Você está na página 1de 50

Ossos e Articulações

Fisiologia do Exercício I
Joyce Carvalho
Sistema
Esquelético -
Esqueleto axial
e apendicular

Profa Joyce Carvalho


Funções do Sistema Esquelético
Alavancas
• O sistema esquelético provê as alavancas e eixos de rotação
sobre os quais o sistema muscular gera os movimentos.
• Alavanca → aumenta a força ou velocidade do movimento.
• Articulações → eixos de rotação.
Suporte
• Manutenção da postura ereta.
• Suporte do peso.
Proteção
• Os ossos protegem o cérebro e os ossos internos.
Armazenamento
• Os ossos armazenam minerais.
Formação de células sangüíneas
• A hematopoiese ocorre dentro das cavidades ósseas.
Profa Joyce Carvalho
Tipos de Ossos
•Osso longo → longo tubo
cilíndrico com extremidades
dilatadas (côndilos,
tubérculos, tuberosidades).
•Osso curto → pequenos
ossos cúbicos (carpo, tarso).
Absorção de impacto.
•Osso chato (plano) → ossos
largos, protegem órgão
internos e tecidos moles.
•Osso irregular → formas
irregulares.
•Osso sesamóide
Profa Joyce Carvalho
Tecido Ósseo
• Tecido ósseo → tecido conectivo especializado.
- Matriz tecidual dinâmica de colágeno e minerais,
em constante remodelagem.
• Componentes inorgânicos (sais minerais,
principalmente cálcio e fosfato) → fazem do osso
um tecido duro e rígido. Matriz óssea
- Suporte de cargas compressivas.
• Componentes orgânicos → dão ao osso
elasticidade (colágeno tipo I, proteoglicanas e
glicoproteínas)
Profa Joyce Carvalho
Tecido Ósseo
• A composição do osso depende do local, da
idade, da dieta, da presença de doenças.
- Ossos necessitam de estresses mecânicos:
atividade física.
- A inatividade e a falta da ação da gravidade
favorecem a perda óssea.
- Osteoporose: a reabsorção óssea excede os
depósitos ósseos.

Profa Joyce Carvalho


Células do Tecido Ósseo
• Osteoblastos
- Síntese da parte orgânica da matriz óssea
(colágeno tipo I, proteoglicanas e glicoproteínas)
- São capazes de concentrar fosfato e cálcio,
participando da mineralização da matriz óssea.
- Passa a ser osteócito quando Osteoclasto
é aprisionado pelo matriz
óssea recém sintetizada
(osteóide).

Osteoblasto
Profa Joyce Carvalho
Células do Tecido Ósseo
•Osteoclasto
- reabsorção óssea
- A adesão do osteoclasto na matriz óssea cria um
microambiente favorável p/ a reabsorção óssea:
• Secreção de ácido (H+), colagenase e outras
hidrolases que atuam localmente, digerindo a
matriz orgânica e dissolvendo os cristais de cálcio

Profa Joyce Carvalho


• Acidificação - facilita a dissolução dos minerais e
propicia o pH ideal p/ a ação das enzimas dos lisossomos
Profa Joyce Carvalho
Células do Tecido Ósseo
• Osteócito → situadas nas cavidades ou lacunas no
interior da matriz óssea.
- Manutenção da matriz óssea
- Canalículos

Profa Joyce Carvalho


úmero
Estrutura do Osso Longo
Tipos de tecido ósseo
(osso compacto e
esponjoso)

Profa Joyce Carvalho


Composição Óssea
•Osso cortical ou compacto → estrutura densa e dura,
forma a parte externa ou córtex do osso.
•Osso trabecular ou esponjoso → interno ao cortical,
menos denso e composto por trabéculas. Os espaços
intersticiais entre as trabéculas são preenchidos com
Osso trabecular da tíbia
medula vermelha.

Profa Joyce Carvalho


Ossos longos

•Epífise ou placa
epifisária → centro
de crescimento
longitudinal do osso

Profa Joyce Carvalho


Processos de Ossificação
Ossificação Intramenbranácea (intramembranosa)
• Ossificação de ossos chatos (planos), crescimento
de ossos curtos e aumento da espessura dos ossos
longos
• Ocorre no interior das membranas de tecido
conjuntivo (molde de cartilagem)
• Centro de ossificação primária → local da
membrana conjuntiva onde inicia a ossificação
• Endósteo e periósteo → parte da membrana
conjuntiva que não sofre ossificação
Profa Joyce Carvalho
Ossificação Intramenbranácea (intramembranosa)
Diferenciação de células mesenquimais em osteoblatos

Síntese de osteóide
(matriz não mineralizada)

Mineralização da matriz e
transformação de osteoblastos em osteócitos

Formação de cavidades entre as traves ósseas contruídas

Penetração de vasos sanguíneos e células mesenquimatosas


indiferenciada que originaram a medula óssea
Profa Joyce Carvalho
Ossificação Intramenbranácea (intramembranosa)

Profa Joyce Carvalho


Processos de Ossificação
Ossificação Endocondral
• Ossos longos e curtos
• “Dentro da cartilagem”
• Consiste de dois processos:
1) Modificações na cartilagem hialina, com
hipertrofia de condrócitos e redução da matriz
cartilaginosa. Morte de condrócitos por apoptose.
2) As cavidades são invadidas por vasos sanguíneos
e células osteogênicas, que se diferenciam em
osteoblasto, que produzirão a matriz óssea
Profa Joyce Carvalho
Profa Joyce Carvalho
Disponibilidade de Cálcio e
Remodelagem Óssea
↑ cálcio plasmático ↓ cálcio plasmático

Calcitonina Paratormônio

Síntese óssea Reabsorção


óssea
Profa Joyce Carvalho
• Osteoporose
- Doença progressiva
- Redução da densidade óssea
- ↓ [cálcio] e perda de massa mineral óssea
(conteúdo mineral )
- o osso se torna progressivamente mais poroso e
quebradiço, sendo mais suscetível a fraturas
• Osteopenia
- Condição intermediária de enfraquecimento
dos ossos.

Profa Joyce Carvalho


Profa Joyce Carvalho
Osteoporose
• Doença de grande prevalência
• Associada com o envelhecimento
• Acomete mais mulheres, principalmente após a
menopausa (↓ secreção estradiol)
• Relacionada a uma grande incidência de fraturas
(principalmente, vertebrais, quadril, fêmur,
punho)
• Suscetibilidade individual:
- 60 a 80% fatores genéticos
- 20 a 40% estilo de vida
Profa Joyce Carvalho
Osteoporose:
Estratégias de Prevenção
• Ingestão adequada de cálcio ao longo da vida
• Vitamina D
• Prática regular de atividade física

Profa Joyce Carvalho


Profa Joyce Carvalho
Benefícios do Exercício Físico
• Efeito osteogênico
• ↓ ritmo de envelhecimento esquelético
• ↑ massa óssea
• ↓ redução do risco de fraturas
• As atividades com impacto e alta solicitação
sobre a massa esquelética (ex: ginástica)
induzem maiores aumentos na massa óssea

Profa Joyce Carvalho


Densidade Mineral e Tipo de Exercício
Físico

Profa Joyce Carvalho


Benefícios do Exercício Físico

• Os efeitos do exercícios são específicos para a


massa muscular solicitada e os ossos nos quais
se insere
• As forças musculares que atuam sobre os
ossos durante a atividade física modificam o
metabolismo do osso no ponto de estresse

Profa Joyce Carvalho


Mulher Atleta
• Mulheres que treinam intensamente e/ou
enfatizam a perda de peso (comportamento
alimentar desordenado) podem apresentar
perda de massa óssea.
• Irregularidades menstruais (oligomenorréia)
• Interrupção da menstruação (amenorréia)
• Tríade da mulher atleta:
- Esgotamento de energia, amenorréia e
osteoporose

Profa Joyce Carvalho


Tríade da Mulher Atleta
• Acomete 15 a 60% das mulheres atletas
• Atividades com maior prevalência:
- Corridas de longa distância
- Ginástica
- Balé
- Patinação artística

Profa Joyce Carvalho


• A densidade óssea está intimamente
relacionada com:
- regularidade menstrual
- número total de ciclos menstruais
• A interrupção da menstruação remove o
efeito protetor do estrogênio sobre o osso,
aumentando a suscetibilidade a osteoporose.

Profa Joyce Carvalho


Efeito do Estrogênio Sobre os Ossos
• ↑ absorção intestinal de cálcio
• ↓ excreção urinária de cálcio
• Inibe a reabsorção óssea

Profa Joyce Carvalho


Articulações

Profa Joyce Carvalho


Classificação Estrutural
das Articulações
• Baseia-se no tipo de material que mantém os
ossos unidos e se existe ou não cavidade articular.
• Articulações fibrosas →fibras curtas de tecido
conjuntivo entre os ossos
• Articulações cartilagíneas →extremidades unidas
por cartilagem
• Articulações sinoviais → presença de cápsula
articular

Profa Joyce Carvalho


Classificação Funcional
das Articulações
• Considera o grau de mobilidade permitido pela
articulação.
• Sinartroses→ articulações imóveis
• Anfiartroses→ articulações semimóveis
• Diartroses→ articulações livremente móveis

Profa Joyce Carvalho


Profa Joyce Carvalho
Articulações Fibrosas
• Ossos unidos por tecido fibroso
• Sem cavidade articular
• O grau de movimento depende do
comprimento das fibras de tecido conjuntivo
que unem os ossos
• Suturas, sindesmoses e gonfoses

Profa Joyce Carvalho


Articulações Fibrosas
Suturas
• Presente nos ossos do crânio
• As bordas onduladas dos ossos se encaixam e a
junção é completamente preenchida por fibras
curtas de tecido conjuntivo que são contínuas
com o periósteo
• Ligação rígido que mantém os ossos
intimamente unidos

Profa Joyce Carvalho


Articulações Fibrosas
Sindesmoses
• Ossos conectados por ligamento, cordão ou
faixa de tecido fibrosos
• Fibras de conexão do tecido conjuntivo mais
longas do que as da sutura

Profa Joyce Carvalho


Articulações Fibrosas
Gonfoses
• Articulação fibrosa semelhante ao encaixe de
um pino em uma tomada
• Articulação do dente com a cavidade alveolar
• A conexão fibrosa é o curto ligamento
periodontal

Profa Joyce Carvalho


Articulações
Fibrosas

Profa Joyce Carvalho


Articulações Cartilagíneas
• Ossos unidos por cartilagem
• Ausência de cavidade articular
• Tipos:
- Sincondroses
- Sínfeses

Profa Joyce Carvalho


Articulações Cartilagíneas
Sincondroses
• Ossos unidos por uma placa de cartilagem hialina
Sínfises
• As superfícies articulares dos ossos são cobertas
com cartilagem hialina, que se funde a um disco
interposto, ou placa, de fibrocartilagem.
• Fibrocartilagem – compressível e elástica
- Absorve choques e permite um grau limitado de
movimento articular
Profa Joyce Carvalho
Articulações
Cartilagíneas

Profa Joyce Carvalho


Articulações Sinoviais
• Presença de cavidade articular separando os
ossos que se articulam
• Livremente móveis

Profa Joyce Carvalho


Cavidade articular
(sinovial) → espaço que
contém uma pequena
quantidade de sinóvia
Profa Joyce Carvalho
Sinóvia (Líquido Sinovial)
• Lubrificante
• Produzido pela filtração do sangue que flui
pelos capilares da membrana sinovial
• Consistência viscosa (como uma clara de ovo)
• Torna-se menos viscoso quando é aquecido
durante a atividade articular
• Presença de células fagocíticas – remoção de
microrganismos e fragmentos celulares da
cavidade articular
Profa Joyce Carvalho
Sinóvia (Líquido Sinovial)
• Presente também dentro das cartilagens
articulares (hialina)
- ↓ fricção e melhora a distribuição das cargas
sobre a articulação
• É liberado das cartilagens quando a articulação é
comprimida e retorna para a articulação quando a
pressão é reduzida
- Lubrificação em gotas – lubrifica as superfícies
da cartilagem e nutre as células

Profa Joyce Carvalho


Inervação Sensorial
• Cápsula articular e ligamentos
- Monitoração da posição articular
- Auxilia a manter o tônus muscular

Ricamente vascularizada
• A maioria dos vasos sanguíneos irriga a
membrana sinovial

Profa Joyce Carvalho


Articulações Sinoviais
Algumas podem apresentar:
• Coxins adiposos entre a cápsula fibrosa e
membrana sinovial ou osso
• Discos de fibrocartilagem (discos articulares) –
meniscos
- Melhora o encaixe entre as extremidades ósseas
- Melhora a estabilidade
- Reduz o desgaste das superfícies articulares

Profa Joyce Carvalho


Profa Joyce Carvalho