Você está na página 1de 2

Processo – Referente a queda de muro de arrimo da residência no condomínio vizinho

QUESITOS

- Prescinde-se de projetos: estruturais, sistema de drenagem, estimativa de vazão de pluvial e superficial,


estudos do solo além da responsabilidade técnica pela correta execução da obra para início das análises no
que concerne, por exemplo, como serão realizadas as análises comparativas das vazões estimadas versus a
tipologia do sistema drenante executada versus provável precipitação excessiva no dia do colapso versus
tamponamento de uma tubulação como determinante causa do deslizamento?

- Qual estudo de impacto da vizinhança adjacente ao muro para compactuar o dreno para aquela dimensão e
para aquela direção, observando-se a declividade do local?

- Quais os demais dispositivos drenantes que compõem um sistema de drenagem adequados, instalados no
terreno e nos demais muros limítrofes além do previsto em muros de arrimo a época de sua edificação ?

- Seria imprescindível que se pudesse avaliar a existência de vícios ocultos, patologias construtivas e/ou
possível ausência de manutenção preventiva e/ou corretiva que comprometesse a vida útil e as
previsibilidades projetuais do muro;

- Qual fator determinante para escolha da tipologia do muro de arrimo construído? Foi o adequado para o
talude e terrapleno quando de sua edificação?

- Para correta edificação do muro de contenção foram determinados parâmetros como índice de percolação,
grau de saturação, granulometria, umidade ótima e densidade aparente máxima daquele solo?

- Quais os estudos e análises determinantes os quais o laudo incluso nos autos pode concluir que o colapso do
muro de arrimo foi ocasionado única e exclusivamente pelo provável tamponamento da tubulação?

- É possível analisar as causas relacionais da excessiva precipitação pluvial do dia a qual incide nos riscos
decorrentes de fenômenos naturais combinados a manipulações indevidas do solo, constantes obras
adjacentes, novas estruturas e possivelmente transbordo da nascente (descaracterizando totalmente o
empuxo e deformação do solo previstos)?

- Qual avaliação dos riscos que se assume quanto a realização de obras estruturais nesta área, sendo ela
loteada de forma irregular, estando proibida pelos conselhos de classe, a atuação de qualquer profissional
engenheiro ou arquiteto, não havendo responsabilidade técnica devida e legalmente registrada? Quem
assume o risco pelas eventuais intercorrências?

- Referente ao terreno, área, talude e muro de arrimo, é possível demonstrar comparativamente as alterações
aplicadas de forma que inviabilizaram análises e conclusões periciais determinantes?

- É possível determinar o ponto de ruptura do talude e/ou da estrutura de contenção, se foi parcial ou em sua
integridade?

WC Construções e Reformas
welmacs@gmail.com
(61) 9.9999-4321
Pág 1 de 2 CREA 22055/D-DF
- É possível indicar pontos de causa das alterações do empuxo e analisar se as reações de atrito na base do
muro com o solo eram suficientes para garantir a força resistente do empuxo?

- A tensão máxima do terreno era compatível com a capacidade de carga do solo e se havia chave para impedir
o deslizamento/rotacionamento do muro?

- A inclinação do talude era satisfatória de forma a garantir sua estabilidade, não comprometendo o platô?

- É possível evidenciar quando da execução do aterro, se foi respeitado os ritos comuns de utilização de solo
apropriado para o local, se houve identificação e remoção de solo superficial mole, remoção de toda vegetação
existente (inclusive raízes profundas), se o aterro foi executado por cortes, em patamares para novo aterro
em camadas horizontais compactadas a cada 20cm?

- É possível evidenciar se havia impermeabilização adequada a fim se de evitar umidade crescente?

- Houve, a época da edificação da contenção, sondagem do solo que garantisse que o mesmo não formava
“colchão d’água” ou aterros borrachudos ou arenosos?

- Havia, quando do deslizamento, existência de outros dutos hidráulicos e/ou sanitários passantes no talude
em que suas rupturas pudessem corroborar com deformação daquele solo?

- É possível a análise de processos de erosão devido as alterações topográficas do local correlacionadas a


ausência da correta captação, condução e lançamento das águas superficiais, na época do colapso?

- É possível determinar danos/depredação da calçada do condomínio, em decorrência da tubulação de


esgotamento da drenagem do arrimo ?

- Quais as determinações que demonstra que a tipologia de fundação executada no muro colapsado era
adequada e suficiente para as características e comportamento daquele solo, a fim de receber as cargas
verticais acrescidas dos momentos provocados pelo devido empuxo?

- É possível constatar se ocorreu deslocamento horizontal do muro de arrimo que pudesse contribuir com o
colapso ao longo do tempo ?

- As deformações do solo continuadas tanto por conta da declividade acentuada, quanto a ausência de um
sistema de drenagem pluvial e fluvial adequados, e a indevida compactação do solo poderiam ao longo de 7
anos culminar no colapso do muro?

- Há capacidade técnica suficiente do executor contratado indicado nos autos?

WC Construções e Reformas
welmacs@gmail.com
(61) 9.9999-4321
Pág 2 de 2 CREA 22055/D-DF