Você está na página 1de 10

AVALIAÇÃO BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO: AVIÇÃO –

GINASTICA ARTISTICA EM MICROGRAVIDADE – ESTUDO EM


AMBIENTE LUNAR (Arial 14, MAIÚSCULA)
ANTIQUEIRA, ALINE; RAVANINI, RAQUEL; GODOI, VERONICA

FHO|UNIARARAS, Curso de Educação Física, Disciplina EF225 – Biomecânica, 7º


Período Matutino.

alineantiqueira@hotmail.com; rah_ravanini@hotmail.com; veronicagodoi@hotmail.com

RESUMO

A ginástica artística é o ato de exercitar o corpo para fortificá-lo e dar-lhe


agilidade tendo como fins terapêuticos, educativos e competitivos, é bastante
trabalhado a força, a flexibilidade e a coordenação motora.
Assim sendo o avião é um dos movimentos executados na modalidade,
sendo o passo utilizado nesse presente estudo. Analisando e avaliando a
maneira de execução e seu perfil colocado como ideal, comparando um avião
com outro, visando a avaliação qualitativa deste movimento.
O presente estudo buscou identificar quais as forças presentes na
execução do movimento avião. Para isso contamos com a participação de um
indivíduo inexperiente na tarefa que foi demarcado nas principais articulações
responsáveis pelo movimento e filmado no plano sagital tendo a vista lateral
esquerda. Nossas variáveis foram o equilíbrio, as forças atuantes no
movimento. Verificou-se grande demanda física e hiper-extensão durante a
execução do movimento. Concluindo-se que o ensino dessa habilidade deve
respeitar as fases de maturação do aprendiz.

PALAVRAS-CHAVES: Avaliação, Biomecânica, Avião

INTRODUÇÃO

Segundo Nunomura (2008), para a prática da ginástica não importa a


idade, sexo ou características físicas; é necessário um bom professor
entusiasmado e capaz de orientar corretamente, pois a ginástica desenvolve,
“[...] a coordenação motora, equilíbrio, orientação espacial, autoconfiança,
coragem, capacidade de enfrentar desafios, capacidade de visualizar um
problema e criar estratégias para vencê-lo, capacidade de concentração,
memória, força de vontade, disciplina, responsabilidade, comprometimento,
persistência, perseverança, criatividade, respeito, cooperação, ética e
paciência”. (NUNOMURA, 2008, p. 27-28)
Nista Picoli (2005) afirma que a ginastica artística pode contribuir para o
desenvolvimento da criança, pois apresenta uma demanda muito alta da
capacidade física e motora, o que pode facilitar a execução repertorio motor.
O conhecimento das bases mecânicas do movimento humano é
considerado de grande importância para a formação do profissional de
Educação Física, independente do âmbito onde aconteça sua atuação (escolar,
treinamento, recreação, etc.) (HAY e REID, 1985).
Sabemos que na biomecânica para se gerar algum movimento deve-se
primeiramente ter uma força agindo sobre o musculo, e esse movimento é
relativo dependendo do seu marco de referência.
Isso posto, aplicando uma análise biomecânica quantitativa, os
objetivos deste estudo foram: desenvolver capacidades de análise cinemática
do movimento Avião analisando velocidades angulares do segmento das Perna
e velocidade linear do elemento final, para que através dos conhecimentos
biomecânicos, conseguíssemos interferir no padrão ideal para as Ginastas.

METODOLOGIA

O movimento foi executado por um indivíduo de 22 anos, do sexo


feminino, universitário, com 56 quilos de peso corporal, com altura de 1 metro e
67 cm, que possuía experiência na tarefa.
O movimento avião foi analisado em todas as suas fases de execução:
Preparação, execução e posição de equilíbrio.
Fases que podem ser verificadas na Figura 1.
Figura 1: Principais fases do movimento Avião

Dentre as três imagens capturadas, foi escolhida a melhor imagem para


a definição do gesto motor. A partir do plano de fundo, o posicionamento do
indivíduo foi aos 3 metros do aparelho de captura de imagem. O avaliado
deveria estar vestido com roupa preta ou azul e a parte de cima que devia
conter manga. A posição do material foi perpendicular ao plano do movimento,
distância de 3 metros, do fundo que deveria ser preto ou azul. O equipamento
foi posicionado a 1 metro da altura do plano a partir da linha do chão e funciona
com 3 cores (vermelho, azul e verde). A filmagem foi feita de um plano sagital,
e vista lateral esquerda.
Para demarcação dos pontos anatômicos seguiu-se o protocolo de
SAPO, marcando-se as seguintes estruturas corpóreas: Espinha Ilíaca antero-
superior esquerda e direita, Linha articular do joelho direito medial e lateral,
entre tuberosidade da tíbia e peito do pé, e região entre o segundo e o terceiro
metatarso.
Figura 2: Pontos anatômicos, do protocolo SAPO.

O equipamento nos permitiu captura de 300 frames por segundo, dado


que permitiu potencial de análise relativamente considerável para nosso
objetivo. Como a obtenção dos ângulos, equilíbrio, flexibilidade, força atuante
no movimento;
Os dados encontram-se na tabela abaixo:

Posição de equilíbrio, manter uma


perna no chão e elevar a outra para
-Tarefa Motora ou Problema Motor trás, com os braços estendidos,
abaixando o tronco. Avião Ginástica
Artística

Equilíbrio estático do corpo humano,


-Conceito Biomecânico
postura correta e perna alongada.

Grau de equilíbrio de cada indivíduo,


quanto mais alta for a elevação da
perna, mais bonito fica o avião. O avião
-Variáveis Biomecânicas pode ser feito também lateralmente
(avião lateral) para a direita ou
esquerda, ou ainda para trás (avião
dorsal).
Altura do centro de gravidade do
indivíduo em relação ao chão, linha de
-Fatores influenciadores equilíbrio, peso, altura, grau de
equilíbrio de cada indivíduo,
flexibilidade e força.
RESULTADOS E DISCUSSÃO

Avaliação Qualitativa do Movimento teve por objetivo avaliar, um


indivíduo que realizou o movimento avião, através de uma observação, qual
das técnicas conforme a classificação a seguir, o indivíduo utilizou com maior
predominância:
1ª fase: Observar que a perna de base deve estar voltada para frente, e
a perna de equilíbrio voltada para dentro.
2ª fase: Observar se as costas estão em linha horizontal em relação ao
solo, e pé estendido.
3ª fase: Observar se a cabeça está levantada com o olhar para frente.
4ª fase: Ao término do movimento observar se teve o controle e força
resistida para descer a perna.

Figura 4: Movimento Realizado pela aluna, para a ánalise.

Ao observarmos o movimento, percebemos que o indivíduo não realizou


o movimento de acordo com suas respectivas fases, faltando hiper-flexão de
joelhos, a perna de execução não está totalmente direcionada para dentro, e
seu tronco deveria estar alinhado com as pernas devendo abaixá-lo.
Portanto o ensinamento do movimento deve seguir todas as suas
respectivas fases de acordo com a figura abaixo.
-Preparação Apoiado em um dos pés, elevar a outra
perna estendida para trás abaixando o
tronco simultaneamente, até os ombros
e a perna elevada chegarem, pelo
menos, à horizontal. Os braços deverão
estar estendidos, em situação
ligeiramente oblíqua para cima em
relação ao tronco, pés em ponta e olhar
dirigido à frente.
-Observação Observaremos os principais quesitos:
Braços estendidos, posta de pé, tronco
abaixado simultaneamente.
-Avaliação e diagnóstico *Pontos fracos: pernas não totalmente
alongadas, Braços não alongados. Pés
estendidos.
Pontos fortes:
-Intervenção O professor deverá corrigir como está
na figura representada, ficando ao lado
do aluno, segurando no quadríceps, e
com a outra mão na região abdominal
levantando o tronco do atleta, dando
equilíbrio para o mesmo. Intervindo
sempre com a crítica construtiva e
algum elogio para assim dar uma
motivação ao seu aluno.

Avaliação da Habilidade Motora


Objetivo da habilidade: Flexibilidade, equilíbrio, força e
resistência.

Características especiais da
habilidade:
B-Condição: é previsível, pois os
Ginastas sabem o momento correto de
realizar a habilidade.
Divisão da habilidade em fases: -Movimento Preparatório: uma das
pernas considerada base, ficará
paralela virada para frente a outra
estará estendida atrás em en dehors,
no chão. Os Braços elevados e
estendidos na lateral do corpo ou a
frente.
-Elevação ou balanço para frente: na
mesma posição que a do movimento
preparatório, porem a perna estendida
atrás se elevará, fazendo uma
extensão de quadril, em torno de 45º
do chão. E abaixando o tronco
simultaneamente
-Movimento produtores de força: a
perna que está estendida para trás
ficará no limite de cada indivíduo,
respeitando a estética do avião para a
ginástica.
-Continuidade ou recuperação: A
perna que está estendida para trás,
voltará ao solo, dando término a
execução do movimento.

Sendo assim, o movimento perfeito seria de acordo com a figura abaixo:

Figura 5: Movimento Perfeito do Avião.


CONCLUSÃO

Perante analises e conhecimentos biomecânicos pode-se concluir que o


avião pode ser realizado por qualquer indivíduo, mesmo sem maturação total
do membros, articulações e ossos. E ao relacionarmos e testarmos concluímos
que a avaliação biomecânica é de suma importância para que o profissional
atue com capacidade, qualidade, técnica e desempenho conhecendo e
sabendo realizar o movimento, suas respectivas fases e conseguir capitar
erros, para assim melhorar a técnica.
Acredita-se que uma compreensão mais clara dos fatores mecânicos
que interferem na relação ensino-aprendizagem podendo resultar em uma
atuação profissional mais coerente e produtiva.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NEUMANN, Donald A. Cap 15. Cinesiologia da Marcha. In: Cinesiologia do


Aparelho Musculoesquelético: Fundamentos para a reabilitação. 2.ed. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2011. p. 627-676.

NUNOMURA, Myrian. Ginástica Artística. São Paulo: Odysseus Editora,


2008.

HAY, James G.; REID, J. Gavin. As bases anatômicas e mecânicas do


movimento humano. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Brasil, 1985.

LOPES, Priscila. NUNOMURA, Myrian. Motivação para a prática e


permanência na ginástica artística de alto nível. São Paulo: RBEFE, 2007.

VIEIRA. Silvia. FREITAS. Armando. O que é ginástica artística. Casa da


palavra. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=pt-
BR&lr=&id=o7DYUnw78owC&oi=fnd&pg=PT8&dq=historia+ginastica+art%C3%
ADstica&ots=KAHHfSKNXv&sig=jtHfIgCmrJEWtIF24-
K1dvsQTXg#v=onepage&q&f=true> Acesso em: 25/05/2015

Análise dos dados recolhidos no software de tratamento de dados biomecânicos APAS


(Ariel Performance Analysis System). Análise dos Resultados Obtidos Deslocamento
angular no eixo Z do segmento braço-antebraço no serviço em topspin -> Daqui
conseguimos recolher a informação de que o deslocamento angular neste segmento
atinge valores entre 158,5º e 544,6º.
-> O deslocamento é gradual e praticamente linear desde o início até ao fim do
movimento.
-> Ser gradual e linear deve-se ao facto de: o atleta utilizado ter um gesto não
interrompe a cadeia cinética. O seu gesto contínuo e nunca interrompido. Deslocamento
angular no eixo Z do segmento braço-antebraço no serviço chapado -> O deslocamento
angular neste segmento atinge valores entre 160,9º e 537,1º.
-> O deslocamento neste tipo de serviço volta a ser gradual e linear.
-> A diferença de valores em comparação com o anteriormente analisado e justifica-se
com a noção de que o gesto de serviço chapado é mais recto e linear. Velocidade linear
do pulso no serviço topspin -> Foi recolhida a informação de que a velocidade linear
neste ponto atinge valores entre 53,1 cm/s e 342,6 cm/s.
-> Medindo esta variável, concluímos que a velocidade não foi crescente ou
decrescente, ou seja, não foi linear.
-> Este resultado deve-se ao facto de, mesmo não interrompendo a cadeia cinética,
haver momentos durante o gesto em que o jogador acelera ou desacelera o seu braço e
consequentemente a articulação em análise.
-> Como pode ser observado no gráfico acima, o gesto é contínuo e explosivo na sua
fase final. Velocidade linear do pulso no serviço em chapado -> A velocidade linear
neste ponto atinge valores entre 45,8 cm/s e 360,4 cm/s.
-> A medição desta variável deu-nos altos e baixos (acelerações e desacelerações) ao
longo da sua duração.
-> Este resultado deve-se ao facto de, mesmo não interrompendo a cadeia cinética,
haver momentos durante o gesto em que o jogador acelera ou desacelera o seu braço e
consequentemente a articulação em análise. Tal como no gráfico anteriormente
observado, por se tratar do mesmo gesto técnico (mesma base), mas com alguns
critérios modificados Discussão dos Resultados Velocidade Linear do ultimo segmento
da cadeia cinética: pulso -> Aqui podemos constatar que o serviço chapado é o que
atinge maior velocidade linear no pulso em 360,4 cm/s e que o serviço em topspin
atinge o seu valor máximo de 342,6, ou seja, de um para o outro há uma diferença de
17,8 cm/s.

-> A diferença temporal entre o momento do impacto na bola em ambos os serviços,


deve-se ao facto de, no serviço em topspin, haver maior flexão do antebraço sobre o
braço para conseguir dar maior efeito na bola, daí que o momento do contacto seja mais
tardio no serviço em topspin do que no serviço chapado. Deslocamento angular do
segmento braço-antebraço -> Aqui podemos constatar que no serviço em topspin o
deslocamento angular é maior que no serviço chapado, visto que, no topspin o
deslocamento angular atinge o valor máximo de 544,6º e no chapado atinge o valor
máximo de 537,1, ou seja, de um para o outro há uma diferença de 7,5º.

-> Esta diferença está seriamente relacionada com o referido anteriormente. O atleta dá
ênfase à flexão do ante-braço sobre o braço, o que proporciona que haja um maior
deslocamento angular no membro superior. Recomendações - É aconselhável para
melhor realização do estudo que a recolha de imagens seja feita em 3 dimensões com
recolha feita a partir de 3 câmaras para que seja mais precisa a sua análise.

- De recomendar, é também a utilização de câmaras com maior resolução e velocidade


de obturador com mínimo de 200 fps. Conclusões - deverá haver, nesta capítulo, uma
relação entre vários tópicos, nomeadamente o objectivo, as hipóteses e a análise dos
resultados obtidos. - assim sendo, as conclusões que podemos tirar deste estudo vão de
acordo com a hipótese H0: existem diferenças cinemáticas nas velocidades angulares
dos segmentos e também a velocidade linear do elemento final da cadeia cinética (o
pulso) entre o serviço chapado e o serviço em topspin, tendo sido utilizado o programa
APAS para o comprovar. - as diferenças são visíveis ao nível do membro superior
(segmento em estudo), mais propriamente na velocidade e ângulos atingidos por este. A
partir dessas variáveis pudemos concluir que existe um gesto mais angular, ou seja, com
maior deslocamento angular quando se executa um serviço em top spin e um gesto mais
rápido/explosivo (maior velocidade), quando se executa um serviço chapado.