Você está na página 1de 45

Cirurgia

Odontopediatria

Flavio Salomão Miranda


“...Os procedimentos
cirúrgicos realizados
em pacientes
odontopediátricos
devem seguir os
mesmos princípios
das cirurgias
realizadas em
adultos...”

Borsatto, Torres & Assed (2005)


Biossegurança
Correto Diagnóstico
Instrumental
Técnica adequada

Tamanho da cavidade bucal


Idade do paciente
Preparo psicológico
Referências anatômicas
Presença do germe do dente permanente
Controle da dor
Tempo clínico
Algumas indicações de cirurgia:
• Dentes com rizólise completa
• Dentes natais / neonatis com mobilidade
• Destruição coronária extensa que impossibilite tratamento
restaurador
• Dentes decíduos com retenção prolongada
• Reabsorção interna ou externa
• Rizólise irregular
• Dentes anquilosados com sucessores permanentes
• Raiz residual
• Indicação ortodôntica
Verificar destruição
coronária Germe permanente?
Verificar rizólise
Contra-indicações

Doenças da infância
Quimio/Radio-terapias
Condição sistêmica
Profissional X Paciente & Pais

Amável
Compreensivo
Firme
Técnica de atendimento
odontopediátirco para realização de
procedimentos cirúrgicos
•Anamnese completa de preferência com pais ou responsáveis
•Exames radiográficos adequadamente processados e identificados
•Diagnóstico
•Esclarecimento aos pais do que será realizado
•Melhor momento cirúrgico
•Preparo de instrumentais
•Controle da ansiedade
•Anestesia
•Sindesmotomia
Grupo Éster Grupo Amida
Procaína Lidocaína
02 Grupos: Cocaína Mepivacaína
Amidas Novocaína Prilocaína
Ésteres Bupivacaína
Etilocaína
Articaína*

Anestésicos Locais
Vasoconstrictores

Os anestésicos sem vasoconstrictor:

Vasodilatação
Aumento do fluxo
Maior velocidade de
absorção
Aumento nos níveis da droga
Risco de toxicidade
Vasoconstrictores

Anestésicos com vasoconstrictor

Reduz fluxo sanguíneo


Retarda velocidade de absorção
Prolonga em 60 ou 90 minutos
Reduz toxicidade
Anestésico
Tópico
Anestésicos tópicos são
usados para anestesiar
superficialmente a
mucosa onde será
aplicada a injeção
anestésica, sendo
efetivos por somente 2 a
3 mm de profundidade.
Técnica de atendimento
odontopediátirco para realização de
procedimentos cirúrgicos

• Cirurgia: utilização de elevadores, fórceps,


instrumentos rotatórios
Utilização de elevadores

• Utilizados para luxar dentes, separá-los do


osso circundante, remover raízes fraturadas,
raízes residuais.
Utilização de fórceps

• Dentes anteriores : movimentos lateralidade,


pendular e rotação
• Dentes posteriores: movimentos realizados
apenas de vestibular para lingual.
Contra-indicação do uso de fórceps
• Coroa clínica totalmente destruída
impossibilitando que haja um correto efeito
mecânico do instrumento
• Possibilidade de remoção ou lesão do germe
do dente permanente
• Possibilidade de fratura do terço apical de
uma das raízes em função do bisel de rizólise.
Utilização de instrumentos rotatórios

• Indicação: Dentes anquilosados, possibilidade


de remoção do germe do dente permanente.
Exodontia de dentes decíduos
anquilosados
• Anquilose = fusão anatômica entre o dente e
o osso alveolar, deixando o dente em infra-
oclusão.
• Maior freqüência em segundos molares
decíduos inferiores.
• Ao exame de percussão, percebe-se som
metálico ou oco.
Exodontia de dentes decíduos
anquilosados
• Rx, fusão do cemento e osso alveolar.
• Tratamento alternativo a exodontia:
construção de platô em resina, colocação de
coroa de aço.
• Odontossecção no sentido vestibulo-lingual
(brocas tronco-conicas), utilização de
elevadores, se necessário osteotomia (broca
esféricas)
Frenectomia
• Remoção dos freios labiais superior e inferior,
bem como do freio lingual.
• Em RN, freio labial superior se estende ate a
papila incisiva.
• Exérese: remoção total da porção anatômica
do freio visível.
Frenectomia Labial
Anestesia tópica
Anestesia local infiltrativa: fundo de vestibulo e
complementar por palatina

Técnicas: bisturi elétrico, laser, exérese.

Pinçamento na parte central do freio


Incisão acima e abaixa da porção pinçada
Remoção do tecido de forma triangular, e se
forma um losango.
Remoção das fibras do tecido conjuntivo com
uma cureta.
Sutura e se necessário utilização de cimento
cirúrgico.
Frenectomia lingual
• Anestesia do nervo lingual bilateralmente. (uma local
e outra infiltrativa)
• Transfixação da língua com um fio de sutura,
imobilização com gaze ou uso de tentacânula.
• Incisão horizontal (pique) e divulsão com tesoura
cirúrgica, realizada mais próxima da língua do que do
assoalho bucal.
• Sutura fio, reabsorvíveis.
Dentes Supranumerários
• São aqueles formados por um distúrbio no
desenvolvimento , tendo como característica a
formação de dentes além do numero norma
de uma arcada.
• Ocorrem em 0,3 a 3,8% da população
• Na Dentição decídua 0,3 a 1,9%.
• Maior freqüência em incisivo lateral superior.
Dentes Supranumerários
• Localização mais frenquente na maxila,
aproximadamente 90 a 98% na região
anterior, proximo a linda mediana. Mesiodens.
Dentes Supranumerários
• Importância clínica: podem retardar ou
impedir a erupção dos dentes permanentes,
determinar giroversões, maloclusões, hábitos
de interposição da língua, fonação e
deglutição atípica. Podem provocar diastemas,
dilaceração radicular e reabsorção nas raízes
dos dentes adjacentes.
Mucocele
• Cavidade preenchida por muco, caracterizada
pelo aumento volumétrico causado pelo
acúmulo de líquido nos tecidos que pode
ocorrer sobre superfícies mucosas da cavidade
bucal onde glândulas acessórias são
encontradas.
Mucocele
• Tratamento:
– Excisão da lesão
– Micromarsupialiação
– Dissecação da mucocele
Rânula
• Acometem as glândulas salivares sublinguais.
• Técnica da micromarsupialização: após
anestesia tópica, passagem do fio de sutura
pela lesão e remoção do fio depois de uma
semana.
Ulectomia
• Técnica que consiste na remoção ou exérese
do tecido que esta recobrindo a coroa de um
dente não irrompido. (remoção de tecido
ósseo se necessário)