Você está na página 1de 7

ERTAMEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA DE CÁLCULO

I - INTRODUÇÃO

1.1 Descrição geral


A presente Memória Descritiva e Justificativa refere-se ao cálculo da estrutura do edifício
pertencente a Sra. Asmina Domingos Bonete.
Na presente memória, procede-se à indicação do tipo e sistema de estrutura adoptada,
esclarecimento de algumas particularidades de solicitação sobre a estrutura e apontar as
exigências indicadas no projecto.

1.2 Cargas e materiais


As cargas verticais da estrutura aplicadas neste projecto, são os pesos próprios, os pesos dos de
acabamentos e as sobrecargas correspondentes, conforme preconiza o regulamento (R.S.A);

Os materiais propostos para a execução do projecto são:


 B25,
 A400
 Alvenaria de tijos cerâmicos e/ou blocos de cimento.

Os cálculos de estabilidade foram elaborados respeitando os regulamentos mencionados no


capítulo seguinte, sendo os materiais a utilizar o betão B25 e o aço A400. O sistema estrutural
usado foi o de pórticos formados por lajes, vigas e pilares resistentes apoiados em sapatas
isoladas.

1.3 NORMAS E REGULAMENTOS


Para a elaboração do presente projecto foram respeitados os seguintes regulamentos:
 R.G.E.U. - Regulamento Geral das Edificações Urbanas;
 R.S.A. - Regulamento de Segurança e Acções para estruturas de edifícios e pontes;
 R.E.B.A.P. - Regulamento de Estruturas de Betão Armado e Pré-esforçado;
 Tabelas Técnicas para engenharia civil;
 Tabelas de cálculo de betão armado.

1
2. CONSTRUÇÃO

2.1. Generalidades
A construção a ser levada a cabo é do tipo moradia cujos elementos estruturais serão em betão
armado e as fachadas serão preenchidas com alvenaria de tijolo cerâmico e/ou blocos de
cimento.

Todas as obras projectadas serão executadas com perfeição, segundo os preceitos da boa
técnica. Os desenhos anexos e detalhes serão aplicados com materiais adequados.

2.2. TERRENO
A implantação do edifício deverá ser feita de acordo com as cotas do projecto e em terreno
constituído por solo comum, com capacidade de carga razoável, sem problemas de
compressibilidade e com o nível freático a profundidades seguras. No acto da implantação serão
respeitados os afastamentos mínimos admissíveis pelas Normas de Urbanização.

3. Elementos contidos no projecto


 Laje maciças
 Vigas
 Alvenaria
 Pilares
 Sapatas Isoladas

ESTRUTURAS PRINCIPAIS

PISO TÉRREO
O piso térreo será constituído por uma camada de enrocamento drenante com 250 mm de
espessura sobre o solo bem compactado, depois de limpo de terras vegetais e raízes sendo, se
necessário, substituído por terreno compactável.

Laje de pavimento
No edifício, está prevista uma laje de betão levemente armada com uma rede de varões
electro-soldados, betonada contra as vigas de fundação periféricas.

2
A laje de pavimento simples será em betão B20 a 100 mm de espessura, sobre uma camada de
250 mm de enrocamento e de 50 mm de areia isenta de sujidade.

Cobertura
O edifício sera coberto com chapas de Lusalite.

Laje de cobertura
As lajes de cobertura do edifício serão maciças de betão da classe B25, com dimensões
determinadas nos cálculos estruturais, utilizando varões de aço de classe A400 com dimensões
indicadas no projecto.

Vigas
As vigas serão rectangulares e têm, as seguintes dimensões 0.20x0.20 m² e 0.20x0.30 m²,
segundo as secções desenhadas em função da acção das cargas actuantes sobre a estrutura.
O recobrimento usado é de 30 mm para um B25, A400.
As vigas estão dispostas ao longo da periferia e segundo algumas paredes divisórias sempre que
necessário.

Alvenaria
A alvenaria será em bloco, e executada com blocos de cimento e areia de 15 para paredes
exteriores e de 15 para interiores. Usa-se-ão também blocos de cimento da categoria A. O traço
para a construção dos blocos será de 1:5.

Pilares
No edifício em causa serão executados pilares, serão quadrados e têm, em geral as seguintes
dimensões 0.20x0.20 m².

No seu dimensionamento considerou-se pilares com secções de acordo com as cargas de


solicitação a que são sujeitas; a determinação destas secções teve em consideração as acções
solicitadas e o respectivo regulamento em vigor. Para todos os casos deverá ser usado betão
B25, A400.

Foi também feita a análise em relação ao fenómeno de encurvadura de acordo com o REBAP.

3
Fundações

Caboucos

Serão abertos com profundidade indicada no projecto, nunca inferior a 60 cm da


correspondente cota do terreno natural e largura de 60 cm.
O fundo dos caboucos será bem nivelado, compactado a maço, regado e isento de substâncias
orgânicas, de forma a criar um bom leito para as fundações.
Os aterros serão em camadas sucessivas de 20 cm devidamente regadas e compactadas a maço,
com terras limpas de raízes ou outras impurezas

Sapatas

As fundações são do tipo directo, através de sapatas isoladas, dispondo-se ainda de vigas de
fundação de acordo com as peças desenhadas, por forma a garantir mais económia e eficiência
da estabilidade da estrutura.

Nos locais onde os pilares descarregam serão executadas sapatas em betão armado da classe
B25, A400. Durante a execução das sapatas, serão deixadas armaduras de espera a indicar que a
partir daqueles pontos partirão os pilares.
Para a tensão admissível do solo foi tomado o valor de 200 kPa, considerado para o tipo de
terreno de fundação.

Para o dimensionamento foi considerado o pilar mais solicitado, tanto para o caso das sapatas
isoladas como no caso das sapatas conjuntas e serão armadas conforme o regulamento em vigor
no país.

A ligação entre as sapatas será em blocos maciços, onde será assente a alvenaria conforme se
encontra representado nas peças desenhadas.
Nos locais onde o terreno apresenta pior qualidade, considera-se a execução de bases em solo
cimento a 10%, como base das sapatas.

4
Justificativa de Calculo (Cype Cad)
O cálculo do projecto foi feito com auxílio do programa de cálculo “CYPECAD 2007”.
A análise estrutural do edifício em causa foi feita tendo em consideração as funções a que se
destina o edifício, o período de vida prevista, com graus de segurança adequados, sem perder
de vista os aspectos económicos e, em certos casos, estéticos.

Normas consideradas
BETÃO........................................ .REBAP e RSA (Portugal)
Aços enformados......................... .MV110 (Portugal)
Aços laminados e compostos....... .Eurocódigos 3 e 4 (Portugal)

Acções consideradas

Verticais

Nome do Grupo Sobrecargas Revestimento de paredes


+ Cobertura
PISO 1 [kN/m²] 1,0 0.5

Combinações consideradas
BETÃO....................................................... .RSA (E.L.U.)
Aços enformados.......................................... .RSA (E.L.U.)
Aços laminados............................................ .Eurocódigo 1
Deslocamentos............................................. .RSA (E.L.S.)
Tensão do terreno......................................... .RSA (E.L.S.)
Dimensionamento das vigas de fundação............. .RSA (E.L.U.)
Equilíbrio de fundações.................................. .RSA (E.L.U.)

1.3.1 Combinações usadas no cálculo


Combinações para Betão: RSA (E.L.U.) Habitação
Combinações para Equilíbrio: RSA (E.L.U.) Habitação
Combinações para Betão de Vigas Fundação: RSA (E.L.U.) Habitação.
Combinações para Tensão do Terreno: RSA (E.L.S.)
Combinações para Deslocamentos: RSA (E.L.S.)

5
Combinações para Aço Laminado: Eurocódigo 1
Combinações para Aço Enformado: Eurocódigo 1

Materiais utilizados

Betão

ELEMENTO BETÃO PLANTA FCK [MPa] GAMMA C

Lajes B25 Todas 20 1.50


Fundação B25 Todas 20 1.50
Pilares B25 Todas 20 1.50
Vigas B25 Todas 20 1.50

11.4.2 Aços por elemento em varões


2
ELEMENTO POSIÇÃO AÇO FYK GAMMA
Pilares Varões(Verticais) A400 400 1.15
Estribos(Horizontais) A400 400 1.15
Lajes Negativos(Superior) A400 400 1.15
Positivos(Inferior) A400 400 1.15
Sapatas A400 400 1.15

1
2
3
4
5
6
71.7 Fundações

81.6.1 Lista de materiais das sapatas

6
Os materiais das sapatas são:

- Aço: A400
- Betão: B25
- Recobrimento superior: 5.00 cm
- Recobrimento inferior: 5.00 cm
- Recobrimento lateral: 5.00 cm
- Tensão admissível do terreno: 0.25 MPa
- Betão de limpeza: 10.0 cm

Recomendações e omissões

Durante a implementação deste projecto chama-se a atenção no sentido de se considerar


sempre, todas as exigências do fabricante e fornecedores dos materiais a serem empregadas na
obra.
Relativamente ao trabalho de betão armado, é importante seguir com rigor as especificações
contidas nas especificações técnicas, dando-se especial atenção aos ensaios laboratoriais, à
vibração, de modo a reduzir tanto quanto possível o índice de vazios do betão no seu estado
final.
Quanto às omissões, seguir-se-ão os regulamentos em vigor no País e as regras da boa arte,
aplicando-se materiais de qualidade reconhecida, métodos e práticas eficazes.