Você está na página 1de 92

Ele precisa de alguém para ser sua noiva falsa.

Eu preciso do dinheiro que


ele está disposto a pagar.
É um ajuste perfeito. Tudo o que tenho que fazer é sorrir e fingir que eu
poderia me apaixonar por um homem frio e calculista como ele.
Tudo estava indo como planejado... Até que ele entrou em mim enquanto
eu estava experimentando o meu vestido de noiva. Esse foi o momento
em que ele olhou para mim com algo diferente em seus olhos. Algo que
dizia que eu era mais do que apenas uma maneira de ele conseguir sua
herança.
Ele não deveria ter me beijado.
Eu não deveria ter beijado ele de volta. Definitivamente não deveria ter
dormido com ele.
Agora, posso tentar mentir para a família dele... Mas não posso mentir
para mim mesma.
O casamento é falso.
Mas meus sentimentos por ele não são.
Eu deveria estar pesquisando os anúncios de emprego, já que o aluguel devido
vence mais rápido do que a minha conta bancária pode acompanhar, mas tudo para o
qual eu me qualifico é degradante ou não paga o suficiente. Quando a coisa mais
promissora que posso encontrar é como um, mascote em uma lanchonete, decido dar
um descanso à minha busca e, em vez disso, folheio revistas de viagem. Um dia eu irei
para a Grécia. É a missão da minha vida. Eu não me importo com o tipo de trabalho
necessário para chegar lá. Eu vou fazer isso - mesmo que isso signifique dançar em uma
fantasia de hambúrguer na rua principal.
Mandi, minha colega de quarto e melhor amiga, entra e se senta no sofá ao meu
lado. Ela parece desgastada e olha para a tela de TV em branco com a testa franzida.
Nós somos amigas a maior parte de nossas vidas e, surpreendentemente, ainda
somos amigas depois de ficarmos juntas por um ano. Ela é o pior quando se trata de
limpar para si mesma, então eu faço isso por ela. O que é um comércio justo,
considerando que ela ganha mais dinheiro do que eu e pega a minha folga quando eu
não posso puxar o meu peso com as contas. O mais estranho é que eu nem sei
exatamente o que ela faz para viver. Seja o que for, ela sempre tem dinheiro. Muito
disso. Eu perguntei, mas ela sempre consegue contornar a resposta. Meu palpite seria
despojado. No ano passado, ela recebeu implantes de mama e bumbum, seus lábios
feitos, e extensões de cabelo.
Cada vez que ela faz uma nova melhora, pergunto por que, e ela sempre diz: "É
para o trabalho."
Que outro tipo de trabalho requer esse tipo de manutenção?
Eu não empurro, ela por respostas porque A-Não é da minha conta e B-Eu não
quero que ela se sinta envergonhada.
"O que há de errado?" Eu pergunto, quando ela continua a se sentar lá sem dizer
nada.
"Oh, apenas coisas de trabalho."
Eu levanto as sobrancelhas como se dissesse: "É tudo o que você vai me dar?"
"Bem. Se você quiser falar sobre isso, você sabe onde me encontrar,” eu digo e
me levanto para ir ao meu quarto.
"Espere, Sylph."
Eu paro e viro para encará-la. Ela parece preocupada.
"O que foi?" Eu pergunto.
"Eu preciso de um grande favor."
Eu lentamente ando de volta para ela e sento no sofá. O tom de sua voz me diz
que talvez não goste do que ela precisa perguntar.
“Com o que?”
“Coisas de trabalho.”
Minhas sobrancelhas se levantam. Ela finalmente vai revelar o que ela faz para
viver? Uma mecha de nervosismo envolve meu estômago. Se eu estiver certa, e ela está
perdendo dinheiro, com o que ela poderia precisar da minha ajuda? Eu certamente não
tenho os ativos que ela tem. Eu mal encho meu sutiã médio, minha bunda é bonita, mas
pequena. Eu não sou exatamente construída para os tipos de coisas que temo que ela
possa me pedir para fazer.
"Que tipo de coisas de trabalho?" Eu pergunto hesitante.
Ela se encolhe e agora estou com medo. "O tipo em que você finge ser casado
com alguém."
Eu apenas sento aqui, piscando, imaginando se a ouvi direito.
"Você quer que eu finja casar com alguém..." Eu testo as palavras para ver se
elas fazem sentido quando eu as digo em voz alta versus a maneira como soa na minha
cabeça "…por dinheiro."
Isso é uma coisa? Eu nunca ouvi falar disso antes e não posso acreditar que
Mandi tenha guardado de mim todo esse tempo.
Mandi encolhe os ombros. “Fácil, certo? E o pagamento é bom.”
Só pensar em casamento, fingir ou não, me enche de ansiedade. Eu fui casada
antes, quando tinha dezoito anos. Divorciada quando eu tinha dezenove anos. Deixou
um gosto ruim na minha boca e eu nunca mais quero passar por algo assim novamente.
"Me, desculpe Mandi, eu não posso."
Eu começo a ficar de pé, mas ela agarra meu braço, seus olhos implorando. Eu
nunca a vi desesperada assim antes.
"Eu sei que parece loucura, e eu nunca pediria para você fazer algo tão bizarro se
eu não estivesse absolutamente desesperada."
"Este é o seu trabalho, fingindo casar com as pessoas?"
“Acredite ou não, é um negócio de alta procura. E dez mil dólares por semana
não são mal pagos.”
Eu engasgo com nada. Não há literalmente nada na minha boca e ainda assim
parece que eu engoli um quebra-queixo. “Dez mil por semana? Isso é o que esses
homens pagam a você?”
Todas as coisas que eu poderia fazer com dez mil por semana passam pela
minha cabeça. Principalmente imagens da Grécia surgem, mas há outras coisas também,
como aluguel, e minha conta de telefone e comida. Eu imagino dias livres de estresse
descansando no sofá, em vez de procurar emprego. Eu posso alongar 10 mil o tempo
suficiente para descobrir o que vou fazer da minha vida.
"Quanto tempo duram os trabalhos?" Pergunto.
"Algumas semanas, geralmente."
Algumas semanas. Mais uma vez, minha cabeça está inundada de imagens de
mais dinheiro e menos problemas. Quão difícil seria fingir se casar com alguém, a
menos que...
"Você tem que dormir com esses homens?"
"Deus não. Eu não sou uma prostituta. Tudo o que você teria que fazer é se
encontrar com o cara, criar um plano sobre sua história juntos, conhecer a família ou as
pessoas que ele está tentando impressionar ou tirar das costas, fazer uma cerimônia para
fazer as pessoas felizes, então quando o cliente está pronto para sair do casamento, você
se separa com um cheque gordo na mão.”
"Eu acho que isso parece fácil," eu digo.
Talvez seja muito fácil. O cara é provavelmente um ogro. Qualquer um que
tenha que pagar alguém para fingir ser sua noiva deve precisar de uma bolsa na cabeça
para transar, mas eu suponho que isso não importa. Eu não tenho que dormir com ele.
Tudo o que tenho que fazer é fingir ser sua noiva e ser bem paga em algumas semanas
do que em um ano todo.
"Eu estou dentro," eu digo.
Embora o dinheiro pareça incrível, ainda sou cética. Parece bom demais para ser
verdade. Mandi grita e envolve seus braços em volta do meu pescoço em um abraço de
esmagar os ossos.
"Muito obrigado. Você está salvando minha pele.”
Mandi repassa as informações do cliente comigo. Heath Starre é um herdeiro
bilionário de uma grande empresa internacional de desenvolvimento imobiliário. Ele
nunca foi casado, nunca teve uma namorada de verdade de qualquer tipo. Aposto que
ele se parece com Lorde Farquaad do Shrek: baixinho, tão peludo que ele seria baleado
na floresta durante a temporada de caça, e provavelmente um idiota honesto de Deus
também. Pessoas com esse tipo de dinheiro não precisam ser boas. Tudo o que tem que
fazer é acenar algumas notas e as pessoas farão o que quiserem. Eu já posso imaginar o
tipo de show de merda em que estou me metendo. Eu só tenho que manter meu olho no
prêmio. Eu preciso desse dinheiro. Faça isso pela Grécia, Sylph.
"Você está pronta para isso?" Mandi pergunta.
Eu dou de ombros. Que escolha eu tenho? As minhas perspectivas de emprego
são basicamente nada e estou me afogando em dívidas. E se eu não tomo cuidado, vou
me encontrar sem lar ou, pior ainda, na casa dos meus pais.
"Pronta como eu sempre estarei."
"Bom. Vou marcar uma reunião para você no escritório dele. Ele examinará os
detalhes do histórico de seu relacionamento e das coisas que ele precisa que você faça
daqui para frente.” Ela parece muito mais animada com isso do que eu sinto.
"Ok." Eu levanto meus ombros e respiro fundo. "Vamos fazer isso."
Eu olho para o meu relógio novamente. Estou surpreendentemente nervoso em
conhecer a mulher que contratei para ser minha esposa fictícia. Seu nome é Sylph. É um
nome, diferente.
Eu não sei se já ouvi algo parecido antes. Eu gostaria de saber mais sobre ela
entrando nisso, já que vou ter que passar várias semanas com ela - ou mais, dependendo
de quanto tempo minha família decidir ficar na cidade.
Eu não posso deixar de me perguntar como ela é. Provavelmente plástica.
Grandes seios falsos, cabelos descoloridos, muita maquiagem, muita cirurgia. Talvez eu
esteja sendo muito duro ou crítico sobre a aparência dela, mas é exatamente isso que eu
imagino que uma garota de aluguel seria. Isso pode ser o que a maioria dos homens em
minha situação financeira prefere - um modelo de roupa de banho com sede de coisas
boas da vida - mas não é isso que me interessa.
Essas tendem a ser os tipos de mulheres que se jogam em mim a qualquer
momento. Eu não posso ir ao ginásio ou jantar com potenciais clientes sem as mulheres
empurrarem seus números nos meus bolsos.
Esse não é o tipo de mulher que eu sonharia em chamar minha esposa. Eu quero
alguém que esteja com o pé no chão, com quem eu possa ter conversas reais, que veja
mais do que uma conta bancária quando ela olha para mim. Eu estou começando a
pensar que talvez uma mulher assim não exista.
Talvez tenha sido uma má idéia contratar alguém para fingir ser minha esposa.
Eu tive a idéia através de um amigo meu que contratou uma menina porque sua avó
moribunda queria vê-lo feliz e casado antes de ela passar pro outro lado.
Ele disse que o processo foi fácil e que a garota era confiável. Mas ela será uma
boa atriz para enganar minha família?
Por natureza, meu irmão e minha irmã - gêmeos dois anos mais novos que eu -
são desconfiados. Nenhum deles tem empregos reais e não contribuem com um minuto
para o negócio da família, mas estão muito preocupados com o dinheiro.
Sempre que tive namoradas no passado, os gêmeos são sempre os primeiros a
interrogá-la. Eu acho que é uma coisa boa porque eles são como cães de caça e tem um
jeito para farejar garimpeiras.
Mas eu sei que eles não fazem isso com a bondade de seus corações ou para se
certificar de que seu irmão mais velho não está sendo enganado. Eles estão preocupados
comigo se casando sem um acordo pré-nupcial e perder metade da minha fortuna para
uma ex.
Eu sou o herdeiro do império de meu pai e quando ele morrer, eu ficarei
encarregado de seus subsídios e eles querem ter certeza de que ninguém mexa com isso.
Endireito os papéis na minha mesa, verifico minha gravata pela décima vez.
Quando olho meu relógio de novo, são exatamente dez.
Eu respiro fundo.
Está na hora.
O homem sentado atrás da mesa não é quem eu estou esperando. Não pode ser
ele, mas esse é o escritório para o qual a secretária me levou.
"Oi..." eu digo timidamente quando eu entro na sala imaculada. É um espaço
cinza austero com algumas prateleiras com livros sobre eles. Uma das paredes é uma
grande impressão azul. Tudo é moderno e elegante, feito com diferentes metais e
madeiras. Eu me sinto mal vestida com minha camiseta e jeans. "Estou procurando por
Heath Starre. Acho que a secretária pode ter me mandado para o escritório errado.”
O homem atrás da mesa olha para mim. Seus olhos azuis atravessam as sombras
sob sua testa profunda. Suas feições são muito bonitas, um queixo de corte de navalha,
nariz reto, maçãs do rosto salientes. É o rosto de um semideus, uma réplica de Aquiles
cortada de mármore. Quando ele se levanta, eu tenho que olhar para cima para encontrar
seu olhar. Eu duvido que o topo da minha cabeça, chegasse até os ombros dele se eu
estivesse bem na frente dele. Ele está vestindo um terno cinza imaculado com uma
gravata azul que faz seus olhos azuis se destacarem ainda mais. Mesmo que ele
estivesse sentado, não há um único vinco em seu terno.
Quanto mais eu olho para ele, as coisas mais intrigantes que eu acho sobre o seu
rosto, como a pequena covinha no queixo, e a cicatriz na sobrancelha direita a corta ao
meio. O cabelo dele é escuro e penteado para trás, não há um único fio fora do lugar. Eu
nunca pensei em homens de ternos sendo atraentes. Eu sempre preferi um homem mais
robusto, eu acho. Poderia ser porque é isso que eu estou acostumada. Não havia muitos
homens de negócios bilionários onde cresci. Mas droga, esse homem usa bem esse terno
e ele pode muito bem ser o homem mais sexy que eu já vi.
"Eu sou Heath, e você está atrasada," diz ele.
Estou surpresa com a brevidade de suas palavras, embora eu não saiba por que
estou tão surpresa. Ele é tão nítido e polido, faz sentido que sua personalidade seja a
mesma.
"Eu estou?" Eu olho para a tela do meu telefone. "São apenas dez e cinco."
"Nosso encontro era às dez."
Eu o observo cuidadosamente para tentar descobrir se ele está brincando. Ele
não está.
“Nos negócios, você está no horário ou está atrasado. Metade do tempo você
está atrasado quando está na hora. É sempre melhor chegar cedo," diz ele.
Eu me pergunto se esse pau na sua bunda é feito de platina ou ouro.
“Oh. Eu sinto Muito. Eu só trabalhei em lanchonete. Se você está atrasado, você
ainda está lá antes de seu chefe.” Eu sorrio e tento aliviar o clima. Isso não está indo
como eu esperava. Eu estava esperando que ele fosse um ogro horrível e é por isso que
ele precisava pagar por uma noiva. Agora eu vejo que é apenas a personalidade dele que
o mantém solteiro - definitivamente não é a sua aparência porque ele é lindo.
Eu limpo minha garganta quando ele pressiona seus lábios juntos, indiferente à
minha tentativa de humor. Ele provavelmente nunca trabalhou em um restaurante de
fast food e, portanto, não entenderia.
“O ônibus estava atrasado esta manhã. Normalmente está na hora. Isso não vai
acontecer de novo,” eu digo.
"Você não tem carro?"
“Hum, está na oficina. Isso irá ser um problema?"
Meu carro já está consertado há uma semana, mas eu não consegui pagar o
mecânico, então ele está mantendo-o como refém até que eu possa conseguir o dinheiro.
Eu estava planejando vendê-lo assim que conseguisse de volta, porque seguro e
gasolina são apenas mais contas que eu não posso pagar.
"Vou providenciar o seu transporte," diz Heath.
“Ou eu poderia pegar o trem em vez disso. É na mesma rua do meu apartamento
e nunca saí tarde.”
Eu o teria tomado, mas tem esse cheiro, uma mistura de odor corporal e
armadilhas de gordura que penetra em suas roupas e é impossível sair. Eu não queria
atrapalhar a nossa primeira reunião - eu estava guardando isso para a terceira e quarta
reunião, quando seria tarde demais para ele desistir.
"Não," diz ele. "Quando formos públicos com nosso relacionamento, não quero
que ninguém a veja em transporte público. Eu tenho, uma certa imagem para defender.”
Uau, que esnobe. Eu me pergunto se ele percebe o quanto isso é insultante para
mim. Eu estou supondo pela forma como sua expressão não muda, ele não sabe. Ah
bem. Ele está pagando. Eu realmente não me importo se ele não acha que eu sou boa o
suficiente para sua preciosa imagem.
Ele alcança atrás de sua mesa em um arquivo e pega uma pasta do tamanho de
um livro de texto.
“Eu compilei os detalhes do nosso relacionamento. Esta é nossa história juntos.
Precisamos passar por algumas coisas.”
"Você quer que eu me lembre de tudo nesta pasta?"
"Sim."
Sério? Eu sei que tenho um olhar ferido no meu rosto, e eu sei através da minha
história rochosa na escola que aprender tudo nessa pasta vai ser quase impossível para
mim, mas eu aceno de qualquer jeito e continuo repetindo 'dez mil' na minha cabeça, e
mais para me confortar. Quando Mandi me disse que tinha um emprego para mim e
depois me disse qual seria esse trabalho, parecia tão fácil. Apenas jogando fingir. Como
quando eu era criança brincando de “casa,” e havia a esposa e o marido (geralmente um
garoto vizinho) e então podíamos ser chamados para jantar e seguir nossos caminhos
separados. Quão difícil isso poderia ser? Mas agora parece que realmente funciona, e
vou ter que ganhar cada centavo desse dinheiro.
Ele desliza a pasta para mim. Eu pego e folheio as páginas. Ele me observa
atentamente enquanto eu examino os detalhes. Isso vai ser mais difícil do que eu
pensava. Tudo aqui é exótico e tão além da minha experiência de vida que eu não
saberia o primeiro passo em como fazer o papel dessa garota que ele quer que eu seja.
Ao virar as páginas, vejo palavras como Cabo San Lucas, Carmel (não deve ser
confundido com caramelo, que eu estou muito familiarizada), Veneza, e todos esses
outros lugares dos quais eu ouvi falar, mas nunca estive. Eu vislumbro uma página
mencionando um colar da Tiffany que ele trouxe como um presente para mim, e como
fomos mergulhar nos arquipélagos de Con Son, no Vietnã, e como ele me propôs em
uma fodida geleira perto de Juneau, no Alasca. Que porra é esta vida?
Eu sinto como se pudesse vomitar. De acordo com isso nos encontramos em
Belize em um restaurante cinco, estrelas que eu não sei pronunciar. Nós olhamos um
para o outro e foi amor à primeira vista. Na mesma noite em que nos encontramos, ele
me levou em seu jatinho particular para Quebec, no Canadá, onde comemos comida
estranha e exótica e fizemos amor todas as noites. Eu realmente espero que isso seja
apenas parte dessa história e não algo que eu deveria contar para a família dele. Não
tenho como falar da minha vida sexual com os pais de alguém, mesmo que seja uma
vida sexual falsa.
Diz aqui que sou assistente de um grande designer de moda (ele tem um amigo
que vai responder por isso se as perguntas forem feitas) e aproveitar as coisas boas da
vida. O único problema com isso é que eu nem sei quais são as melhores coisas da vida
para ele. Eu sei o que isso significa para mim: usando um batom na loja Sephora de vez
em quando, em vez de usar a farmácia Walgreens, onde eu costumo comprar minha
maquiagem, e celebrando no bar Trujillo em ocasiões especiais com uma margarita de
12 doláres. Tenho a sensação de que nossa definição de "coisas melhores" é um mundo
à parte. Eu sou uma garota simples de uma cidade simples no norte da Califórnia, onde
minha família criou ovelhas em uma fazenda e passei minha infância descalça em casas
na árvore.
Lamentavelmente, eu coloquei a pasta para baixo. "Eu não acho que vou
conseguir fazer esse trabalho, me desculpe."
Seus olhos se estreitam. "Por que não?"
"Eu não sei como ser essa garota." Eu aponto para a pasta. "Eu nunca saí da
Califórnia."
Ele se inclina para frente, juntando as mãos. Deus, ele é lindo. É quase
desconfortável estar tão perto dele. Eu sinto o mesmo em museus e galerias de arte,
como se eu pudesse manchar a perfeição de uma pintura ao ficar perto dela.
“Será impossível para mim encontrar outra garota em curto prazo. Eu sou um
homem de negócios, sei negociar. Então, vamos criar uma história juntos com a qual
ambos possamos nos satisfazer. Como você acha que nosso primeiro encontro pode ter
sido?”
Para eu até fingir casar com alguém, nosso passado teria que ser romântico. Não
foi como o meu primeiro marido. Fomos jogados juntos por amigos em comum em um
encontro às cegas e tivemos algumas coisas em comum. Eu não acho que ele era tão
bonito quando o conheci - definitivamente não foi amor à primeira vista, ou mesmo,
bem, ele é meio fofo à primeira vista. Na realidade, eu não gostei da maneira que ele
olhou. Ele era alguns centímetros mais baixo que eu. Ele mastigava tabaco, então seus
dentes estavam manchados e suas gengivas estavam recuando, fazendo com que seus
dentes parecessem longos demais. Havia algo de falso em seu sorriso, o modo como
nunca alcançava seus olhos. Eu deveria saber que algo estava acontecendo com sua
personalidade durante nosso primeiro encontro, quando ele continuou reclamando sobre
sua comida e mandando-a de volta para a cozinha. Como ele falou com a nossa
garçonete, em seguida, deixou apenas um centavo por uma dica depois de ameaçar não
pagar a conta.
Naquela época eu achava que ele era um perfeccionista, e que um homem assim
faz as coisas acontecerem. Eu pensei que um homem assim seria um bom provedor. Eu
estava errada. No curto ano em que nos casamos, ele foi demitido de três empregos e
desenvolveu um problema com a bebida.
"Bem," eu digo, tentando pensar em um cenário que era plausível e romântico,
"suponho que seu trabalho é estressante, então um dia você decide dar um passeio no
parque para relaxar." Ele se inclina para trás em sua cadeira, braços cruzados na frente
dele enquanto escuta.
Eu continuo. “E eu também estava no parque. Eu estava sentada ajudando um
amigo e estava andando com os seus cães indisciplinados quando um deles se soltou.
Você, vendo alguém em perigo, conseguiu agarrar o cocker spaniel e trazê-lo de volta
para mim. Eu pago sua gentileza comprando-lhe um cachorro-quente em uma carroça, e
acabamos conversando a noite toda sob as estrelas.”
Eu posso ouvir o capricho na minha voz. Mesmo que o casamento seja a pior
coisa que já aconteceu comigo, eu não sou imune ao romance.
Heath sorri e, quando o faz, muda tudo em seu rosto. É brilhante e quente, e a
coisa mais linda que eu já vi. Seu comportamento duro começa a desmoronar e há
realmente um humano lá embaixo em algum lugar. Meu pescoço fica quente e tenho
certeza de que estou corando. Eu me pergunto se ele tem alguma idéia do tipo de poder
que o sorriso possui. Tenho certeza que ele faz. Eu imagino que um homem como ele
provavelmente tenha seu quinhão de amantes.
De repente estou me imaginando como uma delas, esparramada nua em alguma
cama ridiculamente cara, deixando-o ter o seu caminho comigo. Eu imagino aqueles
belos lábios cheios contra os meus, aquele corpo duro pressionado contra mim...
Eu balancei minha cabeça para limpar esses pensamentos. O aquecedor está
funcionando aqui? Estou começando a suar. Eu preciso ficar focada. Este é um trabalho,
não o site Match.com.
Esse cara é perfeito. Por que ele precisa contratar alguém? A coisa toda é um
mistério para mim e me faz querer conhecê-lo melhor.
"Há alguns buracos nessa história," diz ele. "Realmente, como o que?"
“Para começar, eu nunca comeria comida de um carrinho.”
"O quê?" Eu digo horrorizado. “Você não vive até ter um cachorro-quente em
um carrinho. O quê mais?"
“Nem eu perseguiria cães, nem estaria no parque. Embora, sim, meu trabalho
possa ser estressante, todo mundo sabe. Eu prospero em um desafio e nunca deixo nada
chegar a mim.”
"Ranzinza, você gosta de ar fresco."
Ele concorda. "Eu faço."
“Então você saiu para tomar ar fresco. E tenho a sensação de que se você visse
alguém em perigo, você os ajudaria. Mesmo se envolvesse perseguir cachorros.”
A pele esticada ao redor de seus olhos suaviza e ele solta um suspiro divertido,
mas não confirma nem nega. Eu sei que estou certa. Mesmo através de seu
comportamento duro, seus olhos são gentis. Há algo de amável nele. Olhos não
mentem. É tudo o mais em um homem que mostra. Essa é a única coisa que meu ex
nunca teve: olhos gentis. Às vezes suas palavras eram tão doces quanto, massa de
biscoito, mas sempre havia algo malicioso sobre a maneira como ele olhava para mim,
mesmo quando estávamos no nosso melhor.
"Você está ocupado?" Pergunto a Heath.
"Sim, nós estamos tendo uma reunião."
“Essa reunião pode ser movida para fora?” Pergunto.
Ele hesita, mas parece curioso demais para dizer não. "Eu suponho que estaria
tudo bem."
"Vamos," eu digo.
Para minha surpresa, ele me segue. Ele parece o tipo de cara que nunca se desvia
de um cronograma, mas aqui estamos nós.
À medida que caminhamos por diferentes escritórios e mesas, as pessoas
inclinam a cabeça para olhar para nós e parecem muito curiosas sobre a minha presença.
No entanto, tenho certeza de que ele tem muita ação - quero dizer, olhe para ele, ele é
maravilhoso! - Talvez ele mantenha essa parte de sua vida privada das pessoas que
trabalham abaixo dele e é por isso que eles parecem surpresos em vê-lo com uma
mulher.
Andando ao lado dele, ele parece ainda mais alto do que ele estava em seu
escritório. Ele parece maior que a vida. Um peixe grande em um mundo pequeno feito
apenas para ele. O jeito ciumento que as mulheres olham para mim enquanto
caminhamos me dá uma sensação de orgulho, embora eu não saiba por quê. Não é como
Heath e, eu somos, na verdade um casal. Eu acho que estar ao lado dele me faz sentir
como um peixe de verdade quando normalmente eu sou um floco de algas tentando
fazer isso em um mundo grande demais para mim.
"O que estamos fazendo?" Ele continua perguntando. Ele muda o texto quando
eu não dou a resposta que ele quer, mas é a mesma pergunta.
Uma vez que estamos fora, eu finalmente dou a ele uma resposta que ele pode
entender.
"Apaixonar-se," eu digo.
Ele olha para mim como se eu tivesse acabado de atingi-lo com um morcego. Eu
ri.
"Não se preocupe, não faz mal", digo a ele.
Ele balança a cabeça, o olhar cético em seu rosto ficando cada vez mais
preocupado quando nos afastamos de seu prédio de escritórios. É um dia lindo, nublado
e uma leve brisa fresca. Dia perfeito para passear com os cães se tivesse algum por
perto, mas desde que eu não tenho cachorros à minha disposição, eu vou ter que me
contentar com o que eu tenho - ou não tenho, devo dizer.
Nós nos dirigimos para o parque e vejo o momento em que a percepção começa
a surgir sobre ele.
"Eu vejo," diz ele. "Eu pensei que você estava me atraindo para me bater na
cabeça e pegar minha carteira."
"E você me seguiu mesmo assim?"
Ele me dá um olhar desconsiderado. "Eu aposto cem libras em você, tenho
certeza que poderia levá-lo em uma briga."
O canto da boca dele se contorce. Este lado desse homem de negócio é
realmente adorável agora? Eu não tinha certeza se ele era capaz disso. Talvez este
trabalho não seja tão difícil afinal.
“Lutar nem sempre é sobre músculos. Existem outras maneiras para uma mulher
dominar um homem,” eu digo.
Eu paro abruptamente e me viro para encará-lo. Eu coloquei minha mão contra
seu peito, tocando os botões suaves de seu paleto, correndo meus dedos ao longo do
tecido rígido.
Mesmo através do paleto, posso dizer que não há nada de mole no corpo desse
homem. Eu começo a me perguntar o que ele parece sem o terno. Começa inocente o
suficiente. Eu estou apenas imaginando ele em outras roupas. Roupas normais que um
homem comum usaria na rua: camiseta e jeans. É uma imagem difícil de segurar porque
ele parece feito desse terno, como se ele tivesse nascido usando-o. Então meus
pensamentos começam a dirigir-se levemente para a sarjeta. É aqui que minha
imaginação gosta de correr solta. Agora eu estou pensando em ele estar nu, minhas
mãos e lábios explorando seu corpo impecável. Eu tenho a sensação de que sua pele é
macia, mas nada mais sobre ele é.
Heath endurece sob o meu toque e minha mente volta ao foco. Ele está me
observando, seus olhos queimando. Minha mão se move para o estômago dele. Mais
corpo duro por baixo. Quando eu estendo minha outra mão e a levo até o pescoço, ao
queixo, sentindo a sombra da barba por fazer, e esfrego meu polegar contra aqueles
lábios incrivelmente macios, seu corpo inteiro estremece. Ele começa a estender a mão
para me tocar também, mas eu de repente saio de seu alcance. Seus olhos estão
arregalados, confusos e, sua respiração sai em rajadas curtas.
"O que foi isso?" Ele pergunta roucamente.
"Só provando que eu não preciso de um monte de músculos para te derrubar," eu
digo despreocupadamente e passo ao lado dele como se nada tivesse acontecido.
Ele solta um longo suspiro, depois uma risada segue.
"Lembre-me de não segui-la para a floresta."
Eu rio e pego a mão dele, levando-o para o outro lado do parque. Sua pele está
quente, sua grande mão envolve a minha. Ele tem um cheiro incrível e, mesmo sem
conhecer a marca, sei que qualquer colônia que ele usa é cara. Não é ofensivo como o
material barato; é sutil.
"Para onde estamos indo agora?" Pergunta ele.
Eu aponto para o carrinho de cachorro-quente à distância. "Almoço."
"Não, eu não estou comendo"
"Viva um pouco," digo a ele.
Eu estou arrastando ele agora, e estou rindo porque ele está sendo uma criança
sobre isso, como tentar forçar comer um espinafre pequeno.
"Eu nunca sonharia em marcar um encontro em um carrinho de cachorro quente
para a nossa primeira refeição," diz ele.
“Não é um encontro. Sou eu agradecendo por ter salvado os cachorros de meus
amigos e por não ter que dizer que os perdi. Não seja tão teimoso.”
Ele revira os olhos, mas finalmente cede. "Dois cachorros-quentes, por favor,"
digo ao vendedor.
Heath pega a carteira no bolso interno da jaqueta, mas eu paro, ele.
"Estou agradecendo você, lembre-se."
Deixar-me pagar parece ser a parte mais difícil desta tarefa para ele, mas acabei
convencendo-o a guardar sua carteira.
"Cara, as mulheres geralmente têm que colocar tanto esforço, em cortejar você?"
Eu pergunto.
Ele ri da palavra „cortejar‟. Eu também. É uma palavra estúpida, mas nós dois
sabemos no que estou querendo chegar.
"Eu não saberia. Eu não namoro,” diz ele.
Claro que ele não faz. Se o fizesse, ele poderia realmente ter encontrado o amor
em vez de pagar por uma noiva falsa. Sugar todas as mulheres lá fora. Tenho certeza de
que há muitas que adorariam colocar as unhas de acrílico em um homem de sua
estatura.
"Por que não? Você é bonito, inteligente, alto, sexy pra caramba, trabalhador.
Qualquer mulher cairia sobre si mesma para estar com você.”
Faço um gesto para as mulheres ao nosso redor.
Como se fosse uma sugestão, uma mulher correndo nas proximidades está
prestando muita atenção em Heath e não na trilha na frente dela. Ela vira e tropeça para
frente, mas consegue se segurar antes de cair. Eu solto um bufo realmente não feminino,
e Heath morde o lábio para não rir. A garota sai correndo, com o rosto vermelho.
"Coitadinha, isso é tão embaraçoso," eu digo. “Mas isso apenas prova meu
ponto. Você pode ter qualquer mulher que quiser. Então, por que você não namora?”
Ele ainda está sorrindo quando olha para mim, e eu tenho que dobrar meu
coração, forçá-lo para dentro para protegê-lo. Eu poderia me apaixonar por um sorriso
assim. Ele poderia arrancá-lo do meu peito e seria dele para sempre se eu não fosse
cuidadosa.
"Eu namorei uma ou duas vezes, mas é difícil para as mulheres enxergarem além
do meu dinheiro."
"Talvez porque você não se abra. Você é tão duro.”
O vendedor nos entrega nossos cachorros-quentes. Eu carrego o meu com um
rabisco de mostarda. Heath faz uma linha perfeitamente reta na dele. Eu não posso
deixar de rir.
"O que?” ele disse.
Eu aponto para a bagunça que fiz e para a linha reta dele.
"Eu sinto que isso pode ser uma representação perfeita de nós." Eu coloquei meu
cachorro-quente em cima dele para estragar sua linha de mostarda, e agora eles estão
igualmente confusos. "Vê, está melhor," eu digo. "Agora coma."
Ele olha para o cachorro-quente como se fosse mordê-lo de volta. Depois de
algum incentivo da minha parte, ele finalmente dá uma mordida e seus olhos
literalmente rolam na parte de trás de sua cabeça.
"Bom, certo?" Eu digo.
"Isso pode realmente ser a melhor coisa que eu já comi," diz ele.
"Eu não acredito que você nunca pegou um cachorro-quente em um carrinho.
Seu pai nunca levou você para jogos de beisebol?”
A euforia delirante que suas papilas gustativas experimentaram é interrompida
pela menção de seu pai.
"Não. Ele não é exatamente um tipo de jogador de beisebol ou um tipo de
homem que passa tempo com o seu filho. Você vai entender quando finalmente
conhecer ele.”
Eu pressiono meus lábios juntos. "Ótimo, não posso esperar."
Continuamos a caminhar e ele avidamente aprecia seu cachorro-quente em
silêncio. Eu mal dei uma mordida no meu. Estou muito ocupada assistindo ele. É
estranho, mas eu gosto de vê-lo comer, o jeito que o queixo dele flexiona, o jeito que ele
faz esses pequenos suspiros de satisfação. Ele olha para o cachorro-quente não
consumido na minha mão.
"Você vai comer isso?" Ele pergunta.
Eu entrego e sorrio. "Faça isso, amigo."
Continuamos a caminhar e nossa conversa é surpreendentemente fácil.
"Que tipo de nome é Sylph?" Pergunta ele.
"Um Sylph é um espírito mitológico do ar." Eu dou de ombros. “Minha mãe
pode ficar um pouco na terra às vezes. Provavelmente vem de viver em uma fazenda
onde tudo é orgânico.”
Ele faz mais perguntas sobre minha família depois disso e fica surpreso ao saber
que meus pais estão juntos há quase trinta anos e ainda estão loucamente apaixonados
um pelo outro. Ele me diz que seus pais nem dormiram juntos no mesmo quarto desde
que ele estava no ensino médio.
Eu aprendo mais sobre ele em nossa caminhada do que eu jamais teria aprendido
lendo sua pasta cheia de fatos. Ele é surpreendentemente engraçado e encantador e
sarcástico. Eu continuo rindo como uma idiota. O que está acontecendo? Eu não deveria
gostar dele. Eu nunca fui atraída pelos ricos e privilegiados. Então, por que estar em sua
presença tem meu estômago emaranhado em nós? De onde diabos essas borboletas
vieram? Isso não é bom.
"Minha vez de fazer perguntas," eu digo.
"Vá em frente."
"Existe algo fora dos limites?"
Ele leva um momento para pensar sobre isso.
"Não. Eu sou um livro aberto. Pergunte o que você quiser.”
“O que você gosta na cama?” Pergunto corajosamente.
Suas sobrancelhas sobem na testa como um personagem de desenho animado.
Há algo muito gratificante em quebrar a máscara calma que ele usa.
"Se eu quiser fingir ser casada com você, esses são os tipos de coisas que eu
preciso saber," eu digo com naturalidade, mantendo-a muito profissional.
Ele morde um sorriso. "Tenho certeza de que nenhum dos meus amigos ou
familiares fará perguntas sobre a nossa vida sexual."
“Eu espero que não, mas nós deveríamos nos casar, o que significa que é mais
do que provável que tenhamos sido íntimos - a menos, é claro, que você seja um cara
antiquado que espera até o casamento.”
“Definitivamente não,” diz ele.
"OK. As pessoas que foram íntimas umas com as outras se comportam de uma,
certa maneira. Eles estão confortáveis, um com o outro. Eu deveria pelo menos saber o
que você gosta na cama. É difícil sentir-se desconfortável e rígido com alguém depois
de conhecer todos os segredos do seu quarto.”
Ele me dá um sorriso torto e acena. “Eu acho que isso faz sentido. Bem, hum, eu
sou um homem, então ser tocado geralmente é bom o suficiente.”
Sua risada transforma meu interior em algodão doce. Eu amo o som disso. Eu
gosto do som da voz dele também. Não muito alto, nem muito profundo.
É apenas o som mais perfeito e suave para ouvir. Eu adoraria ouvi-lo contar
histórias ou falar sobre o seu dia.
“Eu realmente não tenho nenhuma preferência sobre o que eu quero que uma
mulher faça na cama, mas eu tenho que dizer que sou atraído por uma garota confiante,
alguém que não tem vergonha de seu corpo ou mostrando para mim em toda sua
glória.”
Eu sinto meu pescoço ficando quente. Eu aposto que estou corando.
"E você?" Pergunta ele. "O que você gosta na cama?"
“Eu costumo gostar de um pouco de tudo. Eu gosto de fazer amor doce e terno,
mas também gosto de uma boa palmada. E eu gosto quando as coisas ficam confusas,
não é?”
Ele me olha nos olhos e diz: "Confusão é bom".
Agora sei que estou corando. Eu sinto que todo o meu corpo acabou de ser
mergulhado em uma banheira de hidromassagem. Pelo menos eu não sou a única ligada
por esta conversa. Ele tenta se ajustar sutilmente, mas ele não está me enganando nem
um pouco.
Agora eu estou nos imaginando juntos, suor, lubrificante, porra, bagunça. Eu
soltei uma respiração instável. Sujo é definitivamente bom.
O sol começa a descer. Eu mudo de assunto porque falar sobre sexo com Heath é
perigoso. Paramos ao lado do cais e olhamos a doca.
Os leões marinhos se empilham uns sobre os outros e fazem um som semelhante
aos cachorros latindo. As gaivotas estão empoleiradas nos postes, fazendo barulhos
igualmente desagradáveis, mas eu adoro o som dela.
Tudo isso.
O oceano é meu lugar favorito para estar. É realmente romântico aqui fora e é
difícil não ficar envolvido neste momento com Heath, mesmo que não seja real.
"Então, como foi isso para uma primeira reunião?" Eu pergunto.
O último do sol ilumina seu cabelo escuro e seu olhar encontra o meu. É
impossível não se sentir especial quando esses vibrantes olhos azuis estão focados
apenas em mim. Eu me derreto sob seu calor e temo que o olhar sonhador que eu sinto
no meu rosto está dando todos os meus segredos.
"Surpreendentemente perfeito," diz ele
"Agora não vamos ter que mentir sobre como nos conhecemos."
Ele concorda. "Então agora estamos apaixonados."
"Ainda não."
Suas sobrancelhas empurram juntas. "Se eu me lembro da sua versão da nossa
história, achei que nos apaixonamos nesse encontro."
"Nós fizemos, mas não está terminado."
Eu alcanço e seguro seu rosto em minhas mãos, trazendo-o para o meu nível. Eu
sou insana. Eu perdi completamente minha mente. Eu não deveria estar fazendo isso.
Mas quanto mais eu penso sobre isso, mais eu quero, e sei que se eu não beijá-lo agora,
vou me arrepender.
Suas mãos seguram minha cintura, me puxando contra ele. A antecipação me faz
leve enquanto seus olhos piscam em direção aos meus lábios. Eu levanto meu queixo. A
ponta da língua dele roça o lábio inferior dele, molhando-o. O pensamento de provar
esses lábios perfeitos faz meu estômago vibrar.
Nossos lábios suavemente se juntam, macios e lentos, saboreando, testando um
ao outro. Ele abre a boca ligeiramente e eu abro a minha. Apenas as pontas das nossas
línguas tocam em uma saudação tímida, mas não demora muito para o calor entre nós
pegar fogo e de repente estamos engolfados.
Eu respiro, ele aquele perfume caro que eu sempre associarei com ele a partir de
agora. Lembro-me da suavidade de sua língua, o gosto de seus lábios. Eu tento
memorizar cada pequena coisa sobre esse momento perfeito para ficar comigo para
sempre. Colocar no meu bolso e puxe-o sempre que precisar me sentir bonita e
desejada. É assim que me sinto quando ele me beija. Eu sei que todo esse casamento é
uma farsa, mas esse beijo não é. Ninguém pode fingir um beijo assim.
Os dedos de Heath se cravam na pele da parte inferior das costas, nossos quadris
pressionados tão firmemente juntos que um de nós ou vai se transformar em um
diamante ou nossos corpos vão se fundir em um.
Sua língua é macia, mas ansiosa. Eu puxo minhas mãos pelo cabelo dele, e há
algo totalmente satisfatório em estragar tudo. Ele não parece se importar de ficar
confuso comigo. Como ele disse, bagunça é bom. Ele está difícil para mim. Eu posso
senti-lo pressionado contra o meu estômago, e é deliciosamente doloroso. Eu estou
molhada para ele, mas ele não pode sentir isso. Pelo jeito que eu devoro sua boca, tenho
certeza que ele sabe.
Nós finalmente nos afastamos quando ouvimos vozes por perto. Um casal de
mulheres mais velhas passa por nós, rindo uma para a outra. Heath não parece
incomodado por ser pego.
Seus olhos ainda têm aquele olhar faminto neles, mas é óbvio que ele está se
contendo. Ele chega a domar seu cabelo. Mesmo depois que ele consegue pressioná-lo
de volta em uma forma similar que era antes de eu destruí-lo, ainda há algo
desarrumado sobre ele. Esse penteado perfeito não terá chance quando todas as nossas
roupas estiverem fora.
O pensamento me assusta um momento e, eu tenho que lembrar que este não é
um encontro real. Eu não estou aqui para dormir com ele. Este é um trabalho que estou
sendo paga para fazer, e eu não sou uma prostituta.
Heath solta um suspiro lento e trêmulo e alisa seu paletó amassado.
"Agora nós estamos no amor?" Eu aceno.
"Sim, é quando nos apaixonamos."
Seu sorriso me corta nos joelhos. Eu não quero nada mais do que voar de volta
para seus braços e beijá-lo novamente.
"Bom. Agora eu tenho os detalhes em linha reta. Este foi um primeiro encontro
aceitável,” diz ele.
"Perfeitamente aceitável," eu digo, esse sentimento no meu núcleo ainda está
furioso.
Pelo grande monte que tentava suas calças de terno, eu diria que ele ainda está
sentindo isso também.
Definitivamente vou precisar de uma ducha fria e calcinha seca depois desse
encontro.
A parte de mim que planejava manter Sylph à distância começou a desmoronar.
Eu não deveria gostar dela, muito menos querer beijá-la, e especialmente nada mais do
que isso. Ela não era nada do que eu esperava.

Quando penso em uma noiva falsa se colocando à venda, penso em alguém mais
caro - não mais bonito, é claro. Eu não acho que haja alguém nesta terra que seja
naturalmente mais bonita que Sylph.

O tipo de caro que eu estou falando envolve muitas partes artificiais: roupas de
grife sensuais, alguém que se dedica à cirurgia e muita maquiagem para se manter em
alta, alguém que ostenta seu corpo e dá a um homem olhos famintos para conseguir o
que ela quer.

Esse tipo de tática pode funcionar em alguns homens ricos, mas não eu.

A maioria desses homens não se importa. Eles sabem que se eles não tivessem o
recurso do dinheiro do lado deles, uma mulher que se parecesse com isso não lhes daria
a hora do dia.

E ainda assim eles não se importam. Eu já tive mulheres assim me abordando


muitas vezes em restaurantes e bares. Eu conheço o tipo - esse tipo de garota
simplesmente não é o meu tipo.

Eu acho que é por isso que eu não estava preparado para o Sylph. Ela é tudo que
eu poderia querer em uma garota.

Nada nela grita garimpeira para mim. Embora suas roupas fossem limpas e
bonitas, e parecessem incríveis nela, elas eram baratas e destinadas a parecer casual.
Em vez de um bronzeado uniforme, sua pele tinha apenas um toque de cor que
sobrara do verão nos pontos altos de sua testa e nariz, do jeito que ocorre naturalmente.

Também natural, eram as mechas em seu cabelo loiro, não algo que até a melhor
esteticista pudesse reproduzir em um salão de beleza. Suas unhas eram curtas e pintadas
de um verde pastel, quase sem maquiagem, mas o que ela tinha era lisonjeira.

Jeans e uma camiseta dificilmente são a roupa que uma mulher usaria se tentasse
colocar seus ganchos em um homem por seu dinheiro.

É quase como se ela tivesse aparecido por um capricho. Meu amigo que a
recomendou não a descreveu dessa maneira. Ele disse que ela poderia ser Branca de
Neve: pele clara, cabelos negros, grandes lábios vermelhos e seios gigantes.

Ele disse isso com um sorriso de lobo, mas tudo que eu estava preocupado era
com minha família acreditando que essa poderia ser uma garota com quem eu iria casar.

Sylph definitivamente não é a garota que meu amigo descreveu para mim.

Então quem é ela?

Enquanto subo as escadas e volto ao escritório para terminar meu trabalho, estou
com dificuldade para me concentrar. Meus pensamentos continuam voltando para
Sylph.

Seus olhos eram o azul pálido mais suave, a cor da sombra na neve. Eles eram
bem surpreendentes, na verdade. Eu não estou acostumado a ser tirado de minha guarda
simplesmente de relance.

Não só isso, mas ela era encantadora e real. Se eu não soubesse que seus
serviços estavam sendo pagos, eu realmente acreditaria que ela estava se apaixonando
por mim. Eu acho que é uma coisa boa, porque minha família vai precisar acreditar
também, e eles não são tão fáceis de convencer quanto eu.

Se alguém puder fazer o trabalho, é Sylph.


Eu sei que o encontro que aconteceu entre mim e Heath ontem foi apenas parte
do ato, mas eu estaria mentindo se eu não admitisse que havia algo lá. Ele era tão lindo,
nada como eu imaginava.
Ele poderia ter qualquer mulher no mundo, então por que ele teria que pagar
alguém para fingir ser sua noiva?
Ainda bem que ele gostou de mim. Esse vai ser o trabalho mais fácil que já tive,
enrolada no braço de um homem que é bonito e surpreendentemente divertido de
conversar depois de passar pela sua fachada áspera e desconfiada.
Eu me vejo ansiosa para vê-lo novamente. Eu vou ter que conter esses
sentimentos, no entanto, este é um trabalho, não um casamento real. Um casamento real
nunca acontecerá, não depois da terrível experiência que tive com meu ex.
Para tirar os pensamentos de Heath e nosso beijo da minha cabeça no momento,
decido fazer uma tigela de cereal e estudar a pasta que Heath me deu.
Preciso aprender tudo o que puder sobre sua família e amigos, as coisas que
precisarei saber se esse compromisso for convincente.
Sua família mora no exterior na Europa, onde seu pai dirige a sede de seus
negócios familiares. Diz aqui que sua mãe é gentil, mas ingênua, seu pai é mais áspero
nas bordas. Diz que ele é severo e quieto. Heath também tem irmãos gêmeos mais
jovens que podem estar um pouco suspeitos e intrusivos.
Isso não ajuda meus nervos.
Eu sento e esfrego meus olhos. Há muito para memorizar. Parece que meu
cérebro está trancado. Eu preciso de café.
Há uma batida na porta. Eu acho que é provavelmente um entregador desde que
Mandi manda algo para o apartamento diariamente. Eu me levanto para abrir a porta,
mas não é um entregador.
É o Heath.
"Oh," eu digo, surpresa.
Não é assim que eu queria que ele me visse. Eu estou usando suéteres cortados e
um top que eu dormi sem sutiã. O bagunçado nó de cabelo empilhado em cima da
minha cabeça não foi lavado em dois dias. Graças a Deus, raspei minhas pernas e me
pedi uma pedicure, ou esse encontro seria muito mais embaraçoso.
Ainda assim, ele está tão vestido, seu cabelo perfeitamente penteado como se
tivesse saído de um molde. Eu me sinto ainda mais desgrenhada do que se estivesse em
roupas casuais.
"Nós tínhamos uma reunião?"
Eu pergunto. Ele não parece o tipo de aparecer sem se anunciar.
Ele tem aquele mesmo olhar severo que ele usava quando nos conhecemos,
como se ele já tivesse perdido o pensamento do nosso maravilhoso primeiro encontro.
Eu não sei por que isso me incomoda tanto, mas faz. Parte de mim se sente meio
magoada com isso.
Seus olhos piscam para os meus seios e, relutantemente, voltam para os meus
olhos. Sinto a ligeira pontada de prazer quando eles se endurecem pela atenção.
Normalmente, se alguém vê, eu tentaria esconder isso. Mas gosto da idéia de
torturá-lo um pouco.
"Não, eu estou apenas parando para trazer o seu transporte," diz ele.
Estou confusa e, por um momento, flertar com ele fica em segundo plano.
Quando ele me disse que eu não seria capaz de pegar o transporte público durante este
trabalho, eu supus que ele iria enviar um carro da empresa para mim como fez ontem,
quando ele me mandou para casa depois da nossa reunião / encontro.
Seu grande corpo bloqueia a porta, então eu não posso ver o que ele está falando
a princípio até que ele pule para o lado.
Estacionado em frente ao meu apartamento sujo há uma coisa preta e elegante -
nunca vi nada assim antes.
Tenho certeza que é um carro ou talvez uma nave espacial. Tenho certeza de que
não é algo que você possa pegar no estacionamento do shopping.
"É isso..." Minhas palavras se apagam quando ele me entrega um chaveiro que
tem a palavra Maybach nele.
Ele é de verdade?
"Não há nenhuma maneira que eu estou dirigindo isso", eu digo a ele.
Suas sobrancelhas se juntam e sua cabeça se inclina. "Por que não, há algo
melhor que você prefere dirigir?"
Eu ri. Eu não posso me ajudar. Ele coloca as mãos nos quadris, sem parecer
divertido.
"Melhor?" Eu digo. "Existe algo como um carro melhor?"
"Tenho certeza de que existe," diz ele.
Eu sacudo minha cabeça. "Não, eu não acho que existe. É só que… eu não sei…
é um pouco excessivo, você não acha? Isso é um carro de meio milhão de dólares.”
A única razão pela qual eu sei é porque Mandi é viciada em reality shows e a
mãe das garotas Kardashian dirige algo parecido.
"Você é minha noiva," diz Heath. "Eu não posso ter você dirigindo em um
Toyota Corolla coberto de manchas de ferrugem. Há uma certa imagem que temos que
defender.”
"Como você sabe que tipo de carro eu dirijo?" Eu pergunto, surpresa com o seu
conhecimento sobre mim.
"Eu fiz algumas pesquisas depois que nos conhecemos."
"Eu gosto do meu Toyota," eu digo, um pouco ofendida por sua observação, e
muito ofendida por ele estar me espionando.
Eu não gosto do meu Toyota.
A coisa é uma cova de dinheiro e faz este guincho horrível quando eu dirijo
abaixo na estrada. É embaraçoso, na verdade.
Mas ainda assim estar dirigindo um Maybach. Eu não quero que as pessoas
olhem para mim. Eu ficarei constrangida e terminarei de novo com alguém, ou fazendo
algo embaraçoso.
“Que tal um compromisso então?” Ele diz.
“Um compromisso é bom. É disso que se trata o casamento,” eu digo. Ele me dá
um olhar surpreso. "O que?” eu digo.
"Nada... eu acho que estou surpreso com o quão seriamente você está levando
essa coisa toda de casamento."
“Eu tenho excelente ética de trabalho. Você está me pagando para ser sua noiva
e eu pretendo ser a melhor esposa que um homem já teve.”
Ele ainda parece desnorteado, mas ele me mostra um leve sorriso e continua.
"Que tipo de carro você prefere ter?"
“Que tal um Toyota mais novo? Eles são confiáveis, eficientes, ganham muito
em combustível. Há um monte de carros usados na estrada...”
"Não," ele diz sem rodeios.
Desta vez eu sou a única com as mãos nos quadris.
"Isso não parece um compromisso para mim."
“Você percebe que qualquer outra mulher em sua posição estaria pulando com a
chance de dirigir um Maybach?”
“Eu não sou outra mulher. Eu sou eu.”
"Já reparei. Você não é como as mulheres que eu estou acostumado.”
Isso é um insulto ou um elogio?
É difícil dizer com seu comportamento inexpressivo.
"Talvez você devesse se encontrar com um calibre diferente de mulher na época,
porque qualquer uma que lhe pedisse um Maybach só se preocuparia com seu dinheiro,"
eu digo.
Ele olha para mim como um quebra-cabeça que ele não consegue juntar.
"Não é com isso que você se importa também?"
"Não, claro que não. Quero dizer, bem...” Estou ficando nervosa. "Sim, eu me
importo com o seu dinheiro, porque eu estou fazendo um emprego e você está me
pagando pelos meus serviços. Mas se realmente estivéssemos namorando, seu dinheiro
não teria nada a ver com isso. O meu último-” Eu quase disse marido! Não que seja um
segredo (ele provavelmente já sabe depois de me espionar), eu só não gosto de dizer às
pessoas a razão pela qual eu não sou mais casada. “-namorado, trabalhava como
motorista de caminhão de corredor curto. Não é exatamente o tipo de trabalho que faz
milhões. Quando estou com alguém é porque me fazem feliz.”
"É bom saber," diz ele e consegue voltar o assunto para a questão do carro. "Um
Mercedes, então."
"De jeito nenhum. Isso é como colocar um alvo nas minhas costas e ficar tipo:
„Ei, olhe para todo esse dinheiro que eu tenho, venha me ver nesse carro‟."
"Talvez neste bairro, mas não no meu."
“Definitivamente neste bairro. É por isso que eu preciso de algo um pouco mais
discreto."
"É por isso que você estará morando comigo," diz ele.
Eu congelo. Eu acabei de ouvi-lo certo?
"Você quer que eu vá morar com você?"
"Sim. Eu preciso que você fique comigo enquanto minha família estiver na
cidade. Você terá sua própria ala se precisar da sua privacidade.”
Seu lugar é grande o suficiente para eu ter minha própria ala?
Eu nem sei se já estive em um lugar com uma ala.
"Fique com o carro por agora," ele diz, "e vou trabalhar para conseguir algo
diferente para você. Enquanto isso, quero mostrar-lhe seus novos arranjos pra morar.”
Eu não posso deixar de ficar um pouco animada. Mandi é minha melhor amiga,
mas ela é uma péssima companheira de quarto. O pensamento de ter uma área para mim
mesma, mesmo que seja temporário, é um pensamento maravilhoso.
Eu posso finalmente chegar àquela pilha de livros que eu queria ler, mas nunca
tive a chance porque Mandi chega em casa em horas estranhas e sempre tem a TV no
volume máximo. As possibilidades são infinitas.
Heath me faz dirigir o Maybach porque ele não gosta de dirigir. Aparentemente,
ele está acostumado a ser conduzido em seu carro da empresa para onde quer que vá.
Tudo bem por mim. Estou menos nervosa em dirigir o carro depois que ele me
diz que tem um seguro incrível. Eu acredito nele desde que duvido que uma
concessionária deixasse ele tirar essa coisa de lá sem um.
Eu finalmente me sento e apenas aproveito o passeio. Parece um cockpit lá
dentro com todas as luzes diferentes. Os assentos flexíveis de couro são como manteiga
e encaixam-se bem na minha bunda. Não admira que este carro seja tão caro. Vale cada
centavo.
Nós chegamos a um condomínios de luxo. Há uma unidade coberta circular e
uma fileira de manobristas esperando na frente. A única coisa perto de um manobrista
no meu complexo de apartamentos é o bandido na esquina esperando para pegá-lo.
Um dos homens de terno e gravata vem até nós.
"Bom dia, Sr. Starre," diz ele.
Heath lhe entrega uma nota de cem dólares.
“Esta é Sylph, minha noiva. Quero que você tenha certeza de que seu carro está
bem cuidado.”
"Sim, senhor," o homem diz e corre para onde eu estou saindo do assento do
motorista.
Se isso é quanto os manobristas fazem nas horas, eu vejo uma mudança de
carreira no meu futuro, uma vez que este negócio com Heath acabar.
Heath me leva para o prédio. O foyer abre em um corredor com uma grande
escadaria e pilares ao redor. Há uma fonte no meio e uma área de estar com um café.
Todo mundo que trabalha no complexo parece saber o nome de Heath e tem um
sorriso esperando por ele. É como se eu estivesse nessa cena em uma Linda Mulher,
onde todo mundo está olhando para Julia Roberts, porque é tão óbvio, que ela é uma
prostituta pelo jeito que ela está vestida.
Exceto que não estou vestida como uma prostituta. Meu conjunto se inclina mais
para a falta de moradia. Antes de Heath aparecer, eu estava lavando a roupa e tudo que
eu tinha sobrado era uma blusa, suéter e sapatilhas de balé.
Heath tem que ter vergonha de ser visto comigo assim, especialmente desde que
ele parece ser tão em sua imagem e status. Mas se ele está envergonhado, ele não está
mostrando isso.
Tudo no lobby, do papel de parede, ao mobiliário, é acentuado em ouro. A arte
nas paredes parece desconfiada como a coisa real. Eu quero levar tudo isso, examinar as
pinceladas diferentes, o tapete macio, tudo, mas Heath parece estar com pressa. Este é
de longe o prédio mais requintado em que eu já estive, além de um museu.
Entramos em um elevador. É super chique por dentro com esculturas em
madeira detalhadas ornamentadas e folhas de ouro. É um espaço apertado.
O braço de Heath toca meu peito. Ele olha para baixo. Toda vez que ele me dá
algum tipo de atenção, meus mamilos estão em atenção.
Eu sei que ele vê onde seu braço está me tocando, mas ele não se move. Eu
também não me movo.
Como esse homem consegue me excitar com apenas um único toque?
Ele limpa a garganta. "Você já teve a chance de olhar mais a pasta?" Pergunta
ele.
Sua rica voz aveludada preenche o espaço no elevador.
"Fiquei acordada a noite toda passando por isso," eu admito.
Havia muito, e era estranho ler sobre uma vida que deveria ser minha, mas eu
nunca experimentei nada disso. Eu me vi desejando que eu fosse aquela garota que foi
para degustações de vinho com ele em Napa Valley, que estava sentada no telhado do
prédio assistindo o pôr do sol.
A garota nessa pasta é feliz e despreocupada.
Ela tem um homem que a ama muito e que também a respeita.
Ela não tem que poupar e poupar cada centavo apenas para sobreviver com
alimentos tóxicos ou sofrer com um relacionamento igualmente tóxico.
Ela é capaz de fazer coisas, experimentar a vida em um nível totalmente
diferente. Deve ser legal viver como a garota que eu estou fingindo ser.
"Bom. Você vai conhecer minha família amanhã à noite,” diz Heath.
"O que? Já?”
Por alguma razão eu pensei que teria um pouco mais de tempo para me preparar,
para aperfeiçoar o meu personagem. Eu não sei como ser uma pessoa rica. Existem
regras, maneirismos.
Pessoas ricas se mantêm de um jeito específico, cabeça erguida, queixo para
fora. E há uma certa arrogância para eles que vem de muita atenção quando criança, ou
não o suficiente.
Nesse ponto, a família dele nunca acreditará que eu sou mais do que quem eu
sou: uma garota desesperada, sem dinheiro, sem nada, fingindo estar apaixonada por um
homem que tem mais dinheiro do que Deus.
"Temo que sim. Eles chegaram na cidade mais cedo do que eu esperava,” diz
ele.
Minha cabeça está girando. O elevador parece que está se movendo em
velocidade de dobra. Eu balanço e Heath me pega antes de meus joelhos se dobrarem e
ele me segura em seus braços firmes.
Porra, ele cheira bem. Eu coloquei minha testa contra o peito dele para impedir
que o elevador andasse em círculos.
Ele começa a acariciar meu cabelo. É bom e reconfortante. Uma de suas mãos
desliza para os meus ombros nus. Meu corpo vem vivo de seu toque e eu me encontro
com amnésia temporária.
Não estou mais pensando em sua família ou meus deveres. Agora, tudo que eu
sei é que ele está me tocando e eu quero mais. Então o elevador se abre e ele se afasta
de mim.
"Você está bem?" Pergunta ele.
Eu concordo. "Estou bem."
Saímos do elevador que nos leva diretamente para o apartamento. Este lugar é
tão grande quanto, duas casas. Janelas em volta, nos dando uma vista panorâmica
deslumbrante da cidade abaixo. Os pisos são de mármore branco polido.
A mobília também é branca. Os sofás de couro são linhas retas e arestas duras.
Eles são lindos, mas não parecem muito confortáveis de se sentar.
As paredes com papel de parede são cobertas por belas peças de arte, como no
saguão. Este lugar inteiro parece uma obra de arte. Isso, ou um showroom. Eu não
posso acreditar que as pessoas realmente vivem assim.
Ele me dá a grande turnê, que é definitivamente grandiosa. Na ala que ele está
chamando de minha, tem até uma biblioteca. Eu me sinto como a Bela da Bela e a Fera
- se a besta fosse o homem mais sexy vivo.
"O que é meu é seu. Enquanto você estiver trabalhando para mim, você tem
controle livre do lugar.”
Seu sorriso agita aquele lugar necessitado no fundo do meu núcleo e eu me vejo
imaginando ele andando por este lugar usando nada além daquele sorriso sexy.
"Obrigado," eu digo.
Eu me pergunto mais uma vez porque este homem lindo está fingindo estar
noivo e se casar quando ele poderia ter a coisa real com qualquer mulher de sua escolha.
Ele é lindo, obviamente brilhante por ter chegado tão longe na vida. Ele não precisa
fingir.
“É fora dos limites perguntar por que você precisa de uma noiva falsa?
Claramente você não precisa de uma. Você é lindo, inteligente e gentil...”
Suas sobrancelhas levantam e eu coro.
“Eu tenho quase trinta anos de idade e minha mãe pensa que eu estou sozinho e
ela está sempre tentando me arranjar para alguém, então qualquer noite livre que eu
possa ter é gasto em encontros estúpidos tentando fingir que estou interessado em
alguma pequena mimada do caralho. Meu pai acha que um homem sem esposa é
irresponsável e não planeja bem o suficiente para o futuro. Ele está constantemente me
checando. Eu só os quero fora das minhas costas uma vez na vida. Eu acho que se eles
acham que se eu estou casado, eles vão me deixar em paz. Eles vivem fora do país e eu
raramente os vejo, então eles não saberão a diferença por algum tempo. Quando eles
voltarem, eu lhes darei uma história triste sobre como as coisas não funcionaram com o
meu casamento, e esperamos que seja o fim de sua intromissão,” diz ele.
"Você realmente pensou nisso."
Claro que ele fez. Ele é muito bom em detalhes. É óbvio a partir da pasta que ele
me deu.
"Eu deveria voltar ao trabalho," diz ele.
"Você precisa de mim para te levar de volta?"
"Vou ligar para vir um carro."
Eu engulo em seco.
"Eu não suponho que você gostaria de ficar e sair comigo por um tempo."
Ele olha curiosamente para mim. Eu continuo.
"Nós poderíamos assistir TV, assistir a algo na Netflix."
Sua curiosidade gira pura diversão. "Você quer passar tempo comigo? Por quê?"
“Eu quero ouvir mais sobre sua família. Estou nervosa em conhecê-los.”
"Você está nervosa? Você não está acostumada a esse tipo de coisa, já que é o
seu trabalho?”
Eu sacudo minha cabeça em negação.
"Este não é o meu trabalho normal. Eu estou apenas preenchendo pra minha
melhor amiga. Ela precisava da minha ajuda no último minuto e eu precisava do
dinheiro, então eu disse sim.”
Ele me dá o olhar mais estranho, uma mistura de surpresa e compreensão. De
repente, toda a sua linguagem corporal muda e seu comportamento duro se desintegra.
"Tudo faz sentido agora. Você não parece o tipo de fazer esse tipo de coisa. E
você não se parece em nada com a maneira como meu amigo disse que você seria.”
"Desapontado?"
"De modo nenhum. Exultante, na verdade. Eu estava preocupado que alguém
pudesse reconhecê-la em um dos seus outros empregos.”
"Não, a menos que esse trabalho fosse o caixa da Lanchonete."
"Tenho certeza de que não conheço ninguém que come na lanchonete."
"Acho que não," eu digo.
Eu pressiono minhas mãos e dou a ele um olhar suplicante.
"Então você vai ficar?"
"Por um tempo." Ele se senta no sofá. Eu me sento ao lado dele.
"Você parece tão desconfortável em todas aquelas roupas sociais," eu digo.
Ele olha para baixo, para o seu terno abotoado. "Este terno particular não é feito
para o conforto."
"Eu posso dizer, mas parece sexy como o inferno em você, então eu acho que
isso faz valer a pena." Ele me dá um sorriso de lado e tira o casaco.
"Isso também precisa ir." Eu me inclino em direção a ele e tiro sua gravata e
desabotôo o botão de cima de sua camisa para deixar seu pescoço respirar.
Ele puxa uma respiração. Quando eu olho para ele para ver porque, eu percebo
que minha blusa está aberta e ele pode ver tudo. Eu finjo que não percebo e deixo que
ele dê uma olhada. Ele não diz nada e não tenta desviar o olhar.
"Você cheira incrível," eu deixo escapar. Eu estava pensando, mas não pretendia
dizer isso em voz alta. Tarde demais agora. "Qual é esse perfume?"
"Dolce e Gabbana."
Seus brilhantes olhos azuis finalmente deixam meus seios e agora eles parecem
procurar meu rosto. Eles deixam uma trilha crepitante dos meus olhos para os meus
lábios.
Por favor, não me olhe assim. Eu não consigo pensar direito quando você me
olha assim.
Minha respiração é errática. Consigo ouvir isso. Eu sei que ele também pode
ouvir. Eu tento diminuir o ritmo, respirar fundo, mas não está funcionando.
Nossos olhos se encontram e, embora eu saiba que eu deveria desviar o olhar,
nenhum de nós parece estar disposto, ou mesmo capaz. Antes de me dar conta, tenho
quatro botões da camisa dele desfeitos.
Um pequeno pedaço de cabelo no peito mostra através dele. Eu quero tocar tão
mal. Ele toca meu braço e eu pulo um pouco. Seus dedos traçam uma linha ao longo da
pele do meu braço, até as pontas dos meus dedos. Seus dedos tecem junto com os meus
e agora ele está segurando minha mão.
“Não há nada para ficar nervosa quando se trata da minha família. Se eles
fizerem ou disserem alguma coisa para você se sentir mal, me avise e eu os colocarei no
lugar deles.”
Eu olho para a mão dele segurando a minha e levo-a aos meus lábios. Sua
respiração também muda. Eu beijo cada ponta de seus dedos, meus lábios se demorando
no último. Suas mãos cheiram como sabão.
"Isso é parte da nossa história?"
Ele pergunta em uma voz que parece fora de ordem.
Eu concordo. “Quanto mais nos unimos, mais convincente será a nossa relação.
Você não acha? Então eu não vou ter que ficar nervosa em conhecê-los e tentar fazê-los
acreditar que somos um casal.”
Ele balança a cabeça.
"Sim, essa é uma boa estratégia." Ele hesita. “Mas talvez não seja uma boa
idéia.”
“Por que não?”
"Porque eu sou seu empregador. Você depende do dinheiro para esse trabalho.
Não é uma distribuição justa de poder.”
Eu sorrio. "Isso é muito atencioso de você se importar, mas eu não dou a
mínima. Eu quero você.” Eu desfaço o resto dos botões e abro a camisa dele. Ele geme
de uma maneira que me faz pensar que ele está tendo uma luta moral interior, mas
perdendo a batalha de vontades.
"E eu tenho certeza que você me quer também," eu digo.
Ele luta para manter contato visual, mas seu olhar continua encontrando a lacuna
na minha camisa.
Eu não vou facilitar para ele dizer não para mim. Eu tiro minha blusa e agora ele
nem finge não olhar. Seus olhos me bebem, pupilas dilatando. Eu uso minha camisa
para amarrar seus pulsos juntos.
“Agora eu tenho o poder. Isso faz você se sentir melhor?” Pergunto.
Sua risada baixa e sorriso doce fazem coisas para o meu corpo que eu não sabia
que eram possíveis.
"Isso me faz sentir melhor, na verdade", diz ele.
"Bom."
Seu peito está totalmente nu para mim agora. Ele tem um corpo incrível, assim
como imaginei que ele teria. Músculo duro, tonificado. Sua pele é a única coisa macia
sobre ele.
Eu me inclino e beijo seu peito, corro meu dedo através do pequeno pedaço de
cabelo que eu estava admirando mais cedo. Eu faço o meu caminho até o pescoço dele
onde eu o lambo. Ele tem um gosto tão bom quanto ele cheira.
Quando acabo de mordiscar o pescoço dele, sinto o queixo dele e coloco beijos
suaves na linha da sua mandíbula. E assim que estou prestes a beijar seus lábios, ele de
repente se afasta, segurando as mãos amarradas na frente dele como uma barreira.
Estou tão confusa. Eu pensei que ele estava nisso.
"Eu fiz alguma coisa errada?" Eu pergunto.
"Não, de forma alguma", diz ele. "É só que... você não precisa fazer isso. Não
faz parte do acordo."
"Eu sei. Eu pensei que já resolvemos isso."
"Eu quero que você saiba que não é necessário," diz ele.
Entendi. Ele está em um negócio dominado por homens e, como proprietário de
uma empresa multibilionária, precisa ser cuidadoso, mas isso é diferente. Não há equipe
de RH para mim recorrer se eu não gostar das condições do nosso acordo. Então
começo a me perguntar se talvez ele simplesmente não esteja em mim.
"Você não quer que eu te toque?" Eu pergunto.
Seus olhos se arregalam.
"Claro que sim." Ele move as mãos e eu vejo a evidência de sua luxúria
enchendo a frente de suas calças bem. "Não é apropriado para o nosso acordo
comercial."
"Não seria mais crível, porém, se fôssemos íntimos?"
Minha voz sai como um gemido. Estou praticamente implorando. Eu o quero
tanto que vou fazer qualquer desculpa para que isso aconteça. Eu acho que ele sabe
disso também porque solta um suspiro de riso.
"Talvez outra hora. Eu preciso voltar ao trabalho.”
Eu solto uma respiração decepcionada, mas não vou pressioná-lo.
Ele olha para os meus seios enquanto eu desato seus pulsos e coloco minha
camiseta de volta. Eu sei que isso é tão difícil para ele quanto para mim, mas ele
claramente tem muito mais força de vontade do que eu.

Eu vou para a minha ala do condomínio. É enorme. É do mesmo tamanho que o


de Heath, mas não é o que ele vive.
A cama é maior que a do apartamento que compartilho com Mandi. Uma garota
poderia se acostumar com todo esse espaço... no entanto, é um pouco solitário.
Quando olho em volta, penso em beijar o peito e o pescoço de Heath, a maneira
como ele olhou para mim sem a minha camisa. Eu ainda não consigo acreditar que fiz
isso.
Isso não é real, o que quer que isso seja entre Heath e eu, mas por um breve
momento, parecia que era e eu queria. Eu acho que ainda quero. Eu não consigo parar
de pensar nele e quero, ele.
Ele é tão bonito e sexy. Qualquer garota na minha posição faria. Mas isso não é
o que ele quer de mim. Ele está procurando uma noiva falsa para passar esse tempo com
seus pais e eu tenho que segurar esses sentimentos estranhos e inesperados.
Eu preciso de algumas coisas do meu apartamento, então eu faço várias viagens
de ida e volta para pegá-las.
É também uma desculpa para dirigir meu incrível carro temporário. Eu sei que
não posso mantê-lo, então vou aproveitar o máximo que puder enquanto o tiver.
Na última viagem para o meu apartamento, Mandi chega em casa e estou tão
aliviada por finalmente vê-la.
"Como as coisas foram?" Ela pergunta.
“Incrível. Ele não é nada como eu pensei que ele seria. Ele é muito legal e doce.”
Mandi suspira.
"Eu estava com medo de que isso acontecesse."
"O que?"
“Você está se apaixonando por ele.”
“Não, eu não estou.”
"Sim você está. Eu vejo isso em seu rosto e posso ouvir em sua voz. Você não
pode se envolver com, esses caras, Sylph. Eles são clientes, não pessoas.”
“Eles são pessoas,” eu digo.
"Mas não o nosso povo," diz ela no mesmo tom de palestras que eu acabei de
usar nela. "Esses homens nunca namorariam alguém que não venha de uma família com
dinheiro ou que não esteja no nível deles."
Meu rosto deve revelar o quanto me sinto desanimada, porque ela me olha com
simpatia e diz: “Eu sei. É uma merda. Uma vez eu tive um cliente que pensei que era
para mim. Ele me levou em férias extravagantes, bebeu e me comeu. Nós até fizemos
sexo em várias ocasiões. Eu pensei que nós tivéssemos algo especial. Mas acabou que
ele estava apenas tentando deixar sua ex, ciumenta. Funcionou. Assim que ela voltou
em sua vida, ele me deu um pé. Eu sabia melhor, mas me deixei apaixonar por ele de
qualquer maneira. Foi de partir o coração. É por isso que você não deve sentir coisas,
Sylph. Você tem um coração tão grande, e é por isso que precisa protegê-lo.”
"Eu sei. Você está certa," eu digo. E eu sei que ela está certa, mas isso não me
faz sentir melhor. "Eu não estou me apaixonando nem nada. Estou apenas curtindo meu
tempo com ele.”
"Bom." Ela olha para minhas malas. "O que é tudo isso?"
"Eu vou ficar com ele enquanto a família dele estiver na cidade."
"Isso é normal. Mas como eu disse, dormir com ele não faz parte do acordo,
então não se sinta obrigada a fazer algo que você não queira fazer.”
Não há nada que eu não queira fazer com Heath, mas há muito o, que eu quero
fazer com ele - e com ele.
O problema é que ele não está se mexendo. "Isso não será um problema."
Heath liga para me avisar que estará de volta às oito da noite no condomínio e
quer passar algumas coisas comigo antes de eu encontrar seus pais amanhã. Enquanto
espero, decido correr até a mercearia para pegar algumas coisas, já que a geladeira dele
está vazia.
Paro em uma barraca de frutas e legumes frescos. Eu escolho algumas coisas e
paro na loja para tudo o que preciso para esta noite.
Eu amo cozinhar.
Minha mãe me ensinou a partir do momento que eu pude andar. Desde que eu
cresci em uma fazenda, nós nunca comemos fora, então aprender a cozinhar era
essencial.
Eu decido fazer bife de pimenta com cenouras vidradas e uma salada.
Vasculhando através de seus armários, é óbvio que nenhum de seus potes e panelas já
foram usados. Alguns deles até têm etiquetas de preço e adesivos anexados.
Agora é um bom momento como qualquer outro para tirá-las. Eu aprendo meu
caminho em torno de sua cozinha. Como está, claro que ele nunca usa, eu tomo a
liberdade de mudar as coisas, então o acordo faz mais sentido.
Eu termino de fazer o jantar assim que Heath entra pela porta. Ele pára na
passarela e olha para a mesa que está pronta.
"Espero que você esteja com fome," eu digo.
Ele ainda parece confuso quando ele pendura o casaco e caminha até a mesa,
estudando os pratos que eu preparei.
“Eu estou, na verdade. Eu estava prestes a perguntar se você queria que eu
ligasse para pedir alguma coisa, mas vejo que você já fez isso. Quem trouxe isso?
Cheira incrível.”
Agora é minha vez de ficar confusa. “Ninguém trouxe isso. Eu fiz isso.”
“Você fez isso?” Ele diz.
Eu rio do jeito que ele diz isso, como se fosse uma grande façanha de
engenharia. "Sim eu fiz. Sente-se antes que fique frio.”
Ele faz como eu disse. Eu observo seu rosto enquanto ele dá uma mordida, com
medo que ele não goste. É apenas comida caseira. Nada chique.
Ele provavelmente está acostumado a comer em, restaurantes cinco estrelas
parecidos com aquele no arquivo em que tivemos nossa segundo encontro de
fingimento. Quando sua próxima mordida é tão grande que mal cabe em sua boca, eu
sei que ele gosta disso.
"Isso é extraordinário," diz ele com a boca cheia. "Você foi para a escola de
culinária?" Pergunta ele, dando outra mordida.
“Não, só peguei algumas dicas e truques da minha mãe. Ela é uma cozinheira
muito melhor do que eu.”
“Eu não posso imaginar isso.”
Ele limpa seu prato e o preenche novamente em segundos. Eu esqueci o quanto
eu amo cozinhar para alguém. Mandi nunca come minha comida porque ela está sempre
fazendo uma dieta nova. Meu ex sempre gostou da minha comida, mas ele nunca
apreciou. Cozinhar era sempre apenas esperado. Foi necessário. Jantar na mesa às 6 h
em ponto, ou então…
"Eu não posso comer outra mordida," diz Heath, em seguida, dá outra mordida.
Eu ri. Ele é tão adorável. Fico feliz em vê-lo comer. É bom ser apreciada de vez
em quando.
Levanto-me e começo a limpar a mesa. "Não, não. Eu vou cuidar disso,” diz ele.
"Você tem trabalhado o dia todo, pegue uma cerveja e vá relaxar," digo a ele.
"Tem cerveja?"
"Na geladeira. Eu não sabia o que você gosta, ou se você gosta de cerveja, então
eu acabei de comprar algo da cervejaria local.”
Eu balancei minha cabeça. Ele é provavelmente mais um tipo de cara de vinho.
Isso nem passou pela minha cabeça.
"Eu gosto de cerveja," diz ele e abre a geladeira. Ele faz uma pausa na porta.
"Está cheia," ele diz surpreso.
"Você precisava de algumas coisas."
"Isso é mais do que algumas coisas."
"Você precisava de muitas coisas, na verdade."
Ele pega uma cerveja e me segue até a cozinha enquanto eu pego nossos pratos
sujos. Eu encho a pia com sabão. Ele coloca sua cerveja no balcão e pega o prato de
mim depois de eu lavá-lo. Ele seca com uma toalha e coloca no armário.
Nós caímos em conversas fáceis enquanto trabalhamos. É surpreendente que,
apesar de não termos nada em comum, temos muito a dizer um ao outro. Nunca há uma
pausa na conversa ou um silêncio desconfortável.
Ele me conta tudo sobre sua família e nós repetimos o plano de novo e de novo.
Então eu pergunto a ele sobre o seu dia. Ele me conta sobre suas reuniões e os
insuportáveis inspetores de edifícios.
Ele pergunta sobre o meu dia, o que me surpreende um pouco. Muitas coisas me
surpreendem sobre Heath, eu acho. Meu ex nunca perguntou sobre o meu dia. Ele nunca
me ajudou com os pratos.
Ele nunca me disse que eu era talentosa na cozinha. Ele apenas comeu minha
comida e arrotou, então se sentou no sofá e assistiu qualquer jogo que estivesse
acontecendo na hora. Acontece que meu relacionamento falso pode ser o melhor que eu
já estive.
Quando os pratos estavam prontos, ele diz: “Estou exausto. Eu vou descansar.”
Dizemos nossas boas noites e seguimos nossos caminhos separados. Eu tento ler,
e quando isso não me deixa dormir, penso em Heath e me masturbo.
Por sorte me lembrei de trazer meu vibrador. Um acessório muito importante
quando você está compartilhando uma casa com um homem sexy que você não pode
tocar.
Ficar sozinha me relaxa o suficiente para me fazer dormir, mas saber que Heath
está no corredor longo faz com que pensar nele seja um pobre substituto. Estou tentada
a andar nua em seu quarto e fazer o meu caminho com ele, mas não consegui lidar com
a rejeição se ele não está envolvido.
As horas passam e não tenho como dormir, então eu decido me levantar, tomar
um sorvete e assistir TV por um tempo.
Estou na cozinha quando a porta do quarto de Heath se abre. Eu não acho que
ele estaria de pé, então não me preocupei em colocar um robe. Minha camiseta é apenas
o suficiente para cobrir minhas bochechas.
"Eu sinto muito, eu te acordei?" Eu digo.
Ele está usando apenas um par de pijamas de flanela e, maldito, ele os usa bem.
Eu não posso ter o suficiente de seu peito nu, a maneira como seus músculos parecem
ter sido esculpidos em madeira dura. O cara é esculpido e aqueles braços...
Não há nada mais sexy do que um cara com braços bonitos. Eu os vejo em volta
de mim, me puxando para ele, esmagando nossos corpos juntos. Eu percebo que estou
olhando para ele, então olho para o pote de sorvete em minhas mãos.
"Não, eu não consegui dormir," diz ele. Ele está me encarando também, com
minhas pernas nuas.
"Nem eu. Eu tenho dificuldade em dormir em lugares estranhos. Qual é a sua
desculpa?"
Eu pego uma segunda colher da gaveta e entrego a ele. Ele pega uma colher
cheia do redemoinho de caramelo de chocolate.
"Minha família. Eu estou sempre tenso quando eles estão na cidade. Eles podem
ser esmagadores.”
Ele coloca a colher na boca, revira os ombros e estremece. Eu posso literalmente
ver o músculo em seus ombros tensos com a tensão.
"Sente-se," digo a ele. "Eu tenho algo que é garantido para ajudá-lo a dormir."
Ele parece cético, mas diz: "Ok."
Eu vou para o meu quarto onde eu encontro meus suprimentos de higiene que eu
trouxe do meu apartamento. Dentro tem alguns óleos de massagem que me foi dado
como um presente de Mimos para o meu aniversário no ano passado.
Canela, meu perfume favorito. Também é bom para músculos doloridos. Eu
pego os óleos e volto para a cozinha, onde Heath ainda está cavando o recipiente de
sorvete.
Ele olha para os óleos nas, minhas mãos e, depois para mim. Eu posso ver os
músculos de seus ombros tensos ainda mais.
"Relaxe," eu digo, e coloco várias gotas em minhas mãos e as esfrego para
aquecê-las. Eu fico atrás dele e começo a massagear seus ombros com meus polegares.
Ele solta um gemido silencioso e diz: "Você não precisa fazer isso."
"Eu quero."
Eu trabalho sobre seus ombros, subindo pelas laterais do pescoço e descendo
pelas costas até que ele começa a se transformar em massa em minhas mãos.
"Isso seria mais fácil se você estivesse deitado," eu digo. "Vamos para o sofá."
“Minha cama é provavelmente melhor, é mais confortável do que aquele sofá. A
coisa é construída para aparência, não para conforto.”
Eu paro. Sua cama? Acho que ele percebe como soa e rapidamente diz: "Mas
tenho certeza de que o sofá vai ficar bem."
"Não, vamos para a sua cama," eu digo.
Eu o sigo para o seu quarto. Não é nada de especial. Tudo é simples, cinzento,
chato. Precisa de um toque de mulher. Ele definitivamente tem a vibe de solteiro
acontecendo.
"Deite de bruços," digo a ele.
Ele faz e eu subo na cama, ajoelhada ao lado dele. Não é uma posição muito
confortável para estar, e é difícil para mim realmente cavar os músculos de seus
ombros, então eu escalo sua bunda ao invés.
Suas costas ficam tensas quando eu faço isso.
"Relaxe seus músculos," eu sussurro para ele.
Finalmente, depois de amassar os ombros um pouco mais, ele começa a relaxar.
Eventualmente seu corpo inteiro se solta. Sua pele parece deliciosa sob as pontas dos
meus dedos, especialmente na parte baixa de suas costas.
Sua bunda parece boa e firme, eu gostaria de massagear também, mas eu não
ouso. Eu me pergunto se ele pode dizer o quão quente eu estou entre as minhas pernas e
molhada.
Tenho certeza de que quando eu levantar, haverá uma mancha molhada na parte
de trás do seu pijama onde eu tinha ensopado minha calcinha.
"Você pode tirar isso para que eu possa esfregar as costas de suas pernas
também?" Eu pergunto, puxando o cós da calça do seu pijama.
"Hum, eu poderia, mas eu não estou vestindo nada por baixo."
"Eu vou pegar uma toalha," eu digo e vou para o banheiro anexado ao seu quarto
e pegar uma toalha.
Quando eu volto, a calça do seu pijama está tirada. Ele está segurando elas na
frente dele, e ele está olhando para o ponto úmido que eu deixei nas costas. Seus olhos
encontram os meus e sei que ele sabe o que causou isso.
Eu finjo não ver e entrego a toalha. O pomo de Adão se afunda em sua garganta
enquanto se cobre com a toalha e deixa cair a parte de baixo no chão.
"Deite-se," eu digo a ele.
Ele faz, e eu começo a trabalhar em suas longas pernas, movendo minhas mãos
da base de sua bunda até os pés, onde passo muito do meu tempo. Até os pés dele são
lindos. Esse homem tem um único defeito?
Estou tão ligada agora que parece que eu me molhei. Eu provavelmente deveria
parar antes de fazer algo ou tocá-lo em algum lugar que mudaria tudo.
"Você pode se levantar agora."
"Eu não posso, na verdade," diz ele.
"Por que não?"
Eu esfreguei muito forte? Eu machuquei ele?
"Eu tenho uma situação embaraçosa acontecendo debaixo dessa toalha."
Eu sorrio. Ele deveria ver a situação embaraçosa acontecendo na frente da minha
calcinha.
"Eu odeio revelar isso a você, mas já vi sua situação antes, depois que nos
beijamos no parque e, acredite em mim, você não tem nada com que se envergonhar."
Ele rola de costas e consegue manter-se escondido pela toalha. Com certeza,
existe uma situação.
Uma situação muito grande.
Sem a gaiola de suas calças de terno para contê-lo, vejo que ele é muito maior do
que eu pensava inicialmente, e não consigo tirar meus olhos do monte escondido por
aquela maldita toalha.
Eu quero tirá-la fora e expô-lo.
"Você sabe que meu rosto está aqui em cima, certo?"
Ele diz em uma voz provocante.
Meu rosto está tão quente quanto um forno. Eu só posso imaginar o tom
desagradável de carmesim que deve ser.
"Me desculpe, só faz um tempo desde então, você sabe... e sua pele, minhas
mãos, esse peito..."
Eu estou apenas cuspindo palavras aleatórias, esperando que elas se juntem para
fazer sentido.
A maneira como ele está olhando para mim não está ajudando. Ele está olhando
para mim da mesma maneira que eu me sinto olhando para ele, e nós dois estamos
ligados e não há nada além dessa toalha traquina, minha calcinha e um dilema moral
para nos parar.
Ele toca o lado da minha perna nua, enviando arrepios por todo o meu corpo. Eu
não estou usando sutiã, então quando meus mamilos endurecem, é dolorosamente
óbvio.
"Você é linda," ele sussurra para mim.
"Então você é," eu sussurro de volta.
Então eu estendo a mão e toco seu peito.
Ele suga o ar através dos dentes. Tocando seu peito não é suficiente para mim.
Eu não quero apenas tocá-lo. Ele parece delicioso. Eu quero prová-lo também.
Quando eu pego a toalha, ele agarra meu pulso para me impedir.
"Nós não podemos-"
"Nós podemos," eu insisto. "Eu quero."
Sua respiração fica mais pesada e ele solta meu pulso. Eu puxo a toalha e deixo
cair. Seu pênis pode muito bem ser o mais impressionante que eu já vi.
Tantas mulheres que eu conheço pensam que o pau de um homem é feio, mas
não eu. E o de Heath é especialmente tentador. É grande e adorável, a cabeça brilhando.
É uma obra-prima do caralho.
Eu toco o comprimento no começo, deslizando minha mão ao longo da pele
aveludada. Ele faz um gemido sonhador quando eu envolvo minha mão em torno dele.
Então eu me ajoelho e me inclino para frente e tomo-o na minha boca.
Ele tem um gosto tão incrível quanto parece e enche minha boca muito bem. Eu
lentamente trabalho seu comprimento na minha garganta e ouço os ruídos sensuais que
eu faço enquanto ele gosta dos meus esforços.
Ele passa as mãos pelo meu cabelo, tomando um punhado enquanto eu
milagrosamente engulo todo o comprimento dele. Eu trabalho suas bolas com as pontas
dos dedos e ele começa a fazer um som desesperado.
"Isso é tão bom pra caralho," ele diz.
Eu subo para tomar ar e lambo-o da ponta da cabeça, ao longo da veia inchada
na parte inferior, até suas bolas. Eu pego um na minha boca, giro com minha língua e
faço o mesmo com o outro.
"Isso é um inferno de boca que você tem," diz ele com um sorriso torto.
"Você gosta disso?"
"Eu amo isso," diz ele, sua voz grossa com luxúria.
"Eu quero que você foda meu rosto," eu digo a ele.
Eu amo dar um boquete suave e sensual, mas agora eu quero deixá-lo tonto de
vontade. Eu quero que ele nunca seja capaz de resistir a mim novamente.
"Tem certeza?" Ele diz timidamente, mas posso dizer que ele quer.
"Eu posso aguentar," insisto.
Eu faço o meu caminho de volta até seu pênis com a minha língua, lambo a gota
de pré-gozo da ponta e engulo-o de volta para baixo.
Heath maldiz e levanta seus quadris para cima para empurrar dentro da minha
boca no meu caminho para baixo.
Eu amo ter esse tipo de controle sobre ele. O jeito que ele implora e implora para
eu não parar. Sinto orgulho de saber quanto prazer ele tem agora e tudo por minha
causa. Eu observo seu rosto enquanto eu o chupo, a crueza de sua expressão, a luxúria, a
restrição.
Sua respiração começa a entrar em fogo rápido, os sons que ele está fazendo são
mais animalescos. Ele segura os lados do meu rosto e bombeia para mim como se fosse
minha buceta.
Ele para de repente e diz: "Espere, espere."
Mas não há espera. Eu quero, ele eu quero tudo dele. Eu começo a balançar nele,
empurrando suas mãos para que eu possa fazer todo o trabalho. Eu sou a responsável
agora.
"Oh, Deus. Oh foda-se," ele canta.
Finalmente, com um som quase dolorido, ele solta e eu agarro seus quadris
enquanto ele bate em mim. Eu engulo cada gota, e com a minha língua, eu lambo tudo o
que escapou dos cantos dos meus lábios de sua explosão.
"Então, se sente melhor?"
Eu digo com um sorriso torcido e satisfeito quando o liberto das garras da minha
boca.
"Muito melhor," diz ele, com a voz rouca e exausta.
"Durma um pouco," eu digo. "Temos um grande dia amanhã."
"Mas você não quer que eu..."
"Há muito tempo para isso," eu digo, e volto para o meu quarto onde me
masturbo novamente.
Na manhã seguinte, antes de sair, verifico Sylph. Eu bato levemente na porta
dela, mas ela não responde.
Esperando que o que aconteceu na noite passada entre nós não a assustou e a
mandou correndo pra fora, eu verifiquei a maçaneta da porta. Não está bloqueada.
Eu vou para dentro. Suas malas estão no sofá, abertas, coisas se derramando.
Então eu verifico o quarto dela. Ela está deitada de lado na cama, com seus longos
cabelos cobrindo o travesseiro, dormindo. Ao lado dela, na mesa de cabeceira, está um
formidável vibrador rosa.
Eu cubro meu sorriso com a mão. Tenho certeza que eu não deveria ver isso,
então eu saio do apartamento sem acordá-la. Eu acho que ela estava tão excitada quanto
eu estava com o que aconteceu entre nós na noite passada.
Eu não queria deixar chegar tão longe, mas tenho que admitir, não, sinto muito
por isso. Eu não me soltei há muito tempo. Ela tem uma boca premiada. Aquela garota
sabe como chupar um pau.
Estou ficando duro só de pensar nisso. Depois de ver aquele vibrador na mesa de
cabeceira e imaginá-la usando em si mesma, minha bandeira está no mastro completo.
Agora eu não consigo tirar ela da minha mente. Eu sei que o que ela fez não teve
nada a ver com dinheiro. Ela sabe que não estou pagando a ela por favores sexuais.
E então ela fez o jantar para mim. Esses não são o tipo de coisa que as mulheres
contratadas fazem sem motivação em dinheiro.
É ingênuo pensar que pode haver algo entre nós?
Não é como ser noiva de aluguel é seu trabalho típico. Não há outros homens
por aí que compartilharam essa mesma experiência com ela.
Eu não sei. Eu não quero ter minhas esperanças, então eu tento não pensar nisso.
Dirijo meu motorista para um restaurante no centro da cidade. Em vez de deixar
os lobos chegarem imediatamente a Sylph, decido tomar café da manhã com a, minha
família primeiro e, garantir que eles tenham o melhor comportamento possível.
Eles já estão no restaurante quando eu chego, o que choca todo mundo, inclusive
eu, já que geralmente sou sempre o primeiro a chegar em qualquer lugar que vamos.
Meu tempo com Sylph ontem à noite jogou tudo fora.
Eu me vejo pensando nela em vez de prestar atenção ao tempo. Um olhar para o
rosto do meu pai e é óbvio que ele está irritado com o meu atraso. Minha mãe não se
importa. Ela não se preocupa com nada fora de todos os seus bailes arrecadadores de
fundos e almoços.
Ela está me esperando de braços abertos. Pela aparência das coisas, ela já teve
muitas mimosas. Os gêmeos, Theo e Aurora, dois anos mais novos que eu, usam as
mesmas expressões incrédulas em seus rostos.
"Esta é a parte em que você nos diz que todo esse noivado é uma piada e que
podemos ir para casa?"
Theo diz. Ele usa um casaco de algodão, calções que batem um pouco acima do
joelho, e sapatos de barco. Um visual moderno para os jovens e ricos nos dias de hoje,
mas para mim ele parece uma ferramenta.
"Onde está a garota que roubou o coração do meu querido irmão mais velho?"
Diz Aurora. Seu sorriso sacarino faz pouco para esconder seu desprezo.
"Ela está ocupada fazendo preparativos para o casamento. Eu queria te ver
primeiro e contar um pouco sobre ela antes de você se encontrar.‟
"O que há de errado com ela?" Pergunta Aurora.
"Nada," eu digo. “Ela é diferente. Ela é realista e genuinamente gentil.
Absolutamente linda. Sua risada sozinha deixará alguém à vontade. Eu me importo
muito com ela, então quero que vocês dois sejam gentis com ela.”
Eu posso ouvir a mudança na minha voz quando falo sobre ela. A verdade por
trás das minhas palavras é impossível de esconder, o que parece confundir os gêmeos.
"Estamos sempre no nosso melhor comportamento," diz Theo com uma ligeira
inclinação dos lábios, o que geralmente significa o oposto do que ele está dizendo.
"Bem, ela parece adorável, querido," diz minha mãe. "E eu, por exemplo, não
posso esperar para conhecê-la."
O resto da refeição é preenchido com o bate-papo dos gêmeos, e do lado de fora
todos parecem estar bem com o noivado. Talvez meus pais estejam, mas conheço os
gêmeos melhor que isso.
Durante a volta para casa, me sinto excitado ao ver Sylph novamente. Eu tento
dizer a mim mesmo para não estar. Esta não é uma situação permanente. É melhor não
se apegar.
Mas no momento em que passo pela porta e a vejo, sentada no sofá com um
livro nas mãos, há uma reviravolta de desejo no meu peito. Desejando beijá-la, abraçá-
la, estar com ela de qualquer maneira.
Eu só quero estar perto dela. Esse pensamento mexe com a minha mente, e então
eu tento transformar meu rosto em uma máscara sem emoção para que ela não veja.
Seu rosto se ilumina quando ela me vê e é difícil não sorrir, mas eu consigo.
"Ei você. Você acordou cedo,” ela diz.
“Saí para o café da manhã com minha família. Eu queria ter certeza de que eles
estavam no seu melhor comportamento quando eles te conhecerem.”
"Você é muito doce para se importar com meus sentimentos desse jeito."
Eu abro minha boca para dizer, eu nunca deixaria ninguém te machucar, mas
decido segurar minha língua. Eu odeio a confusão que sinto agora.
Isso deveria ser fácil.
Esse é o ponto em contratar alguém para casar comigo - sem apegos, sem
sentimentos, e ainda assim estou quebrando todas as regras. Como isso aconteceu?
"Sylph, sobre a noite passada... nós provavelmente deveríamos falar sobre isso."
“Tem certeza de que quer falar sobre isso? Você não preferiria uma
reconstituição?”
Ela me dá um sorrisinho diabólico que faz o traidor em minhas calças se animar.
Eu ia dizer a ela que isso não pode acontecer de novo, mas agora as palavras não vêm a
mim. Em vez disso, me vejo sorrindo como um idiota. Euincline-me para beijá-la assim
como há uma batida na porta.
Eu me endireito, tento ajustar minhas roupas. Droga. Heath estava prestes a me
beijar. Eu não consegui parar de pensar nele desde o que aconteceu entre nós na noite
passada.
Na verdade, se estou sendo honesta comigo mesmo, não consigo parar de pensar
nele desde o primeiro beijo em nosso primeiro encontro. Heath Starre me pegou
completamente de surpresa.
Heath abre a porta e, atrás dela, está uma das mulheres mais bonitas que já vi na
vida. Ela é jovem, com vinte e poucos anos, longos cabelos ruivos e longos membros.
Ela está usando um vestido de contorno corporal que se encaixa perfeitamente.
Quando ela sorri, é com lábios carnudos e dentes brancos e retos. Esse é o tipo
de garota que eu imagino que Heath namoraria antes de ele começar a me namorar.
O ciúme ruge em minhas veias e me odeio por isso. Eu tenho que continuar me
lembrando que isso não é real com ele e que vai terminar no momento em que ele não
precisar mais dos meus serviços.
"Oi," a mulher diz alegremente.
Heath revira os olhos. "O que você está fazendo aqui?"
"Você realmente não vai me fazer esperar até o jantar para conhecer minha
futura cunhada, não é?" Ela diz.
Cunhada?
Ela deve ser um dos gêmeos. Alívio me lava.
Relutantemente, Heath se afasta e a deixa entrar. Ele olha para mim com um
olhar cheio de desculpas.
“Sylph, conheça minha irmã. Esta é Aurora.”
Ela usa um sorriso, mas há algo muito desagradável sobre o jeito que ela está me
estudando. Deve ser como se sente ser uma galinha perseguida por uma raposa.
"Sylph, é tão bom conhecer você."
Eu me levanto e dou um abraço nela. Na pasta que Heath me deu sobre sua
família, aprendi que Aurora não abraça. Ela não é uma pessoa fisicamente carinhosa.
Ela é mais doadora de presentes.
E é exatamente por isso que a abracei: jogá-la fora do jogo, do jeito que ela me
jogou fora do meu, aparecendo do nada.
Parece funcionar, porque quando eu passo para trás, ela parece desnorteada e
pronta para fugir da cena.
"Hum," diz ela e olha para Heath. Ele dá de ombros e sorri para mim porque
sabe o que estou fazendo e parece se divertir com isso.
Aurora é rápida para recuperar e emplastra o falso sorriso de volta em seu rosto.
“Eu estava esperando para levar você às compras. Você ainda não encontrou seu
vestido de casamento, não é mesmo?”
“Ainda não, mas não posso ficar sem minha melhor amiga. Ela é minha dama de
honra,” eu digo.
Embora eu ainda não tenha pedido a Mandi para ser a dama de honra, parece um
relacionamento falso ou não.
"Mande um texto pra ela," diz Aurora.
"Agora mesmo?"
“Claro, boba. Você tem que pegar o seu vestido o mais rápido possível antes que
todos os bons tenham sido levado.”
Eu olho para Heath em busca de ajuda. Ele encolhe os ombros como se ele não
soubesse o que fazer.
Então, eu mandei mensagem furiosamente para Mandi na esperança de que ela
venha conosco e desarme esta bomba. Eu digo a ela que estou prestes a ir às compras
com a irmã de Heath, que pode ou não ser ela mesma. Mandi responde que gostaria de
poder, mas está ocupada com o trabalho.
Que diabos?
Ela me colocou nessa bagunça. Ela deveria estar aqui para mim quando eu
precisasse dela, mas parece que ela tem me evitado.
Eu respiro fundo e me endireito.
"Ela não consegue. Parece que estamos sozinhas.‟‟
Aurora me dá um sorriso predatório e diz: “Perfeito. Eu tenho um carro nos
esperando lá embaixo.”
Eu tento todos os vestidos que Aurora escolhe para mim. Eles são todos lindos,
mas com nenhum deles me sinto bem. Esta não é a sua típica loja de roupas onde você
pode encontrar algo acessível, mas ainda bonito. Este é um lugar onde a realeza faria
compras se eles se casassem.
Tudo é feito sob medida, único, de alta costura. Eles servem champanhe e
atendem a todos os nossos desejos. Eu sou grata pelo álcool. Isso resolve nos meus
nervos um pouco. Muito pouco.
Aurora me faz muitas perguntas. Está começando a parecer mais um
interrogatório do que prova de um vestido. Eu estou cuidando para manter a história que
foi apresentada para mim por Heath. Eu não acho que ela esteja comprando nada disso.
Eu tento o último vestido da pilha. É lindo. Todos eles são. Mas este é
especialmente bonito. Frisado a mão, pescoço alto com renda, mas mangas curtas
cobertas. Muito moderno, como nada que eu já vi antes, que deve ser porque o preço é
tão alto. E embora eu ame o jeito que parece, e isso me serve como uma luva, ainda não
parece certo. Não tenho certeza se alguma coisa será.
"Como vocês se conheceram?"
Aurora pergunta enquanto a moça que está nos ajudando me mostra tiaras e
véus.
Eu digo a ela sobre andar com os cães no parque, como eles tiraram a coleira e
como Heath salvou o dia. Minha mente começa a vagar de volta para aquele dia quando
Heath comeu do carrinho de cachorro-quente depois de se recusar a princípio, e como
ele amava tanto que ele terminou o meu.
Ele estava tão rígido e desajeitado no começo, e eu não tinha certeza se ia gostar
dele quando nos conhecemos, mas então, aparentemente do nada, ele me encantou.
Então houve aquele beijo... Era o tipo de beijo que as garotas sonham.
Enquanto estou contando a história, percebo que estou sorrindo e ouço o
capricho na minha voz. Quando termino de contar a Aurora como Heath e eu nos
conhecemos, suas sobrancelhas estão levantadas.
É essa surpresa que vejo e talvez um pouco de diversão?
"Uma noiva literalmente corada," diz ela.
Eu olho para o meu peito e vejo que estou vermelha. Heath faz isso comigo.
Aparentemente, o mesmo acontece com o pensamento dele. "Isso é tão eu.”
“Essa história. É muito romântica."
"Foi," eu digo, e não é mentira.
“Não parece nada com meu irmão. Ele normalmente é tão duro.”
Eu não sei porque, mas o comentário dela me deixa no limite e eu sinto a
necessidade de defender Heath.
"Talvez você não o conheça tão bem quanto pensa."
Toda a sua família vive fora do país e, pelo som, eles não vêm visitá-la com
frequência.
Como ela saberia como ele age com alguém com quem ele se importa?
Ela tem um leve sorriso no rosto e eu acho que ela propositalmente tentou me
chocar. Funcionou. Neste ponto, não me importo mais com o vestido. Eu só quero sair
daqui.
"Este vestido está bom," eu digo.
Aurora diz a mulher nos ajudando que vamos levá-lo. Não me sinto mal por
custar mais do que ganhei nos últimos dois anos juntos.

Heath se foi quando eu voltei para o apartamento. Eu vou para o meu quarto
onde há um espelho alto. Eu quero ver o vestido sem Aurora lá me julgando e sendo
suspeita.
Mesmo que o vestido seja para um casamento falso, quero me sentir bem em
usá-lo. Eu uso, mas há muitos botões e ganchos diferentes na parte de trás que eu
mesmo não consigo fazer.
Ainda assim, apenas segurando-o contra mim, olhando no espelho, parece tudo
errado.
Eu fecho meus olhos e suspiro, frustrada. Quando abro os olhos novamente, vejo
o reflexo de Heath no espelho. Isso me dá um começo. Ele parece igualmente
atordoado. Ele está olhando para o vestido.
Eu olho para o meu próprio reflexo, tentando ver o que ele vê. A única coisa que
parece certa sobre tudo isso é Heath. É quando percebo que meus sentimentos por ele
passaram do ponto sem retorno.
Para mim, isso se tornou mais do que uma relação de trabalho e é tudo culpa
minha. Eu não deveria ter beijado ele, ou começado a dar-lhe uma massagem. Eu não
deveria ter colocado minha boca nele ontem à noite.
Eu não deveria ter feito nenhuma dessas coisas, mas posso me arrepender. Agora
sei porque o vestido não parece certo. É porque eu não quero que seja um vestido para
um casamento falso com Heath. Eu quero o que ele e eu temos que seja real.
Mas não é real e não pode ser. Estou aqui para um trabalho. Heath não me quer.
As palavras de Mandi giram em minha mente sobre como eu não sou boa o suficiente.
Eu nunca vou ser o tipo de garota que um cara como ele gosta. Eu não tenho a
riqueza ou o status. Eu sou ruim para a imagem que ele parece se importar muito.
"Você está incrível," diz ele.
Eu sinto a pressão das lágrimas atrás dos meus olhos. Eu não posso chorar na
frente dele.
"Eu tenho que ir," eu digo, mas quando eu tento sair, meus pés se enroscam no
tecido e eu caio de joelhos.
Eu não estou ferida, mas eu permaneço lá de qualquer maneira, lutando contra as
lágrimas e este novo saco de areia emocional que eu trouxe para mim mesma. Heath
vem até mim e se ajoelha ao meu lado.
"Você está machucada?"
Eu sacudo minha cabeça. "Não."
"O que há de errado?" Ele pergunta quando eu cubro meu rosto.
"Eu odeio esse vestido."
"Por quê? Você está bonita. Você é a noiva mais bonita que eu já vi.”
Suas palavras não estão ajudando. Eles me fazem querer chorar ainda mais. Eu
rio para não chorar.
"Isso tudo é tão estúpido," digo em voz baixa.
Eu não acho que ele ouviu minhas palavras. Se ele fez, ele não pergunta o que
quero dizer com isso.
Eu chego atrás de mim para tentar desfazer os botões. Este vestido não foi tão
difícil de colocar como é para tirar. Quando desfiz os botões, percebo que o zíper está
preso.
Jesus Cristo, isso é um vestido ou uma camisa de força?
Está começando a parecer os dois.
"Deixe-me ajudá-la," diz Heath, e balança o zíper até que se solte. Ele solta e tira
o vestido dos meus ombros.
Ele então me ajuda a se levantar. Quando o faço, o vestido escorrega e fica aos
meus pés. Eu não estou usando sutiã, ou qualquer outra coisa, exceto uma calcinha fio
dental.
Seu olhar começa aos meus pés e lentamente - muito lentamente - toma cada
linha, cada curva do meu corpo até que nossos olhos se encontrem. Ele olha para mim
com luxúria não filtrada. Ele nem tenta esconder o fato de que ele está duro e eu não
faço nada para esconder minha nudez dele.
Dando um passo à frente, ele pega meus ombros e me afasta do espelho para
encará-lo. Seus olhos brilham com desejo e algo mais do que apenas luxúria, talvez. Ou
talvez eu só queira que ele sinta o mesmo que eu, então estou imaginando coisas.
Ele acaricia meus ombros e move as mãos pelos meus braços. Faz cócegas e me
sinto incrível ao mesmo tempo. Então ele me beija.
Não é um beijo doce e provocante. É o tipo que exige toda a minha atenção e me
deixa saber que ele não está brincando. Este beijo fala mais do que palavras jamais
poderiam e faz promessas sobre o que está por vir.
Seus lábios se movem para o meu pescoço. Eu inclino minha cabeça para trás,
dando-lhe tanto espaço quanto ele precisa. Sua língua é tão macio e quente. Eu começo
a imaginar como seria em outras partes do meu corpo. Esse pensamento envia um
arrepio através de mim.
"Você está com frio?" Ele diz.
Eu sacudo minha cabeça.
"O oposto." Eu puxo meus dedos pelos cabelos dele. "Estou tão quente agora. Eu
quero você."
Seus lábios batem contra os meus e nossas bocas se enroscam em um beijo
apaixonado. Suas mãos vagam para os meus seios, onde ele os cobre e aperta meus
mamilos entre as pontas dos dedos.
A sensação se espalha pelas minhas terminações nervosas até que eu sinto cada
parte de mim iluminando. Eu lamento e aprofundo nosso beijo.
Quando nos separamos, ele não perde tempo e trancando os lábios em um dos
meus seios enquanto a mão dele descobre o outro. Ele amamenta e morde, dando prazer
a ambas as dores, apenas o suficiente para tornar as coisas interessantes e manter o meu
corpo em atenção.
Suas mãos exploram cada parte de mim meticulosamente como se ele estivesse
tentando me memorizar pelo toque. Ele solta o meu peito apenas o tempo suficiente
para ele tirar sua camisa.
Eu não tenho a chance de admirar o seu peito cortado antes que ele me pegue de
volta, mas desta vez no outro seio que não recebeu muita atenção.
Minha buceta dói por ele. Não sei quanto tempo suportarei para não tê-lo dentro
de mim. Mas, novamente, o que ele está fazendo nos meus seios é brilhante, e eu não
quero que ele pare de fazer isso também.
Eu o ajudo com suas calça e boxer e deslizo minha calcinha. Agora estamos nus
e no mesmo campo de jogo. Ele puxa uma respiração afiada quando eu o aperto. Então
eu lentamente começo a acariciar.
"Eu quero você dentro de mim," eu imploro.
Ele puxa sua boca para longe de mim. Quando nossos olhos se encontram, não
há mais hesitação.
"Ainda não."
"Mas-"
"Consiga seu vibrador," diz ele.
Eu olho para ele, chocada. "Como você sabe sobre o meu vibrador?"
Seus lábios formam um sorriso provocante.
“Eu vim aqui para verificar você esta manhã. Você estava dormindo. Eu vi na
sua penteadeira.”
Eu também estou muito excitada para ficar envergonhada. Eu ando até a mesa de
cabeceira, pego da gaveta e volto para ele com ela. A maneira como ele está olhando
para mim, eu sei que estou no caminho da minha vida.
Eu esfrego seu clitóris e dedilho sua buceta sedosa, certificando-me de que ela
está bem e pronta para o vibrador que eu seguro em minhas mãos. Seus sucos correm
pelos meus dedos, pela minha palma e pelo meu pulso. Ela solta o gemido mais sexy
que eu já ouvi.
"Curve-se," eu digo.
Ela começa a se curvar.
"Não, na frente do espelho."
Ela fica na frente do espelho e me observa com olhos quentes e encapuzados. Eu
a levo pelos quadris e a viro para que sua bunda esteja de frente para o espelho.
"De joelhos", eu digo.
Ela sorri e eu posso dizer que ela gosta de onde isso está indo. Ela se ajoelha e se
inclina até que o lado do rosto esteja contra o carpete.
"Você pode se ver?"
Eu pergunto. Meu pau pulsa com a visão dela espalhada e aberta para mim. Eu
adoro que ela esteja tão confiante e que não haja um pouco de autoconsciência estando
exposta e vulnerável.
Ela move a cabeça para que ela possa assistir.
"Sim," diz ela, ofegante.
Ela parece incrível neste ângulo, e pelo jeito que ela está movendo seus quadris
para obter o melhor ângulo possível, eu acho que ela sabe disso.
Sua vagina é rosa-cetim, molhada e ligeiramente aberta, seu traseiro um pequeno
nó perfeito.
Eu abro suas dobras, o que faz com que ela pingue no carpete e eu quase a visito.
Eu acho que nunca estive com uma garota que ficou molhada antes.
Ela geme. "Foda-me, por favor."
Quando eu coloco a cabeça do vibrador contra sua abertura, ela implora por isso.
Ela engasga quando eu lentamente empurro dentro dela.
Já está na metade quando finalmente encontro alguma resistência. Ela move seus
quadris e vai mais longe e seus gemidos enchem a sala. Eu trabalho dentro e fora dela,
aproveitando o show de enchê-la.
Eu me ajoelho atrás dela e chupo seu clitóris enquanto o vibrador está dentro
dela e escuto seu canto, “Oh, porra, sim, sim, sim.”
"Eu quero você dentro de mim," diz ela.
Eu quero transar com ela mais do que tudo, mas quando fazemos isso, eu não
quero que seja sob o peso desse casamento falso.
"Não até a noite de núpcias," eu provoco.
"Eu pensei que você não fosse antiquado."
"Eu mudei de idéia."
"Então eu quero você na minha boca," diz ela.
Ela se levanta e está de mãos e joelhos. Ela pega o vibrador de mim e começa a
trabalhar dentro dela com uma mão enquanto mantém o equilíbrio com a outra.
Eu estou na frente dela. Ela abre a boca e eu deslizo a cabeça do meu pau entre
os lábios molhados. Eu aliso o cabelo dos olhos dela. Ela olha para mim, observando
meu rosto enquanto me dá uma lambida na cabeça.
Ela faz isso com ela a língua onde ela gira ao redor da cabeça e o ponto sensível
sob o lado que torna quase impossível evitar soltar minha carga. É preciso um pequeno
milagre para segurá-la. Eu não vou vir até ela receber o dela.
Eu me forço a manter meus olhos abertos para ver o show, mas meu corpo só
quer dar essa sensação incrível.
Se isso fosse real. Se fôssemos reais, isso poderia ser a nossa vida. Eu poderia
estar fodendo a garota mais linda, divertida e incrível que eu já conheci em uma base
regular. Ela seria minha.
Os sons de seus gemidos mudam, tornando-se desesperados. Ela trabalha o dildo
mais rápido, sua mão um borrão no espelho enquanto ela se fode. Eu sei que ela está
perto. Eu também sou especialista nisso, e ainda não consigo acreditar que durou tanto
tempo.
Mais um empurro em sua boca e eu explodi.
Seu corpo inteiro começa a tremer, e eu assisto, extasiado quando ela é
atormentada por contrações do orgasmo. O vibrador escapa, coberto em seu gozo, sua
buceta crua de fricção. Ela se vira e deita de costas. Eu deitei ao lado dela, totalmente
gasto.
Estamos sem fôlego, mas quietos e satisfeitos. Foi incrível. Faz tanto tempo
desde que eu tenho uma mulher com quem eu realmente me importo, que eu esqueci o
quão incrível ela poderia ser a pessoa certa.
"Você é incrível," digo a ela.
Ela me dá um sorriso de luxúria. "Assim é você."
Eu rolo de lado e beijo seu ombro. Eu olho para o vestido empilhado no chão no
canto.
"Por que você odeia o vestido?" Eu pergunto.
Ela olha para a pilha branca de renda e cetim e se encolhe.
"Eu acho que provavelmente não é como eu deveria estar tratando um vestido
que custa uma fortuna, mas agora eu estou tendo dificuldade em me convencer a me
importar."
Ela olha para mim com aqueles lindos olhos e rosto corado pelo sexo. Ainda há
gotas de suor na testa dela. Ela encolhe os ombros.
"Pareceu errado escolher isso, já que tudo isso é falso."
Mesmo que eu saiba que nosso arranjo não é real, ainda é difícil ouvi-la dizer
isso. Eu tento não deixar isso me afetar, mas é impossível. O sorriso que eu tinha
estampado na minha cara há poucos momentos se esvai. Agora eu não conseguia forçar
um sorriso, mesmo que quisesse.
"Tudo bem," ela diz rapidamente, e eu sei que ela vê a mudança em mim. "Eu
vou usá-lo e fazer o trabalho."
Eu olho para o teto.
"Se você quiser um vestido diferente, fique à vontade para comprá-lo. Eu deixei
meu cartão preto no balcão da cozinha para todas as suas necessidades enquanto você
está aqui.” Eu me levanto e coloco minhas roupas. Eu não posso estar aqui agora. "Eu
tenho que voltar ao trabalho."
Eu saio sem outro olhar.
Sentado à minha mesa, há uma pilha de trabalhos à minha frente que precisa ser
feito, mas não consigo me concentrar. As palavras de Sylph me assombram:
"Pareceu errado escolher o vestido, já que isso é tudo falso."
Talvez o casamento seja falso, mas não é tudo falso. Pelo menos não é para
mim.
Mas talvez seja para ela. Eu continuo me perguntando, se isso é apenas um
trabalho para ela, então por que ela tem sido íntima comigo?
A única resposta que tenho é que ela deve ter sentimentos por mim. Mas agora
eu me pergunto se talvez ela só gosta de sexo.
Eu não posso culpá-la por isso. Eu também gosto de sexo. Mas com Sylph é
mais que isso. Agora estou começando a perceber que pode ser um lado bom.
Eu não deveria ter saído com ela do jeito que eu fiz. Ela vai achar que estou
bravo.
Suspirando, eu sei que não há nada que eu possa fazer sobre isso agora. Há
apenas mais algumas horas até eu ter que encontrar minha família.
A família de Heath me odeia. Já faz vários dias desde que nos encontramos para
jantar e eles não fizeram nenhum esforço para se encontrar comigo ou me conhecer
desde então.
Eu acho que deveria ser grata por isso, porque eles são terríveis. Não a mãe, dele
e, eu acho que não é o pai dele, na verdade, já que ele não falou muito durante o jantar,
mas os gêmeos são os piores.
Eu sabia que Aurora ia ser um punhado forte depois da compra do vestido com
ela, mas quando ela e Theo se juntam, eles são um maldito tornado. A forma como eles
transmitem insultos dissimulados é um verdadeiro talento, porque enquanto eles estão
conversando, parece estranhamente um elogio e eu nunca senti a mínima até mais tarde,
quando me deitei na cama e pensei neles.
Heath estava quase sempre quieto durante o jantar com a família, apenas falando
de vez em quando para dizer aos gêmeos que recuassem. Se ele estava querendo vender
o relacionamento entre nós, ele estava fazendo um trabalho ruim.
Ele não fez nada a não ser aquietar a noite toda, então, quando chegamos em
casa, ele foi direto para o quarto e não saiu o resto da noite.
Eu queria bater na sua porta para ver se ele queria companhia, mas tinha o
sentimento distinto de que sua importunação tinha algo a ver comigo.
É sexta-feira à noite e quase hora de sair para o ensaio. Eu vou para o quarto de
Heath e bato na porta. Nós realmente não falamos desde que jantamos com os pais dele
- não de maneira alguma. Não como se estávamos indo, antes disso.
Ele abre a porta, uma toalha enrolada na cintura, o cabelo molhado do banho.
Ainda há algumas partículas de creme de barbear no queixo e nas laterais do rosto. Ele
os limpa com uma toalha de mão enquanto está lá esperando para saber por que eu bati.
Eu respiro fundo várias vezes para acalmar meu coração acelerado.
Por que estou tão nervosa agora?
"Oi," eu digo.
O canto da boca se contorce em algo como um sorriso. "Oi."
"Podemos conversar?"
"Claro."
Ele se afastou, me deixando entrar em seu quarto. Eu entro. O ar está úmido. Há
condensação nos espelhos. Ele deve ter tomado um banho quente com a porta aberta.
"O que aconteceu?" Pergunta ele.
Ele se senta na cama e dá um tapinha no lugar vazio ao lado dele. É isso.
"Eu não deveria estar nervosa sobre hoje, certo?" Eu pergunto.
Esta será a primeira vez desde aquele jantar estranho que passarei algum tempo
em tempo real com a família dele.
"Claro que não. Eu estarei bem aqui com você.”
Eu sacudo minha cabeça. "Mas você não vai. Você não está aqui comigo desde
que nos tocamos no meu quarto. Eu fiz algo errado. Ou talvez eu tenha dito alguma
coisa, mas desde então você mudou. Eu só... eu quero você de volta. O jeito que você
estava comigo. Eu não acho que posso conseguir isso sem você.”
Eu não tinha percebido o quanto ele estava tenso na minha presença até ver seus
ombros relaxarem. Ele alcança para mim e coloca a mão na minha bochecha, passando
o polegar pela linha do meu queixo. Eu me sinto derretendo em seu toque.
"Eu prometo, estou aqui para você."
"Então me beije."
Ele hesita. É apenas por um segundo, mas está lá. Ele se inclina e me dá um
beijo suave nos lábios. Mas eu quero mais. Eu quero senti-lo em cima de mim, dentro
de mim. Eu quero o conforto do seu peso em cima de mim. Eu tento aprofundar o beijo,
mas ele se afasta.
Levantando-se, ele diz: “Eu deveria terminar de me arrumar. Teremos que sair
em breve.”
Suprimo um gemido e saio do quarto.

Chegamos ao local onde o casamento será realizado. É um hotel, mas não como
qualquer hotel que eu já vi.
Parece mais como um castelo.
O casamento vai acontecer no gramado dos fundos, o que é impressionante. A
grama é perfeitamente cuidada com uma incrível vista do oceano. Cercando a área onde
os convidados se sentarão é um jardim botânico.
Todos serão banhados pelos aromas florais de rosas de chá, gardênias e lírios.
No meio do jardim há uma longa escadaria que faz um ligeiro declínio da recepção para
um caminho circular que envolve uma grande fonte de querubim.
Com todas as luzes cintilantes espalhadas sobre cada arbusto e árvore de açúcar,
é como um conto de fadas. Se isso fosse real, se fosse realmente meu casamento, seria
um sonho tornado realidade.
Mas isso não é.
Algum dia, quando Heath encontrar a mulher com quem ele quer se casar, essa
será a realidade dela.
Eu olho para ele e percebo que ele está me observando. Olhando para ele, sinto
uma profunda tristeza e estou à beira das lágrimas.
"O que há de errado?" Pergunta ele.
Eu balancei minha cabeça e engoli a espessura na minha garganta.
"Nada. É tudo tão lindo que é impressionante.”
"Você parece triste," diz ele.
Eu odeio mentir para ele, mas o que devo dizer? Que estou me apaixonando por
ele e gostaria que tudo isso fosse real?
Ele provavelmente me demitiria no local. Não, eu não posso dizer a ele como eu
realmente sinto. Isso arruinaria tudo.
Então, em vez disso, digo a ele: "Não triste, apenas nervosa."
O qual, a última parte é verdadeira.
Ele parece quase desapontado, como se quisesse que eu admitisse que estava
triste.
Todo mundo começa a aparecer. Eu não sei quem são essas pessoas. Eu queria
que Mandi estivesse aqui, então eu conheceria pelo menos uma pessoa. Ela está me
evitando.
Eu sei que ela está, mas não consigo entender o porquê. Eu até tentei emboscá-la
na frente do apartamento, mas é como se ela pudesse me sentir e acabar não
aparecendo.
As pessoas parecem desconfiar que eu não tenho nenhuma família na festa de
casamento ou amigos no meio da multidão.
Eu realmente não tenho nenhum amigo fora a Mandi, e não tenho como contar
aos meus pais sobre o meu casamento falso. Eles não iriam aceitar. Eles estão sempre
preocupados por eu não ter dinheiro e eles veriam esse trabalho como eu ficando
desesperada. Eles queriam que eu voltasse para casa.
E enquanto eles nunca disseram ou me chamavam de fracasso, eu me sentiria
como um. Antes de sair de casa, eles me imploraram para não me afastar, mas insisti
que poderia fazer isso sozinho. Eu quero provar que eu posso.
É por isso que não posso contar nada sobre esse casamento falso. Eu começo a
me perguntar se há também um serviço que oferece famílias falsas junto com noivas
falsas. Deve haver. Terei que lançar a idéia para Mandi se eu a ver novamente.
Quando todos estavam no lugar, o ensaio começa. É estranho andar pelo
corredor. Embora eu tenha sido casada antes, a cerimônia não foi nada disso.
Meu ex e eu tínhamos ido para Reno e ficamos em um motel com tema de circo
por duas noites, que foi considerada nossa lua de mel. A capela em que nos casamos
chamava-se Igreja O Amor e tinha uma fileira saindo pela porta com outros casais
esperando para tomar as piores decisões de suas vidas diante de um oficiante impostor
de Elvis.
Nós até mesmo pedimos o pacote de luxo que incluiu um passeio de limusine da
capela para o nosso motel.
A limusine em si era um Chrysler de setenta e setenta e poucos, com assentos de
vinil rachados e algumas manchas sinistras espalhadas pelo teto de veludo.
Não tenho certeza de quem em sã consciência consideraria algo romântico. Meu
ex e eu rimos o tempo todo. Foi tudo uma grande e engraçada piada. Até que não foi
mais.
Quando a realidade finalmente se estabeleceu e eu percebi que estava presa ao
homem com quem me casei, a piada rapidamente se transformou em um pesadelo.
Sinto-me mal do estômago enquanto ando pelo corredor e as pessoas estão me
observando. Esta é a primeira vez na minha vida que eu me senti como uma fraude
completa.
Estou pronta para correr Eu só quero sair daqui. Isso é até eu fechar os olhos
com Heath. Ele sorri para mim. Mais do que encorajador, parece genuíno. Eu sorrio de
volta e, enquanto olho para ele, sei que posso fazer isso.
Quando eu finalmente chego até ele, ele estende a mão e eu pego. O calor e a
firmeza de seu aperto acalmam meus nervos desgastados.
Enquanto estamos diante um do outro, o oficiante repassa o restante dos detalhes
com a festa de casamento e o planejador, e Heath e eu ficamos em nosso pequeno
mundo sob um altar coberto de flores.
O jeito que Heath olha para mim, é como se ninguém mais estivesse por perto e
eu me sinto perfeitamente à vontade. Às vezes é quase como se ele estivesse
apaixonado por mim.
Meu ex nunca olhou para mim do jeito que Heath faz. É fácil ver por que as
coisas estão tão confusas com ele. Eu quero dizer algo sobre isso, mas ele sabe do que
estou falando?
Eu nunca o vi olhar para qualquer outra pessoa do jeito que ele olha para mim,
mas, novamente, não é como se o conhecesse há anos.
Talvez ele olhe para outras mulheres da mesma maneira e eu não tenha notado -
embora eu duvide disso.
Tenho certeza de que, se eu visse aquele olhar em seu rosto direcionado a
alguém que não fosse eu, arrancaria a garganta da garota.
Eu sorrio um pouco com meus pensamentos ciumentos, feliz que Heath não está
na minha cabeça para ouvi-los.
De pé aqui com ele sob este altar posso, me ver casada com ele. Antes de
conhecer Heath, eu tinha certeza de que casar de novo era possivelmente a pior coisa
que poderia acontecer comigo.
Agora que vejo como a vida pode ser com alguém que é gentil e bom, eu quero.
Eu quero mais que tudo. Mas não com qualquer um.
Eu quero isso com Heath.
Ninguém mais servirá.
"Você é o melhor homem que eu já conheci," eu sussurro para ele.
Ele me dá um olhar engraçado.
"Você não tem que dizer os votos até a cerimônia real. Eu escrevi um pouco se
você não quer escrever o seu.”
Eu dou uma gargalhada.
"Esses não são meus votos. Eu só quero que você saiba o que sinto por você. Eu
sei que isso é apenas um trabalho, mas estou feliz por te conhecer. Você é gentil e,
maravilhoso e...”
Alguém limpa a garganta ao meu lado.
Heath e eu nos voltamos para a fonte do barulho.
Heath parece irritado por termos sido interrompidos. O oficiante e todos os
outros na festa de casamento estão olhando para nós.
"Eu acho que todo mundo conhece seus lugares," diz o homem.
Eu coro mesmo sabendo que ninguém mais ouviu o que eu estava dizendo.
Eu estava perdida no momento com Heath e não ouvi uma palavra que alguém
disse.
Espero que eu não vou estragar nada no dia do casamento real.
"Ótimo," diz Heath, seu humor mudou completamente do seu auto-tranquilo e
meditativo desta manhã. Agora ele parece quase borbulhante. "Vamos jantar."
Eu não sabia exatamente o quanto queria ouvir essas palavras de Sylph até que
ela as dissesse. Então eu me realizei.
Eu as desejava desde que comecei a desenvolver sentimentos por ela. E o jeito
que ela olhou para mim...
Eu sei que ela também sente isso. Talvez não na medida em que eu faço, mas sei
que está lá.
No jantar, sentamos à nossa mesa, de frente para os nossos hóspedes. Eu deslizo
minha mão debaixo da mesa para tocar seu joelho.
Eu olho para cima a tempo de ver o canto de sua boca se transformar em um
sorriso. Então ela abre as pernas. Ok. Ela quer brincar.
Eu deslizo minha mão para cima uma polegada, grato pela longa toalha de mesa
que nos rodeia. Eu subo mais um centímetro e as pernas dela se esticam mais.
Eventualmente, com uma mão, eu deslizo meus dedos por baixo da saia e
empurro a calcinha para o lado.
Sua pele lisa é deliciosa, e estou tentado a rastejar por baixo da mesa para
saboreá-la.
Eu estou tocando ela com a multidão na nossa frente. Meus amigos e familiares
estão todos aqui, testemunhando essa devassidão sem sequer saber disso.
Há algo estimulante em fazer algo tão privado em um local aberto. Isso traz o
exibicionista em mim.
Todo mundo está muito ocupado conversando entre si para notar que a
respiração de Sylph está apressada e ela está mordendo o lábio.
Sua boceta está tão molhada que meus dedos deslizam para dentro e ela parece
como seda quente.
"Essa coisa está quase acabando?"
Ela pergunta, sua voz baixa e cheia de desejo.
"Nem mesmo perto."
Ela solta um grunhido frustrado. "Eu te quero tanto," diz ela.
"Você pode me ter."
"Eu quero dizer agora. Eu quero você agora mesmo.”
“Você pode me ter agora,” eu digo.
Ela me dá o olho lateral. "Como?"
Eu deixei minha mão escapar de suas pernas e lambo meus dedos. Ela solta uma
risadinha surpresa.
Seu perfume é incrível e excitante e seu sabor é ainda melhor. Eu quero mais.
Eu me levanto e anuncio que minha noiva e eu faremos uma rápida visita ao
local.
Minha família parece surpresa com a nossa saída súbita, especialmente porque a
sobremesa ainda não foi servida, mas estou prestes a receber o único tratamento que
quero.
Eu pego Sylph pela mão e a levo para o corredor onde há uma sala de serviço. O
interior está cheio de vasos e arranjos de flores extras, além de esfregões e baldes.
Eu coloco um pau de vassoura no cabo da porta para que ninguém possa entrar e
a levo até o canto e a deito sobre uma pilha de roupas de mesa extras.
Eu me inclino, dando-lhe um beijo nos lábios.
"Eu quero você dentro de mim," diz ela.
Às vezes, quando olho para ela, sua beleza parece surgir do nada e me atingir.
Ela literalmente me tira o fôlego olhando para ela.
“Eu quero estar dentro de você também, mas não aqui. Assim não. No momento,
só quero te dar prazer.”
Eu levanto a saia e puxo a calcinha, jogando-as nas sombras. Nós não
precisaremos disso em breve.
Ela suspira. "Prazer é bom também," diz ela.
Eu abro as pernas, maravilhado, novamente, com o, quão molhada ela fica.
"Você tem uma bela buceta," eu digo a ela, a fome evidente na minha voz.
Ela me dá um pequeno sorriso sexy e começa a esfregar seu clitóris.
"É toda sua."
Eu gentilmente espalhei suas dobras cor-de-rosa com as pontas dos meus dedos
e comecei a explorar suas profundidades quentes com a minha língua.
Seu clitóris está duro. Eu puxo o capô para trás e começo a sugar. Ela está
gemendo e empurrando seus quadris, implorando por mais.
"Puta merda, bem aí," diz ela.
Eu continuo a sugá-la e decidi adicionar alguns dedos à mistura. Suas costas
arqueadas, olhos revirados, possuídos pelo orgasmo se acumulando.
Eu possosentir os músculos dentro dela se apertarem ao redor dos meus dedos.
Ela está perto.
Mas eu não estou pronto para terminar ainda, então eu retardo meus impulsos e
dou tempo para ela se acalmar.
Uma vez que ela volta aos gemidos quietos, começo a trabalhar de novo. Desta
vez, eu adiciono o terceiro dedo e angulo-os em direção ao ponto g dela. É quando eu
adiciono um dedo que ela não pode mais segurar.
Ela solta uma explosão de som que toca em meus ouvidos e seu orgasmo aperta
com tanta força em meus dedos que tenho medo que minha mão fique presa.
Ela começa furiosamente esfregando seu clitóris inchado e palpita e se agacha,
atormentada por outro orgasmo. Meu pau se esforça contra o meu jeans.
Ver essa mulher sexy ter orgasmo, duas vezes seguidas, com o cheiro dela no
meu nariz e, na minha língua é mais do que eu posso suportar.
Eu estourei minha carga sem nunca ser tocado. Merda. A mancha molhada na
minha calça vai ser difícil de esconder dos nossos convidados. Mas valeu a pena.
Uma vez que Sylph desce do seu orgasmo, ela está praticamente brilhando. Ela
olha para mim com um sorriso radiante.
"Você tem certeza de que são dedos e não varinhas mágicas?" Ela diz.
Eu rio e balanço a cabeça.
"Não é preciso muito para você chegar lá, não é?" Eu digo.
Eu tenho mulheres que me dizem que tiveram vários orgasmo antes, e eu nunca
acreditei nisso.
Com Sylph era inegável e inteiramente viciante.
Tudo que eu quero na vida é fazê-la vir de novo e de novo. Na verdade, estou
ficando duro de novo só de pensar nisso.
“Não quando se trata de você. Você sabe como me excitar,” diz ela.
"Definitivamente somos sexualmente compatíveis. Nós somos, não é?”
“Mais do que compatível. Parece que nossos corpos foram feitos um para o
outro.”
Assim que ela diz isso, ela parece atordoada, como se ela tivesse dito algo
errado.
Então ela rapidamente diz: "Talvez devêssemos voltar."
Ela se levanta e procura por sua calcinha. Eu quero dizer a ela que é mais do que
apenas nossos corpos que são feitos um ao outro.
Pertencemos um ao outro. Corpo e alma.
Eu não digo isso, no entanto. Em vez disso, eu resmungo e digo: “Se for preciso.
Mas eu não estou nem perto de terminar com você ainda.”
Ela morde o lábio. "Não é uma chance."
Voltamos para a sala principal com nossos convidados. Vou ao bar para tomar
um drinque enquanto Sylph é encurralada por um dos meus parentes distantes que quer
saber tudo sobre como ela se mantém tão radiante.
Sylph ri porque sabemos que a resposta é sexo. Ela me dá um aceno para me
deixar saber que ela não precisa de resgate e eu continuo no bar.
Antes que eu possa chegar lá, estou emboscado pelos meus irmãos. Ambos usam
o mesmo olhar travesso em seus rostos e está claro que eles estão tramando algo.
"Agora o que?"
Eu digo, perdendo minha paciência para eles. Eles estão sempre encontrando
novas maneiras de me dar nos nervos. Estou começando a me perguntar se é um jogo
que eles jogam.
"Estamos fazendo uma pequena pesquisa sobre sua noiva," diz Theo.
Meu coração despenca. Eu sabia que eles seriam intrusivos, mas eu não sabia
que eles iriam tão longe para cavar a sujeira em Sylph.
Tenho certeza de que, qualquer coisa, que eles já tenham encontrado está em
minha própria pesquisa, então não serei pego de surpresa. Mas sempre há uma chance
de perder algo.
"Acontece que a melhor amiga de sua namorada trabalha como noiva
contratada," diz ele.
"Como você sabe quem é a melhor amiga de Sylph?"
"Eu vi o número que ela estava mandando mensagens enquanto estávamos
fazendo compras e procuramos o nome," diz Aurora com um sorriso superior.
Esses dois são sorrateiros. Eu não percebi o quanto longe eles iriam. Eu não
deveria ter subestimado eles.
“Sim, Sylph me contou tudo sobre os negócios da Mandi. Parece lucrativo. Um
pouco louco se você me perguntar, mas para ela tanto faz,” eu digo.
Encolhendo os ombros.
Eu não estou nem um pouco surpreso com a revelação deles. Eu me preparei
para essa informação sair.
Mas só porque a amiga dela trabalha contratada como noiva, não faz do Sylph
uma empregada.
Eu teria ficado mais preocupado com isso se eu não tivesse descoberto que este é
o primeiro emprego de Sylph - e o último, se eu tiver alguma coisa a ver com isso.
Os gêmeos parecem desapontados que isso não me choca, ou que eu não vou e
confesso que nosso relacionamento é falso.
Mas eles não parecem prontos para desistir tão facilmente.
Aurora tem um pedaço de papel na mão e acena na frente do rosto como se fosse
um fã.
"Você sabia que ela era casada antes?"
Diz ela com um olhar presunçoso.
Minha respiração fica presa na minha garganta e eu a seguro. Agora isso é
definitivamente uma surpresa.
Como isso não apareceu na minha própria pesquisa?
Isso é uma grande coisa a perder.
Aurora e Theo olham um para o outro e sorriem. Claramente, estou chocado com
esta notícia.
É impossível esconder a confusão no meu rosto. Mas de alguma forma eu
consigo recuperar a compostura.
"Não, eu não sabia disso. Mas eu conheço o Sylph e se ela não me contou sobre
isso, talvez haja uma boa razão para isso.”
Sylph chega até nós agora. Ela parece preocupada quando vê meu rosto.
"Está tudo bem?" Ela pergunta.
"Parece que tudo está bem?" Aurora se vira nela.
Sylph perde a doce fachada que ela está colocando para minha família e olha
para minha irmã.
"O que diabos está acontecendo?"
“Talvez devêssemos ser os únicos a perguntar-lhe isso. Parece que você é quem
guarda os segredos, afinal de contas,” diz Aurora.
A expressão de Sylph muda de irritada para preocupação. Ela olha para mim
como se não tivesse certeza do que dizer.
Eu me pergunto se ela está tentando descobrir qual mentira eles descobriram.
Quantas outras coisas ela está escondendo de mim?
Não quero desconfiar, mas fico magoado por ela guardar algo assim de mim.
"Eu não acho que você realmente conhece sua futura esposa," diz Theo. "Eu
acho que você comprou uma noiva falsa para tirar todo mundo de suas costas e agora
você está prestes a deixar mamãe e papai gastarem uma fortuna com essa farsa de um
casamento."
Eu pego Sylph pela mão e dou um aperto suave, e digo: "Eu realmente não me
importo com o que vocês dois pensam."
"Talvez não, mas quando nossos pais descobrirem sobre tudo isso, eu tenho
certeza que você vai se importar com o que eles pensam."
Eu coloco minha mão vazia em um punho e luto contra o desejo de bater em
meu irmão mais novo.
Aurora vira seu olhar cruel sobre Sylph e diz: “Você é uma ótima atriz. Quando
você estava corando e falando sobre quão grande Heath era, eu realmente achei que
você estava falando sério. Mas, na verdade, você é apenas uma garimpeira como todas
as outras cadelas idiotas com quem ele namora.”
Sylph dá um passo agressivo e Aurora se afasta. Minha irmã está acostumada a
brigar com palavras envenenadas, mas Sylph não nasceu com uma colher de prata em
sua boca.
Eu imagino que ela luta de forma muito diferente. Ela parece que ela pode
realmente acertar Aurora.
Eu não tentaria detê-la se ela fizesse.
Sylph não bate nela, no entanto. Em vez disso, ela se levanta e diz: “Me dê um
contrato pré-nupcial. Eu assinarei agora.”
“Merda,” Aurora diz. Theo também parece incrédulo.
"Eu tenho uma caneta bem aqui." Ela cava em sua bolsa e puxa uma para fora.
"Basta apontar para as setas e eu vou assinar."
"Você está mentindo," diz Aurora.
"Eu não estou. Eu amo Heath. Ele é o homem mais incrível que eu já conheci e
eu não vou deixar você envenenar sua mente contra mim.”
Eu assisto o rosto de Sylph.
Ela quer dizer isso?
Ela realmente me ama, ou isso é parte da mentira?
Aurora tenta acompanhar seu alto e poderoso ato, mas a proximidade e a
natureza agressiva de Sylph a deixaram desequilibrada.
Até mesmo Theo parece saber ficar para trás.
"Você vai envenená-lo você mesma. Eu só tenho que sentar e assistir tudo
desmoronar.”
Eu tive o suficiente. Eu preciso falar com Sylph e descobrir o que diabos está
acontecendo.
"Eu quero que vocês dois saiam," eu digo.
Aurora parece que eu acabei de dar, um tapa nela.
"Você está nos expulsando depois que ela mentiu?"
"Parece assim, não é?"
Os lábios de Aurora se apertam antes que ela solte um bufo irritado e se afasta.
"Precisamos conversar," diz Heath e me arrasta de volta para o armário onde nós
apenas brincamos.
Estou muito nervosa para dizer qualquer coisa. Eu me pergunto o que eles
descobriram sobre mim e como é ruim para a situação dele.
Eu espero que ele fale. A princípio, parece que ele está louco demais para
divulgar as palavras. Eu começo a tremer.
Finalmente, ele pergunta: "Você já foi casada antes?"
Oh não.
Eu não quero contar a ele meu horrível segredo, mas também não vou mentir
para ele. Demorei anos para entender o quão horrível meu casamento foi.
Ainda é difícil para mim confiar ou me abrir para alguém. Antes de conhecer
Heath, eu tinha certeza de que nunca encontraria alguém com quem gostaria de estar.
Mas ele me mudou para melhor. Ele mudou minha vida completamente. Eu lhe
devo a verdade.
“Sim, quando eu tinha dezoito anos. Só durou um ano,” eu digo.
"Por quê? E por que você não me contou?”
"Eu não queria contar a você, porque não achei que fosse uma informação
importante com esse trabalho. E eu o deixei porque ele costumava me bater. É uma
parte do meu passado que eu prefiro esquecer.”
Um músculo na mandíbula dele flexiona.
"Ele bateu em você?"
Eu aceno e uma lágrima desliza pela minha bochecha. Metade da razão pela qual
eu não gosto de falar é porque sempre que eu mesmo chegando perto de falar sobre isso,
eu sempre choro.
Eu me senti tão idiota por tanto tempo porque eu deixei algo assim acontecer
comigo. Eu me culpei pela violência dele.
Quando eu ainda estava com ele, eu costumava justificar sua raiva e me
convencer, de que se eu teria falado mais doce com ele que ele não teria me batido. Eu
pensei que era minha culpa.
E quando meus amigos faziam perguntas sobre as contusões no meu corpo, eu
mentia para eles tanto quanto mentia para mim mesma. Eles devem ter pensado que eu
era a pessoa mais desajeitada que eles já conheceram.
A expressão de Heath é aterrorizante, seu rosto tão vermelho quanto uma lagosta
cozida.
"Qual o nome dele? Eu vou matá-lo."
"Foi há muito tempo," eu digo.
Ele pega meu rosto em suas mãos, embalando-o. Ele enxuga as lágrimas das
minhas bochechas com os polegares.
"Eu sinto muito que isso tenha acontecido com você."
"Estou bem, Heath, de verdade. Ele se afastou, nós não falamos mais. Agora
estou mais preocupada com você. E se os gêmeos disserem a seus pais sobre o serviço
de casamento de Mandi e meu outro casamento?”
“Eu vou cuidar disso. Você não precisa se preocupar com nada. Este não é o seu
problema. É meu.”
Ele começa a sair, mas eu o seguro pelo braço e o detenho.
"Eu quis dizer o que eu disse," eu digo a ele. Ele me estuda, procurando por
respostas.
“Qual parte?”
A parte em que eu disse que amava você.
Mas eu não digo isso.
"A parte sobre você ser o melhor homem que eu já conheci."
Ele me beija. É curto, mas feroz. Então ele sai.
Na manhã seguinte, vou até o apartamento de Mandi. Ela finalmente está lá. Ela
provavelmente não estava esperando que eu aparecesse no meio do dia desde que eu
estava tentando falar com ela principalmente à noite.
Bem, ela não pode ficar longe de mim agora.
Eu nem me incomodo em bater. Em vez disso, eu uso minha chave e estou
quieta para que ela não possa desaparecer em seu quarto.
Há música alta tocando e ela está dançando na sala de estar. Eu fico lá e a
observo por um momento, ansiosa para assustá-la quando ela finalmente percebe que eu
estou aqui.
Demora um pouco, mas quando finalmente acontece, ela pula quase um pé no ar
e valeu totalmente a pena.
"Merda, Sylph, você assustou o inferno fora de mim!"
Eu coloco minhas mãos nos meus quadris e mantenho uma expressão severa,
mesmo que o olhar em seu rosto me faça querer quebrar.
"Você está me evitando," eu digo.
Sua mão ainda agarra seu peito quando ela se senta no sofá. Eu limpo as
migalhas do sofá antes de me sentar ao lado dela. Este lugar realmente foi para merda
sem eu estar aqui para limpar depois dela.
"Eu tenho," diz ela, admitindo.
Pelo menos ela não tenta mentir para mim. Eu teria conseguido isso de qualquer
maneira e ela sabe disso.
Ela sempre foi uma péssima mentirosa.
“Você sabia sobre o investigador dos gêmeos, contratado para olhar para o meu
passado?” pergunto.
Ela balança a cabeça, mas não me olha nos olhos.
“Ele estava olhando para mim também. É por isso que eu afastei você. Eu temia
que isso afetasse meus negócios.”
"Por que diabos você não me disse para que eu pudesse pelo menos contar a
Heath? Seus irmãos nos pegaram completamente desprevenidos.”
"Eu pensei que você estaria bem desde que você passou ser livre de sujeira, e
não há nada ligando você ao meu negócio."
"Eu não sou livre de sujeira. Eles descobriram sobre o meu ex.”
Os olhos de Mandi se abrem e a boca também.
“Sylph, sinto muito. Eu esqueci tudo sobre esse babaca. Você está bem?"
"Estou bem, mas acho que isso aborreceu Heath."
"Eu sinto Muito."
Eu a perdôo porque ela é minha melhor amiga e eu preciso dela agora. Com tudo
o que aconteceu, eu me senti sozinha.
“Como tudo está indo com o trabalho?” Ela pergunta.
Eu odeio que ela chame isso de trabalho, mesmo que tecnicamente seja o que é.
Heath parou de ser um trabalho para mim há muito tempo atrás.
“Ótimo, na verdade. Pelo menos foi até a irmã dele aparecer e me levar às
compras.”
"Você achou alguma coisa?"
Pergunta Mandi.
“Sim, mas eu odeio ele. Quero dizer, é absolutamente lindo e fica bem em mim,
mas algo que não parece certo.”
Seu sorriso aumenta.
"Eu sei como fazer tudo isso para você."
Eu franzo a testa, cética.
"Como?"
"Estou levando você para fazer compras. Você e eu vamos encontrar o vestido
dos seus sonhos. Será meu presente para você.”
Eu quero dizer a ela que não, que o vestido que eu tenho vai funcionar bem, mas
eu não quero usá-lo.
Quando estiver no altar com Heath na frente dele, quero me sentir bonita e
confiante.
Isso não vai acontecer no vestido que Aurora escolheu para mim.
"Ok."
Eu digo a ela e começo a me sentir animada com a perspectiva de encontrar o
meu vestido de sonho.
Mandi e eu vamos a uma loja de roupas local em vez de uma daquelas que são
ridiculamente caras, como Aurora me levou. Esta tem muito mais seleções com
melhores preços e mais tamanhos.
Meu coração se sente mais leve entrando e sei que vou encontrar o que estou
procurando aqui. Uma mulher mais velha com cabelo grande e um sotaque do leste
europeu me ajuda a encontrar todos os estilos diferentes de vestidos no meu tamanho e
dentro do orçamento da Mandi, e eu começo a experimentá-los.
Nenhum deles é tão detalhado, enfeitado ou frisado como o outro, mas todos eles
ainda são lindos à sua maneira.
Eu tento vários que têm potencial. Toda vez que eu saio com um novo, Mandi
diz: "É isso aí, é esse!"
Todos eles poderiam ser o escolhido, mas meu coração ainda não cantou. Talvez
não cante. Pode ser que eu esteja pesquisando por um sentimento que só existe nos
filmes. Mas eu quero continuar tentando.
O próximo vestido que eu tento está em uma bolsa de papel, então eu não
consigo ver como ele se parece imediatamente. Quando eu puxo o papel de volta, meu
coração começa a bater um pouco mais rápido. Agora tudo o que posso ver são alguns
pequenos detalhes no corpete e algumas pérolas e contas, mas já, olhando para esse
pedaço dele está me dando arrepios.
Poderia ser esse?
Quando eu puxo para fora da bolsa, eu sei.
Eu tento o vestido. A mulher que é proprietária da loja de roupas entra no
vestiário para me ajudar. Há muito tecido neste. Ela engasga quando ela me vê e diz
algo em sua própria língua que eu não consigo entender.
Quando eu franzo a testa em confusão, ela sorri e diz: "Este vestido foi feito para
você."
Eu olho para o meu reflexo no espelho, com lágrimas nos cantos dos meus
olhos. Então talvez esse sentimento que eu tenho procurado não seja falso depois de
tudo. Tudo sobre o vestido é delicado e encantador.
Eu saio do vestiário e Mandi está instantaneamente em pé.
Ela cobre a boca com as mãos e diz: “Meu Deus, Sylph. Este é realmente desta
vez. Essa é o único.”
Eu aceno e começo a chorar. Ela também.
"Mandi, estou apaixonada por Heath," digo a ela.
Ela não parece surpresa.
"Eu sei. Eu posso dizer pelo jeito que você fala sobre ele.”
"Eu sei que você acha que é estúpido, e que persegui-lo é um erro, mas eu vou
dizer a ele como me sinto."
Ela sacode a cabeça e continua afofando a saia do vestido.
"Eu não acho que é estúpido. Eu só não quero ver você se machucar. Mas se é
isso que você quer, eu estarei aqui para você. Sem perguntas e sem julgamento.”
Eu a abraço.
"E você será minha dama de honra? Casamento falso ou não?”
"Absolutamente. É melhor você acreditar que vou pegar aquele buquê.”
Assim que eu volto para o apartamento de Heath, eu desembalo o lindo vestido
que Mandi me comprou. Eu não consigo parar de olhar para ele. Eu quero tentar de
novo, mas tenho medo de sujar. Não posso acreditar que encontramos o vestido dos
meus sonhos e custava metade do preço do que aquele que a Aurora pagou.
Estou admirando com a tampa da caixa quando alguém bate na minha porta. Eu
abro e encontro Heath encostado na porta com as mãos nos bolsos. Seu lindo sorriso faz
meu coração disparar toda vez.
“Posso entrar?” Ele pergunta.
"É o seu apartamento. Suas regras. Você pode ir e vir como quiser.”
Minhas palavras saem mais sarcásticas do que eu pretendia. Eu acho que estou
farta de tudo isso: o assédio de seus irmãos, as mentiras.
Mas principalmente eu estou cansada de ter que esconder meus sentimentos
dele. Isso se tornou mais do que um trabalho para mim e eu preciso que ele saiba disso.
Ele inclina a cabeça me observa um momento antes de entrar. Ele fecha a porta
atrás de si. Ele se move para o sofá e nos sentamos.
Estou prestes a derramar tudo, todos os meus sentimentos, quando ele diz: "Sinto
muito o que meu irmão e minha irmã fizeram com você. O que eu fiz pra você. Nós não
deveríamos estar olhando para o seu passado. Foi uma violação da sua privacidade e
está claro que o que aconteceu entre você e seu ex ainda é doloroso para você.”
Um nó se forma na minha garganta. Eu engulo para poder falar.
"Está tudo bem. Eu estou bem," eu minto.
Ele sacode a cabeça.
"Não, você não está. O que aconteceu entre vocês dois?”
“Eu era uma criança estúpida. Eu pensei que ele iria cuidar de mim, mas parecia
que ele estava procurando por mais um animal de estimação do que uma parceira - na
verdade, não. Não é isso. As pessoas tratam seus animais de estimação muito melhor do
que ele jamais me tratou. Eu só queria alguém que estivesse lá por mim. Eu continuei
tentando mudá-lo, e eu estava com vergonha de admitir que tinha estragado tudo, então
eu fiquei.”
"O que fez você finalmente decidir sair?" Pergunta ele.
Eu olho para o lado, para longe dele. Não posso enfrentá-lo quando admito a
verdade do que aconteceu.
"Ele chegou em casa um dia e eu não tinha suas roupas lavadas e prontas para
um jogo de futebol que ele estava indo. Ele me deu um soco no rosto e me deu um nariz
sangrando e olho roxo. Liguei para Mandi depois que ele saiu para o jogo e ela veio e
me ajudou a fazer as malas. Saí naquela noite e nunca mais voltei.”
As mãos de Heath estão tremendo. É óbvio que ele está tentando conter sua
raiva.
"Vou me certificar de que ninguém nunca mais te machuque."
"Você não pode ter certeza disso. Depois desse trabalho, quando seguimos
nossos caminhos separados, você não pode me proteger.”
“Case comigo,” ele diz.
"Esse já não é o plano?"
“Eu quero dizer de verdade. Estou apaixonado por você e quero que você se case
comigo.”
Meus olhos quase saltam das órbitas e minha boca se abre.
"O que?"
“Parece loucura, eu sei, e posso estar perdendo a cabeça. Eu não deveria me
apaixonar pela mulher que paguei para casar comigo. Tudo o que eu queria era dirigir
minha empresa sem que minha família espreitasse sob meu ombro, mas... então você
entrou na minha vida e abalou tudo. Eu amo você, Sylph.”
Lágrimas escorrem pelo meu rosto.
Quando diabos eu comecei a chorar?
Eu sinceramente não me lembro.
"Eu também te amo," eu admito, minha voz grossa de chorar. "Eu tenho estado
segurando isso porque eu não achei que você sentia o mesmo, mas eu me apaixonei por
você no momento em que eu beijei você no parque e tem sido uma espiral descendente
desde então."
Ele me beija tão suavemente que os lábios mal se tocam.
"Casa comigo," ele sussurra.
"Ok." Estou assentindo e rindo e chorando de uma só vez.
Ele me beija novamente, mas desta vez ele faz isso com urgência. É como se eu
escorregasse de suas mãos se ele não me beijasse com força suficiente. O desespero
entre nós cresce e esse beijo parece diferente de todos os outros que vieram antes.
Nossas confissões mudaram tudo.
Ele quebra o nosso beijo, deixando-me sem fôlego e tonta. Então ele se ajoelha e
tira algo do bolso. Quando ele abre a mão, é uma caixa de veludo.
Meu corpo inteiro começa a tremer e, de repente, as coisas parecem muito mais
reais do que há alguns segundos atrás. Ele abre a caixa e dentro está o maior diamante
lapidado de princesa que eu já vi.
Jesus Cristo, meu dedo será forte o suficiente para sustentar essa coisa?
Minha mão está tremendo tanto que fica borrada quando ele desliza a faixa de
platina no meu dedo.
"Espero que isso esteja bem. Minha mãe me ajudou a escolher.”
Sua mãe tem um gosto caro, mas há algo doce nele pedindo sua ajuda para
escolher. Isso me faz sentir muito melhor sobre sua família.
Ela não o teria ajudado se ela se opusesse a esse casamento, iria?
"É perfeito."
Eu coloco minha mão no meu peito e o abraço com força.
Eu escorrego do sofá e fico de joelhos, então estamos cara a cara.
"Nós vamos foder agora e eu não quero ouvir nenhuma besteira sobre você
esperando até o dia do nosso casamento. OK?"
Ele ri. O som preenche cada parte vazia de mim até que eu me sinto inteira de
novo.
"Não há uma chance."
Eu beijo-o com força. Sua boca devora a minha. Ele não perde tempo tirando
minhas roupas de mim, praticamente rasgando minha calcinha do meu corpo.
Ele me inclina sobre o sofá e eu sei que isso não vai ser gentil como fazer amor.
São semanas de luxúria e tensão que estão implorando pela liberação. Isso vai ser como
dois animais enjaulados indo para lá.
A expectativa é tão animada que estou tremendo.
Ele fica atrás de mim e agarra meu rabo de cavalo, puxando minha cabeça para
trás para que ele possa me beijar. Eu gemo em sua boca enquanto ele desliza
profundamente dentro da minha boceta.
Eu fecho meus olhos quando a sensação de ser preenchida me subjuga.
Heath me enche como se nenhum vibrador de silicone pudesse. Estou esticada e
amando cada segundo disso. Ele começa a bater em mim. Nossa pele bate e a fricção da
nossa umidade faz um som alto e úmido.
Ele solta meu cabelo e agarra minhas nádegas, separando-as. Ele geme,
obviamente, gostando do que vê. Ele tem a visão perfeita dele entrando em mim. Eu
estou com inveja de que ele possa assistir, mas também perdi em meu próprio prazer de
ficar muito chateada com isso.
Ele sai de mim, deixando-me com um sentimento perdido e vazio. Ele se senta
no sofá e agarra meus quadris, me puxando em direção a ele. Eu subo no sofá e sento
em seu pau, empalando-me duro e rápido.
Neste ângulo eu posso senti-lo nas profundezas da minha buceta. Ele está tão
profundo que quase dói, mas com a dor vem imenso prazer que é como nada que eu já
senti antes.
"Sua boceta é tão boa," diz ele enquanto eu salto em seu pênis. Ele acaricia meu
clitóris e é tão bom que eu solto um gemido alto. Ele bate mais rápido. Se ele continuar
assim, eu não vou durar muito mais.
Eu começo a montá-lo mais rápido, mais forte. Estou tão perto. Mas antes que eu
possa vir, ele me puxa para fora dele, me deita no sofá. Desta vez ele se deita em cima
de mim e eu gosto desse jeito porque eu posso olhar para o seu rosto perfeito e ver
aqueles lindos olhos.
Eu amo o jeito que sua boca abre quando ele desliza para dentro de mim. Ele me
beija e morde meu lábio inferior suavemente, depois lambe. Ele mordisca meu mamilo
em seguida e uma sensação de fogo dispara direto do meu mamilo para o meu clitóris e
eu suspiro.
"Essa buceta perfeita pertence a mim agora," diz ele, empurrando mais forte.
"Eu sou toda sua," digo a ele, mal conseguindo pronunciar as palavras.
Sinto meus músculos apertarem e está aqui. Eu não posso mais segurar meu
orgasmo. Ele mergulha em mim duro e profundo mais uma vez e eu grito e me contorço
debaixo dele.
Ele me fode como um pistão, grunhindo e rosnando até que ele também perde
sua batalha de autocontrole.
Ele puxa para fora e seu esperma escorre da minha abertura para o sofá.
Ele se inclina e afasta o cabelo do meu rosto.
“Eu não posso acreditar que tenho você só para mim. Eu sou o homem mais
sortudo vivo,” diz ele.
Eu me deito lá, me aquecendo no resplendor de ter sexo com o homem mais
bonito que já conheci.
Ele vai ser meu marido.
Esse pensamento não me assusta mais. Não com Heath. Ele mudou tudo. Eu
nunca pensei que eu iria usar uma aliança de casamento de novo, ou me comprometer
com ninguém e agora eu não posso esperar para andar pelo corredor e ser a Sra. Heath
Starre.
Ele fica em cima de mim, tirando meu cabelo suado do meu rosto. Ele beija
minha testa, a ponta do meu nariz, meu queixo, meus lábios.
"Eu vou ser a esposa perfeita para você," digo a ele.
"Eu sei. Você já é perfeita.”
"Eu não posso acreditar que isso é real. Eu não achei que poderia amar alguém
tanto quanto eu amo você.”
"Eu me sinto da mesma forma. Antes de te conhecer, eu tinha certeza de que
ficaria sozinho para sempre. Eu não estava prestes a entrar em um casamento sem amor
como os meus amigos. Eu não posso esperar para começar minha vida com você e ter
uma família.”
O jeito que ele está olhando para mim faz meu coração parecer que vai explodir,
e a menção de uma família, eu não sei porque, mas essa parte não me ocorreu até agora.
"Você quer filhos?"
Eu pergunto. Isso me surpreende um pouco. Ele vive essa vida estruturada e
poderosa. Nunca me ocorreu que ele pudesse querer filhos. Aposto que ele seria um
ótimo pai.
“Com você, absolutamente. Meu pai não estava lá quando eu estava crescendo.
Na maioria das vezes não consigo entender por que ele se incomodou. Eu vou mudar
isso. Meu filho ou filha vai ter todo o amor do mundo com dois pais que se amam.”
Eu rasgo. Eu não posso evitar.
"Eu também quero," eu digo.
Ele me dá um sorriso diabólico.
"Talvez devêssemos começar a tentar agora."
"Absolutamente," eu digo a ele quando ele desliza para dentro de mim por mais
uma rodada.
Heath está cheio de surpresas. Antes do casamento, ele levou meus pais para
casa. Eles ficaram chocados, para dizer o mínimo, quando descobriram que eu estava
me casando.
Felizmente, Heath os informou sobre tudo, como tudo deveria ser falso, mas
depois nos apaixonamos. Não demorou muito para minha mãe ser afetada por Heath.
Ela está chateada, que eu não contei a ela, mas ela entende.
Estou muito feliz por ter minha melhor amiga e minha família no meu
casamento. Este dia não poderia melhorar. Mas parece que pode piorar...
Quando estou entrando no quarto do hotel para me vestir, sou encurralada pelos
gêmeos e pelos pais de Heath.
"O que é isso tudo?"
A mãe de Heath diz aos gêmeos. Ela e o pai de Heath parecem nervosos e eu
percebo que isso é algum tipo de trabalho dos gêmeos. Eles estão tramando algo. Eles
querem sabotar meu casamento e desta vez eu não tenho Heath para me apoiar.
Onde está Mandi quando preciso dela?
Ela tem um jeito de falar sozinha em qualquer situação. Parece que estou
sozinha e não sei o que fazer.
"Eu gostaria de saber a mesma coisa," eu digo, embora eu já saiba do que se
trata. Agora eu tenho que descobrir um jeito de sair dessa.
Estes dois pequenos trolls não vão arruinar o meu casamento ou minha
felicidade com Heath. Não se eu puder evitar.
"Eu acho que se Heath não vai dizer nada, nós vamos," diz Aurora.
"Dizer o quê?"
Diz o pai de Heath, irritado. Ele é um homem mais velho e envelheceu bem. É
como olhar para Heath no futuro. Eu só espero que Heath não seja tão severo, embora
eu duvide que ele seja.
A pessoa que eu conheço e amo pode ser difícil por fora - em mais de uma
maneira - mas ele é um grande urso de pelúcia e eu não vejo isso mudando a qualquer
momento.
“Sylph foi casada antes. Ela mentiu para todo mundo esse tempo todo,” diz
Theo.
A mãe de Heath olha para seus filhos e depois para mim.
"Isso é verdade?"
Eu me levanto e seguro minha cabeça. Eu não vou deixar esses gêmeos punks
me fazerem sentir culpada por um erro que cometi quando tinha dezoito anos.
Especialmente quando não foi minha culpa que o casamento acabou. Eu não fiz
nada errado. Eu tentei ser uma boa esposa, mas fui atingida em troca. Ninguém vai me
envergonhar por isso.
"Eu não menti sobre qualquer coisa," eu digo. “É verdade, eu fui casada antes e
foi o maior erro da minha vida. Tudo o que sou culpada é escolher o homem errado para
amar. Estou prestes a consertar isso agora.”
Eu olho para os gêmeos, desafiando-os com um olhar para dizer mais. Eles
parecem chocados. Eles estão acostumados comigo jogando bem e se escondendo atrás
de seu irmão, mas não mais. Eu vou enfrentar esses ricos esnobes a partir de agora.
"Que vergonha por tentar sabotar o casamento do seu irmão," repreende a mãe
de Heath.
"Coloque suas bundas de volta no gramado e pare de se intrometer onde você
não pertence," diz o pai de Heath.
Os gêmeos parecem ter sido espancados e eu não poderia estar mais feliz.
A mãe de Heath me dá um abraço reconfortante e diz: "Bem vinda à família,
querida."
O pai de Heath me dá um, tapinha, reto no ombro. Eu estou supondo que é a
coisa mais próxima do carinho que eu vou receber dele. Então eles saem e me sinto
muito melhor. Eu posso nunca ter a aprovação dos gêmeos, mas pelo menos seus pais
estão felizes por nós.
Minha mãe e Mandi me ajudam a me vestir. Meu cabelo e maquiagem são
impecáveis. Quando fico em frente ao espelho quando tudo está feito, sou grata pela
maquiagem à prova d'água. O resultado final é melhor do que eu imaginava.
"Você parece uma princesa," diz Mandi, derramando suas próprias lágrimas.
Não há um olho seco no quarto.
"Como você se sente, querida?"
Minha mãe pergunta. Eu posso dizer pela ruga entre os olhos dela que ela está
nervosa. Ela não teve muito tempo para se acostumar com o fato de eu me casar.
"Eu me sinto feliz," eu digo, meu sorriso iluminando meu rosto enquanto eu olho
para ela através do reflexo no espelho.
"Eu não sei se eu já fui tão feliz antes."
Seu sorriso espelha o meu.
Há uma batida na porta e uma mulher entra. Ela é a planejadora de casamentos
que os pais de Heath contrataram.
"É hora," diz ela.
Eu respiro fundo e nós fazemos o nosso caminho para o gramado.
Estou tão nervosa que todo o meu corpo está tremendo. Eu tenho medo que
minha voz faça o mesmo quando eu estiver no altar, dizendo meus votos.
Mas uma vez que eu saio para as escadas e vejo Heath esperando por mim,
quaisquer traços de medo que eu sinto se dissipam.
Ele é meu futuro, minha vida, meu amor. Ele é meu rock e eu não posso esperar
para passar o resto da minha vida com ele.
"Onde estamos indo?"
Sylph pergunta pela centésima vez, quando o motorista nos leva para o
aeroporto. Ele tem instruções para não dizer uma palavra, então continua a ignorá-la.
Eu rio enquanto ela cruza os braços sobre o peito e se senta contra o assento.
"Todo mundo é tão fiel a você," diz ela, me cutucando no lado.
"Sente-se, relaxe," eu digo, embora eu saiba que ela é incapaz disso.
Ela odeia surpresas. Eu também, então eu posso entender sua frustração, mas eu
sei quando ela descobrir onde eu vou levá-la em nossa lua de mel, ela vai adorar.
“Como posso relaxar? Você nem me deixou arrumar minha mala.”
“Mandi é totalmente capaz de fazer as malas. Ela sabe para onde estamos indo e
o que você vai precisar.”
"Eu ainda não consigo acreditar que ela não me disse. Ela me conta tudo!”
Eu apenas sorrio.
Chegamos ao aeroporto e verificamos nossas malas.
Quando recebemos nossos ingressos, a mulher do balcão diz: "Aproveite seu vôo
para a Grécia".
Sylph grita. Literalmente grita no aeroporto com todas essas pessoas ao nosso
redor. As pessoas estão olhando enquanto ela pula em meus braços, me sufocando em
um abraço de urso. Ela é mais forte do que parece.
Nós provavelmente vamos ser puxados para o lado e revistados pela segurança
por causa de sua empolgação, mas vale a pena ver como ela está feliz.
Ela finalmente me libera e eu posso respirar novamente.
“Eu sempre quis ir para a Grécia. Como você sabia?” Ela diz.
“Além de todas as revistas de viagens que você deixa espalhadas pelo
apartamento?”
"Eu não achei que você estivesse prestando atenção naquelas."
"Eu presto atenção em tudo quando se trata de você."
O sorriso que ela me dá faz com que tudo o que passamos valha a luta que levou
para chegar onde estamos agora.
"Eu te amo muito," diz ela.
Suas palavras são cheias de emoção e posso dizer que ela está lutando para não
chorar.
Eu a levo em meus braços e beijo sua testa.
"Eu te amo mais."
Nunca pensei que fosse capaz de amar alguém tanto quanto amo Sylph. Minha
esposa. É louco pensar que sou casado agora. Eu sempre pensei que o casamento para
mim estava em algum lugar no futuro distante, se fosse o caso.
Agora que encontrei minha alma gêmea, é difícil acreditar que consegui viver
sem ela por todos esses anos.
Eu não posso esperar para passar o resto da minha vida com a garota dos meus
sonhos.
Minha vida finalmente parece completa.
DOIS ANOS DEPOIS

Os homens do clube de campo ao qual pertenço me alertaram que uma vez que
Sylph ficasse grávida, a magia teria desaparecido. Eles disseram que minha atração
física por ela deixaria de existir.
De pé aqui no banheiro com ela, posso dizer definitivamente, que eles estão
errados.
Eu fiquei esperando por aquele dia em que eu olharia para ela e meu coração
pararia de dar aquele pequeno sobressalto de excitação. Quando meu pau iria parar de
subir com a visão de seu corpo nu. Isso não aconteceu e eu duvido que isso vá
acontecer.
Ela está grávida de oito meses e ainda é a mulher mais sexy do mundo. Se
alguma coisa, eu estou mais atraído por ela do que nunca, se é que isso é possível.
Ela parece brilhar por dentro, irradiando vitalidade e sex appeal - e o fato de que
ela está sempre excitada por causa de todos os hormônios que passam por ela não
atrapalha nossa vida sexual nem um pouco.
Aquela visão dela carregando um bebê é evidência de nossa conexão, nossa
ligação, nosso amor. Aquele garotinho crescendo dentro dela é a combinação perfeita de
nós dois. Como isso poderia ser um desvio?
Sylph está na frente do espelho do banheiro, escovando os cabelos enquanto eu
escovo os dentes. Ela olha para mim e sorri.
"Por que você está olhando assim para mim?"
Eu cuspo pasta de dentes e lavo a boca.
"Porque você é bonita."
Ela olha para a toalha enrolada em volta dela, sua barriga saindo.
"Eu estou tão grande quanto uma casa."
"Você é a casa mais sexy que eu já vi."
Ela ri e deixa cair a toalha no chão. Eu já estou duro, mas vê-la nua me faz doer.
"Que tal você se juntar a esta casa sexy no chuveiro e lavar as costas?" Diz ela.
Ela está me dando esses olhos sexuais. Sempre que ela olha para mim assim, eu
sei exatamente o que ela quer.
A água está ligada, quente e confortável. Eu a beijo enquanto a dou um banho de
corpo. Eu amo o jeito que a pele dela fica quando está escorregadia de sabão. Eu
massageio sua barriga redonda e caminho até seus seios. Eles cresceram imensos.
Esse foi um desenvolvimento divertido. Eles são pesados e lindos, seus mamilos
vermelhos dobraram de tamanho e se tornaram mais sensíveis. Apenas lambê-los faz
todo o seu corpo tremer.
Ela faz pequenos sons de miar e me implora para transar com ela enquanto eu
aperto e puxo seus mamilos.
"Eu vou, mas ainda não," digo a ela.
Ela merece se sentir bem. Ela merece atenção especial primeiro. Eu me ajoelho e
abro os lábios da sua boceta. Ela levanta a perna e coloca o pé na borda, abrindo-se para
mim. Encontrando seu clitóris, eu chupo o nó escorregadio na minha boca.
Eu sou viciada no gosto e cheiro dela, um sabor inebriante e pêssego que me
deixa louco de desejo. Ela solta um grito alto enquanto eu giro minha língua em torno
do nó duro de carne sensível.
Ela segura a parte de trás da minha cabeça e empurra sua buceta contra o meu
rosto. Porra, ela é incrível. Ela está em um frenesi agora, lambuzando meu rosto,
manchando meus lábios, nariz e queixo com seus abundantes sucos.
Isso me deixa louco. Ela está tão molhada e com tesão e pronta para mim. Eu
mergulho minha língua dentro dela e depois adiciono vários dedos também.
"Mais," ela implora.
Eu dou mais, adicionando os dedos até que ela estique até onde eu a levei. Eu
provavelmente poderia esticá-la ainda mais. Ela é calorosa e flexível e gosta de um
pouco de dor com seu prazer, mas agora, estou apenas tentando fazer com que ela se
sinta bem.
Eu puxo meus dedos para fora. Eles são revestidos em seus sucos e eu uso isso
para acariciar meu pau algumas vezes. Eu, então, a viro, então ela é para mim.
Eu deslizo meu pau nela por trás, esfregando sua barriga e acariciando seus
peitos cheios. Ela me pede para não parar.
Não é uma chance.
"Foda-me com força," ela implora.
Minha garota não consegue o suficiente. Eu sei que, mesmo depois de nós dois
chegarmos, não será a última vez hoje à noite.
Eu agarro seus quadris e mergulho nela com todas as minhas forças. Ela grita e
chora: "Sim, dê para mim".
Eu a fodo com força total até que todo o seu corpo convulsiona de seu orgasmo.
Ela desliga a água, sem fôlego. Eu inclino minha testa contra suas costas quando
começo a descer do meu próprio clímax.
Ela olha por cima do ombro e sorri para mim.
"Pronto para a segunda rodada?" Ela diz.
Eu rio, minha respiração ainda está lutando para diminuir a velocidade. Eu saio
dela, meu esperma derramando sobre os nossos pés.
"Eu posso precisar de um minuto para recuperar o fôlego," eu admito. "Sua
buceta não está dolorida depois de ser esticada e socada?"
Ela espalha suas bochechas, me dando uma visão sexy de seu pequeno rabo, e
balança a bunda de brincadeira.
"Eu tenho outros buracos também, você sabe."
Ela me dá um sorriso de flerte e sai do banho. Meu pau já está duro de novo.
Ela vê e seu sorriso se alarga.
"Eu vou te encontrar na cama."
Eu solto uma risada silenciosa. Eu tenho um pressentimento que depois que ela
tiver esse bebê, não vai demorar muito para ela estar grávida novamente.

O FIM