Você está na página 1de 77

AULA 8 – Distância de Visibilidade e Curvas Verticais

Prof. Pabllo Araujo


Eng. Civil, Me.

Campina Grande-PB
Novembro de 2018
Estradas

Distância de Visibilidade Curva Vertical


Distância de Visibilidade

Um dos fatores mais importantes


para a segurança e eficiência
operacional de uma estrada é a sua
capacidade de poder proporcionar
boas condições de visibilidade aos
motoristas que por ela trafegam.
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Importância de Distância de Visibilidade


É importante garantir as distâncias de visibilidade ao motorista, de modo que ele não
sofra as limitações visuais que são relacionadas às características geométricas da
via:
 Controlar o veículo a tempo de para-lo e não chocar contra o obstáculo;
 Controlar o veículo para interromper ou concluir uma ultrapassagem.
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp)


É a distância mínima necessária para que um veículo que percorre uma estrada
possa parar antes de atingir um obstáculo na sua trajetória.
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp)


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp): Cálculo do D1


De acordo com a AASHTO o tempo de percepção e frenagem é igual a 2,5 s que
corresponde a 1,5 s para a etapa de percepção do obstáculo e 1,0 s para a reação
da frenagem.

Obs.: Para V em
km/h, divide-se a
velocidade por 3,6.
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp): Cálculo do D2


A distância de frenagem (D2), é calculada através de conceitos físicos. A energia
cinética no início do processo de frenagem deve ser anulada pelo trabalho da força
de atrito ao longo da distância de frenagem.
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp)

Verifica-se na prática que em uma rodovia de Velocidade Diretriz (Vdir) nos dias
chuvosos os motoristas dirigem com velocidade média (Vméd) inferior a Vdir.
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Parada (Dp)


Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Em projetos de vias urbanas a AASHTO recomenda a distância de visibilidade de


para entre 30 m e 60 m, dependendo da velocidade diretriz.
Distância de Visibilidade

Distância Dupla de Visibilidade de Parada (Dp)


EXERCÍCIO

(1º) Calcular a distância de visibilidade de parada recomendada numa


estrada cuja velocidade diretriz é de 100 km/h.

(2º) Calcular a distância de visibilidade de parada excepcional numa


estrada cuja velocidade de projeto é de 100 km/h.
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade para Tomada de Decisões


Quando há necessidade de manobras súbitas (repentinas ou inesperadas), ou há
dificuldade de percepção, então, as distâncias de visibilidade de parada podem se
revelar insuficientes. Assim sendo, a distância de visibilidade para tomada de
decisão fornece o comprimento adequado às necessidades do motorista.
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade para Tomada de Decisões


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade para Tomada de Decisões


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du)


É a distância que deve ser proporcionada a um veículo, numa pista simples e de
mão dupla, para efetuar uma manobra de ultrapassagem com conforto e
segurança, quando ele estiver atrás de um veículo mais lento.
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du): Determinação de d1


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du): Determinação de d2


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du): Determinação de d3


Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du): Determinação de d4


Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade
Distância de Visibilidade

Distância de Visibilidade de Ultrapassagem (Du): Recomendações


Curvas Verticais

O projeto de uma estrada em perfil é


constituído de greides retos,
concordados dois a dois por curvas
de concordância vertical. Os greides
retos são definidos pela sua
declividade, que é a tangente do
ângulo que fazem com a horizontal.
Curvas Verticais

Perfil Longitudinal

No perfil de uma estrada podem ser observados dois tipos de greides:


 Ascendentes: rampas positivas, i% (+).
 Descendentes: rampas negativas, i% (-).
Curvas Verticais

Elementos das Curvas de Concordância Vertical


Curvas Verticais

Tipos de Curvas de Concordância Vertical


As curvas clássicas de concordância vertical empregadas em todo o mundo são as
seguintes:
 Parábola do 2º grau;
 Curva Circular
 Elipse;
 Parábola cúbica (ou do 3º grau).

Obs.: O DNIT recomenda o uso de parábolas do 2º grau no cálculo das curvas


verticais, de preferência as simétricas em relação ao PIV.
Curvas Verticais

Tipos de Curvas de Concordância Vertical: Parábola do 2º Grau


 A equação da curva é simples;
 A transformação da parábola devido às 2 escalas no perfil é também uma
parábola. Obs.: sabe-se que nos perfis longitudinais de estradas, normalmente, a
escala horizontal é de 1:2.000, e a escala vertical é 1:200;
 A taxa e variação de declividade da parábola é constante;
 O PCV e o PTV podem ser locados em estaca inteira ou +10,00 m, como convém
no projeto e no perfil definitivo;
 É desnecessário o uso de tabelas ou gabaritos para desenhar a curva no projeto.
Curvas Verticais
Curvas Verticais

Parábola Simples
Curvas Verticais

Parábola Composta
Curvas Verticais
Curvas Verticais

Variação total da declividade do greide


Curvas Verticais

Comprimento da curva (L ou Lv)


Curvas Verticais

Comprimento da curva (L ou Lv)


Curvas Verticais

Rampas
Curvas Verticais

Rampas
Curvas Verticais

Rampas
Curvas Verticais

Propriedades da Parábola do 2º Grau Simples


Curvas Verticais

Propriedades da Parábola do 2º Grau Simples

 Representa a equação geral da parábola;


 Fornece a ordenada “y” de qualquer ponto de
abscissa “x” da curva, permitindo a
determinação das coordenadas dos pontos
da curvas em relação ao PCV.
 Para o cálculo das cotas de um ponto “P”
genérico em relação a um plano de
referência.
Curvas Verticais

Propriedades da Parábola do 2º Grau Simples


Curvas Verticais

Propriedades da Parábola do 2º Grau Simples: Ponto de ordenada máxima


Curvas Verticais

Cálculo das Cotas e Estacas do PCV e PTV (simples)


Curvas Verticais

Propriedades da Parábola do 2º Grau Composta


Curvas Verticais

Cálculo das Cotas e Estacas do PCV e PTV (composta)


Curvas Verticais

Curvas Convexas
Curvas Verticais

Curvas Côncavas
Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Convexas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Convexas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Convexas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Côncavas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Côncavas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais: Curvas Côncavas


Curvas Verticais

Comprimento Mínimo de curvas verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


Curvas Verticais

Terraplenagem em Curvas Verticais


EXERCÍCIO

(3º) Calcular os elementos notáveis (estacas e cotas do PCV, PTV e V) da curva de


concordância vertical abaixo e confeccionar a nota de serviço de terraplenagem. O
raio da curva vertical (Rv) é igual a 3.000 m e a distância de visibilidade de parada
(Dp) é igual a 98 m.
EXERCÍCIO

(4º) Calcular os elementos notáveis (estacas e cotas do PCV, PTV e V) da curva de


concordância vertical abaixo e confeccionar a nota de serviço de terraplenagem. O
raio da curva vertical (Rv) é igual a 4.000 m e a distância de visibilidade de parada
(Dp) é igual a 112 m.
EXERCÍCIO

(5º) Calcular os elementos notáveis (estacas e cotas do PCV, PTV e V) da curva de


concordância vertical abaixo e confeccionar a nota de serviço de terraplenagem.
EXERCÍCIO

(6º) Calcular os elementos notáveis (estacas e cotas do PCV, PTV e V) da curva de


concordância vertical abaixo e confeccionar a nota de serviço de terraplenagem.
EXERCÍCIO

(7º) Calcular as cotas dos PCV’s, PTV’s e Vértices das curvas de concordância
vertical do perfil abaixo.
Dúvidas???

Prof. Pabllo Araujo – Eng. Civil, Me. 040101991@prof.uninassau.edu.br