Você está na página 1de 3

ABC DO DESENVOLVIMENTO URBANO

O Brasil é um país de predominantemente urbano. O nível de urbanização, está relacionado com


o seu desenvolvimento econômico, pois a cidade proporciona maiores concentração de
oportunidades, como necessidades básicas materiais e imateriais, mas que também trás
malefícios.

Assuntos sobre a natureza das questões envolvidas, a gênese e as causas das dificuldades e as
possibilidades de promoção de cidades mais justas e agradáveis, são restritas a profissionais de
planejamento urbano e ambiente acadêmico. Pessoas especialistas destinados a se tornarem
profissionais da área, pois entendem a cidade e as causas de seus problemas, porem, pessoas
não versadas no assunto precisam conhecer corretamente as causas dos problemas dos espaços
onde vivem e as linhas gerais dos debates.

O livro ajuda a preencher as questões sobre o desenvolvimento urbano. O crescimento urbano


afeta as estruturas da sociedade, pois, veículos de informações e pessoas sem conhecimento, se
tornando inconvenientes e indesejáveis. Apresentam conceitos racistas e estereotipados, sem
fundamento em relação ao assunto, sem nenhum tipo de investigação e carência de analises.
Sempre procurar conhecer as causas dos problemas, para ser um cidadão ativo e não se deixar
ser manipulado por outros.

1 O que faz de uma cidade uma cidade?

Para entender o conceito de cidade, é preciso ser capaz de entender a complexidade de uma
palavra tão abstrata, em todos os seus sentidos, sendo eles fenômenos gerais ou extremamente
gerais, o singular eo particular, variações as especificidades e as suas causas, e inclusive
considerar os fenômenos singulares).

Max Weber, a cidade é um local de mercado. Um local de mercado, onde se dá um intercambio


regular de mercadorias.

Christaller; localidade central; Toda cidade é, do ponto de vista geoeconômico, isto é, das
atividades econômicas vistas a partir de uma perspectiva espacial, uma localidade central, de
nível maior ou menor de acordo com a sua centralidade- ou seja, de acordo com a quantidade de
bens e serviços que ela oferta, que fazem com que ela atraia compradores apenas das
redondezas, de uma região inteira ou, mesmo, de acordo com o nível de sofisticação do bem ou
bem ou do serviço, do pais inteiro e até de outro países;
Geoeconômico = Relativo a, ou caracterizado por condições ou políticas influenciadas por fatores
geográficos, e que são internacionais em seus objetivos.

A aldeia ou povoado, não pode ser um centro urbano pois é mais “ centrifuga “ Inflorescência que
vai do centro para a periferia e não centrípeta, aonde suas atenções se dirigem para o centro.
As cidades são assentamentos humanos extremamente diversificados, no que se refere às
atividades econômicas ali desenvolvida, diferentemente dos assentamentos rurais que são as
aldeias e os povoados.

Povoado = Agricultura, Pecuária, atividades própria do campo ( que definem uma identidade
geoeconômica, ou seja, econômico-espacial )em contraposição à cidade. Comercio rudimentar,
voltado para o auto-abastecimento local e freqüentemente destinado a um mercado maior, aonde
será processado e industrializado, com outros destinos.
A cidade é, sob o ângulo do uso do solo, ou das atividades econômicas que a caracterizam, um
espaço de produção não-agricula, ou seja, manufatureira ou propriamente industrial ) e de
comercio com fornecimento de serviços. Atividades prestadas.

“ Faixa de transição “ entre o uso do terreno tipicamente rural e o urbano. Espaço Peri urbano.
“Peri urbano”: é uma área que se localiza além dos subúrbios de uma cidade onde as atividades
rurais e urbanas se misturam e não é possível definir os limites físicos e sociais destes dois
espaços.
Quanto maior a cidade em geral, mais complexo tende a ser o espaço Peri urbano.
A cidade é um centro de gestão de negócios, por sediar as empresas.e poder religioso e político,
interagindo e organizando com base em interesses e valores dos mais diversos, formando grupos
de afinidade e de interesse, menos ou mais bem definidos territorialmente com base na
identificação entre certos recursos cobiçados em espaço, ou na base de identidades territoriais
que os indivíduos buscam manter e preservar.

Cada pais definem critérios oficias para estabelecer o que é uma cidade, um núcleo tido como
propriamente urbano, distinguindo as cidades de núcleos rurais como aldeias e povoados.
Tornando um conhecimento sócio-espacial dos pais em questão.

No Brasil, os núcleos urbanos são as cidades e as vilas, sendo que as primeiras são sedes de
municípios e as segundas são sedes de distritos ( subdivisões administrativas dos municípios).
Mostrando que os critérios façam sentido e reflitam, ao menos substancialmente ( a essência ), a
realidade do pais em questão.

Uma cidade, para ser uma cidade, precisa, mais que possuir um dado numero de habitantes,
apresentar uma certa centralidade econômica ( política também) e algumas características
econômico-espaciais que a distinguem de um simples núcleo formado por lavradores ou pastores,
agrupados, em um habitat rural concentrado, por questões históricas ligados a tradições ou a
segurança. Existindo classes sócias não vinculadas.

A economia da aldeia e do povoado gravita em torno da agricultura e da pecuária, e que na aldeia


e no povoado o comercio e os serviços são simples e voltados para o auto-abastecimento local,
reduzindo-se a bens de consumo muito rotineiro.

Na cidade tem diversificação das atividades econômicas, não dependendo do seu numero de
habitantes, ela ocorre em função da renda, alem de outros fatores histórico-culturais. Tecnologias,
serviços ofertados no núcleo urbano.

Cada região apresenta um tipo de comercio, econômico-espacial e serviços sofisticados, por


questões de desenvolvimento econômico, nível e distribuição de renda da mesma.

Cidade como uma entidade isolada e fortemente individual: É a conurbação formada por varias
cidades, todas as sede de um município diferente. Tendo todos os espaços urbanos ‘ costurados
‘, que são os deslocamentos diários de trabalhadores, grande parte dos quais trabalha ao núcleo
metropolitano e reside nas cidades vizinhas a este.

Aglomeração urbana se forma quando duas ou mais cidades passam a atuar como um “
minissistema urbano “ em escala local, ou seja, seus vínculos se tornam muitissimo fortes, no
sentido acima exposto. Compõem-se, tipicamente, de duas ou mais cidades medias e pequenas.
Metrópole é o crescimento de umas das cidades em aglomeração, apresentando uma área de
influencia econômica, pelo menos regional. É um minissistema urbano, polarizado por uma cidade
principal, que abriga o núcleo metropolitano. Realidades sócio-espaciais, chamadas de áreas
metropolitanas ou mais precisamente, áreas metropolitanas estatísticas padrão.

Região, no Brasil, é um espaço de dimensões normalmente maiores, situado entre a escala


nacional ( O pais) e a escala loca ( a cidade ou município, ou mesmo uma aglomeração.

9 Regiões metropolitanas; Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo horizonte,, Rio de Janeiro,
são Paulo, Curitiba e Porto Alegre. A razão desse reconhecimento formal das metrópoles era
dupla: explicitamente tomar mais racional, so o ângulo econômico a prestação dos chamados
serviços de interesse comum, isto é, serviços que interessam a mais de um município e que
podem ser mais inteligentemente oferecidos por meio de uma gestão integrada, como a
destinação do lix, abastecimento de água, proteção ambiental e outros, criando um órgão de
planejamento e gestão. E por questão geopolítica interna, pois eram mais fácil intervir nas
metrópoles, espaços-chave da vida econômica e político-social brasileira, sem precisar eliminar
mais ainda a já muito restrita margem de manobra de estados e municípios. Centralismo e do
autoritarismo.

Megalópole é um sistema urbano fortemente integrado, inclusive por fluxos de deslocamento


diário de passageiro na base de transportes coletivos de massa. São formadas por duas ou mais
metrópoles, que se acham “ costuradas “ por fluxos de modo semelhante como cada metrópole
individual se acha articulada internamente. Sendo metrópoles muito próximas umas das outras e
muito fortemente articuladas entre si.

Megacidades, termo supérfluo, do qual bem se pode abrir mão, pois é apenas uma metrópole.