Você está na página 1de 13

"!

17) ('I'II'1'/ItJ) {\ l'nINCem quu 1j('lnhlngc ti norma de ('()IIC()I'dlllldIlIlOIIlIIlIlIIlI\~N('IIIIIIWIlI


Ifllguo culta é:
apítulo 10
'li) O tempo livre era gasto com asseio e alimentação necessárias.
h) Os trabalhadores assistiam semanalmente a práticas e rituais religiosos.
c) Os trabalhadores não tinham direito a descanso e férias remuneradas. REGÊNCIA
d) Viviam no lazer a nobreza e a burguesia ociosas.
) Asleis não protegiam o artesão e o camponês sofridos.

"!lU) (CORR.- TJ/RJ) Das expressões abaixo, retiradas do texto, aquela em que a palavra Chama-se regência a relação de dependência dos termos da oração.
sublinhada não pode flexionar em gênero é: Pode ser verbal ou nominal.
a) "ponto facultativo" ~d) "menos gente"
Nessa dependência, existe o termo principal, chamado regente, e o
b) "descanso obrigatório" e) "verdadeiro sentido"
termo dependente, chamado regido. O termo regido, muitas vezes, é
c) "domínio público"
introduzido por uma preposição, por exigência do verbo ou do nome:
"m)) (P.C.CHAGAS/RJ)Elas providenciaram os atestados, que enviaram às Gosto de você.
procurações, como instrumentos para os fins colimados. Termo regente: Gosto
o) mesmas - anexos - bastantes d) mesmo - anexos - bastante Termo regido: de você.
b) mesmo - anexo - bastante e) mesmas - anexos - bastante
:) mesmas - anexo - bastante

:1(0) (A.CONT.lMT) Tornava-se , para Rui Barbosa, a imediata revisão de certas


REGÊNCIA VERBAL
medidas adotadas, haja o caráter arbitrário de que se revestiam. A regência verbal é um ponto de enorme abrangência, que serve de
Aspalavras que completam corretamente as lacunas da sentença acima são: base para o estudo da análise sintática e da crase. Por isso, estudamos
a) imperioso I vista c) imperiosa I visto predicação no capítulo sobre termos da oração.
b) imperioso I visto -d) imperiosa I vista
1. Emprego de o e lhe
30 I) (TRF- 2a Região) Está INCORRETAa forma como se fez a concordância nominal na
• O pronome oblíquo o (e flexões) é usado como complemento de verbos
frase: transitivos diretos ou diretos e indiretos:
,a) Os trens e as estações foram reformadas. Ela o levou para casa.
b) Os engenheiros construíram um viaduto e uma passarela nova. Estudei-o.
c) Pela ferrovia trafegavam vagões e locomotivas refrigerados. Entregue-a pela manhã.
d) Os planos previam projetos e estruturas recém-idealizadas. Nós o pedimos a você.
e) Os índices. social e econômico de desenvolvimento da Região Metropolitana são
baixíssimos. Nota: Os verbos das três primeiras orações são transitivos diretos. Assim,
como complemento, ou seja, objeto direto, usa-se o, e não lhe. Na última, em
que o verbo é transitivo direto e indireto, o aparece como o complemento
direto. Também seria impossível o emprego de lhe.
• O pronome oblíquo lhe (e lhes) é usado como complemento de verbos
transitivos indiretos, ou diretos e indiretos, que geralmente pedem a
preposição a:
Obedeci-lhe humildemente.
Faltou-lhe coragem.
Ofereceram-lhe ajuda .

... ...........
240 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATOAQUINO
PORTUGUESA
241
Notu: Os dois pli mel ros verbos suo t ru 11sit ivos i 11ti iretos: () t l' 1'('(' I 1'0, t 1'[111sil ivo Observações
dlrcto e i nu ir('IO./\ palavra lhe é objeto i nu i reto nas t rês frases, nao se podendo ItI) Em frases do tipo "Assisti o enfermo" e "Assisti ao enfermo", nào hã
IIsar o pronome o, que é sempre direto. mudança de sentido. Em ambas o verbo assistir significa "dar
assistência", "auxiliar". Alguns gramáticos só o registram como
". Emprego de me, te, se, nos e vos transitivo direto.
Podcm ser complementos de verbos transitivos diretos ou transitivos
211) Éraro, no português atual, o emprego de assistir significando
indiretos:
"morar":
Ele me feriu.
Moro em Natal.
Ele me obedeceu.
Assisto em Natal.
Nota: Na primeira frase, me é objeto direto, pois completa o sentido de um Raro, porém correto.
verbo transitivo direto. Na segunda, é objeto indireto, porque é o
complemento de um verbo transitivo indireto.
2. Aspirar
• Transitivo direto quando significa "sorver", "inspirar", "levar o ar aos
:1. Quando o objeto indireto é representado por um pronome oblíquo, a
pulmões":
preposição não é expressa, está implícita no pronome:
Aspiramos o ar frio da manhã.
Pedi-lhe ajuda.
lhe = a ele, a você etc. • Transitivo indireto, com a preposição a, quando significa "desejar",
"almejar":
Regência de verbos importantes "Depois de tanto comentar, o meu príncipe, evidentemente,
aspirava a criar." (Eça de Queirós)
I. Assistir
Ele aspira ao cargo.
• Transitivo direto ou indireto, com a preposição a, com o sentido de "dar
assistência", "amparar": Nota: Se trocarmos cargo, que é masculino, por felicidade, feminino, teremos
O médico assistiu o paciente. a preposição a e o artigo a, que se contrairão em uma só palavra: à:
O médico assistiu ao paciente. Ele aspira ao cargo
• Transitivo indireto, com a preposição a, com o sentido de "ver", "presenciar": Ele aspira aa felicidade. (português antigo)
Meu filho assistiu ao jogo. Ele aspira à felicidade. (português atual)
"Cecília, apoiada ao ombro de seu amigo, assistia horrorizada a Isso vale para qualquer verbo que peça a preposição a. Estudaremos a
esse espetáculo pavoroso ..." (José de Alencar) crase no capítulo 11.
"Assistiu ainda o deputado a algumas sessões parlamentares."
(Camilo Castelo Branco)
3. Visar /'
• Transitivo indireto, com a preposição a, com o sentido de "caber", • Transitivo direto quando significa "pôr o visto", "rubricar":
"competir": A funcionária visou as folhas.
Isso não assiste a você.
Não lhe assiste o direito. • Transitivo direto quando significa "mirar":
Visavam um ponto na parede.
• Intransitivo, com a preposição em, com o sentido de "morar"; pede adjunto
adverbial de lugar: • Transitivo indireto, com a preposição a, quando significa "pretender",
Seu tio assistia em Fortaleza. "almejar", "ter em vista":
"Tenho próprio casal, e nele assisto ..." (Tomás Antônio Gonzaga) Visava à felicidade de todos.

......
242 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO
REGÊNCIA
10 243
Notu: Já vem sendo (Icei tu, por boa parte dos gru mát tcos, (\ ('OIlSIIII\'ao SI'II\ " Observações
prcposíçâo. 8 prcfcrfvcl, no entanto, seu emprego tradicional, como trnnsltivr:
1\\)O verbo preferir não aceita palavras ou expressões de intensidade,
Indireto.
nem do que ou que;
Prefiro mais o leite do que o vinho. (errado)
4, Perdoar e pagar Prefiro o leite ao vinho. (certo)
• Transitivos diretos, se o complemento é coisa:
Perdoei o equívoco. 211) Se não houver artigo no primeiro complemento, não pode haver
Pagamos o apartamento. no segundo:
Prefiro ginástica a atletismo. (e não ao atletismo)
• Transitivos indiretos, com a preposição a, se o complemento é pessoa:
Perdoei ao amigo. 311) É comum ocorrerem inversões:
Pagamos ao empregado. Prefiro ao sapato a sandália.
"Perdoa a este mísero, como perdoaste aos algozes." (Alexandre A sandália prefiro ao sapato.
Herculano) Ao sapato prefiro a sandália.

Observações 6. Proceder
1~) Podem aparecer com os dois complementos: • Intransitivo, com o sentido de "agir";
Perdoei o equívoco ao amigo. Ele procedeu bem.

2a) Com a preposição de, eles são apenas transitivos diretos: • Intransitivo, com o sentido de "justificar-se";
Perdoei o equívoco do amigo. Isso não procede.
obj. dir. • Intransitivo, com o sentido de "vir", "originar-se"; pede a preposição de:
3;1.) Veja o emprego especial do verbo pagar; A balsa procedia de Belém.
Paguei ao colégio. • Transitivo indireto, com a preposição a, com o sentido de "realizar", "dar
Paguei o colégio. andamento";
Na primeira frase, ao colégio é objeto indireto, porque colégio vale Ele procedeu ao inquérito.
por pessoa (jurídica); faz-se pagamento ao colégio. Na segunda, em
que o colégio é objeto direto, o sentido é de "quitar": comprou-se o 7. Implicar r
colégio e ele foi pago, quitado. • Transitivo direto quando significa "pressupor", "acarretar";
Sua atitude implicará modificações.
5. Preferir Amor implica respeito.
• Transitivo direto; • Transitivo indireto, regendo a preposição com, quando significa
Prefiro biscoitos. "demonstrar antipatia", "perturbar":
• Transitivo direto e indireto, com a preposição a: Sempre implicava com o vizinho.
Prefiro o estudo ao trabalho. • Transitivo direto e indireto, regendo a preposição em, quando significa
"envolver":
Implicaram o servidor no processo .

... ...........
244 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATOAQUINO
PORTUGUESA
CAPÍTULO 10 245
REGÊNCIA
11. Avisar, i 11100111UI, IHI'Vl'1 rt-rt ili("a r, dei \ I llir ar, pmihÍl
\ i 1', !l. lembrar, recordar: transitivos diretos:
Esqll('('('I',
Suo nnnualmcnrc transitivos diretos e indiretos, udmithulo duas Ele esqueceu o encontro.
('() IIS t rucóes: "Pessoa mais compassiva lembrou a conveniência de chamar ()
Avisei o gerente do problema. doutor." (Machado de Assis)
Avisei ao gerente o problema.

Observações
Observações 1a) Como pronominais (esquecer-se, lembrar-se, recordar-se), são
I") A pessoa pode ser objeto direto ou indireto, com a preposição a; a transitivos indiretos, com a preposição de:
coisa, igualmente, pode ser objeto direto ou indireto, com a Ele se esqueceu do encontro.
preposição de ou, mais raramente, sobre.
2a) Não sendo pronominais, deduz-se, não podem vir com preposição:
H.,) É comum o emprego dos pronomes oblíquos: Recordaram do passeio. (errado)
Informei-o do perigo, Recordaram o passeio. (certo)
Informei-lhe o perigo. Recordaram-se do passeio. (certo)
"Em todas as povoações o informavam de que o duque passara
3a) Lembrar e recordar podem ter dois objetos.
duas horas antes." (Camilo Castelo Branco)
Lembrei ao colega o dia do jogo.
"O garçom lhe informa que não servem cafezinho nas mesas, só
no balcão." (Fernando Sabino) 4Jl) Esses verbo admitem uma construção, considerada clássica, em
que a coisa esquecida, lembrada ou recordada aparece como sujeito
:1") Às vezes, um dos complementos é oracional (oração subordinada
da oração, enquanto a pessoa atua como objeto indireto. É estranho,
substantiva) :
eu sei, mas é isso mesmo que você leu:
Ele o avisou de que faltaria comida.
"Nunca me esqueceu o caso deste barbeiro ..." (Machado de Assis)
Objeto direto: o
o.i. sujeito
Objeto indireto: de que faltaria comida. (oração subordinada
substantiva objetiva indireta) Entenda-se: "Nunca esqueci o caso deste barbeiro", ou, como
querem alguns, "O caso deste barbeiro nunca me saiu da memória".
Ele lhe avisou que faltaria comida.
Objeto indireto: lhe
Objeto direto: que faltaria comida. (oração subordinada substantiva 10.Responder ,/
objetiva direta) • Transitivo direto, em relação à própria resposta dada:
4(1) Importantíssimo! Não podem aparecer dois objetos indiretos: Responderam que estavam bem.
Cientifiquei-lhe do ocorrido. (errado) • Transitivo indireto, em relação à coisa ou pessoa que recebe a resposta:
Cientifiquei-lhe de que haveria problemas. (errado) Respondi ao telegrama.
Corrigindo, teremos: Respondi à carta.
Cientifiquei-o do ocorrido. "Ela respondeu à saudação e encaminhou-se para o canto onde
Cientifiquei-lhe o ocorrido. estava o telefone público." (Stanislaw Ponte Preta)
Cientifiquei-o de que haveria problemas.
• Transitivo direto e indireto: responder alguma coisa a alguém:
Cíentiflquei-lhe que haveria problemas.
Respondemos aos parentes que iríamos.

246 GRAMÁTICA OBJETIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA


RENATO AQUINO
CAPÍTULO 10
REGÊNOA
247
:11.Chamar 'IU) l'opulartuente.r-onstrol-sc li frase da ~wgllilltc maneira: "O IIU'lIil\O

~ Transitivo direto com o sentido de "pedir a presença de", "fazer vir": custou lientender a explicação". Ela está errada, pois a pessoa IlÜ()

hamei-o ao colégio. pode ser o sujeito do verbo custar.


A mulher chamou o policial. 3") O emprego da preposição a com o infinitivo está caindo em desuso,
Chamamos um táxi. mas não pode ser tachada de errada:
• Transitivo indireto, regendo a preposição por, com o sentido de "invocar": Custou a todos os participantes a esclarecer a situação.
Chamou pela irmã. Custou a todos os participantes esclarecer a situação.
Chamou por todos os parentes.
Transitivo direto ou indireto, indiferentemente, com o sentido de • Transitivo direto e indireto, com o sentido de "exigir de":
"qualificar", "apelidar"; nesse caso, terá um predicativo do objeto (direto Teu progresso custou à família muitos sacrifícios.
ou indireto), introduzido ou não pela preposição de:
Chamei-o bobo. 13.Agradar
Chamei-o de bobo. • Transitivo direto, com o sentido de "fazer agrado", "fazer carinho":
Chamei-lhe bobo. Ela agradou o filho.
Chamei-lhe de bobo.
• Transitivo indireto, com a preposição a, com o sentido de "ser agradável":
Nota: A palavra bobo, nos dois primeiros exemplos, é predicativo do objeto O assunto não agradou ao homem.
tllrcto: nos dois últimos, predicativo do objeto indireto. Isso não lhe agradou.

ustar
14.Namorar: verbo transitivo direto; não aceita com:
Intransitivo, acompanhado de adjunto adverbial de preço ou valor:
Ela namorou o vizinho.
Os óculos custaram oitocentos reais.
~ Intransitivo, com o sentido de "demorar":
Custou, mas acabou encontrando. 15. Morar, residir, situar-se, estabelecer-se: pedem adjuntos adverbiais com
"Arranjou um noivo. Custou, mas acertou." (Machado de Assis) a preposição em, e não a:
Morava na Rua Dias da Cruz.
• Transitivo indireto, com a preposição a, significando "ser custoso", "ser Estabeleci-me na Avenida Passos.
difícil"; com esse sentido, estará seguido de um infinitivo, sendo a oração
deste o sujeito do verbo custar:
Custou ao menino entender a explicação. 16.Obedecer e desobedecer: transitivos indiretos, com a preposição a:
Sujeito: entender a explicação Obedeço ao comando.
Objeto indireto: ao menino Não desobedeçamos à lei.
Todos lhe obedeciam.

Observações
1'1) No exemplo dado, existem duas orações. A segunda (entender a 17.Pedir, implorar, suplicar, rogar: transitivos diretos e indiretos, com a
explicação) é o sujeito da primeira (Custou ao menino); portanto, preposição a (mais raramente, para):
trata-se de uma oração subordinada substantiva subjetiva. Pediu ao dirigente uma solução.
Supliquei ajuda ao mecânico .

.............. . .....
48 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA PORTlJGUESA
CAPÍTULO 10
REGÊNOA
249
RENATO AQUINO
Observuçóes • 'transitivo indireto, com a preposição a, significando "gostar":
I U) Às vezes suo apenas t ra nsitivos diretos: A mãe quer muito ao filho.
Pedimos uma resposta imediata. Ela lhe quer muito.
Implorou nova oportunidade. Nota: A frase ''Amãe quer muito o filho" significa que ela deseja a posse do
Rogou colaboração imediata. filho, ou mesmo ter o filho.
"'I) Com complemento oracional, s6 admitem a preposição para
quando existe a palavra licença (ou sinônimos), clara ou oculta: 21. Usufruir e desfrutar: transitivos diretos:
Ele pediu para o vendedor sair. (errado) Quero desfrutar a beleza da paisagem.
Ele pediu para que o vendedor saísse. (errado) Ele usufrui as férias com a família.
Ele pediu para sair. (certo: pediu licença para) Nota: Está errado o emprego da preposição de com esses verbos.
:~ll)Pedir, com sentido de "interceder", rege a preposição por, sendo
então transitivo indireto: 22. Renunciar: transitivo direto ou indireto, com a preposição a:
Pediu pelo companheiro de trabalho. Ele renunciou a coroa.
Ninguém pede por mim. Ele renunciou à coroa.
"Como cidadão nunca renunciarei um direito." (Almeida Garrett)
lI!. Deparar: transitivo direto ou indireto, com a preposição com: Nota: É mais usado, atualmente, como transitivo indireto.
Deparou uma pessoa petulante.
Deparou com uma pessoa petulante. 23. Favorecer: transitivo direto:
"E deparou logo com a história do profeta Elias ..." (Antônio Ele favoreceu o vizinho.
Callado)
Nota: Como pronominal, é transitivo indireto, regendo a preposição com: 24. Consistir: transitivo indireto, regendo a preposição em, e não de:
Ele deparou-se com o amigo à margem do caminho. Meu trabalho consiste em coisas agradáveis.

25. Constar
19.Atender
• Se o complemento é pessoa, pode ser transitivo direto ou indireto, com a • Transitivo indireto com a preposição em, e não de, quando significa "estar
registrado" :
preposição a:
O nome consta na lista.
Ele atendeu uma pessoa.
Ele atendeu a uma pessoa. • Transitivo indireto com a preposição de, quando significa "constituir-se":
O romance consta de trinta capítulos.
• Se o complemento é coisa, é transitivo indireto, com a preposição a:
Atenda ao telefone.
26. Referir: transitivo direto; significa "contar", "narrar":
Nota: Assim, fica errado dizer que alguém atendeu o telefone.
O passageiro referiu o ocorrido.

O.Querer
27. Referir-se: transitivo indireto, com a preposição a; significa "fazer alusão":
• Transitivo direto, significando "desejar":
O tenente referiu-se ao soldado.
Ele quer a verdade.

......
250 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUI NO
PORTUGUESA CAPÍTULO 10
251
REGÊNCIA
"li. (;I\('irar
:l~.Simpatizar e ant ipatizar sao transitivos ind i retos, com a preposlçãu (,()IlI.
• Transitivo direto, com o sentido de "tomar o cheiro de":
Importante: não podem ser pronominais:
A jovem cheirou as flores.
Sempre me simpatizei com Maria. (errado)
• Transitivo indireto, com o sentido de "exalar cheiro": Sempre simpatizei com Maria. (certo)
Desci as escada cheirando a bacalhau.
• Transitivo indireto, com o sentido de "ter aparência": 33. Suceder
Tudo aqui cheira a deboche. • Transitivo indireto, com o sentido de "vir após", "substituir"; exige a
preposição a:
Ele sucedeu ao pai na direção da empresa.
"~).I\nuir: transitivo indireto; rege as preposições a ou em:
Anuímos à solicitação da turma. • Transitivo indireto, corri o sentido de "acontecer"; rege as preposições a
"Seria da minha parte indesculpável temeridade anuir no ou com:
compromisso." (Rui Barbosa) Alguma coisa sucedeu a ele.
Isso não sucederá com você.
:1O.Apelar • Intransitivo, quando seguido de oração subjetiva, significando
• Recorrer: preposição para, e não a: "acontecer":
Apelou para o amigo, Sucede que não haverá outras oportunidades.
• Interpor recurso: preposição de:
É necessário apelar da sentença. 34. Parecer-se: transitivo indireto regendo as preposições com ou a:
A criança se parece muito com o avô.
:11.Servir A criança se parece muito ao avô.
• Transitivo direto, com o sentido de "pôr sobre a mesa" ou "estar a serviço": "Nunca se parecera com o pai senão quando se riu assim."
Servirei o almoço no terraço. (Camilo Castelo Branco)
Ele serve com alegria os seus vizinhos. Nota: Parecer, sem pronome, pode ser de ligação ou intransitivo:
• Transitivo indireto, regendo a preposição a, com o sentido de "prestar Sua atitude parece criancice.
serviços", "convir": Parece que vai chover.
O material não serve ao que precisamos fazer.
Isso não lhe serve. 35. Pisar: transitivo direto; evite-se a preposição em:
• Transitivo indireto, regendo a preposição em, com o sentido de "prestar Pisou o rabo do cachorro.
serviços militares": Não pise a grama, meu filho.
O jovem serviu na Marinha.
36. Gostar
• Transitivo indireto, regendo a preposição para, com o sentido de "ter
préstimo, utilidade": • Transitivo indireto, com o sentido de "estimar":
Este vidro serve para o fabrico de garrafas. Todos gostaram do projeto.

Nota: Há muitas discordâncias entre os estudiosos quanto à regência desse • Transitivo direto, significando "provar":
verbo. Tentamos uma simplificação, que pode ajudar no seu emprego. Ele acabou de gostar o café.

252 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA PORTUGUESA ......


RENATO AQUINO CAPÍTULO 10
REGÊNOA
253
. Obsta r 42.l\lIlur, estimar, abençoar, louvar, parabcn izar, detestar, odiar, adorar, visitar:
'ü nnsltivo direto ou indireto, regendo a preposiçao a, cou: () s('ntl(io dl' t ransíu vos diretos:
"servir de obstáculo": Estimo o colega.
Nada pode obstar o progresso. Adoro meu filho.
Nada pode obstar ao progresso. Visitou os avós.

Transitivo indireto, regendo a preposição a, com o sentido de "opor-se":


"Queremos obstar às votações cerradas do compêndio." Observações
(Almeida Garrett) lª) Todos esses verbos (e muitos outros) indicam algum tipo de
sentimento. Tais verbos são transitivos diretos, não pedindo a
11. Saber preposição a:
Transitivo direto, significando "ter conhecimento": Ela visitou ao noivo. (errado)
O aluno sabia a matéria. Ela visitou o noivo. (certo)

Transitivo indireto, significando "ter gosto de"; rege a preposição a: 2ª) Com algumas palavras, notadamente as de cunho religioso, pode
Isto sabe a carne assada. aparecer a preposição a. O complemento é objeto direto
preposicionado. Veja o capítulo sobre os termos da oração:
''Asternuras desta terra
Amo Deus.
Sabem sempre a pão e queijo." (Caldas Barbosa)
Objeto direto: Deus
lotu: seu complemento não vem determinado por artigo; por isso, no
uimeiro exemplo, não há o acento de crase. Amo aDeus.
Objeto direto preposicionado: a Deus
tI. Adentrar: transitivo direto. Evite-se a preposição em: 3'1) Por serem transitivos diretos, não admitem o lhe como
Adentramos o salão. complemento, mesmo que este esteja preposicionado. Não se pode
trocar a Deus, no exemplo anterior, por lhe: amo-lhe. Diga-se
O. Comparecer: transitivo indireto, regendo as preposições a ou em: sempre: Amo-o, estimo-o, adoro-o etc.
"Não pude comparecer à conferência de ontem." (Rui Barbosa)
Todos compareceram na reunião. Emprego de pronomes relativos
O pronome relativo, palavra que inicia as orações subordinadas
I. Ajudar, satisfazer, presidir, preceder, exceder: transitivos diretos ou adjetivas, pode estar antecedido de preposição. Isso depende do verbo da
indiretos, com a preposição a: oração adjetiva (às vezes, de um nome) e da função sintática do pronome
Satisfiz o regulamento. relativo:
Satisfiz ao regulamento. O homem a que me referi vai ajudar.
Osvaldo precedeu o irmão. O homem a quem me referi vai ajudar.
Osvaldo precedeu ao irmão. O homem ao qual me referi vai ajudar.
Não exceda o limite de velocidade. O homem a cujo problema me referi vai ajudar.
Não exceda ao limite de velocidade.
JOla: Exceder admite a preposição em, principalmente quando pronominal: Observações
Ele excedeu-se nas críticas.
1ª) Como o verbo referir-se pede a preposição a, ela fica antes do
pronome relativo, que é o seu complemento ou parte dele, caso da
palavra cujo .

. . .• . . .........
~54 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO
REGÊNCIA
10
255
"li) Os pronome n-laüvos que, quem l' () quul g('ralll\(~llh: p()d('1I1 M!I Observações
usados uns pelos outros, mas quem só pode ler unrecedcnt t' pessou IU) Eu c tu, nas frases do item I, estão empregados na função de sujeito.
l' tem de ser introduzido por preposição. Mim e ti, no item 2, na função de complementos. Ficam erradas
frases do tipo: "Deixe isso para mim fazer", "O recado era para tu" etc.
:lU) O pronome relativo cujo corresponde a um possessivo. Na frase do
exemplo, diz-se a cujo porque o verbo referir-se pede a preposi çao 211) Com preposições acidentais (exceto, menos, salvo etc.), empregam-
a. Note que se pode dizer "me refiro a seu problema", Veja abaixo se os pronomes eu e tu:
outro exemplo: Exceto eu, todos saíram.
Carlos, de cujo caráter não duvidamos, irá conosco. Os interessados estavam presentes, menos tu.
Ou seja: Não duvidamos de seu caráter.
Verbos que não admitem lhe
mprego de onde e aonde Os verbos transitivos indiretos abaixo, apesar de pedirem a preposição
usa-se onde com verbos que pedem a preposição em: a, não admitem lhe como complemento.
Onde está o material? L Assistir, com o sentido de "ver":
Onde fica o registro? Assistiu ao espetáculo.
Não sabemos onde deixaram as anotações. Assistiu-lhe. (errado)
lota: Os verbos estar, ficar e deixar pedem a preposição em. Dessa forma, Assistiu a ele. (certo)
su-se onde, que quer dizer "em algum lugar". Nota: Com os sentido de "dar assistência" e "caber", admite o lhe:
Assistimos ao doente.
Assistimos-lhe.
, Usa-se aonde com verbos que pedem a preposição a:
Não assiste ao chefe o direito de punir.
Aonde iremos amanhã?
Não lhe assiste o direito de punir.
Aonde você quer chegar?
Ignoro aonde ele irá.
lota: Os verbos ir e chegar pedem a preposição a. Por isso, emprega-se aonde, 2. Aspirar:
não onde. Aspiro à paz.
Aspiro-lhe. (errado)
Aspiro a ela. (certo)
tmprego de eu/mim, tu/ti
Usam-se os pronomes eu e tu na função de sujeito ou, mais raramente,
3. Visar:
predicativo:
Visava ao bem.
Deram-me o lápis para eu fazer anotações.
Visava-lhe. (errado)
Deixamos o caderno para tu assinares.
Visava a ele. (certo)
Usam-se os pronomes mim e ti como complementos ou adjuntos
adverbiais:
4. Aludir:
Aquilo era para mim.
Aludi ao funcionário.
Todos gostam de ti.
Aludi-lhe. (errado)
Aludi a ele. (certo)

.............. ......
~56 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA
CAPÍTULO 10
REGÊNOA
257
• Anuir: Às vezes, () lermo rcgldo é adjunto adnorninal, igualmente introduzido
Anuiu ao pedido. por preposição.
Anuiu-lhe. (errado)
Tem uma casa de madeira.
Anuiu a ele. (certo)
Termo regente: casa
Termo regido: de madeira (adjunto adnominal)
Proceder:
Procedeu ao interrogatório.
Procedeu-lhe. (errado) Regência de alguns nomes
Procedeu a ele. (certo) 1. Acostumado a ou com:
Estou acostumado ao trabalho .
. Presidir: Fiquei acostumado com o barulho.
Presidimos à reunião.
Presidimos-lhe. (errado) 2. Alheio a:
Presidimos a ela. (certo) Vivia alheio a tudo.

Observações finais 3. Amigo de:


I.") Verbo transitivo indireto não vai para a voz passiva, com exceção Sempre foi amigo de todos.
de obedecer, desobedecer e responder:
O filme foi assistido pela família. (errado) 4. Apaixonado de ou por:
A família assistiu ao filme. (certo) Era um apaixonado da natureza.
2.") Deve-se evitar a contração da preposição com o artigo que integra Estava apaixonada pelo colega de trabalho.
o sujeito, bem como com o pronome que constitui o próprio sujeito.
Alguns gramáticos, no entanto, aceitam a contração: 5. Ansioso por, para ou de:
Chegou a hora do menino brincar. (errado) Está ansioso por nova oportunidade.
Chegou a hora de o menino brincar. (certo) Permanece ansioso para falar.
É a chance dele progredir. (errado) Estava ansiosa de ver o cometa.
É a chance de ele progredir. (certo)

3. a) Não se atribui a mesma preposição a verbos de regência diferente: 6. Aptidão para:


Encontrei e obedeci ao avô. (errado) Sempre teve aptidão para as artes.
Encontrei o avô e obedeci-lhe.
7. Apto a ou para:
Sentia-se apto ao trabalho externo.
f{EGÊNCIA NOMINAL Considero-o apto para exercer a profissão.
Existem substantivos, adjetivos e advérbios que pedem complementos.
\ () que se conhece como complemento nominal, termo introduzido por 8. Assíduo / assiduidade a ou em:
ircposição: O garoto é assíduo ao estudo
Ele é útil à comunidade. Paulo é assíduo no escritório.
Termo regente: útil. Queremos assiduidade aos cursos.
Termo regido: à comunidade (complemento nominal) Está faltando assiduidade nos encontros .
............. .
258 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO 10
259
REGÊNOA
ASH~dl() de: iu. Cukludoso COI1\, em ou de:
Recebeu o assédio ele toda a turma. Sejamos cuidadosos com nossas crianças.
cuidadoso em tudo que precisa fazer.
. Atribuído a: Se ele é cuidadoso de ti, com certeza te ama .
O prêmio foi atribuído ao funcionário mais antigo.
20. Desejo J desejoso de:
I. Busca de: O desejo de felicidade é legítimo.
Estamos em busca de um mundo mais justo. Parecia desejoso de encontrar os parentes.

, -rteza de ou em: 21. Desencanto por:


O atleta tinha certeza da vitória. Já experimentava desencanto pelo cargo.
Não existe certeza nas coisas materiais.
22. Encanto para ou por:
~1.Certo de, em ou para: A montanha é um encanto para meus olhos.
Estava certo da absolvição. Tem verdadeiro encanto por turismo.
Ele é certo no que faz.
Minha mãe tem a mão certa para o plantio. 23. Entendido em:
Era entendido em construção naval .
. Confiança em, de ou para:
Não há confiança em teu projeto. 24. Envolvido em, por ou com:
Teve a confiança de me dizer isso. Convoquei os envolvidos no problema.
Ela não tem confiança para agir de outra forma. Senti-me envolvido por um clima de fraternidade.
Estava envolvido com a vendedora .
.). Confiante em:
Continuava confiante em um futuro melhor. 25. Envolvimento em ou com:
Tenho confiança em Deus. Não tenho envolvimento nesse negócio.
Não tive qualquer envolvimento com ela.
G.Conforme a, com ou em:
Assumiu uma postura conforme às suas raízes. (semelhante) 26. Escasso J escassez de:
Essa atitude é mais conforme com seus ideais. (coerente) A jovem era escassa de vaidades.
Não estavam conformes naquela discussão. (de acordo) Havia grande escassez de alimentos.

27. Estranho a:
ompatível com:
É algo estranho ao regulamento.
A orientação dada não é compatível com a filosofia da empresa.

28. Estudioso de:


111. Contemporâneo de:
O jornalista é estudioso de ufologia.
Ele foi contemporâneo de Castro Alves .

. . . . . . .. . . .. . .
.60 GRAMÁTICA OBJETIVA OA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO 10
REGÊNOA
261
'!), I)xnllH' til': .\fl. IdOl1t íco a:

Procedeu ao exame do material coletado. Uma coisa é idêntica à outra.

10.lavorável I favoravelmente a: 39. Incluído em ou entre:


Ele é favorável a que se tomem novas medidas. Foi incluído no grupo.
Agirei favoravelmente a seu caso. Estava incluído entre os mais capacitados.

II.Felicidade de ou em: unto aou de:


A felicidade do povo pode ser alcançada. Ficaram junto à garagem.
Deseja felicidade no casamento. Fiquei junto de todos.

12. feliz com, de, em, para ou por:


41. Leigo em:
Estou feliz com você.
Nunca fui leigo em pintura.
Ele disse que é feliz de estar aqui.
Você é feliz em tudo.
Que a vida seja feliz para todos. 42. Limite a ou de:
Era feliz por viver no Sul. Não há limites ao artista.
Reconheçamos os limites da nossa inteligência.
1:1.l-clizmente para:
Felizmente para todos, o fogo foi logo apagado. QMedo de ou a:
V O menino tem medo do escuro.
1\. Graduação I graduado em: Tive medo ao inspetor.
Festejou sua graduação em Matemática.
Eduardo é graduado em Letras
."
44. (Morador em ou de:
Nessa época, era morador na Rua do Lavradio.
:15. Grato a, para ou por: Foi morador da Rua Santa Clara.
Sou grato a todos neste dia especial.
Sua ajuda é sempre grata para mim. bediente I obediência a:
Mostrou-se grato pelo que lhe apresentaram. Sempre fui obediente às leis.
Tenha obediência aos mais velhos.
abituado a ou com:
O monge está habituado ao silêncio. arecido com ou a:
É um homem habituado com os livros. Era parecido com o avô.
Sendo parecido ao pai, foi aceito logo.
:17.} Tumilde com ou de:
Sejamos humildes com nossos filhos. erito em:
Sinto-me humilde de ser brasileiro. Era perito em construções .

.............. 263
262 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO 10
REGÊNCIA
11.PerlllanCncia em, junto de (ou [I): 5G.Sedento de ou por:
Já é longa a sua pcrmanõncia na firma. Ele é sedento de justiça .
.A permanência junto do amigo foi sua salvaçao. Mostrou-se sedento por cultura.

H. Permissão de ou para: 57. Semelhante a ou em:


Não tive permissão de pesquisar o assunto. O citrino é semelhante ao topázio.
Pediu ao chefe permissão para sair cedo. Eles são semelhantes na forma.

)().\Próximo a ou de: 58. Sensibilidade a, de ou por:


Fiquei próximo ao muro. Tem muita sensibilidade às radiações.
Deixamos o carro próximo da árvore. Destaque-se, aqui, a sensibilidade do artista.
Demonstrava sensibilidade pelo sofrimento dos outros.
li. Queixa de, contra, sobre ou quanto a:
Não tenho queixa de ninguém. ensível a ou para:
Não há queixas contra sua conduta. Sua pele é sensível à luz.
Só havia uma queixa sobre nossa participação. A mudança foi sensível para todos.
Fizeram queixa quanto à posição extremista do chefe.
60. Severo com, para com ou em:
12. Referência / referente / referentemente a: Fui severo com meu filho.
Não há referência alguma a seu trabalho. Era severo para com todos.
É um acordo referente ao ano passado. Você é severo em todos os assuntos.
Foi infeliz referentemente a meu caso.
61. Sito / situado em:
Tem um escritório sito na Av.das Américas.
53. Residente em ou de: Visitei um apartamento situado em uma rua arborizada.
Fui residente na Rua das Flores.
Ele é residente de um bairro tranqüilo.
til / utilidade a, para ou em:
O cientista é útil à coletividade.
54. Respeito a, de ou por: Sejamos úteis para todos.
Há muito respeito a você. Ele é útil no serviço.
Quero o respeito dos colegas. Compre o que terá mais utilidade ao dia-a-dia
Não tinha respeito por ninguém. Descobri uma utilidade para aquele estojo.
Não há utilidade em se discutir.

55. Rico / riqueza de ou em:


Somos ricos de amor. 63. Versado em:
Quero ser rico em cultura. Era versado em política.
Que riqueza de detalhes!
O trabalho tem riqueza em abonações. 64. Vizinho a ou de:
É um bairro vizinho ao meu.
Sou vizinho de seu professor .
.. ............
264 GRAMÁTICA OBJETIVA DA ÚNGUA
RENATO AQUINO
PORTUGUESA CAPÍTULO 10
REGÊNOA
265