Você está na página 1de 5

Prática 2: Elementos químicos e reatividade

Arthur Coutinho, Fernando Martinez, Henrique da Gama, Rodrigo Lopes, Thales Lopes.

Introdução:

O relatório a seguir tem como objetivo ilustrar detalhadamente tudo que foi feito na segunda aula prática.
Nesta aula foram feitos 4 experimentos: teste da chama- sólidos, reatividade dos metais com água,
reatividade dos metais com ácidos e reatividade dos ametais.

Para a realização destes experimentos foram necessárias as seguintes habilidades: Identificação de metais
através da radiação visível, identificação da reação de metais com água e com ácidos e a identificação da
reatividade dos ametais e tinham como objetivos a verificação do comportamento de certos metais em água
destilada (com gotas de fenolftaleína) e também em ácido (HCl).

Nesta experiência foram postas em prática diversas teorias, como a das interações atômicas através dos níveis
e subníveis de energia quantizada, utilizada no teste de chama, para observar a radiação que os cátions
metálicos liberavam, a partir da movimentação dos elétrons em suas camadas. Também foi observada as
ligações químicas que a água faz com alguns metais, formando bases, assim mudando a coloração da mesma,
que possuía um indicador de PH. E além disso utilizar ácidos para perceber seu grau de corrosão nos metais.

Materiais e métodos:

A prática 2 foi basicamente dividida em duas partes: teste de chamas e reatividade. Os utensílios
utilizados para o experimento de teste de chamas foram: fósforo, haste com fio de platina, papel macio e
lamparina. Seguido de alguns produtos, como: Cloreto de lítio, Cloreto de sódio, Cloreto de cobre, Cloreto de
bário, Cloreto de estrôncio, Cloreto de potássio, Cloreto de cálcio e Ácido clorídrico que foi utilizado na
limpeza do fio de platina.

A segunda prática consistiu de forma geral nas observações de reatividades dos metais, tanto em água, quanto
em ácido e na reatividade dos ametais. E para essa prática foram utilizados os seguintes utensílios: espátula,
grade para tubo de ensaio e conta-gotas. Além de vidrarias, como: béqueres de 50 e 100 ml e tubos de ensaio.
O uso de produtos como água destilada, fenolftaleína, magnésio metálico, alumínio, zinco, cobre, ácido
nítrico, hipoclorito de sódio, iodeto de potássio e ácido ascórbico.
- Teste de chamas em sólidos

Coletar pequena quantidade de cloreto de lítio com vareta de ponta de platina

Aproximar o fio de platina com o sal na lateral da chama azul da lamparina, e anotar os resultados.

Repetir procedimento com os sais: Cloreto de sódio, Cloreto de cobre, Cloreto de bário, Cloreto de estrôncio,
Cloreto de potássio, Cloreto de cálcio

Limpar o fio de platina com ácido clorídrico antes do uso de cada sal

- Reatividade dos metais em água

Adicionar ate metade de dois tubos de ensaio, água destilada

Adicionar 5 gotas de fenolftaleína em cada tubo de ensaio

Adicionar no primeiro tubo o metal alumínio e no outro tubo de ensaio, o metal magnésio sólido.

Anotar as reações ocorridas em cada um

- Reatividade dos metais em Ácidos

Adicionar HCl em 3 tubos de ensaio ate 1/3 de cada um

Adicionar nos tubos 1,2 e 3, respectivamente: magnésio, zinco e cobre

Esperar alguns minutos e observar se ocorreram reações

|
Realizar o mesmo procedimento do cobre, mas colocando-o em HNO3 e não em HCl,

Utilizar a capela para o procedimento do cobre em HNO3

- Reatividade dos Ametais

Adicionar em um béquer 1/3 de cloro ativo

Nesse béquer, em seguida, adicionar pequena quantidade de iodeto de potássio, utilizando uma espátula

No mesmo béquer, adicionar alguns cristais de ácido ascórbico (vitamina C), e anotar as observações

Resultados e discussões

Após ter seguido o procedimento do experimento, observou-se as cores das chamas e foram registrados os
resultados na tabela abaixo:

Tabela 1: Determinação das cores a partir dos sais e carbonatos.

Sal ou carbonato analisado Metal presente Cor da chama Cor da chama em livros
Cloreto de lítio Lítio Laranja-avermelhado Rosa/magenta
Cloreto de sódio Sódio Laranja Amarelo-Alaranjado
Cloreto de cobre Cobre Verde-azulado Verde-azulado
Cloreto de bário Bário Verde-amarelado Verde-amarelado
Cloreto de estrôncio Estrôncio Vermelho-esverdeado Vermelho-sangue
Cloreto de potássio Potássio Laranja-claro Lilás
Cloreto de cálcio Cálcio Laranja-escuro Vermelho-tijolo
Cloreto de estanho Estanho Roxo Vermelho

A mudança de cor apresentada na chama é característica de cada elemento presente na substância quando
aquecido. Isso se deve pelo fato de que, as substâncias são formadas por átomos diferentes e que cada um
contêm suas camadas energéticas bem definidas. Quando ocorre o aquecimento, o sal, os elétrons absorvem
energia e saltam para um nível energético mais externo. Isso se denomina salto quântico e os elétrons ficam
em estado excitado. Só que nessa situação, o elétron fica instável e quanto retorna para a sua camada ele
libera energia em forma de luz. Pelo fato de cada átomo de diferentes elementos possuírem órbitas
energéticas diferentes a luz liberada tem comprimento de onda específico, o que faz apresentarem cores
distintas. As diferenças nas cores obtidas, quando comparadas com a literatura ocorre porque a faixa de
detecção em relação à quantidade de luz emitida fica difícil de mensurar a olho nu e também devido a
contaminação de elementos em amostras que pode ocasionar sobreposições das cores emitidas pelos
diferentes compostos.

A segunda parte da prática baseou-se na análise das reatividades e resume-se a esta tabela:

Tabela 2: Reatividade de metais

Reagente Metal Observações Reação


Água destilada Alumínio Não houve resultados Não há reação.
com
fenolftaleína
Água destilada Magnésio Coloração rósea Mg(s) + 2H2O(l)  Mg(OH)2(aq) +
com H2(g)
fenolftaleína
HCl Magnésio Corrosão, aquecimento e coloração Mg(s) + 2HCl(aq)  MgCl2(aq) +
branca H2(g)
HCl Zinco Coloração branca, liberação de gás e não Zn(s) + 2HCl(aq) ZnCl2(aq) +
houve aquecimento. H2 (g)
HCl Cobre Presença de fases Não há reação.
HNO3 Cobre Liberação de vapores castanhos e cor 3Cu(s) + 8HNO3(aq) 
azulada na solução 3Cu(NO3)2(aq) + 2NO(g) + 4H2O(g)

As diferentes reações dos metais em seus reagentes ocorrem com intensidade característica, apresentada com
base na "fila de reatividade dos metais". Essa fila ou série é a organização dos metais , dos mais reativos para
os menos reativos(esquerda para a direita).

Li>Cs>Rb>K>Ba>Sr>Ca>Na>Mg>Be>Al>Zn>Cr>Fe>Cd>Co>Ni>Pb>H>Sb>Bi>Cu>Hg>Ag>Pd>Pt>Au

Os metais que reagem com água são os metais alcalinos, ou seja, os metais da família 1 da Tabela Periódica
(Li, Na, K, Rb, Cs e Fr); também alguns metais alcalinoterrosos, pertencentes à família 2 (Ca, Sr, Ba e Ra); e
outros metais, como o magnésio (Mg), o ferro (Fe) e o zinco (Zn). Isso ocorre por eles serem bastante reativos.
Devido a esse fato o Alumínio não reagiu com a água, e em contradição o magnésio reagiu.

Na reação dos metais com o ácido clorídrico, o magnésio e o zinco reagiram, o que não ocorreu com o cobre.
O magnésio ao ser colocado em contato com ácido se dissolveu de modo instantâneo com liberação de gás
hidrogênio de coloração branca, formando a solução de cloreto de magnésio. Já o zinco dissolveu-se de
maneira bem lenta, mas liberou o gás hidrogênio do mesmo jeito. Esses fenômenos ocorreram, pois o
magnésio e o zinco são mais reativos que o hidrogênio, fato que não ocorre com o cobre que encontra-se
depois do hidrogênio na fila de reatividade.

A reação do cobre com o Ácido nítrico só ocorreu devido à presença de um ácido bastante oxidante que foi o
HNO3. Nessa reação, ao invés de ser liberado o gás hidrogênio, é liberado o gás monóxido de nitrogênio
(óxido nítrico), NO. A cor azul-esverdeada da solução é devido à presença de íons Cu(+2) gerados na reação.
O gás de cor castanha observado é o dióxido de nitrogênio (NO2), que se forma quando o NO liberado reage
com o oxigênio do ar.

O último experimento realizado foi para análise da reatividade dos ametais, e foi feita adicionando iodeto de
potássio(KI) em água sanitária(NaOCl) observando assim a reação que ocorreu adquirindo uma cor amarelada
e em seguida, após adicionar ácido ascórbico na solução, a reação foi revertida, pois o oxigênio é muito
reativo. Essa relação é explicada pela tabela de reatividade dos ametais:

F > O > N > Cℓ > Br > I > S > C > P > H

Conclusão

Na segunda prática feita em laboratório foi possível observar com êxito a liberação de energia através de luz
quando se excitam determinados elétrons de um átomo, onde houve a mudança de cor da chama. Isso ocorreu
no primeiro experimento: teste de chama-sólidos.

No segundo experimento chamado "reatividade dos metais" foram usados 3 reagente: água destilada ,ácido
clorídrico e ácido nítrico. Com metais foram usados 4 :alumínio ,magnésio, zinco e cobre. Nesse experimento
foi observado diferentes reações com base no nível de reatividade dos metais. Onde ocorreram de reações mais
intensas e fortes ,como mudança de cor, corrosão e mudança de estado físico, à reações nulas.

A reatividade dos ametais foi testada também, quando notou-se as reações que podem ocorrer ou podem ser
revertidas a depender da reatividade de cada elemento.

Referências

http://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/teste-chama-transicao-eletronica.htm

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/reatividade-metais.htm

RUSSELL, John B.; Química Geral vol.1, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books,
1994.