Você está na página 1de 11

Índice

1. Introdução ............................................................................................................................. 1
a) Objectivo geral .................................................................................................................. 1
b) Objectivos específicos ....................................................................................................... 1
2. Dispositivos de acionamento do motor trifásico .................................................................. 1
2.1 Dispositivos do circuito de força/potência ....................................................................... 1
a) Fusível ............................................................................................................................... 1
b) Relé térmico ...................................................................................................................... 2
c) Contactor ........................................................................................................................... 2
3. Critérios de dimensionamento de dispositivos eléctricos .................................................... 2
3.1 Dimensionamento dos fusíveis ......................................................................................... 2
3.2 Dimensionamento dos relés térmicos .............................................................................. 3
4. Dimensionamento dos contactores ...................................................................................... 3
5. Circuitos de acionamento ..................................................................................................... 4
5.1 Selecção dos dispositivos e dimensionamento ................................................................. 5
5.2 Especificações do motor ................................................................................................... 5
5.3 Fusível................................................................................................................................ 5
5.4 Contator ............................................................................................................................ 6
5.5 Relé térmico ...................................................................................................................... 7
6. Conclusão .............................................................................................................................. 9
Bibliografia .................................................................................................................................. 10
1. Introdução
Neste trabalho iremos fazer o dimensionamento dos dispositivos de acionamento de um
motor elétrico trifásico. Este trabalho surge no âmbito de estudo no módulo de
Acionamento e Controle de Motores, do curso de Electricidade da Área técnica de
Manutenção Industrial, do Instituto Superior Dom Bosco. Tivemos também o âmbito de
fazer o estudo dos critérios de dimensionamento dos dispositivos, os seus circuitos de
acionamento e a selecção de dispositivos.

a) Objectivo geral:
 Fazer o dimensionamento de dispositivo para acionamento de um motor trifásico;

b) Objectivos específicos:
 Explicar o funcionamento do arranque indireto do motor;
 Descrever os critérios de dimensionamento dos dispositivos;
 Descrever a selecção dos dispositivos;

2. Dispositivos de acionamento do motor trifásico

2.1 Dispositivos do circuito de força/potência

a) Fusível

É o dispositivo que serve para proteger o motor contra curto-circuito. Além de


proteger as linhas de alimentação, protegem os próprios dispositivos de comando em
caso de um curto-circuito interno, atuando também como limitador de correntes de
curto-circuito.

1
b) Relé térmico

É o dispositivo que serve para proteger o motor contra sobrecarga ou


superaquecimento. Pode ser definido como um dispositivo de protecção cuja operação
é baseada em um método indireto de deteção de sobrecarga em motores, em que é
criado um modelo térmico do motor a ser protegido por um elemento térmico.

c) Contactor

É o dispositivo de comando eletromecânico que permite o controlo de elevadas


correntes por meio de um circuito de baixa corrente. É caracterizado como uma chave
de operação não-manual, eletromagnética, com uma única posição de repouso, capaz
de estabelecer, conduzir e interromper correntes em condições normais do circuito.

3. Critérios de dimensionamento de dispositivos eléctricos

3.1 Dimensionamento dos fusíveis


No dimensionamento dos fusíveis, deve – se levar em consideração os seguintes
aspectos:

a) Tempo de fusão virtual: os fusíveis devem suportar sem fundir o pico de


corrente de partida (Ip) durante o tempo da partida do motor (Tp). Com os
valores de Ip e Tp entramos na curva para dimensionar o fusível.

b) Corrente de fusível: deve – se dimensionar para uma corrente no mínimo 20%


superior a corrente nominal (In) do motor que protege, evitando que um
envelhecimento prematuro ocorra, aumentando a sua vida útil

c) Critério dos contactores e relé: os fusíveis de um circuito de alimentação


devem também proteger os contactores e reles térmicos. Essa verificação é
feita em tabelas de contactores de relés de sobrecarga.

2
3.2 Dimensionamento dos relés térmicos

Os relés devem ser dimensionados de forma que contenham em sua faixa de


ajuste a corrente nominal (In) que circula pelo trecho onde está ligado, sendo
o ajuste feito por um botão que gira atuando sobre o alongamento ou sobre a
curvatura das lâminas bimetálicas. Cada relé cobre apenas uma faixa de
corrente determinada, assim, cada fabricante fornece uma grande variedade de
reles de protecção.

O relé não deve ser dimensionado com a corrente nominal do circuito situada
no extremo superior de sua faixa de ajuste, pois se houver necessidade de o
motor ser usado com o fator de serviço (FS) acima de 1, o relé não permitira
tal corrente mesmo que o motor suporte essa situação.

No caso de motores com fator de serviço maior ou igual a 115% ou motores


com uma elevação de temperatura admissível de 40ºC, o ajuste pode ser até
125% da corrente nominal (1,25x In). Nos outros casos, os relés térmicos
devem ser ajustados em 115% da corrente nominal (1,15 x In).

4. Dimensionamento dos contactores

Os contactores devem ser dimensionados tendo em conta os seguintes critérios:

a) Categoria da carga - pode ser indicada tendo em conta as seguintes categorias


de cargas:

 Cargas essencialmente indutivas


 Cargas essencialmente resistivas
 Cargas essencialmente capacitivas

b) Corrente da carga
c) Tensão e frequência
d) Frequência de manobras
e) Nº de contactos auxiliares

3
5. Circuitos de acionamento

O tipo de acionamento usado no nosso projecto é o arranque em estrela – triangulo.


É um dos arranques indiretos mais usados para acionar motores trifásicos. O arranque
em estrela – triângulo consiste na alimentação do motor com uma redução de tensão
nas bobinas durante o seu arranque. O motor é ligado em estrela, isto é, com uma
tensão de 58% da tensão nominal, e após um certo tempo a ligação é convertida em
triângulo, assumindo assim a tensão nominal.

Este arranque é usado, na prática, quase que exclusivamente para arranques de


máquinas em vazio. Uma vez que o conjugado/binário de partida é proporcional ao
quadrado da tensão de alimentação, teremos um conjugado de mais ou menos 20 a
50% do conjugado nominal. A carga pode ser aplicada no motor só depois de atingir
a tensão nominal.

Para ser possível a ligação em estrela- triangulo, os motores dever ter a possibilidade
de ligação em dupla tensão (220/380 V).

4
5.1 Selecção dos dispositivos e dimensionamento
Para o nosso arranque de estrela triangulo, nós tivemos os seguintes
componentes de circuito de força:

 Dois Contactores (um principal e um de estrela)


 Um Contactor (de triangulo)
 Fusivel
 Rele Termico

5.2 Especificações do motor


Potencia = 12,5cv
Número de polos = 6
In= 33,5A
Ip/In = 6A
Fs = 1,15
t = 11s
f =50Hz

5.3 Fusível

Ip
Ip = In x
In
Ip = 6 x 33,5
Ip = 201A

5
If = 63A
If ≥ In x Fs
100 ≥ 33,5 x 1,15
100 ≥ 38.525≈ 38,5A
Fusível da marca weg FNH00-50U, de 50A, é o mais proximo de 38,5A de acordo com
o catalogo da WEG ou Simens NH3NA3 817, de 40A, é o mais proximo de 38,5A de
acordo com o catalogo da Simens.

5.4 Contator
No arranque estrela-triangulo temos que ter em conta que K1 está sujeito à corrente de
fase e de linha, assim a corrente será 1/3 da nominal de partida.
No fechamento em Triângulo, K1 e K2 estarem sujeitos à corrente de fase do motor.
In
= 0,58 x In
√3
Assim para dimensionar os contactores K1 e K2 teremos:
Ik1∕2 = 𝐹𝑠 𝑥 (0,58 𝑥 𝐼𝑛)

Ik1∕2 = 1,15 x (0,58 x 33,5)

Ik1∕2 = 1,15 x 19,43

Ik1∕2 = 22,3445 ≈ 22,4A

6
Contactor da weg CWM40 ou da simenes 3RT10 45.

Deve-se observar que K3 está sujeito à corrente de fase ou linha (na partida em estrela
estas são iguais), assim a corrente será 1/3 da nominal de partida.
In
Ik3 = Fs x = 0,33 x In
3
Ik3 = Fs x 0,33 x In
Ik3 = 1,15 x 0,33 x 33,5
Ik3 = 12,71325 ≈ 13A
Contactor da weg CWB25 ou da simenes 3RT10 36.

5.5 Relé térmico


IkRT = 𝐹𝑠 𝑥 (0,58 𝑥 𝐼𝑛)
IkRT = 1,15 x (0,58 x 33,5)
IkRT = 1,15 x 19,43
IkRT = 22,3445 ≈ 22,4A

7
Relé térmico da weg RW27-103-U032 ou da simenes 3RU2126-4N.

8
6. Conclusão

O dimensionamento de componentes para acionamento de motores eléctricos é muito


importante porque ajudanos a escolher melhor os nossos dispositivos a partir dos
cálculos, para evitar altos gastos e prejuízos no motor. Além do arranque em estrela
– triangulo, o que trabalhamos neste trabalho, é também sabido dos outros tipos de
arranque indireto para motores de seis terminais que também desempenham quase as
mesmas funcionalidades que este tipo de arranque: arranque de motor Dahlander e
arranque de Rotor Bobinado.

9
Bibliografia

 Motores trifásicos, A&C – Automação e Controle, Siemens, Lda


 Telemecanique – Control de potencia: Eleccion de un contactor
 Automaçao: Fusiveis D e NH, WEG Equipamentos Electricos S.A.
 Automaçao: Contactores e Relés de Sobrecarga, WEG Equipamentos Electricos S.A.
 Catalogo de productos ABB
 FRANCHI, Claiton Moro (2008), Acionamentos Eléctricos, 4ª Edição, Editora Érica
Lda, São Paulo

10