Você está na página 1de 4

FACULDADES PONTA GROSSA

DISCIPLINA: PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS


PROF. MARIA ALINE GONÇALVES
LISTA 01
ALUNO: GIULIANO VARASCHIN CRUZ PAULO - 2012100212

1. Qual ou quais são os objetivos da Gestão de Energia e Operação de


Sistemas Elétricos de
Potência? Quem é responsável pela automação da Gestão de Energia e
Operação?
Suprir o mercado de energia elétrica, garantindo a continuidade,
qualidade, economia de serviço, a manutenção de adequados níveis de tensão
e frequência e o atendimento da carga com custo incremental global mínimo.
Os responsáveis pela automação são: EMS (do inglês Energy
Management System) Sistema de Gerenciamento de Distribuição ou DMS
(Distribution Management System). Utilizando-se do controle supervisório
(SCADA - Supervisory Control and Data Aquisition) e
2. Quais restrições devem ser consideradas para determinar os estados
operativos de um Sistema Elétrico de Potência? Explique-as.
Restrições de Carga: são restrições de igualdade (atender todos
consumidores com o nível correto de tensão);
Restrições de Operação: limites de operação dos equipamentos do
SEP, por exemplo, a máxima potência que pode ser transmitida por uma
determinada linha de transmissão;
Restrições de segurança: Tem o papel de verificar a capacidade de o
SEP continuar operando da forma adequada após a ocorrência de alguma
perturbação

3. Quais são os estados operativos de um Sistema Elétrico de Potência?


Explique cada um.
Estado Normal Seguro: É o estado de operação ideal, pois são
obedecidos os três conjuntos de restrições: carga, operação e segurança. Isto
significa que o sistema está em perfeitas condições de operação, sendo que,
nenhuma das contingências de segurança preestabelecidas, se de fato ocorrer,
levará o sistema ao estado de emergência.
Estado Normal Alerta (ou Inseguro): Neste estado, são obedecidas as
restrições de carga e operação; nem todas as restrições de segurança são
obedecidas. Da mesma maneira que no estado seguro, o sistema está intacto,
com atendimento de toda a sua demanda e sem nenhuma violação de limites de
operação, porém, a ocorrência de pelo menos uma das contingências listadas
como possíveis poderá levar o sistema para o estado de emergência.
Estado de Emergência: O que caracteriza o estado de emergência é a
violação das restrições de operação. A emergência pode ser provocada por uma
contingência e conseqüente desligamento de um ou mais componentes do
sistema (linhas, geradores, etc).
Estado Restaurativo: Este estado é atingido quando uma emergência é
eliminada por desligamento manual ou automático de partes do sistema,
efetuado pelo centro de controle ou por dispositivos locais. As restrições
operacionais são obedecidas, mas o sistema não está intacto (cargas não-
atendidas, ilhamentos, etc). Nota-se, portanto, que ao se passar do estado de
emergência para o estado restaurativo, sacrificase a integridade total do sistema,
a fim de se resgatar a observância das restrições de operação.

4. Explique as seguintes transições de estados operativos:


a) Alerta-Emergência;
Pelo menos uma das contingências ocorrem, levando o sistema ao estado
de emergência
b) Emergência-Alerta;
Controle de emergência modo corretivo, não é sacrificado o atendimento
da demanda ou a integridade do sistema.
c) Emergência-Restaurativo;
Diferentemente do modo corretivo, coloca o sistema em estado
restaurativo, através do desligamento de carga e/ou circuitos, sacrificando assim
o atendimento de cargas
d) Restaurativo-Seguro ou Restaurativo-Alerta.
Finalidade é religar as cargas e os circuitos do sistema, desligados
durante uma emergência, tentando levar o sistema ao estado seguro ou, pelo
menos, ao estado alerta.

5. O que é o sistema de Análise de Redes? Quais são as suas funções?


Explique-as.
As funções do sistema de análise de redes, são: algoritmo de previsão de
carga, configurador de redes, pré-filtragem, estimador de estado, fluxo de carga,
análise de segurança e fluxo de potência ótimo.
Programa de previsão de carga: baseia-se na previsão de demanda da
rede supervisionada e da não supervisionada. Este programa evitar alterações
bruscas na freqüência do sistema interligado;
Configurador de redes: é responsável pela obtenção, em tempo-real, da
topologia e a correspondente configuração de medidores, no modelo barra linha,
que corresponde ao diagrama unifilar da rede;
Programa de Pré-Filtragem: executa testes de compatibilidade sobre as
medidas analógicas, de modo a detectar e excluir possíveis medidas errôneas
contidas no plano de medição;
Estimador de estado: através das medidas lógicas processadas pelo
configurador de redes, das medidas analógicas aferidas pela telemedição e pré-
filtradas, e dos parâmetros estáticos da rede (condutâncias e susceptâncias de
linhas de transmissão, taps de transformadores, reatores/capacitores de barras,
etc), o sistema de análise de redes executa um conjunto de programas
computacional, denominado estimador de estado. Este é capaz de processar as
informações analógicas redundantes e contaminadas por ruído, com a finalidade
de fornecer a melhor estimativa para as tensões complexas nas barras
pertencentes ao sistema interno;
Fluxo de carga: visa à determinação das tensões complexas
(magnitudes e ângulos) de todas as barras da rede interna e externa do SEP;
Programa de análise de segurança: é constituído por subprogramas
responsáveis pela seleção e simulação das contingências mais plausíveis de
ocorrer no SEP, em relação ao ponto de operação do sistema obtido através da
estimação de estado e do fluxo de carga;
Fluxo de carga ótimo: é comumente utilizado para se determinar quais
as melhores estratégias de controle corretivo devem ser tomadas pela operação
e suas consequências para o sistema, em virtude de alguma violação nos limites
de operação.
6. Quais são as instituições principais do modelo do setor elétrico
nacional? Descreva de modo sucinto a função ou responsabilidade de cada
uma.

7. A figura abaixo mostra a oferta de energia elétrica por fonte energética


no Brasil (EPE, 2016).
a) Levando-se em conta, esta figura, analise-a e explique-a utilizando no
mínimo 10 linhas.
O Brasil é agraciado com enorme potencial hídrico para a geração de
energia elétrica, logicamente aproveitando-o, os investimentos foram
empregados na criação de hidroelétricas como principais geradoras. Diga-se
que, durante o período de ditadura, foi quando mais se construiu estas usinas,
pois ainda não havia tantos estudos direcionados a preservação do meio
ambiente, assim como a desapropriação para o local a ser alagado era facilitada
(não explicando o modus operandi da ditadura). Nos dias atuais, a construção
de mais hidroelétricas esbarra em caríssimos estudos ambientais, especulação
imobiliária e também o esgotamento de potencial hídrico.
Como alternativa para forte necessidade de ampliação do potencial
energético de nosso sistema, afim de atender os consumidores e demandas para
crescimento do país, foi necessária a implantação de outras formas de obtenção
de energia, como a termoelétrica (saída mais rápida encontrada durante as
crises do “Apagão”), embora mais cara, foi a solução mais viável no momento,
contribuindo assim para segunda fonte mais utilizada. Já a fotovoltaica e solar,
são relativamente novas, sem contar com fatores tecnológicos e materiais para
a construção destes elementos (placa solar cara e imã permanente para a
criação de turbinas eólicas quase que exclusivamente encontrado na China).

b) Para os próximos 5 ou 10 anos, qual é a estimativa do cenário de oferta


de energia elétrica por fonte no Brasil? Comente sucintamente.

Podemos observar certa conservação do cenário atual, mas havendo alta


no emprego de energias renováveis e nuclear. A queda no uso de petróleo e
derivados, relaciona-se com esse aumento.