Você está na página 1de 7

Sistemas de Produção

Definição: Sistema de produção é o conjunto de operações inter-relacionadas


envolvidas na produção de bens ou serviços

I) Elementos constituintes dos sistemas de produção:

1) Inputs (entradas)

a) Recursos transformados:
aqueles que são convertidos, transformados ou tratados de alguma forma.
Podem ser um composto de materiais, informações e consumidores.

b) Recursos de transformação: aqueles que agem sobre os recursos


transformados. São: mão-de obra, máquinas, equipamentos, etc.

2) Processo de transformação/ conversão:


é a etapa onde se alteram as características das matérias-primas quanto à
forma, dimensão, composição e propriedades físico-químicas.

Em serviços, o maior fluxo de investimentos ocorre em mão-de-obra


(pessoal), já que a tecnologia é baseada principalmente em “know-how”.

Nas atividades industriais, o maior investimento ocorre no capital físico


(máquinas, equipamentos e instalações).

O propósito da transformação está relacionado com a natureza dos recursos de


input transformados.

1) Processamento de Materiais
ocorre com as operações de manufatura

2) Processamento de Informações

pode transformar as propriedades


informativas, a posse, a localização,
ou o estoque

3) Processamento de consumidores

pode transformar as propriedades, a localização, ou o estoque

3) Outputs
São os bens ou serviços oriundos da produção. Podem ser classificados
distintamente no que se refere à:

a) Tangibilidade;
b) Estocabilidade;
c) Transportabilidade;
d) Simultaneidade;
e) Contato com o consumidor.

Esta classificação vai definir diversos aspectos do sistema produtivo.

4) Sistema de controle

São atividades de monitoramento dos elementos do sistema de produção no


que se refere ao cumprimento das definições da estratégia de produção
(utilização máxima dos recursos disponíveis, padronização e qualidade).

II) Influências sobre o sistema de produção

a) Internas
Áreas de influência do Marketing, finanças, RH, etc.

B) Externas

_ Economia do país
taxas de juros;
inflação;
disponibilidade de crédito;

_ Políticas governamentais
cambial;
monetária;
ambiental;
de produção setorial;
etc.

_ Competição

_ Tecnologia

Exercício
Qualquer atividade de produção pode ser vista conforme o modelo
Input-Transformação-Output
Identifique as atividades relacionadas a este modelo e também as relacionadas
à operação, produto, natureza dos processos e transformação.

a) Fábrica de automóveis.
Inputs: chapas de aço, tintas, parafusos, mão-de-obra, robôs, equipamentos de
controle, etc.
Processo de transformação:produção e montagem de partes mecânicas
Output: veículo acabado, peças de reposição

Operação: operação de manufatura


Produtos: bens físicos
Natureza dos processos: corte e ajuste de metais e processos de montagem
Transformação: de materiais para os consumidores

b) Hospital;
c) Faculdade.

II) Tipos de operações de produção

Usualmente, utilizam-se algumas medidas para se distinguir os diferentes


tipos de operação. São elas:

a) Volume ==> implica na maneira de organização da produção

b) Variedade ==> implica nos custos da produção

c) Variação ==> influencia a utilização dos recursos de produção

d) Contato com o consumidor ==> define como as organizações desejam


desenvolver suas operações

III) Foco da Produção


Para se definir a melhor estratégia de produção, é necessário definir qual é o
foco de atuação da empresa.

Em geral, as empresas podem estar focadas na produção, no produto, nas


vendas, no marketing ou no marketing social.

FOCO NA PRODUÇÃO

Organizações orientadas para a produção acreditam que o consumidor irá


favorecer aqueles produtos que estão disponíveis de modo mais farto e a custo
mais baixos.
Seus gerentes concentram os esforços em atingir alta eficiência na produção e
larga distribuição”.
O foco na produção tem lugar geralmente em mercados em que a demanda é
maior do que a oferta e em industrias nas quais os custos ainda são altos e
podem ser reduzidos por meio de aumento na produtividade .

Essa orientação faz sentido , portanto , em mercados imaturos , onde há


consumidores de sobra e margens altas a estreitar.

Ela predominou nos Estados Unidos a partir do final do século XIX , quando a
produção em larga escala gerada por evoluções tecnológicas , aliada à
distribuição em massa propiciada pelas estradas de ferro , fez surgir a
sociedade de consumo que 100 anos depois ainda é parâmetro de prosperidade
para vários países.

FOCO NO PRODUTO

Organizações orientadas para o produto acreditam que o consumidor irá


favorecer aqueles produtos que apresentarem maior qualidade , melhor
desempenho e maior inovação.

Seus gerentes concentram os esforços em gerar produtos superiores e em


melhorá-los permanentemente".

O foco no produto costuma pensar nas melhorias de um ponto de vista


técnico, relegando a um segundo plano os consumidores e suas necessidades
reais.

O perigo dessa orientação é que os desejos do mercado são volúveis e as


campanhas que não acompanharem de perto essa mutação poderão um dia se
perceber a um passo da falência.

Um dos exemplos clássicos desse equívoco é dado pela IBM , que continuou
oferecendo a seus clientes computadores de grande porte cada vez melhores ,
ignorando que o mercado havia passado a desejar PCs.

O foco no produto predominou nos Estados Unidos a partir das primeiras


décadas desse século , quando a distribuição farta saturou o mercado e as
empresas chegaram a um limite em seus esforços por baixar preços . Já não
era possível competir meramente com o aumento da produção e a reduçãodos
custos. Passou-se competir por meio da melhoria dos produtos.

FOCO NA VENDA
Organizações orientadas para a venda acreditam que o consumidor , por sua
conta , não irá comprar o bastante.

Seus gerentes concentram os esforços em vender e promover agressivamente".

A meta dessas organizações é vender o que produzem , e não produzir o que o


mercado quer comprar.

Quando o gerente diz que marketing é custo , ele na verdade está falando dos
custos de venda. Se o produto chega ao departamento de vendas demandando
milhões para que se convença os consumidores a comprá-lo , é porque o
processo todo está errado.

Na verdade o marketing , ao determinar à produção o que irá vender , e ao


entregar ao cliente o que ele quer comprar , é um eliminador de custos.

Quanto mais se permitir ao marketing realizar seu trabalho , menos esforços


serão exigidos da companhia para produzir e distribuir seus produtos.

A orientação para a venda predominou no mercado americano no pós-guerra ,


quando as empresas atingiram certa equivalência nos seus desempenhos de
cobrir o mercado , baixar os preços e inovar o produto.

A competição passou a ser definida pelo talento da força de vendas em fazer


os estoques girarem.

FOCO NO MARKETING

Organizações orientadas para o marketing têm que a chave para atingir seus
objetivos consiste em se determinar as necessidades e os desejos do mercado e
satisfazê-los de modo mais efetivo do que os competidores".

Essa orientação surgiu com mais força nos Estados Unidos , na década de 60,
em resposta ao imperativo posto às companhias de criar e manter clientes cada
vez mais exigentes , num mercado amadurecido, mantendo constantes os
níveis de produção.

A orientação para vendas não é capaz de reter clientes.

Pelo contrário, o processo de venda carrega uma contradição insolúvel : o


conflito entre o produtor , que deseja ganhar o máximo na venda de produtos
que envolvam menor custo possível , e o consumidor , que deseja despender o
mínimo na compra de um produto que tenha a maior qualidade possível.
Para alguns, só o marketing resolve essa oposição , ao atrelar os lucros da
companha à satisfação das necessidades do consumidor , e não à mera
produção e vendas de bens.

FOCO NO MARKETING SOCIAL

Kotler aponta ainda uma quinta maneira de pensar em um negócio . trata-se do


foco no marketing social , no qual: "as organizações acreditam que sua tarefa
é determinar as necessidades, os desejos e interesses do mercado, e satisfazê-
lo mais eficientemente que os competidores , preservando e garantindo o bem
estar do consumidor e da sociedade".

Seria uma depuração do próprio conceito de marketing, agregando aos


processos da empresa preocupações comunitárias como a preservação
ambiental ou a abolição de posições raciais ou sexistas na escolha de
colaboradores.

Para Kotler , isso está longe de ser filantropia . Os consumidores e conhecem


o comportamento corporativo: ou o premiam ou o reprovam. Tornam-se leais
às marcas e empresas que dividem com eles o mesmo ponto de vista , valores
e atitudes em relação ao contexto que estão inseridos.

Seria o supra-sumo do posicionamento de produto: a empresa levaria em


consideração não apenas a posição em que sua marca vai ocupar na percepção
do consumo do cliente mais também em outras áreas de sua consciência.

Muitos consumidores , por exemplo , deixaram de comprar produtos em


aerosol que utilizam o gás CFC , por mais fiéis que fossem às marcas
estampadas na embalagem. Da mesma forma , é possível que os fast foods
alargassem sua base de consumo se reduzissem o número de materiais
descartáveis que envolvem seu produto. Isto é , grupos mais conscientes de
consumidores , que nem por isso deixam de apreciar um hambúrguer com
fritas , talvez hoje evitem lojas de fast food porque quase metade que recebem
no balcão vai para o lixo , é provável que o foco no marketing social seja o
futuro próximo para as organizações - pelo menos em mercados maduros,
influenciando a produção.

Essa orientação atende aos desejos de um consumidor exigente que não se


preocupa mais com a mera satisfação de suas necessidades individuais - ele dá
isso como certo. O que lhe tira o sono é fazer com que as necessidades gerais
do ambiente em que sejam também atendidas pelas empresas.
Tipos de Sistema de Produção
A classificação dos sistema sistemas de produção são geralmente baseadas no
fluxo do produto e é de grande importância ao permitir a classificação de uma
grande variedade de técnicas de planejamento e gestão da produção.
Os SP são classificados em:
a) Sistemas de produção contínua ou fluxo em linha;
b) Sistemas de produção por lotes ou por encomenda (fluxo intermitente);
c) Sistemas de produção de grandes projetos sem repetição.

a) Sistemas de produção contínua ou fluxo em linha:


- apresentam uma seqüência linear para se fazer o produto ou o serviço;
- produtos padronizados que fluem entre os postos de trabalho numa
seqüência prevista;
- deve haver balanceamento das etapas para que as mais lentas não retardem a
velocidade do processo;

Este tipo de sistema pode ser dividido em dois tipos:


a.1) Produção em massa;
- Fabricação em larga escala de de poucos produtos com grau de diferenciação
relativamente pequeno;

a.2) produção contínua (indústrias de processo _ químicas, celulose, aço)

Características:
- alta eficiência e inflexibilidade;
- grandes volumes de produção;
- padronização dos produtos;

Fatores a serem analisados quando da adoção de Sistema de Fluxo em Linha:


- a competição forçará o uso da produção contínua por causa da eficiência;
- risco de obsolescência do produto;
- risco de mudança tecnológica no processo de produção (tempo de
amortização).

voltar