Você está na página 1de 7

See discussions, stats, and author profiles for this publication at: https://www.researchgate.

net/publication/228991802

UM MODELO DE TRANSFORMADOR DE POTENCIAL CAPACITIVO PARA ESTUDOS


DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS

Article

CITATION READS

1 2,134

2 authors, including:

W.L.A. Neves
Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
45 PUBLICATIONS   483 CITATIONS   

SEE PROFILE

Some of the authors of this publication are also working on these related projects:

Transmission line controlled switching View project

EMTP-Based Numerical Relays Models View project

All content following this page was uploaded by W.L.A. Neves on 09 September 2014.

The user has requested enhancement of the downloaded file.


UM MODELO DE TRANSFORMADOR DE POTENCIAL CAPACITIVO
PARA ESTUDOS DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS

D. Fernandes Jr. W. L. A. Neves


Departamento de Engenharia Elétrica – UFCG
Av.: Aprígio Veloso, 882 – Bodocongó
58.109-970, Campina Grande – PB
Fone: (83) 310-1140, Fax: (83) 310-1015
E-mails: damasio@dee.ufpb.br, waneves@dee.ufpb.br

Resumo – Neste trabalho é apresentado um de sensibilidade, que o número de parâmetros do


modelo de transformador de potencial capacitivo modelo pode ser reduzido. Entretanto, é necessário
(TPC) para ser utilizado em conjunto com o desmo ntar o TPC para fazer as medições.
EMTP (Electromagnetic Transients Program). Kojovic et al. (1994) desenvolveram um método
Uma rotina computacional foi desenvolvida para de medição de resposta em freqüência no lado
a obtenção dos parâmetros lineares do modelo a secundário do TPC para estimar os parâmetros de
partir de medições, em laboratório, das curvas de seu circuito equivalente sem precisar desmontar o
amplitude e fase da relação de tensão do TPC. O equipamento. No entanto, a metodologia é validada
transformador de potencial (TP) indutivo foi somente para freqüências até 1 kHz. Além disso, não
modelado incluindo os seus múltiplos são levados em conta os efeitos de saturação do
enrolamentos, a característica não linear do núcleo magnético do TPC.
núcleo magnético e o circuito de proteção. Iravani et al. (1998) desenvolveram um modelo
Simulações de ferroressonância foram realizadas. de TPC no EMTP (Electromagnetic Transients
Os resultados revelam que são necessários alguns Program) para avaliar a sua resposta transitória,
cuidados a fim de evitar problemas de oscilação incluindo a representação dos efeitos de saturação do
numérica, e mostram a importância do circuito núcleo magnético. Tziouvaras et al. (2000)
supressor de ferroressonância (CSF) e do circuito mostraram que existem algumas deficiências na
de proteção para o amortecimento e limitação de modelagem de TPC com relação a representação
tensões transitórias que aparecem no TPC mais realista dos elementos que contêm núcleo de
quando um curto-circuito é interrompido em um ferro e com relação a inclusão de capacitâncias
de seus terminais secundários. parasitas e elementos limitadores de tensão.
Um dos grandes problemas em TPC é a
Palavras-chave: Transformador de potencial possibilidade de sobretensões serem provocadas por
capacitivo, ferroressonância, simulação de ferroressonância. A ferroressonância é uma
transitórios, modelo de TPC, EMTP. oscilação não linear que pode ocorrer em circuitos
elétricos contendo pelo menos uma capacitância
I. INTRODUÇÃO linear em série com uma indutância não linear,
excitados por uma fonte de tensão senoidal.
Empresas que trabalham com geração e O objetivo deste trabalho é apresentar um
transmissão de energia elétrica há muito tempo modelo para transformador de potencial capacitivo
utilizam transformadores de potencial capacitivos que pode ser utilizado em programas de cálculo de
(TPC) para alimentarem dispositivos de proteção e transitórios eletromagnéticos. Resultados
instrumentos de medição. Recentemente, foram preliminares foram apresentados pelos autores no
detectados problemas com alguns desses XIII CBA (Fernandes Jr. e Neves, 2000). O presente
transformadores pertencentes a CHESF (Companhia trabalho constitui uma extensão das atividades de
Hidro Elétrica do São Francisco). Foi observado pesquisa em que se tem incluído a característica não
que, operações rotineiras de chaves seccionadoras linear do transformador de potencial (TP) indutivo, o
provocaram a atuação dos relés de proteção contra acoplamento magnético entre seus múltiplos
sobretensões alimentados pelos TPC. Tais enrolamentos, bem como o circuito de proteção, a
problemas causaram a interrupção no fornecimento fim de tornar mais realistas as simulações no
de energia elétrica, além de danos irreparáveis em domínio do tempo.
alguns TPC. A CHESF disponibilizou um TPC de 230 kV
Embora muitos estudos tenham sido realizados para o Laboratório de Alta Tensão da UFPB. Foram
com o objetivo de representar TPC em cálculos de feitas medições de resposta em freqüência de
transitórios eletromagnéticos, existem ainda muitas amplitude e fase da relação de tensão deste
dificuldades na obtenção de modelos adequados. equipamento. Os dados medidos foram utilizados
Kezunovic et al. (1992) trabalharam com como dados de entrada para uma rotina de ajuste não
técnicas experimentais para medir os parâmetros linear baseada no método de Newton (Press et al.,
lineares do TPC. Eles mostraram, através de análises 1992) para a estimação dos parâmetros do TPC.
Simulações digitais de ferroressonância foram compensação (Kezunovic et al., 1992; Kojovic et al.,
realizadas utilizando o modelo apresentado neste 1994; Tziouvaras et al., 2000).
trabalho. Os resultados revelam que são necessários Neste trabalho, o circuito mostrado na Fig. 2 foi
alguns cuidados a fim de evitar problemas de usado para representar o TPC. Ele consiste de uma
oscilação numérica. O circuito supressor de coluna capacitiva (C1 , C2 ), um reator de
ferroressonância (CSF) e o circuito de proteção são compensação (Rc, Lc, Cc), um TP indutivo (Rp , Lp ,
eficazes no amortecimento de tensões transitórias Cp , Lm , Rm ) e um circuito supressor de
quando um curto-circuito é eliminado no secundário ferroressonância (Rf , Lf1 , Lf2 , −M, Cf ). A
do TPC. configuração do CSF é mostrada na Fig. 3(a). Um
reator com núcleo de ferro, não saturável,
II. FUNDAMENTOS TEÓRICOS representado por Lf , é conectado em paralelo com
um capacitor Cf tal que o circuito ao ser sintonizado
O diagrama elétrico básico de um TPC é na freqüência fundamental tenha um alto fator Q. O
mostrado na Fig. 1. O lado primário consiste de dois modelo do CSF é mostrado na Fig. 3(b). O resistor
elementos capacitivos C1 e C2 conectados em série. de amortecimento Rf é utilizado para atenuar
O TP indutivo fornece uma tensão secundária vo oscilações oriundas de ferroressonância.
para os relés de proteção e instrumentos de medição. LINHA
O reator de compensação Lc é escolhido para evitar a
C1 Cc
defasagem entre as tensões vi e vo na freqüência do
sistema. Lc Rc Lp Rp
Oscilações de ferroressonância podem aparecer
no TPC devido à possibilidade de uma capacitância Cf Lf2
entrar em ressonância com algum valor particular da C2 Cp Lm Rm Zb
Lf1 −M
indutância não linear dos componentes que contêm Rf
núcleo de ferro. Entretanto, este fenômeno não pode
ser tolerado em TPC, uma vez que informações
indesejáveis poderiam ser transferidas aos relés e aos Fig. 2 − Modelo do TPC para o cálculo de
instrumentos de medição. Para amenizar esse tipo de parâmetros.
problema, normalmente é colocado um circuito
supressor de ferroressonância em um dos Cf Cf
Lf
enrolamentos do TP indutivo. Lf1 Lf2
Os circuitos sintonizados na freqüência do
sistema (L em paralelo com C) e em série com uma −M
resistência para a terra têm sido normalmente os Rf
Rf
dispositivos mais utilizados como circuitos
supressores de ferroressonância (Kojovic et al.,
1994; Tziouvaras et al., 2000), pois amortecem as Fig. 3 − (a) Configuração do CSF. (b) Modelo
oscilações transitórias e consomem pouca energia digital do CSF.
em regime permanente.
LINHA A. Cálculo dos Parâmetros do Modelo

No cálculo de parâmetros do modelo do TPC, o


TP in dutivo é representado apenas por elementos
C1 lineares, pois nas medições de resposta em
freqüência o núcleo de ferro não satura. No entanto,
TP
vi Lc o efeito da não linearidade do núcleo é incluído nas
indutivo
simulações no domínio do tempo. O circuito da Fig.
Zb 2 é considerado com blocos específicos de
C2 CSF vo
impedâncias Z1 , Z2 , Z3 , Z4 , Z5 e com os parâmetros
referidos ao lado secundário do TP indutivo, de
acordo com a configuração mo strada na Fig. 4.
LINHA
Fig. 1 − Diagrama elétrico básico de um TPC.
r2 C1

III. MÉTODO ANALÍTICO DESENVOLVIDO 1 Z1 2 Z2 3


vi/r Z4
O diagrama mostrado na Fig. 1 é válido somente r2 C2 r2 Cp Z3 4 Zb vo
para freqüências próximas de 60 Hz. Um modelo Z5
aplicável para freqüências acima de alguns kilohertz
precisa levar em conta as capacitâncias parasitas do
enrolamento primário do TP indutivo e do reator de Fig. 4 − Modelo do TPC com blocos de impedância.
As expressões para as impedâncias no de forma que p é computado resolvendo-se a
domínio s, com s = jω, são: expressão ∇ 2 F ( x) p = −∇F ( x ) .
[ ]( )
Z 1 = ( Rc + sLc ) r // 1 r sCc ;
2 2
A função a ser minimizada, também chamada
Z2 = (R + sL ) r ;
p p
2 de função de mérito χ2 (x), é dada por:

= (R r ) //(sL r );
2
n
 yi − y(ωi ; x ) 

2 2
Z3 m m (1) χ (x ) =
2
  . (6)
Z4 = (sL + 1 sC ) //(sL );
f1 f f2
i =1  σi 
Z 5 = R f − sM . Em que ωi é o i-ésimo valor de freqüência
medido e yi é o i-ésimo valor de resposta em
Em que, r é a relação de transformação do TP freqüência medido dos n pontos do conjunto de
indutivo e o símbolo // significa que os parâmetros dados. σi é o desvio padrão para cada yi . x é o vetor
estão em paralelo. que contém os parâmetros R, L, C a serem
Os parâmetros lineares R, L, C do modelo do determinados e y(ωi ; x) é a função analítica do
TPC devem reproduzir as funções de transferência
modelo.
de amplitude e fase representadas por vo /vi . Eles são Uma rotina escrita em FORTRAN foi
calculados usando a técnica descrita abaixo para a desenvolvida para minimizar a função de mérito
minimização de funções não lineares.
χ2 (x) usando o método descrito acima. Além da
função y(ωi ; x), é necessário conhecer suas primeira
B. Minimização de Funções Não Lineares
e segunda derivadas com respeito a cada parâmetro
de x (Fernandes Jr. e Neves, 2000). O algoritmo é
Os métodos para minimização de funções não dado abaixo:
lineares geralmente são iterativos, ou seja, dada uma 1) Forneça os valores de resposta em freqüência yi
solução aproximada xi , uma estimativa da solução x*
do TPC para cada freqüência ωi e de estimativa
é obtida. A técnica usada aqui é baseada no método inicial para os parâmetros R, L, C (vetor x);
de Newton que usa uma aproximação quadrática 2) Determine χ2 (x) e avalie χ2 (x + p);
para a função F(x) derivada a partir da expansão da
3) Armazene o valor de χ2 (x + p) e para um número
série de Taylor de segunda ordem em torno do ponto
de iterações m definido pelo usuário, compare o
xi . Em duas dimensões, a aproximação da série de
valor atual da função de mérito com o seu valor
Taylor de segunda ordem pode ser escrita na forma:
armazenado m iterações atrás;
 ∂F ( x1 , x2 )  4) Se a diferença for maior que a tolerância definida
 ∂x 
F ( x1 + p1 , x2 + p 2 ) ≈ F ( x1 , x 2 ) + [ p1 p 2 ] 1  pelo usuário, retorne ao passo 2. Caso contrário,
 ∂F ( x1 , x2 )  pare o processo iterativo.
 ∂x2 
 ∂ 2 F ( x1 , x2 ) ∂ 2 F ( x1 , x2 )  IV. MEDIÇÕES EM LABORATÓRIO
 
∂x12 ∂ x1∂x 2   p1 
+ [ p1 p 2 ] 2
1 A. Medições de Resposta em Freqüência
 .
2 ∂ F ( x1 , x2 ) ∂ 2 F ( x1 , x2 )   p 2 
 
 ∂x2 ∂x1 ∂x22  (2) Medições de resposta em freqüência da
amplitude e fase da relação de tensão foram
Para a dimensão n, a expressão acima escrita na realizadas no TPC de 230 kV. Um filtro RC ativo de
forma matricial/vetorial é:
3a ordem com uma freqüência de corte de 15 kHz,
1 T 2 conectado entre os terminais secundários Y1 − Y3 de
F ( x + p) ≈ F ( x ) + p ∇ F ( x ). + p ∇ F ( x ) p. (3)
T

2 tensão nominal 115 V, foi usado para atenuar ruídos


Para obter o passo p, a função F é minimizada de alta freqüência. Um gerador de sinal alimentando
fazendo o seu gradiente com respeito a p igual a um amplificador, com tensão máxima pico a pico de
zero. Dessa forma, tem-se: 2 kV, foi conectado entre o terminal de alta tensão e
∇ 2 F ( x) p = −∇F ( x) . (4) a terra, como mo stra a Fig. 5.
A solução aproximada xk+1 é dada por: Gerador

[
x k +1 = x k + p = x k − ∇ 2 F ( x k ) ] −1
∇ F ( x k ). (5)
de Sinal
∼ vi
C1
O método de Newton convergirá se [∇2 F(x)]-1 Amplificador Tanque
Y1
for positiva definida em cada passo iterativo, ou de Potência vo Filtro
C2 Indutivo
seja, zT[∇2 F(x)]-1z > 0 para todo z ≠ 0. A técnica Y3
usada aqui é o método full Newton-type (Press et al.,
1992). Este método é uma modificação do método Osciloscópio
de Newton para a iteração em que [∇2 F(x)]-1 não é
positiva definida: ∇2 F(x) é substituída por uma Fig. 5 − Medições de resposta em freqüência do
matriz ∇ 2 F ( x) que é forçada a ser positiva definida, TPC de 230 kV.
B. Medições da Característica Não Linear do TP V. ANÁLISE DOS RESULTADOS
Indutivo
A. Obtenção de Parâmetros do TPC de 230 kV
Uma fonte de tensão senoidal foi aplicada entre
os terminais Y1 − Y3 até 2.2 p.u. e foram obtidos Os parâmetros do TPC de 230 kV foram
valores de tensão e corrente eficazes. Os dados v − i estimados a partir dos dados de amplitude e fase da
relação de tensão medidos em laboratório. Os
rms foram convertidos em valores de pico λ − i
parâmetros ajustados referidos ao secundário do TP
através de uma rotina elaborada por Neves e
são mo strados na Tabela 3. As curvas de amplitude e
Dommel (1993).
fase da relação de tensão medidas e ajustadas são
Para estimar a saturação do núcleo, a indutância
mostradas nas Figs. 6 e 7, respectivamente.
do núcleo de ar foi considerada duas vezes maior
que a indutância de curto-circuito Lp do TP indutivo Tabela 3 − Parâmetros ajustados do TPC de 230 kV.
(Dommel, 1996). A característica λ − i do TP é
mostrada na Tabela 1, em que a última linha C1 = 233.8 µF Cp = 216.3 nF Lf1 = 10.87 mH
corresponde a estimativa do par (i, λ) para a região C2 = 1523.0 µF Rp = 0.0395 Ω Cf = 166.39 µF
saturada. Rc = 0.39 Ω Lp = 4.92 mH Lf2 = 47.39 mH
Lc = 3.71 mH Rm = 50.6 Ω Rf = 4.99 Ω
Tabela 1 − Característica não linear do núcleo
Cc = 11486.1 µF Lm = 700.0 mH M = 9.31 mH
magnético do TP.
M edi çõe s e m l abora tório
5.0
Corrente (A) Fluxo (V.s) Cu rva aju stad a
0.0
0.076368 0.025772
0.720881 0.189066

Ganho (dB)
-5.0

1.429369 0.396889 -10.0


2.511675 0.748388 -15.0
3.662012 0.863553
-20.0
4.587227 0.903317
-25.0
5.712037 0.942706 1.0E+1 1.0E+2 1.0E+3 1.0E+4
856.8055 9.249378 Freqüência (Hz)

Fig. 6 − Curvas de amplitude da relação de tensão do


B. Estimativa da Característica Não Linear do TPC de 230 kV medida e ajustada.
Pára-raios do Circuito de Proteção 90.0 M e diç õe s em la bora tório
60.0 Curva aj usta da

30.0
O circuito de proteção do TPC de 230 kV é
Fase (graus)

0.0
composto por um pára-raios de carboneto de silício -30.0
(SiC) conectado em paralelo com a capacitância C2 -60.0
da coluna capacitiva. -90.0
Para estimar a característica v − i do pára-raios, -120.0
-150.0
foi medida inicialmente a sua tensão de disparo em
-180.0
60 Hz. A tensão fornecida por um transformador 1.0E+1 1.0E+2 1.0E+3 1.0E+4
regulador (220 V e 10 kVA) e elevada por um Freqüência (Hz)
transformador de alta tensão (100 kV e 10 kVA) foi Fig. 7 − Curvas de fase da relação de tensão do TPC
aplicada entre os terminais do pára-raios de 230 kV medida e ajustada.
gradativamente até o disparo do centelhador. Após 7
medições, o valor médio da tensão disruptiva foi Os erros médios de amplitude e fase para a
58.5 kV rms. estimativa inicial dos parâmetros são,
Baseado em valores estabelecidos por norma respectivamente, 23.3 % e 16o . No final do ajuste, os
(D’ajuz et al., 1985), foi estimada a característica v−i erros médios de amplitude e fase são,
respectivamente, 5.5 % e 8.9o . Com base nas Figs. 6
de um pára-raios de SiC com tensão de disparo de
e 7, pode-se afirmar que estes erros são
58.5 kV para uma frente de onda de 1 ms. A
característica é mostrada na Tabela 2. relativamente pequenos para freqüências até 2 kHz,
especialmente próximo de 60 Hz, freqüência em que
Tabela 2 − Característica do pára-raios do circuito o TPC opera a maior parte do tempo.
de proteção. Dentro da rotina de ajuste pode-se aplicar
restrições aos parâmetros previamente conhecidos e
Corrente (A) Tensão Residual (V)
projetados pelo fabricante, como C1 , C2 e Lc, e
10 58215.3
alguns facilmente medidos, como Rp , de forma que
20 58932.9 seus valores não ultrapassem uma determinada
100 61534.2 tolerância definida pelo usuário. Esse procedimento
200 63059.1 impõe limitações ao processo de ajuste de curvas,
1000 68172.0 porém fornece resultados mais realistas.
B. Simulações de Ferroressonância no TPC Sendo, A3 = Lf1 Lf2 Cf − MCf (Lf1 + Lf2 ), A2 =
Rf Cf (Lf1 + Lf2 ), A1 = Lf2 − M, A0 = Rf e B2 = Cf (Lf1 +
Para realizar as simulações de ferroressonância Lf2 ). Substituindo os parâmetros do CSF pelos seus
no TPC de 230 kV com o MICROTRAN valores calculados (Tabela 3), obtém-se dois pólos
(Microtran Power System Analysis Corporation, complexos conjugados, p 1 = j321.18 e p 2 = −j321.18
1992), a indutância de magnetização Lm foi e três zeros reais, z1 = 11404.0, z2 = −577.0 e z3 =
substituída por uma indutância não linear conectada −167.0.
aos terminais secundários do TPC cujos dados λ − i A oscilação numérica se estabelece neste circuito
são aqueles mostrados na Tabela 1. O TP indutivo devido à existência do zero z1 = 11404.0 localizado
foi representado através de um modelo de no semi-plano direito do plano s. Para eliminar a
transformador monofásico com 3 enrolamentos (1 oscilação numérica, é necessário que o coeficiente
no primário e 2 no secundário). Foi incluído o pára- A3 da Eq. (7) seja maior ou igual a zero, garantindo
raios do circuito de proteção cuja característica v − i assim que todos os zeros estejam localizados no
é mostrada na Tabela 2, e considerado o equivalente semi-plano negativo do plano s. Para satisfazer essa
de Thévenin visto do ponto A de tensão condição, é necessário que o módulo da indutância
intermediária do TPC. M do CSF assuma valores iguais ou inferiores a
As simulações de ferroressonância foram 8.84 mH.
baseadas em ensaios estabelecidos pela Norma IEC Entretanto, para análise de ferroressonância, essa
186 (D’ajuz et al., 1985). Segundo a Norma, o 1o consideração na mudança dos valores de M pode ser
ensaio de ferroressonância em TPC estabelece que o feita sem comprometer as simulações, pois a
equipamento deve ser energizado a 120% de sua ferroressonância acontece em freqüências baixas,
tensão nominal em regime permanente, com carga normalmente entre a subharmônica de 1/3 e a 3a
nula no enrolamento secundário a ser curto- harmônica, e nesta faixa de freqüência as curvas de
circuitado. O curto-circuito deve ser mantido por um amplitude e fase da relação vo /vi do TPC são
tempo mínimo de 3 ciclos (base 60 Hz). coincidentes para ambos os valores de M (Fernandes
Para analisar a importância do CSF no Jr., 2001).
amortecimento de transitórios, foram feitas duas A Fig. 10 mostra a forma de onda da tensão
simulações: uma desprezando-se o CSF e outra transitória no lado secundário do TPC quando o
levando-se em conta a presença do CSF. Em ambos circuito supressor de ferroressonância é removido.
os casos, as simulações consistem na operação de As oscilações permanecem até pelo menos 600 ms,
fechamento seguida de abertura da chave CH quando o regime permanente é estabelecido em
conectada aos terminais secundários do modelo do aproximadamente 136 V rms. A Fig. 11 mostra o
TPC, conforme mostra a Fig. 8. O fechamento da mesmo caso com o circuito supressor de
chave acontece em t = 125 ms. A chave permanece ferroressonância incluído no modelo do TPC. Os
fechada durante 6 ciclos (100 ms), quando o curto- resultados mostram que as oscilações são
circuito é removido. amortecidas em menos de 100 ms, conforme está
Na simulação de ferroressonância que leva em previsto nas condições de aprovação do 1o ensaio de
conta o circuito supressor de ferroressonância foi ferroressonância.
observada a presença de oscilação numérica na A Fig. 12 mostra a tensão nos terminais
forma de onda da tensão secundária do TPC, secundários do TPC levando-se em conta a presença
conforme mostra a Fig. 9. Este problema pode ser do circuito supressor de ferroressonância, porém
explicado através da impedância do CSF, Zf (s), desprezando-se o circuito de proteção. A
escrita a partir de seu modelo mostrado na Fig. 3(b). comparação com a Fig. 11 mostra a importância do
A s 3 + A2 s 2 + A1s + A0 circuito de proteção na limitação do pico da tensão
Z f (s ) = 3 . (7) transitória.
B2 s 2 + 1
493.2 nF
Ce = C1 + C2 A 86.29 H 9.1 kΩ 114.7 H 920.0 Ω
166.39 µF 47.39 mH 0.5 mΩ
λ−i 50.6 Ω 10.87 mH −8.84 mH CH vo
Centelh ador
4.99 Ω 0.5 mΩ
C1
~ v′i = 1.2 C1 + C2 vi 9.29 pF
v−i
Equivalente
de
Thévenin
pára-raios
de SiC

Fig. 8 − Esquema utilizado para simulação do 1o ensaio de ferroressonância no TPC de 230 kV.
60
ferroressonância e do circuito de proteção no
50

Tensão secundária (kV)


40
amortecimento e na limitação, respectivamente, da
30 tensão no secundário do TPC.
20 Uma limitação do trabalho está relacionada à
10 faixa de freqüência em que o modelo é validado para
0
estudos de transitórios, embora seja suficiente para
-10
-20
contemplar simulações de ferroressonância.
-30 Atualmente os autores estão trabalhando na
0 20 40 60 80 100 120 140 realização de ensaios de ferroressonância em
Tempo (ms)
laboratório.
Fig. 9 − Oscilação numérica na tensão secundária do
TPC. AGRADECIMENTOS
400
300
Tensão secundária (V)

200 Os autores agradecem a CHESF pela concessão


100 de um TPC de 230 kV, ao CNPq pelo apoio
0 financeiro e ao DEE pelo apoio técnico.
-100
-200 VII. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
-300
-400 D’ajuz, A., Resende, F. M., Carvalho, F. M. S., Nunes, I.
0 100 200 300 400 500 600 G., Amon Filho, J., Dias, L. E. N., Pereira, M. P.,
Tempo (ms) Kastrup Filho, O. e Morais, S. A. Equipamentos
Fig. 10 − Tensão secundária do TPC sem o CSF. Elétricos; Especificação e Aplicação em Subestações
300 de Alta Tensão , FURNAS, 300p, 1985.
200 Dommel, H. W. EMTP Theory Book, Microtran Power
Tensão secundária (V)

System Analysis Corporation, Vancouver, 1996.


100
Fernandes Jr., D. Investigação da Resposta
0
Ferroressonante de um Transfomador de Potencial
-100 Capacitivo, Projeto e Pesquisa, UFPB, 2001.
-200 Fernandes Jr., D. e Neves, W. L. A. “Identificação de
-300 Parâmetros para Transformadores de Potencial
Capacitivos”. XIII CBA, Florianópolis, pp. 2030-2035,
-400
0 100 200 300 400 500 2000.
Tempo (ms) Iravani, M. R., Wang, X., Polishchuk, I., Ribeiro, J. and
Fig. 11 − Tensão secundária do TPC com o CSF. Sarshar, A. “Digital Time-Domain Investigation of
2.0 Transient Behaviour of Coupling Capacitor Voltage
1.5 Transformer”. IEEE Trans. on Power Delivery, vol.
Tensão secundária (kV)

1.0 13, no. 2, pp. 622-629, 1998.


0.5 Kezunovic, M., Kojovic, Lj., Skendzic, V., Fromen, C.
0.0 W., Sevcik, D. R. and Nilsson, S. L. “Digital Models
-0.5 of Coupling Capacitor Voltage Transformers for
-1.0 Protective Relay Transient Studies”. IEEE Trans. on
-1.5
Power Delivery, vol. 7, no. 4, pp. 1927-1935, 1992.
-2.0
Kojovic, Lj., Kezunovic, M., Skendzic, V., Fromen, C. W.
-2.5
0 100 200 300 400 500 and Sevcik, D. R. “A New Method for the CCVT
Tempo (ms ) Performance Analysis Using Field Measurements,
Fig. 12 − Tensão secundária do TPC sem o circuito Signal Processing and EMTP Modeling”. IEEE Trans.
de proteção. on Power Delivery, vol. 9, no. 4, pp. 1907-1915, 1994.
Microtran Power System Analysis Corporation. Transients
Analysis Program Reference Manual, Vancouver,
VI. CONCLUSÕES B.C., Canada, 1992.
Neves, W. L. A. and Dommel, H. W. “On Modeling Iron
Neste trabalho, foi apresentado um modelo de Core Nonlinearities”. IEEE Trans. on Power Systems,
TPC para estudos de transitórios eletromagnéticos. vol. 8, no. 2, pp. 417-423, 1993.
O modelo é constituído pelos seus parâmetros Press, W. H., Teukolsky , S. A., Vetterling, W. T. and
lineares R, L, C obtidos através de uma rotina de Flannery , B. P. Numerical Recipes in Fortran - The
ajuste que utiliza como dados de entrada a amplitude Art of Scientific Computing, Second Edition, New
e a fase da relação de tensão do TPC medidas em York, Cambridge University Press, 963p, 1992.
laboratório. O modelo inclui a característica não Tziouvaras, D. A., McLaren, P., Alexander, G., Dawson,
D., Ezstergalyos, J., Fromen, C., Glinkowski, M.,
linear do TP indutivo e do pára-raios do circuito de Hasenwinkle, I., Kezunovic, M., Kojovic, Lj.,
proteção, e pode ser facilmente usado no EMTP. Kotheimer, B., Kuffel, R., Nordstrom, J., Zocholl, S.
Os resultados revelam cuidados com a presença “Mathematical Models for Current, Voltage and
de indutâncias negativas que podem causar Coupling Capacitor Voltage Transformers”. IEEE
problemas de oscilação numérica e mostram a Trans. on Power Delivery, vol. 15, no. 1, pp. 62-72,
importância do circuito supressor de 2000.

View publication stats