Você está na página 1de 5

O Shanghai World Financial Center (SWFC) é um edifício extraordinário

considerado como um edifício super-alto. Com uma mega-estrutura composta,


de aço e de concreto, o sistema estrutural foi projetado para responder à beleza
da arquitetura e, ao mesmo tempo, enfrentar diversos desafios de engenharia.
É um edifício de referência, um dos mais altos do mundo, localizado em
Lujiazui, no distrito Pudong de Xangai, no sul da China. Com 101 andares acima
do solo chega a quase meio quilômetro de altura e conta ainda com três níveis
no subsolo. Segundo Moreira (2011), pode ser considerado uma cidade vertical,
com 62 pisos para escritórios, instalações para conferências e exposições, um
shopping center localizado nos primeiros pisos, restaurantes e um hotel cinco
estrelas, com 174 quartos e outras comodidades públicas. Acima do hotel situa-
se um espaço observatório para visitantes, localizado a 472 metros acima do
solo. Para aliviar a vibração do edifício, um conjunto de dois dispositivos de
amortecimento idênticos foi instalado no 90º andar.
O World Shanghai Financial Center foi originalmente concebido para ser
o edifício mais alto do mundo, seu projeto teve início em 1993 pela firma de
arquitetos American Kohn Pedersen Fox Associates. O trabalho inicial da
fundação começou em 1997. No entanto, as atividades de construção foram
suspensas pela Mori Building Company após a crise financeira asiática e durante
os ataques de 11 de setembro de 2001, mas foram retomadas em 2003.
De acordo com Robertson e See (2007), inicialmente o projeto estrutural
foi de autoria da empresa inglesa Ove Arup & Partners, com uma altura total de
460 metros e a dimensão da base de 55,8 metros, mas em 1999 foi alterado pela
Leslie E. Robertson Associates (LERA), escritório norte-americano responsável
pelo cálculo estrutural do World Trade Center, que foi abordada com o objetivo
de fornecer um sistema estrutural de baixo custo e mais rápido de construir, a
altura do projeto foi aumentada para 492 metros e a dimensão da base para 58
metros. A aparência exterior do edifício permaneceu praticamente inalterada. O
edifício foi inaugurado em 20 de agosto de 2008.

A volumetria do SWFC, é gerada a partir de um prisma de base quadrada,


contendo quatro mega-colunas uma em cada extremidade. conforme vai
elevando sua altura é gradualmente transformado em um hexágono, todo o
sistema está em simetria tanto na parte quadrada quanto no hexágono.
Para Edelstein (2014), é importante ressaltar, precisamente por causa da
simetria diagonal, que apenas duas das colunas de canto opostas são
bifurcadas, fazendo a transição de quadrado para hexágono.
A área central de construção deste projeto ocupa cerca de 30.000m² e o
edifício bruto é de até 381.600 m². Especificamente, a área de construção do
edifício principal é de cerca de 252.935 m², a do edifício anexo é de 33370 m² e
a do subterrâneo é de 63.751 m². Existem 101 andares acima do solo e 3
andares abaixo do solo. A altura do edifício principal é de 492 m. A área do
pavimento tipo é de 3.300 m².
A área do terreno tem pouco mais de 30.000m². A característica mais
ousada da obra, é o portal em forma de trapézio com dimensão máxima de 50
metros de largura, no topo da torre, que alivia a enorme pressão do vento.

A fundação já tinha sido executada quando houve uma mudança no


projeto estrutural. Após o aumento da altura do edifício a fundação foi
minimamente reforçada, mesmo com o acréscimo estrutural. Isso foi possível
graças à redução das cargas, obtida pela diminuição da espessura dos pilares-
parede localizados no núcleo da edificação. A diminuição do peso próprio da
estrutura chegou a 10%.
Conforme Edelstein (2014), a fundação do prédio consiste de uma laje de
concreto armado de 4,5 metros de espessura sobre 2271 estacas de aço
chegando até 78 metros no solo abaixo. O suporte para o edifício inclui 16
grandes colunas exteriores, compostas por uma combinação de 8 colunas de
aço e 8 de aço e concreto armado, e um núcleo interno de concreto armado
octogonal, as duas estruturas conectadas através de uma série de vigas,
formando treliças estruturas.

O edifício SWFC foi projetado de acordo com as normas chinesas e


quando necessário foi utilizado as normas americanas. As normas chinesas
utilizadas foram: Código para Projeto Sísmico de Edifícios (GB 50011-2001),
Especificação Técnica para Concreto de Edifícios Altos (JGJ 3-2002) e
Especificação Técnica para Estruturas Compostas de Concreto Armado de Aço
(JGJ 138- 2001). As normas americanas utilizadas quando não foi encontrado
as especificações requeridas nas normas chinesas foram: Código de Construção
para Concreto Estrutural (ACI 318-99), Especificação de Projeto de Fator de
Carga e Resistência para Edifícios de Aço Estrutural (AISC-LRFD, 1999) e
Internacional Código de construção (IBC-2000).
Segundo ..... ( ), os edifícios em Xangai tem uma limitação de relação
altura/largura de 7 e na China as paredes de concreto reforçada com aço são
limitadas a 190, junto com isso temos uma região sísmica de grau 7. Como o
prédio supera esses limites e é uma região sísmica alta, algumas análises
adicionais foram feitas como teste da mesa de agitação da estrutura geral,
análises de espectro de resposta dinâmica, análises de histórico de tempo
(realizadas em seis histórias) e análises de estático não linear. A estrutura foi
projetada para permanecer no modo elástico durante toda a vida do edifício.
As máximas acelerações para cargas de vento foram utilizadas como 7–
9mgal (1gal é igual a 1 cm/s2) para o hotel e 9–12mgal para o escritório por um
período de retorno de 1 ano e 15–20mgal para o hotel e 20–25mg para o
escritório por um período de retorno de 10 anos. O limite no código chinês é
25mgal para um período de retorno de 10 anos. A velocidade máxima de torção
para cargas de vento foi de 1,5 mrad/s para um período de retorno de 1 ano e
3,0 mrad/s para um período de retorno de 10 anos.
Para a verificação de vibração causada pelo vento foi utilizado o método
analítico numérico de Newmark-b. O modelo é considerado como tendo apenas
um grau de liberdade de vibração em cada direção (direção e torção X e Y) para
a análise. A fim de verificar os resultados da análise, as propriedades dinâmicas
do SWFC foram estimadas usando medições de aceleração coletadas do
edifício.
Estudo com Modelo na escala 1/50 em Mesa Vibratória (ST) foi utilizado
para as cargas sísmicas. A mesa vibratória é um quadrado com 4 metros de lado
e pode ser excitada com duas acelerações horizontais com valores máximos de
1.2g e 0.8g e aceleração vertical de 0.7g.
AN, Y.; QUAN, Y.; GU, M.. Field measurement of wind characteristics of Typhoon
Muifa on the Shanghai world financial center. International Journal of Distributed
Sensor Networks, China, vol. 2012, Artigo ID 893739, 2012.

EDELSTEIN, Ruben. Diseño Estructural: Centro Financiero Mundial en


Shanghai. 23º Jornadas Argentinas de Ingenieria Estrutural. Argentina, 2014.

LIN, Shaopei; HUANG, Zhen. Comparative Design of Structures: Concepts and


Methodologies. : Springer: Xangai, China, 2016.

LU, X.; LI, P.; GUO, X.; SHI, W.; LIU, J. . Vibration control using ATMD and site
measurements on the Shanghai World Financial Center Tower. The Structural
Design of Tall and Special Buildings. Ed. 23, p. 105–123, 2012.

MOREIRA, R., Edifícios Altos – Problemas associados e análise estrutural de um


caso prático, ISEP, 2011.

OLIVEIRA, F. S. Critérios de Projeto para Amortecedor Tipo Pêndulo para


Controle de Vibrações em Edifícios Altos. Dissertação de Mestrado,
Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília,
Brasília - DF, 2012.

PEREIRA, Rui. Edifícios altos – Problemas associados e análise estrutural de


um caso prático. 2011. 156 f. Disponível em:
<http://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/2773/1/DM_RuiPereira_2011_MEC.pdf
> . Acesso em: 15 nov. 2016.

ROBERTSON, LESLIE Earl; See, SawTeen. The Shanghai World Financial


Center: Welding brilliant architecture to imaginative engineering. Structure
Magazine. EUA, 2007.

SHI, W; SHAN, J; LU, X. Modal identification of Shanghai World Financial Center


both from free and ambient vibration response: Engineering Structures. China,
vol. 36, pp. 14–26, 2012.