Você está na página 1de 58

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS REFERENTES À


EXECUÇÃO FINANCEIRA E CONTÁBIL

São Paulo – SP
Julho / 2015
1

SUMÁRIO

1) Documentação necessária ao processo acessório de pagamento ......................................... 04

2) Etapas para conferência de processos contendo documentos para execução financeira ...... 04
a) Notas fiscais de prestadores de serviços ............................................................................... 04
b) Notas fiscais de bens e mercadorias ..................................................................................... 07
c) Faturas de concessionárias ................................................................................................... 09
d) Recibos de aluguéis .............................................................................................................. 11

3) Etapas para lançamento de documento hábil no SIAFI ....................................................... 12


a) Registro da liquidação no SIAFI .......................................................................................... 13
b) Inclusão do documento hábil................................................................................................ 14

4) Preenchimento do campo observação para o lançamento no SIAFI .................................... 35


a) Notas fiscais de prestadores de serviços ............................................................................... 35
b) Notas fiscais de bens e mercadorias ..................................................................................... 35
c) Faturas de concessionárias ................................................................................................... 36
d) Recibos de aluguéis .............................................................................................................. 36

5) Novo Plano de Contas (PCASP) .......................................................................................... 37


a) Contas a pagar ...................................................................................................................... 39
b) Tributos a recolher ............................................................................................................... 39
c) Encargos patronais................................................................................................................ 39
d) Consumo de materiais .......................................................................................................... 39
e) Diárias................................................................................................................................... 39
f) Serviços de terceiros – pessoas físicas .................................................................................. 39
g) Serviços de terceiros – pessoas jurídicas.............................................................................. 40
h) Depreciação .......................................................................................................................... 40
i) Juros e multas ........................................................................................................................ 40
j) Bolsistas ................................................................................................................................ 40
k) Estoques ............................................................................................................................... 40
l) Bens móveis .......................................................................................................................... 41
2

m) Bens imóveis ....................................................................................................................... 42


n) Obras em andamento ............................................................................................................ 42
o) Importações em andamento.................................................................................................. 42
p) Contratos .............................................................................................................................. 42

6) Retenções tributárias ............................................................................................................ 43


a) Tributos federais – PIS, COFINS, CSLL e IRPJ ................................................................. 43
b) Imposto sobre serviços (ISS) ............................................................................................... 46
c) Retenção Previdenciária (INSS) ........................................................................................... 46

7) Padronização da folha de autorização de pagamento ........................................................... 47

8) Envio de processos ao DGF para recolhimento de impostos com prazo de vencimento ..... 47

ANEXOS .................................................................................................................................. 48
ANEXO 1 – Conferência para nota fiscal de serviço ............................................................... 49
ANEXO 2 – Encaminhamento para liquidação e autorização de pagamento .......................... 50
ANEXO 3 – Conferência para nota fiscal de bens e mercadorias ............................................ 51
ANEXO 4 – Conferência para fatura de concessionária .......................................................... 52
ANEXO 5 – Relatório de Utilização do Imóvel ....................................................................... 53
ANEXO 6 – Autorização de Pagamento .................................................................................. 56

REFERÊNCIAS ....................................................................................................................... 57
3

LISTA DE QUADROS

Quadro 1 – Exemplos de situações de despesa......................................................................... 18

Quadro 2 – Exemplos de situações de deduções ...................................................................... 21

Quadro 3 – Retenção da IN RFB nº 1.234 ............................................................................... 44


4

Manual de normas e procedimentos referentes à execução financeira e contábil

Membros: Karina Sacilotto de Moura (DGF), Marta Cybele Carneiro (DGF), Danilo
Angelo Pinheiro da Silva (Campus Diadema), Andréia da Silva Santos (Coordenadoria
Administrativa), Doralice de Souza Martins (Campus São Paulo), Wagner Gonçalves de
Lima (Campus São Paulo), Kátia Regina Martins Viana (Campus Guarulhos) e José
Cruz de Souza (DGCON).
Colaborador: Paulo Hypólito (DGCON).

1) Documentação necessária ao processo acessório de pagamento


Deve conter cópia do termo de homologação; cópia do resultado de licitação;
cópia do contrato, do termo aditivo ou da ata de registro de preços devidamente
assinados; cópia da nota de empenho devidamente assinada pelo Ordenador de Despesa
e Gestor Financeiro/Diretor Administrativo; ordens de serviço ou fornecimento; aditivos
e apostilamentos; documentos fiscais, previdenciários e trabalhistas da contratada;
relatórios da fiscalização; notas fiscais devidamente atestadas pelo Gestor do Contrato
ou respectivo Responsável; relatórios de utilização de imóvel (para o caso de aluguéis)
e; autorização e ordem de pagamento (vide Portaria UNIFESP 1.434 de 30/08/2010 e
Manual de Fiscalização de Contratos – MFC – pág. 12).

2) Etapas para conferência de processos contendo documentos para execução


financeira

a) Notas fiscais de prestadores de serviços


Para as notas fiscais de prestação de serviço, as etapas de conferência
correspondem: ao ateste pelo Gestor do contrato, à verificação da situação do contrato
pela Divisão de contratos, ao enquadramento tributário, preferencialmente, pelo
Contador ou Técnico Contábil lotado na Controladoria, à liquidação pela Controladoria,
à autorização de pagamento pelo Ordenador de Despesa e à execução financeira pelo
Departamento de Gestão Financeira (DGF).
5

a.1) Gestor do contrato


Atribuições: conferir se o objeto entregue e o valor da nota fiscal estão corretos;
atestar a nota fiscal para pagamento, assinando e preenchendo o carimbo de ateste,
conforme modelo na sequência e; efetuar o lançamento da nota fiscal atestada no
Sistema SIASG / SICON, quando viabilizado no sistema.
Caso o Gestor do Contrato esteja em período de férias ou afastado, o ateste
poderá ser feito pelo Diretor Administrativo e/ou Chefia Superior.
Exemplo de carimbo de ateste pelo Gestor do Contrato referente à prestação de
serviços:
UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Foi prestado o serviço mencionado neste documento


_______________ em conformidade com o disposto no
Edital nº __________/____________, na Proposta da
Contratada, no Contrato nº _________/___________ e
seus ajustes.
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data do ateste: _________/_________/_________

Exemplo de carimbo de ateste pelo Gestor do Contrato para contratos cujo


objeto seja, exclusivamente, o fornecimento de materiais e equipamentos:

UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Foi prestado o fornecimento mencionado neste documento


_______________ em conformidade com o disposto no
Edital nº __________/____________, na Proposta da
Contratada, no Contrato nº _________/___________ e
seus ajustes.
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data do ateste: _________/_________/_________
6

a.2) Divisão de Contratos


Para as etapas de conferência realizadas pela Divisão de contratos, pelo
Contador ou Técnico Contábil (preferencialmente) para parte tributária, pela
Controladoria, pela Pró-Reitoria de Administração (PROADM) e pelo DGF, deverá ser
autuado, seguidamente da nota fiscal, e devidamente preenchido o modelo contido no
ANEXO 1 deste manual. Assim, cada nota fiscal inserida no processo deverá estar
acompanhada desse anexo, para a realização das etapas de conferência.
Atribuições: em complemento às atribuições contidas no MFC, caberá à
Divisão de contratos de cada campus o preenchimento do carimbo de subsídios,
mostrado a seguir, e do Quadro I do ANEXO 1.
Exemplo de carimbo de subsídios para conferência mensal da situação fiscal,
trabalhista e previdenciária da Contratada:
UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Documentos Acompanhados da N.F. nº


_____________________________________
( ) SICAF
( ) Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas
( ) Consulta Simples Nacional
( ) F.P. Folha de Pgto Analítica
( ) GFIP/SEFIP/Conectividade Social
( ) Comprovante de Pgto de Salários
( ) Comprovante de Pgto de Benefícios
( ) Comprovante de Pgto do FGTS
( ) Comprovante de Pgto do INSS
( ) Outros: _______________________
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data do subsídio: _______/________/_______

a.3) Retenções tributárias


Atribuições: conferência, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico
Contábil dos campi quanto à isenção tributária, como, por exemplo, no caso de optantes
pelo simples nacional ou, às retenções cabíveis, identificando o código de recolhimento,
a alíquota, a base de cálculo e o valor a ser retido e; preencher o Quadro II do ANEXO
1.
7

a.4) Liquidação pela Controladoria


Atribuições: conferir se a nota fiscal está devidamente atestada pelo Gestor do
contrato; apropriar a nota fiscal e as retenções tributárias, caso se apliquem, no SIAFI,
preenchendo o Quadro III do ANEXO 1; preencher o Encaminhamento II, referente à
Folha de Autorização de Pagamento apresentada no ANEXO 2, colhendo ainda a
assinatura do Diretor Administrativo do campus e; tramitar o processo em que se
encontra a nota à PROADM.

a.5) Autorização de Pagamento pelo Ordenador de Despesa na PROADM


Atribuições: conferir se a nota fiscal e o formulário contido no ANEXO 1 estão
atestada e preenchido, respectivamente; coletar assinatura do(a) Pró-Reitor(a) de
Administração na folha de autorização de pagamento (ANEXO 2) e; tramitar o processo
administrativo ao DGF.

a.6) Pagamento pelo Departamento de Gestão Financeira


Atribuições: analisar a documentação do processo acessório de pagamento e,
estando em conformidade, efetuar o recolhimento dos tributos retidos, caso se apliquem,
bem como do pagamento devido à empresa contratada através do SIAFI; emitir ordem
bancária e as guias de tributos, instruindo o processo administrativo; preencher o
Quadro IV do ANEXO 1 e; tramitar o processo à Controladoria do campus de origem
para conferência dos pagamentos e arquivamento.

b) Notas fiscais de bens e mercadorias


Para as notas fiscais de bens e mercadorias, as etapas de conferência
correspondem: ao ateste pelo Responsável pelo recebimento, à verificação da ata de
registro de preços pela Divisão de compras / Almoxarifado, ao enquadramento
tributário, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico Contábil lotado na
Controladoria, à liquidação pela Controladoria, à autorização de pagamento pelo
Ordenador de Despesa e à execução financeira pelo DGF.

b.1) Responsável pelo recebimento


Atribuições: conferir se o objeto entregue e o valor da nota fiscal estão corretos
e; atestar a nota fiscal para pagamento, assinando e preenchendo o carimbo de ateste,
conforme modelo na sequência.
8

Exemplo de carimbo de ateste ao Responsável pelo recebimento referente à


aquisição de mercadorias em geral:
UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Foi entregue a mercadoria mencionada neste documento


___________________ em conformidade com a
solicitação de compra nº _________/____________ e seus
ajustes.
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data do ateste: _________/_________/_________

b.2) Divisão de Compras / Almoxarifado


Para as etapas de conferência realizadas pela Divisão de compras /
Almoxarifado, pelo Contador ou Técnico Contábil para parte tributária, pela
Controladoria, pela PROADM e pelo DGF, deverá ser autuado, seguidamente da nota
fiscal, e devidamente preenchido o modelo contido no ANEXO 3 deste manual. Assim,
cada nota fiscal inserida no processo deverá estar acompanhada desse anexo, para a
realização das etapas de conferência.
Atribuições: preencher o Quadro I do ANEXO 3.

b.3) Retenções tributárias


Atribuições: conferência, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico
Contábil dos campi quanto à isenção tributária, como, por exemplo, no caso de optantes
pelo simples nacional ou, às retenções cabíveis, identificando o código de recolhimento,
a alíquota, a base de cálculo e o valor a ser retido e; preencher o Quadro II do ANEXO
3.

b.4) Liquidação pela Controladoria


Atribuições: conferir se a nota fiscal está devidamente atestada pelo
Responsável pelo recebimento; apropriar a nota fiscal e as retenções tributárias, caso se
apliquem, no SIAFI, preenchendo o Quadro III do ANEXO 3; preencher o
Encaminhamento II, referente à Folha de Autorização de Pagamento apresentada no
9

ANEXO 2, colhendo ainda a assinatura do Diretor Administrativo do campus e; tramitar


o processo em que se encontra a nota à PROADM.

b.5) Autorização de Pagamento pelo Ordenador de Despesa na PROADM


Atribuições: conferir se a nota fiscal e o formulário contido no ANEXO 3 estão
atestada e preenchido, respectivamente; coletar assinatura do(a) Pró-Reitor(a) de
Administração na folha de autorização de pagamento (ANEXO 2) e; tramitar o processo
administrativo ao DGF.

b.6) Pagamento pelo Departamento de Gestão Financeira


Atribuições: analisar a documentação do processo acessório de pagamento e,
estando em conformidade, efetuar o recolhimento dos tributos retidos, caso se apliquem,
bem como do pagamento devido à empresa contratada através do SIAFI; emitir ordem
bancária e as guias de tributos, instruindo o processo administrativo; preencher o
Quadro IV do ANEXO 3 e; tramitar o processo à Controladoria do Campus de origem
para conferência dos pagamentos e arquivamento.

c) Faturas de concessionárias
Para as faturas de concessionárias, as etapas de conferência correspondem: ao
ateste pelo Gestor do contrato, à verificação da situação do contrato pela Divisão de
contratos, ao enquadramento tributário, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico
Contábil lotado na Controladoria, à liquidação pela Controladoria, à autorização de
pagamento pelo Ordenador de Despesa e à execução financeira pelo DGF.

c.1) Gestor do Contrato


Atribuições: conferir se o objeto entregue e o valor da fatura estão corretos;
atestar a fatura para pagamento, assinando e preenchendo o carimbo de ateste, conforme
modelo na sequência e; efetuar o lançamento da nota atestada no Sistema SIASG /
SICON, quando viabilizado no sistema.
Caso o Gestor do Contrato esteja em período de férias ou afastado, o ateste
poderá ser feito pelo Diretor Administrativo e/ou Chefia Superior.
Exemplo de carimbo de ateste pelo Gestor do Contrato referente à prestação de
serviços por concessionárias:
10

UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Foi prestado o serviço mencionado nesta fatura


_______________ em conformidade com o disposto no
Edital nº __________/____________, no Contrato nº
_________/___________ e seus ajustes.
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data do ateste: _________/_________/_________

c.2) Divisão de Contratos


Para as etapas de conferência realizadas pela Divisão de contratos, pelo
Contador ou Técnico Contábil para parte tributária, pela Controladoria, pela PROADM
e pelo DGF, deverá ser autuado, seguidamente da fatura, e devidamente preenchido o
modelo contido no ANEXO 4 deste manual. Assim, cada fatura inserida no processo
deverá estar acompanhada desse anexo, para a realização das etapas de conferência.
Atribuições: caberá à Divisão de contratos de cada campus o preenchimento do
Quadro I do ANEXO 4.

c.3) Retenções tributárias


Atribuições: conferência, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico
Contábil dos campi quanto à isenção tributária ou às retenções cabíveis, identificando o
código de recolhimento, a alíquota, a base de cálculo e o valor a ser retido e; preencher
o Quadro II do ANEXO 4.

c.4) Liquidação pela Controladoria


Atribuições: conferir se a fatura está devidamente atestada pelo Gestor do
contrato; apropriar a fatura e as retenções tributárias, caso se apliquem, no SIAFI,
preenchendo o Quadro III do ANEXO 4; preencher o Encaminhamento II, referente à
Folha de Autorização de Pagamento apresentada no ANEXO 2, colhendo ainda a
assinatura do Diretor Administrativo do campus e; tramitar o processo em que se
encontra a nota à PROADM.
11

c.5) Autorização de Pagamento pelo Ordenador de Despesa na PROADM


Atribuições: conferir se a fatura e o formulário contido no ANEXO 4 estão
atestada e preenchido, respectivamente; coletar assinatura do(a) Pró-Reitor(a) de
Administração na folha de autorização de pagamento (ANEXO 2) e; tramitar o processo
administrativo ao DGF.

c.6) Pagamento pelo Departamento de Gestão Financeira


Atribuições: analisar a documentação do processo acessório de pagamento e,
estando em conformidade, efetuar o recolhimento dos tributos retidos, caso se apliquem,
bem como do pagamento devido à empresa contratada através do SIAFI; emitir ordem
bancária e as guias de tributos, instruindo o processo administrativo; preencher o
Quadro IV do ANEXO 4 e; tramitar o processo à Controladoria do Campus de origem
para conferência dos pagamentos e arquivamento.

d) Recibos de aluguéis
Para os recibos de aluguéis, as etapas de conferência correspondem: à entrega do
relatório de utilização de imóvel (ANEXO 5), à verificação da situação do contrato de
locação pela Divisão de contratos, ao enquadramento tributário, preferencialmente, pelo
Contador ou Técnico Contábil lotado na Controladoria, à liquidação pela Controladoria,
à autorização de pagamento pelo Ordenador de Despesa e à execução financeira pelo
DGF.

d.1) Gestor do Contrato


Atribuições: entregar o relatório de utilização de imóvel devidamente
preenchido, assinado e datado, conforme exemplo no ANEXO 5, com periodicidade
trimestral.

d.2) Divisão de Contratos


Atribuições: preencher o Quadro I contido no ANEXO 6.

d.3) Retenções tributárias


Atribuições: conferência, preferencialmente, pelo Contador ou Técnico
Contábil dos campi quanto à isenção tributária ou às retenções cabíveis, identificando o
12

código de recolhimento, a alíquota, a base de cálculo e o valor a ser retido e; preencher


o Quadro II do ANEXO 6.

d.4) Liquidação pela Controladoria


Atribuições: conferir se o relatório de imóvel está devidamente preenchido e
assinado pelo Gestor do contrato; apropriar o recibo de locação e as retenções
tributárias, caso se apliquem, no SIAFI, preenchendo o Quadro III do ANEXO 6,
colhendo ainda a assinatura do Diretor Administrativo do campus e; tramitar o processo
em que se encontra o recibo à PROADM.

d.5) Autorização de Pagamento pelo Ordenador de Despesa na PROADM


Atribuições: conferir se o relatório de utilização de imóvel e o formulário
contido no ANEXO 6 estão devidamente preenchidos; coletar assinatura do(a) Pró-
Reitor(a) de Administração no campo de autorização de pagamento do ANEXO 6 e;
tramitar o processo administrativo ao DGF.

d.6) Pagamento pelo Departamento de Gestão Financeira


Atribuições: analisar a documentação do processo acessório de pagamento e,
estando em conformidade, efetuar o recolhimento dos tributos retidos, caso se apliquem,
bem como do pagamento devido ao locador contratado através do SIAFI; emitir ordem
bancária e as guias de tributos, instruindo o processo administrativo; preencher o
Quadro IV do ANEXO 6 e; tramitar o processo à Controladoria do Campus de origem
para conferência dos pagamentos e arquivamento.

3) Etapas para lançamento de documento hábil no SIAFI


Ao iniciar a fase de liquidação da despesa, o responsável deverá atentar para os
seguintes aspectos:
 nota fiscal está devidamente atestada;
 na análise do documento fiscal deverá ser considerada a natureza da
contratação: se serviços ou aquisição de bens e materiais;
 CNPJ do emitente (fornecedor) está de acordo com o empenho;
 se constam os dados bancários do fornecedor para pagamento;
13

 se os produtos/serviços guardam relação com aqueles informados na Nota de


Empenho, bem como se o valor corresponde exatamente ao do empenho ou se o
saldo deste (no caso de empenho estimativo ou global) é suficiente para
liquidação da despesa;
 se o saldo do empenho for maior e não tiver mais produtos a ser entregue ou
serviço a ser executado, devera ser providenciado o cancelamento do saldo;
 se constam os percentuais de retenção de acordo com os previstos em lei e; em
caso de dispensa de retenção (simples nacional), se consta juntada de declaração
firmada pela empresa.
Sobre o ateste, cabe ressaltar que a data do ateste deverá ser compatível com a
data da nota fiscal (igual ou posterior ao do documento) e, se quem o firmou, está
devidamente identificado com carimbo ou, na falta desse, conste o nº SIAPE e nome
completo por extenso e legível. Nos documentos fiscais relativos a contratos de gestão
ou de obras, a assinatura do ateste deverá ser a do fiscal formalmente designado em
portaria. Cabe lembrar que, caso o Gestor do Contrato esteja em período de férias ou
afastado, o ateste poderá ser feito pelo Diretor Administrativo e/ou Chefia Superior.
Na sequência são descritas as principais etapas para o registro da liquidação no
SIAFI (CPR).

a) Registro da liquidação no SIAFI


Para realizar o lançamento de um documento hábil no SIAFI (CPR), o usuário deverá
entrar no link: <https://siafi.tesouro.gov.br/senha/security/login.jsf>, digitando CPF, senha e os
caracteres da imagem.
14

b) Inclusão do documento hábil


Para acessar o comando “Incluir Documento Hábil” há duas opções. Primeiro, através
do menu localizado no lado esquerdo da tela Menu Geral  Contas a Pagar e a Receber 
Documento Hábil  Incluir Documento Hábil.

Ou segunda opção, escreve o comando “incdh” na aba localizada próximo ao


canto superior direito.

Na tela de inclusão do documento hábil (comando “Incdh”), o usuário deverá


identificar o tipo de documento, por exemplo, no caso dos pagamentos da UNIFESP, os
principais são NP (nota de pagamento) e RP (recibo de pagamento).
15

Tomando como exemplo, o lançamento de uma NP, para liquidação de uma nota fiscal,
o usuário deverá digitar “NP” no tipo de documento e clicar em “Confirmar”.

Prosseguindo com a liquidação, na aba “Dados Básicos” o usuário deverá preencher os


campos: data de vencimento, o número do processo, a data de ateste da nota fiscal, o valor do
documento e o CNPJ do credor e, após, clica em “Incluir”.
16

O próximo passo será preencher os campos: data de emissão, número do documento de


origem e valor. Feito isso, clica-se em “Confirmar”. Caso a liquidação tenha mais que uma nota
fiscal, o usuário deverá discriminar uma a uma.

Na sequência, preenche-se o campo “Observação”. As informações contidas nesse


campo estão detalhadas no tópico 4 deste manual, de acordo com os diferentes tipos de
17

documentos hábeis a serem lançados. Após o preenchimento da observação, clica-se em


“Confirmar Dados Básicos”.

Em seguida, será preenchido a aba “Principal com Orçamento”. Primeiramente, terá que
definir a situação que será lançada.

O Quadro 1 apresenta exemplos de situações comumente utilizadas em liquidações pela


UNIFESP.
18

Quadro 1 – Exemplos de situações de despesa.


DSP001 AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS - PESSOAS JURÍDICAS
DSP002 AQUISIÇÃO SERVIÇOS - PESSOA JURÍDICA (CONTRATO TIPO CREDOR + PC OU RC)
DSP003 CONTRIBUIÇÃO PARA SERVIÇO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA
DSP005 DESPESAS COM IPTU
DSP051 AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS - PESSOAS FÍSICAS
DSP061 DESPESAS COM BOLSAS DE ESTUDO
DSP081 DESPESAS COM DIÁRIAS
DSP101 AQUISIÇÃO DE MATERIAIS PARA ESTOQUE
DSP102 AQUISIÇÃO DE MATERIAIS PARA CONSUMO IMEDIATO
DSP201 AQUISIÇÃO DE BENS MÓVEIS
DSP205 DESPESAS COM AQUISIÇÃO DE IMÓVEIS, OBRAS E INSTALAÇÕES
DSP207 DESPESAS COM IMPORTAÇÕES EM ANDAMENTO
DSP215 DESPESAS COM AQUISIÇÃO DE BENS INTANGIVEIS
DSP901 DESPESAS COM INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES DIVERSAS
DSP902 DESPESAS CORRENTES PARA AUXÍLIO A PESQUISADORES
Como exemplo, considera-se a situação de “DSP001”, preenchendo o campo com essa
categoria (caso queira verificar outras situações, clica-se na lupa para pesquisa). Feito isso,
pressiona “Confirmar”.

Na próxima tela, tem-se que definir, primeiramente, se o documento hábil a ser lançado
possui ou não contrato.
19

Em seguida, é necessária a definição de ser ou não despesa antecipada.

Feitas as duas primeiras etapas da aba “Principal com Orçamento”, completa-se, agora,
os campos número do empenho, subitem da despesa, enquadramento como liquidado ou não,
valor, conta de variação patrimonial diminutiva e contas a pagar, clicando, posteriormente, em
“Confirmar”. Supondo que o documento hábil esteja associado a um contrato e que não se trata
de despesa antecipada, será necessário ainda o preenchimento da conta de contrato. O tópico 5
20

deste manual trata das contas contábeis para o Novo Plano de Contas (PCASP).

Caso a liquidação possua diferentes situações, deverão ser informadas quantas forem
necessárias, como, por exemplo, uma nota fiscal de prestação de serviços por pessoa jurídica
com fornecimento de material para consumo imediato, irá considerar a DSP001 (para o serviço)
e DSP102 (para o material).
Caso se aplique a retenção tributária e ou contribuições sociais na fonte pela
administração pública, o usuário deverá clicar na aba “Dedução”.

As situações para retenções tributárias comumente utilizadas em liquidações são


mostradas no Quadro 2.
21

Quadro 2 – Exemplos de situações de deduções.


Retenção para impostos federais, conforme Instrução Normativa (IN) da Receita Federal do
DDF001
Brasil (RFB) nº 1.234/2012, que será discutida com mais detalhe no item 6 desse manual.
Recolhimento de Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), quando o credor se trata de
pessoa física, por exemplo. Pode-se consultar a tabela de “Simulação de Alíquota Efetiva”,
DDF002 para o cálculo mensal, disponível no site da RFB pelo link:
<http://www.receita.fazenda.gov.br/aplicacoes/atrjo/simulador/simulador.asp?tipoSimultipo
=A>.
Recolhimento ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), conforme IN/RFB nº
DGP001
971/2009.
Retenções de impostos recolhidos por Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais e
Municipais (DAR), como, por exemplo, o Imposto sobre Serviços (ISS). O DAR
DDR001
corresponde a um documento eletrônico emitido por meio do próprio SIAFI para aqueles
municípios que aderiram ao convênio com a União.
ENC024 Recolhimento de encargos patronais sobre serviços de terceiros – INSS – RPA’S .
Para ilustrar o preenchimento da aba dedução, vamos tomar primeiramente como
exemplo o lançamento da retenção tributária referente aos tributos federais,
considerando a alíquota de 9,45% e a situação é a DDF001. Para essa situação, os campos a
serem preenchidos são: data de vencimento, data de pagamento, código da DARF (vide Anexo I
da IN/RFB 1.234/2012) e valor da retenção. A data de vencimento será o 3° dia útil da semana
posterior à data do pagamento da nota fiscal. Logo, se o pagamento da nota ocorrer no dia
01/07/2015, o vencimento da DARF será dia 08/07/2015. Em termos práticos, como o
recolhimento da DARF geralmente ocorre junto a data de pagamento do principal, é costume
desta Instituição manter a data de vencimento igual a data de pagamento da DARF.
O próximo passo será o preenchimento do recolhedor que é o CNPJ do fornecedor do
serviço ou material, clicando em “Incluir”. Além do recolhedor, serão preenchidos a base de
cálculo, o valor da retenção, a multa e os juros (se houver), clicando em “Confirmar” ao final.

O próximo passo será o preenchimento do “Pré-Doc”. Os campos obrigatórios de


preenchimento (marcado com asterisco) são “Recurso”, “Período de Apuração” e “Observação”.
Para o campo “Recurso”, as opções são conforme o orçamento: se o orçamento da Nota de
Empenho for do ano e proveniente da LOA da instituição o recurso deverá ser “1 – Com Cota
do Orçamento do Exercício”. Se o orçamento for da LOA da Instituição, porém o empenho foi
inscrito em Restos a Pagar, o recurso deverá ser “2 – Com Limite de Restos a Pagar”. Se o
22

recurso for proveniente de descentralização, com orçamento de outras Instituições, o recurso


deverá ser “3 – Com Vinculação de Pagamento”.

Para o “Período de Apuração” da DARF, considera-se também a data em que está


efetuando o pagamento da nota fiscal.

No campo “Observação”, deve-se informar o número da nota fiscal sobre a qual está se
aplicando a retenção, a data de emissão, a folha de autuação, o número do processo principal, o
número do processo acessório de pagamento (se houver), o número do contrato (se houver), o
tipo do serviço prestado (ou do produto adquirido se for o caso), o período de referência da nota
fiscal e o número da nota de empenho, feito isso, clica em “Confirmar”, conforme mostrado no
exemplo a seguir. Observar que documento do “Pré-Doc” só estará pronto quando o botão “Pré-
Doc” estiver marcado com o sinal verde.

Para o recolhimento de DARF costuma não ocorrer a incidência de multas e juros, uma
vez que a data do pagamento da retenção é condicionada a data do pagamento do principal.
Tomando como exemplo agora, o recolhimento de INSS, a dedução a ser
lançada será a DGP001. Na tela dessa situação, os campos obrigatórios de
preenchimento são: “UG Pagadora”, “Código de Pagamento GPS” e “Valor”. A UG
será a da Instituição, no caso 153031. Para data de vencimento e pagamento, observar
que o recolhimento de INSS se dá obrigatoriamente até o dia 20 do mês subsequente a
data de emissão da nota fiscal e, em caso de atraso, implicará em multas e juros. O
código de pagamento comumente utilizado é o 2640 e valor será conforme a alíquota
aplicada. Deverá ser informado ainda o recolhedor, bem como o valor de INSS a ser
recolhido e as multas e os juros se aplicáveis. Para saber o valor de multas e juros, caso
se apliquem, o usuário poderá consultar o site do “Sistema de Acréscimos Legais
23

(SAL)”, disponível no link <


http://www3.dataprev.gov.br/cws/contexto/captchar/index_salEmpresa2.html>.

Assim como foi feito na DARF, a próxima etapa será o preenchimento do “Pré-Doc”.
Os campos obrigatórios de preenchimento são “Recurso”, “Competência” e “Observação”. Para
o campo “Recurso”, novamente as opções são conforme o orçamento: se o orçamento da Nota
de Empenho for do ano e proveniente da LOA da instituição o recurso deverá ser “1 – Com
Cota do Orçamento do Exercício”. Se o orçamento for da LOA da Instituição, porém o empenho
foi inscrito em Restos a Pagar, o recurso deverá ser “2 – Com Limite de Restos a Pagar”. Se o
recurso for proveniente de descentralização, com orçamento de outras Instituições, o recurso
deverá ser “3 – Com Vinculação de Pagamento”.

Quanto à competência, essa será o mês e o ano correspondente à data de emissão da


nota fiscal.

Na “Observação”, deve-se informar o número da nota fiscal sobre a qual está se


aplicando a retenção, a data de emissão, a folha de autuação, o número do processo principal, o
número do processo acessório de pagamento (se houver), o número do contrato (se houver), o
tipo do serviço prestado, o período de referência da nota fiscal e o número da nota de empenho,
feito isso, clica em “Confirmar”, conforme mostrado no exemplo a seguir.
24

No que se refere ao recolhimento de ISS, a dedução a ser lançada será a


DDR001. Na tela dessa situação, os campos obrigatórios de preenchimento são: “UG
Pagadora”, “Código do Município”, “Código da Receita” e “Valor”. A UG será a da
Instituição (153031). Para data de vencimento e pagamento, observar que o
recolhimento de ISS se aplica conforme legislação municipal. Assim os campos
“Código do Município” e “Código da Receita” correspondem ao município recolhedor.
Deverá ser informado ainda o recolhedor, bem como o valor de ISS a ser recolhido e as
multas e os juros se aplicáveis.

Na sequência, tem-se o preenchimento do “Pré-Doc”. Os campos obrigatórios de


preenchimento são “Recurso”, “Referência” e “Observação”. Para o campo “Recurso”,
novamente as opções são conforme o orçamento: se o orçamento da Nota de Empenho for do
ano e proveniente da LOA da instituição o recurso deverá ser “1 – Com Cota do Orçamento do
Exercício”. Se o orçamento for da LOA da Instituição, porém o empenho foi inscrito em Restos
a Pagar, o recurso deverá ser “2 – Com Limite de Restos a Pagar”. Se o recurso for proveniente
de descentralização, com orçamento de outras Instituições, o recurso deverá ser “3 – Com
Vinculação de Pagamento”.

Para a referência, assim como na situação anterior, será o mês e o ano correspondente à
data de emissão da nota fiscal.
25

Em seguida, preenche-se a “UG Tomadora” e os campos referentes aos dados da nota


fiscal em questão.

Para a “Observação”, informar o número da nota fiscal sobre a qual está se aplicando a
retenção, a data de emissão, a folha de autuação, o número do processo principal, o número do
processo acessório de pagamento (se houver), o número do contrato (se houver), o tipo do
serviço prestado, o período de referência da nota fiscal e o número da nota de empenho, feito
isso, clica em “Confirmar”, conforme mostrado no exemplo a seguir.

Cabe destacar também a situação DOB001 para retenção de ISS via fatura, ou
seja, guia de recolhimento emitida por municípios não cadastrados no SIAFI. Assim
sendo, o usuário deverá primeiramente lançar essa fatura no SIAFI Tela Preta, acessado
pelo link <https://acesso.serpro.gov.br/HOD10/jsp/logonID.jsp>. Feito isso, o usuário
deverá informar seu CPF e sua senha.

Na tela seguinte, seleciona a opção “Terminal 3270”.


26

Será aberto o SIAFI Tela Preta, conforme mostrado a seguir. Novamente o


usuário deverá informar seu CPF e sua senha e, em seguida, o comando do sistema a ser
acessado, nesse caso, “Siafi2015”.
27

A fatura (ou lista de fatura se for o caso de mais de uma) será lançada, portanto,
pelo comando “>Atulf”.

Na tela de lançamento, deverão ser preenchidos os campos: tipo de lista, opção de


pagamento, entrada de dados e banco. O tipo de lista poderá ser 1 – INTRA-SIAFI ou 2 –
EXTRA-SIAFI. Para o caso de recolhimento de ISS, o tipo da lista será o 2 – EXTRA-SIAFI.
28

Já a opção de pagamento depende do tipo da fatura: 1 –


CONCESSIONARIAS/TRIBUTOS, CARNÊS E ASSEMELHADOS ou 2 – TITULOS. No
caso do ISS, a opção será 2.

A entrada pode ser 1 - MANUAL ou 2 - LEITORA OPTICA.


29

O banco sempre será 001 - BANCO DO BRASIL.

Na tela seguinte, preenche-se o campo de código de barras, bem como o


favorecido, o valor do documento e o que mais for
30

aplicável.

Feitas as deduções cabíveis, a próxima aba a ser preenchida será a de “Dados de


Pagamento”.

A “Data de Pagamento” poderá ser inicialmente a data da liquidação, uma vez que ela
poderá ser alterada posteriormente quando de fato se realizar o pagamento. Na sequência, o
usuário deverá informar o favorecido clicando em “Incluir”.
31

Em seguida, o usuário informa o CNPJ/CPF do favorecido e o valor, clicando em


“Confirmar”.

Posteriormente, preenche-se o “Pré-Doc” do pagamento. No “Pré-Doc”, o usuário


deverá informar o tipo de Ordem Bancária (OB). A maioria dos pagamentos é efetuada via
crédito na conta do fornecedor, logo o tipo de OB comumente utilizado é a “OB Crédito”.

No preenchimento do “Pré-Doc”, deve ser informado também o número do processo


administrativo em que se encontra a nota fiscal a ser paga.
32

Prosseguindo, o usuário deverá informar os dados bancários do fornecedor para


pagamento. Assim, o favorecido (podendo ser pessoa física ou jurídica) precisa ter domicílio
bancário previamente cadastrado no SIAFI, o que poderá ser feito pelo comando
“>ATUDOMCRED”. Ao clicar na lupa ao lado do campo “Conta Corrente” do “Domicílio
Bancário do Favorecido”, o sistema listará todos os dados bancários cadastrados para aquele
fornecedor no SIAFI.

Para selecionar, basta clicar em cima da conta. O usuário deverá escolher a agência e a
conta informada pelo fornecedor na nota fiscal.
33

O próximo passo será preencher o campo observação e, ao final, clicar em “Confirmar”,


vide exemplo na sequência.

Uma vez devidamente preenchido, o “Pré-Doc” ficará marcado com sinal verde.
34

Depois de preenchido o “Pré-Doc”, o usuário poderá consultar no botão “Verificar


Consistência” se há alguma pendência. Não havendo pendências, ele deverá clicar em
“Registrar” e o sistema informará o número do “Documento Hábil” criado.

Outro tipo de OB que cabe destaque é para pagamento de fatura. Ao preencher a “OB
Fatura”, o usuário deverá informar o “Número da Lista de Fatura”, que para ser criada segue os
mesmos passos informados no lançamento da DOB001 para retenção de ISS. Para os dados do
“Domicílio Bancário do Favorecido”, o “Banco” é 001, “Agência” é 1897 e a “Conta Corrente”
é “Fatura”. Em seguida, preenche-se o campo “Observação” e clica em “Confirmar”.
35

4) Preenchimento do campo observação para o lançamento no SIAFI


a) Notas fiscais de prestadores de serviços
Deverá conter os seguintes dados:
 nº da NF;
 data de emissão;
 folha de autuação da NF no processo;
 nº do processo principal;
 nº do processo acessório (se houver);
 nº do contrato (CT) (se houver);
 descrição do serviço prestado;
 período de referência;
 nota de empenho;
 eventuais glosas;
 tributos aplicáveis (informar as respectivas alíquotas) e;
 opção pelo simples (se houver).

b) Notas fiscais de bens e mercadorias


Deverá conter os seguintes dados:
 nº da DANFE;
 data de emissão;
 folha de autuação da DANFE no processo;
 nº do processo principal;
 nº do processo acessório (se houver);
 nº do contrato e do convênio (se houver);
 descrição do produto adquirido;
 nota de empenho;
 eventuais glosas;
 tributos aplicáveis (informar as respectivas alíquotas) e;
 opção pelo simples (se houver).
36

c) Faturas de concessionárias
Deverá conter os seguintes dados:
 nº da fatura e da lista de faturas;
 data de emissão;
 folha de autuação da fatura no processo;
 nº do processo principal;
 nº do processo acessório (se houver);
 nº do contrato e do convênio (se houver);
 descrição do serviço fornecido;
 período de referência e;
 nota de empenho;
 tributos aplicáveis (informar as respectivas alíquotas) e;
 isenção (se aplicável).

d) Recibos de aluguéis
Deverá conter os seguintes dados:
 localização do imóvel (rua/avenida e número);
 nº de autuação e data de emissão do relatório de utilização do imóvel;
 nº de autuação e data de emissão da folha de autorização de pagamento;
 nº do processo principal;
 nº do processo acessório (se houver);
 nº do contrato;
 período de referência da locação;
 nota de empenho;
 tributos aplicáveis (informar as respectivas alíquotas) e;
 isenção (se aplicável).
37

5) Novo Plano de Contas (PCASP)


Para consultar as contas do Novo Plano de Contas da União (PCASP), o usuário
poderá acessar a transação “>CONORIGEM” no SIAFI antigo:

 para empenhos de prestação de serviço: 33390_ _ _ _ (2 dígitos referente à


rubrica, exemplo XX, e 2 dígitos referente ao subitem do empenho, exemplo
YY) e;
38

 para empenhos de capital: 14212_ _ 00 (2 dígitos referente ao subitem do


empenho, exemplo ZZ).

Na sequência são apresentados exemplos de contas utilizadas pelo Novo


PCASP.
39

a) Contas a pagar
21311.04.00 Fornecedores nacionais
21321.01.00 Fornecedores estrangeiros

b) Tributos a recolher
21141.01.03 Federais – INSS – contribuição s/ serviços de terceiros / contrib. avulsos
21881.01.06 Federais – recursos fiscais – DARF a emitir
21881.01.02 Federais – INSS – contribuição s/ serviços de terceiros
21881.01.09 Municipais – recursos fiscais – DAR a emitir
21431.02.00 Municipais – IPTU/TLP a recolher

c) Encargos patronais
37211.04.00 Obrigações patronais s/ serviços de pessoas físicas
37111.02.00 Impostos sobre propriedade predial e territorial
31221.01.00 Contribuições previdenciárias – INSS (GPS) RPA

d) Consumo de materiais
33111.01.00 Materiais estocados - almoxarifado
33111.02.00 Softwares de base
33111.03.00 Combustíveis e lubrificantes
33111.04.00 Gêneros de alimentação
33111.05.00 Material de processamento de dados
33111.06.00 Material farmacológico
33111.07.00 Material hospitalar
33111.08.00 Material para produção industrial

e) Diárias
33211.01.00 Diárias

f) Serviços de terceiros – pessoas físicas


33221.00.00 Serviços terceiros – PF – consolidação
33221.01.00 Serviços técnicos profissionais
33221.02.00 Serviços de apoio administrativo, técnico e operacional
33221.03.00 Serviços comunicação, gráficos e audiovisual
33221.04.00 Serviços de transporte, locomoção e hospedagem
33221.05.00 Serviços administrativos
33221.06.00 Serviços assistenciais
33221.07.00 Serviços de confecções
33221.08.00 Locações e arrendamentos
33221.09.00 Serviços educacionais
33221.10.00 Sentenças judiciais
40

g) Serviços de terceiros – pessoas jurídicas


33231.01.00 Serviços, técnico e operacional – PJ
33231.02.00 Serviços de apoio administrativo, técnico e operacional
33231.03.00 Serviços comunicação, gráfico e audiovisual
33231.04.00 Serviços transporte, passagem, locomoção e hospedagem
33231.05.00 Serviços administrativos
33231.06.00 Serviços assistenciais
33231.07.00 Serviços de confecções
33231.08.00 Serviços de água e esgoto, energia elétrica, gás e outros
33231.09.00 Locações e arrendamentos
33231.10.00 Serviços educacionais e culturais
33231.11.00 Sentenças judiciais

h) Depreciação
33311.01.00 Depreciação de bens móveis
33311.02.00 Depreciação de bens imóveis
33321.02.00 Amortização de intangível
33331.01.00 Exaustão

i) Juros e multas
34241.01.00 Juros
34241.03.00 Multas indedutíveis

j) Bolsistas
39411.01.00 Bolsa de estudos no país
39411.02.00 Bolsa de estudos no exterior
39411.03.00 Auxílios para desenvolvimento de estudos/pesquisas

k) Estoques
11561.01.00 Materiais de consumo
11561.02.00 Gêneros Alimentícios
11561.03.00 Materiais de construção
11561.04.00 Materiais de telecomunicação
11561.05.00 Autopeças
11561.06.00 Medicamentos e materiais
11561.07.00 Materiais gráficos
11561.08.00 Material de expediente
11561.10.00 Estoques sobressalentes
11561.11.00 Estoques sobressalentes
11561.12.00 Estoques sobressalentes
11561.13.00 Estoque – selos de cont
11561.09.00 Materiais a classificar
11571.00.00 Adiantamentos a fornece
11581.98.00 Estoques diversos
41

l) Bens móveis
12311.01.01 Aparelhos de medição e orientação
12311.01.02 Aparelhos e equipamentos de comunicação
12311.01.03 Aparelhos, equipamentos, utensílios médico-odontológico, laboratorial e hospitalar
12311.01.04 Aparelhos e equipamento para esportes e diversões
12311.01.05 Equipamento de proteção, segurança e socorro
12311.01.06 Máquinas e equipamentos industriais
12311.01.07 Máquinas e equipamentos energéticos
12311.01.08 Máquinas e equipamentos gráficos
12311.01.09 Máquinas, ferramentas e utensílios de oficina
12311.01.10 Equipamentos de montaria
12311.01.12 Equipamentos, peças e acessórios para automóveis
12311.01.13 Equipamentos, peças e acessórios marítimos
12311.01.14 Equipamentos, peças e acessórios aeronáuticos
12311.01.15 Equipamentos, peças e acessórios de proteção ao vôo
12311.01.16 Equipamentos de mergulho e salvamento
12311.01.17 Equipamentos de máquinas e motores navios esquadra
12311.01.18 Equipamentos de manobra e patrulhamento
12311.01.19 Equipamentos de proteção e vigilância ambiental
12311.01.20 Máquinas e utensílios agropecuários / rodoviários
12311.01.21 Equipamentos hidráulicos e elétricos
12311.01.24 Máquinas e equipamentos eletro-eletrônico
12311.01.25 Máquinas, utensílios e equipamentos diversos
12311.02.01 Equipamentos de processamento de dados
12311.03.01 Aparelhos e utensílios domésticos
12311.03.02 Máquinas e utensílios de escritório
12311.03.03 Mobiliários em geral
12311.04.02 Coleções e materiais bibliográficos
12311.04.03 Discotecas e filmotecas
12311.04.04 Instrumentos musicais e artísticos
12311.04.05 Equipamentos para áudio, vídeo e foto
12311.04.06 Obras de arte e peças para exposição
12311.05.01 Veículos em geral
12311.05.02 Veículos ferroviários
12311.05.03 Veículos de tração mecânica
12311.05.04 Carros de combate
12311.05.05 Aeronaves
12311.05.06 Embarcações
12311.09.00 Armamentos
12311.10.00 Semoventes e equipamentos de montaria
12311.99.09 Peças não incorporáveis a imóveis
42

m) Bens imóveis
12321.01.00 Bens de uso especial
12321.01.01 Imóveis residenciais / comerciais
12321.01.02 Edifícios
12321.01.03 Terrenos / glebas
12321.01.04 Armazéns / galpões
12321.01.05 Aquartelamentos
12321.01.06 Aeroportos / estações / aeródromos
12321.01.07 Imóveis de uso educacional
12321.01.08 Represas / açudes
12321.01.09 Fazendas, parques e reservas
12321.01.10 Imóveis de uso recreativo
12321.01.11 Ilhas
12321.01.12 Faróis
12321.01.13 Embaixadas e consulados
12321.01.14 Museus / palácios
12321.01.15 Laboratórios / observatórios
12321.01.16 Hospitais
12321.01.17 Hotéis
12321.01.18 Presídios / delegacias
12321.01.19 Portos / estaleiros
12321.01.20 Complexos / fábricas / usinas
12321.01.21 Cemitérios
12321.01.22 Estacionamentos e garagens
12321.01.23 Lojas
12321.01.24 Salas
12321.01.25 Alfândegas
12321.01.26 Autarquias / fundações
12321.01.27 Postos de fiscalização
12321.01.28 Bens de infraestrutura
12321.01.29 Bens imóveis em poder de terceiros

n) Obras em andamento
12321.06.01 Obras em andamento

o) Importações em andamento
12311.07.02 Importações em andamento

p) Contratos
81231.00.00 Obrigações contratuais – consolidação
81231.01.01 Contratos de seguros
81231.02.01 Contratos de serviços
81231.03.01 Contratos de aluguéis
81231.04.01 Contratos de fornecimento de bens
43

6) Retenções tributárias
a) Tributos federais – PIS, COFINS, CSLL e IRPJ
Segue a Instrução Normativa (IN) RFB nº 1.234, de 11 de janeiro de 2012, sendo que
para aplicação das alíquotas, bem como o código correspondente, consulta-se o Anexo I
dessa instrução normativa, conforme mostrado no Quadro 3.
44

Quadro 3 – Retenção da IN RFB nº 1.234.


NATUREZA DO BEM FORNECIDO OU DO ALÍQUOTAS PERCENTUAL CÓDIGO
SERVIÇO PRESTADO IR CSLL COFINS PIS/PASEP A SER DA
(01) (02) (03) (04) (05) APLICADO RECEITA
(06) (07)
 Alimentação;
 Energia elétrica;
 Serviços prestados com emprego de materiais;
 Construção Civil por empreitada com emprego de
materiais;
 Serviços hospitalares de que trata o art. 30;
 Serviços de auxílio diagnóstico e terapia, patologia
clínica, imagenologia, anatomia patológica e
citopatológia, medicina nuclear e análises e patologias 1,2 1,0 3,0 0,65 5,85 6147
clínicas de que trata o art. 31.
 Transporte de cargas, exceto os relacionados no código
8767;
 Produtos farmacêuticos, de perfumaria, de toucador ou
de higiene pessoal adquiridos de produtor, importador,
distribuidor ou varejista, exceto os relacionados no
código 8767; e
 Mercadorias e bens em geral.
 Gasolina, inclusive de aviação, óleo diesel, gás
liquefeito de petróleo (GLP), combustíveis derivados de
petróleo ou de gás natural, querosene de aviação (QAV),
e demais produtos derivados de petróleo, adquiridos de
refinarias de petróleo, de demais produtores, de
importadores, de distribuidor ou varejista, pelos órgãos
da administração pública de que trata o caput do art. 19; 0,24 1,0 3,0 0,65 4,89 9060
 Álcool etílico hidratado, inclusive para fins
carburantes, adquirido diretamente de produtor,
importador ou distribuidor de que trata o art. 20;
 Biodiesel adquirido de produtor ou importador, de que
trata o art. 21.
 Gasolina, exceto gasolina de aviação, óleo diesel, gás
liquefeito de petróleo (GLP), derivados de petróleo ou de
gás natural e querosene de aviação adquiridos de
distribuidores e comerciantes varejistas;
 Álcool etílico hidratado nacional, inclusive para fins
carburantes adquirido de comerciante varejista;
 Biodiesel adquirido de distribuidores e comerciantes 0,24 1,0 0,0 0,0 1,24 8739
varejistas;
 Biodiesel adquirido de produtor detentor regular do
selo “Combustível Social”, fabricado a partir de mamona
ou fruto, caroço ou amêndoa de palma produzidos nas
regiões norte e nordeste e no semiárido, por agricultor
familiar enquadrado no Programa Nacional de
Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
45

 Transporte internacional de cargas efetuado por


empresas nacionais;
 Estaleiros navais brasileiros nas atividades de
construção, conservação, modernização, conversão e
reparo de embarcações pré-registradas ou registradas no
Registro Especial Brasileiro (REB), instituído pela Lei nº
9.432, de 8 de janeiro de 1997;
 Produtos farmacêuticos, de perfumaria, de toucador e
de higiene pessoal a que se refere o § 1º do art. 22 ,
adquiridos de distribuidores e de comerciantes 1,2 1,0 0,0 0,0 2,2 8767
varejistas;
 Produtos a que se refere o § 2º do art. 22;
 Produtos de que tratam as alíneas “c” a “k”do inciso I
do art. 5º;
 Outros produtos ou serviços beneficiados com isenção,
não incidência ou alíquotas zero da Cofins e da
Contribuição para o PIS/Pasep, observado o disposto no
§ 5º do art. 2º.
 Passagens aéreas, rodoviárias e demais serviços de
transporte de passageiros, inclusive, tarifa de embarque, 2,40 1,0 3,0 0,65 7,05 6175
exceto as relacionadas no código 8850.
 Transporte internacional de passageiros efetuado por
empresas nacionais. 2,40 1,0 0,0 0,0 3,40 8850

 Serviços prestados por associações profissionais ou


assemelhadas e cooperativas. 0,0 1,0 3,0 0,65 4,65 8863

 Serviços prestados por bancos comerciais, bancos de


investimento, bancos de desenvolvimento, caixas
econômicas, sociedades de crédito, financiamento e
investimento, sociedades de crédito imobiliário, e
câmbio, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, 2,40 1,0 3,0 0,65 7,05 6188
empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de
crédito, empresas de seguros privados e de capitalização
e entidades abertas de previdência complementar;
 Seguro saúde.
 Serviços de abastecimento de água;
 Telefone;
 Correio e telégrafos;
 Vigilância;
 Limpeza;
 Locação de mão de obra;
 Intermediação de negócios; 4,80 1,0 3,0 0,65 9,45 6190
 Administração, locação ou cessão de bens imóveis,
móveis e direitos de qualquer natureza;
 Factoring;
 Plano de saúde humano, veterinário ou odontológico
com valores fixos por servidor, por empregado ou por
animal;
 Demais serviços.
46

b) Imposto sobre serviços (ISS)


A legislação aplicável é a Lei Complementar nº116/2003 e a legislação do município.
Recomenda-se o seguinte checklist para verificar a retenção de ISS:
(1) verificar se o serviço está na lista de serviços previstas na LC 116/2003;
(2) verificar o local de recolhimento do imposto (art. 3º da LC 116/03);
(3) observar a legislação do Município para o qual o imposto é devido se há obrigação
de cadastro do prestador;
(4) havendo obrigatoriedade do cadastro, verificar se o prestador está cadastrado por
meio do site da prefeitura, por exemplo, para o município de São Paulo, a consulta pode
ser feita pelo seguinte site:
<https://www3.prefeitura.sp.gov.br/cpom2/Consulta_Tomador.aspx>.
(5) verificar se, com relação ao serviço tomado, a retenção é obrigatória por força do art.
6º da LC 116/2003;
(5.1) se sim: RETER.
(5.2) se não: Verificar se na legislação municipal há previsão de retenção pelo tomador
do serviço.
(5.2.1) não há previsão: Não reter.
(5.2.2) há previsão: Desde que obedecido o local de recolhimento do ISS, reter.

c) Retenção Previdenciária (INSS)


Deve-se levar em consideração o disposto na IN/RFB nº 971/2009. Recomenda-se o
seguinte checklist para verificar a retenção de INSS:
(1) verificar se o serviço realizado é mediante a cessão de mão-de-obra ou empreitada;
(2) se o contrato for de empreitada, estarão sujeitos à retenção apenas os serviços
constantes no art. 117. Agora se o contrato for de cessão de mão-de-obra, estarão
sujeitos à retenção tanto os serviços constantes no art. 117 como os do art. 118;
(3) as empresas optantes pelo Simples estão sujeitas à retenção, sendo que as dispensas
legais estão enumeradas nos arts. 120, 143 e 149 da IN RFB 971/2009;
(4) o órgão contratante deverá reter o valor destinado à Seguridade Social e recolher o
valor devido até o dia 20 do mês subseqüente ao da emissão da nota, em nome da
empresa contratada (CNPJ da contratada);
(5) a retenção dos valores destinados à Seguridade Social e o não recolhimento no prazo
legal é crime de apropriação indébita previdenciária;
47

(6) o órgão contratante é o responsável pelo recolhimento de retenção, ficando


diretamente responsável pela importância que deixou de reter.

7) Padronização da folha de autorização de pagamento


Os campi deverão adotar o modelo proposto no ANEXO 2 como folha de
encaminhamento à liquidação e, posterior, envio à PROADM para autorização de
pagamento pelo(a) Ordenador(a) de Despesa.

8) Envio de processos ao DGF para recolhimento de impostos com prazo de


vencimento.
No caso de impostos com prazo de vencimento, como, por exemplo, Imposto sobre
Serviços (ISS) da Baixada Santista e Guia da Previdência Social (GPS/INSS) de todos
os campi, os processos deverão ser encaminhados ao DGF com, pelo menos, dois dias
úteis de antecedência à data máxima ao recolhimento, conforme cronograma a ser
divulgado pelo Departamento no início do ano de exercício.
48

ANEXOS
49

ANEXO 1 – Conferência para nota fiscal de serviço


Conferência da NF ________ autuada folha ______do processo ________/_____-____.

Quadro I – Divisão de Contratos

Nº do contrato__________________________________________
Publicação no D.O.U. __________/___________/_____________
Vigência do contrato ____________________________________
Termo Aditivo (TA) (se houver) ___________________________
Vigência do TA (se houver) ______________________________
Gestor do contrato titular ________________________________
Gestor do contrato suplente_______________________________
Saldo do contrato _______________________________________
NF lançada no SIASG/SICON em ________/________/________

Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data da conferência: _______/_______/________

Quadro II – Conferência tributária, preferencialmente, por Contador ou Técnico Contábil


Isento conforme Tipo de tributo DARF INSS ISS
legislação Código da retenção
Alíquota
nº Base de cálculo
___________________
Valor retido
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data da conferência: _______/________/_________

Quadro III – Controladoria Quadro IV – Departamento de Gestão Financeira


O documento hábil __________________ foi OB ____________________________________
lançado no SIAFI conforme: DARF __________________________________
NP ____________________________________ GPS ____________________________________
NS ____________________________________ DAR ___________________________________
Assinatura:
Assinatura:
Nome:
Nome:
Cargo:
Cargo:
Data da liquidação: _______/_______/_______
Data do pagamento: ________/_________/________
50

ANEXO 2 – Encaminhamento para liquidação e autorização de pagamento.


Encaminhamento I
Do (Setor que está encaminhado a nota fiscal para liquidação)
À Controladoria do Campus

Encaminho para LIQUIDAÇÃO a(s) nota(s) fiscal(is) _____________________,


considerando que o fornecedor entregou o previsto em relatório de serviço / produto do
Processo(s) Administrativo(s): _____________________.

Atenciosamente,
__________________________________________________
Assinatura do Servidor lotado no setor que está encaminhado a nota fiscal
Identificação (nome legível ou carimbo)
Data

Encaminhamento II
Da Divisão de Finanças ou Controladoria do Campus
Ao Ordenador de Despesa

Empresa:_______________________________________________________________
NOTA DATA DATA VALOR A
SEQ. EMPENHO (FONTE / ELEMENTO.SUBITEM)
FISCAL NOTA ATESTE PAGAR

Tendo sido processada a liquidação da(s) despesa(s) acima relacionada(s), encaminho a


Vossa Senhoria para dar cumprimento ao que estabelece o art. 62 da Lei 4.320/64: “O
pagamento da despesa só será efetuado quando ordenado após sua regular
liquidação”.

Atenciosamente,
________________________________ ______________________________
Assinatura do Responsável pela liquidação Assinatura do Diretor Administrativo
Identificação (nome legível ou carimbo) Identificação (nome legível ou carimbo)
Data Data

De acordo,
__________________________
Assinatura do Ordenador de Despesa
Identificação (nome legível ou carimbo)
Data
51

ANEXO 3 – Conferência para nota fiscal de bens e mercadorias


Conferência da DANFE______ autuada folha ____do processo ________/_____-____.

Quadro I – Divisão de Compras/Almoxarifado

Resultado de licitação ____________________________________

Ata de registro de preços _________________________________

Vigência da ata de registro de preços ________________________

Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data da conferência: _________/_________/_________

Quadro II – Conferência tributária, preferencialmente, por Contador ou Técnico Contábil


Isento conforme legislação Tipo de tributo DARF
Código da retenção
nº ___________________ Alíquota
Base de cálculo
Valor retido
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data da conferência: _______/________/_________

Quadro III – Controladoria Quadro IV – Departamento de Gestão Financeira


O documento hábil __________________ foi OB ____________________________________
lançado no SIAFI conforme: DARF __________________________________
NP ____________________________________ Assinatura:
NS ____________________________________
Nome:
Assinatura:
Cargo:
Nome:
Data do pagamento: ________/_________/________
Cargo:
Data da liquidação: _______/_______/_______
52

ANEXO 4 – Conferência para fatura de concessionária


Conferência da fatura _______ autuada folha _____do processo ________/_____-____.

Quadro I – Divisão de Contratos

Nº do contrato__________________________________________
Publicação no D.O.U. __________/___________/_____________
Vigência do contrato ____________________________________
Termo Aditivo (TA) (se houver) ___________________________
Vigência do TA (se houver) ______________________________
Gestor do contrato titular _________________________________
Gestor do contrato suplente_______________________________
Saldo do contrato _______________________________________
NF lançada no SIASG/SICON em ________/________/________

Assinatura:

Nome:

Cargo:

Data da conferência: _______/_______/________


Quadro II – Conferência tributária, preferencialmente, por Contador ou Técnico Contábil
Isento conforme legislação Tipo de tributo DARF
Código da retenção
nº ___________________ Alíquota
Base de cálculo
Valor retido
Assinatura:
Nome:
Cargo:
Data da conferência: _______/________/_________

Quadro III – Controladoria Quadro IV – Departamento de Gestão Financeira


O documento hábil __________________ foi OB ____________________________________
lançado no SIAFI conforme: DARF __________________________________
NP ____________________________________
NS ____________________________________ Assinatura:
LF ____________________________________
Nome:
Assinatura:
Nome: Cargo:

Cargo: Data do pagamento: ________/_________/________


Data da liquidação: _______/_______/_______
53

ANEXO 5 – Relatório de Utilização do Imóvel

Localização:
Endereço: Número:

Complemento: CEP: Cidade: UF:

Identificação do Usuário:
Responsável: Matrícula:

Telefones para contato: E-mail: Centro de Custos:

Departamento/Órgão complementar:

Usuário:

Seção:

Atividades administrativas (caso se apliquem) - dias e horários:

segunda-feira – horário: terça-feira – horário:

quarta-feira – horário: quinta-feira – horário:

sexta-feira – horário: sábado – horário:

domingo – horário:
54

Atendimento a pacientes (caso se aplique) – dias e horários:

segunda-feira – horário: terça-feira – horário:

quarta-feira – horário: quinta-feira – horário:

sexta-feira – horário: sábado – horário:

domingo – horário:

Aulas (caso se apliquem) – dias e horários:

segunda-feira – horário: terça-feira – horário:

quarta-feira – horário: quinta-feira – horário:

sexta-feira – horário: sábado – horário:

domingo – horário:

Atividades desenvolvidas:
55

Características do uso:
Imóvel adaptado para:
Atendimento a pacientes Atividades administrativas.
Aulas Outras (especificar):

Estatística mensal:
Mês: Quantidade de atendimentos: Quantidade de aulas / Alunos:

Mês: Quantidade de atendimentos: Quantidade de aulas / Alunos:

Mês: Quantidade de atendimentos: Quantidade de aulas / Alunos:

Regularidade Física
Imóvel adaptado para acessibilidade das pessoas Data da última manutenção dos
portadoras de deficiência ou com a mobilidade extintores:
reduzida? / /
Sim Não

São Paulo, de de .

__________________________________________
Assinatura e carimbo do Usuário

_______________________________________________________________
Assinatura e carimbo do Chefe do Departamento/Órgão Complementar

Favor encaminhar este formulário preenchido trimestralmente à Divisão de Gestão de


Contratos.
56

ANEXO 6 – Autorização de Pagamento


À Controladoria do Campus
Quadro I – Encaminhamento da Divisão de Contratos à Controladoria
Processo
Processo para pagamento
Contrato
Vigência
Favorecido
Período
Valor mensal
Valor total a ser pago
Empenho
Relatório de utilização do imóvel (págs.)

________________________________________
Nome legível do Servidor da Divisão de Contratos
Data

Quadro II – Conferência tributária, preferencialmente, por Contador ou Técnico Contábil


Tipo de tributo DARF
Código da retenção
Alíquota
Base de cálculo
Valor retido

______________________________________
Nome legível do Contador ou Técnico Contábil
Data

À Pró-Reitoria de Administração
Tendo sido processado a liquidação da despesa descrita abaixo, solicitamos a autorização de
pagamento.

Quadro III – Encaminhamento da Controladoria à Pró-Reitoria de Administração


Nº da RP: Nº da NS:

__________________________________ ________________________________
Nome legível do Servidor da Controladoria Nome legível do Diretor Administrativo
Data Data

Ao Departamento de Gestão Financeira


De acordo, encaminhe-se ao Departamento de Gestão Financeira para emissão do pagamento.
__________________________________
Nome legível do Ordenador de Despesas
Data

Quadro IV – Pagamento pelo Departamento de Gestão Financeira


Ordem(s) Bancária(s) N°
DARF(s) Nº

_________________________
Nome legível do Servidor do DGF
Data
57

REFERÊNCIAS
INSTITUTO FEDERAL PARANÁ. Manual Prático para Liquidação da Despesa. 2014.
Disponível em < http://reitoria.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2014/09/Manual-
Pr%C3%A1tico-Liquida%C3%A7%C3%A3o_V_1_2014.pdf >.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO. Manual de Fiscalização de Contratos.
2014. Disponível em
<http://www.unifesp.br/reitoria/etagae/images/camara_tecnica_contratos/manual_fiscali
zacao/mfunifesp.pdf>.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO. Portaria UNIFESP 1.434 de
30/08/2010. Disponível em
<http://www.portaldrh.unifesp.br/index.php?option=com_content&view=article&id=33
8>.
TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Roteiro para análise e registro da
conformidade dos registros de gestão. 2008. Disponível em:
<http://portal2.tcu.gov.b/portal/page/portal/TCU/comunidade/gestao_orcamentaria/cont
abilidade/ConformidadeGestao-Tutorial_0.pdf.>.