Você está na página 1de 8

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Departamento de Engenharia Mecânica

PME 3100 – MECÂNICA 1 – Primeira Prova – 11 de setembro de 2018 – Duração: 110 minutos
(não é permitido o uso de celulares, tablets, calculadoras e dispositivos similares)

1ª Questão (3,0 pontos). Um cubo de lado a e peso


r
z Pk desprezível está sujeito ao sistema de forças indicado
na figura. Pede-se:
C
(a) determinar a resultante do sistema de forças e o
momento resultante no pólo O ;
r A (b) determinar o momento no eixo Oy ;
Pi
(c) verificar se o sistema de forças é redutível a uma
única força;
O y
(d) determinar o momento mínimo.

r
B 2P j
x
RESOLUÇÃO
(a) Resultante de forças e resultante de momentos no pólo O .
A resultante do sistema de forças dado, é:
r r r r
R = P i + 2 Pj + Pk

O momento resultante no pólo O , é:


r r r r r r
( r
)r r
( )
r r
( r
)r
M O = ( A − O ) ∧ Pi + (B − O ) ∧ 2 Pj + (C − O ) ∧ Pk = a i + ak ∧ Pi + a i + aj ∧ 2 Pj + aj + ak ∧ Pk

Calculando a expressão acima, resulta


r r r r
M O = aPj + 2 aPk + aP i

(a) 1 ponto
(b) Momento resultante no eixo Oy
O momento resultante nesse eixo, é dado, por:
r r r
( r r r
)
M Oy = M O ⋅ j = aPj + 2 aP k + aP i ⋅ j = aP

(b) ½ ponto
(c) Redução do sistema de forças
Para que o sistema de forças dado seja redutível a uma única força, é necessário e suficiente que:
r r
 R≠0
r r
 I = R⋅MO = 0
r r
 Do item (a), sabemos que R ≠ 0
Calculemos, então, o invariante escalar I :
r r r
( r r
)(
r r r
)
I = R ⋅ M O = Pi + 2 Pj + Pk ⋅ aPj + 2aPk + aP i = aP 2 + 2aP 2 + 2aP 2 = 5aP 2 ≠ 0
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

Concluímos que o sistema de forças dado não é redutível a uma única força. Trata-se de um sistema
redutível a ‘força + binário’.
(c) 0,5 ponto
(d) Determinação do momento mínimo
O momento mínimo do sistema de forças dado, é:
r I r
M min = r 2 R = 2
(
5aP 2
P + 4P + P
2 2
)
r
( r
)
r 5
6
(r r r
P i + 2 Pj + Pk = a P i + 2 Pj + Pk )
R

(d) 1 ponto
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

2ª Questão (3,5 pontos). A figura mostra um equipamento de levantamento de cargas composto por duas
barras delgadas e um sistema de polias e fios ideais. As massas das barras, das polias e dos fios são
desprezíveis. A barra BC é articulada em B e a sua extremidade C está diretamente apoiada sobre o solo.
Considere que no contato C o coeficiente de atrito é µ . Pede-se:
(a) determinar a força F que deve ser aplicada na extremidade livre do D
fio para sustentar a carga de peso P ;
l
(b) desenhar os diagramas de corpo livre das barras;
(c) determinar as reações vinculares na extremidade C da barra BC ;
(d) determinar o valor mínimo de µ compatível com o equilíbrio
estático da estrutura. l

g
F
B
P
2l

60° 60°
A
C

RESOLUÇÃO

(a) Determinação da força F

Analisando-se os diagramas de corpo livre das polias concluímos, de imediato, que


P
F=
2

V =P T=P 2 T=P 2

P
F =T = P 2

(a) ½ ponto
(b) Diagramas de corpo livre das barras

Nas figuras abaixo apresentam-se esses diagramas:


ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

D
P
2

P
FBC
B
FBC B

YA

A C
XA FBC

(b) 1 ponto
(c) Reações vinculares

Considerando-se a figura acima, as equações de equilíbrio para a barra AD são :

1
X A + FBC cos 60° = 0 ⇒ X A + FBC = 0 (1)
2
P 3 3
Y A − FBC sin 60° − P − = 0 ⇒ Y A − FBC − P = 0 (2)
2 2 2
1 r 3 r  1 r 3 r  1 P 1 (3)
 2Li + 2 L j  ∧  F BC i − F BC j  − P  3 L  − 4 L = 0
2 2  2 2
  2 2  2

Resolvendo o sistema de equações acima, obtemos:


5
 FBC = − 3 P (compressão)
6
5
 XA =− 3P
12
1
 YA = P
4

(c) 1 ponto
(d) Coeficiente de atrito

Decompondo-se a força de contato da barra BC com o pavimento em suas componentes normal e


tangencial, tem-se:
5 5
XC = − 3 P cos 60 ° = − 3P
6 12
5 5 3 5
YC = 3 P sin 60° = 3P = P
6 6 2 4
Considerando-se que a barra BC está apoiada em um pavimento com atrito, tem-se:
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

X C ≤ µ YC ,
Portanto, o menor valor do coeficiente de atrito compatível com o equilíbrio da estrutura, é:
5
XC 3P
12 3
µ min = = =
YC 5 3
P
4
(d) 1 ponto
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

3ª Questão (3,5 pontos). No sistema em equilíbrio mostrado na figura, a placa homogênea ABCDE é
r
vinculada ao anel C , à articulação D e à barra delgada BF . No ponto E da placa aplica-se uma força Pj . A
placa e a barra têm o mesmo peso P . Pede-se:
(a) determinar a posição do centro de massa da placa
z ABCDE ;
a (b) desenhar os diagramas de corpo livre da barra
A BF e da placa ABCDE ;
g (c) escrever as equações de equilíbrio para a barra e
B para a placa;
(d) determinar as reações em C .
2a
E
P
C
r
2a r k
i
r
Oj F
D
x a
a 2a

y
RESOLUÇÃO

(a) Determinação da posição do centro de massa da placa ABCDE


O eixo Oz é um eixo de simetria da placa ABCDE ; logo, a coordenada x do seu centro de massa é x G = 0 .
Notando que essa placa pode ser decomposta aditivamente em um retângulo BCDE e um triângulo ABE , a
posição z do centro de massa de ABCDE , é dada por:
2a 2  a
4a 2 ⋅ a +  2a +  4a 3 + 7 a 3
2  3 3 19
zG = 2
= 2
= a
2a 5a 15
4a 2 +
2

Portanto, o centro de massa localiza-se na posição G =  0,0,


19 
a, 
 15 
(a) ½ ponto
(b) Diagramas de corpo livre da placa e das barras

Os diagramas de corpo livre solicitados são apresentados na figura a seguir.


É importante observar que a barra BF está em equilíbrio sob a ação de três únicas forças – o peso próprio e
as forças vinculares em B e F . Portanto, esse é um sistema de 3 forças coplanares necessariamente,
conforme indicado na figura.
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

A
z
ZB ZB
B
YB
B YB
G
E
P
P ZC
ZF
C P
ZD YC
F YF y
D
YD
XD

(b) 1½ ponto

(c) Equações de equilíbrio

Aplicando-se as equações de equilíbrio à barra BF , tem-se:


YB + YF = 0 (1)
ZB + ZF − P = 0 (2)
Pa − 2YB a − 2Z B a = 0 ⇒ 2YB + 2Z B − P = 0 (3)
Aplicando-se as equações de equilíbrio à placa ABCDE , tem-se:

∑F xi =0⇒ XD =0 (4)

∑F yi = 0 ⇒ Y D + YC − Y B + P = 0 (5)

∑F zi = 0 ⇒ Z D + ZC − Z B − P = 0 (6)

∑M Ox = 0 ⇒ − P ⋅ 2a + Y B ⋅ 2a = 0 ⇒ Y B = P (7)

∑M Oy = 0 ⇒ −Z D ⋅ a + Z C ⋅ a − Z B ⋅ a = 0 ⇒ −Z D + Z C − Z B = 0 (8)

∑M Oz = 0 ⇒ P ⋅ a + Y B ⋅ a + Y D ⋅ a − YC ⋅ a = 0 ⇒ P + YB + Y D − YC = 0 (9)

(c) 1 ponto
(d) Determinação das reações e forças vinculares
Resolvendo-se o sistema de equações 1-9, obtêm-se:
 YB = P ZB = − P 2

 YF = − P Z F = 3P 2

 XD =0 YD = − P ZD = P 2

 YC = P ZC = 0

(d) ½ ponto
ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Departamento de Engenharia Mecânica

Os diagramas de corpo livre da placa e da barra, com os valores calculados das reações e forças vinculares,
são apresentados abaixo. Note que a barra BF está em equilíbrio sob a ação de três forças concorrentes.

A
P 2 z

B P
B
P 2
P
G
E
P
P
C P 3P 2

P 2 P
P F y
D P