acético


$SyVDVtQWHVHR$$6pSXUL¿FDGRHRUHQGLPHQWR¿QDOpGHDSUR[LPDGDPHQWH'HYLGRjVVXDVSURSULHGDGHV
IDUPDFROyJLFDV DQWLWpUPLFRDQDOJpVLFRDQWLLQÀDPDWyULRHDQWLWURPEyWLFR R$$6pXWLOL]DGRFRPRPHGLFDPHQWRQD
forma de comprimidos, nos quais se emprega tipicamente uma massa de 500 mg dessa substância.
8PDLQG~VWULDIDUPDFrXWLFDSUHWHQGHIDEULFDUXPORWHGHPLOFRPSULPLGRVGHDFRUGRFRPDVHVSHFL¿FDo}HVGR
WH[WR4XDOpDPDVVDGHiFLGRVDOLFtOLFRHPNJTXHGHYHVHUHPSUHJDGDSDUDHVVH¿P"
A 293
B 345
C 414
D 690
E 828
QUESTÃO 115
$0DWD$WOkQWLFDFDUDFWHUL]DVHSRUXPDJUDQGHGLYHUVLGDGHGHHSt¿WDVFRPRDVEURPpOLDV(VVDVSODQWDVHVWmR
adaptadas a esse ecossistema e conseguem captar luz, água e nutrientes mesmo vivendo sobre as árvores.
Disponível em: www.ib.usp.br. Acesso em: 23 fev. 2013 (adaptado).

Essas espécies captam água do(a)


A organismo das plantas vizinhas.
B solo através de suas longas raízes.
C chuva acumulada entre suas folhas.
D seiva bruta das plantas hospedeiras.
E comunidade que vive em seu interior.
QUESTÃO 116
O ferro é encontrado na natureza na forma de seus minérios, tais como a hematita (D-Fe2O3), a magnetita (Fe3O4)
HDZXVWLWD )H2 1DVLGHUXUJLDRIHUURJXVDpREWLGRSHODIXVmRGHPLQpULRVGHIHUURHPDOWRVIRUQRVHPFRQGLo}HV
DGHTXDGDV8PDGDVHWDSDVQHVVHSURFHVVRpDIRUPDomRGHPRQy[LGRGHFDUERQR2&2 JDVRVR pXWLOL]DGRSDUD
UHGX]LUR)H2 VyOLGR FRQIRUPHDHTXDomRTXtPLFD
FeO (s)  CO (g) ĺ Fe (s)  CO2 (g)
Considere as seguintes equações termoquímicas:

Fe2O3 (s)  3 CO (g) ĺ 2 Fe (s)  3 CO2 (g) 'rH N-PROGH)H2O3


3 FeO (s)  CO2 (g) ĺ Fe3O4 (s)  CO (g) 'rH N-PROGH&22
2 Fe3O4 (s)  CO2 (g) ĺ 3 Fe2O3 (s)  CO (g) 'rH  N-PROGH&22


O valor mais próximo de 'rH HPN-PROGH)H2SDUDDUHDomRLQGLFDGDGR)H2 VyOLGR FRPR&2 JDVRVR p


A 14.
B 17.
C 50.
D 64.
E 100.
CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 9
*DO0525AM10*
QUESTÃO 117
$LQYHQomRGR/('D]XOTXHSHUPLWHDJHUDomRGHRXWUDVFRUHVSDUDFRPSRUDOX]EUDQFDSHUPLWLXDFRQVWUXomR
GH OkPSDGDV HQHUJHWLFDPHQWH PDLV H¿FLHQWHV H PDLV GXUiYHLV GR TXH DV LQFDQGHVFHQWHV H ÀXRUHVFHQWHV (P XP
experimento de laboratório, pretende-se associar duas pilhas em série para acender um LED azul que requer 3,6 volts
SDUDRVHXIXQFLRQDPHQWR&RQVLGHUHDVVHPLUUHDo}HVGHUHGXomRHVHXVUHVSHFWLYRVSRWHQFLDLVPRVWUDGRVQRTXDGUR
Semirreação de redução E (V)
Ce4+ (aq) + eí ĺ Ce3+ (aq) 1,61
Cr2O7í (aq) + 14 H+ (aq) + 6 eí ĺ 2 Cr3+ (aq) + 7 H2O (l) 1,33
Ni2+ (aq) + 2 eí ĺ Ni (s) 0,25
Zn2+ (aq) + 2 eí ĺ Zn (s) 0,76
4XDODVVRFLDomRHPVpULHGHSLOKDVIRUQHFHGLIHUHQoDGHSRWHQFLDOQDVFRQGLo}HVSDGUmRVX¿FLHQWHSDUDDFHQGHUR/('D]XO"

LED LED
Grafite Ni Zn Grafite Grafite Ni
Grafite Zn
KCI KCI KCI KCI

A D

Ce4+ e Ce3+ Zn2+ Cr2O72−, Ce4+ e Ce3+ Cr2O72−, Ni2+ Zn2+


Ni2+
H+ e Cr3+ H+ e Cr3+

LED LED
Grafite Zn Ni Grafite Grafite Zn
Grafite Ni
KCI KCI KCI KCI

B E

Ce4+ e Ce3+ Zn2+ Ni2+ Cr2O72−, Ce4+ e Ce3+ Cr2O72−, Zn2+ Ni2+
H+ e Cr3+ H+ e Cr3+

LED
Grafite Zn Grafite
Ni
KCI KCI

Ce4+ e Ce3+ Zn2+ Cr2O72−, Ni2+


H+ e Cr3+

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 10


*DO0525AM11*
QUESTÃO 118 QUESTÃO 120

$GLVWUR¿DPXVFXODU'XFKHQQH '0' pXPDGRHQoD Diversos produtos naturais podem ser obtidos de


FDXVDGD SRU XPD PXWDomR HP XP JHQH ORFDOL]DGR QR SODQWDVSRUSURFHVVRGHH[WUDomR2ODSDFKROpGDFODVVH
cromossomo X. Pesquisadores estudaram uma família das naftoquinonas. Sua estrutura apresenta uma hidroxila
enólica (pKa = 6,0) que permite que este composto seja
na qual gêmeas monozigóticas eram portadoras de um
LVRODGRGDVHUUDJHPGRVLSrVSRUH[WUDomRFRPVROXomR
alelo mutante recessivo para esse gene (heterozigóticas).
DGHTXDGD VHJXLGD GH ¿OWUDomR VLPSOHV &RQVLGHUH TXH
O interessante é que uma das gêmeas apresentava
pKa íORJKa, em que KapDFRQVWDQWHiFLGDGDUHDomR
o fenótipo relacionado ao alelo mutante, isto é, DMD, GHLRQL]DomRGRODSDFKRO
HQTXDQWRDVXDLUPmDSUHVHQWDYDIHQyWLSRQRUPDO
O
RICHARDS, C. S. et al. The American Journal of Human Genetics, n. 4, 1990 (adaptado).

$ GLIHUHQoD QD PDQLIHVWDomR GD '0' HQWUH DV JrPHDV OH


pode ser explicada pela
A GRPLQkQFLDLQFRPSOHWDGRDOHORPXWDQWHHPUHODomR
ao alelo normal.
B IDOKDQDVHSDUDomRGRVFURPRVVRPRV;QRPRPHQWR
GDVHSDUDomRGRVGRLVHPEUL}HV O
C UHFRPELQDomRFURPRVV{PLFDHPXPDGLYLVmRFHOXODU /DSDFKRO
HPEULRQiULDDQWHULRUjVHSDUDomRGRVGRLVHPEUL}HV
COSTA, P. R. R. et al. ÈFLGRVHEDVHVHPTXtPLFDRUJkQLFD.
D LQDWLYDomR DOHDWyULD GH XP GRV FURPRVVRPRV ; HP 3RUWR$OHJUH%RRNPDQ DGDSWDGR 

IDVHSRVWHULRUjGLYLVmRTXHUHVXOWDQRVGRLVHPEUL}HV 4XDOVROXomRGHYHVHUXVDGDSDUDH[WUDomRGRODSDFKRO
E origem paterna do cromossomo portador do alelo mutante GDVHUUDJHPGRLSrFRPPDLRUH¿FLrQFLD"
em uma das gêmeas e origem materna na outra. A 6ROXomRGH1D2CO3 para formar um sal de lapachol.
QUESTÃO 119 B 6ROXomRWDPSmR iFLGR DFpWLFRDFHWDWR GH VyGLR
(pH = 4,5).
Para se adequar às normas ambientais atuais, as C 6ROXomR GH 1D&O D ¿P GH DXPHQWDU D IRUoD L{QLFD
FRQVWUXWRUDV SUHFLVDP SUHYHU HP VXDV REUDV D TXHVWmR do meio.
do uso de materiais de modo a minimizar os impactos D 6ROXomR GH 1D SO para formar um par iônico com
2 4
causados no local. Entre esses materiais está o chamado lapachol.
concregrama ou pisograma, que é um tipo de revestimento
E 6ROXomRGH+&OD¿PGHH[WUDtORSRUPHLRGHUHDomR
composto por peças de concreto com áreas vazadas, ácido-base.
SUHHQFKLGDV FRP VROR JUDPDGR $V ¿JXUDV DSUHVHQWDP
essas duas formas de piso feitos de concreto. QUESTÃO 121

Alguns tipos de dessalinizadores usam o processo de


Grama Grama RVPRVH UHYHUVD SDUD REWHQomR GH iJXD SRWiYHO D SDUWLU
da água salgada. Nesse método, utiliza-se um recipiente
contendo dois compartimentos separados por uma
Grama Grama membrana semipermeável: em um deles coloca-se água
VDOJDGDHQRRXWURUHFROKHVHDiJXDSRWiYHO$DSOLFDomR
GHSUHVVmRPHFkQLFDQRVLVWHPDID]DiJXDÀXLUGHXP
Piso tradicional Piso concregrama compartimento para o outro. O movimento das moléculas
de concreto GHiJXDDWUDYpVGDPHPEUDQDpFRQWURODGRSHODSUHVVmR
PONTES, K. L. F. (VWXGRGHFDVRGHXPSURWyWLSRH[SHULPHQWDO[...]. RVPyWLFDHSHODSUHVVmRPHFkQLFDDSOLFDGD
'LVSRQtYHOHPKWWSPRQRJUD¿DVSROLXIUMEU$FHVVRHPPDLR DGDSWDGR 
Para que ocorra esse processo é necessário que
$XWLOL]DomRGHVVHWLSRGHSLVRHPXPDREUDWHPRREMHWLvo as resultantes das pressões osmótica e mecânica
de evitar, no solo, a apresentem
A LPSHUPHDELOL]DomR A mesmo sentido e mesma intensidade.
B GLPLQXLomRGDWHPSHUDWXUD B sentidos opostos e mesma intensidade.
C DFXPXODomRGHPDWpULDRUJkQLFD C VHQWLGRVRSRVWRVHPDLRULQWHQVLGDGHGDSUHVVmRRVPyWLFD
D DOWHUDomRGRS+ D PHVPRVHQWLGRHPDLRULQWHQVLGDGHGDSUHVVmRRVPyWLFD
E VDOLQL]DomR E VHQWLGRVRSRVWRVHPDLRULQWHQVLGDGHGDSUHVVmRPHFkQLFD

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 11


*DO0525AM12*
QUESTÃO 122 QUESTÃO 124
Na Idade Média, para elaborar preparados a partir O brinquedo pula-pula (cama elástica) é composto
de plantas produtoras de óleos essenciais, as coletas SRUXPDORQDFLUFXODUÀH[tYHOKRUL]RQWDOSUHVDSRUPRODV
das espécies eram realizadas ao raiar do dia. Naquela à sua borda. As crianças brincam pulando sobre ela,
época, essa prática era fundamentada misticamente pelo alterando e alternando suas formas de energia.
efeito mágico dos raios lunares, que seria anulado pela Ao pular verticalmente, desprezando o atrito com o ar
HPLVVmR GRV UDLRV VRODUHV &RP D HYROXomR GD FLrQFLD H RV PRYLPHQWRV GH URWDomR GR FRUSR HQTXDQWR VDOWD
foi comprovado que a coleta de algumas espécies ao uma criança realiza um movimento periódico vertical em
UDLDUGRGLDJDUDQWHDREWHQomRGHPDWHULDOFRPPDLRUHV WRUQRGDSRVLomRGHHTXLOtEULRGDORQD h = 0), passando
quantidades de óleos essenciais. pelos pontos de máxima e de mínima alturas, hmáx e hmín,
$H[SOLFDomRFLHQWt¿FDTXHMXVWL¿FDHVVDSUiWLFDVHEDVHLDQD respectivamente.

A YRODWLOL]DomRGDVVXEVWkQFLDVGHLQWHUHVVH (VTXHPDWLFDPHQWH R HVERoR GR JUi¿FR GD HQHUJLD


FLQpWLFDGDFULDQoDHPIXQomRGHVXDSRVLomRYHUWLFDOQD
B SROLPHUL]DomR GRV yOHRV FDWDOLVDGD SHOD UDGLDomR
solar. VLWXDomRGHVFULWDp
C VROXELOL]DomR GDV VXEVWkQFLDV GH LQWHUHVVH SHOR
orvalho. Ec
D R[LGDomR GR yOHR SHOR R[LJrQLR SURGX]LGR QD
fotossíntese.
E OLEHUDomRGDVPROpFXODVGHyOHRGXUDQWHRSURFHVVR
de fotossíntese. A
h
QUESTÃO 123 hmín 0 hmáx

$ HSLODomR D laser (popularmente conhecida como


GHSLODomRDlaser FRQVLVWHQDDSOLFDomRGHXPDIRQWHGHOX] Ec
SDUDDTXHFHUHFDXVDUXPDOHVmRORFDOL]DGDHFRQWURODGD
nos folículos capilares. Para evitar que outros tecidos sejam
GDQL¿FDGRVVHOHFLRQDPVHFRPSULPHQWRVGHRQGDTXHVmR
DEVRUYLGRVSHODPHODQLQDSUHVHQWHQRVSHORVPDVTXHQmR B
afetam a oxi-hemoglobina do sangue e a água dos tecidos h
GD UHJLmR HP TXH R WUDWDPHQWR VHUi DSOLFDGR $ ¿JXUD hmín 0 hmáx
PRVWUDFRPRpDDEVRUomRGHGLIHUHQWHVFRPSULPHQWRVGH
onda pela melanina, oxi-hemoglobina e água.
Ec
50,0

37,5 Melanina
C
Absorção (%)

h
25,0 hmín 0 hmáx
Oxi-hemoglobina
12,5
Ec
Água
0
400 500 600 700 800 900 1 000 1 100

Comprimento de onda (nm) D


h
0$&('2)60217(,52(2(SLODomRFRPlaser e luz intensa pulsada. hmín 0 hmáx
Revista Brasileira de Medicina. Disponível em: www.moreirajr.com.br.
Acesso em: 4 set. 2015 (adaptado).

Qual é o comprimento de onda, em nm, ideal para a Ec


HSLODomRDlaser?
A 400
B 700 E
C 1 100 h
D 900 hmín 0 hmáx
E 500

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 12


*DO0525AM13*
QUESTÃO 125 QUESTÃO 128
Um motorista que atende a uma chamada de celular é $R]RQyOLVHUHDomRXWLOL]DGDQDLQG~VWULDPDGHLUHLUD
OHYDGRjGHVDWHQomRDXPHQWDQGRDSRVVLELOLGDGHGHDFLGHQWHV SDUD D SURGXomR GH SDSHO p WDPEpP XWLOL]DGD HP
RFRUUHUHP HP UD]mR GR DXPHQWR GH VHX WHPSR GH UHDomR
Considere dois motoristas, o primeiro atento e o segundo escala de laboratório na síntese de aldeídos e cetonas.
utilizando o celular enquanto dirige. Eles aceleram seus carros $VGXSODVOLJDo}HVGRVDOFHQRVVmRFOLYDGDVSHODR[LGDomR
inicialmente a 1,00 m/s2. Em resposta a uma emergência, com o ozônio (O3), em presença de água e zinco metálico,
IUHLDPFRPXPDGHVDFHOHUDomRLJXDODPV2. O motorista HDUHDomRSURGX]DOGHtGRVHRXFHWRQDVGHSHQGHQGRGR
atento aciona o freio à velocidade de 14,0 m/s, enquanto o
JUDX GH VXEVWLWXLomR GD OLJDomR GXSOD /LJDo}HV GXSODV
GHVDWHQWR HP VLWXDomR DQiORJD OHYD  VHJXQGR D PDLV
para iniciar a frenagem. dissubstituídas geram cetonas, enquanto as ligações
GXSODV WHUPLQDLV RX PRQRVVXEVWLWXtGDV GmR RULJHP D
Que distância o motorista desatento percorre a mais do
que o motorista atento, até a parada total dos carros? aldeídos, como mostra o esquema.
A 2,90 m O
B 14,0 m O3 , H2O H
+
C 14,5 m Zn H H
D 15,0 m O
E 17,4 m
But-1-eno Propanal Metanal
QUESTÃO 126
Considere a ozonólise do composto 1-fenil-2-metilprop-1-eno:
8PDGDVHVWUDWpJLDVSDUDFRQVHUYDomRGHDOLPHQWRV
p R VDOJDPHQWR DGLomR GH FORUHWR GH VyGLR 1D&O 
historicamente utilizado por tropeiros, vaqueiros e
sertanejos para conservar carnes de boi, porco e peixe.
O que ocorre com as células presentes nos alimentos
preservados com essa técnica?
A 2 VDO DGLFLRQDGR GLPLQXL D FRQFHQWUDomR GH VROXWRV
em seu interior. 1-fenil-2-metilprop-1-eno
B O sal adicionado desorganiza e destrói suas MARTINO, A. 4XtPLFDDFLrQFLDJOREDO*RLkQLD(GLWRUD: DGDSWDGR 
membranas plasmáticas.
C $ DGLomR GH VDO DOWHUD DV SURSULHGDGHV GH VXDV 4XDLVVmRRVSURGXWRVIRUPDGRVQHVVDUHDomR"
membranas plasmáticas.
D Os íons Na+ e ClíSURYHQLHQWHVGDGLVVRFLDomRGRVDO A Benzaldeído e propanona.
entram livremente nelas.
B Propanal e benzaldeído.
E $ JUDQGH FRQFHQWUDomR GH VDO QR PHLR H[WUDFHOXODU
provoca a saída de água de dentro delas. C 2-fenil-etanal e metanal.

QUESTÃO 127 D Benzeno e propanona.


E Benzaldeído e etanal.
3DUD GHPRQVWUDU R SURFHVVR GH WUDQVIRUPDomR GH
energia mecânica em elétrica, um estudante constrói um QUESTÃO 129
pequeno gerador utilizando:
‡ XP ¿R GH FREUH GH GLkPHWUR D enrolado em N A terapia celular tem sido amplamente divulgada
espiras circulares de área A; FRPR UHYROXFLRQiULD SRU SHUPLWLU D UHJHQHUDomR GH
‡ GRLVtPmVTXHFULDPQRHVSDoRHQWUHHOHVXPFDPSR
tecidos a partir de células novas. Entretanto, a técnica
magnético uniforme de intensidade B; e
‡ um sistema de engrenagens que lhe permite girar as de se introduzirem novas células em um tecido, para o
espiras em torno de um eixo com uma frequência f. tratamento de enfermidades em indivíduos, já era aplicada
Ao fazer o gerador funcionar, o estudante obteve uma rotineiramente em hospitais.
WHQVmRPi[LPDV e uma corrente de curto-circuito i.
A que técnica refere-se o texto?
3DUD GREUDU R YDORU GD WHQVmR Pi[LPD V do gerador
mantendo constante o valor da corrente de curto i, o A Vacina.
estudante deve dobrar o(a)
B Biópsia.
A número de espiras.
B frequência de giro. C Hemodiálise.
C intensidade do campo magnético. D Quimioterapia.
D área das espiras.
E GLkPHWURGR¿R E 7UDQVIXVmRGHVDQJXH

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 13


*DO0525AM14*
QUESTÃO 130

(PDOJXPDVUHVLGrQFLDVFHUFDVHOHWUL¿FDGDVVmRXWLOL]DGDVFRPRREMHWLYRGHDIDVWDUSRVVtYHLVLQYDVRUHV8PD
FHUFDHOHWUL¿FDGDIXQFLRQDFRPXPDGLIHUHQoDGHSRWHQFLDOHOpWULFRGHDSUR[LPDGDPHQWH93DUDTXHQmRVHMD
OHWDODFRUUHQWHTXHSRGHVHUWUDQVPLWLGDDWUDYpVGHXPDSHVVRDQmRGHYHVHUPDLRUGRTXH$-iDUHVLVWrQFLD
HOpWULFDFRUSRUDOHQWUHDVPmRVHRVSpVGHXPDSHVVRDpGDRUGHPGHŸ.

3DUDTXHDFRUUHQWHQmRVHMDOHWDODXPDSHVVRDTXHWRFDDFHUFDHOHWUL¿FDGDRJHUDGRUGHWHQVmRGHYHSRVVXLUXPD
UHVLVWrQFLDLQWHUQDTXHHPUHODomRjGRFRUSRKXPDQRp

A praticamente nula.
B aproximadamente igual.
C milhares de vezes maior.
D da ordem de 10 vezes maior.
E da ordem de 10 vezes menor.

QUESTÃO 131

$FURPDWRJUD¿DHPSDSHOpXPPpWRGRGHVHSDUDomRTXHVHEDVHLDQDPLJUDomRGLIHUHQFLDOGRVFRPSRQHQWHV
GHXPDPLVWXUDHQWUHGXDVIDVHVLPLVFtYHLV2VFRPSRQHQWHVGDDPRVWUDVmRVHSDUDGRVHQWUHDIDVHHVWDFLRQiULDH
a fase móvel em movimento no papel. A fase estacionária consiste de celulose praticamente pura, que pode absorver
DWpGHiJXDeDiJXDDEVRUYLGDTXHIXQFLRQDFRPRIDVHHVWDFLRQiULDOtTXLGDHTXHLQWHUDJHFRPDIDVHPyYHO
WDPEpPOtTXLGD SDUWLomROtTXLGROtTXLGR 2VFRPSRQHQWHVFDSD]HVGHIRUPDULQWHUDo}HVLQWHUPROHFXODUHVPDLVIRUWHV
com a fase estacionária migram mais lentamente.

8PDPLVWXUDGHKH[DQRFRP YY GHDFHWRQDIRLXWLOL]DGDFRPRIDVHPyYHOQDVHSDUDomRGRVFRPSRQHQWHV


de um extrato vegetal obtido a partir de pimentões. Considere que esse extrato contém as substâncias representadas.
HO

Licopeno
O O

Capsorubina
OH

α-caroteno
OH

α-criptoxantina
γ-caroteno
5,%(,5210181(6&5$QiOLVHGHSLJPHQWRVGHSLPHQW}HVSRUFURPDWRJUD¿DHPSDSHOQuímica Nova na Escola, n. 29, ago. 2008 (adaptado).

A substância presente na mistura que migra mais lentamente é o(a)

A licopeno.
B D-caroteno.
C J-caroteno.
D capsorubina.
E D-criptoxantina.

CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 14


*DO0525AM15*
QUESTÃO 132 QUESTÃO 134
$UHDomRHPFDGHLDGDSROLPHUDVH 3&5QDVLJODHP No manual fornecido pelo fabricante de uma ducha
inglês) é uma técnica de biologia molecular que permite HOpWULFDGH9pDSUHVHQWDGRXPJUi¿FRFRPDYDULDomR
UHSOLFDomRin vitro do DNA de forma rápida. Essa técnica GD WHPSHUDWXUD GD iJXD HP IXQomR GD YD]mR SDUD WUrV
VXUJLXQDGpFDGDGHHSHUPLWLXDYDQoRVFLHQWt¿FRV FRQGLo}HV PRUQR TXHQWH H VXSHUTXHQWH  1D FRQGLomR
HP WRGDV DV iUHDV GH LQYHVWLJDomR JHQ{PLFD $ GXSOD VXSHUTXHQWHDSRWrQFLDGLVVLSDGDpGH:&RQVLGHUH
hélice é estabilizada por ligações hidrogênio, duas entre R FDORU HVSHFt¿FR GD iJXD LJXDO D   - NJ ƒ&  H
as bases adenina (A) e timina (T) e três entre as bases GHQVLGDGHGDiJXDLJXDODNJ/
guanina (G) e citosina (C). Inicialmente, para que o DNA
possa ser replicado, a dupla hélice precisa ser totalmente Elevação de temperatura × Curva vazão
desnaturada (desenrolada) pelo aumento da temperatura, 1 - MORNO
2 - QUENTE
TXDQGR VmR GHVIHLWDV DV OLJDo}HV KLGURJrQLR HQWUH DV
∆T (°C) 3 - SUPERQUENTE
diferentes bases nitrogenadas.
40
Qual dos segmentos de DNA será o primeiro a desnaturar 3
WRWDOPHQWHGXUDQWHRDXPHQWRGDWHPSHUDWXUDQDUHDomR 30
de PCR? 2
20
1
A 10

Vazão
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 (L/min)

B &RPEDVHQDVLQIRUPDo}HVGDGDVDSRWrQFLDQDFRQGLomR
PRUQRFRUUHVSRQGHDTXHIUDomRGDSRWrQFLDQDFRQGLomR
superquente?
C 1
A
3

D 1
B
5
3
E C
5
3
QUESTÃO 133 D
8
No ar que respiramos existem os chamados “gases 5
LQHUWHV´7UD]HP FXULRVRV QRPHV JUHJRV TXH VLJQL¿FDP E
³R 1RYR´ ³R 2FXOWR´ ³R ,QDWLYR´ ( GH IDWR VmR GH WDO 8
PRGR LQHUWHV WmR VDWLVIHLWRV HP VXD FRQGLomR TXH
QmR LQWHUIHUHP HP QHQKXPD UHDomR TXtPLFD QmR VH QUESTÃO 135
combinam com nenhum outro elemento e justamente por
HVVHPRWLYR¿FDUDPVHPVHUREVHUYDGRVGXUDQWHVpFXORV A retina é um tecido sensível à luz, localizado na parte
só em 1962 um químico, depois de longos e engenhosos SRVWHULRU GR ROKR RQGH RFRUUH R SURFHVVR GH IRUPDomR
esforços, conseguiu forçar “o Estrangeiro” (o xenônio) a de imagem. Nesse tecido, encontram-se vários tipos
FRPELQDUVH IXJD]PHQWH FRP R À~RU iYLGR H YLYD] H D FHOXODUHVHVSHFt¿FRV8PGHVVHVWLSRVFHOXODUHVVmRRV
IDoDQKDSDUHFHXWmRH[WUDRUGLQiULDTXHOKHIRLFRQIHULGR cones, os quais convertem os diferentes comprimentos
o Prêmio Nobel. GH RQGD GD OX] YLVtYHO HP VLQDLV HOpWULFRV TXH VmR
transmitidos pelo nervo óptico até o cérebro.
LEVI, P. $WDEHODSHULyGLFD. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994 (adaptado).
Disponível em: www.portaldaretina.com.br. Acesso em: 13 jun. 2012 (adaptado).
4XDO SURSULHGDGH GR À~RU MXVWL¿FD VXD HVFROKD FRPR
(PUHODomRjYLVmRDGHJHQHUDomRGHVVHWLSRFHOXODULUi
reagente para o processo mencionado?
A FRPSURPHWHUDFDSDFLGDGHGHYLVmRHPFRUHV
A Densidade.
B LPSHGLUDSURMHomRGRVUDLRVOXPLQRVRVQDUHWLQD
B Condutância.
C SURYRFDUDIRUPDomRGHLPDJHQVLQYHUWLGDVQDUHWLQD
C Eletronegatividade.
D FDXVDUGL¿FXOGDGHGHYLVXDOL]DomRGHREMHWRVSUy[LPRV
D Estabilidade nuclear.
E acarretar a perda da capacidade de alterar o diâmetro
E 7HPSHUDWXUDGHHEXOLomR da pupila.
CN - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 15
*DO0525AM16*
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS QUESTÃO 138
Questões de 136 a 180 Em XPDFDQWLQDRVXFHVVRGHYHQGDQRYHUmRVmRVXFRV
QUESTÃO 136 preparados à base de polpa de frutas. Um dos sucos mais
Os congestionamentos de trânsito constituem um vendidos é o de morango com acerola, que é preparado com
SUREOHPDTXHDÀLJHWRGRVRVGLDVPLOKDUHVGHPRWRULVWDV 2 1
EUDVLOHLURV2JUi¿FRLOXVWUDDVLWXDomRUHSUHVHQWDQGRDR 3 de polpa de morango e 3 de polpa de acerola.
ORQJR GH XP LQWHUYDOR GH¿QLGR GH WHPSR D YDULDomR GD
velocidade de um veículo durante um congestionamento. 3DUD R FRPHUFLDQWH DV SROSDV VmR YHQGLGDV HP
Velocidade embalagens de igual volume. Atualmente, a embalagem
da polpa de morango custa R$ 18,00 e a de acerola,
R$ 14,70. Porém, está prevista uma alta no preço
da embalagem da polpa de acerola no próximo mês,
passando a custar R$ 15,30.
3DUD QmR DXPHQWDU R SUHoR GR VXFR R FRPHUFLDQWH
0 2 4 6 8 10 QHJRFLRX FRP R IRUQHFHGRU XPD UHGXomR QR SUHoR GD
Tempo (min) embalagem da polpa de morango.
Quantos minutos o veículo permaneceu imóvel ao longo $UHGXomRHPUHDOQRSUHoRGDHPEDODJHPGDSROSDGH
do intervalo de tempo total analisado? morango deverá ser de
A 4
A 1,20.
B 3
B 0,90.
C 2
D 1 C 0,60.
E 0 D 0,40.
E 0,30.
QUESTÃO 137
QUESTÃO 139
Um garçom precisa escolher uma bandeja de base
retangular para servir quatro taças de espumante que Um casal realiza sua mudança de domicílio
SUHFLVDP VHU GLVSRVWDV HP XPD ~QLFD ¿OHLUD SDUDOHOD
ao lado maior da bandeja, e com suas bases totalmente H QHFHVVLWD FRORFDU QXPD FDL[D GH SDSHOmR XP
apoiadas na bandeja. A base e a borda superior das taças REMHWR F~ELFR GH  FP GH DUHVWD TXH QmR SRGH VHU
VmRFtUFXORVGHUDLRFPHFPUHVSHFWLYDPHQWH GHVPRQWDGR (OHV WrP j GLVSRVLomR FLQFR FDL[DV FRP
diferentes dimensões, conforme descrito:
‡ Caixa 1: 86 cm u 86 cm u 86 cm
‡ Caixa 2: 75 cm u 82 cm u 90 cm
‡ Caixa 3: 85 cm u 82 cm u 90 cm
‡ Caixa 4: 82 cm u 95 cm u 82 cm
‡ Caixa 5: 80 cm u 95 cm u 85 cm

O casal precisa escolher uma caixa na qual o


objeto caiba, de modo que sobre o menor espaço livre
em seu interior.
A bandeja a ser escolhida deverá ter uma área mínima,
A caixa escolhida pelo casal deve ser a de número
em centímetro quadrado, igual a

A 192. A 1.
B 300. B 2.
C 304. C 3.
D 320. D 4.
E 400. E 5.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 16


*DO0525AM17*
QUESTÃO 140 QUESTÃO 142
Uma empresa construirá sua página na internet 8P PRUDGRU GH XPD UHJLmR PHWURSROLWDQD WHP 
e espera atrair um público de aproximadamente um de probabilidade de atrasar-se para o trabalho quando
PLOKmR GH FOLHQWHV 3DUD DFHVVDU HVVD SiJLQD VHUi FKRYH QD UHJLmR FDVR QmR FKRYD VXD SUREDELOLGDGH GH
QHFHVViULD XPD VHQKD FRP IRUPDWR D VHU GH¿QLGR SHOD DWUDVR p GH  3DUD XP GHWHUPLQDGR GLD R VHUYLoR
empresa. Existem cinco opções de formato oferecidas GH PHWHRURORJLD HVWLPD HP  D SUREDELOLGDGH GD
pelo programador, descritas no quadro, em que “L” e “D” RFRUUrQFLDGHFKXYDQHVVDUHJLmR
representam, respectivamente, letra maiúscula e dígito.
Qual é a probabilidade de esse morador se atrasar para o
2SomR Formato serviço no dia para o qual foi dada a estimativa de chuva?

I LDDDDD A 0,075
II DDDDDD B 0,150
III LLDDDD C 0,325
D 0,600
IV DDDDD
E 0,800
V LLLDD
QUESTÃO 143
As letras do alfabeto, entre as 26 possíveis, bem
como os dígitos, entre os 10 possíveis, podem se repetir Às 17 h 15 min começa uma forte chuva, que cai
em qualquer das opções. com intensidade constante. Uma piscina em forma
$HPSUHVDTXHUHVFROKHUXPDRSomRGHIRUPDWRFXMR de um paralelepípedo retângulo, que se encontrava
número de senhas distintas possíveis seja superior ao inicialmente vazia, começa a acumular a água da chuva
Q~PHURHVSHUDGRGHFOLHQWHVPDVTXHHVVHQ~PHURQmR e, às 18 horas, o nível da água em seu interior alcança
seja superior ao dobro do número esperado de clientes. 20 cm de altura. Nesse instante, é aberto o registro que
libera o escoamento da água por um ralo localizado no
$RSomRTXHPDLVVHDGHTXDjVFRQGLo}HVGDHPSUHVDp IXQGRGHVVDSLVFLQDFXMDYD]mRpFRQVWDQWH¬VKPLQ
a chuva cessa e, nesse exato instante, o nível da água na
A I. piscina baixou para 15 cm.
B II.
O instante em que a água dessa piscina terminar de
C III. escoar completamente está compreendido entre
D IV.
A 19 h 30 min e 20 h 10 min.
E V.
B 19 h 20 min e 19 h 30 min.
QUESTÃO 141 C 19 h 10 min e 19 h 20 min.
&RPR QmR VmR DGHSWRV GD SUiWLFD GH HVSRUWHV XP D 19 h e 19 h 10 min.
grupo de amigos resolveu fazer um torneio de futebol E 18 h 40 min e 19 h.
utilizando videogame. Decidiram que cada jogador joga
uma única vez com cada um dos outros jogadores.
2FDPSHmRVHUiDTXHOHTXHFRQVHJXLURPDLRUQ~PHURGH
pontos. Observaram que o número de partidas jogadas
depende do número de jogadores, como mostra o quadro:

Quantidade de
2 3 4 5 6 7
jogadores

Número de
1 3 6 10 15 21
SDUWLGDV

Se a quantidade de jogadores for 8, quantas partidas


VHUmRUHDOL]DGDV"
A 64
B 56
C 49
D 36
E 28

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 17


*DO0525AM18*
QUESTÃO 144 QUESTÃO 145
Um empréstimo foi feito à taxa mensal de i   XVDQGR Para realizar a viagem dos sonhos, uma pessoa
MXURVFRPSRVWRVHPRLWRSDUFHODV¿[DVHLJXDLVDP. precisava fazer um empréstimo no valor de R$ 5 000,00.
O devedor tem a possibilidade de quitar a dívida Para pagar as prestações, dispõe de, no máximo,
antecipadamente a qualquer momento, pagando R$ 400,00 mensais. Para esse valor de empréstimo,
para isso o valor atual das parcelas ainda a pagar. R YDORU GD SUHVWDomR P  p FDOFXODGR HP IXQomR GR
Após pagar a 5ª parcela, resolve quitar a dívida no ato número de prestações (n) segundo a fórmula
de pagar a 6ª parcela.
$ H[SUHVVmR TXH FRUUHVSRQGH DR YDORU WRWDO SDJR SHOD 5 000 × 1, 013n × 0, 013
P=
TXLWDomRGRHPSUpVWLPRp (1, 013n − 1)
6HQHFHVViULRXWLOL]HFRPRDSUR[LPDomRSDUD
⎡ ⎤ ORJFRPRDSUR[LPDomRSDUDORJ
⎢ 1 1 ⎥
A P ⎢1 + + FRPRDSUR[LPDomRSDUDORJ

⎢ (1 + i ) (1 + i )2 ⎥ De acordo com a fórmula dada, o menor número de
⎢⎣ 100 100 ⎥⎦ SDUFHODVFXMRVYDORUHVQmRFRPSURPHWHPROLPLWHGH¿QLGR
pela pessoa é
⎡ ⎤
⎢ 1 1 ⎥ A 12.
B P ⎢1 + + ⎥ B 14.
⎢ (1 + i ) (1 + 2i ) ⎥
⎢⎣ 100 100 ⎥⎦ C 15.
D 16.
⎡ ⎤ E 17.
⎢ 1 1 ⎥
C P ⎢1 + + ⎥
⎢ (1 + i )2 (1 + i )2 ⎥
QUESTÃO 146
⎢⎣ 100 100 ⎥⎦ 5DLRV GH OX] VRODU HVWmR DWLQJLQGR D VXSHUItFLH GH
um lago formando um ângulo x com a sua superfície,
⎡ ⎤ FRQIRUPHLQGLFDD¿JXUD
⎢ 1 1 1 ⎥
D P⎢ + + ⎥ Em determinadas condições, pode-se supor que a
⎢ (1 + i ) (1 + 2i ) (1 + 3i ) ⎥ intensidade luminosa desses raios, na superfície do
⎢⎣ 100 100 100 ⎥⎦ lago, seja dada aproximadamente por I ( x ) = κ ⋅ sen( x )

⎡ ⎤ ,sendo k uma constante, e supondo-se que x está entre


⎢ 1 1 1 ⎥ ƒHƒ
E P⎢ + + ⎥
⎢ (1 + i ) (1 +
i 2
) (1 +
i 3⎥
)
⎢⎣ 100 100 100 ⎥⎦

Quando x = 30º, a intensidade luminosa se reduz a qual


percentual de seu valor máximo?

A 
B 
C 
D 
E 

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 18


*DO0525AM19*
QUESTÃO 147 QUESTÃO 148

$LPDJHPDSUHVHQWDGDQD¿JXUDpXPDFySLDHPSUHWR $ DYDOLDomR GH UHQGLPHQWR GH DOXQRV GH XP FXUVR


e branco da tela quadrada intitulada O peixe, de Marcos universitário baseia-se na média ponderada das notas
3LQWRTXHIRLFRORFDGDHPXPDSDUHGHSDUDH[SRVLomRH obtidas nas disciplinas pelos respectivos números de
¿[DGDQRVSRQWRVA e B. créditos, como mostra o quadro:
3RUXPSUREOHPDQD¿[DomRGHXPGRVSRQWRVDWHOD Avaliação Média de notas (M )
se desprendeu, girando rente à parede. Após o giro, ela
Excelente 9  M d 10
¿FRXSRVLFLRQDGDFRPRLOXVWUDGRQD¿JXUDIRUPDQGRXP
kQJXORGHƒFRPDOLQKDGRKRUL]RQWH Bom 7dMd9
A Regular 5dM7
Ruim 3dM5
Péssimo M3
4XDQWR PHOKRU D DYDOLDomR GH XP DOXQR HP
determinado período letivo, maior sua prioridade na
escolha de disciplinas para o período seguinte.
'HWHUPLQDGR DOXQR VDEH TXH VH REWLYHU DYDOLDomR
“Bom” ou “Excelente” conseguirá matrícula nas disciplinas
B que deseja. Ele já realizou as provas de 4 das 5 disciplinas
HPTXHHVWiPDWULFXODGRPDVDLQGDQmRUHDOL]RXDSURYD
da disciplina I, conforme o quadro.
A
Número
'LVFLSOLQDV Notas
de créditos
I 12
II 8,00 4
III 6,00 8
IV 5,00 8
V 7,50 10
B
45º Para que atinja seu objetivo, a nota mínima que ele deve
conseguir na disciplina I é

A 7,00.
B 7,38.
C 7,50.
D 8,25.
E 9,00.

Para recolocar a tela na sua posLomRRULJLQDOGHYHVH


girá-la, rente à parede, no menor ângulo possível inferior
Dƒ
$IRUPDGHUHFRORFDUDWHODQDSRVLomRRULJLQDOREHGHFHQGR
ao que foi estabelecido, é girando-a em um ângulo de

A ƒQRVHQWLGRKRUiULR
B ƒQRVHQWLGRKRUiULR
C ƒQRVHQWLGRDQWLKRUiULR
D ƒQRVHQWLGRDQWLKRUiULR
E ƒQRVHQWLGRKRUiULR

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 19


*DO0525AM20*
QUESTÃO 149 QUESTÃO 151
8P EULQTXHGR LQIDQWLO FDPLQKmRFHJRQKD p IRUPDGR Um instituto de pesquisas eleitorais recebe uma
por uma carreta e dez carrinhos nela transportados, encomenda na qual a margem de erro deverá ser de, no
FRQIRUPHD¿JXUD máximo, 2 pontos percentuais (0,02).
O instituto tem 5 pesquisas recentes, P1 a P5, sobre
o tema objeto da encomenda e irá usar a que tiver o erro
menor que o pedido.
2VGDGRVVREUHDVSHVTXLVDVVmRRVVHJXLQWHV

Pesquisa ı N N
P1 0,5 1 764 42
1R VHWRU GH SURGXomR GD HPSUHVD TXH IDEULFD HVVH
brinquedo, é feita a pintura de todos os carrinhos para que P2 0,4 784 28
RDVSHFWRGREULQTXHGR¿TXHPDLVDWUDHQWH6mRXWLOL]DGDV P3 0,3 576 24
as cores amarelo, branco, laranja e verde, e cada carrinho P4 0,2 441 21
p SLQWDGR DSHQDV FRP XPD FRU 2 FDPLQKmRFHJRQKD P5 0,1 64 8
WHP XPD FRU ¿[D $ HPSUHVD GHWHUPLQRX TXH HP WRGR
FDPLQKmRFHJRQKD GHYH KDYHU SHOR PHQRV XP FDUULQKR O erro e pode ser expresso por
de cada uma das quatro cores disponíveis. Mudança de
| e | < 1, 96 σ
SRVLomRGRVFDUULQKRVQRFDPLQKmRFHJRQKDQmRJHUDXP N
novo modelo do brinquedo.
em que ı é um parâmetro e N é o número de pessoas
&RPEDVHQHVVDVLQIRUPDo}HVTXDQWRVVmRRVPRGHORV entrevistadas pela pesquisa.
GLVWLQWRV GR EULQTXHGR FDPLQKmRFHJRQKD TXH HVVD
empresa poderá produzir? Qual pesquisa deverá ser utilizada?

A P1
A C6,4
B P2
B C9,3 C P3
D P4
C C10,4
E P5
D 64
QUESTÃO 152
E 46
Em um teleférico turístico, bondinhos saem de
QUESTÃO 150 estações ao nível do mar e do topo de uma montanha.
A travessia dura 1,5 minuto e ambos os bondinhos se
8PD HPSUHVD HVSHFLDOL]DGD HP FRQVHUYDomR GH deslocam à mesma velocidade. Quarenta segundos após
piscinas utiliza um produto para tratamento da água cujas o bondinho ASDUWLUGDHVWDomRDRQtYHOGRPDUHOHFUX]D
HVSHFL¿FDo}HV WpFQLFDV VXJHUHP TXH VHMD DGLFLRQDGR com o bondinho B, que havia saído do topo da montanha.
1,5 mL desse produto para cada 1 000 L de água da Quantos segundos após a partida do bondinho B partiu o
piscina. Essa empresa foi contratada para cuidar de uma bondinho A?
piscina de base retangular, de profundidade constante
igual a 1,7 m, com largura e comprimento iguais a 3 m A 5
e 5 m, respectivamente. O nível da lâmina d’água dessa B 10
piscina é mantido a 50 cm da borda da piscina. C 15
A quantidade desse produto, em mililitro, que deve ser D 20
adicionada a essa piscina de modo a atender às suas E 25
HVSHFL¿FDo}HVWpFQLFDVp

A 11,25.
B 27,00.
C 28,80.
D 32,25.
E 49,50.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 20


*DO0525AM21*
QUESTÃO 153 QUESTÃO 155
1XPGLDGHWHPSHVWDGHDDOWHUDomRQDSURIXQGLGDGH $¿JXUDLOXVWUDXPDSDUWLGDGH&DPSR0LQDGRRMRJR
de um rio, num determinado local, foi registrada durante presente em praticamente todo computador pessoal.
XPSHUtRGRGHKRUDV2VUHVXOWDGRVHVWmRLQGLFDGRVQR Quatro quadrados em um tabuleiro 16 u 16 foram abertos,
JUi¿FR GH OLQKDV 1HOH D SURIXQGLGDGH h, registrada às e os números em suas faces indicam quantos dos seus
KRUDVQmRIRLDQRWDGDHDSDUWLUGHh, cada unidade 8 vizinhos contêm minas (a serem evitadas). O número
sobre o eixo vertical representa um metro. 40 no canto inferior direito é o número total de minas no
Registro de profundidade tabuleiro, cujas posições foram escolhidas ao acaso, de
forma uniforme, antes de se abrir qualquer quadrado.
Profundidade (m)

0 13 14 15 16 17 Hora

Foi informado que entre 15 horas e 16 horas, a


SURIXQGLGDGHGRULRGLPLQXLXHP
Às 16 horas, qual é a profundidade do rio, em metro, no
local onde foram feitos os registros?
A 18
B 20
C 24
D 36
E 40
QUESTÃO 154
Uma rede hoteleira dispõe de cabanas simples na
ilha de Gotland, na Suécia, conforme Figura 1. A estrutura
GH VXVWHQWDomR GH FDGD XPD GHVVDV FDEDQDV HVWi
representada na Figura 2. A ideia é permitir ao hóspede uma Em sua próxima jogada, o jogador deve escolher
estada livre de tecnologia, mas conectada com a natureza. dentre os quadrados marcados com as letras P, Q, R, S
e T um para abrir, sendo que deve escolher aquele com a
menor probabilidade de conter uma mina.
O jogador deverá abrir o quadrado marcado com a letra

A P.
B Q.
C R.
D S.
E T.

Figura 2

ROMERO, L. Tendências. 6XSHULQWHUHVVDQWH, n. 315, fev. 2013 (adaptado).

$ IRUPD JHRPpWULFD GD VXSHUItFLH FXMDV DUHVWDV HVWmR


representadas na Figura 2 é
A tetraedro.
B pirâmide retangular.
C tronco de pirâmide retangular.
D prisma quadrangular reto.
E prisma triangular reto.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 21


*DO0525AM22*
QUESTÃO 156
A água para o abastecimento de um prédio é armazenada em um sistema formado por dois reservatórios idênticos,
HPIRUPDWRGHEORFRUHWDQJXODUOLJDGRVHQWUHVLSRUXPFDQRLJXDODRFDQRGHHQWUDGDFRQIRUPHLOXVWUDD¿JXUD

Cano de
entrada

Reservatório 1 Reservatório 2

$iJXDHQWUDQRVLVWHPDSHORFDQRGHHQWUDGDQR5HVHUYDWyULRDXPDYD]mRFRQVWDQWHHDRDWLQJLURQtYHOGR
FDQRGHOLJDomRSDVVDDDEDVWHFHUR5HVHUYDWyULR6XSRQKDTXHLQLFLDOPHQWHRVGRLVUHVHUYDWyULRVHVWHMDPYD]LRV
4XDOGRVJUi¿FRVPHOKRUGHVFUHYHUiDDOWXUDhGRQtYHOGDiJXDQR5HVHUYDWyULRHPIXQomRGRYROXPHV de água
no sistema?

h h

A D

v v
h h

B E

v v
h

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 22


*DO0525AM23*
QUESTÃO 157 QUESTÃO 158
A manchete demonstra que o transporte de grandes Um menino acaba de se mudar para um novo bairro
FDUJDV UHSUHVHQWD FDGD YH] PDLV SUHRFXSDomR TXDQGR e deseja ir à padaria. Pediu ajuda a um amigo que
feito em vias urbanas. lhe forneceu um mapa com pontos numerados, que
representam cinco locais de interesse, entre os quais
Caminhão entala em viaduto no Centro
está a padaria. Além disso, o amigo passou as seguintes
8P FDPLQKmR GH JUDQGH SRUWH HQWDORX HPEDL[R GR instruções: a partir do ponto em que você se encontra,
viaduto no cruzamento das avenidas Borges de Medeiros representado pela letra X, ande para oeste, vire à direita
e Loureiro da Silva no sentido Centro-Bairro, próximo à na primeira rua que encontrar, siga em frente e vire à
3RQWH GH 3HGUD QD FDSLWDO (VVH YHtFXOR YLQKD GH 6mR esquerda na próxima rua. A padaria estará logo a seguir.
Paulo para Porto Alegre e transportava três grandes
tubos, conforme ilustrado na foto. Rua A

Quadra 1 Quadra 2 Quadra 3 Quadra 4

Rua B 1 2 3

Quadra 5 Quadra 6 Quadra 7 Quadra 8 N

Rua C X O L

Quadra 9 Quadra 10 Quadra 11 Quadra 12 S

Rua D 4 5
Rua 1

Rua 2

Rua 3

Rua 4

Rua 5
Quadra 13 Quadra 14 Quadra 15 Quadra 16
Disponível em: www.caminhoes-e-carretas.com. Acesso em: 21 maio 2012 (adaptado).

Considere que o raio externo de cada cano da imagem Rua E


seja 0,60 m e que eles estejam em cima de uma carroceria A padaria está representada pelo ponto numerado com
cuja parte superior está a 1,30 m do solo. O desenho
representa a vista traseira do empilhamento dos canos. A 1.
B 2.
C 3.
D 4.
0,60 m E 5.

QUESTÃO 159
7UrVDOXQRV;<H=HVWmRPDWULFXODGRVHPXPFXUVR
de inglês. Para avaliar esses alunos, o professor optou por
fazer cinco provas. Para que seja aprovado nesse curso,
o aluno deverá ter a média aritmética das notas das cinco
SURYDVPDLRURXLJXDOD1DWDEHODHVWmRGLVSRVWDVDV
notas que cada aluno tirou em cada prova.

1ª 2ª 3ª 4ª 5ª
Aluno
A margem de segurança recomendada para que Prova Prova Prova Prova Prova
um veículo passe sob um viaduto é que a altura total do X 5 5 5 10 6
veículo com a carga seja, no mínimo, 0,50 m menor do
TXHDDOWXUDGRYmRGRYLDGXWR Y 4 9 3 9 5
&RQVLGHUHFRPRDSUR[LPDomRSDUD 3 . Z 5 5 8 5 6
Qual deveria ser a altura mínima do viaduto, em metro, Com base nos dados da tabela e nas informações dadas,
SDUDTXHHVVHFDPLQKmRSXGHVVHSDVVDUFRPVHJXUDQoD
VREVHXYmR" ¿FDUi mR UHSURYDGR V

A 2,82 A apenas o aluno Y.


B 3,52 B apenas o aluno Z.
C 3,70 C apenas os alunos X e Y.
D 4,02 D apenas os alunos X e Z.
E 4,20 E os alunos X, Y e Z.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 23


*DO0525AM24*
QUESTÃO 160 O custo da passagem do teleférico partindo do topo
do mirante 1 para o topo do mirante 2 é de R$ 2,00, e do
2 ¿VLRORJLVWD LQJOrV $UFKLEDOG 9LYLDQ +LOO SURS{V topo do mirante 2 para o topo do mirante 1 é de R$ 2,50.
em seus estudos, que a velocidade v GH FRQWUDomR GH
um músculo ao ser submetido a um peso p é dada pela Qual é o menor custo, em real, para uma pessoa visitar os
HTXDomR p  a) (v  b) K, com a, b e K constantes. topos dos dois mirantes e retornar ao solo?

8P¿VLRWHUDSHXWDFRPRLQWXLWRGHPD[LPL]DURHIHLWR A 2,25
EHQp¿FRGRVH[HUFtFLRVTXHUHFRPHQGDULDDXPGHVHXV B 3,90
SDFLHQWHV TXLV HVWXGDU HVVD HTXDomR H D FODVVL¿FRX
C 4,35
desta forma:
D 4,40
7LSRGHFXUYD E 4,45
Semirreta oblíqua
QUESTÃO 162
Semirreta horizontal
A mensagem digitada no celular, enquanto você
Ramo de parábola
GLULJH WLUD D VXD DWHQomR H SRU LVVR GHYH VHU HYLWDGD
Arco de circunferência Pesquisas mostram que um motorista que dirige um
Ramo de hipérbole carro a uma velocidade constante percorre “às cegas”
LVWRpVHPWHUYLVmRGDSLVWD XPDGLVWkQFLDSURSRUFLRQDO
2 ¿VLRWHUDSHXWD DQDOLVRX D GHSHQGrQFLD HQWUH v e p DRWHPSRJDVWRDRROKDUSDUDRFHOXODUGXUDQWHDGLJLWDomR
QD HTXDomR GH +LOO H D FODVVL¿FRX GH DFRUGR FRP VXD da mensagem. Considere que isso de fato aconteça.
UHSUHVHQWDomRJHRPpWULFDQRSODQRFDUWHVLDQRXWLOL]DQGR Suponha que dois motoristas (X e Y) dirigem com a mesma
o par de coordenadas (p ; v). Admita que K ! 0. velocidade constante e digitam a mesma mensagem em
'LVSRQtYHOHPKWWSUVSEUR\DOVRFLHW\SXEOLVKLQJRUJ$FHVVRHPMXO DGDSWDGR  seus celulares. Suponha, ainda, que o tempo gasto pelo
motorista X olhando para seu celular enquanto digita a
2 JUi¿FR GD HTXDomR TXH R ¿VLRWHUDSHXWD XWLOL]RX SDUD PHQVDJHP FRUUHVSRQGH D  GR WHPSR JDVWR SHOR
maximizar o efeito dos exercícios é do tipo motorista Y para executar a mesma tarefa.
A semirreta oblíqua. Disponível em: http://g1.globo.com. Acesso em: 21 jul. 2012 (adaptado).

B semirreta horizontal. $UD]mRHQWUHDVGLVWkQFLDVSHUFRUULGDVjVFHJDVSRU


C ramo de parábola. X e Y, nessa ordem, é igual a
D arco de circunferência.
E ramo de hipérbole. 5
A
4
QUESTÃO 161
1
Em um parque há dois mirantes de alturas distintas B
TXH VmR DFHVVDGRV SRU HOHYDGRU SDQRUkPLFR 2 WRSR 4
do mirante 1 é acessado pelo elevador 1, enquanto
4
que o topo do mirante 2 é acessado pelo elevador 2. C
Eles encontram-se a uma distância possível de ser 3
percorrida a pé, e entre os mirantes há um teleférico que
RVOLJDTXHSRGHRXQmRVHUXWLOL]DGRSHORYLVLWDQWH 4
D
1

3
E
4

Mirante 1 Mirante 2
O acesso aos elevadores tem os seguintes custos:
‡ Subir pelo elevador 1: R$ 0,15;
‡ Subir pelo elevador 2: R$ 1,80;
‡ Descer pelo elevador 1: R$ 0,10;
‡ Descer pelo elevador 2: R$ 2,30.
MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 24
*DO0525AM25*
QUESTÃO 163 QUESTÃO 164
Uma desenhista projetista deverá desenhar uma Uma pessoa ganhou uma pulseira formada por
tampa de panela em forma circular. Para realizar esse SpURODVHVIpULFDVQDTXDOIDOWDYDXPDGDVSpURODV$¿JXUD
desenho, ela dispõe, no momento, de apenas um
compasso, cujo comprimento das hastes é de 10 cm, um LQGLFDDSRVLomRHPTXHHVWDULDIDOWDQGRHVWDSpUROD
transferidor e uma folha de papel com um plano cartesiano.
Para esboçar o desenho dessa tampa, ela afastou as
hastes do compasso de forma que o ângulo formado por
HODVIRVVHGHƒ$SRQWDVHFDHVWiUHSUHVHQWDGDSHOR
ponto CDSRQWDGRJUD¿WHHVWiUHSUHVHQWDGDSHORSRQWR
B e a cabeça do compasso está representada pelo ponto
AFRQIRUPHD¿JXUD

A
y

120°

(OD OHYRX D MRLD D XP MRDOKHLUR TXH YHUL¿FRX TXH D


medida do diâmetro dessas pérolas era 4 milímetros.
Em seu estoque, as pérolas do mesmo tipo e formato,
GLVSRQtYHLV SDUD UHSRVLomR WLQKDP GLkPHWURV LJXDLV D
B
4,025 mm; 4,100 mm; 3,970 mm; 4,080 mm e 3,099 mm.
1
C 2 MRDOKHLUR HQWmR FRORFRX QD SXOVHLUD D SpUROD FXMR
0 3 x diâmetro era o mais próximo do diâmetro das pérolas
originais.
A pérola colocada na pulseira pelo joalheiro tem diâmetro,
Após concluir o desenho, ela o encaminha para o em milímetro, igual a
VHWRUGHSURGXomR$RUHFHEHURGHVHQKRFRPDLQGLFDomR
GR UDLR GD WDPSD YHUL¿FDUi HP TXDO LQWHUYDOR HVWH VH A 3,099.
encontra e decidirá o tipo de material a ser utilizado na
B 3,970.
VXDIDEULFDomRGHDFRUGRFRPRVGDGRV
C 4,025.
7LSRGHPDWHULDO Intervalo de valores do raio (cm) D 4,080.
E 4,100.
I 0Rd5
II 5  R d 10 QUESTÃO 165
III 10  R d 15
Em uma de suas viagens, um turista comprou uma
IV 15  R d 21 lembrança de um dos monumentos que visitou. Na base
V 21  R d 40 do objeto há informações dizendo que se trata de uma
&RQVLGHUHFRPRDSUR[LPDomRSDUD 3 . peça em escala 1 : 400, e que seu volume é de 25 cm3.
O tipo de material a ser utilizado pelo setor de O volume do monumento original, em metro cúbico, é de
SURGXomRVHUi
A 100.
A I.
B 400.
B II.
C III. C 1 600.
D IV. D 6 250.
E V. E 10 000.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 25


*DO0525AM26*
QUESTÃO 166 QUESTÃO 167
Uma bicicleta do tipo mountain bike tem uma coroa O comitê organizador da Copa do Mundo 2014 criou
com 3 engrenagens e uma catraca com 6 engrenagens, D ORJRPDUFD GD &RSD FRPSRVWD GH XPD ¿JXUD SODQD H
que, combinadas entre si, determinam 18 marchas o slogan ³-XQWRVQXPVyULWPR´FRPPmRVTXHVHXQHP
(número de engrenagens da coroa vezes o número de formando a taça Fifa. Considere que o comitê organizador
engrenagens da catraca). resolvesse utilizar todas as cores da bandeira nacional
(verde, amarelo, azul e branco) para colorir a logomarca,
de forma que regiões vizinhas tenham cores diferentes.

Os números de dentes das engrenagens das coroas


HGDVFDWUDFDVGHVVDELFLFOHWDHVWmROLVWDGRVQRTXDGUR
'LVSRQtYHOHPZZZSW¿IDFRP$FHVVRHPQRY DGDSWDGR 

Engrenagens 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª De quantas maneiras diferentes o comitê organizador da


Copa poderia pintar a logomarca com as cores citadas?
Nº de dentes da
46 36 26 - - - A 15
coroa
Nº de dentes da B 30
24 22 20 18 16 14
catraca C 108
Sabe-se que o número de voltas efetuadas pela D 360
roda traseira a cada pedalada é calculado dividindo-se a E 972
quantidade de dentes da coroa pela quantidade de dentes
da catraca. QUESTÃO 168
Durante um passeio em uma bicicleta desse tipo, 9LYHLURV GH ODJRVWDV VmR FRQVWUXtGRV SRU
deseja-se fazer um percurso o mais devagar possível, cooperativas locais de pescadores, em formato de
escolhendo, para isso, uma das seguintes combinações SULVPDV UHWRUHWDQJXODUHV ¿[DGRV DR VROR H FRP WHODV
de engrenagens (coroa x catraca): ÀH[tYHLV GH PHVPD DOWXUD FDSD]HV GH VXSRUWDU D
FRUURVmR PDULQKD 3DUD FDGD YLYHLUR D VHU FRQVWUXtGR
I II III IV V a cooperativa utiliza integralmente 100 metros lineares
1ª u 1ª 1ª u 6ª 2ª u 4ª 3ª u 1ª 3ª u 6ª dessa tela, que é usada apenas nas laterais.

$ FRPELQDomR HVFROKLGD SDUD UHDOL]DU HVVH SDVVHLR GD Nível do mar


forma desejada é

A I.
B II.
C III.
D IV.
Y
E V. X
Quais devem ser os valores de X e de Y, em metro, para
que a área da base do viveiro seja máxima?

A 1 e 49
B 1 e 99
C 10 e 10
D 25 e 25
E 50 e 50

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 26


*DO0525AM27*
QUESTÃO 169 QUESTÃO 171
Para uma temporada das corridas de Fórmula 1, Numa avenida existem 10 semáforos. Por causa de
a capacidade do tanque de combustível de cada carro XPDSDQHQRVLVWHPDRVVHPiIRURV¿FDUDPVHPFRQWUROH
SDVVRX D VHU GH  NJ GH JDVROLQD 8PD HTXLSH GXUDQWHXPDKRUDH¿[DUDPVXDVOX]HVXQLFDPHQWHHP
optou por utilizar uma gasolina com densidade de verde ou vermelho. Os semáforos funcionam de forma
independente; a probabilidade de acusar a cor verde é de
750 gramas por litro, iniciando a corrida com o tanque cheio. 2 1
Na primeira parada de reabastecimento, um carro dessa e a de acusar a cor vermelha é de . Uma pessoa
equipe apresentou um registro em seu computador de 3 3
bordo acusando o consumo de quatro décimos da gasolina percorreu a pé toda essa avenida durante o período
originalmente existente no tanque. Para minimizar o peso da pane, observando a cor da luz de cada um desses
desse carro e garantir o término da corrida, a equipe de semáforos.
apoio reabasteceu o carro com a terça parte do que restou Qual a probabilidade de que esta pessoa tenha observado
no tanque na chegada ao reabastecimento. exatamente um sinal na cor verde?
Disponível em: www.superdanilof1page.com.br. Acesso em: 6 jul. 2015 (adaptado).

A quantidade de gasolina utilizada, em litro, no 10 u 2


A
reabastecimento foi 310
20 10 u 29
A B
0, 075 310
20 210
B C
0, 75 3100
290
20 D
C 3100
7, 5
2
D 20 u 0, 075 E
310
E 20 u 0, 75 QUESTÃO 172
QUESTÃO 170 A energia solar vai abastecer parte da demanda de energia
2 JUi¿FR DSUHVHQWD D WD[D GH GHVHPSUHJR HP  do campusGHXPDXQLYHUVLGDGHEUDVLOHLUD$LQVWDODomRGH
para o período de março de 2008 a abril de 2009, painéis solares na área dos estacionamentos e na cobertura
obtida com base nos dados observados nas regiões do hospital pediátrico será aproveitada nas instalações
metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, universitárias e também ligada na rede da companhia elétrica
5LRGH-DQHLUR6mR3DXORH3RUWR$OHJUH distribuidora de energia.
2 SURMHWR LQFOXL  Pð GH SDLQpLV VRODUHV TXH ¿FDUmR
Taxa de desemprego (%)
instalados nos estacionamentos, produzindo energia elétrica
9,0
e proporcionando sombra para os carros. Sobre o hospital
SHGLiWULFR VHUmR FRORFDGRV DSUR[LPDGDPHQWH  Pð GH
8,6
8,5 8,9 painéis, sendo 100 m² para gerar energia elétrica utilizada no
8,1 campusHPðSDUDJHUDomRGHHQHUJLDWpUPLFDSURGX]LQGR
8,5
8,2 aquecimento de água utilizada nas caldeiras do hospital.
7,7 7,6
7,9 7,9 Suponha que cada metro quadrado de painel solar
7,6 7,5
SDUDHQHUJLDHOpWULFDJHUHXPDHFRQRPLDGHN:KSRUGLD
e cada metro quadrado produzindo energia térmica permita
HFRQRPL]DU  N:K SRU GLD SDUD D XQLYHUVLGDGH (P
6,8
XPD VHJXQGD IDVH GR SURMHWR VHUi DXPHQWDGD HP 
a área coberta pelos painéis solares que geram energia
elétrica. Nessa fase também deverá ser ampliada a área
/08 04 05 06 07 08 09 10 11 12 /0
9 02 03 04
03 01 GHFREHUWXUDFRPSDLQpLVSDUDJHUDomRGHHQHUJLDWpUPLFD
Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br. Acesso em: 30 out. 2013 (adaptado).
IBGE. Pesquisa mensal de emprego. Disponível em: www.ibge.gov.br.
Acesso em: 30 jul. 2012 (adaptado). Para se obter o dobro da quantidade de energia
HFRQRPL]DGD GLDULDPHQWH HP UHODomR j SULPHLUD IDVH
A mediana dessa taxa de desemprego, no período de a área total dos painéis que geram energia térmica, em
março de 2008 a abril de 2009, foi de metro quadrado, deverá ter o valor mais próximo de
A  A 231.
B  B 431.
C  C 472.
D  D 523.
E  E 672.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 27


*DO0525AM28*
QUESTÃO 173
'RLVUHVHUYDWyULRV$H%VmRDOLPHQWDGRVSRUERPEDVGLVWLQWDVSRUXPSHUtRGRGHKRUDV$TXDQWLGDGHGHiJXD
FRQWLGDHPFDGDUHVHUYDWyULRQHVVHSHUtRGRSRGHVHUYLVXDOL]DGDQD¿JXUD

Quantidade de água armazenada


Volume (L)
180 000 90 000

170 000

160 000 80 000

150 000

140 000 70 000

130 000 Reservatório A

120 000 Reservatório B 60 000

Reservatório B
Reservatório A

110 000

100 000 50 000

90 000

80 000 40 000

70 000

60 000 30 000
50 000

40 000 20 000
30 000

20 000 10 000

10 000

0 0

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Tempo (h)

O número de horas em que os dois reservatórios contêm a mesma quantidade de água é

A 1.
B 2.
C 4.
D 5.
E 6.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 28


*DO0525AM29*
QUESTÃO 174 QUESTÃO 175
1HVWH PRGHOR GH WHUP{PHWUR RV ¿OHWHV QD FRU SUHWD 3LY{ FHQWUDO p XP VLVWHPD GH LUULJDomR PXLWR XVDGR
registram as temperaturas mínima e máxima do dia anterior na agricultura, em que uma área circular é projetada para
HRV¿OHWHVQDFRUFLQ]DUHJLVWUDPDWHPSHUDWXUDDPELHQWH receber uma estrutura suspensa. No centro dessa área, há
atual, ou seja, no momento da leitura do termômetro. XPDWXEXODomRYHUWLFDOTXHWUDQVPLWHiJXDDWUDYpVGHXP
FDQRKRUL]RQWDOORQJRDSRLDGRHPWRUUHVGHVXVWHQWDomR
as quais giram, sobre rodas, em torno do centro do pivô,
WDPEpPFKDPDGRGHEDVHFRQIRUPHPRVWUDPDV¿JXUDV
Cada torre move-se com velocidade constante.
30 50

20 40

10 30

0 20

10 10

20 0

30 10

40 20
T3
T2
T1
50 30
BASE
Por isso ele tem duas colunas. Na da esquerda, os
Q~PHURVHVWmRHPRUGHPFUHVFHQWHGHFLPDSDUDEDL[R
de  ƒ& DWp  ƒ& 1D FROXQD GD GLUHLWD RV Q~PHURV
HVWmRRUGHQDGRVGHIRUPDFUHVFHQWHGHEDL[RSDUDFLPD
de ƒ&DWpƒ&
A leitura é feita da seguinte maneira:
‡ a temperatura mínima é indicada pelo nível inferior
GR¿OHWHSUHWRQDFROXQDGDHVTXHUGD Um pivô de três torres (T1, T2 e T3) será instalado
‡ a temperatura máxima é indicada pelo nível inferior em uma fazenda, sendo que as distâncias entre torres
GR¿OHWHSUHWRQDFROXQDGDGLUHLWD consecutivas bem como da base à torre T1 VmR LJXDLV D
‡ a temperatura atual é indicada pelo nível superior 50 m. O fazendeiro pretende ajustar as velocidades das
GRV¿OHWHVFLQ]DQDVGXDVFROXQDV torres, de tal forma que o pivô efetue uma volta completa
Disponível em: www.if.ufrgs.br. Acesso em: 28 ago. 2014 (adaptado).
HPKRUDV8VHFRPRDSUR[LPDomRSDUDS.

Qual é a temperatura máxima mais aproximada registrada Para atingir seu objetivo, as velocidades das torres T1, T2
nesse termômetro? e T3 devem ser, em metro por hora, de

A ƒ& A 12 , 24 e 36.
B ƒ& B 6 , 12 e 18.
C ƒ& C 2 , 4 e 6.
D ƒ& D 300 , 1 200 e 2 700.
E ƒ& E 600 , 2 400 e 5 400.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 29


*DO0525AM30*
QUESTÃO 176
$,JUHMDGH6mR)UDQFLVFRGH$VVLVREUDDUTXLWHW{QLFDPRGHUQLVWDGH2VFDU1LHPH\HUORFDOL]DGDQD/DJRDGD3DPSXOKD
em Belo Horizonte, possui abóbadas parabólicas. A seta na Figura 1 ilustra uma das abóbadas na entrada principal
GDFDSHOD$)LJXUDIRUQHFHXPDYLVWDIURQWDOGHVWDDEyEDGDFRPPHGLGDVKLSRWpWLFDVSDUDVLPSOL¿FDURVFiOFXORV

H metros

4 metros 3 metros

5 metros

Figura 1 Figura 2

Qual a medida da altura H, em metro, indicada na Figura 2?


16
A
3
31
B
5
25
C
4
25
D
3
75
E
2
QUESTÃO 177
4XDQWRWHPSRYRFr¿FDFRQHFWDGRjLQWHUQHW"3DUDUHVSRQGHUDHVVDSHUJXQWDIRLFULDGRXP miniaplicativo de computador
TXHURGDQDiUHDGHWUDEDOKRSDUDJHUDUDXWRPDWLFDPHQWHXPJUi¿FRGHVHWRUHVPDSHDQGRRWHPSRTXHXPDSHVVRD
acessa cinco sites YLVLWDGRV(PXPFRPSXWDGRUIRLREVHUYDGRTXHKRXYHXPDXPHQWRVLJQL¿FDWLYRGRWHPSRGHDFHVVR
da sexta-feira para o sábado, nos cinco sites mais acessados. A seguir, temos os dados do miniaplicativo para esses dias.
Tempo de acesso na sexta-feira (minuto) Tempo de acesso no sábado (minuto)
Site X Site X
12 21
Site U Site U
40 Site Y 56
30 Site Y
51

Site Z Site Z
Site W 10 Site W 11
38 57

$QDOLVDQGRRVJUi¿FRVGRFRPSXWDGRUDPDLRUWD[DGHDXPHQWRQRWHPSRGHDFHVVRGDVH[WDIHLUDSDUDRViEDGR
foi no site
A X.
B Y.
C Z.
D :
E U.

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 30


*DO0525AM31*
QUESTÃO 178 QUESTÃO 179
O resultado de uma pesquisa eleitoral, sobre a Um cientista, em seus estudos para modelar a
SUHIHUrQFLD GRV HOHLWRUHV HP UHODomR D GRLV FDQGLGDWRV SUHVVmR DUWHULDO GH XPD SHVVRD XWLOL]D XPD IXQomR GR
IRLUHSUHVHQWDGRSRUPHLRGR*Ui¿FR tipo P(t) A  Bcos(kt) em que A, B e KVmRFRQVWDQWHV
reais positivas e t representa a variável tempo, medida
em segundo. Considere que um batimento cardíaco
70 representa o intervalo de tempo entre duas sucessivas
pressões máximas.
60 $RDQDOLVDUXPFDVRHVSHFt¿FRRFLHQWLVWDREWHYHRVGDGRV
Eleitores (%)

50 3UHVVmRPtQLPD 78
40 3UHVVmRPi[LPD 120
30 Número de batimentos cardíacos por minuto 90

20 $IXQomRP(t) obtida, por este cientista, ao analisar o caso


HVSHFt¿FRIRL
10 A P(t) 99  21cos(3St)
0 B P(t) 78  42cos(3St)
A B C P(t) 99  21cos(2St)
Candidato D P(t) 99  21cos(t)
Gráfico 1 E P(t) 78  42cos(t)
$RVHUGLYXOJDGRHVVHUHVXOWDGRHPMRUQDOR*Ui¿FR
QUESTÃO 180
IRLFRUWDGRGXUDQWHDGLDJUDPDomRFRPRPRVWUDR*Ui¿FR
Para decorar uma mesa de festa infantil, um chefe de
FR]LQKDXVDUiXPPHOmRHVIpULFRFRPGLkPHWURPHGLQGR
10 cm, o qual servirá de suporte para espetar diversos
70 GRFHV (OH LUi UHWLUDU XPD FDORWD HVIpULFD GR PHOmR
FRQIRUPH LOXVWUD D ¿JXUD H SDUD JDUDQWLU D HVWDELOLGDGH
60 GHVWH VXSRUWH GL¿FXOWDQGR TXH R PHOmR UROH VREUH D
Eleitores (%)

mesa, o chefe fará o corte de modo que o raio rGDVHomR


50 circular de corte seja de pelo menos 3 cm. Por outro lado,
RFKHIHGHVHMDUiGLVSRUGDPDLRUiUHDSRVVtYHOGDUHJLmR
40 HPTXHVHUmRD¿[DGRVRVGRFHV

30
20
A B Região onde serão
Candidato afixados os doces
Gráfico 2 O
Apesar de os valores apresentados estarem corretos
e a largura das colunas ser a mesma, muitos leitores r A parte hachurada
FULWLFDUDP R IRUPDWR GR *Ui¿FR  LPSUHVVR QR MRUQDO será apoiada
alegando que houve prejuízo visual para o candidato B. A B na mesa
h Calota a ser cortada
A diferença entre as razões da altura da coluna B pela
FROXQD$QRVJUi¿FRVHp e eliminada

A 0 Para atingir todos os seus objetivos, o chefe deverá cortar


DFDORWDGRPHOmRQXPDDOWXUDh, em centímetro, igual a
1
B 91
2 A 5
1 2
C B 10  91
5
2 C 1
D
15
D 4
8
E
35 E 5

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 31


*DO0525AM32*

2017

MT - 2º dia | Caderno 5 - AMARELO - Página 32