Você está na página 1de 9

FUNÇÃO SENSITIVA - SWARTZ

PRINCÍPIOS BÁSICOS

 O exame sensitivo consiste em avaliar o seguinte:


o Sensibilidade tátil
o Sensibilidade dolorosa
o Sensibilidade vibratória ou palestesia
o Propriocepção ou artrestesia
o Localização tátil
o Sensações discriminativas (discrição de dois pontos,
estereognosia, grafestesia e localização de pontos)
 Em um paciente sem sintomas ou sinais de doença neurológica, o exame
pode ser realizado por avaliação rápida da sensibilidade normal nas
partes distais dos quirodáctilos e dos pododáctilos.
o O examinador pode escolher testar as sensibilidades tátil, dolorosa
e vibratória.
 Se tiverem normais, não será necessário o restante do
exame.
 Se sintomas ou sinais forem referíveis a um distúrbio
neurológico, testes completos
serão indicados.

 Será comparado lado com lado e proximal


com distal.
 Os distúrbios neurológicos geralmente
resultam em uma perda de sensibilidade vista
primeiro mais distal do que proximalmente.
 Mão é inervada pelos nervos:
o Mediano: superfícies palmares dos
dedos
o Ulnar: sensibilidade somente para um
dedo e meio da parte ulnar da mão.
o Radial: dorso da mão
 Exame da Sensibilidade Superficial (sensibilidade
tátil)
o Pedir para paciente fechar os olhos e lhe dizer quando
sente o toque que você irá realizar, com um pedaço de
gaze, nos artelhos e dedos.
o Se normal, seguir para próximo exame;
o Se anormal, trabalhar proximalmente até que possa
ser determinado um nível sensorial.
 Exame de sensibilidade dolorosa
o É testada usando-se um alfinete de segurança e perguntando ao
paciente se ele está sentindo.
o Pedir que paciente feche os olhos.
o Tocar o paciente com ambas as extremidades do alfinete, falando
qual a que tem ponta e qual não tem.
o Iniciar o teste tocando o paciente e perguntando se aquilo é
pontudo ou não.
o Se normal, seguir para próximo exame;
o Se houver perda de sensibilidade dolorosa, continuar
proximalmente até achar um nível.
o Pode ser utilizado um cotonete partido.
 Borda partida = sensibilidade álgica
 Borda com algodão = sensibilidade tátil
 Exame de sensibilidade vibratória
o É usado um diapasão de 128 Hz.
o Pedir para paciente fechar os olhos
o Bater diapasão na parte palmar proximal de sua mão e colocá-lo
em uma proeminência óssea distal
 Colocar sobre a falange distal do dedo do paciente,
colocando sob o mesmo, seu próprio dedo (examinador).
 Será possível sentir a vibração através do dedo do paciente
para determinar a precisão da resposta dele.
 O hálux deve ser o último a ser testado.
o Se houver perda de sensibilidade, determinar nível.

 Exame da propriocepção (senso de posição)


o É testado pelo movimento da falange distal.
o Segurar a falange distal em suas faces laterais e movimentar o
dedo para cima e para baixo, dizendo quando ocorre cada um.
o Mover para cima ou para baixo de forma aleatória e perguntar ao
paciente se isso é para cima ou para baixo.
o Testar a falange terminal de um dedo em cada mão e a falange
terminal dos artelhos.
 Exame da Localização Tátil
o Estimulação simultânea dupla.
o É avaliada pedindo-se ao paciente que feche os
olhos e identifique onde seu toque é sentido.
o Tocar o paciente na maçã do rosto direita e no
braço esquerdo.
o Normalmente os pacientes não têm problema
em identificar ambas as áreas.
o Extinção: paciente com lesão no lobo parietal
pode extinguir a sensação na parte contralateral
à lesão.
 Exame da Discriminação de dois pontos
o Testa a capacidade de diferenciar um
estímulo de dois.
o Tocar a ponta do dedo do paciente
com dois alfinetes distanciados em 2 a
3 mm e pedir que o paciente declare
quantos alfinetes foram sentidos.
o Diferentes áreas do corpo têm
diferentes sensibilidades.
 Nas pontas dos dedos, a discriminação de dois pontos fica
na faixa de 2mm.
 Língua 1 mm, dedos 3 a 8 mm, palmas das mãos 8 a 12
mm, dorso 40 a 60 mm.
o Lesão de lobo parietal compromete essa discriminação.

 Exame de Estereognosia
o Estereognosia é a função integrativa dos lobos parietal e occipital.
o É testada pedindo que o paciente identifique um objeto colocado
em suas mãos.
o Pedir que paciente feche os olhos e colocar um objeto (chave,
lápis, moeda...) na palma da mão e perguntar o que é.
o Testar a outra mão e comparar os achados.

 Exame de grafestesia
o Grafestesia é a capacidade de identificar um
número escrito na palma da mão de alguém.
o Pedir que paciente feche os olhos e estenda a
mão.
o Usando a extremidade sem ponta de um lápis,
escrever números de 0 a 9 na palma do
paciente, voltados para ele.
o Comparar uma mão com a outra. Normalmente
o paciente é capaz de identificar.
o Incapacidade de identificar é um sinal sensível
de doença no lobo parietal.

 Exame de localização de ponto


o Capacidade de apontar uma área que foi tocada.
o Pedir para paciente fechar os olhos, o tocar e pedir que identifiquei
onde foi tocado.
o Anormalidades do córtex sensorial comprometem a capacidade de
localizar a área tocada.
EXAME NEUROLÓGICO – SENSIBILIDADE – VIDEO-AULA AVA

 O exame da sensibilidade pode ser dividido clinicamente em:


o Sensibilidade Superficial: Dor, temperatura e tato
 Dor: pode ser utilizada uma espátula quebrada na diagonal
(ponta);
 Temperatura: pode ser utilizado o diapasão (metal –
sensação de frio);
 Tato: pode ser utilizado o algodão
o Sensibilidade Profunda: Propriocepção/Artrestesia e
Vibração/Palestesia.
 Propriocepção: mover articulações do indivíduo
passivamente e perguntando em que posição que ela está.
 Palestesia: utilizado o diapasão.
 Princípios gerais
o Superficial: Exame comparativo dos lados (esquerdo e direito) e no
sentido crânio-caudal (de cima para baixo / proximal-distal).
o Profunda: Exame comparativo dos lados (esquerdo e direito) e no
sentido caudal-crânio (de baixo para cima / distal-proximal).
 Se tiver normal distalmente, também estará normal
proximalmente.
o Fibras
 Fibras finas: pouco mielinizadas, transitem informações
dolorosas e de temperatura
 Fibras grossas: ricamente mielinizadas, diâmetro maior,
transmitem informações proprioceptivas e palestesia e o
tato epicrítico (discriminativo).
o Fisiologia da sensibilidade (ESTRANHO)
 Caso: Pessoa pisa num caco de vidro (dor, similar à
temperatura).
 Transdução do sinal é iniciada através dos
receptores sensitivos ou mecanoceptores
(receptores sensíveis a estímulos mecânicos), que
podem transmitir, por exemplo, informação dolorosa.
 Por meio das fibras finas do pé e nervos periféricos,
informação originada nos receptores irá em direção à
medula.
 Corpo celular desses neurônios periféricos se
encontram localizados nos gânglios das raízes
dorsais.
 Entrando pela região posterior, pela raiz dorsal da
medula espinal e vão fazer sinapse, no corno
posterior da medula, com um neurônio de segunda
ordem sensitivo.
 Esse segundo neurônio cruza a linha média e
ascende, através da medula espinal até o tálamo,
através da via espino-talâmica.
 No tálamo, faz sinapse com neurônios de terceira
ordem e vai pro córtex sensitivo primário, momento
em que o indivíduo sente a dor e localiza.
 Caso: teste de propriocepção realizado no hálux (similar a
Tato epicrítico e vibração)
 Informações trazidas por meio de fibras grossas e
neurônios periféricos entram pela raiz dorsal da
medula e, em vez de cruzar a linha média, como no
caso de dor e temperatura, ascende ipsilateralmente
(sem fazer sinapse) e vai até o tronco encefálico,
particularmente na região do bulbo, onde se encontra
os núcleos grácil (informações provenientes dos
MMII) e o cuneiforme (MMSS). Lá, fazem sinapse
com neurônios de segunda ordem, posteriormente
cruzando a linha média e indo em direção ao tálamo.
No tálamo, faz sinapse com um neurônio de terceira
ordem e vai para o córtex sensitivo primário, onde a
informação vai ser integrada e interpretada.
Na síndrome de Brown-sequard, ocorre uma lesão de uma lado da medula. Ex:
lesão do lado D. Ocorre uma alteração de dor e temperatura do lado E, já que a
informação que chega à medula e cruza para ascender do lado direto, não vai
ascender. Em relação à propriocepção e palestesia, ocorrerá um
comprometimento ipsilateral à lesão medula, uma vez que informação não cruza
ao nível da medula. Quando ao comprometimento motor, será ipsilateral, uma
vez que a informação que cruzou mais acima, não cruza ao nível da medula.

Dor e temperatura contralateral / propriocepção e palesia ipsilateral = OK

ROTEIRO

 Sensibilidade superficial
o Dor
o Temperatura
o Tato fino
 Sensibilidade profunda
o Propriocepção/Artrestesia
o Vibração/Palestesia
 Funções corticais
o Discriminação de 2 pontos
o Estereognosia: Percepção, compreensão, reconhecimento e
identificação do formato e da natureza de objetos pelo tato.
o Grafestesia
o Gnosia tátil
o Extinção tátil