Você está na página 1de 60

REDAÇÃO OFICIAL

QUESTÕES CESPE

Prof. Lucas Gonçalves


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
Esplanada dos Ministérios, Bloco L, Edifício Sede – 4.º Andar – Zona Cívico-Administrativa, Brasília/DF, CEP 70047 900Telefone: 2022 8581 e Fax: 2022
8582 http://www.mec.gov.br

XXXXX n.º 3/2016/MEC

YYYYY

Aos Reitores dos Institutos Federais de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.


Assunto: Orientações sobre o pagamento de bolsas aos servidores técnico-administrativos.
Referência: Processo n.º 64.

ZZZZZ,

Em atenção à consulta realizada por esta Secretaria à Consultoria Jurídica deste Ministério sobre a extensão da impossibilidade de pagamento direto de bolsas,
pelos Institutos Federais, aos servidores técnico-administrativos em educação para ações de capacitação e qualificação, segue anexo o Parecer n.º 486/2015, de
junho de 2015, para conhecimento e providências cabíveis.
Atenciosamente,

FULANA DE TAL
Coordenadora-Geral de Desenvolvimento de Pessoas da Rede Federal
(SEEDF/ CESPE/ 2017) Com referência ao documento anteriormente apresentado — XXXXX n.º
3/2016/MEC —, julgue os itens subsequentes com base no disposto no Manual de Redação da
Presidência da República (MRPR).
1. Infere-se das informações constantes no texto que o documento em apreço é um aviso.

2. O expediente em tela é considerado uma forma de comunicação eminentemente interna devido ao


fato de o destinatário e o signatário do documento serem funcionários da esfera educacional.

3. Caso, em lugar de YYYYY, fossem inseridos o local e a data de emissão do documento, no formato
Brasília, 22/2/2016, tal inserção atenderia ao disposto no MRPR.
4. De acordo com as normas estabelecidas pelo MRPR para o emprego dos
pronomes de tratamento, em lugar ZZZZZ poderia constar a seguinte expressão,
seguida de vírgula: Magníficos Reitores.

5. O documento em apreço não atenderia às normas constantes no MRPR para as


comunicações do padrão ofício se a identificação do cargo da remetente —
Coordenadora-Geral de Desenvolvimento de Pessoas da Rede Federal — fosse
suprimida do texto.
Mem. 23/2013–TC
Brasília, 15 de março de 2016.
Assunto: Aquisição de novos computadores.
Cumpre-me informar que, nos termos do plano de estratégia estabelecido na reunião do colegiado de
fevereiro deste ano, solicitamos a Vossa Senhoria a tomada de orçamentos para a aquisição de novos
equipamentos de informática para o Departamento de Recursos Humanos.
As especificações dos computadores deverão ser obtidas junto ao departamento de informática, e os
orçamentos deverão ser apresentados na próxima reunião.
Abraços,

Senhor João da Silva


(TCE-PA/ CESPE/ 2016) A partir do memorando hipotético apresentado, julgue os itens que
se seguem com base nas normas do Manual de Redação da Presidência da República
(MRPR).
6. O alinhamento e o formato da data e do assunto da comunicação oficial apresentada
atendem às normas do MRPR.

7. Infere-se que o emissor e o destinatário do memorando apresentado ocupam cargo de


mesma hierarquia, uma vez que essa modalidade de comunicação oficial é utilizada para
estabelecer a comunicação entre unidades administrativas hierarquicamente idênticas, de
órgãos distintos.
8. A identificação do signatário do documento apresentado foi feita de acordo com o
disposto no MRPR, pois a menção ao cargo é desnecessária em comunicações como o
memorando.

9. O emprego de Abraços como fecho do documento apresentado contraria as


determinações do MRPR quanto às características da redação oficial, especialmente no
que se refere à formalidade e à impessoalidade.
10. Nos dois parágrafos que compõem o corpo do documento, empregou-se o padrão
culto da língua portuguesa.

11. O texto ficaria mais conciso, atendendo-se às normas constantes no MRPR quanto às
características da redação oficial, caso se substituísse o trecho Cumpre-me informar que
por Informo que.
12. (PC-PE/ CESPE/ 2016) De acordo com o Manual de Redação da Presidência da
República (MRPR), o aviso e o ofício são:
a) modalidades de comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão.
b) instrumentos de comunicação oficial entre os chefes dos poderes públicos.
c) documentos que compartilham a mesma diagramação, uma vez que seguem o padrão
ofício.
d) expedientes utilizados para o tratamento de assuntos oficiais entre órgãos da
administração pública e particulares.
e) correspondências usualmente remetidas por particulares a órgãos do serviço público.
13. (PC-PE/ CESPE/ 2016) Considerando as disposições do MRPR, assinale a opção que
apresenta o vocativo adequado para ser empregado em um expediente cujo destinatário seja
um delegado de polícia civil.
a) Magnífico Delegado,
b) Digníssimo Delegado,
c) Senhor Delegado,
d) Excelentíssimo Senhor Delegado,
e) Ilustríssimo Senhor Delegado,
14. (PC-PE/ CESPE/ 2016) Considerando que, conforme o MRPR, a finalidade do fecho de
comunicações oficiais é arrematar o texto e saudar o destinatário, assinale a opção que
contém o fecho a ser empregado corretamente em correspondência oficial a ser subscrita
por um delegado de polícia civil e remetida para o secretário de Defesa Social do Estado
de Pernambuco.
a) Gentilmente,
b) Respeitosamente,
c) Cordialmente,
d) Sinceramente,
e) Atenciosamente,
15. (PC-PE/ POLÍCIA CIENTÍFICA/ CESPE/ 2016) A respeito da finalidade e das características
de um memorando, assinale a opção correta.
a) Por ser uma forma de comunicação eminentemente interna, o memorando tem caráter
estritamente administrativo, não podendo ser utilizado para outros fins.
b) Para compor memorando expedido pelo diretor do serviço de medicina legal a um dos
chefes de repartição desse serviço, estariam adequados o fecho e a identificação do signatário
a seguir:
Atenciosamente,
(espaço para assinatura)
Nome
Diretor do Serviço de Medicina Legal
c) O memorando deve ser utilizado apenas nas situações em que não seja possível o uso de
correio eletrônico.
d) Em memorando destinado ao secretário de defesa social do
estado de Pernambuco, este deve ser evocado da seguinte forma:
A Sua Excelência o Senhor
Nome da pessoa a quem o expediente se destina
Secretário de Defesa Social do Estado de Pernambuco
e) Entre os elementos pré-textuais de um memorando deve constar o cabeçalho, com o nome
do órgão, o endereço postal e o endereço de correio eletrônico do destinatário.
XXX n.º 524/2016/MA

Brasília, 15 de março de 2016.


A Sua Excelência o Senhor
Deputado [Nome]
Câmara dos Deputados
70.000-000 – Brasília – DF

Assunto: Reforma agrária

Senhor Deputado,

Em complemento aos documentos enviados ao seu gabinete na semana passada, informo-lhe que todas as medidas cabíveis
foram tomadas. Vossa Senhoria poderá levar os projetos de lei para votação no Plenário da Câmara dos Deputados, de acordo
com os prazos regimentais.

Atenciosamente,

XXXXXXX
Senhor João da Silva
Chefe do Departamento Fundiário do Ministério da Agricultura
(TCE-PA/ 2016/ CESPE/ NÍVEL SUPERIOR) A respeito da correspondência oficial hipotética
apresentada, julgue os itens a seguir com base no que dispõe o Manual de Redação da
Presidência da República (MRPR).

16. Infere-se das informações presentes no texto que a comunicação oficial apresentada é um
aviso.

17. O fecho do documento foi empregado em conformidade com o que dispõe o MRPR.

18. O vocativo foi inadequadamente empregado no texto, devendo ser substituído por
Excelentíssimo Senhor.
19. A correção gramatical do texto seria prejudicada caso a forma verbal
poderá fosse substituída por poderás.

20. Para garantir a adequação do documento às normas constantes no MRPR


quanto ao uso de pronomes de tratamento, o termo Vossa Senhoria,
empregado no corpo do texto, tem de ser substituído por Vossa Excelência.
(TCE-PA/ 2016/ CESPE/ NÍVEL SUPERIOR) Com base no disposto no MRPR,
julgue os itens a seguir, que versam sobre correspondências oficiais.
21. A redação de documentos oficiais visa à comunicação entre órgãos da
administração pública; por essa razão, nesse tipo de documento, deve-se primar
pela impessoalidade e pela uniformidade, entre outros aspectos.

22. De acordo com MRPR, o órgão emissor do documento oficial deve adotar o
padrão estrutural mais adequado em suas comunicações, conforme suas
especificidades.
23. Nas comunicações oficiais, deve-se evitar o jargão burocrático, com vistas a
garantir a clareza, a padronização e a impessoalidade dos documentos oficiais.

24. O MRPR adota o memorando como padrão para a redação dos documentos
oficiais.
(DEPEN/ 2015/ CESPE/ NÍVEL SUPERIOR) Considerando os aspectos estruturais e
linguísticos das correspondências oficiais, julgue os itens que se seguem de
acordo com o Manual de Redação da Presidência da República.

25. A exposição de motivos e a mensagem diferem no que se refere à indicação do


local e da data. Enquanto a exposição de motivos segue o padrão ofício em
relação a esse aspecto, a mensagem não o segue, ao trazer a indicação do local e
da data a 2 cm do final do seu texto.
26. O uso da variedade padrão da língua na redação dos expedientes oficiais tem
por base um padrão oficial de linguagem, isto é, uma forma de linguagem comum
na escrita de documentos oficiais e que se caracteriza pela seleção de
determinadas expressões linguísticas e pela utilização de estruturas sintáticas
tradicionais.
27. O aviso é um gênero de comunicação oficial cujo remetente é restrito, uma
vez que é expedido apenas por ministros de Estado e tem como finalidade
comunicativa o tratamento de questões oficiais pelos órgãos da administração
pública entre si.

28. O registro dos despachos no corpo do memorando funciona como um


histórico de todas as etapas por que passou a matéria tratada no documento.
29. Comunicações oficiais cujo remetente é o presidente da República
caracterizam-se pelo emprego da forma Respeitosamente como fecho, pela
ausência de assinatura e pela presença da identificação do signatário como forma
de se evitarem equívocos.
(CESPE/ INSTITUTO RIO BRANCO) Considerando o seguinte requisito: “A redação oficial deve
caracterizar-se pela impessoalidade, uso do padrão culto de linguagem, clareza, concisão,
formalidade e uniformidade” (Manual de Redação da Presidência da República, 2002), cada
um dos itens seguintes apresenta um fragmento de texto que deve ser julgado certo se atender
ao citado requisito, ou errado, em caso negativo.

30. A legislação sobre os direitos humanos têm-se ampliado tanto na temática como na
abrangência geográfica. Hoje os direitos humanos é reconhecido como universais,
interdependentes, inter-relacionados, indivisíveis e mutuamente sustentáveis.
31. A América Latina está ciente de como os direitos políticos e civis é essencial. Grande parte
da região suportou por anos ou, em alguns casos, por décadas regimes ditatoriais ou
autoritários em um passado não muito distante. Dessa forma, temos total compreensão do valor
dos direitos civis e políticos por cujos nossos povos lutaram.

32. A promoção dos direitos políticos e civis também abrangem a luta contra o racismo e todos
os jeitos de discriminação. De fato, como se afirmou em resolução originalmente proposta pelo
Brasil, a democracia e o racismo são incompatíveis. A plena igualdade de gênero deve
permanecer um tema central nas sociedades.
33. A liberdade política e o progresso social está intimamente ligado. Um indivíduo não pode
participar de forma integral da vida política de seu país sem o acesso apropriado à alimentação,
à educação e à saúde. Ao mesmo tempo, é crucial, para a justiça social o respeito aos direitos
individuais, a liberdade de opinião, às leis e ao direito de escolher o próprio governo.

34. Nas últimas décadas, assistimos à uma evolução significativa dos esforços de promoção e
proteção dos direitos humanos. Em muitos aspectos o mundo melhorou em relação ao que era
a sessenta anos. Essa mudança tem tudo que ver com uma maior consciência a respeito da
necessidade de reconhecer e respeitar os direitos humanos para todos.
DP/123-07
São Paulo, 4 de março de 2007
Digníssimo Senhor Diretor Regional do Ministério do Trabalho e Emprego,
Em resposta ao ofício DRT/SP 26/07, datado de 27 de fevereiro próximo passado,
encaminhamos à Vossa Excelência, em anexo, a cópia da informação da Divisão de Pessoal, de
que dispõe sobre a distribuição dos referidos servidores.
Com os meus maiores respeitos e consideração,
José José José
José José José
Diretor-geral
(TCU/ CESPE) Com base na normatização de redação de documentos oficiais, e tomando como
exemplo o modelo de ofício acima, julgue os itens a seguir, a respeito da redação de
correspondência oficial.

35. Para atender às normas do padrão ofício, a data deve ser deslocada para a direita da
primeira linha, a par da identificação do documento.

36. Para se respeitar o padrão de gentileza necessário ao documento, no vocativo, o


destinatário deveria ter sido identificado pelo nome próprio, logo abaixo do cargo.
37. A justificativa do motivo da comunicação, “Em resposta (...) passado”, é supérflua na
redação de um documento dessa natureza — especialmente se for uma exposição de motivos
— e deve ser eliminada para que sejam alcançadas a objetividade e a concisão desejáveis ao
documento.

38. O tratamento de “Vossa Excelência” é exigido no corpo do documento porque está


compatível com o tratamento de “Digníssimo”, dado ao diretor, e os dois termos respeitam o
uso no padrão ofício.
39. Para que as regras de ortografia pertinentes ao padrão-ofício sejam respeitadas, apenas
“Digníssimo”, iniciando o vocativo, deve ser grafado com inicial maiúscula. Os demais
substantivos devem iniciar por letras minúsculas.

40. Para respeitar as regras gramaticais do padrão de língua exigido em documentos oficiais,
será obrigatório substituir o termo “em anexo” por anexa.

41. Para que as regras gramaticais da norma culta, necessárias a esse padrão de documentos,
sejam respeitadas, a preposição “de” deve ser retirada do termo “de que dispõe”.
42. Por causa da continuidade do texto, integrando o fecho ao corpo do documento, o ponto
final depois de “servidores” deve ser substituído por vírgula ou ponto-e-vírgula.

43. No fecho de um ofício ou memorando entre autoridades de mesma hierarquia, como é o


caso de diretores, recomenda-se substituir “Com os meus maiores respeitos e consideração”
por Atenciosamente.

44. Apesar de a assinatura já identificar o signatário, na redação de documentos oficiais, como


um ofício ou um memorando, são obrigatórios também o nome e o cargo do signatário, como
se verifica no exemplo.
(ANVISA/ TÉCNICO/ CESPE) A fixação dos fechos para comunicações oficiais foi regulada pela
Portaria n.º 1 do Ministério da Justiça, em 1937, e, após mais de meio século de vigência, foi
regulada pelo Decreto n.º 100.000, de 11 de janeiro de 1991, que aprovou o Manual de
Redação da Presidência da República. A respeito das normas de redação oficial fixadas por
esse manual, julgue os itens subsequentes.

45. Fere o princípio da impessoalidade o seguinte trecho de um memorando: Esclareço, ainda,


em especial aos que atuam no Departamento de Pessoal, que não concebo que um ato
normativo de qualquer natureza seja redigido de forma obscura, que dificulte ou impossibilite
sua compreensão. Frise-se que fico deveras irritado quando um documento oficial não pode ser
entendido por todos os cidadãos.
46. O principal objetivo da edição do Manual de Redação da Presidência da República foi
sistematizar as características da forma oficial de redigir visando-se à criação de uma forma
específica de linguagem burocrática que consagrasse expressões e clichês do jargão
burocrático.

47. O fecho estabelecido pelo Manual de Redação da Presidência da República para as


comunicações entre autoridades, independentemente das posições hierárquicas que ocupem, é
Respeitosamente.
48. Mantido o nível de formalidade adequado às comunicações oficiais, deve-se, na introdução
de um ofício, preferir a forma Comunico a Vossa Senhoria à forma Tenho a honra de informar
a Vossa Senhoria.

49. Os pronomes possessivos que se refiram a pronomes de tratamento devem ser sempre os de
terceira pessoa, como no seguinte exemplo: Vossa Senhoria deverá nomear seu substituto no
prazo de três dias.
50. (TRE-PE/ CESPE/ 2016) Assinale a opção correta de acordo com as características formais e
linguísticas dos documentos oficiais.
a) O envelope que traga comunicação oficial endereçada a um senador da República deverá ser
preenchido conforme o modelo abaixo.
A Vossa Excelência o Senhor
Senador (nome do Senador)
Senado Federal
70165-900 Brasília – DF
b) O fecho adequado para figurar em uma comunicação oficial que parta de uma autoridade
superior para uma autoridade inferior é Respeitosamente.
c) Em uma comunicação que tenha como destinatário o governador de um estado da
Federação, o tratamento a ser-lhe dispensado deverá ser Vossa Excelência e o vocativo a ser
empregado será Senhor Governador.
d) Em todas as comunicações oficiais, deve-se adotar, na identificação do signatário, o modelo
abaixo.
Assinatura
Nome da autoridade que expede a comunicação oficial
Cargo da autoridade que expede a comunicação oficial
e) No exemplo Mem. 72/2015 – Setor de Compras, constam a identificação do tipo e número
do expediente bem como informação referente ao órgão para o qual esse expediente se destina,
qual seja, o Setor de Compras.
51. (TRE-PE/ CESPE/ 2016) Levando em consideração as características formais e linguísticas
do padrão ofício, assinale a opção correta.
a) O endereço do destinatário é um item imprescindível em documentos do padrão ofício.
b) Os campos destinados às margens laterais esquerda e direita de documentos que se orientem
pelo padrão ofício devem ter 1,5 cm de largura, no mínimo.
c) A numeração dos parágrafos que compuserem o texto de um expediente que siga o padrão
ofício é obrigatória em todos os casos e serve para organizar a informação.
d) O aviso, o memorando e o ofício, exemplos de comunicações oficiais que se constroem
consoante o padrão ofício, distinguem-se pela finalidade comunicativa.
e) Gráficos, ilustrações e notas de rodapé são itens estranhos ao padrão ofício.
52. (TRE-PE/ CESPE/ 2016) Considerando os interlocutores envolvidos em atos comunicativos
mediados por textos oficiais, assinale a opção correta.
a) O aviso é a comunicação oficial que parte de um ministro de Estado e que se destina a
autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior.
b) O memorando medeia a comunicação entre unidades administrativas de um mesmo órgão
pertencentes ao mesmo nível hierárquico ou a diferentes níveis hierárquicos.
c) O ofício tem como destinatário autoridade de mesma hierarquia que a autoridade remetente.
d) A exposição de motivos denominada interministerial é aquela que se dirige a mais de um
ministro.
e) A mensagem é o expediente oficial de que se serve o presidente da República para
comunicar-se com os ministros de Estado.
53. (TRE-PI/ CESPE/ 2016) De acordo com o Manual de Redação da Presidência
da República (MRPR), na redação de expedientes oficiais, é necessário
a) evitar qualquer uso de linguagem técnica.
b) empregar um padrão próprio de linguagem, denominado padrão oficial.
c) empregar uma forma específica da linguagem administrativa, burocrática.
d) observar as recomendações do padrão culto da língua portuguesa.
e) obedecer a certa tradição no emprego das formas sintáticas, optando-se pelo
rebuscamento.
54. (TRE-PI/ CESPE/ 2016) Acerca das características formais e linguísticas dos fechos
empregados nas comunicações oficiais, assinale a opção correta conforme o MRPR.
a) Formalmente, não se deve inserir vírgula após fechos de comunicações oficiais.
b) O fecho é o último elemento da estrutura formal de um expediente oficial, daí uma de suas
finalidades ser marcar o fim de um texto.
c) O fecho constitui expressão com a qual o destinatário se saúda.
d) O MRPR disciplina o uso dos fechos para todas as autoridades, inclusive as estrangeiras que
se encontrem em território nacional.
e) O emprego adequado do fecho da comunicação depende da observação das relações
hierárquicas entre os interlocutores.
55. (TRE-PI/ CESPE/ 2016) Em relação à conceituação, à finalidade e aos aspectos
estruturais e linguísticos das correspondências oficiais, assinale a opção correta.
a) O memorando é um expediente oficial de circulação interna ou externa.
b) Como não existe padrão definido para a estrutura das mensagens enviadas por
meio de correio eletrônico, não há orientações acerca da linguagem a ser
empregada nessas comunicações.
c) Informar o destinatário sobre determinado assunto, propor alguma medida e
submeter projeto de ato normativo à consideração desse destinatário são alguns
dos propósitos comunicativos da mensagem.
d) A exposição de motivos varia estruturalmente conforme sua finalidade
comunicativa.
e) A situação comunicativa mediada pelo ofício é restrita aos ministros de Estado,
estejam eles no papel de remetente ou de destinatário.
56. (TRE-PI/ CESPE/ 2016) No que se refere aos aspectos formais e linguísticos das
correspondências oficiais definidos no Manual de Redação da Presidência da República,
assinale a opção correta.
a) No ofício, informações do remetente, tais como nome do órgão ou setor a que ele pertence,
endereço postal, além de telefone e endereço de correio eletrônico, são facultativas, devendo,
se presentes, constar do cabeçalho do documento.
b) Na identificação do destinatário do memorando, constam o nome e o cargo da pessoa a
quem é dirigida a comunicação, diferentemente do recomendado pelo padrão ofício.
c) Nos textos de redação oficial, é proibido o emprego de linguagem técnica, de
neologismos e de estrangeirismos.
d) Expedientes que tenham o presidente da República como emissor, embora não
apresentem a identificação do signatário, trazem a sua assinatura.
e) A palavra Respeitosamente é adequada para figurar como fecho de uma
comunicação oficial se o emissor e o receptor dessa comunicação forem
autoridades de mesmo nível hierárquico.